Prefeitura de Papagaios - MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAPAGAIOS

ESTADO DE MINAS GERAIS

EDITAL Nº 01/2008

Notícia:   150 vagas de até R$ 2.500,00 para a Prefeitura de Papagaios - MG

O Exmo. Sr. Prefeito Municipal de Papagaios, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, torna público que fará realizar Concurso Público de provas para provimento de cargos vagos, bem como dos que venham a vagar ou ser criados no prazo de validade deste concurso e será realizado sob a responsabilidade da Fundação Mariana Resende Costa FUMARC, nos termos do presente Edital.

1. DOS CARGOS:

1.1. Cargos, requisitos, jornada de trabalho, vagas, constam do anexo II do Edital.

2. DO LOCAL DE TRABALHO E REGIME JURÍDICO:

2.1 Local de trabalho: Nas unidades da Administração Municipal e conveniadas.

2.2 Regime jurídico: estatutário.

3. DAS CONDIÇÕES PARA INSCRIÇÃO:

3.1 Ser brasileiro nato ou naturalizado.

3.2 Estar em dia com as obrigações eleitorais.

3.3 Estar em dia com as obrigações militares, se do sexo masculino.

3.4 Ter na data da posse 18 (dezoito) anos completos.

3.5 Comprovar, na data da posse, possuir os requisitos exigidos no Anexo II deste Edital.

3.6 Apresentar os documentos exigidos por ocasião da posse.

4. DAS DISPOSIÇÕES RELATIVAS ÀS INSCRIÇÕES:

4.1. VIA INTERNET

Será admitida a inscrição via INTERNET, no endereço www.fumarc.com.br, solicitada no período de 07 de julho a 28 de julho de 2008.

Horário integral, exceto no dia 07 de julho que será a partir das 9:00 horas, e no dia 28 de julho, que será até às 22:00 horas.

4.1.1 A FUMARC não se responsabiliza por inscrição via INTERNET não recebida por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência dos dados.

4.1.1.1 Quaisquer dúvidas quanto a inscrição, o candidato deverá entrar em contato com a FUMARC Concursos, pessoalmente ou através do telefone (31)3375-6000, de segunda a sexta-feira de 9 às 17 horas.

4.1.3 O comprovante de inscrição do candidato será o boleto, devidamente quitado. A inscrição somente será concretizada se confirmado o pagamento da taxa de inscrição.

4.1.4 O Edital e o calendário do Concurso estarão disponíveis no endereço eletrônico www.fumarc.com.br, sendo de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção desse material.

4.1.5 São de responsabilidade única do candidato os dados cadastrais informados na solicitação de inscrição.

4.1.6 Não será admitida a troca do cargo escolhido, após o término das inscrições.

4.1.7 Informações complementares acerca da inscrição via INTERNET estarão disponíveis no endereço eletrônico supracitado.

4.1.8 O candidato poderá inscrever-se somente para um cargo. Caso houver mais de uma inscrição, será considerada válida a última inscrição efetuada.

4.1.9 Não haverá, sob qualquer pretexto, inscrição provisória ou condicional, assim como por via postal, fax ou correio eletrônico.

4.1.10 Em hipótese alguma haverá devolução da taxa de inscrição.

4.1.11 A declaração falsa ou inexata dos dados constantes no requerimento de inscrição, mesmo que verificadas a qualquer tempo, determinará o cancelamento da inscrição e a anulação de todos os atos decorrentes, sem prejuízo das sanções civis e penais cabíveis.

4.1.12 A inscrição implicará no conhecimento e na aceitação das normas reguladoras do certame ora estabelecido.

4.1.13. A FUMARC enviará ao candidato, o Cartão de Informação, constando data, horário e o local de aplicação das provas, através dos correios, para o endereço indicado no formulário eletrônico. É de inteira responsabilidade do candidato a informação completa de seu endereço para a remessa de correspondências e convocações.

O local e horário das provas serão divulgados na INTERNET, no site da FUMARC, www.fumarc.com.br, em até 05 dias antes da prova. É de responsabilidade do candidato o comparecimento no horário determinado. O envio da correspondência dirigida ao candidato ainda que extraviada ou por qualquer motivo, não recebida, não desobriga o candidato do dever de observar a divulgação feita pela FUMARC na INTERNET.

4.2. VALOR DA TAXA DE INSCRIÇÃO

Nível Fundamental Incompleto (conclusão da 4ª Série) = R$ 20,00 (vinte reais) Nível Fundamental = R$ 25,00 (vinte e cinco reais)

Nível Médio Completo = R$ 35,00 (trinta e cinco reais)

Nível Superior = R$ 60,00 (sessenta reais)

5. DOS PROGRAMAS DAS PROVAS:

5.1 Os programas das provas constam do Anexo IV deste Edital.

6. DAS PROVAS:

6.1.1 As provas objetivas obedecerão às especificações do Anexo I deste Edital e terão duração máxima de 3 (três) horas.

6.1.2 Cada questão constará de 4 (quatro) alternativas e uma única opção correta.

6.1.3 A data, o horário e o local em que o candidato realizará as provas constarão de seu cartão de informação, a ser enviado para o candidato no endereço constante do requerimento de inscrição.

6.1.3.1. O candidato que não o receber até o dia 20 de outubro de 2008, ou o receber contendo alguma divergência, deverá entrar em contato com a FUMARC em até o dia 23 de outubro, telefone XX 31 3375.6000, para as devidas informações, ou acessar o site www.fumarc.com.br onde estará disponibilizado para impressão pelo próprio candidato.

6.1.4 A data da prova constará do calendário do Concurso.

6.1.5 O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização das provas com antecedência mínima de 30 (trinta) minutos do horário fixado para o seu início.

6.1.6 O ingresso do candidato na sala para a realização das provas só será permitido dentro do horário estabelecido, mediante apresentação do cartão de informação, juntamente com o documento de identidade original válido.

6.1.7 Para a realização das provas, o candidato deverá portar somente documento de identidade, caneta esferográfica de tinta azul ou preta, lápis e borracha.

6.1.8 Durante a realização das provas não será permitida qualquer espécie de consulta (livros, notas, manuais, impressos ou anotações), nem o uso de relógios, telefone celular, transmissor/receptor de mensagens de qualquer tipo, máquina calculadora ou qualquer equipamento eletrônico.

6.1.9 Será excluído do Concurso o candidato que, por qualquer motivo, faltar às provas ou, durante a sua realização, for colhido em flagrante comunicação com outro candidato ou com pessoas estranhas, oralmente ou por escrito, ou ainda se utilizar de notas, livros, impressos ou qualquer dispositivo eletrônico, inclusive telefone celular.

6.1.10 Caso seja anulada alguma questão da prova, esta será contada como acerto para todos os candidatos.

6.1.11 Em hipótese alguma haverá prova fora do local e horário determinados, segunda chamada para as provas, nem vista das mesmas.

6.1.12 Serão computadas como erros as questões não assinaladas, as que contenham mais de uma resposta ou as rasuradas.

6.1.13 O candidato deverá, obrigatoriamente, entregar ao fiscal de sala, quando do término da prova, sua folha de respostas e o caderno de questões. O caderno de questões será disponibilizado na INTERNET, no site www.fumarc.com.br, no prazo máximo de 02 (dois) dias úteis após a realização da prova.

6.1.15 As provas serão aplicadas preferencialmente no município de Papagaios, porém, se necessário, também em cidades próximas.

7. DO PROCESSO DE CLASSIFICAÇÃO:

7.1 Será atribuído à prova objetiva o total máximo de 100(cem) pontos, sendo atribuídos 2,5 (dois e meio) pontos para cada questão de prova, exceto para os cargos que exigem a Conclusão da 4ª série do nível Fundamental, em que cada questão de prova valerá 5,0(cinco) pontos.

7.2 Será eliminado o candidato que não alcançar no mínimo 50% (cinqüenta por cento) do valor total da prova, como também zerar qualquer disciplina que a compõe.

7.3. Ocorrendo empate na pontuação final, terá preferência o candidato que:

a) For o mais idoso, na forma da Lei nº. 10.741 de 01/10/2003 - § Único do artigo 27.

b) obtiver maior pontuação na prova de Mecânica de Automóvel, para o cargo de Motorista;

c) tiver maior pontuação na prova específica, quando for o caso;

d) obtiver maior pontuação na prova de Língua Portuguesa para os demais cargos; 7.4. Persistindo o empate, terá preferência o candidato de maior idade.

7.5. Da Classificação Final

7.5.1 A classificação final dos candidatos será pela ordem decrescente dos pontos obtidos na prova objetiva;

7.5.2 O resultado final será disponibilizado via INTERNET e publicado no Diário Oficial de Minas Gerais.

7.5.3 Não serão publicados os resultados dos candidatos reprovados.

8. DOS RECURSOS:

8.1 Caberá recurso, perante a Comissão de Concurso da Prefeitura Municipal de Papagaios:

a) contra qualquer questão da prova, desde que devidamente fundamentado, no prazo de 2 (dois) dias, observado sempre um recurso para cada questão, contados da divulgação do gabarito oficial que será afixado na portaria da Prefeitura de Papagaios e divulgado no site www.fumarc.com.br, no dia seguinte à realização das provas;

b) contra a lista de classificação, desde que se refira a erro de cálculo, no prazo de 2 (dois) dias úteis a partir da data publicação da mencionada lista, no jornal Diário Oficial de Minas Gerais.

8.2 O recurso deverá ser individual, com a indicação precisa daquilo em que o candidato se julgar prejudicado, e devidamente fundamentado.

8.3 O requerimento deverá ser digitado ou com letra de forma legível, contendo o cargo, nome e número de inscrição do candidato e em 03 (três) vias, sendo 01(uma) via para o candidato.

8.4 Os recursos deverão ser entregues, pessoalmente ou encaminhados por SEDEX, dentro dos prazos previstos neste Edital, à sede da FUMARC, Rua Dom Lúcio Antunes, 256 - Bairro Coração Eucarístico - CEP 30535-630, em Belo Horizonte, que os analisará e encaminhará à Comissão do Concurso da Prefeitura Municipal de Papagaios.

8.5 Ser entregue em envelope contendo, externamente, em sua face frontal os seguintes dados: Concurso Público Prefeitura Municipal de Papagaios - Edital 01/08, o nome e o número de inscrição do candidato.

8.6 Será indeferido, liminarmente, o pedido de recurso não fundamentado ou intempestivo ou não subscrito pelo próprio candidato ou fora do prazo previsto em Edital.

8.7 Não serão aceitos recursos interpostos por fac-símile, telex, telegrama, INTERNET.

8.8 O prazo previsto para interposição de recurso é preclusivo e comum a todos os candidatos.

8.9 Se do julgamento dos recursos resultar em anulação de questão, a pontuação correspondente à questão anulada será atribuída a todos os candidatos, independentemente de terem recorrido, não se admitindo recurso da decisão da Banca Examinadora.

9. DA NOMEAÇÃO E POSSE:

9.1 São condições para a nomeação e posse:

a) ter sido aprovado no Concurso;

b) ter, no mínimo, 18 (dezoito) anos de idade completos na data da convocação para a nomeação;

c) estar qualificado para o cargo pretendido, de acordo com o previsto no Anexo II deste Edital, na data da convocação;

d) apresentar os documentos de que trata o item 9.3 no prazo determinado pela Prefeitura Municipal de Papagaios.

9.2 A nomeação do candidato se dará na estrita conformidade da ordem de classificação, de maneira gradativa, de acordo com a conveniência administrativa da Prefeitura Municipal de Papagaios.

9.3 O candidato convocado para a nomeação e em prazo determinado, deverá apresentar:

a) duas fotografias iguais e recentes, coloridas, tamanho 3x4;

b) cópia da carteira de identidade e do CPF;

c) cópia da certidão de nascimento ou casamento;

d) cópia do título de eleitor ou documento equivalente e comprovante de votação na última eleição;

e) cópia do certificado de reservista ou documento equivalente, se do sexo masculino;

f) atestado de antecedentes com o "nada consta", fornecido pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de Minas Gerais;

g) laudo médico favorável subscrito pelo Serviço Médico do Município de Papagaios.

h) diploma ou certificado de conclusão do curso correspondente à escolaridade exigida, conforme especificação constante do Anexo II deste Edital;

i) comprovação da experiência para os cargos que a exigem;

j) Carteira Nacional de Habilitação para os cargos que a exigem, acompanhada do nada consta fornecido pelo DETRAN,

9.4 O candidato que não apresentar, por qualquer motivo, no prazo determinado, a documentação constante do item anterior perderá, em definitivo, o direito à nomeação e posse.

10. DOS CANDIDATOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA:

10.1 Às pessoas portadoras de deficiência é garantido o direito de se inscreverem neste Concurso, desde que as atribuições e as aptidões específicas estabelecidas para o cargo pretendido sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras.

10.2 No ato da inscrição, a pessoa portadora de necessidades especiais deverá declarar esta condição no requerimento de inscrição, indicando a espécie da deficiência. O candidato portador de deficiência que, no ato da inscrição, não declarar essa condição, não poderá, posteriormente, reivindicar os benefícios da Lei 11.867/95.

10.3 De acordo com a Lei, considera-se pessoa portadora de deficiência aquela que apresenta, em caráter permanente, perda ou anormalidade de natureza psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividades dentro do padrão considerado normal para o ser humano.

10.4 O candidato que necessitar de prova em condições especiais deverá solicitá-la por meio de requerimento dirigido à FUMARC Concursos, Rua Dom Lúcio Antunes, 256, Bairro Coração Eucarístico, Belo Horizonte, CEP 30.535-630, indicando o tipo de atendimento necessário, até 10 dias corridos após o último dia da inscrição.

10.5 Se classificado no Concurso, o candidato deverá encaminhar à Prefeitura Municipal de Papagaios, quando da convocação para nomeação, laudo médico atestando a espécie e o grau ou nível de deficiência, com expressa referência ao código correspondente do CID, bem como a sua provável causa.

10.6 Na falta do atestado médico ou não contendo este as informações indicadas no item 10.5 o requerimento de inscrição será processado como de candidato não portador de deficiência, mesmo que declarada tal condição.

10.7 O candidato portador de deficiência aprovado será submetido à avaliação pela Junta Médica Municipal, em data a ser informada, que emitirá, decisão definitiva sobre sua qualificação como deficiente e se o grau de deficiência é compatível com o exercício do cargo.

10.8 A publicação do resultado será feita em duas listas, contendo, a primeira, a classificação de todos os candidatos, inclusive a dos que se declararam como portadores de deficiência e, a segunda, somente a classificação desses últimos.

11. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS:

11.1 Todas as publicações referentes a este Concurso serão feitas no.Diário Oficial de Minas Gerais.

11.2 O prazo de validade do presente Concurso é de 2 (dois) anos, a contar de sua homologação, prorrogável por mais 2 (dois) anos, a critério da Prefeitura Municipal de Papagaios.

11.3 Em nenhuma hipótese haverá justificativa para os candidatos pelo não cumprimento dos prazos determinados, nem serão aceitos documentos após as datas estabelecidas.

11.4 O candidato aprovado compromete-se a manter seu endereço atualizado, por meio de correspondência dirigida à Prefeitura Municipal de Papagaios, situada à Avenida Dona Joaquina do Pompéu, 64 - Centro, CEP 35669000 - Papagaios - Minas Gerais.

11.5 Este Edital será divulgado no seguinte endereço eletrônico: www.fumarc.com.br

11.6 Os trabalhos da FUMARC serão supervisionados pela Comissão de Concursos constituída pela Prefeitura Municipal de Papagaios, à qual serão submetidos os casos omissos ou duvidosos.

11.7 Qualquer contato com a FUMARC deverá ser feito pelo telefone 31 3375.6000 ou no endereço á Rua Dom Lúcio Antunes, 256 Bairro Coração Eucarístico, Belo Horizonte, CEP 30535-630, no horário de 09 às 17 horas, de 2ª a 6ª feira.

11.8 O Concurso será homologado pelo Prefeito Municipal de Papagaios.

11.9 A Prefeitura Municipal de Papagaios e a FUMARC não se responsabilizam por quaisquer cursos, textos ou apostilas referentes ao Concurso ou por quaisquer informações que estejam em desacordo com este Edital.

Papagaios, _____ de _____________________ de 2008.

Mário Reis Filgueiras
Prefeito Municipal de Papagaios

ANEXO I - QUADRO DE PROVAS

NOME DO CARGO

CÓDIGO DO CARGO

ESCOLARIDADE EXIGIDA

PROVAS

QUESTÕES

Bombeiro

1

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Coveiro

2

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Gari

3

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Motorista

4

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Mecânica de Automóveis

10
10

Motorista de Ambulância

5

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Mecânica de Automóveis

10
10

Operador de Máquina Agrícola

6

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Operador de Máquina Pesada

7

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Operador de Moto Niveladora

8

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Operário

9

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Rondante

10

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Servente

11

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Servente Escolar

12

Conclusão da 4ª Série Ens. Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

10
10

Agente de Telefonia

13

Conclusão do Ensino Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

20
20

Atendente de Consultório Dentário

14

Conclusão do Ensino Fundamental + Habilitação do CRO - MG

Língua Portuguesa
Matemática

20
20

Escriturário

15

Conclusão do Ensino Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

20
20

Recepcionista

16

Conclusão do Ensino Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

20
20

Servente Escolar (Ensino Infantil)

17

Conclusão do Ensino Fundamental

Língua Portuguesa
Matemática

20
20

Agente de Vigilância Epidemiológica

18

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Saúde Pública

20
20

Assistente de Administração

19

Conclusão do Ensino Médio + Noções de Informática

Língua Portuguesa
Matemática
Noções de Informática

15
10
15

Assistente de Biblioteca

20

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Matemática
Noções de Informática

15
10
15

Assistente de Farmácia

21

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Saúde Pública

20
20

Auxiliar de Enfermagem

22

Conclusão do Ensino Médio + COREN

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Auxiliar de Laboratório

23

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Saúde Pública

20
20

Auxiliar de Secretaria Escolar

24

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Matemática
Noções de Informática

15
10
15

Auxiliar de Tesouraria

25

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Matemática
Noções de Informática

15
10
15

Educador de Saúde

26

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Saúde Pública

20
20

Fiscal de Vigilância Sanitária

27

Conclusão do Ensino Médio

Língua Portuguesa
Saúde Pública

20
20

Técnico em Enfermagem

28

Conclusão do Ensino Médio + Habilitação Específica COREN

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Técnico em Laboratório

29

Conclusão do Ensino Médio + Curso Técnico em Análises Clínicas

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Técnico em Radiologia

30

Conclusão do Ensino Médio + Curso Técnico em Radiologia

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Assistente Social

31

Superior Completo em Serviço Social

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Cirurgião Dentista

32

Superior Completo em Odontologia

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Enfermeiro

33

Superior Completo em Enfermagem

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Engenheiro Civil

34

Superior Completo em Engenharia Civil

Língua Portuguesa Específica

20
20

Farmacêutico

35

Superior Completo em Farmácia

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Médico

36

Superior Completo em Medicina

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Médico Veterinário

37

Superior Completo em Medicina Veterinária

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Nutricionista

38

Superior Completo em Nutrição

Língua Portuguesa
Saúde Pública
Específica

10
10
20

Professor 1ª a 4ª Educação Básica

39

Magistério 2º grau e ou Normal Superior

Língua Portuguesa Específica

20
20

Professor de Educação Física

40

Superior Completo em Educação Física

Língua Portuguesa Específica

20
20

Psicólogo

41

Superior Completo em Psicologia

Língua Portuguesa Específica

20
20

Supervisor Escolar I

42

Superior Completo em Pedagogia

Língua Portuguesa Específica

20
20

Supervisor Escolar II

43

Superior Completo em Pedagogia

Língua Portuguesa Específica

20
20

ANEXO II - REQUISITOS / JORNADA DE TRABALHO / REMUNERAÇÃO / VAGAS

CARGOS

REQUISITOS/JORNADA DE TRABALHO/VAGAS

VAGAS

VAGAS PORTADORES DEFICIÊNCIA

Bombeiro

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental e experiência de 06 meses.

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 500,00

01

 

Coveiro

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

01

 

Gari

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO:R$ 415,00

10

 

Motorista

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental e Carteira Nacional de Habilitação - CNH Categoria D

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 726,00

04

 

Motorista de Ambulância

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental e Carteira Nacional de Habilitação - CNH Categoria D

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 751,41

02

 

Operador de Máquina Agrícola

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental Habilitação Específica

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 726,00

01

 

Operador de Máquina Pesada

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental e Carteira Nacional de Habilitação - CNH Categoria D Experiência de 01 (um) ano

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 793,15

01

 

Operador de Moto Niveladora

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental e Carteira Nacional de Habilitação - CNH categoria D Experiência de 01 (um) ano

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 1.085,37

02

 

Operário

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

04

 

Rondante

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

03

 

Servente

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

09

 

Servente Escolar

REQUISITOS: Conclusão da 4ª série do Nível Fundamental

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

05

 

Agente de Telefonia

REQUISITOS: Fundamental Completo

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

04

02

Atendente Consultório Dentário

REQUISITOS: Fundamental Completo e Habilitação Conselho Regional de Odontologia - CRO/MG

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

02

 

Escriturário

REQUISITOS: Fundamental Completo

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

04

02

Recepcionista

REQUISITOS: Fundamental Completo

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

03

01

Servente Escolar ( Ensino Infantil)

REQUISITOS: Fundamental Completo

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

10

 

Agente de Vigilância Epidemiológica

REQUISITOS: Médio Completo

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

05

 

Assistente de Administração

REQUISITOS: Médio Completo e Certificado de conclusão de curso de noções básicas de informática.

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 551,03

02

01

Assistente de Biblioteca

REQUISITOS: Médio Completo

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

04

02

Assistente de Farmácia

REQUISITOS: Médio Completo

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

01

 

Auxiliar de Enfermagem

REQUISITOS: Médio Completo

Habilitação Específica e registro no COREN

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 751,41

08

 

Auxiliar de Laboratório

REQUISITOS: Médio Completo

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 415,00

01

 

Auxiliar de Secretaria Escolar

REQUISITOS: Médio Completo e Certificado de conclusão de curso de noções básicas de informática.

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 500,94

03

01

Auxiliar de Tesouraria

REQUISITOS: Médio Completo e Certificado de conclusão de curso de noções básicas de informática.

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 834,90

01

 

Educador de Saúde

REQUISITOS: Médio Completo

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 500,94

01

 

Fiscal de Vigilância Sanitária

REQUISITOS: Médio Completo

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 500,94

01

 

Técnico em Enfermagem

REQUISITOS: Curso Técnico em Enfermagem e registro no COREN

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: 793,15

02

 

Técnico em Laboratório

REQUISITOS: Curso Técnico em Análises Clínicas

JORNADA DE TRABALHO: 30 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 793,15

02

 

Técnico em Radiologia

REQUISITOS: Curso Técnico em Radiologia

JORNADA DE TRABALHO: 20 hora

REMUNERAÇÃO: R$ 1.085,37

01

 

Assistente Social

REQUISITOS: Curso Superior em Serviço Social

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 2.337,72

01

 

Cirurgião Dentista

REQUISITOS: Curso Superior em Odontologia

JORNADA DE TRABALHO: 12 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 1.419,33

01

 

Enfermeiro

REQUISITOS: Curso Superior em Enfermagem

JORNADA DE TRABALHO: 16 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 1.419,33

02

 

Engenheiro Civil

REQUISITOS: Curso Superior em Engenharia Civil

JORNADA DE TRABALHO: 20 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 2.000,00

01

 

Farmacêutico Bioquímico

REQUISITOS: Curso Superior em Farmácia

JORNADA DE TRABALHO: 20 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 1.419,33

01

 

Médico

REQUISITOS: Curso Superior em Medicina com registro no CRM

JORNADA DE TRABALHO: 20 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 3.005,64

03

 

Médico Veterinário

REQUISITOS: Curso Superior em Medicina Veterinária

JORNADA DE TRABALHO: 16 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 1.419,33

01

 

Nutricionista

REQUISITOS: Curso Superior em Nutrição

JORNADA DE TRABALHO: 20 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 1.419,33

01

 

Professor de 1ª a 4ª Série - Educação Básica

REQUISITOS: Curso de Magistério de 2º Grau ou Normal Superior

JORNADA DE TRABALHO: 24 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 500,94

30

06

Professor de Educação Física

REQUISITOS: Curso Superior em Educação Física

JORNADA DE TRABALHO: 24 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 500,94

01

 

Psicólogo

REQUISITOS: Curso Superior em Psicologia

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 2.500,00

01

 

Supervisor Escolar I

REQUISITOS: Curso Superior em Pedagogia com Habilitação em Supervisão Escolar

JORNADA DE TRABALHO: 24 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 601,12

02

 

Supervisor Escolar II

REQUISITOS: Curso Superior em Pedagogia com Habilitação em Supervisão Escolar

JORNADA DE TRABALHO: 40 horas

REMUNERAÇÃO: R$ 834,90

02

 

ANEXO III - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES - DENOMINAÇÃO DA CLASSE, TÍTULO DA CARREIRA, GRUPO OPERACIONAL, CÓDIGO DA CLASSE, DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE, QUALIFICAÇÃO BÁSICA NECESSÁRIA E REQUISITO LEGAL.

Denominação da Classe: Agente de telefonia

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEOS-02

Descrição: trabalho semi-qualificado na área administrativa, de atividades rotineiras, que consiste em efetuar ligações telefônicas externas e internas; transmitir e receber mensagens; providenciar as ligações interurbanas solicitadas pelas autoridades da Prefeitura. Entre outras, as atividades incluem: prestar informações relacionadas com a unidade; manter cadastro atualizado de números de aparelhos telefônicos; zelar pela conservação dos aparelhos telefônicos; providenciar os reparos quando necessário; controlar os telefonemas.

Qualificação básica necessária: Curso de nível fundamental completo. Noções de informática.

Denominação da Classe: Assistente de Administração

Título da Carreira: Agente de Administração

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEAD-02

Descrição: trabalho qualificado, na área da administração, que consiste em atender ao público; executar serviços gerais de escritório. Entre outras, as atividades incluem: conferir, separar, registrar dados, relatórios, cálculos, digitação, controle de papéis e material de expediente; organizar, manter e fazer estudos de implantação de arquivos e fichários; expedir processos ou documentos avulsos com o devido controle; examinar a exatidão do material de trabalho.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo.

Denominação da Classe: Assistente de Biblioteca

Título da Carreira: Agente de Administração

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEAD-03

Descrição: trabalho qualificado em nível de ensino médio, que consiste em organizar, manter e sugerir a atualização de acervo bibliográfico. Entre outras, as atividades incluem: classificar, catalogar orientar os consulentes em pesquisas bibliográficas e na escolha de publicações; formalizar e controlar a entrada de livros e empréstimos; zelar pelo uso adequado de todo material da biblioteca, mantendo-o em condições de utilização permanente.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo.

Denominação da Classe: Assistente de Farmácia

Título da Carreira: Agente de Administração

Grupo Ocupacional: Saúde e serviços afins.

Código da Classe: CEAD-04

Descrição: trabalho qualificado na área de saúde, que consiste em organizar e manter eficientemente o atendimento e a organização de farmácia. Entre outras, as atividades incluem: receber, entregar, guardar, distribuir e controlar a entrada e saída de medicamentos, após autorização competente, segundo requisições e prescrições; elaborar mapas de controle de estoque e listagem para aquisição de medicamentos e material de consumo ambulatorial e hospitalar; zelar pela limpeza e conservação do ambiente da farmácia e depósito.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo.

Denominação da Classe: Assistente Social

Título da Carreira: Profissional

Grupo Ocupacional: Saúde e serviços afins

Código da Classe: CEP-01

Descrição: trabalho profissional, no campo do serviço social que consiste em atender a população para analisar e viabilizar ações assistências, visando soluções para os problemas de ordem sócio-econômica, em caráter individual ou coletivo. Entre outras, as atividades incluem: realizar perícias e elaborar pareceres sobre matéria de Serviço Social; assessor tecnicamente as ações municipais; participar e realizar reuniões e práticas educativas junto à comunidade.

Qualificação básica necessária: Curso Superior em Serviço Social.

Requisito legal: Ser portador de diploma de curso superior em serviço Social, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, devidamente registrado no Ministério da Educação e Cultura e inscrito no Conselho Regional de Assistentes Sociais.

Denominação da Classe: Atendente de Consultório Dentário

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Saúde

Código da Classe: CEOS-03

Descrição: trabalho semi-qualificado, na área de saúde, que consiste em atender pacientes em consultório dentário como apoio básico à realização das tarefas do Cirurgião-Dentista. Entre outras, as atividades incluem: limpar, esterilizar e desinfetar o instrumental, equipamentos e instalações do consultório; preparar e instrumentalizar o material dentário para o uso do profissional; organizar e manter fichários e arquivos, além de ações educativas e de promoção da saúde bucal, como demonstrar técnicas de escovação e, sob orientação, fazer aplicação de flúor.

Qualificação básica necessária: Curso de nível fundamental completo.

Denominação da Classe: Auxiliar de tesouraria

Título da Carreira: Agente de Administração

Grupo Ocupacional: Administração contábil e Fazendária

Código da Classe: CEAD-07

Descrição: trabalho qualificado na área administrativa que consiste em realizar tarefas de apoio às atividades de Diretor adjunto. Entre outras, as atividades incluem: protocolar, registrar, arquivar e manter organizada a documentação da tesouraria; auxiliar no atendimento ao público, fazer pagamentos, realizar trabalhos de datilografia e digitação; operar equipamentos, preencher cheques outros; zelar pelo uso e conservação do material, mobiliário e equipamentos sob sua responsabilidade.

Qualificação básica necessária: Curso de nível fundamental completo.

Denominação da Classe: Auxiliar de Enfermagem

Título da Carreira: Técnico

Grupo Ocupacional: Saúde e serviços afins

Código da Classe: CET-01

Descrição: trabalho qualificado na área da saúde, que consiste em: preparar pacientes para consultas, exames e tratamentos; executar tratamentos simples de rotina ou especificamente prescritos, tais como: ministrar medicamentos; fazer curativos; aplicar oxigenoterapia, nebulização, vacinas etc. entre outras as atividades incluem: realizar testes para subsídio a diagnóstico, procedendo a sua leitura; coletar materiais para exame de laboratório; prestar cuidados de higiene e conforto ao paciente, zelando pela sua segurança; auxiliar em pequenas cirurgias.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo específico ou curso de nível médio, complementado com curso de habilitação, nos termos de lei, para o exercício da profissão.

Requisito legal: Ser portador do certificado de auxiliar de enfermagem, conferido por instituição de ensino nos termos da Lei e registrado no Conselho regional de Enfermagem.

Denominação da Classe: Auxiliar de Laboratório

Título da Carreira: Agente de Administração

Grupo Ocupacional: Saúde e serviços afins

Código da Classe: CEAD-05

Descrição: trabalho qualificado na área de saúde, que consiste em colaborar na realização de exames hematológicos e bacteriológicos. Entre outras, as atividades incluem: separar e preparar o material biológico, reagentes, soluções e centrífugas; orientar pacientes em procedimentos simples e rotineiros; coletar material para exame; limpar e conservar instrumental e equipamentos utilizados no laboratório; observar as normas de segurança e higiene no trabalho.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo.

Denominação da Classe: Auxiliar de Secretaria Escolar

Título da Carreira: Agente de Administração

Grupo Ocupacional: Educação e serviços afins

Código da Classe: CEAD-06

Descrição: trabalho qualificado na área administrativa que consiste em realizar tarefas de apoio às atividades de secretaria escolar. Entre outras, as atividades incluem: protocolar, registrar, arquivar e manter organizada a documentação da escola; auxiliar no atendimento, orientação e encaminhamento de alunos, pais, professores e visitantes na secretaria da unidade escolar; realizar trabalhos de datilografia e digitação; operar equipamentos, tais como mimeógrafos, retroprojetores, TV, vídeo, som e outros; zelar pelo uso e conservação do material, mobiliário e equipamentos sob sua responsabilidade.

Qualificação básica necessária: Curso de nível fundamental completo. Noções de informática.

Denominação da Classe: Bombeiro

Título da Carreira: Oficial de serviços

Grupo Ocupacional: Engenharia, ofícios e serviços afins.

Código da Classe: CEOS-04

Descrição: trabalho qualificado, com alguma variação, mas de considerável responsabilidade que conhecimento próprio do ofício e consiste em manter em bom estado de funcionamento redes de águas e esgotos. Entre outras, as atividades incluem: instalar redes de água e esgotos; abrir e furar canos; assentar peças hidráulicas ou sanitários; fazer reparos em encanamentos e instalações hidráulicas, consertando tubulações, canos, torneiras, bombas, caldeiras, caixas de descarga e similares; zelar pela limpeza e conservação das ferramentas.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série do curso de nível fundamental e experiência profissional.

Denominação da Classe: Cirurgião Dentista

Título da Carreira: Profissional

Grupo Ocupacional: Saúde e serviços afins

Código da Classe: CEP-02

Descrição: trabalho profissional, na área da saúde, no campo específico da odontologia, que consiste em atender consultas e prestar assistência a pacientes no trabalho clínico, cirúrgico de prevenção de cáries dentárias, profilaxia e higiene bucal. Entre outras, atividades incluem a orientação de auxiliares, outros profissionais ou servidores do grupo ocupacional com que se relaciona; notificar doenças, nos casos previstos em lei; participar de reuniões, planejamento e execução de programas de assistência à saúde em geral e em especial à bucal, objetivando a promoção e implementação de ações integradas ou não que venham acolher às reais necessidades da população.

Qualificação básica necessária: Curso superior de odontologia.

Requisito legal: Ser portador de diploma de dentista, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, devidamente registrado no Ministério da educação e cultura e inscrito no Conselho regional de Odontologia.

Denominação da Classe: Coveiro

Título da Carreira: Agente de serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEAS-02

Descrição: trabalho manual, de atividades rotineiras e simples, que consiste em executar tarefas inerentes ao sepultamento de corpos. Entre outras, as atividades incluem: zelar e conservar o cemitério.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental.

Denominação da Classe: Enfermeiro

Título da Carreira: Profissional

Grupo Ocupacional: Saúde e serviços afins

Código da Classe: CEP-04

Descrição: trabalho profissional, na área da saúde que consiste em cuidar diretamente da enfermagem de pacientes graves com risco de vida; participar da elaboração, execução e avaliação dos planos assistências à saúde; prescrever medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde. Entre outras, as atividades incluem: prevenir e controlar, sistematicamente, a infecção hospitalar e doenças transmissíveis em geral; orientar e acompanhar, no âmbito da enfermagem, auxiliares, pacientes e outros servidores do grupo ocupacional com que se relaciona.

Qualificação básica necessária: Curso Superior de Enfermagem.

Requisito legal: Ser portador de diploma de curso superior de Enfermagem, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, devidamente registrado no Ministério da Educação e Cultura e inscrito no Conselho Regional de Enfermagem.

Denominação da Classe: Engenheiro Civil

Título da Carreira: Profissional

Grupo Ocupacional: Engenharia, ofícios e serviços afins.

Código da Classe: CEP-05

Descrição: trabalho profissional, no campo específico da engenharia civil que consiste em analisar e elaborar estudos, projetos, cálculos, orçamentos e pareceres técnicos de engenharia. Entre outras, as atividades incluem: acompanhar e fiscalizar atividades próprias da engenharia civil, realizadas ou contratadas pela Prefeitura.

Qualificação básica necessária: Curso superior em Engenharia Civil.

Requisito legal: Ser portador de diploma de curso superior de Engenheiro Civil, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, devidamente registrado no Ministério da Educação e Cultura e inscrito no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura.

Denominação da Classe: Escriturário

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEOS-06

Descrição: trabalho qualificado, que consiste em executar tarefas de escrituração, próprias das áreas administrativas das várias unidades do Executivo Municipal. Entre outras, as atividades incluem: examinar processos e documentos, redigir ofícios, atestados e certidões; conferir cálculos simples; apurar tempo de serviço; elaborar folhas de pagamento; organizar arquivos; controlar e registrar estoques e material de expediente trabalhos de datilografia.

Qualificação básica necessária: Curso de nível fundamental completo e noções de informática.

Denominação da Classe: Farmacêutico

Título da Carreira: Especialista

Grupo Ocupacional: Saúde

Código da Classe: CCE-01

Descrição: trabalho profissional, na área de saúde, no campo específico de análises clínicas, com elevado grau de complexidade e responsabilidade que consiste em realizar exames hematológicos, bioquímicos, imunológicos, parasitológicos, bacteriológicos e urinálise. Entre outras, as atividades incluem, ainda: orientar e supervisionar e planejar a produção laboratorial, bem como exercer a vigilância farmacológica e ações educativas em matéria de medicamentos, responder pela farmácia do município.

Qualificação básica necessária: Curso superior de farmácia, com habilitação em análises clínicas.

Requisito legal: Ser portador do diploma de farmacêutico, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, e habilitação em análises clínicas, devidamente registrado no Ministério da Educação e Cultura e inscrito no Conselho Regional de Farmácia.

Denominação da Classe: Gari

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEAS-03

Descrição: trabalho manual com atividades rotineiras e repetitivas de apoio ou não a outras tarefas, que consiste em desempenhar tarefas braçais, tais como: capina, faxina, limpeza em geral e outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas. Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental.

Denominação da Classe: Médico

Título da Carreira: Especialista

Grupo Ocupacional: Saúde

Código da Classe: CEE-03

Descrição: trabalho profissional especializado na área da saúde, no campo específico da medicina, que consiste no atendimento à consultas e assistência a pacientes, para diagnóstico; prescrição de medicamentos, tratamentos e outras; participação no planejamento e execução de programas de assistência à saúde, visando a promoção e implementação de ações que venham acolher às reais necessidades da população e assegurar o efetivo atendimento à comunidade. Entre outras, as atividades incluem orientar pacientes, enfermeiras e outros profissionais ou servidores do grupo ocupacional com que se relaciona; notificar doenças nas hipóteses previstas em lei, participar de reuniões;

Qualificação básica necessária: Curso superior em medicina com habilitação na área específica de atuação.

Requisito legal: Ser portador do diploma de médico, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, e habilitação na área específica de atuação, devidamente registrado no Ministério da Educação e Cultura e inscrito no Conselho Regional de Medicina.

Denominação da Classe: Médico veterinário

Título da Carreira: Especialista

Grupo Ocupacional: Saúde

Código da Classe: CEE-05

Descrição: trabalho profissional especializado na área da saúde, no campo específico da medicina veterinária, que consiste no atendimento à consultas e assistência a animais, para diagnóstico; prescrição de medicamentos, tratamentos e outras; participação no planejamento e execução de programas de assistência à saúde, visando a promoção e implementação de ações que venham acolher às reais necessidades da população e assegurar o efetivo atendimento à comunidade. Entre outras, as atividades incluem ajudar no controle de vigilância sanitária do município, dentre outras atividades correlatas com a sua profissão.

Qualificação básica necessária: Curso superior em medicina veterinária com habilitação na área específica de atuação.

Requisito legal: Ser portador do diploma de médico veterinário, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, e habilitação na área específica de atuação, devidamente registrado no Ministério da Educação e Cultura e inscrito no Conselho Regional .

Denominação da Classe: Motorista

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEOS-06

Descrição: trabalho qualificado, com algumas variações quanto a itinerário a ser cumprido que consiste em: dirigir veículos automotores para transportes de passageiros ou cargas. Entre outras, as atividades consistem em: transportar pessoas, escolares, documentos e outros, zelar pela segurança dos passageiros, carga e do veículo; tratar o público com cortesia; zelar pela conservação do veículo, mantendo-o sempre nas melhores condições de uso.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série do ensino de nível fundamental, possuir acuidade visual e auditiva e experiência profissional.

Requisito legal: Ser portador da habilitação de motorista tipo D, de acordo com o Código Nacional de Trânsito, expedida pelo órgão competente.

Denominação da Classe: Motorista de Ambulância

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEOS-07

Descrição: trabalho qualificado, na área de saúde, que consiste em conduzir ambulância a fim de transportar pacientes a ambulatórios, laboratórios, hospitais e a outras cidades; zelar pela limpeza e conservação do veículo e seus equipamentos; mantê-lo em perfeitas condições de uso; auxiliar na locomoção do paciente e desembaraço da documentação necessária a internações e realização de exames.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série do ensino de nível fundamental, possuir acuidade visual e auditiva e experiência profissional.

Requisito legal: Ser portador da habilitação de motorista tipo D, de acordo com o Código Nacional de Trânsito, expedida pelo órgão competente.

Denominação da Classe: Operador de Máquinas Pesadas

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Engenharia, ofícios e serviços afins

Código da Classe: CEOS-08

Descrição: trabalho qualificado, com atividades rotineiras, que consiste em operar máquinas pesadas como carregadeira, retroescavadeira, trator, patrol e similares, de acordo com a legislação pertinente. Entre outras as atividades incluem: realizar aberturas de ruas, redes de esgotos, estradas, terraplenagem, cortes e nivelamentos.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental. Ser portador da habilitação de motorista tipo D, de acordo com o Código Nacional de Trânsito, expedida pelo órgão competente. Ter experiência mínima de 01 ano.

Denominação da Classe: Operário

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Engenharia, ofícios e serviços afins

Código da Classe: CEAS-05

Descrição: trabalho manual com atividades rotineiras e repetitivas de apoio ou não a outras tarefas, que consiste em desempenhar tarefas braçais, tais como: capina, faxina, limpeza em geral e outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas. Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental.

Denominação da Classe: Psicólogo

Título da Carreira: Profissional

Grupo Ocupacional: Saúde e Serviços afins

Código da Classe: CEP 07

Descrição: trabalho profissional, na área da saúde que consiste em cuidar diretamente da no atendimento a pacientes portadores de problemas psicológicos diversos; participar da elaboração, execução e avaliação dos planos assistências à saúde; Entre outras, as atividades incluem: atendimento individual com acompanhamento pessoal e familiar, buscando o desenvolvimento e correção dos problemas apresentados, atividades de psicoterapia, ludoterapia, diagnóstico psicológico, aconselhamento, terapia individual e familiar, etc dentre outras atividades correlatas com sua especialidade. Observação: 40 horas de carga horária semanal em regime de dedicação exclusiva

Qualificação básica necessária: Curso superior em psicologia

Requisito legal: Ser portador de diploma de curso superior em psicologia, expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, devidamente registrado no Ministério da Educação e Cultura e inscrito no Conselho Regional de psicologia.

Denominação da Classe: Recepcionista

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEOS-10

Descrição: trabalho qualificado na área de apoio administrativo, que consiste em recepcionar clientes, prestando-lhes informações solicitadas. Entre outras, as atividades incluem: proceder registro e anotações necessárias ao desenvolvimento de suas atividades; organizar fichários e arquivos, conservando-os em ordem; manter-se informada quanto às normas e disciplinas do órgão; cultivar boas relações de trabalho com os superiores, colegas e público em geral.

Qualificação básica necessária: Curso de nível fundamental completo.

Denominação da Classe: Rondante

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEAS-06

Descrição: trabalho manual simples, de atividades rotineiras, diurnas e noturnas, que consiste em cuidar da segurança patrimonial dos imóveis da Prefeitura. Entre outras, as atividades incluem: atenção e providências para evitar roubos, incêndios, invasão de estranhos, depredação ou qualquer outro acidente danoso ao patrimônio da instituição; conhecer as dependências onde trabalha, as instalações elétricas e hidráulicas; manusear extintores de incêndio, se necessário.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental.

Denominação da Classe: Servente

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Administração e afins

Código da Classe: CEAS-07

Descrição: trabalho manual simples, que consiste na execução de ampla variedade de tarefas de limpeza, conservação e outros serviços. Entre as atividades incluem: executar serviços de limpeza geral de áreas internas ou ambientais da Prefeitura; cuidar da higiene e conservação de locais e equipamentos.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental.

Denominação da Classe: Servente Escolar

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Educação e serviços afins

Código da Classe: CEAS-08

Descrição: trabalho de atividades rotineiras e repetitivas, de apoio à área da educação, que consiste em realizar serviços de limpeza e conservação de locais, móveis, utensílios e equipamentos; preparar café e merenda; desempenhar outras tarefas compatíveis com a natureza do cargo, que lhe forem atribuídas.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental.

Denominação da Classe: Servente Escolar de Educação Infantil

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Educação e serviços afins

Código da Classe: CEAS-08

Descrição: trabalho de atividades rotineiras e repetitivas, de apoio à área de educação infantil, que consiste em realizar serviços de limpeza e conservação de locais, móveis, utensílios e equipamentos; preparar café e merenda; desempenhar outras tarefas compatíveis com a natureza do cargo, que lhe forem atribuídas.

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª série curso de nível fundamental.

Denominação da Classe: Técnico em Radiologia

Título da Carreira: Técnico

Grupo Ocupacional: Saúde e Serviços afins

Código da Classe: CET 03

Descrição:. Trabalho qualificado na área de saúde, que consiste em atender pacientes que necessitem de ações operacionais de apoio à medicina ou odontologia, correspondentes a sua especialidade, de acordo coma regulamentação profissional e as normas de segurança e higiene do trabalho. Entre outras as atividades incluem: radiografar, revelar e secar a radiografia; zelar pela limpeza e manutenção do aparelho e da sala de revelação; envelopar e identificar as radiografias; registrar os atendimentos efetuados.

Qualificação básica necessária:. Curso técnico em radiologia

Requisito legal: ser portador de diploma de técnico em radiologia expedido por escola oficial ou legalmente reconhecida, devidamente registrado no Ministério de Educação e Cultura e inscrito no conselho Regional de Radiologia.

Denominação da Classe: Educador para Saúde

Título da Carreira: Agente de Administração

Grupo Ocupacional: Saúde e serviços afins

Código da Classe: CEAD 09

Descrição: realizar trabalho educativo na área de saúde, que consiste em visitar residências e escolas para orientar famílias, escolares ou doentes quanto a higiene pessoal (banhos), escovação de dentes, corte de unhas etc);a prescrição medica e dietas. Entre outras atividades incluem: acompanhar o desenvolvimento de recém‑nascidos e recuperação de pacientes; prestar assistência domiciliar a idosos, marcar consultas e exames a pacientes, fazer curativos, estatura, peso etc.

Qualificação básica necessária: Curso de Nível Médio Completo

Denominação da Classe: Operador de Máquinas Agrícola

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Engenharia, ofícios e Serviços Afins.

Código da Classe: CEOS 15

Descrição: Trabalho qualificado, com atividades rotineiras, que consiste em operar máquina agrícola com ou sem carreta, trator, de acordo com a legislação pertinente. Entre outras atividades incluem: coleta de lixo, aração terrenos, etc:

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª Serie de Nível Fundamental. Ser portador da habilitação de motorista tipo D, de acordo com o Código Nacional de Trânsito, expedida pelo órgão competente.

Denominação da Classe: Operador de Motoniveladora

Título da Carreira: Oficial de Serviços

Grupo Ocupacional: Engenharia, ofícios e Serviços Afins.

Código da Classe: CEOS 16

Descrição: Trabalho qualificado, com atividades rotineiras, que consiste em operar motoniveladora de acordo com a legislação pertinente. Entre outras atividades incluem: realizar aberturas de ruas, redes de esgotos, estradas, terraplanagem, cortes e nivelamento de terrenos, etc:

Qualificação básica necessária: Conclusão da 4ª Serie de Nível Fundamental. Ser portador da habilitação de motorista tipo D, de acordo com o Código Nacional de Trânsito, expedida pelo órgão competente. Ter experiência mínima de um ano na função.

Denominação da Classe: supervisor escolar I (24 HORAS)

Título da Carreira: Educação e Serviços afins

Grupo Ocupacional: Profissional de Educação.

Código da Classe: CEPE-04

Descrição: Trabalho qualificado, na área da educação que consiste em supervisionar o processo didático nos aspectos de planejamento, controle e avaliação, no âmbito do sistema, da escola ou de áreas curriculares. Entre outras atividades incluem: Participar do processo de avaliação de desempenho dos professores da escola, promover reuniões, elaborar relatórios.

Qualificação básica necessária: Curso Superior de Pedagogia, com habilitação em Supervisão Escolar.

Denominação da Classe: supervisor escolar II (40 HORAS)

Título da Carreira: Educação e Serviços afins

Grupo Ocupacional: Profissional de Educação.

Código da Classe: CEPE-04

Descrição: Trabalho qualificado, na área da educação que consiste em supervisionar o processo didático nos aspectos de planejamento, controle e avaliação, no âmbito do sistema, da escola ou de áreas curriculares. Entre outras atividades incluem: Participar do processo de avaliação de desempenho dos professores da escola, promover reuniões, elaborar relatórios.

Qualificação básica necessária: Curso Superior de Pedagogia, com habilitação em Supervisão Escolar.

Denominação da Classe: Nutricionista

Título da Carreira: Profissional da Educação

Grupo Ocupacional: Educação e Serviços Afins.

Código da Classe: CEPE-06

Descrição: Realizar atividades de Supervisão, Coordenação, programação, execução especializada referente a trabalhos relativos a educação alimentar,nutrição e dietética para indivíduos ou coletividades;Realizar atividades de pesquisas e educação em saúde; Desempenhar atividades de Vigilância Sanitária na área de alimentos e serviços de alimentação de maneira em geral; executar outras atividades que estejam inseridas no âmbito das atribuições pertinentes ao cargo e área. Entre outras atividades incluem, em creches e escolas, realizando uma avaliação nutricional periódica, o nutricionista acompanha o crescimento e o desenvolvimento das crianças. Contribui para a formação de hábitos alimentares, por meio de programas voltados para alunos, professores, pais e funcionários. Dietas individualizadas possibilitam á instituição atender a crianças portadoras de patologias, adequando a alimentação delas ao tratamento que recebem em seu dia a dia.

Qualificação básica necessária: Curso Superior em Nutrição com registro no órgão competente.

Denominação da Classe: Professor de Educação Básica

Título da Carreira: Profissional da Educação

Grupo Ocupacional: Educação e Serviços Afins.

Código da Classe: CEM

Descrição: Trabalho profissional especializado na área do magistério no campo da educação que consiste em elaborar, ministrar aulas no ensino infantil e fundamental e desenvolver atividades e projetos pedagógicos. Entre outras, as atividades incluem; participar de reuniões e atividades escolares que envolvam a comunidade, colaborar na organização de atividades de caráter cívico, social, cultural, ambiental, tecnológico e artístico promovidas pela unidade de ensino, avaliar o aproveitamento dos alunos por meio de observação direta, trabalhos práticos, exercícios e provas, atendimento a dificuldades de aprendizagem dos alunos, inclusive daqueles portadores de deficiência.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio com habilitação para o magistério.

Denominação da Classe: Professor de Educação Física

Título da Carreira: Profissional da Educação

Grupo Ocupacional: Educação e Serviços Afins.

Código da Classe: CEM

Descrição: Compete ao profissional com curso superior completo em Educação Física participar da execução de trabalhos, planos e projetos, bem como da realização de treinamentos especializados e da gestão desportiva, nas áreas de atividades físicas e do desporto da unidade escolar em estiver trabalhando.

Qualificação básica Necessária: Curso Superior em Educação Física.

Denominação da Classe: Agente de Vigilância Epidemiológica

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Saúde e Serviços Afins.

Código da Classe: CEAS-01

Descrição: Trabalho semi-qualificado na área da saúde, que consiste na execução de tarefas para controle e erradicação das zoonoses. Entre outras, as atividades incluem: proceder a busca captura, guarda e observação de animais, executar controle de insetos, animais roedores e outros nocivos á saúde humana e animal; colaborar nas campanhas de erradicação de surtos epidêmicos e nas campanhas educativas de saúde pública, preencher formulários; fornecer dados e subsídios necessários a elaboração de relatórios, trabalhar em campanhas de vacinação, no contole e erradicação de doenças.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo. Noções de informática.

Denominação da Classe: Fiscal de Vigilância Sanitária

Título da Carreira: Agente de Serviços

Grupo Ocupacional: Saúde e Serviços Afins.

Código da Classe: CEAD-10

Descrição: Compete ao fiscal sanitário a execução dos trabalhos de fiscalização e educação sanitária nos estabelecimentos de sua competência assim como as demais atividades previstas na legislação vigente federal, estadual e municipal.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo. Noções básicas de informática.

Denominação da Classe: Técnico em Enfermagem

Título da Carreira: Técnico

Grupo Ocupacional: Saúde e Serviços Afins.

Código da Classe: CET-03

Descrição: Trabalho qualificado na área da saúde, que consiste em: preparar pacientes para consultas, exames e tratamentos; executar tratamentos simples de rotina ou especificamente prescritos, tais como: ministrar medicamentos; fazer curativos; aplicar oxigenoterapia, nebulização, vacinas, etc, entre outras as atividades incluem: realizar testes para subsídio a diagnóstico, procedendo a sua leitura; coletar materiais para exame de laboratório; prestar cuidados de higiene e conforto ao paciente, zelando pela sua segurança; auxiliar em pequenas cirurgias, auxiliar no Sistema de Tratamento Intensivo, etc.

Qualificação básica necessária: Curso de nível médio completo específico, nos termos de lei, para o exercício da profissão.

Denominação da Classe: Técnico em Laboratório

Título da Carreira: Técnico

Grupo Ocupacional: Saúde e Serviços Afins.

Código da Classe: CET-05

Descrição: Profissional na área de saúde específica em análise clínicas que consistem em: realizar exames hematológicos, imunológicos, bioquímicos, parasitológicos, bacteriológicos e urinálises, sob a supervisão do farmacêutico bioquímico.

Qualificação básica necessária: Curso 2º Grau completo, mais curso técnico em análises clínicas técnico em radiologia.

ANEXO IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

LÍNGUA PORTUGUESA - 4ª SÉRIE - ENSINO FUNDAMENTAL

1. Leitura e Interpretação de texto.

2. Ortografia.

3. Divisão Silábica.

4. Acentuação Gráfica

5. Sinônimos e antônimos.

6. Pontuação

7. Verbo: conjugação e emprego dos tempos e modos verbais.

8. Substantivo e adjetivo.

9. Pronome pessoal, demonstrativo e possessivo.

Bibliografia sugerida:

Livros didáticos da Língua Portuguesa de 1ª a 4ª série do ensino fundamental. Gramáticas Normativas.

LÍNGUA PORTUGUESA - ENSINO FUNDAMENTAL

1. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua:

a. Estrutura fonética: encontros vocálicos e consonantais, dígrafo, divisão silábica, ortografia, acentuação gráfica.

b. Classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais.

c. Teoria Geral da Frase e sua análise: orações, períodos e funções sintáticas.

d. Sintaxe de concordância: concordâncias verbal e nominal.

e. Colocação de pronomes: próclise, mesóclise, ênclise.

f. Pontuação.

g. Crase.

2. Interpretação de texto.

Bibliografia sugerida:

ANDRÉ, Hildebrando A de. Gramática ilustrada. 4. ed. São Paulo: Moderna, 1990.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. São Paulo: Ed. Nacional.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. 26. Ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1985.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. 26. Ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985.

Livros didáticos de Língua Portuguesa para o ensino fundamental.

LÍNGUA PORTUGUESA - ENSINO MÉDIO

1. Leitura, compreensão e interpretação de textos.

2. Conhecimentos lingüísticos gerais e específicos relativos à leitura e produção de textos.

3. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua.

4. Estrutura fonética: encontros vocálicos e consonantais, dígrafo, divisão silábica, ortografia, acentuação tônica e gráfica.

5. Classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais, emprego.

6. Teoria geral da frase e sua análise: orações, períodos e funções sintáticas.

7. Sintaxe de concordância: concordância nominal e verbal (casos gerais e particulares).

8. Crase.

9. Colocação de pronomes: próclise, mesóclise e ênclise.

10. Pontuação: emprego dos sinais de pontuação.

Bibliografia Sugerida:

ANDRÉ, Hildebrando. Gramática ilustrada. São Paulo: Moderna, 1990.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. São Paulo: Ed. Nacional.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. São Paulo: Ed. Nacional, 1998.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985.

Livros didáticos de Língua Portuguesa para o ensino médio

LÍNGUA PORTUGUESA - ENSINO SUPERIOR

1. Leitura, compreensão e interpretação de textos.

2. Conhecimentos lingüísticos gerais e específicos relativos à leitura e produção de textos.

3. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua.

4. Estrutura fonética: encontros vocálicos e consonantais, dígrafo, divisão silábica, ortografia, acentuação tônica e gráfica.

5. Classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais, emprego.

6. Teoria geral da frase e sua análise: orações, períodos e funções sintáticas.

7. Sintaxe de concordância: concordância nominal e verbal (casos gerais e particulares).

8. Sintaxe de regência: regência nominal e verbal.

9. Crase.

10. Colocação de pronomes: próclise, mesóclise e ênclise.

11. Pontuação: emprego dos sinais de pontuação.

Bibliografia Sugerida:

ANDRÉ, Hildebrando. Gramática ilustrada. São Paulo: Moderna, 1990.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. São Paulo: Ed. Nacional.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. São Paulo: Ed. Nacional, 1998.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985.

MATEMÁTICA - 4ª SÉRIE - ENSINO FUNDAMENTAL

1. Conjunto: universo, complementar, relação de pertinência, igualdade, desigualdade, inclusão, operações de conjuntos (união, interseção e diferença).

2. Números naturais: sistema de numeração decimal, operações fundamentais, múltiplos, divisores, máximo divisor comum, mínimo múltiplo comum, potenciação, fatoração, critérios de divisibilidade. Problemas.

3. Números racionais: frações e decimais, operações, comparação, ordenação, simplificação. Problemas.

4. Grandezas e Medidas: comprimento, perímetro, capacidade, massa, superfície, volume, tempo e valor. Problemas.

Bibliografia sugerida:

SOARES, Eduardo Sarquis. Matemática com o Sarquis. 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Ed. Saraiva.

SANCHES, Lucília Bechara, LIBERMAN, Marlúcia, WEY, Regina Lúcia Motta. Fazendo e compreendendo a Matemática. 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Ed. Saraiva.

SANTOS, Ieda Medeiros C.E., DARIN Áurea Joana S. Matemática. 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Ed. IBEP.

SOUZA, Maria Helena Soares de. Matemática - série Brasil. 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Ed. Ática.

MATEMÁTICA - ENSINO FUNDAMENTAL

1. Conjunto dos números naturais: a numeração decimal; operações e resoluções de problemas.

2. Múltiplos e divisores de um número natural: divisibilidade; máximo divisor comum; mínimo múltiplo comum.

3. Números fracionários; operações com números fracionários; resolução de problemas.

4. Frações e números decimais.Operações com números decimais.

5. Sistema Métrico Decimal: Perímetro de figuras planas. Áreas dos retângulos, dos quadrados e dos triângulos. Volume dos paralelepípedos retângulos e dos cubos. Resoluções de problemas.

6. Conjunto dos números inteiros relativos: operações e resoluções de problemas.

7. Conjunto dos números racionais: resoluções de equações do 1º grau. Resoluções de problemas.

8. Razão e proporção: propriedades das proporções; divisão proporcional; média aritmética simples e ponderada; regra de três simples; regra de três, composta.

9. Porcentagem, juros simples e montante.

10. Conjunto dos números reais: produtos notáveis; sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas; equações do 2º grau; resoluções de problemas.

11. Relações métricas e trigonométricas no triângulo retângulo: aplicações do teorema de Pitágoras.

Bibliografia sugerida:

GIOVANNI, José Ruy & GIOVANNI JÚNIOR, José Ruy. Matemática pensar e descobrir: novo - 5ª a 8ª séries. Editora FTD, 2000.

IEZZI, Gelson & DOLCE, Osvaldo & MACHADO, Antônio. Matemática e realidade. Atual Editora, 1997.

SCIPIONE, Di Pierro Netto. Pensar matemática: para o ensino fundamental. 5ª a 8ª séries. Ed. Scipione. 1ª edição, 2001.

MATEMÁTICA - ENSINO MÉDIO

1. Conjunto dos números naturais: a numeração decimal; operações e resoluções de problemas.

2. Múltiplos e divisores de um número natural: divisibilidade; máximo divisor comum;mínimo múltiplo comum.

3. Números fracionários: operações com números fracionários; resoluções de problemas.

4. Frações e números decimais: Operações com números decimais.

5. Sistemas Métrico Decimal: Perímetro de figuras planas. Áreas de figuras planas (triângulos, quadriláteros, círculos e polígonos regulares).

6. Conjunto dos números inteiros relativos: Operações e resoluções de problemas.

7. Conjunto dos números racionais: Resolução de equações do 1º grau. Resolução de problemas.

8. Razão e proporção. Propriedades das proporções. Divisão proporcional. Média aritmética simples e ponderada. Regra de três simples. Regra de três, composta.

9. Porcentagem, juros simples e montante.

10. Conjunto dos números reais: Operações com polinômios. Produtos notáveis. Fatoração. Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas. Equações do 2º grau. Resolução de problemas.

11. Relações métricas e trigonométricas nos triângulos retângulos: aplicação do teorema de Pitágoras.

12. Funções: Função do 1º grau. Função quadrática. Função exponencial. Função logarítmica.

13. Análise Combinatória Simples.

14. Geometria sólida: prismas e pirâmides, cilindros e cones, esfera - áreas e volumes.

Bibliografia sugerida:

DANTE, Luiz Roberto. Matemática: contexto e aplicações. Ensino Médio. Volumes 1 e 2. Editora Ática, 2000.

GIOVANNI, José Ruy & GIOVANNI JÚNIOR, José Ruy. Matemática pensar e descobrir: novo - 5ª a 8ª séries. Editora FTD, 2000.

GOULART, Márcio Cintra. Matemática no ensino médio. Volumes 1 e 2. Editora Scipione, 1999.

IEZZI, Gelson & DOLCE, Osvaldo & MACHADO, Antônio. Matemática e realidade. Atual Editora, 1997.

SCIPIONE, Di Pierro Netto. Pensar matemática: para o ensino fundamental. 5ª a 8ª séries. Ed. Scipione. 1ª ed. 2001.

MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS

1. Manutenção de Veículos: Sistemas e respectivas peças componentes do veículo. Principais conceitos de manutenção veicular. Serviços de inspeções, registros e reparos; anotações de ocorrências; principais defeitos automotivos; testes e medidas de defeitos.

2. Principais ferramentas, máquinas/dispositivos de Oficina Mecânica.

3. Instrumentos de medição. Instrumentos de traço, e demais instrumentos utilizados em um veículo.

4. Lubrificação: Principais propriedades dos lubrificantes automotivos; cuidados e restrições no uso dos lubrificantes.

5. Normas de segurança veicular e da oficina. CNT - Código Nacional de trânsito. Bibliografia Sugerida:

ALMEIDA, Amaury F. Manutenção de Automóveis. 17 ed. Rio de Janeiro: Erca Ed.,

AUTOFÁCIL: manual de reparos e manutenção do automóvel. Rio de Janeiro: Rio Gráfica, c1986

CARRETERO, Ronald P.; BELMIRO, Pedro Nelson; Lubrificantes e lubrificação industrial. Rio de Janeiro: Interciência, IBP, 2006.

CONTRAN - O CONSELHO NACIONAL DE TRANSITO, Lei n.o 9.503, de 23 de setembro de 1997, e respectivas Resoluções sobre segurança veicular.

FERRAMENTAS de oficina. www.gedore.com.br e www.belzer.com.br MANUAL Globo do automóvel. Rio de Janeiro: Globo, c1988, ISBN 8525007056

INSTRUMENTOS para metrologia dimensional. São Paulo: Mitutoyo do Brasil. www.mitutoyo.com.br

PAZ, Manoel Áries. Manual de Automóveis. São Paulo: Ed. Mestre Jou.

Telecurso 2000 - METROLOGIA; Dimensional, Terminologia e conceitos de metrologia, www.bibvirt.futuro.usp.br/.../telecurso_2000_cursos_profissionalizantes/telecurso_2000

PETROBRÁS. Lubrificantes: Fundamentos e aplicações. Rio de Janeiro: Ed. Petrobrás.

SAÚDE PÚBLICA

1. Organização dos Serviços de Saúde no Brasil - Sistema Único de Saúde: princípios e diretrizes do SUS, controle social - organização da gestão do SUS, financiamento do SUS, legislação do SUS, normalização complementar do SUS.

2. Processo saúde - doença.

3. Noções de saneamento básico.

4. Doenças transmissíveis evitáveis por vacinação.

5. Doenças endêmicas no Brasil.

6. Noções de vigilância epidemiológica.

Bibliografia Sugerida:

BRASIL, Constituição Federal de 1988 - Título VIII, Capítulo II, Seção II, Artigos de 196 a 200, da Saúde.

BRASIL, Legislação Federal, Leis Federais nº 8.080, de 19/09/90, Lei Federal nº 8.142, de 28/12/90.

BRASIL, Ministério da Saúde.Secretaria de Vigilância em Saúde. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. 3° edição - Brasília, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria MS/GM nº 373 de 27 de fevereiro de 2002,

Regionalização da Assistência à Saúde: Aprofundando a descentralização com eqüidade no acesso. Norma Operacional da Assistência à Saúde (NOAS - SUS - 2001-2002).

BRASIL, Ministério da Saúde. Carta dos direitos dos usuários da saúde. 2° edição. 2007

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 648, de 28 de março de 2006. Brasília, Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde. Disponível em www.saude.gov.br/dab.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização: documento base para gestores e trabalhadores do SUS - 2ª edição Brasília - Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. O Trabalho do Agente Comunitário de Saúde (Manual). Departamento de Atenção Básica, 2000.

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia Prático do Programa Saúde da Família: manual de orientação sobre o programa de saúde da família. Departamento da Atenção Básica. Brasília, 2001.

BRASIL - Portaria/ GM Nº 399 de 22/02/2006. Ministério da Saúde. Pacto pela Vida,em Defesa do SUS e de Gestão. Disponível em www.saude.gov.br/dab

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS: doutrinas e princípios - O que há de novo na saúde? Brasília, 1990.

BRASIL, Ministério da Saúde. Relatório Final da X Conferência Nacional de Saúde. Brasília, 1996.

BRASIL, Ministério da Saúde. Norma Operacional da Assistência à Saúde/SUS: NOAS 01/2002/DOU: 28/02/2002.

BRASIL, Ministério da Saúde/Secretaria de Vigilância em Saúde. Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de Bolso, 5ª ed. Ampliada - série B, 2005. (doenças de notificação compulsória). Disponível em: www.saude.gov.br/svs

ROUQUAYROL, M.Z. Epidemiologia & Saúde. 6ª ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 2003.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA

1. Sistema Operacional Microsoft Windows

a. Configurações básicas do Sistema Operacional (painel de controle)

b. Organização de pastas e arquivos

c. Operações de manipulação de pastas e arquivos (copiar, mover, excluir e renomear)

d. Mapeamento de unidades de rede

2. Editor de Textos Microsoft Word

a. Criação, edição, formatação e impressão

b. Criação e manipulação de tabelas

c. Inserção e formatação de gráficos e figuras

d. Geração de mala direta

3. Planilha Eletrônica Microsoft Excel

a. Criação, edição, formatação e impressão

b. Utilização de fórmulas

c. Geração de gráficos

d. Classificação e organização de dados

4. Internet

a. Produção, manipulação e organização de mensagens eletrônicas (e-mail)

Bibliografia Sugerida:

Manuais on-line do Sistema Operacional Windows XP Professional

Manuais on-line do Microsoft Word 2003 Manuais on-line do Microsoft Excel 2003

Manuais on-line do Microsoft PowerPoint 2003 Manuais on-line do Internet Explorer 7.0

Manuais on-line do Outlook Express 6 Manuais on-line do Outlook 2003

Manuais on-line do Mozilla Firefox 2

PROGRAMAS DAS PROVAS ESPECÍFICAS

AUXILIAR DE ENFERMAGEM E TÉCNICO EM ENFERMAGEM

1. Ética profissional: Código de Ética e Legislação profissional do COFEN e COREN e relações humanas no trabalho.

2. Noções básicas de anatomia, fisiologia, farmacologia, microbiologia e parasitologia.

3. Técnicas de enfermagem: sinais vitais, higiene, conforto, transporte, administração de dietas, oxigenoterapia e nebulização, hidratação, coleta de material para exames laboratoriais, ataduras, aplicações quentes e frias, cuidados com a pele, sondagens e drenos, cuidados com traqueostomia, drenagem torácica e ostomias, procedimentos pós-morte, prontuário e anotação de enfermagem.

4. Assistência domiciliar de enfermagem / visita domiciliar.

5. Fármacos: conceitos e tipos, efeitos gerais e colaterais, cálculo de soluções: vias de administração de medicamentos.

6. Curativos e tratamento de feridas.

7. Atenção à saúde da criança, do adolescente, da mulher, do adulto e do idoso.

8. Métodos e procedimentos específicos de desinfecção e esterilização de materiais, instrumentais e mobiliários.

9. Biossegurança

10. Sistematização da Assistência de Enfermagem.

Bibliografia Sugerida:

ANVISA - RDC 306 - 2004, que dispõe sobre gerenciamento de produção de resíduos.

BIZJAK, G; BERGERON, J. David. Primeiros socorros. Rio de Janeiro: Atheneu, 1999.

BORGES, Eline Lima et al. Feridas: Como tratar. Belo Horizonte: COOPMED, 2001.

BRASIL, Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Rede de Frio. 3. ed., Brasília, 2001.

BRASIL, Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Normas de Vacinação. 3. ed., Brasília, 2001.

BRASIL, Ministério da Saúde. Manual de Procedimentos para Vacinação. 4. ed., Brasília, 2001.

BRASIL, Ministério da Saúde. Manual Técnico para o Controle da Tuberculose. Cadernos de Atenção Básica, nº 5. Brasília, DF, 2002.

BRASIL, Ministério da Saúde. Guia para o Controle da Hanseníase. Cadernos de atenção Básica, n. 10. Brasília, DF, 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Mellitus: Protocolo; Cadernos de Atenção Básica nº 7. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Assistência ao Pré Natal e Puerpério: Manual Técnico. Brasília, 2006.

BRASIL, Ministério da Saúde. Controle do Câncer Cérvico-Uterino e de Mama. 2.ed., Brasília, 1989.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Área técnica de Saúde da Mulher. Assistência em Planejamento Familiar: Manual Técnico. 4ª Edição, Brasília, 2002.

BRASIL, Ministério da Saúde.Secretaria de Políticas de Saúde.Saúde da criança: acompanhamento do crescimeno e desenvolvimento infantil. Brasília, 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Viigilância em Saúde. Manual de Controle de Doenças Sexualmente Transmissíveis. 4ª Edição. Brasília, 2006

COREN - MG. Normas, deliberações, decisões e decretos. COREN/MG, 1998-2003.

COREN - MG. Código de Ética e Deontologia de Enfermagem. Brasília, 2003.

KOCH, Rosi Maria et al. Técnicas básicas de enfermagem. 17 ed. Curitiba: Século XXI, 2000.

MEEKER, Margareth Hutt; ROTTROCK, Jane C. Alexander. Cuidados de enfermagem ao paciente cirúrgico. 10. ed. Rio de Janeiro:Guanabara Koogan, 1997.

SMELTZER, Suzanne C. BARE, Brenda G. BRUNNER & SUDDARTH'S. Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 9° ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, v.1 e 2, 2002.

TÉCNICO EM LABORATÓRIO

1. NOÇÕES BÁSICAS DE COLETA SANGÜÍNEA

Diferenciar e executar técnicas de coleta: venosa, arterial e capilar. Causas de erro de coleta sangüínea. Anticoagulantes usados em laboratório de análises clínicas. Diferenciação de sangue total, soro e plasma. Noções de transporte de material colhido.

2. CONHECIMENTOS BÁSICOS

a. Hematologia: série vermelha, série branca, imuno-hematologia, fatores de coagulação.

b. Parasitologia: identificação e diferenciação de formas parasitárias, ciclo evolutivo dos parasitas intestinais. Uroanálise.

3. NOÇÕES TÉCNICAS DE LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

a. Conhecimento, manuseio e conservação dos equipamentos utilizados.

b. Concentração e preparação de corantes e reagentes.

c. Técnicas de coloração.

d. Preparação de meios básicos de cultura utilizados em bacteriologia.

e. Execução de exame de urina.

f. Preparação e execução de exames parasitológicos.

g. Execução de exames básicos de dosagens químicas, hematológicas, imunológicas.

Bibliografia sugerida

HENRY, J.B. Diagnósticos clínicos e tratamento por métodos laboratoriais. São Paulo: Manole, 1999.

LIMA, O., CANÇADO, R. Métodos de Laboratório Aplicados à Clínica - técnica e interpretação. 8 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

NEVES, D.P. Parasitologia humana. 11 .ed. São Paulo: Atheneu, 2005.

TÉCNICO EM RADIOLOGIA

1. Física da Radiação (Natureza, Produção e Propriedades dos Raios X)

1. Constituição e Funcionamento dos Aparelhos de Raios X

2. Constituição dos Tubos Formadores de Raios X

3. Unidade de dose e dosimetria

2. Filmes Radiográficos e Processamento Radiográfico

3. Fatores que influem na formação das imagens radiográficas

4. Os efeitos biológicos e os riscos associados aos Raios X

5. Radioproteção

6. Técnicas Radiográficas na Rotina Médica

7. Anatomia Radiográfica das principais incidências médicas

8. Técnicas Radiográficas Odontológicas

9. Anatomia Radiográfica das principais incidências odontológicas

10. Erros nas radiografias

11. Garantia de qualidade Bibliografia sugerida:

BONTRAGER, Kenneth L. Tratado de técnica radiological e base anatômica. 5a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2003.

BRASIL. Secretaria de Vigilância Sanitária. Portaria nº 453, de 1 de junho de 1998. Aprova o Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas de proteção radiológica em radiodiagnótico médico e odontológico, dispõe sobre o uso dos raios X diagnóstico em todo território nacional e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, seção E, 2 de junho de 1998.

FREITAS, Aguinaldo de; ROSA, José Edu; SOUZA, Icléo Faria e. Radiologia odontológica. 5. Ed. São Paulo: Artes Médicas, 2000.

SQUIRE, Lucy Frank e outros. Fundamentos de Radiologia. 4ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas. 1992.

WHAITES, Eric. Princípios de radiologia odontológica. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

ASSISTENTE SOCIAL

1. Acompanhamento de situações sociais de funcionários da ativa e afastados;

2. Estudo, acompanhamento de casos sociais e trabalho em equipe;

3. Elaboração de relatórios técnicos e sistematizados;

4. Planejamento e execução de treinamentos e dinâmicas;

5. Desenvolver atividades relacionadas à área de recursos humanos;

6. Ações para promoção de convivência familiar e comunitária;

7. Atuação no campo jurídico e desenvolvimento de atividades nas áreas socioeducativas; erradicação do trabalho infantil; combate a violência doméstica, abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes;

8. Programas de inclusão, fiscalização, estudo de casos, articulação com a rede de atenção à criança e ao adolescente;

9. Acompanhamento e fiscalização de políticas públicas, programas, entre outras atribuições profissionais nas áreas da infância e juventude.

Bibliografia sugerida:

ABRAMO, Maria Helena Wendel, FREITAS, Maria V., SPÓSITO, Marília P.(org). Juventude em debate. São Paulo: Cortez, 2000.

AZEVEDO, Maria Amélia, GUERRA, Viviane Nogueira de Azevedo(org). Infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento. São Paulo: Cortez, 1997.

FALEIROS, Vicente de Paula. Estratégias em Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1997.

GANDIN, Danilo. A prática do planejamento participativo. Petrópolis: Editora Vozes, 1994.

GUEIROS, DALVA Azevedo. Família e proteção social: questões atuais e limites da solidariedade familiar. In: Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo: Cortez, nº 71, Ano XXIII, ESPECIAL, 2002, p. 102 a 121.

GUIMARÃES, Rosamélia Ferreira. Famílias: uma experiência em grupo. In: Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo: Cortez, nº 71, Ano XXIII, ESPECIAL, 2002, p. 165 a 179.

IAMAMOTO, Marilda V. O Serviço Social na Contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez, 2005.

MAGALHÃES, Selma Marques. Avaliação e linguagem: relatórios, laudos e pareceres. São Paulo: Veras Editora, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia. Serviço Social: identidade e alienação. São Paulo: Cortez, 1996.

PEREIRA, Potyara. Necessidades humanas: subsídios à crítica dos mínimos sociais. São Paulo: Cortez Editora, 2000.

REVISTA SERVIÇO SOCIAL E SOCIEDADE nº 67. Temas Sócio Jurídicos. São Paulo: Cortez Ed, Ano XXII, 2001.

REVISTA SERVIÇO SOCIAL E SOCIEDADE nº 83. Criança e adolescente. São Paulo: Cortez Ed, Ano XXVI, ESPECIAL, 2005.

CIRURGIÃO DENTISTA

1. Biossegurança em odontologia: técnicas de acondicionamento, desinfecção e esterilização do material e ambiente; doenças ocupacionais; controle de infecção; medicamentos.

2. Semiologia: Métodos e técnicas de exame, anamnese, diagnóstico, plano de tratamento, exames complementares.

3. Estomatologia: Patologias intra e extra-ósseas da cavidade bucal - características clínicas, diagnóstico e tratamento. Manifestações bucais de doenças Sistêmicas. Câncer Bucal. Doenças Sexualmente Transmissíveis. Síndromes.

4. Farmacologia e terapêutica: Bases farmacológicas da terapêutica medicamentosa em odontologia; prevenção e controle da dor; uso clínico dos medicamentos; protocolos indicados na prática odontológica; mecanismos de ação e efeitos tóxicos dos fármacos; receituário e regulamentação dos fármacos.

5. Anestesiologia: Considerações anatômicas da cabeça e pescoço; técnicas e soluções anestésicas; acidentes, risco e prevenção; indicações e contra- indicações; emergências.

6. Radiologia: Técnicas, equipamentos e interpretação.

7. Cariologia: Epidemiologia, diagnóstico, patologia e prevenção da cárie dentária.

8. Dentística: Diagnóstico; técnicas, materiais restauradores e de proteção do complexo dentina-polpa; tratamentos não invasivos.

9. Periodontia: Diagnóstico e tratamento dos problemas periodontais.

10. Endodontia: Topografia da cavidade pulpar e periápice; diagnóstico e tratamento das alterações pulpares e periapicais; traumatismos; emergências.

11. Prótese: Diagnóstico, plano de tratamento, técnicas, materiais; prótese fixa e removível.

12. Cirurgia: Procedimentos cirúrgicos de pequeno e médio porte; urgências e emergências. traumatismo dental.

13. Odontopediatria: diagnóstico e tratamento das afecções bucais em crianças e adolescentes; anomalias do desenvolvimento.

14. Oclusão: fundamentos biológicos básicos; crescimento e desenvolvimento craniofacial e da oclusão; classificações das má-oclusões. Dor e Disfunção temporo-mandibular.

15. Ortodontia: prevenção e interceptação das má-oclusões; fisiologia do movimento dentário; pequenos movimentos; manutenção de espaço; indicações.

16. Prática odontológica baseada na promoção de saúde; epidemiologia das doenças bucais; educação para a saúde.

17. Planejamento, organização e financiamento da saúde no Brasil; recursos humanos em odontologia.

18. Urgências e emergências em odontologia. Bibliografia sugerida:

ANDREASEN, J. O.; ANDREASEN, F. M.; BAKLAND, L. K.; FLORES, M. T. Manual de traumatismo dental. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

ANDREASEN, J. O.; ANDREASEN, Frances M. Traumatismo dentário: soluções clinicas. São Paulo: Panamericana, 1991.

BARROS, Olavo Bergamaschi. Ergonomia I: a eficiência ou rendimento e a filosofia correta de trabalho em odontologia. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Pancast, 1999.

BRASIL, Ministério da Saúde. 12ª Conferência Nacional de Saúde: conferência Sergio Arouca: manual de conferência. Brasília, 2003.

BUSATO, Adair Luiz Stefanello. Dentística: restaurações em dentes anteriores. São Paulo: Artes Médicas, 1997.

________ . Dentística: restaurações em dentes posteriores. São Paulo: Artes Médicas, 1996.

COHEN, Stephen; BURNS, Richard C. Caminhos da polpa. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

ESTRELA, Carlos. Dor odontogênica. São Paulo: Artes Médicas, 2001.

FREITAS, Agnaldo; ROSA, José Eder; SOUZA, Iéleo Faria. Radiologia Odontológica. 5 ed. Artes Médicas, 2000.

GUANDALINI, Sérgio Luiz; MELO, Norma Suely Falcão de Oliveira; SANTOS, Eduardo Carlos de Peixoto. Biossegurança em odontologia. 2. ed. Curitiba: Odontex, 1999.

GUEDES-PINTO, Antônio Carlos. Odontopediatria. 6. ed. São Paulo: Santos, 2000.

HOWE, Geoffrey L. (Geoffrey Leslie). Cirurgia oral menor. 3. ed. São Paulo: Santos, 1995.

KRAMER, Paulo Floriani; FELDENS, Carlos Alberto; ROMANO, Ana Regina;

OPPERMANN, Rui Vicente. Promoção de saúde bucal em odontopediatria: diagnóstico, prevenção e tratamento da cárie oclusal. São Paulo: Artes Médicas, 1997.

KRIGER, Léo. Promoção de saúde bucal. São Paulo: Artes Médicas, 1997.

LINDHE, Jan; KARRING, Thorkild; LANG, Niklaus Peter. Tratado de periodontia clínica e implantologia oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999

MOYERS, Robert E. Ortodontia. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991.

NEVILLE, Brad W. Patologia oral & maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

PINTO, Victor Gomes. Saúde bucal coletiva. 4. ed. São Paulo: Santos Ed., 2000.

ROSENSTIEL, Stephen F.; LAND, Martin F.; FUJIMOTO, Junhei. Prótese fixa contemporânea. 3. ed. São Paulo: Livraria Editora Santos, 2002.

SANTOS JR., José dos. Oclusão: princípios e conceitos. 5. ed. rev. São Paulo: Santos, 1998.

SONIS S T, FAZIO R C, FANG L. Princípios e prática de Medicina Oral. 2ª ed., Ed. Guanabara Koogan SA, RJ, 1996.

THYLSTRUP, Anders; FEJERSKOV, Ole. Cariologia clínica. 3. ed. São Paulo: Santos, 2001.

TORTAMANO, Nicolau. Guia terapêutico odontológico: G.T.O. 13. ed. São Paulo: Ed. Santos, 1999.

WANNMACHER, Lenita; FERREIRA, Maria Beatriz Cardoso. Farmacologia clínica para dentistas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995.

WHAITES, Eric. Princípios de radiologia odontológica. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

ENFERMEIRO

1. Ética e Legislação Profissional;

2. Saúde da Família e estratégia de organização da Atenção Básica;

3. Diagnóstico, planejamento e prescrição das ações de enfermagem;

4. Políticas de Humanização da Assistência;

5. Epidemiologia e vigilância em saúde;

6. Biossegurança. Prevenção e controle da população microbiana;

7. Programa nacional de imunização;

8. Programas de Atenção à saúde da criança, adolescente, mulher, adulto, idoso e saúde mental;

9. Assistência de Enfermagem na prevenção e controle de doenças infecto contagiosas (Programa Nacional de controle à Hanseníase e Programa Nacional de Controle à Tuberculose), sexualmente transmissíveis e de doenças crônicas e degenerativas;

10. Noções de assistência de Enfermagem nas alterações clínicas em principais situações de urgência e emergência (pré-hospitalar e hospitalar);

11. Cuidados de Enfermagem em tratamentos de feridas e prevenção de lesões cutâneas;

12. Princípios da administração de medicamentos e cuidados de Enfermagem relacionados à terapêutica medicamentosa;

13. Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) - Sistemas de Classificação da Prática Profissional do Enfermeiro.

Bibliografia sugerida:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica Política nacional de atenção básica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - Brasília: Ministério da Saúde, 2006

BRASIL, Ministério da Saúde. Portaria nº 648, Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, 28/03/2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS: acolhimento com avaliação e classificação de risco: um paradigma ético-estético no fazer em saúde. Brasília, 2004.

GONÇALVES, AM; SENA, RR. A Reforma psiquiátrica no Brasil: Contextualização e reflexos sobre o cuidado com o doente mental na família. Revista Latino-am. Enfermagem. 2001 março, 9(2): 48-55.

SILVESTRE, J.A. e COSTA Neto, M.M. Abordagem do idoso em programas de Saúde da Família. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 19(3); 839 - 84, Mai - Jun, 2003. 2. Atenção Primária

BRASIL, Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Rede de Frio. 3.ed., Brasília, 2001. 80p.

BRASIL, Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Normas de Vacinação. 3. ed., Brasília, 2001. 68p.

BRASIL, Ministério da Saúde. Manual de Procedimentos para Vacinação. 4. ed., Brasília, 2001. 316p.

BRASIL, Ministério da Saúde. Manual Técnico para o Controle da Tuberculose. Cadernos de Atenção Básica, n. 5. Brasília, DF, 2002.

BRASIL, Ministério da Saúde. Guia para o Controle da Hanseníase. Cadernos de atenção Básica, n. 10. Brasília, DF, 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Mellitus: Protocolo; Cadernos de Atenção Básica nº 7. Brasília, 2001

BRASIL. Ministério da Saúde. Políticas de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde: Pólos de educação permanente em saúde. Brasília. MS, 2004.

BRASIL - Portaria 2048/GM - 5 de novembro de 2002 (site: http://portal.saude.gov.br).

BRASIL. Decreto Lei 94.406/87, de 08 de Junho de 1987. Regulamenta a Lei 7.498, de 25 de Junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da enfermagem e dá outras providências. Disponível: www.conrenmg.org.br.

BRASIL. Portaria nº 2.529 de 19 de outubro de 2006, que dispõe sobre a internação domiciliar no Âmbito do SUS.

BRUNNER, Lílian S.; Suddarth, Doris S. Tratado de Enfermagem. 9 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002. Vol 1, 2, 3, 4.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM - Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM Resolução do COFEN nº 272/2002 "Dispõe sobre a sistematização da Assistência de Enfermagem".

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE MINAS GERAIS. Legislação e Normas. Ano 9 - nº1, setembro/2003.

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE MINAS GERAIS. Código de Ética e Deontologia de Enfermagem. Brasília, 2003.

ENFERMAGEM: aspectos éticos e de organização da profissão.

OLIVEIRA AC; Infecções Hospitalares - Epidemiologia, Prevenção e Controle - Editora Medsi.

ENGENHEIRO CIVIL

Manutenção predial; planejamento, orçamentação, acompanhamento e fiscalização de obras e serviços; contratação de serviços; inspeções, vistorias, avaliações e perícias; redação de relatórios, laudos e pareceres técnicos; normalização técnica de projetos de engenharia.

Bibliografia sugerida:

ABNT. Instalações elétricas de baixa tensão (NBR 5410). Rio de Janeiro: ABNT, 2004. ABNT. Instalação predial de água fria (NBR 5626). Rio de Janeiro: ABNT, 1998.

ABNT. Manutenção de edificações - Procedimento (NBR 5674). Rio de Janeiro: ABNT, 1999.

ABNT. Sistemas prediais de esgoto sanitário - Projeto e execução (NBR 8160). Rio de Janeiro: ABNT, 1999.

ABNT. Instalações prediais de águas pluviais (NBR 10844). Rio de Janeiro: ABNT, 1989.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. RESOLUÇÃO Nª 307, de 05 de julho de 2002, gestão de resíduos da construção civil.

CHOMA A. Como Gerenciar Contratos com Empreiteiros - Manual de Gestão de Empreiteiros na Construção Civil. 2.ed. São Paulo: Ed. Pini. 2007.

FIKER, J. Linguagem do laudo pericial. São Paulo: Ed. Pini. 2005.

FIKER, J. Manual prático de direito das construções. São Paulo: Ed. Pini. 2005.

FIKER, J. Manual de avaliações e perícias em imóveis urbanos. São Paulo: Ed. Pini. 2005.

GOMIDE, T., PUJADAS, F., FAGUNDES NETO, J. Técnicas de inspeção e manutenção predial. São Paulo: Ed. Pini. 2006.

JOPPERT JÚNIOR, I. Fundações e Contenções de Edifícios: qualidade total na gestão do projeto e execução. São Paulo: Ed. Pini. 2007.

MARCELLI, M. Sinistros na Construção Civil. São Paulo: Ed. Pini. 2007.

MATTOS A. Como preparar orçamentos de obras. São Paulo: Ed. Pini. 2007.

SOUZA, U. Como reduzir perdas nos canteiros. São Paulo: Ed. Pini. 2005.

FARMACÊUTICO BIOQUÍMICO

BIOQUÍMICA CLÍNICA

Conceituação, metodologia, fundamentos e objetivos.

Organização, práticas, propósitos, controle de qualidade e instrumentação do laboratório clínico moderno.

Preparação do paciente, condições para o atendimento, coleta ou recebimento dos materiais biológicos, manuseio, transporte, acondicionamento e armazenamento destes.

Exames: dosagens, particularidades, interferências e interpretação dos resultados. Enzimologia clínica.

Avaliação Laboratorial do Equilíbrio hidroeletrolítico e ácido-base; da função renal; da função endócrina; da função hepática; da função pancreática exócrina e endócrina; das dislipemias; das doenças cardiovasculares; dos distúrbios ósseos e musculares; dos distúrbios do metabolismo do ferro e das porfirias.

Estudo dos líquidos biológicos extravasculares; Estudo dos marcadores tumorais; Automação em Bioquímica Clínica

HEMATOLOGIA

Hematopoese normal e células sangüíneas. Anemias hipocrômicas, megaloblásticas, hemolíticas, aplásticas, diseritropoiéticas e secundárias. Hemoglobinoplastias. Coagulação, distúrbios vasculares e plaquetários de sangramento.

Imuno-hematologia: detecção de anticorpos, antígenos de grupos sangüíneos, testes pré-transfusão e transfusões sangüíneas.

Interpretação clínica de eritrograma e hemograma: valores de referência. Índices hematimátricos.

Hematoscopia normal e patológica. Alterações qualitativas e quantitativas do sangue. Coleta e métodos de colocação para exames hematológicos.

IMUNOLOGIA

Sistema imune, células e órgãos deste. Geração de respostas das células B e T: antígenos, imunoglobulinas, interações antígeno-anticorpo e complexo de h istocom patibilidade.

Mecanismo efetores imunes citocinas, complemento, respostas mediadas por células, migração oleucocitária, inflamação e reações de hipersensibilidade.

Respostas imunes a doenças infecciosas, vacinas, imunodeficiências e auto- imunidade.

Análise laboratorial de substâncias terapêuticas e tóxicas para monitoração de drogas.

MICROBIOLOGIA

Taxonomia, anatomia, fisiologia, patogenecidade e virulências bacterianas.

Classificação, taxonomia e identificação das micoses humanas e provas de sensibilidade aos antifúngicos. Colheita, transporte, processamento, análise e informe das culturas.

Bactérias de interesse clínico: enterobacteriáceas, bacilos, bastonetes, cocos, espiroquetas, micoplasma e ureaplasma. Provas de sensibilidade a agentes antimicrobianos: resistência, determinação da atividade inibitória e da atividade bactericida, combinações de antimicrobianos e testes de eficácia terapêutica e prevenção de toxicidade.

UROANÁLISE

Amostras, coleta, transporte e conservação da urina para exames de rotina e bacteriológicos.

Funções e doenças dos rins e testes da função renal. Exames físicos e químicos da urina.

Sedimentocospia urinária. Análises especiais de urina: distúrbios no metabolismo de aminoácidos, da porfirina, dos mucopolissacarídeos e das purinas.

PARASITOLOGIA CLÍNICA

Parasitos intestinais: colheita, preservação, exames macro e microscópico da amostra fecal fresca e preservada e identificação dos parasitos.

Parasitos do sangue e dos tecidos: métodos e identificação.

Exame de aspirados, dos tecidos, da urina, das secreções e de material de biópsia.

Imunodiagnóstico das parasitoses: testes sorológicos ou imunoensaios e imunológicos.

Biologia molecular: métodos moleculares no diagnóstico das parasitoses humanas.

BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR

Dinâmica celular. Função e estrutura das proteínas. Ácidos nucléicos, código genético e síntese das macromoléculas. DNA recombinante e genômico: reação em cadeia da polimerase. Energética celular: glicólise e oxidação aeróbica.

BIOSSEGURANÇA

Riscos físicos, biológicos, químicos, ergonômicos e de acidentes de trabalho em laboratórios. Biossegurança laboratorial: organização, práticas seguras, medidas de controle, programa de segurança, avaliação e representação dos riscos ambientais. Procedimentos de emergência e treinamento e segurança em laboratórios. Equipamentos de proteção individual e coletiva. Manuseio, controle e descarte de produtos biológicos.

DEONTOLOGIA E LEGISLAÇÃO FARMACÊUTICA

Código de Ética Farmacêutica. Portaria n.º 344, de 12 maio1998, do Ministério da Saúde.

Bibliografia sugerida:

BAYNES, J.; DOMINICZAK, M.H. Bioquímica médica. São Paulo: Manole, 2000.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Código de Ética da Profissão Farmacêutica. Brasília: Cidade Gráfica, 1998.

GORCZYNSKI, R.; STANLEY, J. Imunologia clínica. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso, 2001.

HENRY, J. B. Diagnósticos Clínicos e Tratamentos por Métodos Laboratoriais. São Paulo: Ed.Manole, 1999.

HIRATA, M. H. Manual de biossegurança. São Paulo: Manole, 2002.

LIMA, O., CANÇADO, R. Métodos de Laboratório Aplicados à Clínica - técnica e interpretação. 8 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

LODISH, H. et al. Biologia celular e molecular. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MURRAY, P.R.; ROSENTHAL, K.S.; KOBAYASHI, G.S.; PFALLER, M.A. Microbiologia médica. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

NEVES, D.P. Parasitologia Humana. 11. ed. São Paulo: Atheneu, 2005.

PEAKMAN, M.; VERGANI, D. Imunologia básica e clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

RAVEL, R. Laboratório Clínico - aplicações clínicas dos dados laboratoriais. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

REY, L. Bases da parasitologia médica. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

STRASINGER, Susan King. Uroanálise e fluidos biológicos. 3. ed. São Paulo: Premier, 2000.

TORTORA, G.J.; FUNKE, B.R.; CASE, C.L. Microbiologia. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

VERRASTRO, T. Hematologia hemoterapia: fundamentos de morfologia, fisiologia, patologia e clínica. São Paulo: Atheneu, 2005.

ZAGO, M.A.; FALCÃO, R.P.; PASQUINI, R. Hematologia: fundamentos e prática. São Paulo: Atheneu, 2004.

MÉDICO

O pronto atendimento ao idoso: estados confusionais, quedas, hipertensão postural, hipertensão arterial, infecção. Pneumologia. Insuficiência respiratória aguda, doença pulmonar obstrutiva crônica, doenças infecciosas agudas e crônicas, doenças da pleura. Cardiologia: arritmias, isquemia miocárdica aguda e crônica, hipertensão arterial, insuficiência cardíaca. Dor torácica. Hematologia: anemias, distúrbios da hemostasia, estados hipercoaguláveis. Gastroenterolog ia: hemorragias digestivas, má absorção, icterícias, hepatites, imunologia, imunodeficiências, doenças auto-imunes. Reumatologia: farmacologia dos medicamentos usados no controle das doenças reumatológicas, equilíbrio h idro-eletrol ítico e ácido básico. Nefrologia: glomerulopatias, doenças túbulo-intersticiais, insuficiência renal crônica aguda. Sistema nervoso central. Coma, esturpor, estados confusionais. Endocrinologia: doenças da tireóide, doenças da córtex supra renal. Uso clínico de corticosteróides. Doenças metabólicas: dislipoproteinem ias, diabetes mellitus. Antibióticos. Ressuscitação card iopulmonar.

Bibliografia sugerida:

Brocklehurst's Textbook of Geriatria Medicine and Gerontology. Tallis Fillit Brocklehurst's - Ed. Churchill Livingstone, 1998.

CECIL. Tratamento de Medicina Interna. Bennett/PLUM. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.

Current Medical Diagnosis and Treatment. 1996.

GOODMAN/GILMAN'S. As bases farmacológicas da terapêutica. Mc Graw Hill, 1996.

HARRISON. Medicina interna. Fauci/Braunwald. Ed. Nc Graw Hill, 1998.

Clínicas Médicas da América do Norte, New England Journal of Medicine. Harrison, 1996.

RATTON, José Luiz Amorim. Medicina Intensiva. Ed. Atheneu, 1999.

MÉDICO VETERINÁRIO

1. Controle Zoonoses - aspectos epidemiológicos e normativos;

2. Controle de enfermidades originárias de toxinfecções alimentares -aspectos clínicos, epidemiológicos e normativos;

3. Análise de Perigo e Pontos Críticos de Controle e Manual de Boas Práticas de Fabricação - aspectos normativos;

4. Procedimentos em vigilância sanitária, infrações e sanções relacionadas à legislação sanitária no âmbito federal e estadual;

5. Técnicas de análise de alimentos (coleta, remessa ao laboratório e técnicas de análise) - aspectos técnicos e normativos;

6. Normas vigentes sobre transporte e acondicionamento de alimentos no atacado e varejo;

7. Tecnologia e inspeção de leite, carnes, ovos, pescados, mel e derivados - aspectos técnicos e normativos;

8. Programas brasileiros de controle e erradicação de zoonoses

9. Controle e combate de vetores e animais peçonhentos.

10. Segregações e destino de resíduos de Saúde.

Bibliografia sugerida:

ANDRIGUETTO, Jose Milton. Nutrição animal. São Paulo: NOBEL, 1986. 2v.

BEER, Joachim. Doenças infecciosas em animais domésticos. São Paulo: Roca, 1999.

BERCHIERI JUNIOR, Angelo; MACARI, Marcos. Doenças das aves. Campinas: Facta, 2000.

BOOTH, Nicholas H.; MCDONALD, Leslie E. (Eds.) Farmacologia e terapêutica em veterinária. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1992.

BRASIL. Ministério da Saúde, FNS. Manuais: de Saneamento; de Leptospirose; de Dengue; de Raiva; Guia de controle de leihsmaniose tegumentar americana e de controle de vigilância epidemiológica.

__________ . Ministério de Agricultura - Divisão de Normas Técnicas. Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal.

_________ . Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle - APPCC a ser implantado gradativamente nas indústrias de Produtos de Origem Animal sob o regime do SIF. Portaria 46, Brasília, 1998.

_______ . Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regulamentos Técnicos Sobre as Condições Higiênicas Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Elaboradores / Industrializadores de Alimentos. Portaria N° 368, Brasília, 1997.

________ . Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. Laboratório Nacional de Referência Animal (LANARA). Métodos analíticos oficiais para controle de produtos de origem animal e seus ingredientes. I Métodos Microbiológicos. II Métodos físico-químicos. Aprovado pela Portaria n. 001, de 07/10/81. Brasília, 123p. 1981.

________ . Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa Nº 51 de 18 de setembro de 2002. Regulamento Técnico de Produção, Identidade e Qualidade do Leite Tipo A, do Leite Tipo B, do Leite Tipo C, do Leite Pasteurizado e do Leite Cru Refrigerado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel.

__________ . Secretaria de Agricultura do Estado de Minas Gerais. Decreto Estadual n° 38691 de 10 de março de 1997, alterado pelo Decreto Estadual n° 110056 de 16 de novembro de 1998. Regulamento da Inspeção e Fiscalização Sanitária de Produtos de Origem Animal.

CONS. FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA. www.cfmv.org.br

CORREA, W. & CORREA, C.N. Enfermidades infecciosas dos animais domésticos. Ed. Varela.

ETTINGER, Stephen J. Tratado de medicina interna veterinária: moléstias do cão e do gato. 4.ed. São Paulo: Manole, 1995. 2v.

Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas, Publicações

PARDI, Miguel. Ciência, higiene e tecnologia da carne. 2.ed. rev. e ampl. Goiânia: UFGO 2001.

RADOSTITS, O. M.; GAY, C. C.; ARUNDEL, J. H. Clinica veterinária: um tratado de doenças dos bovinos, ovinos, suínos, caprinos e eqüinos. 9.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

SOBESTIANSKY, Jurij. Suinocultura intensiva: produção, manejo e saúde do rebanho. Brasília: EMBRAPA, 1998.

TH RUSFI ELD, M ichael. Epidemiologia veterinária. Zaragoza: Acri bia, 1999.

URQUHART, G. M. Parasitologia veterinária. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

NUTRICIONISTA

1- Regulamentação das atividades do profissional de nutrição.

2- Características sensoriais, físico-químicas, nutricionais e higiênico-sanitárias dos alimentos.

3- Métodos de avaliação e efeitos das diversas modalidades de aquisição, seleção, armazenamento, pré-preparo, preparo e conservação da qualidade nutricional dos alimentos.

4- Higienização e sanitização dos alimentos, utensílios e equipamentos.

5- Doenças veiculadas por alimentos e microrganismos patogênicos de importância em alimentos.

6- Energia e nutrientes: definição, classificação, propriedades, funções, digestão, absorção, metabolismo, biodisponibilidade, requerimentos, recomendações e fontes alimentares.

7- Definição, fundamentação e característica da dieta normal e suas modificações.

8- Alimentação e nutrição nos diferentes grupos etários e para aqueles nutricionalmente vulneráveis.

9- Avaliação nutricional de indivíduos e comunidades: tipos, conceitos, material e métodos, interpretação e aplicabilidade dos resultados.

10- Nutrição clínica: Patologia da nutrição e dietoterapia nas doenças nutricionais. Assistência dietoterápica hospitalar, ambulatorial e em consultórios de nutrição e dietética.

11- Saúde coletiva e nutrição: programas de aplicação e nutrição, atenção primária e educação em saúde, epidemiologia dos problemas nutricionais brasileiros, Política Nacional de Alimentação e Nutrição, situação alimentar e nutricional no Brasil e segurança alimentar.

12- Educação nutricional: conceitos, objetivos, metodologias e aspectos sociais, econômicos e culturais, planejamento, organização, implementação e avaliação de programas de educação nutricional.

13- Alimentação coletiva: conceitos básicos da administração geral e sua aplicação a Unidade de Alimentação e Nutrição, planejamento e operacionalização de cardápios, tipos e sistema de serviços, planejamento físico funcional, controle e avaliação de recursos humanos, financeiros e de materiais, higienização, segurança e ergonomia no trabalho.

14- Legislação relacionada à área de Nutrição e alimentos.

BORSOI, Maria Ângela. Nutrição e dietética: noções básicas. 11 .ed. São Paulo:Senac São Paulo, 2004. 78 p. (Apontamentos Saúde)

CUPPARI, Lilian. Guia de nutrição: nutrição clínica no adulto. 2. ed. Barueri: Manole, 2005. 474 p. (Guias de medicina ambulatorial e hospitalar.)

ESCOTT-STUMP, Sylvia; MAHAN, L. Kathleen. Krause. Alimentos, nutrição & dietoterapia 11 ed. São Paulo: 2003.

EUCLYDES, Marilene Pinheiro. Nutrição do lactente: base científica para uma alimentação saudável. 3. ed Viçosa: [S.n.], 2005. 551p.

GOUVEIA, Enilda L. Cruz. Nutrição: saúde e comunidade. 2. ed., rev. amp. Rio de Janeiro: Revinter, 1999. 247 p.

ORNELLAS, Lieselotte H. Técnica dietética: seleção e preparo de alimentos. 8.ed., rev. ampl. São Paulo: Atheneu, 2007. 276 p.

PHILIPPI, Sonia Tucunduva. Nutrição e técnica dietética. 2.ed., rev. e atual.Barueri: Manole, 2003. 390 p.

PROFESSOR P I: 1ª A 4ª SÉRIE

1. Educação e diversidade cultural: implicações no cotidiano da escola.

2. Concepções de ensino e aprendizagem da leitura e da escrita

· Alfabetização e letramento.

· A construção do sentido da leitura e da escrita.

· Relação leitor-texto-autor.

· Metodologias de alfabetização: um novo olhar sobre ensino e aprendizagem.

3. Educação matemática: perspectivas atuais

3.1. Objetivos do ensino da matemática na escola fundamental.

3.2. Construção de conceitos matemáticos.

3.3. Aspectos metodológicos do ensino da matemática: jogos e materiais concretos, resolução de problemas, investigações matemáticas na sala de aula.

4. Perspectivas históricas e atuais da Educação Científica.

4.1. O conteúdo de Ciências Naturais no ensino fundamental - novos parâmetros curriculares.

4.2. Aspectos metodológicos do ensino de Ciências Naturais.

5. Fundamentos filosóficos, sociais e legais da História e da Geografia no ensino fundamental.

5.1. Parâmetros Curriculares de História e Geografia.

5.2. Metodologias para o ensino de História e Geografia no ensino fundamental Bibliografia sugerida:

ALMEIDA, Rosângela; PASSINI, Elza Yasuko. O Espaço Geográfico: ensino e representação. 8ª ed. São Paulo: Contexto, 2000.

BRAGA, Magda Friche; MOREIRA, Moacir Alves. Metodologia de Ensino: ciências físicas e biológicas. Belo Horizonte: Lê: Fundação Helena Antipoff, 1997.

BRASIL, MEC. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 2000. Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História e Ciências.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização sem o bá-be-bi-bo-bu. São Paulo: Scipione, 1998.

CENTURIÓN, Marília. Conteúdo e metodologia da matemática: números e operações. São Paulo: Scipione, 1994.

D'AMBRÓSIO, Ubiratan. Etnomatemática - elo entre as tradições e a modernidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

DAYRELL, Juarez. (org.) Múltiplos olhares sobre a educação e cultura. Belo Horizonte, UFMG,1996

DELIZOICOV, Demétrio; ANGOTTI, José André; PERNAMBUCO, Marta Maria Castanho Almeida. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2002.

EVANGELISTA, Aracy Alves Martins et. al. Professor/Leitor. Aluno/Autor: reflexão sobre a avaliação do texto escolar. Cadernos. CEALE. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

KAMII, Constance. A criança e o número: implicações educacionais da Teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. 30ª ed. Campinas: Papirus, 2003.

KATO, Mary. A concepção da escrita pela criança. Campinas: São Paulo: Pontes, 1988.

MAGDA, Soares. Alfabetização e Letramento: um tema um três gêneros.

NARDI, Roberto. Questões atuais no ensino de Ciências. São Paulo: Escrituras, 2001.

NIKITIUK, Sônia L. Repensando o ensino de história. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2001.

NUNES, Carlos Alberto. Metodologia de Ensino: geografia e história. Belo Horizonte: Lê, Fundação Helena Antipoff, 1997.

PENTEADO, Heloísa Dupas. Metodologia do ensino de história e geografia. São Paulo: Cortez, 2001.

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A criança na fase inicial da escrita: alfabetização como processo discursivo. 6. ed. São Paulo: Cortez, Campinas, 1993.

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA

1. Educação Física e sociedade: construção sócio-histórica da Educação Física escolar considerando suas concepções, sentidos e significados adquiridos e as diferentes influências que direcionaram a sua constituição como componente curricular na Educação Básica.

2. A Educação Física no projeto político e pedagógico da escola

3. O ensino da Educação Física na escola

a. Aspectos legais;

b. Finalidades;

c. Abordagens pedagógicas;

d. Planejamento: objetivos, conteúdos, metodologia e avaliação.

4. A Educação Física e sua relação com:

a. o lazer;

b. o corpo e a cultura corporal de movimento;

c. o trato das diferenças: gênero, idade e habilidade.

5. Educação Física: bases fisiológicas e socorros de urgência.

6. Formação de professores de Educação Física

ASSIS, S. O. Reinventando o esporte: possibilidades da prática pedagógica. Campinas, SP: Autores Associados/ CBCE, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Lei n. 9394/96, de 20 de dezembro 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional,

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: educação física. Brasília: MEC/SEF, 1998.

DAÓLIO, Jocimar. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus,1995.

DARIDO, S. C. Educação física na escola: questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

DARIDO, S. C., RANGEL, I. C. A. (coord.). Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

FEGEL, M. J. Primeiros socorros no esporte. São Paulo: Manole, 2002.

FIGUEIREDO, Z.C.C. Formação docente: currículo e saber. In: CAPARRÓZ, F. E. (org.). Educação física escolar: política, investigação e intervenção. v.1. Vitória: Proteoria. 2001. p. 81-91.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado da Educação. Educação física: proposta curricular, educação básica / ensino fundamental (5a a 8a série). Belo Horizonte, 2005. Disponível em: <www.educacao.mg.gov.br>.

NEIRA, M. G.; NUNES, M. L. Pedagogia da cultura corporal: crítica e alternativa. São Paulo: Phorte Editora, 2006.

SOUZA JÚNIOR, M. O saber e o fazer pedagógicos da educação física na cultura escolar: o que é um componente curricular? In: CAPARRÓZ, F. E. (org.). Educação física escolar: política, investigação e intervenção. v.1. Vitória: Proteoria. 2001. p. 81- 91.

WERNECK, C. L. G.; ISAYAMA, H. F. (orgs.). Lazer, recreação e educação física. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

WILMORE, J. H.; COSTILL, D. L. Fisiologia do esporte e do exercício. São Paulo: Manole, 2001.

PSICÓLOGO

1. Diagnóstico Psicológico

1.1. Objetivos, processos, etapas, técnicas.

1.2. Análise, interpretação e devolução dos dados.

1.3. Laudo psicológico.

2. Psicologia Social

2.1. Linguagem, pensamento e representações sociais.

2.2. Identidade.

2.3. Processos grupais - família, escola, trabalho.

3. Psicopatologia e Clínica

3.1. Estrutura psíquica.

3.2. Saúde e doença mental.

3.3. Neuroses e psicoses.

3.4. Clínica psicanalítica.

4. Psicologia Organizacional e do Trabalho

4.1. Recursos humanos nas organizações.

4.2. Recrutamento, seleção e acompanhamento de pessoal.

4.3. Treinamento e desenvolvimento de pessoal.

4.4. Doença Ocupacional e relações de trabalho.

4.5. Laudos e relatórios.

Bibliografia sugerida:

ARZENO, M.E.G. Psicodiagnóstico Clínico - novas contribuições. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

BOOG, Gustavo (coord). Manual de Treinamento e Desenvolvimento. São Paulo: Makron Books, 1999.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas - o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

CUNHA, Jurema A. Psicodiagnóstico. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

DURAND, Marina. Doença Ocupacional - psicanálise e relações de trabalho. SP: Escuta, 2000.

FREUD, S. Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago, 1976

_________ . Conferências Introdutórias sobre a psicanálise. Vol. XVI (1916. 1917[1915-1917])

________ . Neurose e Psicose (1924[1 923]) e A Perda da Realidade na Neurose e na psicose (1924) . vol XIX.

______ . Artigos sobre técnica (191 1-1915[1914]). Vol. XII.

LANE, S. e CODO, W. (org.) Psicologia Social - o homem em movimento. São Paulo: Brasiliense, 1985.

MILLER, J. Lacan Elucidado - palestras no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1997.

SUPERVISOR ESCOLAR I E SUPERVISOR ESCOLAR II

1. Origem e evolução histórica da Supervisão Escolar.

2. A Supervisão e a organização do trabalho na escola.

3. O papel da supervisão no contexto da gestão escolar.

4. Planejamento e gestão da ação supervisora.

5. O processo didático e o currículo escolar.

6. A avaliação da educação básica nos exames nacionais e as funções da prática da supervisão pedagógica.

Bibliografia sugerida:

CHRISTOV, Luiza Helena da Silva. O coordenador pedagógico e a formação docente. 4. ed. São Paulo: Loyola, 2003. 93p.

FRANÇA, J. L. et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 3.ed. rev. aum. Belo Horizonte : Ed. UFMG, 1996.

MENEGOLLA, Maximiliano; SANT'ANNA, Ilza Martins. Por que planejar? Como planejar? : currículo, área, aula. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. 159p.

PATTO, Maria Helena Souza. A produção do fracasso escolar: Histórias de submissão e resistência. São Paulo: T.A. Queiroz, 1990.

PEIXOTO, Maria do Carmo Lacerda. "Descentralização dos sistemas da educação no Brasil: Uma abordagem preliminar". In: OLIVEIRA, Dalila Andrade & DUARTE, Marisa

(Orgs.), Política e trabalho na escola: Administração dos sistemas públicos de educação básica. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

PERRENOUD, P. Práticas Pedagógicas, Profissão Docente e Formação. Perspectivas Sociológicas. Lisboa: Dom Quixote, 1993.

PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza; ALMEIDA, Laurinda Ramalho de. O coordenador pedagógico e o cotidiano da escola. 2. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2004. 183p.

PRZYBYLSKI, Edy. O supervisor escolar em ação. Porto Alegre: SAGRA, [19- ]. 180p

RANGEL, Mary. Supervisão pedagógica: princípios e práticas. 5. ed. São Paulo: Papirus, 2005. 102p.

SACRISTÁN, J.G. O Currículo: uma Reflexão sobre a Prática. 3 ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

SILVA JUNIOR, Celestino Alves da; RANGEL, Mary. Nove olhares sobre a supervisão. 11. ed. Campinas: Papirus, 2005. 197p.

TEIXEIRA, Anísio. Educação no Brasil. 2ª Edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional - MEC, 1976.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Avaliação da aprendizagem: práticas de mudança : por uma práxis transformadora. 4. ed. São Paulo: Libertad, 1998. 125p.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula. 2. ed. São Paulo: Libertad, 2002.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Para onde vai o professor?: resgate do professor como sujeito de transformação. 10. ed. São Paulo: Libertad, 2003. 205p

Legislação

DECLARAÇÃO MUNDIAL sobre Educação para Todos e Plano de Ação para Satisfazer as Necessidades Básicas de Aprendizagem. Jomtien/Tailândia, 1990.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Salamanca/Espanha, 1994.

Legislação Federal

Constituição da República Federativa do Brasil.

Emenda Constitucional nº 14, de 12 de setembro de 1996.

Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, e dá outras providências.

Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996 - estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

Lei nº 11.114, de 16 de maio de 2005 - Altera os artigos 6º, 30, 32 e 87 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com o objetivo de tornar obrigatório o início do Ensino Fundamental aos 06 (seis) anos de idade.

Resolução CNE/CEB n 02, de 07 de abril de 1998 - Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental.

Resolução CNE/CEB nº 01, de 31 de janeiro de 2006 - Altera a Alínea "B" do Inciso IV do Artigo 3º da Resolução CNE/CEB nº 02/98, que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental.

Resolução CNE/CEB n 02, de 11 de setembro de 2001 - Institui diretrizes nacionais para a Educação Especial na Educação básica.

Resolução CEE/MG nº 451, de 27 de maio de 2003 - Fixa normas para a Educação Especial no Sistema Estadual de Ensino.

Resolução SEE/MG nº 521, de 02 de fevereiro de 2004 - Dispõe sobre a organização e o funcionamento do ensino nas escolas estaduais de Minas Gerais e dá outras providências.

CALENDÁRIO

INSCRIÇÕES: de 07 a 28 de julho de 2008.

CARTÃO DE INFORMAÇÃO:

O candidato que não o receber até 20/10/2008 deverá entrar em contato com a FUMARC até 23/10/2008 para obter as devidas informações.

PROVA: 26 de outubro de 2008.

RESULTADO: 24 de novembro de 2008.

PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA:

SOLICITAÇÃO DE PROVA ESPECIAL: até o dia 07 de agosto de 2008.

ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO REFERENTE AO ITEM 10.5 DO EDITAL 01/2008: na data da convocação.

98280

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231