SEE - Secretaria de Estado da Educação e do Esporte - AL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE

ESTADO DE ALAGOAS

EDITAL SEEE Nº 009/2012

Notícia:   SEEE - AL divulga edital para contratação temporária de 672 profissionais

SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE INTÉRPRETES DE LIBRAS, INSTRUTOR DE LIBRAS, INSTRUTOR DE OFICINAS PEDAGÓGICAS, REVISOR BRAILLE, LEDOR/TRANSCRITOR DE BRAILLE, PISCINEIRO E PROFESSOR DE SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS, MONITORES DE TEATRO, DANÇA, MÚSICA, PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA, E AUXILIAR DE SALA PARA ATENDER ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NA REDE ESTADUAL DE ENSINO E ENTIDADES CONVENIADAS.

A SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE, no uso de suas atribuições legais, torna público que estão abertas as inscrições para o PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE INTÉRPRETES DE LIBRAS; INSTRUTOR DE LIBRAS (preferencialmente pessoa surda); INSTRUTOR DE OFICINAS PEDAGÓGICAS; PROFESSOR PARA SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAL; REVISOR BRAILLE (preferencialmente pessoa deficiente visual); LEDOR/TRANSCRITOR DE BRAILLE, PISCINEIRO, PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA, MONITOR DE TEATRO, DANÇA, MÚSICA, e AUXILIAR DE SALA, destinados ao provimento de vagas, em caráter temporário, na Rede Estadual de Ensino e entidades conveniadas. O Processo de Seleção dos candidatos será realizado sob a responsabilidade da SEEE, através da Gerência de Educação Especial - GEESP, da Superintendência de Políticas Educacionais - SUPED, da Coordenadoria Especial de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas - CEGEP, da Superintendência de Gestão da Rede Estadual de Ensino - SUGER, das Coordenadorias Regionais de Ensino - CREs e da Comissão instituída pelo Secretário de Estado da Educação e do Esporte, através da Portaria/SEE nº 563/2012, obedecidas as normas e os requisitos exigidos e constante no Processo nº 1800-005906/2011.

1. CARGOS DE ABRANGÊNCIA:

1.1 - Intérprete de LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais;

12 - Instrutor de LIBRAS -Língua Brasileira de Sinais (preferencialmente pessoa surda).

1.3 - Revisor Braille (preferencialmente pessoa com deficiência visual)

1.4 - Ledor/Transcritor de Braille

1.5 - Profissionais para sala de Recursos Multifuncionais:

1.5.1 - Professor especialista em educação especial;

1.6 - Instrutor de Oficinas Pedagógicas nas seguintes funções:

1.6.1 - serigrafia;

1.62- cozinha experimental;

1.6.3- marcenaria;

1.6.4 - informática;

1.6.5 - horta e jardinagem;

1.6.6- corte e costura;

1.6.7 - artesanato e reciclagem;

1.7 - Professor de Educação Física;

1.8- Monitor de Teatro;

1.9 - Monitor de Música;

1.10 - Monitor de Dança;

1.11 - Piscineiro;

1.12 - Auxiliar de Sala

2. REQUISITOS PARA PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO SELETIVO

2.1 - Requisitos Gerais

2.1.1 - Ser brasileiro nato ou naturalizado;

2.12 - Estar em gozo dos direitos políticos e civis;

2.1.3 - Estar quite com as obrigações eleitorais e militares, para o sexo masculino;

2.1.4 - Possuir a escolaridade exigida;

2.1.5 - Ter idade mínima de 18 (dezoito) anos até à data da seleção;

2.1.6 - Estar apto físico e mentalmente para o exercício das funções;

2.1.7 - Não estar aposentado nem possuir vínculo ativo no serviço público, salvo no caso de acumulação permitida por lei pelo art. 50 da Constituição Estadual e conforme art. 37 Constituição Federal.

2.2 - Requisitos Específicos para INTÉRPRETE DE LIBRAS:

22.1 - Certificado ou Diploma do Ensino Médio.

2.2.2 -Certificado de Qualificação de intérprete de LIBRAS por Instituição reconhecida pelo MEC, por Secretarias de Estado e Municípios ou entidades oficialmente constituídas.

2.3 - Requisitos Específicos para INSTRUTOR DE LIBRAS:

2.3.1 - Certificado ou Diploma do Ensino Médio.

2.3.2 -Certificado de Qualificação por Instituição reconhecida pelo MEC, por Secretarias de Estado e Município ou entidades oficialmente constituídas.

2.3.3 - Preferencialmente pessoa surda.

2.4 - Requisitos Específicos para PROFESSOR DE SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAL:

2.4.1 - Certificado ou Diploma de Nível Superior em Pedagogia ou Psicologia (licenciatura) mais Certificado de Qualificação na Área de Educação Especial, com o mínimo de 80 horas, reconhecido por Instituição reconhecida pelo MEC, Secretaria de Estado ou especialização em Psicopedagogia.

2.4.4 - Será obrigatório a formação em LIBRAS para o Professor que irá atender estudantes Surdos na Sala de Recursos Multifuncional -Tipo I;

2.4.5 - Será obrigatório a fonação em Braille para o Professor que irá atender estudantes Cegos na Sala de Recursos Multifuncional - Tipo II;

2.5 - Requisitos Específicos para Instrutores de Oficinas Pedagógicas (cozinha experimental, corte e costura, marcenaria, serigrafia, horta e jardinagem, informática e artesanato e reciclagem).

2.5.1 - Comprovante de Escolaridade de Ensino Médio;

2.52 - Certificado de Qualificação na Área Específica reconhecido por instituição oficialmente constituída.

2.6 - Requisitos Específicos para REVISOR BRAILLE (preferencialmente pessoa com deficiência visual).

2.6.1 - Certificado ou Diploma do Ensino Médio;

2.62 - Certificado de Qualificação na Área Específica por Instituição Especializada na área de deficiência visual e/ou domínio em Braille.

2.6.3 - Ser preferencialmente Pessoa com Deficiência Visual.

2.7 Requisitos Específicos para LEDOR/TRANSCRITOR BRAILLE

2.7.1 - Certificado ou Diploma do Ensino Médio;

2.72 - Certificado de qualificação na área específica por instituição, legalmente constituída, na área de Deficiência Visual e/ou Curso de Leitura e Escrita Braille.

2.8 - Requisitos Específicos para Piscineiro

2.8.1 - Comprovante de escolaridade do Ensino Fundamental;

2.82 - Certificado de qualificação na área específica por instituição oficialmente constituída.

2.9 - Requisitos Específicos para o cargo de Professor de Educação Física:

2.9.1 - Certificado ou Diploma de Nível Superior em Educação Física.

2.10 - Requisitos Específicos para o cargo de Auxiliar de Sala:

2.10.1 - Certificado ou Diploma de Nível Médio (especificamente os cursos normal, pedagógico e magistério) ou declaração recente (referente aos últimos 30 dias).

2.11 - Requisitos Específicos para o cargo de Monitores de Teatro, Música, Dança:

2.11.1 - Certificado ou Diploma de Nível Médio, mais Certificado de Curso Especifico na área afim .

3. DO PROCESSO SELETIVO E DAS PROVAS

3.1 - A análise dos currículos será realizada por uma comissão designada pelo Secretário de Estado da Educação e do Esporte, onde serão atribuídas notas de 0 (zero) a 100 (cem). A pontuação descrita para os cargos será somatória no que se refere aos critérios de graduação acadêmica mais a experiência. A pontuação mais elevada excluirá a menor.

A avaliação de todos os cargos será realizada através de análise dos respectivos curriculum vitae. Para os cargos de intérprete de LIBRAS, instrutor de LIBRAS, revisor Braille e ledor/transcritor Braille será acrescida a prova prática.

3.1.1 - Será atribuída a seguinte pontuação de acordo com os critérios a seguir:

3.1.1.1 -Para o cargo de piscineiro:

a) experiência comprovada no exercício da função:

a.1) de 1 a 3 anos - 30 pontos

a2) de 3 anos e 1 dia até 5 anos - 50 pontos

a.3) 5 anos e um dia até 07 anos - 70 pontos

a4) mais de 07 anos - 100 pontos

3.1.1.2 -Para o cargo de auxiliar de sala:

a) experiência comprovada no exercício da função:

a.1) de 1 a 3 anos - 30 pontos

a.2) de 3 anos e 1 dia até 5 anos - 50 pontos

a.3) 5 anos e um dia até 07 anos - 70 pontos

a.4) mais de 07 anos - 100 pontos

3.1.1.3 - Para os cargos de intérprete de LIBRAS, instrutor de LIBRAS, ledor/transcritor Braille e revisor Braille:

a) experiência comprovada no exercício da função

a.1) de 1 a 3 anos - 20 pontos

a.2) de 3 anos e 1 dia até 5 anos - 30 pontos

a.3) mais de 5 anos - 50 pontos

b) prova prática: 50 pontos

3.1.1.3 - Para o cargo de instrutor de oficinas pedagógicas:

a) experiência comprovada no exercício da função:

a.1) de 1 a 3 anos - 30 pontos

a.2) de 3 anos e 1 dia até 5 anos - 50 pontos

a.3) mais de 5 anos - 100 pontos

3.1.1.4 - Para os cargos de nível superior (EXCETO PROFESSOR DE SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAL):

a) experiência comprovada no exercício da função:

a.1) de 1 a 3 anos - 10 pontos

a.2) de 3 anos e 1 dia até 5 anos - 20 pontos

a.3) mais de 5 anos - 30 pontos

b) pós - graduação - especialização - 40 pontos;

c) pós - graduação - mestrado - 60 pontos;

d) pós - graduação - doutorado - 70 pontos.

3.1.1.5 - Para o cargo de Professor de Sala de Recursos Multifuncional:

a) experiência comprovada no exercício da função:

a.1) de 1 a 3 anos - 10 pontos

a.2) de 3 anos e 1 dia até 5 anos - 20 pontos

a.3) mais de 5 anos - 30 pontos

b) curso de formação específica na área de educação especial com carga horária a partir de 40 horas - 2 pontos;

b.1) acima de 80 horas - 05 pontos;

c) pós - graduação - especialização - 30 pontos

d) pós - graduação - mestrado - 60 pontos;

e) pós - graduação - doutorado - 70 pontos.

4. DO PROCESSO DE DESEMPATE

4.1 - Dar-se-á o desempate observando-se o seguinte critério:

4.2 - O candidato mais jovem.

5. DAS INSCRIÇÕES

5.1. As inscrições serão efetuadas entre 20 a 24 de agosto de 2012, e deverão ser efetuadas pelo candidato ou por seu procurador, devidamente nomeado, no horário das 08:00 às 14:00 horas nas Coordenadorias Regionais de Ensino - CRE's da capital e interior do Estado de Alagoas, nos seguintes endereços:

REGIÃO

CRE

ENDEREÇO

TELEFONE

1ª Região-Sertão Alagoano

Rua Dr. Otávio Cabral, 633 - Santana do Ipanema

3621-3435/3927

11ª

Rua Palmares, 05 - Piranhas

3686-1936

2ª Região-Bacia Leiteira

Av. Maestro Manoelito Bezerra Lima, 803 ‑ Pão de Açúcar

3624-1863

3ª Região-Agreste Alagoano

Rua Manoel Orígenes, 90 - Palmeira dos Índios

3421-2501

Rua Domingos Correia, 35 - Arapiraca

3522-172917257

4ª Região‑Região Sul

Rua Barão de Jequiá, 94 - São Miguel dos Campos

3271-135111534

Praça Clementino do Monte, 379 - Penedo

3551-2545/2322

5ª Região-Metropolitana de Maceió

Rua Melo Moraes, 426 - Centro - Maceió

3315-1204

13ª

Rua Epaminondas Gracindo, 238 - Pajuçara - Maceió

3315-2795/3926

14ª

Rua Odemburgo da Silva Paranhos,341 - Farol - Maceió

3315-4776

15ª

Av. Fernandes Lima, s/n, Farol-Maceió (CEPA)

3315-1415

12ª

Av. Getúlio Vargas, 140 - Rio Largo

3261-1185/5435

6ª Região-Região Norte

10ª

Rua Prof. Guedes de Miranda, s/n - Porto Calvo

3292-1922/-1629

7ª Região-Vales do Paraíba e do Mundaú

Rua Clodovaldo da Fonseca, 61 - Viçosa

3283-1641

Av. Monsenhor Clóvis Duarte, 489 - União dos Palmares

3281-1225

5.2. No ato da inscrição serão exigidos os seguintes documentos:

5.2.1 - Ficha de inscrição devidamente preenchida (em modelo próprio e fornecido no local da inscrição), na qual o candidato formalizará sua opção para área de contristação, onde prestará todas as informações solicitadas, expressando sua concordância em aceitar as condições da presente contristação sob as penas da Lei;

5.2.2 - Cópia da carteira de Identidade e CPF com a apresentação dos documentos originais;

5.2.3 - Apresentação do documento original de sua escolaridade, titulação e cursos específicos da área, acompanhado das respectivas cópias;

5.2.5 - Aos candidatos com deficiência será exigido um laudo médico com o código correspondente com a Classificação Internacional de Doenças - CID;

5.3. - O processo de inscrição só ocorrerá mediante o cumprimento de todas as etapas descritas acima, sendo de inteira responsabilidade do candidato possíveis prejuízos que vier a sofrer por inexatidão nas informações prestadas na inscrição, podendo o mesmo ser excluído do processo seletivo.

5.4 - ATENÇÃO: As inscrições para o cargo de Piscineiro serão realizadas somente nas 1ª, 13ª, 14ª e 15ª CRE's.

5.5 - O candidato inscrito no certame anterior deverá revalidar sua inscrição, onde indicará obrigatoriamente o cargo ao qual pretenderá concorrer.

6. DA JORNADA DE TRABALHO E DO SALÁRIO

6.1 - Os selecionados deverão cumprir as respectivas jornadas de trabalho semanais descritas no quadro abaixo como também perceberão a remuneração descrita nele:

Profissional

Nível

Carga Horária

Remuneração

Piscineiro

Nível Fundamental

44 horas

R$ 622,00

Instrutor de Oficina Pedagógica

Nível Médio

20 horas

R$ 850,00

Intérprete de LIBRAS

Nível Médio

25 horas

R$ 850,00

Instrutor LIBRAS

Nível Médio

25 horas

R$ 850,00

Revisor Braille

Nível médio

25 horas

R$ 850,00

Ledor/Transcritor Braille

Nível médio

25 horas

R$ 850,00

Prof. Sala de Recursos Multifuncional

Nível Superior

25 horas

R$ 1.150,00

Professor de Educação Física

Nível Superior

25 horas

R$ 1.150,00

Monitor de Teatro

Nível Médio

25 horas

R$ 850,00

Monitor de Música

Nível Médio

25 horas

R$ 850,00

Monitor de Dança

Nível Médio

25 horas

R$ 850,00

Monitor de Artesanato e Reciclagem

Nível Médio

25 horas

R$ 850,00

Auxiliar de Sala

Nível Médio

25 horas

R$ 850,00

7. DAS PROVAS

7.1. A relação dos aprovados nessa primeira etapa e os locais para realização da segunda etapa das provas será publicado no Diário Oficial no dia 03 de setembro de 2012 ;

7.2. O resultado final será publicado no Diário Oficial do Estado de Alagoas no dia 10 de outubro de 2012;

7.3. A avaliação de todos os cargos será realizada através de análise dos respectivos curriculum vitae. Para os cargos de intérprete de LIBRAS,instrutor de LIBRAS,revisor Braille e ledor/transcritor Braille será acrescida a prova prática.

8. DOS RECURSOS:

8.1 - O candidato poderá recorrer do resultado da seleção no período de 03 (três) dias úteis após o resultado, no horário de 08:00 hs às 14:00 hs na sede das Coordenadorias nas quais foram realizadas as inscrições;

8.2 - Os recursos interpostos fora do prazo estabelecido não serão aceitos, sendo considerado para tanto a data do protocolo de entrega no setor competente devidamente explicitado no item 5.1 deste edital.

8.3 - O julgamento dos recursos apresentados, bem como o resultado final será publicado no Diário Oficial do Estado de Alagoas.

8.4 - Só cabe recurso para a primeira etapa.

DO PROVIMENTO DE VAGAS

9.1 VAGAS OFERECIDAS:

- Intérprete de LIBRAS: 97 vagas

- Instrutor de LIBRAS: 17 vagas

- Revisor Braille: 22 vagas

- Ledor/Transcritor em Braille: 29 vagas

- Instrutor de Oficinas Pedagógicas:

- Serigrafia: 09 vagas

- Cozinha Experimental: 12 vagas

- Marcenaria: 09 vagas

- Informática Básica: 12 vagas

- Horta e Jardinagem: 15 vagas

- Artesanato e Reciclagem: 10 vagas

- Corte e Costura: 12 vagas

- Professor para Salas de Recursos Multifuncional:

- Tipo I: 90 vagas

- Tipo 10 vagas

- Professor de Educação Física: 39 vagas

- Monitor de Teatro: 44 vagas

- Monitor de Música: 46 vagas

- Monitor de Dança: 45 vagas

- Auxiliar de Sala: 144 vagas

- Piscineiro: 10 vagas

9.2. Os candidatos selecionados serão contratados para as vagas ofertadas de acordo com o quantitativo descrito no item 9.1 obedecendo-se rigorosamente à ordem de classificação. Os demais candidatos classificados ficarão em reserva técnica para futuras contratações dependendo da demanda e segundo critérios exclusivos da SEE/AL.

9.3. A contratação do candidato classificado dar-se-á através de contratação temporária de excepcional interesse público;

9.4. A classificação do candidato não assegurará o direito a seu ingresso automático no cargo para o qual foi selecionado, mas apenas a expectativa de ser contratado, ficando a concretização desse ato condicionado à demanda e a critério exclusivo da SEEE/AL

9.5. Os candidatos selecionados serão convocados para atender a demanda da Secretaria de Estado de Educação e do Esporte de Alagoas e das instituições filantrópicas conveniadas.

9.6. Em caso de desistência, ou falta de resposta à convocação no período de 15 (quinze) dias, o candidato selecionado será substituído pelo próximo classificado constante no quadro de reserva.

9.7. Aos candidatos com deficiências serão reservados 5% (cinco por cento) das vagas de acordo com a legislação em vigor. Na falta de aprovados para as vagas reservadas aos deficientes, estas serão preenchidas pelos demais aprovados, observando-se a ordem de classificação.

9.8. Caso uma CRE exceda o número de preenchimento de vagas e outra CRE não complete o seu número de vagas, fica a critério da SEEE/AL e a aceitação do selecionado, fazer o remanejamento de candidatos aprovados de uma CRE para outra respeitando a ordem de classificação.

10. DAS ATRIBUIÇÕES

10.1 - Intérprete de LIBRAS:

Realizar a interpretação das duas línguas (LIBRAS - Língua Portuguesa e vice-versa) de maneira simultânea e consecutiva; Colocar-se como mediador da comunicação em todas as atividades didático-pedagógicas e não como facilitador da aprendizagem; Viabilizar a comunicação entre usuários e não usuários de LIBRAS em toda a comunidade escolar, com disponibilidade de atuar em Unidades de Ensino alternadas; Apoiar a acessibilidade aos serviços e às atividades afins da instituição de ensino: secretaria, informática, fotocopiadora, biblioteca, seminários, palestras, fóruns, debates, reuniões e demais eventos de caráter educacional; Participar do planejamento, acompanhamento e avaliação das atividades desenvolvidas com alunos com surdez, na perspectiva do trabalho colaborativo; Observar preceitos éticos no desempenho de suas funções, entendendo que não poderá interferir na relação estabelecida entre a pessoa com surdez e a outra parte, a menos que seja solicitado. Atuar em salas de aula e em eventos ligados ao ensino, para realizar a interpretação por meio de língua de sinais; Coletar informações sobre o conteúdo a ser trabalhado para facilitar a tradução da língua no momento das aulas e atividades escolares; Planejar antecipadamente, junto com o professor responsável pela disciplina ou série, sua atuação e limites no trabalho a ser executado; Participar de atividades extra classe, como palestras, cursos, jogos, encontros, debates e visitas, junto com a turma em que exercite a atividade como intérprete; Interpretar a língua de forma fiel, não alterando a informação a ser interpretada.

102 - Instrutor de LIBRAS:

Apoiar o uso e difusão da LIBRAS no universo escolar; Ensinar LIBRAS na educação infantil e no ensino fundamental e Médio, incluindo Educação de Jovens e Adultos - EJA; Utilizar a LIBRAS como língua de instrução, como forma de complementação e/ou suplementação no processo ensino aprendizagem; Orientar alunos com surdez no uso de equipamentos e/ou novas tecnologias de informação e comunicação; Confeccionar, solicitar, disponibilizar e orientar a utilização de recursos didáticos; Planejar e acompanhar as atividades pedagógicas desenvolvidas em parceria com os demais profissionais da Unidade de Ensino, na perspectiva do trabalho colaborativo da comunidade escolar, quando necessário, em consonância com o projeto político pedagógico.

10.3 - Oficinas Pedagógicas:

10.3.1 - Serigrafia:

A Oficina Pedagógica de Serigrafia deverá preparar profissionalmente o estudante especial para a impressão serigráfica em variados materiais de espessuras e tamanhos como papel, plástico, borracha, madeira, vidro, tecido, etc. com diversos tipos de tintas.

10.3.2 - Cozinha Experimental:

A Oficina Cozinha Experimental deverá orientar os alunos especiais, para o manipulação, preparo, degustação, cozimento, reaproveitamento de alimentos, utilização e manuseio dos utensílios de cozinha, limpeza e organização do local de trabalho;

10.3.3 - Marcenaria:

A oficina de marcenaria deverá orientar os alunos especiais no manuseio de máquinas e ferramentas a partir da utilização de madeira como: serrar, lixar, envernizar, pintar e na confecção de brinquedos, objetos decorativos e utilitários.

10.3.4 - Horta e Jardinagem:

A Oficina de Horta e Jardinagem deverá orientar os alunos especiais no manuseio de equipamentos utilizados nessa função. Cultivo de horta e jardim com preparo da terra, adubação, plantio de sementes, com mudas, regar plantas, podar e fazer a colheita.

10.3.5 - Informática:

Manter os equipamentos de informática em condições de uso; Passar para os alunos de acordo com as habilidades de cada um e explorando suas potencialidades conhecimentos de informática navegação na rede e correio eletrônico, digitação, softwares, armazenamento de dados, sistemas operacionais, editor de texto, planilhas eletrônicas, gerenciadores de banco de dados, hardwares, periféricos, dispositivos de entrada, saída. Auxiliar os professores com as atividades e projetos desenvolvidos no laboratório de informática, respeitando as dificuldades e explorando as potencialidades de cada um.

10.3.6 - Corte e Costura:

A Oficina de Corte e Costura deverá orientar os alunos especiais a manusear as máquinas de costura, no corte e confecção de costura simples na máquina e na mão, como: alinhavos, bainhas, fuxico, pregar botões, bordados a mão, bolsas, vestuário, etc, de acordo com as habilidades de cada um.

10.3.7 - Artesanato e Reciclagem:

A Oficina de Artesanato e Reciclagem deverá orientar os alunos especiais no desenvolvimento de sua criatividade e outras habilidades no manuseio de materiais recicláveis e não-recicláveis como: argila, madeira, papel, papelão, polietileno, vidro, metal, etc.

10.4 - Revisor Braille:

Responsável pela verificação de possíveis incorreções cometidas no processo de transcrição de textos em braille, em qualquer meio físico de transcrição porventura existente. Revisar textos impressos em Braille, como apostilas, livros didáticos e paradidáticos, provas e atividades que fazem parte da vida escolar dos alunos cegos, material de divulgação observando o uso adequado das técnicas de pontuação textual em Braille.

10.5 - Ledor/Transcritor:

Fazer acompanhamento junto com o Revisor Braille, dos textos impressos em Braille, com a finalidade de minimizar ou eliminar possíveis erros. O transcritor realizará a transcrição do texto em Braille para tinta para ser lido pelas pessoas videntes (pessoas que enxergam).

10.6 - Professores das Salas de Recursos Multifuncional:

De acordo com o novo plano orientador das ações de Educação Especial - Fazendo a Diferença - lançado em abril de 2010, as atribuições dos profissionais de salas de recursos são: atuar com docente nas atividades de complementação ou de suplementação curricular específica; atuar de forma colaborativa com o professor da classe comum para a definição de estratégias pedagógicas que favoreçam o acesso do estudante com deficiência, TGD ou altas habilidades/superdotação ao currículo e a sua interação no grupo; promover condições de inclusão desses estudantes em todas as atividades da instituição educacional; orientar as famílias para o seu envolvimento e a sua participação no processo educacional; informar à comunidade escolar acerca da legislação e das normas educacionais vigentes que asseguram a inclusão educacional; participar do processo de identificação e de avaliação pedagógica das necessidades especiais e tomadas de decisões quanto ao apoio especializado necessário ao estudante; preparar material específico para o uso dos estudantes na sala comum e na sala de recursos; orientar a elaboração de material didático-pedagógico que possa ser utilizados pelos estudantes nas classes comuns do ensino regular; indicar e orientar o uso de equipamentos e de materiais específicos, bem como de outros recursos existentes na família e na comunidade e articular, com gestores e com professores, para que a proposta pedagógica da instituição educacional seja organizada coletivamente em prol de uma educação inclusiva; responsabilizar-se junto aos docentes pela garantia da realização das adequações curriculares necessárias ao processo educacional do estudante com necessidade educacional especial; realizar atividades que estimulem o desenvolvimento dos processos mentais: atenção, percepção, memória, raciocínio, imaginação, criatividade, linguagem, dentre outros; fortalecer a autonomia dos estudantes a fim de levá-los a ter condições de decidir, opinar, escolher e tomar iniciativas, a partir de suas necessidades e motivações; propiciar a interação dos estudantes em ambientes sociais, valorizando as diferenças e a não discriminação; preparar materiais e atividades específicas para o desenvolvimento da aprendizagem dos estudantes; orientar o professor da classe comum sobre estratégias que favoreçam a autonomia e o envolvimento do estudante em todas as atividades propostas ao grupo; promover a inserção dos recursos tecnológicos de informação e de comunicação no espaço da sala de aula; realizar adequações de material didático pedagógico para atender as necessidades dos estudantes; reconhecer os pontos fortes e de maior interesse e as dificuldades do estudante; ofertar suporte pedagógico aos estudantes, facilitando-lhes o acesso aos conteúdos desenvolvidos em classe comum e turmas de integração inversa.

10.7 -Monitor de Música

O Professor de Música deverá orientar os alunos especiais no manuseio de instrumentos musicais de sopro, corda e percussão com ritmos diferenciados, respeitando suas deficiências e explorando suas potencialidades.

10.8 - Monitor de Dança

Participar de todas as atividades da escola; liderar e orientar técnica e artisticamente os alunos, com vistas ao melhor desempenho individual e do grupo; cuidar continuamente da sua atualização profissional com base em pressupostos artístico-pedagógicos contemporâneos; zelar pela disciplina e pelas relações interpessoais agindo com ética profissional dentro e fora da sala de aula; participar de reuniões pedagógicas, avaliações internas e práticas comentadas; trabalhar de forma articulada à coordenação do curso e à direção da escola; executar e participar do processo de orientação, auxiliando os alunos a melhor conduzir suas dificuldades e anseios; participar e acompanhar eventos fora da escola sempre que solicitado; planejar e avaliar aulas e atividades artístico-pedagógicas; apresentar à coordenação e aos alunos o planejamento semestral das disciplinas, esclarecendo os tópicos a serem abordados e o período; apresentar critérios e instrumentos do processo avaliativo; exercer outras atividades correlatas: apoio às apresentações, seminários, workshops e suporte eventual nas atividades dos alunos.

10.9 - Monitor de Teatro

Participar de todas as atividades da escola; liderar e orientar técnica e artisticamente os alunos, com vistas ao melhor desempenho individual e do grupo; cuidar continuamente da sua atualização profissional com base em pressupostos artístico-pedagógicos contemporâneos; zelar pela disciplina e pelas relações interpessoais agindo com ética profissional dentro e fora da sala de aula; participar de reuniões pedagógicas, avaliações internas e práticas comentadas; trabalhar de forma articulada à coordenação do curso e à direção da escola; executar e participar do processo de orientação, auxiliando os alunos a melhor conduzir suas dificuldades e anseios; participar e acompanhar eventos fora da escola sempre que solicitado; planejar e avaliar aulas e atividades artístico-pedagógicas; apresentar à coordenação e aos alunos o planejamento semestral das disciplinas, esclarecendo os tópicos a serem abordados e o período; apresentar critérios e instrumentos do processo avaliativo; exercer outras atividades correlatas: apoio às apresentações, seminários, workshops e suporte eventual nas atividades dos alunos.

10.10 - Professor de Educação Física

Orientar a aprendizagem do aluno; participar do planejamento das atividades da escola; organizar as operações inerentes ao processo de ensino e aprendizagem; contribuir com o aprimoramento de qualidade do ensino; planejar e executar o trabalho docente em consonância com o plano curricular da escola atendendo ao avanço da tecnologia educacional; levantar dados relativos à realidade de sua classe; definir, operacionalmente, os objetivos do plano curricular, formas de execução e situações de experiências; estabelecer mecanismos de avaliação; constatar necessidade e carência do aluno e propor o seu encaminhamento a setores específicos do atendimento; cooperar com a coordenação pedagógica e orientação educacional; organizar registros de observações de alunos; participar de reuniões, conselho de classe; atividades civis e extra-classe; coordenar área de estudos; integrar órgãos complementares da escola, atender a solicitação da escola referentes a sua ação docente desenvolvida no âmbito escolar; executar outras tarefas afins.

10.11 - Auxiliar de Sala

Participar das atividades desenvolvidas pelo professor, em sala de aula, ou fora dela; manter-se integrado(a) com o(a) professor(a) e as pessoas com deficiência e demais estudantes; participar das reuniões pedagógicas e de grupos de estudos na Unidade Educativa; seguir a orientação da supervisão da Unidade Educativa; orientar para que os estudantes com deficiência adquiram hábitos de higiene; auxiliar na elaboração de materiais pedagógicos (jogos, materiais de sucata e outros); promover ambiente de respeito mútuo e cooperação, entre os estudantes e pessoas com deficiência e demais profissionais da Unidade Educativa, proporcionando o cuidado e educação, atender as pessoas especiais respeitando as suas especificidades; interessar-se e entender a proposta da Educação Especial da Rede Estadual de Educação de Alagoas; participar das formações propostas pela SEE/AL; atender as solicitações e auxiliar na adaptação das pessoas com deficiência; comunicar ao professor e ao coordenador as anormalidades no processo de trabalho; zelar pela guarda de materiais e equipamentos de trabalho; participar ativamente do processo de adaptação das pessoas especiais, atendendo as suas necessidades; participar do processo de integração da unidade educativa, família e comunidade; desenvolver hábitos de higiene, junto às pessoas com deficiência; atender as necessidades de Medicina, Higiene e Segurança do Trabalho; conhecer o processo de desenvolvimento infantil, mantendo-se atualizado, através de leituras, encontros pedagógicos, formação continuada em serviço, seminários e outros eventos; comunicar ao professor e ou/direção situações que requeiram atenção especial; realizar outras atividades correlatas com a função.

10.12 - Piscineiro:

Exercer trabalhos de limpeza e conservação de piscinas com materiais adequados para uma melhor utilização dos usuários; realizar controle da temperatura e salinização com equipamentos para esta finalidade a fim de proteger a qualidade da água e a saúde dos usuários; solicitar materiais utilizados como sal e cloro, evitar a falta dos mesmos na hora da limpeza; limpar ao redor da piscina e o lava-pés com um limpador para deixar o ambiente limpo e agradável com cloro, deixar o local limpo e sem risco a saúde dos usuários; limpar e secar os materiais pedagógicos utilizados durante as aulas de natação, utilizando material de limpeza e colocando ao ar livre e no sol para uma manutenção adequada dos materiais; abrir a parte aquática para organizar a piscina antes da chegada dos alunos; garantir a segurança quanto ao acesso de usuários nas proximidades da piscina, nos horários sem atividades a fim de evitar acidentes.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE, Maceió (AL), 14 de agosto de 2012

JOSICLEIDE MARIA PEREIRA DE MOURA
Secretária de Estado Adjunta da Educação

154379

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231