Prefeitura de Bagé - RS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAGÉ

SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS

EDITAL DE CONCURSO Nº 004/2008

REALIZAÇÃO: OBJETIVA CONCURSOS LTDA

Notícia:   Prefeitura de Bagé e o DAEB oferecem 181 vagas

LUIZ FERNANDO MAINARDI, Prefeito Municipal de Bagé, através da Secretaria Municipal de Administração, no uso de suas atribuições legais, nos termos do art. 37 da Constituição Federal e Lei Orgânica Municipal, TORNA PÚBLICO que realizará CONCURSO PÚBLICO sob regime estatutário - Lei nº 2.294/84 e alterações, para provimento de vagas do quadro geral dos servidores da Prefeitura Municipal, com a execução técnico-administrativa da empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, o qual reger-se-á pelas Instruções Especiais contidas neste Edital, pelo Decreto nº 018/2007 - Regulamento de Concursos Públicos e pelas demais disposições legais vigentes.

A divulgação oficial do inteiro teor deste Edital e os demais editais, relativos às etapas deste Concurso Público dar-se-á com a afixação no Painel de Publicações do Município e/ou seus extratos serão publicados no Jornal "Minuano" e/ou "Correio do Sul". Também em caráter meramente informativo na internet, pelo site www.objetivas.com.br.

É obrigação do candidato acompanhar todos os editais referentes ao andamento do presente Concurso Público.

CAPÍTULO I - DOS CARGOS E VAGAS

1.1. DAS VAGAS:

1.1.1. O concurso público destina-se ao provimento das vagas existentes, de acordo com a tabela de cargos abaixo e ainda das que vierem a existir no prazo de validade do Concurso.

1.1.2. A habilitação no Concurso Público não assegura ao candidato a contratação imediata, mas apenas a expectativa de ser admitido segundo as vagas existentes, de acordo com as necessidades da Administração Municipal, respeitada a ordem de classificação.

1.1.3 - Tabela de Cargos:

Cargos

Vagas gerais

Escolaridade e/ou outros requisitos exigidos para o cargo na posse

Carga Horária semanal

Vencimento Fevereiro/08 R$

Taxa de inscrição R$

ARQUIVISTA

02

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

ASSISTENTE CULTURAL

07

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

ATENDENTES DE BERÇÁRIO

10

Ensino Fundamental Completo

33 horas

365,50

17,00

AUXILIAR DE ESCRITURAÇÃO ESCOLAR

01

Ensino Médio, com Curso em Correspondência oficial ou de auxiliar de escritório;

33 horas

414,24

28,00

AUXILIAR DE LABORATÓRIO

01

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

CALCETEIRO

10

Ensino Fundamental Incompleto

40 horas

268,24

17,00

ECONOMISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

EDUCADOR ESPECIAL

01

Graduação em Educação Especial ou Graduação em Pedagogia com Especialização em Educação Especial e 01 ano de experiência na área da Educação Especial. (*)

20 horas

731,01

39,00

ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

01

Graduação em Pedagogia-EJA ou Graduação em Pedagogia com Especialização em Educação de Jovens e Adultos

20 horas

731,01

39,00

ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

01

Graduação em Pedagogia - Educação do Campo ou Graduação em Pedagogia com Especialização em Educação do Campo.

20 horas

731,01

39,00

ESPECIALISTA EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL

01

Graduação em Pedagogia Orientação Educacional e Especialização em Educação

20 horas

731,01

39,00

ESPECIALISTA EM SUPERVISÃO ESCOLAR

01

Graduação em Pedagogia - Supervisão Escolar ou Graduação em Pedagogia com Especialização em Supervisão Escolar.

20 horas

731,01

39,00

FARMACÊUTICO

02

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

INTÉRPRETE DE LIBRAS

05

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

MECÂNICO

05

Ensino Fundamental Incompleto.

40 horas

316,77

17,00

MÉDICO DERMATOLOGISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO ECOGRAFISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO GERIATRA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO GINECOLOGISTA/ OBSTETRA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO NEUROLOGISTA INFANTIL

01

Curso Superior com registro profissional e Especialização em neuropediatria

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO PATOLOGISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO PEDIATRA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO PSIQUIATRA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO RADIOLOGISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO TRAUMATOLOGISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

MÉDICO VASCULAR

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

ODONTOLÓGO ESPECIALISTA EM CIRURGIA BUCO MAXILO FACIAL

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

ODONTOLOGO ESPECIALISTA EM ENDODONTIA

02

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

ODONTÓLOGO ESPECIALISTA EM ODONTO PEDIATRIA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

ODONTÓLOGO PROTESISTA

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

OFICIAL ADMINISTRATIVO

11

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

OFICIAL FAZENDÁRIO

05

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

OPERADOR DE ENCEFALOGRAMA

01

Ensino Médio Completo.

33 horas

414,24

28,00

OPERADOR DE MÁQUINAS VIÁRIAS

06

Ensino Fundamental Incompleto. CNH categoria "C" (**)

40 horas

316,77

17,00

PEDAGOGO

01

Graduação em Pedagogia com Especialização em Educação.

20 horas

731,01

39,00

PROFESSOR EM MÚSICA E DANÇA

10

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

414,24

28,00

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS, nas disciplinas:

- CIÊNCIAS

- GEOGRAFIA

- MATEMÁTICA

 

10

10

10

Nível Superior, em curso de Licenciatura de Graduação Plena, com habilitação específica na disciplina.

20 horas

414,24

28,00

PSICOPEDAGOGO CLÍNICO

01

Pedagogia com Especialização em Psicopedagogia Clínica

20 horas

731,01

39,00

RECEPCIONISTAS

10

Ensino Fundamental Completo

33 horas

365,50

17,00

SOLDADOR

01

Ensino Fundamental Incompleto

40 horas

316,77

17,00

TÉCNICO AGRÍCOLA

01

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

TÉCNICO EM EDIFICAÇÃO

02

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

TÉCNICO EM MÚSICA E DANÇA

10

Ensino Técnico

20 horas

414,24

28,00

TÉCNICO EM TURISMO

02

Ensino Médio Completo

33 horas

414,24

28,00

TERAPEUTA OCUPACIONAL

02

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

TORNEIRO MECÂNICO

01

Ensino Fundamental Incompleto.

40 horas

316,77

17,00

TRATORISTA

06

Ensino Fundamental Incompleto. CNH categoria "C" (**)

40 horas

316,77

17,00

TURISMÓLOGO

01

Ensino Superior com Registro Profissional

20 horas

731,01

39,00

(*) Experiência comprovada mediante Carteira de Trabalho, Certidão ou Atestado fornecido por órgão público ou pessoa Jurídica ou física responsável, designando as atribuições relacionadas ao cargo.

(**) Para os cargos de Operador de Máquinas Viárias e Tratorista, é obrigatória a apresentação da Carteira Nacional de Habilitação, conforme exigência do cargo, quando da realização da Prova Prática. (Não serão aceitos protocolos ou encaminhamentos da mesma)

1.2. DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS:

1.2.1. As atribuições dos cargos estão definidas no ANEXO I do presente Edital.

CAPÍTULO II - DAS INSCRIÇÕES

2.1. A inscrição no Concurso Público implica, desde logo, o conhecimento e tácita aceitação pelo candidato, das condições estabelecidas neste Edital.

2.2. PERÍODO: 19/02/2008 a 28/02/2008.

2.3. São requisitos para ingresso no serviço público, a serem apresentados quando da posse:

a) Estar devidamente aprovado no concurso público e classificado dentro das vagas estabelecidas neste Edital.

b) Ser brasileiro de acordo com o que dispõe o artigo 12 da Constituição Federal de 1988.

c) Ter no mínimo 18 (dezoito) anos completos na data da posse.

d) Estar quite com as obrigações eleitorais e militares (esta última para candidatos do sexo masculino).

e) Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.

f) Possuir habilitação para o cargo pretendido, conforme o disposto na tabela de cargos, na data da Posse.

g) Candidatos com deficiência - verificar Capítulo próprio, neste Edital.

h) Se afro-descendente comprovação de tal condição, através de declaração expressa, nos termos da Lei Municipal nº.3938/02, de 23 de setembro de 2002 e Decreto nº. 017/2007, de 12 de março de 2007.

2.3.1. ATENÇÃO: O candidato, por ocasião da POSSE, deverá comprovar todos os requisitos acima elencados. A não apresentação dos comprovantes exigidos tornará sem efeito a aprovação obtida pelo candidato, anulando-se todos os atos ou efeitos decorrentes da inscrição no Concurso.

2.4. DA INSCRIÇÃO PELA INTERNET (não presencial):

2.4.1. As inscrições via Internet poderão ser realizadas a partir das 9h do dia 19 de fevereiro de 2008 até às 23h do dia 28 de fevereiro de 2008, pelo site www.objetivas.com.br.

2.4.2. A OBJETIVA não se responsabiliza por solicitação de inscrição via Internet não recebida por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamentos de linha, ou outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.

2.4.3. Após o preenchimento do formulário eletrônico, o candidato deverá imprimir o documento para o pagamento da taxa de inscrição. Este será o seu registro provisório de inscrição.

2.4.4. O pagamento da taxa de inscrição feita pela Internet deverá ser efetuado em qualquer agência bancária ou terminal de auto-atendimento, até o dia 29 de fevereiro de 2008, com o boleto bancário impresso (NÃO será aceito pagamento por meio de depósito ou transferência entre contas).

2.4.5. A OBJETIVA, em nenhuma hipótese, processará qualquer registro de pagamento com data posterior ao dia 29 de fevereiro de 2008. As solicitações de inscrições realizadas com pagamento após esta data não serão acatadas.

2.4.6. O candidato terá sua inscrição homologada somente após o recebimento, pela empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, através do banco, da confirmação do pagamento de sua taxa de inscrição, no valor estipulado neste Edital. Como todo o procedimento é realizado por via eletrônica, o candidato NÃO deve remeter à OBJETIVA cópia de sua documentação, sendo de sua exclusiva responsabilidade a informação dos dados no ato de inscrição, sob as penas da lei.

2.4.7. Os candidatos na condição de afro-descendentes ou portadores de necessidades especiais deverão verificar Capítulo próprio neste Edital, para as providências necessárias.

2.4.8. Os candidatos amparados pela Lei nº 4.010/03, de 17 de julho de 2003 - doadores de sangue interessados na isenção de pagamento da taxa de inscrição, poderão inscrever-se no presente Concurso Público, desde que comprovem a doação de sangue, durante o período de cinco meses, contado retroativamente da data da inscrição, através de atestado oficial fornecido pelo Banco de Sangue respectivo, Hospital ou Carteira de Doador, a ser protocolado até 28/02/2008 no Centro de Convívio da Prefeitura Municipal, sito à rua Caetano Gonçalves, nº 1151, no Município de Bagé/RS, conforme modelo Anexo VI.

2.4.9. Os candidatos que fizerem sua inscrição pela Internet, na condição de pessoas com deficiência, deverão verificar Capítulo próprio neste Edital, para encaminhamento de documentos necessários.

2.4.10. Caso o Candidato não possua acesso à Internet, será disponibilizado computador para acesso, no horário das 08h às 18h, no Centro de Convívio da Prefeitura Municipal, sito à Rua Caetano Gonçalves, nº 1151, no Município de Bagé/RS, no período de 19/02/2008 à 28/02/2008, inclusive sábados, domingos e feriados.

2.5. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO:

2.5.1. Os candidatos poderão inscrever-se em mais de um cargo, desde que observados os horários de aplicação da prova escrita, conforme segue:

TURNO 1: ARQUIVISTA, ECONOMISTA, EDUCADOR ESPECIAL, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, ESPECIALISTA EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL, ESPECIALISTA EM SUPERVISÃO ESCOLAR, FARMACÊUTICO, MÉDICO (todos), ODONTÓLOGO (todos), PEDAGOGO, PROFESSOR (todos), PSICOPEDAGOGO CLÍNICO, TERAPEUTA OCUPACIONAL e TURISMÓLOGO.

TURNO 2: ASSISTENTE CULTURAL, AUXILIAR DE ESCRITURAÇÃO ESCOLAR, AUXILIAR DE LABORATÓRIO, INTÉRPRETE DE LIBRAS, OFICIAL ADMINISTRATIVO, OFICIAL FAZENDÁRIO, OPERADOR DE ENCEFALOGRAMA, TÉCNICO AGRÍCOLA, TÉCNICO EM EDIFICAÇÃO, TÉCNICO EM MÚSICA E DANÇA e TÉCNICO EM TURISMO.

TURNO 3: ATENDENTES DE BERÇÁRIO, CALCETEIRO, MECÂNICO, OPERADOR DE MÁQUINAS VIÁRIAS, RECEPCIONISTAS, SOLDADOR, TORNEIRO MECÂNICO e TRATORISTA.

2.5.2. Não serão aceitas inscrições: com falta de documentos; por via postal; por telex ou via fax; e-mail; extemporâneas e/ou condicionais.

2.5.3. Antes de efetuar o recolhimento da taxa, o candidato deverá certificar-se de que possui todas as condições e pré-requisitos para inscrição. Não haverá devolução da taxa de Inscrição, salvo se for cancelada a realização do Concurso Público.

2.5.4. São considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurança Públicas, pelos Institutos de Identificação e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional (Ordens, Conselhos, etc); passaporte brasileiro, certificado de reservista, carteiras funcionais do Ministério Público; carteiras funcionais expedidas por órgão público que, por Lei Federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitação (somente o modelo aprovado pelo artigo 159 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997).

2.5.5. Não serão aceitos como documentos de identidade: certidões de nascimento, títulos eleitorais, carteiras de motorista (modelo antigo), carteiras de estudante, carteiras funcionais, sem valor de identidade, nem documentos ilegíveis, não-identificáveis ou danificados.

2.5.6. Para efetivar sua inscrição, é imprescindível que o candidato possua número de CPF - Cadastro de Pessoa Física, regularizado.

2.5.7. O candidato que não possuir CPF deverá solicitá-lo nos postos credenciados - Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Correios ou Receita Federal, em tempo de conseguir o registro e o respectivo número antes do término do período de inscrições.

2.5.8. Terá sua inscrição cancelada e será automaticamente eliminado do CONCURSO PÚBLICO o candidato que utilizar o CPF de terceiro.

2.5.9. Após o encerramento do período de inscrições, não serão aceitos pedidos de alterações das opções de cargo.

2.5.10. As informações prestadas na ficha de inscrição, bem como o preenchimento dos requisitos exigidos serão de total responsabilidade do candidato.

2.6. DA HOMOLOGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES:

2.6.1. Em 11/03/2008 será divulgado edital de homologação das inscrições.

2.6.2. O candidato deverá acompanhar esse edital; bem como a relação de candidatos homologados para confirmar sua inscrição; caso sua inscrição não tenha sido homologada ou processada, o mesmo não poderá prestar provas, podendo impetrar pedido de recurso, conforme determinado neste Edital.

2.6.3. Se mantida a não homologação ou o não processamento, o candidato será eliminado do Concurso, não assistindo direito à devolução da taxa de inscrição.

2.6.4. O candidato terá acesso ao edital de homologação, com a respectiva relação de inscritos, diretamente pelo site www.objetivas.com.br ou no Painel de Publicações do Município.

CAPÍTULO III - DAS DISPOSIÇÕES PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E AFRODESCENDENTES

PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA:

3.1. Às pessoas com deficiência, é assegurado o direito de inscrição no presente Concurso, para os cargos cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de que são portadores, num percentual de 10% (dez por cento) das vagas para cada cargo do total das vagas oferecidas, de acordo com o artigo 37, inciso VIII da Constituição Federal e Lei Municipal n° 3.451/98, de 26 de junho de 1998.

3.1.1. Quando o número de vagas reservadas a candidatos portadores de deficiência resultar em fração será feito o arredondamento para o número inteiro superior, em caso de fração igual ou maior de 0,5 ou para o número inferior, em caso de fração menor que 0,5.

3.1.2. Quando o número de vagas oferecidas impossibilite a obtenção do percentual de 10% (dez por cento) no mínimo 01 (uma) vaga será destinada à pessoa portadora de deficiência, não excedendo o percentual superior a 20% (vinte por cento).

3.2. O candidato ao inscrever-se nesta condição, deverá escolher o cargo a que concorre e marcar a opção "Pessoas com Deficiência", bem como deverá encaminhar, via postal, até o 1º dia útil após o encerramento das inscrições, para o endereço da OBJETIVA CONCURSOS LTDA - Rua Casemiro de Abreu, 347 - Bairro Rio Branco - CEP 90.420.001 - Porto Alegre/RS os seguintes documentos:

a) laudo médico (original ou cópia legível autenticada) emitido há menos de um ano atestando a espécie e o grau de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doença - CID, bem como da provável causa da deficiência.

b) requerimento, solicitando vaga especial, constando o tipo de deficiência e a necessidade de condição ou prova especial, se for o caso (conforme modelo Anexo V deste Edital). O pedido de condição ou prova especial, formalizado por escrito à empresa executora, será examinado para verificação das possibilidades operacionais de atendimento, obedecendo a critérios de viabilidade e de razoabilidade.

3.3. Caso o candidato não encaminhe o laudo médico e o respectivo requerimento, até o prazo determinado, não será considerado como pessoa com deficiência para concorrer às vagas reservadas, não tendo direito à vaga especial, bem como à prova especial, seja qual for o motivo alegado, mesmo que tenha assinalado tal opção na Ficha de Inscrição.

3.4. Não serão considerados como deficiência os distúrbios de acuidade visual passíveis de correção simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congêneres.

3.5. Os candidatos inscritos nessa condição participarão do concurso público em igualdade de condições com os demais candidatos, no que se refere às provas aplicadas, ao conteúdo das mesmas, à avaliação, aos critérios de aprovação, ao horário e local de aplicação das provas e à nota mínima exigida para todos os demais candidatos, resguardadas as condições especiais previstas na legislação própria.

3.6. Os candidatos aprovados no concurso público serão submetidos a exames médicos e complementares, que irão avaliar a sua condição física e mental, quando da efetiva nomeação.

3.7. Na falta de candidatos aprovados para as vagas reservadas, estas serão preenchidas pelos demais candidatos com estrita observância da ordem classificatória.

3.8. A publicação do resultado final do concurso público será feita em duas listas, contendo a primeira, a pontuação de todos os candidatos, inclusive a das pessoas com deficiência e a segunda somente a pontuação destes últimos.

PARA AFRODESCENTES:

3.9. Os candidatos interessados em inscrever-se nessa condição, deverão tomar conhecimento das disposições legais (Lei Municipal nº 3.938/02, de 23 de setembro de 2002 e Decreto nº 017/2007, de 12 de março de 2007) e proceder conforme disposto neste Edital.

CAPÍTULO IV - DAS PROVAS

4.1. Para todos os cargos, o Concurso constará de PROVA ESCRITA, de caráter eliminatório/classificatório, em primeira etapa, com questões objetivas, de múltipla escolha, compatíveis com o nível de escolaridade, com a formação acadêmica exigida e com as atribuições dos cargos.

4.2. Serão considerados aprovados em PRIMEIRA ETAPA e/ou HABILITADOS à etapa seguinte, os candidatos que obtiverem 50% (cinqüenta por cento) ou mais na nota final da prova escrita.

4.3. PROVA PRÁTICA: Para todos os candidatos aprovados na prova escrita nos cargos de ASSISTENTE CULTURAL, AUXILIAR DE ESCRITURAÇÃO ESCOLAR, CALCETEIRO, INTÉRPRETE DE LIBRAS, MECÂNICO, OFICIAL ADMINISTRATIVO, OFICIAL FAZENDÁRIO, OPERADOR DE MÁQUINAS VIÁRIAS, RECEPCIONISTAS, SOLDADOR, TÉCNICO EM EDIFICAÇÃO, TORNEIRO MECÂNICO e TRATORISTA, haverá em segunda etapa, PROVA PRÁTICA, conforme Capítulo VII, do presente Edital, de caráter eliminatório/classificatório.

4.4. PROVA DE TÍTULOS: Para os candidatos aos cargos de ARQUIVISTA, ECONOMISTA, EDUCADOR ESPECIAL, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO PARA JOVENS E ADULTOS, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, ESPECIALISTA EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL, ESPECIALISTA EM SUPERVISÃO ESCOLAR, FARMACÊUTICO, MÉDICO (todos), ODONTÓLOGO (todos), PEDAGOGO, PROFESSOR (todos), PSICOPEDAGOGO CLÍNICO, TERAPEUTA OCUPACIONAL e TURISMÓLOGO, desde que habilitados na prova eliminatória, haverá PROVA DE TÍTULOS conforme Capítulo VI, do presente Edital, de caráter classificatório.

4.5. CONTEÚDOS E PONTUAÇÃO

CARGO

PROVA

DISCIPLINA

N° Questões

Valor por questão

PESO TOTAL

TABELA A

Arquivista

Farmacêutico

Médico (todos)

Odontólogo (todos)

Terapeuta Ocupacional

Turismólogo

 

Escrita

Títulos

Português

Legislação e Conhecimentos Específicos

10

20

2,30

2,85

 

23,00

57,00

20,00

TABELA B

Economista

 

Escrita

Títulos

Matemática

Legislação e Conhecimentos Específicos

10

20

2,30

2,85

 

23,00

57,00

20,00

TABELA C

Assistente Cultural

Auxiliar de Escrituração Escolar

Intérprete de Libras

Oficial Administrativo

Oficial Fazendário

Recepcionistas

Técnico em Edificação

 

Escrita

 

Prática

Português

Matemática

Legislação e Conhecimentos Específicos

10

10

10

1,45

1,05

2,50

 

14,50

10,50

25,00

50,00

TABELA D

Auxiliar de Laboratório

Operador de Encefalograma

Técnico Agrícola

Técnico em Música e Dança

Técnico em Turismo

Escrita

Português

Matemática

Legislação e Conhecimentos Específicos

10

10

10

2,75

2,25

5,00

27,50

22,50

50,00

TABELA E

Calceteiro

Mecânico

Operador de Máquinas Viárias

Soldador

Torneiro Mecânico

Tratorista

 

Escrita

Prática

Português

Matemática

10

10

2,75

2,25

 

27,50

22,50

50,00

TABELA F

Atendentes de Berçário

Escrita

Português

Matemática

Legislação e Conhecimentos Específicos

10

10

10

2,75

2,25

5,00

27,50

22,50

50,00

TABELA G

Educador Especial

Especialista em Educação de Jovens e Adultos

Especialista em Educação do Campo

Especialista em Orientação Escolar

Especialista em Supervisão Escolar

Pedagogo

Psicopedagogo Clínico

 

 

Escrita

 

Títulos

Português

Legislação/Estrutura e Func. de Ensino

Conhecimentos Específicos

10

10

10

2,25

2,75

3,00

 

22,50

27,50

30,00

20,00

TABELA H

Professor de Música e Dança

Professor Ensino Fundamental Séries Finais (todas as disciplinas)

 

 

Escrita

 

Títulos

Português

Legislação/Estrutura e Func. de Ensino

Didática

Conhecimentos Específicos

05

05

10

10

2,50

2,20

2,65

3,00

 

12,50

11,00

26,50

30,00

20,00

4.6. Os pontos por disciplina correspondem ao número de acertos multiplicado pelo peso de cada questão da mesma. A NOTA DA PROVA ESCRITA será o somatório dos pontos obtidos em cada disciplina.

4.7. A Prova Prática, conforme aplicada ao cargo, terá sua nota somada à nota obtida na Prova Escrita, para composição da NOTA FINAL.

4.8. Não haverá prova fora do local designado, nem em datas e/ou horários diferentes. Não será admitido à prova, o candidato que se apresentar após o horário estabelecido para o início da mesma; em nenhuma hipótese haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado.

4.9. O ingresso na sala de provas só será permitido ao candidato que apresentar o documento de identidade que originou a inscrição e o documento de inscrição no Concurso Público, podendo, a critério da organização do presente Concurso, ser dispensada a apresentação do documento de inscrição, desde que comprovada a efetiva inscrição do candidato.

4.10. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia da realização da prova, os documentos originais, por motivo de perda, furto ou roubo, deverá apresentar documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido a, no máximo 30 (trinta) dias, ocasião em que poderá ser submetido à identificação especial, compreendendo coleta de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.

4.11. A identificação especial também poderá ser exigida do candidato, cujo documento de identificação apresente dúvidas relativas à fisionomia ou à assinatura do portador.

4.12. No recinto de provas não será permitido ao candidato entrar ou permanecer com armas ou aparelhos eletrônicos (bip, telefone celular, relógio do tipo data bank, walkman, agenda eletrônica, note book, palmtop, receptor, gravador, etc.). Caso o candidato leve arma ou qualquer aparelho eletrônico deverá depositá-lo na Coordenação, exceto no caso de telefone celular que deverá ser desligado e poderá ser depositado junto à mesa de fiscalização até o final das provas. O descumprimento desta determinação implicará na eliminação do candidato, caracterizando-se como tentativa de fraude.

4.13. A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização da prova deverá levar acompanhante, que ficará em sala reservada para essa finalidade e que será responsável pela guarda da criança. A candidata que não levar acompanhante não realizará a prova. Não haverá compensação do tempo de amamentação ao tempo da prova da candidata.

4.14. Será excluído do Concurso Público o candidato que:

a) tornar-se culpado por incorreção ou descortesia para com qualquer dos fiscais, executores e seus auxiliares ou autoridades presentes;

b) for surpreendido, durante a realização da prova, em comunicação com outro candidato ou terceiros, bem como se utilizando de livros, notas, impressos ou equipamentos não permitidos;

c) afastar-se do recinto da prova sem o acompanhamento do fiscal.

4.15. Candidatos com deficiência - ver Capítulo próprio sobre solicitação de condição ou prova especial (caso necessário).

4.16. As solicitações de condições especiais, bem como de recursos especiais, serão atendidas obedecendo a critérios de viabilidade e de razoabilidade.

4.17. A identificação correta do dia, local e horário da realização das provas, bem como seu comparecimento, é de responsabilidade exclusiva do candidato.

4.18. Não será admitido às provas, o candidato que se apresentar após o horário estabelecido para o início da prova; em nenhuma hipótese haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado.

4.19. O candidato que deixar de comparecer a qualquer uma das provas determinadas, será considerado reprovado.

4.20. Os casos de alterações psicológicas ou fisiológicas (períodos menstruais, gravidez, contusões, luxações, etc.) que impossibilitem o candidato de submeter-se aos testes, ou de neles prosseguir ou que lhe diminuam a capacidade físico-orgânica, não serão considerados para fins de tratamento diferenciado ou nova prova.

CAPÍTULO V - DA PROVA ESCRITA

5.1. A Prova Escrita, para todos os cargos será aplicada nos dias 22 e 23/03/2008, em local e horário a serem divulgados quando da homologação das inscrições em 11/03/2008.

5.2. O Município reserva-se o direito de indicar nova data para a realização da Prova Escrita, em caso de necessidade de alteração desta já publicada, mediante publicação em jornal de circulação local, com antecedência mínima de 8 (oito) dias da realização das mesmas.

5.3. A Objetiva Concursos Ltda. remeterá ao candidato comunicação complementar informando data, local e horário da prova, por meio do endereço eletrônico (e-mail) indicado pelo mesmo na ficha de inscrição.

5.3.1. A remessa da comunicação não exime o candidato da responsabilidade de acompanhamento de todos os atos referentes a este concurso público, através de edital, bem como de obter as informações necessárias pelo site ou por telefone da empresa Objetiva Concursos Ltda.

5.4. Os programas e/ou referências bibliográficas da prova escrita de cada cargo, são os constantes no ANEXO II do presente Edital.

5.5. O tempo de duração da prova escrita será de até 3 horas.

5.6. Desde já, ficam os candidatos convocados a comparecerem com antecedência de 1 (uma) hora ao local das provas, munidos de caneta esferográfica azul ou preta ponta grossa.

5.7. Durante as provas, não será permitida comunicação entre candidatos, nem a utilização de máquina calculadora e/ou similares, livros, anotações, réguas de cálculo, impressos ou qualquer outro material de consulta.

5.8. O caderno de questões é o espaço no qual o candidato poderá desenvolver todas as técnicas para chegar à resposta adequada, permitindo-se o rabisco e a rasura em qualquer folha, EXCETO no CARTÃO DE RESPOSTAS.

5.9. O CARTÃO DE RESPOSTAS é o único documento válido para correção eletrônica, devendo ser preenchido com bastante atenção. Ele não pode ser substituído, tendo em vista sua codificação, sendo o candidato o único responsável pela entrega do mesmo devidamente preenchido e assinado. A não entrega do cartão de respostas implicará na automática eliminação do candidato do certame.

5.10. Será atribuída nota 0 (zero) à resposta que, no cartão de respostas estiver em desconformidade com as instruções, não estiver assinalada ou que contiver mais de uma alternativa assinalada, emenda, rasura ou alternativa marcada a lápis, ainda que legível.

5.11. Em nenhuma hipótese, será considerado para correção e respectiva pontuação o caderno de questões.

5.12. O candidato, ao terminar a prova escrita, devolverá ao fiscal da sala, juntamente com o cartão de respostas, o caderno de questões, tendo em vista a obrigatoriedade de arquivo no Município.

5.13. Será permitido aos candidatos copiar seu cartão de respostas, para conferência com o gabarito oficial.

5.14. Por razões de ordem técnica, de segurança e de direitos autorais não serão fornecidas cópias das provas a candidatos ou instituições de direito público ou privado, mesmo após o encerramento do Processo. Salvo requisição judicial.

5.15. Na mesma data da prova escrita ou em data a ser informada quando da prova escrita, os candidatos interessados poderão ter vista da prova padrão, sob fiscalização.

5.16. Ao final da prova escrita, os três últimos candidatos deverão permanecer no recinto, a fim de acompanhar os fiscais até a coordenação para o lacre dos envelopes, sendo liberados quando concluído.

CAPÍTULO VI - DA PROVA DE TÍTULOS

Somente para os cargos das TABELAS A, B, G e H

6.1. Após a divulgação de notas da prova escrita, no prazo estipulado por Edital, os candidatos que lograram aprovação, deverão apresentar os títulos para concorrer a esta etapa.

6.2. Essa Prova será somente classificatória, sendo que o candidato aprovado/habilitado que deixar de entregar seus títulos não terá somados os pontos correspondentes a essa etapa, mas não ficará eliminado do concurso, pela não entrega.

6.3. GRADE DE PONTUAÇÃO DOS TÍTULOS:

Itens

Pontuação

1. Pós-graduação (todos concluídos)

Especialização

Mestrado

Doutorado

 

4,0

6,0

8,0

2. Graduação - Curso superior e/ou Licenciatura Plena - (concluído)

Exceto o curso de exigência do cargo

 

2,0

3. Cursos, Seminários, Jornadas, Treinamentos, Oficinas, Worshops, Simpósios, Congressos, etc. desde que relacionados com o cargo de inscrição e com data de emissão do comprovante dentro dos últimos cinco anos, contados da data de abertura das inscrições, de acordo com o descrito abaixo.

I. Até 20 horas...........................................

II. De 21 a 40 horas....................................

III. De 41 a 60 horas....................................

IV. De 61 a 100 horas..................................

V. De 101 a 300 horas................................

VI. Acima de 301 horas................................

 

0,3

0,4

0,5

0,6

0,8

1,0

4. Artigos publicados em jornais ou revistas.

0,1

5. Máximo de 20 (vinte) pontos nesta prova e máximo de 10 (dez) títulos por candidato.

6. O curso de exigência do cargo não será utilizado para pontuação. Títulos de formação de nível médio não serão pontuados. Títulos de graduação ou pós-graduação, além do de exigência terão pontuação conforme item 1 e 2.

7. Títulos sem conteúdo especificado não serão pontuados, caso não se possa aferir a relação com o cargo.

8. Para comprovação do item 3 desta Grade, o comprovante deverá ser diploma, certificado de conclusão do curso, declaração ou atestado, em papel com timbre da entidade promotora, devendo ser expedido pela mesma. Não serão pontuados boletim de matrícula, histórico escolar ou outra forma que não a determinada acima, não devendo o candidato entregar documentos que não estejam na forma exigida.

9. Os diplomas de Graduação - curso superior ou licenciatura plena e os de pós-graduação em nível de especialização, mestrado ou doutorado devem estar devidamente registrados e para estes não serão aceitos históricos escolares, declarações ou atestados de conclusão do curso ou das respectivas disciplinas.

10. Cursos com carga horária definida em dias ou meses serão considerados na seguinte proporção: 01 dia: 08 horas - 01 mês: 80 horas.

11. Cursos sem carga horária definida não receberão pontuação.

12. Cursos de língua estrangeira, relações humanas e informática serão pontuados para todos, quando apresentados, dentro do disposto no item 3, onde será inserido.

13. Os documentos, em língua estrangeira, de cursos realizados, somente serão considerados quando traduzidos para a Língua Portuguesa, por tradutor juramentado e revalidados por instituição brasileira.

14. Não serão pontuados títulos relativos a quaisquer serviços prestados, remunerados ou não, inclusive tempo de serviço público ou privado, estágios ou monitorias, bem como participação em cursos, simpósios, congressos, etc. como docente, palestrante ou organizador.

6.4. APRESENTAÇÃO DOS TÍTULOS:

6.4.1. Os títulos deverão ser enviados por SEDEX, para o endereço da OBJETIVA CONCURSOS LTDA - Rua Casemiro de Abreu, 347 - Bairro Rio Branco - CEP 90.420.001 - Porto Alegre/RS, desde que tenham sido respeitadas as normas deste Capítulo e postados até a data limite determinada por Edital. Não serão recebidos títulos em outra ocasião.

6.4.2. É obrigação do candidato conferir os documentos encaminhados, ficando sob sua inteira responsabilidade as informações prestadas, arcando com as conseqüências de eventuais erros de preenchimento do formulário.

6.4.3. Os títulos deverão ser encaminhados em cópia autenticada por Cartório, relacionados em formulário próprio, conforme modelo anexo a este edital. Esta relação será preenchida em duas vias; destas, uma ficará com o candidato e a outra será encaminhada à Banca Avaliadora da OBJETIVA CONCURSOS LTDA. Nesta relação deverão ser encaminhados apenas os 10 (dez) títulos listados para entrega. Caso o candidato entregar número de títulos superior, serão desconsiderados a partir do décimo primeiro.

6.4.4. Na relação dos títulos, o candidato declarará expressamente o curso que possui ou que esteja em andamento, como requisito de habilitação para o cargo, devendo anexar seu comprovante junto aos demais títulos. Caso o curso de habilitação esteja em andamento, poderá ser apresentado atestado da Instituição responsável pela formação.

6.4.5. Os títulos e respectiva relação serão encaminhados em envelope, devidamente identificado com seu nome, número de inscrição e cargo.

6.4.6. Os documentos comprobatórios de títulos não podem apresentar rasuras, emendas ou entrelinhas, sob pena de não serem pontuados.

6.4.7. O candidato que possuir alteração de nome (casamento, separação, etc...) deverá anexar cópia do documento comprobatório da alteração sob pena de não ter pontuados títulos com nome diferente da inscrição e/ou identidade.

6.4.8. Comprovada em qualquer tempo, irregularidade ou ilegalidade na obtenção dos títulos do candidato, bem como encaminhamento de um mesmo título em duplicidade, com o fim de obter dupla pontuação, o candidato terá anulada a totalidade de pontos desta prova. Comprovada a culpa do candidato este será excluído do concurso.

6.4.9. Não serão avaliados títulos de eventos datados anteriormente ao disposto na grade, bem como não serão pontuados os títulos que excederem ao máximo em quantidade e pontos, conforme disposição supra.

CAPÍTULO VII - DA PROVA PRÁTICA

Somente para os cargo das TABELAS C e E

7.1. A Prova Prática será aplicada em data, local e horário a serem informados por Edital, quando da divulgação do resultado da Prova Escrita e destina-se a avaliar a experiência prévia do candidato, seus conhecimentos técnicos, constando de demonstração prática de sua habilitação na execução das atribuições do cargo.

7.1.1. Serão chamados a prestar a Prova Prática somente os candidatos aprovados na primeira etapa do concurso.

7.1.2. Realizada a Prova Prática, será considerado aprovado o candidato que obtiver nota igual ou superior a 60,00 (sessenta) pontos na soma de notas da Prova Escrita e Prática.

7.2. Para os cargos de AUXILIAR DE ESCRITURAÇÃO ESCOLAR, OFICIAL ADMINISTRATIVO, OFICIAL FAZENDÁRIO e RECEPCIONISTAS a Prova Prática destina-se a avaliar os conhecimentos do candidato no que se refere à informática, incluindo conhecimento e habilidade prática na utilização de pacotes de aplicativos de editores de textos, planilhas eletrônicas, criação de apresentações gráficas, noções básicas de Internet, hardware e software.

7.3. Para os cargos de ASSISTENTE CULTURAL, INTÉRPRETE DE LIBRAS, TÉCNICO EM EDIFICAÇÃO, CALCETEIRO, MECÂNICO, SOLDADOR e TORNEIRO MECÂNICO, a prova consistirá na realização de atividades, de acordo com as atribuições de cada cargo.

7.4. A prova será aplicada nos equipamentos e nas especificações que seguem, podendo haver alteração de equipamento, em caso de comprovada necessidade.

7.4.1. Para os cargos de OPERADOR DE MÁQUINAS VIÁRIAS e TRATORISTA: Motoniveladora e/ou Retroescavadeira e/ou Trator.

7.5. Na aplicação da prova, com utilização de equipamentos de elevado valor, pertencentes ou sob a responsabilidade do Município ou da entidade que realiza o certame, poderá ser procedida, a critério da Banca de aplicação, a imediata exclusão do candidato que demonstre não possuir a necessária capacidade no seu manejo, evitando o risco de danificá-los.

7.6. Haverá um tempo máximo para a realização de cada item/quesito da prova, que será fixado pela comissão de provas, considerando a dificuldade e demais aspectos necessários para o desempenho satisfatório dos testes, por parte dos candidatos.

7.7. O candidato, ao terminar a prova prática, deverá se retirar do local de aplicação da prova a fim de não prejudicar o andamento do processo avaliatório bem como não intervir psicologicamente na avaliação do próximo candidato.

7.8. Todos os candidatos deverão apresentar-se com trinta minutos de antecedência, em trajes apropriados para o teste, portando cédula de identidade e documento de inscrição e Carteira Nacional de Habilitação (para os cargos de Operador de Máquinas Viárias e Tratorista).

CAPÍTULO VIII - DOS RECURSOS

8.1. Será admitido recurso quanto:

a) Ao indeferimento/não processamento de inscrição;

b) À formulação das questões, respectivos quesitos e gabarito das mesmas;

c) Aos resultados parciais e finais do Concurso Público.

8.2. Todos os recursos, deverão ser interpostos até 2 (dois) dias úteis, a contar da divulgação por edital, de cada evento.

8.3. Os recursos que forem apresentados deverão obedecer rigorosamente os preceitos que seguem e serão dirigidos à Objetiva Concursos Ltda., empresa designada para realização do concurso.

8.4. Os mesmos deverão ser protocolados em local e prazo a serem marcados por Edital, na forma de requerimento, conforme modelo Anexo III deste Edital e deverão conter os seguintes elementos:

a) Nome do Candidato;

b) Concurso de referência - Órgão/Município;

c) Cargo ao qual concorre;

d) Circunstanciada exposição a respeito das questões, pontos ou títulos, para as quais, em face às normas do certame, contidas no Edital, da natureza do cargo a ser provido ou do critério adotado, deveria ser atribuído maior grau ou número de pontos;

e) Razões do pedido de revisão, bem como o total dos pontos pleiteados.

8.5. Não se conhecerão os recursos que não contenham os dados acima e os fundamentos do pedido, inclusive os pedidos de simples revisão da prova ou nota.

8.6. Serão desconsiderados os recursos interpostos fora do prazo, enviados por via postal, fax ou meio eletrônico (e-mail) ou em desacordo com este Edital.

8.7. Em caso de haver questões que possam vir a ser anuladas por decisão da Comissão Executora do Concurso, as mesmas serão consideradas como respondidas corretamente por todos os candidatos, independente de terem recorrido.

8.8. Se houver alguma alteração de gabarito oficial, por força de impugnações, as provas serão corrigidas de acordo com a alteração.

CAPÍTULO IX - DA APROVAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

9.1. A nota final, para efeito de classificação dos candidatos, será igual à soma das notas obtidas na prova escrita, prova de títulos e prova prática, conforme aplicada ao cargo.

9.2. A lista final de classificação do Concurso apresentará apenas os candidatos aprovados por cargo.

9.3. Os candidatos aprovados serão classificados na ordem decrescente dos pontos obtidos.

9.4. Na hipótese de igualdade no total de pontos entre os aprovados, o desempate de notas processar-se-á com os seguintes critérios:

9.4.1. O primeiro critério de desempate será o candidato com idade mais elevada, de acordo com as disposições da Lei 10741/2003 - Estatuto do Idoso, Art.1º, que assegura às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, combinado com o Art. 27 Parágrafo Único que estabelece o primeiro critério de desempate em concurso público será a idade, dando-se preferência ao de idade mais elevada.

9.4.2. Para os cargos da TABELA A e B:

a) obtiver maior nota na prova escrita;

b) obtiver maior nota em legislação e conhecimentos específicos;

c) sorteio.

9.4.3. Para os cargos daTABELA C:

a) obtiver maior nota na prova escrita;

b) obtiver maior nota em legislação e conhecimentos específicos;

c) obtiver maior nota em português;

d) sorteio.

9.4.4. Para os cargos daTABELA D e F:

a) obtiver maior nota em legislação e conhecimentos específicos;

b) obtiver maior nota em português;

c) sorteio.

9.4.5. Para os cargos daTABELA E:

a) obtiver maior nota na prova escrita;

b) obtiver maior nota em português;

c) sorteio.

9.4.6. Para os cargos daTABELA G:

a) obtiver maior nota na prova escrita;

b) obtiver maior nota em conhecimentos específicos;

c) obtiver maior nota em legislação, estrutura e funcionamento de ensino;

d) obtiver maior nota em português;

e) sorteio.

9.4.7. Para os cargos daTABELA H:

a) obtiver maior nota na prova escrita;

b) obtiver maior nota em conhecimentos específicos;

c) obtiver maior nota em didática;

d) obtiver maior nota em português;

e) sorteio.

9.5. O sorteio, se necessário, será realizado em ato público, a ser divulgado por edital.

9.6. O resultado do sorteio público dar-se-á através do edital de homologação final do Concurso.

CAPÍTULO X - DO PROVIMENTO DOS CARGOS

10.1. O provimento dos cargos obedecerá, rigorosamente, à ordem de classificação dos candidatos aprovados.

10.2. O candidato aprovado obriga-se a manter atualizado seu telefone e endereço junto ao órgão promotor do concurso.

10.3. A publicação da nomeação dos candidatos será feita por Edital, publicado junto ao Painel de Publicações do Órgão Promotor do Concurso Público e, paralelamente, será feita comunicação ao candidato, via postal, no endereço informado na ficha de inscrição ou posteriormente atualizado. É responsabilidade exclusiva de o candidato manter atualizado o referido endereço.

10.4. Os candidatos aprovados nomeados no serviço público municipal terão o prazo máximo de 15 (quinze) dias contados da publicação do Ato de nomeação para tomar posse e 15 (quinze) dias para entrar em exercício, contados da data da posse. Será tornado sem efeito o Ato de nomeação se não ocorrer a posse e/ou exercício nos prazos legais, sendo que o candidato perderá automaticamente a vaga, facultando ao Município o direito de convocar o próximo candidato por ordem de classificação.

10.5. Caso o candidato não deseje assumir de imediato, poderá, mediante requerimento próprio, solicitar para passar para o final da lista dos aprovados e, para concorrer, observada sempre a ordem de classificação e a validade do Concurso, a novo chamamento uma só vez.

10.6. O Concurso terá validade por 2 (dois) anos a partir da data de homologação dos resultados, prorrogável por mais 2 (dois) anos, a critério do Órgão promotor do Concurso.

10.7. Ficam advertidos os candidatos de que, no caso de nomeação, a posse no cargo só lhes será deferida no caso de exibirem:

a) A documentação comprobatória das condições previstas no Capítulo II - item 2.3, deste Edital acompanhada de fotocópia.

b) Atestado de boa saúde física e mental a ser fornecido, por Médico ou Junta Médica do Município ou ainda, por esta designada, mediante exame médico, que comprove aptidão necessária para o exercício do cargo, bem como a compatibilidade para os casos de deficiência física.

c) Declaração negativa de acumulação de cargo, emprego ou função pública, conforme disciplina a Constituição Federal/1988, em seu Artigo 37, XVI e suas Emendas.

10.8. A não apresentação dos documentos acima, por ocasião da posse, implicará na impossibilidade de aproveitamento do candidato aprovado, anulando-se todos os atos e efeitos decorrentes da inscrição no Concurso.

10.9. Os candidatos com deficiência, se aprovados e classificados, serão submetidos a uma Junta Médica Oficial para a verificação da deficiência, bem como da compatibilidade de sua deficiência com o exercício das atribuições do cargo, quando da efetiva nomeação.

CAPÍTULO XI - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

11.1. Os candidatos, desde já ficam cientes das disposições constitucionais, especialmente Art. 40, § 1º - III, que determina a obrigatoriedade de cumprimento do tempo mínimo de 10 anos de efetivo exercício no serviço público e 5 anos no cargo efetivo, para fins de aposentadoria, observadas as demais disposições elencadas naquele dispositivo.

11.2. A inexatidão das informações, falta e/ou irregularidades de documentos, ainda que verificadas posteriormente, eliminarão o candidato do Concurso, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrição.

11.3. Os casos omissos serão resolvidos pelo Órgão promotor, em conjunto com a empresa responsável pela realização do Concurso público.

11.4. Faz parte do presente Edital:

Anexo I - Descritivo das Atribuições dos Cargos;

Anexo II - Conteúdos Programáticos e/ou Referências Bibliográficas;

Anexo III - Modelo de Formulário de Recurso;

Anexo IV - Modelo de Relação de Títulos;

Anexo V - Modelo de Requerimento - Pessoas com Deficiência;

Anexo VI - Modelo de Requerimento - Doador de Sangue.

Prefeitura Municipal de Bagé, 19 de fevereiro de 2008.

LUIZ FERNANDO MAINARDI
Prefeito Municipal

Registre-se e publique-se

JULIO CESAR BÔER FILHO
Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos

ANEXO I

DESCRITIVO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

ARQUIVISTA

Planejar e organizar serviços de arquivo, efetuar planejamento, bem como orientar e acompanhar o desenvolvimento do processo documental e informativo afeto ao arquivo; planejar, orientar e dirigir as atividades de identificação das espécies documentais participar no planejamento de novos documentos e controles de multicópias; efetuar o planejamento e organização do centro de documentação; fazer o planjemaneto e a organização dos serviços de microfilmagem/digitalização; orientar e dirigir os serviços de microfilmagem/digitalização da documentação arquivada; efetuar a orientação do planejamento da automação de atividade específicas, dentro das normas técnicas aplicados aos arquivos; orientar a classificação, arranjo e descrição de documentos a serem arquivados; orientar a avaliação e seleção de documentos para fins de preservação; promover medidas necessárias à conservação de documentos arquivados; propiciar a consulta dos arquivos aos interesssados; desenvolver estudos do ponto de vista cultural em documentos para verificar a importância de arquivamento; prestar assessoramento à autoridades em assuntos de sua especialidade; orientar, coordenar e suspervisionar trabalhos a serem desenvolvidas por equipes auxiliares, emitir pareceres em matérias de sua especialidade, executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento da profissão.

ASSISTENTE CULTURAL

Organizar grupos de trabalho em bairros da cidade, conhecer técnicas de reciclagem de materiais diversos como plástico, madeira, tecidos, etc.., conhecer técnicas de pintura em diversos materiais, conhecer técnicas artesanais para trabalho com massa corrida, decolagem, recorte e colagem, trama de fios, bordados e tapeçarias, conhecerem técnicas de confecção de bijuterias com materiais novos e recicláveis, conhecer técnicas de reaproveitamento de roupas pela customização, ser capaz de decorar objetos e ambientes com diversos materiais, auxiliar em eventos através da ambientação, recepção, organização de materiais tais como pastas, crachás, etc., auxiliarem no desempenho das atividades inerentes da Secretaria de Cultura, tais como shows, festivais, eventos poéticos, etc., promover oficinas de artesanato para diversos grupos por faixa etária, promover oficinas artesanais, trabalhar com couro e materiais similares como filtro de café e napa, trabalharem com carnavalescos em programas de artesanato voltado especificamente para o carnaval, promover oficinas especificas para datas comemorativas como dia das mães, dia dos pais, semana farroupilha, natal, etc., auxiliar no que for necessário às atividades inerentes à Secretaria de Cultura.

ATENDENTES DE BERÇÁRIO

Proceder a educação sanitária formal e informal da criança; prestar os primeiros socorros à criança quando necessário; manter contato direto com a mãe ou responsável, quando da entrega da criança; manter a organização e higiene do ambiente e material usado pela criança; manter o professor informado sobre a vivência diária da criança e problemas detectados; observar e seguir as normas de rotina estabelecidas; executar tarefas que a legislação especificar.

AUXILIAR DE ESCRITURAÇÃO ESCOLAR

Redigir informações simples, ofícios,. Cartas e memorandos. Executar trabalhos de informática. Realizar trabalhos de digitação em geral. Fazer registros relativos a escrituração escolar, elaborar e/ou conferir atas, finais, movimento escolar, expansão da matrícula, planilhas, indíces de rendimento e frequência. Arquivar e protocolar documentos. Fazer anotações em fichas, manusear fichários. Prencher históricos escolares manter a guarda de documentação das escolas enviadas à Secretaria. Zelar pelo recolhimento e exepdição de documentos. Elaborar relatórios e executar outras tarefas que lhe forem atribuídas por seu superior imediato.

AUXILIAR DE LABORATÓRIO

Marcar exames; manter em ordem arquivo e fichário; coleta de sangue e secreções; preparação de corantes; execução de técnicas de coloração e afins; recepção e entrega de exames; transcrição de resultados; confecção de relatórios; orientar individualmente o cliente, em relação a preparação para a coleta de materiais para exames; preparar o instrumental; limpar, preparar, esterilizar, distribuir ou guardar materiais; desenvolver atividades de apoio nos laboratórios; noções de informática, executar outras tarefas que a legislação especificar.

CALCETEIRO

Fazer e preparar o calçamento com paralelepipedos e outros materiais; fazer trabalhos necessários para o assentamento de paralelepipedos ou alvenaria poliédrica, assentar paralelepípedos, assentar pedras irregulares, lajes, mosaicos e pedras portuguesas, fazer rejuntamento de paralelepípedos com o asfalto, abrir, repor , consertar calçamento de meio fio, orientar e supervisionar serviçõs de auxiliares, controlar o uso de areia, executar outras tarefas afins.

ECONOMISTA

Colaborar para a elaboração de diretrizes macroeconomicas com vistas ao planejamento estratégico do órgão, participar da elaboração, implementação e monitoramento de estudos, pesquisas e avaliações de programas de desenvolvimento implementados na área de atuação da Prefeitura, participar da identificação e investigação de problemas relativos à economia de apoio ao desenvolvimento cientifico e tecnológico, elaborar e executar projetos de pesquisa econômicas, de mercado e de viabilidade econômica, avaliar política de impacto coletivo, gerir programações econômico-financeira, examinar as finanças e emitir pareceres, praticar outras atividades afins.

EDUCADOR ESPECIAL

Atuar na Secretaria Municipal de Educação auxiliando no planejamento educacional e asessoramento pedagógfico as escolas da Rede Municipal de Ensino. Integrar equipe multidisciplinar da Secretaria Muncipal de Educação estabelecendo conjuntamente políticas e diretrizes pára o atendimento de pessoas que apresentem necessidades educionais especiais. Elaborar juntamente com a equipe multidisciplinar diagnóstico clínico de alunos da rede municipal de ensino encaminhando-os para atendimento em salas de recurso ou profissionais da educação. Deve ter competência para identificar as necesidades educacionais especiais dos alunos, valorizando e promovendo a educação inclusiva. Nesse sentido, deve ter também condições de flexibilizar a ação pedagógica nas diferentes áreas de conhecimento, implementando adptações curiculares, procedimento didático-pedagógicos e práticas alternativa, adequadas ao atendimento das necessidades educacionais especiais;acompnhando e avaliando continuamente a eficácia do processo educativo. Assessorar o professor da classe regular e da sala de recurso nas práticas para promover a inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais. Elaborar relatórios e executar outras tarefas que lhe forem atribuidas por seu superior imediato.

ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Atuar na Secretaria Municipal de Educação auxiliando no planejamento educacional e assessoramento pedagógico as escolas da Rede Municipal de Ensino. Planejar, propor e acompanhar o desenvolvimento de ações educacionais na modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Promover formações e capacitação continuadas para professores e equipes diretivas das escolas da Rede Municipal de Ensino. Participar de seminários. Congressos, encontros, conferências que proporcionem atualização nas políticas nacionais da Educação de Jovens e Adultos. Promover encontros, exposições, trocas de experiências entre os profissionais da área. Elaborar relatórios e executar outras tarefas que lhe forem atribuidas por seu superior imediato.

ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

Atuar na Secretaia Municipal de Educação, auxiliando no planejamento educacional e assesssoramento as escolas da Rede Municipal de Ensino. Planejar, propror e acompanhar o desenvolvimento de ações educacionais nas escolas da zona rural. Promover formações e capacitação continuadas para professores e equipes diretivas das escolas da Rede Municipal de Ensino. Participar de seminários, congressos, encontros, conferências que proporcionem atualização nas políticas nacionais da Educação no Campo. Promover encontros, exposições, trocas de experiencias entre os profissionais da área. Elaborar relatórios e executar outras tarefas que lhe forem atribuídas por seu superior imediato.

ESPECIALISTA EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL

Atuar na Secretaria Municipal de Educação auxiliando no planejamento e assessoramento aos orientadores educacionais das escolas da Rede Municipal de Ensino.Planejar, propor e acompanhar o desenvolvimento de ações educacionais. Promover formações e capacitação continuadas para professores e orientadores educacionais das escolas da Rede Municipal de Ensino. Participar de seminários, congresos, encontros, conferências que proporcionem atualização nas políticas nacionais da Educação. Analisar a atuação docente e orientar práticas pedagógicas. Promover encontros, exposições, trocas de experiencias entre os profissionais da área. Elaboar relatórios e executar outras tarefas que lhe forem atribuidas por seu superior imediato.;

ESPECIALISTA EM SUPERVISÃO ESCOLAR

Atuar na Secretaria Municipal de Educação auxiliando no planejamento educacional e assessoramento pedagógico nas escolas da Rede Municipal de Ensino, planejar, propor e acompanhar o desenvolvimento de ações educacionais nas escolas da Rede Municipal de Ensino. Promover formaçõess e capacitação continuadas para professores e equipes diretivas das escolas da Rede Municipal de Ensino. Participar de seminários, congressos, encontros, conferêrencias que proporcionem atualização nas políticas nacionais da Educação. Analisar a atuação docente e orientar práticas pedagógicas. Promover encontros, exposições, trocar experiências entre os profisiosnais da área. Elaboar relatórios e executar outras tarefas que lhe forem atribuídas por seu superior imediato.

FARMACÊUTICO

Atividades de nível superior, de grande complexidade, envolvendo a execução de análises e pesquisas de laboratório; exercer a responsabilidade técnica pela farmácia interna, receber avaliar e despachar processos sobre piscinas, bem como fiscalizar o funcionamento das mesmas; orientar o controle químico bacteriológico de água em poços, reservatórios, bebedouros e outros próprios do Município; dar apoio técnico sempre que necessário aos servidos de saúde do Município, executar outras tarefas que o cargo exigir e a legislação determinar.

INTÉRPRETE DE LIBRAS

Além do trabalho de realizar a comunicação entre surdos e outras pessoas, por meio da Libras para a língua oral e vice-versa, o profissional também tem como atribuição prevista na proposta a de interpretar, em Língua Brasileira de Sinais/ Língua Portuguesa, as atividades didático-pedagógicas e culturais, viabilizando o acesso aos conteúdos curriculares, desenvolvidoas nas instituições de ensino que oferecem educação fundamental, de ensino médio e ensino superior.

MECÂNICO

Manter e reparar máquinas de diferentes espécies; manufaturar ou consertar acessórios para máquinas; ocasionalmente fazer soldas elétricas ou a oxigênio; converter ou adaptar peças; fazer a conservação de instalações eletromecânicas; inspecionar, reparar ou rever automóveis, caminhões, tratores, compressores. guindastes. bombas, etc., inspecionar, ajustar, reparar, reconstruir e substituir quando necessário; unidades e partes relacionadas com tais motores, válvulas, pistões, mancais, sistema de lubrificação, de refrigeração, de transmissão diferenciais, executar trabalhos em todos equipamentos automotores e executar outras tarefas especificadas em lei.

MÉDICO DERMATOLOGISTA

Genodermatoses. Dermatosesvesiculosas e bolhosas não infecciosas. Dermatoses critematosas, papulosas e escamosas nã infecciosas. Doenças vasculares. Doenças sistêmicas com manifestações cutâneas. Doenças inflamatórias dos epidérmicos e da cartilagem. Doenças inflamatórias devido a agentes físicos e substâncias estranhas. Granulomas não infecciosos. Doenças inflamatórias do tecido celular subcutâne. Erupções devido a drogas. Dermatoses degenerativas. Dermatoses bacteriana. Treponematoses. Micoses superficiais e profundas. Dermatoses causadas por protozoários. Dermatoviroses. Lipidoses e histiocitoses. Derrmatoses metabólicas. Distúrbios pigmentares. Doenças do tecido conjuntivo. Tumores e cistos da epiderme. Tumores dos apêndices epidérmicos. Carcinomas metastáticos. Tumores vasculares. Tumores do tecido fibroso, adiposo, muscular e ósseo. Tumores do tecido neural. Tumores melanocíticos benignos e melanoma maligno. Linfoma e leucemia. Cirurgia dermatológica sanitária/preventiva, executar outras tarefas que a legislação determinar.

MÉDICO ECOGRAFISTA

Deve ter conhecimentos em anatomia topográfica, anatomia seccional,entender os planos longitudinal, transversal, coronal, axial, princípios físicos, indicações, limitações, executar e interpretar os exames em partes do corpo e órgãos de forma genérica com segurança, além de patologia clínica, fisiopatologia e evolução natural das doenças. Conhecimento profundo da física, da anatomia abdominal, en Obstretícia, Ginecologia e outras partes. Conhecimento profundo da física da imagem ecográfica, artefatos biológicos e teoria do Dopller. Total domínio dos recuros e setup dos equipamentos. Tecnicas avançadas de exames ecográficos. Detalhes da anatomia seccional. Ultra-som intervencionista(punções e biópsias), realizar outras tarefas que a legislação determinar.

MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA

Ter cuidados gerais com o paciente em medicina interna, doenças cardiovasculares ; hipertensão arterial, cardiopatia isquêmica, insuficiência cardíaca,

miocardiopatias e valvolupatias, aritimias caridíacas, doenças pulmonares, asma bronquica e doença pulmonar, obstrutiva crônica, embolia pulmonar, pneumonias e abcessos pulmonares intersticial, hipertensão pulmonar. Doenças gastrointestinais hepáticas, úlcera peptica, doenças intestinais inflamatórias e parasitárias, diarréia, colelitias e colecistite, pancreatite, hepatites virais e patopatias tóxicas, insuficência hepática crônica. Doenças renais, insuficiência renal aguda e crônica, glomerulonefrites, sindrome nefrótica, litíase renal. Doenças endócrinas, diabetes mellitus, hipotireoidismo e hipertireoidismo, tireoidite henodus tiroidianos, distúrbios da glândulas supra renais, distúrbios das glândulas paratieóides. Outras que a legislação determinar.

MÉDICO GERIATRA

Prestar socorros urgentes, efetuar exames médicos, fazer diagnósticos, prescrever e ministrar tratamento para diversas doenças, pertubações e lesões do organismo humano e aplicar os smétodos da medicina preventiva, proividenciar e realizar tratamento especializado, ministrar aulas e participar de reuniões médiucas, curssos e palestras sobre smedicina preventiva nas entidades asistenciais e comunitárias, visar mapa de produção preencher fichas médicas em postos ambulatoriais, hospitais ou outros estabelecimentos públicos municipais, examinar servidores para fins de slicença, readpat\ação, aposentadoria e reversão, examinar candidatos a auxilíos, emitir laudos, fazer diagnósticos e recomendar terapêutica, prescrever exames laboratoriais , incentivar a vacinação e indicar medida de higiene pessoal e de habitação, responsabilizar-se por equipes auxiliares necessárias a execução das atividades próprias do cargo, executar tarefas afins inclusive as editadas no respectivo regulamento da profissão.

MÉDICO GINECOLOGISTA/ OBSTETRA

Atender a pacientes que procuram a unidade sanitária, procedendo a exame geral e obstétrico, solicitar exames de laboratório e outros que o caso requeira, controlar a pressão arterial e o peso da gestante, dar orientação médica a gestante e encaminhá-la a maternidade, preencher fichas médicas das clientes, auxiliar quando necessário, a maternidade e ao bem-estar fetais, atender ao parto e puerpério, dar orientação à nutrição e higiene da gestante, prestar o devido atendimento às pacientes encaminhadas por outro especialista; prescrever tratamento adequado, participar de programas voltados para a saúde pública; exercer censura sobre produtos médicos, de acordo com sua especialidade; participar de juntas médicas, solicitar o concurso de outros médicos especializados em caso que requeiram esta providência, executar outras tarefas semelhantes, que a legislação específica.

MÉDICO NEUROLOGISTA INFANTIL

Atuar na Secretaria Municipal de Educação auxiliando no planejamento educacional e assessoramento pedagógico nas escolas da Rede Municipal de Ensino. Integrar a equipe multidisciplinar da Secretaris Municipal de Educação estabelcendo conjuntamente políticas se diretrizes para o atendimento de pessoas que apresentem necessidades educacionais especiais. Realizar exames clínicos e subsidiários para estabelcer plano terapêutico. Elaborar juntamente com a equipe multidisciplinar diagnóstico clínico de alunos da rede municipal de ensino encaminhando-os pára atendimento em salas de recursos ou profisionais de saúde se necessário for. Promover programas de capacitação e formação para os profissionais da educação. Deve ter competencia para identificar as necessidades educacionais especiais dos alunos, valorizando e promovendo a educação inclusiva. Assessorar o professor da classe regular e das salas de recurso nas práticas para promover a inclsusão dos alunos com necessidades educacionais espciais. Elaborar relatorios e executar outras tarefas que lhe forem atribuidas por seu superior imediato.

MÉDICO PATOLOGISTA

Conhecimento em cito patologia, histopatologia e diagnostico trans-operatório. Realizar análises histopatológico para auxílio diagnóstico; implementar ações para promoção de saúde; Coordenar programas e serviços em saúde, perícias, auditorias e sindicâncias médicas e elaborar documentos e difundir conhecimento da área médica.

MÉDICO PEDIATRA

Clinica geral, cuidados gerais com o paciente e medicina interna, doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, cardiopatia isquêmica insuficiência cardíaca, miocardio patias e valvulopatias, arritimias cardiacas, doenças pulmonaraes, crescimento e desenvolvimento, problema do desenvolvimento e crescimento do recém nascido à puberdade (adolescência), imnunizações (vacinação), alimentação da criança, disturbios nutricionais, desidratação aguda por diarréia e vômitos, desnsutrição proteico calórico, problemas neurologicos, miningites, meningoencefalites, tumores infra crânianos, tétano, convulsões, problemas oftalmologicos, conjuntivites, alterações oculares nas hipovitaminozes, problemas do ouvido, nariz, boca e garganta, otites infecções das vias ´ aéreas superiores, rinites, sinuzites, adenoidites, disturbios respiratórios, bronquites, bronquiolites, asma, tuberculose pulmonar, pneumonias, fibroses sísticas, disturbios cardiológiocs, cardiopatias congênitas cianóticas e ascianóticas, indocarditete infecciosa, miocardite, doenças de chagas, problemas no aparelho digestivo, vômitos e diarréias, diarréia crônica doenças ciliacas, alergia alimentar, parasitose intestinal, patologias cirurgicas, hepatites, problemas urinárias, infecções no trato urinário, himaturia, glomerolonefrite difusa aguda e alergia e glomerulopatias, síndrome nefrótica, refluxo vésico-uretral, vávulas da urétra posterior, problemas hematológicos, anemias carenciais, anemias aplásticas, anemia falciforme, anemias hemolíticas, leucemias, púrpuras (trombocitopênica e anafiloctóide), hemofilia, hepatoesplenomegalia e adenomegalia, mononucleose, adenite cervical, toxoplasmose, calazar, blastomicose, a febre e as infecções na infância, a criança febril, febre tifóide, salmonelose, malária, brucelose, interpretação e conduta na criança com reação de mantoux positivo, sídrome de deficiência imunológica na infância, tumores na infância, tumor de Wilms, neuroblastoma, doença de hodgkin, linfomas, rabdomiossarcoma,antibióticos e quimioterápicos, problemas endocrinológicos, diabetes mellitus tipo 1, hipotiroidismo congênito e outras doenças que a legislação determinar.

MÉDICO PSIQUIATRA

Realizar atendimento individual e grupal, visitas domicilaires, atividades comunitárias, sessões clinicas; implementar ações para promoção da saúde; efetuar perícias, auditoria e sindicâncias médicas;; elaborar documentos e difundir conhecimentos da área médica. Participar das atividades de ensino, pesquisa e extensão, supervisionar estagiáios de acordo com as necessidades institucionais. Desenpenhar as atividades de assistência, promoção e recuperação da saúde se habilitação social de modo interdiciplinar. Desempenhar atividades relativas a supervisão, planejamento, coordenação, cosordenação, programação ou execução especializada, em grau de maior complexidade, de trabalhos de defesa e proteção da saúde individual e coletiva. Prestar assistencia em saúde mental ambulatorial e/ou hospitalar; prestar assessoria e emitir parecer sobre assuntos, temas e/ou documentos técnico-científicos relacionados a aspectos médicos; participar do planejamento, execução e avaliação de planos, projetos e ações conjuntamente com os demais componentes da Secretarias Municipal de Saúde.

MÉDICO RADIOLOGISTA

Interpretar todos os exames radiológicos realizados no Município, ser o responsável pelo ordenamento correto do serviço radiológico no âmbito municipal.

MÉDICO TRAUMATOLOGISTA

Afecções ortopédicas comuns na infância. Epifisiólise proximal do fêmur. Poliomielite - fase aguda e crônica. Tuberculose ósteo-articular. Paralisia obstétrica. Osteomielite aguda e crônica. Pioartrite. Ortopedia em geral: servicobraquialgias-artrite degenarativas da coluna cervical, síndrome do escaleno anterior e costela servical. Ombro doloroso. Lombociatalgias-artrite degenerativa da coluna lombo-sacra; Hérnia de disco; Espondilose-espondilolistese. Tumores óssses benignos e malignos. Tarumatologia-fraturas e luxações da coluna cervical, dorsal e lombar; fratura da pélvis; fratura do acetábulo, fratura e luxação dos ossos dos pés; fratura e luxação tornozelo; fratura e diafisária dos ossos dos pés; fratura e luxação do joelho; lesões meliscais e ligaamentares; fratura diafisária do fêmur, fratura transtrocamteriana; fratura do colo de fêmur; Fratura do ombro; Fratura da clavícula e extremidade superior e diáfise do úmero; fratura da extremidade distal do úmero; luxação do cotovelo e fratura da cabeça do rádio; fratura e luxação da monteggia; fratura diafisária dos ossos do antebraço; Fratura de colles e Smith; luxação do carpo- fratura do escafóide capal. Traumatologia da mão- Fratura metacarpina e falangiana; ferimento da mão; Lesões dos tendões flexores e extensores dos dedos. Anatomia e radiologia em Ortopedia e Traumatologia - Anatomia do sistema osteo-articular; Radiologia, Tomografia, Ressonância Nuclear Magnética e Ultra-sonografia do sistema osteo-articular; anatomia do sistema muscular, anatomia dos vasos e nervos; anatomia cirúrgica; vias de acessos e cirurgia ortopédica traumatológica e Anomalias Congênitas, outras tarefas que a legislação determinar.

MÉDICO VASCULAR

Elaborar exames clínicos do paciente vascular, embriologia e hstologia do sistema vascular, acessos em cirurgia e pós operatório do paciente vascular, atendimento de trauma vascular,varizes, arterites e arteropatias funcionais, úlceras vascular para emodiálise, trombose venosa superficial e profunda, isquemia mesetérica, amputações, enxertos, próteses vasculares, fasciotomias, obstrução arterial aguda, anatomia médico cirurgica do sistema vascular, atendimento de síndrome isquêmica crônica e síndrome pós-trombótica, metódos invasivos e não invasivos no diagnóstico das doenças vasculares, pé diabético, e outras tarefas que a legislação determinar.

ODONTÓLOGO ESPECIALISTA EM CIRURIGIA BUCO MAXILO FACIAL

Diagnosticar e efetivar tratamentos cirurgicos e coadjuvantes das doenças, traumatismos, lesões e anomalias congênitas ou adquiridas do aparelho mastigatório e anexos e estruturas crânio faciais associadas, incluindo anesteologia, biópsia de lesões, tratamentos e infecções, erupção cirurgica, reimplantação e transplantges de dentes, cirurgia pré-protética, tratamento cirurgico de cistos de doenças das glândulas salivares, e das afecções radiculares e perirradiculares e remoção cirúrgica de corpos estranhos, frenectomia labial e lingual e outras atividades correlatas.

ODONTOLOGO ESPECILISTA EM ENDODONTIA

Usar materiais restauradores, amálgaba, resinas composta, cimento de ionômero de vidro, instrumentais, materiais protetores, , métodos preventivos, oclusão, ajuste oclusal, movimentos oclusivos. Posições: relações cêntrica, máxima intercuspidação habitual, dimensão vertical, relação de eclusão cêntrica, disfunção miofacial, reaustaurações preventivas, selantee ionômetro de vidro. Resinas compostas, facetas estéticas,, prótese adesiva, direta ou indireta, clareamento dental, inter-relação dentistica-perodontia, restaurações em dentes posteriores com resinas compostas, restaurações em amalgama, flúor, mecanismo de ação do flúor, farmacocinética do flúor, toxicologia, princípios básicos do tratamento endodôntico, cirurgia de acesso, odontometria, esvaziamento do canal radicular, pulpectomia, pulpectomia, soluções irrigadoras, propriedades, importância, técnica, substâncias mais utilizadas, substâncias químicas auxiliares,materiais seladores e obturadores, complexo dentina-polpa, diagnóstico da pulpopatias, diagnósticos das periapicopatias, preparo químico-cirurgico, técnicas de instrumentação, limite apical, emergencias em endodontia, obturação dos canais radiculares, técnicas, limite da obturação, farmacologia aplicada, controle clínico e radiográfico, reparação, cirurgia parendodontica, traumatismo dentário, anatomia da cavidade pulpar e periapice, falhas incidentes no tratamento endodôntico, diagnóstico de doenças periodontais, executar outras tarefas que a legislação determinar.

ODONTOLOGO ESPECIALISTA EM ODONTO PEDIATRIA

Examinar o paciente utilizando os instrumentos adequados; analisar e interpretar resultados de exames radiológicos quando necessário; manter registros sobre os pacientes; atender urgências em crianças até doze anos; prestar pronto atendimento a pacientes externos; sempre que necessário ou designado pela chefia imediata; orientar a equipe multiprofissional nos cuidados relativos à sua área de competência; zelar pela manutenção e ordem dos materiais, equipamentos e local de trabalho; comunicar seu superior imediato qualquer irregularidade; participar de projetos do treinamento e programas educativos; cumprir e fazer cumprir as normas do empregador; propor normas e rotinas relativas à sua área de competência; manter atualizados os registros das ações de sua competência; fazer pedidos de material e equipamentos necessários à sua área e permanentes instaladas pelo empregador; executar outras tarefas correlatas a sua área de competência e especificadas na legislação.

ODONTOLOGO PROTESISTA

Auxiliar na prescrição da prótese e da órtese, efetivar a avaliação inicial do paciente e interpretação da prescrição, realizar tomadas de dmedidas e moldes da prótese ou órtese, confeccionar e adaptar as próteses e órteses aos pacientes, e instruir quanto seu uso correto , bem como, todos os cuidados de higiene e manutenção, acompanhar o registro de todos os dados sobre a evolução do paciente, e executar outras tarefas corelatas.

OFICIAL ADMINISTRATIVO

Organizar e controlar os serviços do CPD; operar equipamentos de CPD, executando os trabalhos conforme as prioridades estabelecidas para operação; manter e organizar arquivos e discos diferentes ao processamento de dados; testar e avaliar programas e computador; exercer atividades de auxilio direto a superiores (Secretários); conhecimento em informática, executar outras tarefas correlatas que lhe forem atribuídas conforme lei.

OFICIAL FAZENDÁRIO

Organizar e controlar os serviços do CPD; operar equipamentos de CPD. executando os trabalhos conforme as prioridades estabelecidas para operação; manter e organizar arquivos e discos diferentes ao processamento de dados; testar e avaliar programas e computador; exercer atividades de auxilio direto a superiores (Secretários); conhecimento em informática, executar outras tarefas correlatas que lhe forem atribuídas conforme determinar a lei.

OPERADOR DE ENCÉFALOGRAMA

Orientar e realizar exames em pacientes, mediante solicitação e supervisão médica, bem como apurar e organizar os resultados obtidos para agilizar e facilitar o diagnóstico médico, executar outras tarefas que a legislação determinar.

OPERADOR DE MÁQUINAS VIÁRIAS

Guiar tratores, patrolas, motoniveladoras e outros tipos de máquinas rodoviárias; realizar com zelo e perícia o trabalho próprio da máquina que lhe for confiada; fazer limpeza de conservação das máquinas; efetuar ligeiros reparos quando necessários; promover o abastecimento de combustível, água e lubrificantes na máquina sob sua responsabilidade; comunicar ao seu superior imediato qualquer anomalia verificada no funcionamento da máquina; executar outras tarefas correlatas.

PEDAGOGO

Atuar na Secretaria Municipal de Educação auxiliando no planejamento educacional e assessoramento pedgógico as escolas da Rede Municipal de Ensino. Planejar, propor e acompanhar o desenvolvimento de ações educacionais. Promover formações e capacitações continuadas para professores e equipes diretivas das escolas da Rede Municipal de Ensino. Participar de seminários, congressos, encontros, conferências que proporcionem atualização nas políticas nacionais da Educação. Analisar a atuação docente e orientar práticas pedagógicas. Promover encontros, exposições, trocar experiências entre os profissionais da área. Elaborar relatórios e executar outras tarefas que lhe forem atribuidas por seu superior imediato.

PROFESSOR EM MÚSICA E DANÇA

Planejar, executar e realizar atividades educativas relativas às exposições de curta média e longa duração, organizarem laboratórios, material educativo e banco de textos do órgão, planejar e coordenar cursos, oficinas, palestras e outras atividades de difusão cultural do órgão; difusão do museu da imagem e do som e seus acervos, visitando instituições educativas e sociais; orientando no processo de capacitação dos monitores e estagiários, orientação e pesquisa escolar próprias, organizar e monitorar exposições, pesquisar informações artístico/culturais, preparar e aplicar aulas práticas e ou teóricas aplicada à dança, arte infantil, arte juvenil, artes plásticas, ballet clássico, dança, dança contemporânea, a pintura,história da arte, história da dança, interpretar artes cênicas executar outras atividades correlatas à sua área de atuação de acordo com a sua formação profissional.

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS

Orientar a aprendizagem do aluno; participar no processo do planejamento das atividades da escola; organizar as operações inerentes ao processo de ensino e aprendizagem; contribuir com o aprimoramento de qualidade do ensino; planejar e executar o trabalho docente em consonância com o plano curricular da escola atendendo ao avanço da tecnologia educacional; levantar dados relativos à realidade de sua classe; definir, operacionalmente os objetivos do plano curricular, formas de execução e situações de experiências,; estabelecer mecanismos de avaliação; constatar necessidade e carência do aluno e propor o seu encaminhamento a setores específicos do atendimento; cooperar com a coordenação pedagógica e orientação educacional; organizar registros de observações de alunos; participar de reuniões, conselho de classe; atividades civis e extra-classe; coordenar área de estudo; integrar órgãos complementares da escola, atender a solicitação da escola referentes a sua ação docente desenvolvida no âmbito escolar; executar outras tarefas definidas na legislação.

PSICOPEDAGOGO CLÍNICO

Realizar o diagnóstico e terapia clínicos; fazer psicoterapia breve, ludoterapia individual e grupal, com acompanhamento clínico; fazer exames de seleção de crianças, para fins de ingresso em instituições assistenciais, bem como para complementação com bolsas de estudos, prestar atendimento breve a pacientes em crise e a seus familiares, bem como a alcoolistas e toxicômanos, atender as crianças excepcionais, com problemas de deficiência mental e sensorial, ou portadoras de desajustes familiares ou escolares, encaminhando-as para orientar as explorações psicológicas, médicas e educacionais; realizar pesquisas psicopedagógicas; confeccionar e selecionar o material psicopedagógico e psicológico necessário ao estudo dos casos: realizar perícias e elaborar pareceres; prestar idade escolar, em grupos de adolescentes, em instituições comunitárias do município; manter atualizado o prontuário de cada caso estudado; responsabilizar-se por equipes auxiliares necessárias à execução das atividades próprias do cargo; executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento da profissão conforme lei.

RECEPCIONISTAS

Recepcionar partes e autoridades; acompanhar as partes e autoridades, quando necessário, aos setores competentes: realizar a triagem e o encaminhamento das partes de acordo com o assunto apresentado; fazer registros relativos ao atendimento de pessoas: prestar informações sobre a repartição, dentro de seu âmbito de ação; secretariar reuniões quando solicitado; datilografar e arquivar ofícios, minutas, etc...; atender e realizar telefonemas; transmitir recado, convites, etc.; providenciar na preparação do material necessário às reuniões; estabelecer a conexão dentre os diversos setores da repartição e executar outras tarefas correlatas e outras que a lei especificar.

SOLDADOR

Executar diferentes tipos de solda em chapas, peças de máquinas, lâminas e escarificador, peças de veículos, chassis, carcaças de motores, radiadores, rodas e motrizes, esteiras, pinos, molas, etc.; manejar maçaricos e outros instrumentos de soldagem, preparar as superfícies a serem soldadas, cortar metais por meio de chama de aparelho de solda. executar serviços de solda com ferro fundido e outros metais, encher, por meio de solda elétrica, pontas de eixo, pinos, engrenagens, mancais, etc.; responsabilizar-se pelo material utilizado, executar tarefas afins que a lei determinar.

TÉCNICO AGRÍCOLA

Organizar e executar tarefas ligadas à produção agrícola; Prestar assistência sobre o uso e manutenção de máquinas, implementos, instrumentos e equipamentos agrícolas; Orientar quanto à seleção de sementes, plantio, adubação, cultura, colheita e beneficiamento das espécies vegetais: Fazer a coleta e análise de amostras de terra; Estudar os parasitas, doenças e outras pragas que afetam a produção; Orientar e coordenar os trabalhos de defesa contra as intempéries e outros fenômenos que possam assolar a agricultura, preparar ou orientar a preparação de pastagens ou forragens; Dar orientação de caráter técnico aos pecuaristas, orientando as tarefas de criação e reprodução de gado; Orientar e fiscalizar a produção de mudas, pomares, hortas e bosques: Auxiliar na vacinação, inseminação de defesa sanitária animal, Orientar a construção de instalações para animais de pequeno porte; Calcular orçamentos agropecuários. Auxiliar técnicos na execução de projetos agropecuários, responsabilizar-se por equipes auxiliares necessárias a execução das atividades próprias do cargo, executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento da profissão de conformidade com a lei.

TÉCNICO EM EDIFICAÇÃO

Elaborar para edificações de até 80,00 m2 de ´parea construída, como unidades isoladas, os projetos arquitetônicos e hidro-sanitário e respopnsabilizar-se tecnicamente pela execução dos mesmos, desde que tais edificações não ilpliquem em estruturas de concreto ou metálica, e exercer a atividade de desenhista técnico de sua especialidade. Quando a responsabilidade técnica do referido profissional for restrita aos projetos de arquitetura e hidro-sanitário, a edificação poderá constituir-se em estrutura de concreto armado ou metálica, devem possuir registro e/ou visto nos Conselhos Regionais onde atuam, e registrar ART`s dos serviços executados; poderão responsabilizar-se tecnicamente por serviços de conservação e manutenção prediais, concernentes à área de engenharia civil, excluindo-se todo e qualquer tipo de estrutura; não poderã responsabilizar-se tecnicamente por fabricação de lajes pré-moldadas, devendo apresentar, quando for o caso, ART específica de fornecimento de laje procedida por profissional habilitado a tal, ficxam também excluídas de suas atribuições todas e quaisquer estruturas e instalkações especiais, tais como as que exigem cálculo estrutural, inclusive trabalhos de recuperação estrutural, executar outros trabalhos especificados pelo CREA.

TÉCNICOS EM MÚSICA E DANÇA

Instruir a música de cordas de violão, violino, violoncelo, contrabaixo acustico, de sopro como clarinete, trompete, flauta doce, flauta transversa, jazz; instruir tocar cordas percutidas como o piano; de percussão como a bateria; de paleta com som induzido como o acordeon; de instrumento elétrico como o teclado. Instruir a dança com ballet clássico, dança moderna contemporânea.

TECNICO EM TURISMO

Atua nas ações de agenciamento, guiamento, promoção de eventos,s servbiços de hospedagem e alimentação, viabilização e organização destas ações, comercialização dos produtos e serviços turisticos, com extensão no ramod e recreação e lazer, orientar pesoas ou grupos turisticos e profissionais das áreas .

TERAPEUTA OCUPACIONAL

Prestar assistência de terapia ocupacional ´para individuos cujas habilidades esteja, ameaçadas ou impedidas por disturbios de ordem física, psicológica e/ou social, em nível de prevenção, tratamento e recuperação em ambulatórios, hospitais, creches ou órgãos afins; elaborar programas de prevenção e manutenção de saúde, desenvolvidos principlamente em serviços de comunidades, centros de saúde, escolas com os objetivos de promoção do desenvolvimento normal, proteção e conservação das funções existentes, prevenção contra a incapacidade e garantia da recuperção ou adaptação em diferentes níveis. O objetivo central é fornecer experiências que capacitem o individuo a usar produtivamente suas capacidades e forças, visam oferecer oportunidades para o individuo conhecer e desenvolver capacidade e aprender através de seus próprios recursos e do meio em que vive; programas de recuperação desenvolvidos em clínicas de habilitação e reabilitação de individuos; sejam eles crianças ou adultos, portadores de deficiências físicas (motoras, auditivas), visuais) e/ou mentais; esses programas focalizam a reeducação da patologia ou deficiência específica, fornecendo atividades que possam diminuir a dificuldade e restaurar ou desenvolver a capacidade funcional, responsabilizando-se por equipes auxiliares necessárias à execução de atividades próprias do cargo; projetar recursos e adaptações ems equipamentos e amaterriais, adequando-os às necessidades específicas do aluno; executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento da profissão.

TORNEIRO MECÂNICO

Operar em tornos mecânicos, tornear peças metálicas em ferro, aço e bronze, abrir roscas, fazer engrenagens, buchas, pinos, parafusos, porcas, válvulas, eixos, rodas, etc. executar serviços de frezagem metálicas; zelar pela conservação dos equipamentos e pela limpeza dos locais de trabalho, desempenhar outras funções correlatas especificadas em lei.

TRATORISTA

Guiar tratores, patrolas, motoniveladoras e outros tipos de máquinas rodoviárias; realizar com zelo e perícia o trabalho próprio da máquina que lhe for confiada; fazer limpeza de conservação das máquinas; efetuar ligeiros reparos quando necessários; promover o abastecimento de combustível, água e lubrificantes na máquina sob sua responsabilidade; comunicar ao seu superior imediato qualquer anomalia verificada no funcionamento da máquina; executar outras tarefas correlatas.

TURISMÓLOGO

Planejar atividades de Turismo, organizar eventos e prestar orientação técnica, elaborar projeto do ecoturismo, analisar e elaborar planos para o desenvolvimento do turismo, pazrticipar do planejamento municipal para ecoturismo e aproveitamento sustentável das vocações regionais, expedir laudos técnicos, desempenhar serviços de elaboração, execução, fiscalização, controle de planejamento ambiental no âmbito do Município, regulação, controle e fiscalização, licenciamento e auditoria ambiental, monitoramento ambiental, proteção e controle de qualidade ambiental, ordenamento de recursos hidricos, florestais e pesqueiros, conservação do ecossistema e das espécies nele inseridas, destinação e tratamento de resíduos e difusão de técnologia, informação e educação ambiental, coordenar estudos, pesquisas e projetos para os setores intermunicipais, interestadual e inter-regional, Orientar a seleção e classificação de locais e áreas vocacionadas para o turismo, executar outras tarefas correlatas.

ANEXO II

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS E/OU REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Para os cargos da TABELA A - ARQUIVISTA, FARMACÊUTICO, MÉDICO (TODOS), ODONTÓLOGO (TODOS), TERAPEUTA OCUPACIONAL e TURISMÓLOGO.

PORTUGUÊS - Comum a todos

Conteúdo:

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

LEGISLAÇÃO E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

ARQUIVISTA

Conteúdo:

1) HISTÓRIA E EVOLUÇÃO DOS ARQUIVOS: GESTÃO DOCUMENTAL: origem, conceitos, objetivos, princípios arquivísticos, ases da gestão, níveis de aplicação, modelos de gestão, gestão arquivos correntes. 2) AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE DOCUMENTOS: conceito, objetivos, comissões de avaliação, instrumentos de destinação, políticas de avaliação documental. 3) TECNOLOGIAS APLICADAS AOS ARQUIVOS: microfilmagem, digitalização, outros processos reprográficos, gerenciamento eletrônico de documentos, o gerenciamento da preservação no universo digital, mídias de armazenamento. 4) ÉTICA PROFISSIONAL: código de ética profissional, análise e aplicações, condições para o bom desempenho da profissão, a formação ético-profissional do arquivista. 5) LEGISLAÇÃO ARQUIVISTICA: formação e regulamentação profissional, política nacional de arquivos públicos e privados, sistemas estaduais e municipais de arquivos, legislação arquivísitica brasileira. 6) ARQUIVOS PERMANENTES: conceitos, objetivos, atividades. organização, princípios e sistemática de arranjo, identificação de fundos documentais. 7) DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA: conceito, objetivos, análise de documentos, instrumentos de descrição. 8) NORMALIZAÇÃO E NORMATIZAÇÃO DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTiCA: normas ISAD (G) e Normas ISARF. 9) PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS: noções significado do planejamento, a estrutura de um projeto. 10) PALEOGRAFIA E DIPLOMATICA. 11) CONSERVAÇAÕ PREVENTIVA EM ACERVOS ARQUIVÍSTICOS. 12) ARQUIVOS ESPECIAIS ARQUIVOS ESPECIALIZADOS: conceituação, tratamento e organização. 13) ÓRGÃOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS DE ARQUIVOLOGIA. 14) LEGISLAÇÃO.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- Lei Federal nº 8.159/91 - Lei de Arquivos.

- BRASIL, ARQUIVO NACIONAL. Conselho Nacional de Arquivos: classificação, temporalidade e destinação de documentos de arquivos relativos às atividades do meio da administração pública. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001.

- BELLOTTO, Heloísa L. Arquivos permanentes: tratamento documental. São Paulo: T. A . Queiroz, 1991.

- BERWANGER, Ana Regina; LEAL, João Eurípedes Franklin. Noções de Paleografia e de Diplomática. Santa Maria: UFSM, 1995.

- CASTRO, Astréa de Moraes e; CASTRO, Andresa de Moraes e. Arquivística arquivologia: arquivística = técnica, arquivologia = ciência. Rio de Janeiro: Livro Técnico, 1988.

- CENTRO DE PESQUISA E DOCUMENTAÇÃO DE HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA DO BRASIL: Procedimentos técnicos adotados para a organização de arquivos privados. Rio de Janeiro: CPDOC, 1994.

- CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISAD(G): norma geral internacional de descrição arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001.

- CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISAAR (CPF): Norma Internacional de registro de autoridade arquivística para entidades coletivas pessoas e famílias. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1998.

- CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Recomendações para construção de arquivos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2000.

- CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Subsídios para a implantação para uma política municipal de arquivos: o arquivo municipal a serviço dos cidadãos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2000.

- CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Legislação Brasileira de arquivos. Rio de Janeiro: Mesa Redonda Nacional de Arquivos, 1999.

- CORTÉS ALONSO, Vicenta. Documentacion y documentos. Madrid: Ministerio de Cultura/Dirección General de Bellas Artes, Archivos y Bibliotecas, 1980.

- CRUZ MUNDET, José Ramon. Manual de archivística. 2. ed. Madrid: Fundación Germán Sánchez Ruipérez, 1994.

- DELMAS, Bruno. La planificación de las infraestructuras nacionales de archivos: esbozo de una política general. Mexico: D.F. Archivo General de la Nación/Direccion de Administración de Documentos del Gobierno Federal, 1974.

- DICIONÁRIO DE TERMINOLOGIA ARQUIVÍSTICA. São Paulo: Associação dos Arquivistas Brasileiros, 1996.

- HEREDIA HERRERA, Antonia. Archivistica General: teoría y práctica. 6. ed. Sevilla: Diputación Provincial de Sevilla, 1993.

- HEREDIA HERRERA, Antonia. La norma ISAD(G) y su terminologia: análisis, estúdio y alternativas. Madrid: ANABAD. Arco/Libros, 1995.

- JARDIM, José Maria. Sistemas e políticas públicas de arquivos no Brasil. Niterói-RJ: Universidade Federal Fluminense, 1995.

- JARDIM, José Maria; FONSECA, Maria Odila. A formação do arquivista no Brasil. Niterói-RJ: EdUFF, 1999.

- KOCH, Walter W. Gerenciamento eletrônico de documentos-GED: conceitos, tecnologias e considerações gerais. São Paulo: CENADEM, 1998.

- LEISINGER JR, Albert H. Um estudio de las normas básicas para equipamento, mantenimiento y funcionamento de um laboratório de reprografia em arquivos de países em desarrolho. Madrid: Centro Nacional del Microfilm, 1977.

- LLANSÓ I SANJUAN, Joaquim. Gestión de Documentos: Definición y análisis de modelos. 2. ed. Madrid: Fundación German Sanches Ruiperez, 1993.

- LODOLINI, Elio. Archivística: principios y problemas. Madrid: Asociación Española de Archiveros, Bibliotecarios, Museólogos y Documentalistas, 1993.

- LOPES, Luis Carlos. A informação e os arquivos: teorias e práticas. Niterói: EDUFSCAR, 1996.

- LOPES, Luis Carlos. A gestão da informação: as organizações, os arquivos e a informática aplicada. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 1997.

- LOPES, Luis Carlos. A Nova Arquivística na Modernização Administrativa. Rio de Janeiro: 2002.

- MACHADO, Helena Corrêa; CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Como implantar arquivos públicos municipais. São Paulo: Arquivo do Estado/Imprensa Oficial, 2000.

- OLIVEIRA, Elizabeth M. L. Baptista de.; ARAÚJO, Maria Hilda P. Temporalidade de Documentos: critérios e tabelas. Rio de Janeiro: FGV, 1996.

- PAES, Marilena L. Arquivo: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 1997.

- RONDINELLI, Rosely Curi. Gerenciamento Arquivístico de Documentos Eletrônicos. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

- ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.

- RUIZ RODRÍGUEZ, Antonio Angel. Manual de archivística. Madrid: Editorial Síntesis, 1995.

- SANTOS, Vanderlei B. dos Santos. Gestão de Documentos Eletrônicos. Brasília: ABARQ, 2002.

- SCHELLENBERG, T.R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: FGV,1974.

- SILVA, Armando Malheiro da.; RIBEIRO, Fernanda et alii. Arquivística: teoria e prática de uma ciência da informação. Porto: Edições Afrontamento, 1998.

- SOUZA NETO, João M. O microfilme. 2. ed. São Paulo: CENADEM, 1979.

FARMACÊUTICO

Área BIOQUÍMICA

Conteúdo:

1)Imunologia: AIDS e outras Imunodeficiências; Visão geral do sistema imune; Células órgãos do sistema imune; Reações de hipersensibilidade, Vacinas; Câncer e o Sistema imune; Hepatites, Rubéolas, Bactérias, Protozoários. 2) Fungos: infecções, aspectos morfológicos, micoses superficiais, métodos rápidos de infecções, micoses cutâneas, micoses profundas e sistêmicas, testes fisiológicos, dermatofitóses. 3) Bioquímica: amostras, análise para fracionamento, provas da função renal, provas hepáticas, provas do trato biliar, provas glicêmicas, colesterol e suas frações. 4) Hematologia: exames hematológicos (anemias, leucemias, linfomas, coagulação sangüínea), hemograma, avaliação de eritrócitos, leucócitos, plaquetas, achados hematológicos normais e patológicos. 5) Urinálise. 6) Parasitológicos. 7) Microbiologia: Bactérias, fungos e parasitas, vírus. 8) Avaliação de líquor.9) Legislação.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- ABBAS, A. K.; LICHTMAN, A. H.; POBER, J. S. Imunologia Celular e Molecular. 3ª ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.

- BAIN, Bárbara J. "Células Sanguíneas - Um guia prático", Artmed, 1998.

- BURTIS, C. A.; ASHWOOD, E. R., "TIETZ - Fundamentos de química clínica", 4ª Ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

- CHERNECKY, Cynthia C.. KRECH, Ruth L.. BERGER, Barbara J. "Métodos de Laboratório - Procedimentos Diagnósticos", Guanabara Koogan SA, 1995, RJ.

- FERREIRA,Walter A. ÁVILA, Sandra L M, "Diagnóstico Laboratorial das Principais Doenças Infecciosas e Auto Imunes", Guanabara Koogan SA, l996, RJ.

- GOLDSBY , Richard A.; Kindt,Thomas J.;Osborne, Barbara A. - " Kuby Imunologia" - 4 ed Revinter , 2002.

- HENRY, John B. "Diagnósticos Clínicos e Tratamento por Métodos Laboratoriais", Ed. Manole, 19 ed., 1999.

- MOURA, Roberto de Almeida; Wada, Carlos S.; Purchio,Adhemar; Almeida ,Therrezinha V. "Técnicas de Laboratório" 3. ed. Atheneu, 1998.

- RAVEL, Richard "Laboratório Clínico - Aplicação Clínica dos Dados Laboratoriais", Guanabara Koogan SA, 6 , 1997, RJ.

- STRASINGER, S. K., "Uroanálise e fluidos biológicos", 2ª Ed., São Paulo: Panamericana, 1991.

- STROHL, William A.; Rouse, Harriet ; Fisher,Bruce D. - " Microbiologia Ilustrada " - Artemed - 2004.

Área COMERCIAL

Conteúdo:

1) Legislação. 2) Atribuições do profissional farmacêutico, responsabilidade técnica. 3) Manipulação medicamentosa. 4) Código de Ética. 5) Assistência farmacêutica, Regulamento de Boas Práticas em Farmácia. Farmacologia. 6) Sedativos.7) Hipnóticos. 8) Psicoestimulantes. 9) Sedativos ansiolíticos. 10) Antipsicóticos. 11) Antidepressivos. 12) Anti-Histamínicos. 13) Vasoconstritores. 14) Vasodilatadores. 15) Antiácidos. 16) Digestivos.17) Antitussígenos.18) Expectorantes. 19) Antilipêmicos. 20) Antidiabéticos. 21) Diuréticos. 22) Antiinflamatórios locais. 23) Antiparasitários e Antimicrobianos. 24) Corticosteróides. 25) Interações medicamentosas. 26) efeitos Adversos. 27) Antieptiléticos. 28) Administração de Recursos Materiais. 29) Sistemas de Distribuição de Medicamentos. 30)Quimioterapia. 31) Medicamentos Genéricos.

Referências Bibliográficas:

- BASILE, Aulus Conrado, ZENINE, Antônio Carlos - "Dicionário de Medicamentos Genéricos" - Editora Ipex - 1999.

- BPR - Guia de Remédios - Ed . Escala 5 Ed

- CAVALLINI, Miriam Elias ; BISSON, Marcelo Polacow , "Farmácia Hospitalar- um enfoque em sistemas de saúde. Ed. Manole 2002

- "DEF-Dicionário de Especialidades Farmacêuticas" de Publicações Científicas Ltda - 200/2001

- FUCHS, Flávio Danni . Wannmacher , Lenita " Farmacologia Clínica " - Ed Guanabara Koogan 2° Ed, 1998

- GOODMAN e GILMAN, "As Bases Farmacológicas da Terapêutica", ED.McGrawHill, 10 ed., 2003.

- KOROLKOVAS, Andrejus - "Dicionário terapêutico Guanabara" - Koogan - RJ - 2002/2003.

- Lei dos genéricos - nº 9787/99

- Lei nº 3820/1960 - Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Farmácia, e dá outras Providências.

- Portaria nº 344/1998 - Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial

- Resolução nº 417/2004.

- Resolução nº 328/1999.

MÉDICO DERMATOLOGISTA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1) Lesões elementares. 2) Semiologia dermatológica. 3) Doenças eczematosas. 4) Doenças bolhosas e pustulosas. 5) Doenças eritemato escamosas. 6) Erupções purpúricas. 7) Dermatoses papulosas. 8) Urticárias, prurigos e erupções papulopruriginosas. 9) Doenças dos anexos. 10) Colagenoses, vasculites e doenças auto-imunes .11) Dermatoses infecciosas (virais, bacterianas, fúngicas, micobacterioses, por protozoários, zoonoses e DSTs). 12) Farmacodermias. 13) fotodermatoses.14) Granulomatoses. 15) Oncologia cutânea (neoplasias benignas e malignas). 16) Distúrbios metabólicos e manifestações cutâneas de doenças sistêmicas. 17) SIDA e imunodeficiências em dermatologia. 18) Dermatoses nas diferentes faixas etárias. 18) Legislação

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" Artmed

- Código de Ética Profissional

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- AZULAY e Azulay. "Dermatologia". 2ª Edição, Editora Guanabara Koogan.

- FITZPATRICK e Col.. "Dermatology in General Medicine". 5ª Edição, Mac Graw-Hill.

- HABIF, Thomas P.. "Clinical Dermatology". 3ª Edição, Mosby Year Book.

- ROOK, Wilkinson e Ebling, "Textbook of Dermatology". 5ª Edição, Black Well S. Piblications.

- SAMPAIO, Castro e Rivitti. "Dermatologia Básica". 2ª Edição, Editora Artes Médicas.

MÉDICO ECOGRAFISTA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastrenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastrenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1)Ultra-sonografia abdominal (Desenvolvimento normal e condições patológicas): Fígado,vesícula e vias biliares, baço, pâncreas, lojas adrenais,rins,ureteres e bexiga urinária,próstata e vesículas seminais,cavidade peritoneal e retroperitônio,apêndice cecal,vísceras ocas. 2)Ultra-sonografia Obstétrica (Desenvolvimento normal e patologias) do Primeiro,segundo e terceiro trimestres. Abortamento, malformações fetais. 3)Ultra-sonografia pélvica e transvaginal (Desenvolvimento normal e condições patológicas): Útero, ovários e anexos, fundo de saco de Douglas. 4)Ultra-sonografia de pequenas partes (Desenvolvimento normal e condições patológicas): Mama, tireóide e pára-tireóides, região cervical, bolsa escrotal/testículos, parede abdominal. 5) Legislação

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" Artmed

- Código de Ética Profissional

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- CERRI, Guido Giovani, ROCHA, Domingos Carreira da. "Ultra-sonografia Abdominal", Sarvier.

- RIZZATTO, Luigi Solbiati Giorgio "Ultrasound of Superficial Structures"

- RUMACK, Carol M., WILSON,Stephanie, CHARBOUNEAU,J.William. "Diagnostic Ultrasound" , Mosby,Inc.

MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1) Amenorréia e menopausa. 2) Diabetes melito. 3) Distúrbios da adeno-hipófise e do hipotálamo. 4) Distúrbios da neuro-hipófise. 5) Distúrbios da glândula tireóide. 6) Distúrbios que acometem múltiplos sistemas endócrinos. 7) Distúrbios dos testículos. 8) Distúrbios da diferenciação sexual. 9) Distúrbios do córtex e medula supra-renal. 10) Doenças das glândulas paratireóides, hipocalcemia e hipercalemia. 11) Doença de Paget e outras neoplasias ósseas. 12) Distúrbios do metabolismo das lipoproteínas. 13) Feocromocitoma. 14) Hipoglicemia. 15) Osteoporose. 16) Obesidade. 17) Neoplasia endócrina múltipla. 18)Terapia com glicocorticóide. 19) Legislação

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- Código de Ética Profissional

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- HARRISON "Principles of internal medicine". The McGraw Hill Companies, 2001. 15th edition.

- "Current Medical Diagnosis & Treatment 2004" McGraw-Hill/Appleton & Lange, 43rd edition.

- DeGroot, "Endocrinology", Ed Sauders, 3ª edição, 1995

- Felig, Baxter, Frohman, "Endocrinology and metabolism", Ed McGraw-Hill, 3ª edição, 1995

- Michel Conn, Shlomo Melmed, "Endocrinology: Basic and Clinical Principles", Ed Humana Press, 1997

- "Williams Textbook of Endocrinology", W B Saunders; 10th edition

MÉDICO GERIATRA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1) O idoso na sociedade. Estatuto do Idoso. 2) Biologia do Envelhecimento. Teorias do Envelhecimento. 3) Aspectos biológicos e fisiológicos do envelhecimento. 4) Prevenção e promoção da saúde. 5) Geriatria Básica. 6) Exames complementares e instrumentos de avaliação. 7) Déficit cognitivo. Demências. 8) Instabilidade postural e quedas. 9) Imobilidade e úlceras de pressão. 10) Incontinência urinária e fecal. 11) Iatrogenia e farmacologia em geriatria. 12) Cardiologia - hipertensão arterial, sistêmica, arritmias, doença arterial periférica, doenças da carótida. 13) Aterosclerose. Fatores de risco cardiovascular. 14) Doenças cerebrovasculares - acidente vascular cerebral isquêmico/hemorrágico. 15) Síndromes parkinsonianas. Tremor essencial. Doença de Parkinson. 16) Pneumologia - pneumonias, doença pulmonar obstrutiva crônica e asma. Embolia pulmonar. Tuberculose. 17) Gastroenterologia - doenças do esôfago, gastrites, úlceras péptica e gástrica, doenças do fígado, doenças dos intestinos. 18) Urologia - hiperplasia prostática. Prostatite. Disfunção erétil. 19) Doenças osteoarticulares: osteoporose, osteomalácia, osteoartrose, artrite rematóide, doença de Paget. 20) Diabetes Mellitus. Doenças da tireóide. Síndrome plurimetabólica. Obesidade. 21) Neoplasias. 22) Doenças dermatológicas. 23) Anemias e doenças mieloproliferativas. 24) Nutrição. 25) Infecções e imunizações. 26) Cirurgia e anestesia. 27) Doenças dos órgãos dos sentidos. 28) Sono no idoso. 29) Reabilitação. 30) Equipe multidisciplinar, modalidades de atendimento. 31) Cuidados paliativos e ao final da vida. 32) Legislação

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- Código de Ética Profissional

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- HAYFLICK, Leonard - "Como e por que envelhecemos", Ed. Campus, Rio de Janeiro, 1997.

- AFFONSO, Plácido - "Seja mais jovem aos 80 anos", Cidady Editora, São Paulo, 1967.

- BIANCHI, Henri - "O eu e o Tempo: psicanálise do tempo e do envelhecimento", Ed. Casa do Psicólogo São Paulo, 1993.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ZAMORA, Zoila, E.H. - "Formación del alumno del área de ciencias de la salud en la atención del paciente de la tercera edad", Universidad Veracruzana, México, v. 11; nº 2, pp. 31-37, 2001, In: Revista Psicología y Salud.

- ADRADOS, Isabel - "Rorschach: teoria e prática do método na terceira idade", Ed. Casa do Psicólogo, São Paulo, 1988.

- BETTI, Pier Luigi - "Não Envelhecer é Possível", Livro, Master Book, São Paulo, 2002, UNITERMOS: Psicologia de Saúde, Psicologia Hospitalar, Rejuvenecer.

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- CALVOSO, G.G.; Pontes, R.C.S. - "Seminário Psicologia e Geriatria", São Paulo, 1997, UNITERMOS: Psicologia Hospitalar, Psicologia da Saúde, Geriatria, Psicologia do Desenvolvimento, 1, Disponível

- CARPER, Jean - "Pare de envelhecer agora!", Ed. Campus, Rio de Janeiro, 1997.

- COMFORT, Alex - "A Boa Idade", Difel/Difusão Editorial, São Paulo, 1979.

- COSTA, S.I.F. - "A Bioética Clínica e a Terceira Idade.", Soc. Brasileira de Bioética, Brasília, V. 1; n. 3, pp. 279-296, 2005, In: Revista Brasileira de Bioética.

- CURSINO Ferrari, Maria Auxiliadora - "Idosos muito idosos: reflexões e tendências", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 467-471, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- DUTRA, Naira, D., et all - "Programa de assistência domiciliar a idosos fragilizados como proposta de prevenção de negligência doméstica", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 24, 472-478, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- FARIA, Carlos, C. - "A vida não tem idade: uma experiência a serviço da Gerontologia Social", Sta. Casa de Misericórdia de SP - Depto Geriatria, São Paulo , 1973.

- FARIA, Carlos, C. - "Velhice é preconceito", Sta. Casa de Misericórdia de SP - Dep. Geriatria, São Paulo, 1997.

- GAIARSA, José, A. - "Como enfrentar a velhice", Ed. Ícone, São Paulo, 1986.

- GOLDFARB, Delia, C. - "Corpo, tempo e envelhecimento", Ed. casa do Psicólogo, São Paulo, 1998.

- HERNÁNDEZ-ZAMORA, Zoila, E. - "El concepto de muerte en el adulto mayor", México, v. 10; n. 2, pp. 249-258, 2000, In: Revista Psicología y Salud . Centro de Investigaciones Psicológicas - Universidad Veracruzana.

- HERNÁNDEZ-Zamora, Zoila, E. - "Propuesta de un modelo de atención geriátrica", México, v. 13; nº 2, pp. 187-192, 2003, In: Rev. Psicología y Salud. Centro de Investigaciones Psicológicas - Univ. Veracruzana.

- MELLO Machado, Laura - "Perspectiva internacional de combate e prevenção à violência contra os idosos", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 464-466, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- MOFFATT, Alfredo - "Psicoterapia do Oprimido", Ed. Cortez, São Paulo, 1991.

- NICOLA, Pietro - "Geriatria", Ed. D.C. Luzzatto, Porto Alegre, 1986.

- NOVAES, Marcia, R.V., et all - "As imagens da velhice: o Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) como método de investigação", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 503-507, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- Nuevo, Roberto - "Eficacia de un tratamiento cognitivo-conductual para la preocupación Excesiva en adultos mayores.", España, 5: nº 2, 215-226, 2005, In: International Journal of Clinical and Health Psychology.

- OLIVEIRA, Érika A. de, Pasian, S. R., Jacquemin A. - "A Vivência Afetiva em Idosos", Conselho Federal de Psicologia, Brasília, ano XXI; nº 1, pp. 68-83, 2001, In: Rev. Psicologia Ciência e Profissão.

- OLSZEWER, Efrain - "Como enfrentar a demência senil", Ed. Ícone, São Paulo, 1994

- PESSINI, L. - "Envelhecimento e saúde: Ecos da II Assembléia Mundial sobre o envelhecimento", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 457-463, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- PESSINI, Leocir, et all - "Envelhecimento e saúde: desafios para o novo século", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 455-456, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- PICKLES, Barrie et alli - "Fisioterapia na Terceira Idade", Livro, Santos Livraria Editora, São Paulo, 1998, UNITERMOS: Psicologia da Saúde, Psicologia Hospitalar, Fisioterapia, Terceira Idade.

- PORTELLA, Marilene, R., et all - "Humanização da velhice: reflexões acerca do envelhecimento e o sentido de vida", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 27, v. 27, nº 3, 465-472, jul / set 2003, ISSN 0104-7809.

- PRADICELLI, Fabiana, et all - "A imagem corporal dos idosos internados na enfermaria do Serviço de Geriatria - Uma visão fisioterápica e psicológica", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 25, v. 25, nº 4, 404-410, out / dez 2001, ISSN 0104-7809.

- RABELO, Dóris F. et all - "Qualidade de vida na velhice: a importância da dimensão ambiental", Revista da Sociedade de Psicologia do Triângulo Mi, Sociedade de Psicologia do Triângulo Mineiro, Belo Horizonte, v.6, nº 2, 74-82, jul / dez 2002, ISSN 1518-4625.

- RIBEIRO, Rita C.L., et al - "Envelhecimento na perspectiva de gênero", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 496-502, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- RODRIGUES, Rosalina A.P., et all - "Quedas com idosas na comunidade - Estudo retrospectivo", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 25, v. 25, nº 4, 420-424, out / dez 2001, ISSN 0104-7809.

- SÁNCHEZ, Rigoberto O. et all - "La musicoterapia en los gerontes: una alternativa de salud", Psicología y Salud, Universidad Veracruzana, México, v.13, nº 1, 135-143, enero / junio 2003, ISSN 1405-1109.

- SANTOS , Amélia - "Saúde ambiental e envelhecimento: conseqüências da interação homem-ambiente", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 479-482, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- SANTOS, Maria de Fátima, S. - "Identidade e aposentadoria", Ed. Pedagógica Universitária, São Paulo, 1990.

- SCHACHTER-Shalomi, Zalman - "Mais velhos, mais sábios", Campus, Rio de Janeiro, 1996.

- STOPPE Jr., Alberto - "Terceira Idade - Combate à Depressão", Revista Viver Psicologia, Editora Segmento, São Paulo, ano XI, nº 119, 36-37, dezembro de 2002.

- TORRES, Ulysses, L. - "Na passarela do tempo", Ed. Nagy, São Paulo, 1981.

- ZAMLUTTI, Maria Esmeralda, M. - "O Mito da velhice assexuada", Ed. Maturidade, São Paulo, 1996.

- ARANGO-LASPRILLA, J.C., et all - "Depresión en la enfermedad de Alzheimer", Revista Latinoamericana de Psicología, Fundación para el Avance de la Psicología, Bogotá, Colombia, v.35, nº 1, 41-54, 2003, ISSN 0120-0534.

- ARISTIZÁBAL-VALLEJO, Nidia - "La Psicogerontología - Un desafío para el siglo XXI", Cuadernos Hispanoamericanos de Psicología, Facultad de Psicología - Universida El Bosque, Bogotá, Colombia, v.1, nº 1, 97-102, 2001.

- BATISTA LIMA FILHO, João - "Ação Pastoral na família, um espaço de valorização do idoso", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 490-495, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- BERTACHINI, Luciana, et all - "Comunicação na Terceira Idade", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 483-489, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- CURSINO Ferrari, Maria Auxiliadora - "A terapia ocupacional na reabilitação do portador de Alzheimer", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 25, v. 25, nº 4, 425-429, out / dez 2001, ISSN 0104-7809.

- FERREIRA-ALVES, J. et All - "Avaliação da discriminação social de pessoas idosas em Portugal.", AEPC, España, V.6; nº 1, pp. 65-77, 2006, In: International Journal of Clinical and Health Psychology.

MÉDICO GINECOLOGISTA/OBSTETRA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1)Ginecologia geral. 2)Amenorréias. 3)Climatério. 4)Consulta ginecológica. 5)Doenças da mama. 6)Doenças sexualmente transmissíveis e SIDA. 7)Dor pélvica. 8) Endocrinopatia ginecológica. 9)Endometriose. 10)Ginecologia infanto-juvenil.11)Infecções genitais. 12)Neoplasias genitais e doenças vulvogenitais. 13)Planejamento familiar. 14)Reprodução humana. 15)Sangramento genital.16) Sexologia. 17)Tensão pré-menstrual. 18) Uroginecologia. 19)Violência sexual. 20)Obstetrícia geral 21)Abortamento. 22)Amamentação. 23)Assistência ao parto. 24)Assistência pré-natal. 25)Diabete gestacional. 26)Diagnóstico de gestação. 27)Doença hipertensiva. 28)Fórcipe e cesariana. 29)Gemelaridade. 30) Gestação de alto risco. 31)Gestação ectópica. 32)Incompatibilidade sangüínea materno-fetal. 33)Indução do parto. 34)Infecções. 35)Intercorrências clínico-cirúrgicas na gestação. 36)Medicina fetal. 37)Neoplasia trofoblástica. 39)Pós-maturidade. 40)Prematuridade. 41)Puerpério. 42)Ruptura prematura de membranas. 43)Sangramento do terceiro trimestre. 44)Semiologia obstétrica. 45)Uso de drogas durante a gestação e a amamentação.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- SPEROFF, Leon. GLASS, Robert. KASE, Nathan. "Endocrinologia Ginecológica e Infertilidade". 4ª edição. Manole Ltda.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- BEREK, JONATHAN S. "Berek & Novak's Gynecology". 14ª edição. Lippincott, 2006.

- Código de Ética Profissional

- CUNNINGHAM, GARY ; LEVENO, KENNETH J ; BLOOM, STEVEN L ; HAUTH, JOHN C ; GILSTRAP, LARRY C ; WENSTROM, KATHARINE D. "Williams Obstetrics". 21ª edição. Mcgraw Hill Companies.

- DE CHERNEY. ALAN. PERNOLL. MARTIN. "Current - Obstetria & Gynecologia - Diagnosis & Treatment". 8ª e

dição. Appleton & Lange.

- FREITAS, Fernando. COSTA, Sérgio H. Martins. RAMOS, José Geraldo Lopes e MAGALHÃES, José Antônio "Rotinas em Obstetrícia" , Porto Alegre, Artes Médicas.

- FREITAS, Fernando. MENKE, Carlos Henrique. RIVOIRE, Waldemar e PASSOS, Eduardo Pandolfi "Rotinas em Ginecologia", Porto Alegre, Artes Médicas.

- MATTINGLY. RICHARD THOMPSON. JOHN. "Ginecologia Operatória - Telinde". 6ª edição. Guanabara.

MÉDICO NEUROLOGISTA INFANTIL

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional. 24)Todo o conteúdo abaixo refererido Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- DIAMENT A., CYPEL S., "Neurologia Infantil", Lefevre, 2ª edição, Rio de Janeiro/São Paulo, Livraria Atheneu, 1989, 1403 p.

- FINICHEL GM, "Clinical Padiatric Neurology. A signs and symptoms approach", 3ª edição, Philadelphia, WB Saunders, 1997, 407 p.

- ROSEMBERG S., "Neuropediatria", São Paulo, Sarvier, 1995, 330 p.

- SWAIMAN KF, "Pediatric Neurology - Principles and Practice", 2ª edição, Sto. Louis, Mosby, 1994, 1527 p.

- Código de Ética Profissional

MÉDICO PATOLOGISTA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1 - Estatística para o laboratório clínico: estatística descritiva e comparativa, análise de variância, análise ROC. 2 - Controle de Qualidade: aplicação geral de gráficos de Levey-Jennings e regras de Westgard ; controle de qualidade de reações de ELISA. 3 - Avaliação laboratorial das anemias carenciais, aplásicas e hemolíticas. 4 - Sistema hematopoiético: hematopoiese medular e extramedular, medula óssea normal, indicações de aspiração e biópsia de medula óssea. Técnicas de aspiração, contagem e interpretação de mielograma. 5 - Leucemias e Síndromes mielodisplásicas; diagnóstico e classificação morfológica e citoquímica; 6 - Citometria de fluxo: princípios, metodologia, imunofenotipagem na hamatopoiese normal. 7 - Avaliação laboratorial das disfunções plaquetárias (contagem, morfologia, tempo de sangria, curvas de agregação plaquetária: indicações, variáveis analíticas e pré-analíticas, interpretação); 8 - Avaliação laboratorial das desordens hemorrágicas da fase protéica (testes de triagem, pesquisa de inibidores, dosagens de fatores de coagulação, testes para diagnóstico da Doença de von Willebrand). 9 - Diagnóstico de fibrinólise primária e secundária. 10 - Princípios gerais dos imunoensaios. 11 - Diagnóstico molecular: princípios básicos e técnicas. 12 - Diagnóstico sorológico e molecular das infecções pelo HIV 1+2, HBV, HCV, HTLV I/II, Trypanosoma cruzi e Treponema pallidum; 13 - Imuno-Hematologia: antígenos eritrocitários, testes imuno-hematológicos: teste da antiglobulina, pesquisa e identificação de anticorpos irregulares, prova cruzada; 14 - Hemoterapia: normas gerais de banco de sangue; doação de sangue; critérios para triagem de doador de sangue, sorologia de doadores de sangue, fracionamento e armazenamento de hemocomponentes. 15 - Testes imuno-hematológicos: fatores que afetam a hemaglutinação, mecanismos indutores da hemaglutinação, teste de antiglobulina, pesquisa e identificação de anticorpos irregulares, prova cruzada. 16 - Anemias hemolíticas auto-imunes. 17 - Alo-imunização. 18 - Diagnóstico laboratorial de reações transfusionais hemolíticas. 19 - Controle de qualidade de hemocomponentes. 20 - Hemovigilância de incidentes transfusionais imediatos e tardios. 21 - Banco de tecidos e células progenitoras. 22 - Biossegurança.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- AJZEN, H. & SCHOR, N. Nefrologia: Guias de Medicina Ambulatorial - Unifesp/Escola Paulista de Medicina. São Paulo: Editora Megabook. 2002.

- ANDRIOLO, A. Medicina Laboratorial. São Paulo, Manole, 2004.

- BENNET. CECIL Tratado de Medicina Interna. 20ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

- BENSEÑOR, I. M.; ATTA, J. A.; MARTINS, M. A. Semiologia Clínica. São Paulo: Ed. Sarvier. 2002.

- CONSTANTINE, N. T., CALLAHAN, J. D. e WATTS, D. M. N. Retroviral Testing Essentials for Quality Control and Laboratory Diagnosis. CRC Press Inc, Boca Raton, 1992.

- DE VITTA, V. T. ; HELMANN, S.; ROSEMBERG, S. Câncer: Principles and Treatment. Ed. JBLippincott, 1997.

- DUTRA, E.S. & YOSHINARI, N.L. Reumatologia para o Clínico. Editora Roca.

- GREER et ali. Wintrobe´s Clinical Hematology. 11ª Edition. 2004. Lippincott Williams and Wilkins.

- HENRY, J. B. Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods. 20th edition, 2001. W.B. Saunders Company.

- HPFFMAN, R. ET AL.. Hematology Basic Principles and Practice.3 nd edition. Sauders WBCO, 2000.

- JUHL, P. & CRUMMY, A.B. Interpretação Radiológica. 7ª Ed.. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan. 2000.

- LOPEZ , M.; MEDEIROS, J. L. Semiologia Médica: As bases do diagnóstico clínico. volume I.

- MANDEL, G. L., BENNETT, J. E. e DOLIN, R. Principles and Practice of Infections Diseases. 6a Edição, Churchill Livingstone, 2005.

- SALVAJOLI, J. V.; SOUHAMI, L.; FARIA, S. L. -Radioterapia em Oncologia. Rio de janeiro: Ed. Medsi, 1999.

- BRASIL. Ministério da Saúde. ANVISA. Manual Técnico para Investigação da Transmissão de Doenças pelo Sangue. 2004. (disponível em http://www.anvisa.gov.br/divulga/public/sangue/hemovigilancia/manual_doenca.pdf).

- BRASIL. Ministério da Saúde. ANVISA. Manual Técnico da Hemovigilância. 2004. (disponível em http://www.anvisa.gov.br/divulga/public/sangue/hemovigilancia/manual_atualizado_jul2004.pdf).

- BRASIL. Ministério da Saúde. ANVISA. RDC nº 153, de 14/06/04.

MÉDICO PEDIATRA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1)Assistência ao recém-nascido de baixo peso. 2) Distúrbios metabólicos do recém-nascido. 3) Distúrbios respiratórios do recém-nascido. 4) Icterícia neonatal. 5) Infecções neonatais. 6) Lesões ao nascimento: asfixia neonatal, hemorragia intracraniana, luxações e fraturas. 7) Triagem neonatal: erros inatos do metabolismo. 8)Aleitamento materno. 9) Avaliação do crescimento e do desenvolvimento normais. 10)Imunizações. 11) Nutrição do lactente, da criança e do adolescente. 12)Prevenção de trauma. 13)Anemias. 14)Asma brônquica. 15)Constipação. 16) Convulsão. 17) Desidratação e terapia de reidratação oral. 18)diabete melito. 19) Diarréias . 20) Distúrbios nutricionais. 21) Doenças infectocontagiosas. 22) Enurese noturna. 23) Fibrose cística. 24) Glomerulonefrite difusa aguda. 25)Hepatites. 26)Hiperatividade. 27)Infecção urinária. 28)Infecções de vias aéreas superiores e inferiores. 29)Infecções do sistema nervoso central. 30)Insuficiência cardíaca. 31)Leucemia linfocítica aguda. 32)Parasitoses. 33)Problemas dermatológicos mais comuns. 34)Problemas ortopédicos mais comuns. 35)Raquitismo. 36)Refluxo gastroesofágico. 37)Sepse. 38)Sibilância do lactente ("lactente chiador"). 39)SIDA / infecção pelo HIV. 40)Síndrome da criança mal-tratada. 41) Síndrome da morte súbita da criança. 42)Síndrome nefrótica/nefrítica. 43)Manejo inicial de: Aspiração de corpo estranho, intoxicações agudas, queimaduras e afogamento. 44) Ressuscitação cardiorrespiratória: Suporte básico. 45) Transplantes em pediatria: princípios básicos e doação de órgãos. 46)Legislação.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- Código de Ética Profissional

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce. Schimidt, Maria Inês, GIUGLIANI, Elsa. "Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseada em evidência" - Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- MIURA, Ernani. PROCIANOY, Renato e colaboradores. "Neonatologia". Artes Médicas.

- NELSON "Tratado de Pediatria" - Guanabara Koogan SA.

- PITREZ, José Luiz Bohrer. PITREZ, Márcio Condessa e Colaboradores. "Pediatria Consulta Rápida" - Artmed

MÉDICO PSIQUIATRA

Conteúdo:

1)Medicamentos: Informações Básicas. 2)Efeitos Colaterais e seu Manejo. 3) Tratamentos Farmacológicos: Algoritmos. 4) Fundamentos Psicanalíticos: Teoria e Psicopatologia. 5) Delirium, Demência, Transtorno Amnéstico. 6) Transtornos Relacionados a Substâncias. 7) Esquizofrenia. 8) Outros Transtornos Psicóticos. 9) Transtornos de Humor. 10) Transtornos de Ansiedade. 11) Transtornos Alimentares. 12) Transtorno de Déficit de Atenção. 13) Legislação ref. Reforma psiquiátrica 14) Legislação 15) Ética Profissional.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204 - Art. 225. Do Meio Ambiente - Art. 226 a 230. Da Família, da Criança, do Adolescente e do Idoso).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- KAPLAN, Harold I. SADOCK, Benjamin J., "Compêndio de Psiquiatra", Artmed, Porto Alegre.

- CARDIOLI, Aristides Volpato, "psicofármacos", Artmed, 2005, Porto Alegre.

- ZIMERMAN, David, "Fundamentos Psicanalíticos", Artmed, Porto Alegre.

- CIDX - "Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento" Coordenação Organização Mundial da Saúde, Artmed, , Porto Alegre.

MÉDICO RADIOLOGISTA

Contúdo:

- Produção dos Raios-X - Princípios da Radiologia e Radioproteção - Técnicas Radiológicas - Diagnóstico por Imagem em adultos e crianças- Estudo radiológico comum: crânio, tórax, ossos e articulações, seios da face, coração e vasos da base - sistema cardiovascular , abdômen simples e agudo - Estudos radiológicos com contraste - técnicas, definições e aplicações - meios de contraste - reações - tratamento das reações -Trato urogenital e gastro-intestinal - Legislação - Ética Profissional.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- PUTMAN, Charles E.,"Textbook of Diagnostic Imaging", Editora: W.B.Saunders Company.

- SUTTON, David,"Textbook of Radiology and Medical Image", Editora: Churchil and ivingstone.

- CAFFEY, John Pediatric," X-Ray Diagnosis" Livraria: Artmed Editora S.A.

- Código de Ética Profissional

MÉDICO TRAUMATOLOGISTA

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específico:

1) Ciência Básica em Ortopedia e Traumatologia. 2) Semiologia Ortopédica. 3)Ortopedia Adulto. 4)Ortopedia Infantil. 5)Trauma. 6) Legislação

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- Código de Ética Profissional

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- Brasil: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- BARROS FILHO, TEP & Lech, "O Exame Físico em Ortopedia". São Paulo: Sarvier, 2001

- Canale, ST. Campbell´s Operative Orthopaedics. St. Louis: Mosby, 2003 -

- CRENSHAW A.H. "Campbell´s Operative Orthopaedics". St. Louis: Mosby,2003

- HETBERT, S E COL - Ortopedia e Traumatologia: Princípios e Prática. Porto Alegre: Artmed, 2003

- MORISSY, R.T. & WEINSTEIN, S.L. - "Lowell and Winter's Pediatric Orthopaedics". Philadelphia: Lippincott, 1996

- PARDINI, A. - "Traumatismos da Mão". Rio de Janeiro: Medsi, 2000

- ROCKWOOD, C. A. E COL - "Frature". Philadelphia: Lipincott, 2001

- TACHDJIAN, M.O. - "Pediatric Orthopaedics". Philadelphia: Saunders, 1990

MÉDICO VASCULAR

Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação - Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Específicos:

1) O exame clínico do paciente vascular. 2) Métodos não invasivos no diagnóstico das doenças vasculares. 3) Angiografias. 4) Insuficiência arterial crônica e aguda. 5) Vasculites na prática angiológica. 6) Arteriopatias vasomotoras. 7) Aneurismas. 8) Síndromes do desfiladeiro cervical e torácico. 9) Insuficiência vascular cerebral extra-craniana. 10) Insuficiência vascular visceral. 11) Impotência sexual por vasculopatia. 12) Hipertensão renovascular. 13) Doença tromboembólica venosa. 14) Varizes dos membros inferiores. 15) Insuficiência venosa crônica. 16) Linfangite e erisipela. 17) Linfedemas. 18) Úlceras de perna. 19) Angiodisplasias e malformações arteriovenosas. 20) Emergências vasculares: oclusões agudas e traumas. 21) Terapêutica anticoagulante, fibrinolítica e antiplaquetária. 22) Terapêutica hemorreológica. 23) Física e proteção radiológica. 24) Fisiologia e fisiopatologia vascular. 25) Tecnicas cirúrgicas em cirurgia vascular. 26) Acessos para hemodiálise.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. "Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al."Medicina Interna", Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. "Medicina Interna: do Diagnóstico". POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. "Cecil Tratado de Medicina Interna", Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . "Epidemiologia clínica: elementos essenciais" - Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - Brasil: Ministério da Saúde - "Saúde dentro de casa: programa de saúde da família"

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- BRASIL: Ministério da Saúde http://portal.saude.gov.br/portal/saude/

- ARCHER, Haimavici - Cirurgia vascular, 5ª Ed, Revinter, 2006

- AUN e LEÃO, Fundamentos da cirurgia vascular e angiologia, Ed. Lemos, 2003

- DEAN, Current diagnosis and treatment in vascular surgery, Lange

- MURILO, Trauma vascular, Revinter, 2006

- THOMAZ, Fundamentos de cirurgia vascular, BYK, 1997

- RUTTERFORD, R.B. Vascular surgery (i e II) ed WB Saunders.

- F.H.A.Maffei et al Doenças Vasculares Periféricas, 3o. Ed Medsi

- BRUNICARDI Schwartz's Principles of Surgery, mcgraw Hill

- TOWNSEND, Sabiston Textbook of Surgery, Saunders

- DOHERTY, Current surgical diagnosis and treatment, Lange

ODONTÓLOGO ESPECIALISTA EM CIRURGIA BUCO MAXILO FACIAL

Conteúdo:

ODONTOLOGIA PREVENTIVA e SAÚDE BUCAL COLETIVA

1) Cariologia. 2) Etiologia e comportamento da cárie dental. 3) Diferentes conceitos sobre cárie dentária e suas implicações. 4) Noções de microbiologia bucal, Placa Dental, Saliva, Dieta, Higiene Bucal. 5) Quimioprofilaxia da cárie dentária. 6) Risco de cárie e atividade cariogênica. 7) Diagnóstico e prognóstico de cárie. 8) Métodos e Mecanismos de ação do Flúor. 9) Declínio da Cárie. 10) Periodontia: conceito; Etiopatogeina; Diversas formas de tratamento; interrelação com outras doenças. 11) FLUOROSE DENTÁRIA: a) índices para predição, b) características, c) diagnóstico, d) fatores que afetam a incidência, e) tratamento de fluorose dentária. 12) Epidemiologia das doenças bucais prevalentes e sua prevenção. 13) Biossegurança em odontologia. 14) A Saúde no Brasil e suas políticas assistenciais. 15) Processo saúde doença. 16) Promoção e Educação em Saúde. 17) Tecnologias em saúde bucal coletiva. 18) Recursos Humanos em Saúde Bucal. 19) Planejamento, Financiamento, Programação e Identificação de Problemas em Saúde Bucal. 20) Exercício ético e legal da Odontologia no Brasil.

ODONTOPEDIATRIA

1) Características da Infância à adolescência e suas dinâmicas de mudanças. 2) Patologias e anomalias em Odontopediatria. 3) Uso de antimicrobianos. 4) Hábitos bucais. 5) Exames em Odontopediatria da Infância à adolescência. 6) Trauma Dental na dentição decídua. 7) Controle da Dor e tratamentos indicados aos paciente odontopediátricos. 8) Abordagens preventivas e clínicas em odontopediatria. 9) Doenças bucais e manifestações orais sistêmicas.

ODONTOGERIATRIA

1) Processo de envelhecimento. 2) Odontologia geriátrica. 3) Aspectos psicológicos relacionados o idoso. 4) Atenção de saúde ao idoso.

DENTÍSTICA RESTAURADORA

1) Indicações e técnicas e uso das resinas compostas, amálgamas e cimento iononômeros de vidro. 2) Indicações e técnicas dos selantes de cicatrículas e fissuras. 3) Noções de oclusão e procedimentos clínicos de tratamento das disfunções.

PSICOLOGIA NA ODONTOLOGIA

1) Formação de vínculo no atendimento odontológico. 2)Relação paciente profissional. 3) Controle do comportamento. 4) Desenvolvimento Humano. 5) Dinâmica familiar. 6) Conceitos de stress e sua relação com a saúde bucal.

FARMACOLOGIA

1) Farmacologia aplicada ao atendimento odontológico e suas implicações clínicas.

ENDODONTIA

1) Métodos de diagnóstico. 2) Materiais para a proteção do complexo dentino-pulpar. 3) Tratamento conservador da polpa dentária. 4) Traumatismos alvéolo-dentário. 5) Doenças da polpa e periápice. 6)Urgências em Endodontia.

EXODONTIA

1) Anatomia aplicada. 2) Indicações e Contra-indicações. 3) Exames Complementares. 4)Assepsia e Barreiras de proteção. 5)Técnicas Operatórias. 6) Pós-Operatório em Exodontia.

PATOLOGIA BUCAL

1) Tumores benignos e malignos da cavidade bucal suas incidências características clínicas, tratamento e prognóstico. 2) Lesões cancerizáveis. 3) Epidemiologia. 4) Infecções Bacterianas. 5) Doenças Fúngicas e Protozoárias. 6) Infecções Virais. 7) Patologia das Glândulas Salivares.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- ANDRADE, E.D. Terapêutica Medicamentosa em Odontologia. Ed., Artes Médicas, 1ª ed. 1999.

- BARATIERI, N. et all. Dentística: Procedimentos Preventivos e Restauradores. Santos-SP, 1992.

- BRUNETI, R.F.; MONTENEGRO, F.L.B. Odontogeriatria: noções de interesse Clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002.

- BUISCHI, I.P. Promoção de Saúde Bucal na Clínica Odontológica. São Paulo: Artes Médicas, 2000.

- Código de Ética Odontológico.

- ESTRELA, C. FIGUEIREDO, J.A.P. Endodontia: princípios biológicos e mecânicos. São Paulo: Artes Médicas, 2001.

- FJERSKOV, O.; MANJI, F.; BAELUN, V. Fluorose Dentária - Um manual para profissionais da saúde. São Paulo: Santos, 1994.

- FJERSKOV, O.; THYLSTRUP, A. Cariologia Clínica. Tradução: WEYNE, S.; OPERMANN, R. 2. ed. São Paulo, 2001.

- FREITAS, A F.; ROSA, J.E & SOUZA, I. F. Radiologia Odontológica. São Paulo: Artes Médicas, 2004.

- LINDHE, JAN; Tratado de Periodontia e Implantologia Oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

- Mc MINN, R.M.H.;HUTCHINGS, R.T.; LOGAN, B.M. Atlas Colorido de Anatomia da Cabeça e Pescoço.São Paulo, 2 ed, Artes Médicas, 1998.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Assistência à Saúde, Controle de Infecções e a Prática Odontológica em tempos de Aids, Manual de Condutas.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE.SECRETARIA DE ASSISTENCIA À SAÚDE. PROGRAMA NACIONAL DST/AIDS. Hepatites, AIDS, e Herpes na Prática Odontológica. 1996.

- NEVILLE, Brad W. ; Damm, Douglas D. Patologia Oral e Maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1998.

- OLIVEIRA, AGRC. Odontologia Preventiva e Social Textos Selecionados EDUFRN. Natal: UFRN, 1997.

- PINKHAM, J.R. Odontopediatria da Infância à Adolescência. São Paulo: Artes Médicas, 1996.

- PINTO,V.G. Saúde Bucal Coletiva. São Paulo, 2000.

- PTERSON, L.J; ELLIS, E; HUPP,JR.; TUCKER, M.R. Cirurgia Oral e Maxilo-Facial Contemporânea. 3 ed. Guanabara. ST.LOUIS.2000.

- SEGER, L. et cols. Psicologia e Odontologia Uma abordagem integradora. São Paulo, 1998.

- SILVEIRA, J. O. L. Exodontia. Porto Alegre: Ed. Médica Missau. 1998.

- SOBOTTA. Atlas de Anatomia Humana, vol I, II. Guanabara Koogan, 20ª Edição.

- STAFNE, E. C. Diagnóstico Radiográfico Bucal. 4a. ed. Rio de Janeiro: Interamericana, 1982.

- WANNMACHER, L. FERREIRA,M. Farmacologia Clínica para Dentistas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

ODONTOLOGO ESPECIALISTA EM ENDODONTIA

Conteúdo:

ODONTOLOGIA PREVENTIVA e SAÚDE BUCAL COLETIVA

1) Cariologia. 2) Etiologia e comportamento da cárie dental. 3) Diferentes conceitos sobre cárie dentária e suas implicações. 4) Noções de microbiologia bucal, Placa Dental, Saliva, Dieta, Higiene Bucal. 5) Quimioprofilaxia da cárie dentária. 6) Risco de cárie e atividade cariogênica. 7) Diagnóstico e prognóstico de cárie. 8) Métodos e Mecanismos de ação do Flúor. 9) Declínio da Cárie. 10) Periodontia: conceito; Etiopatogeina; Diversas formas de tratamento; interrelação com outras doenças. 11) FLUOROSE DENTÁRIA: a) índices para predição, b) características, c) diagnóstico, d) fatores que afetam a incidência, e) tratamento de fluorose dentária. 12) Epidemiologia das doenças bucais prevalentes e sua prevenção. 13) Biossegurança em odontologia. 14) A Saúde no Brasil e suas políticas assistenciais. 15) Processo saúde doença. 16) Promoção e Educação em Saúde. 17) Tecnologias em saúde bucal coletiva. 18) Recursos Humanos em Saúde Bucal. 19) Planejamento, Financiamento, Programação e Identificação de Problemas em Saúde Bucal. 20) Exercício ético e legal da Odontologia no Brasil.

ODONTOPEDIATRIA

1) Características da Infância à adolescência e suas dinâmicas de mudanças. 2) Patologias e anomalias em Odontopediatria. 3) Uso de antimicrobianos. 4) Hábitos bucais. 5) Exames em Odontopediatria da Infância à adolescência. 6) Trauma Dental na dentição decídua. 7) Controle da Dor e tratamentos indicados aos paciente odontopediátricos. 8) Abordagens preventivas e clínicas em odontopediatria. 9) Doenças bucais e manifestações orais sistêmicas.

ODONTOGERIATRIA

1) Processo de envelhecimento. 2) Odontologia geriátrica. 3) Aspectos psicológicos relacionados o idoso. 4) Atenção de saúde ao idoso.

DENTÍSTICA RESTAURADORA

1) Indicações e técnicas e uso das resinas compostas, amálgamas e cimento iononômeros de vidro. 2) Indicações e técnicas dos selantes de cicatrículas e fissuras. 3) Noções de oclusão e procedimentos clínicos de tratamento das disfunções.

PSICOLOGIA NA ODONTOLOGIA

1) Formação de vínculo no atendimento odontológico. 2)Relação paciente profissional. 3) Controle do comportamento. 4) Desenvolvimento Humano. 5) Dinâmica familiar. 6) Conceitos de stress e sua relação com a saúde bucal.

FARMACOLOGIA

1) Farmacologia aplicada ao atendimento odontológico e suas implicações clínicas.

EXODONTIA

1) Anatomia aplicada. 2) Indicações e Contra-indicações. 3) Exames Complementares. 4)Assepsia e Barreiras de proteção. 5)Técnicas Operatórias. 6) Pós-Operatório em Exodontia.

PATOLOGIA BUCAL

Tumores benignos e malignos da cavidade bucal suas incidências características clínicas, tratamento e prognóstico. 2) Lesões cancerizáveis. 3) Epidemiologia. 4) Infecções Bacterianas. 5) Doenças Fúngicas e Protozoárias. 6) Infecções Virais. 7) Patologia das Glândulas Salivares.

ENDODONTIA

1) Métodos de diagnóstico. 2) Materiais para a proteção do complexo dentino-pulpar. 3) Tratamento conservador da polpa dentária. 4) Traumatismos alvéolo-dentário. 5) Doenças da polpa e periápice. 6)Urgências em Endodontia. 7)1.Anatomia dentária e das cavidades pulpares. 8)Histologia, patologia, histopatologia e fisiologia pulpar eperiapical. 9)Alterações pulpares. 10)Neurofisiologia da dor e síndromes dolorosas que simulam odontalgia 11)Diagnóstico, prognóstico e plano de tratamento. 12)Radiologia em Endodontia. 13)Microbiologia endodôntica. 14).Aparelhos, instrumental e esterilização em Endodontia. 15) Tratamento conservador da polpa. 16) Preparo biomecânico e obturação dos canais radiculares. 17). Medicação de uso endodôntico. 18)Insucessos e retratamentos. 19) Traumatismos dentários. 20) Apicogênese e apicificação. 21)Reparo tecidual após tratamento endodôntico.22)Cirurgia paraendodôntica 23)Urgências em Endodontia. 24) Legislação

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- COHEN, S. Caminhos da polpa. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

- ESTRELA, C. Ciência Endodôntica 2. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004. v. 1 e 2.

- LOPES, H.P.; SIQUEIRA JR., J.F. Endodontia - Biologia e Técnica. 2. ed. Rio de Janeiro: Medsi, 2004.

- BARATIERI, N. et all. Dentística: Procedimentos Preventivos e Restauradores. Santos-SP, 1992.

- BRUNETI, R.F.; MONTENEGRO, F.L.B. Odontogeriatria: noções de interesse Clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002.

- BUISCHI, I.P. Promoção de Saúde Bucal na Clínica Odontológica. São Paulo: Artes Médicas, 2000.

- Código de Ética Odontológico.

- ESTRELA, C. FIGUEIREDO, J.A.P. Endodontia: princípios biológicos e mecânicos. São Paulo: Artes Médicas, 2001.

- FJERSKOV, O.; MANJI, F.; BAELUN, V. Fluorose Dentária - Um manual para profissionais da saúde. São Paulo: Santos, 1994.

- FJERSKOV, O.; THYLSTRUP, A. Cariologia Clínica. Tradução: WEYNE, S.; OPERMANN, R. 2. ed. São Paulo, 2001.

- LINDHE, JAN; Tratado de Periodontia e Implantologia Oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Assistência à Saúde, Controle de Infecções e a Prática Odontológica em tempos de Aids, Manual de Condutas.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE.SECRETARIA DE ASSISTENCIA À SAÚDE. PROGRAMA NACIONAL DST/AIDS. Hepatites, AIDS, e Herpes na Prática Odontológica. 1996.

- NEVILLE, Brad W. ; Damm, Douglas D. Patologia Oral e Maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1998.

- OLIVEIRA, AGRC. Odontologia Preventiva e Social Textos Selecionados EDUFRN. Natal: UFRN, 1997.

- PINKHAM, J.R. Odontopediatria da Infância à Adolescência. São Paulo: Artes Médicas, 1996.

- PINTO,V.G. Saúde Bucal Coletiva. São Paulo, 2000.

- SEGER, L. et cols. Psicologia e Odontologia Uma abordagem integradora. São Paulo, 1998.

- SILVEIRA, J. O. L. Exodontia. Porto Alegre: Ed. Médica Missau. 1998.

- WANNMACHER, L. FERREIRA,M. Farmacologia Clínica para Dentistas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

ODONTOLOGO ESPECIALISTA EM ODONTO PEDIATRIA

LEGISLAÇÃO E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Conteúdo:

ODONTOLOGIA PREVENTIVA e SAÚDE BUCAL COLETIVA

1) Cariologia. 2) Etiologia e comportamento da cárie dental. 3) Diferentes conceitos sobre cárie dentária e suas implicações. 4) Noções de microbiologia bucal, Placa Dental, Saliva, Dieta, Higiene Bucal. 5) Quimioprofilaxia da cárie dentária. 6) Risco de cárie e atividade cariogênica. 7) Diagnóstico e prognóstico de cárie. 8) Métodos e Mecanismos de ação do Flúor. 9) Declínio da Cárie. 10) Periodontia: conceito; Etiopatogeina; Diversas formas de tratamento; interrelação com outras doenças. 11) FLUOROSE DENTÁRIA: a) índices para predição, b) características, c) diagnóstico, d) fatores que afetam a incidência, e) tratamento de fluorose dentária. 12) Epidemiologia das doenças bucais prevalentes e sua prevenção. 13) Biossegurança em odontologia. 14) A Saúde no Brasil e suas políticas assistenciais. 15) Processo saúde doença. 16) Promoção e Educação em Saúde. 17) Tecnologias em saúde bucal coletiva. 18) Recursos Humanos em Saúde Bucal. 19) Planejamento, Financiamento, Programação e Identificação de Problemas em Saúde Bucal. 20) Exercício ético e legal da Odontologia no Brasil.

ODONTOPEDIATRIA

1) Características da Infância à adolescência e suas dinâmicas de mudanças. 2) Patologias e anomalias em Odontopediatria. 3) Uso de antimicrobianos. 4) Hábitos bucais. 5) Exames em Odontopediatria da Infância à adolescência. 6) Trauma Dental na dentição decídua. 7) Controle da Dor e tratamentos indicados aos paciente odontopediátricos. 8) Abordagens preventivas e clínicas em odontopediatria. 9) Doenças bucais e manifestações orais sistêmicas.

ODONTOGERIATRIA

1) Processo de envelhecimento. 2) Odontologia geriátrica. 3) Aspectos psicológicos relacionados o idoso. 4) Atenção de saúde ao idoso.

DENTÍSTICA RESTAURADORA

1) Indicações e técnicas e uso das resinas compostas, amálgamas e cimento iononômeros de vidro. 2) Indicações e técnicas dos selantes de cicatrículas e fissuras. 3) Noções de oclusão e procedimentos clínicos de tratamento das disfunções.

PSICOLOGIA NA ODONTOLOGIA

1) Formação de vínculo no atendimento odontológico. 2)Relação paciente profissional. 3) Controle do comportamento. 4) Desenvolvimento Humano. 5) Dinâmica familiar. 6) Conceitos de stress e sua relação com a saúde bucal.

FARMACOLOGIA

1) Farmacologia aplicada ao atendimento odontológico e suas implicações clínicas.

ENDODONTIA

1) Métodos de diagnóstico. 2) Materiais para a proteção do complexo dentino-pulpar. 3) Tratamento conservador da polpa dentária. 4) Traumatismos alvéolo-dentário. 5) Doenças da polpa e periápice. 6)Urgências em Endodontia.

EXODONTIA

1) Anatomia aplicada. 2) Indicações e Contra-indicações. 3) Exames Complementares. 4)Assepsia e Barreiras de proteção. 5)Técnicas Operatórias. 6) Pós-Operatório em Exodontia.

PATOLOGIA BUCAL

1) Tumores benignos e malignos da cavidade bucal suas incidências características clínicas, tratamento e prognóstico. 2) Lesões cancerizáveis. 3) Epidemiologia. 4) Infecções Bacterianas. 5) Doenças Fúngicas e Protozoárias. 6) Infecções Virais. 7) Patologia das Glândulas Salivares.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- BARATIERI, N. et all. Dentística: Procedimentos Preventivos e Restauradores. Santos-SP, 1992.

- BRUNETI, R.F.; MONTENEGRO, F.L.B. Odontogeriatria: noções de interesse Clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002.

- BUISCHI, I.P. Promoção de Saúde Bucal na Clínica Odontológica. São Paulo: Artes Médicas, 2000.

- ESTRELA, C. FIGUEIREDO, J.A.P. Endodontia: princípios biológicos e mecânicos. São Paulo: Artes Médicas, 2001.

- FJERSKOV, O.; MANJI, F.; BAELUN, V. Fluorose Dentária - Um manual para profissionais da saúde. São Paulo: Santos, 1994.

- FJERSKOV, O.; THYLSTRUP, A. Cariologia Clínica. Tradução: WEYNE, S.; OPERMANN, R. 2. ed. São Paulo, 2001.

- LINDHE, JAN; Tratado de Periodontia e Implantologia Oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE.SECRETARIA DE ASSISTENCIA À SAÚDE. PROGRAMA NACIONAL DST/AIDS. Hepatites, AIDS, e Herpes na Prática Odontológica. 1996.

- NEVILLE, Brad W. ; Damm, Douglas D. Patologia Oral e Maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1998.

- OLIVEIRA, AGRC. Odontologia Preventiva e Social Textos Selecionados EDUFRN. Natal: UFRN, 1997.

- PINKHAM, J.R. Odontopediatria da Infância à Adolescência. São Paulo: Artes Médicas, 1996.

- PINTO,V.G. Saúde Bucal Coletiva. São Paulo, 2000.

- SEGER, L. et cols. Psicologia e Odontologia Uma abordagem integradora. São Paulo, 1998.

- SILVEIRA, J. O. L. Exodontia. Porto Alegre: Ed. Médica Missau. 1998.

- WANNMACHER, L. FERREIRA,M. Farmacologia Clínica para Dentistas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Assistência à Saúde, Controle de Infecções e a Prática Odontológica em tempos de Aids, Manual de Condutas.

- Código de Ética Odontológico.

ODONTOLOGO PROTESISTA

Conteúdo:

ODONTOLOGIA PREVENTIVA e SAÚDE BUCAL COLETIVA

1) Cariologia. 2) Etiologia e comportamento da cárie dental. 3) Diferentes conceitos sobre cárie dentária e suas implicações. 4) Noções de microbiologia bucal, Placa Dental, Saliva, Dieta, Higiene Bucal. 5) Quimioprofilaxia da cárie dentária. 6) Risco de cárie e atividade cariogênica. 7) Diagnóstico e prognóstico de cárie. 8) Métodos e Mecanismos de ação do Flúor. 9) Declínio da Cárie. 10) Periodontia: conceito; Etiopatogeina; Diversas formas de tratamento; interrelação com outras doenças. 11) FLUOROSE DENTÁRIA: a) índices para predição, b) características, c) diagnóstico, d) fatores que afetam a incidência, e) tratamento de fluorose dentária. 12) Epidemiologia das doenças bucais prevalentes e sua prevenção. 13) Biossegurança em odontologia. 14) A Saúde no Brasil e suas políticas assistenciais. 15) Processo saúde doença. 16) Promoção e Educação em Saúde. 17) Tecnologias em saúde bucal coletiva. 18) Recursos Humanos em Saúde Bucal. 19) Planejamento, Financiamento, Programação e Identificação de Problemas em Saúde Bucal. 20) Exercício ético e legal da Odontologia no Brasil.

ODONTOPEDIATRIA

1) Características da Infância à adolescência e suas dinâmicas de mudanças. 2) Patologias e anomalias em Odontopediatria. 3) Uso de antimicrobianos. 4) Hábitos bucais. 5) Exames em Odontopediatria da Infância à adolescência. 6) Trauma Dental na dentição decídua. 7) Controle da Dor e tratamentos indicados aos paciente odontopediátricos. 8) Abordagens preventivas e clínicas em odontopediatria. 9) Doenças bucais e manifestações orais sistêmicas.

ODONTOGERIATRIA

1) Processo de envelhecimento. 2) Odontologia geriátrica. 3) Aspectos psicológicos relacionados o idoso. 4) Atenção de saúde ao idoso.

DENTÍSTICA RESTAURADORA

1) Indicações e técnicas e uso das resinas compostas, amálgamas e cimento iononômeros de vidro. 2) Indicações e técnicas dos selantes de cicatrículas e fissuras. 3) Noções de oclusão e procedimentos clínicos de tratamento das disfunções.

PSICOLOGIA NA ODONTOLOGIA

1) Formação de vínculo no atendimento odontológico. 2)Relação paciente profissional. 3) Controle do comportamento. 4) Desenvolvimento Humano. 5) Dinâmica familiar. 6) Conceitos de stress e sua relação com a saúde bucal.

FARMACOLOGIA

1) Farmacologia aplicada ao atendimento odontológico e suas implicações clínicas.

ENDODONTIA

1) Métodos de diagnóstico. 2) Materiais para a proteção do complexo dentino-pulpar. 3) Tratamento conservador da polpa dentária. 4) Traumatismos alvéolo-dentário. 5) Doenças da polpa e periápice. 6)Urgências em Endodontia.

EXODONTIA

1) Anatomia aplicada. 2) Indicações e Contra-indicações. 3) Exames Complementares. 4)Assepsia e Barreiras de proteção. 5)Técnicas Operatórias. 6) Pós-Operatório em Exodontia.

PATOLOGIA BUCAL

1) Tumores benignos e malignos da cavidade bucal suas incidências características clínicas, tratamento e prognóstico. 2) Lesões cancerizáveis. 3) Epidemiologia. 4) Infecções Bacterianas. 5) Doenças Fúngicas e Protozoárias. 6) Infecções Virais. 7) Patologia das Glândulas Salivares.

PRÓTESE DENTÁRIA

Fundamentos de oclusão; Registros interoclusais; Articulações dos modelos; Restaurações de dentes unitários; Plano de tratamento para substituir dentes ausentes; Desenho prótese fixa; Preparo para coroas totais; Preparo para restaurações intracoronárias; Preparo para dentes extremamente danificados; Moldagens e matérias de moldagem; Restaurações de cerâmica: Próteses parciais fixas adesivas; Facetas estéticas e restaurações inlays e onlays de porcelana; Reabilitação protética de pacientes com perda avançada de inserção; Prótese total. Prótese parcial removível. RMF (restauração metálica fundida).

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- BARATIERI, N. et all. Dentística: Procedimentos Preventivos e Restauradores. Santos-SP, 1992.

- BRUNETI, R.F.; MONTENEGRO, F.L.B. Odontogeriatria: noções de interesse Clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002.

- BUISCHI, I.P. Promoção de Saúde Bucal na Clínica Odontológica. São Paulo: Artes Médicas, 2000.

- ESTRELA, C. FIGUEIREDO, J.A.P. Endodontia: princípios biológicos e mecânicos. São Paulo: Artes Médicas, 2001.

- FJERSKOV, O.; MANJI, F.; BAELUN, V. Fluorose Dentária - Um manual para profissionais da saúde. São Paulo: Santos, 1994.

- FJERSKOV, O.; THYLSTRUP, A. Cariologia Clínica. Tradução: WEYNE, S.; OPERMANN, R. 2. ed. São Paulo, 2001.

- LINDHE, JAN; Tratado de Periodontia e Implantologia Oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE.SECRETARIA DE ASSISTENCIA À SAÚDE. PROGRAMA NACIONAL DST/AIDS. Hepatites, AIDS, e Herpes na Prática Odontológica. 1996.

- NEVILLE, Brad W. ; Damm, Douglas D. Patologia Oral e Maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1998.

- OLIVEIRA, AGRC. Odontologia Preventiva e Social Textos Selecionados EDUFRN. Natal: UFRN, 1997.

- PINKHAM, J.R. Odontopediatria da Infância à Adolescência. São Paulo: Artes Médicas, 1996.

- PINTO,V.G. Saúde Bucal Coletiva. São Paulo, 2000.

- SEGER, L. et cols. Psicologia e Odontologia Uma abordagem integradora. São Paulo, 1998.

- SILVEIRA, J. O. L. Exodontia. Porto Alegre: Ed. Médica Missau. 1998.

- WANNMACHER, L. FERREIRA,M. Farmacologia Clínica para Dentistas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Assistência à Saúde, Controle de Infecções e a Prática Odontológica em tempos de Aids, Manual de Condutas.

- Código de Ética Odontológico.

- PEGORARO, L. F.et al. Prótese Fixa. ed. Artes Médicas, 1998.

-SHILLINBURG, H. T. Fundamentos dos preparos dentários para restaurações metálicas e de porcelana. Quintessence Editora,1998.

- SHILLINBURG, H. T. Fundamentos de Prótese. Quintessence Editora, 1998.

- TODESCAN, R; SILVA, E. E.; SILVA, J. Atlas de Prótese Parcial Removível. ed. Santos,1996.

- TORANO, J.C.; TURANO, L. M. Fundamentos de Prótese Total. Quintessence Editra,1993.

TERAPEUTA OCUPACIONAL

Conteúdo:

1.Fundamentos de Terapia Ocupacional.História da Terapia Ocupacional.2.Recursos Terapêuticos e Análise de atividade.3.Reabilitação Psicossocial.Reabilitação Física.4.Terapia Ocupacional Pediátrica 5.Terapia Ocupacional em Saúde Mental.Modelo de ocupação humana. 6.Ética profissional. 7. Legislação

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204 - Art. 225. Do Meio Ambiente - Art. 226 a 230. Da Família, da Criança, do Adolescente e do Idoso).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- BENETTON , Jô - "Trilhas Associativas" , Lemos editora 1991

- DE CARLO, Marysia M. R. e outros - "Terapia Ocupacional no Brasil" , São Paulo, Plexus, 2001

- FRANCISCO, Rosa Berenice - "Terapia Ocupacional" , Papirus editora 1988

- HAGENDORN, Rosemary - "Fundamentos da Prática em Terapia Ocupacional" , São Paulo, Dinamis editorial, 1999.

- TEIXEIRA, Érica e outros, "Terapia Ocupacional na reabilitação física" publicação AACD, Ed.Rocca.

- CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL

TURISMÓLOGO

Conteúdo:

1) Histórico do Turismo. 2) Turismo Sustentável, suas três dimensões (dimensão ambiental, econômica e social). 3) Fundamentos de Economia, Turismo e Economia do Turismo e Sistema Econômico do Turismo. 4) Demanda , produção e oferta turística. 5) Turismo e Herança Cultural, Legado Cultural e Identidade, O Papel dos Museus na Atualidade. 6) Turismo na Atualidade, Conceitos Básicos de Planejamento Turísticos, 7) Planejamento e Gestão do Turismo. Tendências para o Desenvolvimento do Turismo. 8) Megatendências do setor Turístico, Realidades Brasileira. Realidade do Turismo e os impactos dos atentados de 11 de setembro de 2001. 9) Marketing Público, Marketing de uma localidade, Comunicação Turística. Elaboração da imagem de um local. 10) O Pós Turismo. 11) O impacto do Turismo na ecologia e na comunidade local.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- BARRETTO, Margarida. Turismo e Legado Cultural: As Possibilidades do Planejamento. - Campinas , SP: Papirus, 2000.

- BENI, M. C. Globalização do Turismo: Megatendências do setor e a realidade brasileira. São Paulo: Aleph, 2003.

- KOTLER, Philip. Marketing Público. São Paulo: Makron Books, 1994

- LEMOS, Amália Inês Geraiges de Lemos. Turismo:Impactos Socioambientais, São Paulo: Hucitec, 1999.

- LEMOS, Leandro de. Turismo: Que negócio é esse?. Campinas SP: Papirus, 1999.

- MOLINA, Sérgio. O pós-turismo. São Paulo: Aleph, 2003

- MOLINA, Sérgio. Turismo e Ecologia. Tradução Josely Vianna Baptista.- Bauru, SP: EDUSC, 2001.

- REJOWSKI, Mirian. Turismo no Percurso do Tempo,São Paulo: Aleph, 2002.

- RUSCHMANN, Doris. Turismo e Planejamento Sustentável: Proteção do Meio Ambiente. Camoinas, SP: Papirus, 1997.

- SWARBROOKE, Jonw. Turismo Sustentável: Conceito e Impacto Ambiental. São Paulo: Aleph, 2000.

Para o cargo da TABELA B - ECONOMISTA

MATEMÁTICA

Conteúdo:

1) MATEMÁTICA ELEMENTAR: álgebra; porcentagem; trigonometria; geometria (plana, espacial e analítica). 2) CÁLCULO A UMA VARIÁVEL: estudo da reta e de curvas planas, cálculo diferencial de uma variável real, cálculo integral das funções de uma variável real. 3) CÁLCULO A N VARIÁVEIS: geometria analítica espacial, derivadas parciais, integrais múltiplas. 4) EQUAÇÕES DIFERENCIAIS: equações ordinárias e lineares, métodos de solução e aplicações elementares. 5) MATEMÁTICA FINANCEIRA E ESTATÍSTICA: juros simples e composto, capitalizações, descontos, rendas certas, rendas variáveis, taxa interna de retorno, equivalência de fluxos de caixa, amortização de empréstimos, noções de análise de investimento, correção monetária; noções de estatística discreta e contínua.

LEGISLAÇÃO E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Conteúdo:

1) DEFINIÇÕES FUNDAMENTAIS: Princípios Econômicos: Princípio da demanda; Curva da demanda; Princípio da oferta; Curva da oferta; Equilíbrio de mercado. Análise e Política Econômica. Utilidades, Bens e Serviços. Fatores de Produção. Sistema Econômico. Microeconomia. Macroeconomia. 2) PROBLEMAS CENTRAIS DE UM SISTEMA ECONÔMICO: Curva de Transformação. Função de Produção. Distribuição de Renda. 3)DISTRIBUIÇÃO DE RENDA:Conceitos Básicos de Renda. Produtos e Fatores de Desenvolvimento. Fluxo de Produtos e Rendimentos. Bens Finais e Intermédios. Quadro de Insumo - Produto. Fatores de Desenvolvimento. Conceito de Desenvolvimento Econômico. Crescimento Econômico e Inflação. 4) RENDA NACIONAL: Definições Básicas. Os três ângulos da Renda. O Setor do Governo. O Setor Externo. Investimento Bruto e Líquido. Renda Real e Renda Monetária. 5) OS DIFERENTES CONCEITOS DE DESPESA PRODUTO E RENDA: Macromercados: Oferta agregada e demanda agregada; Equilíbrio macroeconômico. Despesa Nacional Bruta. Produto Interno Bruto. Produto Nacional Bruto. Produto Nacional Líquido. Renda Nacional. Renda Pessoal. Renda Pessoal Disponível. Fluxo circular de renda. 6) MOEDA E BANCOS: Conceitos Básicos: Definição de Moeda; Natureza e Funções da Moeda; Meios de Pagamento; Quase-Moeda; Demanda por Moeda e Oferta de Moeda. Padrões Monetários: Economia Natural; Escambo; Moeda-Mercadoria; Moeda Metálica. O Padrão Ouro e Bimetalismo: Padrão de Moedas de Ouro; Padrão de Barras de Ouro; Padrão de Câmbio Ouro. Bimetalismo; Evolução do Padrão - Ouro. Moeda Fiduciária: Definição .7) MOEDA BANCÁRIA: Definição: Processo de Multiplicação dos Depósitos; Controle do Sistema Bancário. 8) ESTATISTICA: Variáveis e Gráficos. Distribuição de Freqüência. Média, Mediana, Moda e Outras Medidas de Tendência Central. Desvio Padrão e Outras Medidas de Dispersão. Ajustamento de Curvas e os Métodos dos Mínimos Quadrados. Teoria da Correlação. Números Índices. 9) egislação.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Tributação e Orçamento, Da Ordem Econômica e Financeira - Art. 145 a 183).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- Lei Complementar 101/2000 - Lei de responsabilidade fiscal.

- Lei Federal 8.666/93 e suas alterações - Lei de Licitações.

- Lei Federal 4.320/64 e suas alterações e legislação complementar.

- DOUGLAS DOWNING & JEFREY CLARK. Estatística Aplicada. São Paulo: Saraiva., 1ed.1998.

- FORTUNA, Eduardo. Mercado Financeiro. Qualitymark, 15.ed. 2002.

- HILLBRECHT,Ronald. Economia Monetária. Editora Atlas, 1ed. 1999.

- MANKIW, M. Gregory. Macroeconomia. Editora Santuário, Nova edição revisada, 1995.

- MCGRAW-HILL. Probabilidade e Estatística. Editora Makron Books do Brasil, 1.ed. 1977.

- MARTINS, Fonseca e; Curso de Estatística. Editora Atlas, 6ª Edição, 1996.

- SACHS & LARRAIN. Macroeconomia em uma economia global. Ed Makron Books, 1.ed. 2000.

- SOUZA, Nali de Jesus de; Desenvolvimento Econômico.Editora Atlas, 3 ed, 1997.

- VARIAN, Hal R. Microeconomia princípios básicos. Editora Campus, 5 ed. 2000.

Para os cargos das TABELAS C e D - ASSISTENTE CULTURAL, AUXILIAR DE ESCRITURAÇÃO ESCOLAR, AUXILIAR DE LABORATÓRIO, INTÉRPRETE DE LIBRAS, OFICIAL ADMINISTRATIVO, OFICIAL FAZENDÁRIO, OPERADOR DE ENCEFALOGRAMA, TÉCNICO AGRÍCOLA, TÉCNICO EM EDIFICAÇÃO, TÉCNICO EM MÚSICA E DANÇA E TÉCNICO EM TURISMO

PORTUGUÊS - Comum a todos

Conteúdo:

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

MATEMÁTICA - Comum a todos

Conteúdo:

1) CONJUNTOS NUMÉRICOS: Noções básicas, tipos e operações. 2) Funções: Função polinomial do 1º e 2º grau, modular, exponencial, logarítmica. 3)EQUAÇÕES: 1º e 2º graus, exponencial e logarítmica. 4) POLINÔMIOS: operações básicas e equações. 5) MATRIZES E DETERMINANTES. 6) SISTEMAS LINEARES: 2, 3 ou mais variáveis. 7) Análise combinatória: fatorial, arranjo, permutação e combinação simples. Binômio de Newton. 8) PROBABILIDADE. 9) Sucessão ou seqUência: progressões aritméticas e geométricas. 10) TRIGONOMETRIA: trigonometria no triângulo retângulo, num triângulo qualquer e no ciclo. Funções trigonométricas e inversas. Equações e inequações trigonométricas. 11) PORCENTAGEM. 12) MATEMÁTICA COMERCIAL E FINANCEIRA: juro simples e composto. Desconto simples por dentro e bancário. Taxas. 13) GEOMETRIA: Plana (polígonos regulares e irregulares) e espacial (poliedros em geral). Ângulos. Perímetros. Calculo de área, volume, massa das figuras planas e espaciais. Teoremas de Tales e Pitágoras. Polígonos regulares inscritos e circunscritos em qualquer outro polígono. 14) GEOMETRIA ANALÍTICA: A reta e a circunferência no plano cartesiano. 15) Números complexos: Operações básicas, forma algébrica e trigonométrica.

LEGISLAÇÃO E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

ASSISTENTE CULTURAL

Conteúdo:

1) Legislação; 2) Educação e Sociedade; 3) Infância e Cultura; 4) Planejamento na prática educativa; 5) Currículo escolar; 6) Desenvolvimento infantil; 7) Perspectivas educacionais através do lúdico; 8) Organização do tempo e espaço físico na escola; 9) Características sócio-efetivas, motoras e cognitivas; 10) O esporte, a criança e o adolescente.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- ARIÉS, Phillipe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara,1981.

- CRAIDY, Carmem; Kaerccher, Gládis Elise P. da Silva. Educação Infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

- COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

- KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. RJ: Vozes, 1993.

- LEVIN, Esteban. A infância em cena: constituição do sujeito e desenvolvimento psicomotor. Petrópolis: Vozes, 1997.

- LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo, Cortez, 1992.

- PILLAR, AnaliceDutra. Desenho e escrita como sistemas de representação. Porto Alegre: Artes Médicas.

- PILLAR, Analice Dutra (org.). A Educação do Olhar no Ensino das Artes. Porto Alegre: Mediação.

- PILETTI, Claudino. Didática geral. São Paulo: Ática, 1993.

- REINALDO SOLER. Educação Física Escolar. Rio de Janeiro: Sprint, 2003.

- SANS; Paulo de Tarso Cheida. A Criança e o Artista: fundamento para o ensino das artes plásticas. Campinas: Papirus: 1995.

AUXILIAR DE ESCRITURAÇÃO ESCOLAR

Conteúdo:

1) Correspondência oficial. 2) Redação oficial. 3) Datilografia qualitativa. 4) Formas de tratamento. 5) Abreviações. 6) Expressões e vocábulos latinos de uso freqüente nas comunicações administrativas oficiais. 7) Documentos. 8) Noções de Informática-Word-Excel. 9) Organização de Fichários/Agendas. 10) Uso adequado, conservação e manutenção de equipamentos 11) Legislação. Cuidados com o ambiente de trabalho: 1) Limpeza do local de trabalho. 2) Remoção de lixos e detritos 3) Noções de segurança e higiene do trabalho.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- Manuais e livros diversos com os conteúdos indicados.

- BELTRÃO, Odacir e BELTRÃO, Mariúsa. "Correspondência, linguagem e comunicação: oficial, comercial, bancária e particular". Ed 23. São Paulo: Atlas 2005.

- KASPARY, Adalberto José, "Redação Oficial Normas e Modelos", 17. ed. Porto Alegre: EDITA, 2004.

AUXILIAR DE LABORATÓRIO

Conteúdo:

1)Introdução ao Laboratório Clínico. 2)Urinálise. 3)Bioquímica básica. 4)Hematologia básica. 5)Imunologia básica e sorologia. 6)Microbiologia Clínica básica. 7)Parasitologia básica. 8)Soluções. 9)Amostras. 10)Glicose. 11)Proteínas. 12)Nitrogênio não protéico. 13)Enzimas. 14)Lipídios. 15)Eletrólitos. 16)Função hepática. 17)Função Renal. 18)O laboratório Clínico e o relacionamento com os pacientes. 19)Instalação, equipamentos e instrumentos para colheita de material. 20)Desinfectantes e antisépticos usados no laboratório de patologia clínica. 21)Colheita de sangue. 22)Colheita de urina. 23)Colheita de fezes. 24)Colheita de escarro. 25)Colheita de material de garganta. 26)Colheita de secreções. 27)Colheita de material para pesquisa de treponemas e termófilos. 28)Função de gânglios linfátias. 29) Função de medula óssea. 30)Aspiração de abcessos subartaneos. 31)Colheita de material para diagnóstico de Hanseníase cutânea. 32)Colheita de material para exames citológicos em geral. 33)Colheita de material para citologia ginecológico. 34)Provas funcionais de sobrecarga e de tolerância. 35)Colheita de exames micológicos. 36)Exames feitos totalmente pelo pessoal de colheita. 37)Considerações gerais sobre a preservação de amostras. 38)Amostras para exames mais comuns. 39)Preparo de materiais para colheita. 40)Organização e administração. 41)Normas de funcionamento. 42)Controle de qualidade. 43)Avaliação. 44)Regulamentação credenciamento.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- CUNHA, Maria das Mercês Pontes Lima. "Manual de Laboratório Cito - Histopatólogico". Ministério da Saúde. Brasília: centro de documentação do Ministério da Saúde. 1987

- FELTRE, Ricardo., "Química" São Paulo. Moderna. Vol 1, 2 e 3.

- MOTTA, Valter. "Química Clínica. Métodos". Irradiação Sul Ltda. Porto Alegre 1973.

- MOURA, R. A. de A. - "Técnica de Laboratório", Livraria Atheneu.

- MOURA Roberto A. de Almeida. "Colheita de materiais para exames de laboratório". Athisseu 1998

- NOVAIS,Vera - " Química " - Atual 6 ed 2000.

- PERUZZO, Tito & CANTO, Eduardo Leite. "Química na abordagem do cotidiano". São Paulo. MODERNA. Vol. 1, 2 e 3.

- VALLADA, E. P. - "Manual de Exames de Urina" Livraria Atheneu.

- WALTERS, Norma J., Estrindge, Barbara H. "Laboratório Clínico. Técnicas básicas". 3° Edit Artes Médicas. Porto Alegre. 1998

INTÉRPRETE DE LIBRAS

Conteúdo:

1) Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) - Lei 9394/96, capítulo V, art. 58 e 59. 2) Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). 3) Circular n º 277 de 8 de maio de 1996, do Ministério da Educação. 4) Portaria n º 1793/94, do Ministério da Educação - Sugestão de Estratégias. 5) Lei municipal 4674/01, que institui a Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS - no Município. 6) Lei Municipal 4743/01, que cria o cargo de Intérprete de LIBRAS no Município. 7) A importância do intérprete no processo de comunicação na vida do surdo. 8) O papel do intérprete. 9) Código de Ética do intérprete. 10) Identidades e cultura surda. 11) Legislação.

Bibliografia:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- FERREIRA, Geralda Eustáquia. A questão do significado - 1ª parte. Revista da FENEIS. nº 4, p. 33, out/dez. 1999.

- FENEIS. nº 4, p. 33, out/dez. 1999.

- FERREIRA, Geralda Eustáquia. A questão do significado - 2ª parte. Revista da FENEIS. nº 5, p. 33, jan/mar. 2000.

- GRUPO de Pesquisa de LIBRAS e Cultura Surda Brasileira. As comunidades surdas reivindicam por novas profissões: Instrutor de LIBRAS e Intérprete de LIBRAS. Revista da FENEIS. nº 4, p. 14-15, out/dez. 1999.

- SKLIAR, Carlos (org.). A Surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação,1998.

- Que educação nós surdos queremos. Documento elaborado no pré-Congresso para o V Congresso Latino-Americano de Educação Bilíngue para Surdos.

- Língua Brasileira de Sinais. FENEIS, apostila.

- O que é o intérprete de LIBRAS para pessoas surdas. FENEIS, apostila.

- Código de Ética do Intérprete. Parte integrante do Regimento Interno do Departamento Nacional de Intérpretes da FENEIS, aprovado no I Encontro Nacional de Intérpretes. Rio de Janeiro, 1992.

- Legislação específica, referida neste Programa.

OFICIAL ADMINISTRATIVO

Conteúdo 1:

1) Noções de Informática: Hardware, software, aplicativos do pacote Office 2000 ( word e excel), Internet Explorer 6.0 ou superior, correio eletrônico. 2) Sistemas Operacionais Linux e Windows XP. 16) Projeto de Web Sites. 17) Linguagem HTML. 18) Protocolo http. 19) Redes LAN, MAN, WAN e ATM. 20) Topologias de Rede. 21) Meios Físicos de Transmissão. 22) Arquiteturas de Redes de Computadores. 23) Modelo OSI da ISSO. 24) Padrões para LANs e MANs. 25) Segurança em Redes de Computadores. 26) Arquiteturas Ponto-a-Ponto e Cliente-Servidor. 27) Construção de Sistemas Cliente-Servidor. 28) Gerenciamento de Sistemas Cliente-Servidor. 29) Padrões de Rede Cliente-Servidor. 30) Administração e Manutenção de Banco de Dados Relacional. 31) Projeto de Banco de Dados Relacional. 32) Diagrama Entidade-Relacionamento. 33) Desenvolvimento de Consultas SQL. 34) Manutenção de Hardware. 35) Legislação. 36) Conteúdo das bibliografias citadas abaixo.

Conteúdo 2:

1) Administração pública. 2) Poderes Administrativos. 3) Atos Administrativos. 4) Licitações. 5) Contratos Administrativos. 6) Serviços Públicos. 7) Servidores Públicos. 8) Responsabilidade Civil Da Administração. 9) Controle Da Administração. 10) Correspondência Oficial. 11) Redação Oficial. 12) Formas De Tratamento. 13) Expressões e Vocábulos Latinos de uso freqüente nas Comunicações Administrativas Oficiais. 14) Modelos e/ou Documentos utilizados. 15) Cuidados com o ambiente de trabalho: Limpeza do local de trabalho. Remoção de lixos e detritos. Noções de segurança e higiene do trabalho.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- BRAGA, William Cesar. Microsoft Windows XP, Rio de Janeiro: Alta Books, 2002

- MICROSOFT PRESS, Dicionário de Informática. Tradução de Valeria Chamon. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

- NORTON, Peter. Introdução à Informática. São Paulo: Makron Books, 1996.

- BATTISTI, Júlio. Windows XP - Home & Professional Para Usuários e Administradores. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil Editora, 2002.

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Internet Explorer (Ajuda eletrônica integrada ao Programa Internet Explorer).

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Excel (Ajuda eletrônica integrada ao Programa MS Excel).

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Word (Ajuda eletrônica integrada ao Programa MS Word).

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft, Windows XP. (Ajuda eletrônica integrada ao MS Windows XP).

- Manuais e apostilas de referência do Pacote Office e ajuda on-line (help).

- AYOURDON, Edward. CONSTANTINE, Larry L. Projeto Estruturado de Sistemas. Rio de Janeiro: Campus.

- ANUNCIAÇÃO, Heverton S. Linux: guia prático em português. São Paulo: Érica.

- GRAHAM, Ian S. HTML: a referência completa. Rio de Janeiro: Campus.

- Jr, Décio. HTTP - Guia de Consulta Rápida. Novatec, 2001.

- LOWE, Doug. Cliente/Servidor para Leigos. São Paulo: Berkeley Brasil.

- MINASI, Mark. Mastering Windows XP professional. Campus

- MINASI, Mark. Windows 2000 server. Sybex

- NORTON, P., GRIFFITH, A. Guia completo do Linux. São Paulo, Berkeley. 2000.

- SILBERSCHATZ, Abraham; KORT, H.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. 4ª edição, Mc Graw Hill, 2001.

- TORRES, Gabriel. Hardware : curso completo. 4. ed. Rio de Janeiro: Axcel Books, c2001.

- VELLOSO, F. C.Informática: conceitos básicos. Rio de Janeiro, Campus.

- BELTRÃO, Odacir e BELTRÃO, Mariúsa. "Correspondência, linguagem e comunicação: oficial, comercial, bancária e particular". Ed 23. São Paulo: Atlas 2005.

- DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella "Direito Administrativo" 13ª edição, Editora Atlas S.A

- KASPARY, Adalberto José, "Redação Oficial Normas e Modelos", 17. ed. Porto Alegre: EDITA, 2004.

- MEIRELLES, Hely Lopes, "Direito Administrativo Brasileiro", Malheiros Editores, SP.

- Outros manuais, livros e apostilas com os conteúdos indicados.

OFICIAL FAZENDÁRIO

Conteúdo 1:

1) Noções de Informática: Hardware, software, aplicativos do pacote Office 2000 ( word e excel), Internet Explorer 6.0 ou superior, correio eletrônico. 2) Sistemas Operacionais Linux e Windows XP. 16) Projeto de Web Sites. 17) Linguagem HTML. 18) Protocolo http. 19) Redes LAN, MAN, WAN e ATM. 20) Topologias de Rede. 21) Meios Físicos de Transmissão. 22) Arquiteturas de Redes de Computadores. 23) Modelo OSI da ISSO. 24) Padrões para LANs e MANs. 25) Segurança em Redes de Computadores. 26) Arquiteturas Ponto-a-Ponto e Cliente-Servidor. 27) Construção de Sistemas Cliente-Servidor. 28) Gerenciamento de Sistemas Cliente-Servidor. 29) Padrões de Rede Cliente-Servidor. 30) Administração e Manutenção de Banco de Dados Relacional. 31) Projeto de Banco de Dados Relacional. 32) Diagrama Entidade-Relacionamento. 33) Desenvolvimento de Consultas SQL. 34) Manutenção de Hardware. 35) Legislação. 36) Conteúdo das bibliografias citadas abaixo.

Conteúdo 2:

1) Administração pública. 2) Poderes Administrativos. 3) Atos Administrativos. 4) Licitações 5) Contratos Administrativos. 6) Serviços Públicos. 7) Servidores Públicos. 8) Responsabilidade Civil Da Administração. 9) Controle Da Administração. 10) Correspondência Oficial. 11) Redação Oficial. 12) Formas De Tratamento. 13) Expressões e Vocábulos Latinos de uso freqüente nas Comunicações Administrativas Oficiais. 14) Modelos e/ou Documentos utilizados. 15) Cuidados com o ambiente de trabalho: Limpeza do local de trabalho. Remoção de lixos e detritos. Noções de segurança e higiene do trabalho.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- BRAGA, William Cesar. Microsoft Windows XP, Rio de Janeiro: Alta Books, 2002

- MICROSOFT PRESS, Dicionário de Informática. Tradução de Valeria Chamon. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

- NORTON, Peter. Introdução à Informática. São Paulo: Makron Books, 1996.

- BATTISTI, Júlio. Windows XP - Home & Professional Para Usuários e Administradores. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil Editora, 2002.

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Internet Explorer (Ajuda eletrônica integrada ao Programa Internet Explorer).

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Excel (Ajuda eletrônica integrada ao Programa MS Excel).

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Word (Ajuda eletrônica integrada ao Programa MS Word).

- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft, Windows XP. (Ajuda eletrônica integrada ao MS Windows XP).

- Manuais e apostilas de referência do Pacote Office e ajuda on-line (help).

- AYOURDON, Edward. CONSTANTINE, Larry L. Projeto Estruturado de Sistemas. Rio de Janeiro: Campus.

- ANUNCIAÇÃO, Heverton S. Linux: guia prático em português. São Paulo: Érica.

- GRAHAM, Ian S. HTML: a referência completa. Rio de Janeiro: Campus.

- Jr, Décio. HTTP - Guia de Consulta Rápida. Novatec, 2001.

- LOWE, Doug. Cliente/Servidor para Leigos. São Paulo: Berkeley Brasil.

- MINASI, Mark. Mastering Windows XP professional. Campus

- MINASI, Mark. Windows 2000 server. Sybex

- NORTON, P., GRIFFITH, A. Guia completo do Linux. São Paulo, Berkeley. 2000.

- SILBERSCHATZ, Abraham; KORT, H.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. 4ª edição, Mc Graw Hill, 2001.

- TORRES, Gabriel. Hardware : curso completo. 4. ed. Rio de Janeiro: Axcel Books, c2001.

- VELLOSO, F. C.Informática: conceitos básicos. Rio de Janeiro, Campus.

- BELTRÃO, Odacir e BELTRÃO, Mariúsa. "Correspondência, linguagem e comunicação: oficial, comercial, bancária e particular". Ed 23. São Paulo: Atlas 2005.

- DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella "Direito Administrativo" 13ª edição, Editora Atlas S.A

- KASPARY, Adalberto José, "Redação Oficial Normas e Modelos", 17. ed. Porto Alegre: EDITA, 2004.

- MEIRELLES, Hely Lopes, "Direito Administrativo Brasileiro", Malheiros Editores, SP.

- Outros manuais, livros e apostilas com os conteúdos indicados.

OPERADOR DE ENCEFALOGRAMA

Conteúdo:

1) Sistema internacional 10-20 de colocação de eletrodos (marcação de cabeça com fita métrica); 2) Artefatos; 3) Métodos de ativação; 4) Estágios de sono (características do EEG durante Vigília, sonolência e sono em adultos); 5) Filtros; 6) EEG no coma; 7) Neuronatomia para técnicos.8) Legislação.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- DUFFY, Frank H.; IYER, Vasudeva G.; SUWILLO, Walter W. Eletroencefalografia Clínica e Mapeamento Cerebral Topográfico Tecnologia e Prática. Editora Revinter.

- MONTENEGRO, Maria Augusta; CENDES, Fernando; GUERREIRO, Marilisa M.; GUERREIRO, Carlos A.M. EEG na Prática Clínica. Editora Lemos.

- YACUBIANE, Elza Márcia Targas; GARZON, Eliana, SAKAMOTO; Américo Ceiki. Vídeo Eletrencefalografia. Editora Lemos.

TÉCNICO AGRÍCOLA

Conteúdo:

1)Teoria e princípio sobre o plantio direto. 2) Palha, material orgânico e biologia do solo. 3) Morfologia, classificação e fertilidade do solo e nutrição de plantas. 4) Principais plantas de cobertura do solo, características e manejo. 5) Agroecologia: princípios, conceitos e manejo de culturas. 6) O Estudo e classificação das áreas silvestres. 7) Planejamento e administração das áreas silvestres. 8) Proteção e interpretação da natureza. 9) A fauna nas áreas silvestres. 10) Olericultura: Principais olerícolas. Clima, solo, adubação, tratos culturais, época de plantio e colheita. 11) Hidroponia. 12) Cultivo em ambiente protegido: construção e manejo de estufas e túneis. 13) Culturas: Milho, Soja, Arroz, Feijão, Batata, Trigo, Aveia, Sorgo: características botânicas, fisiologia da planta, cultivares, semeadura, adubação, tratos culturais, colheita e aspectos pós-colheita. 14) Plantas daninhas, doenças e insetos-pragas nas principais culturas. 15) Fruticultura: Propagação das plantas frutíferas, principais árvores frutíferas e suas características como: solo, clima, adubação e colheita. 16) Bovinocultura de Leite: Qualidade do leite, manejo, sanidade, nutrição, instalações. 17) Bovinocultura de Corte, Ovinocultura, Avicultura, Piscicultura e Suinocultura: manejo, nutrição, sanidade e instalações. 18) Tecnologia e Segurança na Aplicação de Agrotóxicos. 19) Lei 7.802/1989 com as alterações dadas pela Lei 9.974/2000 e regulamentada pelo Decreto 4.074/2002.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- ALBERONI, R.B. Hidroponia: como instalar e manejar o plantio de hortaliças dispensando o uso do solo. São Paulo: Nobel, 1998

- BATTISTON, Walter Cazellato. Gado leiteiro: manejo, alimentacão e tratamento. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agricola, 1977

- BICCA, E.F. Extensão Rural: da pesquisa ao campo. Editora Agropecuária. Guaíba, RS

- CANTARELLI; Ligia Margareth. Noções sobre produção de leite. Pelotas: EMBRAPA,2006. 172p.

- CHABOUSSOU, F. Plantas doentes pelo uso de agrotóxicos: a teoria da trofobiose. Porto Alegre: L& PM

- CLARO, S. A. Referenciais tecnológicos para a agricultura familiar ecológica: a experiência da Região Centro-Serra do rio Grande do Sul. Porto Alegre: EMATER/RS - ASCAR, 2001.

- C. W. Holmes; G. F. Wilson. Produção de leite à pasto. Instituto Campineiro de Ensino Agricola,1990. 708p.

- FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. Viçosa: UFV, 2003.

- FILHO, A. BERGAMIM. KIMATI, H. AMORIM, L. Manual de Fitopatologia. São Paulo: Ceres. Volumes I e II.

- GALLO, D. et al. Entomologia Agrícola. Piracicaba: FEALQ, 2002.

- GASSEN, D.; GASSEN, F. Plantio Direto: caminho do futuro. Passo Fundo: Aldeia Sul, 1996.

- GIANNONI, Marcos Antonio; Giannoni, Miriam Luz. Gado de leite: genetica e melhoramento. Sao Paulo: Nobel,1987

- GLIESSMAN, S.R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 3. ed. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 2005.

- GUEDES, J.V.C; DORNELLES, S.H.B. Tecnologia e Segurança na Aplicação de Agrotóxicos. Santa Maria: UFSM/CCR, 1998.

- KIRCHOF, B. Exploração Leiteira para produtores. Guaíba: Agropecuária, 1994.

- MALAVAZZI, G. Avicultura: manual pratico. São Paulo: Nobel, 1999.

- MELLO, F. de A. F. de et al. Fertilidade do solo. São Paulo: Nobel, 1983.

- MONEGAT, C. Plantas de Cobertura do Solo: características e manejo em pequena propriedade. Chapecó/SC: Ed. do autor.

- OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. Piscicultura: fundamentos e técnicas de manejo.Guaíba: Agropecuária, 1998.

- PEREIRA NETO, O.A., et al. Práticas em ovinocultura: ferramentas para o sucesso. P.Alegre: SENAR-RS, 2004.

- SILVA, L. L. da. Ecologia: manejo de áreas silvestres. Santa Maria: MMA, FNMA, FATEL, 1996.

- SIMÃO, S. Tratado de Fruticultura. Piracicaba: FEALQ, 1998.

- SOBESTIANSKY, J.; WENTZ, IVO; SILVEIRA, P. R. S. da; SESTI,. A. C. (Ed.) Suinocultura intensiva: produção, manejo e saúde do rebanho. Brasília: Embrapa Serviço de Produção de Informação, 1998.

- Sociedade Brasileira de Zootecnia. Bovinocultura de corte. Piracicaba: FEALQ, 1990.

- VARGAS, L.; ROMAN, E.S. Manual de Manejo e Controle de Plantas Daninhas. Bento Gonçalves: Embrapa Uva e Vinho, 2004.

- VIDAL, R.A.; MEROTTO JÚNIOR, A. Herbicidologia. Porto Alegre: Edição dos autores, 2001.

- Recomendações técnicas das culturas (Milho, Soja, Arroz, Feijão, Batata, Trigo, Aveia, Sorgo).

- Legislação citada nos conteúdos acima.

TÉCNICO EM EDIFICAÇÃO

Conteúdo:

1) Estruturas de aço: conceitos básicos 2) Estruturas de concreto armado: comportamento mecânico e reológico do concreto; determinação da resistência característica do concreto; conceitos básicos de dimensionamento de seções retangulares e T sob flexão simples. 3) Resistência dos materiais: conceitos básicos sobre análise de tensões; elementos da mecânica vetorial (momentos de inércia e centróides de áreas); análise estrutural. 5) Projeto e execução de obras civis: topografia e terraplenagem: locação de obra, sondagens, instalações provisórias; canteiro de obras; depósito e armazenamento de materiais, equipamentos e ferramentas; fundações; escavações; escoramentos; estruturas metálicas, de madeira e de concreto; formas; armação; alvenaria estrutural; estruturas pré-fabricadas; controle tecnológico; argamassas; instalações prediais; alvenarias e revestimentos; esquadrias e vidros; coberturas; pisos e pavimentação; impermeabilização; segurança e higiene do trabalho; ensaios de recebimento da obra; desenho técnico; pintura, drenagem urbana; materiais de construção:. 9) Informática: a) Periféricos de um Computador. b) Hardware. c) Software. d) Utilização do Sistema Operacional Windows 98 / Me / XP. e) Configurações Básicas do Windows 98 / Me / XP. f) Aplicativos Básicos (bloco de notas, calculadora, Paint, WordPad). g) Aplicativos do Pacote Office 2000 ou XP(Word, Excel, Access, PowerPoint). h) Configuração de Impressoras. i) Noções básicas de Internet. j) Noções básicas de Correio Eletrônico. l)Conhecimentos gerais em AutoCAD 2000 e 2004 m) Legislação

Referências Bibliográficas:

Específicos

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- YAZIGI, Walid, "A técnica de edificar", Ed PINI - SINDUSCON/SP, 1998. (http://www.pini.com.br/ ou _ HYPERLINK "http://www.piniweb.com/" _http://www.piniweb.com_)

- TIMOSHENKO, "Mecânica dos Sólidos", Ed Livros Técnicos e Científicos, Vol 1

Projeto e execução de obras em concreto armado, NBR 6118, editora, ABNT

Informática

- MANZANO, José Augusto & MANZANO, André Luiz, Estudo Dirigido de Windows Millennium. São Paulo: Érica, 2001.

- MATSUMOTO, Élia Yathie. AutoCAD 2004:Fundamentos. São Paulo:Érica, 2003

- MICROSOFT PRESS, Dicionário de Informática. Tradução de Valeria Chamon. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

- OMURA, George. "Dominando o Auto CAD 2000", LTC Editora.SILVA, Mário. Terminologia Básica: Windows XP: Word XP: Excel XP. São Paulo: Érica, 2002.

- VELLOSO, F.DE C. Informática: conceitos básicos. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

- Manuais de referência do Pacote Office e ajuda on-line (help)

TÉCNICO EM MUSICA E DANÇA

Conteúdo:

Todo o conteúdo da bibliografia que segue:

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- CHEDIAK, Almir, "Harmonia e Improvisação", Vol I, Editora Lumiar.

- Adolfo, Antônio, O Livro do Músico, Lumiar Editora

- MASCARENHAS, Mário e Belmira Cardoso, "Curso Completo de Teoria Musical e Solfejo" (Volumes I e II), Editora Irmãos Vitalle.

- BENNETT, Roy. Uma breve história da música. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

- BOURCIER, Paul. Historia da dança no ocidente. São Paulo : Martins Fontes, 1987.

- FUSARI, Maria F.R e Ferraz, Maria Heloísa C. de T. Metodologia do ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 1993.

- GIL, José. Movimento total: o corpo e a dança. São Paulo: Iluminuras, 2005.

- VIANNA, Klauss. A Dança. São Paulo: Summus, 2005.

TECNICO EM TURISMO

Conteúdo:

1) Histórico do Turismo. 2) Turismo Sustentável, suas três dimensões( dimensão ambiental, econômica e social). 3) Fundamentos de Economia, Turismo e Economia do Turismo e Sistema Econômico do Turismo. 4) Demanda , produção e oferta turística. 5) Turismo e Herança Cultural, Legado Cultural e Identidade, O Papel dos Museus na Atualidade. 6) Turismo na Atualidade, Conceitos Básicos de Planejamento Turísticos, 7) Planejamento e Gestão do Turismo. Tendências para o Desenvolvimento do Turismo. 8) Megatendências do setor Turístico, Realidades Brasileira. Realidade do Turismo e os impactos dos atentados de 11 de setembro de 2001. 9) Marketing Público, Marketing de uma localidade, Comunicação Turística. Elaboração da imagem de um local. 10) O Pós Turismo. 11) O impacto do Turismo na ecologia e na comunidade local.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- BARRETTO, Margarida. Turismo e Legado Cultural: As Possibilidades do Planejamento. - Campinas , SP: Papirus, 2000.

- BENI, M. C. Globalização do Turismo: Megatendências do setor e a realidade brasileira. São Paulo: Aleph, 2003.

- KOTLER, Philip. Marketing Público. São Paulo: Makron Books, 1994

- LEMOS, Amália Inês Geraiges de Lemos. Turismo:Impactos Socioambientais, São Paulo: Hucitec, 1999.

- LEMOS, Leandro de. Turismo: Que negócio é esse?. Campinas SP: Papirus, 1999.

- MOLINA, Sérgio. O pós-turismo. São Paulo: Aleph, 2003

- MOLINA, Sérgio. Turismo e Ecologia. Tradução Josely Vianna Baptista.- Bauru, SP: EDUSC, 2001.

- REJOWSKI, Mirian. Turismo no Percurso do Tempo,São Paulo: Aleph, 2002.

- RUSCHMANN, Doris. Turismo e Planejamento Sustentável: Proteção do Meio Ambiente. Camoinas, SP: Papirus, 1997.

- SWARBROOKE, Jonw. Turismo Sustentável: Conceito e Impacto Ambiental. São Paulo: Aleph, 2000.

RECEPCIONISTAS

PORTUGUÊS

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual de palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

MATEMÁTICA

1) CONJUNTOS NUMÉRICOS: Noções básicas, tipos e operações. 2) Conjunto dos Números Naturais (N): propriedades, operações básicas, múltiplos, potenciação e radiciação. 3) DIVISIBILIDADE: Divisores. Números primos e compostos. MMC e MDC. 4) Conjunto dos Números Inteiros (Z): propriedades, operações básicas, potenciação e radiciação 5) Conjunto dos Números Racionais (Q): propriedades, operações básicas, potenciação e radiciação. Sistema decimal. Frações Algébricas. 6) CONJUNTO DOS NUMEROS IRRACIONAIS (I): propriedades, operações básicas e potenciação. 7) Conjunto dos Números Reais (R): propriedades, operações básicas, potenciação e radiciação 8) POLINÔMIOS: operações básicas, produtos notáveis, fatoração e equações. 9)EXPRESSÕES NUMÉRICAS: envolvendo todos os conjuntos numéricos (N, Z, Q, I e R). 10) EQUAÇÕES: fracionárias, literais, do 1º e 2º grau com uma e/ou duas variáveis. 11) SistemaS LINEARES: do 1º grau. 12) Inequações: do 1º grau. 13) Razão e Proporção. Regra de três simples e composta. 14) Porcentagem. 15) MATEMÁTICA COMERCIAL E FINANCEIRA: juros simples. 16) PROBABILIDADE. 17) Media: Aritmética. 18) Geometria: Unidades de medidas. Cálculo de área e perímetro de polígonos. Ângulos. Teorema de Tales. Polígonos: triângulos, quadriláteros, circunferência e Círculo. Teorema de Pitágoras. 19) TRIGONOMETRIA: trigonometria no triângulo retângulo. 20) MEDIDAS DE TEMPO. 21) ESTATÍSTICA: Noções elementares.

LEGISLAÇÃO E CONHECIMENTOS ESPECIFICOS

Conteúdo:

Técnicas de recepção: 1) Procedimentos profissionais e padrões de atendimento. 2) Raciocínio lógico, iniciativa, decisão e atenção concentrada. 3) Comunicação e relações públicas. 4) Elementos da comunicação: Emissor, receptor. 5) Formas de atendimento. 6) Comunicação Escrita: recados, anotações, bilhetes. 7) Agenda. 8) Relacionamento interpessoal, 9) Personalidade, temperamento, caráter. 10) capacidade de empatia. 11) Inviolabilidade do sigilo das comunicações. 12) Ética Profissional. 13) Recepção e distribuição da correspondência. 14) A imagem do recepcionista. 15) Redação Oficial: correspondência oficial, abreviações, formas de tratamento, expressões e vocábulos latinos de uso freqüente nas comunicações administrativas, documentos e/ou modelos utilizados. Atendimento e utilização do telefone: 1) Histórico da telefonia no Brasil. 2) Serviços de telecomunicações. 3) O telefone e os sistemas telefônicos. 4) Uso e conservação do equipamento de telefonia. 5) CPA - central de Processamento armazenado - CPCT - Centrais Privadas de Comutação Telefônica. 6) A voz e suas funções. 7) Fraseologia adequada. 8) Utilização dos serviços de atendimento público das concessionárias 9) Uso e Manuseio de lista telefônica; 10) A numeração telefônica. 11) Procedimento para ligações interurbanas e internacionais, ligações a cobrar. 12) O fax e a secretária eletrônica.13) Telefonia móvel celular. Cuidados com o ambiente de trabalho: 1) Limpeza do local de trabalho. 2) Noções de segurança e higiene do trabalho.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- BARATA, Maura Cristina; BORGES, Márcia M. Técnicas de recepção. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 1998. (RETIRAR - VER - inclusive os conteúdos - )

- BELTRÃO, Odacir e BELTRÃO, Mariúsa. "Correspondência, linguagem e comunicação: oficial, comercial, bancária e particular". Ed 23. São Paulo: Atlas 2005.

- NEIS, Ignácio Valentim. Telefonista e recepcionista, manual teórico e prático. Porto Alegre, 1999 (Retirar ? - Elena)

- Lista Telefônica - Telelista comercial atual - BrasilTelecom

- Outros manuais, livros e apostilas com os conteúdos indicados

Para os cargos da TABELA E - CALCETEIRO, MECÂNICO, OPERADOR DE MÁQUINAS VIÁRIAS, SOLDADOR, TORNEIRO MECÂNICO eTRATORISTA.

PORTUGUÊS - Comum a todos

Conteúdo:

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual de palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais (as 10 classes): classificação e flexões. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, mal/mau, cessão/sessão/secção, a/há e afim/a fim.

MATEMÁTICA - Comum a todos

Conteúdo:

1) CONJUNTOS: Noções básicas, tipos e operações. 2) SISTEMA NUMÉRICO: unidade, dezena, centena e milhar. 3) Números Naturais (N): propriedades, operações básicas, pares e ímpares, dobro triplo e quádruplo. Prova Real. 4) Expressões numéricas: operações básicas. 5) NUMERAL ORDINAL. 6) NUMERAL ROMANO. 7) DIVISIBILIDADE: por 10, 100 e 1000. 8) FRAÇÕES: representação, comparação, simplificação e operações básicas. 9) SISTEMA MONETÁRIO. 10) MEDIDAS DE TEMPO. 11) GEOMETRIA: perímetro. 12) UNIDADES DE MEDIDAS.

Para o cargo da TABELA F - ATENDENTES DE BERÇÁRIO

PORTUGUÊS

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual de palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

MATEMÁTICA

1) CONJUNTOS NUMÉRICOS: Noções básicas, tipos e operações. 2) Conjunto dos Números Naturais (N): propriedades, operações básicas, múltiplos, potenciação e radiciação. 3) DIVISIBILIDADE: Divisores. Números primos e compostos. MMC e MDC. 4) Conjunto dos Números Inteiros (Z): propriedades, operações básicas, potenciação e radiciação 5) Conjunto dos Números Racionais (Q): propriedades, operações básicas, potenciação e radiciação. Sistema decimal. Frações Algébricas. 6) CONJUNTO DOS NUMEROS IRRACIONAIS (I): propriedades, operações básicas e potenciação. 7) Conjunto dos Números Reais (R): propriedades, operações básicas, potenciação e radiciação 8) POLINÔMIOS: operações básicas, produtos notáveis, fatoração e equações. 9)EXPRESSÕES NUMÉRICAS: envolvendo todos os conjuntos numéricos (N, Z, Q, I e R). 10) EQUAÇÕES: fracionárias, literais, do 1º e 2º grau com uma e/ou duas variáveis. 11) SistemaS LINEARES: do 1º grau. 12) Inequações: do 1º grau. 13) Razão e Proporção. Regra de três simples e composta. 14) Porcentagem. 15) MATEMÁTICA COMERCIAL E FINANCEIRA: juros simples. 16) PROBABILIDADE. 17) Media: Aritmética. 18) Geometria: Unidades de medidas. Cálculo de área e perímetro de polígonos. Ângulos. Teorema de Tales. Polígonos: triângulos, quadriláteros, circunferência e Círculo. Teorema de Pitágoras. 19) TRIGONOMETRIA: trigonometria no triângulo retângulo. 20) MEDIDAS DE TEMPO. 21) ESTATÍSTICA: Noções elementares.

LEGISLAÇÃO E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Conteúdo:

1) Relações entre família e escola. 2) Questionamentos sobre cuidados e atenção com crianças. 3) Desenvolvimento Infantil. 4) O Corpo Humano: Noções gerais. 5) Nutrição: Noções gerais. 6) Alimentação: a) Função dos alimentos. b) Alimentação equilibrada. c) Doenças causadas pela fome. d) Conservação dos alimentos. 7)Higiene: a) A higiene e a saúde. b) Hábitos de higiene. 8)Estatuto da Criança e do Adolescente. 9) Legislação.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204 - Art. 225. Do Meio Ambiente - Art. 226 a 230. Da Família, da Criança, do Adolescente e do Idoso).

- Lei nº 8069/90 - Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA.

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- GOWDAK, Demétrio - "Ciências Natureza e Vida " - 7ª série - FTD

- PEREIRA, Denise Zimpek e outros "Criando crianças". Editora Magister

- Livros e Manuais sobre os conteúdos acima.

Para os cargos da TABELA G - EDUCADOR ESPECIAL, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, ESPECIALISTA EM ORIENTAÇÃO ESCOLAR, ESPECIALISTA EM SUPERVISÃO ESCOLAR, PEDAGOGO e PSICOPEDAGOGO CLÍNICO

PORTUGUÊS - Comum a todos

Conteúdo:

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

LEGISLAÇÃO/ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE ENSINO - Comum a todos

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204 - Art. 225. Do Meio Ambiente - Art. 226 a 230. Da Família, da Criança, do Adolescente e do Idoso).

- Lei nº 8.069/90. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - ECA.

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- Lei nº 8.069/90. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - ECA.

- Lei nº 9.394/96. LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO - LDB.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

EDUCADOR ESPECIAL

Conteúdo:

1) Legislação; 2) Educação e Sociedade; 3) Planejamento na Prática Educativa; 4) Currículo Escolar; 5) Educação Popular; 6) Papel do Professor frente aos novos desafios da sala de aula; 7) Atendimento educacional especializado e toda a bibliografia disponível no site do Ministério da Educação; 8) Desenvolvimento infantil; 9) Educação Infantil no cenário mundial; 10) Ação pedagógica com crianças de zero a seis anos; 11) A Inserção escolar - relações entre família e escola; 12) Organização do tempo e espaço físico na escola; 13) A higiene e a saúde. 14) Histórico da Educação Especial; 15) Conceito de Necessidades Educacionais Especiais; 16) Declaração de Salamanca; 17) Políticas públicas e diretrizes curriculares para educação especial na educação básica; 18) Fundamentos da Educação Inclusiva; 19) Avaliação do aluno com NEE; 20) Educação Inclusiva práticas pedagógicas 21) Serviços em Educação Especial.

Referências Bibliográficas:

- ABRAMOWICZ, Anete; WASJSKOP, Gisela. Educação Infantil: Creches - atividades para crianças de zero a seis anos. São Paulo: Moderna, 1999.

- ARIÉS, Phillipe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara,1981.

- BAPTISTA, Claudio Roberto (org). Inclusão e Escolarização: múltiplas perspectivas. Porto Alegre: Mediação, 2006.

- BATISTA, Cristina Abranches Mota, Educação Inclusiva:Atendimento educacional especializado para deficiência mental.Brasília:MEC,SEESP, 2006.

- BEYER, Hugo Otto. Inclusão e Avaliação na Escola de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre: Mediação, 2005.

- BIANCHETTI, Lucídio (org). "Um olhar sobre a diferença." Campinas. SP: Papirus, 1998 (série ed especial).

- CARVALHO, Rosita Edler. Removendo barreiras para a aprendizagem: educação inclusiva. Porto Alegre: Mediação, 2000.

- COLL, C.; MARCHESI, A.; PALACIOS J. Desenvolvimento psicológico e educação. Trad. Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2004.

- CRAYDY, Maria; Kaerccher, Gládis Elise P. da Silva. Educação Infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

- CURY, Augusto Jorge. Pais Brilhantes, Professores Fascinantes, Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

- DEVRIES, Retha; ZAN, Betty. A ética na Educação Infantil: o ambiente sócio moral na escola". Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- FONSECA, Vítor da. Educação especial. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra, 1996.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Paz e Terra,1987.

- GAIO, Roberta; MENEGHETTI, Rosa G. Krob (Org.). Caminhos da Educação Especial no Brasil. In: Caminhos Pedagógicos da educação especial. Petrópolis: Vozes, 2004. - GONZALEZ, E. Necessidades Educacionais Específicas - Intervenção psicoeducacional. Porto Alegre: Artmed, 2007.

- LEBEDEFF,Tatiana Bolívar (org). "Educação Especial:olhares interdisciplinares." Passo Fundo:UPF, 2005.

- LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo, Cortez, 1992.

- MACEDO, Lino. "Ensaios Pedagógicos: como construir uma escola para todos?" Porto Alegre: Artmed, 2005.

- MAZZOTTA, Marcos José. Educação Especial no Brasil: histórias e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 1999. - PAROLIN, I.C. Aprendendo a incluir e incluindo para aprender. São Paulo: Pulso editorial, 2006.

- PEREIRA, Denise Zimpek e outros "Criando crianças". Editora Magister

- PILETTI, Claudino. Didática geral. São Paulo: Ática, 1993.

- SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão/construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

- STAINBACK, Susan; STAINBACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M. Educação Especial: em direção à escola inclusiva. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

- STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M. Educação especial: em direção à escola inclusiva. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

- WADSWORTH, Barry J. Inteligência e afetividade da criança na teoria de Piaget. São Paulo: Pioneira Thompson Learning, 2003

- WINNICOTT, D. W. A criança e o seu mundo. RJ: Guanabara Koogan, 1982

- ZAGURY, Tania. Limites sem trauma. Rio de Janeiro: Record, 2001.

- Lei nº 7.853/89 - Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência e dá outras providências - disponível no site: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei7853.pdf

- Lei nº 10.216/01 - disponível no site: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei10216.pdf

- Lei nº 10.845/04 - disponível no site: www.fnde.gov.br/home/portadores_necesp/resolucaon11_22032004paed.pdf

- Decreto Federal nº 914/1993 - disponível no site: www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d0914.htm

- Plano Nacional de Educação Especial - disponível no site: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/plano1.pdf

- Resolução CNE/CEB nº 2, de 11 de fevereiro de 2001 - disponível no site: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res2_b.pdf

- Diretrizes curriculares para educação especial na educação básica - disponível no site: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf

- Declaração de Salamanca - disponível no site: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf

- MEC/CENESP. Princípios básicos da Educação Especial. Brasília: MEC/CENESP, 1994.

- MEC - MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. Legislação educação especial. Disponível no site: http://www.mec.gov.br/seesp

ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Conteúdo:

1) Bases filosóficas, psicológicas e sociológicas da educação. 2) Organização do Ensino. 3)Concepções de aprendizagens e modelos de ensino. 4) Fundamentos e diretrizes da Educação de Jovens e Adultos. 5) Prática reflexiva e construção de competências para ensinar. 6) Didática e Prática Educativa. 7) Projetos de Ensino. 8) Planejamento na Prática Educativa. 9) Projetos de Ensino. 10) Alfabetização e Letramento. 11) Avaliação e Fracasso Escolar. 12) Currículo Escolar. 13) A relação professor-aluno. 14) Educação e Sociedade. 15) Inclusão Escolar. 16) Educação Popular. 17) Legislação. 18) Políticas publicas e diretrizes curriculares para a educação de jovens e adultos e fundamentos da EJA.

Referência Bibliográfica:

- CASTRO, Éder Alonso e OLIVEIRA, Paula Ramos de. Educando para o pensar- (Org)-Ed. Aplicada.

- DELORS, Jacques. Educação: Um tesouro a descobrir. São Paulo, Cortez, 1999.

- FERREIRO, Emília; Reflexões sobre alfabetização. Cortez

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra

- HERNÁNDEZ, Fernando; Ventura. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- HOFFMANN, Jussara. Avaliação Mediadora: Educação e Realidade. Porto Alegre: Mediação, 1999.

- ANTUNES, Celso. As Inteligências Múltiplas e seus Estímulos - Ed.Papirus.

- ZABALA, Antoni.. ComoTrabalhar os Conteúdos Procedimentais em Aula. Artmed

- ASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão/construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

- TEBEROSKY, Ana. Aprendendo a Escrever - Perspectivas psicológicas e implicações educacionais. Ática.

- BRASIL, Ministério da Educação. Proposta Curricular, Educação para Jovens e Adultos. 1º Segmento.

ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

Conteúdo:

1) Educação e Sociedade. 2) Concepções Pedagógicas/ Teorias de Aprendizagem.. 3) Família. 4) Projeto Político-Pedagógico. 5) Planejamento na Prática Educativa. 6).Avaliação 07) Gestão Escolar. 08) Fracasso Escolar. 09) Problemas comportamentais e dificuldades de aprendizagem. 10) Desenvolvimento infantil. 11) Inclusão Escolar.;12 Políticas públicas e diretrizes para educação do campo, fundamentos e concepções da educação do campo, avaliação e fracasso escolar, concepções metodológicas e currículo e cultura.

Referências Bibliográficas:

- DELVAL, Juan. Crescer e Pensar: a construção do conhecimento na escola. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- ELKIND, David. Sem Tempo para Ser Criança: a infância estressada. Porto Alegre: Artmed, 2004.

- GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

- GOTZENS, Concepción. A Disciplina Escolar: prevenção e intervenção nos problemas de comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2003.

- GRINSPUN, Miriam P. S. Zippin. A prática dos Orientadores Educacionais. São Paulo: Cortez, 2001.

___________. Supervisão e Orientação Educacional. São Paulo: Cortez, 2003- LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Porto Alegre: Cortez.

- MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Referências para uma Política Nacional de Educação do Campo: Caderno de Subsídios. INEP. Grupo Permanente de Trabalho de Educação do Campo. Basília, 2003. disponível no site www.inep.gov.br/download/imprensa/Miolo_Seminario_Ed_Campo.pdf.

- MOREIRA, Marco Antonio. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

- Parecer 36/2001: Dispõe sobre Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo

- Resolução CNE/CEB 1, de 3 de abril de 2002 - Institui Diretrizes Operacionais para a Educação

Básica nas Escolas do Campo.

- ROHDE, Luís Augusto P.; BENCZIK, Edyleini B. P. Transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade: o que é como ajudar? Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- SALVADOR, César Coll. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- SUKIENNIK, Paulo Berél. O Aluno Problema. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2002.

- VASCONCELOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem. São Paulo: Liberta, 1994.

____________. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula. São Paulo: Libertad, 2002.

- VEIGA, Ilma Passos A. Projeto Político-Pedagógico da Escola: Uma construção Possível.

- ZABALA, Antoni. A Prática Educativa: Como ensinar. Porto Alegre: ArtMed,1998.

____________. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para currículo escolar. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

- ___________. A Família e o Desenvolvimento Individual. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

ESPECIALISTA EM ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL

Conteúdo:

1) Educação e Sociedade. 2) Concepções Pedagógicas/ Teorias de Aprendizagem. 3) Piaget, Vygotski e Winnicott. 4) Família. 5) Projeto Político-Pedagógico. 6) Planejamento na Prática Educativa. 7) Acompanhamento escolar, políticas públicas e diretrizes da educação básica 08) Avaliação 09) Gestão Escolar. 10) Fracasso Escolar. 11) Problemas comportamentais e dificuldades de aprendizagem. 12) Desenvolvimento infantil. 13) Inclusão Escolar.

Referências Bibliográficas:

- DELVAL, Juan. Crescer e Pensar: a construção do conhecimento na escola. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- ELKIND, David. Sem Tempo para Ser Criança: a infância estressada. Porto Alegre: Artmed, 2004.

- GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

- GOTZENS, Concepción. A Disciplina Escolar: prevenção e intervenção nos problemas de comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2003.

- GRINSPUN, Miriam P. S. Zippin. A prática dos Orientadores Educacionais. São Paulo: Cortez, 2001.

___________. Supervisão e Orientação Educacional. São Paulo: Cortez, 2003.

- LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Porto Alegre: Cortez.

- MOREIRA, Marco Antonio. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

- ROHDE, Luís Augusto P.; BENCZIK, Edyleini B. P. Transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade: o que é como ajudar? Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- SALVADOR, César Coll. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- SUKIENNIK, Paulo Berél. O Aluno Problema. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2002.

- VASCONCELOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem. São Paulo: Liberta, 1994.

____________. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula. São Paulo: Libertad, 2002.

- VEIGA, Ilma Passos A. Projeto Político-Pedagógico da Escola: Uma construção Possível.

- ZABALA, Antoni. A Prática Educativa: Como ensinar. Porto Alegre: ArtMed,1998.

____________. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para currículo escolar. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

WINNICOTT, D.W. A Criança e o seu Mundo. Rio de Janeiro: LTC, 1982.

____________. A Família e o Desenvolvimento Individual. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

ESPECIALISTA EM SUPERVISÃO ESCOLAR

Conteúdo:

1) Educação e Sociedade. 2) Bases filosóficas, psicológicas e sociológicas da educação. 3) Concepções Pedagógicas/ Teorias de Aprendizagem. 4) Projeto Político - Pedagógico. 5) Planejamento na Prática Educativa. 6) A Trajetória da Supervisão Educacional no Brasil: Origem e Evolução. 7) Currículo: Papel do Supervisor Educacional. 8) Políticas públicas e diretrizes da educação básica, desenvolvimento infantil. 9) Avaliação e Fracasso Escolar. 10) Gestão Escolar. 11) Inclusão Escolar. 12) Educação Popular.

Referências Bibliográficas:

- ALVAREZ, Mendez, J.M. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artes Médicas.

- ARROYO, Miguel G. Ofício de Mestre. Imagens e auto-imagens. Petrópolis: Vozes, 2000.

- BECKER, Fernando et alli. Aprendizagem e Conhecimento Escolar. Pelotas: EDUCAT, 2002.

- COSTA, Márcia Rosa; POOLI, João Paulo. Educação e Contemporaneidade: A Gestão da Escola e os Projetos Político-Pedagógicos. Canoas: ULBRA, 2002.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

- FERREIRA, Naura Syria Carapeto. Supervisão Educacional Para uma Escola de Qualidade: da formação à ação. São Paulo: Cortez, 2000.

- GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

- HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat. A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho. Porto Alegre: Artes médicas,1998.

- LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Porto Alegre: Cortez.

- MORIN; Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

- MOREIRA, Marco Antonio. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

- RANGEL, Mary (org). Supervisão pedagógica: Princípios e práticas. Campinas: Papirus, 2001.

- SACRISTÁN, J. Gimeno; GOMEZ, A. I. Peres. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- SALVADOR, César Coll. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

- SKLIAR, Carlos (org). Educação e Exclusão: Abordagens Sócio-antropológicas em Educação Especial. Porto Alegre: Mediação, 2000.

- SILVA, Luiz Heron da. Século XXI Qual conhecimento? Qual Currículo? Rio de Janeiro, Petrópolis: Vozes, 1999.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- SILVA JR, Celestino A; RANGEL,Mary ( orgs). Nove olhares sobre a supervisão. São Paulo, Campinas, 1997

- TAILLE, Yves de La; OLIVEIRA; Marta Kohol de; DANTAS, Heloysa. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992.

- VASCONCELOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem. São Paulo: Liberta, 1994.

- VEIGA, Ilma Passos A. Projeto Político-Pedagógico da Escola: Uma construção Possível.

- ZABALA, Antoni. A Prática Educativa: Como ensinar. Porto Alegre: ArtMed,1998.

- ___________. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para currículo escolar. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

PEDAGOGO

Conteúdo:

1)Bases filosóficas, psicológicas e sociológicas da educação. 2) Concepções Pedagógicas/ Teorias de Aprendizagem. 3) Projeto Político - Pedagógico. 4) Planejamento na Prática Educativa 5.) Currículo e Cultura.6) Políticas públicas e diretrizes da educação básica, desenvolvimento infantil, Dificuldades de aprendizagem. 7) Avaliação e Fracasso Escolar.. 8) Problemas de Desenvolvimento. 9) Inclusão Escolar. 10) Educação Popular 11) Papel do Professor frente aos novos desafios da sala de aula. 12) Legislação.

Referências Bibliográficas:

- ALVAREZ, Mendez, J.M. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artes Médicas.

- BECKER, Fernando. Educação e Construção do Conhecimento. POA: ARTMED, 2001.

- COLLI,Fernando A.G.:KUPFER, Maria Cristina M. Travessias - Inclusão Escolar: A experiência do Grupo Ponte Pré Escola Terapêutica Lugar de Vida . São Paulo: Casa do Psicólogo,2005

- FERNANDEZ, Alicia. A inteligência Aprisionada:Abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família. Artmed:1991

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

- GADOTTI,Moacir História das idéias pedagógicas. São Paulo:Ática,1993

- GADOTTI,Moacir. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Artmed,2000

- HERNÁNDEZ, Fernando.Transgressão e Mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: ArtMed,1998

- LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da Aprendizagem Escolar. São Paulo: Editora Cortez, 1995.

- MACEDO, Lino de. Cinco Estudos de Educação Moral. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.

- MOREIRA, Antônio F.,Tadeu,Tomaz (orgs.) Currícilo Cultura e Sociedade. 8ª Edição. Cortez

- NOGUEIRA,Nilbo. Pedagogia dos Projetos: Uma jornada interdisciplinar rumo ao desenvolvimento das múltiplas inteligências. 6ª edição. São Paulo: Editora Érica

- PERRENOUD,Philippe.Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens entre duas lógicas. Artmed:1999

- ROHDE, Luís Augusto P.; BENCZIK, Edyleini B. P. Transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade: o que é como ajudar? Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- SALVADOR, César Coll. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

- SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. São Paulo: Editora Cortez, 1987.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- TAILLE, Yves de La. Limites: três dimensões educacionais. São Paulo: Ática, 2001.

- TESSARO,Nilza Sanches. Inclusão Escolar: Concepções de professores e alunos da educação regular e especial.São Paulo: Casa do Psicólogo,2005

- VEIGA, Ilma Passos A. Projeto Político-Pedagógico da Escola: Uma construção Possível.

- ZABALA, Antoni. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para currículo escolar. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

PSICOPEDAGOGO CLÍNICO

Conteúdo:

1)Bases filosóficas, psicológicas e sociológicas da educação. 2) Concepções Pedagógicas/ Teorias de Aprendizagem. 3) Projeto Político - Pedagógico. 4) Planejamento na Prática Educativa 5.) Currículo e Cultura.6) Limites e educação. 7) Avaliação e Fracasso Escolar.. 8) Problemas de Desenvolvimento. 9) Inclusão Escolar. 10) Educação Popular 11) Papel do Professor frente aos novos desafios da sala de aula. 12) Legislação. 13) Papel do psicopedagogo no contexto atual, origem e trajetória da psicopedagogia, dificuldades de apredizagem, diagnóstico e encaminhamentos, intervenção psicopedagógica.

Referências Bibliográficas:

- ALVAREZ, Mendez, J.M. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artes Médicas.

- BECKER, Fernando. Educação e Construção do Conhecimento. POA: ARTMED, 2001.

- COLLI,Fernando A.G.:KUPFER, Maria Cristina M. Travessias - Inclusão Escolar: A experiência do Grupo Ponte Pré Escola Terapêutica Lugar de Vida . São Paulo: Casa do Psicólogo,2005

- FERNANDEZ, Alicia. A inteligência Aprisionada:Abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família. Artmed:1991

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

- GADOTTI,Moacir História das idéias pedagógicas. São Paulo:Ática,1993

- GADOTTI,Moacir. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Artmed,2000

- HERNÁNDEZ, Fernando.Transgressão e Mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: ArtMed,1998

- LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da Aprendizagem Escolar. São Paulo: Editora Cortez, 1995.

- MACEDO, Lino de. Cinco Estudos de Educação Moral. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.

- MOREIRA, Antônio F.,Tadeu,Tomaz (orgs.) Currícilo Cultura e Sociedade. 8ª Edição. Cortez

- NOGUEIRA,Nilbo. Pedagogia dos Projetos: Uma jornada interdisciplinar rumo ao desenvolvimento das múltiplas inteligências. 6ª edição. São Paulo: Editora Érica

- PERRENOUD,Philippe.Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens entre duas lógicas. Artmed:1999

- ROHDE, Luís Augusto P.; BENCZIK, Edyleini B. P. Transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade: o que é como ajudar? Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- SALVADOR, César Coll. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

- SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. São Paulo: Editora Cortez, 1987.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- TAILLE, Yves de La. Limites: três dimensões educacionais. São Paulo: Ática, 2001.

- TESSARO,Nilza Sanches. Inclusão Escolar: Concepções de professores e alunos da educação regular e especial.São Paulo: Casa do Psicólogo,2005

- VEIGA, Ilma Passos A. Projeto Político-Pedagógico da Escola: Uma construção Possível.

- ZABALA, Antoni. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para currículo escolar. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

Para os cargos da TABELA H - PROFESSOR DE MÚSICA E DANÇA e PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS (todas as disciplinas)

PORTUGUÊS - Comum a todos

Conteúdo:

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

LEGISLAÇÃO/ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE ENSINO - Comum a todos

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204 - Art. 225. Do Meio Ambiente - Art. 226 a 230. Da Família, da Criança, do Adolescente e do Idoso).

- Lei nº 8.069/90. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - ECA.

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- Lei nº 8.069/90. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - ECA.

- Lei nº 9.394/96. LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO - LDB.

DIDÁTICA - Comum a todos

Conteúdo:

1) Educação e Sociedade. 2) Bases filosóficas, psicológicas e sociológicas da educação. 3) Teóricos da Educação eTeorias de Aprendizagem. 4) Currículo. 5) Planejamento na Prática Educativa. 6) Papel do Professor. 7) Avaliação e Fracasso Escolar. 8) Educação Popular.

Referências Bibliográficas:

- ALVAREZ, Mendez, J. M. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artes Médicas.

- BECKER, Fernando et alli. Aprendizagem e Conhecimento Escolar. Pelotas: EDUCAT, 2002.

- LACERDA, Catarina Augusta de Oliveira Pasin de; LACERDA, Milton Paulo de. Adolescência: problema, mito ou desafio. Petrópolis: Vozes, 1998.

- CURY, Augusto Jorge. Pais Brilhantes, Professores Fascinantes, Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

- DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 1999.

- FISCHER, Nilton B. Educação e Classes Populares. Porto Alegre: Mediação.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra, 1996.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Paz e Terra,1987.

- GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

- HARGREAVES, Andy; EARL, Lorna; RYAN, Jim. Educação para a mudança: recriando a escola para adolescentes. Porto Alegre: Artmed, 2001.

- MOREIRA, Marco Antonio. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

- MORIN; Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

- NEVES Iara Conceição (org.). Ler e Escrever: compromisso de todas as áreas. Porto Alegre: Universidade/UFRGS, 2001.

- OUTEIRAL, José O. Adolescer: Estudos sobre Adolescência. Porto Alegre: Ates médicas, 1994.

- PERRENOUD, Ph. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens-entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

- PERRENOUD, Philippe. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza, saberes e competências em uma profissão complexa. Porto Alegre: Artmed, 2001.

- PERRENOUD, Philippe. Dez Novas Competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

- PERRENOUD, Philippe. Pedagogia na escola das diferenças: fragmentos de uma sociologia do fracasso. Porto Alegre: Artmed, 2001.

- SACRISTÁN, J. Gimeno; GOMEZ, A. I. Peres. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- SALVADOR, César Coll. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

- SAVIANI, Nereide. Saber escolar, currículo e didática: problemas de unidade conteúdo/ método no processo pedagógico. São Paulo: Autores Associados, 1998.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- TIBA, Içami. Adolescentes: quem ama, educa. SP: Gente, 2005.

- VASCONCELOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem. São Paulo: Liberta, 1994.

- ZABALA, Antoni. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para currículo escolar. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

- ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

PROFESSOR EM MÚSICA E DANÇA

Conteúdo:

Todo o conteúdo da bibliografia que segue:

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade - Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Municipal n° 2.294, de 03 de julho de 1984 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Bagé

- CHEDIAK, Almir, "Harmonia e Improvisação", Vol I, Editora Lumiar.

- Adolfo, Antônio, O Livro do Músico, Lumiar Editora

- MASCARENHAS, Mário e Belmira Cardoso, "Curso Completo de Teoria Musical e Solfejo" (Volumes I e II), Editora Irmãos Vitalle.

- BENNETT, Roy. Uma breve história da música. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

- BOURCIER, Paul. Historia da dança no ocidente. São Paulo : Martins Fontes, 1987.

- FUSARI, Maria F.R e Ferraz, Maria Heloísa C. de T. Metodologia do ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 1993.

- GIL, José. Movimento total: o corpo e a dança. São Paulo: Iluminuras, 2005.

- VIANNA, Klauss. A Dança. São Paulo: Summus, 2005.

PROFESSOR DE CIÊNCIAS

Conteúdo:

1) A Vida no Nível da Célula: Organização básica de células procarióticas e eucarióticas: estrutura e função das substâncias orgânicas e inorgânicas que compõem os seres vivos; Metabolismo celular; Reprodução sexuada e Embriologia. 2) A Continuidade da Vida: Hereditariedade e a natureza do material hereditário: As bases moleculares da hereditariedade. Fundamentos da Genética. Processos de evolução: Teorias da evolução; Causas genéticas da variabilidade; Seleção e Adaptação; Isolamento reprodutivo e formação de novas espécies; Genética de Populações; Origem e evolução da espécie humana. 3) A Diversidade da Vida. Vírus: Estruturas, ciclo de vida e patologias relacionadas. Monera, Protista e Fungi : Características gerais e aspectos básicos da reprodução; Importância ecológica e econômica; Prevenção das principais doenças humanas. Plantas: Características gerais dos principais grupos de plantas; Evolução das plantas e adaptações morfológicas e reprodutivas ao ambiente; Organização morfológica básica, crescimento, desenvolvimento e reprodução das Angiospermas. Animais: Características gerais e hábitat dos principais grupos de animais; Evolução dos animais e comparação dos principais grupos quanto à alimentação, locomoção, respiração, circulação, excreção, osmorregulação e reprodução; Animais parasitas do ser humano: ciclos de vida e medidas profiláticas; Animais urbanos e suas relações com os humanos; Estrutura básica e fisiologia dos sistemas do corpo humano; Nutrição e desnutrição; Reprodução Humana e regulação neuro-endócrina; Doenças sexualmente transmissíveis; Constituição do pensamento humano. 4) Os Seres Vivos e o Ambiente: Populações, comunidades e ecossistemas; O fluxo energético e os ciclos da matéria nos ecossistemas; Dinâmica das populações; Ecossistemas aquáticos; Ecossistemas terrestres; Características gerais dos principais tipos de ecossistemas brasileiros. Ecologia humana: O crescimento da população humana como fenômeno histórico; As atividades humanas e as alterações provocadas nos ecossistemas; A utilização dos recursos naturais; O problema da geração de resíduos sólidos em excesso: a reciclagem e o tratamento adequado dos resíduos e seus efluentes; O problema do esgoto e o tratamento da água; A genética e clonagem: aspectos éticos, ecológicos e econômicos; Saúde: indicadores; determinantes sociais; a importância do controle ambiental, do saneamento básico, da vigilância sanitária e epidemiológica e dos serviços de assistência à saúde. 5) Relações entre o Ensino das Ciências e a concepção de Ciência: a história do desenvolvimento e construção do conhecimento científico, tecnológico, seus procedimentos metodológicos e suas influências no Ensino das Ciências. 6) Metodologias no Ensino das Ciências e a organização da prática educativa. 7) Abordagens contextualizadas com enfoque interdisciplinar de questões polêmicas contemporâneas relacionadas às discussões de desequilíbrios ambientais e ecológicos, de qualidade de vida, de saúde pública, das relações entre tecnologia e sociedade e de outras questões recorrentes às ciências, amplamente veiculadas pelos meios de divulgação científica e comunicação social. 8) Parâmetros Curriculares Nacionais.

Referências Bibliográficas:

- AMABIS, J. M. e MARTHO, G. R. Fundamentos da Biologia Moderna. São Paulo: Moderna, 1994.

- BARROS, C.; PAULINO, W.R. Física e química. São Paulo: Ática, 1997.

- EL-HANI, C.N.; VIDEIRA, A. A. P. O que é vida? para entender a biologia do século XXI. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2000.

- FELTRE, Ricardo. Química. v. 1, 2 e 3. Moderna.

- MORIN, E. Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez, 2002.

- PERRENOUD, P. Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

- REVISTA CIÊNCIA HOJE - SBPC (Sociedade Brasileira para o progresso da Ciência).

- SONCINI, M.; CASTILHO JR., M. Biologia. Coleção Magistério, 2º grau, Série Formação do Professor, São Paulo: Cortez, 1991.

- WEISSMANN, H. A didática das ciências naturais: contribuições e reflexões. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : Ciências Naturais / Secretaria de Educação Fundamental. . Brasília : MEC / SEF, 1998.

PROFESSOR DE GEOGRAFIA

Conteúdos:

1) "Geografia: Uma Análise do Espaço Geográfico": Capítulo 1: Introdução à Cartografia: - A ciência da Cartografia; A importância dos Mapas; Elementos básicos de um mapa; A polêmica entre as projeções de Mercator e Peters; ; As representações topográficas; Novas tecnologias cartográficas; A representação do espaço em diferentes linguagens. Capítulo 2: As forças da natureza; A estrutura interna da Terra; O movimento da crosta terrestre: a deriva continental e a tectônica de placas; A descoberta da movimentação das placas; Tipos de movimentos das placas; Os agentes do relevo; Formas de relevo; Capítulo 3: Solos e sua degradação; Terra: um recurso finito; O que é solo?

A degradação acelerada dos solos; Capítulo 4: Alterações Atmosféricas; Uma questão que fascina o homem; A atmosfera terrestre; Tipos climáticos; O aquecimento de água no Pacífico; O precário equilíbrio.Capítulo 5: A questão da água; Um problema mundial; A hidrosfera; A disponibilidade de água-uma crescente ameaça; Propriedades físicas da água; A origem da água na Terra; A vida nos oceanos; As correntes marítimas; A água no século XXI; Capítulo 6: Desmatamento; O avanço sobre as matas nativas; As principais formações vegetais; Tipos de desmatamentos; Desertificação; Biodiversidade; Biotecnologia. Capítulo 7: Os recursos naturais; Conceituação básica e sua relação com a Geologia; Recursos Naturais e o Desenvolvimento Sustentável; Os recursos energéticos; As principais fontes energéticas do Globo; As fontes alternativas de energia. Capítulo 8: A Nova Ordem Econômica Mundial; O panorama econômico; O poder na virada do milênio; O papel da economia dos EUA no mundo; Outros países ricos; As economias emergentes; O caso particular da China; Regendo a economia mundial: o FMI, o Banco Mundial e o G7; O processo da globalização; A terciarização e a terceirização; A nova economia. Capítulo 9: A Atividade Industrial; Os fatores de localização e de desenvolvimento industrial; A indústria Hi-Tech; A nova localização espacial da indústria; Os novos países industrializados (NIPs); Os grandes problemas da nova industrialização; A transferência de tecnologia ou Know-how. Capítulo 10: O mundo globalizado; O comércio mundial e a OMC; Uma radiografia do comércio mundial; A China e o comércio mundial; Os blocos econômicos ou Megamercados; A Internet e o comércio mundial; A dinâmica dos transportes e a globalização; A revolução nos transporte; O transporte da informação; Capítulo 11: A agricultura e a pecuária; A importância e a evolução da atividade agrária; Conceitos básicos em agricultura; A economia agrícola dos países desenvolvidos e não desenvolvidos; A modernização do campo; A revolução verde; A biorrevolução a questão da fome; A pecuária. Capítulo 12: A urbanização mundial; A definição de cidade; A origem das cidades; A expansão urbana; As aglomerações urbanas; Os contrastes da urbanização do Terceiro Mundo; A rede urbana; As cidades globais; As megacidades; A urbanização; Os problemas ambientais urbanos. Capítulo 13: A geografia da População Mundial; Seis bilhões; Os países mais populosos do mundo; A distribuição espacial da população; Conceitos básicos e terminologia específica sobre o crescimento demográfico; O crescimento demográfico mundial; A estrutura etária da população; A questão do envelhecimento populacional; De Malthus à Teoria da Transição Demográfica; As migrações e sua influência na organização do espaço mundial; Grandes fluxos migratórios internacionais; Os reflexos das migrações; A estrutura econômica setorial; Índice de desenvolvimento humano (IDH)

2) Geografia: Paisagem e Território; Geral e Brasil.: Morfodinâmica; Capítulo 1: O tempo profundo; Capítulo 2: A placa sul-americana; Capítulo 3: O modelado brasileiro; A linguagem da Geografia. Insolação; Capítulo 4: A dinâmica climática; Capítulo 5: A biosfera e os ecossistemas; Capítulo 6: A dinâmica climática do Brasil; Capítulo 7:Os ambientes naturais brasileiros; A linguagem da Geografia; Capital: Capítulo 8: Desenvolvimento e Subdesenvolvimento; Capítulo 9: A globalização e os blocos econômicos; Capítulo 10: O modelo econômico brasileiro; Capítulo 11: O Brasil e o Mercosul; A linguagem da Geografia. Tecnologia; Capítulo 12:O meio tecnocientífico. Capítulo 13: A produção do espaço industrial; Capítulo 14: O espaço industrial brasileiro; Capítulo 15: Agricultura e meio ambiente; Capítulo 16: A economia rural brasileira; A linguagem da geografia. Redes; Capítulo 17: Redes de transportes; Capítulo 18: Redes de comunicações e cidades globais; Capítulo 19: A rede urbana brasileira; A linguagem da Geografia. Energia; Capítulo 20: Produção e consumo de energia; Capítulo 21: As políticas energéticas no Brasil; Capítulo 22: Urbanização e meio ambiente; A linguagem da Geografia. Trabalho: Capítulo 23: A transição demográfica; Capítulo 24:Tecnologia e emprego; Capítulo 25: O mercado de trabalho no Brasil; Capítulo 26: Exclusão social e pobreza; A linguagem da Geografia. Política; Capítulo 27: Estado, nação e nacionalismo; Capítulo 28: Brasil: território e nação; Capítulo 29: Planejamento regional no Brasil; Capítulo 30: A política internacional e o meio ambiente; A linguagem da Geografia. 3.Geografia Geral - O espaço natural e socioeconômico: Unidade 1- A Geografia e seu objeto de estudo; Unidade 2- O espaço natural e o espaço modificado pela humanidade; Unidade 3- A organização do espaço e o panorama político e socioeconômico contemporâneo; Unidade 4- Dinâmica populacional e urbanização; Unidade 5- Espaço da produção e da circulação mundial; Unidade 6- Meio ambiente e poluição (todos os capítulos). 4)Geografia Geral e do Brasil; Unidade 1- Um planeta azul; Capítulo 1- O princípio; Capítulo 2- O tempo geológico. Capítulo 3- Formas da superfície- Fascínio antigo. Capítulo 4- O planeta com sede; Capítulo 5- Clima; Capítulo 6- Vegetação; Unidade 2- Geopolítica; Capítulo 7- Os espaços geográficos ao longo da história; Capítulo 8- Início de uma nova era; Capítulo 9- O mundo sem fronteiras; Capítulo 10- Principais focos de tensões; Unidade 3- População; Capítulo 11- A população mundial; Capítulo 12- A estrutura da população; Capítulo 13- A população brasileira; Unidade 4- O urbano e o rural; Capítulo 14- O mundo urbano; Capítulo 15- Indústria; Capítulo 16- fontes de energia; Capítulo 17- O mundo rural; Capítulo 18- A economia globalizada; Unidade 5- Os principais atores; Capítulo 19- Estados Unidos da América; Capítulo 20- Canadá; Capítulo 21- União Européia; Capítulo 22- Japão; Capítulo 23- Rússia; Capítulo 24- As economias emergentes. 5) Parâmetros Curriculares Nacionais.

Referências Bibliográficas:

- COIMBRA, Pedro e TIBÚRCIO, José Arnaldo M. Geografia: Uma Análise do Espaço Geográfico. Harbra.

- MAGNOLI, Demétrio e ARAUJO, Regina. Geografia: Paisagem e Território - Geral e Brasil. Moderna.

- COELHO, Marcos de Amorim, TERRA, Lygia. Geografia Geral - O espaço Natural e Socioeconômico. Moderna.

- MORAES, Paulo Roberto. Geografia Geral e do Brasil. Harbra.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : geografia / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília : MEC/ SEF, 1998.

PROFESSOR DE MATEMÁTICA

Conteúdo:

Todo o conteúdo da bibliografia que segue:

Referências Bibliograficas:

- HOWARD, Anton. Cálculo, um novo horizonte. Vol. 1 e 2. Porto Alegre: Bookman, 2000.

- SILVA, Claudio & BARRETO, Benigno. Matemática aula por aula: Ensino Médio. Vol. 1, 2 e 3. São Paulo: FTD, 2005.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : Matemática / Secretaria de Educação Fundamental. . Brasília : MEC / SEF, 1998.

ANEXO III - CONCURSO PÚBLICO

FORMULÁRIO DE RECURSO

Para Objetiva Concursos Ltda

PORTO ALEGRE - RS

CONCURSO PÚBLICO (nome do órgão e cidade) _______________________________________________

NOME DO CANDIDATO: _________________________________________________________________

CARGO: _________________________________________ Nº de INSCRIÇÃO: _____________________

TIPO DE RECURSO - (Assinale o tipo de Recurso)

( )

( )

( )

( )

( )

CONTRA INDEFERIMENTO DE INSCRIÇÃO

CONTRA GABARITO DA PROVA OBJETIVA

CONTRA RESULTADO PROVA ESCRITA

CONTRA RESULTADO PROVA PRÁTICA

CONTRA RESULTADO PROVA TÍTULOS

Ref. Prova objetiva

Nº da questão: _______________________________

Gabarito oficial: _______________________________

Resposta Candidato: ___________________________

Justificativa do candidato - Razões do Recurso
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________.

Reproduzir a quantidade necessária. Preencher em letra de forma ou digitar e entregar este formulário em 02 (duas) vias, uma via será devolvida como protocolo.

Data: ____/____/____

Assinatura do candidato _____________________________

Assinatura do Responsável p/ recebimento _____________________________

ANEXO IV RELAÇÃO DE TÍTULOS

Cargo: __________________________________________________ Nº da inscrição: ___________________

Nome do candidato: _______________________________________________________________________

CONCURSO PÚBLICO (nome do órgão e cidade) _______________________________________________

RELAÇÃO DE TÍTULOS ENTREGUES

Campos preenchidos pelo candidato

(deixar em branco)

Nº de horas

Histórico / Resumo

Pré - pontuação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Observação: Preencher em letra de forma ou digitar nos campos destinados ao candidato, entregar este formulário em 02 (duas) vias, conforme Edital.

Declaro, para os devidos fins e sob as penas da lei, que possuo como requisito de habilitação para o cargo de inscrição o curso: _____________________ (concluído ou em andamento), cujo comprovante estou anexando à presente relação, estando ciente de que o mesmo não será utilizado para pontuação na prova de títulos.

Data: ____/____/____

Assinatura do candidato _____________________________

Assinatura do Responsável p/ recebimento _____________________________

ANEXO V REQUERIMENTO - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Concurso Público: ____________________________ Município/Órgão: _______________________________

Nome do candidato: _______________________________________________________________________

Nº da inscrição: ____________________________ Cargo: ________________________________________

Vem REQUERER vaga especial como PESSOA COM DEFICIÊNCIA, apresentou LAUDO MÉDICO com CID (colocar os dados abaixo, com base no laudo):

Tipo de deficiência de que é portador: _________________________________________________________

Código correspondente da Classificação Internacional de Doença - CID _______________________________

Nome do Médico Responsável pelo laudo: _____________________________________________________

(OBS: Não serão considerados como deficiência os distúrbios de acuidade visual passíveis de correção simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congêneres)

Dados especiais para aplicação das PROVAS: (marcar com X no local caso necessite de Prova Especial ou não, em caso positivo, discriminar o tipo de prova necessário )

( ) NÃO NECESSITA DE PROVA ESPECIAL e/ou TRATAMENTO ESPECIAL

( ) NECESSITA DE PROVA ESPECIAL (Discriminar abaixo qual o tipo de prova necessário)
______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________

É obrigatória a apresentação de LAUDO MÉDICO com CID, junto a esse requerimento.

(Datar e assinar)

_____________________________________
Assinatura

ANEXO VI REQUERIMENTO DE ISENÇÃO DE PAGAMENTO DE TAXA DE CONCURSO PÚBLICO - DOADOR DE SANGUE

Concurso Público: Edital nº:________________________________________________________________

Nome do candidato: _____________________________________________________________________

Cargo: _______________________________________________________________________________

Vem requerer isenção de pagamento de taxa de inscrição do concurso público, prevista na Lei Municipal nº 4010/03, conforme Atestado ou Carteira de Doador, em anexo.

(Datar e assinar)

___________________________________
assinatura