FAFIPA - Fac. Est. Educação, Ciências e Letras de Paranavaí - PR

FAFIPA - FACULDADE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E LETRAS DE PARANAVAÍ

ESTADO DO PARANÁ

EDITAL Nº 001/2010-CECP

Notícia:   Faculdade Estadual de Paranavaí - FAFIPA oferece 9 vagas para Professor

A FACULDADE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E LETRAS DE PARANAVAÍ, FAFIPA, entidade autárquica, com sede à Av. Gabriel Esperidião, s/nº - Caixa Postal, 306 - CEP 87.703-000 - PARANAVAÍ - PARANÁ, através da Presidente da Comissão Especial de Concurso Público, Professora Ms. Nilva de Oliveira Brito dos Santos, no uso de suas atribuições conferidas pela Portaria nº 010/2010-DG de 17/05/2010, considerando: o Decreto Estadual nº 2.508/04 que aprova Regulamento Geral de Concurso Público na Administração Direta e Autarquias do Estado do Paraná, o Protocolo nº 10335.913-9; o Parecer nº 1535/2010 do CTJ/CC - Coordenadoria Jurídica da Casa Civil e o Decreto nº 6841 publicado no DIÁRIO Oficial do Estado do Paraná de 27/04/2010. TORNA PÚBLICO: O presente edital que estabelece as instruções para a realização de Concurso Público para a Carreira do Magistério Público do Ensino Superior do Paraná nas classes de Professor Auxiliar, Professor Assistente e Professor Adjunto, nos termos da Lei Estadual nº 11.713 de 07 de maio de 1997, com alteração dada pela Lei Estadual nº 14.825 de 12 de setembro de 2005 e 15.944 de 09 de setembro de 2008, conforme disposto no presente Edital e seus anexos:

1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1 O Concurso Público será regido por este Edital e pela Resolução nº 019/2010-CCD de 17.05.2010, do Conselho de Coordenadores de Cursos, disponíveis no endereço eletrônico www.fafipa.br.

1.2 Cabe ao candidato observar as normas estabelecidas neste Edital e na Resolução nº 019/2010-CCD de 17.05.2010, do Conselho de Coordenadores de Cursos, disponíveis no endereço eletrônico www.fafipa.br.

1.3 O Concurso Público de que trata este Edital será constituído de prova escrita, prova didática, e avaliação de curriculum vitae, conforme especificado para cada área de conhecimento constante do item 2 (dois) deste Edital.

1.4 A inscrição implicará o conhecimento das presentes instruções por parte do candidato e o compromisso tácito de aceitação das condições do Concurso Público, tais como aqui se acham estabelecidas.

1.5 A reserva de vaga para as pessoas portadoras de necessidades especiais (Lei Estadual nº13456/02) e afrodescendentes (Lei Estadual nº14.274/03) não está prevista neste Edital por não conter área de conhecimento com oferta de vaga igual ou superior a 05 (cinco).

2 DAS ÁREAS DE CONHECIMENTO, NÚMERO DE VAGAS, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS E TIPOS DE PROVA

COLEGIADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Área:

Administração

Nº de Vagas:

01 (uma)

Carga Horária:

40 horas semanais

Requisitos:

Graduação em Administração

Especialista ou Mestrando em Administração

Tipos de Prova:

Escrita, Didática e Avaliação de Curriculum Vitae.

COLEGIADO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Área:

Educação Física

Nº de Vagas:

01 (uma)

Carga Horária:

40 horas semanais

Requisitos:

Graduação em Educação Física

Mestrando em Educação Física ou áreas afins

Tipos de Prova:

Escrita, Didática e Avaliação de Curriculum Vitae.

COLEGIADO DO CURSO DE ENFERMAGEM

Área:

Enfermagem

Nº de Vagas:

03 (três)

Carga Horária:

40 horas semanais

Requisitos:

Graduação em Enfermagem

Mestrando em Enfermagem ou áreas afins

Tipos de Prova:

Escrita, Didática e Avaliação de Curriculum Vitae.

COLEGIADO DO CURSO DE HISTÓRIA

Área:

História

Nº de Vagas:

02 (duas)

Carga Horária:

40 horas semanais

Requisitos:

Graduação em História

Mestre em História ou áreas afins

Tipos de Prova:

Escrita, Didática e Avaliação de Curriculum Vitae.

COLEGIADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

Área:

Educação

Nº de Vagas:

01 (uma)

Carga Horária:

40 horas semanais

Requisitos:

Graduação em Pedagogia ou áreas afins

Mestre em Educação

Tipos de Prova:

Escrita, Didática e Avaliação de Curriculum Vitae.

COLEGIADO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

Área:

Serviço Social

Nº de Vagas:

01 (uma)

Carga Horária:

40 horas semanais

Requisitos:

Graduação em Serviço Social

Mestrando em Serviço Social ou áreas afins

Tipos de Prova:

Escrita, Didática e Avaliação de Curriculum Vitae.

3 DOS REQUISITOS BÁSICOS PARA INVESTIDURA NO CARGO DE PROFESSOR DE ENSINO SUPERIOR

a. Ser brasileiro nato ou naturalizado.

b. Ter idade mínima de 18(dezoito) anos.

c. Comprovar o requisito exigido para o exercício do cargo de Professor de Ensino Superior.

d. Documento de identificação

e. Estar quite com as obrigações militares.

f. Estar no gozo dos direitos políticos.

g. Ser portador de Cadastro de Pessoa Física (CPF).

h. Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.

i. Ter disponibilidade para o horário de trabalho, o qual deverá atender às necessidades do colegiado requisitante, podendo ser no período matutino e/ou vespertino e/ou noturno.

j. Não ter sido demitido de cargo, emprego ou função pública.

k. Registro no Conselho Regional Profissional se houver.

4 DOS PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO

4.1 As inscrições serão recebidas no Protocolo Geral da Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí nos dias 24, 25, 26, 27, 28, 29 e 31 de maio de 2010, no horário das 8h às 11h e das 14h às 16h30min.

4.2 As inscrições poderão ser feitas pessoalmente, por intermédio de procurador ou via correio.

4.2.1 A inscrição feita via correio somente será aceita se recebida pelo Protocolo Geral da FAFIPA até as 16 horas do dia 31/05/2010.

4.2.2 A inscrição que chegar ao Protocolo Geral da FAFIPA após o prazo estabelecido no subitem anterior será indeferida.

4.2.3 A inscrição e os documentos encaminhados pelo correio deverão ser postados para a Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí, Av. Gabriel Esperidião, s/nº - Caixa Postal, 306 - CEP 87.703-000 - PARANAVAÍ - PARANÁ A/C Protocolo Geral com a referência, "Concurso Público para Professor não titular, do Ensino Superior do Paraná - Edital nº001/2010-CECP

4.3 O pedido de inscrição deverá ser feito através de requerimento protocolado (Ficha de Inscrição), disponível no endereço eletrônico www.fafipa.br, devendo ser instruído com os seguintes documentos:

a. Fotocópia autenticada dos comprovantes dos requisitos exigidos, específicos para cada área de conhecimento;

b. Certidão de quitação eleitoral;

c. Fotocópia autenticada de documento que comprove ser brasileiro nato ou naturalizado.

d. Comprovante de recolhimento da taxa de inscrição, no valor de R$150,00 (Cento e cinquenta reais). O recolhimento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o último dia de inscrição (31/05/2010), em qualquer agência bancária ou casas lotéricas credenciadas pela Caixa Econômica Federal, mediante a apresentação da Ficha de Compensação disponível no protocolo da FAFIPA, ou o candidato deverá solicitar a mesma, via e-mail (fafipa@fafipa.pr.gov.br), que deverá ser impressa pelo candidato.

e. Declaração assinada (contida na Ficha de Inscrição) e que se submete a todos as condições deste Edital e da Resolução nº 019/2010-CCD de 17.05.2010, que regulamenta o Concurso Público para professor não titular.

f. Currículo documentado (com fotocópias) que deverá ser apresentado, preferencialmente, com a seguinte ordem de documentos: primeiro os constantes subitem 4.3, letras "a", "b", "c" e "d" e, na sequência os demais documentos comprobatórios para avaliação e pontuação. O currículo deverá ser encadernado, preferencialmente, em espiral.

5 DA HOMOLOGAÇÃO DA INSCRIÇÃO

5.1 As inscrições serão recebidas no Protocolo Geral da FAFIPA e encaminhadas à Comissão Especial de Concurso Público, que dará vistas, e enviará aos Colegiados de Cursos, que procederão à análise para a devida homologação ou não, pela Direção.

5.1.1 A Comissão Especial de Concurso Público divulgará o resultado da análise das inscrições por meio de Edital, até o dia 02/06/2010.

5.1.2 Do resultado da análise das inscrições caberá pedido de reconsideração ao Colegiado de Curso, com efeito suspensivo, no prazo máximo de 3 (três) dias úteis contados da data de publicação do edital de homologação.

5.1.3 O Conselho de Coordenadores de Cursos decidirá sobre o pedido de reconsideração e divulgará o resultado, em edital, no prazo de 02 (dois) dias úteis, contados a partir da data do pedido, no Quadro de Edital da FAFIPA.

6 DAS PROVAS

6.1 Somente poderão submeter-se às provas os candidatos que tiverem a inscrição homologada, que atenderem às exigências deste Edital e que estiverem portando documento de identificação oficial, com foto.

6.2 O Concurso Público constará de:

a. Prova Escrita, com caráter eliminatório;

b. Prova Didática;

c. Análise e Avaliação do Curriculum Vitae.

6.3 A lista dos temas do conteúdo programático de cada área, objeto deste Concurso Público para as provas, consta no Anexo II do presente Edital.

6.4 DA PROVA ESCRITA

6.4.1 A Prova Escrita, com caráter eliminatório, simultânea para todos os candidatos à mesma área de conhecimento, objeto do Concurso Público, versará sobre tema(s), com sorteio no momento da Prova por um dos candidatos, perante a Banca Examinadora, de uma lista de temas ou questões do conteúdo programático, conforme especificações no Anexo II para cada área e terá a duração de 4h (quatro horas), incluindo o tempo de consulta.

6.4.1.1 O Candidato terá 30 (trinta) minutos para consulta no próprio local de aplicação da prova, sendo vedado qualquer tipo de consulta após este período.

6.4.1.2 A Prova Escrita será realizada no dia 14/06/2010, às 8h e a Prova Didática a partir do dia 15/06/2010.

6.4.2 A Prova Escrita terá seu início com o referido sorteio, não sendo mais admitido o ingresso, ou saída, de nenhum candidato do local da prova, independentemente de qualquer motivo alegado.

6.4.3 Caberá a cada um dos membros da Banca Examinadora atribuir a sua nota, na escala de 0 (zero) a 10 (dez) e a nota final será a média aritmética das mesmas.

6.4.4 O candidato que não obtiver a média mínima 7,0 (sete) na Prova Escrita será eliminado, ficando impedido de prestar as demais provas.

6.4.5 O resultado da avaliação da Prova Escrita será publicado por meio de Edital, a ser afixado no Quadro de Editais da Instituição.

6.4.6 As cópias das provas escritas serão afixadas no Quadro de Edital da Instituição, sendo permitida a obtenção de fotocópia somente de sua prova.

6.4.7 Contra o resultado da Prova Escrita caberá pedido de reconsideração, protocolizado no Protocolo Geral da FAFIPA, devidamente fundamentado,dentro do prazo de 72 (setenta e duas) horas, a contar da hora da publicação do edital mencionado no item 6.4.5 deste Edital, respeitando-se o dia útil para efeito de utilização do prazo, devendo a Banca Examinadora analisá-lo nas 24 (vinte e quatro) horas seguintes lavrar ata circunstanciada de sua decisão e publicá-la em Quadro de Edital na FAFIPA.

6.5 DA PROVA DIDÁTICA

6.5.1 A Prova Didática, aberta ao público versará sobre um tema do programa, ou questão do conteúdo programático, sorteado pelo candidato.

6.5.2 Cada candidato sorteará publicamente seu tema ou questão do conteúdo programático para Prova Didática, no dia da realização da Prova Escrita, perante os membros da Banca Examinadora.

6.5.3 Excluído o tema ou questão do conteúdo programático abordado na Prova Escrita, todos os demais temas ou questão do conteúdo deverão estar presentes em todos os sorteios para a Prova Didática. Serão feitos tantos sorteios quantos forem necessários.

6.5.4 O primeiro sorteio estabelecerá a ordem segundo a qual os candidatos se submeterão à Prova Didática.

6.5.5 A Prova Didática será pública, exceto para os candidatos concorrentes.

6.5.6 Iniciada a Prova Didática, não será permitida a entrada do público. A Prova Didática compreenderá parte expositiva, com duração de até 60 (sessenta) minutos, sobre o tema sorteado pelo candidato, seguida de arguição pela Banca Examinadora de no máximo 10 (dez) minutos.

6.5.7 O não comparecimento do candidato, por qualquer motivo para a realização da Prova Didática, até o início da hora marcada, implicará sua desclassificação automática e irrecorrível no presente concurso.

6.5.8 Ao iniciar a Prova Didática, o candidato deverá apresentar o Plano de Aula em 3 (três) vias à Banca Examinadora.

6.5.9 O candidato que não entregar o Plano de Aula, no início da Prova Didática, será automaticamente desclassificado.

6.5.10 Durante a parte expositiva o candidato não poderá ser interrompido sob qualquer forma ou pretexto.

6.5.11 A avaliação da Prova Didática será efetuada pela Banca Examinadora, cabendo a cada um de seus membros atribuir a sua nota, na escala de 0 (zero) a 10 (dez).

6.5.12 A nota da Prova Didática será a média aritmética das notas atribuídas pelos membros da Banca Examinadora, na escala de 0 (zero) a 10 (dez).

6.5.13 O candidato que não obtiver a média mínima 5,0 (cinco) na Prova Didática será eliminado.

6.5.14 Encerrada a Prova Didática, a Comissão Organizadora do Concurso Público providenciará a publicação das notas no Quadro de Edital da FAFIPA.

6.6 DA ANÁLISE E AVALIAÇÃO DO CURRICULUM VITAE

6.6.1 A avaliação do Curriculum Vitae será em conformidade com a Tabela constante no Anexo III, do presente Edital.

6.6.2 A análise e avaliação do Curriculum Vitae dos candidatos será realizada pela Banca Examinadora, em sessão reservada.

6.6.3 A nota final de Análise e Avaliação do Curriculum Vitae de cada candidato, na Escala de 0 (zero) a 10 (dez ), será calculada, tomando por base a pontuação obtida conforme a tabela de Pontuação para avaliação de títulos, Anexo III do presente Edital.

7 DO RESULTADO FINAL

7.1 A média final das provas será calculada obedecendo à seguinte pontuação:

a. Prova Escrita ____ x4

b. Prova Didática ___ x3

c. Análise e Avaliação do Curriculum Vitae ___x3

7.2 O somatório dos resultados será dividido por 10 (dez), com uma casa decimal utilizando a regra universal de aproximação: quando o segundo número subsequente à vírgula for de 0 (zero) a 4 (quatro), permanece o primeiro número subsequente à vírgula; quando o segundo número subsequente à vírgula for de 5 (cinco) a 9 (nove), o primeiro número subsequente à vírgula será acrescido de uma unidade.

7.3 Para os resultados parciais não haverá arredondamento.

7.4 Será considerado aprovado o candidato que obtiver a nota final igual ou superior a 7,0 (sete vírgula zero).

7.5 Os candidatos serão classificados de acordo com a ordem decrescente da nota final obtida.

7.6 Em caso de empate, será dada preferência para fins de classificação ao candidato que apresentar maior:

a. Nota na prova escrita;

b. Nota na Prova Didática;

c. Pontuação na Análise e Avaliação do Curriculum Vitae;

d. Idade.

7.7 O resultado final deste Concurso Público será publicado conforme relação dos candidatos habilitados por ordem de classificação para as vagas oferecidas nas respectivas áreas, no Diário Oficial do Estado do Paraná, bem como estará à disposição dos interessados no Quadro de Edital da FAFIPA.

7.8 Após a publicação do Resultado Final deste Concurso Público, poderão ser interpostos recursos no prazo de 2 (dois) dias úteis, contados a partir da data da publicação à Direção da FAFIPA.

7.8.1 Nos casos de manifesta irregularidade ou ilegalidade, a Direção poderá nomear Comissões Especiais e requerer encaminhamentos e diligências que se fizerem necessárias.

7.8.2 A homologação do resultado final do Concurso Público será feita pela Secretaria de Estado e Previdência do Estado do Paraná.

7.8.3 A aprovação em Concurso Público não implicará a obrigatoriedade de nomeação do candidato.

8 DA BANCA EXAMINADORA

8.1 As Bancas Examinadoras serão compostas por três titulares e dois suplentes, e em ambos os casos pelo menos (01) um dos membros deverá ser de outra Instituição, podendo a presidência ser alterada conforme decisão de seus pares.

8.2 A Banca Examinadora será constituída por membros com grau de titulação igual ou superior ao nível de pós-graduação exigido nos requisitos mínimos.

8.3 As Bancas Examinadoras serão indicadas pelos Conselho de Coordenadores de Cursos, aprovadas pelo Colegiado de Curso e homologadas pela Direção da Instituição.

8.4 Após homologação pela Direção, as Bancas Examinadoras serão publicadas no Diário Oficial do Estado.

8.5 Não poderão participar da Banca Examinadora, parentes consanguíneos ou afins dos candidatos até o terceiro grau de parentesco, bem como aqueles que de alguma forma estiverem impedidos.

9 DA CONVOCAÇÃO E NOMEAÇÃO

9.1 A convocação para nomeação dos candidatos contendo a relação de documentos e a relação de exames admissionais para inspeção médica, a serem providenciados pelos convocados, será publicada em Edital e no Diário Oficial do Estado do Paraná.

9.2 O candidato convocado pelo edital previsto no item anterior terá prazo não inferior a 10 (dez) dias úteis para providenciar os documentos, exames laboratoriais, consultas admissional com o médico do trabalho e comparecer à Seção de Pessoal munido dos documentos requisitados.

9.3 O candidato que deixar de comparecer no prazo previsto no Edital mencionado perderá automaticamente a vaga. Não será permitida a reclassificação.

9.4 Na avaliação médica o candidato deverá ser considerado apto para ser nomeado. Se o laudo médico acusar inaptidão permanente para o exercício do cargo, o candidato será automaticamente eliminado do Concurso Público.

9.5 A nomeação do convocado se dará após resultado da inspeção médica e será publicada no Diário Oficial do Estado de Paraná.

9.6 A convocação obedecerá à ordem classificatória e a nomeação será efetivada no nível inicial das diferentes classes da carreira docente, de acordo com as normas vigentes.

9.7 Para a posse será exigido do candidato:

a. Declaração de acúmulo de cargo ou negativa de acumulação;

b. Declaração de bens e valores que compõem o seu patrimônio privado.

10 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

10.1 O enquadramento na carreira docente dar-se-á pelo maior título apresentado como requisito em cada área de conhecimento.

10.2 O enquadramento será por classe, na referência inicial "A" assim constituído:

a. Professor Auxiliar - graduado ou especialista;

b. Professor Assistente - com título de mestre;

c. Professor Adjunto - com título de doutor.

10.3 O vencimento mensal com base em carga horária semanal de 40 horas, em vigor, é:

CLASSE

TIDE

T-40

Salário base

Com adicional de titulação

Salário base

Com adicional de titulação

Professor Auxiliar (graduado)

R$ 2.632,55

-

R$ 1.698,42

-

Professor Auxiliar (especialista)

R$ 2.632.55

R$ 3.159,06

R$ 1.698,42

R$ 2.038,10

Professor Assistente

R$ 3.027,43

R$ 4.389,78

R$ 1.953,18

R$ 2.343,82

Professor Adjunto

R$ 3.804,38

R$ 6.657,67

R$ 2.454,44

R$ 4.295,27

10.4 Poderá ser concedido o regime de TIDE (Tempo Integral e Dedicação Exclusiva) para os professores de todas as classes, desde que atendidas às normas contidas no Regulamento de Tempo Integral e Dedicação Exclusiva da FAFIPA, do Conselho de Coordenadores de Cursos da FAFIPA.

10.5 O prazo de validade do concurso será de 2 (dois) anos improrrogáveis, contados da data de publicação da homologação do resultado final no Diário Oficial do Estado do Paraná.

10.6 O candidato aprovado deverá manter seu endereço atualizado durante a validade do presente Concurso Público junto à Seção de Pessoal da FAFIPA.

10.7 Surgindo novas vagas durante o período de validade do presente Concurso Público, na mesma área, conforme necessidade da Instituição, os candidatos aprovados poderão ser convocados, observada a ordem de classificação e demais exigências normativas.

10.8 No ato da assinatura do Termo de Posse o nomeando firmará declaração de que não acumula cargo, emprego ou função pública.

10.8.1 Na hipótese de acúmulo legal, contemplado no artigo 37, inciso XVI da Constituição Federal e artigo 27, inciso XVI da Constituição do Estado do Paraná, o nomeado firmará declaração de acúmulo legal de cargos, à qual anexará informação dos horários de suas atividades emitida pelo respectivo órgão.

10.9 Não será permitida a nomeação de candidatos que tenham sido exonerados (estatutários) ou dispensados por justa causa (celetistas) de cargo ou emprego público nos últimos 5 (cinco) anos, a contar da data de demissão.

10.10 No ato da admissão, o candidato aprovado deverá firmar declaração de que não incorre em tal hipótese, sob pena de nulidade do ato de nomeação.

10.11 Quando da nomeação, o docente será lotado no respectivo Colegiado de Curso, não o vinculando em disciplina específica.

10.12 Os candidatos não aprovados, ou que tiveram suas inscrições indeferidas, poderão retirar as fotocópias dos documentos apresentados para inscrição, até 120 (cento e vinte) dias após o encerramento do Concurso Público, observando-se os prazos para recurso.

10.13 Os candidatos aprovados e não convocados poderão retirá-las até 30 (trinta) dias após a data de vencimento do prazo de validade do Concurso. Decorridos os prazos ora citados os documentos serão incinerados.

10.14 O candidato, no ato da inscrição, declara submeter-se aos termos e a todas as demais condições definidos pelo presente Edital.

10.15 São partes integrantes deste Edital os seguintes anexos:

ANEXO I - FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ANEXO III - PONTUAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE TÍTULOS

10.16 Casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora.

Paranavaí, 19 de maio de 2010

Nilva de Oliveira Brito dos Santos
Presidente
Portaria nº 010/2010-DG

CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR NÃO TITULAR

ANEXO I - FICHA DE INSCRIÇÃO

O(a) abaixo assinado(a), em comprimento ao Edital nº001/2010-CECP, requerer sua inscrição no Concurso Público para provimento no cargo de Professor de Ensino Superior, para a vaga abaixo especificada, anexando os documentos necessários conforme registro a seguir:

IDENTIFICAÇÃO PESSOAL

Nome:

Sexo: Feminino

Masculino:

Estado Civil:

Data de Nascimento:__/___/____

Nacionalidade:

Endereço:

Bairro:

Cidade:

UF:

CEP:

Telefones:

Residencial:

Celular:

Comercial:

e-mail:

 

Área de conhecimento que requer:

Colegiado:

DECLARAÇÃO

Declaro, para os devidos fins, preencher os requisitos exigidos para a inscrição e possuir os documentos comprobatórios dos mesmos (originais), os quais deverão ser apresentados em caso de nomeação, e que me submeto a todas as condições do Regulamento do Concurso Público para Professor de Ensino Superior da Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí, especificadas no Edital nº 001/2010- CECP, e a demais normas estabelecidas pela FAFIPA.

Declaro ainda serem verdadeiras as informações prestadas, responsabilizando-me pelas mesmas.

Paranavaí, ____/____/____

_________________
Assinatura do candidato

INDEFERIDO,

Por não atender ao

Paranavaí, ____/____/____

__________________________
Coordenador de Curso

DEFERIDO,

Por atender ao contido no Edital n.º 001/2010-CECP e Resolução nº 019/2010-CCD

Paranavaí, ____/____/____

___________________________
Coordenador de Curso

Homologação ou não Inscrição

[_] Deferido

[_] Indeferido

Paranavaí,___/___/___

Antônio Rodrigues Varela Neto
Diretor
Decreto 4827/2010

CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR NÃO TITULAR

ANEXO II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

COLEGIADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Área:

Administração

TEMAS:

1. Evolução do Pensamento Administrativo.

2. Gestão da Produção.

3. Gestão Mercadológica.

4. Gestão de Pessoas.

5. Empreendedorismo.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA:

CHURCHILL Gilbert A.; PETTER, J. Paul. Marketing: criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva, 2000.

DIAS, Marco Aurélio. P. Administração de materiais: uma abordagem logística. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 1993.

DIAS, Sergio R. (Org.) Gestão de marketing. São Paulo: Saraiva, 2003.

FiLION, L. Jacques. Um roteiro para desenvolver o empreendedorismo. Disponível em: < http://www.oei.es/etp/roteirodesenvolverempreendedorismofilion.pdf>. Acesso em 15 mai. 2010.

FLEURY, Maria T. L. As pessoas na Organização. São Paulo: Editora Gente.

HISRICH, R. D.; PETERS, M. P. Empreendedorismo. 5. ed. São Paulo: Brookman, 2004.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 10. Ed. São Paulo: Prentice-Hall, 2000.

MARTINS, Petrônio G.; LAUGENI, Fernando P. Administração da Produção. São Paulo: Saraiva: 2005.

MILKOVICH, George; BOUDREAU, John W. Administração de Recursos Humanos. São Paulo: Atlas.

PRESTES MOTTA, Fernando C. Teoria geral da administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.

PRESTES MOTTA, Fernando; VASCONCELOS, Isabella. Teoria geral da administração. 3 ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

SLACK, Nigel; CHAMBERs, Stuart; JOHNSTON, Robert. Administração da produção. São Paulo: Atlas, 2002.

STONER, James A.; FREEMAN, R. Edward. Administração. 5.ed. Rio de Janeiro: Prentice-Hall do Brasil, 1985.

COLEGIADO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Área:

Educação Física

TEMA:

1. Finalidades, objetivos e funções do ensino superior: indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.

2. Diretrizes curriculares para a formação de professores e profissionais de Educação Física: pressupostos; fundamentos; campos de conhecimento.

3. Teorias da educação: conservadoras, críticas e pós-críticas.

4. Corpo, educação e educação física: o corpo na educação; contextualização histórico-social e concepções de corpo na educação física brasileira.

5. A educação e a educação física na contemporaneidade: papel do professor/profissional, saberes e desafios diante do contexto atual.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA:

BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Cadernos CEDES.1999, v. 19, n. 48, pp. 69-88. <http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v19n48/v1948a05.pdf>

BRASIL. LEI 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996

BRASIL. Resolução n. 2, de 11 de setembro de 2001. Institui as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Básica. Brasília, 2001. Disponível em: <www.mec.gov.br

BRASIL. PCN - Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/ SEF, 1998.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

DAOLIO, J. Educação Física Escolar: Uma abordagem cultural. In Piccolo, Vilma Lení (org.) Educação Física Escolar: Ser...ou não ter? Campinas: UNICAMP. 49-57, 1993.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 2008.

PARANÁ, Secretária de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares do Paraná. SEED/DEB. Curitiba, 2007.

SAVIANI, Demerval. Escola e democracia. São Paulo: Autores Associados, 2008.

SOARES, C. L. Do Corpo, da Educação Física e das muitas Histórias. Movimento (Niterói), Porto Alegre, v. 9, n. 3, p. 125-147, 2003.

COLEGIADO DO CURSO DE HISTÓRIA

Área:

História

TEMA:

1. O Estado absolutista e a economia mercantilista

2. Livre mercado e as revoluções burguesas

3. A expansão portuguesa e a formação do império ultramarino

4. Engenhos e escravos na América Portuguesa

5. Economia e sociedade na América Espanhola Colonial.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA:

ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado Absolutista. Porto: Afrontamento, 1984.

BETHELL, Leslie (Org.) História da América Latina. A América Latina Colonial. Vols. I e II. 2ª Ed. São Paulo: Edusp; Brasília, DF: Fundação Alexandre Gusmão, 1998.

BOXER, Charles R. O império colonial português, 1415-1825. (trad) Lisboa, Edições 70, 1981

BURKE, Peter. A Fabricação do Rei. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

CHAUNU, Pierre. História da América Latina. Difel: São Paulo, 1964.

DEYON, Pierre. O mercantilismo. São Paulo: Perspectiva,1985.

HALPERÍN DONGHI, Túlio. História da América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

Hill, Christopher. A revolução inglesa de 1640. Portugal: Ed. Presença; Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1977.

_______________ . A bíblia inglesa e as revoluções do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

_______________ . O mundo de Ponta Cabeça. São Paulo: Cia das Letras, , 1987.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 1999.

LAPA, José Roberto do Amaral. Economia Colonial. São Paulo: Perspectiva, 1973.

LINHARES, Maria Yedda. (org.) História Geral do Brasil. Rio de Janeiro. Campus, 1990. A, Carlos Guilherme (Org.) Brasil em Perspectiva. São Paulo: Editora Perspectiva, 1972.

MOTA, Carlos Guilherme (Org.) Brasil em Perspectiva. São Paulo: Editora Perspectiva, 1972.

NOVAIS. Fernando A., Estrutura e Dinâmica do Antigo Sistema Colonial (séculos XVI-XVIII). São Paulo: Brasiliense, 1986.

_______________ (Coord.). História da Vida Privada no Brasil. (Vol. I). São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

PRADO JR. Caio. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo, Brasiliense-Publifolha, 2000.

SCHWARTZ, Stuart B. Segredos Internos: engenhos e escravos na Sociedade Colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SCHWARTZ, Stuart B; MYRUP, Erik. (Orgs.). O Brasil no Império Marítimo português. Bauru, SP: EDUSC, 2009.

SCHWARTZ, Stuart B. & LOCKHART, James. A América Latina na época colonial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

SMITH, ADAM. A Riqueza das Nações. Investigação sobre sua natureza e suas causas. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. Tradução de. Renato Janine Ribeiro. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

SOBOUL, ALBERT. História da Revolução Francesa. RJ: Zahar, 1981.

TOCQUEVILLE, ALEXIS. O Antigo Regime e a Revolução. 4º Ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997.

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América. A questão do outro. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

VAINFAS, Ronaldo. Economia e sociedade na América Espanhola. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

COLEGIADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

Área:

Educação

TEMAS:

1. Relação educação e sociedade com análise estrutural das diversas áreas, possibilitando a interpretação do papel que tem sido atribuído à educação na sociedade brasileira.

2. O processo de produção do conhecimento humano como um agente histórico na evolução social desencadeando o desenvolvimento científico-tecnológico.

3. As formas de organização política do mundo contemporâneo e sua relação com a política educacional brasileira.

4. O papel da instituição escolar enquanto espaço de formação do professor e do educando em um cidadão transformador na sociedade.

5. Do homem no mundo (axiologia e ética), e as consequências desta relação para sua prática profissional/compreensão e vivência da filosofia como reflexão humana sistemática sobre a complexidade do mundo(epistemologia).

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA:

BERGER,P.LUCKMANN,T. A construção social da realidade. Petrópolis: vozes, 1985.

GADOTTI, M. Concepção Dialética da Educação. S,P: Cortez Assossiados, 1986.

PETITAT,A. Produção da escola, produção da sociedade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

GRAMSCI, A. Concepção Dialética da História. R.J.: Civilização Brasileira, 1981.

MARQUES, Mario Osório. Formação do profissional da educação. Ijuí: Ed. INIJUÌ, 2000.

SAVIANI, D. Educação : do senso comum à consciência filosófica. S.P. : Cortez, 1982.

LEWGOY, A. M. B,. Supervisão de Estágio em Serviço Social: desafios para a formação e o exercício profissional. Cortez: São Paulo, 2009.

MOTA, A. E. et. al. Orgs Serviço social e saúde formação e trabalho profissional. São Paulo:Cortez;

Brasília OPAS, OMS ministério da saúde 2008.

NETTO, J. P. "Transformações societárias e serviço social - notas para uma análise propositiva da profissão no Brasil "In: Serviço Social e Sociedade, nº 50. São Paulo: Cortez, Abril, 1996.

POTYARA, A.P.P. Trajetória das políticas sociais: da velha lei dos pobres ao Welfare State. São Paulo: Cortez, 2008.

RIZOTTI, A.M.L. Estado e Sociedade Civil na Historia das Políticas Sociais Brasileiras. Revista Semina, v. 22. Setembro/2001

CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR NÃO TITULAR

ANEXO III - TABELAS DE PONTUAÇÃO PARA ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE CURRICULUM VITAE

(CURRICULUM VITAE COM PRODUÇÃO DOS ÚLTIMOS 5 ANOS)

TABELA 01: PONTUAÇÃO NÃO CUMULATIVA, DEVENDO SER CONSIDERADA A TITULAÇÃO MAIOR

Máxima: 4 pontos

1. FORMAÇÃO ACADÊMICA

PONTUAÇÃO

a.

Doutorado (na área)

4,00

b.

Doutorado (fora da área)

3,50

c.

Mestrado (na área)

3,00

d.

Mestrado (fora da área)

2.50

e.

Créditos completos de doutorado

1,50

f.

Créditos completos de Mestrado

1,00

g.

Especialista

0,50

TABELA 02: PONTUAÇÃO CUMULATIVA (Máximo: 2,0 pontos)

2. ATIVIDADES DOCENTES UNIVERSITÁRIAS

PONTUAÇÃO POR ITENS

PONTUAÇÃO MÁXIMA POR BLOCO

a. Magistério superior na graduação

0,20 por ano

1,00

b. Magistério superior na pós graduação

0,25 a cada 30 horas

1,00

c. Docência em cursos de atualização e capacitação

0,20 a cada 30 horas

1,00

d. Orientação de projetos (concluídos):

0,10 por projeto

 

- Iniciação científica

0,10 por projeto

 

- Monografia de especialização

0,10 por projeto

1,00

- Dissertação

0,20 por projeto

 

- Tese

0,25 por projeto

 

e. Participação em bancas examinadoras:

 

0,30

- De concurso ao magistério superior

0,05 por banca

 

- De defesa de trabalho (livre-docência)

0,20 por banca

 

- De defesa de trabalho (doutorado)

0,15 por banca

 

- De defesa de trabalho (mestrado)

0,15 por banca

 

- De defesa de trabalho (especialização)

0,05 por banca

 

f. Coordenação de Cursos de Graduação e pós-graduação

0,05 por curso

0,10

g. Coordenação de Projetos de Extensão

0,05 por projeto

0,20

TABELA 03: PONTUAÇÃO CUMULATIVA (Máximo 2,5 pontos)

3. TRABALHOS E PUBLICAÇÕES NA ÁREA

PONTUAÇÃO POR ITENS

PONTUAÇÃO MÁXIMA

a. Autor e/ou coautor de livros editados indexados

1,00 por livro

2,00

b. Autor e/ou coautor de livros editados não-indexados

0,50 por livro

1,00

c. Colaborador, organizador ou tradutor de livros editados (ISBN)

0,50 por livro

1,50

d. Artigos em fontes especializadas (ISSN): revistas, periódicos, cadernos, CDs, sites, anais

0,50 por artigo

1,50

e. Apresentação de trabalhos em eventos de natureza técnico-científica, com resumos publicados: Seminários, congressos, simpósios, encontros

0,25 por trabalho

1,00

f. Artigos em fontes não-especializadas

0,10 por artigo

0,20

TABELA 04: PONTUAÇÃO CUMULATIVA (Máximo 1,00 pontos)

4. ATIVIDADES E MÉRITOS PROFISSIONAIS

PONTUAÇÃO POR ITENS

PONTUAÇÃO MÁXIMA POR BLOCO

a. Atividades docentes (ensino fundamental, médio e pós-médio)

0,10 pontos

0,50

b. Atividades profissionais não docentes ligadas à Educação

0,04 por ano

0,20

c. Atividades profissionais em nível técnico na área do concurso

0,04 por ano

0,20

d. Cargo direção, supervisão e orientação na área do magistério no ensino fundamental ou médio

0,10 por ano

0,50

e. Projetos de pesquisa: Elaboração e execução

0,06 por projeto

0,30

Coordenação e colaboração

0,04 por projeto

f. Aprovação em concurso público para docência

0,03 por título

0,15

TABELA 05: PONTUAÇÃO CUMULATIVA (Máximo 0,5 0 pontos

5. OUTROS TÍTULOS E ATIVIDADES

PONTUAÇÃO POR ITENS

PONTUAÇÃO MÁXIMA POR BLOCO

a. Conferências e palestras proferidas

0,10 pontos

0,30

b. Monitoria e participação em projetos de ensino, pesquisa e extensão, enquanto acadêmico

0,02 pontos

0,20

c. Organização e Coordenação de congressos, simpósios, seminários, cursos de extensão

0,02 por evento

0,20

d. Outros títulos e atividades

0,02 por atividade

0,10