IFCE - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - CE

IFCE - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ

REITORIA

CONCURSO PÚBLICO - CARREIRA DOCENTE

EDITAL Nº 001/GR-IFCE/2011

Notícia:   IFCE abre 96 vagas para Professor em 18 campi

O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ (IFCE), considerando o teor do Decreto nº 7.312/2010, publicado no Diário Oficial da União de 23 de setembro de 2010, torna pública a abertura da inscrição para o Concurso Público de Provas e Títulos visando ao provimento do cargo de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, de que trata a Lei n°. 11.784, de 22 de setembro de 2008, com o objetivo de preencher o Quadro de Pessoal deste instituto, sob o Regime Jurídico Único, aprovado pela Lei nº. 8.112, de 11 de dezembro de 1990, com suas alterações posteriores, as legislações pertinentes e demais regulamentações conforme estabelecido neste Edital.

1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES:

1.1. O concurso público será realizado pela Coordenadoria Geral de Seleção e Concurso (CGSC) do IFCE, situada à Av. 13 de Maio, 2081 - Benfica, em Fortaleza/CE.

1.2. O provimento se dará em vagas de acordo com as Áreas de Estudo relacionadas no Anexo I deste Edital.

1.3. A Diretoria de Gestão de Pessoas nomeará as bancas examinadoras deste certame.

1.4. São consideradas atividades próprias do pessoal docente: as relacionadas ao ensino, notadamente, a ministração de aulas na área das disciplinas para qual prestou concurso; as relacionadas à pesquisa; as que se estendam à comunidade sob a forma de cursos e serviços especiais; as inerentes ao exercício de direção, assessoramento, chefia, coordenação e assistência na própria instituição, além de outras previstas na legislação vigente.

1.5. Fica estabelecido o "fuso" de Fortaleza-CE como horário oficial de referência para todas as alusões contidas neste Edital.

1.6. Todas as fases do presente concurso serão realizadas na cidade de Fortaleza/CE.

2. DAS INSCRIÇÕES:

2.1. Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer o teor do Edital, disponível no sítio www.ifce.edu.br, e certificar-se de que preenche todos os requisitos nele expressos.

2.2. A inscrição do candidato implicará o conhecimento das normas e condições estabelecidas neste Edital e sua tácita aceitação, em relação às quais não poderá alegar desconhecimento.

2.3. O candidato deve imprimir o Edital regulador deste concurso, disponível no sítio www.ifce.edu.br.

2.4. A inscrição será efetuada exclusivamente via internet, no endereço eletrônico www.ifce.edu.br, no período compreendido entre 8 horas do dia 12/12/2011 até às 17 horas do dia 23/12/2011.

2.5. Para inscrever-se, o candidato deve acessar o endereço eletrônico www.ifce.edu.br, durante o período definido no item 2.4. e efetuar a inscrição conforme os procedimentos estabelecidos a seguir:

a) Preencher o requerimento de inscrição, informando, obrigatoriamente, o CPF e transmitir os dados via internet;

b) Imprimir o boleto bancário eletrônico e efetuar o pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ 70,00 (setenta reais), em qualquer agência bancária ou lotérica, até a data limite do encerramento das inscrições.

2.6. No momento da inscrição, o candidato deve optar apenas por uma Área de Estudo, visto que a prova escrita para todas as Áreas de Estudo será no mesmo dia e horário. Caso seja constatado mais de um requerimento de inscrição, por CPF, será confirmado somente o último.

2.7. Uma vez confirmada a inscrição, não será admitida, em hipótese alguma, a sua alteração.

2.8. Serão considerados documentos oficiais de identidade: carteiras expedidas pelo Ministério da Defesa, pelas Secretarias de Segurança Pública e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional (Ordens, Conselhos etc); passaporte brasileiro (ainda válido); Carteira do Trabalho e Previdência Social; carteiras funcionais expedidas pelo Ministério Público, Magistratura, ou por órgão público que, amparados por lei federal, valem como identidade; carteira nacional de habilitação (somente o modelo novo, com foto, obedecendo ao período de validade).

2.9. Não serão aceitos como documentos de identidade: certificado de reservista, boletim de ocorrência policial, certidão de nascimento ou casamento, título eleitoral, carteira nacional de habilitação (modelo antigo ou modelo novo com período de validade vencido), carteira de estudante, carteira funcional sem valor de identidade nem documento ilegível, não identificável ou danificado.

2.10. A inscrição efetuada será confirmada somente após a comprovação do pagamento da taxa e do correto preenchimento do requerimento de inscrição.

2.11. O pagamento com cheque será confirmado somente após a compensação bancária; se o cheque tiver sido devolvido, a inscrição será indeferida.

2.12. Será considerado inscrito o candidato que tiver seu requerimento de inscrição confirmado, na forma do item 2.10. deste Edital, devendo certificar-se do deferimento no dia 11/01/2012, mediante consulta ao sítio www.ifce.edu.br.

2.13. O candidato cujo inscrição não for deferida, poderá regularizar sua situação nos dias 12 e 13/01/2012, junto a CGSC.

2.14. O IFCE não se responsabiliza por requerimento de inscrição não recebido via internet por motivos de ordem técnica, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como de outros fatores que impossibilitem a transferência de dados ou a impressão do boleto bancário.

2.15. É vedada a transferência do valor pago a título de taxa de inscrição para terceiros ou para outros concursos/seleções.

2.16. Em nenhuma hipótese será devolvida a importância paga, relativa à taxa de inscrição.

2.17. Não será aceito requerimento de inscrição por via postal, fax, correio eletrônico, condicional, extemporâneo nem em desacordo com as normas deste Edital.

2.18. As informações prestadas no requerimento de inscrição são de inteira responsabilidade do candidato, dispondo o IFCE, no caso de dados incorretos, incompletos ou inverídicos, mesmo que constatados a posteriori, do direito de excluir o candidato deste concurso público e declarar nulos os atos praticados em decorrência da inscrição, sem prejuízo de eventuais sanções de caráter judicial.

2.19. Em hipótese alguma, o candidato poderá realizar provas sem que o seu requerimento esteja previamente confirmado.

3. DA ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO

3.1. O IFCE obedecendo ao que preceitua o Decreto n° 6.593, de 2 de outubro de 2008, publicado no DOU de 3/10/2008, prevê a possibilidade de isenção de taxa de inscrição para o candidato que:

a) Estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - CadÚnico, de que trata o Decreto n° 6.135, de 26 de junho de 2007 e

b) For membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto n° 6.135, de 2007.

3.2. Os pedidos de isenção da taxa de inscrição poderão ser feitos no dia 12/12/2011, mediante requerimento padrão:

a) dirigido à Coordenadoria Geral de Seleção e Concurso (CGSC) do IFCE, protocolizado no endereço citado no item 1.1;

b) ou ainda protocolizado em qualquer campus do IFCE.

3.3. Para a solicitação de isenção de taxa, o candidato deverá proceder da seguinte forma:

a) Imprimir o requerimento que está disponível no sítio www.ifce.edu.br;

b) apresentar declaração de que atende a alínea "b" do item 3.1. deste Edital.

3.4. Não será aceita a documentação, se entregue após a data especificada no subitem 3.2.

3.5. O IFCE consultará o órgão gestor do CadÚnico para verificar a veracidade das informações prestadas pelo candidato.

3.6. A declaração falsa sujeitará o candidato às sanções previstas em Lei, aplicando-se, ainda, o disposto no parágrafo único do art. 10° do Decreto n° 83.936, de 6 de setembro de 1979.

3.7. A relação dos candidatos beneficiados com a isenção de taxa de inscrição será divulgada no dia 14/12/2011, pelo sítio www.ifce.edu.br.

3.8. Os candidatos beneficiados com a isenção da taxa deverão efetuar a inscrição procedendo conforme especificado no subitem 2.5., alínea "a".

3.9. No caso de indeferimento do pedido de isenção, o candidato que desejar participar do certame deverá proceder de acordo com o subitem 2.5.

4. DAS VAGAS DESTINADAS A PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

4.1. Em cumprimento ao que consta dos seguintes dispositivos: a) art. 37, inciso VIII, da Constituição Federal; b) § 2° do art. 5° da Lei n° 8.112/90; c) Lei n° 7.853, de 24 de outubro de 1989; d) Decreto n°. 3.298, de 20 de dezembro de 1999; fica reservado o percentual de 10% (dez por cento) do total das vagas ofertadas para o cargo de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, para os candidatos portadores de deficiência que deverão escolher a Área de Estudo a que pretendem concorrer, devendo ser observada a compatibilidade entre as atribuições do cargo de professor com a deficiência declarada.

4.2. Somente serão consideradas portadoras de deficiência as pessoas que se enquadrarem nas categorias constantes do art. 4 º do Decreto nº 3.298/99.

4.3. As necessidades especiais, admitida a correção por equipamentos, adaptações, meios ou recursos especiais, devem permitir o desempenho adequado das atribuições especificadas relativamente ao cargo pretendido.

4.4. Obedecendo ao período de inscrição, o candidato portador de deficiência que deseje concorrer nesta condição deverá enviar à Coordenadoria Geral de Seleção e Concurso (CGSC) do IFCE - Av. 13 de Maio, 2081, Benfica, Fortaleza/CE - CEP 60.040-531, laudo médico atestando a espécie e o grau ou o nível de deficiência, com expressa referência ao Código correspondente da Classificação Internacional de Doença (CID), bem como a provável causa da deficiência.

4.5. O candidato que pretenda concorrer à reserva de vagas para portador de deficiência e que, no período das inscrições, não tenha informado sua condição, não poderá fazê-lo posteriormente, sendo considerado como não portador de deficiência e, consequentemente, concorrerá às vagas gerais.

4.6. Para a decisão de deferimento ou indeferimento das inscrições para os candidatos que pleiteiam concorrer às vagas na condição de pessoas portadoras de deficiência, serão levados em consideração somente os documentos apresentados por ocasião da inscrição.

4.7. A relação dos candidatos que tiverem a inscrição deferida para concorrer na condição de pessoas portadoras de deficiência, será divulgada no dia 11/01/2012.

4.8. O candidato portador de deficiência, ressalvadas as condições especiais previstas neste Edital, participará do concurso em igualdade de condições com os demais candidatos no que se refere ao conteúdo, à avaliação, ao horário, ao local de aplicação das provas e à nota mínima exigida para os demais candidatos.

4.9. Se classificado, o candidato portador de deficiência será avaliado por Equipe Multiprofissional para comprovação da deficiência e da aptidão para o exercício do cargo pretendido, considerando-se o disposto nos Artigos 4° e 43 do Decreto n° 3.298/99.

4.10. Para fins da avaliação de que trata o subitem anterior, o candidato será convocado uma única vez; o não comparecimento caracterizará a sua desistência da condição de concorrente às vagas de portador de deficiência.

4.11. Caso o candidato tenha sido qualificado pela Equipe Multiprofissional como portador de deficiência considerada incompatível para o exercício das atribuições do cargo, indicadas no subitem 1.4. deste Edital, este será considerado INAPTO e, consequentemente, reprovado no concurso para todos os efeitos.

4.12. A compatibilidade entre as atribuições do cargo e a deficiência apresentada pelo candidato será avaliada, ainda, durante o estágio probatório, na forma estabelecida no § 2º do art. 43 do Decreto n. 3.298/99.

4.13. Após a investidura do candidato portador de necessidades especiais, a deficiência não poderá ser argüida para justificar a concessão de aposentadoria nem de reabilitação, visto que deve ser compatível com o exercício do cargo.

4.15. Do total de vagas disponibilizadas neste Edital, 10 (dez) vagas serão destinadas aos candidatos portadores de necessidades especiais.

4.16. Para fins de homologação do resultado final serão classificados os candidatos portadores de deficiência até o limite estabelecido no Anexo I do Decreto nº 6.944/2009, considerando as vagas ofertadas para a cada área de estudo.

4.17. Para provimento das vagas reservadas nos termos do subitem 4.15, será elaborada listagem própria, em ordem decrescente de notas, contendo os candidatos que obtiveram a maior nota dentre os portadores de deficiência para a área de estudo que tenha concorrido. Os candidatos portadores de deficiência serão nomeados observada a ordem de classificação estabelecida na referida listagem, até o preenchimento do quantitativo de vagas reservadas nos termos do presente Edital.

4.18. Os candidatos portadores de deficiência se habilitados e classificados, terão seus nomes publicados em lista mencionada no subitem 4.16, podendo, ainda figurar na lista geral de classificação, desde que atendido o critério estabelecido no Anexo I do Decreto 6.944/2009.

4.19. Para as áreas de estudo onde tenha sido ofertada mais de uma vaga, será nomeado o candidato classificado em primeiro lugar para a respectiva Área de Estudo na lista de classificação geral. Caso o candidato nomeado não seja portador de deficiência, a segunda vaga deverá ser provida com candidato portador de deficiência constante da listagem menciona no subitem 4.17.

4.20. Caso tenha sido ofertada apenas uma vaga para a Área de Estudo, o candidato portador de deficiência classificado dentre os 10 (dez) primeiros candidatos constantes da listagem mencionada no subitem 4.17 terá preferência sobre os demais candidatos da classificação geral quando do provimento da vaga.

4.21. A vaga reservada e não ocupada por candidato portador de deficiência será preenchida por candidato sem deficiência, com estrita observância da ordem da classificação geral.

4.22. No provimento de vagas além das ofertadas no Anexo I do presente Edital, o IFCE convocará 01 (um) candidato portador de deficiência para cada 10 (dez) novas vagas autorizadas, considerando a ordem de classificação da listagem de que trata o subitem 4.17 e desde que a Área de Estudo demandada pelo campus seja a mesma dos candidatos portadores de deficiência classificados.

4.23. Caso o candidato portador de deficiência não atenda ao perfil exigido no item anterior, será mantida sua colocação na listagem mencionada no subitem 4.17.

5. ATENDIMENTO ESPECIAL

5.1. O candidato portador de necessidades especiais poderá, caso necessário, ainda no período de inscrição, requerer tratamento diferenciado para realização das provas do concurso, na forma do subitem seguinte.

5.2. Para solicitar o tratamento diferenciado, o candidato portador de necessidades especiais deverá protocolizar em qualquer dos campi ou enviar pelo correio (via SEDEX ou AR) para a Coordenadoria Geral de Seleção e Concurso (CGSC) do IFCE, Av. Treze de Maio, 2081, Benfica, CEP 60.040-531-Fortaleza-CE, a seguinte documentação:

a) requerimento especificando as condições especiais para a realização das provas;

b) laudo médico atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência ao código a ela correspondente conforme Classificação Internacional de Doença(CID) bem como a provável causa da deficiência.

5.3. O requerimento de tratamento diferenciado será atendido obedecendo-se à previsão legal e aos critérios de viabilidade e razoabilidade, sendo comunicado ao candidato o resultado da análise de seu pedido.

5.4. O portador de necessidades especiais que não requerer atendimento especial até o prazo estabelecido no item 5.1., ficará impossibilitado de realizar provas em condições especiais.

5.5. A candidata que estiver amamentando poderá requerer atendimento especial, mediante requerimento protocolizado, nos termos do item 5.2., durante o período de inscrição constante no item 2.4 deste edital e, em caso de deferimento, será disponibilizada uma sala onde a criança ficará acompanhada de um responsável devidamente identificado pela candidata.

6. DA ESTRUTURA DO CONCURSO PÚBLICO

6.1. Este concurso público será realizado em 03 (três) fases:

a) Prova Escrita (eliminatória e classificatória);

b) Prova de Desempenho Didático (eliminatória e classificatória);

c) Prova de Títulos (classificatória).

6.2. A cada uma das etapas será atribuída uma pontuação de zero a cem pontos.

7. DAS PROVAS

7.1. Da Prova Escrita

7.1.1. A Prova Escrita conterá 05 (cinco) questões discursivas, que versarão sobre o conteúdo programático de cada Área de Estudo (Anexo II) e valerá até 100 (cem) pontos.

7.1.2. O candidato deverá comparecer ao local designado, com antecedência de 30 (trinta) minutos do início da prova, munido do documento oficial de identidade (o mesmo informado na inscrição) caneta esferográfica (tinta azul), lápis, borracha e/ou demais materiais, se solicitados por ocasião da divulgação do local de prova no sítio www.ifce.edu.br.

7.1.3. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia da realização das provas, o documento de identidade exigido no item 7.1.2., por motivo de perda, roubo ou furto, deverá apresentar boletim de ocorrência de órgão policial, expedido há, no máximo, trinta dias, e portar qualquer outro documento oficial de identidade, listado no item 2.8. deste Edital.

7.1.4.O candidato que não apresentar documento oficial de identidade não realizará as provas, observados os itens 7.1.2. e 7.1.3. deste Edital.

7.1.5. Os documentos deverão estar em perfeitas condições, de forma a permitir, com clareza, a identificação do candidato e de sua assinatura.

7.1.6. Não será permitido ao candidato entrar no local de realização das provas, após o fechamento dos portões.

7.1.7. A partir de 26/01/2012, estará disponível no sítio www.ifce.edu.br o cartão de identificação, para impressão pelo próprio candidato, constando o local de realização da prova escrita.

7.1.8. A prova escrita será no dia 29/01/2012, em Fortaleza/CE, com início às 9h, e terá duração de 4 (quatro) horas.

7.1.8.1. Não será permitida, em nenhuma hipótese, a presença de pessoas não autorizadas ou alheias ao concurso no estabelecimento onde se realize a prova.

7.1.9. Durante a realização desta prova, não será permitido ao candidato, dentro da sala de aula, portar os objetos abaixo especificados, sob pena de ser sumariamente excluído do concurso:

a) arma, máquina calculadora (também em relógios) agenda eletrônica ou objeto similar, telefone celular, bip, walkman, page, notebook, palm top, máquina fotográfica, gravador ou qualquer outro transmissor/receptor de mensagem;

b) boné ou similar, bolsa, livro, jornal, manual impresso ou de anotações.

7.1.10. Sob pena de sua desclassificação no certame, o candidato só poderá retirar-se definitivamente, da sala de prova, uma hora após o seu início e, na hipótese de ausentar-se temporariamente, para eventual necessidade, deverá ser acompanhado de balizador.

7.1.11. Durante a realização da prova escrita, não será permitida qualquer forma de consulta, salvo a utilização de material, definido pela banca examinadora, e informado por ocasião da divulgação do local de prova no sítio www.ifce.edu.br.

7.1.12. Não será atribuído valor à questão que estiver com respostas escritas a lápis ou a caneta que não seja da cor azul.

7.1.13. Salvo o preenchimento do campo obrigatório constante do picote da folha de rosto do caderno de prova, qualquer identificação do candidato na prova escrita implicará sua desclassificação no concurso.

7.1.14. O não comparecimento do candidato na data, local e horário pré-determinados para a realização da prova, qualquer que seja a alegação, implicará a eliminação automática do candidato.

7.1.15. Também será sumariamente eliminado o candidato cujo aparelho celular ou outro equipamento qualquer, venha a vibrar ou tocar, emitindo sons de chamada, despertador, etc.

7.1.16. O candidato que for flagrado, utilizando aparelhos de comunicação nas áreas de circulação e acesso às salas de prova, será convidado a se retirar do ambiente e, se não atender, será eliminado do Concurso.

7.1.17. A Coordenadoria Geral de Seleção e Concurso (CGSC) do IFCE não se responsabilizará por perdas ou extravios de objetos ou equipamentos eletrônicos ocorridos durante a realização da prova, nem por danos neles causados.

7.1.18. Após o término das provas, o candidato deverá retirar-se, imediatamente, das dependências da instituição.

7.1.19. Nos momentos finais da prova, os três últimos candidatos deverão permanecer na sala até que todos a tenham terminado, de forma que se retirem ao mesmo tempo, após assinarem os três a Ata de Prova.

7.1.20. O resultado da prova escrita será divulgado no site do IFCE.

7.2. Da Prova de Desempenho Didático

7.2.1. A Prova de Desempenho Didático consiste em uma aula de 50 (cinquenta) minutos, perante banca examinadora e se destina a apurar o conhecimento e a capacidade didático-pedagógica do candidato.

7.2.2. Prestarão a Prova de Desempenho Didático, os oito primeiros candidatos que obtiverem a nota igual ou superior a 60 (sessenta) pontos na Prova Escrita, na proporção de oito candidatos para cada vaga oferecida por Área de Estudo, obedecendo-se à ordem decrescente de classificação. Em caso de empate na última colocação, farão a Prova de Desempenho Didático os candidatos que obtiverem esta classificação.

7.2.3. As provas de desempenho serão gravadas para efeito de registro e avaliação, em atendimento ao art. 13, §3º, do Decreto No 6.944/2009.

7.2.4. Versará sobre os itens constantes nos CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS de cada Área de Estudo (Anexo II).

7.2.5. A Prova de Desempenho terá valor máximo de 100 (cem) pontos, e, após a análise e apreciação do desempenho do candidato pela banca, será registrada a nota final obtida pela média aritmética das notas individuais emitidas pelos avaliadores.

7.2.6. O calendário da Prova de Desempenho Didático, no qual constará o dia e a hora do sorteio do ponto, será divulgado no sítio www.ifce.edu.br.

7.2.7. O calendário da prova de desempenho obedecerá à ordem de classificação das notas dos candidatos na prova escrita.

7.2.8. O sorteio do ponto será realizado vinte e quatro horas antes da Prova de Desempenho Didático, admitindo-se tolerância de quarenta e cinco minutos.

7.2.9. Serão avaliados nesta prova os seguintes fatores: plano de aula, condução da aula, domínio de conteúdo, procedimentos e recursos didáticos utilizados, avaliação e duração da aula.

7.2.10. O candidato deverá apresentar-se, para a Prova de Desempenho Didático, portando o documento oficial de Identidade (o mesmo informado na inscrição) e o plano de aula, em três vias (modelo do plano de aula disponível no sítio www.ifce.edu.br).

7.2.11. Não será permitida a presença, no recinto da prova, dos demais candidatos e de pessoas não previstas no item 7.2.1., podendo, no entanto, ter a participação de alunos do IFCE.

7.2.12. Para as Áreas de Estudo de língua estrangeira, as provas de desempenho deverão ser ministradas na língua correspondente aos respectivos códigos. Os planos de aula deverão ser apresentados em língua portuguesa.

7.2.13. Durante a Prova de Desempenho é vedada qualquer tipo de argüição por parte da banca examinadora.

7.2.14. Será habilitado na Prova de Desempenho Didático o candidato que obtiver, no mínimo, (60) sessenta pontos.

7.2.15. Caso o candidato não possa comparecer ao ato de sorteio do ponto da Prova de Desempenho Didático, poderá enviar um representante, munido de autorização escrita, especificamente para este fim, com cópia do documento oficial de identidade de ambos.

7.2.16. O candidato que não comparecer ou não mandar representante ao sorteio do ponto será eliminado do concurso.

7.2.17. As Provas de Desempenho Didático se realizarão no período a ser divulgado no sítio www.ifce.edu.br, podendo incluir sábado e domingo.

7.2.18. Para a realização da prova de desempenho didático somente será disponibilizado quadro branco com marcador. Outros recursos didáticos serão de total responsabilidade do candidato.

7.2.19. O resultado da prova de desempenho será divulgado no sítio www.ifce.edu.br.

7.3. Da Prova de Títulos:

7.3.1. Somente se submeterão à Prova de Títulos os candidatos habilitados na Prova de Desempenho Didático.

7.3.2. A Prova de Títulos consistirá na análise dos títulos apresentados pelos candidatos, conforme o item 7.3.18. deste Edital.

7.3.3. Os títulos a ser avaliados deverão ser entregues em ENVELOPE LACRADO, com identificação do candidato e de sua Área de Estudo, acompanhado do formulário de entrega de títulos, disponível no sítio do IFCE, dirigido à Coordenadoria Geral de Seleção e Concurso (CGSC) do IFCE, no período a ser divulgado no sítio do IFCE, no horário de 8h às 12h e de 14h às 18h, no endereço constante do item 1.1.

7.3.4. Não será considerada, em hipótese alguma, a anexação ou substituição de qualquer documento fora do período estabelecido para a entrega de títulos.

7.3.5. Para efeito de pontuação cada título será considerado, uma única vez.

7.3.6. Será atribuída nota zero ao candidato que não entregar seus títulos na forma, no período e no local estabelecido neste Edital, não caracterizando, porém, este fato sua eliminação do certame.

7.3.7. Na impossibilidade de comparecimento do candidato, serão aceitos os títulos entregues por terceiros, mediante apresentação de procuração simples do interessado, acompanhada de fotocópia do documento de identidade do procurador e do candidato.

7.3.8. Serão de inteira responsabilidade do candidato as informações prestadas por seu procurador no ato da entrega dos títulos bem como a entrega dos títulos na data prevista neste Edital, arcando o candidato com as consequências de eventuais erros de seu representante.

7.3.9. A comprovação da conclusão de curso de pós-graduação será feita por certificado ou diploma expedido por Instituição de Ensino Superior, constando que o candidato é detentor do título de Especialista, Mestre ou Doutor; e em caso de conclusão de curso em instituição estrangeira, devidamente revalidado por instituição de ensino superior reconhecida pelo Governo Federal.

7.3.10. Para ser atribuída a pontuação relativa ao exercício profissional ou especificamente de magistério, o candidato deverá entregar cópia autenticada em cartório do diploma de graduação e documento que se enquadre, em uma das alíneas abaixo:

a) Cópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) incluída a folha de identificação, onde constem número e série, a folha de contrato de trabalho, informando a função e o período (dia, mês e ano) e discriminando o início e o fim do contrato;

b) Cópia de certidão ou declaração, no caso de órgão público, que informe o período (dia, mês e ano) discriminando o início e o fim;

c) Cópia do contrato de prestação de serviços voluntário ou remunerado (demonstrando claramente o período de validade do contrato) e acompanhado de documento atualizado que comprove a vigência do citado contrato.

7.3.11. Será considerado como comprovante de exercício profissional, o tempo de serviço decorrente das atividades de orientação de projetos de pesquisa (bolsista orientador) financiados por agências de fomento.

7.3.12. Não serão aceitas, como comprovante de exercício profissional ou especificamente de magistério, as atividades exercidas antes da data de colação de grau do curso de graduação, o tempo de estágio, de bolsa de estudo, de monitoria ou outras atividades equivalentes.

7.3.13. Não serão computados, duplamente, os pontos relativos a títulos que especifiquem tempo de serviço de magistério concomitante.

7.3.14. Não serão computados, duplamente, os pontos relativos a títulos que especifiquem tempo de serviço de exercício profissional concomitante.

7.3.15. Os títulos em língua estrangeira somente serão pontuados se traduzidos por tradutor público juramentado.

7.3.16. Caso o título entregue esteja em desacordo com as normas deste Edital, será desconsiderado pela comissão examinadora.

7.3.17. Os títulos deverão ser entregues, seguindo, rigorosamente, a ordem prevista no subitem 7.3.18.

7.3.18. Para efeito da Prova de Títulos, os valores a ser atribuídos, no total de até 100 (cem) pontos, serão os seguintes:

a) Cópia, autenticada em cartório, do diploma de Curso de Doutorado, reconhecido pelo Conselho Nacional de Educação ou Conselho Estadual de Educação, na área, objeto do concurso, ministrado por Instituição de Ensino Superior e, quando estrangeiro, devidamente revalidado, 24 (vinte e quatro) pontos;

b) Cópia, autenticada em cartório, do diploma de Curso de Mestrado reconhecido pelo Conselho Nacional de Educação ou Conselho Estadual de Educação, na área, objeto do concurso, ministrado por Instituição de Ensino Superior e, quando estrangeiro, devidamente revalidado, 18 (dezoito) pontos;

c) Cópia, autenticada em cartório, do certificado de Curso de Especialização, em nível de Pós-Graduação lato sensu, na área, objeto do concurso, ministrado por Instituição de Ensino Superior e, quando estrangeiro, devidamente revalidado, 8 (oito) pontos;

d) Cópias, autenticadas em cartório, dos documentos que comprovem o exercício do magistério em instituições de ensino público ou privado, por ano ou fração superior a seis meses, equivalente a 4 (quatro) pontos por cada ano, até o limite de 40 (quarenta) pontos, contados a partir da data da graduação;

e) Cópias, autenticadas em cartório, dos documentos que comprovem o exercício especificamente profissional na área, objeto do concurso, por ano ou fração superior a seis meses, equivalente a 2 (dois) pontos por cada ano, até o limite de 10 (dez) pontos, contados a partir da data da graduação;

7.3.19. O resultado da Prova de Títulos será disponibilizado no sítio www.ifce.edu.br.

7.3.20. Os documentos comprobatórios dos títulos serão restituídos aos candidatos, após trinta dias da homologação do resultado do Concurso e poderão ser retirados pelo candidato na Coordenadoria Geral de Seleção e Concursos do IFCE, em Fortaleza/CE.

7.3.21. Após sessenta dias do prazo estabelecido no subitem anterior, os títulos não retirados serão incinerados.

8. DOS RECURSOS:

8.1. Facultar-se-á ao candidato a interposição de recurso, quanto aos aspectos objetivos ou legais, passíveis de ser anulados, nos períodos a ser definidos quando da divulgação do resultado das respectivas provas, dirigido à Coordenadoria Geral de Seleção e Concurso (CGSC) do IFCE, mediante requerimento (modelo disponível no sítio do IFCE) devidamente fundamentado e protocolizado no endereço constante do item 1.1.

8.2. Para fins de fundamentação do recurso, será admitida vista da prova escrita e o acesso ao detalhamento das notas das provas de desempenho e de títulos, precedidos de requerimento do candidato, dirigido à Coordenadoria Geral de Seleção e Concursos (CGSC) do IFCE, no período a ser divulgado no sítio do IFCE, no horário de 8h às 12h e de 14h às 18h, no endereço constante do item 1.1., ou no setor de protocolo de qualquer um dos campi, em que será agendado um horário para cada requerente.

8.3. Considera-se nula, a prática de ato ou procedimento administrativo que esteja em desacordo com as normas deste Edital ou com a legislação vigente.

8.4. Não serão apreciados os recursos intempestivos e sem fundamentação técnica ou que não guardem relação com o objeto deste concurso.

8.5. Não serão aceitos os recursos interpostos via fax, telegrama, Internet ou outro meio que não seja o especificado neste Edital.

8.6. A resposta ao recurso será divulgada no sítio www.ifce.edu.br, no prazo de até 05 (cinco) dias úteis, contados a partir da data de interposição, podendo haver ou não, alteração da pontuação, para mais ou para menos, a critério da banca examinadora da prova. Após a divulgação deste resultado, o interessado poderá recebê-la na Coordenadoria Geral de Seleção e Concursos (CGSC) do IFCE.

8.7. Em caso de nulidade de algum item ou questão, todos os candidatos ganharão os pontos respectivos.

9. DA CLASSIFICAÇÃO E DO RESULTADO FINAL:

9.1. A nota final dos candidatos será obtida pela média ponderada das três provas, considerando-se os seguintes pesos:

a) Prova Escrita: peso 2;

b) Prova de Desempenho Didático: peso 2;

c) Prova de Títulos: peso 1.

9.2. Em caso de empate entre dois ou mais candidatos, terá preferência, para efeito de desempate, o candidato que:

a) tiver idade igual ou superior a sessenta anos, até o último dia de inscrição neste concurso, conforme artigo 27, parágrafo único, da Lei n.° 10.741, de 1.° de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), adotando-se a seguinte seqüência de paridade: ano/mês/dia;

b) obtiver maior nota na Prova de Desempenho Didático;

c) obtiver maior nota na Prova Escrita;

d) obtiver maior pontuação na alínea "d" do subitem 7.3.18., referente ao tempo de exercício no magistério;

e) obtiver a maior nota no quesito, "Domínio de Conteúdo da Prova de Desempenho Didático";

9.3. A classificação será por código de Área de Estudo, em ordem decrescente de nota final obtida pelo candidato, de acordo com as vagas existentes no presente Edital.

9.4. Serão considerados aprovados somente os candidatos classificados até o número máximo de que trata o Anexo II do Decreto Federal 6.944/09.

9.4.1. Os candidatos não classificados no número máximo de aprovados de que trata o Anexo II do Decreto Federal 6.944/09, ainda que tenham atingido nota mínima estarão automaticamente reprovados no concurso público, salvo se empatados na última classificação.

9.5. O resultado final do Concurso será publicado no Diário Oficial da União, respeitada a ordem de classificação dos aprovados.

10. DO PRAZO DE VALIDADE:

10.1. O concurso terá validade de um ano, a contar da data de publicação da homologação do resultado final no Diário Oficial da União, podendo a validade ser prorrogada, por igual período, mediante ato próprio da autoridade competente.

11. DO REGIME JURÍDICO, DO REGIME DE TRABALHO E DA REMUNERAÇÃO:

11.1. Os candidatos serão nomeados para exercer, em caráter efetivo, o cargo de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, do Quadro Permanente de Pessoal do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará nos campi constantes do Anexo I, sob o regime jurídico da Lei n ° 8.112/90, alterada pela Lei n° 9.527, de 10/12/97.

11.2. O regime de trabalho será de 40 (quarenta) horas semanais e os turnos serão estabelecidos pela administração do Campus no qual o candidato for nomeado.

11.3. A nomeação ocorrerá no Nível 01 da Classe D-I, da respectiva Carreira de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, nos termos da Lei n° 11.784/2008, conforme Anexo III.

12. DOS REQUISITOS PARA INVESTIDURA NO CARGO:

12.1. O candidato aprovado no concurso público de que trata este Edital somente será investido no cargo, se atendidas as seguintes exigências:

a) possuir a habilitação exigida na Área de Estudo, conforme Anexo I;

b) gozar dos direitos políticos;

c) estar quite com as obrigações eleitorais;

d) estar quite com as obrigações do Serviço Militar, se candidato do sexo masculino;

e) não ter sofrido, no exercício de função pública, penalidade incompatível com a investidura em cargo público federal, prevista no artigo 137, parágrafo único, da Lei 8.112/90;

f) ter idade mínima de 18 anos, completos na data da investidura;

g) ser brasileiro nato ou naturalizado, ou, ainda, no caso de estrangeiro, estar com situação regular no país, por intermédio de visto permanente que o habilite, inclusive, a trabalhar no território nacional. No caso de ter nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo Estatuto de Igualdade entre brasileiros e portugueses, de acordo com o Decreto nº 70.436/72;

h) comprovar regularidade de acumulação de cargo de acordo com o inciso XVI do art. 37 da Constituição Federal, bem como a compatibilidade, observando-se a carga horária máxima de 60 (sessenta) horas semanais;

i) apresentar atestado de aptidão física e mental emitido por médico do IFCE, mediante exames médicos solicitados pela Coordenadoria de Serviço de Saúde;

j) apresentar documentos que se fizerem necessários, na época da posse.

13. DO APROVEITAMENTO DO CANDIDATO

13.1. A classificação no concurso assegura ao candidato apenas a expectativa de direito à nomeação, ficando este ato condicionado à observância das disposições legais pertinentes, bem como ao interesse e conveniência do serviço público, atendidos o prazo de validade do certame, a ordem de classificação e a disponibilidade orçamentária do IFCE.

13.2. Para efeito de nomeação e obedecendo-se à ordem de classificação por Área de Estudo, os candidatos aprovados no presente concurso serão convocados para realizar a opção de campus de lotação conforme quadro de vagas do Anexo I deste Edital.

13.3. Havendo mais de uma vaga para a mesma Área de Estudo, destinadas a campi diferentes, terá preferência de opção por campus de lotação o candidato de maior nota, considerados os candidatos portadores e não portadores de deficiência.

13.4. Quando da convocação de que tratam os subitens 13.2 e 13.3, o candidato deverá assinar o termo de opção de campus de lotação no prazo de até 3 (três) dias corridos, contado a partir da convocação feita por meio de telegrama enviado pelo setor de recursos humanos do IFCE.

13.5. No caso de novas autorizações de provimento, os candidatos classificados além das vagas serão convocados para nomeação, obedecendo-se o disposto nos subitens 13.2 a 13.4 do presente Edital.

13.6. A desistência expressa ou a ausência de opção tempestiva acarretarão a exclusão do candidato do certame, não havendo direito a posicionamento no final da lista homologada no Diário Oficial da União, restando ao IFCE promover a convocação de candidato habilitado, respeitada a ordem de classificação.

13.7. No caso de alteração de dados pessoais, o candidato deverá comunicar à Diretoria de Gestão de Pessoas, mediante documento protocolizado em qualquer dos campi.

13.8. Por necessidade do ensino e de acordo com a especialidade e o aceite do candidato habilitado, este poderá ser remanejado para outra Área de Estudo.

13.9. Ainda no interesse da Administração e também do candidato, este poderá ser nomeado em outra Instituição Federal de Ensino.

13.10. Caso o candidato não aceite ser nomeado nos termos dos subitens 13.8 e 13.9 deste Edital, fica assegurada sua classificação na Área de Estudo para a qual prestou concurso, mediante assinatura do termo respectivo.

13.11. Para o atendimento do requisito constante na alínea "a", item 12.1, do presente Edital e observada a Área de Estudo em que o candidato reste classificado, serão considerados cursos superiores em tecnologia que tenham sido transformados conforme a correspondência estabelecida no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia do Ministério da Educação.

13.12. A correspondência entre a formação do candidato e o curso resultante de sua transformação, conforme estabelecido no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia do Ministério da Educação, será devidamente atestada pela Pró-Reitoria de Ensino do IFCE.

14. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS:

14.1. Por motivo de ocorrência de fatos não previstos neste Edital, a Coordenadoria Geral de Seleção e Concursos (CGSC) do IFCE, poderá reprogramar as datas estabelecidas no cronograma, visando a garantir a participação igualitária de todos os candidatos.

14.2. Não serão aceitos pedidos de segunda chamada para qualquer uma das provas, nem para a realização de prova fora do horário e local estabelecidos neste Edital.

14.3. A critério da administração do Campus de lotação, o candidato nomeado poderá ainda ministrar aulas em disciplinas correlatas à Área de Estudo a qual prestou concurso e desde que contempladas na sua formação acadêmica.

14.4. Durante o certame, não haverá contato com o candidato, seja por e-mail, telefone ou correio, admitindo-se somente a comunicação por meio de expedientes publicados no sítio www.ifce.edu.br, que o candidato deverá acessar para obter as informações necessárias.

14.5. O IFCE divulgará em sua página na internet, sempre que necessário, avisos oficiais e normas complementares ao presente Edital.

14.6. Além das demais previsões estabelecidas neste Edital, será excluído, por decisão da Coordenadoria Geral de Seleção e Concursos (CGSC) do IFCE, o candidato que:

a) durante a realização da Prova Escrita for surpreendido em comunicação com outro candidato, verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma;

b) utilizar ou tentar usar meios fraudulentos para obter aprovação própria ou de terceiros, em qualquer fase do concurso;

c) faltar à prova escrita ou de desempenho didático;

d) atentar contra a disciplina ou desacatar a quem quer que esteja investido de autoridade para supervisionar, coordenar e fiscalizar o presente concurso.

14.7. A Coordenadoria Geral de Seleção e Concursos (CGSC) do IFCE não informará notas ou resultados por telefone, devendo o candidato consultar o sítio www.ifce.edu.br ou comparecer pessoalmente ao endereço constante do item 1.1.

14.8. Os casos omissos serão resolvidos pela Coordenadoria Geral de Seleção e Concursos (CGSC) do IFCE.

Fortaleza, 30 de novembro de 2011.

CLÁUDIO RICARDO GOMES DE LIMA
Reitor do IFCE

ANEXO I - EDITAL N° 001/GR-IFCE/2011

CAMPUS

CÓD

ÁREA DE ESTUDO/DISCIPLINA

HABILITAÇÃO

VAGAS

Acaraú; Camocim; Tianguá

1

Matemática Aplicada; Álgebra Linear; Cálculo Diferencial e Integral

Graduação em Matemática

3

Acaraú

2

Pedagogia Geral com ênfase em História e Filosofia da Educação; Estrutura e Funcionamento do Ensino e Currículo

Graduação em Pedagogia

1

Acaraú

3

Pedagogia com ênfase em Didática, Pedagogia dos Projetos, Educação Inclusiva e Libras

Licenciatura em Pedagogia com Proficiência em Libras

1

Acaraú

4

Informática com ênfase em Hardware e Software

Graduação em Engenharia de Teleinformática; Engenharia Elétrica; Telecomunicações; Ciências da Computação; Computação; Sistema de Computação; Sistema de Informação; Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Processamento de Dados; Telemática.

1

Acaraú

5

Botânica: Botânica, Fisiologia vegetal e Biogeografia

Graduação em Ciências Biológicas; Engenharia Florestal

1

Acaraú

6

Zoologia: Invertebrados e Vertebrados

Graduação em Ciências Biológicas; Zootecnia

1

Acaraú

7

Genética: Genética, Biotecnologia, Evolução e Paleontologia

Graduação em Ciências Biológicas

1

Acaraú

8

Ecologia: Ecologia, Biologia da Conservação e Legislação ambiental

Graduação em Ciências Biológicas ou Gestão Ambiental; Engenharia Ambiental ; Tecnologia em Gestão Ambiental

1

Acaraú

9

Hotelaria - Hospitalidade e Governança

Graduação em Hotelaria; Turismo.

1

Acaraú

10

Habilidades e Técnicas Culinárias

Graduação em Gastronomia; Hotelaria; Tecnologia de Alimentos

1

Acaraú

11

Técnicas de Confeitaria, Pastelaria e Panificação

Graduação em Gastronomia; Hotelaria; Tecnologia de Alimentos

1

Aracati

12

Ética, Legislação Ambiental e Legislação Turística

Graduação em Direito

1

Aracati

13

Operação de computadores e dos serviços do sistema operacional; Eletrônica para a informática; Instalação e manutenção de computadores; Introdução à redes de computadores; Introdução à sistemas operacionais; Instalação e administração de servidores de redes de computadores; Protocolos TCP/IP: serviços e equipamentos; Gerência e segurança de redes de computadores.

Graduação em Engenharia Elétrica; Computação; Redes de Telecomunicações; Redes de Comunicação; Redes de Computadores; Ciências da Computação; Informática; Sistemas de Informação; Sistemas para Internet; Telemática.

1

Baturité

14

Higiene e Segurança no Trabalho

Engenharia em Segurança do Trabalho ou Engenharia com a exigência do art 1° da Lei n° 7.410/1985

1

Baturité

15

Introdução à Contabilidade; Controle de custos em empreendimentos turísticos; Controle de custos em Gastronomia

Graduação em Ciências Contábeis, Administração ou Ciências econômicas

1

Camocim

16

Projetos de Sistemas de Máquinas

Graduação em Engenharia Mecânica; Mecatrônica.

1

Camocim

17

Física Geral, Experimental, Eletricidade e Magnetismo e Termodinâmica

Graduação em Física; Engenharias

1

Camocim

18

Língua Portuguesa/Inglesa

Licenciatura em Letras (Língua Portuguesa/Inglesa)

1

Camocim19Informática - SoftwareGraduação em Engenharia de Teleinformática; Computação; Ciências da Computação; Sistema de Computação; Sistema de Informação; Análise e desenvolvimento de Sistemas; Processamento de Dados; Telemática; Sistemas para Internet1
Canindé20Educação Física: Teoria das Ginásticas; Atividades Rítmicas; Estágio SupervisionadoLicenciatura em Educação Física1
Canindé21Educação Física: Psicomotricidade; Recreação e Didática da Educação Física EscolarLicenciatura em Educação Física1
Canindé22Educação Física: Planejamento e Organização desportiva na escola; Educação Física EscolarLicenciatura em Educação Física1
Canindé23Educação Física: Educação Física e Esporte Adaptado; LutasLicenciatura em Educação Física1
Canindé24Educação Física: Fundamentos históricos-filosóficos e sócio antropológicos de Educação Física escolarLicenciatura em Educação Física1
Canindé25Artes: sonora, cênica, plástica; A cultura afro-brasileira e a História da ArteGraduação em Artes1
Canindé26Língua Portuguesa/Espanhola/LIBRASLicenciatura em Letras (Língua Portuguesa/Espanhola e suas respectivas Literaturas), com Proficiência em LIBRAS1
Canindé27Sistemas Operacionais; Administração de Sistemas OperacionaisGraduação em Engenharia Elétrica; Eletrônica; Telecomunicações; Sistemas de Telecomunicações; Telemática.1
Canindé28Engenharia de Software e Banco de DadosGraduação em Ciências da Computação; Sistemas de Informação; Análise e Desenvolvimento de Sistemas;1
Canindé29Comunicação de dadosGraduação em Engenharia Elétrica; Eletrônica; Telecomunicações; Ciências da Computação; Sistemas da Informação; Redes de Computadores; Redes de Telecomunicações; Sistemas de Telecomunicações; Telemática1
Canindé30Análise de Circuito, Eletricidade CA, Eletricidade CC e Sistemas ElétricosGraduação em Engenharia Elétrica; Eletrônica; Telecomunicações; Telemática; Sistemas de Telecomunicações1
Canindé31Sistemas de Telefonia Móvel e Rádio TransmissãoEngenharia Eletrônica;

Telecomunicações; Telemática; Sistemas de Telecomunicações

1
Canindé32Sistema de Telecomunicações; Gestão de Telecomunicações; Transmissão de TV e Comutação DigitalEngenharia Eletrônica;

Telecomunicações; Telemática; Sistemas de Telecomunicações

1
Canindé33NataçãoLicenciatura em Educação Física1
Caucaia34Higiene e Segurança do Trabalho; Controle de QualidadeEngenharia Química, de Materiais, Mecânica, Elétrica ; Tecnologia em Mecatrônica, Eletromecânica ou Manutenção Industrial; Segurança do Trabalho com a exigência do art. 1° da Lei n° 7.410/19851
Crateús; Tianguá35FísicaGraduação em Física3
Crateús36Matemática: Matemática Aplicada, Álgebra Linear, Estatística Aplicada, Cálculo Diferencial e IntegralGraduação em Matemática1
Crateús37Química InorgânicaGraduação em Química1
Crateús38Resistência dos Materiais, Projetos Estruturais; Projeto de EstruturaGraduação em Engenharia Civil; Produção Civil1
Crateús39Botânica; Educação AmbientalGraduação em Ciências Biológicas2
Crateús40Experimentação Agrícola, Agroecologia aplicada, Microbiologia Agrícola, Manejo de plantas espontâneas, Manejo de soloGraduação em Agronomia; Agroecologia3
Crateús41Físico-Química.Graduação em Química; Processos Químicos; Gestâo de Processos Químicos1
Iguatu42InformáticaGraduação em Engenharia de Teleinformática; Engenharia Elétrica; Telecomunicações; Computação; Ciência da Computação; Sistemas de Informação; Análise e desenvolvimento de Sistemas; Processamentos de Dados; Telemática; Eletromecânica1
Iguatu43Processamento de carnes, frutas e hortaliças, lacticínios e derivados, técnica em dietética, avaliação nutricional, bioquímica dos alimentos e planejamento de refeições.Graduação em Engenharia de Alimentos; Economia Doméstica ou Nutrição1
Iguatu44Físico-Química; Química Geral¸ Química orgânica.Graduação em Química1
Iguatu45Gestão; Práticas Profissionais; Relações Interpessoais e ÉticaGraduação em Administração; Economia; Ciências Contábeis1
Jaguaribe46Computação: Banco de dados; Programação orientação a objetos; Programação WEB; Engenharia de Software; Desenvolvimento de sistemas coorporativos; Algoritmos e técnicas de programação; Análise e desenvolvimento de sistemasGraduação em Informática; Computação; Ciências da Computação; Telemática; Redes de Computadores; Análise e Desenvolvimento de Sistemas2
Jaguaribe47Rede de computadores: Eletricidade e eletrônica analógica; Eletrônica digital; Redes de computadores; Sistemas operacionais de rede; Manutenção de computadores; Segurança da InformáticaGraduação em Computação;

Informática; Ciências da Computação; Telemática; Redes de Computadores; Análise e Desenvolvimento de Sistemas

2
Jaguaribe; Limoeiro do Norte/Alto Santo; Morada Nova48Aquicultura e pesca: Ecologia de organismos aquáticos; Educação ambiental aplicada à aquicultura e pesca; Biologia populacional; Seletividade e esforço de pesca; Estoque pesqueiro; Administração da pescariaEngenharia de Pesca; Tecnologia em Alimentos7
Limoeiro do Norte49Agronomia: Culturas Anuais; Sistemática, Morfologia e Fisiologia Vegetal; Melhoramento Vegetal e Animal; Olericultura; Nutrição e Produção Animal: aves, suínos e peixesGraduação em Agronomia; Zootecnia; Agronegócio; Irrigação e Drenagem1
Limoeiro do Norte50Saúde e Nutrição ClínicaGraduação em Nutrição1
Maracanaú51Teoria da Computação; Grafos; Análise de AlgoritmosGraduação em Ciência da Computação1
Morada Nova52Edificações: Informática Aplicada; desenho técnico, topográfico e Cad; Elementos de administração, legislação e meio ambiente; Química aplicada; Gerenciamento da produção; Técnicas de materiais de construçãoEngenharia Civil; Tecnologia em Estradas ou em Construção Civil; Graduação em Arquitetura e Urbanismo2
Morada Nova53Construção Civil: Patologia e terapia das construções; Projetos arquitetônicos, elétricos e hidrosanitárias; Projetos estruturais; Resistência dos materiais; Canteiro e manutenção de obraEngenharia Civil; Tecnologia em Estradas ou em Construção Civil; Graduação em Arquitetura e Urbanismo2
Quixadá54Higiene e Segurança do Trabalho, Projeto Hidrosanitário, Eletricidade Aplicada e Projeto Elétrico. Engenharia Civil, com a exigência do art. 1º da Lei nº 7.410/19851
Quixadá55Desenho Básico, Desenho Técnico; CAD; Projeto ArquitetônicoGraduação em Engenharia Civil; Arquitetura e Urbanismo1
Quixadá56Física: Mecânica. Eletricidade e Magnetismo. Termodinâmica.Ondas e Ótica Mecânica Quântica e Espectroscopia.Graduação em Física1
Quixadá57Química Ambiental. Princípios de Análise Química. Análises Químicas Quantitativas. Análise Instrumental. Graduação em Química; Processos Químicos; Gestão de Processos Químicos1
Quixadá58Processos Químicos Orgânicos. Processos Químicos Inorgânicos. Processos Agroindustriais. Tecnologia do Biodiesel. Tratamento de Água.Graduação em Química; Processos Químicos; Gestão de Processos Químicos1
Quixadá59Informática Aplicada. Programação Aplicada.Graduação em Engenharia de Software; Engenharia de Sistemas de Informação; Computação; Processamento de Dados; Redes de Computadores1
Sobral60Física: Introdução á Física; Física Experimental, Térmica, Moderna e Contemporânea; Tópicos de Física ExperimentalGraduação em Física1
Sobral61Língua Portuguesa/LIBRAS Licenciatura em Letras com habilitação em Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS; Licenciatura em Letras/Língua Portuguesa com certificado de Proficiência em LIBRAS1
Tabuleiro do Norte62Biocombustível: Processos Industriais de combustível; Gestão e operação de óleo e biocombustível; Técnicas de produção e conservação do meio ambiente na cadeia produtiva de biocombustível; Gestão e empreendedorismo Graduação em Engenharia de

Produção Mecânica; Química; Química Industrial

1
Tabuleiro do Norte63Petróleo e Gás: Geologia geral; Legislação Ambiental; Impactos ambientais; Morfologia e gênese do solo; Segurança de barragem; Recuperação de áreas degradadas; Introdução à Engenharia do petróleoGraduação em Engenharia Civil; Geologia; Geografia; Saneamento Ambiental1
Tabuleiro do Norte64Mecânica Automotiva: Controle eletrônico e injeção; Instrumentos de medição e diagnose; Motores de combustão interna; Instrumentação e controle automotivo Graduação em Engenharia Elétrica; Eletrônica; Automação e Controle; Mecatrônica Industrial; Eletromecânica2
Tabuleiro do Norte65Manutenção Automotiva: Gestão de manutenção automotiva; Sistema de gerenciamento de injeção eletrônica; Eletricidade automotiva; tecnologia mecânica automotiva Graduação em Engenharia Elétrica; Eletrônica; Automação e Controle; Mecatrônica Industrial; Eletromecânica2
Tauá66Eletricidade, Eletrônica Digital e sistema de TransmissãoEngenharia da Computação; Ciências da Computação; Sistemas de Informação1
Tauá67Ciência Aplicada à agropecuaria; Administração Rural; Mercado agropecuária; Automação da produção agrícola Graduação em Agronomia; Agronegócio1
Tauá68Processamento Digital de Sinais, Sistemas de Comunicação, Comunicação MóvelGraduação em Engenharia de Teleinformática, Engenharia Elétrica, Telecomunicações; em Telemática1
Tianguá69Fitotecnia e Fisiologia de Pós-colheitaGraduação em Agronomia1
Tianguá70Gênese e Formação do Solo; Manejo, Fertilidade e Conservação do SoloGraduação em Agronomia1
Tianguá71Sociologia Geral e Rural; Economia e Administração de Empresa e Propriedade Rural; Agronegócio e EmpreendedorismoGraduação em Agronomia; Agronegócio1
Ubajara72Engenharia de Alimentos: Microbiologia de Alimentos; Fundamentos de Engenharia de Segurança; Segurança Alimentar e Legislação dos Alimentos; Bioquímica dos Alimentos; Análise Sensorial; Educação Nutricional e História da Alimentação; Panificação e ConfeitariaEngenharia de Alimentos1
Ubajara73Matemática: Matemática Básica; Fundamentos Matemáticos; Cálculo Diferencial; Cálculo Integral; Cálculo NuméricoGraduação em Matemática1
Ubajara74Gastronomia: Prática de cozinha: Técnicas de base e variações, Cozinha brasileira, Prática de serviços em Gastronomia, Cozinha Oriental; Prática de cozinha: novas tecnologias e ofertas restaurativas, Enogastronomia e harmonização de alimentos e bebidas; Práticas profissionais em Gastronomia; Prática de serviço e bar; Cozinhas do Novo Mundo; Cozinha EuropéiaGraduação em Gastronomia1
Ubajara75Nutrição: Nutrição Humana; Vigilância em Saúde; Políticas e Programas de alimentação e nutrição; Avaliação nutricional básica; Avaliação nutricional avançada; Nutrição básicaGraduação em Nutrição2
Ubajara76Informática: Informática básica; Lógica e Linguagem da programação I e II; Informática Aplicada; Desenho assistido por computador - CADGraduação em Engenharia de Teleinformática; Engenharia Elétrica; Telecomunicações; Ciência da Computação; Computação; Sistema da Computação; Sistema de Informação; Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Processamento de Dados; Telemática1

ANEXO II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CÓDIGO 1- Matemática Aplicada; Álgebra Linear; Cálculo Diferencial e Integral - ACARAÚ; CAMOCIM;TIANGUÁ

1.Funções; Trigonometria; Progressões; Matrizes e Determinantes; Sistemas Lineares; Geometria Plana-Analitico-Espacial; Polinômios e Equações Polinomiais; 2.Limites, Continuidade e Regras de Derivação; Problemas de Máximos e Mínimos; Teorema de Roole; Teorema do Valor Médio; Regra de L'hôpital; 3. Teorema Fundamental do Cálculo; Técnicas de Integração; Aplicaçações de Integral Definida; Formas Indeterminadas e Integrais Improprias; Coordenadas Polares; 4. Seqüências e Séries Infinitas; Vetores no Plano e Equações Paramétricas; Limites, Continuidade e Derivadas de Várias Variáveis; Derivadas Direcionais e Gradientes; Integração Múltipla; Teorema De Green e Integrais de Linha; 5. Equações Diferenciais de Primeira Ordem; Equação De Bernoulli; Transformada De Laplace; Equações Diferenciais Parciais; 6. Espaço Vetorial; Transformações Lineares; Autovalores e Autovetores; Diagonalização; Operadores Auto-Adjunto e Ortogonais.

CÓDIGO 2 - Pedagogia Geral com ênfase em História e Filosofia da Educação; Estrutura e Funcionamento do Ensino e Currículo - ACARAÚ

1. Trabalho e Educação. 2. Legislação da Educação Básica e Profissional. 3. Organização escolar brasileira: contexto histórico, político, cultural e sócio-econômico da sociedade brasileira. 4. Avaliação e Gestão dos processos educativos na Educação Básica. 5.Psicologia da Aprendizagem: Vygotsky, Henri Wallon e Ausubel. 6. Currículo da Educação Básica Profissional. 7. A Didática e a Prática do Educador. 8. O Trabalho docente e a Formação Continuada do professor- Saberes docente e profissionalização na Docência e a Identidade do Professor profissional. 9. As Novas Tecnologias e a Educação: Ensino à distância.

CÓDIGO 3 - Pedagogia Geral com ênfase em Didática, Pedagogia dos Projetos, Educação Inclusiva e Libras - ACARAÚ

1.As diferentes deficiências humanas. 2.Abordagens metodológicas para a educação dos alunos com deficiências. 3.Processo histórico da educação de surdos e da Libras: políticas educacionais no Brasil.4.Perspectiva Didático-Metodológicas no ensino da Libras. 5.A Libras e a educação de surdos na perspectiva da Educação Inclusiva e sua relação com o ensino. 6.O Trabalho docente e a Formação Continuada do professor- Saberes docente e profissionalização na Docência e a Identidade do Professor profissional. 7.As Novas Tecnologias e a Educação: Ensino à distância. 8.A Didática e a Prática do Educador.9.Fatores de textualidade, Interpretação de texto e Argumentação.

CÓDIGO 4 - Informática com ênfase em Hardware e Software - ACARAÚ

1. Algoritmos e Lógica de Programação. 2. Conceitos e Linguagens de Programação Orientada a Objetos. 3. Especificação, Análise e Desenvolvimento de Software. 4. Fundamentos de Banco de Dados.5. Programação Web e Sistemas para internet. 6. Noções de Editoração Eletrônica e Design Gráfico. 7. Informática básica e aplicada ao ensino. 8. Sistemas Operacionais: conceitos básicos, funções e objetivos. Sistemas de Redes; Windows e Linux. 9. Hardware dos Computadores (memória, CPU, barramento, e dispositivos de E/S). Eletricidade e Eletrônica Digital para Informática. Instalação e Manutenção de Computadores. 10. Introdução às Redes de Computadores: Tipos de Redes, Padrões, Modelo em camadas (OSI e TCP/ IP). Redes sem fio. Projeto, Instalação, Manutenção de Redes.

CÓDIGO 5 - Botânica: Botânica, Fisiologia vegetal e Biogeografia - ACARAÚ

1. Nomenclatura botânica e Sistemas Atuais de Classificação Vegetal. 2. Fungos. 3. Algas. 4. Criptógamas, 5. Fanerógama: gimnospermas e angiospermas. 6. A planta e sua fisiologia: relação água - solo - planta. 8. Fitormônios; 9. Movimentos vegetais e fotoperiodismo; 10. Fisiologia da reprodução. 11. Origem, evolução, meios de expansão e barreiras para a vida na Terra. 12. Padrões de distribuição geográfica das espécies: cosmopolitas, disjuntivas e endêmicas.

CÓDIGO 6 - Zoologia: Invertebrados e Vertebrados - ACARAÚ

1. Porifera, 2. Cnidaria, 3. Platyhelminthes, 4. Nematoda 5. Mollusca. 6. Annelida, 7. Arthropoda, 8. Echinodermata., 10. Peixes, 11. Anfíbios 12. Répteis, 13. Aves e 14. Mamíferos.

CÓDIGO 7 - Genética: Genética, Biotecnologia, Evolução e Paleontologia - ACARAÚ

1. O material genético, genes e cromossomos, herança extracromossômica. 2. Regulação genética e padrões de desenvolvimento. 3. A determinação do sexo na espécie humana e as proporções sexuais humanas à luz da Genética das Probabilidades. 4. Organismos transgênicos e clonagem. 5. Microevolução, macroevolução e especiação. 6. Variação, seleção, adaptação. 7. Origem da vida na Terra e tempo geológico. 8. Fósseis e o processo de fossilização.

CÓDIGO 8 - Ecologia: Ecologia, Biologia da Conservação e Legislação ambiental - ACARAÚ

1. Condições e recursos ambientais; 2. Populações. 3. Comunidades e sucessão ecológica 4. Interações ecológicas e cadeias e teias tróficas, 5. Fluxo de energia e matéria, Produtividade e Ciclos biogeoquímicos. 6. Diversidade Biológica: conceitos, ameaças e valor. 7. Conservação in situ e ex situ. 8. Reintrodução, translocação, extinção de espécies. 9. Biogeografia de Ilhas. 10. Desenvolvimento sustentável. 11. Política Nacional do Meio Ambiente. 12. Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto ao Meio Ambiente.

CÓDIGO 9 - Hotelaria - Hospitalidade e Governança - ACARAÚ

1. A história da hospitalidade e dos meios de hospedagem. 2. Conceitos e definições da hospitalidade. 3. Tipologia e classificação dos meios de hospedagem. 4. Os departamentos, cargos e funções da hotelaria. 5. A excelência em hotelaria. 6. A hierarquização do setor da governança: cargos e funções. 7. A importância da comunicação entre a governança e os demais setores do hotel. 8. Procedimentos operacionais da governança: padronização da operação das Uhs; técnicas de limpeza e higienização; definição de arrumação e enxoval; frigobar; mobiliário e rouparia; mudanças de apartamentos; decoração. 9. Operacionalização dos serviços, máquinas e equipamentos da lavanderia hoteleira. 10. Relatórios e formulários específicos no setor de governança. 11. Material e produtos de uso da governanta; 12. Tarefas administrativas da governança: escala de folga dos camareiros; inspeção do trabalho realizado; treinamento de funcionários; controle de chaves ou de cartões magnéticos; controle de achados e perdidos; controle e compra de materiais e equipamentos de limpeza.

CÓDIGO 10 - Habilidades e Técnicas Culinárias - ACARAÚ

1. Gastrotecnia: princípios para aquisição, armazenamento, pré-preparo, preparo e cocção de alimentos; 2. Habilidades e técnica culinárias I: Fluxo da cozinha. Hierarquia do setor de cozinha. Uso de equipamentos e utensílios. Técnicas de trabalho de cozinha (técnicas de pré-preparo e preparo de alimentos; métodos de cocção; montagem, apresentação e decoração de pratos). Tipos de condimentos, especiarias e ervas aromáticas. Classificação e preparo de caldos e molhos. 3. Habilidades e técnicas culinárias II: tipos de cortes, elaboração e preparação de pratos com: carnes, aves, pescado e produtos derivados. 4. Cozinha brasileira: visão geral histórica; aspectos regionais; produtos e ingredientes utilizados; pratos típicos por região e preparação de pratos. 5. Cozinha cearense: visão geral histórica; aspectos regionais; produtos e ingredientes utilizados; pratos típicos e preparação de pratos. 6. Cozinha internacional: européias e mediterrânea, asiática e americana: visão geral histórica; aspectos regionais; produtos e ingredientes utilizados; pratos típicos por países e preparação de pratos, tendências gastronômicas contemporâneas. 7. Cozinha fria: saladas (classes e contemporâneas); emulsões e molhos; pratos frios. 8. Cozinha alternativa: gastronomia molecular, produtos light e diet, culinária vegetariana; macrobiótica, técnicas de aproveitamento integral. 9. Nutrição e Dietética.

CÓDIGO 11 - Técnicas de Confeitaria, Pastelaria e Panificação - ACARAÚ

1. Tipos de massas relacionadas à panificação e confeitaria. 2. Técnicas de cocção de produtos de panificação e confeitaria. 3. Acessórios e equipamentos do setor; 4. Técnicas de modelar, montar, rechear, cobrir e decorar preparações de panificação e confeitaria; 5. Chocolate (derretimento, temperagem, banhar com chocolate); 6. Açúcar (pontos de calda; caramelados; decorações com açúcar); 7. Sobremesas: quentes, frias, empratadas e finas, sorvetes, elaboradas com frutas; 8. Panificação brasileira e internacional; 9. Confeitaria brasileira e internacional. 10. Legislação de alimentos aplicada ao setor.

CÓDIGO 12 - Ética, Legislação Ambiental e Legislação Turísitca - ARACATI

1. Evolução das idéias éticas e da organização do mundo do trabalho.2. Ética, valores e cultura: especificidades do conceito de responsabilidade social corporativa.3. Código Mundial de Ética do Turismo.4. Racionalidades para a ética empresarial e a gestão da empresa cidadã.5. Leis e normas de convivência social - 5.1 Grupos, papéis e relações interpessoais. 5.2 Processos de grupos: cooperação, competição.6. A sociabilidade humana e comportamento moral - 6.1 A comunicação humana e os grupos. 6.2 Grupos, organizações e instituições: relações humanas. 7. Qualidade no atendimento. 8. Postura e apresentação pessoal.9. Noções gerais do Direito- 9.1Caracteres gerais do Direito. 9.2 Noções gerais de Direito Constitucional. 9.3Noções gerais de Direito Comercial.9.4 Direito Empresarial e legislação trabalhista.9.5 Noções gerais de Código de defesa do consumidor. 10. Direito e Turismo: 10.1 Legislação de turismo no Brasil.10.2 Cadastro e classificação de empreendimentos turísticos. 10.3 Profissionais do turismo e "Lei do turismólogo". 10.4 Agências de turismo, eventos e transportes Classificação dos meios de hospedagem : Portaria n° 100 - 21/06/2011. 10.5 Transporte turístico. 10.6 Lei Geral do Turismo n.° 11.771/08 de 17 de setembro de 2008. 10.7 Legislação correlata. 11. Legislação ambiental. 11.1 Política Nacional do Meio Ambiente. 11.2 Crimes e infrações ambientais. 11.3 Águas e Recursos Hídricos. 11.4 Florestas e Unidades de conservação 11.5 Lei 11.959/2009 - Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca. 11.6 Lei 9.605/98 e Decreto 6.514/2008 - Crimes ambientais. 11.7 Resoluções CONAMA: 01/86, 302/02, 303/02, 312/02. 11.8 Licenciamento ambiental da aquicultura - Resolução CONAMA 413/2009. 11.9 Instrução Normativa Interministerial 06/2004 (SEAP/PR, Marinha do Brasil, ANA e IBAMA) - Uso dos espaços físicos em corpos d'água de domínio da União para fins de aquicultura. 11.10 Aspectos institucionais da pesca e aquicultura no Brasil e PLDM.

CÓDIGO 13 - Operação de computadores e dos serviços do sistema operacional; Eletrônica para a informática; Instalação e manutenção de computadores; Introdução à redes de computadores; Introdução à sistemas operacionais; Instalação e administração de servidores de redes de computadores; Protocolos TCP/IP: serviços e equipamentos; Gerência e segurança de redes de computadores - ARACATI

1.Introdução a Tecnologia da Informação;2. Eletricidade e Eletrônica;3.Montagem e Manutenção de Computadores ; 4.Características de Redes e Topologia; 5. Arquitetura OSI e TCP/IP; 6. Gerência de Redes; 7. Cabeamento estruturado;8.Equipamentos para Redes; 9. Sistemas de comunicação, Modelos de referência, meios de transmissão de dados; 10. Comunicação de Dados;11. Sistemas Centralizados e Sistemas Distribuídos;12. Redes Ethernet (Arquitetura, Evolução, Internet, Protocolos de Internet);13.Segurança das informações em Redes (Criptografia, Proxy, Firewall, VPN, IDS);14.Implementação e configuração de servidores de redes;15. Projeto, Instalação e Manutenção de Redes;16. Linguagens de Programação Distribuídas;17. Bancos de dados: Conceitos e arquiteturas de um SGBD;18. Monitoramento de redes; 19. Política de segurança da informação; 20. Noções sobre Sistemas operacionais para redes e seus serviços (Windows e Linux);21. Redes Wireless (WI-FI, WiMax); 22. Redes Móveis.

CÓDIGO 14 - Higiene e Segurança no Trabalho - BATURITÉ

1.Princípios de Prevenção e controle de riscos em máquinas, equipamentos e instalações: 2. Caldeiras e vasos de pressão; Movimentação de cargas; 3. Instalações elétricas; 4. Máquinas e ferramentas; 5. Trabalhos a quente (soldagem, corte e ferramentas abrasivas); 6. Trabalho em espaços confinados; Construção civil; 7. Trabalhos em altura; 8. Elementos de Higiene Ocupacional: 9. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; 10. Gases e vapores; 11. Aerodispersóides; 12. Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos; 13. Exposição ao ruído; 14. Exposição ao calor; 15. Radiações ionizantes e não-ionizantes; 16. Trabalho sob condições hiperbáricas; 17. Limites de tolerância e de exposição; 18. Fundamentos de Proteção contra Incêndio: Sistemas fixos e portáteis de combate ao fogo; 19. Armazenamento de produtos inflamáveis; 20. Brigadas de incêndio; 21. Legislação e Normas Técnicas: Segurança e Saúde na Constituição Federal e na Consolidação das Leis do Trabalho; 22. Normas Regulamentadoras de SST; 23. Benefícios previdenciários decorrentes de acidentes do trabalho; 24. Perfil Profissiográfico Previdenciário; 25. Acidente do trabalho: Conceito técnico e legal; Causas e conseqüências dos acidentes; 26. Taxas de frequência e gravidade; 27. Estatísticas de acidentes; 28. Custos dos acidentes; 29. Comunicação e registro de acidentes; 30. Investigação e análise de acidentes; 31. Princípios de análise, avaliação e gerenciamento de riscos: Inspeção de segurança; 32. Técnicas de análise de risco: APR e HAZOP; 33. Princípios de Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde: Organização e atribuições do SESMT e da CIPA; 34. Sistemas de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional de acordo com a OHSAS 18001; 35. Noções de Desenvolvimento Sustentável; 36. Elementos de Ergonomia: Conforto ambiental; Organização do trabalho; Mobiliário e equipamentos dos postos de trabalho. 37. História de Segurança do Trabalho no Brasil e no Mundo;38. Qualidade de vida do trabalho.

CÓDIGO 15 - Introdução à Contabilidade; Controle de custos em empreendimentos turísticos; Controle de custos em Gastronomia - BATURITÉ

1.Campo de aplicação da contabilidade: estudo do patrimônio; normas e princípios contábeis; o ativo, sua natureza e mensuração; o passivo, sua natureza e reconhecimento. 2. Custos para controle; plano de contas; balancete de verificação; balanço patrimonial; patrimônio líquido; receitas; ganhos; despesas; perdas e demonstrações contábeis ou financeiras. 3. Contabilidade nacional e balanço de pagamentos; análise macroeconômica de curto, médio e longo prazo; monopólio, oligopólio e concorrência; mercado de produção e de capitais; externalidade de bens públicos. 4. Microeconomia, macroeconomia e agregados macroeconômicos. 5. Teoria da probabilidade: Distribuição de amostras; demonstrativo de resultados, definição de probabilidade, propriedades e axiomas; definição de amostras aleatórias; métodos de estimação e teste de hipótese. Juros e desconto - simples e composto: Juros e capitalização simples e composta; desconto e capitalização simples e composto e método de avaliação de fluxo de caixa.

CÓDIGO 16 - Projetos de Sistemas de Máquinas - CAMOCIM

1.Tecnologia Mecânica; 2.Tecnologia de Fundição; 3.Resistência dos Materiais - 3.1 Ensaios de Tração, 3.2 Ensaios de Compressão, 3.3 Teoria de vigas; 4.Elementos de Máquinas 5.Metrologia 6.Processos de Fabricação 7. Modelação Computacional - 7.1 AuthoCad; 8.Desenho de engenharia - 8.1 Representação por vistas, 8.2 Desenhos de Fabricação; 9. Eletricidade 10. Soldagem.

CÓDIGO 17 - Física Geral, Experimental, Eletricidade e Magnetismo e Termodinâmica - CAMOCIM

01. Cinemática. 02. Estática. 03. Leis de Newton. 04. Conservação de Energia. 05. Calor e Termodinâmica. 06. Óptica Geométrica. 07. Ondulatória. 08. Eletricidade. 09. Rotação de corpo rígido. 10. Magnetismo.

CÓDIGO 18 - Língua Portuguesa/Inglesa - CAMOCIM

01. Present simple; Present continuous; Past Simple; Past continuous; Present Perfect; Present Perfect Continuous; Past Perfect; Past Perfect Continuous; Future Simples; Future Continuous; Future Perfect; 02. Modals; Conditionals (present, past, perfect); Passive (alltenses); Reported Speech; Articles (definite and indefinite);03. Nouns (singular, plural possessive of nouns, mass and countable); Subject and object pronouns; Possessive adjectives and possessive pronouns; Reflexive pronouns; Determiners; Relative clauses (with and without, WHO, THAT, WHICH); Relative clauses (with, WHOSE, WHOM, WHERE); 04. Adjectives (comparative x superlative); Adverbs; Conjunctions; Prepositions (place, time); Modifiers; Infinitive x Gerund; Phrasal verbs. 05. Linguagem, língua; Elementos da comunicação e funções da linguagem; Variação lingüística; Seqüências textuais (narração, descrição, argumentação); 06. Gêneros textuais (Texto, contexto e interlocução); Fatores de textualidade; 07. Recursos semânticos e estilísticos (figuras de linguagem, informações implícitas, ambigüidade problemática e como efeito de sentido, sinonímia, antonímia, polissemia, campo semântico, hiponímia e hiperonímia); 08. Fonética e fonologia;Morfologia (estrutura e formação das palavras); 09.Sintaxe do período simples e do período composto (relações sintáticas de coordenação e subordinação entre palavras e orações;as classes de palavras e suas funções sintáticas no texto);. Concordância verbal e nominal; Regência verbal e nominal; Colocação pronominal; Crase; 10. Literatura Brasileira - Os Movimentos Literários no Brasil desde 1.500 até os dias de hoje: contexto histórico e características de cada movimento. Principais autores e Obras.

CÓDIGO 19 - Informática - Software - CAMOCIM

1.Algoritmos e Lógica de Programação. Arquitetura de Desenvolvimento de Sistemas em Software Livre. Conceitos e arquiteturas de um sistema gerenciador de bancos de dados (SGBD), banco de dados relacional e orientado a objetos. Conceitos e Linguagens de Programação Orientada a Objetos. Especificação, Análise e Desenvolvimento de Software. Gestão de Projetos de Software. Noções de Editoração Eletrônica e Design Gráfico. Programação Web e Sistemas para internet. Sistemas Operacionais. Técnicas Avançadas de Estrutura de Dados.

CÓDIGO 20 - Educação Física: Teoria das Ginásticas; Atividades Rítmicas; Estágio Supervisionado - CANINDÉ

1. História e evolução da Ginástica; 2. Tipos de Ginástica aplicáveis à escola; 3. Metodologia do Ensino da Ginástica Geral; 4. Ginástica e interdisciplinaridade; 5. Ritmo e estruturação coreográfica nas aulas de Ginástica grupal; 6. As Atividades Rítmicas segundo os PCN da Educação Física: objetivos, conceitos, tipos e metodologia; 7. Organização didática de aulas musicadas: Dança, Ginástica, Alongamento e atividades afins; 8. Estágio Supervisionado: Concepção do Estágio; a Lei do Estágio e sua aplicação na Educação Física Escolar 9. Estágio em Educação Física: Da Educação Infantil ao Ensino Médio; 10. A concepção do profissional de Educação Física na escola na contemporaneidade.

CÓDIGO 21 - Educação Física: Psicomotricidade; Recreação e Didática da Educação Física Escolar - Canindé

1. Histórico e evolução da Psicomotricidade; 2. Princípios da Psicomotricidade; 3. Formação do professor de Educação Física Escolar; 4. Fundamentos da Educação Física Escolar; 5. Recreação na Educação Física Escolar; 6. Propriedades Motoras e aspectos Psicomotores na Educação Física Escolar; 7. Didática da Educação Física Escolar; 8. Plano de Aula, Plano de Unidade e Plano de Curso em Educação Física na Escola; 9. Políticas Públicas na Educação Física Escolar; 10. Princípios da Recreação Escolar; 11. Cuidados com o aperfeiçoamento precoce na Educação Física Escolar; 12. Concepção do licenciado em Educação Física e sua orientação para a Educação em Saúde.

CÓDIGO 22 - Educação Física: Planejamento e Organização desportiva na escola; Educação Física Escolar - CANINDÉ

1. Formação do professor de Educação Física Escolar; 2. Fundamentos da Educação Física Escolar; 3. Gestão no Desporto; 4. Organização de Jogos estudantis de pequeno e, médio e grande porte; 5. Políticas Públicas na Educação Física Escolar; 6. Políticas Públicas e o Desporto; 7. Educação Física e o processo ensino-aprendizagem na Escola; 8. Educação Física escolar e a abordagem interdisciplinar; 9. Conteúdos da Educação Física Escolar segundo os PCN; 10. Educação Física escolar e a Inclusão como princípio; 11. Os temas transversais e a Educação Física na Escola.

CÓDIGO 23 - Educação Física: Educação Física e Esporte Adaptado; Lutas - CANINDÉ

1. Educação Física escolar e Inclusão; 2. Esporte Adaptado: princípios e desafios do professor de Educação Física; 3. Educação em Saúde e a Educação Física Escolar; 4. As Deficiências: Visual; Auditiva; Mental e Física/Motora e a adaptação nas aulas de Educação Física Escolar; 5. O lidar com as multideficiências nas aulas de Educação Física Escolar; 6. Artes Marciais na Educação Física Escolar: tipos, princípios, e metodologias; 7. A concepção da Capoeira na Escola; 8. Artes Marciais e os Temas Transversais; 9. A contribuição das Artes Marciais para a cidadania; 10. História e evolução das Artes Marciais.

CÓDIGO 24 - Educação Física: Fundamentos histórico-filosóficos e sócio antropológicos de Educação Física escolar - CANINDÉ

1. Métodos e sistemas da Educação Física numa perspectiva educacional escolar; 2. Atividades físicas, de lazer e esportivas do homem ao longo da história numa dimensão crítico educacional; 3. Características da reflexão filosófica na perspectiva de análise das tendências pedagógicas da Educação Física; 4. Filosofia como Avaliação da práxis histórica do homem e sua corporeidade; 5. Teoria do Conhecimento moderno; 6. Método Dialético e o materialismo histórico na história da filosofia; 7. Fundamentos da Antropologia; 8. A construção cultural do corpo; 9. Corpo História e imagem corporal; 10. Jogo e as práticas culturais corporais humanas relacionadas com a Educação Física.

CÓDIGO 25 - Artes: sonora, cênica, plástica; A cultura afro-brasileira e a História da Arte - CANINDÉ

1. A arte na educação escolar: a) Fundamentos e tendências pedagógicas do ensino de Arte no Brasil. b) Os Parâmetros Curriculares Nacionais e o ensino de Arte. c) Procedimentos pedagógicos em Arte: conteúdos, métodos e avaliação. 2. A arte na história: a) Universal: da pré-história à atualidade. Principais manifestações artísticas, características das tendências e artistas representantes. b) Brasileira: do período colonial à contemporaneidade. 3. Arte, comunicação e cultura: a) As linguagens artísticas na atualidade. b) Manifestações artístico-culturais populares. c) Elementos de visualidade e suas relações compositivas. 4. A música na educação escolar: 1. Os Parâmetros Curriculares Nacionais e o ensino de Música. 2. Procedimentos pedagógicos em Música: conteúdos, métodos e avaliação. 5. Música, comunicação e cultura: 1. A Linguagem Musical na atualidade. 2. Aspectos da cultura popular brasileira e as Manifestações Musicais Populares. 6. História do teatro universal e brasileiro, em seus vários períodos até os movimentos contemporâneos. 7. O processo de encenação teatral: conceito e percurso histórico de diferentes concepções teatrais e propostas contemporâneas. 8. Fundamentos históricos, filosóficos e psicopedagógicos do ensino de Teatro: 1.metodologias e procedimentos pedagógicos, recursos materiais e objetivos do ensino do Teatro na escola; 9. História do ensino das artes no Brasil.

CÓDIGO 26 - Língua Portuguesa/Espanhola/LIBRAS - CANINDÉ

ESPANHOL: 1. Sustantivo: Género; Número; 2. Artículo: Forma y Uso; 3. Artículo neutro "LO": Forma y uso; 4. Adjetivo Posesivo: Uso y casos de apócope; 5. Adjetivos Determinantes demostrativos; 6. Adjetivos Determinantes indefinidos; 7.Pronombres Personales: uso de las formas átonas e tónicas / empleo de los pronombres de tratamiento; 8. Pronombres Demostrativos; 9. Pronombres Posesivos; 10. Pronombres Relativos; 11. Pronombres complementos Directo e Indirecto: forma y uso; 12. Verbo de irregularidad común tiempo Presente Indicativo; 13. Pretérito Perfecto: Forma y uso; 14. Pretérito Indefinido: forma y uso; 15. Presente Subjuntivo: forma y uso; 16. Modo Imperativo: forma y uso; 17. Adverbio: Clasificación; Casos de apócope; 18. Acentuación: Reglas generales; Casos especiales. PORTUGUÊS: 1. Fonética e Fonologia (Fonemas, Vogais, Consoantes, Semivogais, Alfabeto, Sílaba; Encontros vocálicos; Encontro consonantal; Dígrafo; Ortografia; Uso do hífen; Palavras homônimas e parônimas; Polissemia; Prosódia; Ortoépia; Acentuação gráfica). 2. Morfologia (Estrutura, formação e composição das palavras; Classificação e emprego das classes de palavras da língua portuguesa; Emprego de locuções). 3. Sintaxe (Frase; Oração; Período; Predicação verbal; Termos da oração; Classificação das orações e do período; Concordância nominal; Concordância verbal; Sintaxe de colocação; Crase; Pontuação). 4. Semântica (Significação das palavras; Denotação; Conotação; Figuras de linguagem; Figuras de palavras; Figuras de pensamento; Vícios de linguagem). 5. Literatura Brasileira (História, estilos de época, características, gêneros literários, autores e obras; Quinhentismo; Barroco; Arcadismo; Romantismo; Realismo; Parnasianismo; Simbolismo; Pré-Modernismo; Modernismo; Literatura atual). LIBRAS: O sujeito surdo: conceitos, cultura e relação histórica da surdez com a língua de sinais. Libras como marcador identitário e cultural. Linguagem Brasileira de Sinais. Alfabetização e letramento em Libras. Formação de professores na língua de sinais. Educação inclusiva. Aspectos clínicos e socio­antropológicos da surdez. Noções lingüísticas de Libras: parâmetros, classificadores e intensificadores no discurso. A gramática da língua de sinais. Interpretação de textos em 1ª e 2ª língua. Produção de textos em 1ª e 2ª língua. Contraste entre Libras e a Língua Portuguesa. Aquisição e aprendizagem da linguagem- crianças, jovens e adultos. Expressões faciais em Libras: modulações dos sinais, expressões gramaticais e expressões afetivas.

CÓDIGO 27 - Sistemas Operacionais; Administração de Sistemas Operacionais - CANINDÉ

1. Principais conceitos sobre Sistemas Operacionais: Histórico e evolução dos Sistemas Operacionais; Tipos de Sistemas Operacionais; Conceitos de Hardware e Software; Montadores; Processos de ativação e desativação do Sistema; Arquiteturas RISC e CISC; chamadas de sistema (System Calls). 2. Gerência de Processos: Processos e Threads; Ciclos de vida de um processo; cooperação; competição; concorrência; compartilhamento de recursos; comunicação; sincronização e Escalonamento de Processos e threads; Estrutura do bloco descritor do processo. 3. Gerenciamento de Memória: Realocação dinâmica; proteção; memória virtual; paginação e segmentação. 4. Sistemas de Arquivos: Arquivos; Diretórios; Implementação; Gerenciamento e otimização; 5. Sistemas com múltiplos processadores: multiprocessadores; multicomputadores; Virtualização; Sistemas Distribuídos. 6. Entrada e Saída: Princípios Básicos de Hardware; arquitetura de E/S; Dispositivos de E/S; Tipos de conexão e transferência de dados; estrutura em camadas do subsistema de E/S.

CÓDIGO 28 - Engenharia de Software e Banco de Dados - CANINDÉ

1. Banco de Dados: 1.1. A Tecnologia de Banco de Dados: Importância de Sistemas de banco de Dados; Arquitetura de Três Camadas; Sistemas de banco de Dados; Modelo de Dados; Classificação de Sistemas de Banco de Dados quanto ao Modelo de Dados; Classificação de Sistemas de Banco de Dados quanto a Arquitetura; Linguagem de Banco de Dados; Controle de Concorrência; Exemplos de modelos de dados. 1.2. Modelo Entidade-Relacionamento (MER): Conceitos; Diagrama Entidade-relaciomento (DER); Projeto de Banco de Dados com MER; Propriedade Avançadas do MER. 1.3. Modelos Relacional: Conceitos; Álgebra relacional; Cálculo Relacional. 1.4. Projeto de Banco de Dados Relacional: Fases; Mapeamento do MER para o Modelo Relacional . 1.5. SQL: Histórico; Definição de Esquemas em SQL; Conjunto de Operações para Manipulação de Dados; Funções Agregadas; Consultas Avançadas em SQL; Visões. 1.6. Acesso a Banco de Dados através de Programas Aplicativos: SQL embutido; SQL Dinâmico; Call-Level Interface; ODBC; JDBC. 1.7. Restrições de Integridade em Banco de Dados Relacional: Manutenção de Restrições de Integridade; Não procedimental; Procedimental; Manutenção de Restrições de Integridade Não-Procedimental; Integridade de Domínio; Integridade de chave; Integridade Referencial; Manutenção de Restrições de Integridade Procedimental; Triggers; Dependência Funcional. 1.8. Introdução ao processamento de Consultas: Conceituação de Consultas a Bancos de Dados; Representação de Consultas; Cálculo Relacional; Álgebra Relacional; Grafo de Consultas; Fases do Processamento de Consultas; Otimização de Consultas. 2. Engenharia de Software: Visão geral da engenharia de software; Qualidade de produto de software; Visão geral da norma ISO9126; Processo de software; Visão geral da norma ISO12207; Visão geral do RUP; Métodos ágeis; Visão geral do CMMI; Visão geral do MPS.BR; Gerência de projetos (planejamento do projeto); Gerência de projetos (monitoração do projeto); Elicitação e definição de requisitos; Gerência de requisitos; Engenharia de software: análise e projeto; Análise e projeto de software; Projeto de interface do usuário; Verificação; Validação; Testes; Garantia da qualidade; Medição; Gerência de configuração; Reuso; Gerência do conhecimento aplicado à engenharia de software; Melhoria de processos de software; Controle estatístico de processos de software.

CÓDIGO 29 - Comunicação de dados- CANINDÉ

1. Comunicação de Dados: 1.1. Conceitos e terminologia de transmissão de dados: transmissão de dados analógica e digital, problemas de transmissão, capacidade de canal. 1.2. Camada Física e Meios de Transmissão: Modelos de redes, Dados e Sinais, Largura de Banda, Meios de Transmissão, Comunicação e Redes Telefônicas. 1.3. Transmissão guiada e sem fio, meios de transmissão guiada, conceitos de propagação e linha de visada. 1.4. Técnicas de codificação de sinais, Técnicas de comunicação de dados digitais: transmissão síncrona e assíncrona, detecção e controle de erros, códigos de linha, interfaceamento. 1.5. Camada de Rede: Endereçamento Lógico, Endereçamento IP, Mapeamento de Endereços, Notificação de Erros, Multicasting e Encaminhamento e Roteamento. 1.6. Camada de Enlace de Dados: Detecção e Correção de Erros, Controle do Enlace de Dados, controle de fluxo e de erro, controle de enlace lógico, questões de desempenho. Acesso Múltiplo, LANs com fio: Ethernet, LANs sem Fio (Wireless), Conexão de LANs, Redes Backbone e LANs Virtuais, WANS sem fio, Redes de Telefonia Celular e via satélite, SONET/SDH e Redes de Circuitos Virtuais: Frame Relay e ATM. 1.7. Multiplexação: FDM, TDM síncrono e estatístico, características da comunicação na última milha. 1.8. Espalhamento de espectro: conceitos e principais tecnologias.

CÓDIGO 30 - Análise de Circuito, Eletricidade CA, Eletricidade CC e Sistemas Elétricos - CANINDÉ

1.Sistemas Elétricos, Circuitos elétricos, Análise de Circuito, Eletricidade CA e Eletricidade CC: 1. Eletricidade, Máquinas e Medidas Elétricas: 1.1. Princípios da Eletrodinâmica: Tensão Elétrica, Corrente Elétrica, Resistores Elétricos, Potência Elétrica e Leis de OHM; 1.2. Circuitos Série, Paralelo e Misto de Resistores (Associações de Resistores); 1.3. Leis de Kirchhoff; 1.4. Teoremas de Thévenin e Norton; 1.5. Teorema da Máxima Transferência de Potência; 1.6. Capacitores e Indutores em Corrente Contínua; 1.7. Princípios de corrente alternada: forma de onda senoidal, definições de amplitude, período freqüência e defasagem; 1.8. Capacitores e indutores de corrente alternada; 1.9. Análise de circuitos em CA: circuitos RL, RC e RLC (série, paralelo, misto), reatâncias capacitiva e indutiva; 1.10. Valores Médios e Eficazes (RMS); 2. Potência Elétrica Trifásica: 2.1. Circuitos Polifásicos: circuito trifásico equilibrado, definições de tensões e correntes trifásicas equilibradas, ligações triângulo e estrela, potência do circuito trifásico equilibrado, potência ativa e aparente, triângulo de potências, fator de potências, correção de fator de potência; 2.2. Transformadores (Monofásicos e Trifásicos): conceitos e definições, indutância mútua, auto-indutância, relação de transformação, autotransformador, núcleo envolvente e envolvido, tipos de ligação no primário e secundário de transformadores, transformadores aditivo e subtrativo; 3. Geradores e Motores de Corrente Contínua: Princípios e Funcionamento, tipos: 3.1. Alternadores: princípios e funcionamento, tipos; 3.2. Curvas características de alternadores - Reatância Síncrona não Saturada - Reatância de Potier; 3.3. Máquinas Síncronas Saturadas; 3.4. Características em "V" do motor síncrono; 3.5. Aplicações características do motor síncrono; 4. Motores de Indução: Princípios, Funcionamento e Aplicação: 4.1. Análise do Circuito Equivalente; 4.2. Conjugado e Potência pelo uso do Teorema de Thévenin; 4.3. Curvas Normalizadas de Conjugado-Escorregamento; 4.4. Efeitos da resistência do rotor. Rotores de gaiola dupla; 4.5. Controle de velocidade de motores de indução; 4.6. Motores de Indução trifásicos: 4.7. Acionamentos e Comandos Elétricos; 4.8. Classificação Comercial dos Motores de Indução: Categorias A, B, C, D e F; 4.9. Características da Carga: Momento de inércia da máquina acionada e a que rotação está referida; Curva do Conjudado Resistente; 4.10. Motores Série, Motores Universais: princípios, funcionamento e aplicação; 4.11. Motores de Passos: princípios, funcionamento e aplicação; 4.12. Eletrônica de Potência: Controle de Motores a Estado Sólido; 4.13. Retificadores Monofásicos e trifásicos de meia-onda e onda completa; 4.14. Sistemas de Alimentação para Motores de C.C.; 4.15. Choppers D.C.; 5. Inversores: Princípios, Funcionamento e Aplicação: 5.1. Modulação por largura de pulso (PWM); 5.2. Sistema por Controle Escalar; 5.3. Sistema por Controle Vetorial; 5.4. Soft-Starter: princípios, funcionamento e aplicação; 5.5. Controlador Lógico Programável (CLP): princípios, funcionamento e aplicação; 5.6. Entradas e Saídas (Booleanas e Analógicas); 5.7. Linguagens de Programação; 6. Instrumentos e Medidas Elétricas: Voltímetros, Amperímetros, Ohmímetros, Megaohmímetros, Ponte de Wheatstone, Ponte de Kelvin, Pontes RLC, Quocientímetros, Freqüencímetros, Fasímetros, Wattímetros, Varímetros, Medida da "Demanda" (que compõe a tarifa da concessionária): 6.1. Utilizando-se dos instrumentos com os princípios de funcionamentos clássicos; 6.2. Utilizando-se dos instrumentos com os princípios de funcionamentos eletrônicos (para os que já existem), bem como os informatizados; 6.3. Transformadores para Instrumentos; 6.4. Transformador de Potencial (TP); 6.5. Transformador de Corrente (TC); 6.6. Transformador de Potencial Capacitivo (TPC); 6.7. Medição de Resistência de "Terra" e da Resistividade do Solo; 7. Instalações Elétricas: 7.1. Simbologia gráfica para instalações elétricas (prediais, comerciais e industriais); 7.2. Diagramas (multifilar, unifilar e funcional); 7.3. Sistema de distribuição monofásico, bifásico e trifásico; 7.4. Dispositivo de manobra e proteção (proteção contra contatos indiretos e sistema de aterramento); 7.5. Luminotécnica: tipos de lâmpadas; instalações elétricas de interruptores simples, paralelo, intermediário; lâmpada fluorescente e incandescente; tomadas de uso geral e de uso específico; 8. Dimensionamento dos Circuitos Elétricos: 8.1. Pelo critério da Capacidade de Condução de Corrente; 8.2. Pelo critério da Queda de Tensão; 8.3. Pelo critério da Proteção contra Correntes de Sobrecarga; 8.4. Pelo critério da Proteção contra Correntes de Curto-Circuito; 8.5. Pelo critério da seção mínima recomendada pela NBR 5410; 9. Segurança e Medicina do Trabalho: 9.1. Normas Regulamentadoras; 9.2. NR-10: Instalações e Serviços em Eletricidade; 9.3. NR-6: EPI- Equipamento de Proteção Individual; 9.4. Análise de Risco de Acidentes; 10. Acionamentos Elétricos: 10.1. Classificação de acionamentos industriais, conceitos eletromecânicos, especificação de motores elétricos; 10.2. Motores CC. conexões, operação em 4 quadrantes, modelamento, controle; 10.3. Inversores PWM e SPWM, eletrônica de potência; 10.4. Encoders e sensores de posição; 10.5. Motores brushless: vantagens, estratégias de controle; 10.6. Motores de passo: construção, operação, controle; 10.7. Motores de indução: operação, vantagens, controle. 11. Controlador Lógico Programável: 11.1. Princípios básicos de funcionamento do CLP, concepção, Lay-out (com relação à carga e expansões locais e remotas); 11.2. Exemplos de uso com aplicações das principais funções operacionais envolvendo as entradas e saídas analógicas e digitais; 11.3. Conceito de Ciclo de Scan; 11.4. Linguagens de Programação: Ladder, Lista de instrução e Blocos de Função; 11.5. Funções pré-definidas de um determinado fabricante; 11.6. Como interpretar as informações de um catálogo de fabricante de CLP; 11.7. Como interpretar os parâmetros de um projeto de automação industrial, como por exemplo pontos de entrada e de saída em uma determinada lógica para solução de um determinado problema; Sistemas Digitais, Eletrônica Analógica e Digital, Eletrônica Básica: 1. Teoria de semicondutores: estrutura atômica, modelo de Bohr, materiais e propriedades semicondutoras; 2. Análise e projeto de circuitos digitais combinacionais e sequenciais; 3. Conversores analógico/digital - digital/analógico; 4. UCs de Circuitos Lógicos; 5. Microeletrônica Digital; 6. Microeletrônica Analógica; 7. Organização de memórias; 8. Programação de Dispositivos Lógicos Programáveis e Lógica Reconfigurável; 9. Projeto de circuitos integrados analógicos e digitais; 10. Transistores TBJ e FET: Polarização e Aplicações; 11. Modelagem do transistor TBJ: Modelo re do transistor; Modelo híbrido equivalente; Determinação gráfica dos parâmetros h; Variações dos parâmetros do transistor; 12. Análise de Pequenos Sinais e Resposta em Frequência para Transistores TBJ; 13. Amplificadores Operacionais e Aplicações; 14. Amplificadores de Potência: Classe A, Classe B, Classe AB e Classe D e suas características; 15. Reguladores linerares de tensão com transistor: Configuração série, paralelo e principais características; 16. Reguladores chaveados: Conversor abaixador (buck), conversor elevador (boost) e conversor baixador/elevador (buck-boost); 17. Fontes chaveadas: Conversor Forward, Flyback e Push-pull. Sistemas Embarcados: 1. Sistemas embarcados, Sistemas supervisórios, Sistemas digitais de controle distribuído; 2. Análise e projeto de sistemas microprocessados e interfaceamento; 3. Arquitetura e programação de microcontroladores; 4. Sistemas Microprocessados; 5. Sistemas Microcontrolados; 6. Sistemas a eventos discretos; 7. Tecnologias de comunicação sem fio em Sistemas Embarcados: Bluetooth, Zigbee, IrDA, Mesh, WiMAX, Wi-Fi, etc. Sinais e Sistemas, Controle de Processos: 1. UCs de Sinais e Sistemas; 2. Processamento Digital de Sinais; 3. Representação e análise de sinais e sistemas lineares e invariantes no tempo, transformada de Laplace, transformada de Fourier e transformada Z; 4. Análise e projeto de sistemas com realimentação via espaço de estados, projeto de observadores e servossistemas; 5. Projeto de filtros digitais e controladores digitais; 6. Sinais e sistemas de tempo discreto, digitalização de sistemas de controle e aspectos práticos de implementação para controle digital.

CÓDIGO 31 - Sistemas de Telefonia Móvel e Rádio Transmissão - CANINDÉ

1. Telefonia Móvel: 1.1.Sistemas de comunicações móveis, 1.2.propagação de ondas de rádio, 1.3.ruído, 1.4. interferência,1.5. handoff,1.6. handover, 1.7.eficiência espectral, 1.8. canais com multi-percurso, 1.9. técnicas de modulação e seus respectivos espectros de potência, 1.10. TDMA, 1.11. SDMA, 1.12. CDMA, 1.13.WCDMA, 1.14. equalização, 1.15. supressão de interferência. 1.16. 2. Rede de telefonia celular: 2.1. conceito, 2.2. rede analógica e digital. 2.3. 3. Sistemas de Telefonia Móvel de 1ª geração - AMPS. 4. Sistemas de Telefonia Móvel de 2ª geração:4.1. IS-136, IS-95, 4.2. GSM. 4.2. Evolução para 3ª Geração, 4.3. Sistemas UMTS, 4.4. CDMA 2000, 4.5. Serviços, 4.6.Sistemas de 4º geração. 5. Rádio transmissão:5.1. Noções de ondas eletromagnéticas: Características e Propriedades das Ondas Eletromagnéticas; 5.2. Propriedades e espectro de freqüências; 5.3. Tipos de Propagação; 5.4. Fenômenos que ocorrem na Propagação; 5.5. Zona de Fresnel; 5.6. Interferências na Propagação; 5.7. Unidades de medida de campo: dB, dBm, dBmV, dBìV. 5.8. Análise de Fourier; 5.9. Série de Fourier. 5.10. Noções sobre Modulação: Introdução sobre modulação; 5.11.Classificação sobre os tipos de modulação com portadora analógica( AM, FM e PM); 5.12. Classificação sobre os tipos de modulação com portadora trem-de-pulsos( PAM, PWM, PPM e PCM). 5.13. Modulação em amplitude(AM); 5.14. Princípio da modulação AM; 5.15. Tipos de modulação em Amplitude; 5.16. Forma de onda da modulação em amplitude com banda lateral dupla(AM‑DSB); 5.17. Equação do sinal AM-DSB; 5.18. Espectro de amplitude da modulação AM­DSB; 5.19. Circuito modulador síncrono a diodo; 5.20. Circuito detector de envoltória;5.21. Circuito receptor super-heterodino. 5.22.Modulação em amplitude com portadora suprimida(AM-DSB/SC); 5.23. Sinal AM-DSB/SC; 5.24. Forma de onda do sinal AM­DSB/SC; 5.25. Equação do sinal AM-DSB/SC; 5.26. Análise espectrográfica do sinal AM­DSB/SC; 5.27.Modulador balanceado em anel; 5.28. Modulador de ponte; 5.29. Modulador síncrono; 5.30. Demodulador AM-DSB/SC. 5.31. Molução em amplitude faixa lateral simples(AM-SSB): Sinal AM-SSB; 5.32. Forma de onda do sinal AM-DSB/SC; 5.33. Equação do sinal AM-DSB/SC; 5.34. Análise espectrográfica do sinal AM-DSB/SC; 5.35.Modulador AM-SSB; 5.36. Demodulador AM-SSB; 5.37. Multiplexação por divisão em freqüência. 6. Outros tipos de modulação em amplitude: 6.1. Modulação AM-VSB; 6.2. Modulação AM-CSSB; 6.3. Modulação AM-DSB/RC. 6.4. Modulação Angular. 6.5. Modulação em fase e freqüência; 6.6. Forma de onda do sinal modulado em fase(PM); 6.7. Equação geral do sinal modulado em fase(PM); 6.8. Forma de onda do sinal modulado em freqüência(FM); 6.9. Equação geral do sinal modulado em freqüência(FM). 7. Modulação angular FM de faixa estreita(FM-FE): 7.1. Definição das condições do sinal FM-FE; 7.2. Análise do sinal FM-FE; 7.3. Equação do sinal FM-FE; 7.4. Forma de onda do sinal FM-FE; 7.5. Espectro de amplitudes do sinal FM-FE; 7.6. Espectro de potências do sinal FM-FE; 7.7. Diagrama fasorial do FM-FE; 7.8. Diagrama em blocos de um modulador FM-FE. 8. Modulação angular FM de faixa larga(FM-FL): 8.1. Análise do sistema FM-FL; 8.2. Funções de Bessel; Equação do sinal FM-FL; 8.3. Espectro de amplitudes do sinal FM-FE; 8.4. Largura de faixa ocupada pelo FM-FL; 8.5. Definição de PREÊNFASE E DEÊNFASE. 9. Circuitos moduladores e demoduladores FM-FL: 9.1. Modulação FM pelo método direto; 9.2. Circuito modulador FM com varicap; 9.3. Modulação FM pelo método digital; 9.4. Circuito modulador FM pelo método digital; 9.5. Circuito demodulador FM. 10. Transmissor e receptor FM: 10.1. Diagrama de blocos básico do transmissor FM; 10.2. Modulador FM com P.L.L; 10.3. Transmissor heterodino de FM; 10.4. Diagrama em blocos do receptor de FM; 10.5. Circuito receptor de FM. 11. Modulação por pulsos: 11.1. Sinal modulado em amplitude de pulsos (PAM); 11.2. Circuito modulador PAM; 11.3. Demodulador PAM; 11.4. Sinal modulado em largura de pulsos (PWM); 11.5. Circuito modulador PWM; 11.6. Sinal modulado por posições de pulsos (PPM); 12. Modulação por códigos de pulsos(PCM): 12.1. Introdução à Multiplexação; Sistemas FDM e TDM; 12.2. Sinal modulado por codificação de pulsos PCM; 12.3. Amostragem, quantização e codificação; 12.4. Regeneração e decodificação de um sinal PCM; 12.5. Funcionamento do multiplex PCM, 30 canais PCM-30; 12.6. Hierarquia do sistema PCM; 12.7. Equipamento ELO-34, 12.8.Hierarquias Digitais SDH, 13. Composição do Sistema Rádio:13.1. Largura de Banda do Sinal Modulado,Largura de Banda do Rádio Digital,Princípios de Modulação Multinível, 13.2. Constelação, 13.3. Codificação, 13.4. Diferencial, 13.5. Demodulação, 13.6. Diagrama de Olho, 13.7. Curvas de TEB, 13.8. Ruído Branco (Gaussiano), 13.9. Curva de TEB x C/N,13.10. Tipos de Configuração das Estações Rádio, 13.11. Estação Terminal, 13.12. Estação Repetidora, 13.13. Simples,Estação Repetidora com Drop-Insert (D-I), 13.14. Repetidora Passiva,Estação Terminal Múltipla (Back To Back), 13.15. Blocos Funcionais dos Equipamentos Rádio, 13.16. Sistema de Comutação RF.14. Contramedidas e Opcionais:14.1. Técnicas de Diversidade, 14.2. Diversidade de Freqüência,Diversidade de Espaço, 14.3. Equalizadores Adaptativos, 14.4. Método do Zero-Forcing,Códigos Corretores de Erro (FEC), 14.5. TCM (Modulação por Código de Treliça), 14.6. Controle Automático de Potência (ATPC), 14.7. Tráfego Marginal (Way Side), 14.8. Reuso de Freqüências (XPIC), 14.9. Cancelador de Interferência de Polarização Cruzada (XPIC).15. Configurações e Parâmetros Sistêmicos dos Equipamentos Rádio.Parâmetros fundamentais de Antenas e tipos de antenas.16. Guia de Onda e Cabo Coaxial:16.1. Tipos e Características Principais dos Guias de Onda e Cabos Coaxiais. 17. Propagação: 17.1. Mecanismos de Propagação, 17.2. Onda Eletromagnética, 17.3. Meio de Transmissão, 17.4. Composição da Atmosfera, Troposfera,Estratosfera,Ionosfera, 17.5. Faixas de Freqüência,Zona/Elipsóide de Fresnel, 17.6. Propagação e Perda no Espaço Livre.Desvanecimento Plano e Seletivo. 17.7. Refração, Difração,Reflexão,Atenuação Devido a Chuvas, 17.8. Atenuação Causada pela Atmosfera, 17.9. Probabilidade de Desvanecimento Plano e Seletivo. 17.10. Fatores de Melhoria de Diversidade de Freqüência e Espaço. 17.11. Critérios de Visibilidade. 17.12. Dimensionamento de Radioenlaces.Elaboração do Plano de Freqüências. 17.13. Cálculo de Desempenho e de Disponibilidade. 17.14. Cálculo de Interferências.

CÓDIGO 32 - Sistema de Telecomunicações; Gestão de Telecomunicações; Transmissão de TV e Comutação Digital - CANINDÉ

1.Tecnologia e Infraestruturas de Telecomunicações:1.1. Classificação de redes de comunicação; 1.2. Topologias de redes; 1.3. Classificação de redes de telecomunicações; 1.4. Visibilidade, funcionamento e técnicas de transmissão de informações; 1.5. Sinais digitais; Fibras óticas (funcionamento); 1.6. Redes em fio(comunicação); 1.7. Protocolo de transmissão (meio físico e arquiteturas): Ethernet, Sonet e SDH, ISDEN, Xdsl, WI-FI, WiMAX, Bluetooh, rede ATM, arquitetura X.25; 1.8. Protocolo Frame Relay; 1.9. Rede via satélite; 1.10. Modelo OSI; 1.11. Redes TCP/IP; 1.12. Protocolo Ipv6; 1.13. Espaço de armazenamento para usuário. 2. Gerência de Projetos em Telecomunicações:2.1. Estruturas organizacionais empresariais; 2.2. Tipos de inovação; 2.3. Execução e Dimensões de projetos; 2.4. Sucesso e fracasso de projetos: 2.4.1. Identificação de projeto, 2.4.2. Gerenciamento de integração de projeto, 2.4.3. Planejamento de projetos, 2.4.4. Ciclo de vida para um projeto, 2.4.5. O elenco de um projeto; 2.6. Normas de comportamento de grupo; 2.7. Carta de notificação e solicitação de proposta; 2.8. Avaliação de proposta; 2.9. Estrutura de contratos; 2.10. Detalhamento de termo de abertura e declaração do escopo de um projeto; 2.11. Elaboração de agenda; 2.12. Gerenciamento de aquisições, riscos, orçamento e comunicação em projetos; 2.13. Qualidade em projeto; 2.14. Cálculo o déficit; 2.15. Gerenciamento de projetos de serviços; 2.16. Potenciais fontes de imprevistos em um projeto; 2.17. Gestão adaptativa de projetos de telecomunicações; 2.18. O encerramento de projetos; 2.19. As dez regras para o bom uso do MS-Project. 3.Sistemas de Comunicações Móveis: 3.1. Sistemas celulares; 3.2. Arquitetura de múltiplo acesso; 3.3. Reutilização de frequências; 3.4. Gerenciamento da utilização de canais; 3.5. Padrões de comunicação; 3.6. Propriedades das fibras ópticas: 3.6.1. Características de transmissão, 3.6.2. métodos de fabricação, 3.6.3.tipos e capacidades de transmissão. 4.Sistemas de Comunicação por Rádio e Satélite:Propagação e gerência dos meios de comunicação e aplicações. 5.Marketing dos Negócios em Telemarketing: Técnicas e desafios para o marketing dos negócios; Ferramentas de informação. 6.Grandezas básicas: 6.1.Medidas, Sinais e Sistemas; 6.2. Especificações (estáticas e dinâmicas) da qualidade metrológica de instrumentos de medidas; 6.3. Fontes de interferência e erro em medições e técnicas de compensação; 6.4. Instrumentos para medição de grandezas como: tensão, corrente, resistência, frequência e períodos; 6.5. Tipos de sinais e técnicas de processamento. 7.Multímetros digitais: 7.1. Características e aplicações de multímetros digitais; 7.2.Análise da estrutura, do diagrama em blocos e do funcionamento de multímetros digitais (tensão, corrente e resistência).8.Geradores de sinais: 8.1.Características e aplicações de geradores de sinais; 8.2.Análise da estrutura, do diagrama em blocos e do funcionamento de geradores de sinais. 9.Osciloscópio: 9.1.Análise das características e aplicações de osciloscópios; 9.2.Análise das estruturas, do diagrama em blocos e do funcionamento de osciloscópios. 10.Analisadores de espectro: 10.1.Análise das características e aplicações de analisadores de espectro; 10.2.Análise da estrutura, do diagrama em blocos e do funcionamento de analisadores de espectro. 11.Unidades de medidas em telecomunicações: 11.1.Análise das principais medidas em comunicações, como: nível de sinal (dB, dBm, dBmV e dBì); Bit Rate; Bit Erro Rate; Jutter; 11.2. atenuação, dispersão, relação sinal ruído, diagrama de olho e compactação; 11.3. Principais instrumentos utilizados em comunicações ete, suas estruturas, diagramas em blocos, funcionamento e aplicações;11.4. Análise dos princípios da medição à distância e suas aplicações na telesupervisão de redes de comunicações. 12.Transmissão de TV Via Satélite: 12.1. Composição do Enlace Satélite para TX de TV Digital; 12.2.UP-Link, Down-Link e componentes; 12.3.Desempenho do enlace satélite para transmissão de TV digital. 13.Importância do Cálculo de enlace: 13.1.Análise, compreensão e interpretação; 13.2.Objetivos de desempenho do enlace satélite versus dimensionamento do UP-Link e do Down-Link. 14.Qualidade e Disponibilidade: 14.1.Banda Ku versus Banda C; 14.2.Mitos e Realidade; 14.3.Atenuação por chuvas e Técnicas de Contrmedidas (FCM); 14.4.UP­Links para Distribuição e Contribuição de TV Digital; 14.5.Encoders MPEG.2, H.264, SDTV, HDTV, SCPC, MCPC, DVB-S e DVB-S2; 14.6.Comparativo DVB-S2 versus DVB-S; 14.7.Estações Fixas, Teleportos e Estações Transportáveis SNG e FLY-AWAYS; 14.8. Provedores, Fornecedores e Considerações; 14.9.Down-Links de TV digital; 14.10.Decoders MPEG.2, H.264, SDTV, HDTV, SCPC, MCPC, DVB-S2 versus DVB-S; 14.11.Antenas, LNB`s, Decoders, IRD`s, Fabricantes e Fornecedores;14.12. Cálculo da alocação da Banda Necessária por Portadora no Transponder. 15.Segmento Espacial:Alocação, Custos e Provedores no Brasil. 16.HDTV Via Satélite: 16.1.Visão de Mercado e Competição DTH; 16.2. Recomendações Gerais. 17.Comutação Digital: 17.1.Modulação Digital por Pulso (CODECs); 17.2.Multiplexação por divisão de tempo (TDM);17.3. Transmissão Digital: PCM 30 (E1) e PCM 24 (T1); 17.4. Hierarquias PDH e SDH;17.5. Comutação Espacial e Temporal; 17.6. Central de Comutação Digital;17.7. PABX Digital; 17.8.Centrais Públicas.

CÓDIGO 33 - Natação - CANINDÉ

1. História e evolução da Natação; 2. Pedagogia do ensino da Natação; 3. Natação escolar e a Interdisciplinaridade; 4. Propriedades e princípios físicos da água; 5. Adaptação ao meio aquático; 6. Fundamentos da Natação; 7. Os quatro Estilos oficiais de Natação e as regras da FINA; 8. Saídas, viradas e chegadas; 9. Organização de eventos de Natação; 10. Natação na infância e na adolescência; 11. Recreação Aquática; 12. Benefícios terapêuticos da Natação.

CÓDIGO 34 - Higiene e Segurança do Trabalho; Controle de Qualidade - CAUCAIA

1.Princípios de Prevenção e controle de riscos em máquinas, equipamentos e instalações: 2. Caldeiras e vasos de pressão; Movimentação de cargas; 3. Instalações elétricas; 4. Máquinas e ferramentas; 5. Trabalhos a quente (soldagem, corte e ferramentas abrasivas); 6. Trabalho em espaços confinados; Construção civil; 7. Trabalhos em altura; 8. Elementos de Higiene Ocupacional: 9. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; 10. Gases e vapores; 11. Aerodispersóides; 12. Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos; 13. Exposição ao ruído; 14. Exposição ao calor; 15. Radiações ionizantes e não-ionizantes; 16. Trabalho sob condições hiperbáricas; 17. Limites de tolerância e de exposição; 18. Fundamentos de Proteção contra Incêndio: Sistemas fixos e portáteis de combate ao fogo; 19. Armazenamento de produtos inflamáveis; 20. Brigadas de incêndio; 21. Legislação e Normas Técnicas: Segurança e Saúde na Constituição Federal e na Consolidação das Leis do Trabalho; 22. Normas Regulamentadoras de SST; 23. Benefícios previdenciários decorrentes de acidentes do trabalho; 24. Perfil Profissiográfico Previdenciário; 25. Acidente do trabalho: Conceito técnico e legal; Causas e consequências dos acidentes; 26. Taxas de frequência e gravidade; 27. Estatísticas de acidentes; 28. Custos dos acidentes; 29. Comunicação e registro de acidentes; 30. Investigação e análise de acidentes; 31. Princípios de análise, avaliação e gerenciamento de riscos: Inspeção de segurança; 32. Técnicas de análise de risco: APR e HAZOP; 33. Princípios de Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde: Organização e atribuições do SESMT e da CIPA; 34. Sistemas de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional de acordo com a OHSAS 18001; 35. Noções de Desenvolvimento Sustentável; 36. Elementos de Ergonomia: Conforto ambiental; Organização do trabalho; Mobiliário e equipamentos dos postos de trabalho. 37. História de Segurança do Trabalho no Brasil e no Mundo;38. Qualidade de vida do trabalho.39. Controle de Qualidade.

CÓDIGO 35 - Física - CRATEÚS; TIANGUÁ

01. Cinemática. 02. Estática. 03. Leis de Newton. 04. Conservação de Energia. 05. Calor e Termodinâmica. 06. Óptica Geométrica. 07. Ondulatória. 08. Eletricidade. 09. Rotação de corpo rígido. 10. Magnetismo.

CÓDIGO 36 - Matemática: Matemática Aplicada, Álgebra Linear, Estatística Aplicada, Cálculo Diferencial e Integral - CRATEÚS

1.Funções; Trigonometria; Progressões; Matrizes e Determinantes; Sistemas Lineares;
Geometria Plana-Analitico-Espacial; Polinômios e Equações Polinomiais; 2.Limites, Continuidade e Regras de Derivação; Problemas de Máximos e Mínimos; Teorema de Roole; Teorema do Valor Médio; Regra de L'hôpital; 3. Teorema Fundamental do Cálculo; Técnicas de Integração; Aplicaçações de Integral Definida; Formas Indeterminadas e Integrais Improprias; Coordenadas Polares; 4. Sequencias e Séries Infinitas; Vetores no Plano e Equações Paramétricas; Limites, Continuidade e Derivadas de Várias Variáveis; Derivadas Direcionais e Gradientes; Integração Múltipla; Teorema De Green e Integrais de Linha; 5. Equações Diferenciais de Primeira Ordem; Equação De Bernoulli; Transformada De Laplace; Equações Diferenciais Parciais; 6. Espaço Vetorial; Transformações Lineares; Autovalores e Autovetores; Diagonalização; Operadores Auto-Adjunto e Ortogonais.

CÓDIGO 37 - Química Inorgânica - CRATEÚS

01.Estrutura atômica: Evolução do modelo atômico e propriedades dos elementos.02. Ligações Químicas: Aspectos preliminares e teorias usadas para explicar as ligações.03. Simetria molecular e estrutura dos sólidos. 04. Acidez e basicidade das espécies químicas.05. Química dos compostos de coordenação: Ligações, aspectos termodinâmicos e cinéticos.06. Principais métodos de caracterização de compostos inorgânicos.07. Compostos organometálicos do grupo principal e dos blocos d.08. Catalisadores e reações catalíticas.

CÓDIGO 38 - Resistência dos Materiais, Projetos Estruturais; Projeto de Estrutura - CRATEÚS

01. Projeto de estrutura com concreto armado; 02. Produção de concreto armado; 03. Dosagens de concreto; 04. Controle tecnológico do concreto e seus insumos; 05. Formas e armaduras; 06. Serviço de impermeabilização em edifícios; 07. Tipos e usos de produtos na impermeabilização; 08. Avaliação pós-ocupação, manual do proprietário e código de defesa do consumidor; 09. Materiais e sistemas de recuperação de estruturas; 10. Concreto de Alto Desempenho.

CÓDIGO 39 - Botânica; Educação Ambiental - CRATEÚS

01. Histologia vegetal (tecidos simples e complexos) e anatomia vegetal (estrutura primária de raiz e caule, noções da estrutura secundária, estrutura da folha);02. Caracterização, origem e tendências evolutivas dos diferentes grupos taxonômicos;03. Aspectos citológicos, morfológicos e anatômicos de órgãos vegetativos e reprodutivos de vegetais superiores;04. Sistemática dos espermatófitos: organografia e evolução morfológica; princípios taxonômicos e aspectos filogenéticos;05. Sistemas de classificação e nomenclatura botânica; herborização e herbário;06. Sustentabilidade na exploração de ecossistemas;07. Ecologia Urbana;08. Educação Ambiental na Escola;09. Coleta seletiva: vantagens, dificuldades e alternativas para implementação;10. Fatores bióticos e abióticos que influenciam o ambiente.

CÓDIGO 40 - Experimentação Agrícola, Agroecologia aplicada, Microbiologia Agrícola, Manejo de plantas espontâneas, Manejo de solo - CRATEÚS

01. Princípios básicos de experimentação: repetições, casualização e bloqueamento, unidade experimental, tratamento e erro;02. Delineamentos experimentais e análise da variância, testes de significância, elementos de regressão e correlação;03. Sistemas Agrosilvopastoris;04. Sistemas Agroecologicos no Brasil;05. Biologia e manejo de plantas daninhas e alelopatia;06. Métodos de manejo de plantas daninhas (mecânico, físico, cultural, biológico, químico);07. Influências dos fatores ambientais, físicos e químicos no desenvolvimento da população microbiana do solo;08. Mineralização da matéria orgânica, fixadores de nitrogênio e micorrizas;09. Introdução à conservação do solo. Erosão do solo. Práticas conservacionistas.;10. Classificações técnicas de: capacidade de uso das terras e aptidão agrícola das terras.

CÓDIGO 41 - Físico-Química- CRATEÚS

01.Gases, líquidos e sólidos. 02.Termodinâmica química. 03.Equilíbrio Químico. 04.Soluções e equilíbrio entre fases. 05. Eletroquímica. 06. Físico-Química de superfícies. 07. Cinética química.

CÓDIGO 42 - Informática - IGUATU

01 - Princípios da Comunicação e Telecomunicações. 02 - Introdução às Redes de Computadores, Arquitetura e Classificação. 03 - Transmissão da Informação, Computação de Dados e Topologias de Redes. 04 - O Modelo RM-OSI e o Padrão IEEE 802. 05 - O Protocolo TCP/IP. 06 - Configuração Básica do LINUX. 07 - Algoritmos e Estruturas de Dados. 08 - Linguagem de Programação Orientadas a Objetos. 09 - Análise de Sistemas. 10 - Linguagem de Programação para Internet. 11 - Sistema de Gerenciamento de Banco de dados SGBD.

CÓDIGO 43 - Processamento de carnes, frutas e hortaliças, lacticínios e derivados, técnica em dietética, avaliação nutricional, bioquímica dos alimentos e planejamento de refeições - IGUATU

1. Métodos de Conservação de Alimentos. 2.Tecnologia e Processamento da Carne. 3. Tecnologia e Processamento do Leite. 4. Tecnologia e Processamento de Frutos e Hortaliças. 5. Microbiologia de Alimentos. 6. Bioquímica de Alimentos. 7. Biotecnologia de Alimentos. 8. Toxicologia de Alimentos. 9. Controle de Qualidade nas Indústrias Alimentícias. 10. Alterações em Alimentos. 11. Embalagens para Alimentos. 12. Desenvolvimento de Novos Produtos (DNP). 13. Projetos Agroindustriais. 14. Legislação Agroindustrial. 15. Higiene e Sanitização em Indústrias de Alimentos.

CÓDIGO 44- Físico-Química; Química Geral¸ Química orgânica. - IGUATU

1. Estrutura atômica. 2. Tabela periódica. 3. Estequiometria. 4. Ligações químicas. 5. Equilíbrio químico. 6. Eletroquímica. 7. Soluções. 8. Cinética química. 9. Ácidos e Bases. 10. Hidrocarbonetos

CÓDIGO 45 - Gestão; Gestão Empresarial/Contabilidade Geral - IGUATU

1. Gestão Empresarial, 2. Economia de Mercado, 3. Administração Financeira, 4. Logística, 5. Comércio Exterior, 6. Administração de Produção, 7. Marketing, 8. Gestão de Pessoas, 9. Patrimônio e Seguros, 10. Contabilidade, 11. Legislação Empresarial, 12. Legislação Aduaneira, 13. Finanças e Investimentos, 14. Gestão da Qualidade.

CÓDIGO 46 - Computação: Banco de dados; Programação orientada a objetos; Programação WEB; Engenharia de Software; Desenvolvimento de sistemas coorporativos; Algoritmos e técnicas de programação; Análise e desenvolvimento de sistemas - JAGUARIBE

1. Banco de dados; 2. Programação orientação a objetos; 3. Programação WEB; 4. Engenharia de Software; 5. Desenvolvimento de sistemas coorporativos; 6. Algoritmos e técnicas de programação; 7. Análise e desenvolvimento de sistemas.

CÓDIGO 47 - Rede de computadores: Eletricidade e eletrônica analógica; Eletrônica digital; Redes de computadores; Sistemas operacionais de rede; Manutenção de computadores; Segurança da Informática - JAGUARIBE

1. Redes de computadores; 2. Sistemas operacionais de rede; 3. Eletrônica digital; 4. Eletricidade e eletrônica analógica; 5. Manutenção de computadores; 6. Segurança da Informática.

CÓDIGO 48 - Aquicultura e pesca: Ecologia de organismos aquáticos; Educação ambiental aplicada à aquicultura e pesca; Biologia populacional; Seletividade e esforço de pesca; Estoque pesqueiro; Administração da pescaria - JAGUARIBE; LIMOEIRO DO NORTE/ALTO SANTO; MORADA NOVA

1. Ecologia de organismos aquáticos; 2.Educação ambiental aplicada à aquicultura e pesca; 3. Biologia populacional; 4. Seletividade e esforço de pesca; 5.Estoque pesqueiro; 6. Administração da pescaria; 7. Carcinocultura.

CÓDIGO 49 - Agronomia: Culturas Anuais; Sistemática, Morfologia e Fisiologia Vegetal; Melhoramento Vegetal e Animal; Olericultura; Nutrição e Produção Animal: aves, suínos e peixes - LIMOEIRO DO NORTE

1.Culturas Anuais; 2.Sistemática, Morfologia e Fisiologia Vegetal; 3.Melhoramento Vegetal e Animal; 4.Olericultura; 5.Nutrição e Produção Animal: aves, suínos e peixes.

CÓDIGO 50 - Saúde e Nutrição Clínica - LIMOEIRO DO NORTE

1.Anatomia, Histologia e Embriologia Humana; 2.Citologia e Parasitologia Humana; 3.Imunologia; 4.Cuidados Nutricionais nas doenças do trato gastrointestinal; 5.Cuidados Nutricionais na Síndrome Metabólica; 6.Cuidados Nutricionais nas doenças renais; 7.Cuidados Nutricionais nas doenças hepáticas; 8.Cuidados Nutricionais do paciente com câncer; 9.Conduta nutricional nos Erros Inatos do Metabolismo; 10.Conduta nutricional na Terapia Nutricional Enteral e Parenteral.

CÓDIGO 51 - Teoria da Computação; Grafos; Análise de Algoritmos - MARACANAÚ

TEORIA DA COMPUTAÇÃO - 1. Máquinas de Turing. 2. Computabilidade. 3. Linguagens Regulares. TEORIA DOS GRAFOS - 4. Noções básicas de grafos: grafos orientados, não-orientados, bipartidos. 5. Percursos em grafos. 6. Árvores e árvores geradoras. 7. Conectividade. 8. Problemas de caminhos. 9. Fluxos em redes. ANÁLISE DE ALGORITMOS - 10. Notação assintótica. 11. Algoritmos de ordenação. 12. Programação dinâmica. 13. Algoritmos gulosos. 14. Problemas NP-difíceis e NP-Completos.

CÓDIGO 52 - Edificações: Informática Aplicada; desenho técnico, topográfico e Cad; Elementos de administração, legislação e meio ambiente; Química aplicada; Gerenciamento da produção; Técnicas de materiais de construção - MORADA NOVA

1.Informática Aplicada; 2. Desenho técnico arquitetônico; 3. Desenho técnico topográfico; 4. Desenho Auxiliado por Computador (CAD); 5. Elementos de administração, legislação e meio ambiente; 6. Química aplicada; 7. Gerenciamento da produção; 8. Técnicas de materiais de construção.

CÓDIGO 53 - Construção Civil: Pat ologia e terapia das construções; Projetos arquitetônicos, elétricos e hidrosanitárias; Projetos estruturais; Resistência dos materiais; Canteiro e manutenção de obra - MORADA NOVA

1. Patologia e terapia das construções; 2. Projetos arquitetônicos, elétricos e hidrosanitárias; 3.Projetos estruturais; 4.Resistência dos materiais; 5.Canteiro e manutenção de obra.

CÓDIGO 54 - Higiene e Segurança do Trabalho, Projeto Hidrosanitário, Eletricidade Aplicada e Projeto Elétrico. - QUIXADÁ

1. Meio Ambiente Natural e Meio Ambiente no Trabalho 2. Evolução histórica de segurança e medicina do trabalho 3. Acidente do trabalho : conceito , causas , conseguências e investigação 4. Riscos Ambientais 5. Gestão de Riscos do Trabalho : Medidas de controle de risco e avaliação de riscos 6. Insalubridade e Periculosidade 7. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes -CIPA 8.Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho -SESMT 9. Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) e individual (EPI ) 10 . Programa de controle médico e saúde ocupacional (PCMSO) 11. Prevenção e combate a sinistros -plano de contigência 12.Programa de prevenção a riscos ambientais ( PPRA ) 13. Gerenciamento de SMS 14. Ergonomia 15. Instalações prediais de água fria 16. Instalações Prediais de esgotos sanitários 17.Fossas sépticas e sumidouros 18.Instalações prediais de águas pluviais 19. Noções de Eletrotécnica 20 . Dimensionamento dos condutores , proteção e eletrodutos 21. Instalação elétrica predial e residencial 22. Luminotécnica.

CÓDIGO 55 - Desenho Básico, Desenho Técnico; CAD; Projeto Arquitetônico - QUIXADÁ

1. Desenho Técnico e suas normas; 2. Materiais e principais instrumentos nos trabalhos de execução dos desenhos; 3. Projeções Ortográficas; 4. Perspectivas; 5. O AutoCAD e suas configurações; 6. Sistemas de coordenadas do AutoCAD; 7. Visualização de objetos; 8. Ferramentas de criação e modificação de objetos; 9. Propriedades de objetos; 10. Blocos; 11. Dimensionamento; 12. Plotagem; 13. Noções de AutoCad 3D; 14. Fundamentos de Topografia; 15. Planimetria; 16. Altimetria; 17. Sistemas de Posicionamento Global (GPS); 18. Aplicações de Topografia em Construção Civil; 19. Locação de obras. 20. Linguagem e metodologia do projeto de arquitetura; 21. A interferência com os demais projetos; 22. Sustentabilidade das edificações; 23. Programa de necessidades físicas das atividades e dimensionamento básico (organograma e fluxograma); 24. Layout; Ergonomia; 25. Fundamentos para Inclusão Social de Pessoas com Deficiência ou com Mobilidade Reduzida.

CÓDIGO 56 - Física: Mecânica. Eletricidade e Magnetismo. Termodinâmica.Ondas e Ótica Mecânica Quântica e Espectroscopia. - QUIXADÁ

1.Vetores. 2.Força e Movinento. 3.Leis de Newton 4. Trabalho e Energia Cinética. 5. Conservação da Energia. 6. Sistemas de Partículas. 7. Colisões. 8. Rotação. 9. Rolamento ,torque e momento angular. 10 . Equilíbrio e Elasticidade. 11. Ondas. 12. Teoria Cinética dos Gases e Leis da Termodinâmica. 13. Carga Elétrica. 14. Campo Elétrico. 15. Lei de Gauss. 16. Potencial Elétrico. 17. Capacitância. 18. Corrente e Resistência Elétrica. 19. Circuitos Elétricos. 20 . Magnetismo. 21. Indutores. 22. Correntes Alternadas 23. Ótica Geométrica. 24. Interferências. 25. Difração. 26. Propriedades ondulatórias da matéria. 27. Aplicações da Equação de Schrödinger. 28. O Átomo de Hidrogênio. 29. Átomos multieletrônicos e a Tabela Periódica. 30. Espectroscopia Molecular 30.1 Transições eletrônicas 30.2 Ressonância Magnética.

CÓDIGO 57 - Química Ambiental. Princípios de Análise Química. Análises Químicas Quantitativas. Análise Instrumental. - QUIXADÁ

1. Equilíbrio químico. 2. Introdução à Análise Química. 3. Estatística aplicada à analise química. 4. Métodos titulométricos. 5. Métodos gravimétricos. 6. Métodos espectrofotométricos. 7. Métodos potenciométricos. 8. Métodos cromatográficos. 9. Amostragem. 10. Sistema de Qualidade Laboratorial. 11. Química Atmosférica e Poluição do Ar. 12. Energia e Mudanças Climáticas. 13. Compostos Orgânicos Tóxicos. 14. Química da Água e Poluição das Águas.

CÓDIGO 58 - Processos Químicos Orgânicos. Processos Químicos Inorgânicos. Processos Agroindustriais. Tecnologia do Biodiesel. Tratamento de Água. - QUIXADÁ

1. Bases tecnológicas dos processos químicos. .2. Regimes de funcionamento dos processos químicos: descontínuo, semi-contínuo e contínuo. 3. Balanços de massa e energia nos processos químicos. 4. Composição química dos óleos e gorduras, importância nutricional e essencialidade. .5. Propriedades físicas e químicas de interesse tecnológico dos óleos e gorduras vegetais. .6 Beneficiamento dos óleos e gorduras: preparo das matérias-primas, processos de extração e refino químico. .7. Autoxidação, saponificação, hidrogenação e interesterificação dos óleos e gorduras. 8. Controle de qualidade de óleos e gorduras. 9. O petróleo: origem, composição química, frações e classificação. 10. Qualificação do petróleo e seus derivados: curva de destilações PEV e ASTM, densidade e grau API, pontos de fluidez, fulgor e anilina, viscosidade, números de octano e cetano, propriedades ligadas à corrosividade e estabilidade termo-oxidativa. 11. Processamento do petróleo: destilação, craqueamento térmico, craqueamento catalítico e reforma. 12. Tecnologia do biodiesel: matérias-primas, processos de produção, controle de qualidade, aspectos sócio-econômicos e ambientais relacionados.. 13. Aplicações da água na indústria e requisitos de qualidade exigidos. 14. Impurezas da água e tratamentos físicos e químicos relacionados. 15. Tipos e princípios operacionais das caldeiras industriais. 16 Tipos e princípios operacionais das torres de resfriamento. 17. Balanços de massa e energia em caldeiras e torres de resfriamento. 18. Troca iônica: princípios da operação, resinas empregadas e processos de regeneração. 19. Tratamento químico das águas de caldeiras e dos sistemas de recuperação de condensados e de resfriamento. 20.Indústria do enxofre: Produção industrial, propriedades físicas e químicas, dióxido de enxofre e ácido sulfúrico 21. . Indústria do nitrogênio: Ocorrência, obtenção no laboratório e na indústria, propriedades, produção de amônia, uréia e ácido úrico 22. Indústria do ácido clorídrico : Tipos de obtenção, propriedades físicas e químicas e aplicações 23. Indústria do cimento Matérias-primas, tipos, normas, propriedades, reações químicas, processos de fabricação e equipamentos. 24. Indústrias dos materiais cerâmicos: Cerâmica tradicional e avançada. 25. Indústria do vidro : Composição, aplicação e fabricação.

CÓDIGO 59 - Informática Aplicada. Programação Aplicada - QUIXADÁ

1.Windows 2. Word 3. Excel 4. Power Point 5 . Internet 6. Introdução ao MATLAB 7. Fundamentos de Programação 8. Comandos de condição e de repetição 9. Modularização de algoritmos 10 . Arranjos 11. Arquivos 12. Aplicações em Engenharia 13. Introdução aos métodos numéricos 14. Erros 15. Raízes de funções reais 16. Resolução de sistemas lineares 17. Interpolação 18. Método dos Mínimos Quadrados. 19 . Integração Numérica

CÓDIGO 60 - Física: Introdução á Física; Física Experimental, Térmica, Moderna e Contemporânea; Tópicos de Física Experimental - SOBRAL

01. Cinemática. 02. Estática. 03. Leis de Newton. 04. Conservação de Energia. 05. Calor e Termodinâmica. 06. Óptica Geométrica. 07. Ondulatória. 08. Eletricidade. 09. Rotação de corpo rígido. 10. Magnetismo.

CÓDIGO 61 - Língua Portuguesa/LIBRAS - SOBRAL

01. Educação Inclusiva: Conceituação e Histórico; 02. Fundamentos da educação de Surdos; 03. Léxico, morfologia e sintaxe; 04. Variação lingüística aplicada à linguagem de sinais; 05. Expressão visual-gestual.

CÓDIGO 62 - Biocombustível: Processos Industriais de combustível; Gestão e operação de óleo e biocombustível; Técnicas de produção e conservação do meio ambiente na cadeia produtiva de biocombustível; Gestão e empreendedorismo- TABULEIRO DO NORTE

1.Processos Industriais de combustível; 2.Gestão e operação de óleo e biocombustível; 3.Técnicas de produção e conservação do meio ambiente na cadeia produtiva de biocombustível; 4.Gestão e empreendedorismo.

CÓDIGO 63 - Petróleo e Gás: Geologia geral; Legislação Ambiental; Impactos ambientais; Morfologia e gênese do solo; Segurança de barragem; Recuperação de áreas degradadas; Introdução à Engenharia do petróleo- TABULEIRO DO NORTE

1. Geologia geral; 2.Legislação Ambiental; 3.Impactos ambientais; 4. Morfologia e gênese do solo; 5.Segurança de barragem; 6.Recuperação de áreas degradadas; 7.Introdução à Engenharia do petróleo.

CÓDIGO 64 - Mecânica Automotiva: Controle eletrônico e injeção; Instrumentos de medição e diagnose; Motores de combustão interna; Instrumentação e controle automotivo- TABULEIRO DO NORTE

1.Controle eletrônico e injeção; 2.Instrumentos de medição e diagnose; 3. Motores de combustão interna; 4. Instrumentação e controle automotivo.

CÓDIGO 65- Manutenção Automotiva: Gestão de manutenção automotiva; Sistema de gerenciamento de injeção eletrônica; Eletricidade automotiva; tecnologia mecânica automotiva - TABULEIRO DO NORTE

1.Gestão de manutenção automotiva; 2. Sistema de gerenciamento de injeção eletrônica; 3. Eletricidade automotiva; 4. Tecnologia mecânica automotiva.

CÓDIGO 66 - Eletricidade, Eletrônica Digital e sistema de Transmissão - TAUÁ

01. Diodos: características; tipos; polarização; circuitos com diodos (retificadores,filtros, ceifadores, grampeadores). 02. Transistores bipolares de junção: características; tipos; polarização; aplicaçãocomo chave; reguladores série e paralelo.03. Amplificadores operacionais: amplificador operacional ideal; ganho; saturação;circuitos lineares; realimentação negativa; circuitos com amplificadores operacionais(diferencial, integrador, somador).04. Circuitos lógicos combinacionais: funções e portas lógicas; teoremas booleanos;mapas de Karnaugh; simplificação e projeto de circuitos lógicos combinacionais;multiplexador e demultiplexador.05. Flip-flop e dispositivos correlatos: tipos de flip-flop (RS, JK, T, D);06. Circuitos lógicos seqüenciais: registradores de deslocamento; contadores(assíncronos e síncronos); Projeto de circuitos lógicos seqüenciais.07. Conversores digital-analógicos (D/A) e analógico-digitais (A/D): características;tipos de conversores; circuitos de aplicação de conversores D/A e A/D.08. Microcontroladores: arquitetura Von Neummann`s e Harvard; tipos de memórias;registradores de função especial, registradores de propósito geral, periféricos;linguagem de programação de fonte aberta Arduino.09. Sensores industriais: analógicos e digitais; características; tipos de sensores(temperatura, pressão, nível, vazão, posição, ópticos, velocidade, aceleração, tensão,corrente e potência).10. Redes industriais: topologias; transmissão serial de sinais; meios físicos detransmissão; protocolos de comunicação industriais;Comando de tiristores; Retificaçãocontrolada; Conversores.

CÓDIGO 67 - Ciência Aplicada à agropecuaria; Administração Rural; Mercado agropecuário; Automação da produção agrícola - TAUÁ

01. Aspectos fitotécnicos relativos aos tratos culturais e fitossanitários: adubos e adubações, controle de mato, pragas e doenças.02. Exigências nutricionais e adubações; 3. Diagnosticar sintomas de deficiência e toxidez dos nutrientes;04. Classificar as fontes de fornecimento de nutrientes;05. Melhoria contínua. Conceitos, a melhoria contínua e a maturidade dos processos. Identificação de oportunidades de melhoria. Método de análise e solução de problemas. Círculos de controle da qualidade.06. Administração do tempo. Conceitos, o gestor e a administração do tempo. Técnicas de gestão e a otimização do tempo. Aspectos determinantes na economia do tempo e na produtividade do trabalho agrícola.07. Saúde e segurança no trabalho rural.08. Conceitos, medicina, segurança e direito do trabalho. Sistemas de gestão de saúde ocupacional e segurança. Política de saúde e segurança. O indivíduo e o ambiente de trabalho. Doenças profissionais mais comuns no meio rural.09. Gestão da empresa. Conceitos, a gestão estratégica como ferramenta de alavancar novos mercados. Gestão participativa. Gestão holística.10. Mecanização da agricultura; automação dos processos produtivos; sensores e atuadores; controladores lógicos programáveis aplicados à produção rural, otimização de processos.

CÓDIGO 68 - Processamento Digital de Sinais, Sistemas de Comunicação, Comunicação Móvel - TAUÁ

01. Sinais e sistemas discretos,transformada de Fourier Discreta - DFT;02. Transformada Z, Conversão Analógico-Digital,filtros digitais;03. Sistemas de Comunicações Móveis,Redes Celulares 2G,Redes GPRS, Redes 3G, Redes WLAN, Redes WiMax; 4. Sistemas de transmissão digital de hierarquia plesiócrona (PDH).05. Sistemas de transmissão digital de hierarquia sincrônica (SDH).06. Sincronização de Rede, Plataforma de transmissão WDM.07. Conceitos de probabilidade e sinais aleatórios. Correlação e densidade espectral de potência.08. Modulação e transmissão de sinais. Canais de comunicações. Propagação. Cálculo do enlace de transmissão. Efeitos do ruído na transmissão. Recepção de sinais. Demodulação da portadora.

CÓDIGO 69 - Fitotecnia e Fisiologia de Pós-colheita - TIANGUÁ

1.Cultura da cana-de-açúcar: Origem botânica, cultivares, importância econômica, clima, solo, plantio, tratos culturais, pragas e doenças, colheita e pós-colheita; - 2.Cultura do Milho: Origem botânica, cultivares, importância econômica, clima, solo, plantio, tratos culturais, pragas e doenças, colheita e pós-colheita; - 3.Cultura do feijão-caupi: Origem botânica, cultivares, importância econômica, clima, solo, plantio, tratos culturais, pragas e doenças, colheita e pós-colheita; - 4.Manejo integrado de pragas; - 5.Manejo integrado de doenças; 6.Substratos na produção de mudas de hortaliças; 7.Polpas de frutos: tipos, etapas de fabricação e controle de qualidade; - 8.Biologia e Métodos de manejo de plantas daninhas; - 9.Pós-colheita, armazenamento e processamento de frutas, hortaliças, grãos, raízes e tubérculos; - 10.Desidratação de frutos: seleção da matéria prima, características gerais e mercado.

CÓDIGO 70 - Gênese e Formação do Solo; Manejo, Fertilidade e Conservação do Solo - TIANGUÁ

1.Processos de formação dos solos; 2. Propriedades físicas de solo; 3. Procedimentos de coleta e acondicionamento de amostras de solo; 4. Matéria orgânica do solo; 5. Corretivos e fertilizantes do solo; 6. Recomendação e manejo da adubação; 7. Erosão e sertificação; 8. Manejo e Conservação do Solo; 9. Macronutrientes e micronutrientes para as plantas; 10. Integração lavoura pecuária.

CÓDIGO 71- Sociologia Geral e Rural; Economia e Administração de Empresa e Propriedade Rural; Agronegócio e Empreendedorismo - TIANGUÁ

1.Sustentabilidade e desenvolvimento rural;2.A questão agrária no Brasil;-3.Plano de negócios no setor agrícola;-4.Elaboração e avaliação de projetos agropecuários;- 5.Recursos da empresa agrícola;-6.Classificação do capital agrário e Custo de produção agropecuário;-7.Agronegócio: definição e importância;-8.Características da produção agropecuária;-9.Comercialização de produtos agroindústrias e gestão de propriedades rurais;-10.Associativismo e cooperativismo.

CÓDIGO 72 - Engenharia de Alimentos: Microbiologia de Alimentos; Fundamentos de Engenharia de Segurança; Segurança Alimentar e Legislação dos Alimentos; Bioquímica dos Alimentos; Análise Sensorial; Educação Nutricional e História da Alimentação; Panificação e Confeitaria - UBAJARA

1.Microbiologia de Alimentos; 2. Embalagens para Alimentos; 3. Matérias-Primas de Origem Vegetal: Arroz; Mandioca; Trigo; Milho; 4.Produtos das Abelhas: Produção de Mel, Própolis e Geléia Real; 5. Tecnologia de Panificação; 6.Tecnologia de Óleos e Gorduras; 7.Tecnologia do Açúcar e Derivados; 8.Tecnologia do Pescado; 9.Operações Unitárias na Indústria de Alimentos; 10.Bioquímica de Alimentos.

CÓDIGO 73 - Matemática: Matemática Básica; Fundamentos Matemáticos; Cálculo Diferencial; Cálculo Integral; Cálculo Numérico - UBAJARA

1.Funções; Trigonometria; Progressões; Matrizes e Determinantes; Sistemas Lineares; Geometria Plana-Analitico-Espacial; Polinômios e Equações Polinomiais; 2.Limites, Continuidade e Regras de Derivação; Problemas de Máximos e Mínimos; Teorema de Roole; Teorema do Valor Médio; Regra de L'hôpital; 3. Teorema Fundamental do Cálculo; Técnicas de Integração; Aplicaçações de Integral Definida; Formas Indeterminadas e Integrais Improprias; Coordenadas Polares; 4. Sequencias e Séries Infinitas; Vetores no Plano e Equações Paramétricas; Limites, Continuidade e Derivadas de Várias Variáveis; Derivadas Direcionais e Gradientes; Integração Múltipla; Teorema De Green e Integrais de Linha; 5. Equações Diferenciais de Primeira Ordem; Equação De Bernoulli; Transformada De Laplace; Equações Diferenciais Parciais; 6. Espaço Vetorial; Transformações Lineares; Autovalores e Autovetores; Diagonalização; Operadores Auto-Adjunto e Ortogonais.

CÓDIGO 74 - Gastronomia: Prática de cozinha: Técnicas de base e variações, Cozinha brasileira, Prática de serviços em Gastronomia, Cozinha Oriental; Prática de cozinha: novas tecnologias e ofertas restaurativas, Enogastronomia e harmonização de alimentos e bebidas; Práticas profissionais em Gastronomia; Prática de serviço e bar; Cozinhas do Novo Mundo; Cozinha Européia - UBAJARA

01. Gastrotécnia: princípios para aquisição, armazenamento, pré-preparo, preparo e cocção de alimentos; 02. Habilidades e técnica culinárias I: Fluxo da cozinha. Hierarquia do setor de cozinha. Uso de equipamentos e utensílios. Técnicas de trabalho de cozinha (técnicas de pré-preparo e preparo de alimentos; métodos de cocção; montagem, apresentação e decoração de pratos). Tipos de condimentos, especiarias e ervas aromáticas. Classificação e preparo de caldos e molhos. 03. Habilidades e técnicas culinárias II: tipos de cortes, elaboração e preparação de pratos com: carnes, aves, pescado e produtos derivados. 04. Cozinha brasileira: visão geral histórica; aspectos regionais; produtos e ingredientes utilizados; pratos típicos por região e preparação de pratos. 05. Cozinha nordestina: visão geral histórica; aspectos regionais; produtos e ingredientes utilizados; pratos típicos e preparação de pratos. 06. Cozinha internacional: européias e mediterrânea, asiática e americana: visão geral histórica; aspectos regionais; produtos e ingredientes utilizados; pratos típicos por países e preparação de pratos. 07. Cozinha fria: saladas (classes e contemporâneas); emulsões e molhos; pratos frios. 08. Confeitaria e doçaria: arte com açúcar e chocolate, sobremesas com frutas e sorvetes, musses e merengues, confecção de massas, cremes, doces finos para eventos; confeitaria internacional. 09. Cozinha alternativa: gastronomia molecular, culinária light e diet, culinária vegetariana; macrobiótica. 10. Planejamento de cardápios: regras para elaboração de cardápio, recomendações para uma alimentação equilibrada, cardápios institucionais e comerciais, provisão de gêneros - listas de especificações de materiais, controle de custo, elaboração de cardápios de diversos tipos de cozinha para café da manhã e coquetéis.

CÓDIGO 75 -Nutrição: Nutrição Humana; Vigilância em Saúde; Políticas e Programas de alimentação e nutrição; Avaliação nutricional básica; Avaliação nutricional avançada; Nutrição básica - UBAJARA

1.Nutrição e Dietética: Planejamento dietético para indivíduos sadios; 2. Técnicas dietéticas: Técnicas adequadas para aquisição, seleção, conservação, preparação e armazenamento dos alimentos; 3.Nutrição em Saúde: Obesidade e Carências Nutricionais; 4. Alimentação Institucional: Controle de custos em unidades de Alimentação e Nutrição; 5.Alimentos Funcionais: Propriedades funcionais em alimentos vegetais; 6.Controle de Qualidade em Serviços de Alimentação; 7.Preservação de Alimentos; 8.Elaboração e Avaliação da Rotulagem Nutricional; 9. Restrições Alimentares; 10.Processo completo da nutrição: Ingestão, digestão, absorção, anabolismo, catabolismo e excreção de alimentos.

CÓDIGO 76 - Informática: Informática básica; Lógica e Linguagem da programação I e II; Informática Aplicada; Desenho assistido por computador - CAD - UBAJARA

01. Aplicativos Básicos - Windows, Excel, Word, PowerPoint, Internet. 02. Fundamentos de Software, Hardware e Arquitetura de Computador. 03. Fundamentos de Redes de Computadores. 04. Aplicativos de computação Gráfica. 05. Lógica de Programação, Técnicas Avançadas de Programação e Desenvolvimento de Projetos. 06. Fundamentos de Analise de Sistemas e de Segurança da Informação. 07. Documentação de Sistemas. Sistemas Operacionais. 08. Fundamentos de Bancos de Dados. 09. Linguagem de Programação 1 e 2. 10. Fundamentos de Programação para Web e Sistemas Para internet.

ANEXO III

TABELA SALARIAL DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLOGICO. (CLASSE D I - NÍVEL 1)

ESPECIFICAÇÃO

REGIME DE TRABALHO 40 HORAS

VENCIMENTO BÁSICO

1.115,02

GEDBT

1.015,31

RETRIBUIÇÃO POR TITULAÇÃO

ESPECIALIZAÇÃO

135,45

MESTRADO

652,64

DOUTORADO

1.548,41

TOTAL com especialização (R$)

2.265,78

TOTAL com mestrado (R$)

2.782,97

TOTAL com doutorado (R$)

3.678,74