Prefeitura de Tramandaí - RS

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRAMANDAÍ

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

EDITAL N° 191/2011

Notícia:   106 vagas disponíveis na Prefeitura de Tramandaí - RS

O MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ, através do PREFEITO MUNICIPAL, no uso de suas atribuições, por contrato celebrado com a PONTUA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM CONCURSOS LTDA, torna pública a abertura das inscrições e estabelece normas relativas à realização de Concurso Público e Processo Seletivo, destinado a selecionar candidatos para provimento de cargos do Quadro Geral de Servidores, sob o regime estatutário e celetista, conforme subitem 1.2.

1 - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1 Este Concurso Público e Processo Seletivo, de acordo com a Legislação que trata da matéria, Lei Municipais n.° 2921/2009, de 18/11/2009, 939/92, de 26/05/1992 e alterações, 945/92, de 30/06/1995 e alterações, 947/92, de 30/06/1992 e alterações, Lei 1896/2002, de 06/12/2002, Decreto 3564/2011, de 17/03/2011 e pelas normas estabelecidas neste Edital, serão executados pela PONTUA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM CONCURSOS LTDA e destinam-se a selecionar candidatos para provimento de cargos efetivos da PREFEITURA MUNICIPAL DE TRAMANDAÍ.

1.2 O Concurso Público destina-se ao preenchimento de vagas existentes dos seguintes cargos:

PROCESSO SELETIVO - EMPREGO PÚBLICO - NÚMERO DE VAGAS E /OU CADASTRO DE RESERVA, CARGA HORÁRIA E REMUNERAÇÃO MENSAL

ITEM

VAGAS

CARGO/ESCOLARIDADE

CARGA HORÁRIA SEMANAL

REMUNERAÇÃO MENSAL (R$)

1

8

Agente de Combate a Endemias.

40 horas

554,74 + 30% Insalubridade

CONCURSO PÚBLICO - NÚMERO DE VAGAS E /OU CADASTRO DE RESERVA, CARGA HORÁRIA E REMUNERAÇÃO MENSAL

ITEM

VAGAS

CARGO/ESCOLARIDADE

CARGA HORÁRIA SEMANAL

REMUNERAÇÃO MENSAL (R$)

2

4

Ajudante de cozinha - Ensino Fundamental Incompleto.

40 horas

454,05 + 20% Insalubridade

3

1

Analista de Sistema - curso superior em Ciências da Computação ou Sistema de Informação ou equivalente.

40 horas

1.540,48

4

1

Analista Superior Ambiental - diploma/certificado, registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior nas áreas de Engenharia Ambiental, Biologia (Bacharelado), com especialização na área ambiental, curso de Oceanologia ou Oceanografia,com especialização na área ambiental. Além da graduação deverá apresentar certificado de no mínimo pós-graduação na área ambiental e conhecimentos de informática.

20 horas

1.540,48

5

CR

Assistente Social - curso superior em Serviço Social com registro no CRESS.

20 horas

1.540,48

6

8

Atendente de creche - Ensino Fundamental Incompleto (seis meses de experiência comprovada CTPS ou declaração do órgão empregador).

44 horas

468,97 + 20% insalubridade

71Auxiliar de Topografia - Ensino Médio Completo40 horas489,75 + 20% insalubridade
81Bibliotecário - Bacharelado em Biblioteconomia,diploma expedido por Escola de Biblioteconomia de nível superior oficialmente reconhecida, registro do diploma ou títulos na Diretoria do Ensino Superior, do Ministério da Educação, Registro no Conselho Regional de Biblioteconomia a cuja jurisdição estiver sujeito.20 horas1.540,48
91Carpinteiro - Ensino Fundamental Incompleto.44 horas489,75 + 20% insalubridade
106Cozinheiro - Ensino Fundamental Incompleto.40 horas468,97 + 20% insalubridade
111Desenhista Projetista - Ensino Médio Completo, Curso Técnico Em Construção Civil, Arquitetura ou áreas correlatas.40 horas1.098,22
121Eletricista - Ensino Fundamental Incompleto.44 horas489,75 + 30 % periculosidade
132Enfermeiro: diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior de Enfermagem, bem como registro no COREN.40 horas1.540,48 + 30% insalubridade
141Engenheiro Elétrico - diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior na área de Engenharia Elétrica, bem como Registro no CREA .20 horas1.540,48
151Farmacêutico - diploma /certificado de curso superior em Farmácia, com registro no Conselho competente.40 horas1.540,48
16CRFiscal de Tributos - Ensino Fundamental Completo.40 horas727,20
171Fonoaudiólogo - diploma/certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Fonoaudiologia.20 horas1.540,48
182Instrutor de Informática - Licenciatura em Computação ou Curso Superior de Tecnologia. 25 horas1.540,48
191Lavadeira - Ensino Fundamental Incompleto.40 horas464,45 + 20% insalubridade
202Mecânico de Máquina Pesada - Ensino Fundamental Incompleto44 horas727,20 + 30% insalubridade
211Médico Cardiologista - habilitação legal para o exercício da profissão de Médico Cardiologista - registro no CREMERS20 horas1.540,48 + 30% insalubridade
221Médico Clínico Geral Plantonista - Curso Superior de Medicina, com registro no CREMERS e curso ATLS.24 horas1.540,48 + 30% insalubridade + 120% G.Esp. + 6% adicional noturno
231Médico Ginecologista/Obstetra - habilitação legal para o exercício da profissão de Médico Ginecologista/Obstetra - registro no CREMERS20 horas1540,48 + 30% insalubridade
241Médico Pediatra Plantonista - habilitação legal para o exercício da profissão de Médico Pediatra - registro no CREMERS24 horas1.540,48 + 30% insalubridade + 120% G.Esp. + 6% adicional noturno
251Médico Psiquiatra - habilitação legal para o exercício da profissão de Médico Psiquiatra - registro no CREMERS20 horas1.540,48 + 30% insalubridade
261Médico Traumatologista/Ortopedista - habilitação legal para o exercício da profissão de Médico Traumato/Ortopedista - registro no20 horas1.540,48 + 30% insalubridade
271Monitor Regente de Banda - Ensino Fundamental Completo, experiência comprovada de, no mínimo, 1 ano em regência de Banda e Registro na Carteira da Ordem dos Músicos do Brasil.20 horas1.098,22
281Monitor Regente de Coral - Ensino Fundamental Completo, experiência comprovada de, no mínimo, 1 ano de regência em Coral e o Registro na Carteira da Ordem dos Músicos do Brasil.20 horas1.098,22
2910Motorista - Ensino Médio Completo e Carteira Nacional de Habilitação categoria D. No mínimo 01 (um) ano comprovada através de anotação na CTPS ou declaração do órgão empregador.44 horas653,00
301Nutricionista: diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior de Nutrição, com registro no conselho competente.20 horas1.540,48
311Oficial de Almoxarifado - Ensino Médio Completo.40 horas608,48 + 20% insalubridade
323Operador de Máquina Pesada - Ensino Fundamental Incompleto e CNH "C"44 horas608,48 + 20% insalubridade
338Operador de Máquina Leve - Ensino Fundamental Incompleto e CNH "C"44 horas489,75 + 20% insalubridade
341Operador de Usina de Asfalto - Ensino Fundamental Incompleto44 horas608,48 + 30% insalubridade
358Operário - Alfabetizado44 horas454,05 + 30% insalubridade
361Pedagogo Orientação Escolar - habilitação legal para o exercício do cargo e experiência mínima de 2 anos de docência comprovada exercida em instituições legalmente reconhecidas.30 horas1.335,68
371Pedagogo Supervisão Escolar - habilitação legal para o exercício do cargo e experiência mínima de 2 anos de docência comprovada, exercida em instituições legalmente reconhecidas.30 horas1.335,68
381Pedagogo Educação Especial - Pedagogia com habilitação e/ou especialização em Educação Especial25 horas1.335,68
391Pedreiro - Ensino Fundamental Incompleto44 horas489,75 + 20% insalubridade
401Professor Artes - Licenciatura plena em Artes.30 horas1.335,68
411Professor de Educação Física - Licenciatura plena em Educação Física30 horas1.335,68
421Professor de Educação Infantil - Ensino Médio Na Modalidade Normal (Magistério) ou curso superior (graduação plena) em Pedagogia Educação Infantil25 horas927,55
431Professor Espanhol - Licenciatura plena em Língua Espanhola30 horas1.335,68
441Professor Geografia - Licenciatura plena em Geografia30 horas1.335,68
451Professor Inglês - licenciatura plena em Língua Inglesa30 horas1.335,68
461Professor História - licenciatura plena em História30 horas1.335,68
471Professor Língua Portuguesa - licenciatura plena em Língua Portuguesa30 horas1.335,68
481Professor Matemática licenciatura plena em Matemática30 horas1.335,68
491Professor Séries Iniciais - ensino médio na modalidade normal (magistério) ou curso superior (graduação plena) em Pedagogia ou Pedagogia Séries Iniciais25 horas927,55
501Programador de Sistemas - Ensino Médio na área de Informática - Habilitação Profissional: Possuir experiência profissional comprovada, através de declaração do Órgão empregador da área de desenvolvimento de sistemas, de no mínimo, doze meses, na função de programação, em implementação de projetos de sistemas integrados (web-sites). Programação para sistemas em ambientes web; linguagens de programação: PHP, HTML, xHTML, Javascript, AJAX; Banco de Dados: PostgresSQL (instalação e configuração em ambiente Linux), MySQL (instalação e configuração em ambiente Linux); Conhecimentos: Comandos SQL, Rede de Computadores; Ambientes: Windows e Linux.40 horas1.098,22
511Psicopedagogo - Graduação em Licenciatura, Pedagogia e Pós-Graduação em Psicopedagogia20 horas1540,48
521Secretário de Escola - ensino médio completo40 horas779,15
531Soldador - ensino fundamental incompleto.44 horas541,69
541Técnico em Enfermagem - ensino médio completo, com curso técnico em Enfermagem, bem como registro no COREN40 horas816,25 + 30% insalubridade
551Médico Veterinário - diploma/certificado de curso superior em Medicina Veterinária, com registro no Conselho competente.20 horas1.540,48
56CRVigia - Ensino44 horas464,45 + 20% risco de vida
571Fiscal sanitário - ensino fundamental completo 40 horasR$ 727,20
582Técnico de radiologia - ensino médio completo e habilitação legal para o exercício40 horasR$ 816,25 + 30% de insalubridade
59CRFiscal de meio ambiente - cadastro de reserva - ensino médio completo40 horasR$ 727,20
60 Fiscal de Obras e Posturas - Fundamental Completo.40 horasR$ 727,20
61 Engenheiro Civil - Diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior na área de40 horasR$ 1.540,48
62 Professor de Ciências  R$ 1.335,68

2. DAS VAGAS

2.1 A nomeação dos candidatos, observada a ordem de classificação final, far-se-á, pelo MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ durante o prazo de validade deste concurso.

3. DAS VAGAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA - PCD

3.1 Às pessoas com deficiência, é assegurado 5% (cinco por cento) das vagas previstas no presente Edital, desde que as atribuições dos cargos sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras, em obediência ao disposto no artigo 20 da Lei Orgânica do Município de Tramandaí.

3.2 O candidato ao inscrever-se nesta condição, deverá escolher o cargo a que concorre e marcar a opção "Pessoas com Deficiência", bem como deverá encaminhar, via sedex, até o término do período de inscrições, ou seja, 10/06/2011, para o endereço da PONTUA CONCURSOS LTDA - Rua Costa Lima, 239 - Bairro Nonoai, CEP: 91.720-480 - Porto Alegre/RS, os documentos relacionados abaixo:

a) Laudo médico (original ou cópia legível autenticada): A data de emissão do atestado médico deverá ser a partir de 24/12/2010, nos termos do art. 6°, inciso VI, do Decreto Estadual n.° 44.300, de 20/02/2006, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças - CID, bem como a provável causa da deficiência.

b) Requerimento, solicitando vaga especial, constando o tipo de deficiência e a necessidade de condição ou prova especial, se for o caso (conforme modelo Anexo IV deste Edital). O pedido de condição ou prova especial, formalizado por escrito à empresa executora, será examinado para verificação das possibilidades operacionais de atendimento, obedecendo a critérios de viabilidade e de razoabilidade.

3.3 Caso o candidato não encaminhe o laudo médico e requerimento, até o prazo determinado, não será considerado como pessoa com deficiência para concorrer às vagas reservadas, não tendo direito à vaga especial, bem como à prova especial, seja qual for o motivo alegado, mesmo que tenha assinalado tal opção na Ficha de Inscrição.

3.4 Não serão considerados como deficiência os distúrbios de acuidade visual passíveis de correção simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congêneres.

3.5 As solicitações de condições especiais, bem como de recursos especiais, serão atendidas obedecendo a critérios de viabilidade e de razoabilidade.

3.6 Os candidatos inscritos nessa condição participarão do concurso público em igualdade de condições com os demais candidatos, no que se refere às provas aplicadas, ao conteúdo das mesmas, à avaliação, aos critérios de aprovação, ao horário e local de aplicação das provas e à nota mínima exigida para todos os demais candidatos, resguardadas as condições especiais previstas na legislação própria.

3· Se aprovado e classificado para o provimento das vagas, o candidato com deficiência será submetido à avaliação a ser realizada pelo Departamento Médico da PREFEITURA MUNICIPAL DE TRAMANDAÍ, a fim de ser apurada a categoria de sua deficiência e a compatibilidade do exercício das atribuições do cargo com a deficiência de que é portador.

3.8 Caso a deficiência de que é portador não seja compatível com as atribuições do cargo, o candidato será excluído do concurso em que se inscreveu.

3.9 Na falta de candidatos aprovados para as vagas reservadas, estas serão preenchidas pelos demais candidatos com estrita observância da ordem classificatória.

3.10 Serão publicadas duas listas de candidatos aprovados em ordem classificatória. A primeira conterá a Classificação Geral de todos os candidatos aprovados nos Concursos Públicos e Processo Seletivo, no respectivo cargo, em ordem crescente de classificação, incluindo os candidatos portadores de deficiência e a segunda incluirá somente estes últimos.

4 - DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

A síntese das atribuições e qualificações de cada Cargo destes Concursos e Processo Seletivo constam do Anexo I deste Edital.

5 - DA DIVULGAÇÃO

A divulgação oficial de todas as etapas referentes a este Concurso Público e Processo Seletivo se dará através de Editais e/ou avisos publicados nos seguintes meios e locais:

5.1 No Jornal NH serão divulgados o extrato de edital da abertura das inscrições

5.2 No quadro de publicações da PREFEITURA DE TRAMANDAÍ, situada na Av. da Igreja, 346 - Centro - Tramandaí - RS, no quadro de publicações da CÂMARA DE VEREADORES DE TRAMANDAÍ, situada na Av. Fernandes Bastos, 30, Centro - Tramandaí - RS e no FÓRUM DE TRAMANDAÍ, situado na Rua Vergueiros, 172, Tramandaí - RS.

5.3 Em caráter meramente informativo, nos sites da Pontua Concursos (www.pontuaconcursos.com.br) e do MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ (www.tramandai.rs.gov.br).

5.4 É de responsabilidade exclusiva do candidato o acompanhamento das etapas deste Concurso através dos meios de divulgação acima citados.

5.5 A Pontua Concursos disponibiliza o número telefônico (51) 3061.1460, para atendimento e esclarecimento de dúvidas dos candidatos ao longo de todas as fases do Concurso e do Processo Seletivo.

6 - DAS INSCRIÇÕES

6.1 As inscrições via Internet poderão ser realizadas a partir das 9h do dia 24 de maio de 2011 até às 24h do dia 10 de junho de 2011, pelo site www.pontuaconcursos.com.br.

6.2 A correta interpretação do atendimento aos requisitos do cargo é de inteira responsabilidade do candidato.

6.4 A PONTUA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM CONCURSOS LTDA não se responsabiliza por inscrições, via Internet, não recebidas por motivos de ordem técnica de computadores, falhas de comunicação, congestionamento de linhas de comunicação, bem como outros fatores externos que impossibilitem a transferência de dados.

6.5 O candidato, após preencher o formulário eletrônico de inscrição, disponível no site www.pontuaconcursos.com.br, deverá imprimir o boleto bancário para pagamento do valor referente à inscrição até o vencimento, através da rede bancária BANRISUL.

6.6 O pagamento da inscrição deverá ser efetuado em qualquer agência bancária ou terminal de auto-atendimento até o dia 13 de junho de 2011, com o boleto bancário impresso (NÃO será aceito pagamento por meio de depósito ou transferência entre contas).

6· A PONTUA, em nenhuma hipótese, processará qualquer registro de pagamento com data posterior ao dia 13 de junho de 2011. As solicitações de inscrições realizadas com pagamento após esta data não serão acatadas.

6.8 O sistema de inscrição via Internet permite ao candidato, dentro do período de inscrição, emitir a segunda via do seu boleto bancário, ou seja, NÃO serão emitidas segundas vias após às 24h do dia 10 de junho de 2011.

6.9 Os valores das inscrições para os cargos previstos neste Edital são os seguintes:

NÍVEL DE ESCOLARIDADE

VALOR DA INSCRIÇÃO (R$)

FUNDAMENTAL INCOMPLETO, COMPLETO e MÉDIO/TÉCNICO 30,00
SUPERIOR 50,00

6.10 A inscrição somente será considerada válida após a constatação do pagamento do boleto constituído pelo código de barras, pagável na rede bancária. Qualquer outra forma de pagamento invalida a inscrição.

6.11 Não serão aceitos pagamentos do boleto após o prazo do seu vencimento.

6.12 O candidato, ao efetivar sua inscrição assume inteira responsabilidade pelas informações que fizer constar no formulário emitido pela Internet, sob as penas da lei.

6.13 É vedada a inscrição condicional ou extemporânea.

6.14 O valor relativo à inscrição não será devolvido em hipótese alguma, salvo no caso de cancelamento do certame por decisão da Administração.

6.15 O comprovante de pagamento da inscrição deverá ser mantido em poder do candidato até o final do certame.

6.16 Não será aceita inscrição via postal, por FAX e/ ou outra forma que não a estabelecida neste edital.

6.17 Efetivada a inscrição, não serão aceitos pedidos para alteração de cargo.

6.18 O candidato só poderá concorrer a um cargo/emprego público, tendo em vista a realização dos certames serem no mesmo turno, conforme item 8.5 deste edital, havendo inscrições múltiplas do mesmo candidato, prevalecerá á inscrição de data mais recente que será homologada pelo MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ.

6.19 As inscrições efetuadas de acordo com o disposto neste item serão homologadas pelo MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ, significando tal ato que o candidato está habilitado a participar das demais etapas do Certame.

6.20 A inscrição nos presentes Concursos Públicos e Processo Seletivo, implica no conhecimento e na expressa aceitação das condições estabelecidas neste Edital, das quais o candidato não poderá alegar desconhecimento.

7. DA PROVA PRÁTICA: ELIMINATÓRIA E CLASSIFICATÓRIA (para os cargos de Eletricista, Motorista, Operador de Máquinas Pesada, Operador de Usina de Asfalto e Mecânico de Máquina Pesada).

7.1 De acordo com o número de candidatos inscritos e das condições de realização da prova prática, somente serão chamados à realização da mesma aqueles candidatos que tenham sido classificados, por cargo, até os limites a seguir descritos:

a) Eletricista: 25 primeiros classificados

b) Motorista: 40 primeiros classificados

c) Operador de Máquinas Pesada: 25 primeiros classificados

d) Operador de Usina de Asfalto: 25 primeiros classificados

e) Mecânico de Máquina Pesada: 25 primeiros classificados

7.2 Os candidatos que não atingirem a classificação acima mencionada não poderão realizar a prova prática.

7.3 A Prova Prática, do concurso ocorrerá em local, dia e horário a serem afixados no quadro de publicações do MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ e no site: www.pontuaconcursos.com.br, onde constarão a relação dos candidatos inscritos com a designação do local desta 2ª etapa do Concurso e a indicação do número de inscrição dos mesmos, devendo ser anotadas pelo próprio candidato. Esta etapa do Concurso não acontecerá fora dos locais indicados na lista publicada e nem em datas e/ou horários diferentes.

7.4 Desde já os candidatos ficam convocados a comparecer com antecedência de 60 (sessenta) minutos ao local da Prova Prática.

7.5 Para a Prova Prática, o ingresso no local da mesma só será permitido ao candidato que apresentar a Carteira de Identidade e/ou documento que originou a inscrição.

7.6 Para os candidatos ao cargo de Motorista, será exigida a Carteira Nacional de Habilitação para Condutores (CNH) compatível com a função, ou seja, categoria "D", e para os cargos de Operador de Máquina Leve e Operador de Máquina Pesada será exigida a Carteira Nacional de Habilitação para Condutores (CNH) compatível com a função, ou seja, categoria "C", sendo indispensável sua apresentação no dia da realização das provas práticas.

7· A Prova Prática valerá 100 (cem) pontos e será constituída de 2 (duas) tarefas, valendo 50 (cinquenta) pontos cada tarefa.

7.8 Será considerado aprovado na prova prática o candidato que obtiver no mínimo 60 pontos.

7.9 A critério da PREFEITURA MUNICIPAL DE TRAMANDAÍ, as provas práticas serão realizadas em qualquer dia da semana.

7.10 Não poderá realizar a prova o candidato que se apresentar após o horário estabelecido; em nenhuma hipótese haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado.

7.11 Durante a prova não será permitida nenhuma consulta.

7.12 Será excluído do concurso o candidato que:

a) tornar-se culpado por incorreção ou descortesia para com quaisquer dos fiscais, executores e seus auxiliares ou autoridades presentes;

b) for surpreendido, durante a realização da Prova Prática, em comunicação com outro candidato ou terceiros.

c) ausentar-se do local sem o acompanhamento do fiscal;

d) Não apresentar no dia da prova prática a Carteira Nacional de Habilitação para Condutores (CNH) compatível com a função, ou seja, categoria "D", para o cargo de Motorista e categoria "C" para os cargos de Operador de Máquina Leve e Operador de Máquina Pesada.

7.13 A critério dos avaliadores, poderá ser excluído o candidato que demonstre não possuir a necessária capacidade de manejo do equipamento, a fim de evitar danos e riscos ao equipamento.

7.14 O candidato só será considerado apto para realizar a prova prática se obtiver a classificação mínima previstas no detalhamento das provas objetivas conforme Anexo II deste edital.

8 - DA PROVA OBJETIVA - CLASSIFICATÓRIA E ELIMINATÓRIA

8.1 A Prova Objetiva para todos os cargos constantes do Quadro do subitem 1.2 tem caráter eliminatório e classificatório, sendo composta de 30 (trinta) questões para todos os cargos.

8.2 As questões da Prova Objetiva são do tipo múltipla escolha e cada questão conterá 5 (cinco) alternativas de resposta sendo somente 1 (uma) correta.

8.3 Serão considerados aprovados em PRIMEIRA ETAPA e/ou HABILITADOS à etapa seguinte, os candidatos que cumprirem as regras de aprovação previstas no detalhamento das provas objetivas conforme Anexo II deste edital.

8.4 A relação de disciplinas, a quantidade de questões por disciplina, o valor de cada questão e a pontuação necessária para aprovação estão descritos no Anexo II deste Edital.

8.5 As provas objetivas serão realizadas no dia 24 de julho de 2011, ás 9h00min para todos os cargos do referido certame, os locais das provas objetivas serão divulgados conforme item 5 - DA DIVULGAÇÃO.

8.6 A Prefeitura, reserva-se o direito de indicar nova data para a realização da Prova Objetiva, em caso de necessidade de alteração desta já publicada, mediante publicação em jornal de circulação regional, com antecedência mínima de 8 (oito) dias da realização das mesmas ou, em qualquer momento, em caso de decretação de caso de emergência ou calamidade pública.

8· A Pontua Concursos Ltda remeterá ao candidato comunicação complementar informando data, local e horário da prova, por meio do endereço eletrônico (e-mail) indicado pelo mesmo na ficha de inscrição. Não haverá encaminhamento de comunicação via postal.

8.7.1 A remessa da comunicação, via e-mail, não exime o candidato da responsabilidade de acompanhamento de todos os atos referentes a este concurso público, através de edital, bem como de obter as informações necessárias pelo site ou por telefone da empresa Pontua Concursos Ltda.

8.8 Os Conteúdos Programáticos/Bibliografia dos Cargos constam do Anexo III deste Edital.

8.9 A duração da prova objetiva para todos os cargos será de 3 (três) horas.

8.10 O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização das provas com antecedência mínima de 1 (uma) hora do horário fixado para o seu início, munido de caneta esferográfica de tinta azul ou preta, do Comprovante de Pagamento da Inscrição (boleto bancário). A critério da organização do concurso este poderá ser dispensado, desde que comprovada à efetiva homologação da inscrição do candidato e, obrigatoriamente, do documento de identificação.

8.11 Serão considerados documentos de identificação: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurança Pública, pelos Institutos de Identificação e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores do exercício profissional; passaporte; certificado de reservista; carteiras funcionais do Ministério Público; carteiras funcionais expedidas por órgão público que, por lei federal, valham como identidade; carteira de trabalho; Carteira Nacional de Habilitação (somente o modelo novo, com foto).

8.12 O documento de identificação deverá estar em perfeitas condições, de forma a permitir, com clareza, a identificação do candidato e de sua assinatura.

8.13 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia da realização da prova, os documentos originais, por motivo de perda, furto ou roubo, deverá apresentar documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo 30 (trinta) dias, ocasião em que poderá ser submetido à identificação especial, compreendendo coleta de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.

8.14 Não será admitido o ingresso de candidatos no local de realização das provas após o horário fixado para o seu início.

8.15 Ao entrar na sala o candidato recebe seu Cartão de Respostas, o qual deve ser assinado e ter seus dados conferidos.

8.16 Não haverá segunda chamada para a Prova Objetiva. O não comparecimento na Prova Objetiva, qualquer que seja a alegação, acarretará a eliminação automática do candidato do certame.

8.17 É vedado ao candidato prestar a prova objetiva fora do local, data e horário divulgados pela organização dos Concursos Públicos.

8.18 O candidato somente poderá retirar-se do local de realização da prova, após 60 (sessenta) minutos contatos do seu efetivo início.

8.19 O caderno de provas será entregue ao candidato no momento da sua saída, devendo, obrigatoriamente, serem respeitados os 60 (sessenta) minutos previstos no item anterior.

8.20 Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação da prova em virtude do afastamento do candidato da sua sala.

8.21 Durante a realização das provas, não serão fornecidas, por qualquer membro da equipe de aplicação, informações referentes ao conteúdo e aos critérios de avaliação das mesmas.

8.22 Na sala de provas não será permitido ao candidato usar óculos escuros e acessórios de chapelaria tais como: boné, chapéu, gorro, bem como cachecol ou manta e luvas e, ainda, entrar ou permanecer com armas ou aparelhos eletrônicos (bip, telefone celular, walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador, etc.). Caso o candidato leve arma ou qualquer aparelho eletrônico, deverá depositá-lo na Coordenação, exceto no caso de telefone celular que deverá ser desligado e poderá ser depositado junto à mesa de fiscalização até o final das provas. O descumprimento desta determinação implicará na eliminação do candidato, caracterizando-se como tentativa de fraude.

8.23 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização da prova deverá levar acompanhante, que ficará em sala reservada para essa finalidade e que será responsável pela guarda da criança. A candidata que não levar acompanhante não realizará a prova

8.24 Será automaticamente ELIMINADO do certame o candidato que, durante a realização da prova:

a) usar ou tentar usar meios fraudulentos ou ilegais para a sua realização;

b) for surpreendido dando ou recebendo auxílio na resolução da prova;

c) utilizar-se de anotações, impressos ou qualquer outro material de consulta;

d) utilizar-se de quaisquer equipamentos eletrônicos que permitam o armazenamento ou a comunicação de dados e informações;

e) faltar com a devida urbanidade para com qualquer membro da equipe de aplicação das provas, as autoridades presentes ou candidatos;

f) afastar-se da sala, a qualquer tempo, sem o acompanhamento de fiscal;

g) ausentar-se da sala, durante a prova, portando o Cartão de Respostas ou Caderno de Questões;

h) descumprir as instruções contidas no Caderno de Questões;

i) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos.

8.25 O caderno de questões é o espaço no qual o candidato poderá desenvolver todas as técnicas para chegar à resposta adequada, permitindo-se o rabisco e a rasura em qualquer folha, EXCETO no CARTÃO DE RESPOSTAS.

8.26 A correção das provas será feita por meio eletrônico - leitura ótica, sendo o CARTÃO DE RESPOSTAS o único documento válido e utilizado para esta correção. Este deve ser preenchido com bastante atenção. Ele não poderá ser substituído, tendo em vista sua codificação, sendo o candidato o único responsável pela entrega do mesmo devidamente preenchido e assinado. A não entrega do cartão de respostas implicará na automática eliminação do candidato do certame.

8.28 Será anulada a resposta que contiver mais de uma ou nenhuma alternativa assinalada, ou que contiver emenda ou rasura.

8.29 Ao terminar a Prova Objetiva, o candidato entregará ao Fiscal de Sala, obrigatoriamente, o Cartão de Respostas devidamente assinado.

8.30 Ao final das provas, os dois últimos candidatos deverão permanecer no recinto até o encerramento das atividades pelos fiscais de sala.

9 - DA PROVA DE TÍTULOS - CLASSIFICATÓRIA

9.1 Os Candidatos aprovados na Prova Objetiva para os cargos de Magistério submeter-se-ão à Prova de Títulos, cujas cópias autenticadas em cartório, deverão ser encaminhadas pelo Correio para a empresa PONTUA CONCURSOS, na Rua Costa Lima, 239, Bairro Nonoai, 91.720-480 - Porto Alegre, RS, nos dias a serem determinados através de Aviso e/ou Edital, divulgado conforme item 5 - DA DIVULGAÇÃO deste Edital.

9.2 Os documentos deverão ser colocados em envelope acompanhados do Anexo VI.

9.3 Esta prova valerá até 17 (dezessete) pontos, de acordo com o quadro de pontuação abaixo, sendo estes somados aos pontos obtidos na Prova Objetiva, para fins de classificação.

QUADRO DE PONTUAÇÃO

Títulos Quantidade de Títulos Pontuação Atribuída Pontuação Máxima
Diploma ou Certificado de conclusão de Curso de Doutorado, específico para a área a qual concorre (cópia autenticada). 1 05 pontos 05
Diploma ou Certificado de Curso de Mestrado, específico para a área a qual concorre (cópia autenticada). 1 04 pontos 04
Diploma ou Certificado de conclusão de Curso de Especialização (mínimo de 360 horas), em nível de pós-graduação, específico para a área a qual concorre (cópia autenticada). 1 03 pontos 03
Certificados de Cursos, Seminários, Jornadas e Treinamento, desde que relacionados ao cargo da inscrição e datados dos últimos cinco anos, contados da data da abertura das inscrições, com no mínimo 40 horas cada certificado/diploma. (cópia autenticada). 5 01 pontos 05

9.4 Caberá recurso contra os resultados divulgados.

9.5 Títulos sem conteúdo programático ou sem carga horária, bem como, sem autenticação, não serão válidos.

9.6 Não serão válidos os títulos vinculados à formação e considerados pré-requisito para o cargo ao qual o candidato concorre.

9· Não são considerados como títulos:

9.7.1 Comprovantes de estágios, obrigatórios ou não.

9.7.2 Certificados, ou documentos similares, de apresentações de trabalhos, ou projetos.

9.7.3 Atestados, Declarações ou Certidões.

9.8 Entendem-se como títulos:

9.8.1 Diploma ou Certificado de conclusão para cursos de Especialização, Mestrado e Doutorado, todos deverão ser expedido pela instituição oficial de ensino devidamente reconhecida.

9.8.2 Certificado de participação, para os casos de Cursos, Seminários, Jornadas e Treinamentos, todos deverão ser expedido pela instituição oficial de ensino devidamente reconhecida.

9.9 Os títulos com carga horária expressa em dia ou mês serão convertidos em horas seguindo-se a seguinte regra: 1 dia equivalerá a 8 horas e 1 mês equivalerá a 80 horas.

9.10 Quando o nome do candidato constante no título apresentado for diferente do nome declarado na inscrição, deverá ser anexado comprovante oficial de alteração do nome.

9.11 Os títulos apresentados não serão devolvidos aos candidatos.

9.12 É obrigatório o preenchimento do formulário denominado (FORMULÁRIO PARA ACOMPANHAMENTO DE TÍTULOS) constante do anexo VI do edital, que deverá acompanhar os títulos, devidamente autenticados, quando da entrega no local já determinado.

9.12.1 Os candidatos que não cumprirem o requisito do item 9.12 estão sujeitos a não apreciação de seus respectivos títulos.

10 - DA CONVOCAÇÃO PARA AS PROVAS

As convocações para as Provas serão efetuadas através de Avisos, conforme disposto do item 5 - DA DIVULGAÇÃO, deste Edital.

11 - DOS RECURSOS

11.1 O candidato poderá interpor recurso no prazo de 03 (três) dias úteis a contar do primeiro dia subsequente à publicação, conforme item 5 - DA DIVULGAÇÃO nos seguintes casos:

a) referente às inscrições não homologadas;

b) referente às questões das Provas Objetivas e do resultado da Prova de Títulos e Prática.

11.2 Os recursos deverão ser protocolados obrigatoriamente no site da Pontua Concursos www.pontuaconcursos.com.br/recursos.

11.3 Para cada questão recorrida deverá ser utilizado um formulário denominado Recurso Administrativo, com todos os dados solicitados devidamente preenchidos, onde devem ser fundamentadas as razões pelas quais o recorrente discorda do gabarito ou conteúdo da questão. Os recursos que não obedeçam a esta regra não serão apreciados.

11.4 Não serão aceitos, recebidos ou admitidos recursos protocolados de outra forma, que não seja a prevista no edital, ou seja, somente protocolo on-line através do site www.pontuaconcursos.com.br/recursos. 11.5 Também não serão aceitos recursos enviados por via postal, via e-mail e fac-símile ou qualquer outro meio que não o previsto neste Edital.

11.6 Após o julgamento dos recursos sobre gabaritos e questões objetivas, os pontos correspondentes às questões eventualmente anuladas serão atribuídos a todos os candidatos, indistintamente, do mesmo modo, quando houver alteração de gabarito, ela valerá para todos os candidatos independentemente de terem recorrido.

11· Eventuais alterações de gabarito, após análise de recursos, serão divulgadas conforme item 5 - DA DIVULGAÇÃO, deste Edital.

11.8 A Comissão Examinadora da PONTUA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM CONCURSOS LTDA é a última instância para recursos, sendo soberana em suas decisões, razão pela qual não caberão recursos adicionais.

11.9 Serão indeferidos os recursos que não atenderem os dispositivos aqui estabelecidos.

11.10 As respostas aos recursos serão divulgadas através do endereço eletrônico www.pontuaconcursos.com.br.

11.11 As questões que por ventura forem anuladas ou tiverem seus gabaritos alterados serão informadas no mesmo prazo da resposta dos recursos, através de aviso publicado no endereço eletrônico www.pontuaconcursos.com.br.

11.12 Os recursos serão analisados individualmente, porém as respostas serão divulgadas por questão e não direcionadas a cada candidato, e também publicadas no mesmo endereço eletrônico www.pontuaconcursos.com.br.

12 - DA CLASSIFICAÇÃO

A Classificação Final observará os critérios estabelecidos item 13 - DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE.

13 - DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE

13.1 Em caso de igualdade na pontuação final do Concurso, o desempate se dará adotando-se os critérios abaixo, pela ordem e na sequência apresentada, obtendo melhor classificação o candidato que tiver:

a) idade mais elevada dos candidatos com 60 (sessenta) anos ou acima, nos termos do parágrafo único do artigo 27 da Lei Federal nº 10741/2003, na data do término das inscrições;

b) obtido maior pontuação em Conhecimentos Específicos (quando aplicável);

c) obtido maior pontuação em Língua Portuguesa e Interpretação de Texto;

d) obtido maior pontuação em Legislação Municipal;

e) obtido maior pontuação em Legislação da Saúde (quando aplicável);

f) obtido maior pontuação em Conhecimentos Gerais (quando aplicável)

g) LDB, ECA e Conhecimentos Pedagógicos (quando aplicável);

h) Comprovação de participação como jurado em júris populares (Lei 3689/41 - Art. 440), ficando condicionada a aplicação deste critério à apresentação do documento hábil no dia da realização das provas objetivas.

13.2 Persistindo o empate entre os candidatos, depois de aplicados todos os critérios acima, o desempate se dará através do sistema de sorteio público como abaixo descrito:

Os candidatos empatados serão ordenados de acordo com seu número de inscrição, de forma crescente ou decrescente, conforme o resultado do primeiro prêmio da extração da Loteria Federal, do primeiro dia de extração da mesma, subsequente ao dia do término das inscrições, segundo os critérios a seguir:

a) se a soma dos algarismos do número sorteado no primeiro prêmio da Loteria Federal for par, a ordem será a crescente;

b) se a soma dos algarismos da loteria federal for ímpar, a ordem será a decrescente.

13.3 Não havendo extração da Loteria Federal na data marcada, será considerada a data de extração imediatamente posterior.

14 - DA PUBLICAÇÃO DOS RESULTADOS

14.1 O Gabarito Preliminar (antes da análise dos recursos) será divulgado, conforme item 5 - DA DIVULGAÇÃO, no primeiro dia útil logo após a realização da prova objetiva e, ao término da análise dos recursos, será divulgado o Gabarito Definitivo.

14.2 A Classificação Final contendo os resultados obtidos nas etapas do certame, será divulgada através de editais e/ou Avisos conforme disposto no item 5 - DA DIVULGAÇÃO, deste Edital.

14.3 Para os candidatos Pessoas Com Deficiência (PCD), os resultados serão apresentados em listas específicas.

15 - DO PROVIMENTO DAS VAGAS

15.1 O provimento dos Cargos obedecerá rigorosamente à ordem de classificação dos candidatos aprovados.

15.2 Os aprovados que vierem a ingressar no Quadro de Pessoal do MUNICIPIO DE TRAMANDAÍ, serão regidos pelo Regime Estatutário e no Processo Seletivo para Agente de Combates a Endemias o Regime da CLT.

15.3 Os aprovados que vierem a ingressar no Quadro de Pessoal do MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ estarão sujeitos à jornada de trabalho correspondente ao estabelecido pelas Lei Municipais n.º 2921/2009, de 18/11/2009, 939/92, de 26/05/1992 e alterações, 945/92, de 30/06/1995 e alterações, 947/92, de 30/06/1992 e alterações, e a Lei 1896/2002, de 06/12/2002 e alterações, inclusive com as alterações que vieram a se efetivar, bem como poderão ser convocados para laborar em regime de plantão para o bom desempenho do serviço.

15.4 Ficam comunicados os candidatos classificados, de que sua posse no Cargo, só lhes será dada se atenderem às exigências a seguir:

a) Estar devidamente aprovado no concurso público e classificado dentro das vagas estabelecidas neste Edital;

b) ser brasileiro nato ou naturalizado, ou cidadão português a quem foi conferida a igualdade, nas condições previstas no Decreto Federal n° 70.391, de 12/01/72;

c) estar quites com as obrigações eleitorais;

d) estar quites com as obrigações militares, para os candidatos do sexo masculino;

e) possuir escolaridade mínima exigida em cada Cargo, na data da posse, conforme Anexo I deste Edital;

f) ter 18 (dezoito) anos completos na data da posse;

g) não estar incompatibilizado com investidura do Cargo, inclusive em razão de demissão por atos de improbidade, comprovados por meio de sindicância e ou inquérito Administrativo, na forma da Lei;

h) Possuir habilitação para o cargo pretendido, conforme Item 1.2, na data da posse;

i) Não perceber proventos de aposentadoria civil ou militar ou remuneração de cargo, emprego ou função pública que caracterizem acumulação ilícita de cargos, na forma do inciso XVI e parágrafo 10º do Art. 37 da Constituição Federal;

j) aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo;

k) no ato da posse, os candidatos dos cargos de nível técnico e superior deverão apresentar cópia autenticada do diploma, bem como, deverão apresentar o comprovante de inscrição no órgão de classe da sua profissão, de acordo com as exigências constante no quadro de cargos, sempre que este órgão de classe existir.

l) Candidatos com deficiência - verificar Capítulo próprio, neste Edital.

m) Apresentação da Carteira Nacional de Habilitação - CNH, para o cargo que assim exigir, de acordo com o Item 1.2.

16 - DA HOMOLOGAÇÃO E DA VALIDADE

16.1 O resultado final homologado pelo MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ será divulgado por cargo e conterá os nomes dos candidatos classificados, obedecendo à estrita ordem de classificação.

16.2 A validade do Concurso Público será de 2 (dois) anos a partir da data da publicação da homologação da classificação final, podendo ser prorrogado pelo prazo máximo de 2 (dois) anos, a critério do MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ.

17 - DA CONVOCAÇÃO PARA INGRESSO

17.1 Durante o período de validade deste Concurso Público, fica o candidato aprovado obrigado a manter atualizado junto a MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ seus dados cadastrais e endereço, sob pena de perder a vaga que lhe corresponderia quando da convocação.

17.3 Por ocasião do ingresso, serão exigidos dos candidatos classificados os documentos relativos à confirmação das condições estabelecidas nos subitens 1.2 e 15.4 deste Edital, sendo que a não apresentação de quaisquer deles importará na exclusão do candidato da lista de classificados.

17.4 O candidato aposentado por aposentadoria especial não poderá ingressar no MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ em cargo/função cujo exercício da atividade infrinja disposição contida na Lei nº 9.032/95.

17.5 No ato da contratação, o candidato não poderá estar aposentado por invalidez e nem possuir idade de aposentadoria compulsória, ou seja, 70 anos. Também não poderá receber proventos de aposentadoria oriundo de cargo, emprego ou função exercidos perante a União, Estado, Distrito Federal, Município e suas autarquias, empresas ou fundações, conforme preceitua o Art. 37, § 10 da Constituição Federal, com a redação de Emenda Constitucional n° 20 de 15/12/98, ressalvada as acumulações permitidas pelo inciso XVI do citado dispositivo constitucional, os cargos eletivos e os cargos ou empregos em comissão.

18 - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

18.1 Os candidatos, desde já ficam cientes das disposições constitucionais, especialmente Art. 40, § 1º - III, que determina a obrigatoriedade de cumprimento do tempo mínimo de 10 anos de efetivo exercício no serviço público e 5 anos no cargo efetivo, para fins de aposentadoria, observadas as demais disposições elencadas naquele dispositivo.

18.2 A inexatidão das informações, falta e/ou irregularidades de documentos, ainda que verificadas posteriormente, eliminarão o candidato do Concurso, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrição.

18.3 No caso de haver inscrição do cônjuge e/ou os parentes consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, dos membros da Comissão do Concurso Público, estes deverão ser substituídos imediatamente por ato do MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ.

18.4 Caso o candidato venha a realizar a inscrição em desacordo com o descrito no item 18.3, terá sua inscrição anulada.

18.5 Os casos omissos serão resolvidos pelo MUNICÍPIO DE TRAMANDAÍ, em conjunto com a Pontua Concursos Ltda, empresa responsável pela realização do Concurso público.

19 - FAZ PARTE DO PRESENTE EDITAL: ÍNDICE DE ANEXOS

ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

ANEXO II - DETALHAMENTO DAS PROVAS OBJETIVAS

ANEXO III - CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS/BIBLIOGRAFIA

ANEXO IV - REQUERIMENTO PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

ANEXO V - DETALHAMENTO DA PROVA PRÁTICA

ANEXO VI - FORMULÁRIO PROVA DE TÍTULOS

Tramandaí, 23 de maio de 2011.

Anderson José Tomiello Hoffmeister
Prefeito Municipal

ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

PROCESSO SELETIVO

AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS

ATRIBUIÇÕES: orientar a comunidade para promoção da saúde, prevenindo doenças por meio de visitas domiciliares e de ações educativas sanitárias e ambientais, individuais ou coletivas no domicílio ou na comunidade; manter a equipe informada sob situações de risco; incentivar atividades comunitárias para combater às endemias; participar de reuniões relacionadas às atividades do cargo; executar tarefas administrativas pertinentes às atividades do cargo; combater e prevenir endemias mediante a notificação de focos, vistoria e detecção de locais suspeitos, executando a eliminação do foco, se necessário; orientar e fiscalizar as atividades e obras para prevenção/preservação ambiental da saúde, por meio de vistorias, inspeções e análises técnicas de locais, atividades, obras, projetos e processos, visando ao cumprimento da legislação ambiental e sanitária; executar procedimentos e normas estabelecidas pelo Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD) e outros programas de prevenção e controle de endemias; orientar o manejo do ambiente para evitar a presença de roedores e vetores; identificar hospedeiros potenciais, transmissores de zoonoses; identificar a presença de animais, orientando a população quanto ao manejo e posse dos mesmos; identificar casos de agressões por animais a seres humanos e casos de abandono de tratamento antirrábico humano; encaminhar à Unidade Básica de Saúde, notificações e casos suspeitos de doenças e agravos relacionados ao meio ambiente; realizar censo animal; realizar inquéritos de mordedura animal; realizar a captura e recolhimento de animais; executar o controle químico de roedores e vetores, aplicando inseticidas, sob orientação e supervisão de profissionais da área; identificar situações de saneamento e meio ambiente que possam ser risco à saúde humana; executar tarefas afins relacionadas à Vigilância em Saúde.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

Carga Horária: 40 (quarenta) horas semanais.

Nível de Escolaridade: Ensino Médio Completo

CONCURSO PÚBLICO

AJUDANTE DE COZINHA

SÍNTESE DOS DEVERES: Auxiliar a cozinheira a realizar atividades rotineiras, envolvendo a execução de trabalhos relacionados com atividades de cozinha.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES : Ajudar a cozinheira a executar os trabalhos relativos à preparação de alimentos, como selecionar, lavar, descascar, cortar, fatiar legumes, carnes, peixes e cereais para cozimento. Ajudar a operar fogões, aparelhos de preparação ou manipulação de gêneros alimentícios, aparelhos de aquecimento, refrigeração e outros, elétricos ou não; manter em perfeitas condições de higiene os citados aparelhos. Lavar, secar e guardar louça, talheres, panelas e o que mais for usado para cocção e conservação de alimentos. Lavar e estender diariamente os panos de copa, esfregões, etc. Realizar a faxina diária do local de trabalho; dar destinação ao lixo. Exercer outras tarefas pertinentes.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 40 horas semanais

b) Nível de escolaridade: Ensino Fundamental Incompleto

ANALISTA DE SISTEMAS

SÍNTESE DOS DEVERES : Analisar e estabelecer a utilização de sistemas de processamento automático de dados em uma empresa ou organização, estudando as necessidades, possibilidades e métodos referentes aos mesmos, para assegurar a exatidão e rapidez dos diversos tratamentos de informações.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES : Estudar as características e planos da empresa ou organização, estabelecendo contatos com o corpo diretivo da mesma, para verificar as possibilidades e conveniências da aplicação de processamento sistemático de informações; identificar necessidades dos diversos setores da empresa, determinando quais os dados devem ser identificados, o grau de sumarização permitido e o formato requerido para apresentação dos resultados, para formular um plano de trabalho; fazer estudos sobre a viabilidade e o custo da utilização de sistemas de processamento de dados, levantando os recursos disponíveis e necessários, para submetê-los a uma decisão; examinar os dados de entrada disponíveis, estudando as modificações necessárias a sua normalização, para determinar os planos e sequências de elaboração de programas de operação; estabelecer os métodos e procedimentos possíveis, idealizando-os ou adaptando os já conhecidos, segundo sua economicidade e eficiência, para obter os dados que se prestam ao tratamento em computador; preparar diagramas de fluxo e outras instruções referentes ao sistema de processamento de dados e demais procedimentos correlatas, elaborando-os segundo linguagem apropriada, para orientar os programadores e outros trabalhadores envolvidos na operação do computador; verificar o desempenho do sistema proposto, realizando experiências práticas, para assegurar-se de sua eficiência e introduzir as modificações oportunas; dirigir a preparação de programas; coordenar as atividades de profissionais que realizam as diferentes fases da análise do programa, as definições das soluções, o detalhamento das soluções, a codificação do problema, teste de programa e eliminação de erros; orientar sobre o tipo de sistema e equipamento mais adequado para cliente e dirigir e coordenar a instalação de sistemas de tratamento automático de informação, supervisionando a passagem de um sistema para outro e planejando a utilização paralela do antigo e do novo sistema de processamento de dados; especializar-se em determinado aspecto da análise de sistema, como o estudo da viabilidade ou introdução de sistemas automáticos de processamento de dados.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário : período normal de trabalho de 40 horas semanais;

b) Nível de escolaridade: Curso Superior em Ciência da Computação ou Sistema de Informação ou Equivalente

ANALISTA SUPERIOR AMBIENTAL

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Proceder no planejamento ambiental, organizacional e estratégico afetos à execução das políticas nacionais de meio ambiente, formuladas no âmbito da União, em especial as que se relacionam com as seguintes atividades: regulação, controle, fiscalização, licenciamento e auditoria ambiental, monitoramento ambiental, gestão, proteção e controle da qualidade ambiental, ordenamento dos recursos florestais e pesqueiros, conservação dos ecossistemas e das espécies neles inseridas, incluindo seu manejo e proteção, estímulo e difusão de tecnologias, informação e educação ambiental; elaboração e execução de projetos na área ambiental.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 20 horas semanais;

b) Nível de Escolaridade: Diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior nas áreas de Engenharia Ambiental, Biologia (bacharelado) - com especialização na área ambiental, curso de Oceanologia ou Oceanografia - com especialização na área ambiental.

ASSISTENTE SOCIAL

SÍNTESE DOS DEVERES : Planejar programas de bem-estar social e promover a sua execução; estudar, planejar, diagnosticar e supervisionar a solução de problemas sociais.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES : Realizar ou orientar estudos e pesquisas no campo de assistência social; preparar programas de trabalho referentes ao Serviço Social; realizar e interpretar pesquisas sociais; orientar e coordenar os trabalhos nos casos de reabilitação profissional; encaminhar pacientes a dispensários e hospitais, acompanhando o tratamento e a recuperação dos mesmos assistindo os familiares; planejar e promover inquéritos sobre a situação social de escolares e de suas famílias; fazer triagem dos casos apresentados para estudo ou encaminhamento; estudar os antecedentes da família, participar de estudo e diagnóstico dos casos e orientar os pais em grupo ou individualmente, sobre o tratamento adequado; supervisionar o Serviço Social através das Agências; orientar nas seleções sócio-econômicas para a concessão de bolsas de estudo e ingresso nas colônias de férias; selecionar candidato a amparo pelos serviços de assistência à velhice, à infância abandonada, à cegos, etc.; orientar investigações sobre situação moral e financeira de pessoas que desejarem receber ou adotar crianças; manter contato com a família legítima e a substituta, promover o recolhimento de crianças abandonadas a silos; fazer levantamentos sócios-econômicos com vistas a planejamento habitacional nas comunidades; prestar assistência a condenados por delito ou contravenção, bem como a suas respectivas famílias; promover a reintegração dos condenados e suas famílias e na sociedade; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário : período normal de trabalho de 20 (vinte) horas semanais;

b) Nível de Escolaridade: Curso Superior em Serviço Social com registro no CRESS

ATENDENTE DE CRECHE

SÍNTESE DOS DEVERES: Executar atividades educacionais e de entretenimento buscando desenvolver o gosto pelas artes e pelo esporte; tomar medidas relativas à manutenção ou melhoria dos padrões de higiene e limpeza do ambiente da creche, bem como das crianças; executar atividades relativas à alimentação e nutrição das crianças em creches.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Promover entretenimento, atividades musicais e outras a serem desenvolvidas pelas crianças, sob a orientação da coordenadora de creche e orientadoras educacionais; executar atividades no campo da cultura, desenvolvendo na criança o gosto pelo desenho, pintura, modelagem, conversação, canto e dança, para ajudá-los a compreenderem melhor o ambiente que as rodeia; infundir nas crianças hábitos de limpeza, higiene, obediência e tolerância, empregando meios audiovisuais ou outros, a fim de contribuir para a educação das mesmas; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PRA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Incompleto (com seis meses de experiência comprovada em CTPS ou declaração do órgão empregador)

AUXILIAR DE TOPOGRAFIA

SÍNTESE DE DEVERES: o Auxiliar de Topografia prestará auxílio ao topógrafo nas medições.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: efetuar levantamentos e tarefas correlatas à topografia, terrestres e lacustres. Carregar e instalar instrumentos, fazer leituras de trenas, miras, réguas, cravar estacas com marretas, abrir picadas, dar rumos, anotar cotas e leituras necessárias, calcular cadernetas de campo, desenhar croqui de situação e de localização, transportar e nivelar cotas de projetos. Alinhar e demarcar greides transversais e longitudinais de ruas, avenidas, taludes, canais e redes pluviais. Auxiliar na locação e demarcação de terras e obras públicas diretas e indiretas quando solicitado.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 40 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Ensino médio completo.

BIBLIOTECÁRIO

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: organização, direção e execução dos serviços técnicos na área de Biblioteconomia, a fiscalização de ensino de Biblioteconomia reconhecido, equiparado ou em via de equiparação, a administração e direção de bibliotecas, a organização e direção dos serviços de documentação, a execução dos serviços de classificação e catalogação de manuscritos e de livros raros e preciosos, de mapotecas, de publicações oficiais e seriadas, de bibliografia e referência; demonstrações práticas e teóricas da técnica biblioteconômica em estabelecimentos municipais; padronização dos serviços técnicos de biblioteconomia; inspeção, sob o ponto de vista de incentivar e orientar os trabalhos de recenseamento, estatística e cadastro das bibliotecas; publicidade sobre material bibliográfico e atividades da biblioteca; planejamento de difusão cultural, na parte que se refere a serviços de bibliotecas; organização de seminários, concursos e exposições promovidas pelo município, relativas à Biblioteconomia e à documentação.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 20 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Bacharelado em Biblioteconomia, diploma expedido por Escola de Biblioteconomia de nível superior oficialmente reconhecida, registro do diploma ou títulos na Diretoria do Ensino Superior, do Ministério da Educação, registro no Conselho Regional de Biblioteconomia a cuja jurisdição estiver sujeito.

CARPINTEIRO

SÍNTESE DOS DEVERES : Construir e consertar estruturas e objetos de madeira.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Construir e consertar estruturas de madeira, preparar e assentar assoalhos de madeiramento para tentos, telhados e para formas de concreto; fazer e montar esquadrias; preparar e montar portas e janelas; fazer reparos em diferentes objetos de madeira; consertar caixilhos de janelas; colocar fechaduras; construir e montar andaimes; construir coretos e palanques; construir e reparar madeirames de carroças, carros-de-mão, automóveis e caminhões; colocar cabos em ferramentas; zelar pela limpeza do setor de trabalho que lhe diz respeito; organizar pedidos de suprimento de materiais e equipamentos de carpintaria; operar com máquinas de carpintaria tais como: serra-circular, serra-fita, furadeira e outras; zelar e se responsabilizar pela limpeza, conservação e funcionamento de maquinaria e do equipamento de trabalho; calcular orçamentos de trabalho de carpintaria; ministrar ensinamentos da profissão a ajudantes e auxiliares; reconstruir pontes e pontilhões de madeira; executar outras tarefas correlatas. Executar tarefas afins.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Fundamental incompleto.

COZINHEIRO

SÍNTESE DOS DEVERES: Realizar atividades rotineiras, envolvendo a execução de trabalhos relacionados com a cozinha.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Participar dos serviços de cozinha e refeitório, executar e preparar a alimentação escolar e auxiliar na distribuição aos alunos, orientando quanto à higiene e algum aproveitamento dos mesmos; manter em prefeitas condições de higiene os equipamentos, utensílios e ambientes próprios para a preparação, distribuição e consumo da merenda escolar, seguindo as normas estabelecidas pela Secretaria Municipal de Educação e as orientações da equipe escolar em conformidade com o que determinou a nutricionista; receber, conferir, armazenar, distribuir e controlar o estoque de gêneros alimentícios, observando suas condições e prazo de validade para consumo, comunicar de imediato a equipe diretora, irregularidades tanto de ordem quantitativa quanto qualitativa, observadas com relação aos gêneros alimentícios, acompanhar e avaliar, juntamente com a equipe diretora, a aceitação da alimentação oferecida aos alunos, comparecer às convocações da Secretaria Municipal de Educação referente à alimentação escolar; cumprir o horário de trabalho determinado pela equipe diretora, de acordo com os turnos de funcionamento da Escola, executar outras tarefas correlatas."

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: 40 horas semanais

b) Escolaridade: Ensino fundamental incompleto.

DESENHISTA PROJETISTA

SÍNTESE DE DEVERES: Operar Software, sistema autocad para desenhos de projetos arquitetônicos, elétricos, hidrosanitários, estrutural, plantas baixas, cortes, fachadas e auxiliar no Departamento de Engenharia na elaboração de placas indicativas, de sinalização de trânsito, bem como layout diversos para serviços da Secretaria de Obras.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Exercer atividades que correspondam ao desenvolvimento de detalhes de projetos, elaboração de plantas de layout de interiores e esquemas para instalar sistemas elétricos e diagramas de construção, estruturas, componentes e sistemas. Acompanhar arquitetos e engenheiros no desenvolvimento de projetos de construção civil e arquitetura. Desenhar e detalhar edificações, plantas de engenharia para construção de estradas, pontes e outras estruturas de grande porte, de acordo com especificações técnicas. Essas atividades são realizadas manualmente ou por meio de software específico para desenho (CAD). Quanto aos desenhos, elaboram perspectivas, conferem cotas e informações descritivas, efetuando as alterações necessárias, de acordo com as solicitações.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

Horário: período normal de trabalho 40 (quarenta) horas semanais.

Nível de Escolaridade: Ensino Médio Completo, curso técnico em construção civil, arquitetura ou áreas afins.

ELETRICISTA

SÍNTESE DOS DEVERES : Executar trabalhos rotineiros de eletricidade em geral, bem como, efetuar serviços de instalação e reparos de circuitos e aparelhos elétricos.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES : Instalar, inspecionar e reparar linhas e cabos de transmissão, inclusive os de alta tensão; fazer reparos em aparelhos elétricos em geral, instalar, inspecionar, regular e reparar diferentes tipos de equipamentos elétricos, tais como: elevadores, ventiladores, rádios, refrigeradores, etc; inspecionar e fazer pequenos reparos e limpar geradores de motores a óleo; reparar e regular relógios elétricos, inclusive de controle de ponto; fazer enrolamentos de bobinas; desmontar, ajustar e montar motores elétricos, dínamos, etc.; conservar e reparar instalações elétricas internas e externas; recuperar motores de partida em geral, businas, interruptores, relés, reguladores de tensão, instrumentos de painel e acumuladores; executar a bobinagem de motores; reformar baterias; fazer e consertar instalações elétricas em veículos automotores; fazer enrolamentos e consertar induzidos de geradores de automóveis; treinar auxiliares em serviço de eletricidade em geral; executar outras tarefas correlatas.

CONDIÇÕES DE TRABALHO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Incompleto.

ENFERMEIRO

SÍNTESE DOS DEVERES: Realizar atividades de nível superior, de grande complexidade, envolvendo a execução de trabalhos de enfermagem relativos à observação, ao cuidado e à educação sanitária dos doentes, à aplicação de tratamentos prescritos, bem como à participação de programas voltados para a saúde pública.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Planejar, organizar, coordenar e avaliar serviços de enfermagem; prestar serviços de enfermagem em hospitais, unidades sanitárias, ambulatórios, e seções próprias; prestar cuidados de enfermagem aos pacientes hospitalizados; ministrar medicamentos prescritos, bem como cumprir todas outras determinações médicas; velar pelo bem estar físico e psíquico dos pacientes; preparar o campo operatório e esterilizar o material; orientar o isolamento de pacientes; supervisionar os serviços de higienização dos pacientes; orientar, coordenar e supervisionar a execução das tarefas relacionadas à prescrição alimentar; planejar, executar, supervisionar e avaliar a assistência integral da enfermagem a clientes de alto e médio risco, enfatizando o autocuidado e participando da sua alta da instituição de saúde; acompanhar o desenvolvimento dos programas de treinamento de recursos humanos para a área de enfermagem; ministrar treinamento na área de enfermagem; aplicar terapia, dentro da área de sua competência; sob controle médico, prestar primeiros socorros; aprazar exames de laboratório, de raio-x e outros; aplicar terapia especializada, sob controle médico; promover e participar para o estabelecimento de normas e padrões dos serviços de enfermagem; participar de programas de educação sanitária e de programas de saúde pública em geral; auxiliar nos serviços de atendimento materno-infantil; participar de programas de imunização; realizar visitas domiciliares para prestar esclarecimentos sobre trabalho a ser desenvolvido por equipes auxiliares; realizar consulta de enfermagem a sadios e portadores de doenças prolongadas; prover e controlar o estoque de medicamentos; manter contato com responsáveis por unidades médicas e enfermarias; para promover a integração do serviço de enfermagem com os de assistência médica; participar de inquéritos epidemiológicos; participar de programas de atendimento a comunidades atingidas por situações de emergência ou de calamidade pública; realizar e interpretar testes imunodiagnósticos e auxiliares de diagnósticos; requisitar exames de rotina para os pacientes em controle de saúde, com vistas à aplicação de medidas preventivas; colher material para exames laboratoriais; prestar assessoramento a autoridades em assuntos de sua competência; emitir pareceres em matéria de sua especialidade; orientar, coordenar e supervisionar trabalhos a serem desenvolvidos por equipes auxiliares; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 40 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: diploma /certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior de Enfermagem, bem como registro no COREN.

ENGENHEIRO CIVIL

SÍNTESE DOS DEVERES: Executar ou supervisionar trabalhos técnicos de engenharia em serviços públicos municipais.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Executar ou supervisionar trabalhos topográficos e geodésicos; executar projetos dando o respectivo parecer; dirigir ou fiscalizar a construção de edifícios e suas obras complementares; projetar, dirigir ou fiscalizar a construção de estradas de ferro e de rodagem bem como obras de captação e abastecimentos de água de drenagem e de irrigação das destinadas ao aproveitamento de energia das relativas a portos, rios canais, e das de saneamento urbano e rural; realizar perícias e fazer arbitramentos, estudar, projetar, dirigir e executar as instalações de força motriz, mecânicas, eletrônicas e outras que utilizem energia elétrica, bem como as oficinas em geral de usinas elétricas e de redes de distribuição elétrica; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário : período normal de trabalho de 40 horas semanais;

b) Nível de Escolaridade: Diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior na área de Engenharia Civil, bem como Registro no CREA.

ENGENHEIRO ELETRICISTA

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Projetar, planejar e especificar sistemas e equipamentos elétrico/eletrônicos; analisar propostas técnicas, instalar, configurar e inspecionar sistemas e equipamentos; executar testes e ensaios de sistemas e equipamento, bem como serviços técnicos especializados; proceder na supervisão, coordenação e orientação técnica; estudo, planejamento, projeto e especificação; estudo de viabilidade técnico-econômica; assistência, assessoria e consultoria, inclusive no que concerne aos certames licitatórios para aquisição de materiais ou serviços elétricos; direção de obra e serviço técnico; vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico; desempenho de cargo e função técnica; ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica; elaboração de orçamento; padronização, mensuração e controle de qualidade; execução de obra e serviço técnico; fiscalização de obra e serviço técnico; produção técnica e especializada; condução de trabalho técnico; condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção; execução de instalação, montagem e reparo; operação e manutenção de equipamento e instalação; execução de desenho técnico, referentes à geração, transmissão, distribuição e utilização da energia elétrica; equipamentos, materiais e máquinas elétricas; sistemas de medição e controle elétricos; participar de programa de treinamento, quando convocado; executar tarefas pertinentes à área de atuação, utilizando-se de equipamentos e programas de informática; seus serviços afins e correlatos.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 20 horas semanais;

b) Nível de Escolaridade: diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior na área de Engenharia Elétrica, bem como Registro no CREA.

FARMACÊUTICO

SÍNTESE DOS DEVERES: Executar diversas tarefas relacionadas com a composição e fornecimento de medicamentos e outros preparados assemelhados; analisar toxinas em produtos de origem animal e vegetal, valendo-se de técnicas e aparelhos especiais, baseando-se em fórmulas estabelecidas; analisar peças anatômicas e substâncias de exudatos e transudatos humanos, com suspeita de envenenamento.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Fazer a manipulação de insumos farmacêuticos, como medição, pesagem e mistura, utilizando instrumentos especiais e fórmulas químicas com o fim de atender a produção de medicamentos e outros preparados, de acordo com a prescrição médica; controlar entorpecentes e produtos equiparados, confeccionando mapas, guias e livros para atender dispositivos legais; fazer análises clínicas de exudatos e transudatos, como também de peças anatômicas sob suspeição de envenenamento, para complementar o diagnóstico médico ou poder possibilitar a emissão de laudos técnico-períciais; efetuar análises bromatológicas de alimentos, para garantir sua qualidade, preparar informes e documentos sobre legislação e assistência farmacêutica, a fim de fornecer subsídio para a elaboração de ordens de serviço, portarias, pareceres e manifestos.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de 40 horas semanais;

b) Nível de Escolaridade: Diploma /certificado de curso superior em Farmácia, com registro no Conselho competente.

FISCAL DE OBRAS E POSTURAS

SÍNTESE DOS DEVERES: Verificar o cumprimento das leis e posturas municipais referentes à execução de obras particulares.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Acompanhar o andamento das construções pela Prefeitura, a fim de constatar a sua conformidade com as plantas devidamente aprovadas; suspender obras iniciadas sem a aprovação ou em desconformidade com as plantas aprovadas; verificar denúncias e fazer notificações sobre construções clandestinas, aplicando todas as medidas cabíveis; comunicar à autoridade competente as irregularidades encontradas nas obras fiscalizadas, tomando as medidas que se fizerem necessárias em cada caso; prestar informações em requerimentos sobre construções de prédios novos; executar outras tarefas relativas à aplicação do Código de Posturas do Município.

REQUISITOS DE PROVIMENTO:

a) Horário : período normal de trabalho de 40 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Fundamental Completo.

FISCAL DE TRIBUTOS

SÍNTESE DOS DEVERES: Orientar e exercer a fiscalização geral com respeito à aplicação das leis tributárias do Município, bem como ao que se refere à fiscalização especializada.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Estudar o sistema tributário municipal; orientar o serviço de cadastro e realizar perícias; exercer a fiscalização direta em estabelecimentos comerciais, industriais e de comércio ambulante; prolatar pareceres e informações sobre lançamentos e processos fiscais; lavrar autos de infração, assinar intimações e embargo; organizar o cadastro fiscal; orientar o levantamento estatístico específico da área tributária; apresentar relatórios periódicos sobre a evolução da receita; estudar a legislação básica; integrar grupos operacionais e realizar tarefas correlatas.

REQUISITOS DE PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 40 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Fundamental Completo.

FISCAL AMBIENTAL

Cargo: FISCAL AMBIENTAL

SÍNTESE DE DEVERES: os Fiscais Ambientais, a serviço da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, são competentes para: colher amostras necessárias para análises técnicas e de controle; proceder à inspeções e visitas de rotinas, bem como apuração de irregularidades e infrações; verificar a observância das normas e padrões ambientais vigentes; lavrar autos de infração e aplicar as penalidades cabíveis; praticar todos os atos necessários ao bom desempenho da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: exercer a fiscalização e lavrar autos de infração por contravenções à legislação ambiental; efetuar vistorias, levantamentos e avaliações; efetuar medições e coletas de amostras para análises técnicas e de controle; proceder inspeções e visitas de rotina; lacrar equipamentos, unidades produtivas ou instalações, nos termos da legislação em vigor; praticar os atos necessários ao eficiente eficaz nos termos da legislação em vigor; praticar os atos necessários ao eficiente e eficaz desempenho da vigilância ambiental no município, executar tarefas administrativas afins.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 40 (quarenta) horas semanais

b) Escolaridade: Ensino médio completo

FISCAL SANITÁRIO

SÍNTESE DOS DEVERES: Executar o policiamento sanitário na área sob sua jurisdição, executando os trabalhos de inspeção aos estabelecimentos ligados à industrialização e comercialização de produtos alimentícios, a imóveis novos ou reformados e a estabelecimentos de ensino, para proteger a saúde da coletividade.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Executar a inspeção de fábricas de laticínios, massas, conservas ou de outros tipos de lanchonetes e estabelecimentos frigoríficos e abatedouros, verificando as condições sanitárias dos seus interiores, limpeza do equipamento, refrigeração, suprimento de água, instalações sanitárias e condições de asseio e saúde dos que manipulam alimentos, para assegurar as condições necessárias à produção e distribuição de alimentos sadios e de boa qualidade; proceder a inspeção de imóveis novos ou reformados, antes de serem habitados, verificando as condições sanitárias dos seus interiores, para opinar na concessão de "Habite-se"; fazer comunicações, intimações e interdições decorrentes de seu trabalho; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 40 horas semanais

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Completo.

FONOAUDIÓLOGO

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Desenvolver ações, em parceria com os educadores, que contribuam para a promoção, aprimoramento e prevenção de alterações dos aspectos relacionados à audição e linguagem (oral e escrita) que favoreçam e otimizem o processo de ensino e aprendizagem; planejar, desenvolver e acompanhar programas fonoaudiólogos junto às escolas; orientar quanto ao uso da linguagem, motricidade oral, audição e voz, com técnicas alternativas a fim de estabelecer uma relação de comunicação; contribuir na realização do planejamento e das práticas pedagógicas das escolas; realizar triagens orientando pais, professores e equipe técnica, acompanhando as ações realizadas; atuar em equipe multidisciplinar, atendendo a demanda da educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental; assessorar os professores de sala de apoio e orientadores educacionais nas questões da linguagem e fala, a fim de melhorar o rendimento escolar e a integração em sala de aula.

REQUISITOS DE PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 20 horas semanais

b) Nível de Escolaridade: Diploma/certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Fonoaudiologia.

INSTRUTOR DE INFORMÁTICA

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Promover ações de inserção da computação no contexto escolar; disponibilizar deste recurso digital para o desenvolvimento da prática educacional no contexto escolar; motivar e preparar o aluno para a utilização da computação como instrumento facilitador e de apoio da aprendizagem; proporcionar momentos diferenciados, capacitando o aluno através das noções básicas, iniciais e fundamentais, otimizando as questões pegagógico-tecnológicas; participar de reuniões acompanhando o processo de ensino/aprendizagem, incluindo o auxílio da computação neste processo; elaborar projeto de ação com o cronograma de atendimento das turmas, tendo como público-alvo alunos das séries iniciais e finais do Ensino Fundamental; organizar o planejamento, a metodologia, as planilhas de frequência, os registros das atividades, bem como pareceres do desenvolvimento das turmas em atendimento; integrar a comunidade escolar, colaborando com a direção de acordo com a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO

a)Horário: período normal de trabalho 25 (vinte e cinco) horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Licenciatura em Computação ou Curso Superior de Tecnologia.

LAVADEIRA

SÍNTESE DOS DEVERES: Realizar atividades rotineiras, envolvendo a execução de trabalhos relacionados com lavanderia.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Lavar, manualmente ou por meio de instrumentos mecânicos, lençóis, toalhas e vestuários em geral; passar a ferro e engomar roupa lavada; receber e entregar roupas, registrando entrada e saída; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO

a) Horário: período normal de trabalho de 40 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Incompleto.

MECÂNICO DE MÁQUINA PESADA

SÍNTESE DOS DEVERES: Manter e reparar máquinas e equipamentos de diferentes espécies.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Consertar peças de máquinas; manufaturar ou consertar acessórios para máquinas; fazer soldas elétricas ou a oxigênio; converter ou adaptar peças; fazer a conservação de instalações eletromecânicas; inspecionar e reparar máquinas e equipamentos, automóveis, caminhões, tratores, compressores, bombas, etc.; inspecionar, ajustar, reparar construir e substituir, quando necessário, unidades e partes relacionadas com motores, válvulas, pistões, mancais, sistemas de lubrificações, de refrigeração de transmissão, diferenciais, embreagens, eixos dianteiros e traseiros, freio, carburadores, aceleradores, magnetos, geradores e distribuidores; esmerilhar e assentar válvulas substituir buchas e mancais; ajustar anéis de segmento; desmontar e montar caixas de mudanças; recuperar e consertar hidrovácuos; reparar máquinas a óleo diesel, gasolina ou querosene; socorrer veículos acidentados ou imobilizados por desarranjos mecânicos, podendo usar, em tais casos, o carro guincho; tomar parte em experiências com carros consertados; executar serviços de chapeamento e pintura de veículo; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário : período normal de trabalho de 44 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Incompleto.

MÉDICO CLÍNICO GERAL PLANTONISTA

SÍNTESE DOS DEVERES: Prestar assistência médica-cirúrgica e preventiva, diagnosticar e tratar das doenças do corpo humano em ambulatórios e hospitais.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Dirigir equipes e prestar socorros urgentes; efetuar exames médicos, fazer diagnósticos, prescrever e ministrar tratamento para diversas doenças, perturbações e lesões do organismo humano, e aplicar os métodos de medicina preventiva; providenciar ou realizar tratamento especializado; praticar intervenções cirúrgicas; ministrar aulas e participar de reuniões médicas, cursos e palestrar sobre medicina preventiva nas entidades assistenciais e comunitárias; preencher e visar fichas médicas com diagnóstico e tratamento; transferir, pessoalmente, a responsabilidade do atendimento e acompanhamento aos titulares de plantão; atender aos casos urgentes de internados no hospital, nos impedimentos de titulares de plantão; atender prontamente, fazendo com que não haja aglomeração de pacientes na recepção; preencher os boletins de socorro urgente, mesmo os provisórios, com diagnóstico, provável ou incompleto, dos doentes atendidos nas salas de primeiro-socorro; supervisionar e orientar o trabalho dos estagiários e internos, preencher as fichas dos doentes atendidos a domicílio, preencher corretamente relatórios comprobatórios de atendimentos; proceder o registro dos pertences dos doentes ou acidentados em estado de inconsciência ou que venham a falecer; atender consultas médicas em ambulatórios e hospitais; fazer diagnósticos e recomendar a terapêutica; prescrever regimes dietéticos; prescrever exames laboratoriais, incentivar a vacinação e indicar medidas de higiene pessoal; prescrever exames laboratoriais, incentivar a vacinação e indicar medidas de higiene pessoal; responsabilizar-se por equipes auxiliares necessárias à execução das atividades próprias do cargo; executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento da profissão.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 24 (vinte e quatro) horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Curso Superior de Medicina, com registro no CREMERS e curso ATLS.

MÉDICO PEDIATRA PLANTONISTA

SÍNTESE DOS DEVERES: Executar trabalhos na área de Pediatria, em sistema de plantões.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Realizar atendimentos a crianças, fazendo o diagnóstico e indicando o tratamento adequado, solicitar exames clínicos e laboratoriais; providenciar encaminhamento dos pacientes a serviços especializados, orientar pais e/ou responsáveis no que se fizer necessário; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: 24 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Habilitação legal para o exercício da profissão de Médico Pediatra - registro no CREMERS.

MONITOR REGENTE DE BANDA

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Ensaiar e dirigir as apresentações e espetáculos da Banda Municipal; testar e afinar os instrumentos musicais; proceder nas substituições internas de instrumentos; ministrar aulas teóricas e sugerir apresentações musicais; solicitar aquisição de peças musicais, instrumentos e outros elementos necessários; realizar a inspeção e manter o preparo técnico da Banda; integrar comissões para selecionar os componentes da Banda; transmitir instruções quanto ao zelo, manutenção e guarda dos instrumentos musicais da Banda; executar tarefas afins

REQUISITOS PRA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 20 horas semanais:

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Completo, experiência comprovada de, no mínimo, um ano em regência de banda e registro na carteira da Ordem dos Músicos do Brasil.

MONITOR REGENTE DE CORAL

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Desenvolver repertório do Coral Municipal com boa qualidade técnico-musical; descobrir novos talentos e desenvolver o potencial artístico dos integrantes para que possam assumir funções como: preparador vocal, pianista acompanhador, solista, regente auxiliar, desenvolver através da música o ‘coletivo e o individual, a sensibilidade estética, o senso crítico artístico e a convivência social, preservando a cultura e a identidade dos cantores e do público que presenciar as performances do coro; construir um grupo que seja modelo para a cidade e região, que divulgue boa música através de apresentações como recitais, concertos, celebrações, solenidades; levar cultura à sociedade através de eventos musicais, envolvendo a comunidade com a música, melhorando a qualidade de vida e elevando o nível sócio-cultural da cidade; ensinar teoria musical para os integrantes compreenderem melhor o que será trabalhado durante os ensaios, para propiciar o aprendizado mais completo no futuro.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 20 horas semanais;

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Completo, experiência comprovada de, no mínimo, um ano em regência em coral e registro na carteira da Ordem dos Músicos do Brasil.

MOTORISTA

DESCRIÇÃO SINTÉTICA: Dirigir e conservar veículos, máquinas, equipamentos rodoviários do Município.

DESCRIÇÃO ANALÍTICA: Dirigir automóveis, caminhões, ônibus e outros veículos destinados ao transporte de passageiros e/ou cargas; dirigir máquinas e equipamentos rodoviários; recolher os veículos, máquinas e equipamentos rodoviários à garagem ou local destinado quando concluída a jornada do dia, comunicando qualquer defeito porventura existente; manter os veículos, máquinas e equipamentos rodoviários em perfeitas condições de funcionamento; efetuar a manutenção rotineira e periódica do veículo, bem como pequenos consertos ou providenciar a reparação dos defeitos detectados; fazer reparos de emergência; zelar pela limpeza e conservação do veículo, máquinas e equipamentos rodoviários que lhe forem confiados; encarregar-se do transporte e entrega de correspondência ou de carga que lhe for confiada; promover o abastecimento de combustíveis, água e óleo; verificar as condições de funcionamento do veículo antes do início da sua jornada de trabalho; providenciar o abastecimento dos combustíveis, água e lubrificantes; verificar o grau de densidade e nível da água da bateria, bem como a calibração dos pneus; registrar dados de utilização do veículo, de acordo com as normas pré-estabelecidas; manter atualização com respeito às Leis de Trânsito, controlando a regularidade da documentação do veículo ou pagamento de taxas e impostos; comunicar ao superior imediato qualquer irregularidade ou anomalia constatada no desenvolvimento de suas atividades ou no funcionamento dos veículos, máquinas e equipamentos rodoviários; executar outras tarefas afins.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais.

Nível de Escolaridade: Ensino Médio Completo e carteira nacional de habilitação, categoria "D".

Experiência: No mínimo 01 (um) ano comprovada através de anotação na CTPS ou declaração do órgão empregador.

NUTRICIONISTA

SÍNTESE DOS DEVERES : Realizar atividade de nível superior, de grande complexidade, envolvendo a execução qualificada de trabalhos relativos à educação alimentar, nutrição e dietética, bem como a participação em programas voltados para a saúde pública.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Realizar inquéritos sobre hábitos alimentares, considerando os seguintes fatores: a caracterização da área pesquisada (aspectos econômicos e recursos naturais); condições habitacionais (características de habitação, equipamento doméstico, instalações sanitárias); e o consumo de alimentos (identificação, valor nutritivo, procedência, custo e método de preparação); proceder à avaliação técnica da dieta comum das atividades e sugerir medidas para sua melhoria; participar de programas de saúde pública, realizando inquéritos clínico-nutricionais, bioquímico e somatométricos; fazer a avaliação dos programas de nutrição em saúde pública; pesquisar informações técnicas específicos e preparar para divulgação, informes sobre: noções de higiene da alimentação; orientar para melhor aquisição de alimentos, qualitativa e quantitativamente, e controle sanitário dos gêneros adquiridos pela comunidade; participar da elaboração de programas e projetos específicos de nutrição e de assistência alimentar de grupos vulneráveis da população; sugerir adoção de normas, padrões e métodos de educação e assistência alimentar, visando à proteção materno-infantil; elaborar cardápios normais e dieterápicos; verificar, no prontuário dos doentes, a prescrição da dieta, dados pessoais e resultado de exames de laboratório, para estabelecimento do tipo de dieta, distribuição e horário da alimentação de cada um; fazer a previsão do consumo dos gêneros alimentícios e providenciar a sua aquisição, de modo a assegurar a continuidade dos serviços de nutrição, inspecionar os gêneros estocados e propor os métodos e técnicas mais adequadas à conservação de cada tipo de alimento; adotar medidas que assegurem preparação higiênica e a perfeita conservação dos alimentos; controlar o custo médio das refeições servidas e o custo total dos serviços de nutrição; orientar serviços de cozinha, copa e refeitório na correta preparação e apresentação de cardápios; emitir pareceres sobre assuntos de sua competência; orientar, coordenar e supervisionar trabalhos a serem desenvolvidos por equipes auxiliares; executar outras tarefas correlatas.

CONDIÇÕES DE TRABALHO :

a) Horário: período normal de trabalho de 20 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Diploma/certificado devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior de nutrição, com registro no conselho competente.

OFICIAL DE ALMOXARIFADO

SÍNTESE DE DEVERES: Controlar o estoque, entrada e saída de materiais do Departamento de Almoxarifado.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Compete atuar como elemento de ligação entre a Unidade (Secretarias) e o Departamento de Almoxarifado. Operacionalizar a entrada e saída de materiais em meio eletrônico e/ou manual (se necessário), mantendo eficientemente o controle de materiais, mantendo informações de estoque atualizado em arquivos magnéticos, fiscalizar as condições para não deterioração e reposição dos produtos estocados, relatórios sobre a qualidade dos produtos adquiridos e da quantidade fornecida mediante comparativo com a nota de empenho.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Carga horária semanal de 40 horas.

b) Nível de Escolaridade: Ensino Médio Completo.

OPERADOR DE MÁQUINA LEVE

SÍNTESE DOS DEVERES: Operar tratores agrícolas e máquinas e tratores de porte pequeno.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Realizar com zelo e perícia os trabalhos que lhe forem confiados; abrir valetas e cortar taludes; prestar serviços de reboque, realizar serviços agrícolas com tratores; dirigir máquinas e equipamentos rodoviários leves; proceder ao transporte de aterros; efetuar ligeiros reparos, quando necessário; providenciar o abastecimento de combustível, água e lubrificantes nas máquinas sob sua responsabilidade; zelar pela conservação e limpeza das máquinas sob sua responsabilidade; comunicar ao seu superior qualquer anomalia no funcionamento da máquina; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PRA PROVIMENTO :

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais;

B) Nível de Escolaridade: Fundamental Incompleto com, carteira de habilitação profissional categoria "C"

OPERADOR DE MÁQUINA PESADA

SÍNTESE DOS DEVERES: Operar máquinas rodoviárias e tratores pesados.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Realizar com zelo e perícia os trabalhos que lhe forem confiados; executar terraplanagem, nivelamentos e abaulamentos; operar com rolo compressor; dirigir máquinas e proceder ao transporte de aterros; efetuar ligeiros reparos quando necessários; providenciar o abastecimento de combustível, água e lubrificante na máquina sob sua responsabilidade; zelar pela conservação e limpeza das máquinas sob sua responsabilidade; comunicar ao seu superior qualquer anomalia no funcionamento da máquina; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Incompleto, com carteira de habilitação profissional categoria "C"

OPERADOR DE USINA DE ASFALTO

SÍNTESE DOS DEVERES : Executar os serviços da usina de asfalto, bem como o preparo dos materiais necessários para serviços de pavimentação asfáltica.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: Dirigir, orientar e coordenar a distribuição dos serviços na usina asfáltica; orientar e fiscalizar o uso de máquinas, veículos e equipamentos utilizados na fabricação do asfalto; dosar e preparar os materiais necessários para pavimentação asfáltica; providenciar a recuperação de máquinas, veículos e equipamentos; operar máquinas, veículos e equipamentos quando houver necessidade; adotar medidas preventivas contra acidente de trabalho; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais.

b) Ensino Fundamental incompleto

OPERÁRIO

SÍNTESE DOS DEVERES: carregar e descarregar veículos em geral; transportar, arrumar e levar mercadorias, materiais de construção e, geral e outros; fazer mudanças, proceder abertura de valas ; efetuar serviços de capina em geral; varrer, levar e remover o lixo e detritos das ruas e prédios municipais; proceder a limpeza de oficinas, baias, cocheiras e depósitos de lixo e detritos orgânicos, inclusive gabinetes sanitários públicos ou em prédios municipais, cuidar dos sanitários; recolher o lixo a domicílio, operando caminhões de asseio público; auxiliar em tarefa de construção, calçamento e pavimentação em geral; preparar argamassa; auxiliar no recebimento, entrega, pesagem e contagem de materiais; auxiliar em serviços de abastecimento de veículos; cavar sepulturas e auxiliar no sepultamento; aplicar inseticidas e fungicidas; auxiliar em serviços simples de jardinagem, cuidar de árvores frutíferas; proceder a apreensão de animai soltos nas vias públicas; quebrar e britar pedras; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais; b) Nível de Escolaridade: Alfabetizado

PEDAGOGO

SÍNTESE DOS DEVERES: Executar atividades específicas de planejamento, administração, supervisão escolar e orientação educacional no âmbito da Rede Municipal de Ensino.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES:

ATIVIDADES COMUNS - assessorar no planejamento da educação municipal; propor medidas visando ao desenvolvimento dos aspectos qualitativos do ensino; participar de projetos de pesquisa de interesse do ensino; participar na elaboração, execução e avaliação de projetos de treinamento, visando à atualização do Magistério; integrar o colegiado escolar, atuar na escola, detectando aspectos a serem redimensionados, estimulando a participação do corpo docente na identificação de causas e na busca de alternativas e soluções; participar da elaboração do Plano Global da escola, do Regimento Escolar e das Grades Curriculares; participar da distribuição das turmas e da organização da carga horária; acompanhar o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem; participar das atividades de caracterização da clientela escolar; participar da preparação, execução e avaliação de seminários, encontros, palestras e sessões de estudo, manter-se atualizado sobre a legislação do ensino, prolatar pareceres; participar de reuniões técnica-administrativa-pedagógicas na escola e nos demais órgãos da Secretaria Municipal de Educação; integrar grupos de trabalho e comissões; coordenar reuniões específicas; planejar, junto à direção e professores, a recuperação de alunos; participar no processo de integração família-escola-comunidade; participar da avaliação global da escola; exercer função de diretor ou vice-diretor, quando nela investido.

NA ÁREA DA ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL - elaborar o Plano de Ação do Serviço de Orientação Educacional, a partir do Plano Global da escola; assistir às turmas realizando entrevistas e aconselhamentos, encaminhando, quando necessário, a outros profissionais; orientar o professor na identificação de comportamento divergentes dos alunos, levantando e selecionando em conjunto, alternativas de solução a serem adotadas; promover sondagem de aptidões e oportunizar informação profissional; participar da composição, caracterização e acompanhamento das turmas e grupos de alunos; integrar o processo de controle das unidades escolares, atendendo direta ou indiretamente às escolas; sistematizar as informações coletadas necessárias ao conhecimento global do educando; executar tarefas afins.

NA ÁREA DE SUPERVISÃO ESCOLAR - coordenar a elaboração do Plano Global da escola; coordenar a elaboração do Plano Curricular; elaborar o Plano de Ação do Serviço de Supervisão Escolar, a partir do Plano Global da escola; orientar e supervisionar atividades e diagnósticos, controle e verificação do rendimento escolar; assessorar o trabalho docente quanto a métodos e técnicas de ensino; assessorar a direção na tomada de decisões relativas ao desenvolvimento do Plano Curricular; acompanhar o desenvolvimento do trabalho escolar; elaborar e acompanhar o cronograma das atividades docentes; dinamizar o currículo da escola; colaborando com a direção no processo de ajustamento do trabalho escolar às exigências do meio; coordenar conselhos de classe; analisar o histórico escolar dos alunos com vistas a adaptações, transferências, reingressos e recuperações; integrar o processo de controle das unidades escolares, atendendo direta ou indiretamente as escolas, estimular e assessorar a efetivação de mudanças no ensino; executar tarefas afins.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO: Carga horária semanal de 30 (trinta) horas.

Nível de Escolaridade: Instrução formal: Habilitação legal para o exercício do cargo e experiência mínima de 02 (dois) anos de docência comprovada, exercida em instituições legalmente reconhecidas. Com formação em curso superior de graduação em pedagogia ou pós-graduação e habilitação específica para o exercício das funções de apoio técnico-administrativo-pedagógicas.

d) EDUCAÇÃO ESPECIAL - realizar atendimentos em sala de aula aos alunos com deficiência auditiva, visual ou intelectual. Elaborar, executar e avaliar o Plano de Trabalho, contemplando: a identificação das habilidades e necessidades educacionais específicas dos alunos; a definição e organização das estratégias, serviços e recursos pedagógicos e de acessibilidade; o tipo de atendimento conforme as necessidades educacionais específicas dos alunos; e o cronograma do atendimento e a carga horária, individual ou em pequenos grupos. Implementar, acompanhar e avaliar a funcionalidade e a aplicabilidade dos recursos pedagógicos e de acessibilidade, na sala de aula e em demais ambientes da escola. Produzir materiais didáticos e pedagógicos acessíveis, considerando as necessidades educacionais específicas dos alunos e os desafios que este vivencia no ensino comum, a partir dos objetivos e atividades propostas no currículo. Estabelecer articulação com os professores da sala de aula, visando à disponibilização dos serviços e recursos e o desenvolvimento de atividades para a participação e aprendizagem dos alunos nas atividades escolares. Orientar os professores e as famílias sobre os recursos pedagógicos e de acessibilidade utilizados pelo aluno de forma a ampliar suas habilidades, promovendo sua autonomia e participação. Desenvolver atividades de acordo com as necessidades educacionais específicos dos alunos, tais como: Ensino de Língua Brasileira de Sinais como segunda língua; Ensino da Língua Portuguesa como segunda língua para alunos com deficiência auditiva ou surdez; Ensino de informática acessível; Ensino de Sistema Braille; Ensino do uso do soroban; Ensino das técnicas para a orientação e mobilidade; Ensino do uso dos recursos de Tecnologia Assistiva (TA); Ensino da Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA)

REQUISITOS PARA PROVIMENTO

Carga horária semanal de 25 (vinte e cinco) horas.

Nível de Escolaridade: Pedagogia com habilitação e/ou especialização em Educação Especial e/ou Pedagogia com Especialização em Educação Especial.

PEDREIRO

SÍNTESE DOS DEVERES: Executar trabalhos de construção e reconstrução de obras e edifícios públicos, na parte referente a alvenaria.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES: efetuar a localização de pequenas obras; fazer alicerces; levantar paredes de alvenaria; fazer muros de arrimo; trabalhar com instrumentos de nivelamento e prumo; construir bueiros, fossas e pisos de cimento; fazer orifícios em pedras, acimentadas e outros materiais; proceder e orientar a preparação de argamassa para junções de tijolos ou para reboco de paredes; preparar e aplicar caiações em paredes; fazer blocos de cimento; mexer e colocar concreto em formas e fazer artefatos de cimento; assentar marcos de portas e janelas; colocar azulejos e ladrilhos; armar andaimes; fazer reparos em obras de alvenaria; instalar aparelhos sanitários; assentar e recolocar tijolos, tacos, lambris e outros; trabalhar com qualquer tipo de massa a base de cal, cimento e outros materiais de construção; operar com instrumentos de controle de medidas; cortar pedras; orientar e fiscalizar os serviços executados pelos ajudantes e auxiliares sob sua direção; dobrar ferro para armações de concretagem; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário : período normal de trabalho de 44 horas semanais.

PROFESSOR

SÍNTESE DOS DEVERES: Orientar a aprendizagem do aluno; participar no processo de planejamento das atividades da escola; organizar as operações inerentes ao processo de ensino-aprendizagem; contribuir para o aprimoramento da qualidade do ensino.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Planejar e executar o trabalho docente; levantar e interpretar dados relativos à realidade de sua classe; estabelecer mecanismos de avaliação; constatar necessidades e carências do aluno e propor o seu encaminhamento a setores específicos de atendimento; cooperar com a coordenação pedagógica e orientação educacional; organizar registros de observações do aluno; participar de atividades extraclasses; coordenar a área do estudo; integrar órgãos complementares da escola; participar, atuar e coordenar reuniões e conselhos de classe; executar tarefas afins

CONDIÇÕES DE TRABALHO:

Carga horária semanal de 25 horas e/ou 30 horas.

PROGRAMADOR DE SISTEMAS

SÍNTESE DOS DEVERES : Elaborar programas de computação, baseando-se nos dados fornecidos pela equipe de análise e estabelecendo os diferentes processos operacionais para permitir o tratamento automático de dados.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES : Estudar os objetivos do programa, analisando as especificações e instruções recebidas, para verificar a natureza e fontes dos dados de entrada que vão ser tratados e esquematizar a forma e fluxo do programa; elaborar fluxograma lógicos e detalhados, estabelecendo a sequência dos trabalhos de preparação dos dados e tratar as operações do computador e levando em consideração as verificações internas e outras comprovações necessárias, para atender às necessidades estabelecidas; converter os fluxogramas em linguagem de máquina, utilizando formulário de codificação, para possibilitar sua compilação; dirigir ou efetuar transcrição do programa em uma forma codificada, utilizando simbologia própria e simplificando rotinas, para obter instruções de processamento apropriados ao tipo de computador empregado; realizar experiências, empregando dados de amostra do programa desenvolvido, para testar a validade do mesmo e efetuar as modificações oportunas; preparar manuais, instruções de operação e descrição dos serviços, listagem, gabaritos de entrada e saída e outros informes necessários sobre o programa, redigindo e ordenando os assuntos e documentos pertinentes, para instruir operadores e pessoal de computador e solucionar possíveis dúvidas; modificar programas, alterando o processamento, a codificação e demais elementos, para aperfeiçoá-los, corrigir falhas e atender a alterações de sistema ou necessidades novas; projetar cartões, formulários, registros de fichas magnéticas e outros elementos dos programas; estimar tempos e custos da programação; especializar-se em determinado tipo de programação a ser designado de acordo com a especialização.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário : período normal de trabalho de 40 horas semanais;

b) Nível de Escolaridade : Ensino Médio na área de Informática, com experiência profissional comprovada, através de declaração do Órgão empregador da área de desenvolvimento de sistemas, de no mínimo, doze meses, na função de programação, em implementação de projetos de sistemas integrados (web-sites). Programação para sistemas em ambientes web; linguagens de programação: PHP, HTML, xHTML, Javascript, AJAX; Banco de Dados: PostgresSQL (instalação e configuração em ambiente Linux), MySQL (instalação e configuração em ambiente Linux); Conhecimentos de : Comandos SQL, Rede de Computadores; Ambientes: Windows e Linux.

PSICOPEDAGOGO

O profissional Psicopedagogo deverá atuar no tratamento de transtornos de aprendizagem, mentais e emocionais, tais como: dislexias (incapacidade de aprender a ler de um indivíduo que possui capacidade intelectual necessária), dislalia (transtorno funcional primário que corresponde ao atraso da fala, à linguagem "bebê"), apraxias (incapacidade de executar os movimentos apropriados a um determinado fim, conquanto não haja paralisias), disfasias/audiomudez (transtornos raros da evolução da linguagem), ecolalia (repetição da fala do interlocutor), disortografia (escrita com erros de que tratamos, pode ser o primeiro ou o único achado de exame em caso de dislexia leve não examinado logo no início, podendo ter havido, mas já desaparecido, as dificuldades à leitura), afasia (é a perda parcial ou total da capacidade de linguagem, de causa neurológica central decorrentes de AVC (Acidente Vascular Cerebral), lesões cerebrais nas áreas da fala e linguagem), disfasia (transtorno da linguagem-afasia congênita), hiperatividade, deficiência mental, desenvolvimento psicomotor, sexualidade. Diagnostica, orienta, atende em tratamento e investiga os problemas emergentes nos processos de aprendizagem. Esclarece os obstáculos que interferem para haver uma boa aprendizagem. Favorece o desenvolvimento de atitudes e processos de aprendizagem adequados. Realiza o diagnóstico-psicopedagógico, com especial ênfase nas possibilidades e perturbações da aprendizagem; esclarecimento e orientação daqueles que o consultam; a psicopedagogia no campo clínico emprega como recurso principal a realização de entrevistas operativas dedicadas a expressão e a progressiva resolução da problemática individual e/ou grupal daqueles que a consultam.

REQUISITOS PRA PROVIMENTO:

Carga Horária: 20 horas semanais.

Nível de Escolaridade: Graduação em Licenciatura, Pedagogia e Pós-Graduação em Psicopedagogia

SECRETÁRIO DE ESCOLA

SÍNTESE DOS DEVERES: Atividade de nível médio de relativa complexidade, envolvendo a execução de tarefas próprias de secretários de estabelecimento de ensino.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Supervisionar os serviços de Secretaria de estabelecimento de ensino, de acordo com a orientação do diretor; manter atualizados os assentamentos referentes ao corpo docente; manter cadastro dos alunos; manter em dia a escrituração escolar do estabelecimento; organizar e manter atualizados prontuários de legislação referentes ao ensino; prestar informações e fornecer dados referentes ao ensino às autoridades escolares; extrair certidões; escriturar os livros, fichas e demais documentos que se refiram às notas e médias dos alunos, efetuando em época hábil os cálculos de apuração dos resultados finais; preencher boletins estatísticos; preparar ou revisar efetividade, listas de exames, etc.; colaborar na formação de horários; preparar o material referente à realização de exames; arquivar recortes e publicações de interesse para o estabelecimento de ensino; lavrar e assinar atos em geral; elaborar modelos de certificado e diplomas a serem expedidos pela escola; receber e expedir correspondência; elaborar e expedir boletins de notas, histórico escolar, etc.; lavrar termos de abertura e encerramento dos livros de escrituração escolar; redigir e subscrever, de ordem da direção, editais de chamada para exames, matrículas, etc.; encarregar-se da publicação e controle de avisos em geral; executar outras tarefas semelhantes.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 40 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Ensino Médio completo.

SOLDADOR

SÍNTESE DOS DEVERES : Executar serviços de soldagem em geral.

EXEMPLOS DE ATRIBUIÇÕES : Executar diferentes tipos de soldas em chapas, peças de máquinas, lâminas de escarificação e peças de veículos, chassis, carcaças de motores, radiadores e rodas motrizes, esteiras, pinos, molas, etc.; executar soldas comuns, elétricas e a oxigênio; manejar maçaricos e outros instrumentos e soldagem; preparar as superfícies a serem soldadas; cortar metais por meio de chama doas aparelhos de solda; executar reforços de solda de ferro, aço, ferro fundido e outros metais; fazer solda elétrica e, caldeiras e tanques metálicos; soldar pontas de eixo, pinos, engrenagens, mancais, etc., zelar pela conservação dos equipamentos e pela limpeza dos locais de trabalho; executar tarefas afins.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Nível Fundamental Incompleto.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM

SÍNTESE DOS DEVERES: Prestar assistência ao enfermeiro, prestar cuidados integrais a pacientes em unidades de maior complexidade técnica, sob a supervisão do enfermeiro, tais como: Centro Cirúrgico, Emergência, Hematologia, Hemodinâmica, Hemodiálise, Neonatologia, Obstetrícia, Oncologia, Sala de Recuperação Pós-anestésica, Urgência, Unidades de Terapia Intensiva e Unidade Intermediária.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Executar tratamentos prescritos e de rotina, nas unidades de internação sob a supervisão do enfermeiro, tais como: preparo da pele para cirurgia; aspiração do trato respiratório; cuidados com traqueotomia (aspiração, higiene, curativo e troca de cadarço); cuidados e administração de dieta por sondas; remoção de sondas (gástrica, entérica e vesical); controle e cuidados com NPT - Nutrição Parenteral Total; colocação de sonda retal; instalação de soro para irrigação vesical contínua; enema por colostomia; troca de bolsa de ostomias; medir drenagem e refazer vácuo dos drenos; retirada de drenos simples de vácuo; curativos em flebotomia, catéter subcávia, "shunt" anteriovenoso, diálise peritonial; punção intravenosa por cânula com mandril; executar tarefas referentes à conservação, validade e aplicação de vacinas; realizar e proceder a leitura de testes para aferição de glicemia capilar; realizar o fechamento parcial do controle hídrico; verificar e anotar a PVC - Pressão Venosa Central; limpeza, montagem e troca dos circuitos e filtros dos respiradores; executar atividades correlatas determinadas pelo enfermeiro responsável pela unidade de serviço.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

Horário: 40 horas semanais.

Nível de Escolaridade: Ensino médio completo, com curso técnico em enfermagem e registro no COREN.

TÉCNICO DE RAIO X

SÍNTESE DOS DEVERES: Realizar procedimentos para geração de imagem através da operação dos equipamentos específicos, observando rigorosa e permanentemente as normas legais de proteção radiológica.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Executar todas as técnicas de exames gerais e especiais de competência do técnico, exceto as que devem ser realizadas pelo próprio radiologista; fazer radiologias, revelar e ampliar filmes e chapas radiográficas; fazer levantamentos toráxicos através do sistema de abreugrafias; preparar pacientes a serem submetidos a exames radiográficos, usando a técnica específica para cada caso; anotar na ficha própria todos os dados importantes relativos ao radiodiagnóstico, informando ao radiologista quaisquer anormalidades ocorridas; operar com aparelhos de Raio X para aplicar tratamento terapêutico; trabalhar com câmaras claras e escuras identificando os exames; manipular substâncias de revelação e fixação de filmes e chapas reprográficas; identificar rigorosamente os pacientes; comunicar qualquer anormalidade ou falha no funcionamento da aparelhagem de Raio X e acessórios e zelar pela sua conservação; propor normas par arquivamento de filmes, chapas e diagnóstico; colaborar na organização, orientação e execução de cursos e treinamentos de pessoal auxiliar ; requisitar e controlar material e medicamentos necessários à realização de exames radiográficos; orientar, coordenar e supervisionar trabalhos a serem desenvolvidos por auxiliares; executar outras tarefas correlatas

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

Horário: 06 horas por dia, com uma folga semanal.

Nível de Escolaridade: Ensino médio completo, com curso técnico em radiologia e registro no COREN.

VETERINÁRIO

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Proceder na inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal, em todo território do Município de Tramandaí, em relação às condições higiênico-sanitárias a serem preenchidas pelos matadouros, indústrias e estabelecimentos comerciais, que se dediquem ao abate, industrialização e comércio de carnes e demais produtos de origem animal no comércio municipal, bem como na classificação dos estabelecimentos; as condições e exigências para registro; a higiene dos estabelecimentos; a inspeção "ante" e "post-mortem" dos animais destinados ao abate; a inspeção e (re)inspeção de todos os produtos, subprodutos e matérias-primas de origem animal durante as diferentes fases de industrialização; padronização dos produtos industrializados de origem animal; o registro de rótulos; as análises de laboratórios; o trânsito de produtos, subprodutos e matérias-primas; a carimbagem de carcaças e cortes de carnes, bem como a identificação e demais dizeres a serem impressos nas embalagens de outros produtos de origem animal; quaisquer outros detalhes que se tornarem necessários para maior eficiência da inspeção sanitária dos produtos de origem animal; atendimento clínico dos animais recolhidos ao curral municipal

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho 20 (vinte) horas semanais.

b) Nível de Escolaridade: Diploma/certificado de curso superior em Medicina Veterinária, com registro no Conselho competente.

VIGIA

SÍNTESE DOS DEVERES: Realizar atividades rotineiras, envolvendo a execução de trabalhos de supervisão relacionados com a conservação e a segurança dos prédios.

EXEMPLO DE ATRIBUIÇÕES: Fazer ronda de inspeção em intervalos fixados, adotando providências tendentes a evitar roubos, incêndio e danificações nos edifícios e materiais sob sua guarda; fiscalizar a entrada e saída de pessoas e veículos pelos portões ou portas de acesso ao local que estiver sob sua responsabilidade; verificar as autorizações para o ingresso nos referidos locais e vedar a entrada as pessoas não autorizadas; verificar se as portas e as janelas estão devidamente fechadas; investigar qualquer condição anormal que tenha observado; responder as chamadas telefônicas e anotar recados; levar ao conhecimento das autoridades competentes quaisquer irregularidades verificadas; executar outras tarefas correlatas.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO:

a) Horário: período normal de trabalho de 44 horas semanais;

Nível de Escolaridade: Ensino Fundamental Incompleto

ANEXO II - DETALHAMENTO PROVAS OBJETIVAS

Cargos (Nível Alfabetizado): Operário

Disciplina Nº de Questões PONTUAÇÃO Mínimo para Aprovação
Por Questão Total
Língua Portuguesa e Interpretação de Texto 10 4,0 40,0 -
Legislação Municipal 10 3,0 30,0
Conhecimentos Gerais 10 3,0 30,0
TOTAL 30   100,0 50% da pontuação

Cargos (Nível Fundamental Incompleto): Ajudante de Cozinha, Atendente de Creche, Carpinteiro, Cozinheiro, Eletricista, Mecânico de Máquina Pesada, Operador de Máquina Pesada, Operador de Máquina Leve, Operador de Usina de Asfalto, Vigia, Pedreiro, Soldador e Lavadeira.

Disciplina Nº de Questões PONTUAÇÃO Mínimo para Aprovação
Por Questão Total
Língua Portuguesa e Interpretação de Texto 10 4,0 40,0 -
Legislação Municipal 10 3,0 30,0
Conhecimentos Gerais 10 3,0 30,0
TOTAL 30   100,0 50% da pontuação

Cargos (Nível Fundamental Completo): Fiscal de Tributos, Monitor Regente de Banda, Monitor Regente de Coral.

Disciplina Nº de Questões PONTUAÇÃO Mínimo para Aprovação
Por Questão Total
Língua Portuguesa e Interpretação de Texto 10 3,0 30,0 -
Legislação Municipal 05 1,0 5,0
Conhecimentos Gerais 05 1,0 5,0
Conhecimentos Específicos 106,060,0
TOTAL 30   100,0 50% da pontuação

Cargos (Nível Médio e Técnico): Agente de Combate a Endemias, Desenhista Projetista, Auxiliar de Topografia, Motorista, Oficial de Almoxarifado, Fiscal Ambiental, Fiscal Sanitário, Fiscal de Obras e Posturas, Técnico em Radiologia e Secretário de Escola.

Disciplina Nº de Questões PONTUAÇÃO Mínimo para Aprovação
Por Questão Total
Língua Portuguesa e Interpretação de Texto 10 3,0 30,0 -
Legislação Municipal 05 1,0 5,0
Conhecimentos Gerais 05 1,0 5,0
Conhecimentos Específicos 106,060,0
TOTAL 30   100,0 50% da pontuação

Cargos (Nível Superior): Analista de Sistemas, Analista Superior Ambiental, Assistente Social, Bibliotecário, Instrutor de Informática, Programador de Sistemas, Veterinário e Engenheiro Civil, Engenheiro Eletricista e Veterinário.

Disciplina Nº de Questões PONTUAÇÃO Mínimo para Aprovação
Por Questão Total
Língua Portuguesa e Interpretação de Texto 10 3,0 30,0 -
Legislação Municipal 05 1,0 5,0
Conhecimentos Gerais 05 1,0 5,0
Conhecimentos Específicos 106,060,0
TOTAL 30   100,0 50% da pontuação

Cargos (Saúde): Médicos (Cardiologista, Clínico Geral Plantonista, Pediatra Plantonista, Psiquiatra, Traumatologista/Ortopedista, Ginecologista/Obstetra), Técnico de Enfermagem, Enfermeiro, Farmacêutico, Fonoaudiólogo, Nutricionista.

Disciplina Nº de Questões PONTUAÇÃO Mínimo para Aprovação
Por Questão Total
Língua Portuguesa e Interpretação de Texto 10 2,0 20,0 -
Legislação Municipal 05 1,0 5,0
Conhecimentos Gerais 05 3,0 15,0
Conhecimentos Específicos 106,060,0
TOTAL 30   100,0 50% da pontuação

Cargos (Magistério): Psicopedagogo, Pedagogo - Orientação Escolar, Pedagogo - Supervisão Escolar, Pedagogo - Educação Especial, Professor (Educação Infantil, Artes, Educação Física, Espanhol, Geografia, História, Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Séries Iniciais, Ciências)

Disciplina Nº de Questões PONTUAÇÃO Mínimo para Aprovação
Por Questão Total
Língua Portuguesa e Interpretação de Texto 10 2,0 20,0 -
Legislação Municipal 05 1,0 5,0
Conhecimentos Gerais 05 3,0 15,0
Conhecimentos Específicos 106,060,0
TOTAL 30   100,0 50% da pontuação

ANEXO III - CONTEÚDO PROGRAMÁTICOS/BIBLIOGRAFIAS

PORTUGUÊS (COMUM A TODOS OS CARGOS DE NÍVEL ALFABETIZADO): Textos: Interpretação de textos. Significado das palavras. Identificação de vogais, semivogais e consoantes. Identificação de encontros vocálicos e consonantais. Separação de sílabas. Ortografia:Uso do G ou J,H.M ou N, CH ou X e Z.

PORTUGUÊS (COMUM A TODOS OS CARGOS DE NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO): Textos: Interpretação de textos. Significado das palavras. Antônimos e parônimos. Fonética e fonologia: Identificação de vogais, semivogais e consoantes. Letras e fonemas. Identificação de encontros vocálicos e consonantais. Separação de sílabas. Classificação dos vocábulos pelo número de sílabas. Classificação dos vocábulos pela posição da sílaba tônica Classificação das palavras quanto ao número de sílabas. Acentuação gráfica: princípios básicos (regras), classificação das palavras quanto à posição da sílaba tônica. Classe de palavras (classes gramaticais). Tipos de sujeito e predicado.

PORTUGUÊS (COMUM A TODOS OS CARGOS DE NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO): Textos: Interpretação de textos Significado das palavras. Sinônimos e antônimos, homônimos e parônimos. Fonética e fonologia: Identificação de vogais, semivogais e consoantes. Letras e fonemas. Identificação de encontros vocálicos e consonantais. Dígrafos. Separação de sílabas. Classificação dos vocábulos pelo número de sílabas. Classificação dos vocábulos pela posição da sílaba tônica Classificação das palavras quanto ao número de sílabas. Acentuação gráfica: princípios básicos (regras), classificação das palavras quanto à posição da sílaba tônica. Classe de palavras (classes gramaticais). Tipos de sujeito e predicado. Tipos de verbos.

PORTUGUÊS (COMUM A TODOS OS CARGOS DE ENSINO MÉDIO E ENSINO SUPERIOR): Textos: Interpretação de textos Ortografia: Uso das letras. Uso dos acentos gráficos. Pontuação: Uso dos sinais de pontuação. Fonética e fonologia: Letras e fonemas. Identificação de vogais, semivogais e consoantes. Identificação de encontros vocálicos e consonantais. Separação de sílabas. Classificação dos vocábulos pelo número de sílabas. Classificação dos vocábulos pela posição da sílaba tônica. Morfossintaxe: Classes de palavras. Flexão do nome e do verbo.Concordância nominal e verbal. Emprego de pronomes, preposições e conjunções. Relações entre as palavras. Concordância verbal e nominal. Frase (definição, ordem direta e inversa). Oração e período. Termos da oração (sujeito e predicado, predicado verbal,nominal e verbo-nominal, verbos transitivos, intransitivos, de ligação e seus complementos, adjunto adnominal e adverbial). Classificação de orações (coordenadas e subordinadas). Vozes do verbo (ativa, passiva e reflexiva). Colocação dos pronomes oblíquos. Uso da crase. Significação das palavras. Homônimos e parônimos. Sinônimos e antônimos. Linguagem figurada. Identificação e interpretação de figuras de linguagem.

LEGISLAÇÃO MUNICIPAL (COMUM A TODOS OS CARGOS): Lei Orgânica do Município de Tramandaí e todas suas alterações. Regime Jurídico dos Servidores de Tramandaí e todas suas alterações.

CONHECIMENTOS GERAIS: Domínio de tópicos atuais, relevantes e amplamente divulgados, em áreas diversificadas, tais como: Ciências, Política, Economia, Geografia e História do Brasil e do Município, atualidades locais, nacionais e internacionais, noções de cidadania, meio ambiente (ecologia). Sobre o município de Tramandaí: história da cidade, aspecto geográfico, símbolos municipais, dados populacionais e atividades econômicas (disponível em www.tramandai.rs.gov.br/)

LEGISLAÇÃO DA SAÚDE (COMUM A TODOS OS CARGOS DA SAÚDE): BRASIL. Lei n.° 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disposição Preliminar. Título I - Das Disposições Gerais; Título II - Do Sistema Único de Saúde, Disposição Preliminar; Capítulo I - Dos Objetivos e Atribuições, Capítulo II - Dos Princípios e Diretrizes, Capítulo III - Da Organização, Da Direção e Da Gestão, Capítulo IV - Da Competência e das Atribuições, Seção I - Das Atribuições Comuns e Seção II - Da Competência. BRASIL. Lei n.° 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. BRASIL. Lei n.° 10.741, de 10 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. RIO GRANDE DO SUL. Constituição do Estado do Rio Grande do Sul 1989. Título VII - Da Segurança Social, Capítulo III - Da Saúde e do Saneamento Básico, Seção I - Da Saúde. RIO GRANDE DO SUL. Emenda Constitucional n.° 25, de 08 de junho de 1999.

A bibliografia recomendada pode ser encontrada através da Internet nos endereços eletrônicos da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul e do Senado Federal.

CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS, LDB e ECA (COMUM A TODOS OS CARGOS DO MAGISTÉRIO): Educação e Desenvolvimento. Tendências Pedagógicas. Avaliação escolar. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: Da Educação (Arts. 205 a 219). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional- LDBEN - Lei Federal n°. 9.394/96. Da Educação (art. 1°). Dos Princípios e Fins da Educação Nacional (arts. 2° e 3°). Do Direito à Educação e do Dever de Educar (arts. 4° ao 7°). Da Organização da Educação Nacional (arts. 8° ao 20). Da Composição dos Níveis Escolares (art.21). Da Educação Básica (arts. 22 a 31). Do Ensino Fundamental (arts. 32 a 34). Dos Profissionais da Educação (arts. 61 a 67). Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA - Lei Federal n°. 8.069/90: Das Disposições Preliminares (arts. 1° ao 6°). Dos Direitos Fundamentais: Direito à Vida e à Saúde (arts.7° a 14). Direito à Liberdade, ao Respeito e à Dignidade (arts. 15 a 18). Direito à Convivência Familiar e Comunitária - Disposições Gerais (arts. 19 a 24). Direito à Educação, à Cultura, ao Esporte e ao Lazer (arts. 53 a 59). Direito à Profissionalização e à Proteção no Trabalho (arts. 60 a 69). Da Prevenção (arts. 70 a 85).

BIBLIOGRAFIA:

· BRASIL.Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988.

· BRASIL, Lei n° 8.069, de 31 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente.

· BRASIL, Lei n°. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: 1996.

· BRASIL/MEC. Parecer CEB/CNE n°. 04/1998. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental.

· FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

· LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública- A pedagogia crítico-social dos conteúdos.São Paulo: Loyola, 2002.

· HOFFMANN, Jussara. Avaliação Mediadora- Uma prática em construção da pré-escola à universidade.Porto Alegre: Mediação, 2003.

· BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação.São Paulo: Brasiliense, 1985.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA CADA CARGO

AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS: Vigilância Epidemiológica. Diretrizes e Bases da Implantação do SUS/ Política Nacional de Saúde. Constituição da República Federativa do Brasil. Cap. Saúde (Leis n 8080 de 19.09.1990 e n 8142 de 28.09.1990) Dengue: instruções para pessoal de combate ao vetor - Manual de Normas Técnicas. Vigilância epidemiológica e atenção ao doente. Dengue (situação epidemiológica atual, prevenção e controle; diretrizes técnicas do Programa Nacional de Controle da Dengue: capacitação de profissionais. Prevenção e controle da febre amarela, malária. Prevenção e controle de doenças no Brasil). Organização dos serviços de saúde no Brasil: Sistema Único de Saúde - Princípios e diretrizes, controle social; Indicadores de saúde; Sistema de notificação e de vigilância epidemiológica e sanitária; Endemias/epidemias: Situação atual, medidas de controle e tratamento; Planejamento e programação local de saúde, Distritos Sanitários e enfoque estratégico. Ética profissional. Principais zoonoses transmitidas por animais domésticos e/ou de estimação; peridomésticos; de criação e uso doméstico; de origem silvestre; meios de transmissão de doenças; medidas preventivas e de controle; uso de praguicida em saúde pública; toxidade; equipamentos de proteção; recomendações; higienização.

BIBLIOGRAFIA:

· Decreto Estadual n° 23.430, de 24 de outubro de 1974 (Regulamento sobre a promoção e recuperação da saúde)

· Lei 6.503/72 (Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul)

· Planejamento de Políticas Públicas- IPEA- Ministério do Planejamento

· CAMPOS, Gastão Wagner de Souza. A Saúde Pública e a defesa da vida. Editora Hucitec - São Paulo. 1991.

ANALISTA DE SISTEMAS: Gestão de Tecnologia Da Informação: Governança de TI: Visão Geral do modelo de Governança de TI, Ciclo da Governança, Objetivos da Governança de TI, Componentes da Governança Modelos de Melhores Práticas e o Modelo de Governança de TI. Cobit: aspectos gerais, estrutura, conceitos, objetivos, aplicabilidade, benefícios. Modelo de Maturidade CMMI: Conceitos, objetivos, estrutura, visão geral, abordagens, aplicabilidade do modelo e benefícios. ITIL: Conceitos, objetivos, estrutura, aplicabilidade e benefícios. Modelo PMI de Gestão: Objetivos, estrutura, aplicabilidade, benefícios. PMBOK: conceitos de gerenciamento de projetos. Desenvolvimento de Sistemas: Conceitos de programação orientada a objetos: classes, objetos, métodos, sobrecarga, herança, polimorfismo, interfaces. Linguagem Java PL/SQL: variáveis, operadores, expressões, controle de fluxo, tipos enumerados, classes, genéricos e reflexão. Arquitetura Java J2EE, EJB - Enterprise Javabeans, JSF, Framework Struts, Hibernate e JPA. Padrões de projeto. Análise e projeto de sistemas: análise e projeto orientados a objetos, UML, modelos e diagramas, arquitetura em três camadas, arquitetura baseada em componentes e orientada a serviços, webservices, SOAP, WSDL, UDDI. Desenvolvimento de sítios para Internet: usabilidade e acessibilidade na internet, padrões W3C, eLiMag., javascript, HTML, XML (XSLT, XPATH, XPOINTER, DOM, SAX, XML SCHEMA). Arquitetura OLAP, ETL, Data Mining, Data Warehouse. Business Intelligence: Conceitos, Princípios e Processos. Engenharia de Software - Princípios de Engenharia de Software: Conceitos, engenharia de requisitos de software, processos de desenvolvimento de software (processo cascata, processo iterativo), projeto de software orientado a objetos, testes e validação. Padrões de Projeto. Medição e estimativas de projetos de software: análise de pontos de função baseado no manual de métricas do CPM 4.2 LI IFPUG, processo de contagem de pontos de função, tipos de função (funções de dados e funções transacionais), fatores de ajuste. Processo de desenvolvimento de software. Processo Unificado: conceitos gerais do RUP, disciplinas, fases, papéis, atividades, artefatos. Requisitos de Software: casos de uso e diagramas de caso de uso. Análise e Projeto. Implementação, testes e distribuição. Banco de Dados: Conceitos básicos de Banco de Dados: esquema, tabelas, views, sequences, campos, registros, índices, relacionamentos, transação, triggers, stored procedures, tipos de bancos de dados, conceitos de modelagem conceitual e física, MER LI Modelo Entidade x Relacionamento, normalização de dados: conceitos e formas normais. DML: Linguagem de manipulação de Dados. DDL: Linguagem de Definição de Dados. Modelagem Conceitual, modelagem lógica e modelagem física. Conceitos de Banco de dados distribuídos e Cluster de Banco de Dados. Datawarehouse. Business Intelligence, Data Mining, OLAP e ETL. Administração de Banco de Dados Relacionais baseados na plataforma Oracle 10g: Projeto e implantação e SGBDs relacionais. Administração de usuários e perfis de acesso. Controle de proteção, integridade, concorrência e bloqueio de transações. Backup e restauração de dados. Tolerância a falhas e continuidade de operação. Monitoração e otimização de desempenho. Linguagem SQL: conceitos e aplicação de Oracle PL/SQL. Arquitetura de Sistemas Computacionais: Organização e arquitetura de computadores: componentes básicos de hardware e software, sistemas de entrada e saída, sistemas de numeração e codificação, aritmética computacional, arquitetura de computadores RISC e CISC, características dos principais processadores do mercado Sistemas operacionais: arquiteturas, gerenciamento de sistemas de arquivos, características dos sistemas operacionais corporativos da família Windows. Linux: fundamentos, instalação, comandos básicos, administração. Software livre: conceito, tipos de licença. Servidores: Arquiteturas de Storage SAN, NAS e DAS. Serviços DHCP e WINS, Administração de Sistema Operacional Windows Server e Linux. Alta Disponibilidade: Soluções de Armazenamento RAID, SAN, NAS e DAS. Virtualização e Clusterização de servidores. Balanceamento de carga. Contingência e continuidade de operação. Redes de Computadores e Segurança: Comunicação de dados: tipos e meios de transmissão, técnicas básicas de comunicação, técnicas de comutação de circuitos, pacotes e células, topologias de redes de computadores, Internet, Intranet, modelo de referência OSI e arquitetura TCP/IP. Tecnologias e protocolos de redes locais: padrões Ethernet, endereçamento IP, máscara de rede, protocolos (IP, ARP, ICMP, UDP, TCP, FTP, SMTP e SSH), cabeamento estruturado EIA/TIA 568. Elementos de interconexão de redes de computadores (hubs, bridges, switches, roteadores, gateways). Configuração e gerenciamento de serviços de rede Windows e Linux: DNS, DHCP, FTP, servidores WEB, servidores de arquivos, serviço de diretório LDAP. Gerenciamento de redes de computadores: conceitos, protocolo SNMP, agentes e gerentes, MIBs, gerenciamento de dispositivos de rede, servidores e aplicações, Qualidade de Serviço (QoS) . Tecnologias de redes de longa distância: frame relay, ATM e MPLS. Voz sobre IP: conceitos, arquiteturas, protocolos (RTP, RTPC, SIP, H.323, MGCP). Redes sem fio (wireless): conceitos, protocolos (802.1x, EAP, WEP, WPA, WPA2). Gestão de segurança da informação: classificação e controle de ativos de informação, segurança de ambientes físicos e lógicos, controles de acesso, segurança de serviços terceirizados. Política de segurança da informação: processos de definição, implantação e gestão de políticas de segurança e auditoria. Sistemas de Backup: tipos de backups, planos de contingência e meios de armazenamento para backups. Dispositivos de segurança de redes de computadores: firewalls, conceito de DMZ, detectores de intrusão (IDS e IPS), proxies, NAT, sniffers. Ataques a redes de computadores: prevenção e tratamento de incidentes, tipos de ataques (spoofing, flood, DoS, DDoS, phishing). Malwares: vírus de computador, cavalo de tróia, adware, spyware, backdoors, keylogger, worm. Segurança na Internet: virtual private networks, segurança em servidores WWW, SMTP, POP, FTP e DNS. Criptografia:princípios, aplicações, algoritmos simétricos e assimétricos, certificação e assinatura digital. NBR ISO/IEC

17799:2005: estrutura, objetivos e conceitos gerais.

BIBLIOGRAFIA:

· ABREU, V.; FERNANDES, A. Implantando a Governança de TI. 2ª Ed., Rio de Janeiro: Brasport.

· ALVES, W. Delphi 7 Aplicações Avançadas de Banco de Dados. Ed. Érica.

· ANÔNIMO. Segurança Máxima. 2ª ed. Ed. Campus.

· CARMONA, T. Treinamento Profissional em Redes. São Paulo: Digerati Books (Universo dos Livros Ltda.), 2006.

· CARMONA, T. Guia Técnico de Redes de Computadores. São Paulo: Digerati Books.

· CHEN, P. Gerenciando Banco de Dados. Mc Graw Hill.

· DATE, C. J. Introdução a Sistemas de Banco de Dados. Tradução da 7ª Edição Americana, 3ª Tiragem. Rio de Janeiro: Ed. Campus.

· DE FARIA, R. A. Treinamento Avançado em XML. Digerati Books, 2005. DEITEL, H. M.; DEITEL, P. J. Java: Como Programar. Ed. Bookman.

· FALBRIARD, C. Protocolos e Aplicações para Rede de Computadores. São Paulo: Ed. Érica, HAYAMA, M.Montagem de Redes Locais. 5ª edição, ed. Érica, 2004. HELDMAN, K. Gerência de Projetos. Editora Campus.

· KORTH, H.F.; SILBERSCHATZ, A.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Editora Makron Books do Brasil.

· KRUCHTEN, P. Introdução ao RUP Rational Unified Process. Editora Ciência Moderna. LAUDON, K.;

· LAUDON, J.Sistemas de Informação Gerenciais. São Paulo: Ed Prentice Hall. LOBO, E.J.R. Criação de Sites em PHP. Digerati Books.

· MATTOS, E.T. Programação de softwares em Java.Digerati Books.

· MATTOS, E.T. Programação Java para Wireless. Digerati Books.

· MONTEIRO, M. A. Introdução à Organização de Computadores. Ed. LTC.

· MORAZ, E. Curso Essencial de Hardware. Digerati Books.

· MORAZ, E. Treinamento Profissional AntiE]hacker. Digerati Books.

· MORONI, H. Criação de Sites em Ajax. Digerati Books.

· OLIVEIRA, R.; TAVEIRA, G.; BOTINI, J.Estrutura de Dados. Rio de Janeiro: Editora SENAC, 3ª reimpressão, 2003.

· PRESSMAN, R. S. Engenharia de Software, Makron Books.

· RAMOS, R.A. Treinamento Prático em UML. Digerati Books.

· TANEMBAUM, Andrews S. Organização Estruturada de Computadores. Rio de Janeiro: Ed. Campus,

· TANENBAUM. Andrews S. Sistemas Operacionais Modernos, Campus.

· TANENBAUM, A. S. Redes de Computadores. Rio de Janeiro: Ed. Campus.

· TANENBAUM, A. S. Sistemas Operacionais Modernos. Rio de Janeiro: Ed. Campus.

· SEBESTA, R. W. Conceitos de Linguagem de Programação. Ed. Bookman. SENAC.

· Guia Internet de Conectividade. 11ª edição, editora SENAC, 2004.

· SHALLOWAY, A.; TROTT, J.Explicando Padrões de Projeto. São Paulo: Ed. Bookman. SOARES, L. F. G.;

· LEMOS, G.; COLCHER, S. Redes de Computadores: Das LANS, MANS E WANS às Redes ATM. Ed. Campus.

· SOMMERVILLE, I. Engenharia de Software, editora Pearson Education do Brasil.

· TANENBAUM, A. S. Redes de Computadores. Ed. Campus.

· VELLOSO, F. C. Informática Conceitos Básicos, editora Campus.

· YOURDON, E. Análise Estruturada Moderna. Ed. Campus.

ANALISTA SUPERIOR AMBIENTAL: Ecologia: - Conceito; Importância da ecologia; Ecossistemas: conceito; Fluxo de energia; Níveis tróficos; Cadeias e teias alimentares; Produtividade: primária e secundária em ambientes terrestres e aquáticos; Ciclos biogeoquímicos; Decomposição da matéria orgânica; Noções sobre ecossistemas terrestres: Caracterização; Fatores: clima, solo, fatores bióticos, etc. Sucessão ecológica e clímax; - Principais tipos de ecossistema naturais da biosfera (biomas); Principais biomas brasileiros; Noções sobre ecossistemas aquáticos: Ecossistemas marinhos; Ecossistemas lacustres: sistemas lênticos e lóticos; A água: propriedades físicas e químicas e suas implicações ecológicas; Metodologias utilizadas para realização de medidas de variáveis físicas e químicas da água; Alteração nos ecossistemas provocados pelo homem; Poluição aquática: Impactos quantitativos: aterros, drenagem e construção de barragem; Impactos qualitativos: poluição orgânica, térmica, por metais pesados e por agrotóxicos; Poluição aérea; Poluição no solo; Perda da biodiversidade: destruição dos habitats, extinção, fragmentação dos habitats, introdução de espécies exóticas; Fatores limitantes em diferentes ecossistemas: Lei do mínimo; Luz; Temperatura; Água; Fatores químicos; Fatores mecânicos; Fogo; Populações: conceitos; Habitat; Nicho ecológico; Guilda; Comunidades: Conceitos, Organização, Diversidade de espécies - biodiversidade, Importância e distribuição mundial da biodiversidade; Conservação de comunidades: Importância das áreas protegidas; Planejamento de áreas protegidas; Manejo de áreas protegidas; Noções sobre categorias de manejo de áreas protegidas; Legislação Ambiental: Estudo de Impactos Ambientais- EIA e Relatório de Impactos do Meio Ambiente (RIMA); Noções sobre a Lei n° 9.605, Lei de Crimes Ambientais, de 12 de fevereiro de 1998; Resolução n° 20 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) de 18 de j unho de 1986. Ciências do

Ambiente. Projetos Ambientais. Legislação Ambiental. Hidrogeologia. Hidrologia. Geomorfologia e Uso e

Ocupação do Solo. Biomas. Ecossistemas. Geoquímica Ambiental. Climatologia. Avaliação de Impactos

Ambientais. Planejamento e Implantação de Sistemas de Gestão Ambiental. Recuperação de Áreas Degradadas. Pedologia. Análise de Química do Solo, Ar e Água. Hidráulica. Controle de Poluição das Águas. Controle de Poluição Atmosférica. Saúde Pública. Planejamento dos Recursos Hídricos. Obras Hidráulicas.

BIBLIOGRAFIA:

· ALMEIDA, Josimar Ribeiro de. Ciências Ambientais. Rio de Janeiro: THEX Editora, 2008.

· BRASIL. Constituição Federal. CF-88.

· CALLENBACH, Ernest. Ecologia: um guia de bolso. São Paulo: Peirópolis, 2001.

· CUNHA, Sandra Baptista da & GUERRA, Antonio José Teixeira. Avaliação e Perícia Ambiental. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil. 2007. (tinha um erro de digitação no nome da editora, alterar no edital)

· DIAS, Genebaldo Freire. Ecopercepção: um resumo didático dos desafios socioambientais. São Paulo: Gaia, 2004.

· FOGLIATTI, Maria Cristina. Avaliação de impactos ambientais: aplicação aos sistemas de transporte. Rio de Janeiro: Interciência, 2004.

· Fundo Municipal do Meio Ambiente.

· GRANZIERA, Maria Luisa M. Direito de Águas. Ed. ATLAS, 2006.

· GUERRA, Antonio José Teixeira; MARÇAL, Mônica dos Santos. Geomorfologia ambiental. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

· Lei Estadual n° 11.520/00 - Institui o Código Estadual do Meio Ambiente do Estado do Rio Grande do Sul. · Lei Federal 6938/81 Política Nacional Meio Ambiente

· Lei Federal 9433/97 Política Nacional Recursos Hídricos.

· Lei Federal 9605/98 Crimes Ambientais

· Lei Federal 9985/00 Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

· Lei n° 2836/2009 - Política Municipal do Meio Ambiente (disponível em www.tramandai.rs.gov.br/index.php?acao=downloads

· Licenciamento Ambiental do Município de Tramandai.

· MACHADO, P.A.L. Direito Ambiental Brasileiro. 19ª edição. São Paulo: Malheiros Editores, 2011.

· MAGRINI, Alessandra & SANTOS, Marco Aurélio dos. Gestão Ambiental de Bacias Hidrográficas. Rio de Janeiro, RJ. UFRJ, COPPE.

· Resolução CONAMA 01/86.

· Resolução CONAMA 20/86.

· Resolução CONAMA 237/97.

· SÁNCHEZ, Luis Enrique. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2006.

· SANTOS, Rozely Ferreira dos. Planejamento ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004.

· TEIXEIRA, Wilson [et al.]. Decifrando a Terra. 2ª edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009.

· VALLE, Cyro Eyer do; LAGE, Henrique. Meio ambiente: acidentes, lições, soluções. 2ª edição. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2004.

ASSISTENTE SOCIAL: Fundamentos histórico, teórico - metodológico do Serviço Social. O projeto ético-político do Serviço Social e a regulamentação da profissão. Questão social no Brasil. Questão de gênero. A política social e seu processo histórico; políticas setoriais e por segmento: assistência; saúde; saúde mental; previdência; criança e adolescente; educação; idoso; portadores de necessidades especiais. Trabalho e Serviço Social. Pesquisa e Serviço Social. O debate sobre o "terceiro setor". Gestão social, planejamento social, assessoria, consultoria e supervisão.

BIBLIOGRAFIA:

· BARROCO, Maria Lucia Silva. Ética e Serviço Social: Fundamentos Ontológicos. Capítulo 1: Trabalho, ser social e ética. 5.ed. - São Paulo, Cortez, 2007.

· BRASIL. Lei n° 8.069/1990 e alterações/atualizações. Dispõe sobre Estatuto da Criança e do Adolescente, 2010.

· BRASIL. Lei n° 8.742/1993 e alterações/atualizações. Dispõe sobre a organização da Assistente Social e dá outras providências.

· BRASIL. Lei n° 10.741/2003 e alterações/atualizações. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso.

· BRASIL. Resolução n° 109/2009. Dispõe sobre a tipificação nacional dos serviços socioassistenciais e dá outras providências.

· FALEIROS, Vicente de Paula. Estratégias em Serviço Social. Capítulo 2: Acerca do objeto do Serviço Social: uma proposta de construção. 4. ed - São Paulo: Cortez. 2002.

· MOTA, Ana Elisabete [et. al.]. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. Capítulo 5 Serviço Social e Práticas Democráticas na Saúde (Ana Maria Vasconcelos). 2. ed. - São Paulo, Cortez, 2007.

AUXILIAR DE TOPOGRAFIA: Divisões da Topografia. Unidades de medidas Lineares e Angulares. Instrumentos Topográficos em geral. Levantamento topográfico tipos. Distância horizontal e Distância de Nível. Rumo e Azimuk. Coordenadas Topográficas. Cálculo de Poligonais e Áreas. Nivelamento Geométrico. Levantamento Planialtimétrico, Curva de Nível. Desenho Técnico Topográfico. Convencional. Escalas. Formato de Papel

BIBLIOGRAFIA:

· SPARTEL, Lelis. CURSO DE TOPOGRAFIA -.Editora Globo

· BORGEN, Alberto de Campos. EXERCÍCIOS DE TOPOGRAFIA - Editora Edgard Blucher

· BORGEN, Alberto de Campos. Topografia - Vol I, II - Editora Edgard Blucher Ltda

· Normas Técnicas e especificações da ABTN Específicas para cada assunto.

BIBLIOTECÁRIO: A Biblioteca no contexto da Universidade: Funções, objetivos, estrutura, tecnologia, recursos; A biblioteca universitária brasileira; Processo de comunicação e informação científica; Avaliação do INEP. Gestão e Organização de biblioteca universitária: Planejamento estratégico; Estudo de comunidade; Formação e desenvolvimento de coleção; Projetos em unidades de informação; Aquisição planificada e consórcios; Gestão de pessoas; Gestão da qualidade; Gestão de rotinas; Marketing; Fluxos e processos de trabalho em unidades de informação; Organização do espaço físico; Manuais e normas de procedimentos; Formulário e relatórios de atividades; Avaliação Sistema informatizado de gerenciamento de Bibliotecas (Pergamum). Recursos e serviços informacionais: Conceituação, tipologia e características das fontes de informação; Recursos informacionais eletrônicos; Bases de dados; Portais de Pesquisa; Portais de Periódicos; Bibliotecas digitais; Redes e sistemas de informação; Disseminação da informação; Usuários: comportamento, necessidades, demandas, expectativas e usos da informação; Estudos de uso e de usuários; Educação de usuários; Serviço de referência; Circulação Comutação bibliográfica; Normas técnicas brasileiras para documentação (ABNT); Avaliação de serviços. Tratamento, Organização e Recuperação da Informação: Representação descritiva de documentos: padrões de descrição, AACR2 revisão 2002, Formato MARC; Representação temática de documentos: conceitos, processos, instrumentos, produtos; Classificação Decimal Universal; Descrição e representação de conteúdos informacionais na Web Metadados; Fundamentos, ferramentas e estratégias de recuperação da informação.

BIBLIOGRAFIA:

· ALMEIDA, Maria Christina Barbosa de. Planejamento de Bibliotecas e Serviços de informação. Briquet de Lemos/Livros.

· ALMEIDA JUNIOR, Oswaldo Francisco de. Biblioteca Pública: Avaliação de Serviços. Eduel.

· ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6021: informação e documentação: publicação periódica científica impressa: apresentação. Rio de Janeiro.

· ________ . NBR 6022: Informação e documentação: artigo em publicações periódica científica e impressa: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

· _______ . NBR 6023: Informação e documentação: referências - elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

· ______ . NBR 6024: Informação e documentação: numeração progressiva das seções de um documento escrito - apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

· ______ . NBR 6027: Informação e documentação: sumário - apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

· ______ . NBR 6028: Informação e documentação: resumo: - apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

· ______ . NBR 6029: Informação e documentação: livros e folhetos - apresentação. Rio de Janeiro, 2006.

· ______ . NBR 6034: Informação e documentação: índice - apresentação. Rio de Janeiro, 2004.

· ______ . NBR 10518: Informação e documentação: guias de unidades informacionais - elaboração. Rio de Janeiro, 2005.

· _______ . NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos - apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

· _______ . NBR 10719: Apresentação de relatórios técnico-científicos. Rio de Janeiro, 1989.

· _______ . NBR 12676: Métodos para análise de documentos: determinação de seus assuntos e seleção de termos de indexação. Rio de Janeiro, 1992.

· _______ . NBR 14724: Informação e documentação: trabalhos acadêmicos - apresentação. Rio de Janeiro, 2005.

· CAMPELLO, B.S.; CEND.N, B. V.; KREMER, J. M. (Orgs). Fontes de informação para pesquisadores profissionais. UFMG.

· CÓDIGO DE CATALOGAÇÃO ANGLO-AMERICANO: revisão 2002. 2. ed. rev. São Paulo: FEBAB, 2004.

· CONSELHO FEDERAL DE BIBLIOTECONOMIA. Resolução CFB n. 42 de 11 de janeiro de 2002.

· DODEBEI, Vera L.cia Doyle. Tesauro: Linguagem de Representação da Memória Documentária. Interciência. 2002

· DUPAS, Gilberto. Ética e Poder na Sociedade da Informação: De Como a Autonomia Das Novas Tecnologias Obriga a Rever o Mito do Progresso. UNESP. 2001.

· FERREIRA, Margarida M. (Comp. e Org.). Marc 21: Formato condensado para dados bibliográficos. UNESP.

· FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Avaliação da Coleção de Referência nas Bibliotecas. Thesaurus.

· __________ . Textos avançados em referência e informação. Pólis.

· FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL. SISTEMA NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS. A biblioteca pública: administração, organização, serviços. L&PM.

· GROGAN, Denis. A prática do serviço de referência. Briquet de Lemos. .

· LANCASTER, F. Wilfrid. Indexação e resumos: teoria e prática. Briquet de Lemos.

· LUBISCO, N. M. L.; Brandão, L. M. B. Informação e informática. EDUFBA.

· MACIEL, MENDONÇA, M. A. R. Bibliotecas como organizações. Interciência.

· PEROTA, Maria Loures Rocha. Multimeios: seleção, aquisição, processamento, armazenamento, empréstimo. EDUFES.

· RIBEIRO, Antonia Motta de Castro Memória. Catalogação de recursos bibliográficos pelo AACR2R 2002: Anglo-American Cataloguing Rules. Antonia Motta de Castro Memória Ribeiro.

· ROWLEY, Jennifer. A biblioteca eletrônica. Briquet de Lemos.

· TARAPANOFF, Kira. Técnicas para tomada de decisão nos sistemas de informação. Thesaurus.

· VALENTIM, Marta Ligia Pomim. Atuação profissional na área de informação. Pólis.

· VERGUEIRO, Waldomiro. Qualidade em serviços de informação. Arte & Ciência.

· VERGUEIRO, Waldomiro. Seleção de materiais de informação: princípios e técnicas. Briquet de Lemos.

· Código de Ética Profissional.

DESENHISTA PROJETISTA: Desenvolvimento e representação gráfica de projetos de arquitetura: definições de planta de situação, locação (implantação), planta baixa, corte,fachada, elevações. Detalhes construtivos e de elementos em geral. Especificação de materiais; carimbo; linhas de representação; letras e números; escalas; indicação de chamadas; representação de escadas e rampas; representação de coberturas em plantas, cortes e fachadas; cotas; marcação de cortes; ampliação de detalhes; numeração e títulos de desenhos; representação, designação e quadro de portas e esquadrias; representação de materiais. Desenho geométrico e cálculo de áreas. Formatos de papel da série A, tipos de papel e dobramentos de cópias. Caracterização das fases de projeto. Escalas de redução e ampliação. Instrumentos e materiais físicos de utilizados para a elaboração do desenho. Leitura de projetos complementares: projeto estrutural, de instalações elétricas e de iluminação, hidro-sanitário, de segurança, combate a incêndios etc. Leitura e elaboração de desenho de levantamento topográfico e projeto de terraplenagem. Normas Brasileiras de Desenhos Técnicos. Instrumentos de auxilio de desenho em 2D (duas dimensões) por computador: programas de computação gráfica - CAD, configurações e conceitos básicos; comandos de criação de desenhos e visualização; sistemas de coordenadas cartesianas; sistema de coordenadas polares; comandos de modificação; comandos e formatação de dimensionamentos e contagens; inserção e formatação de textos; utilização de bibliotecas e símbolos; utilização e associação de cores de linhas e espessuras de penas; formatação de escalas, plotagem e impressão.

BIBLIOGRAFIA:

· NBR 6409:1997 - Tolerâncias geométricas -Tolerâncias de forma, orientação, posição e batimento - Generalidades, símbolos, definições e indicações em desenho

· NBR 8402:1994 - Execução de caracter para escrita em desenho técnico - Procedimento

· NBR 8403:1984 - Aplicação de linhas em desenhos - Tipos de linhas - Larguras das linhas - Procedimento · NBR 10647:1989 - Desenho técnico - Terminologia BOTELHO, M.H.C. Resistência dos Materiais para Entender e Gostar. Nobel.

· BALDAM, Roquemar; OLIVEIRA, Adriano de; COSTA, Lorenço. AUTOCAD 2010 - Utilizando Totalmente. Editora Érica.

· CULLEN, G. Paisagem Urbana. Edições 70.

· LAMBERTS, R.; DUTRA, L.; PEREIRA, F.O.R. Eficiência Energética na Arquitetura. PW Gráficos e Editores Associados Ltda.

· LYNCH, K. A Imagem da Cidade. Martins Fontes Editora.

· MASCARÓ, J.L.; YOSHINAGA, M. Infra-estrutura urbana. Masquatro Editora.

· MASCARÓ, L. A Iluminação do Espaço Urbano. Masquatro Editora.

· MASCARÓ, L.; MASCARÓ, J.L. Vegetação Urbana. Mais Quatro Editora.

· MATSUMOTO, Élia Yatie. AUTOCAD 2004 - Fundamentos 2D e 3D. Editora Érica.

ENFERMEIRO: Enfermagem clínica nas áreas de saúde da mulher, criança, adulto e idoso, considerando as afecções mais prevalentes em atenção primária em saúde. Promoção e proteção à saúde da criança, da mulher, do adolescente, do adulto e idoso. Assistência de enfermagem à gestação normal, identificando os diferentes tipos de risco. Cuidados de enfermagem ao recém-nascido normal e condução da puericultura. Técnicas de suporte básico de vida. Técnica de realização do exame de Papanicolaou. Autoexame de mama. Cuidados de enfermagem relativa às cirurgias ambulatoriais mais simples. Técnicas de desinfecção e esterilização na atenção básica. Relação das doenças de notificação compulsória no Estado do Rio Grande do Sul. Ações de vigilância epidemiológica na atenção básica. Conhecimento sobre o ciclo vital, a estrutura e a dinâmica familiar. Conhecimento e utilização das principais técnicas de dinâmica de grupo. Promoção de ações de educação em saúde e ações em parceria com a comunidade. Identificação dos problemas de saúde da comunidade, particularizando grupos mais vulneráveis. Desenvolvimento de ações de caráter multiprofissional ou interdisciplinar. Cadastro familiar e delineamento do perfil de saúde de grupos familiares. Gerenciamento de serviços de saúde. Montagem e operação de sistemas de informação na atenção primária à saúde. Organização de arquivo médico. Montagem, orientação e avaliação de sistema de referência e contra-referência. Atuação intersetorial nos vários níveis de atenção à saúde. Estudos de prevalência e incidência de morbi-mortalidade e de indicadores de saúde na população sob sua responsabilidade. Estudos de demanda e de aspectos específicos da unidade, visando sua adequação à clientela. Implementação, controle e avaliação do programa de imunização da unidade. Orientação e implementação de atividades de treinamento de pessoal e educação permanente para a equipe de saúde. Atenção básica à saúde: programa de saúde da família como estratégia de reorientação da atenção básica à saúde. Calendário de vacinação. Pacto pela Saúde.

BIBLIOGRAFIA:

· BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Normas de Vacinação.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manu_normas_vac.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual de Hipertensão arterial e Diabetes mellitus. Brasília, 2002.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/miolo2002.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia para o controle da Hanseníase. 1ª ed. Brasília, 2002.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_de_hanseniase.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Prático do Programa de Saúde da Família - Parte 1. Brasília, 2001.

· Disponível no link: http://dtr2002.saude.gov.br/caadab/arquivos%5Cguia_psf1.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúd. Departamento de Atenção Básica. Guia Prático do Programa de Saúde da Família - Parte 2. Brasília, 2001.

· Disponível no link: http://dtr2002.saude.gov.br/caadab/arquivos%5Cguia_psf2.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Informe da Atenção Básica nº16 - Atuação do Enfermeiro na Atuação Básica. Brasília, 2002.

· Disponível no link: http://dtr2002.saude.gov.br/caadab/informes/psfinfo16.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual Técnico para o Controle da Tuberculose: cadernos de atenção básica. 6ª ed. Brasília, 2002.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_controle_tuberculose.pdf. Ministério da Saúde.

· Departamento de Atenção Básica. Revista Brasileira de Saúde da Família. Brasília. Disponíveis no link: http://bvsms2.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=44&item=99

· BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. SIAB - Manual do Sistema de Informação de Atenção Básica. Brasília, 2000.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ManualSIAB2000.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Saúde dentro de casa: programa de saúde da família.

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde da Criança.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=26

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde da Mulher.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=27

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde do Adolescente e do Jovem.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=30

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde do Idoso.

· Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=31

· BRUNNER, L.S.; SUDDARTH, D. Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgica. Todos os Volumes. Editora Guanabara Koogan.

· CINTRA, E.A. Assistência de enfermagem ao paciente gravemente enfermo. Atheneu.

· MONTEIRO, C.A. Velhos e novos males da saúde no Brasil. A evolução do país e de suas doenças. Hucitec.

· POTTER, P.A.; PERRY, G. Fundamentos de Enfermagem. Guanabara Koogan.

· STUART, G.W. Enfermagem psiquiátrica: princípios e práticas. Artmed.

· VANZIN, A.S. Consulta de enfermagem: uma necessidade social? RM&L.

· WALDOW, V.R. Cuidado humano: o resgate necessário. Sagra Luzzatto.

· Brasil - Ministério da Saúde. Sistema de Planejamento do SUS. Uma Construção Coletiva - Instrumentos Básicos. Brasília/DF. 2 ed. 2009;

· Brasil - Ministério da Saúde. Diretrizes Operacionais - Pactos pela Vida, em defesa do SUS e de Gestão. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 01. Brasília/DF. 2006;

· Brasil - Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 04. Brasília/DF. 2006;

· Brasil - Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 07. 2 ed. Brasília/DF. 2006;

· Brasil - Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 07. 3 ed. Brasília/DF. 2006.

ENGENHEIRO CIVIL: EDIFICAÇÕES: Materiais de construção civil. Componentes de alvenaria - tijolos cerâmicos e blocos vazados. Concreto armado - dosagem, amassamento, lançamento e cura. Argamassas para revestimento - chapisco, reboco e emboço. Aço para concreto armado - tipos de aço e classificação. Tecnologia das edificações. Estudos preliminares. Levantamento topográfico do terreno. Anteprojetos e projetos. Canteiro de obras. Alvenarias de vedação e alvenarias estruturais. Formas para concreto armado. Sistema de formas de madeira. Cobertura das edificações. Telhados cerâmicos - suporte e telha, Instalações elétricas prediais. HIDRÁULICA E SANEAMENTO. 2 - Abastecimento de água. Demanda e consumo de água. Estimativa de vazões. Adutoras. Estações elevatórias. Princípios do tratamento de água. Esgotamento sanitário. Sistemas estáticos para a disposição de esgotos. Rede coletora. Princípios do tratamento de esgotos. Drenagem pluvial. Estimativa de contribuições. Galerias e canais. Limpeza pública. Estimativa de contribuições. Coleta de resíduos sólidos domiciliares. Compostagem. Aterro sanitário e controlado. Instalações hidráulico-sanitárias. Projeto e dimensionamento de instalações prediais de água fria. Projeto e dimensionamento de instalações prediais de esgotos sanitários. Projeto e dimensionamento de instalações prediais de águas pluviais. Projeto e dimensionamento de instalações prediais de combate a incêndio. ESTRUTURAS E GEOTECNIA. Resistência dos materiais. Tensões, deformações, propriedades mecânicas dos materiais, torção, flexão, cisalhamento, linha elástica, flambagem, critérios de resistência. Concreto Armado. Materiais, normas, solicitações normais, flexão normal simples, cisalhamento, controle da fissuração, aderência, lajes maciças e nervuradas, punção, torção, deformações na flexão, pilares. Teoria das Estruturas. Morfologia das estruturas, carregamentos, idealização. Estruturas isostáticas planas e espaciais. Estudo de cabos. Princípio dos Trabalhos Virtuais. Cálculo de deslocamentos em estruturas isostáticas: método da carga unitária. Análise de estruturas estaticamente indeterminadas: método das forças. Análise de estruturas cinematicamente indeterminadas: método dos deslocamentos, processo de Cross. Métodos de energia: teoremas de Castigliano, teoremas de Crotti-Engesser, método de Rayleigh-Ritz. Geotecnia. Mecânica dos solos, fundações.

BIBLIOGRAFIA:

· ABNT NBR 6118:2003 - Projeto de Estruturas de concreto - Procedimento, Rio de Janeiro, RJ, 2003.

· ABNT NBR 6120:1980 - Cargas para o cálculo de estruturas de edificações - Procedimento, Rio de Janeiro, RJ, 1980.

· ABNT NBR 7480:1996 - Barras e fios de aços destinados a armaduras para concreto armado - Especificação, Rio de Janeiro, RJ, 1996.

· AMARAL, O. C.; Estruturas Isostáticas, Belo Horizonte, EE.UFMG

· Araújo, J. M. - Curso de Concreto Armado Vol. 1 a 4, Ed. Dunas, Rio Grande, RS

· AZEREDO, H. A. O edifício até sua cobertura. São Paulo. Editor Edgard Bl· cher

· BAPTISTA, M. B., COELHO, M. M. L. P. Fundamentos de engenharia hidráulica. Belo Horizonte: Editora UFMG, v.1. 440p.

· BARROS, R.T.V., CHERNICHARO, C.A.L., HELLER, L., VON SPERLING, M. Manual de saneamento e proteção ambiental para os municípios. Vol. 1: Saneamento. Belo Horizonte: DESA/UFMG, 221p.

· BORGES, A.C. Prática das pequenas construções. Vol. 1. São Paulo. Editor Edgard Bl· cher

· CREDER, Hélio. Instalações elétricas - Rio de Janeiro: LTC, 2002.

· CREDER, Hélio. Instalações hidráulicas e sanitárias - Rio de Janeiro: LTC, 1991.

· Da Silva Jr., J. F. - Resistência dos Materiais, Edições Engenharia e Arquitetura UFMG, Belo Horizonte , MG

· FALCÃO BAUER, L.A. Materiais de Construção. Vol 2. São Paulo. Editora LTC

· GERE, J. E.Mecânica dos Sólidos - vol. 2, Livros Técnicos e Científicos Editora S. A., Rio de Janeiro, RJ

· GERE, J. M ; Análise de Estruturas Reticuladas, Ed. Guanabara, Rio de Janeiro, RJ

· Hibbeler, R. C - Resistência dos materiais, Ed. Livros Técnicos e Científicos Editora S. A., Rio de Janeiro, RJ

· ORTIGÃO, J A P - Introdução à Mecânica dos Solos.

· PINTO, C S - Curso Básico de Mecânica dos Solos, Oficina de Textos, São Paulo, SP.

· RIPPER,E. Manual prático de materiais de construção. São Paulo. Editora PINI

· Sussekind, J. C. -"Curso de concreto armado", vols. 1.e 2, Ed. Globo, Porto Alegre, RS

· S· SSEKIND, J. C.Curso de Análise Estrutural - vol. 1, Ed. USP, São Paulo, SP

· Tepedino, J. M. - Apostilas: Flexão simples, Flexão normal composta, Lajes e Controle da fissuração Concreto Armado I e II - Apostila de graduação - EE.UFMG

· TIMOSHENCO, S. P. & GERE, J. E.; Mecânica dos Sólidos - vol. 2, Livros Técnicos e Científicos Editora S. A., Rio de Janeiro, RJ

· YAZIGI, W. A técnica de edificar. São Paulo. Editora PINI

ENGENHEIRO ELETRICISTA: I - ENGENHARIA ELÉTRICA. 1) Circuito Elétricos. 1.1) Elementos de circuitos. 1.2) Leis de Kirchhoff. 1.3) Análise nodal e por malha. 1.4) Circuitos em corrente contínua e em corrente alternada. 1.5) Circuitos com acoplamentos. 1.6) Solução de circuitos no tempo e na frequência. 2) Eletromagnetismo. 2.1) Princípios gerais. 2.2) Campos eletrostático, magnetostático e eletromagnetostático. 2.3) Energia, potência, tensão e momentos eletromagnéticos. 2.4) Ondas TEM. 2.5) Reflexão e refração de ondas planas. 2.6) Conversores CC-CC, CC-CA, CA-CC e CA-CA. 2.7) Controle Eletrônico de Máquinas Elétricas. 3) Teoria de Controle. 3.1) Análise e síntese de sistemas lineares escalares, contínuos e discretos, nos domínios do tempo e da frequência. 3.2) Sistemas Lineares. 3.3) Controle Linear. 3.4) Sistemas Digitais. 3.5) Síntese Moderna de Circuitos Modernos. 3.6) Comunicações análogas. 3.7) Conservação de Energia. 3.8) Controle Digital. 3.9) Comunicações Digitais. 3.10) Organização dos Computadores. 3.11) Materiais em Engenharia. 3.12) Comutação Analógica e Digital. 3.13) Microcomputadores. 3.14) Microeletrônica. 3.15) Circuitos de Potência. 3.16) Processamento de Sinais. 3.17) Conversão analógica digital e digital analógica. 4) Princípios de Ciências dos Materiais. 4.1) Características e propriedades dos materiais condutores, isolantes, e magnéticos. 4.2) Materiais estruturais. 5) Máquinas Elétricas. 5.1) Princípios fundamentais de conversão eletromecânica de energia. 5.2) Características, aplicações, princípio de funcionamento, operação, ligações e ensaio de máquinas de corrente contínua (geradores e motores), transformadores (monofásicos e trifásicos), máquinas síncronas e trifásicas (geradores e motores), motores de indução monofásicos e trifásicos. 5.3) Acionamentos elétricos. 6) Subestações e Equipamentos Elétricos. 6.1) Objetivos, custos, localização no sistema, diagramas unifilares básicos, arranjos típicos, tipos de barramento, malhas de terra, sistema auxiliares. 6.2) Equipamentos de manobra em alta tensão: chaves e disjuntores, pára-raios. 6.3) Transformadores de força. 6.4) Manutenção dos equipamentos elétricos. 7) Proteção de Sistemas de Energia. 7.1) Relés e suas funções. 7.1.1) Princípios e características de operação dos relés eletromecânicos. 7.1.2) Tipos básicos de relés. 7.2) Transformadores de corrente e transformadores de potencial. 7.3) Proteção de máquinas elétricas. 8) Proteção de barramentos de baixa tensão domiciliares e industriais. 9) Projetos de instalações prediais e industriais. 10) Orçamentação. 10.1) Composição de custos unitários, parciais e totais: levantamento de quantidades. 10.2) Planejamento e Cronograma físico-financeiro. 11) Informática aplicada a Engenharia (Excel, World, AutoCAD). 12) Fiscalização. 12.1) Acompanhamento da aplicação de recursos (medições, emissão de fatura etc.). 12.2) Controle de materiais elétricos 12.3) Controle de execução de obras e serviços. 12.4) Documentação da obra: diários e documentos de legalização.

BIBLIOGRAFIA:

· AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Tarifação. Disponível em: www.aneel.gov.br. Acesso em: 20 ago. 2008.

· ALMEIDA, Jason Emirick de. Motores Elétricos: Manutenção e Testes. Editora Hemus. 2000.

· BRASIL. Decreto Nº. 99.656, de 26 de outubro de 1990. Dispõe sobre a criação, nos órgãos e entidades da

Administração Federal direta e indireta, da Comissão Interna de Conservação de Energia (Cice), nos casos que menciona, e dá outras providências. Disponível em: www.aneel.gov.br/cedoc/dec199099656.pdf.

· BRASIL. Ministério do Trabalho. NR10 Segurança em instalações e serviços de eletricidade. Disponível em: www.mte.gov.br/legislacao/normas_regulamentadoras/nr_10.pdf.

· CAMINHA, Amadeu Casal. Introdução à Proteção dos Sistemas Elétricos. Editora Edgard Blucher. 2000.

· COTRIN, A. A. M. B. Instalações elétricas. 3.ed. São Paulo: Makron Books, 2003.

· CREDER, Hélio. Instalações Elétricas. Editora LTC. 2000.

· FALCONE, Benedetto. Cursos de Eletrotécnica - Correntes Alternadas e Elementos de Eletrônicas -, Editora Hemus. 2002.

· FRANCHI, Claiton Moro. Acionamentos elétricos. 3.ed. São Paulo: Érica, 2007.

· GUSSOW, Milton. Eletricidade básica. São Paulo: Mcgraw-Hill do Brasil, 1985.

· HELFRICK, A. D.; COOPER, W. D. Instrumentação eletrônica moderna e técnicas de medição. São Paulo: Prentice Hall do Brasil, 1993.

· www.miomega.com.br/nbr5410/html/nova%20norma/protecao%20contra%20choques.htm.

· IRWIN, J. David. Análise de circuitos em engenharia. 4.ed. São Paulo: Makron Books, 2000. -

INDERMANN, G.; CAMPAGNOLO, J. M. Aterramento elétrico. Porto Alegre: Sagra-DC Luzzatto, 1995.

· KOSOW, Irving. Máquinas Elétricas e Transformadore. Editora Globo. 1996.

· LOBOSCO, Orlando S.; DIAS, Luiz Pereira C. Seleção e aplicação de motores elétricos. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1988. (Série Brasileira de Tecnologia).

· MAMEDE, J. F. Proteção de equipamentos eletrônicos sensíveis. São Paulo: Érica, 1997.

· NBR 5410 - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Instalações elétricas de baixa tensão. Disponível em:

· NISKIER, J. Instalações elétricas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

· OLIVEIRA, José C. de, João R. Cogo, J. Policarpo G. de Abreu Transformadores: Teorias e Ensaios. Editora Edgard Blucher. 2003.

· O'MALLEY, J. Análise de circuitos. 2.ed. São Paulo: Makron Books, 1993.

· SCHECHTER, Renato. BrOffice.org. Calc e writer: trabalhe com planilhas e texto em software livre. Campus/Elsevier, 2006.

· TELLES, Reynaldo. Descomplicando a informática para concursos: teoria, prática e questões. Rio de Janeiro/São Paulo: Campus/Elsevier, 2007.

FARMACÊUTICO: Farmácia ambulatorial e hospitalar: seleção de medicamentos, aquisição, produção, padronização, controle de estoque e conservação de medicamentos. Armazenamento: boas práticas de armazenamento de medicamentos, distribuição de medicamentos e controle de consumo. Logística de abastecimento da farmácia: ponto de requisição, estoque mínimo e estoque máximo, informação sobre medicamentos, comissões hospitalares, informática aplicada à farmácia. Controle de infecção hospitalar e farmacovigilância. Fiscalização sanitária, na área de medicamentos e estabelecimentos. Farmacotécnica: definição e objetivos da farmacotécnica, conceitos básicos em farmacotécnica, classificação dos medicamentos, vias de administração, conservação, dispensação e acondicionamento de medicamentos. Pesos e medidas. Formas farmacêuticas. Fórmulas farmacêuticas. Farmacologia geral: princípios gerais de farmacocinética. Princípios gerais de farmacodinâmica. Interações medicamentosas. Efeitos adversos. Controle de qualidade de medicamentos e insumos farmacêuticos. Análises clínicas: Análise bromatológica, fabricação e manipulação de alimentos para resguardo da saúde pública. Análise clínica de exsudados e transudatos humanos como urina, sangue, saliva e demais secreções para fins de diagnóstico. Conceitos: atenção farmacêutica, assistência farmacêutica, medicamentos genéricos, medicamentos similares, medicamentos análogos, medicamentos essenciais. RENAME. Comissão de farmácia e terapêutica. Comissão de controle de infecção hospitalar. Farmacoeconomia e Farmacovigilância.

BIBLIOGRAFIA:

· Ansel, C. Howard. Farmacotécnica - formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 6.ed. Editorial Premier, 2000. 568p.

· Ansel, H.C.; Stoklosa. M; J. Cálculos farmacêuticos. 12 ed. Porto Alegre: Artmed, 2008. 451p. · Aulton, M. E. Delineamento de formas farmacêuticas. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005. 677p. · Brasil. Lei n° 8.080 de 19 de setembro de 1990. D.O.U. de 19.09.90. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes.

· Brasil. Lei n° 8.142 de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS} e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde.

· FONSECA, Almir L. da - INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS - Editora de Publicações Científicas Ltda. - São Paulo; Rio de Janeiro.2ª Edição, 1994.

· Fuchs, F. D.; Wannmacher, L. e Ferreira, M. B. C. Farmacologia Clínica: Fundamentos da · terapêutica racional. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 904p

· GOODMAN & GILMAN - AS BASES FARMACOLÓGICAS DA TERAPÊUTICA. 11 ed. Rio · de Janeiro:MC Graw Hill. 2007. 1821p.

· Korolkovas, A. DICIONÁRIO TERAPÊUTICO. Rio de Janeiro Editora: Guanabara Koogan. 2000. 495p. · Manual de Orientação ao Profissional Farmacêutico.

· Portaria 344/98 - Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. (e demais atos relacionados)

· Portaria 1.886/1997 MS - Aprova as Normas e Diretrizes do Programa de Agentes

· Comunitários de Saúde e do Programa de Saúde da Família (e demais atos relacionados) · Rang, H. P. et al. Farmacologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 904p.

· RDC 44/09 - Boas Práticas Farmacêuticas. (e demais atos relacionados)

· Rey, L. Parasitologia: Parasitos e doenças parasitárias do homem nos trópicos ocidentais. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. 883p.

· ROSENBERG, F.J.; Moraes da Silva, A.B. Sistemas da qualidade em laboratórios de ensaios. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2000.

· Tortora, J. R.; Funke, B. R. e Case, C. L. Microbiologia. 8 ed. Porto Alegre: Artmed. 2005. 894p.

FISCAL AMBIENTAL: Conceito de Meio Ambiente, Meio Ambiente na Constituição, Poluição e contaminação, do ar, água, solo, Técnica de Manejo e Conservação do Solo, Gestão de Unidade de Conservação, Sociedade e Meio Ambiente, Saneamento Ambiental, Poder de Polícia Ambiental, Agrotóxico- uso, produção, transporte e Armazenamento, Agenda 21, Tratado de Kyoto, Conferencia de Estocolmo, Código Florestal (lei 4.771/65), Lei de Política Nacional do Meio Ambiente lei 6.938/81, 9605/98, Decreto Federal 6514/08 e sua alteração decreto 6686/08. Resolução CONAMA 237-98. Gestão de Unidade de Conservação. Dos instrumentos da política nacional e estadual do meio ambiente. Sistema Nacional de Unidades de Conservação - SNUC. Licenciamento ambiental. Resíduos Sólidos. Flora e vegetação. Crimes Ambientais. Infrações Administrativas.

BIBLIOGRAFIA:

· BENJAMIN, A.H.V. (coordenador) Direito Ambiental das áreas protegidas - O Regime Jurídico das Unidades de Conservação. 1ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

· Constituição Federal Brasileira

· Decretos Federais: Decreto n° 99.274, de 06 de junho de 1990 - regulamenta Lei 6938/81; Decreto n° 3.179, de 21 de setembro de 1999 - regulamenta a lei dos crimes e infrações administrativas ambientais. Decreto n° 4.340, de 22 de agosto de 2002 - regulamenta a Lei n° 9.985, de 18 de julho de 2000 - Sistema Nacional de Unidades de Conservação.

· DecretosEstaduais: Decreto n° 38.356, de 01 de abril de 1988 - regulamenta a Lei n° 9.921, de 27/07/93, que dispõe sobre gestão de resíduos sólidos;

· DIAS, Genebaldo Freire. Ecopercepção: um resumo didático dos desafios socioambientais. São Paulo: Gaia, 2004.

· FIORILLO, C.; ANTONIO, P. Curso de Direito Ambiental Brasileiro. 12ª edição. São Paulo: Saraiva Editora, 2011.

· FOGLIATTI, Maria Cristina. Avaliação de impactos ambientais: aplicação aos sistemas de transporte. Rio de Janeiro: Interciência, 2004.

· FREITAS, V.P. de; FREITAS, G.P. de. Crimes Contra a Natureza. São Paulo: Revista dos Tribunais, 8ª edição, 2006

· GUERRA, Antonio José Teixeira; MARÇAL, Mônica dos Santos. Geomorfologia ambiental. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

· Legislação Estadual: Constituição do Estado do Rio Grande do Sul

· Lei n° 2836/2009 - Política do Meio Ambiente (disponível em www.tramandai.rs.gov.br/index.php?acao=downloads )

· Lei n° 6.938, de 31 de agosto de 1981 - Política Nacional do Meio Ambiente.

· Lei n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 - Crimes e Infrações Administrativas contra o Meio Ambiente. · Lei n° 9.985, de 18 de julho de 2000 - Sistema Nacional de Unidades de Conservação.

· Leis Estaduais: Lei n° 9.519, de 21 de janeiro de 1992 - Código Florestal Estadual. Lei n° 10.330, de 27 de dezembro de 1994 - sistema estadual de proteção ambiental - SISEPRA. Lei n° 9.921, de 27 de julho de 1992 - dispõe sobre gestão de resíduos sólidos. Lei n° 11.520, de 03 de agosto de 2000 - Código Estadual do Meio Ambiente. Lei n° 11.362 de 29 de julho de 1999-Introduz as modificações na Lei n°10. 330 de 27 de dezembro de 1994.

· Leis Federais: Lei n° 4.771, de 15 de setembro de 1965 - Código Florestal.

· LEPSCH, Igo F. Formação e conservação dos solos. 2ª edição. São Paulo: Oficina de Textos, 2010. · MACHADO, P.A.L. Direito Ambiental Brasileiro. 19ª edição. São Paulo: Malheiros Editores, 2011.

· Medidas Provisórias: MP n° 2166-67, de 24 de agosto de 2001 - altera o Código Florestal; MP n° 2163-41, de 23 de agosto de 2001 - altera a lei dos crimes e infrações administrativas contra o meio ambiente. MP n° 62, de 22 de agosto de 2002, altera a lei dos crimes e infrações administrativas contra o meio ambiente.

· Normas Técnicas: NBR 10004/2004 - Resíduos Sólidos - Classificação (sem os anexos).

· Resoluções do CONAMA: Resolução CONAMA n° 237, de 19 de dezembro de 1997 - licenciamento ambiental; Resolução CONAMA N° 357, de 17 de março de 2005 - Classificação das águas.

· Resoluções do CONSEMA: Resolução CONSEMA n° 04, de 28 de abril de 2000, Dispõe sobre os critérios para o exercício da competência do Licenciamento Ambiental Municipal, e dá outras providências;

Resolução CONSEMA n° 102, de 24 de maio de 2005 - licenciamento ambiental de impacto local; Resolução CONSEMA n° 110, de 21 de outubro de 2005 - Amplia o rol de atividades da Resolução CONSEMA n° 102/2005; Resolução CONSEMA, n° 128, de 7 de dezembro de 2006 - Padrões de emissão de efluentes líquidos no RS.

· SÁNCHEZ, Luis Enrique. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2006.

· SANTOS, Rozely Ferreira dos. Planejamento ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004.

· SILVA, J.A. da. Direito Ambiental Constitucional. 9ª edição. São Paulo: Malheiros Editores, 2011.

· Sites em que a legislação ambiental pode ser encontrada: www.planalto.gov.br; www.senado.gov.br; www.mma.gov.br; www.fepam.rs.gov.br; www.mp.rs.gov.br; www.riogrande.rs.gov.br.

· TEIXEIRA, Wilson [et al.]. Decifrando a Terra. 2ª edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009.

· VALLE, Cyro Eyer do; LAGE, Henrique. Meio ambiente: acidentes, lições, soluções. 2ª edição. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2004.

FISCAL SANITÁRIO: Saúde pública; práticas médico-sanitárias e ações preventivas; biossegurança; bioética; riscos do trabalho da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde; problemas sanitários, médicos e sociais; epidemiologia; regulamentação e fiscalização da saúde; normas e padrões de interesse sanitário e da saúde; aspectos burocrático-normativos em saúde pública; vigilância sanitária, epidemiológica e da saúde; falhas, defeitos, ilicitudes e riscos na fabricação, transporte, estocagem e comercialização de alimentos, medicamentos e insumos à indústria e comércio; instrumentalização legal e noções de risco em saúde pública; consciência sanitária; sistemas de informação, monitoramento e coleta de dados clínicos e laboratoriais em saúde pública; conceitos e abrangência em saúde pública e vigilância sanitária; conceitos e indicadores de nocividade e inocuidade; modelos assistenciais e vigilância da saúde, normatização e controle de aspectos do meio-ambiente seu uso e preservação; tecnologias em saúde, epidemiologia, fiscalização e vigilância sanitária, epidemiológica e da saúde. Código Sanitário do Município de Tramandaí e todas suas alterações.

BIBLIOGRAFIA:

· ALMEIDA FILHO, Rouquayrol, M.Z.Introdução à Epidemiologia Moderna. RJ: COOPMED/APCE/Abrasco. 2ª ed.

· ARTMANN, E. AZEVEDO, C.S; SÁ, M.C. Possibilidades de Aplicação do enfoque estratégico de planejamento no nível local de saúde: análise comparada de duas experiências. RJ. Caderno de Saúde Pública. 13 (4).

· BRASIL. Lei n° 6437 Configura infrações à Legislação Sanitária Federal. 20 de agosto de 1977 e posteriores alterações

· BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria MS n° 399. Normatiza as atribuições das autoridades sanitárias competentes, na aplicação da Legislação Sanitária e especialmente da Lei n° 6437/77.

· BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual de Coleta de Amostras de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária. RJ: INSQS/ Fiocruz.

· COSTA, E. A. 1999. A Vigilância Sanitária e a Saúde do Consumidor. In: Rouquayrol, M. Z. Almeida Filho, N. A. Epidemiologia e Saúde. RJ: MEDSI. Editora Médico Científica.

· ESTADO. Rio Grande do Sul, Código de Vigilância Sanitária.

· PAIM, J. S. 1994. A Reforma Sanitária e os Modelos Assistenciais. In: Rouquayrol, M. Z. Epidemiologia e Saúde, SP: MEDSI.

· ROSEN, G. 1994. Uma história da Saúde Pública. SP: UNESP/HUCITEC, ABRASCO.

· ROUQUAYROL, M.Z. Epidemiologia e Saúde. RJ: MEDSI.

· TEIXEIRA, C. F. 1993. Planejamento e programação situacional em distritos sanitários. In: Mendes, E. V. Distrito Sanitário: o processo social de mudança das práticas sanitárias do Sistema Único de Saúde. SP: HUCITEC/ABRASCO.

· Lei n° 2061/03 (Dispõe sobre o novo código sanitário do município de Tramandaí e dá outras providências) · Lei Municipal n° 2077/04

· Lei Municipal n° 2463/06

FISCAL DE TRIBUTOS: Sistema Tributário Nacional. Princípios Constitucionais. Competência da União, dos Estados e do Distrito Federal e dos Municípios para instituir tributos. Limitações constitucionais da competência tributária. Normas gerais de Direito Tributário. Tributo. Conceito. Natureza jurídica específica dos tributos. Impostos. Taxas. Contribuições de melhoria. Competência Tributária. Legislação Tributária. Emendas à Constituição, Leis complementares. Leis ordinárias e delegadas. Medidas Provisórias. Decretos Legislativos. Resoluções do Senado. Decretos e Normas Complementares. Vigência, aplicação, interpretação e integração da Legislação Tributária. Relação Jurídica Tributária: Elementos estruturais. Obrigação tributária principal e acessória. Fato gerador. Sujeito Ativo e Passivo. Solidariedade. Capacidade tributária. Domicílio Tributário. Responsabilidade Tributária. Responsabilidade dos Sucessores. Responsabilidade de Terceiros. Responsabilidade por Infrações. Crédito Tributário. Conceito. Constituição. Hipóteses de alteração do lançamento. Modalidades de Lançamento. Suspensão da Exigibilidade do Crédito Tributário. Extinção do Crédito Tributário. Pagamento Indevido. Exclusão do Crédito Tributário. Garantias e Privilégios do Crédito Tributário. Administração Tributária. Fiscalização. Dívida Ativa. Certidões Negativas. O Decreto-Lei 406/68 e suas normas sobre o Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza -ISSQ. Código Tributário do Município de Tramandaí (lei n° 0570/84) e todas duas alterações e Leis Tributárias do Município de Tramandaí

BIBLIOGRAFIA:

· Lei Complementar Federal n° 116/03 - Dispõe sobre o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, de competência dos Municípios e do Distrito Federal, e dá outras providências.

· Lei da Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar n°. 101/00)

· Código Tributário Nacional

· Constituição da República Federativa do Brasil e suas emendas.

· MACHADO, Hugo de Brito. Curso de Direito Tributário. Malheiros.

· Código Tributário do Município de Tramandaí (lei n° 0570/84) com todas suas alterações

· Lei Municipal 0581/85 · Lei Municipal 0687/87 · Lei Municipal 0767/89 · Lei Municipal 0836/90 · Lei Municipal 0909/91 · Lei Municipal 0915/91 · Lei Municipal 0978/92 · Lei Municipal 1054/93 · Lei Municipal 1116/94 · Lei Municipal 1198/95 · Lei Municipal 1220/96 · Lei Municipal 2043/03 · Lei Municipal 2206/04 · Lei Municipal 2208/04 · Lei Municipal 2506/06

FISCAL DE OBRAS E POSTURAS: Poder de Polícia Administrativa. Conceito e Limites. Conceito e Abrangência da Expressão "Posturas Municipais". Legislação urbanística municipal (disposições mínimas do plano diretor ou lei de diretrizes urbanas, código de obras, código de posturas, lei de zoneamento e lei de parcelamento do solo). A atividade do fiscal de obras e posturas diante dos regulamentos administrativos, legislação federal e estadual. Parcelamento do solo (loteamento, desmembramento, fracionamento de lotes, - leis federais n.° 6.766/79 e n.° 10.406-02). Controle de acesso a prédios e serviços públicos e particulares para deficientes, idosos, gestantes e pessoas acompanhadas de crianças de colo (leis federais n.° 10.048-00, n.° 10.098-00; decreto n.° 5.985-04). Ocupação de imóveis públicos (com ou sem construção). Ocupação de imóveis particulares (com ou sem construção). Autorizações e licenças urbanísticas. Conceitos. Distinções. Vigência. Caducidade. Revisão. Renovação. Anulação. Cassação. Efeitos. Alvará de localização (controle urbanístico. Atuação diante de pedido para o exercício de atividade reconhecidamente ilícita). Controle da atividade edilícia. Licença para edificar (conceito, procedimentos, alteração do projeto). Habite-se. Licença para reforma e reconstrução. Licença para demolições. Controle sobre o uso e ordenamento do solo. Sinalização de vias e obras públicas. Patrimônio histórico. Auto de infração: forma/requisitos de validade. Lei de Obras e Posturas do Município de Tramandaí.

BIBLIOGRAFIA:

· Código de Posturas do Município de Tramandaí (Lei 0421/80) e suas alterações.

· Código de Obras do Município de Tramandaí (Lei 0418/80) e suas alterações.

· Lei Municipal 1956/03.

· Lei Municipal 2640/07.

FONOAUDIÓLOGO: Avaliação e tratamento fonoaudiológico dos distúrbios vocais; avaliação das alterações auditivas em adultos e crianças; seleção e adaptação de próteses auditivas; avaliação e intervenção fonoaudiológica nas alterações de linguagem da criança; avaliação e terapia dos desvios fonológicos e fonéticos; avaliação e terapia das disartrias, apraxias e afasias; alterações; das funções estomatognáticas: avaliação e terapia miofuncional; Distúrbios de sucção, deglutição e mastigação em recém nascidos ; lactentes e crianças; avaliação clínica, exames complementares e intervenção fonoaudiológica nas disfagias neurogênicas e mecânicas; ética profissional.

BIBLIOGRAFIA:

· BEHLAU, M.; PONTES, P. Avaliação e Tratamento das Disfonias. Lovise.

· FROTA, S. Fundamentos em Fonoaudiologia - Audiologia. Guanabara Koogan.

· FURKIM, A.M.; SANTINI, C.S. (org.). Disfagias Orofaríngeas. Pró-Fono.

· GOLDFELD, M. Fundamentos em Fonoaudiologia - Linguagem. Guanabara Koogan.

· MARCHESAN, I. Fundamentos em Fonoaudiologia - Aspectos Clínicos da Motricidade Oral. Guanabara Koogan.

· MUNHOZ, M.S.L; CAOVILLA, H.H.; SILVA, M.L.G.; GANANÇA, M.M. Audiologia Clínica. vol.2 - Série Otoneurológica. Atheneu.

· ZORZI, J. A Intervenção Fonoaudiológica nas Alterações da Linguagem Infantil. Revinter.

INSTRUTOR DE INFORMÁTICA: Pacote Office 2000/XP/2003; Internet Explorer; Conceitos em Hardware; conectividade e configuração de ambiente de usuário; Sistemas Operacionais (98/2000/XP/2003): Instalação e configuração; Sistemas de Arquivos; Serviços de rede em ambiente Windows IIS, DNS, WINS, DHCP, Grupos de Usuários e Unidades Organizacionais, Domínios, Sites, Diretivas de Grupo, Backup; Jogos educativos, aplicação e acompanhamento do aluno em softwares educacionais construtivistas e instrucionistas. O uso do computador na Escola, as novas tecnologias, Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação e a formação docente, o papel do Professor na era digital e a utilização da tecnologia como meio de pesquisa e ferramenta no processo de ensino aprendizagem; Sistema Operacional Linux; Ambientes Virtuais de Aprendizagem, Portais de Informação, Bibliotecas Virtuais; Sistemas Multimídia, Linguagem, Multimídia, Hipertexto e Hipermídia.

BIBLIOGRAFIA:

· DOWBOR, Ladislau. Tecnologias Do Conhecimento: Os Desafios Da Educação. Petrópolis: Editora Vozes, 2004.

· DOWBOR, Ladislau e SILVA, Hélio. Desafios da Comunicação. 1e. Petrópolis: Editora Vozes, 2003.

· FAGUNDES, L. C. ; SATO, L. S. ; MAÇADA, D. L. Aprendizes do Futuro : As inovações começaram. 1. ed. Brasília: PROINFO/SEED/MEC, 1999.

· FAGUNDES, L. C. (Org.). Informática e Aprendizagem: pesquisas e experiências. 1e. Brasília: UNESCO/SEMTEC/MEC, 1994.

· GARDNER Howard Inteligências Múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

· GRINSPUN, Mirian (org.). Educação Tecnológica: desafios Cortez, 2001.

· IANNI, Octavio DOWBOR, Ladislau RESENDE, Paulo Edgar A. Desafios Da Globalização.

· 5ª .Petrópolis: Editora Vozes, 2003.

· LÉVY, Pierre. As tecnologias da Inteligência: o futuro do Pensamento na Era da Informática. Rio de Janeiro. Editora 34, 1993.

· LEVY. Pierre. O que é Virtual?. Rio de Janeiro: Editora 34, 1996.

· LEVY, Pierre. A Inteligência Coletiva. São Paulo: Edições Loyola, 1998

· LEVY Pierre. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

· PAPERT. S. Logo: Computadores e Educação. São Paulo: Ed. Brasilinte, 1985.

· SANMYA, Tajra F. Informática na Educação. São Paulo: Ed. Érica, 2007.

· VALENTE, J. A Computadores e Conhecimento: repensando a educação". Campinas: Gráfica da Unicamp, 1993

· VALENTE, J.A. O papel das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem. Artigo no site: www.nied.unicamp.br.

· VALENTE, J.A. Diferentes usos do Computador na Educação. Artigo no site: www.nied.unicamp.br/publicacoes/separatas/Sep1.pdf.

· VALENTE, J.A. O Professor no ambiente Logo: formação e atuação. Campinas: Gráfica da UNICAMP, 1996.

· VALENTE, J.A. Computadores e Conhecimento: Repensando a Educação. Campinas: Gráfica da UNICAMP, 1993.

MOTORISTA: LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO: SISTEMA NACIONAL DE TRÂNSITO - Disposições Gerais; Composição; Competências. NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA - Posicionamento; Preferência; Ultrapassagem; Uso de luzes; Uso de buzinas; Parada e estacionamento; Classificação das vias; Velocidade. PEDESTRES E CONDUTORES DE VEÍCULOS NÃO MOTORIZADOS. SINALIZAÇÃO - Vertical; Horizontal; Luminosa; Sonora; Gestos; Auxiliar. HABILITAÇÃO - Carteira Nacional de Habilitação; Permissão Para Dirigir; Requisitos; Aprendizagem; Exames; Categorias; Expedição. INFRAÇÕES - Tipificação; Caracterização; Classificação; Pontuação. PENALIDADES - Advertência por escrito; Multa; Suspensão do direito de dirigir; Apreensão do veículo; Cassação da Carteira Nacional de Habilitação; Cassação da Permissão Para Dirigir; Participação obrigatória em curso de reciclagem. DIREÇÃO DEFENSIVA. Definição. Elementos da Direção Defensiva. Condições Adversas. Acidentes: tipos; como evitar. Drogas e Medicamentos NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS. Avaliação Primária. Manutenção dos Sinais Vitais. Avaliação Secundária. Procedimentos Emergenciais. Movimentação e Transporte de Emergência.

BIBLIOGRAFIA:

· Lei nº 9.503/97 (Código de Trânsito Brasileiro)

· Manuais de Sinalização de Trânsito - DENATRAN

· Cartilha de Noções Básicas de Primeiros Socorros - DENATRAN

· Cartilha de Direção Defensiva - DENATRAN

MÉDICO CLÍNICO GERAL PLANTONISTA: Epidemiologia, fisiopatologia, diagnóstico, clínica, tratamento e prevenção das doenças: cardiovasculares: insuficiência cardíaca, doença arterial coronariana, arritmias cardíacas, tromboses venosas, hipertensão arterial, choque; pulmonares: insuficiência respiratória aguda e crônica, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonia, tuberculose, tromboembolismo pulmonar; sistema digestivo: neoplasias, gastrite e ulcera péptica, colecistopatias, diarréia aguda e crônica, pancreatites, hepatites, insuficiência hepática, parasitoses intestinais, doenças intestinais inflamatórias, doença diverticular de cólon; renais: insuficiência renal aguda e crônica, glomerulonefrites, distúrbios hidroeletrolíticos e do sistema ácido-base, nefrolitíase, infecções urinárias; metabólicas e sistema endócrinos: hipovitaminoses, desnutrição, diabetes mellitus, hipo e hipertiroidismo, doenças da hipófise e da adrenal: hematológicos: anemias hipocrônicas, macrocíticas e hemolíticas, anemia aplastica, leucopenia, púrpuras, distúrbios de coagulação, leucemias e linfomas, acidentes de transfusão: reumatológicas: orteoartrose, gota, lupus eritematoso sistêmico, artrite infecciosa, doenças do colágeno; neurológicas: coma, cefaléias, epilepsia, acidente vascular cerebral, meningites. neuropatias periféricas, encefalopatias; psiquiátricas: alcoolismo, abstinência alcoólica, surtos psicóticos, pânico, depressão; infecciosas e transmissíveis: sarampo, varicela, rubéola, poliomielite difteria, tétano, coqueluche, raiva, febre tifóide, hanseníase, doenças transmissíveis. AIDS, doença de chagas, esquistossomose, leischimaniose, malária, tracoma, estreptocócicas. estafilocócicas, doença meningocócica, infecção por anaeróbicos, toxoplasmose. viroses: dermatológicas :escabiose, pediculose, dermatofitose, eczema, dermatite de contato, onicomicose. infecção bacteriana; imunológicas: doença do soro, edema, urticária, anafilaxia; ginecológicas: doença inflamatória da pelve, leucorréias, intercorrência no ciclo gravídico puerperal; intoxicações exógenas: barbitúricos, entorpecentes. Conhecimento da legislação e normas clínicas que norteiam as transferências inter-hospitalares. Lei orgânica da saúde. Estrutura, funcionamento e diretrizes do Sistema Único de Saúde. Princípios éticos do exercício da medicina.

BIBLIOGRAFIA:

· DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa; Condutas Clínicas em atenção primária. POA. Artmed, 2004 - seções I e II (pág. 31 a 165).

· CECIL - Tratado de Medicina Interna - 23ª edição.

· Márcia L. F. Chaves, Alessandro Finkelsztejn, Marco Antonio Stefani e cols. Rotinas em neurologia e neurocirurgia. POA, Artmed, 2008 - reimpresso em 2009.

· Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

· Legislação do SUS: Lei 8.080/1990; Lei 8.142/1990; Constituição Federal (artigos 196 a 200). · Cadernos de Atenção Básica do Ministério da Saúde

· Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. - 8. ed. rev. - Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

· Diretrizes e Consensos da Sociedade Brasileira de Cardiologia

· Diretrizes e Consensos da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

· Código de Ética Médica e Resoluções do Conselho Federal de Medicina.

MÉDICO CARDIOLOGISTA: Insuficiência cardíaca. Doença reumática. Doença arterial coronária. Valvulopatias. Miocardiopatias. Endocardiopatias. Doenças do Pericárdio. Cardiopatias Congênitas. Hipertensão arterial sistêmicas. Arritmias cardíacas. Dislipidemias. Terapia trombolítica. Embolia Pulmonar. Cardiopatias e gravidez. Exames complementares em cardiologia. Terapêutica medicamentosa e invasiva em cardiologia (procedimentos e cirurgia cardiovascular).

BIBLIOGRAFIA:

· BRAUNWALD. Tratado de medicina cardiovascular.

· Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

· HURST'S. The heart.

MÉDICO GINECOLOGISTA/OBSTETRA: Propedêutica Clínica ginecológica e Obstetrícia. Modificações do organismo materno determinadas pela gravidez. Pré-Natal: Aspectos clínicos, nutrição, cuidados de higiene e estética. Nutrição e vacinação na gestante. Uso de drogas na gravidez e lactação. Evolução do aparelho genital feminino e fisiologia de ciclo menstrual. Embriologia, Morfologia e Fisiologia Placentária. Endocrinologia do ciclo Grávido-Puerperal. Prática Tocomática: Bacia, Feto e relação uterofetais. Prática Tocomática, Mecanismo do Parto. Contrabilidade uterina - avaliação clínica instrumental de seus parâmetros. Fases clínicas do parto. Assistência ao Parto Normal. Puerpério Normal e Lactação. Anticoncepção. Hemorragia da gestação: Nidação ovular: Aborto: Prenhez Ectópica; Neoplasias Trofoblásticas Gestacionais: Placenta Pélvica deslocamento da placenta normalmente inserida: Rótula Uterina. Propedêutica da avaliação de unidade feto-placentária em gestão de alto risco: Clinica e dosagens laboratoriais: Líquido Amniótico: Monitorização Pré e Intra Parto: Ultra-Sonografia em Ginecologia e Obstetrícia. Gestação de alto risco - patologia da gestação: Trabalho de parto Prematuro: Gravidez Prolongada: Poli e Oligohidramnio: Amniorrexe: Morte fetal intra-utero; Embolia Amniótica. Doenças Concomitantes com a gravidez cardiopatia, hipertensão crônica, isoimunização; diabetes, tireodiopatias e infecções. - Distócias; fetoanexial e do trajeto (óssea e partes moles): Funcional. Prática Tocomática: Fórceps; vácuo extração; versões e extrações pélvica; Embriotomias. Operações Cesarianas. Puerpério Patológico. Infecções e infestações com ginecologia e obstetrícia. Fisiopatologia da Estática Pélvica e Incontinência Uterina de Esforços. Endocrinologia Ginecologia: Alterações Menstruais. Climatério. Esterilidade e Infertilidade Conjugal. Mastologia: Mastopatias Tumorais e não tumorais. Propedêutica em Ontologia Ginecológica. Citopatologia em Ginecologia e Obstetrícia. Patologias Tumorais Benignas e Malignas do corpo uterino. Patologias tumorais benigna e malignas da válvula da vagina. Patologias benignas e malignas do colo uterino. Patologias tumorais benigna e maligna dos anexos uterinos. Programa de Saúde da Mulher no Ministério da Saúde. Política de Saúde no Brasil MS OFICE 97- passo-a-passo Lite.1, Normas Operacionais de Assistência à Saúde: NOAS. Indicadores de Saúde Gerais e Específicas.

BIBLIOGRAFIA:

· BRASIL: Ministério da Saúde www.saude.gov.br

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde da Mulher. Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=27

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde do Adolescente e do Jovem. Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=30

· BEREK, J.S. Berek & Novak's Gynecology. Lippincott.

· CUNNINGHAM, G.; LEVENO, K. J.; BLOOM, S.L.; HAUTH, J.C.; GILSTRAP, L.C.;

· WENSTROM, K.D. Williams Obstetrics. Mcgraw Hill Companies.

· DE CHERNEY. A. PERNOLL. MARTIN. Current - Obstetria & Gynecologia - Diagnosis & Treatment. Appleton & Lange.

· FREITAS, F.; COSTA, S.H.M.; RAMOS, J.G.L.; MAGALHÃES, J.A. Rotinas em Obstetrícia. Artes Médicas.

· MATTINGLY. RICHARD; THOMPSON.,J.D. Ginecologia Operatória - Te linde. Guanabara.

· SPEROFF, L.; GLASS, R.; KASE, N. Endocrinologia Ginecológica e Infertilidade. Manole.

· REZENDE . Ginecologia e Obstetrícia. 8ª edição. Cognia

MÉDICO PEDIATRA PLANTONISTA: Assistência ao recém-nascido de baixo peso. Distúrbios metabólicos do recém nascido. Distúrbios respiratórios do recém-nascido. Icterícia neonatal. Infecções neonatais. Lesões ao nascimento: asfixia neonatal, hemorragia intracraniana, luxações e fraturas. Triagem neonatal: erros inatos do metabolismo. Aleitamento materno. Avaliação do crescimento e do desenvolvimento normais. Imunizações. Nutrição do lactente, da criança e do adolescente. Prevenção de trauma. Anemias. Asma brônquica. Constipação. Convulsão. Desidratação e terapia de reidratação oral. Diabete melitus. Diarréias. Distúrbios nutricionais. Doenças infectocontagiosas. Enurese noturna. Fibrose cística. Glomerulonefrite difusa aguda. Hepatites. Hiperatividade. Infecção urinária. Infecções de vias aéreas superiores e inferiores. Infecções do sistema nervoso central. Insuficiência cardíaca. Leucemia linfocítica aguda. Parasitoses. Problemas dermatológicos mais comuns. Problemas ortopédicos mais comuns. Raquitismo. Refluxo gastroesofágico. 3epse. Sibilância do lactente ("lactente chiador"). SIDA / infecção pelo HIV. Síndrome da criança mal-tratada. Síndrome da morte súbita da criança. Síndrome nefrótica/nefrítica. Manejo inicial de: Aspiração de corpo estranho, intoxicações agudas, queimaduras e afogamento. Ressuscitação cardiorrespiratória: Suporte básico. Transplantes em pediatria: princípios básicos e doação de órgãos.

BIBLIOGRAFIA:

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde da Criança. Disponível no link:

· http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=26

· BRASIL. Ministério da Saúde. Publicações Saúde do Adolescente e do Jovem. Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=30

· DUNCAN, B.B.; SCHMIDT, M.I.; GIUGLIANI, E. Medicina Ambulatorial - Condutas Clínicas em Atenção Primária. Artes Médicas.

· DUNCAN, B; SCHIMIDT, M.I.; GIUGLIANI, E. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseada em evidência. Artmed.

· FLETCHER, R.; FLETCHER, S.W.; WAGNER, E.H. Epidemiologia clínica: elementos essenciais. Artmed.

· GOULART, F.A.A. (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

· HARRISON, F.; BRAUWALD et al. Medicina Interna. Mc Graw Hill.

· PEREIRA, M.G. Epidemiologia: Teoria e Prática, Guanabara Koogan.

· TIERNEY JUNIOR, L.M.; MCPHEE, S.J.; PAPADAKIS, M.A. Current Medical Diagnosis & Treatment. Mc­Graw-Hill.

· WYNGAARDEN, J.V., M.D. e LLOYD, H.S.; Jr, M.D. Cecil Tratado de Medicina Interna.

· Interamericana.

· DUNCAN, BRUCE. SCHIMIDT, MARIA INÊS. GIUGLIANI, Elsa. Medicina ambulatorial:

· Condutas de Atenção Primária Baseada em Evidências. Artmed.

· MIURA, ERNANI. PROCIANOY, RENATO e colaboradores. Neonatologia. Artes Médicas.

· NELSON. Tratado de Pediatria. Guanabara Koogan SA.

· PITREZ, JOSÉ LUIZ BOHRER. PITREZ, MÁRCIO CONDESSA e Colaboradores. Pediatria Consulta Rápida. Artmed.

· BEHRMAN, R.E & KILEGMAN, R. NELSON. Princípios de Pediatria. São Paulo: Guanabara Koogan.

· BRICKS, L. F., SUCUPIRA, A. C. S. L. et. al. Pediatria em Consultório. São Paulo. Sarvier.

MÉDICO PSIQUIATRA: Transtornos mentais orgânicos, incluindo sintomáticos. Transtornos mentais e de comportamento devidos ao uso de substanciais psicoativas. Esquizofrenia, transtornos esquizotípicos e delirantes. Transtornos do humor (afetivo). Transtornos neuróticos, relacionados ao estresse e somatoformes (transtornos fóbicos-ansiosos, obsessivos-compulsivos etc.). Síndromes comportamentais associadas a distúrbios fisiológicos e a fatores físicos (transtornos alimentares, não orgânicos, do sono, disfunção sexual etc.). Transtornos da personalidade e de comportamento em adultos (transtornos específicos de personalidade etc.). Retardo mental. Tratamento psicofarmacológico. Psiquiatria forense: atividade pericial; medicina defensiva e erro médico; direitos do paciente; internação involuntária.

BIBLIOGRAFIA:

· BRASIL: Ministério da Saúde www.saude.gov.br

· BRASIL. Lei n°. 10.216, de 06 de abril de 2001 - Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental.

· RIO GRANDE DO SUL. Lei n°. 9.716, de 07 de agosto de 1992 - Dispõe sobre a reforma psiquiátrica no Rio Grande do Sul e dá outras providências.

· CORDIOLI, ARISTIDES VOLPATO. Psicofármacos. Artmed.

· CIDX - Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento. Coordenação Organização Mundial da Saúde, Artmed.

· KAPLAN, HAROLD I. SADOCK, BENJAMIN J. Compêndio de Psiquiatra. Artmed.

· ZIMERMAN, DAVID. Fundamentos Psicanalíticos. Artmed.

MÉDICO TRAUMATOLOGISTA/ORTOPEDISTA: Histologia e consolidação de fraturas; Embriologia do sistema músculoesquelético; Fisiologia; Osteomielite Hematogênica aguda; Pioartrites; Osteomielites subaguda e crônica; Infecções específicas e não usuais; Bioética; Princípios de biomecânica geral; Marcha normal e patológica; Desenvolvimento postural; Princípios das fraturas fechadas; Fraturas expostas; Complicações de fraturas; Descolamento epifisário; Pseudoartroses; Fixadores externos; Princípios de coberturas cutâneas; Atendimento ao politraumatizado; Ética médica; Técnica de amputações dos membros; Próteses; Princípios de osteossíntese; Fraturas de clavícula e escápula; Luxação acrômioclavicular e glenoumeral; Instabilidade glenoumeral; Fraturas proximais do úmero; Fraturas diafisárias do úmero; Fraturas distais do úmero e luxações do cotovelo em adultos; Fraturas da cabeça do rádio e olécrano; Fraturas supracondilianas do úmero em crianças; Demais fraturas do cotovelo na criança; Fraturas dos ossos do antebraço; Fraturas distais do rádio no adulto; Fraturas do punho na criança; Fraturas do escafoide e ossos carpo; Instabilidade cárpica; Fraturas da mão; Luxações da mão; Lesões dos tendões flexores e extensores do punho e mão; Metodologia científica; Lesões dos nervos periféricos; Lesões do plexo braquial; Traumatismo raquimedular; Fraturas luxações da coluna cervical; Fraturas da coluna tóraco­lombar e sacro; Fraturas do anel pélvico; Fraturas do acetábulo; Luxações do quadril e fraturas da cabeça do fêmur; Fraturas do colo do fêmur; Demais fraturas proximais do fêmur; Fraturas proximais do fêmur na criança; Fratura diáfise do fêmur; Lesões ligamentares do joelho; Lesões meniscais; Lesões do aparelho extensor do joelho; Luxações do joelho; Fratura distal do fêmur e da patela; Fraturas do planalto tibial; Fraturas dos ossos da perna; Fratura e luxação do tornozelo no adulto; Fraturas do tornozelo em criança; Entorses do tornozelo fraturas do calcâneo; Fraturas do tálus e outros ossos do tarso; Lesões da articulação de Lisfranc; Fraturas do antepé; Lesões osteocondriais; Lesões da unidade músculo-tendínea; Distúrbios metabólicos e endocrinológicos (raquitismo, escorbuto,paget, etc); Osteocondrites e osteocondroses; Doenças reumáticas (ar, gota, soronegativas, etc); Hemofilia e hemopatias; Tumores Músculoesqueléticos (patologia e radiologia); Tumores benignos; Tumores malignos; Revisão de infecções; Displasia do desenvolvimento do quadril; Doença de Legg-Calvè-Perthes; Epifisiolistese femoral proximal; Necrose asséptica da cabeça femoral; Osteoartrose e osteotomias do quadril; Fraturas da coluna; Trauma raquimedular; Lombalgias (adultos e crianças); Psoíte; Discite; Espondilolistese; Diastematomielia e siringomielia; Escoliose idiopática e congênita; Cifose (Scheuermann e congênitas); Hérnias discais (cervical, torácica e lombar); Cervicobraquialgias e síndrome do desfiladeiro torácico; Estenose do canal medular (cervical e lombar) e mielopatias; Síndrome do impacto e lesões do manguito rotador; Capsulite adesiva do Ombro; Tendinite calcárea do Ombro; Tendinites do Manguito Rotador e do bíceps; Instabilidades do ombro; Doença de Kienböck; Impacto ulnocarpal; Dupuytren; Tendinite de Quervain; Cistos sinoviais; Exame físico ortopédico.

BIBLIOGRAFIA:

· Barros Filho TEP, Lech O. Exame físico em ortopedia. São Paulo: Sarvier.

· Browner J, Levine e Trafton. Skeletal trauma. Philadelphia: Saunders/Manole.

· Canale S.T. Campbell's operative orthopaedics. St. Louis: Mosby/Manole.

· Hebert Sizínio et al. Ortopedia e traumatologia: princípios e prática. Porto Alegre: Artmed.

· Morrissy R.T, Weinstein SL. Lovell and Winter's pediatric orthopaedics. Philadelphia: Lippincott/ Manole.

· Pardini A.Traumatismos da mão. Rio de Janeiro: Medsi.

· Rockwood C.A. et al. Fractures. Philadelphia: Lippincott.

· Ruedi e Murphy. AO Principles of fracture management. Verlag/Artmed.

· Tachdjian MO. Pediatric orthopaedics. Philadelphia: Saunders.

· Terminologia anatômica. São Paulo: Manole.

· Weinstein SL, Buckwalter JA. Turek's orthopaedics: principles and their application. Philadelphia: Lippincott/ Manole.

· Livros de condutas da SBOT: Ortopedia do Adulto, Traumatologia Ortopédica e Ortopedia Pediátrica. Revinter.

· Tratado de Ortopedia - SBOT. Roca.

· Revista Brasileira de Ortopedia.

· Journal of the American Academy of Orthopaedics Surgeons.

· Journal of Bone & Joint Surgery

· Clinica ortopédica da SBOT. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

· Clinical Orthopaedic and Related Research.

· Clínica Ortopédica - Pardini & G de Souza - MEDSI

· Acta Ortopédica Brasileira. São Paulo: Atha Comunicação

MONITOR REGENTE DE BANDA: Classificação da história da música em períodos, relacionando principais compositores. Classificação de gêneros na música de concerto e popular. Classificação dos instrumentos musicais. Leitura e compreensão de partituras. Estruturação temporal: métrica (conceito e padrões); padrões rítmicos; Leitura nas claves de Sol, de Dó na 3ª e 4ª linha e de Fá. Estruturas fraseológicas. Harmonia: tonalidade; formação de acordes; funções principais e secundárias; cifragem tradicional e popular. Identificação dos processos de elaboração musical: repetição; variação; transposição (real e tonal); inversão; retrogradação; aumentação e diminuição rítmica. Manejo de equipamentos eletrônicos e softwares de música. Utilização de microfones e mesas de som. Programa para notação musical: Finale. Programa para gravação de áudio: Sonar e ProTools.

BIBLIOGRAFIA:

· ALALEONE, Domingos. História da música. SP: Vitale, 1960.

· ANDRADE, Mário. Aspectos da música brasileira. SP: Martins.

· GAGNARD, Madeleine. Iniciação musical dos jovens. SP: Perspectivas.

· LANGLEBEN, M.M. A música e a linguagem natural. RJ: Tempo Brasileiro. · MARTINS, R. Educação musical: conceitos e preconceitos. RJ: FUNARTE.

MONITOR REGENTE DE CORAL: O Coro: O coro no Renascimento: histórica, características, evolução e principais formas. Aspectos humanos. Conceituação de coro, coro de leigos - coro de músicos, Estruturação do coro seleção dos cantores, formação dos naipes, timbre do coro, os tipos de coro, meninos cantores - coro infantil, coro de vozes iguais, coro misto, coro sacro, (a questão mística), coro a cappella, coro de ópera e oratório moderno. Aspectos práticos e burocráticos, necessidades materiais sqn., aspectos formais e legais. Elementos básicos de técnica vocal. Formação e organização do coro. A técnica de regência coral. Os Cantores: a atitude do cantor de coro, atitude com relação a si próprio, Decalogus Cantorum Choralis, atitude com relação aos outros cantores, atitude com relação à platéia. Técnica vocal para o canto coral - processo para concentração. Relaxamento, respiração, vocalize, interpretação a classificação vocal, a voz branca ou impúbere, a muda de voz, a voz adulta, os castrati. O Regente: História da regência, conceito de regência coral, técnica de regência coral, condições fundamentais para a regência, fundamentos psicológicos, tipologia e personalidade do regente, o regente como líder de seu grupo, o regente como interprete e co-autor do arranjo, a ação do regente, a batuta e o regente de coro, as atitudes fundamentais do regente - o padrão, as preparações - o levare, o gestual, a marcação rítmica, a indicação melódica, a indicação harmônica, a marcação dos efeitos, prática pessoal.

BIBLIOGRAFIA:

· BARRETO, Ceição de Barros. Coro Orfeão. São Paulo, Melhoramentos.

· BRAGA, Henriqueta Fernandes Rosa. Do coral e sua projeção na história da música. São Paulo, Kosmos.

· CHIPP, Herschel B. Teorias da arte moderna. São Paulo, Martins Fonte.

· COWARD, Henry. Choral tecnique and interpretation. Londres, Novelo e Co. Ltda.

· DAVISON, A. T. Choral conducting. Cambridge, Massachussets, Harvard University Press.

· ELLMERICH, Luis. História da música. São Paulo, Boa Leitura.

· GAGNARD, Madeleine. Iniciação musical dos jovens. SP: Perspectivas.

· GAMBER, Eugene. You guide succefull singing. Windsor Press New York.

· GOMBRICH, E. H. A história da arte. Rio de Janeiro, imp. LTC.

· GROVE, Dicionário de música. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed.,1994

· MARTINS, R. Educação musical: conceitos e preconceitos. RJ: FUNARTE.

· MASSIN, Jean e Brigitte. História da música ocidental. Rio de Janeiro.

· MATIAS, Nelson. Canto coral, um canto apaixonante. São Paulo. Ed. Bohumil Med.

· MED, Bohumil. Teoria da música. Brasília DF, Musimed.

· MOYES, Frank. Fundamentals of conducting. Iowa. Dubuque. · Rockville Center.

· SUNDERMANN, Loyd Frederick. Choral organization and administration. New York,

· ZANDER, Oscar. Regência coral. Porto Alegre, Ed. Movimento, 1979

NUTRICIONISTA: Nutrição básica: Digestão, absorção, transporte e excreção de nutrientes. Biodisponibilidade de nutrientes. Necessidades e recomendações nutricionais: usos e aplicações das DRIs. Guia alimentar para a população brasileira - MS/CGPAN. Alimentos funcionais. Técnica Dietética: Metodologia para pesos e medidas de alimentos. Processos básicos de cocção. Indicadores de conversão e de reidratação. Avaliação do estado nutricional: Composição corporal. Indicadores antropométricos Indicadores bioquímicos. Propedêutica nutricional. Métodos de avaliação do consumo de alimentos. Avaliação subjetiva global. Epidemiologia nutricional. Vigilância alimentar e nutricional: Sisvan. Nutrição nos ciclos de vida: Gestante e nutriz, Criança e adolescente, Adulto, Idoso. Higiene e tecnologia de alimentos: Contaminação, alteração e conservação de alimentos. Toxinfecções alimentares. Controle sanitário na área de alimentos. Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC). Alimentação institucional: Teorias da administração: clássica relações humanas estruturalista. Etapas do planejamento do serviço de alimentação. Recursos Humanos. Lactário e Banco de Leite Humano. Terapia de nutrição enteral. Terapia de nutrição parenteral. Terapia nutricional nas insuficiências orgânicas e condições clínicas especiais: Insuficiência renal aguda e crônica. Doenças cardiovasculares Insuficiência respiratória. Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Insuficiência hepática aguda e crônica. Diabetes Mellitus Tipo I e Tipo II. Obesidade. Transtornos alimentares. Síndrome do intestino curto. Alterações músculo-esqueléticas. Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA). Queimadura. Trauma e Sepse. Câncer. Nutrição no exercício e no esporte: Bioenergética e gasto energético. Modificações bioquímicas e fisiológicas no treinamento. Nutrição na atividade física: dieta de treinamento dieta antes, durante e após o evento esportivo. Recursos ergogênicos.

BIBLIOGRAFIA:

· ADAMS, M.; MOTARJEMI, Y.; FAVANO, A. Segurança Básica dos Alimentos para Profissionais de Saúde-OMS (Organização Mundial de Saúde). Roca.

· ARRUDA, G. A. Manual de Boas Práticas - Unidades de Alimentação e Nutrição. Ponto Crítico.

· BRASIL. Ministério da Saúde. Guia Alimentar para a População Brasileira. Brasília. Disponível no link: http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05_1109_M.pdf

· BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília. Disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/07_0121_M.pdf

· EVANGELISTA, J. Tecnologia de Alimentos. Atheneu.

· GERMANO, P.M.L.; GERMANO, M.I.S. Higiene e Vigilância Sanitária de Alimentos. Livraria Varela.

· GOUVEIA, E.L.C. Nutrição: Saúde e Comunidade. Revinter.

· KRAUSE, M.S.; MAHAN, L.K. Alimentos, Nutricão e Dietoterapia. Roca.

· MEZOMO, I.F.B. Os Serviços de Alimentação: planejamento e administração. Loyola.

· OLIVEIRA, J.E.D.; MARCHINI, J.S. Ciências Nutricionais. Sarvier.

· ORNELAS, L.H. Técnica Dietética - Seleção e Preparo dos Alimentos. Atheneu.

· PHILIPPI. S.T. Nutrição e Técnica Dietética. Manole.

· EIXEIRA, S; CARVALHO, J.; BISCONTINI, T.; REGO, J.; OLIVEIRA, Z. Administração Aplicada às Unidades de Alimentação e Nutrição. Atheneu.

· TRIGO, V.C. Manual Prático de Higiene e Sanidade nas Unidades de Alimentação e Nutrição. Varella.

· WAITZBERG, D.L. Nutrição Oral, enteral e Parenteral na Prática Clínica. Atheneu.

· WILLIANS, S.R. Fundamentos de Nutrição e Dietoterapia. Artes Médicas.

OFICIAL DE ALMOXARIFADO: Administração de Materiais: conceito, estratégia, planejamento, controle de produção e suprimentos/distribuição física. Noções básicas de almoxarifado: conceituação, eficiência e organização do almoxarifado, Just in time (JIT); Supply Chain Management (SCM); Centros de Distribuição. Operações de almoxarifado: localização de materiais, classificação e codificação de materiais, inventário físico, embalagem, recebimento, armazenagem e estocagem de materiais, equipamentos de movimentação. Fundamentos, dimensionamento e controle de estoques: definições importantes, objetivos de estoque, previsão para os estoques, classificação Curva ABC, lote econômico, sistemas de controles de estoques, inclusão de itens no estoque, formação dos estoques, acompanhamento de consumo por meio do sistema de cotas, materiais sujeitos a recondicionamento, obsolescência e alienação de materiais inservíveis. Gestão de estoque: introdução, conceito, recebimento de materiais, inspeção de recebimento, registros para materiais, saída de materiais, trabalhar com o ativo circulante, estoque na visão financeira e cálculo.

BIBLIOGRAFIA:

· ARNOLD, J. R. Tony. Administração de materiais: uma introdução. São Paulo: Atlas, 1999. 521p.

· BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento, organização e logística empresarial. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001-2005.

· __________ . Logística empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. São Paulo: Atlas, 1993-1995. 388 p.

· MOURA, Cássia. Gestão de Estoques: ação e monitoramento na cadeia de logística integrada. Rio de Janeiro: Ed. Ciência Moderna Ltda, 2004.

ORIENTADOR ESCOLAR: A orientação educacional: uma perspectiva contextualizada. Um começo da história. A orientação educacional: uma caixa preta. Os períodos da orientação educacional. Projetando perspectivas. Concluindo. A atuação do orientador educacional. Atribuições do orientador educacional. Princípios éticos na atuação do orientador educacional. Necessidade e importância do planejamento em orientação educacional. Plano anual de ação itens do plano de orientação educacional subsídios para elaboração do plano do serviço de orientação educacional. Áreas de atuação do orientador educacional. Orientação educacional e a família do aluno. A participação do orientador educacional em relação ao aproveitamento escolar do aluno. O que é orientação profissional? Uma nova proposta de atuação. A atuação do orientador educacional em relação à orientação vocacional do aluno. Técnicas de orientação vocacional.

BIBLIOGRAFIA:

· GIACAGLIA, L.R.A., e PENTEADO, W.M.A. Orientação educacional na prática: princípios técnicas e instrumentos. São Paulo: Pioneira.

· GRISPUN, M.P.S. ZIPPIN. (org). A prática dos orientadores educacionais. São Paulo: Cortez.

· LUCK, H. Planejamento em orientação educacional. Petrópolis: Vozes 1991.

· LUCCHIARI, D.H.P. Soares. Pensando e vivendo a orientação profissional. São Paulo: Summus.

· LUCK, Heloísa. Planejamento em orientação educacional. Petrópolis: Vozes.

· PIMENTA, S. G. O pedagogo na escola pública. São Paulo: Loyola.

· RIBEIRO, M.T.F. et. Al. Orientação vocacional. São Paulo: Epu.

· RUDIO, F. V. Orientação não diretiva. Petrópolis: Vozes.

PROGRAMADOR DE SISTEMAS: Algoritmos e Estruturas de Dados: Fundamentos de lógica de programação: tipos de dados; operadores; expressões; estruturas de controle e repetição; fluxogramas e diagramas de bloco; Estruturas de dados homogêneas e heterogêneas: vetores e matrizes, registros, listas, filas, pilhas e árvores; métodos de busca e ordenação; recursividade; funções e procedimentos: variáveis locais e globais; utilização de parâmetros. Programação Orientada e Objetos: fundamentos; classes concretas e abstratas; interfaces; objetos; atributos; métodos; herança; polimorfismo; encapsulamento; construtores e destrutores. Linguagens de programação: Java; Object Pascal, C, C++. Programação Java em arquitetura J2EE. Desenvolvimento para web: Linguagem PHP, HTML, xHTML, XML, CSS, JAVASCRIPT. Redes de Computadores: Arquiteturas de rede; Topologias; Equipamentos de conexão e transmissão; Modelo OSI da ISO, Arquitetura e protocolos TCP/IP; Nível de aplicação TCP/IP: DNS, FTP, NFS, TELNET, SMTP, HTTP e SNMP. Ambiente UNIX: Instalação e suporte a TCP/IP, DHCP, DNS, NIS, CIFS, NFS, serviços de impressão em rede, Integração com ambiente Windows; Ambiente Microsoft Windows 2000/2003: Instalação e suporte de TCP/IP, DHCP, DNS; Active Directory, IIS, Terminal Service; Serviços de arquivo e impressão em rede; Integração com ambiente UNIX. Gestão de Segurança da Informação: Conceitos gerais; Políticas de Segurança de Informação; Classificação de Informações; Norma ISSO 27001. Desenvolvimento de Sistemas Gerência de projetos. Processo de Software. Linguagem de Modelagem Unificada (UML); Padrões de Projeto de Software (Design Patterns). Garantia de Qualidade de Software. Técnicas de Teste de Software. Banco de Dados: Conceitos e arquitetura de um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD); Modelagem de dados e projeto lógico de banco de dados relacional; a linguagem SQL; Controle de transações; Indexação e hashing; Processamento da consulta; Controle de concorrência. Segurança Computacional: criptografia simétrica e assimétrica; assinatura digital, certificado digital, características do DES, AES e RSA; funções hash (MD5 e SHA-1).

BIBLIOGRAFIA:

· BERTRAND MEYER , Object-Oriented Software Construction, Second Edition.

· Prentice Hall Professional Technical Reference.

· Bjarne Stroustrup. The C++ Programming Language, 3rd. edition.

· Addison-Wesley, 1997. (A Linguagem de Programação C++, Bookman 2000) Gamma Erich, R Helm, R Johnson, V John.

· Design Patterns: Elements of Reusable Object-Oriented Software. Addison-Wesley.

· KORTH, Henry F.; SILBERSCHATZ, Abraham, SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Editora Campus.

· LARMAN, C., Utilizando UML e Padrões: Uma introdução à análise e ao projeto orientado a objetos. Editora Bookman. Porto Alegre.

· ML: Guia do Usuário. RUMBAUGH, James. Rio de Janeiro. Editora Campus, 2000. Pressman, Roger. Engenharia de Software. Editora McGraw-Hill Brasil.

· Willian Stallings. "Cryptography and Network Security: Principles and Practice". Pearson. HARVEY M. DEITEL, PAUL J. DEITEL, RAMON NIETO, ET AL . XML, Como programar. Editora Bookman.

· JAVASCRIPT, McCOMB, Gordon. JavaScript Sourcebook. São Paulo: Makron Books.

· Kurose, J., Ross, K., Redes de Computadores e a Internet - Uma Nova Abordagem.

· Addison Wesleys, Martin Bond, Debbie Law, Dan Haywood, Andy Longshaw, Peter Roxburgh. Aprenda J2EE em 21 dias com EJB, JSP, Servlets, JNDI, JDBC e XML Editora: Makron Books Wirth, Niklaus. Algoritmos e estruturas de dados. Rio de Janeiro: Prentice-Hall.

· Kris Jamsa, Lars Klander. Programando em C/C++ "a Bíblia". Makron Books.

· Cay Horstmann. Big Java. Horstmann. Bookman.

· Marco Cantú. Dominando Delphi 7 "A Bíblia". Makron Books

· Kernighan Ritchie. C Padrão Ansi. Campus. Brian Proffitt, Ann Zupan.

· XHTML, Desenvolvimento Web. Makron Books.

· Walace Soares. Programando em PHP, Conceitos e Aplicações. Érica.

· José Augusto N. G. Manzano. Java Escript - Estudo Dirigido.

· Érica. VELLOSO, Paulo. Estruturas de Dados. Rio de Janeiro: Ed. Campus.

· James F. Kurose, Keith W. Ross. Redes de computadores.

· TANENBAUM, A. S. redes de computadores, curso completo.

PROFESSOR DE ARTES: A especificidade do conhecimento artístico e estético; a produção artística da humanidade em diversas épocas, diferentes povos, países, culturas; identidade e diversidade cultural; a contextualização conceituai, social, política, histórica, filosófica e cultural da produção artístico-estética da humanidade. ARTE E LINGUAGEM: o Homem - ser simbólico; arte: sistema semiótico de representação; os signos não verbais; as linguagens da arte: visual, audiovisual, música, teatro e dança; construção/produção de significados nas linguagens artísticas; leitura e interpretação significativas de mundo; fruição estética e o acesso aos bens culturais; percepção e análise; elementos e recursos das linguagens artísticas; ARTE E EDUCAÇÃO: O papel da arte na educação; o professor como mediador entre a arte e o aprendiz; o ensino e a aprendizagem em arte; fundamentação teórico-metodológica; o fazer artístico, a apreciação estética e o conhecimento histórico da produção artística da humanidade, na sala de aula. Educação Popular. LDB. ECA. Legislação Federal inerentes a área. UNICEF.

BIBLIOGRAFIA:

· BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos (Org.). Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez.

· BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. A imagem no ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo: Perspectiva.

· BERTHOLD, Margot. História mundial do teatro. São Paulo: Perspectiva.

· CALABRESE, Ornar. A linguagem da arte. Rio de Janeiro: Globo.

· CHIARELLI, Tadeu. Arte internacional brasileira. São Paulo: Lemos Editorial.

· COLI, Jorge. O que é arte. 9. ed. São Paulo: Brasiliense.

· COURTNEY, Richard. Jogo, teatro e pensamento: as bases intelectuais do teatro na educação. 2. ed. São Paulo: Perspectiva.

· DESGRANGES, Flávio. A pedagogia do espectador. São Paulo: Hucitec.

· DOMINGUES, Diana. (Org). A arte no século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: UNESP.

· FERRAZ, M. Heloísa C.; FUSARI, Maria F. de Rezende. Metodologia do ensino da arte. São Paulo: Cortez.

· FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra.

· HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura visual, mudança educativa e projeto de trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

· IAVELBERG, Rosa. Para gostar de aprender arte: sala de aula e formação de professores. Porto Alegre: Artmed.

· JAPIASSU, Ricardo. Metodologia do ensino de teatro. Campinas: Papirus. p. 15-79.

· JEANDOT, Nicole. Explorando o universo da música. São Paulo: Scipione.

· KOUDELA Ingrid D. Jogos teatrais. 4. ed. São Paulo: Perspectiva.

· MARQUES,Isabel A. Dançando na escola. São Paulo: Cortez.

· MARTINS, Mírian Celeste; GUERRA, M. Terezinha Telles;

· MENUHIN, Yehudi; DAVIS, Curtis W. A música do homem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes.

· PICOSQUE, G. Didática do ensino de arte: a língua do mundo; poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD.

· PIMENTEL, Lúcia Gouveia (Org.). Som, gesto, forma e cor: dimensões da arte e seu ensino. Belo Horizonte: C Arte. p. 7-61.

PROFESSOR DE CIÊNCIAS: A Vida no Nível da Célula: Organização básica de células procarióticas e eucarióticas: estrutura e função das substâncias orgânicas e inorgânicas que compõem os seres vivos; Metabolismo celular; Reprodução sexuada e Embriologia. A Continuidade da Vida: Hereditariedade e a natureza do material hereditário: As bases moleculares da hereditariedade. Fundamentos da Genética. Processos de evolução: Teorias da evolução; Causas genéticas da variabilidade; Seleção e Adaptação; Isolamento reprodutivo e formação de novas espécies; Genética de Populações; Origem e evolução da espécie humana. A Diversidade da Vida. Vírus: Estruturas, ciclo de vida e patologias relacionadas. Monera, Protista e Fungi: Características gerais e aspectos básicos da reprodução; Importância ecológica e econômica; Prevenção das principais doenças humanas. Plantas: Características gerais dos principais grupos de plantas; Evolução das plantas e adaptações morfológicas e reprodutivas ao ambiente; Organização morfológica básica, crescimento, desenvolvimento e reprodução das Angiospermas. Animais: Características gerais e hábitat dos principais grupos de animais; Evolução dos animais e comparação dos principais grupos quanto à alimentação, locomoção, respiração, circulação, excreção, osmorregulação e reprodução; Animais parasitas do ser humano: ciclos de vida e medidas profiláticas; Animais urbanos e suas relações com os humanos; Estrutura básica e fisiologia dos sistemas do corpo humano; Nutrição e desnutrição; Reprodução Humana e regulação neuro-endócrina; Doenças sexualmente transmissíveis; Constituição do pensamento humano. Os Seres Vivos e o Ambiente: Populações, comunidades e ecossistemas; O fluxo energético e os ciclos da matéria nos ecossistemas; Dinâmica das populações; Ecossistemas aquáticos; Ecossistemas terrestres; Características gerais dos principais tipos de ecossistemas brasileiros. Ecologia humana: O crescimento da população humana como fenômeno histórico; As atividades humanas e as alterações provocadas nos ecossistemas; A utilização dos recursos naturais; O problema da geração de resíduos sólidos em excesso: a reciclagem e o tratamento adequado dos resíduos e seus efluentes; O problema do esgoto e o tratamento da água; A genética e clonagem: aspectos éticos, ecológicos e econômicos; Saúde: indicadores; determinantes sociais; a importância do controle ambiental, do saneamento básico, da vigilância sanitária e epidemiológica e dos serviços de assistência à saúde. Relações entre o Ensino das Ciências e a concepção de Ciência: a história do desenvolvimento e construção do conhecimento científico, tecnológico, seus procedimentos metodológicos e suas influências no Ensino das Ciências. Metodologias no Ensino das Ciências e a organização da prática educativa. Abordagens contextualizadas com enfoque interdisciplinar de questões. Polêmicas contemporâneas relacionadas às discussões de desequilíbrios ambientais e ecológicos, de qualidade de vida, de saúde pública, das relações entre tecnologia e sociedade e de outras questões recorrentes às ciências, amplamente veiculadas pelos meios de divulgação científica e comunicação social. Parâmetros Curriculares Nacionais.

BIBLIOGRAFIA:

· AMABIS, J. M. e MARTHO, G. R. Fundamentos da Biologia Moderna. Moderna.

· BARROS, C.; PAULINO, W.R. Física e química. Ática. - BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais.

· EL-HANI, C.N.; VIDEIRA, A. A. P. O que é vida? Para entender a biologia do século XXI. Relume Dumará.

· FELTRE, Ricardo. Química. v. 1, 2 e 3. Moderna. - MORIN, E. Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. Cortez.

· PERRENOUD, P. Novas Competências para Ensinar. Artmed.

· REVISTA CIÊNCIA HOJE - SBPC (Sociedade Brasileira para o progresso da Ciência).

· SONCINI, M.; CASTILHO JR., M. Biologia. Coleção Magistério, 2° grau, Série Formação do Professor. Cortez

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA: Dimensões históricas da Educação Física. Dimensões filosóficas, antropológicas e sociais aplicadas à Educação e ao Esporte: lazer e as interfaces com a Educação Física, esporte, mídia e os desdobramentos na Educação Física; as questões de gênero e o sexismo aplicados à Educação Física; corpo, sociedade e a construção da cultura corporal de movimento. Dimensões biológicas aplicadas à Educação Física e ao Esporte: as mudanças fisiológicas resultantes da atividade física; nutrição e atividade física; socorros de urgência aplicados à Educação Física. A Educação Física no currículo da Educação Básica - significados e possibilidades: as diferentes tendências pedagógicas da Educação Física na escola; Educação Física escolar e cidadania; os objetivos, conteúdos, metodologia e avaliação na Educação Física escolar. Esporte e jogos na escola: competição, cooperação e transformação didático - pedagógica. Crescimento e desenvolvimento motor.

BIBLIOGRAFIA:

· BETTI, M. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento.

· BETTI, M. Educação Física, Esporte e Cidadania: Revista Brasileira de. Ciências do Esporte, n.° 20.

· BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Vol. Educação Física. Brasília: MEC/SEF.

· CASTELLANI FILHO, L. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus.

· DAÓLIO, J. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus.

· FEGEL, M.J. Primeiros Socorros no Esporte. 1ª ed. São Paulo, Manole.

· FREIRE, J.B. Educação de corpo inteiro. São Paulo: Scipione.

· KUNZ.E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: Ed. Unijuí.

· McARDLE, W.D.; KATCH, F.I.; KATCH, V.L. Fisiologia do Exercício. Energia, nutrição e desenvolvimento humano. ed. Rio de Janeiro, Guanabara-Koogan.

· MARCELLINO, N.C. Pedagogia da animação. Campinas: Papirus.

· SOARES, C. et al. Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez.

· TANI,G.; MANOEL,E.J.; KOKOBUN,E; e PROENÇA,J.E. Educação Física escolar: Fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: Edusp/EPU.

PROFESSOR DE GEOGRAFIA: NATUREZA E MEIO AMBIENTE. Universo: Sistema solar. A Terra e suas características. A Lua e suas características. Movimentos da Terra e suas consequências. Noções de cartografia e orientação. Meios de orientação. Coordenadas geográficas. Mapas: classificação e interpretação. Escala. Geologia e Geomorfologia. Estrutura interna da Terra. Tipos de rochas. Teorias da deriva Continental e da Tectônica de Placas. Agentes endógenos e exógenos de formação do relevo. Estrutura geológica e macroformas do relevo terrestre. As diferentes formas de relevo terrestre. Geomorfologia do Brasil e do Rio Grande do Sul. Climatologia. Atmosfera: composição e camadas. Conceitos de tempo e clima. Fatores e elementos climáticos. Distribuição e características dos diferentes tipos climáticos. Fenômenos atmosféricos. Interferência humana na atmosfera e suas consequências. Climatologia do Brasil e do Rio Grande do Sul. Vegetação. Distribuição das paisagens vegetais. As diferentes paisagens vegetais e suas características. A vegetação como recurso econômico. Degradação da vegetação. Vegetação do Brasil e do Rio Grande do Sul. Hidrografia. O ciclo hidrológico. Águas oceânicas e sua dinâmica. Águas fluviais e sua dinâmica. Recursos fluviais. Poluição hídrica. Hidrografia do Brasil e do Rio Grande do Sul. A Questão Ambiental. O Protocolo de Kyoto. Biodiversidade. Desertificação. Os problemas ambientais urbanos. Os problemas ambientais rurais. Desmatamento e suas consequências. SOCIEDADE: O HOMEM E AS RELAÇÕES ECONÔMICAS E SOCIAIS. Demografia. Indicadores sociais e demográficos. Estrutura, crescimento e distribuição da população. Movimentos migratórios. Urbanização. Estrutura urbana. Os problemas sociais e ambientais urbanos. Rede urbana e hierarquia urbana. Regiões metropolitanas e aglomerados urbanos do Brasil e do Rio Grande do Sul. Os movimentos sociais urbanos. Agropecuária. Sistemas agropecuários. Estrutura fundiária no Brasil. Reforma agrária. O trabalho no campo. Os movimentos sociais rurais. A modernização da agricultura e o agronegócio. Produção agropecuária: panorama mundial, nacional e gaúcho. Recursos Naturais. Recursos energéticos. Extrativismo mineral. Extrativismo vegetal. Recursos naturais no Brasil e no Rio Grande do Sul. Indústria. Fatores do localização industrial. Classificação das indústrias. Industrialização no mundo desenvolvido e no mundo subdesenvolvido. Indústria no Brasil e no Rio Grande do Sul. Infraestrutura. Sistemas de transporte: rodoviário, ferroviário, hidroviário e aeroviário. Portos e aeroportos. Geração de energia. Telecomunicações. Infra-estrutura no Brasil e no Rio Grande do Sul. Organização do Espaço Internacional. A antiga e a Nova Ordem Mundial: processo histórico e características. Os principais conflitos internacionais contemporâneos. Integração econômica internacional. Os diferentes blocos econômicos e suas características. Organizações internacionais. As principais redes de circulação de mercadorias e serviços do planeta. Utilização de tecnologias como recurso didático. Educação Ambiental. Impactos Ambientais. Ecologia. Geoprocessamento. Sistema de Informações Geográficas. Sistema de Posicionamento por Satélites. Sensoriamento Remoto. Interpretação de imagens orbitais e sub-orbitais.

BIBLIOGRAFIA:

· CALLENBACH, Ernest. Ecologia: um guia de bolso. São Paulo: Peirópolis, 2001.

· CÂMARA, Gilberto [et al.] (org.). Introdução à ciência da geoinformação. Disponível em: < www.geolab.faed.udesc.br/paginaweb/Pagina%20da%20disciplina%20geop_files/intoducao.pdf>. Acesso em: 17 de maio 2011.

· DIAS, Genebaldo Freire. Ecopercepção: um resumo didático dos desafios socioambientais. São Paulo: Gaia, 2004.

· DIEGUES, Antonio Carlos Sant'ana. O Mito Moderno da Natureza Intocada. 6ª edição. São Paulo: Hucitec e NUPAUB/USP, 2008.

· FITZ, Paulo Roberto. Cartografia básica. 3ª edição. São Paulo: Oficina de Textos, 2008.

· FLORENZANO, Teresa Gallotti (org.). Geomorfologia: conceitos e tecnologias atuais. São Paulo: Oficina de Textos, 2008.

· FONT, Joan Nogué; RUFÍ, Joan Vicente. Geopolítica, identidade e globalização. São Paulo: Annablume, 2006.

· GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. 47ª edição. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2007.

· GOLÇALVES, Carlos Walter Porto. Os (des)caminhos do meio ambiente. 12ª edição. São Paulo: Contexto, 2005.

· GUERRA, Antonio José Teixeira; MARÇAL, Mônica dos Santos. Geomorfologia ambiental. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

· GUERRA, Antônio Teixeira; GUERRA, Antonio José Teixeira. Novo dicionário geológico-geomorfológico. 3ª edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

· IANNI, Otavio. Teorias da Globalização. 13ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

· MENDONÇA, Francisco de Assis. Geografia e meio ambiente. 8ª edição. São Paulo: Contexto, 2005.

· MORAES, Antonio Carlos Robert. Geografia: pequena história crítica. 19ª edição. São Paulo: Annablume,

2003.

· MOREIRA, Maurício Alves. Fundamentos do sensoriamento remoto e metodologias de aplicação. 4ª edição. Viçosa: UFV, 2011.

· RAMOS, Cristhiane da Silva. Visualização cartográfica e cartografia multimídia: conceitos e tecnologias. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

· ROSS, Jurandyr L. Sanches (org.). Geografia do Brasil. 5ª edição. São Paulo: EDUSP, 2008. · SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: EDUSP, 2007.

· SANTOS, Milton. Técnica, espaço e tempo - globalização e meio técnico-cientifico informacional. 5ª edição. São Paulo: EDUSP, 2008.

· SANTOS, Milton. Urbanização brasileira. São Paulo: EDUSP, 2005.

· SATO, Michele; CARVALHO, Isabel Cristina Moura (org.). Educação ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre: Artmed, 2005.

· SPOSITO, Maria Encarnação B. Capitalismo e urbanização. São Paulo: Contexto, 1997.

· SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes.Terra: feições ilustradas. 3ª edição. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

· TEIXEIRA, Wilson [et al.]. Decifrando a Terra. 2ª edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009.

· VESENTINI, José William (org.). Geografia e Ensino - Textos Críticos. 10ª edição. Campinas: Editora Papirus, 2007.

PROFESSOR DE HISTÓRIA: HISTÓRIA ANTIGA - Civilização Grega. Os tempos arcaicos. Estrutura política, religiosa e social de Atenas e Esparta. Os tempos clássicos. A Cultura. O período helenístico. Civilização Romana. Estrutura política, social, religiosa e cultural. HISTÓRIA MEDIEVAL - Alta e Baixa Idade Média na Europa. Aspectos políticos, religiosos, culturais e sociais. Feudalismo. O renascimento comercial e urbano no século XI, suas características e influências para a formação da sociedade capitalista. As Cruzadas.O legado cultural e religioso para a sociedade ocidental. HISTÓRIA MODERNA - A expansão marítima. A Revolução Comercial. O Mercantilismo. A ocupação da América. Povos ameríndios. O Renascimento Cultural. A Reforma e a Contra-Reforma. O Absolutismo e suas teorias. A América espanhola e a América inglesa. Iluminismo. O processo de Independência dos Estados Unidos. HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA - A Revolução Francesa. O governo de Napoleão Bonaparte. A Revolução Industrial. Principais características das doutrinas socialistas.O imperialismo do século XIX. O neocolonialismo na Ásia, África e Oceania. Primeira Guerra Mundial. Segunda Guerra Mundial. A Revolução Russa. A importância de Lênin, Stalin e Trotski na mentalidade socialista. Conflitos no Oriente Médio. A nova ordem econômica mundial. HISTÓRIA DO BRASIL - Descoberta do Brasil. Brasil Colônia. O Império Brasileiro. Brasil República. O Governo de Getúlio Vargas. O Golpe Militar de 1964, seus antecedentes, suas características e influências para os dias atuais. Aspectos sociais, religiosos, políticos e culturais da formação do povo brasileiro. HISTÓRIA DO RIO GRANDE DO SUL - Culturas Indígenas. Período Colonial. Período Monárquico. Período Republicano.

BIBLIOGRAFIA:

· ANDERSON, Perry. Passagens da Antiguidade ao Feudalismo. Brasiliense.

· _____ . Linhagens do Estado Absolutista. Brasiliense.

· ARIÈS, Philippe. História Social da Criança e da Família. LTC.

· ARIÉS, Philippe & DUBY, Georges. História da Vida Privada - Da Europa Feudal à Renascença

· BITTENCOURT, Circe (org.). O saber histórico na sala de aula. Contexto.

· BLOCH, Marc. Apologia da historia ou o oficio do historiador. Jorge Zahar.

· BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: História.

· CARDOSO, Ciro Flamarion. O Egito Antigo. Col. Tudo é História.

· _________ . Domínios da História.

· _________ . Métodos da História.

· _________ . Sociedades do antigo oriente próximo. Ática.

· CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da república no Brasil. Companhia das Letras.

· CHARTIER, Roger. A beira da falésia: a história entre certezas e inquietude. Ufrgs, Programa de Pós-Graduação em Ciência Política.

· CHEILIK, Michael. História Antiga. De seus primórdios à queda de Roma. Zahar.

· CORVISIER, André. História Moderna. Bertrand do Brasil.

· DIAS, Manuel Nunes. Descobrimento do Brasil ( Processo Conjuntural de Longa Duração). EDIPUCRS.

· FALCON, Francisco; RODRIGUES, Antônio E. A formação do mundo moderno: a construção do Ocidente dos séculos XIV ao XVIII. Elsevier.

· FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. Globo.

· FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaios de interpretação sociológica. Zahar.

· FLORES, Moacyr. História do Rio Grande do Sul. EDIPLAT.

· _______ . Negros na Revolução Farroupilha. EST.

· FLORENZANO, Maria Beatriz Braga. O mundo antigo: economia e sociedade (Grécia e Roma). Brasiliense. Col. Tudo é História nº 39.

· FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala. Cia das Letras.

· FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. Companhia das Letras.

· GUAZZELLI, Cesar e outros (org.) Questões de teoria e metodologia da História. Editora da Universidade/UFRGS.

· HOBSBAWM, Eric J. A Era das Revoluções: Europa 1789-1848. Paz e Terra.

· _________ . A Era do Capital. 1848-1875. Paz e Terra.

· _________ . A Era dos Impérios. 1874-1914. Paz e Terra.

· ________ . A Era dos Extremos. 1914-1991. Companhia das Letras.

· HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. José Olympio.

· LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente Medieval. EDUSC.

· _________ . Em busca da Idade Média. Civilização Brasileira.

· PINSKY, Jaime. As primeiras civilizações. Contexto.

· PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. Brasiliense.

· _______ . Evolução Política do Brasil: colônia e império. Brasiliense.

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO ESPECIAL: A Educação Especial no contexto sócio-econômico e político brasileiro. Fundamentos Educacionais, sociológicos e psicológicos da Educação Especial. Enfoque médico e paramédico na área de Educação Especial. Abrangência e pressupostos legais da Educação Especial. Caracterização do portador de deficiência nos aspectos sócio-pedagógicos, preventivo e profissionalizante. Política Nacional de Educação Especial. Princípios e fundamentos da Educação Especial. Currículo em Educação Especial. O ensino na Educação Especial: especificidade. Educação Especial: orientação metodológica.

BIBLIOGRAFIA:

· AMARAL, L.A. Pensar a Diferença: deficiência. Brasília: Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência.

· Brasil. Secretaria de Educação Especial. A integração do aluno com deficiência na rede de ensino: Novos conceitos, novas emoções (vol 2). Brasília: MEC/SEESP, 1998.

· Brasil. Parâmetros Curriculares Nacionais: Adaptações curriculares/Secretaria de Educação Fundamental/Secretaria de Educação Especial. Estratégias para a educação de alunos com necessidades especiais. Brasília: MEC/SEF/SEESC, 1999.

· CARDOSO, M.C. Abordagem ecológica em educação especial: fundamentos básicos para o currículo. Brasília.: Corde.

· CARVALHO, KEILA MIRIAM M. DE ET.AL. Visão subnormal: orientações ao professor do ensino regular. Campinas: Unicamp.

· MAZZOTA, J.M. Fundamentos da Educação Especial. São Paulo: Livraria Pioneira.

· PESSOTI, I.P. Deficiência mental - da superstição à ciência. São Paulo: T.A. Queiroz Editora Ltda. Edus.

PROFESSOR DE ESPANHOL: substantivo e o adjetivo: gênero, número e grau. O uso de determinantes do substantivo: o artigo, o demonstrativo e o possessivo. Os pronomes. Os numerais. O emprego do verbo: tempos e modos. Os advérbios e as locuções. O léxico espanhol: as dificuldades específicas dos lusofalantes. A unidade e a diversidade da língua espanhola. Acentuação gráfica. Numerais. Sintaxe da frase. A diversidade cultural e linguística e as suas contribuições.

BIBLIOGRAFIA:

· BUITRAGO, Alberto. Diccionario de dichos y frases hechas. Madrid: Espasa Calpe.

· GÓMEZ TORREGO, Leonardo. Gramática didáctica del español. Madrid: SM.

· JUNCEDA, Luis. Diccionario de refranes. Madrid: Espasa Calpe.

· MATTEBOM, Francisco. Gramática comunicativa del español. Madrid: Edelsa, 2v.

· REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Diccionario de la lengua española. Madrid: Espasa Calpe, 2v.

· SECO, Manuel. Diccionario de dudas y dificultades de la lengua española. Madrid: Espasa Calpe.

· SECO,Manuel. Gramática esencial de español. Madrid, Espasa Calpe.

· PAIVA, Jane e OLIVEIRA, Ines (ORGS) - Educação de Jovens e Adultos. Rio de Janeiro: DP&A, 2004

PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA: Análise e interpretação de texto. Estudo do vocabulário. Aspectos gramaticais: pronomes, artigo, verbo (regular e irregular no presente passado e futuro), preposição, conjunção, advérbio, adjetivo (forma comparativa e superlativa), caso genitivo, verbos modais, condicionais e plural.

BIBLIOGRAFIA:

· Collins Cobuild English Guides: Confusable Words. Harper Collins.

· McCARTHY, Michael & O'DELL, Felicity. English Vocabulary in Use. Cambridge UP.

· MURPHY, Raymond. English Grammar in Use. Cambridge UP. (Red, Blue and Lilac)

· SWAN, Michael & WALTER, Catherine. The Good Grammar Book. Oxford UP.

· ___________ . How English Works: a grammar practice book. Oxford UP.

PROFESSOR DE SÉRIES INICIAIS: Didática Geral: Infância: Educação e Sociedade. Concepções Pedagógicas. Teorias educacionais. Planejamento na Prática Educativa. Disciplina. Avaliação. O lúdico como instrumento de aprendizagem. Desenvolvimento Infantil. A importância do jogo na aprendizagem. Fracasso escolar. Problemas comportamentais e dificuldades de aprendizagem. Alfabetização. Educação Inclusiva. Educação de Jovens e Adultos. Didática da matemática: A Gênese do Número. O Ensino e aprendizagem da matemática e suas implicações teóricas. A compreensão dos conceitos matemáticos pelas crianças. A construção do conhecimento Matemático. Princípios de aprendizagem. Tipos de aprendizagem da Matemática. O conceito de Numeralização. O Ensino da Aritmética. O Ensino de Frações.

BIBLIOGRAFIA:

· BAPTISTA, Claudio Roberto (Org.). Inclusão e Escolarização - Múltiplas Perspectivas. Editora Mediação.

· BOYNTON, Mark. Prevenção e resolução de problemas disciplinares: Guia para educadores. Porto Alegre: Artmed.

· CARDOSO, Marilene da Silva. Educação inclusiva e diversidade: uma práxis educativa junto a alunos com necessidades especiais. Porto Alegre: Redes Editora.

· COLL, C, MARCHESI, A; PALACIOS J. Desenvolvimento psicológico e educação. Vol. 1, 2 e 3; Trad. Fátima Murad. Artmed.

· DANYLUK, Ocsana. Alfabetização Matemática: as primeiras manifestações da escrita infantil. Ediupf.

· DINIZ, Maria Ignez; SMOLE, Kátia Stocco. Ler, escrever e resolver problemas. Artmed.

· DUHALDE, Maria Elena; CUBERES, Maria Teresa Gonzales. Encontros iniciais com a matemática. Artmed.

· FAYOL, Michel. A criança e o número: da contagem à resolução de problemas. Artmed.

· FERREIRO, Emília. Com todas as letras. São Paulo: Cortez.

· FERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. 21 ed. São Paulo: Cortez.

· FISCHER, Rosa Maria Bueno. Televisão & Educação - Fruir e Pensar a TV. Editora Autêntica.

· FONSECA, Vitor da. Educação especial: programa de estimulação precoce, uma introdução às idéias de Feuerstein. 2 ed. Porto Alegre: Artmed.

· FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. Ed. São Paulo, Cortez.

· FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia - Saberes Necessários à Prática Educativa. Editora Paz E Terra, 36ª Edição, (Coleção Leitura).

· FREIRE, Paulo. Pedagogia dos Sonhos Possíveis. Editora UNESP.

· GOLBERT, Clarissa S. Novos rumos na aprendizagem da matemática. Mediação.

· GROSSI, Esther Pillar. Didática do Nível Alfabético. Editora Paz E Terra, 1990.

· KAMII, Constance. A Criança e o Número. Papirus.

· _______ . Reinventando a aritmética: implicações da teoria de Piaget. Artmed.

· ______ . Aritmética: Novas perspectivas: Implicações da teoria de Piaget. Campinas.

· KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis, RJ. Vozes.

· MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 10 ed. São Paulo: Cortez.

· PANIZZA, Mabel & Cols. Ensinar matemática na educação infantil e nas séries iniciais: análise e propostas. Artmed.

· PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed.

· PIAGET, Jean; SZEMINSKA, A. A Gênese do Número na Criança. Zahar Editores.

· RANGEL, Ana Cristina. Educação matemática e a construção do número pela criança. Artmed.

· SAIZ, Cecília. PARRA, Irma. Didática da Matemática - Reflexões psicopedagógicas. Artmed.

· SÁNCHEZ HUETE, Juan Carlos; FERNÁNDEZ BRAVO, José A.O ensino da matemática: fundamentos teóricos e bases pscicopedagógicas. Artmed.

· SEQUEIROS, Leandro. Educar para a solidariedade: projeto didático para uma nova cultura de relações entre os povos. Porto Alegre: Artmed.

· SMOLE, Kátia Cristina Stocco. A matemática na educação infantil: a teoria das inteligências múltiplas na prática escolar. Artmed.

· SMOLE, Kátia Stocco; DINIZ, Maria Ignez; CÂNDIDO, Patrícia. Coleção matemática de 0 a 6 anos: Resolução de problemas. Artmed.

· VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem.

PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA: Leitura e interpretação de textos. Gêneros e tipos textuais. Variedades linguísticas, linguagem oral e linguagem escrita. Níveis de linguagem. Funções da linguagem. Conotação e denotação. Figuras de estilo. Vícios de linguagem. Coesão e coerência. Intertextualidade. Significação das palavras. Morfologia: constituição do léxico português, estrutura, formação e classificação das palavras. Sintaxe: frase, tipos de frases, estrutura da frase/oração, período simples e período composto, análise sintática interna - termos essenciais, termos integrantes e termos acessórios da oração-, análise sintática externa - orações coordenadas, orações subordinadas e orações reduzidas. Regência nominal e verbal. Concordância nominal e verbal. Colocação de pronomes oblíquos. Fonologia. Ortografia. Acentuação. Crase. Pontuação e implicações semânticas relacionadas ao emprego dos sinais. Literatura brasileira: Gêneros literários; períodos, autores e obras. Literatura portuguesa: períodos, autores e obras. Vida, obra e crítica de autores africanos que escrevem em língua portuguesa: José Luandino Vieira, Mia Couto, Paula Tavares, José Eduardo Agualusa e José Craveirinha.

BIBLIOGRAFIA:

· AGUALUSA, José Eduardo. O ano em que Zumbi tomou o Rio. Dom Quixote, Lisboa, Portugal. 2002.

· ALENCAR, José. Lucíola.

· ANDRADE, Mário. Há uma Gota de Sangue em Cada Poema, 1917

· ANJOS, Augusto dos.Eu. 1912.

· ASSIS, Machado. Papéis avulsos. Histórias sem data.

· BARRETO, Lima. O Homem que sabia javanês.

· BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF. Volume Língua Portuguesa.

· BUENO, Aparecida de Fátima e FERNANDES Annie Giseli. Literatura Portuguesa: História, Memória e perspectivas.

· CONCEIÇÃO, Ângela Cristina Antunes. A Escritura Engajada e Tansculturada de Luandino Vieira. Disponível em www.ueangola.com/index.php/criticas-e-ensaios/item/330-a-escritura-engajada-e­tansculturada-de-luandino-vieira.html

· COUTO, MIA. Economia, a fronteira da cultura. Disponível em www.macua.org/miacouto/Mia_Couto Amecom2003.htm

· COUTO, Mia. Mensagem de Mia Couto. Disponível em www.macua.org/miacouto/Mensagemmiacoutobeira2002.htm

· COUTO, Mia. Savana. Disponível em www.macua.org/miacouto/MiaCoutoinSAVANA13122003.htm

· CRAVEIRINHA, José. Todo conteúdo obtido em www.macua.org/craveirinha.html

· CUNHA, C e CINTRA I. Nova gramática do português. Rio de janeiro: Nova Fronteira.

· FELINTO, Madalena. Mia Couto e o exercício da humildade. Disponível em www.macua.org/miacouto/MiaCoutoexerciciodahumildade.htm

· FIORIN, J.L. e Savioli, F.P. Lições de textos. 3ª ed. São Paulo: Ática.

· KOCH, I. L. Travaglia, Luis Carlos. Texto e coerência. São Paulo: Cortez.

· KOCH, I.G.V. A coesão textual. São Paulo: Contexto.

· LIMA, Carlos Henrique Rocha. Gramática Normativa da Língua Portuguesa, ed. Rio de Janeiro

· LISPECTOR, Clarice. A Bela e a Fera. 1979

· MARCUSHI, Luiz Antonio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In Dionísio, A.P. et al. Gêneros textuais e ensino.

· MEIRELES, Cecília. Ou Isto ou Aquilo -1964

· MOISES, Massaud. Literatura brasileira: das origens aos nossos dias. São Paulo: Cultrix.

· NICOLA, José de. Gramática e Literatura: Ensino Médio: Volume Único

· RIO, João do. Cinematógrafo (crônicas cariocas). Porto: Chardron, 1909.

· SCHMIDT Simone Pereira. MULHERES E MEMÓRIA DA GUERRA NAS CRÔNICAS DE ANA PAULA TAVARES. Disponível em http://setorlitafrica.letras.ufrj.br/mulemba/download/artigo 2 2.pdf

· SOARES, M.B. Linguagem e escrita: uma perspectiva social, São Paulo: Ática.

· TAVARES, Paula. A cabeça de Salomé. Disponível em www.hojelusofonia.com/linguaportuguesa/a­cabeca-de-salome/

· TUTIKIAN, Jane Fraga.A África de língua portuguesa : os órfãos de passado & a busca do presente em Construções literárias e discursivas da modernidade. Porto Alegre: Nova Prova, 2008.

· VANOYE, Francis. Usos da linguagem. ed. São Paulo: Martins Fontes.

· VIEIRA, Luandino. Vavó Xíxi e seu neto Zeca Santos. Disponível em http://pt.scribd.com/doc/7341187/Luuanda-vavO-xIxi-e-Seu-Neto-Zeca-Santos-Luandino-Vieira

PROFESSOR DE MATEMÁTICA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA: Conjuntos e Conjuntos numéricos. Noções básicas da reta euclidiana. Números algébricos e números transcendentes. Números complexos. Conceito de função. Funções polinomiais; algébricas; racionais;exponenciais; logarítmicas; trigonométricas; logaritmo e exponencial complexas. Polinômio interpolador de Lagrange. Números complexos, raízes da unidade, fórmula de Moivre. Progressões. GEOMETRIA: Geometria plana: pontos, retas, ângulos; triângulos congruentes e semelhantes; construções com régua e compasso; funções trigonométricas de ângulos; lugares geométricos. Decomposição de regiões planas e de sólidos espaciais; área de figuras planas, comprimento de círculo. Geometria espacial: paralelismo, perpendicularidade, ângulos; secções cônicas e propriedades óticas; semelhança e homotetia; volumes e áreas de sólidos de revolução e de poliedros; transformações geométricas, noções gerais sobre polígonos, poliedros, simetrias; Teorema de Euler; Sólidos platônicos; Trigonometria; Teoremas fundamentais de geometria. Geometria analítica: Teorema Fundamental da Geometria Analítica; vetores, operações com vetores; distâncias, áreas e volumes; sistemas de coordenadas; estudo da reta, do plano, de curvas e de superfícies no espaço. PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA: Estatística Descritiva: mensuração, medidas de tendência central, medidas de dispersão, distribuições de frequências e representação gráfica. Espaço amostral e eventos. Conceitos de probabilidade. Probabilidade condicionada e independente. Cálculo de probabilidades. Variáveis aleatórias discretas e continuas. Distribuições de probabilidades discretas e continuas. Amostragem. Estimação. Testes de hipóteses. Correlação. Regressão. ÁLGEBRA LINEAR: Sistema de equações lineares. Matrizes e Determinantes. Fatoração L.U. Vetores. Espaços vetoriais. Ortogonalidade. Valores próprios. Aplicações. ÁLGEBRA: Teoria de conjuntos. Relações. O corpo dos números complexos. Equações de grau n. Teorema Fundamental da Álgebra. Fatoração de polinômios em R[X]. Polinômios em K[X]. Algoritmo da Divisão. Irredutibilidade. Decomposição em fatores irredutíveis. Extensões de corpos. Números construtíveis. Séries. EQUAÇÕES DIFERENCIAIS E DIFERENÇAS FINITAS: Equações diferenciais ordinárias de primeira ordem. Equações lineares de segunda ordem. Sistemas de equações diferenciais lineares. Equações de diferenças finitas. APLICAÇÕES DA MATEMÁTICA: Modelos de crescimento contínuo: linear, exponencial, logístico e newtoniano; equações diferenciais destes modelos. Modelos de crescimento discreto: as equações a diferenças finitas. CÁLCULO NUMÉRICO: Sistemas de numeração. Erros. Ajustamento de equações. Interpolação, derivação e integração. Solução de equações lineares e não lineares. Solução de sistemas de equações lineares e não lineares. Noções de otimização. Solução de equações diferenciais e equações diferenciais parciais. Noções do método Monte Carlo em suas diferentes aplicações.

BIBLIOGRAFIA:

· L. Bortoli, C. Cardoso, M. P. G. Fachin & R. D. Cunha. Introdução ao Cálculo Numérico. Cadernos de Matemática e Estatística, UFRGS.

· ÁVILA, G. Análise Matemática para Licenciatura. Edgar Bl· cher Ltda.

· BOULOS, Paulo e CAMARGO, Ivan de. Geometria Analítica - um tratamento vetorial. Makron.

· BOYCE, W.E. e DIPRIMA, R.C.. Equações Diferenciais Elementares e Problemas de Contorno. John Wiley & Sons.

· BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática.

· CARAÇA, Bento de Jesus. Conceitos Fundamentais de Matemática. Gradiva Publicações, Coleção Ciências Exatas.

· CARMO, M. Perdigão do. Trigonometria e Números Complexos. Coleção de Matemática, SBM.

· CONDE, Antonio. Geometria Analítica. Editora Atlas.

· DOLCE, Osvaldo e POMPEO, NICOLAU, José. Fundamentos de Matemática Elementar. Volume 10. Atual.

· GONÇALVES, Adilson. Introdução à Álgebra. Projeto Euclides, IMPA.

· HEFEZ. Curso de Álgebra. Coleção Matemática Universitária, IMP A.

· ______. Introdução à Aritmética. Coleção Textos Universitários, SBM.

· HOWARD, Anton. Cálculo, um novo horizonte. Vol. 1 e 2. Bookman.

· IÓRIO, V.. EDP, Um curso de Graduação. Coleção Matemática Universitária.

· LAY, David C.. Álgebra Linear com Aplicações. LTC Editora.

· LIMA, E. L.. A Matemática do Ensino Médio. Vols 1 a 3. Coleção do Professor Matemática, SBM.

· _________ . A Matemática do Ensino Médio. Coleção do Professor de Matemática, SBM.

· MEYER, Paul L. Probabilidade: Aplicações à Estatística. LTC Editora.

· SILVA, Claudio e BARRETO, Benigno. Matemática aula por aula: Ensino Médio. Vols. 1, 2 e 3. FTD.

· WAGNER, Eduardo. Construções geométricas. SBM.

PSICOPEDAGOGO: Educação no mundo contemporâneo - as exigências de um novo perfil de cidadão; tendências atuais da educação; novas demandas para a educação escolar e alternativas de atendimento; quem é o aluno brasileiro: perfil, expectativas; saberes e práticas voltados para o desenvolvimento de interações sociais, capacidades cognitivas, afetivas, culturais e psicomotoras.Educação escolar e qualidade de ensino - diretrizes e fundamentos legais para a educação básica; a escola como efetivo espaço de aprendizagem e de socialização; proposta educacional e pedagógica da escola: expressão das demandas sociais, das características multiculturais e das expectativas dos alunos; currículo e avaliação: as dimensões da avaliação institucional e do processo ensino-aprendizagem; a utilização das tecnologias educacionais a serviço da aprendizagem. Ação psicopedagógica - a especificidade da função psicopedagógica a serviço da garantia de educação escolar de qualidade como direito de todos. A aprendizagem e a educação: - O aprender - Como? - O não aprender - Por quê? - As perturbações na aprendizagem. - Os problemas de aprendizagem. - O alcance da psicopedagogia e a intervenção psicopedagógica específica. Dimensões do processo de aprendizagem: - As questões da não-aprendizagem. - O fracasso escolar e a busca de soluções alternativas. - A importância do diagnóstico.

BIBLIOGRAFIA:

· PAIN, Sara. Diagnóstico e Tratamento dos Problemas de Aprendizagem. Editora Artmed. 1985.

· SCOZ, Beatriz. Psicopedagogia e realidade escolar. Editora Vozes. Ano 1994.

· BOSSA, N. A. & OLIVEIRA, V. B. Avaliação Psicopedagógica da Criança de 0 a 6 anos. Editora Vozes..

· BOSSA, Nadia Aparecida & OLIVEIRA, Vera Barros. Avaliação Psicodegagógica da Criança de 7 a 11 Anos. Editora Vozes.

· BOSSA, Nadia & OLIVEIRA, Vera Barros de. Avaliação Psicopedagógcia do Adolescente. Editora Vozes.

· BOSSA, Nádia. A Psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática. Editora Artmed.

· COLL, César. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Editora Artmed.

· MATTOS, Paulo. No Mundo da Lua. Editora Lemos Editorial..

· STERNBERG, Robert J.; GRIGORENKO, Elena L. Crianças Rotuladas: o que é necessário saber sobre as dificuldades de aprendizagem. Ed. Artmed.

· TEBEROSKY, Ana & CARDOSO, Beatriz. Reflexões sobre o ensino da Leitura e da Escrita. Editora UNICAMP.

· BASSEDAS, Eulália e colaboradores. Intervenção Educacional e Diagnóstico Psicopedagógico. Editora Artmed.

· SCOZ, Beatriz (org.). Psicopedagogia: um portal para a inserção social. Editora Vozes.

· FERNANDEZ, Alicia. O saber em jogo: a psicopedagogia propiciando autorias de pensamento. Porto Alegre: Artmed.

· MONEREO, Carlos & SOLE, Isabel e colaboradores. O assessoramento psicopedagógico: uma perspectiva profissional e construtivista. Editora Artmed.

SECRETÁRIO DE ESCOLA: Comunicação Oral e Escrita: atendimento ao público, relações humanas, comunicação,comunicações organizacionais, eficácia nas comunicações administrativas, correspondência oficial - documentos e/ou modelos utilizados, mensagens eletrônicas, atendimento telefônico, formulários, cartas comerciais, serviços da empresa brasileira de telégrafos, fraseologia adequada, redação oficial, abreviações, formas de tratamento. Documentação e Arquivo: pesquisa, documentação, arquivo, sistemas e métodos de arquivamento. Cronograma de atividades do serviço de secretaria. Serviço de pessoal, conceito, competência, atribuições. Ergonomia: postura e movimento, fatores ambientais, organização e higiene do/no local de trabalho, informação e operação.

BIBLIOGRAFIA:

· BRASIL. Manual de Redação da Presidência da República. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/manual/manual.htm

· KASPARY, Adalberto José, "Redação Oficial Normas e Modelos", Ed. PRODIL, POA.

SUPERVISOR ESCOLAR: As funções do Supervisor nos diversos campos de atuação frente a atual realidade educacional brasileira. Papel e dimensões da atuação da Supervisão na prática pedagógica gerencial. Elementos e processos inerentes ao objetivo de trabalho do Supervisor . Diálogo. Planejamento. Acompanhamento / coordenação. Avaliação.

BIBLIOGRAFIA:

· ALVES, Iracy Maria de Azevedo. Viajando na Avaliação da Aprendizagem, embarquei nos provérbios. In: Revista de educação CEAP - setembro/97- n 18. São Paulo: Edições Loyola.

· ALVES, Nilda (coord.). Educação e Supervisão: o trabalho coletivo na escola - 5° ed. São Paulo: Cortez.

· BALZAN, Newton César, Supervisão e Didática. In: Educação e supervisão: O trabalho coletivo na escola de ALVES, Nilda et. al. São Paulo: Cortez Editora.

· ENGERS, Maria Emilia Amaral. A supervisão escolar e o processo de alfabetização: um estudo de caso em uma escola pública de Porto Alegre. Brasilia, INEP/MEC. Série Documental: Relatos de Pesquisa, n. 23.

· GARCIA, Regina Leite. Especialistas em Educação, os mais novos responsáveis pelo frasso escolar. In: ALVES, Nilda e GARCIA, Regina Leite. O fazer e o pensar dos Supervisores e Orientadores Educacionais. São Paulo: Loyola.

· PEREIRA, Eliana Póvoas (org.). Supervisão Escolar: cartografando roteiros edefinindo rotas. Injuí - Rio Grande do Sul: Editora UNIJUÍ, 1996. (Cadernos UNIJUÍ)

· SILVA, Ezequiel Theodoro da. Carbono para planejamento. Extraído de Magistério e Mediocridade: Editora Cortez

· SILVA JUNIOR, Celestino Alves. Nove olhares sobre a supervisão. Papirus - 3° ed. São Paulo.

TÉCNICO EM ENFERMAGEM: CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Noções de anatomia. Relações humanas no trabalho: equipe de trabalho e pacientes. Noções de microbiologia: infecção e desinfecção. Esterilização de materiais. Preparo e manuseio de materiais para procedimentos. Medidas de conforto: a) Preparo do leito, b) Movimentação, c) Transporte e higiene do paciente. Alimentação do adulto e da criança: a) Dietas, b) Administração. Preparo do paciente para exames e cirurgias: assistência a exames diversos. Assistência aos pacientes nas eliminações. Coleta de exames. Verificação de sinais vitais. Aplicação de calor e frio. Administração de medicamentos: dosagens e aplicação. Hidratação. Curativos. Cuidados no pré, trans e pós operatório. Prevenção de acidentes. Primeiros socorros. Assistência no pré-natal. Doenças comuns na infância. Programas saúde pública. Imunizações. Preparo do corpo após a morte. Prevenção e controle das infecções hospitalares. Pacto pela Saúde.

BILIOGRAFIA:

· BOLICK, Dianna e outros. Segurança e Controle de Infecção. Reichmann & Affonso Editores.

· BRASIL - Ministério da Saúde. Diretrizes Operacionais - Pactos pela Vida, em defesa do SUS e de Gestão. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 01. Brasília/DF. 2006;

· BRASIL - Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 04. Brasília/DF. 2006;

· BRASIL - Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 07. 2 ed. Brasília/DF. 2006;

· BRASIL - Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Série Pactos pela Saúde 2006 - Vol. 07. 3 ed. Brasília/DF. 2006;

· BRASIL - Ministério da Saúde. Sistema de Planejamento do SUS. Uma Construção Coletiva - Instrumentos Básicos. Brasília/DF. 2 ed. 2009;

· BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Normas de Vacinação. · BRASIL. Ministério da Saúde. Guia para controle da hanseníase.

· BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Procedimentos para Vacinação.

· BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Rede de Frio - Ministério da Saúde - Fundação Nacional de Saúde.

· BRASIL. Ministério da Saúde. Manual técnico para o controle da tuberculose: cadernos da atenção básica. Secretaria de Políticas de Saúde Departamento de Atenção Básica.

· BRASIL. Portaria n°. 2.616 de 12 de maio 1998. Dispõe sobre prevenção e controle das infecções hospitalares.

· CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução n°. 311/07. Aprova a Reformulação do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.

· LIMA, Idelmina Lopes de e outros. Manual do Técnico e Auxiliar de Enfermagem. Editora AB.

· MARCONDES, Ayrton César. Programas de Saúde (2° Grau). Volume Único - Atual Editora.

· SOARES, José Luis. Programas de Saúde. Editora Scipione.

· V VEIGA, Deborah de Azevedo; CROSSETTI, Maria da Graça Oliveira. Manual de Técnicas de Enfermagem. Sagra-DC Luzzatto Editores.

ANEXO - IV REQUERIMENTO - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Concurso Público: ____________ Município/Órgão: ______________________________

Nome do candidato:_______________________________________________________

Nº da inscrição: ____________________________ Cargo:_________________________

Vem REQUERER vaga especial como PESSOA COM DEFICIÊNCIA, apresentou LAUDO MÉDICO com CID (colocar os dados abaixo, com base no laudo):

Tipo de deficiência de que é portador: ______________________________________

Código correspondente da Classificação Internacional de Doença - CID ____________

Nome do Médico Responsável pelo laudo:___________________________________

(OBS: Não serão considerados como deficiência os distúrbios de acuidade visual passíveis de correção simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congêneres)

Dados especiais para aplicação das PROVAS: (marcar com X no local caso necessite de Prova Especial ou não, em caso positivo, discriminar o tipo de prova necessário )

( ) NÃO NECESSITA DE PROVA ESPECIAL e/ou TRATAMENTO ESPECIAL

( ) NECESSITA DE PROVA ESPECIAL (Discriminar abaixo qual o tipo de prova necessário)

___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

É obrigatória a apresentação de LAUDO MÉDICO com CID, junto a esse requerimento.

(Datar e assinar)
________________________________________
Assinatura

ANEXO V - DETALHAMENTO DAS PROVAS PRÁTICAS

1 - CARGO: MOTORISTA (CAMINHÃO BASCULANTE)

O candidato convocado, depois de identificado, aguardará sua vez para realização da prova, em local reservado para este fim.

A prova prática será realizada individualmente.

Ao concluir a prova, o candidato deverá retirar-se, imediatamente, do local de aplicação, sem comunicar-se com os demais candidatos.

A realização da prova prática somente será possível mediante a apresentação da Carteira Nacional de Habilitação, categoria mínima "D".

A avaliação da prova consistirá na verificação preliminar das condições operacionais dos veículos antes de seu funcionamento, desempenho e operacionalidade dos mesmos

A prova prática será avaliada em 60 (sessenta) minutos, sendo-lhe atribuída, no total 100 (cem) pontos e será constituída de 2 (duas) tarefas, valendo 50 (cinquenta) pontos cada tarefa, conforme os critérios da folha de avaliação.

2 - CARGO: MECÂNICO DE MÁQUINA PESADA

O candidato convocado já identificado aguardará sua vez para realização da prova em local reservado para este fim.

A prova prática será realizada individualmente.

A realização da prova prática somente será possível mediante a apresentação da Carteira Nacional de Habilitação, categoria mínima "D".

Ao concluir a prova, o candidato deverá retirar-se imediatamente do local de aplicação, sem comunicar-se com os demais candidatos.

A avaliação da prova consistirá na verificação preliminar das condições operacionais dos veículos antes de seu funcionamento, desempenho e operacionalidade do mesmo (TRATOR).

A prova prática será avaliada em 60 (sessenta) minutos, sendo-lhe atribuída, no total 100 (cem) pontos e será constituída de 2 (duas) tarefas, valendo 50 (cinquenta) pontos cada tarefa, conforme os critérios da folha de avaliação.

3 - CARGO: OPERADOR DE MÁQUINAS PESADA (CARREGADEIRA E RETROESCAVADEIRA)

O candidato convocado já identificado aguardará sua vez para realização da prova em local reservado para este fim.

A prova prática será realizada individualmente.

A realização da prova prática somente será possível mediante a apresentação da Carteira Nacional de Habilitação, categoria mínima "D".

Ao concluir a prova, o candidato deverá retirar-se imediatamente do local de aplicação, sem comunicar-se com os demais candidatos.

A avaliação da prova consistirá na verificação preliminar das condições operacionais dos veículos antes de seu funcionamento, desempenho e operacionalidade do mesmo (Carregadeira e Retroescavadeira).

A prova prática será avaliada em 60 (sessenta) minutos, sendo-lhe atribuída, no total 100 (cem) pontos e será constituída de 2 (duas) tarefas, valendo 50 (cinquenta) pontos cada tarefa, conforme os critérios da folha de avaliação.

4 - CARGO: ELETRICISTA

O candidato convocado já identificado aguardará sua vez para realização da prova em local reservado para este fim.

A prova prática será realizada individualmente.

Ao concluir a prova, o candidato deverá retirar-se imediatamente do local de aplicação, sem comunicar-se com os demais candidatos.

A avaliação da prova consistirá na verificação preliminar de materiais, logo será realizada uma tarefa a fim de demonstrar a capacidade de realização de um circuito elétrico.

A prova prática será avaliada em 60 (sessenta) minutos, sendo-lhe atribuída, no total 100 (cem) pontos e será constituída de 2 (duas) tarefas, valendo 50 (cinquenta) pontos cada tarefa, conforme os

5 - CARGO: OPERADOR DE USINA DE ASFALTO

O candidato convocado já identificado aguardará sua vez para realização da prova em local reservado para este fim.

A prova prática será realizada individualmente.

Ao concluir a prova, o candidato deverá retirar-se imediatamente do local de aplicação, sem comunicar-se com os demais candidatos.

A avaliação da prova consistirá na verificação preliminar das condições operacionais da máquina antes de seu funcionamento, desempenho e operacionalidade dos mesmos.

A prova prática será avaliada em 60 (sessenta) minutos, sendo-lhe atribuída, no total 100 (cem) pontos e será constituída de 2 (duas) tarefas, valendo 50 (cinquenta) pontos cada tarefa, conforme os critérios da folha de avaliação.

Todos os candidatos terão o mesmo tempo de realização da prova, bem como a mesma tarefa a executar.

133128

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231