Despesas para estudar para concurso

William Douglas

Apresento hoje perguntas que costumeiramente ouço e rápidas respostas.

 

Quanto gasta um candidato para conseguir passar em um concurso?

O candidato vai gastar dinheiro com cursos, livros, taxas de inscrição, deslocamento para o curso etc. Há cálculos que falam em 10, 15, 20 mil reais, até mais, mas isso é muito relativo. Existem cargos para nível fundamental, em que o custo de tudo é bem mais barato, do curso até a apostila, e cursos para auditor da receita, juiz e promotor, em que os cursos e livros podem ter custo elevado. Assim, não há como precisar o montante do investimento sem considerar esses fatores e, em especial, quanto tempo a pessoa vai passar estudando.

O que posso dizer, contudo, é que vale a pena investir no estudo e no concurso público.

Vale à pena investir em estudo, cursos e concursos?

Dizem que se alguém acha caro o custo do conhecimento é porque ainda não parou para pensar no custo da ignorância. A Bíblia diz, em Provérbios cap. 3, versos 13 e seguintes, para investirmos em sabedoria e conhecimento, pois a sabedoria traz vida longa, riquezas e honra, sendo o melhor investimento que se pode fazer.

A minha experiência me mostra que a orientação é correta. No caso do concurso, ele proporciona um emprego estável, honroso, com boa remuneração e que permite excelente qualidade de vida. Em suma, o "prêmio" pelo esforço e investimento é bem recompensador. Além disso, no serviço público nós somos remunerados para servir ao próximo e para melhorar a qualidade de vida das pessoas e do país. É uma bela proposta. E, como tudo na vida, tem seu preço. Como diz o ditado, "não existem almoços de graça": tudo o que é bom tem seu custo, mas as decisões erradas, a omissão e o imobilismo também são custosos, e creio que bem mais.

Existem casos de pessoas que gastam tudo o que têm?

Sim, tanto nos concursos quanto na religião, no jogo, em diversão e viagens. Aqui, dois cuidados são importantes: primeiro, que a pessoa aprenda a administrar os seus gastos, qualquer que seja o lugar onde os faça. Segundo, que aprenda a gastar dinheiro de forma sensata, reservando uma parte para o dia de hoje e o lazer e outra para investimentos e um futuro melhor. Os gastos em educação e em concurso são excelentes, pois o resultado é garantido, desde que a pessoa aprenda a estudar e a fazer provas.

E quem não tem dinheiro?

Costumo dizer que a vida ajuda a quem se ajuda. Se a pessoa tem dificuldades financeiras, mas está disposta a mudar de vida, a trabalhar etc., sempre surge ajuda de uma ou outra forma. Meu pai, para estudar, cuidou dos porcos do dono do colégio. Conheço gente que dá seu jeito... e gente que dá desculpas.

Outro cuidado é que a pessoa que tem menos dinheiro não fique atirando demais; não precisa fazer todos os concursos, em todos os estados do país. O ideal é que ela foque, não fazendo apenas um concurso, mas também não indo para o extremo oposto.

Como as pessoas financiam os estudos?

Em geral temos o "paitrocínio", como foi meu caso, e o autofinanciamento. Alguns sortudos têm um familiar (pais, avós, tios, cônjuge) que banca os estudos, e isso é bom. Outros precisam trabalhar e estudar. Estes, embora com menos tempo, em geral são mais responsáveis e vários aprovados, muitos mesmo, vêm desse segmento: gente esforçada, que "assovia e chupa cana", mas que chega até onde quer. Existem também bolsas de estudo, algumas em troca de trabalho nos cursinhos, as bibliotecas, os livros emprestados e assim por diante. Vale dizer ainda que há cursos e aulas gratuitas em sistema de voluntariado, como os do Educafro, pré-vestibular para negros e carentes, onde sou militante. Faço palestras pagas em colégios e cursos... e palestras gratuitas para carentes.

Por fim, anote-se que é possível pedir isenção da taxa de inscrição em caso de hipossuficiência econômica.

O que o candidato deve ter em mente na hora de se dedicar a um concurso?

Que é um projeto de longo prazo, que deve ser levado com sabedoria, determinação e paciência. Aqueles que aprenderem a lidar com esse projeto de forma organizada e inteligente terão excelentes resultados. Na minha página, www.williamdouglas.com.br, forneço gratuitamente dicas e orientações, inclusive em vídeo.

Vale a pena fazer cursos preparatórios? Eles são indispensáveis?

Para quem puder, mesmo com algum esforço e sacrifício, fazer um curso preparatório, recomendo que faça. Vale a pena, pois são dadas várias orientações por professores especializados. Mas quem não tem mesmo condições nem por isso deve desanimar: o número de alunos em cursos frente ao número de aprovados comprova que é possível passar sem ter feito um curso. Em suma, você consegue mesmo sem o curso, mas, se puder fazer, faça, pois vai ajudá-lo a ir melhor e mais rápido. Outra dica é que a pessoa tente fazer ao menos as turmas de exercícios, ou módulos nas matérias em que é mais fraca. Os cursos também vêm fazendo simulados de concursos, que são úteis para a pessoa adquirir experiência.

E quem não tem condições de arcar com custos tão altos, o que fazer?

Como disse, as portas se abrem, mais cedo ou mais tarde, para quem, ao invés de desculpas e lamentações, resolve ir à luta e escrever uma nova história. Nesse passo, há soluções possíveis e uma delas, muito usada, é o "concurso-escada". A pessoa faz um concurso de nível fundamental ou médio, em que consegue arcar com os custos, rala, estuda, persiste etc... e passa. Ao passar, utiliza o dinheiro, tempo e experiência adquiridos para continuar fazendo outros concursos mais difíceis e melhor remunerados. Outros usam o concurso para pagar a faculdade, uma pós, ou até mesmo para investir em algum negócio da família. Para se ter uma idéia, o cargo de Policial Rodoviário Federal exige nível médio e paga R$ 5.200,00 de vencimento inicial. Muitos fazem esse concurso, pagam a faculdade com ele e, depois, livros e cursos para prestar concursos de nível superior. São histórias bonitas, de fé e trabalho, das quais me orgulho só de ver.

Quais as principais dicas para quem quer passar num concurso?

Me perdoe por ser tão direto, mas sugiro a leitura de um dos meus dois livros básicos, nos quais abordo todas essas questões: Como Passar em Provas e Concursos, versão integral, com 520 páginas e DVD, ou o resumo desse livro, chamado de Guia de Aprovação em Concursos, com 190 páginas e preço bem acessível.

Alguma mensagem especial aos candidatos?

Sim, duas! A primeira é que o concurso é uma bela carreira e um projeto que vale a pena. Por isso, parabéns por estar nele, por entrar nele e por continuar nele até colher os frutos do esforço, pois, afinal, concurso não se faz para passar, mas até passar. A segunda mensagem é que, como diz a Bíblia, "encontrarão a felicidade aqueles que cuidarem da felicidade do próximo...", e ser servidor é isso: servir ao próximo e ser remunerado pelo governo. Para quem já é servidor, sugiro a vista ao site da revolução no serviço público: www.revolucao.info

Artigos, textos e dicas de William Douglas

O PCI Concursos em parceria com o site www.williamdouglas.com.br, disponibiliza aqui, vários artigos, textos e dicas de William Douglas sobre "Como Passar" em concursos públicos:

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231