CEFET - Centro Federal de Educação Tecnológica - PB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA PARAÍBA

COORDENAÇÃO PERMANENTE DE CONCURSOS PÚBLICOS

EDITAL Nº 28/2007

CONCURSO PÚBLICO - GRUPO MAGISTÉRIO

Av. Primeiro de Maio, 720 - Jaguaribe

João Pessoa - PB CEP 58015-430

O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA PARAÍBA tendo em vista o teor das Portarias nº 123/MP, de 24/04/07, publicada no DOU de 26/04/07, nº 184/MP, de 18/06/07, publicada no DOU de 19/06/07, e, ainda o teor da Portaria nº 589 do Ministério da Educação, de 21/06/07, publicada no DOU de 22/07/07, torna pública a abertura das inscrições para o Concurso Público de Provas e Títulos para o provimento do cargo de Professor de Ensino de 1º e 2º graus, para o Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba, com o objetivo de preencher o Quadro de Pessoal das Unidades de Ensino, sob o Regime Jurídico Único, aprovado pela Lei 8.112/90, de 11 de dezembro de 1990, publicada no DOU de 12 de dezembro 1990, e a Lei nº 11.091/2005, de 12 de janeiro de 2005, publicada no DOU de 13 de janeiro de 2005, com suas alterações posteriores, as legislações pertinentes e demais regulamentações, conforme estabelecido a seguir:

1 - DAS ÁREAS, MATÉRIAS/DISCIPLINAS, HABILITAÇÃO EXIGIDA, VAGAS, REGIME DE TRABALHO, REMUNERAÇÃO, CLASSE/NÍVEL E CONDIÇÕES GERAIS:

1.1. Será realizado Concurso Público de Provas para o cargo de Professor de Ensino de 1º e 2º Graus paras as matérias/disciplinas detalhadas no quadro a seguir, de acordo com a Unidade de Ensino do CEFET-PB.

1.1.1. UNIDADE SEDE - JOÃO PESSOA/PB

Área Matéria/Disciplina

PERFIL Habilitação Exigida

Vagas

Regime de Trabalho

Remuneração (R$)

Classe Nível

Taxa de Inscrição

ÁREA: GEOMÁTICA CURSO: Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento

PERFIL 1

MATÉRIAS/DISCIPLINAS: Ajustamento de Observações; Fotogrametria; Cartografia; Posicionamento por Satélites; Cadastro Técnico

Graduação em Engenharia Cartográfica ou em Engenharia de Agrimensura com Pós-Graduação em Geoinformação ou em áreas afins, reconhecida ou registrada ou revalidada pelo MEC.

01 (uma)

40h

Especialização 1.820,77

Mestrado 2.570,77

Doutorado 3.174,92

D-1

E-1

E-1

55,00

ÁREA: GEOMÁTICA

CURSO: Curso Superior de Tecnologia em Geoprocessamento

PERFIL 2

MATÉRIAS/DISCIPLINAS: Banco de Dados Geográficos; Processamento Digital de Imagens de Satélites; Sensoriamento Remoto; Sistema de Informações Geográficas

Graduação em Engenharia Civil ou em Engenharia Agrícola ou Engenharia Agronômica ou Engenharia Florestal ou Bacharelado em Geografia ou Bacharelado em Ciências da Computação com Pós‑Graduação em Geoinformação ou em áreas afins, reconhecida ou registrada ou revalidada pelo MEC.

01 (uma)

40h

Especialização 1.820,77

Mestrado 2.570,77

Doutorado 3.174,92

D-1

E-1

E-1

55,00

1.1.2. UNIDADE DE CAJAZEIRAS/PB

Área/Nível Matéria/Disciplina

PERFIL Habilitação Exigida

Vagas

Regime de Trabalho

Remuneração (R$)

Classe Nível

Taxa de Inscrição

ÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA (LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS)

NÍVEL: Médio Técnico Integrado/Subseqüente

Licenciatura Plena em Educação Física reconhecida ou registrada ou revalidada pelo MEC

01 (uma)

40h

Graduação 1.627,70

Especialização 1.820,77

Mestrado 2.570,77

Doutorado 3.174,92

C-1

D-1

E-1

E-1

55,00

1.2. Os salários a serem percebidos pelos candidatos contratados correspondem aos vencimentos apresentados no item anterior, podendo ser acrescidos do Valor do Auxílio-Alimentação (R$ 126,00) e de vantagens, benefícios e adicionais previstos na legislação (Auxílio Pré-Escolar, Auxílio-Transporte, Adicional de Insalubridade ou Periculosidade).

2. DAS INSCRIÇÕES

2.1. Período: 22/10/07 à 07/11/ 2007.

2.2. Informações: na Unidade Sede do CEFET-PB, localizada à Av. Primeiro de Maio, 720 - Jaguaribe - João Pessoa (PB), na Unidade de Ensino Descentralizada de Cajazeiras - UNED-Cajazeiras à Rua José Antonio da Silva, s/nº - Jardim Oásis - Cajazeiras(PB), no site (www.cefetpb.edu.br) e pelos telefones (83) 3208 3039; 3208 3084 em João Pessoa e (83) 3531 4565 em Cajazeiras.

2.3. Para proceder à sua inscrição no Concurso Público, o candidato deverá:

2.3.1. Ser brasileiro nato ou naturalizado e estar em dia com as obrigações eleitorais, para os candidatos de ambos os sexos, e quite com as obrigações militares, para os do sexo masculino.

2.3.2. Satisfazer todas as condições do presente Edital, anulando-se todos os atos decorrentes de inscrição efetuada em desacordo com as presentes normas.

2.3.3. Preencher ficha de inscrição disponibilizada através do site do CEFET-PB (www.cefetpb.edu.br) e efetuar recolhimento da taxa de inscrição especificada no quadro constante do item 1, através de boleto bancário gerado no ato da inscrição, a ser pago, preferencialmente, no Banco do Brasil.

2.3.4. Somente serão aceitas inscrições realizadas até 23h59 do dia 07/11/2007 e cujo pagamento seja realizado até o dia 08/11/2007.

2.4. O Edital do Concurso, o Programa e Instruções Específicas do Cargo para o qual se inscreveu o candidato estarão disponíveis na Internet, no endereço (www.cefetpb.edu.br).

2.5. A taxa de que trata o subitem 3.3.3, uma vez paga, não será restituída, visto que o CEFET-PB não tem autonomia para estornar/ressarcir valores depositados na conta única da União Federal.

2.6. O CEFET-PB não se responsabiliza por solicitação de inscrição via Internet não recebida por motivo de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados ou a impressão do comprovante do requerimento de inscrição ou do boleto bancário. O pagamento do boleto bancário constitui no documento de confirmação da inscrição do candidato.

2.7. O candidato que necessitar de condições especiais para realizar as provas deverá apresentar, até o dia 08/11/2007, em dias úteis, no horário das 08h às 1 1h30 e das 14h às 17h30, requerimento devidamente instruído com laudo médico, descrevendo a sua necessidade e especificando o tipo de atendimento que a Instituição deverá dispensar no local das provas, para garantir sua participação no Concurso Público.

2.8. Todas as informações prestadas são de total responsabilidade do candidato.

3. DOS REQUISITOS BÁSICOS PARA INVESTIDURA EM CARGO PÚBLICO

3.1. São requisitos básicos para investidura em cargo público, a serem comprovados no momento da posse:

I. nacionalidade brasileira;

II. gozo dos direitos políticos;

III. quitação com as obrigações militares e eleitorais;

IV. nível de escolaridade e habilitação profissional exigidos para o exercício do cargo;

V. idade mínima de 18 anos;

VI. aptidão física e mental, comprovada através de avaliação clínica médico-ocupacional e laboratorial;

VII. laudo médico dos candidatos portadores de deficiência física, declarando a deficiência de que é portador, com expressa referência ao código correspondente de CID (Classificação Internacional de Doença), e que a mesma é compatível com as atribuições do cargo, comprovada através de análise do Serviço Especializado de Engenharia, Segurança e Medicina do Trabalho, que emitirá parecer sobre o enquadramento do tipo ou grau de deficiência e sua compatibilidade com o cargo.

3.2. Não ter sofrido, no exercício da função pública, penalidade incompatível com a investidura em cargo público federal, previsto no artigo 137, parágrafo único da Lei 8.112/90;

3.3. Apresentar Declaração de Acumulação lícita de cargo público;

3.4. Não perceber proventos de aposentadoria que caracterizem acumulação ilícita de cargos, na forma do artigo 37, inciso XVI da Constituição Federal:

3.5. Apresentar o original e cópia da Carteira de Identidade, CPF regularizado junto à Receita Federal, Título de Eleitor com comprovante da última votação, PIS/PASEP, 2 fotos 3x4 recentes, Declaração de Bens e Renda, Certidão de Nascimento ou Casamento conforme estado civil, tipo sanguíneo e fator RH;

3.6. A não-apresentação dos comprovantes acima exigidos implicará o não-aproveitamento do candidato aprovado, anulando-se os atos ou efeitos decorrentes da inscrição do Concurso Público.

4. DO CONCURSO

4.1. O Concurso Público para o Cargo de Professor de Ensino de 1º e 2º Graus constará de uma Prova Escrita, uma Prova de Desempenho, ambas de caráter eliminatório, sendo considerado habilitado o candidato que obtiver, no mínimo, 60 (sessenta) pontos em cada uma das provas e uma Prova de Títulos, de caráter classificatório.

4.2. A Prova Escrita e à Prova de Desempenho, serão atribuídas notas de 0 (zero) a 100 (cem) pontos, a cada uma.

4.3. À Prova de Títulos, cujo valor será de, no máximo, 100 (cem) pontos, serão atribuídos os valores constantes do Anexo constante deste Edital.

4.4. Não haverá, sob qualquer pretexto, segunda chamada para as provas e/ou realização destas, fora dos locais e horários determinados, salvo casos e situações excepcionais, devidamente comprovadas por atestado ou laudo médico, ou documento judicial.

4.5. Será eliminado do Concurso Público, sem prejuízo das sanções penais cabíveis, o candidato que, durante o período de aplicação das provas:

I. burlar ou tentar burlar quaisquer das normas definidas neste edital;

II. for surpreendido passando ou recebendo auxílio para realização de quaisquer das provas;

III. comunicar-se com outros candidatos ou qualquer pessoa estranha ao Concurso Público;

IV. dispensar tratamento inadequado, incorreto ou descortês a qualquer pessoa envolvida no Concurso Público, bem como perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos relativos ao referido processo;

V. tiver cometido falsidade ideológica com prova documental; ou

VI. Tiver utilizado de procedimentos ilícitos, devidamente comprovados por meio eletrônico, estatístico, visual ou grafológico.

5. DA PROVA ESCRITA

5.1. A Prova Escrita será realizada no dia 18/11/2007, conforme horários a seguir:

Grupo Magistério - Professor: das 14h às 18h.

5.2. Todas as provas serão realizadas na cidade de JOÃO PESSOA/PB, independentemente da Unidade de Ensino do CEFET-/PB para a qual o candidato fará a sua inscrição.

5.3. O local de realização da Prova Escrita será divulgado nos murais e no site do CEFET-PB (www.cefetpb.edu.br) - Unidades de João Pessoa, Cajazeiras e Campina Grande.

5.4. Para o Cargo de Nível Superior, as questões da Prova Escrita versarão sobre as matérias a seguir, com a seguinte distribuição de questões:

Língua Portuguesa (10 questões)

Informática (05 questões)

Noções de Direito (05 questões)

Legislação Básica da Educação Profissional e Tecnológica (05 questões)

Conhecimentos Específicos (25 questões)

5.5. A Prova Escrita será composta de 50 (cinqüenta) questões objetivas de múltipla escolha, cada uma delas valendo 02 (dois) pontos e contendo 05 (cinco) alternativas, com uma única opção correta, sobre o conteúdo das matérias de que trata o programa constante do Anexo deste Edital, para o cargo específico.

5.6. O acesso ao prédio do local de realização da Prova Escrita ocorrerá a partir das 13h15 à tarde (horário oficial local), observando o cargo.

5.7. O candidato que chegar após o fechamento dos portões não poderá realizar as provas e estará automaticamente eliminado do Concurso Público.

5.8. Para ter acesso à sala de provas, antes do início da Prova Escrita, o candidato assinará a lista de freqüência e deverá apresentar Carteira de Identidade, expedida pelas Secretarias de Segurança Pública ou pelas Forças Armadas, Polícias Militares, Ordens ou Conselhos que, por lei federal, tenha validade como documento de identidade e possibilite a conferência da foto e da assinatura, ou Carteira Profissional ou Passaporte ou Carteira de Habilitação com fotografia, na forma da Lei nº 9.503/97, bem como o comprovante original do pagamento da taxa de inscrição.

5.9. Para fazer a prova, o candidato deverá utilizar, exclusivamente, caneta esferográfica na cor azul ou preta; marcar uma única alternativa que julgar correta, não ultrapassando o limite dos círculos/bolhas. Serão consideradas erradas, questões não assinaladas ou questões que contenham mais de uma resposta assinalada. .

5.10. Não será permitida a realização das provas o candidato portando boné, telefone celular ou qualquer tipo de equipamento eletrônico, bem como qualquer material impresso. Esses materiais serão recolhidos pelos fiscais do concurso e somente serão devolvidos ao candidato após este ter encerrado à prova.

5.11. O candidato terá o tempo máximo de 04 (quatro) horas para responder a todas as questões do Caderno de Provas e preencher o Cartão-Resposta.

5.12. A avaliação da prova contendo questões de múltipla escolha será feita por processo de leitura ótica do Cartão-Resposta personalizado.

5.13. O candidato deverá verificar se os dados constantes do Cartão-Resposta estão corretos e, se contiver algum erro, comunicar o fato imediatamente ao Aplicador/Fiscal.

5.14. Na hipótese de alguma questão vir a ser anulada, o valor em pontos será contabilizado em favor de todos os candidatos participantes do Concurso Público.

5.15. As respostas das questões das provas deverão, obrigatoriamente, ser transcritas para o Cartão-Resposta, que será o único documento válido utilizado na correção eletrônica.

5.16. O Cartão Resposta não poderá ser rasurado, dobrado, amassado ou danificado para não comprometer o resultado da leitura ótica.

5.17. Ao retirar-se definitivamente da sala, o candidato deverá entregar ao Aplicador/fiscal o Cartão-Resposta das questões objetivas, só podendo levar o Caderno de Provas depois de transcorridas 02 (duas) horas do início da aplicação.

5.18. Além das condições previstas no item 4.5., será eliminado do Concurso Público, sem prejuízo das sanções penais cabíveis, o candidato que, durante o período de aplicação da Prova Escrita:

I. recusar ou retardar a entrega da Folha de Resposta das questões objetivas, após o término do tempo estabelecido para a realização das provas;

II. afastar-se da sala sem o acompanhamento de um fiscal; ou

III. ausentar-se da sala portando o Caderno de Provas antes de transcorrido o tempo definido neste Edital.

5.19. O gabarito oficial da Prova Escrita será divulgado nos murais e no site do CEFET-PB, no endereço (www.cefetpb.edu.br), até o dia 19/11/ 07.

5.20. O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais da Prova Escrita disporá de até dois dias úteis, a contar da data/horário da divulgação desses gabaritos, no horário das 08h às 1 1h30 e das 14h às 17h30, devendo dar entrada no Setor de Protocolo do CEFET-PB, na Unidade Sede (João Pessoa).

5.21. Os recursos deverão estar devidamente fundamentados e instruídos, constando o nome do candidato, número de inscrição, cargo a que concorre e endereço para correspondência, além do número do telefone. Os recursos sem a devida fundamentação, ou identificação, ou interpostos através de fax, internet, correio eletrônico serão indeferidos de plano.

5.22. Poderá haver interposição de recurso por meio de procuração outorgada pelo candidato por instrumento particular, com firma reconhecida em cartório, ou por instrumento público, dando poderes para tal fim.

5.23. Os resultados dos recursos julgados procedentes, bem como o gabarito oficial final, serão divulgados no site do CEFET-PB, no endereço (www.cefetpb.edu.br), até 26/11/07.

5.24. Na hipótese de igualdade no total de pontos entre os habilitados, terá preferência, na classificação, sucessivamente, o candidato que:

I. for mais idoso (artigo 27, parágrafo único da Lei nº 10.74 1/03);

II. obtiver maior pontuação em Conhecimentos Específicos;

III. obtiver maior pontuação em Língua Portuguesa;

IV. obtiver maior pontuação em Legislação Básica da Educação Profissional e Tecnológica

V. obtiver maior pontuação em Informática;

VI. obtiver maior pontuação em Noções de Direito;

VII. for sorteado.

6. DA PROVA DE DESEMPENHO

6.1. Somente serão convocados para a Prova de Desempenho os candidatos considerados habilitados na Prova Escrita, até o limite de 08 (oito) vezes o número de vagas da matéria/disciplina, devendo ser incluídos aqueles com nota igual ao último classificado, para efeitos do limite estabelecido.

6.2 Na hipótese de ausência de um ou mais candidatos convocados para a Prova de Desempenho, não serão convocados outros candidatos habilitados, ressalvando-se o caso em que o número de candidatos que se fizerem presentes para a Prova de Desempenho seja menor do que o número de vagas para o cargo. Nesse caso, respeitando-se ainda os limites supra-estabelecidos, serão convocados mais candidatos classificados habilitados.

6.3. A divulgação dos candidatos habilitados para a Prova de Desempenho, bem como da data, horário e local do sorteio do tema da aula, será feita no site do CEFET-PB, no endereço www.cefetpb.edu.br. A realização da Prova de Desempenho será no período de 27/11/2007 a 04/12/2007.

6.4. A ordem de realização da Prova de Desempenho será definida em função da pontuação da Prova Escrita, seguindo a ordem de classificação.

6.5. A Prova de Desempenho consistirá de uma aula de 50 (cinqüenta) minutos, ministrada ao nível de alunos do ensino superior para GEOMÁTICA e do ensino médio para EDUCAÇÃO FÍSICA, perante banca examinadora composta por 03 (três) profissionais da área de Educação, podendo contar com a presença de alunos e de Membros da COMPEC, e terá o objetivo de avaliar os conhecimentos específicos e a capacidade pedagógica do candidato.

6.6. O tema da aula será extraído dentre os temas constantes no Anexo deste Edital, de acordo com a Matéria/Disciplina específica, sendo sorteado o assunto 24 (vinte e quatro) horas antes da realização da aula, perante membro da Comissão do Concurso.

6.7. No ato do sorteio dos temas, o candidato receberá, um formulário próprio, devidamente assinado e carimbado pelo responsável pelo sorteio, os dados referentes ao dia, horário, local e tema da aula para realização da Prova de Desempenho, bem como as informações sobre os recursos didáticos e audiovisuais que estarão disponíveis.

6.8. O candidato deverá comparecer ao local da Prova de Desempenho, no mínimo, 15 (quinze) minutos antes do horário previsto para a realização da atividade.

6.9. O candidato terá uma tolerância máxima de 10 (dez) minutos além do horário estabelecido, sendo esse tempo contabilizado no tempo total da Prova de Desempenho. Após esse tempo de tolerância, o candidato não poderá realizar a atividade e estará automaticamente desclassificado do Concurso Público.

6.10. Para ter acesso ao local, antes do início da Prova de Desempenho, o candidato assinará ficha de freqüência e deverá apresentar Carteira de Identidade, expedida pelas Secretarias de Segurança Pública ou pelas Forças Armadas, Polícias Militares, Ordens ou Conselhos, que, por lei federal, tenha validade como documento de identidade e possibilite a conferência da foto e da assinatura, ou Carteira Profissional ou Passaporte ou Carteira de Habilitação com fotografia, na forma da Lei nº 9.503/97.

6.11. No início da Prova de Desempenho, o candidato entregará à Banca Examinadora o Plano de Aula, em 03 (três) vias, devendo permanecer 10 (dez) minutos, no máximo, ao dispor da banca, a fim de prestar os esclarecimentos que lhe forem solicitados. Esse tempo não será contabilizado no limite de tempo estabelecido para a aula.

6.12. A avaliação da Prova de Desempenho, feita por cada um dos 03 (três) membros da banca examinadora, consistirá da análise dos itens/subitens, entre eles: Plano de Aula, Conteúdos Utilizados, Procedimentos Didáticos e Requisitos Pessoais, com a pontuação total de 100 pontos.

6.13. A nota final da Prova de Desempenho será calculada através de média aritmética a partir das notas individuais dadas pelos avaliadores, ou seja, resultará da soma das notas dadas pelos 03 (três) avaliadores dividida por 03 (três).

6.14. Será considerado habilitado na Prova de Desempenho o candidato que obtiver, no mínimo, 60 (sessenta) pontos na nota final

6.15. Não será permitida, em qualquer fase da Prova de Desempenho, a assistência dos demais concorrentes, nem de outras pessoas, além das previstas no item 6.5.

6.16 Não cabem recursos quanto ao resultado da Prova de Desempenho.

6.17. O resultado final da Prova de Desempenho será divulgado até o dia 08/12/2007, no site do CEFET-PB.

7. DA PROVA DE TÍTULOS

7.1. A Prova de Títulos terá caráter classificatório, sendo considerados pela Banca Examinadora, nessa avaliação, a formação universitária, a formação técnico-profissional, a produção acadêmico-científica, a atividade docente do candidato e experiência profissional distinta do Magistério.

7.2. Para a realização da Prova de Títulos, o candidato aprovado na Prova Escrita e na Prova de Desempenho deverá entregar, no dia e horário previsto para o sorteio do tema para a Prova de originais para efeito de autenticação, e seguindo rigorosamente a ordem prevista no item 7.5.

7.3. Será atribuído um valor máximo de 100 (cem) pontos para a Prova de Títulos de cada candidato.

7.4. Para efeito da Prova de Títulos, considerar-se-ão os títulos de pós-graduação e demais documentos especificados na tabela constante do item 7.5.

7.5. Os títulos constantes da Prova de Títulos serão os descritos, a seguir, com os respectivos valores:

DESCRIÇÃO

VALOR

a) Título de Doutorado na área da matéria objeto do Concurso Público, ou de Doutorado em Educação, ou de Doutorado em área afim, desde que a linha de pesquisa da TESE seja na área da matéria objeto do Concurso Público ou em Educação, ministrado por instituição de ensino superior reconhecida pelo Governo Federal.

50 pontos (*)

b) Título de Mestrado na área da matéria objeto do Concurso Público, ou Título de Mestrado em Educação, ou Mestrado em área afim, desde que a linha de pesquisa da DISSERTAÇÃO seja na área da matéria objeto do Concurso Público ou em Educação, ministrado por instituição de ensino superior reconhecida pelo Governo Federal.

40 pontos (*)

c) Título de Especialista na área da matéria objeto do Concurso Público ou em Educação, ministrado por instituição de ensino superior reconhecida pelo Governo Federal com carga horária mínima de 360 (trezentos e sessenta) horas e aproveitamento.

20 pontos (*)

d) Exercício de Magistério na área da matéria objeto do Concurso Público

Em Instituição Federal de Educação Tecnológica (CEFET, Escola Técnica, Escola Agrotécnica, Colégio Pedro II), com valor de 03 pontos por semestre.

No ensino superior em outras instituições de ensino com valor máximo de 02 pontos por semestre.

No ensino médio em outras instituições de ensino, com valor de 02 pontos por semestre.

Máximo (**) 12 pontos

Máximo (**) 08 pontos

Máximo (**) 08 pontos

e) Livro editado relacionado com a matéria objeto do Concurso Público ou com Educação, com valor de 08 pontos

- Cópia da Capa e da Ficha Catalográfica que comprove a autoria.

Máximo (***) 08 pontos
f) Capítulo de livro relacionado com a matéria objeto do Concurso Público ou em Educação, com valor de 02 pontos.Máximo (***) 08pontos
g) Trabalho científico completo publicado em periódico internacional ou anais de conferência internacional, relacionado com a matéria objeto Concurso Público ou em educação ou área afim, com valor de 02 pontos.Máximo (***) 06pontos
h) Trabalho científico completo publicado em periódico nacional de congressos, seminários, encontros ou anais de conferência nacional, relacionado com a matéria objeto do Concurso Público ou em Educação, com valor de 02 pontos.Máximo (***) 04 pontos
i) Comprovante de monitoria relacionado com a área de atuação pretendida, com valor de 0,5 ponto por semestre.Máximo 02 pontos
j) Diploma de Técnico de nível médio em áreas afins da área de atuação pretendida.Máximo 02 pontos
k) Experiência Profissional comprovada, na área de atuação pretendida, na iniciativa privada ou órgão público, distinto do Magistério, com valor de 01 ponto por ano.Máximo (***) 08 pontos

OBSERVAÇÕES:

(*) Para os detentores de títulos de pós-graduação em diversos níveis só será considerado o de maior nível.

(**) Os títulos referentes à letra "d" e "k" somente serão válidos mediante comprovação através de carteira de trabalho, certidão de tempo de serviço, contrato de trabalho, certidão de prestação de serviços ou declaração de atividades devidamente reconhecida em cartório.

(***) Os títulos referentes às letras "e", "f ", "g" e "h" somente serão válidos se publicados a partir de 2004, sendo necessária a comprovação dessas publicações.

7.6. O resultado final da Prova de Títulos será divulgado até o dia 12/12/2007, no site do CEFET-PB, no endereço www.cefetpb.edu.br.

7.7. O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais da Prova de Títulos deverá fazê-lo nos dias 13 e 14/12/2007, no horário das 08h00 às 11h00 e das 14h00 às 17h00, devendo dar entrada no Setor de Protocolo da Unidade Sede, em João Pessoa, do CEFET-PB.

7.8. Os recursos deverão estar devidamente fundamentados e instruídos, constando nome do candidato, número de inscrição, cargo a que concorre e endereço para correspondência, e deverão ser dirigidos à Coordenação Permanente de Concursos Públicos. Os recursos sem a devida fundamentação, ou identificação, ou interpostos através de fax, internet, correio eletrônico não serão analisados.

7.9. Poderá haver interposição de recurso por meio de procuração outorgada pelo candidato por instrumento particular, com firma reconhecida em cartório, ou por instrumento público, dando poderes para tal fim.

7.10. Os resultados dos recursos julgados procedentes serão divulgados até o dia 18/12/2007, no site do CEFET-PB, no endereço www.cefetpb.edu.br.

8. DO RESULTADO FINAL DO CONCURSO

8.1. A média final do candidato será a média aritmética entre a pontuação obtida na Prova Escrita, a pontuação obtida na Prova de Desempenho e a pontuação obtida na Prova de Títulos.

8.2. Em caso de igualdade de pontos na média final, terá preferência, para efeito de classificação, sucessivamente, o candidato que:

- for mais idoso (art. 27 da Lei nº 10.741 de 01/10/2003);

- obtiver maior pontuação na Prova de Desempenho;

- obtiver maior número de pontos na Prova Escrita de Conhecimentos Específicos;

- obtiver maior titulação;

- obtiver maior número de pontos na Prova de Títulos;

- for portador de necessidades especiais;

- possuir maior número de dependentes para imposto de renda;

8.3. O resultado final do Concurso Público será divulgado até o dia 20/12/2007, no site do CEFET-PB, no endereço (www.cefetpb.edu.br), e será homologado no Diário Oficial da União, obedecendo-se à ordem de classificação.

9. DA VALIDADE DO CONCURSO

9.1. O Concurso terá validade de 01 (um) ano, podendo ser prorrogado por igual período, a contar da data em que for publicada a homologação do resultado final no Diário Oficial da União.

9.2. Se houver desistência de algum candidato convocado para nomeação, será chamado o próximo candidato na ordem de classificação.

10. DO APROVEITAMENTO DO CANDIDATO HABILITADO

10.1. O candidato habilitado será convocado para nomeação, rigorosamente de acordo com a classificação obtida, considerando-se as vagas existentes ou que venham a existir para o cargo a que concorreu, no Quadro Permanente do CEFET-PB.

10.2. Por necessidade do ensino e de acordo com a especialidade do candidato, este poderá ser remanejado para lecionar disciplina diversa, dentro da mesma área para a qual prestou concurso.

10.3. No interesse da Administração Federal e com a anuência do candidato habilitado, este poderá ser nomeado para lotação em outra Unidade de Ensino do CEFET-PB, diferente daquela para a qual fez a inscrição, ou para lotação em outra Instituição Federal de Ensino.

10.4. O candidato classificado será convocado para nomeação por correspondência direta para o endereço constante da Ficha de Inscrição, obrigando-se a declarar, por escrito, se aceita ou não o cargo. O não pronunciamento do convocado, no prazo de 05 (cinco) dias úteis, contados a partir do recebimento da convocação, permitirá ao CEFET-PB convocar o próximo candidato habilitado.

10.5. Para fins de possível convocação, o candidato habilitado será responsável pela atualização de endereço e telefones, durante a vigência do Concurso Público.

10.6. Os documentos que comprovem requisitos básicos para investidura no cargo serão exigidos por ocasião do provimento das vagas de acordo com o que dispõe o artigo 5º, incisos I, II, III, IV, V, VI e parágrafo 1º do mesmo artigo da Lei nº 8.112 de 11 de dezembro de 1990 e suas alterações, no ato da posse.

10.7. A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo, no prazo de 30 (trinta) dias contados da publicação no Diário Oficial da União do ato de provimento (nomeação). Será tornado sem efeito o ato de provimento se a posse não ocorrer neste prazo (artigo 13 da Lei nº 8.112/90), permitindo ao CEFET-PB convocar o próximo candidato habilitado.

10.8. É de 15 (quinze) dias o prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício, contados da data da posse. O servidor será exonerado do cargo, se não entrar em exercício neste prazo (artigo 15 da Lei nº 8.112/90), permitindo ao CEFET-PB convocar o próximo candidato habilitado.

11. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

11.1. A inexatidão das afirmativas ou a falsidade de documentos, ainda que verificadas posteriormente à realização do Concurso, implicarão eliminação sumária do candidato, ressalvado o direito de ampla defesa, sendo declarados nulos, de pleno direito, a inscrição e todos os atos dela decorrentes, sem prejuízo de eventuais sanções de caráter judicial.

11.2. A classificação no Concurso Público não assegura ao candidato habilitado o direito ao ingresso automático no cargo, mas a expectativa de nele ser admitido, seguindo a ordem de classificação. A concretização desse ato fica condicionada à observância das disposições legais pertinentes e ao interesse, juízo e conveniência da Administração do CEFET-PB.

11.3. A remuneração será feita de forma isonômica à remuneração da carreira, observados a titulação e o regime de trabalho do servidor.

11.4. Conforme o artigo 5º da Lei 8.112/90, serão reservadas até 20% (vinte por cento) das vagas para candidatos portadores de deficiência, declarando-se o grau de deficiência, quando do preenchimento da Ficha de Inscrição, e submetendo-se, quando convocado para contratação, à perícia médica por junta oficial, que terá decisão terminativa sobre a qualificação do candidato como deficiente ou não e a compatibilidade do grau de deficiência com o cargo.

11.4.1. Serão reservadas vagas aos deficientes, apenas para as matérias cujo número de vagas seja igual ou superior a 05 (cinco).

11.4.2. Na ausência de candidatos aprovados para as vagas reservadas a deficientes, estas serão preenchidas pelos demais concursados, com estrita observância à ordem classificatória.

11.5. A inscrição no Concurso Público implicará o conhecimento e a tácita aceitação das condições do teor deste Edital e das Instruções Específicas, expedientes dos quais o candidato não poderá alegar desconhecimento.

11.6. Os casos omissos e as situações não previstas no presente Edital serão analisados e solucionados pelo CEFET-PB.

João Pessoa, 24 de Setembro de 2007.

João Batista de Oliveira Silva
Diretor Geral

ANEXO I - EDITAL Nº 28/2007

PROGRAMA BÁSICO DAS MATÉRIAS/DISCIPLINAS

LÍNGUA PORTUGUESA

1. Compreensão e interpretação de textos. 2. Tipologia textual. 3. Ortografia oficial. 4. Acentuação gráfica. 5. Emprego das classes de palavras. 6. Emprego do sinal indicativo de crase. 7. Sintaxe da oração e do período. 8. Pontuação. 9. Concordância nominal e verbal. 10. Regência nominal e verbal. 11. Significação das palavras. 12. Correspondência Administrativa: declaração, memorando, ofício, portaria, relatório, requerimento.

NOÇÕES DE DIREITO

Direito e Garantias Fundamentais (art. 5º ao 17 da C.F.); Da Administração Pública (art. 37 ao 41 da C.F.); Da Ordem Social (art. 205 ao 216, 218, 219, 225 ao 232 da C.F.); Dos Crimes contra a Administração Pública (art. 312 ao 327 do Código Penal); Lei 8.429/92; Lei 8.730/93; Do Provimento, Vacância, Remoção, Redistribuição e Substituição (art. 5º ao 39 da Lei 8.112/90); Dos Direitos e Vantagens (art 40 ao 115 da Lei 8.112/90); Do Regime Disciplinar (art. 116 ao 142 da Lei 8.112/90).

NOÇÕES DE MICROINFORMÁTICA

1. Noções a respeito da constituição de um microcomputador: Hardware e Software. 2. Noções relativas a sistemas operacionais: Windows e Linux. 3. Aplicativos: Office XP e Open Office. 4. Serviços de internet: conceitos, correio eletrônico, grupos de discussão, navegação, busca e pesquisa. (navegadores Internet Explorer e Mozilla Firefox)

LEGISLAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL (www.mec.gov.br)

1. Leis Federais. 2. Decretos. 3. Portarias. 4. Pareceres. 5. Resoluções. 6. Medidas Provisórias. 7. Constituição Federal da República Federativa do Brasil - 1988 com a incorporação da Emenda 14 - Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto

GEOPROCESSAMENTO - PERFIL 1 - Graduação em Engenharia Cartográfica ou em Engenharia de Agrimensura com Pós-Graduação em Geoinformação ou em áreas afins, reconhecida ou registrada ou revalidada pelo MEC.

1. Teoria dos Erros: Classificação dos Erros, Sistema de Equações Lineares e o Método dos Mínimos Quadrados (MMQ). 2. Ajustamento de Observações: Ajustamento de Observações Diretas, Método Paramétrico, Variação de Coordenadas e Elipse dos Erros. 3. Fotogrametria: Fases da Fotogrametria (Cobertura Aerofotogramétrica, Apoio de Campo, Aerotriangulação, Restituição, Reambulação e Produtos Cartográficos) 4. Fotogrametrias Analógica, Analítica e Digital. 5. Projeções Cartográficas: Classificação das Projeções. 6. Projeção TM (UTM, RTM, LTM). 7. Sistema de Referência Geodésico: global e local em Uso e usados no Brasil. 8. Sistema de Posicionamento Global: fontes de erros e correções, técnicas de posicionamento e classificação de Receptores. 9. Cadastro Técnico Urbano. 10. Cadastro Técnico Rural.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA - Geoprocessamento - Perfil 1

1. AMERICAN SOCIETY OF PHOTOGRAMMETRY. Manual of photographic interpretation. The George Banta Company, Wisconsin.

2. ANDERSON, Paul et al. Fundamentos para Fotointerpretação. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Cartografia.

3. ANDRADE, D. F. P. Nunes. Fotogrametria básica. Rio de Janeiro: IME

4. BANKER, M. P. R. de. Cartografia: Noções Básicas. DHN

5. CROMLEY, R. Digital Cartography. New Jersey: Prentice-Hall

6. DA SILVA. L. Perspectivas da fotogrametria digital. Recife. UFPE.

7. FAGUNDES. P. e TAVARES. P. E. M. Fotogrametria. Rio de Janeiro. UERJ.

8. GEMAEL, C. Geodésia Elementar. Curitiba: DAST, UFPR.

9. GEMAEL, C. Introdução ao Ajustamento de Observações - Aplicações Geodésicas. Ed. UFPR

10. GEMAEL, C. Sistema de Projeção. Curitiba: DAST, UFPR

11. IBGE. Especificações e Normas Gerais para Levantamentos Geodésicos (Coletânea das Normas Vigentes). Fundação IBGE

12. IBGE. Manual da Carta Internacional do Mundo ao Milionésimo. CIM: Fundação IBGE.

13. IBGE. Manual de Compilação de Cartas na Esc. 1:250.000 (minuta). Fundação IBGE

14. IBGE. Manual Técnico de Noções Básicas de Cartografia. Fundação IBGE

15. LEICK, A: GPS Satellite Surveying. 2ed, Jonh Wiley & Sons, Inc.

16. LOCK, C. Elementos Básicos da Fotogrametria e sua utilização prática. Ed. UFSC

17. MONICO, J.F.G. Posicionamento pelo NAVSTAR/GPS - GPS: Introdução, fundamentos e aplicação. Ed. UNESP.

18. RICCI, M.; PETRI, S. Princípios de Aerofotogrametria e Interpretação Geológica. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

19. SEEBER, G. Satellite Geodesy. Walter de Gruyter

20. SILVEIRA, L.C. Cálculos Geodésicos no Sistema UTM aplicados a Topografia. Santa Catarina.

21. WOLF. P. Elements of Photogrammetry. N.Y. Me Graw-Hill

22. ZAKATOV. P. S. Curso de Geodésia Superior. Ed. Mir.

GEOPROCESSAMENTO - PERFIL 2 - Graduação em Engenharia Civil, ou Engenharia Agrícola, ou Engenharia Agronômica, ou Engenharia Florestal, ou Bacharelado em Geografia ou Bacharelado em Ciências da Computação com Pós-Graduação em Geoinformação ou em áreas afins, reconhecida ou registrada ou validada pelo MEC.

1. Sistemas de Informação Geográfica: conceitos, funcionalidades e aplicações. 2. Sistemas de Informação Geográfica: análise espacial. 3. Sensoriamento Remoto - Padrão de Comportamento Espectral dos Principais Alvos Naturais Terrestres. 4. Processamento Digital de Imagens de Satélites - Realce de Imagem; Correção Geométrica; Registro de Imagens. 5. Processamento Digital de Imagens de Satélites - Sistemas de Classificação de Imagens Digitais. 6. Modelagem de Dados Geográficos. 7. Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados com Extensões Espaciais: A linguagem SQL; Consultas espaciais; Análises Espaciais; Índices Espaciais. 8. Métodos de Interpolação Espacial - Aspectos conceituais

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA - Geoprocessamento - Perfil 2

1. AS SAD, E.D e SANO, E.E. Sistemas de Informações Geográficas - Aplicações na Agricultura. Serviço de Produção da Informação - SPI Brasília - DF. 2a Edição Ampliada e Revisada, 1998.

2. BURROUGH, P.A e McDONNEL R. A Principles of Geographical Information Systems. Oxford University Press. Oxford , 1988.

3. CROSTRA, Álvaro P. Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto. Campinas: Ed. Unicamp, 1992.

4. DAVIS, D. E. GIS for Everyone. 2003

5. DRUCK, S. CARVALHO, M. S. CÂMARA, G. MONTEIRO, A. M. V. Análise Espacial de Dados Geográficos. Planaltina: EMBRAPA Cerrados, 2004.

6. GONZALEZ, R. C. & WOODS, E. Processamento de Imagens Digitais. São Paulo: Editora Edgard Blucher. 2000. ISBN: 85-212-0264-4

7. MAGUIRE, D.J. e GOODCHILD, M. F. Geographical Information Systems. New York: John Wiley & Sons v.1, 1991.

8. M. CASANOVA, G. CÂMARA, C. DAVIS, L. VINHAS, G. RIBEIRO (org). Bancos de Dados Geográficos. São José dos Campos: MundoGEO, 2005.

9. MOREIRA, M.A. Fundamentos do Sensoriamento Remoto e Metodologias de Aplicação. INPE. São José dos Campos.

10. NOVO, E. de M. Sensoriamento Remoto: Princípios e Aplicações. São Paulo: Editora Blucher.

11. OLIVEIRA, C. P. de. SQL - Curso Prático. Novatec, 2002.

12. ROCHA, C.H.B. Geoprocessamento - Tecnologia Transdisciplinar. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora. Edição do autor, 2000.

13. SILVA, A. de B. Sistemas de Informações Geo-Referenciadas: Conceitos e Fundamentos. 2ed ampliada e revisada, Campinas: Editora da UNICAMP, 1999.

EDUCAÇÃO FÍSICA

1. Fundamentos Técnicos do Voleibol. 2. Atividade Física para a Saúde. 3. Fundamentos Técnicos do Handebol. 4. Aptidão Física para a Saúde 5. Era do Estilo de Vida Saudável (Atividade Física, Alimentação, Consumo de Álcool, Cigarro, etc.) 6. Fundamentos Técnicos do Futebol: salão e campo. 7. A Musculação para Adolescentes. 8. Natação e Hidroginástica para Jovens. 9. Fundamentos Técnicos do Basquete. 10. Alongamento e Flexibilidade. 11. Jogos Esportivos Recreativos

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA - Educação Física

1. ALMEIDA, M. Ensinando basquete. São Paulo: Icone, 1999.

2. CALDAS, I. Handebol como conteúdo para as aulas de Educação Física. Recife: EDUPE, 2003.

3. CAMPOS, L. Voleibol da escola. Jundiaí: Fontoura, 2006.

4. DANTAS, E. Alongamento e flexibilidade. Rio de Janeiro: Shape, 2005

5. DELGADO, C. Escola de natação e Hidro. Rio de Janeiro: Sprint, 1999.

6. FERREIRA, M. Saúde, Promoção da Saúde e Educação Física. Rio de Janeiro: UERJ, 2006.

7. KAMEL, J. Ciência da Musculação. Rio de Janeiro: Shape, 2004.

8. LIMA, W. Ensinando natação. 3ª ed. São Paulo: Phorte, 2007.

9. MELHEM, A. Brincando e aprendendo handebol. Rio de Janeiro: Sprint, 2002.

10. NAHAS, M. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. Londrina: Midiograf, 2001.

11. NEIRA, M.; MATOS, M. Educação Física na adolescência: o conhecimento na escola. São Paulo: Phorte, 2000.

12. OLIVEIRA, R. Saúde e Atividade Física. 1ª ed. Rio de Janeiro: Shape, 2005.

13. SHARKEY, B. Condicionamento Físico e Saúde. 4ª ed, Porto Alegre: Artmed, 1998.

14. REIS, E. Futebol- técnica, tática e administração. Rio de Janeiro: Shape, 2005.

15. VIANA, A. Futsal-avaliação técnica. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

16. TESCH, P. Musculação- estética, preventiva, corretiva e terapêutica. Rio de Janeiro: REVINTER, 2000.

90125

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231