UFTM - Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UFTM - UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO

PRORH - PRO-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS

EDITAL Nº 37 DE 26 DE ABRIL DE 2012

Notícia:   UFTM oferece 23 vagas para cargos da carreira Técnico-Administrativa

O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO - UFTM, no uso de suas atribuições e tendo em vista, as Leis nº 8.112/90 e 11.091/05, alterada pela Lei nº 11.233/05, a Constituição Federal, os Decretos nº 6.944, publicado no DOU de 22/08/2009 e nº 7.232, publicado no DOU de 20/07/2010, Portaria Interministerial n°440/2011 e demais legislações complementares e o Processo nº 23085.000943/12-97, torna pública a abertura das inscrições para o Concurso Público destinado ao provimento de cargos da Carreira Técnico-Administrativa em Educação, nas condições previstas neste Edital, nos anexos e demais expedientes.

1. DAS INFORMAÇÕES PRELIMINARES

1.1. O Concurso será regido por este Edital, executado pela UFTM e realizado em Uberaba-MG.

1.2. O concurso destina-se ao provimento de cargos vagos, bem como dos que vierem a vagar ou forem criados durante o prazo de validade previsto neste Edital.

1.3. A descrição sumária das atribuições dos cargos consta no Anexo I deste Edital.

1.4. O conteúdo programático e as referências constam no Anexo II deste Edital.

1.5. É de exclusiva responsabilidade do candidato, o preenchimento, encaminhamento e pagamento da inscrição, bem como o acompanhamento de demais informações, pela internet, durante todo o processo do concurso.

1.6. Considera-se como sítio oficial da UFTM na internet, nos termos do presente Edital, o endereço eletrônico: www.uftm.edu.br.

2. DO CARGO

2.1. A especificação dos cargos, os pré-requisitos, o número de vagas, o nível de classificação, carga horária semanal e o vencimento básico são discriminados a seguir:

CARGO

PRÉ-REQUISITOS PARA POSSE

NÚMERO DE VAGA(S)*

NÍVEL DE CLASSIFICAÇÃO INICIAL

VAGAS PORTADORES

VENCIMENTO BÁSICO

Auxiliar em Administração

-Ensino Fundamental Completo.

11

C-I01

1

R$ 1.473,58

Biólogo

-Curso superior em Biologia.

-Registro no Conselho competente.

1

E-I01

0

R$ 2.989,33

Enfermeiro

-Curso superior de Enfermagem.

-Registro no Conselho competente.

2

E-1.01

0

R$ 2.989,33

Engenheiro/área: Civil

-Curso superior na área.

-Registro do Conselho competente.

1

E-I01

0

R$ 2.989,33

Geólogo

-Curso superior em Geologia. -Registro no Conselho competente.

1

E-I01

0

R$ 2.989,33

Odontólogo

-Curso Superior Odontologia. -Registro no conselho competente.

1

E-I01

0

R$ 2.989,33

Psicólogo/área: Clínica

-Curso Superior em Psicologia. -Registro no Conselho competente.

1

E-I01

0

R$ 2.989,33

Técnico de Laboratório/área: Histotecnologia-Médio Profissionalizante ou Médio Completo.

-Curso Técnico em Análises Clinicas ou Técnico em Patologia

2D-I010R$ 1.821,94
Técnico em Assuntos Educacionais-Curso Superior em Pedagogia ou Licenciaturas1E-I010R$ 2.989,33
Técnico em Eletricidade-Médio Profissionalizante em Eletrotécnica1D-I010R$ 1.821,94
Tecnólogo/formação em Ciências Exatas-Curso Superior na área.1E-I010R$ 2.989,33

2.2. O ingresso nos cargos do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação far-se-á no padrão inicial do primeiro nível de capacitação do respectivo nível de classificação, conforme dispõe o artigo 9° da Lei 11.091, de 12/01/2005.

2.3. O vencimento básico poderá ser acrescido do auxílio alimentação no valor de R$ 304,00 (trezentos e quatro reais) e do incentivo à qualificação, caso o servidor possua escolaridade superior à exigida para o ingresso, nos percentuais que se seguem:

Para cargos de Nível C:

Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo (curso reconhecido pelo MEC

Percentuais de incentivo aplicado sobre o vencimento básico

Área de conhecimento com relação direta

Área de conhecimento com relação indireta

Ensino Médio Completo

8%

Ensino Médio com Curso Técnico Completo

10%

5%

Curso de graduação completo

15%

10%

Especialização, superior ou igual a 360h

27%

20%

Para cargos de Nível D:

Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo (curso reconhecido pelo MEC

Percentuais de incentivo aplicado sobre o vencimento básico

Área de conhecimento com relação direta

Área de conhecimento com relação indireta

Curso de graduação completo

10%

5%

Especialização, superior ou igual a 360h

27%

20%

Mestrado ou título de educação formal de maior grau

52%

35%

Para cargos de Nível E:

Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo (curso reconhecido pelo MEC

Percentuais de incentivo aplicado sobre o vencimento básico

Área de conhecimento com relação direta

Área de conhecimento com relação indireta

Especialização, superior ou igual a 360h

27%

20%

Mestrado ou título de educação formal de maior grau

52%

35%

Doutorado

75%

50%

2.4. A lotação inicial dos candidatos nomeados, no quantitativo de vagas constantes deste edital, bem como os provimentos posteriores, ocorridos durante a validade do concurso, dar-se-á nas unidades organizacionais da UFTM, conforme interesse e necessidade da Instituição.

2.5. A carga horária semanal é de 40 horas, pra todos os cargos de que trata este edital.

2.6. O cumprimento da jornada de trabalho poderá ocorrer em turno diurno, noturno, turnos de revezamento, regime de plantão, feriados, finais de semana, de acordo com as necessidades da Instituição.

3. CALENDÁRIO DO CONCURSO Cronograma comum a todos os cargos:

Datas/períodos

Eventos

01/05 às 08h até 20/05 às 22h

Período de inscrição

01/05 às 08h até 11/05 às 16h

Período de inscrição - com isenção de taxa

14/05

Divulgação do resultado dos pedidos de isenção de taxa de inscrição

21/05

Data limite para pagamento da taxa de inscrição

14/05

Data limite para entrega de formulário e laudo médico - portador de deficiência e solicitação de atendimento especial

25/05

Homologação das inscrições no site

04/06

Divulgação do local da realização da prova objetiva/redação

28/06

Divulgação do resultado final

29/06

Prazo para recurso de resultado final

Cronograma para os cargos de Biólogo, Enfermeiro, Geólogo, Odontólogo, Técnico de Laboratório/ Histotecnologia e Tecnólogo/Formação em Ciências Exatas:

Datas/períodosEventos

03/06

Aplicação da prova objetiva/redação para os cargos de

03/06 a partir das 17h

Publicação do gabarito da prova objetiva

04/06

Prazo para recurso referente gabarito e/ou questão da prova objetiva

12/06

Divulgação resultado da prova objetiva

13/06

Prazo para recurso referente resultado prova objetiva

18/06

Convocação para prova prática

Cronograma para os cargos de Auxiliar em Administração, Engenheiro Civil, Psicólogo área Clinica, Técnico em Assuntos Educacionais e Técnico em Eletricidade :

Datas/períodosEventos

17/06

Aplicação da prova objetiva/redação para os cargos de

17/06 a partir das 17h

Publicação do gabarito da prova objetiva

18/06

Prazo para recurso referente gabarito e/ou questão da prova objetiva

22/06

Divulgação resultado da prova objetiva

23/06

Prazo para recurso referente resultado prova objetiva

3.1. As informações de realização das provas estarão disponíveis no sítio oficial da UFTM (www.uftm.edu.br, menu "CONCURSOS", opção "CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO").

4. DAS INSCRIÇÕES

4.1. Será admitida a inscrição somente via internet, no endereço eletrônico: (www.uftm.edu.br, menu "CONCURSOS", opção "CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO"), conforme período descrito no item 3.observado o horário oficial de Brasília.

4.2. A UFTM não se responsabiliza por solicitação de inscrição não recebida por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamentos das linhas de comunicação, bem como outros fatores técnicos que impossibilitem a transferência de dados.

4.3. O preenchimento correto da ficha de inscrição é de inteira responsabilidade do candidato.

4.4. A taxa de inscrição será de R$ 60,00 (sessenta reais) para cargos de nível de classificação C, R$ 70,00 (setenta reais) para cargos de nível de classificação D e R$ 80,00 (oitenta reais) para cargos de nível de classificação E.

4.5. Procedimentos para inscrição:

a) O candidato deverá efetuar o pagamento da taxa de inscrição por meio da Guia de Recolhimento da União - GRU, que estará disponível no endereço eletrônico (www.uftm.edu.br, menu "CONCURSOS", opção "CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO"), gerando e imprimindo-a imediatamente após a conclusão do preenchimento da ficha de inscrição on-line.

b) A Guia de Recolhimento da União - GRU poderá ser paga nas agências, ou em caixa eletrônico, do Banco do Brasil até 21 de maio de 2012.

b.1) A taxa, uma vez paga, não será restituída em hipótese alguma.

c) O comprovante de inscrição do candidato será encaminhado via email, somente após a conciliação bancária efetuada pela UFTM, sendo de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção desse documento.

4.6. Serão anuladas as inscrições dos candidatos que:

- efetuarem pagamento com valor inferior ao estipulado, resultante de erro do candidato;

- efetuarem pagamento após a data e horário limite estipulado neste Edital.

4.7. Somente o preenchimento da ficha de inscrição não significa estar regularmente inscrito no concurso. A inscrição somente será efetivada mediante comprovação de pagamento da taxa de inscrição.

4.8. Caso o candidato, antes da confirmação pela UFTM, faça qualquer alteração de dados cadastrais ou preencha mais de uma ficha de inscrição, será considerada como válida a última ficha de inscrição efetuada que corresponda ao valor da taxa paga, desconsiderando as demais.

4.9. O candidato que necessitar de condição especial no dia do concurso, inclusive o portador de deficiência, deverá encaminhar até 14 de maio de 2012, à Pró-Reitoria de RH da UFTM, o formulário de solicitação preenchido, disponível no sítio oficial da UFTM, indicando as condições necessárias para a realização da prova e anexando atestado médico comprobatório de sua condição.

4.9.1 A solicitação de condição especial, deverá ser protocolada na recepção da PRÓ-REITORIA DE RH (Av. Frei Paulino, 30, 3° andar, Bairro Abadia, Uberaba-MG CEP 38025-180) no horário de expediente ou encaminhada via SEDEX (postada impreterivelmente até até 14 de maio de 2012). Após este período a solicitação será indeferida.

4.10. A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização das provas deverá levar acompanhante, que ficará em sala reservada com a criança, para essa finalidade.

4.10.1. O tempo estipulado para realização das provas não terá acréscimo por motivo de amamentação.

4.11. A solicitação de condições especiais, conforme subitem 4.9., será atendida, considerando os critérios de razoabilidade e viabilidade, sem prejuízo ou beneficio aos demais candidatos do concurso.

4.12. Não será aceita inscrição por meio de fax, correio eletrônico, por correspondência, condicional ou extemporânea.

4.13. O candidato é responsável pelas informações prestadas no formulário de inscrição

4.14. A inscrição implicará no conhecimento e aceitação das normas estabelecidas neste Edital, bem como de toda legislação citada, ou ato administrativo a ele relacionado.

4.15. As informações prestadas no ato da inscrição, não eximem o candidato da satisfação dos requisitos legais para a posse.

5. DA ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO:

5.1. Poderá requerer a isenção da taxa de inscrição o candidato que:

5.1.1. Estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), de que trata o Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007; e

5.1.2. For membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto nº 6.135, de 2007.

5.2. O candidato interessado que preencher os requisitos para isenção da taxa de inscrição deverá entregar, pessoalmente ou por terceiro, em envelope identificado com seu nome e CPF, na Pro­Reitoria de RH/UFTM (Av. Frei Paulino, 30 - Bairro Abadia - Uberaba/MG), no período de 02 a 11 de maio de 2012, segunda a sexta-feira, no horário de 8h às 11h e 13h às 16h (horário oficial de Brasília/DF), o requerimento de isenção, devidamente preenchido, conferido e assinado, que estará disponibilizado no endereço eletrônico (www.uftm.edu.br, menu "CONCURSOS", opção "CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO"), contendo:

- nome completo, endereço, telefone;

- número do CPF e da Carteira de Identidade, data de nascimento;

- nome do pai ou da mãe;

- cargo para o qual concorre;

- indicação do Número de Identificação Social (NIS), atribuído pelo CadÚnico; e

- declaração de que atende à condição estabelecida no subitem 5.1.2. deste Edital.

5.3. A UFTM poderá consultar o órgão gestor do CadÚnico para verificar a veracidade das informações prestadas pelo candidato.

5.4. A declaração falsa sujeitará o candidato às sanções previstas em lei, podendo responder, a qualquer momento, por crime contra a fé pública, o que acarretará sua eliminação do concurso, aplicando-se, ainda o disposto no parágrafo único do art. 10 do Decreto nº 83.936, de 6 de setembro de 1979.

5.5. Não será concedida isenção de pagamento de taxa de inscrição ao candidato que:

5.5.1. Omitir informações e/ou apresentá-las falsas;

5.5.2. Fraudar e/ou falsificar documentação;

5.5.3. Não observar a forma, o prazo e os horários estabelecidos nos subitens 5.1 e 5.2 deste Edital.

5.6. Não será aceita solicitação de isenção de pagamento de valor de inscrição via postal, via fax ou via correio eletrônico.

5.7. Cada pedido de isenção será analisado e julgado pelo Serviço de Seleção da UFTM.

5.8. Conforme Orientações Gerais SISTAC - Sistema de Isenção de Taxas de Concursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, os candidatos que solicitarem a isenção de taxa e que foram inscritos no CadÚnico num prazo menor que 45 dias terão o pedido indeferido, pois não constarão na base do CadÚnico.

5.8.1 Não será permitida, após a entrega do requerimento de isenção e dos documentos comprobatórios, a complementação da documentação, bem como revisão.

5.9. A resposta do pedido de isenção será divulgada conforme disposto no item 3.

5.10. Não haverá recurso contra o indeferimento do pedido de isenção da taxa de inscrição.

5.11. Os candidatos que tiverem seus pedidos de isenção indeferidos poderão, ainda, efetivar sua inscrição no concurso, via internet, dentro do prazo estabelecido neste Edital, efetuando o pagamento da taxa de inscrição até o dia 21 de maio de 2012, conforme procedimentos descritos no item 4.

5.12. O interessado que tiver seu pedido de isenção indeferido e não efetuar o pagamento da taxa de inscrição na forma e prazo estabelecidos, não estará regularmente inscrito no concurso público de que trata este Edital.

6. DAS VAGAS DESTINADAS AOS CANDIDATOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

6.1. Às pessoas portadoras de deficiência que pretendam fazer uso das prerrogativas que lhes são facultadas no inciso VIII do artigo 37 da Constituição Federal e na Lei nº 7.853/89 é assegurado o direito de inscrição para os cargos em Concurso Público, cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras.

6.2. Em cumprimento ao disposto no §2° do artigo 5° da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, bem como na forma do Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, ser-lhes-á reservado o percentual de 5% (cinco por cento) das vagas existentes, que vierem a surgir ou forem criadas no prazo de validade do concurso.

6.2.1. Conforme indicação no subitem 2.1, o percentual de vagas para portador de deficiência poderá incidir sobre o quantitativo de vagas que vierem a surgir ou forem criadas no prazo de validade do concurso.

6.2.2. As vagas relacionadas às nomeações tornadas sem efeito e as vagas resultantes da renúncia à nomeação não serão computadas para efeito do item anterior, posto que não surgiram novas vagas.

6.2.3. O candidato que se declarar portador de deficiência concorrerá em igualdade de condições com os demais candidatos.

6.3. Para concorrer a uma dessas vagas, o candidato deverá:

a) no ato da inscrição, declarar-se portador de deficiência;

b) encaminhar o formulário preenchido, e o laudo médico original, emitido nos últimos dois meses, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID-10), bem como a provável causa da deficiência.

6.3.1. O formulário e o laudo médico, a que se referem a alínea "b" do subitem 6.3, deverá ser entregue até 14 de maio de 2012, das 8h às 16h, pessoalmente, por terceiro ou via SEDEX (postado impreterivelmente até o dia 14 de maio de 2012), na PRORH da UFTM (Av. Frei Paulino , 30, 3° andar, Bairro Abadia, Uberaba-MG - CEP 38025-180).

6.4. O candidato portador de deficiência poderá requerer, na forma do subitem 4.9., atendimento especial para os dias de realização das provas, indicando as condições de que necessita, conforme previsto no artigo 40, parágrafos 1.° e 2.°, do Decreto n.° 3.298/99, alterado pelo Decreto n.° 5.296/2004.

6.5. O laudo médico terá validade somente para este concurso público e não será devolvido, assim como não serão fornecidas cópias desse laudo.

6.6. A inobservância do disposto no subitem 6.3 acarretará a perda do direito ao pleito das vagas reservadas aos candidatos em tal condição e o não atendimento às condições especiais necessárias.

6.7. Os candidatos que, no ato da inscrição, declararem-se portadores de deficiência, se aprovados no concurso, mesmo que não classificados dentro do limite estabelecido no item 10.1 deste edital, terão seus nomes publicados em lista à parte e, figurarão também na lista de classificação geral.

6.7.1. Os candidatos aprovados que se declararam portadores de deficiência deverão submeter-se à avaliação realizada por equipe multiprofissional composta por membros do Núcleo de Atenção à Saúde do Servidor - NASS/UFTM que decidirá sobre a sua qualificação como portador de deficiência ou não, bem como sobre o grau de deficiência e a sua compatibilidade ou não com o cargo concorrido, nos termos do artigo 43 do Decreto n.° 3.298/99, alterado pelo Decreto n.° 5.296/2004.

6.7.2. A equipe multiprofissional, responsável pela perícia, emitirá parecer conclusivo, observando as informações prestadas pelo candidato no ato da inscrição, a natureza das atribuições para o cargo e a Classificação Internacional de Doenças apresentadas.

6.7.3. As deficiências dos candidatos, admitida a correção por equipamentos, adaptações, meios ou recursos especiais, devem permitir o desempenho adequado das atribuições especificadas para o cargo.

6.7.4. A decisão final da equipe multiprofissional será soberana e definitiva.

6.8. A reprovação na avaliação multiprofissional, ou o não comparecimento à avaliação, acarretará a perda do direito às vagas reservadas aos candidatos portadores de deficiência.

6.9. O candidato portador de deficiência reprovado na avaliação multiprofissional, por não ter sido considerado deficiente, será excluído da lista de deficientes e somente figurará na lista de classificação geral se sua classificação na la etapa do concurso constar dentro da proporção estabelecida no item 10.1 deste edital.

6.10. O candidato portador de deficiência reprovado na avaliação multiprofissional, em virtude de incompatibilidade da deficiência com as atribuições do cargo será eliminado do concurso.

6.11. As vagas definidas no subitem 6.1 que não forem providas por falta de candidatos portadores de deficiência, ou por reprovação no concurso ou em perícia médica, serão preenchidas pelos demais candidatos, observada a ordem geral de classificação.

7. DAS PROVAS

7.1. O concurso público constará de PROVA OBJETIVA para todos os cargos; PROVA DE REDAÇÃO para os cargos de Auxiliar em Administração e Técnico em Assuntos Educacionais; PROVA PRÁTICA para os cargos de Biólogo, Técnico de Laboratório/ Histotecnologia e Enfermeiro e PROVA DE TÍTULOS para o cargo de Tecnólogo/formação em Ciências Exatas (conforme anexo IV).

7.1.1. As provas, objetiva e prática, terão caráter eliminatório e classificatório e as provas de redação e títulos caráter apenas classificatório.

7.1.2. A prova objetiva será composta de questões de Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos, múltipla escolha com cinco alternativas por questão, em quantitativo previsto no quadro de provas constante do item 7.2 deste edital.

7.1.2.1 A prova de Conhecimentos Específicos para o Cargo de Tecnólogo/formação em Ciências Exatas consistirá em elaboração de um projeto conforme anexo III.

7.1.3. A prova de redação será aplicada juntamente com a prova objetiva e consistirá na produção de um texto em um dos seguintes gêneros: relato, memorando, oficio, texto de opinião ou carta.

7.1.3.1. A folha de redação será identificada apenas com código de inscrição e a digital do candidato.

7.1.3.2. Será atribuída nota zero ao candidato que apresentar sua redação sob forma não articulada verbalmente (apenas com desenhos, números e palavras soltas ou em versos) ou qualquer fragmento de texto escrito fora do local apropriado; com qualquer sinal que, de alguma forma, indiquem possível tentativa de identificação do candidato; escrita a lápis, em parte ou em sua totalidade, ou em branco.

7.1.3.3. Na prova de Redação, deverão ser rigorosamente observados os limites mínimo de 20 (vinte) linhas e máximo de 30 (trinta) linhas, sob pena de perda de pontos a serem atribuídos à Redação.

7.1.4. Somente será avaliada a redação dos candidatos classificados, na forma do item 10 e seus subitens, constante deste edital.

7.1.4.2. Na avaliação da Prova de Redação serão considerados, para atribuição dos pontos, os seguintes tópicos: Conteúdo; estrutura e expressão, os quais abrangerão análise de desempenho linguístico de acordo com o nível de conhecimento exigido; adequação do nível de linguagem adotado à produção proposta e coerência no uso da Língua Portuguesa; domínio da norma culta formal, com atenção aos seguintes itens: estrutura sintática de orações e períodos, elementos coesivos; concordância verbal e nominal; pontuação; regência verbal e nominal; emprego de pronomes; grafia e acentuação.

7.1.4.3. Poderão os candidatos valerem-se das normas ortográficas em vigor antes ou depois daquelas implementadas pelo Decreto Presidencial nº 6583, de 29/09/2008, em decorrência do período de transição previsto no art. 2°, parágrafo único da citada norma, que estabeleceu o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

7.1.5. A prova prática constará dos seguintes procedimentos:

CARGO

Procedimentos

Biólogo

A prova prática abordará situações da rotina de laboratório e campo nas diferentes áreas das Ciências Biológicas. Na prova prática o candidato deverá demonstrar capacidade de organização, execução e participação nas atividades didáticas e experimentais dentro dos conteúdos descritos nos tópicos do concurso. A critério da banca os candidatos poderão ser arguidos, por até 30 minutos, nessa etapa do concurso.

1.Aplicação correta de normas de segurança para trabalho em laboratório e campo;

2.Utilização adequada de equipamentos e vidrarias;

3.Organização do ambiente de trabalho;

4.Domínio no preparo de soluções e meios de cultura;

5.Domínio das técnicas de preparação e manutenção de coleções botânicas, zoológicas, microbiológicas e paleontológicas de uso científico e didático;

6.Utilização adequada de equipamentos de informática e audiovisual;

7. Domínio de programas computacionais (processador de texto, planilha eletrônica, digitalização, tratamento de imagens e tratamento estatístico) utilizados nas atividades didáticas e de pesquisa;

8. Domínio de procedimentos de campo para coleta de material botânico, zoológico, microbiológico, paleontológico nos ambientes aquáticos e terrestres;

9.Adequação do horário de trabalho às atividades do curso.

EnfermeiroO candidato deverá apresentar conhecimentos, julgamento clínico e capacidade de tomar decisão diante de um problema de enfermagem; demonstrar conhecimento e habilidade para avaliar uma situação apresentada; identificar possíveis diagnósticos de enfermagem e planejar a assistência de enfermagem.
Técnico de Laboratório/ HistotecnologiaAvaliará os conhecimentos e as habilidades na realização de procedimentos relativos às atribuições específicas do cargo.

7.1.5.1. Serão convocados para a prova prática os candidatos habilitados e classificados até o limite indicado no item 10.1, deste Edital.

7.1.6. Havendo empate na última colocação a que se refere o limite de convocação para prova prática, todos os candidatos nessas condições serão convocados.

7.1.7. Dentre os candidatos que concorrerem às vagas reservadas a deficientes, habilitados na prova objetiva, serão convocados para prova prática.

7.2. Será considerado habilitado o candidato que obtiver no mínimo 60% (sessenta por cento) de acerto em cada parte da prova objetiva (Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos) e da prova prática, quando houver, conforme disposto no quadro a seguir, observado, ainda, o limite de aprovados previsto no item 10 deste edital.

QUADRO DE PROVAS

 

PROVAS

N° QUESTÕES

PESO

PONTUAÇÃO MÁXIMA

PERCENTUAL MÍNIMO PARA HABILITAÇÃO

OBJETIVA

Conhecimentos Gerais para o Cargo de Auxiliar em Administração

Língua Portuguesa

15

2

40

60% (15 questões)

Legislação

5

1

Raciocínio Lógico

5

2

Conhecimentos Gerais Para os demais Cargos do edital

Língua Portuguesa

10

2

40

60% (15 questões)

Legislação

10

1

Raciocínio Lógico

05

1

Informática

05

1

Conhecimentos Específicos para o cargo de Tecmilogo/formação em Ciências Exatas

Elaboração de Projeto. Conforme anexo II do edital.

30 pontos

2

60

60 %

Conhecimentos Específicos para os demais cargos do edital

Conforme anexo II do edital.

30 questões

2

60

60% (18 questões)

REDAÇÃO
para os cargos de Auxiliar em Administração e Técnico em Assuntos Educacionais

10 pontos

2

20

Classificatório

PRÁTICA
para os cargos de Biólogo, Técnico de Laboratório/área: Histotecnologia e Enfermeiro.

10 pontos 60%

2

20

(12 pontos após aplicação peso)

TÍTULOS
para o cargo de Tecnólogo/formação em Ciências Exatas

20 pontos

1

20

Classificatório

7.3. Os critérios de valoração serão estabelecidos por meio do peso atribuído a cada prova.

7.3.1 O resultado da prova objetiva, referente aos cargos com aplicação de prova de redação ou prova prática, será considerada apenas como resultado parcial, com pontuação resultante da multiplicação dos respectivos pesos.

7.4. A nota final do candidato será calculada aplicando-se a média ponderada sobre as respectivas notas obtidas, conforme fórmulas a seguir:

7.4.1. Aos cargos com prova prática:

[(Nota LP * peso) + (Nota L * peso) + (Nota RL * peso) + (Nota CE * peso) + (Nota Prática*peso)] / E pesos

7.4.2. Aos cargos com redação:

[(Nota LP * peso) + (Nota L * peso) + (Nota RL * peso) + (Nota I * peso) + (Nota CE * peso) + (Nota Redação* peso)] / E pesos

7.4.3. Ao cargo com avaliação de títulos:

[(Nota LP * peso) + (Nota L * peso) + (Nota RL * peso) + (Nota I* peso) + (Nota CE * peso) + (Nota de Títulos*peso) / E pesos

7.4.4. Aos demais cargos com aplicação apenas de prova objetiva:

[(Nota LP * peso) + (Nota L * peso) + (Nota RL * peso) + (Nota I * peso) + (Nota CE * peso)] / E pesos

LP = Língua Portuguesa L = Legislação RL = Raciocínio Lógico I= Informática CE = Conhecimento Especifico

8. DA REALIZAÇÃO DAS PROVAS

8.1. As provas (objetiva/redação) do Concurso Público serão realizadas na cidade de Uberaba-MG, conforme nas datas estipuladas e locais a ser divulgado, conforme disposto no item 3.

8.1.1. Não serão fornecidas, por telefone, informações sobre data, horário e local de prova.

8.1.2. A duração da prova (objetiva/redação) será de 4 horas e para candidatos portadores de necessidades especiais utilizando ledores 5 horas.

8.1.3. O portão de acesso ao local de prova será fechado, impreterivelmente, às 8 horas.

8.2. É de responsabilidade exclusiva do candidato a identificação correta de seu local de prova e o comparecimento no horário determinado.

8.3. O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização da prova, com antecedência mínima de 30 (trinta) minutos do horário determinado para o fechamento do portão de acesso, munido de caneta esferográfica azul ou preta e documento oficial de identificação, preferencialmente o informado na ficha de inscrição.

8.3.1. São considerados válidos os seguintes documentos com foto: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurança Pública, pelos Institutos de Identificação, pelos Corpos de Bombeiros Militares, pelos órgãos fiscalizadores de Exercício Profissional (órgãos, conselhos, etc.); passaporte; certificado de reservista; carteiras funcionais do Ministério Público, carteira de trabalho e carteira nacional de habilitação (somente o modelo com foto).

8.3.2. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realização da prova, documento de identidade original, por motivo de perda, furto ou roubo, deverá ser apresentado documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo, 30 dias, ocasião em que será submetido à identificação especial, compreendendo coleta de assinatura e impressão digital em formulário próprio.

8.3.3. A identificação especial poderá ser exigida, também, do candidato cujo documento de identificação apresente dúvidas relativas à sua fisionomia, ou à assinatura do portador, bem como documentos ilegíveis, não-identificáveis ou danificados.

8.4. Não será admitido o ingresso de candidato no local de realização das provas, após as 8 horas (horário determinado para fechamento do portão de acesso).

8.5. Os candidatos que concluírem a prova somente poderão ausentar-se da sala de realização da prova após transcorridas 2 (duas) horas de seu início, entregando a folha de resposta ao fiscal responsável pela sala, podendo levar consigo o caderno de questões.

8.6. O candidato que se ausentar do prédio de realização de prova, por qualquer motivo, não poderá retornar ao mesmo durante a realização do concurso sendo a prova e a folha de respostas recolhidas pelo fiscal de sala.

8.7. Iniciada a prova, o fiscal de sala colherá as impressões digitais de todos os candidatos presentes, bem como será realizada filmagem por cinegrafista devidamente credenciado.

8.8. Será automaticamente eliminado do concurso, o candidato que durante a realização das provas:

a) manifestar-se de maneira incorreta ou descortês para com qualquer dos examinadores, equipe de aplicação de provas, membro da comissão de concurso, demais auxiliares e autoridades presentes ou candidato;

b) for surpreendido dando e/ou recebendo auxílio para a execução da prova, bem como utilizar-se de livros, máquinas de calcular e/ou equipamento similar, dicionário, anotações, impressos ou qualquer outro material de consulta que não forem expressamente permitidos pelos expedientes reguladores do concurso, bem como aparelhos eletrônicos, tais como bip, pager, telefone celular, walkman, receptor, gravador, etc.

c) afastar-se da sala ou local de prova sem o acompanhamento de fiscal ou ausentar-se portando a folha de respostas.

d) não estiver no local de realização da prova até o início previsto.

e) não permitir a coleta de impressão digital ou filmagem.

f) não entregar a folha de respostas ao examinador responsável, dentro do tempo estabelecido de prova.

8.9. O candidato deverá transcrever as respostas da prova para a folha de respostas definitiva, utilizando caneta esferográfica azul ou preta. A folha de respostas deverá ser entregue ao fiscal da sala obrigatoriamente no término da prova, pois será o único documento válido para correção. Não haverá substituição da folha de respostas por erro do candidato.

8.10. Será atribuída nota zero à questão da prova que contiver mais de uma ou nenhuma resposta assinalada, emenda ou rasura.

8.11. Não haverá funcionamento de guarda-volumes no local de realização das provas e a UFTM não se responsabilizará por perda ou extravio de objetos e documentos durante o Concurso.

8.12. Após a realização das provas, caso seja constatado por meio eletrônico, estatístico, visual ou grafológico, que o candidato utilizou processo ilícito para facilitar sua aprovação, sua(s) prova(s) será(ao) anulada(s) e ele será automaticamente eliminado do concurso, sem prejuízo das demais providências legais cabíveis.

8.13. Haverá convocação para prova prática, por meio de aviso divulgado no sítio oficial da UFTM, conforme disposto no calendário (item 3) deste edital.

8.13.1. A prova prática será gravada para efeito de registro e avaliação.

9. DO RESULTADO DA PROVA E DOS RECURSOS

9.1. O resultado das provas será divulgado no sítio: (www.uftm.edu.br, menu "CONCURSOS", opção "CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO"), conforme calendário deste edital (item 3).

9.2. Será admitido recurso:

a) do conteúdo das questões e/ou do gabarito

b) do resultado parcial e final

9.2.1. O prazo para interposição de recurso é de 01(um) dia útil contado a partir da divulgação do gabarito ou da publicação do resultado no endereço eletrônico da UFTM

9.2.2. O recurso, devidamente fundamentado, individual, deverá ser protocolado na recepção da PRÓ-REITORIA DE RH, no horário de 9h às 16h, nos termos do modelo disponível no sítio da UFTM.

9.2.3. No recurso final será admitida somente fundamentação sobre a contagem de pontos e classificação, não cabendo, portanto, questionamentos sobre questões e/ou gabarito.

9.3. No caso de anulação de questões, a nota correspondente será atribuída a todos os candidatos concorrentes ao cargo.

9.4. Do resultado dos recursos poderá haver, eventualmente, a alteração da classificação inicial ou até a desclassificação.

9.5. Não será aceito recurso interposto fora do prazo estabelecido neste Edital, nem por via fax ou internet.

9.6. Não caberá recurso da prova prática.

9.7. A Pró-Reitoria de RH dará decisão terminativa sobre os recursos, constituindo-se em única e última instância da UFTM.

10. DA CLASSIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DO RESULTADO

10.1. A relação de candidatos aprovados no certame será limitada na proporção estabelecida abaixo, considerando-se a classificação na primeira etapa do concurso (prova objetiva):

CARGO

NÚMERO MÁXIMO DE CANDIDATOS APROVADOS

Auxiliar em Administração

42

Biólogo

05

Enfermeiro

09

Engenheiro/área: Civil

05

Geólogo

05

Odontólogo

05

Psicólogo/área: Clínica

05

Técnico de Laboratório/área: Histotecnologia

09

Técnico em Assuntos Educacionais

05

Técnico em Eletricidade

05

Tecnólogo/formação em Ciências Exatas

05

10.2. Os candidatos não classificados no número máximo de aprovados indicado no item anterior, ainda que tenham atingido nota mínima exigida, estarão automaticamente eliminados do concurso.

10.3. Os candidatos empatados na última classificação de aprovados serão considerados aprovados no concurso.

10.4. A classificação dos candidatos obedecerá à ordem decrescente da nota final.

10.4.1. Em caso de igualdade na nota final, para fins de classificação, o desempate se fará da seguinte forma, considerando a Lei nº 10.741, de 01/10/2003:

1°) maior idade dentre os de idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos;

2°) maior pontuação nas questões de Conhecimentos Específicos;

3°) maior pontuação nas questões de Conhecimentos Gerais;

4°) maior idade dentre os de idade inferior a 60 (sessenta) anos.

10.5. Para efeito de classificação a que se refere o subitem 10.4.1, quanto ao critério de idade, será considerada a situação informada pelos candidatos no ato da inscrição e verificada no ato da nomeação.

10.6. O resultado final será homologado mediante publicação na Seção 3 do Diário Oficial da União, de acordo com a ordem de classificação, observadas as demais normas pertinentes constantes deste Edital.

11. DO PROVIMENTO, POSSE E EXERCÍCIO

11.1. O provimento far-se-á segundo o Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, Lei n° 8.112/90 e suas alterações.

11.2. A investidura ocorrerá com a posse, no prazo improrrogável de 30 (trinta) dias, contados da publicação da nomeação, podendo ocorrer mediante procuração específica.

11.2.1. Será tornado sem efeito o ato de nomeação se a posse não ocorrer no prazo previsto neste item.

11.2.2 São requisitos básicos para investidura em cargo público: a nacionalidade brasileira; o gozo dos direitos políticos; a quitação com as obrigações militares e eleitorais; o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo; a idade mínima de dezoito anos; aptidão física e mental.

11.3. A posse fica condicionada à aprovação em inspeção médica, a ser realizada pelo Serviço Médico Oficial e ao atendimento das condições legais e constitucionais.

11.4. Serão exigidos no ato da posse:

- prova de ser brasileiro nato ou naturalizado;

- comprovante do CPF;

- cópias e originais: Carteira de Identidade e Título de Eleitor e Carteira de Reservista, quando for o caso;

- cópia e originais dos títulos e documentos exigidos como pré-requisitos para o cargo;

- cópia e originais dos títulos superiores ao exigido como pré-requisito, para efeito de recebimento do incentivo à qualificação;

- Atestado de Inspeção Médica Oficial - considerando APTO, física e mentalmente em todos os exames pré-admissionais (o candidato no ato da inspeção médica deverá apresentar seu cartão de vacina e uma cópia da identidade, apresentar os exames clínicos e laboratoriais solicitados, os quais correrão à suas expensas. Caso o candidato seja considerado, na inspeção oficial, INAPTO para as atividades relacionadas ao cargo, por ocasião dos exames pré-admissionais, não poderá ser empossado. Essa avaliação terá caráter eliminatório);

- declaração de bens e valores que constituem seu patrimônio ou fotocópia da Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física - IRPF (com a devida assinatura);

- declaração de quitação com as obrigações eleitorais e de gozo dos direitos políticos (emitida pelo TRE);

declaração de inexistência de vínculo em cargo público, exceto nas hipóteses previstas no art. 37, incisos XVI e XVII, da Constituição Federal (obtenção da declaração no sitio oficial da UFTM: www.uftm.edu.br, menu "CONCURSOS", opção "CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO");

- certidão de nascimento ou casamento;

- comprovante de cadastramento no PIS ou PASEP;

- Carteira Nacional de Habilitação e Passaporte, caso os possua;

- certidão de nascimento dos filhos menores de 21 anos e, se estudante, até 24 anos, mais comprovante de matrícula ou de mensalidade escolar;

- 01 foto 3x4 recente e colorida;

- cópia das páginas da Carteira de Trabalho onde constam o número, a série, a identificação e a data do primeiro contrato de trabalho;

- comprovante de escolaridade e habilitação exigida para o cargo, conforme descrito no subitem 2.1;

- comprovante de experiência profissional e/ou Registro em Conselho Profissional, quando exigido;

- outros documentos que se fizerem necessários.

11.5. É de até 15 (quinze) dias o prazo máximo para o servidor entrar em exercício, contados da data da posse.

11.5.1. O servidor será exonerado do cargo se não entrar em exercício no prazo previsto no item anterior.

11.6. Ao entrar em exercício, o servidor cumprirá estágio probatório por 36 (trinta e seis) meses de efetivo exercício.

11.6.1. Durante o período de Estágio Probatório o desempenho do servidor será objeto de avaliação em relação à aptidão e à capacidade para o exercício do cargo, observados os seguintes fatores: assiduidade, disciplina, capacidade de iniciativa, produtividade e responsabilidade.

11.7. A acumulação de cargos somente será permitida dentro do estabelecido na Constituição Federal, na Lei nº 8.112/90 e no Parecer AGU GQ nº 145/98, não podendo o somatório da carga horária dos cargos acumulados ultrapassar 60 horas semanais, respeitada a compatibilidade de horários.

11.8. Nas situações constantes dos subitens 11.2.1 e 11.5.1, a UFTM convocará o próximo candidato classificado.

12. DO PRAZO DE VALIDADE DO CONCURSO

12.1. O concurso terá validade de 01 ano, contado a partir da data de publicação da homologação do resultado final no Diário Oficial da União, podendo, a critério da Administração, ser prorrogado por igual período.

13. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

13.1. A participação no concurso implica, desde logo, o conhecimento e tácita aceitação das condições estabelecidas no inteiro teor deste Edital, das instruções específicas, e demais expedientes reguladores do concurso, não cabendo ao candidato alegar desconhecimento dos citados expedientes.

13.2. Será eliminado do concurso o candidato que fizer, em qualquer documento, em qualquer tempo, declaração falsa ou inexata.

13.3. A aprovação e a classificação final geram, para o candidato, apenas a expectativa de direito à nomeação. Durante o período de validade do concurso, a Universidade Federal do Triângulo Mineiro reserva-se o direito de proceder às nomeações, de acordo com a disponibilidade orçamentária e legislação vigente.

13.4. Não havendo candidatos inscritos ou aprovados no cargo do presente concurso, a Universidade Federal do Triângulo Mineiro poderá aproveitar concursos públicos realizados por outras Instituições Federais de Ensino, bem como os candidatos classificados neste concurso poderão ser convocados por outras Instituições Federais de Ensino

13.5. O candidato classificado e nomeado para o cargo, não poderá, em hipótese alguma, solicitar opção para constar do final da relação dos classificados.

13.6. O provimento das vagas dar-se-á obedecendo à rigorosa ordem de classificação dos candidatos.

13.7. A UFTM divulgará, quando necessário, normas complementares e avisos oficiais referentes ao Concurso Público no sítio (www.uftm.edu.br, menu "CONCURSOS", opção "CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO").

13.8. É responsabilidade do candidato manter seu endereço e telefone atualizados para viabilizar os contatos necessários, sob risco de, caso seja nomeado, perder o prazo para tomar posse, em razão de não comparecimento e/ou não conhecimento do ato.

13.8.1. A UFTM não se responsabiliza por eventuais prejuízos ao candidato decorrentes de:

a) endereço não atualizado;

b) endereço de difícil acesso;

c) correspondência devolvida pela Empresa de Correios e Telégrafos - ECT por razões diversas de fornecimento e/ou endereço errado do candidato;

d) correspondência recebida por terceiros.

13.9. Não será fornecido documento comprobatório de classificação no concurso, valendo, para esse fim, a publicação da homologação na Imprensa Oficial.

13.10. Os casos omissos serão resolvidos pelo Reitor da Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

Prof. Virmondes Rodrigues Junior
Reitor da UFTM

ANEXO I

DESCRIÇÃO DOS CARGOS

CARGO: AUXILIAR EM ADMINISTRAÇÃO

Descrição sumária do cargo:

Executar sob avaliação e supervisão, serviços de apoio à administração.

Descrição de atividades típicas do cargo: - Datilografar os serviços necessários à unidade administrativa.

- Preencher requisições e formulários.

- Emitir as guias de tramitação de processos e documentos.

- Ordenar e arquivar documentos da unidade seguindo critérios pré-estabelecidos.

- Receber e distribuir correspondência.

- Dar informação de rotina.

- Receber e transmitir mensagens telefônicas.

- Coletar dados referentes a atividades mensuráveis.

- Efetuar cálculo simples.

- Controlar as requisições de xérox, correios.

- Executar a distribuição de material requisitado.

- Controlar entrada e saída de documentos.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de dificuldade.

CARGO: BIÓLOGO

Descrição sumária do cargo: Estudar seres vivos, desenvolver pesquisas na área de biologia, biologia molecular, biotecnologia, biologia ambiental e epidemiologia e inventariar biodiversidade; organizar coleções biológicas; manejar recursos naturais; desenvolver atividades de educação ambiental; realizar diagnósticos biológicos, moleculares e ambientais, além de análises clínicas, citológicas, citogênicas e patológicas. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Estudar seres vivos:

Estudar a origem, função, estrutura, genética e evolução dos seres vivos; estudar relação dos seres vivos e ambientes; estudar ciclos de vida e os aspectos bioquímicos, biofísicos e moleculares.

- Desenvolver pesquisa em biologia, biologia molecular, biotecnologia, ambiental e epidemiologia:

Elaborar diagnóstico para desenvolvimento de pesquisas; analisar dados e resultados de pesquisas; divulgar informações sobre projetos; aplicar resultados de pesquisas; documentar as pesquisas.

- Inventariar biodiversidade:

Delimitar área de amostragem: realizar levantamentos nos diferentes biomas; analisar a distribuição espacial e temporal; quantificar espécies; classificar amostras; elaborar banco de dados.

- Organizar coleções biológicas:

Preparar material para coleções; montar e manter coleções biológicas, criadouro, bancos de material biológico; assessorar tecnicamente museus e exposições temáticas.

- Manejar recursos naturais:

Manejar espécies silvestres e exóticas, recursos florestais, pesqueiros e recursos hídricos; estabelecer medidas de manejo e de conservação de recursos naturais renováveis; desenvolver projetos de reflorestamento, programas de controle de pragas, doenças, parasitas e vetores; elaborar e executar projetos de desenvolvimento sustentável.

- Desenvolver atividades de educação ambiental:

Organizar oficinas, cursos e palestras; desenvolver projeto para manejo de lixo doméstico, industrial e hospitalar; organizar atividades sobre higiene, educação sanitária e degradação ambiental; desenvolver atividades de integração do homem com a natureza; organizar atividades de reciclagem de materiais; prestar informações sobre conservação de recursos naturais; desenvolver projetos de reaproveitamento de água servida; divulgar informações sobre qualidade da água de abastecimento; elaborar materiais de divulgação de educação ambiental; elaborar projetos de educação ambiental; orientar junto a sociedade trabalhos de manejo, preservação e conservação.

- Realizar diagnósticos biológicos, moleculares e ambientais:

Coletar e analisar amostras; realizar ensaios; identificar e classificar espécies; elaborar relatórios técnicos; emitir laudos de diagnósticos; interpretar variáveis bióticas e abióticas.

- Realizar análises clínicas, citológicas, citogênicas e patológicas:

Preparar amostras para análise; operar instrumentos e equipamentos de análise; realizar exames; controlar qualidade do processo de análise; interpretar resultados de análises; emitir laudos de análises.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

CARGO: ENFERMEIRO

Descrição sumária do cargo: Prestar assistência ao paciente e/ou usuário em clínicas, hospitais, ambulatórios, navios, postos de saúde e em domicílio, realizar consultas e procedimentos de maior complexidade, prescrevendo ações; implementar ações para a promoção da saúde junto à comunidade. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Prestar assistência ao paciente:

Realizar consultas de enfermagem; prescrever ações de enfermagem; prestar assistência direta a pacientes graves; realizar procedimentos de maior complexidade; solicitar exames; acionar equipe multiprofissional de saúde; registrar observações, cuidados e procedimentos prestados; analisar a assistência prestada pela equipe de enfermagem; acompanhar a evolução clínica de pacientes.

- Coordenar serviços de enfermagem:

Padronizar normas e procedimentos de enfermagem; monitorar processo de trabalho; aplicar métodos para avaliação de qualidade; selecionar materiais e equipamentos.

- Planejar ações de enfermagem:

Levantar necessidades e problemas; diagnosticar situação; identificar áreas de risco; estabelecer prioridades; elaborar projetos de ação; avaliar resultados.

- Implementar ações para promoção da saúde:

Participar de trabalhos de equipes multidisciplinares; elaborar material educativo; orientar participação da comunidade em ações educativas; definir estratégias de promoção da saúde para situações e grupos específicos; participar de campanhas de combate aos agravos da saúde; orientar equipe para controle de infecção nas unidades de saúde; participar de programas e campanhas de saúde do trabalhador; participar da elaboração de projetos e programas de saúde.

- Utilizar recursos de informática.

Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

CARGO: ENGENHEIRO/ÁREA

Descrição sumária do cargo: Desenvolver projetos de engenharia; executar obras; planejar, coordenar a operação e a manutenção, orçar, e avaliar a contratação de serviços; dos mesmos; controlar a qualidade dos suprimentos e serviços comprados e executados; elaborar normas e documentação técnica. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Supervisionar, coordenar e dar orientação técnica; elaborar estudos, planejamentos, projetos e especificações em geral de regiões, zonas, cidades, obras, estruturas, transporte, exploração de recursos naturais e desenvolvimento da produção industrial e agropecuária.

- Realizar estudos de viabilidade técnico-econômica; prestar assistência, assessoria e consultoria.

- Realizar vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico.

- Desempenhar atividades de análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica.

- Elaborar orçamentos.

- Realizar atividades de padronização, mensuração, e controle de qualidade.

- Executar e fiscalizar obras e serviços técnicos; conduzir equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção.

- Elaborar projetos, assessorando e supervisionando a sua realização.

- Orientar e controlar processo de produção ou serviço de manutenção.

- Projetar produtos; instalações e sistemas.

- Pesquisar e elaborar processos.

- Estudar e estabelecer métodos de utilização eficaz e econômica de materiais e equipamentos, bem como de gerenciamento de pessoal.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

CARGO: GEÓLOGO

Descrição sumária do cargo: Realizar investigações sobre a constituição, estrutura e história da crosta terrestre, através de estudos e experiências no campo das ciências geológicas, auxiliando e incrementando a exploração mineira, engenharia civil e outras.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Dirigir estudos sobre a formação da terra.

- Analisar fósseis, minerais e rochas, procurando determinar sua evolução histórica.

- Estudar efeitos dinâmicos das altas pressões, temperaturas externas, erupções vulcânicas, erosões, glaciação, sedimentação, etc.

- Realizar investigações na procura de jazidas minerais, água subterrânea, carvão mineral e petróleo.

- Analisar a estrutura de solos, reserva de pedras e materiais para construção civil.

- Preparar informações, mapas e diagramas das regiões exploradas.

- Acompanhar as sondagens nas perfurações para petróleo e recursos minerais.

- Fazer levantamentos geológicos da área a pesquisar em trabalhos em campo.

- Examinar materiais colhidos em campo, no laboratório, através de microscópios, raio X e análises físicas e químicas.

- Realizar estudos geológicos de terrenos, como subsídios para a construção civil.

Ministério da Educação Universidade Federal do Triângulo Mineiro Pró-Reitoria de Recursos Humanos Av. Frei Paulino, nº 30 - Bairro Abadia - 38025-180 - UBERABA-MG - (34) 3318-5035

- Pode especializar-se em determinado campo da Geologia e ser designado de acordo com a especialização.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e mesmo nível de dificuldade.

CARGO: ODONTÓLOGO

Descrição sumária do cargo: Atender e orientar pacientes e executar tratamento odontológico, realizando, entre outras atividades, radiografias e ajuste oclusal, aplicação de anestesia, extração de dentes, tratamento de doenças gengivais e canais, cirurgias bucomaxilofaciais, implantes, tratamentos estéticos e de reabilitação oral, confecção de prótese oral e extra-oral; diagnosticar e avaliar pacientes e planejar tratamento; realizar auditorias e perícias odontológicas; administrar local e condições de trabalho, adotando medidas de precaução universal de biossegurança. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Examinar, identificar e tratar clínica e/ou cirurgicamente afecções dos dentes e tecidos de suporte.

- Restabelecer forma e função.

- Analisar e interpretar resultados de exames radiológicos e laboratoriais para complementação de diagnóstico.

- Manter o registro de pacientes atendidos, anotando a conclusão do diagnóstico, tratamento e evolução da afecção para orientação terapêutica adequada.

- Prescrever e administrar medicamentos.

- Aplicar anestésicos locais e regionais.

- Orientar e encaminhar para tratamento especializado.

- Orientar sobre saúde, higiene e profilaxia oral, prevenção de cárie dental e doenças periodontais.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

CARGO: PSICÓLOGO/ÁREA

Descrição sumária do cargo: Estudar, pesquisar e avaliar o desenvolvimento emocional e os processos mentais e sociais de indivíduos, grupos e instituições, com a finalidade de análise, tratamento, orientação e educação; diagnosticar e avaliar distúrbios emocionais e mentais e de adaptação social, elucidando conflitos e questões e acompanhando o(s) paciente(s) durante o processo de tratamento ou cura; investigar os fatores inconscientes do comportamento individual e grupal, tornando-os conscientes; desenvolver pesquisas experimentais, teóricas e clínicas e coordenar equipes e atividades da área e afins. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Elaborar, implementar e acompanhar as políticas da instituição nas áreas de Psicologia Clínica, Escolar, Social e Organizacional.

- Assessorar instituições e órgãos, analisando, facilitando e/ou intervindo em processos psicossociais nos diferentes níveis da estrutura institucional;

- Diagnosticar e planejar programas no âmbito da saúde, trabalho e segurança, educação e lazer; atuar na educação, realizando pesquisa, diagnósticos e intervenção psicopedagógica em grupo ou individual.

- Realizar pesquisas e ações no campo da saúde do trabalhador, condições de trabalho, acidentes de trabalho e doenças profissionais em equipe interdisciplinar, determinando suas causas e elaborando recomendações de segurança.

- Colaborar em projetos de construção e adaptação de equipamentos de trabalho, de forma a garantir a saúde do trabalhador.

- Atuar no desenvolvimento de recursos humanos, seleção, acompanhamento, análise de desempenho e capacitação de servidores.

- Realizar psicodiagnóstico e terapêutica, com enfoque preventivo e/ou curativo e técnicas psicológicas adequadas a cada caso, a fim de contribuir para que o indivíduo elabore sua inserção na sociedade.

- Preparar pacientes para a entrada, permanência e alta hospitalar.

- Atuar junto a equipes multiprofissionais, identificando e compreendendo os fatores psicológicos para intervir na saúde geral do indivíduo.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

CARGO: TÉCNICO DE LABORATÓRIO/ ÁREA

Descrição sumária do cargo: Executar trabalhos técnicos de laboratório relacionados com a área de atuação, realizando ou orientando coleta, análise e registros de material e substâncias através de métodos específicos. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Preparar reagentes, peças e outros materiais utilizados em experimentos.

- Proceder à montagem de experimentos reunido equipamentos e material de consumo em para serem utilizados em aulas experimentais e ensaios de pesquisa.

- Fazer coleta de amostras e dados em laboratórios ou em atividades de campo relativas a uma pesquisa.

- Proceder à análise de materiais em utilizando métodos físicos, químicos, físico-químicos e bioquímicos para se identificar qualitativo e quantitativamente os componentes desse material, utilizando metodologia prescrita.

- Proceder à limpeza e conservação de instalações, equipamentos e materiais dos laboratórios.

- Proceder ao controle de estoque dos materiais de consumo dos laboratórios.

- Responsabilizar-se por pequenos depósitos e/ou almoxarifados dos setores que estejam alocados.

- Gerenciar o laboratório conjuntamente com o responsável pelo mesmo.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

CARGO: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS

Descrição sumária do cargo: Coordenar as atividades de ensino, planejamento e orientação, supervionando e avaliando estas atividades, para assegurar a regularidade do desenvolvimento do processo educativo. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Planejar, supervisionar, analisar e reformular o processo de ensino aprendizagem, traçando metas, estabelecendo normas, orientando e supervisionando o cumprimento do mesmo e criando ou modificando processos educativos em estreita articulação com os demais componentes do sistema educacional, para proporcionar educação integral aos alunos.

- Elaborar projetos de extensão.

- Realizar trabalhos estatísticos específicos.

- Elaborar apostilas.

- Orientar pesquisas acadêmicas.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

CARGO: TÉCNICO EM ELETRICIDADE

Descrição sumária do cargo: Executar tarefas de manutenção, instalação e reparação de sistemas eletroeletrônicos convencionais e automatizados, bem como as de coordenação e desenvolvimento de equipes de trabalho no planejamento, desenvolvimento, avaliação de projetos e aplicação de normas técnicas. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Colaborar nos trabalhos de estudo e aperfeiçoamento de instalações e equipamentos eletroeletrônicos.

- Preparar estimativas das quantidades e custos dos materiais e mão-de-obra necessários à fabricação e montagem de instalações e equipamentos eletroeletrônicos.

- Proceder a ensaios de controle técnico dos produtos.

- Aplicar conhecimentos teóricos e práticos de eletricidade e de eletrônica.

- Auxiliar em trabalhos de pesquisa, ensino e administração referente à área eletroeletrônica.

- Aperfeiçoar máquinas, ferramentas e equipamentos de funcionamento eletroeletrônico, executando tecnicamente projetos, colaborando na assistência técnica, registrando o desempenho e avaliando a eficiência.

- Elaborar relatórios de atividades.

- Auxiliar na elaboração de projetos que envolvam equipamentos e instalações eletrônicas.

- Instalar e executar manutenção preventiva e corretiva em equipamentos.

- Dar pareceres relacionados com assuntos técnicos na sua área de atuação.

- Reparar aparelhos de precisão.

- Coordenar e orientar o trabalho dos auxiliares.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associado ao ambiente organizacional.

CARGO: TECNÓLOGO/FORMAÇÃO

Descrição sumária do cargo: Estudar, planejar, projetar, especificar e executar projetos específicos na área de atuação. Assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Descrição de atividades típicas do cargo:

- Planejar, executar e acompanhar o desenvolvimento de projetos específicos na área de atuação.

- Estudar a viabilidade técnica-econômica de projetos específicos na área de atuação.

- Assistir e dar suporte técnico a projetos específicos na área de atuação.

Ministério da Educação Universidade Federal do Triângulo Mineiro Pró-Reitoria de Recursos Humanos Av. Frei Paulino, nº 30 - Bairro Abadia - 38025-180 - UBERABA-MG - (34) 3318-5035

- Controlar atividades inerentes a projetos específicos na área de atuação.

- Utilizar recursos de informática.

- Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

Ministério da Educação Universidade Federal do Triângulo Mineiro Pró-Reitoria de Recursos Humanos Av. Frei Paulino, nº 30 - Bairro Abadia - 38025-180 - UBERABA-MG - (34) 3318-5035

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS

I - CONHECIMENTOS GERAIS PARA TODOS OS CARGOS:

LÍNGUA PORTUGUESA:

1. Estudo de texto. 1.1. Compreensão e interpretação de textos. 1.2. Níveis de leitura de um texto. 1.3. Intertextualidade e interdiscursividade: o diálogo entre textos. 1.4. Textos temáticos e figurativos.

2. Texto e textualidade. 2.1.Tipos e gêneros textuais. 2.2. Texto literário e texto não-literário. 2.3.Fatores de textualidade: coesão e coerência. 2.4.Processos argumentativos: citação, opinião, analogias, exemplificação, contrates, temporalidade, dentre outros.

3. Variação lingüística. 3.1. O fenômeno da variação lingüística. 3.2. As variedades lingüísticas. 3.3. As diversas modalidades de uso da língua.

4. Semântica. 4.1. A significação das palavras. 4.2. Denotação e Conotação. 4.3. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia.

5. Morfologia. 5.1. Emprego das classes de palavras. 5.2. Processos de formação de palavras.

6. Sintaxe. 6.2. Estruturação e emprego do período simples e do composto. 6.3.Emprego da regência verbal e nominal. 6.4.Emprego da concordância verbal e nominal. 6.5.Colocação pronominal.

7. Estilística. 7.1. Emprego das figuras de Linguagem. 7.2. Vícios de linguagem.

8. Emprego dos sinais de pontuação

9. Lexicologia.

10. Noções sobre desempenho lingüístico.

REFERÊNCIAS:

BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa (atualizada pelo novo Acordo Ortográfico). 37 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Manual de redação da Presidência da República / Gilmar Ferreira Mendes e Nestor José Forster Júnior. - 2. ed. rev. e atual. - Brasília: Presidência da República, 2002.

CASTILHO, A. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.

CEGALLA, D. P. Novíssima gramática de Língua Portuguesa. 46. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2005.

COSTA VAL, M. G. Redação e Textualidade. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

CUNHA, Celso, CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

FERREIRA, A. B. H. Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Curitiba: Editora Positivo, 2009.

HOUAISS, A. Novo Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2009.

KOCH, I. G V. A coesão textual. São Paulo, 1999.

Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2003

KOCH, I. G V. & TRAVAGLIA, L. C. A coerência textual. São Paulo: Cortez, 1999.

KOCH, I. G. V.; ELIAS, V.M. (Orgs.) Ler e compreender: os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.

ORLANDI, E. P. O que é linguística. São Paulo: Brasiliense, 2007

NEVES, M. H. M. Gramática de usos do português. São Paulo: Ed. UNESP, 2011.

PLATÃO & FIORIN. Para entender o texto: leitura e redação. 17. ed. São Paulo: Ática, 2007. _ Lições de texto: leitura e redação. 5. ed. São Paulo: Ática, 2006.

POSSENTI, S. Questões para analistas do discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

LEGISLAÇÃO:

1. Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 - Regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, com suas alterações.

2. Decreto nº 1.171, de 22 de junho de 1994 - Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal, com suas alterações.

3. Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992 - que trata da improbidade na Administração Pública, com suas alterações.

4. Constituição Federal de 1988: Capítulo VII, da Administração Pública, artigos 37 a 40, com suas alterações.

REFERÊNCIAS:

www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8112cons.htm, acessado em 26/04/2012 www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d1171.htm, acessado em 26/04/2012 www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8429.htm, acessado em 26/04/2012 www.planalto.gov.br/ccivil 03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm, acessado em 26/04/2012

RACIOCÍNIO LÓGICO:

1.Sequências lógicas; 2. Gráficos e séries estatísticas: análise e interpretação; 3.Problemas com números naturais; 4. Problemas com números fracionários; 5.Grandezas diretamente proporcionais; 6.Grandezas inversamente proporcionais; 7. Divisão de um número em partes diretamente proporcionais e inversamente proporcionais; 8.Porcentagem; 9.Regra de três simples e composta; 10.Sistema métrico decimal (medidas de comprimento, medidas de área, medidas de volume, medidas de capacidade e medidas de massa); 11.Medidas de tempo; 12.Análise combinatória: arranjo, permutação e combinação; 13. Cálculo de probabilidades.

REFERÊNCIAS:

ANDRINI, Álvaro; VASCONCELOS, Maria José. Praticando Matemática - 5" e 6" séries. São Paulo: Editora do Brasil, 2006.

BEZERRA, Manoel Jairo. Matemática - Ensino Médio/Vol. Único. São Paulo: Editora Parma Ltda, 2004.

DANTE, Luis Roberto. Matemática - Contexto e Aplicações - Ensino MédioNo1.2. São Paulo: Editora Ática, 2003.

DOLCE, Osvaldo. Matemática e Realidade - 5" e 6" séries. São Paulo: Editora Atual, 2005.

GIOVANNI, José Ruy. Matemática: Pensar e Descobrir - 5" e 6" séries. São Paulo: Editora FTD, 2005.

PAIVA, Manoel. Matemática - Ensino Médio/Vol. Único. São Paulo: Moderna, 2003.

INFORMÁTICA:

(PARA O CARGO DE AUXILIAR EM ADMINISTRAÇÃO, INFORMÁTICA, COMPÕE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS E PARA OS DEMAIS CARGOS COMPÕE CONHECIMENTOS GERAIS.)

1.Unidades de Medidas 2.Hardware 3.Definição; Classificação; Características; Componentes; Funções; Dispositivos de entrada e saída; Processadores; Memórias; Unidades de armazenamento.4.Software:Definição; Classificação; Características; Funções; Programas aplicativos e utilitários; 5.Pacotes de aplicativos - Microsoft Office 2007 (Word, Excel e PowerPoint) 6.Sistemas Operacionais - conceito; funções; recursos básicos do Windows-XP; Gerenciador de arquivos e Pastas. 7.Segurança de Dados 8.Internet:Definição; Classificação;

Ministério da Educação Universidade Federal do Triângulo Mineiro Pró-Reitoria de Recursos Humanos Av. Frei Paulino, nº 30 - Bairro Abadia - 38025-180 - UBERABA-MG - (34) 3318-5035

Características; Funções; Navegadores (Internet Explorer 8, Mozilla Firefox );Correio Eletrônico; Sistemas de Busca.

REFERÊNCIAS:

ANTÔNIO, João. Informática para concursos: teoria e questões. Rio de Janeiro: Editora Campos, 2006. 640 p.

CAPRON, H. L.; Johnson, J. A. Introdução à informática. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. 350 p.

MANZANO, André Luiz Nº G; MANZANO, Maria Izabel Nº G Estudo Dirigido de Informática Básica. São Paulo: Editora Ética. 256 p.

NORTON, Peter. Introdução à informática. São Paulo: Pearson Makron Books, 2009. 619 p. RUAS, Jorge. Informática para concursos: teoria e mais de 400 questões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 732 p.

VELLOSO, Fernando de Castro. Informática conceitos básicos. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. 407 p.

Sites indicados:

www.microsoft.com

www.clubedohardware.com.br

http://cartilha.cert.br

II - CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: AUXILIAR EM ADMINISTRAÇÃO

INFORMÁTICA: (Conforme descrito acima)

REDAÇÃO OFICIAL:

Aspectos Gerais da Redação Oficial (A Impessoalidade; A Linguagem dos Atos e Comunicações Oficiais; Formalidade e Padronização; Concisão e Clareza). As Comunicações Oficiais (Pronomes de Tratamento; Fechos para Comunicações; Identificação do Signatário). O Padrão Ofício. Partes do documento no Padrão Oficio; Forma de diagramação. Aviso e Ofício: Definição e Finalidade; Forma e Estrutura. Memorando: Definição e Finalidade; Forma e Estrutura. Exposição de Motivos. Telegrama: Definição e Finalidade; Forma e Estrutura. Fax: Definição e Finalidade; Forma e Estrutura. Correio Eletrônico: Definição e finalidade; Forma e Estrutura; Valor documental.

REFERÊNCIAS:

BRASIL. Presidência da República. Manual de Redação da Presidência da República. Brasília Presidência da República, 2002, Cap I e II. www.planalto.gov.br/ccivil_03/manual/manual.htm, acessado em 26/04/2012.

BIÓLOGO

1. Biologia Celular, Histologia e Embriologia. 2. Zoologia (Vertebrados e Invertebrados). 3. Botânica (Anatomia, Sistemática e Fisiologia). 4. Bioquímica e Genética. 5. Ecologia. 6. Evolução e Paleontologia. 7. Microbiologia. 8. Imunologia. 9. Anatomia e Fisiologia Humana e Comparada

10. Parasitologia

Ministério da Educação Universidade Federal do Triângulo Mineiro Pró-Reitoria de Recursos Humanos Av. Frei Paulino, nº 30 - Bairro Abadia - 38025-180 - UBERABA-MG - (34) 3318-5035

REFERÊNCIAS:

ALBERTS, B.; Bray, D.; Johnson, A.; Lewis, J.; Raff, M.; Roberts, K. & Walter, P.. Fundamentos de Biologia Celular. Artes Médicas, São Paulo, 1999

JUNQUEIRA, L. C. & Carneiro, J.. Histologia Básica. 10". ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2004

GILBERT, S. F.. Biologia do Desenvolvimento. Sociedade Brasileira de Genética, Ribeirão Preto, 1995

POUGH FH, Janis CM, Heiser JB. A vida dos Vertebrados. 4 ed.. Atheneu Editora. São Paulo, 2008

BRUSCA, R. C. e Brusca, G. J. Invertebrados. 2ª ed. Rio de Janeiro:Guanabara Koogan, 2007. 968 p.

RIBEIRO-COSTA, C. S. e Rocha, R. M. (coords.) Invertebrados Manual de aulas práticas. Série Manuais Práticos em Biologia-3. Ribeirão Preto: Holos Editora, 2002. 226p.

APPEZZATO-DA-GLÓRIA, B. e Carmello-Guerreiro, S. M. (eds.). Anatomia Vegetal. 2.ed.. Viçosa: UFV, 2006

JUDD; Campbell; Kelogg e Stevens. Sistemática Vegetal: um enfoque filogenético. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

TAIZ, L. E ZEIGER. E. Fisiologia vegetal. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FARAH, SB. DNA - Segredos & Mistérios, 2".. ed. Savier, 2007.

VOET, J., VOET, D. & PRATT, C.W. Bioquímica. 2. ed. Porto Alegre: Artmed., 2008.

RICKLEFS, R.E. A Economia da Natureza. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010

CAIN, M. L.; Bowman, W. D. & Hacker, S. D. Ecologia. Porto Alegre: Artmed Editora. 2011

BEGON, M., C. R. Townsend e J. L. Harper. Ecologia de Indivíduos a Ecossistemas. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FUTUYMA, D. Biologia Evolutiva. 3 Edição. Ribeirão Preto: FUNPEC, 2009

Carvalho IS. Paleontologia: Conceitos e Métodos, primeiro volume. 3. ed.. Editora Interciência,2010.

TRABULSI, L.R.; Alterthum, F. Microbiologia 5°ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2008

MURPHY, Kenneth; Travers, Paul; Walport, Mark. Imunobiologia de Janeway . 7.ed. Porto Alegre: ArtMed, 2010. 908p.

KOEPPEN, Bruce M.; Stanton, Bruce A. Berne e Levy Fisiologia. 6. ed. Rio de Janeiro: ELSEVIER, 2009.

DÂNGELO, José Geraldo; Fattini, Carlo Américo. Anatomia humana básica. São Paulo: Atheneu, 1995. 184 p.

REY, L. Parasitologia. 4". edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

ENFERMEIRO

1.Ética e bioética no exercício da Enfermagem. 2. Pensamento crítico e julgamento clínico na Enfermagem. 3. Consulta e Diagnóstico de Enfermagem. 4.Enfermagem médico cirúrgica: assistência de enfermagem às pessoas que apresentam comprometimento nas funções: cardiovascular, circulatória e hematológica; respiratória; digestiva e gastrointestinal; metabólica e endócrina; urinária e renal; imunológica; neurológica e neurossensorial; músculoesquelética; tegumentar; reprodutora. 5.Controle de Infecção Hospitalar. 6.Vigilância epidemiológica. 7.Segurança do paciente nos Serviços de Saúde. 8.Enfermagem em saúde mental: saúde mental e promoção da saúde global; cuidados de enfermagem às pessoas que apresentam sinais e sintomas de transtornos mentais. 9.Gerenciamento em Enfermagem: planejamento e organização dos serviços de enfermagem; coordenação da equipe de enfermagem; avaliação da assistência de enfermagem no ambiente hospitalar, ambulatorial e na comunidade; educação permanente em saúde.

10.Pacto pela Saúde - consolidação do SUS. 11.Atenção integral à saúde de adolescentes e jovens, da mulher, do homem e do idoso.

REFERÊNCIAS:

BARROS, S.M.O. Enfermagem no ciclo gravídico-puerperal. Barueri: Manole, 2006.

BASTOS, A.C. Ginecologia. 11 ed. São Paulo: Atheneu, 2006.

BICKLEY, L.S. Bates: propedêutica médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

BORK, A.M.T. Enfermagem baseada em evidências. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do paciente em serviços de saúde: limpeza e desinfecção de superfícies. Brasília, 2010.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do paciente: higienização das mãos. Brasília, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estatuto da Criança e do Adolescente. 3 ed. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estatuto do Idoso. Lei nº 10.741, de 1 de outubro de 2003. Brasília, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Guia de vigilância epidemiológica. 7 ed. Brasília, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de normas de vacinação. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de procedimentos para vacinação. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de rede de frio. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n° 399 de 22 de fevereiro de 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006-consolidação do SUS e aprova as diretrizes operacionais do referido Pacto. Diário Oficial da União. Brasília, fev.2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes nacionais para à atenção integral à saúde de adolescentes e jovens na promoção, proteção e recuperação da saúde. Brasília, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde do homem: princípios e diretrizes. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. 6 ed. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Secretaria de Atenção à Saúde. Legislação em Saúde Mental 1990-2004. 5ª edição ampliada. Série E. Legislação de Saúde. Brasília, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS n°.1996 de 20 de agosto de 2007. Dispõe sobre as diretrizes para a implementação da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Diário Oficial da União n° 162, de 22 de agosto de 2007, Seção 1. Brasília, 2004.35

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Departamento de Assistência e Promoção à Saúde. Coordenação de Controle de Infecção Hospitalar. Processamento de Artigos e Superfícies em Estabelecimentos de Saúde. Brasília. Centro de Documentação do Ministério da Saúde, 1994.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: plano de ação 2004-2007. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

CARPENITO, L.J. Manual de Diagnósticos de Enfermagem. Tradução de Ana Thorell. 9 ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução 311/2011. Aprova o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem [internet]. [Disponível em www.portalcofen.gov.br].

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Lei nº 7498/86. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências [internet]. [Disponível em www.portalcofen.gov.br].

KURCGANT, P. Gerenciamento em Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2010.

MARCONDES, E. (coord) et al. Pediatria básica. 9 ed. São Paulo: Sarvier, 2003.

MARQUIS, B.L.; HUSTON, C.J. Administração e liderança em enfermagem: teoria e aplicação. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

North American Nursing Diagnosis Association. Diagnósticos de Enfer magem da Nanda. Definições e Classificação. 2009-2011. Porto Alegre: Artmed, 2010.

OGUISSO, T.; SCHIMIDT, M.J. O exercício da enfermagem: uma abordagem ético-legal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

OGUISSO, T.; ZOBOLLI, E. (Orgs). Ética e bioética: desafios para a enfermagem e a saúde. Barueri: Manole, 2006.

PORTO, C.C. Exame Clínico. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

POTTER, P.A.; PERRY, A.G. Fundamentos de Enfermagem. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

REZENDE, J. Obstetrícia fundamental. 1ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

SMELTZER, S.C.; BARE, B. G Brunner & Suddarth Tratado de Enfer magem Médico Cirúrgica. 9. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

ENGENHEIRO/ÁREA: CIVIL

1 TÉCNICAS CONSTRUTIVAS: implantação do canteiro de obras, escavações, contenções , controle de águas, cobertura, vedações verticais e acabamentos, infra-estrutura e superestrutura, execução de instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias, pluviais, prevenção de incêndio e telefônicas, estruturas pré-moldadas de concreto, estruturas protendidas.

2 MATERIAIS DE CONTRUÇÃO CIVIL:aglomerantes: gesso, cal, cimento portland; agregados; argamassa; concreto; dosagem do concreto; tecnologia do concreto; aço; madeira; materiais cerâmicos,impermeabilizantes; vidros; tintas e vernizes, ensaios de caracterização em cimento, agregados, concreto e aço.

3 PLANEJAMENTO, CONTROLE E ACOMPANHAMENTO DE OBRAS E LICITAÇÕES: elaboração de memoriais descritivos, especificações de materiais, orçamentos, medições e cronogramas, rede PERT/CPM. Lei de licitações e contratos administrativos n° 8666/1993

4 MECÂNICA DOS SOLOS E FUNDAÇÕES: origem e formação dos solos;índices físicos; caracterização de solos; propriedades dos solos arenosos e argilosos; pressões nos solos; prospecção geotécnica; permeabilidade dos solos; compactação dos solos; compressibilidade dos solos; adensamento nos solos; estimativa de recalques; resistência ao cisalhamento dos solos;empuxos de terra; estrutura de arrimo; estabilidade de taludes; estabilidade das fundações superficiais e estabilidade das fundações profundas; tipos de fundações rasas e profundas.

5 RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS: tensões normais e tangenciais: deformações; teoria da elasticidade; análise de tensões; tensões principais; equilíbrio de tensões; compatibilidade de deformações; relações tensão x deformação - Lei de Hooke; Círculo de Mohr; tração e compressão; flexão simples; flexão composta; torção; cisalhamento e flambagem. Análise Estrutural: esforços seccionais - esforço normal, esforço cortante e momento fletor; relação entre esforços; apoios e vínculos; diagramas de esforços; estudo das estruturas isostáticas (vigas simples, vigas gerber, quadros).

6 ESTRUTURAS: dimensionamento do Concreto Armado: características mecânicas e reológicas do concreto; tipos de aços para concreto armado; fabricação do aço; características mecânicas do aço; concreto armado - fundamentos; estados limites; aderência; ancoragem e emendas em barras de armação; detalhamento de armação em concreto armado; estrutura metálica; estrutura de madeira.

7 INSTALAÇÕES PREDIAIS DIMENSIONAMENTO: instalações elétricas; instalações hidráulicas; instalações de esgoto e pluvial; instalações de telefone e instalações especiais.

8 SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO: Norma Regulamentadora - NR 18, condições e meio ambiente no trabalho na indústria da construção civil.

9 PATOLOGIAS, REPAROS E MANUTENÇÃO EM EDIFICAÇÕES: manutenção preventiva, corretiva e recuperação de edifícios.

10 ACESSIBILIDADE EM EDIFICAÇÕES: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos, NORMA NBR 9050/2004

REFERÊNCIAS:

HENRIQUE. Construção Civil Fundamental. Atlas, 2000.

MESEGUER, ALVARO GARCIA. Controle e Garantia da Qualidade na Construção. Pro Editores, 1991

SOUZA, ROBERTO DE / TAMAKI, MARCOS ROBERTO. Materiais de Construção. O Nome da Rosa, 2001.

SOUZA, ROBERTO, MEKBEKIAN, GERALDO. A Qualidade na Aquisição de Materiais e Execução de Obras.

NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção.

ASSED, J.A.; ASSED, P.C. Construção Civil - Metodologia construtiva. Rio de janeiro, Livros Técnicos e Científicos Editora, 1988.

LIMMER, C.V. Planejamento, orçamento e controle de projetos e obras. Rio de Janeiro, Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., 1997.

RIPPER, E. Manual prático de materiais de construção - Recebimento, transporte interno, estocagem, manuseio e aplicação. 1ª edição, São Paulo, Editora P1NI, 1995.

SOUZA, U.E.L.; FRANCO, L.S. Definição do layout do canteiro de obras. São Paulo, 1997.

YAZIGI, W. A técnica de edificar. 2ª edição, São Paulo, Editora P1NI/SindusCon-SP, 1999.

NBR 9050/2004 - Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos

NBR 15575 - Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos - Desempenho

LEI N° 8.666/1993 e atualizações.

NBR 6118/2003 - Projeto de estruturas de concreto -Procedimento

NBR 6122 Projeto e execução de fundações

NBR 14931/2004 - Execução de estruturas e concreto - Procedimento

NBR 5626 - Instalação predial de água fria

NBR 7198 - Projeto e execução de instalações prediais de água quente

NBR 8160 - Sistemas prediais de esgoto sanitário - Projeto e execução

NBR 10844 - Instalações prediais de águas pluviais

NBR 8681 - Ações e segurança nas estruturas - Procedimento

PFEIL, W. e PFEIL, M., Estruturas de Aço: Dimensionamento Prático, editora LTC, 8ª ed., 2009, 380p.

PFIEL, W.e PFIEL, M., Estruturas de Madeira, 6 ed. editora LTC, 2003, 224p

BAUER, L. A. F., Materiais de Construção - volume 1, 5ª ed., Rio de Janeiro, editora LTC, 2004, 448p.

BAUER, L. A. F., Materiais de Construção - volume 2, 5ª ed., Rio de Janeiro, editora LTC, 2004, 498p.

CRAIG, R. F., Mecânica dos Solos, editora LTC, São Paulo, 7 ed., 2007, 380p.

PINTO, C. S. Curso Básico de Mecânica dos Solos, 3ª edição, editora Oficina de Textos, São Paulo, 2006, 355p.

CAPUTO, H. P., Mecânica dos Solos e Suas Aplicações, V.2,

HIBBELER, R. C., Resistência dos Materiais, 7 ed., Editora Prentice Hall, 2010.

BEER, F. P. e DEWOLF, J. T., Resistência dos Materiais, Editora McGraw-Hill-Artmed, 4 ed., 2006

WISNER, Alain. Por Dentro do Trabalho: Ergonomia: Método e Técnicas. São Paulo, FTD - 1987

COTRIM, A.A.M.B., - "Instalações Elétricas" - 5ed., Editora Prentice Hall do Brasil, 2008.

MACINTYRE, J. A., Manual de Instalações Hidráulicas e Sanitárias. Editora LTC, 1990, 326p

VELLOSO, D. A., LOPES, F. R., Fundações, voll, oficina de textos, 2004, 226 p.

HACHICH, W, Fundações - Teoria e Prática, 2 ed., editora PINI, 2003, '758p.

CARVALHO, R. C. e FIGUEIREDO FILHO, J. R., Cálculo e Detalhamento de Estruturas Usuais de Concreto Armado segundo a NBR 6118:2003, 3 ed, editora EDUFSCar, 2007, 36'7p.

CARVALHO, R. C. e MIRANDA, L. P.., Cálculo e Detalhamento de Estruturas Usuais de Concreto Armado, volume 2, 1 ed, editora PINI, 2009, 589p.

BOTELHO, M. H. C. e MARCHETTI, O, Concreto Armado eu Te Amo, vol 1, editora Edgard Blucher, 5 ed., 2008, 486p

REBELLO, Y., Estruturas de Aço, Concreto e Madeira - Atendimento da Expectativa Dimensional, ed. Zigurate, 2005, 3'75p.

TCPO - 13 Edição. Editora PINI.

ODONE, I. et al., Ambiente de trabalho, HUCITEC, São Paulo, 1986.

GEÓLOGO

Constituição da Terra: Origem da Terra. Minerais e Rochas: propriedades físicas, químicas e ópticas dos minerais. Ciclo das rochas: formação das rochas magmáticas, metamórficas e sedimentares Composição, classificação e exemplos de rochas. 2. O Tempo Geológico, 2.1 Datação relativa e absoluta, 2.2 Escala geológica de tempo. 3. Dinâmica Externa, 3.1 Intemperismo físico, químico e biológico. Formação do Solo: constituintes, tipos de solos e perfil de solo. Solifluxão: processos e impactos. Erosão. Estabilidade de encostas. Ação antrópica e deslizamentos de encostas. 3.2 Água no Subsolo, Ciclo hidrológico, Zona de aeração e a água edáfica, Zona saturada e a água subterrânea. Uso da água subterrânea. Fontes termais e minerais, Poços artesianos. Poluição dos aqüíferos. Relevos kársticos e a água subterrânea: cavernas, dolinas, estalactites, estalagmites, sumidouros, ressurgências. 3.3 Ambientes sedimentares: Processos de erosão, transporte e deposição em ambientes glaciais, eólicos, marinhos e fluviais. 3.4 Variação do nível do mar através do tempo geológico. 3.5 A atividade antrópica como agente geológico. 4. Dinâmica Interna: Magmatismo, Plutonismo e Vulcanismo. 4.1 Magma: temperatura, viscosidade, gases. 4.2 Vulcões: edifício vulcânico, tipos de atividades vulcânicas (ejeção, derramamento de lava, lagos de lava, nuvens ardentes, erupção submarina). 4.3 Origem das atividades vulcânicas e fatores condicionantes para os diferentes tipos. 4.4 Formas de intrusão: sill, dique, lapólito, lacólito, facólito. 4.5 Vulcões e tectônica de placas: distribuição global dos vulcões. 4.6 Terremotos: causas dos terremotos; ondas sísmicas. 4.7 Distribuição dos terremotos na crosta terrestre e intensidade 4.8 Ondas sísmicas e o interior do Globo terrestre. 4.9 Sismicidade e tectônica de placas. 5. Tectônica. 5.1 Pangea, Gondwana. 5.2 Províncias tectônicas. 5.3 Orogênese. 5.4 Epirogênese. 5.5 Crátons. 5.6 Tectônica de Placas. 6. Recursos Minerais do Brasil 6.1 Recursos minerais metálicos e recursos minerais não-metálicos. 6.2 Carvão e hidrocarbonetos. 6.3 Uso industrial dos minerais e minérios. 6.4 Distribuição geográfica dos recursos minerais no Brasil. 7. Fósseis. 7.1 Importância e aplicações. 7.2 Conceitos. 7.3 Icnofóssil e Pseudofóssil. 7.4 Princípios de Bioestratigrafia. 8. Processos de Fossilização 8.1 Fossildiagênese. 8.2 Tafonomia. 9. Ocorrências fossilíferas no Brasil. 9.1 Principais ocorrências fossilíferas. 9.2 Contexto geológico dos jazigos fossilíferos brasileiros. 9.3 Relevância econômica. 10. Principais grupos de micro e macrofósseis. 10.1 Paleoinvertebrados. 10.2 Paleovertebrados. 10.3 Microfósseis e palinomorfos. 10.4 Aplicações.

REFERÊNCIAS:

Carvalho, I.S. (ed.). 2004. Paleontologia. 2ª ed. Editora Interciência. 2 volumes.

Press, F.; Siever, R.; Grotzinger, J. & Jordan, T. H. 2006. Para Entender a Terra. Bookman. 4ª ed. 656 p.

Teixeira, W.; Toledo, M.C.M.; Fairchild, T.R. & Taioli, F. 2000. Decifrando a Terra. Oficina de Textos. 557 p.

ODONTÓLOGO

Constituição da República Federativa do Brasil: Titulo III - Da Organização do Estado. Capítulo II -Da União. Art.23. CAPÍTULOIV - dos Municípios. Artigo 30. TÍTULOVIII: Da Ordem Social. Capítulo II - da Seguridade Social. Seção I: Da Saúde. Art. 196, 197, 198, 199,200. Lei Federal 8080 -www.saude.gov.br. Princípios do SUS. Lei Federal 8142 - www.saude.gov.br. NOB 96 -www.saude.gov.br. Pacto pela Saúde (PORTARIA N° 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006 e seus anexos: http://bvsmssaude.gov.br/bvs/publicacoes/prtGM399_20060222.pdf); Portaria do Ministério da Saúde n° 648 de 28/03/2006 (http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/legislacao/portaria 648 28 03 2006.pd0; Conhecimentos sobre o Sistema Único de Saúde tendo como referência o livro 1 do CONASS (Sistema Único de Saúde www.conass.org.br/publicacao/index.html); Biossegurança - NR 32 Ga Norma Regulamentadora para serviços de saúde) Disponível em: www.mte.gov.br/legislacao/normas_regulamentadoras/nr 32.pdf. Humaniza SUS (site) -www.saude.gov.br/humanizasus. Documento base para gestores e trabalhadores do SUS; Acolhimento nas práticas de produção de saúde. Disponível em: http://bvsmssaude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_praticas_producao saude.pdf . Brasil. http://bvsmssaude.gov.br/bvs/publicacoes/humanizasus gestores trabalhadores sus 4ed . Doenças de Notificação Compulsória (www.cve.saude.sp.gov.br ). Ética Profissional e Legislação da categoria. Epidemiologia, história natural e prevenção de doenças. Reforma Sanitária e Modelos Assistenciais de Saúde - Vigilância em Saúde. Indicadores de nível de Saúde da população. Políticas de descentralização e atenção Primária à Saúde.

PREVENÇÃO: Epidemiologia das Doenças Bucais no Brasil Nutrição, Dieta e Cárie; Diagnóstico da Doença Cárie; Tratamento da Doença Cárie; Cariologia e a Clínica; Controle Mecânico do Biofilme Dental realizado pelo paciente; Controle Químico da Placa Dental; Flúor: Metabolismo, Toxicologia, Fluorose e Cárie Dental; Prevenção e Tratamento das Doenças Periodontais; Promoção de Saúde Bucal em Odontopediatria; Selantes de Sulcos e Fissuras; Educação e Motivação em Saúde Bucal; Saúde Bucal Coletiva; Prevenção das Doenças Bucais; Bioética e Odontologia. ANESTESIA: Medicamentos: Neurofisiologia, farmacologia dos anestésicos locais, farmacologia dos vasoconstritores e ações clínicas dos agentes específicos; Técnicas de Anestesia Regional em Odontologia: considerações anatômicas, técnicas de anestesia maxilar e mandibular, técnicas de injeções suplementares e considerações sobre anestésicos locais; tendências no controle da dor. FARMACOLOGIA: Vias e Métodos de Administração e formas Farmacêuticas; Interações Medicamentosas; Reações Adversas a Medicamentos; Princípios Gerais do Correto Tratamento da Inflamação; Antiinflamatórios Não‑esteróides; Antiinflamatórios Esteróides. Princípios Gerais do Correto Tratamento da Infecção; Profilaxia Antimicrobiana em odontologia; Uso de Fármacos durante Gestação e Lactação; Fármacos Usados em Emergência médicas durante o atendimento odontológico; Manejo Odontológico do Paciente com infecção por HIV e AIDS. DENTSTICA RESTAURADORA: Materiais Dentários; Adesão aos Tecidos Dentários; Quando Restaurar e quando deter a Doença Carie; Restaurações Diretas com Resinas Compostas em Dentes Anteriores e restaurações de amálgama em Posteriores; Abordagem Restauradora de Dentes Tratados Endodonticamente; Clareamento de Dentes; Proteção dos Tecidos Dentais; Conceitos e definições; Controle de infecções em Odontologia; Esterilização; Doença Cárie: diagnóstico e tratamento; Proteção Dentino-pulpar; Diagnóstico e tratamento de lesões Não-cariosas. ODONTOGERIATRIA: Distúrbios bucais na terceira idade; Plano de tratamento integrado em Odontogeriatria. PATOLOGIA: Abordagem Diagnostica para Sintomas Orais Comuns; Halitose; Xerostomia; Dor Orofacial; Doenças Comuns das Glândulas Salivares não-neoplásicas; Lesões Brancas da Mucosa Bucal;Lesões Pigmentadas da Mucosa Bucal; Lesões Vermelhas da Mucosa Bucal; Lesões Ulcerativas e Erosivas da Mucosa Bucal; Lesões Vesículo-bolhosas da Mucosa Bucal; Infecções Comuns da Mucosa Bucal; Câncer Bucal. RADIOLOGIA: Interpretação Radiográfica; Patologia Radiográfica. CIRURGIA: Assepsia Cirúrgica; Extrações Dentárias; Manifestações Pós-operatórias Normais, Complicações e Tratamento; Avulsões Dentárias; Infecções Odontogênicas; Cistos dos Maxilares; Traumatismo Alveolodentário; Trauma de Partes Moles; Abordagem do Paciente submetido à Radioterapia ou a Quimioterapia; Nervo Trigêmeo; Anatomia Relacionada ás Anestesias Locais; Princípios de Anestesia Local na Prática Cirúrgica; Hiperplasias Reacionais Inflamatórias. ENDODONTIA: Microbiologia das Infecções Endodônticas; Conhecimentos Básicos na Interpretação da Dor e Diagnóstico das Patologias Pulpares e Periapicais; Diagnóstico e Controle da Emergência das Dores Dentárias Orofaciais; Semiologia endodôntica; Alterações pulpares e peripaicais; Acesso cavitário; Dor, pulpites, abscessos drenagem; Analgésicos, antiinflamatórios, antibióticos. PERIODONTIA: Epidemiologia das Doenças Periodontais; Placa e Cálculo Dentais; Microbiologia da Doença Periodontal; Fatores Modificadores: Diabetes, Puberdade, Gravidez e Menopausa e Tabagismo; Doença Gengival Induzida pela Placa; Periodontite Crônica; Periodontite Agressiva; Doença Periodontal Necrosante; O Abscesso Periodontal; Periodontite como Fator de Risco para Doença Sistêmica; Controle Mecânico da Placa Supragengival; Mau Hálito; Gengivite; Infecção por HIV - AIDS. ODONTOPEDIATRIA: Perdas precoces em odontopediatria e manutenção de espaço; Cariologia - educação, dieta e controle da placa bacteriana; O estudo do 1° molar permanente e suas importâncias em odontopediatria; Cirurgia em Odontopediatria; Selantes Oclusais; Terapia pulpar em Odontopediatria; Traumatismos em dentes anteriores; Uso do Flúor em Odontopediatria; Procedimentos restauradores em Odontopediatria; Anatomia dos dentes decíduos -Características morofológicas; Controle do comportamento infantil em Odontopediatria; Odontogenese e erupção dentária; Hábitos orais.

REFERÊNCIAS:

BARATIERI L. N, et al Odontologia Restauradora Fundamentos e Posibilidades.Livraria. Ed. Santos,. Ediçãol, 2007.

FEJERCKOV, O. e K1DD, E. CARIE DENTARIA - A doença e seu tratamento clínico. SP. Editora Santos, ia edição / 2005.

PETERSON, Ellis E TUCKER, Hupp. Cirurgia Oral e Maxilo Facial Contemporânea. Editora Elsevier, 4ª Edição, 2005.

TOLEDO, O.A. Odontopediatria para a prática clínica. Editora Premier, 3ª edição, 2005.

'ANDRE J, Tratado de Periodontia Clínica e Implantodontia Oral, 3ª Ed Guanabara Koogan,1999.

NEVILLE, Brad W e col. Patologia Oral e Maxilo Facial -2ª Ed. Guanabara Koogan.

CASTRO, A L. Estomalogia.Editora - Santos, 2ª Edição.

Odontogeriatria: noções de interesse clínico. 1. ed. [S.l.]: Artes Médicas, 2002. BUSATO, A. T. S.

COHEN, Stephen e HARGREAVES, Kenneth:Caminhos da polpa. 9ª Ed Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

BRAMANTE,C.M.; BERBERT,A.; BERNARDINELI, N.; MORAES, I.G.; GARCIA, R.B. Acidentes e Complicações no Tratamento Endodôntico-Soluções Clínicas. 2ª Ed São Paulo: Santos, 2004

FREITAS, A.; ROSA, J.E.; FARIA, S.I. Radiologia Odontológica. 6ª ed, São Paulo: Artes Médicas, 2004.

MALAMED, Stanley F. Manual de Anestesia Local. 5 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

WANNMACHER, L; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia Clínica para Dentistas. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

TRATADO DE SAÚDE COLETIVA EM ODONTOLOGIA - Antônio Carlos Pereira e cols - edição la 2009

PSICÓLOGO/ÁREA: CLÍNICA

1.Psicopatologia: Transtornos de humor. Transtornos somatoformes. Transtornos de personalidade. Transtornos de ansiedade. Transtornos de alimentação. Transtornos relacionados a substâncias. Esquizofrenia e outros transtornos psicóticos. Transtornos de adaptação. 2.Ciclo de vida familiar. 3. A dinâmica do trabalho de grupo. 4. Desenvolvimento da criança, do adolescente e do adulto.5. Entrevista Psicológica. 6.Psicologia Hospitalar: Processo de adoecimento e hospitalização. Paciente e família. 7.A equipe interdisciplinar. 8.Psicologia da Saúde.

REFERÊNCIAS:

American Psychiatrica Association. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais - DSM - IV - TR, 4ª ed 2003.

Organização Mundial de Saúde. Código internacional de doenças e problemas relacionados à saúdeClD 10. São Paulo: Edusp, 2000.

SADOCK, B.J. & SADOCK, V.A. Compêndio de psiquiatria. Porto Alegre: Artmed, 2010. PAPALIA, D.E.; OLDS, S.W.;

FELDMAN, R.D. Desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, 8ª ed, 2006, caps. 1116.

CARTER, B. & McGOLDRICK, M. As mudanças no ciclo de vida familiar. Porto Alegre: Artmed, 2ª ed, 2001.

CORDÁS, T.A.; COBELO, A.; FLEITLICH, B.; GUIMARÃES, D.S.B. & SHOMER, E. Anorexia e Bulimia. Porto Alegre: Artmed, 1998.

BEATTIE, M. Codependência nunca mais. Rio de Janeiro São Paulo: Editora Record, 2000. Benjamim, A. A entrevista de ajuda. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2001.

MELO FILHO, J. & BURD, M. Doença e família. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

SIMONETTI, A. Manual de psicologia hospitalar: o mapa da mente. São Paulo. 6". Ed. Casa do Psicólogo 2011

GRUBITS, S. (ORG.); GUIMARÃES, L. A. M. Psicologia da Saúde: especificidades e diálogo interdisciplinar São Paulo. Vetor 2007

AGERAMI-CAMON, V. A. et all. E a Psicologia entrou no hospital. São Paulo. Pioneira 2001

ROMANO, B. W. A prática da psicologia nos hospitais. São Paulo. Pioneira 2001

ROMANO, B. W. ( org.) Manual de psicologia clínica para hospitais. Casa do Psicólogo 2008

TÉCNICO DE LABORATÓRIO/ ÁREA: HISTOTECNOLOGIA

1.Métodos de Estudo em Citologia, Histologia e Ciências dos Materiais. 1. Microscopia. 1.1. Princípios de microscopia; 1.2. Tipos de Microsopia Luz (Campo Claro, Fase, Polarização, Fluoirescência, Campo Escuro) Eletrônica (Transmissão e Varredura); 1.3. indicações de uso, técnica de focalização, conservação e limpeza; 1.4. Lentes de vidro parafocais e eletromagnéticas 1.4. Alinhamento do feixe de luz (iluminação de Khõller) e de elétrons com as lentes; 1.5. Formação da imagem microscópica, documentação (fotográfica, captura digital) e produção final; 2. Preparo do Material para observação em microscópio de luz e eletrônica. 2.1. Tipos de preparo 2.2. Coleta do material; 2.3. Fixação (finalidade, tipos de fixação, soluções fixadoras, tempo de fixação); 2.4. Inclusão (material de inclusão: parafina, resinas); 2.5. Microtomia e ultramicrotomia (navalhas, espessura de cortes) 2.6. Coloração, citoquímica, impregnação, contrastação (diferenças e indicações) 3. Artefatos em Histotecnologia (fixação, inclusão, microtomia, coloração e contraste, processamento da imagem).

REFERÊNCIAS:

BEÇAK, W, Paulete, J.Técnicas de citologia e histologia, vol 1 e 2, Livros técnicps e científicos editora S.A, Rio de Janeiro, 1976

JUNQUEIRA E CARNEIRO, Biologia Celular e Molecular, quarta edição, Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 1987.

CARDAL, S.R, Munoz, T. Elementos de Histologia normal y de técnica micrográfica, 12ª edição. Madri, 1950.

HAYAT, M. A. Principles and tecchniques of eléctron Microscopy, vol 3, Van Nostrand Reinhold company, New York, 1973.

Técnicas de Microscopia Eletrônica, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de janeiro, 1982.

Manual sobre Técnicas Básicas de Microscopia Eletrônica, Vol. I" Sociedade Brasileira de Microscopia Eletrônica, 1989.

TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS

1.0 plano nacional de educação em construção (2011-2020). 2. Níveis e modalidades de educação e de ensino. 3. Gestão universitária. 4. Políticas para a educação superior. 5. Projeto Pedagógico de curso de graduação. 6. Planejamento de ensino. 7. A avaliação na educação superior. 8. Novas tecnologias na educação superior. 9. Legislação educacional: lei do SINAES. 10. História da universidade no Brasil.

REFERÊNCIAS:

ALMEIDA, Maria Isabel; PIMENTA, Selma Garrido. (Org.) Pedagogia universitária. São Paulo: Cortez, 2011.

BRASIL. Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB. Lei 9394/1996.

________ . Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. Lei 10.861/2004.

_________ . Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação - PNE - 2011 - 2020.

GADOTTI, Moacir. História das idéias pedagógicas. 8. ed. São Paulo: Ática, 2008

GAMBOA, Silvio Sanches. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. 2. ed. Chapeai: Argos, 2012.

MOURA, Dácio G; BARBOSA, Eduardo F. Trabalhando com projetos: planejamento e gestão de projetos educacionais. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

OLIVEIRA NETO, Alvim Antônio. Novas tecnologias e universidade. Petrópolis: Vozes, 2005.

SGUISSARDI, Waldemar. Universidade brasileira no século XXI. São Paulo: Cortez, 2009.

SOUZA, Ana Luiza Lima. A história da extensão universitária. 2. ed. Campinas: Alínea, 2010.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.) Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. 27. ed. Campinas: Papirus, 2010.

TÉCNICO EM ELETRICIDADE

1. Teoria básica de circuitos elétricos. 2. Instalações elétricas residenciais, industriais e hospitalares; versando sobre análise de projeto, execução (montagem e desmontagem), operação e manutenção:2.1. Projetos elétricos: cabos, fios, aterramentos, eletrodutos, caixas de passagem, quadros de distribuição de energia elétrica, telefonia e demais elementos característicos de Projetos Elétricos, em baixa e média tensão; 2.2. Iluminação;2.3. Proteção em instalações elétricas em baixa tensão; 2.5. Banco de capacitores.3. Equipamentos médico-hospitalares.4. Fundamentos e modo de execução de manutenção corretiva, preventiva e preditiva em Instalações Elétricas Residenciais, Industriais e Hospitalares.

REFERÊNCIAS:

Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR IEC 6060-1:2010. Equipamento eletromédico. Parte 1: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial, ABNT, 2011. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR5410: Instações elétricas de baixa tensão. Rio de Janeiro: ABNT, 2004.

CAVALIN, G.; CERVELIN, S. Instalações Elétricas Prediais. Editora Ética, 2011.

MAMEDE FILHO, J. Instalações Elétricas Industriais. Editora LTC, 2010.

Equipamentos Médico-Hospitalares e o Gerenciamento da Manutenção: capacitação a distância/Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão de Investimentos em Saúde, Projeto REFORSUS. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2002.

TECNÓLOGO/FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS EXATAS Elaboração de um projeto conforme Anexo III

 

CONCURSO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO

REQUERIMENTO DE ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO CONCURSO UFTM

Orientações:

1 - Em conformidade com Edital do concurso, o requerimento para isenção da taxa de inscrição no concurso deverá ser entregue, pessoalmente ou por terceiro, em envelope identificado com o nome e CPF do candidato, na PRORH/UFTM (Av. Frei Paulino, 30 - 3° piso - Bairro Abadia - Uberaba-MG).

Nome Completo do Candidato e data de nascimento:

Nome da Mãe ou Pai:

Endereço e Telefone do candidato:

CPF e RG do candidato:

N° do Edital:

Cargo a que concorrerá:

N° de Inscrição:

Informações complementares: (Indicação do número de Identificação Social (NIS), atribuído pelo CadÚnico; e Declaração de que atende à condição estabelecida no Edital do concurso)

NIS:____________________________________

Declaração:

________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________

______________________________________
Assinatura do requerente

Anexo IV

Orientações: 1 - O julgamento dos recursos será publicado no Quadro de avisos, coletivamente.

Nome Completo do Candidato:
________________________________________________________________________________________

 

Cargo:
________________________________________________________________________________________

 

Justificativa e Fundamentação do recurso:

________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________

____________________________________
assinatura do requerente