CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento

CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO

CONCURSO PÚBLICO - NÍVEL SUPERIOR

EDITAL Nº 2 DO CONCURSO PÚBLICO 1/2014 - NORMATIVO

Notícia:   CONAB reabre certame para nível superior e mantém o de nível médio inalterado

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS PÚBLICOS EFETIVOS DE NÍVEL SUPERIOR

Na presente data de 11 de abril de 2014, o Presidente da COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (Conab), no uso de suas atribuições legais, torna pública a realização de concurso público para provimento de vagas e formação de cadastro de reserva em cargos públicos efetivos de nível superior, do Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Conab - PCCS 2009, relacionados no quadro de vagas constantes do Anexo I deste edital.

1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1 O concurso público será regulado pelas normas contidas no presente edital e seus anexos e será executado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (IADES).

1.2 O concurso público destina-se a selecionar candidatos para o provimento de vagas para contratação imediata e à formação de cadastro de reserva em cargos públicos efetivos de nível superior, do Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) - PCCS 2009, relacionados no item 2 a seguir.

1.2.1 O cadastro de reserva somente será aproveitado mediante a abertura de novas vagas, atendendo aos interesses de conveniência e de oportunidade da Conab.

1.2.2 Por cadastro de reserva, entenda-se o conjunto dos candidatos aprovados em conformidade com as regras do presente edital, relacionados na listagem que contém o resultado final do certame e com classificação além das vagas indicadas no item 2 para cada área de formação.

1.3 O concurso público consistirá de provas objetiva e discursiva, ambas de caráter eliminatório e classificatório.

1.4 As provas referentes ao concurso público serão aplicadas cidades de Aracajú (SE), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Boa Vista (RR), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Maceió (AL), Manaus (AM), Natal (RN), Palmas (TO), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Recife (PE), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), São Luís (MA), São Paulo (SP), Teresina (PI) e Vitória (ES).

1.4.1 Havendo indisponibilidade de locais suficientes ou adequados nas cidades de realização das provas, estas poderão ser realizadas em cidades próximas às determinadas para sua aplicação, devendo o candidato responsabilizar-se quanto a transporte e alojamento.

1.5 Os candidatos aprovados e convocados para a assinatura do contrato de trabalho realizarão procedimentos pré-admissionais e exames médicos complementares, de caráter unicamente eliminatório, em conformidade com a legislação vigente e de responsabilidade da Conab.

1.6 Os candidatos que ingressarem nos quadros de pessoal da Conab serão regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

1.6.1 A cessão/requisição do empregado para outros órgãos da Administração Pública somente poderá ocorrer após 3 (três) anos de efetivo exercício.

1.6.2 A transferência por interesse exclusivo do empregado(a) somente poderá ocorrer após 3 (três) anos de efetivo exercício da unidade de lotação para a qual foi contratado(a).

1.7 Os horários mencionados no presente edital e nos demais editais a serem publicados para o certame obedecerão ao horário oficial de Brasília/DF.

2 DO CARGO E DAS ÁREAS DE FORMAÇÃO

2.1 As 219 (duzentas e dezenove) vagas disponíveis para contratação imediata são para o cargo de Analista e estão distribuídas em 12 (doze) áreas de formação, a saber:

a) código 101 - Administração: 76 (setenta e seis vagas);

b) código 102 - Contabilidade: 38 (trinta e oito) vagas;

c) código 103 - Direito: 16 (dezesseis) vagas;

d) código 104 - Economia: 22 (vinte e duas) vagas;

e) código 105 - Engenharia Agrícola: 10 (dez) vagas;

f) código 106 - Engenharia Agronômica ou Agronomia: 52 (cinquenta e duas) vagas;

g) código 107 - Engenharia Civil: 1 (uma) vaga;

h) código 108 - Engenharia Elétrica: 1 (uma) vaga;

i) código 109 - Engenharia Mecânica: 1 (uma) vaga;

j) código 110 - Gestão do Agronegócio: 2 (duas) vagas;

k) código 111 - Auditoria: vagas para formação de cadastro de reserva; e

l) código 112 - Comunicação Social: vagas para formação de cadastro de reserva.

2.2 O salário base para o cargo de Analista é de R$ 5.112,07 (cinco mil, cento e doze reais e sete centavos).

2.3 A jornada de trabalho é de até 44 (quarenta e quatro) horas semanais.

2.4 As vantagens e os benefícios oferecidos pela Conab aos seus empregados são: serviço de assistência à saúde, assistência social, seguro de vida, programa de transporte do trabalhador, auxílio-funeral, assistência educação infantil, auxílio-escola, auxílio-alimentação, Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT e Plano de Previdência Cibrius.

2.5 As vagas são para lotação nas unidades da Conab em todo o território nacional, conforme informação contida no Anexo I do presente edital.

2.5.1 O candidato que vier a ser admitido poderá, a exclusivo critério da Conab, ser alocado em qualquer localidade dentro da Superintendência Regional (SUREG)/pólo de trabalho de sua escolha no ato da inscrição, independentemente do domicílio do candidato.

2.5.2 A admissão em qualquer localidade da Federação não terá ônus para a Conab, e as eventuais despesas de deslocamento e mudança de domicílio correrão integralmente por conta do candidato aprovado.

2.6 O Anexo II contem a informação sobre requisitos acadêmicos e(ou) profissionais para a contratação e a descrição sumária das atribuições para cada espaço ocupacional.

3 DOS REQUISITOS BÁSICOS PARA A CONTRATAÇÃO

3.1 Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa e, em caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento de gozo de direitos políticos, nos termos do art. 12, § 1º, da Constituição da República Federativa do Brasil e do Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta, promulgado no Brasil através do Decreto Nº 3.927/2001.

3.2 Estar em pleno exercício dos direitos civis e políticos.

3.3 Estar quite com as obrigações eleitorais.

3.4 Ter certificado de reservista ou de dispensa de incorporação ou de alistamento militar, em caso de candidato do sexo masculino.

3.5 Possuir os requisitos indicados no Anexo II para a área de formação de sua candidatura.

3.6 Ter idade mínima de 18 (dezoito) anos completos na data da contratação.

3.7 Não ter sofrido, no exercício de função pública, penalidade incompatível com a contratação em cargo ou emprego público.

3.8 Não receber proventos de aposentadoria ou remuneração de cargo, emprego ou função pública, ressalvados os cargos acumuláveis previstos na Constituição Federal.

3.9 Cumprir as determinações deste edital, ter sido aprovado no presente concurso público e ser considerado apto após submeter-se aos exames médicos exigidos para a contratação.

3.10 O candidato deverá declarar, na solicitação de inscrição, que tem ciência e aceita que, caso aprovado, deverá entregar os documentos comprobatórios dos requisitos exigidos para o cargo, por ocasião da convocação para a contratação.

4 DA INSCRIÇÃO

4.1 A taxa de inscrição é de R$ 46,00 (quarenta e seis reais).

4.2 As inscrições poderão ser feitas via interne, conforme procedimentos especificados a seguir.

4.3 A inscrição poderá ser efetuada no endereço eletrônico www.iades.com.br no período entre 8 (oito) horas do dia 15 de abril e 22 (vinte e duas) horas do dia 28 de maio de 2014.

4.3.1 O IADES não se responsabilizará por solicitação de inscrição via internet não recebida por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.

4.3.2 Após a confirmação da inscrição, que ocorrerá ao término da operação, o candidato deverá efetuar o pagamento da taxa de inscrição por meio de boleto bancário, pagável em toda a rede bancária e disponível para visualização e impressão no endereço eletrônico www.iades.com.br.

4.3.3 O pagamento da taxa de inscrição por meio de boleto bancário deverá ser efetuado até o dia 2 de junho de 2014.

4.3.4 A inscrição do candidato somente será concretizada após a confirmação do pagamento da taxa de inscrição, ou do deferimento da isenção da taxa de inscrição validado pelo IADES.

4.3.5 O candidato é responsável pela veracidade dos dados cadastrais informados no ato de inscrição, sob as penas da lei.

4.4. DO COMPROVANTE DEFINITIVO DE INSCRIÇÃO E LOCAL DE PROVA

4.4.1 O IADES disponibilizará o comprovante definitivo de inscrição na data provável de 3 de julho de 2014. O comprovante poderá ser retirado no endereço eletrônico www.iades.com.br.

4.4.2 O comprovante definitivo de inscrição terá a informação do local, data e horário de realização das provas, o que não desobriga o candidato do dever de observar o comunicado de divulgação de local e de horário de aplicação das provas, que será oportunamente publicado.

4.4.3 É de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção do comprovante definitivo de inscrição.

4.5 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO

4.5.1 Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer este edital e certificar-se de que preenche todos os requisitos exigidos.

4.5.2 É vedada a inscrição condicional, fora do prazo previsto de inscrições, estipuladas no presente edital.

4.5.3 Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) do candidato, emitido pelo Ministério da Fazenda.

4.5.4 As informações prestadas na inscrição serão de inteira responsabilidade do candidato, dispondo a Conab e o IADES do direito de excluir do concurso público aquele que não preencher o formulário com dados corretos e de forma completa, bem como aquele que prestar informações inverídicas, ainda que o fato seja constatado posteriormente.

4.5.4.1 O candidato deverá obrigatoriamente preencher de forma completa o campo referente a nome, endereço, telefone e e-mail, bem como deverá informar o CEP correspondente à sua residência.

4.5.5 O candidato, quando do ato de sua inscrição, definirá a vaga a que concorrerá, o seu pólo de trabalho e a cidade para a realização de sua prova, em conformidade com o item 2 e o Anexo I deste edital. Uma vez efetivada a inscrição, não será permitida, em hipótese alguma, a sua alteração.

4.5.6 O candidato deverá declarar, no formulário de inscrição, que tem ciência e que aceita que, caso aprovado, deverá entregar, por ocasião da convocação para a contratação, os documentos comprobatórios dos requisitos exigidos para o respectivo cargo, conforme o disposto no item 3 deste Edital.

4.5.7 O valor referente ao pagamento da taxa de inscrição não será devolvido em hipótese alguma, salvo nas condições legalmente previstas.

4.5.7.1 No caso do pagamento da taxa de inscrição ser efetuado com cheque bancário que, porventura, venha a ser devolvido, por qualquer motivo, o IADES reserva-se o direito de tomar as medidas legais cabíveis, inclusive a não efetivação da inscrição.

4.5.7.2 É vedada a transferência para terceiros do valor pago da taxa de inscrição.

4.5.8 Não haverá, sob qualquer pretexto, inscrição provisória, condicional e extemporânea

4.6 DA ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO

4.6.1 Em conformidade com o Decreto Federal nº 6.593, de 2 de outubro de 2008, haverá isenção do valor da taxa de inscrição para o candidato que estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - CadÚnico, de que trata o Decreto Federal nº 6.135, de 26 de junho de 2007, e que se declarar membro de família de baixa renda, nos termos da legislação vigente.

4.6.2 Os candidatos que desejarem requerer a isenção da taxa de inscrição deverão fazê-lo da seguinte forma:

a) fazer inscrição no endereço eletrônico www.iades.com.br;

b) imprimir, preencher e assinar o formulário para requerimento de isenção da taxa de inscrição, disponível no endereço eletrônico www.iades.com.br, com a indicação do Número de Identificação Social (NIS), atribuído pelo CadÚnico;

c) emitir declaração de próprio punho de que é membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto Federal nº 6.135, de 26 de junho de 2007;

d) tirar cópia legível de documento de identidade válido.

4.6.2.1 A documentação indicada no item 4.6.2 poderá ser enviada por meio digital somente para o e-mail isencaoconab@iades.com.br, respeitando os prazos indicados para envio até as 16 (dezesseis) horas do dia 15 de maio de 2014, ou ser entregue pessoalmente na Central de Atendimento ao Candidato do IADES (CAC-IADES), localizada na QE 32, Conjunto C, Lote 2, Guará II, Guará (DF).

4.6.3 Não será aceita a solicitação de isenção de pagamento da taxa de inscrição via postal, via fax ou por procurador.

4.6.4 As informações prestadas no requerimento de isenção serão de inteira responsabilidade do candidato, podendo este responder, a qualquer momento, por crime contra a fé pública, o que acarretará sua eliminação do concurso.

4.6.5 Na data provável de 20 de maio de 2014, será divulgado, no endereço eletrônico www.iades.com.br, o resultado preliminar da apreciação dos pedidos de isenção da taxa de inscrição.

4.6.5.1 Os candidatos que tiverem indeferidos seus pedidos de isenção do pagamento do valor da taxa de inscrição terão 2 (dois) dias úteis subsequentes ao da divulgação do resultado da apreciação, para entrar com recurso contra o indeferimento da solicitação de isenção por meio digital, somente para o e-mail isencaoconab@iades.com.br, ou entregar pessoalmente na CAC-IADES.

4.6.5.2 O IADES consultará o órgão gestor do CadÚnico para verificar a veracidade das informações prestadas pelo candidato.

4.6.5.3 O candidato que tiver sua solicitação de isenção da taxa de inscrição indeferida e que mantiver interesse em participar do certame deverá efetuar seu pagamento, observando o procedimento previsto no subitem 4.3 deste Edital.

5 DAS INSCRIÇÕES PARA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

5.1 É assegurado às pessoas com deficiência o percentual de 5% (cinco por cento) das vagas existentes ou das que vierem a surgir no prazo de validade do concurso público, desde que a atuação no cargo seja compatível com a deficiência, conforme estabelece o Artigo 37, Inciso VIII, da Constituição Federal; Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, regulamentada pelo Decreto Federal nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, alterado pelo Decreto Federal nº 5.296, de 2 de dezembro 2004.

5.2 O candidato que se declarar com deficiência concorrerá em igualdade de condições com os demais candidatos.

5.3 No ato da inscrição, o candidato com deficiência deverá declarar que está apto a exercer o emprego para o qual se inscreverá.

5.4 Para assegurar a concorrência às vagas reservadas, o candidato com deficiência poderá encaminhar, até o dia 29 de maio de 2014, via SEDEX, para o IADES - Concurso Público Conab, Caixa Postal 8642, CEP 70.312-970, Brasília (DF), ou ainda entregar presencialmente na CAC-IADES, os documentos a seguir:

a) laudo médico original ou cópia autenticada expedido no prazo máximo de 12 (doze) meses da data do término das inscrições, atestando a espécie e o grau de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doença - CID, bem como a provável causa da deficiência; e

b) requerimento constante no Anexo V devidamente preenchido e assinado.

5.5 A Conab e o IADES não se responsabilizam pelo extravio ou atraso dos documentos encaminhados via SEDEX, sendo considerado, para todos os efeitos, a data de postagem.

5.6 Os documentos indicados no subitem 5.4 terão validade somente para este concurso público e não serão devolvidos em hipótese alguma.

5.7 Os candidatos inscritos como pessoas com deficiência e aprovados nas etapas do concurso público serão convocados pelo IADES para a realização de perícia médica, com a finalidade de avaliação quanto à configuração da deficiência e a compatibilidade entre as atribuições do cargo e a deficiência declarada.

5.7.1 Será excluído da lista específica para pessoas com deficiência o candidato que não tiver configurada a deficiência (declarado não portador de deficiência pela junta médica encarregada da realização da perícia), passando a figurar somente na lista de ampla concorrência.

5.7.2 Será excluído do concurso público o candidato cuja deficiência constatada for incompatível com o cargo pleiteado.

5.7.3 O não comparecimento ou a reprovação na perícia médica acarretará a perda do direito às vagas reservadas às pessoas com deficiência.

5.8 Os candidatos que, dentro do período das inscrições, não atenderem aos dispositivos mencionados no subitem 5.4 deste Edital, não concorrerão às vagas reservadas para pessoas com deficiência.

5.9 O candidato que, no ato da inscrição, declarar ser pessoa com deficiência, se aprovado e classificado no Concurso Público, terá seu nome publicado em lista à parte e, caso obtenha classificação necessária, figurará também na lista de classificação geral.

5.10 As vagas definidas no presente edital, que não forem providas, por falta de candidatos aprovados com deficiência, serão preenchidas pelos demais candidatos, observada a ordem de classificação por emprego.

5.11 Após a contratação do candidato, a deficiência não poderá ser arguida para justificar a concessão de aposentadoria.

5.12 Na data provável de 3 de junho de 2014, será divulgado, no endereço eletrônico www.iades.com.br, o resultado preliminar das inscrições homologadas para concorrer às vagas destinadas às pessoas com deficiência.

5.12.1 O candidato que não tiver sua inscrição homologada, para concorrer às vagas destinadas às pessoas com deficiência, poderá interpor recurso contra o resultado preliminar, de acordo com exposto no item 10 a seguir.

6 DAS SOLICITAÇÕES PARA ATENDIMENTO ESPECIAL NO DIA DAS PROVAS

6.1 O candidato que necessitar de atendimento especial para a realização da prova objetiva deverá encaminhar, até o dia 29 de maio de 2014, via SEDEX para o IADES - Concurso Público Conab, Caixa Postal 8642, CEP 70.312-970, Brasília (DF), ou ainda presencialmente na CAC-IADES, requerimento de atendimento especial constante do Anexo V devidamente preenchido e assinado e o laudo médico original ou cópia autenticada expedido no prazo máximo de 12 (doze) meses da data do término das inscrições, atestando a espécie e o grau de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doença - CID, bem como a provável causa da deficiência, que justifique o atendimento especial solicitado.

6.2 A candidata lactante deverá preencher e encaminhar o requerimento constante no Anexo V, conforme o estabelecido no subitem 6.1, e ainda levar um acompanhante, que ficará em sala reservada para essa finalidade e que será responsável pela guarda e cuidado da criança. A candidata que não levar o acompanhante não poderá realizar a prova.

6.2.1 Não haverá compensação do tempo de amamentação em favor da candidata.

6.2.2 Durante o período de amamentação, a candidata será acompanhada de um fiscal do IADES, que garantirá que a sua conduta esteja de acordo com os termos e condições deste Edital, sem a presença do responsável pela guarda da criança.

6.2.3 O acompanhante se submeterá às instruções contidas no subitem 7.21 e 7.22.

6.3 A solicitação de atendimento especial será atendida segundo os critérios de viabilidade e razoabilidade.

7 DA PROVA OBJETIVA

7.1 A prova objetiva será composta de 50 (cinquenta) questões, de múltipla escolha, com 5 (cinco) alternativas em cada questão, para escolha de 1 (uma) única resposta correta, e pontuação total variando entre o mínimo de 0,00 (zero) ponto e o máximo de 80,00 (oitenta) pontos, de acordo com o número de questões e os pesos definidos no Anexo III e o conteúdo programático definido no Anexo IV.

7.2 A prova objetiva será corrigida por meio de processamento eletrônico.

7.3 Serão considerados aprovados na prova objetiva os candidatos que obtiverem o mínimo de 50% (cinquenta por cento) da pontuação total máxima permitida para cada um dos conhecimentos avaliados na prova, ou seja, conhecimentos básicos e conhecimentos específicos.

8 DA PROVA DISCURSIVA

8.1 A prova discursiva será realizada no mesmo dia e dentro dos prazos de duração previstos para a realização da prova objetiva.

8.2 A prova discursiva terá o objetivo de avaliar os conhecimentos específicos, pertinentes a cada área de formação, constantes do item 2 deste edital e, ainda, a capacidade de expressão na modalidade escrita e o uso das normas do registro formal culto da Língua Portuguesa.

8.3 A prova discursiva receberá pontuação máxima igual a 10,00 (dez) pontos.

8.4 A prova discursiva deverá ser manuscrita, em letra legível, com caneta esferográfica de tinta azul ou preta, fabricada de material transparente, não sendo permitida a interferência e(ou) a participação de outras pessoas, salvo em caso de candidato portador de deficiência, se a deficiência impossibilitar a redação pelo próprio candidato, e de candidato que solicitou atendimento especial, observado o disposto no subitem 6.1 deste edital. Nesse caso, o candidato será acompanhado por um fiscal do IADES devidamente treinado, para o qual deverá ditar o texto, especificando oralmente a grafia das palavras e os sinais gráficos de pontuação.

8.5 A(s) folha(s) de texto definitivo da prova discursiva não poderá(ão) ser assinada(s), rubricada(s) nem conter, em outro local que não o apropriado, qualquer palavra ou marca que a identifique, sob pena de anulação da prova discursiva. Assim, a detecção de qualquer marca identificadora no espaço destinado à transcrição de texto definitivo acarretará a anulação da prova do candidato.

8.6 A(s) folha(s) de texto definitivo será(ão) o único documento válido para a avaliação da prova discursiva. A folha para rascunho, contida no caderno de provas, é de preenchimento facultativo e não valerá para tal finalidade.

8.7 A prova discursiva consistirá na elaboração de texto dissertativo e(ou) descritivo, com extensão mínima de 20 (vinte) linhas e máxima de 40 (quarenta) linhas, com base em tema formulado pela banca examinadora, referente ao conteúdo programático constante no Anexo II deste edital, primando pela clareza, precisão, consistência e concisão.

8.8 O candidato receberá nota zero na prova discursiva em casos de fuga ao tema, de haver texto com quantidade inferior a 20 (vinte) linhas, de não haver texto ou de identificação em local indevido.

8.9 No texto avaliado, a adequação ao tema, a argumentação, a coerência e a elaboração crítica, totalizarão a nota relativa ao domínio do conhecimento específico (DCE), assim distribuídos:

a) Tema / Texto (TX), pontuação máxima igual a 2,5 (dois vírgula cinco) pontos. Serão verificadas a adequação ao tema (pertinência ao tema proposto), a adequação à proposta (pertinência quanto ao gênero proposto e obediência ao número de linhas exigidos) e a organização textual;

b) Argumentação (AR), pontuação máxima igual a 2,5 (dois vírgula cinco) pontos. Serão verificadas a especificação do tema, o conhecimento do assunto, a seleção de idéias distribuídas de forma lógica, concatenadas e sem fragmentação e a apresentação de informações fatos e opiniões pertinentes ao tema, com articulação e consistência de raciocínio, sem contradição estabelecendo um diálogo contemporâneo;

c) Coerência Argumentativa (CA), pontuação máxima igual a 2,5 (dois vírgula cinco) pontos. Será verificada a coerência argumentativa (seleção e ordenação de argumentos; relações de implicação ou de adequação entre premissas e as conclusões que dela de tiram ou entre afirmações e as consequências que delas decorrem);

d) Elaboração Crítica (EC), pontuação máxima igual a 2,5 (dois vírgula cinco) pontos. Serão verificadas a elaboração de proposta de intervenção relacionada ao tema abordado e a pertinência dos argumentos selecionados fundamentados em informações de apoio, estabelecendo relações lógicas, que visem propor valores e conceitos.

8.10 Desta forma, DCE (domínio do conhecimento específico) = TX + AR + CA + EC.

8.11 A avaliação do domínio da modalidade escrita da língua portuguesa totalizará o número de erros (NE) do candidato, considerando-se aspectos como acentuação, grafia, pontuação, concordância, regência, morfossintaxe, propriedade vocabular e translineação.

8.12 Para o texto dissertativo e(ou) descritivo, será computado o número total de linhas (TL) efetivamente escritas pelo candidato.

8.13 Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado ou que ultrapassar a extensão máxima permitida.

8.14 Para cada candidato, será calculada a pontuação final na prova discursiva (NPD) da seguinte forma: NPD = DCE - ((NE/TL) x 2).

8.15 Será atribuída nota zero ao candidato que obtiver NPD < 0,00.

9 DA INSTRUÇÕES PARA APLICAÇÃO DAS PROVAS OBJETIVA E DISCURSIVA

9.1 O tempo estipulado para a realização das provas objetiva e discursiva é de 4 (quatro) horas e elas serão aplicadas na data provável de 20 de julho de 2014, no turno vespertino.

9.2 Os locais, datas e horários de aplicação das provas objetiva e discursiva serão divulgados no endereço eletrônico www.iades.com.br, na data provável de 3 de julho de 2014.

9.3 O comprovante definitivo de inscrição, em que consta data, horário e o local da realização da prova não será enviado via postal. É dever do candidato obter o comprovante via internet, no endereço eletrônico www.iades.com.br, na seção Ambiente do Candidato.

9.4 O candidato não poderá alegar desconhecimento acerca da data, horário e o local de realização da prova, para fins de justificativa de sua ausência.

9.5 O não comparecimento às provas, por qualquer motivo, caracterizará a desistência do candidato e resultará em sua eliminação do concurso público.

9.6 O candidato deverá assinar na lista de presença, de acordo com a assinatura constante do seu documento de identidade, vedada a aposição de rubrica.

9.7 O candidato deverá transcrever, com caneta esferográfica de tinta azul ou preta, fabricada de material transparente, as respostas da prova objetiva para a folha de respostas, único documento válido para a correção da prova. O preenchimento da folha de respostas será de inteira responsabilidade do candidato, que deverá proceder em conformidade com as instruções específicas contidas neste Edital, no caderno de provas e na folha de respostas. Em hipótese alguma, haverá substituição da folha de respostas por erro do candidato.

9.7.1 O candidato é responsável pela devolução da sua folha de respostas devidamente preenchida ao final da prova. Em hipótese alguma, o candidato poderá sair da sala de aplicação de prova com a folha de respostas da prova objetiva, que constitui o único documento válido para a correção das provas e processamento do resultado do concurso público.

9.8 Serão de inteira responsabilidade do candidato os prejuízos advindos do preenchimento indevido da folha de respostas. Serão consideradas marcações indevidas as que estiverem em desacordo com este Edital e(ou) com a folha de respostas, tais como: marcação rasurada ou emendada, campo de marcação não preenchido integralmente e(ou) marcação de mais de uma alternativa por questão.

9.8 O candidato não deverá amassar, molhar, dobrar, rasgar ou, de qualquer modo, danificar a sua folha de respostas, sob pena de arcar com os prejuízos advindos da impossibilidade de realização da leitura óptica.

9.9 Não será permitido que as marcações, na folha de respostas, sejam feitas por outras pessoas, salvo em caso de candidato que tenha solicitado atendimento especial. Nesse caso, o candidato será acompanhado por um fiscal do IADES devidamente treinado.

9.10 Não serão fornecidas, por telefone, fax e(ou) correio eletrônico, informações a respeito de data, local e horário de aplicação das provas. O candidato deverá observar rigorosamente os editais e os comunicados a serem publicados na internet, no endereço eletrônico www.iades.com.br.

9.11 O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização da prova com antecedência mínima de 1 (uma) hora do horário fixado para o seu início, munido de caneta esferográfica de tinta azul ou preta, fabricada em material transparente, do comprovante de inscrição e de documento de identidade original. Não será permitido, em hipótese alguma, o uso de lápis, lapiseira/grafite e(ou) borracha durante a realização das provas.

9.11.1 Não será admitido o ingresso de candidato, no local de realização das provas, após o horário fixado para o seu início, que corresponderá ao do fechamento dos portões.

9.12 O candidato que se retirar da sala de aplicação das provas não poderá retornar a ela, em hipótese alguma, exceto se sua saída for acompanhada, durante todo o tempo de ausência, por fiscal ou por membro da coordenação do IADES.

9.13 Serão considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurança Pública, pelos Institutos de Identificação e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional; passaporte brasileiro; certificado de reservista; carteiras funcionais expedidas por órgão público que, por lei federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitação (somente o modelo aprovado pelo art. 159 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, publicada no Diário Oficial da União de 24 de setembro de 1997).

9.13.1 Não serão aceitos como documentos de identidade: certidão de nascimento, cartão de inscrição no CPF, título eleitoral, carteira nacional de habilitação (modelo antigo), carteira de estudante, carteira funcional sem valor de identidade, carteira nacional de habilitação com prazo vencido, carteira de identidade com validade vencida e documentos ilegíveis, não identificáveis e(ou) danificados.

9.13.2 O candidato que não apresentar documento de identidade original, na forma definida no subitem 9.13 deste Edital, não poderá fazer a prova e será automaticamente eliminado do concurso público.

9.14 Caso o candidato esteja impossibilitado de exibir, no dia de aplicação das provas, documento de identidade original, por motivo de perda, furto ou roubo, deverá apresentar documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo, 30 (trinta) dias, ocasião em que será submetido à identificação especial, que compreenderá coleta de dados, de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.

9.14.1 A identificação especial será exigida, também, ao candidato cujo documento de identificação apresente dúvidas relativas à fisionomia e(ou) à assinatura do portador.

9.15 Não será aplicada prova, em hipótese alguma, em local, data e(ou) horário diferentes dos predeterminados em Edital ou em comunicado.

9.16 Não será permitida, durante a aplicação das provas, a comunicação entre os candidatos.

9.16.1 Não será permitida, no local de aplicação das provas, a utilização de máquinas calculadoras e(ou) similares, livros, anotações, réguas de cálculo, impressos ou qualquer outro material de consulta.

9.17 No local de aplicação das provas, não será permitido ao candidato manter consigo aparelhos eletrônicos (bip, telefone celular, relógio de qualquer espécie, walkman, aparelho portátil de armazenamento e de reprodução de músicas, vídeos e outros arquivos digitais, agenda eletrônica, notebook, tablets eletrônicos, palmtop, receptor, gravador, entre outros).

9.17.1 Caso o candidato leve algum aparelho eletrônico, este deverá permanecer desligado e, se possível, com a bateria retirada durante todo o período de prova, devendo, ainda, ser acondicionado em embalagem fornecida pelo IADES, e esta deverá, permanecer, durante todo o período de prova embaixo da carteira do candidato.

9.17.2 O descumprimento do disposto nos subitens 9.16 e 9.17 implicará a eliminação do candidato, constituindo tentativa de fraude.

9.18 Não será permitida a entrada de candidato no local de aplicação das provas com arma de qualquer espécie.

9.19 O IADES recomenda que o candidato não leve, no dia de realização das provas, objeto algum citado nos subitens 9.16 e 9.17. O funcionamento, ainda que involuntário, de qualquer tipo de aparelho eletrônico, durante a realização da prova, implicará a eliminação automática do candidato.

9.20 Não será admitido, durante a realização da prova, o uso de boné, lenço, chapéu, gorro ou qualquer outro acessório que cubra as orelhas do candidato.

9.21 O IADES não se responsabilizará por perdas, extravios de objetos ou de equipamentos eletrônicos ocorridos durante a aplicação das provas, nem por danos a eles causados.

9.22 Em hipótese alguma, haverá segunda chamada para a aplicação das provas. O não comparecimento na data, local e horário designados para as provas implicará a eliminação automática do candidato.

9.23 O controle de horário será efetuado conforme critério definido pelo IADES.

9.24 O candidato somente poderá se retirar, definitivamente, da sala de aplicação das provas após 1 (uma) hora de seu início. Nessa ocasião, o candidato não levará, em hipótese alguma, o caderno de provas ou a folha de respostas.

9.25 Somente quando faltarem 30 (trinta) minutos para o término do tempo fixado para realização das provas, o candidato poderá deixar o local levando consigo o caderno de provas.

9.26 A inobservância dos subitens 9.24 e 9.25 acarretará a não correção das provas e, consequentemente, a eliminação do candidato do concurso público.

9.27 Terá a sua prova anulada e será automaticamente eliminado, o candidato que, em qualquer etapa do concurso público ou durante a aplicação das provas:

a) utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos e(ou) ilegais para obter vantagem para si e(ou) para terceiros;

b) for surpreendido dando e(ou) recebendo auxílio para a execução de qualquer uma das provas;

c) utilizar-se de livros, dicionários, notas e(ou) impressos não autorizados e(ou) se comunicar com outro candidato;

d) for surpreendido portando máquina fotográfica, telefone celular, relógio de qualquer espécie, gravador, bip, receptor, pager, notebook, tablets eletrônicos, walkman, aparelho portátil de armazenamento e de reprodução de músicas, vídeos e outros arquivos digitais, agenda eletrônica, palmtop, régua de cálculo, máquina de calcular e (ou) equipamento similar, e(ou) qualquer outro que ameace a segurança do processo, em desacordo com o disposto no subitem 9.17.

e) faltar com o devido respeito para com qualquer membro da equipe de aplicação das provas, as autoridades presentes e(ou) os candidatos;

f) fizer anotação de informações relativas às suas respostas no comprovante de inscrição e(ou) em qualquer outro meio;

g) recusar-se a entregar o material das provas ao término do tempo destinado à sua realização;

h) afastar-se da sala, a qualquer tempo, sem a autorização e(ou) acompanhamento de fiscal ou de membro da coordenação do IADES;

i) ausentar-se da sala, a qualquer tempo, portando a folha de respostas;

j) descumprir as instruções contidas no caderno de provas, na folha de respostas;

k) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamento indevido; ou

l) descumprir regra(s) do presente edital e(ou) de outros que vierem a ser publicados.

9.28 Se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico e(ou) por meio de investigação policial, ter o candidato utilizado de processo ilícito, suas provas serão anuladas e ele será automaticamente eliminado do concurso público.

9.29 Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas em razão do afastamento de candidato da sala de prova.

9.30 No dia de aplicação das provas, não serão fornecidas, por nenhum membro da equipe de aplicação das provas e(ou) pelas autoridades presentes, informações referentes ao conteúdo das provas e(ou) quanto aos critérios de avaliação e de classificação.

9.31 Objetivando garantir a lisura e idoneidade do certame, no dia da aplicação das provas, o candidato poderá ser submetido ao sistema de detecção de metal.

10 DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E DE CLASSIFICAÇÃO

10.1. A pontuação final de cada candidato na prova objetiva será obtida pela multiplicação da quantidade de questões acertadas, conforme o gabarito oficial definitivo, pelo valor de cada questão, em conformidade com o Anexo II do presente edital.

10.2. Será reprovado na prova objetiva e eliminado do concurso público o candidato que obtiver nota inferior a 50% (cinquenta por cento) da pontuação total máxima permitida para cada um dos conhecimentos avaliados na prova, ou seja, conhecimentos básicos e conhecimentos específicos.

10.3 Os candidatos não eliminados na forma do subitem 10.2 deste edital serão ordenados de acordo com os valores decrescentes da pontuação final na prova objetiva.

10.4 Com base na lista organizada na forma do subitem 10.3 deste edital, serão avaliadas as provas discursivas dos candidatos aprovados na prova objetiva e classificados em até 10 (dez) vezes o número total de vagas, por área de formação/pólo de lotação (SUREG), informadas no Anexo I e respeitados os empates na última posição.

10.4.1 Onde há apenas vagas para formação de cadastro de reserva, serão convocados os classificados até a 10ª (décima) posição, respeitados os empates na última posição.

10.4.2 Todos os candidatos aprovados nas provas objetivas e que se declararam pessoas com deficiência serão convocados para a avaliação das provas discursivas.

10.5 O candidato que não tiver a sua prova discursiva corrigida na forma do subitem 10.4 deste edital estará, automaticamente, eliminado e não terá classificação alguma no concurso público.

10.6 Será reprovado na prova discursiva e eliminado do concurso público o candidato que obtiver nota inferior a 50% (cinquenta por cento) da pontuação total máxima permitida para a prova.

10.7 Os candidatos não eliminados na forma do subitem 10.6 deste edital serão ordenados de acordo com os valores decrescentes da soma da pontuação final na prova objetiva com a pontuação final na prova discursiva.

10.8 Serão considerados eliminados do certame todos os candidatos que não fizerem parte do quadro de aprovados dentro das vagas para contratação imediata e(ou) dentro das vagas para cadastro de reserva, respeitados os empates na última posição e o percentual de reserva de vagas para os candidatos portadores de deficiência física.

11 DA CLASSIFICAÇÃO FINAL DOS CANDIDATOS

11.1 A nota final dos candidatos será igual a soma da nota da prova objetiva mais a nota da prova discursiva.

11.2 Os candidatos serão classificados por ordem decrescente da nota final.

11.3 Cabe à Conab aproveitar os candidatos aprovados em número estritamente necessário; não havendo obrigatoriedade de admissão dos candidatos aprovados dentro das vagas reservadas à formação de cadastro de reserva.

11.4 Se no ato da convocação do candidato aprovado, por qualquer motivo, este não comparecer na data, no local e no horário informado, perderá automaticamente o direito à vaga, sendo convocado o próximo, por ordem de classificação até limite do cadastro de reserva, e assim sucessivamente.

12 DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE

12.1 No caso de igualdade de pontuação na classificação final, após observância do disposto no parágrafo único, do art. 27, da Lei Federal nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), dar-se-á preferência sucessivamente ao candidato que:

a) acertar o maior número de questões de Língua Portuguesa;

b) acertar o maior número de questões de conhecimentos específicos;

c) tiver a idade mais avançada.

12.2 Persistindo o empate, a escolha será feita a partir de sorteio a ser realizado, com convite aos candidatos empatados para presenciarem a definição final da ordem de classificação.

13 DOS RECURSOS

13.1 Serão admitidos recursos quanto ao indeferimento das solicitações de isenção da taxa de inscrição, para concorrer às vagas destinadas às pessoas com deficiência e de atendimento especial no dia da prova; ao gabarito preliminar da prova objetiva, ao resultado preliminar da prova discursiva e ao resultado preliminar da perícia médica.

13.2 O prazo para interposição dos recursos será de 2 (dois) dias úteis, contados do primeiro dia útil posterior à data de divulgação do ato ou do fato que lhe deu origem.

13.3 A interposição dos recursos contra o gabarito preliminar das provas objetivas e o resultado preliminar das provas discursivas deverá será feita no horário das 8 (oito) horas do primeiro dia às 22 (vinte e duas) horas do último dia, ininterruptamente, contados do primeiro dia útil posterior à data de divulgação do ato ou do fato que lhe deu origem, devendo, para tanto, o candidato deverá acessar o Ambiente do Candidato, no endereço eletrônico www.iades.com.br, e seguir as instruções nele contidas.

13.4 A interposição dos recursos contra o resultado preliminar dos pedidos de isenção deverá será feita por meio do e-mail isencaoconab@iades.com.br, respeitado o prazo indicado no item 13.2 parao seu envio.

13.5 A interposição dos demais recursos deverá ser feita via SEDEX, para o IADES - Concurso Público Conab, Caixa Postal 8642, CEP 70.312-970, Brasília (DF), ou presencialmente na CAC-IADES, no horário compreendido entre 10 (dez) horas e 16 (dezesseis) horas, localizada na QE 32, Conjunto C, Lote 2, Guará II, Guará (DF).

13.5.1 Para o protocolo de recursos via SEDEX ou presencial, o candidato deverá entregar 2 (dois) conjuntos idênticos de recursos 1 (um) original e 1 (uma) cópia, devendo cada conjunto conter todos os recursos e apenas 1 (uma) capa.

13.5.2 Cada conjunto de recursos deverá ser apresentado com as seguintes especificações:

a) folhas separadas para questionamentos diferentes;

b) para cada questionamento, argumentação lógica e consistente;

c) capa única constando: nome, assinatura e número de inscrição do candidato; cargo e área de formação aos quais concorre, com o respectivo código; endereço e telefone(s) para contato;

d) sem identificação do candidato no corpo do recurso;

e) recurso datilografado ou digitado em formulário próprio, de acordo com o modelo a ser disponibilizado no endereço eletrônico www.iades.com.br, sob pena de ser preliminarmente indeferido.

13.5.3 O candidato deverá acessar o endereço eletrônico www.iades.com.br e preencher o formulário próprio disponibilizado para recurso, imprimir e enviar, conforme consta no subitem 13.5.

13.6 O candidato que desejar interpor recurso único por fase do concurso público, relativamente ao subitem 13.1, deverá fazê-lo individualmente, em formulário único com a devida fundamentação, não sendo aceito recurso coletivo.

13.7 Se, por força de decisão favorável a impugnações, houver modificação do gabarito divulgado antes dos recursos, as provas serão corrigidas de acordo com o gabarito definitivo, não se admitindo recurso dessa modificação decorrente das impugnações.

13.8 Quanto ao gabarito, o candidato que se sentir prejudicado deverá apresentar individualmente o seu recurso, devidamente fundamentado e com citação da bibliografia.

13.9 O ponto correspondente à anulação de questão da prova objetiva, em razão do julgamento de recurso, será atribuído a todos os candidatos.

13.10 Quando resultar alteração do gabarito, a resposta correta será corrigida de acordo com o gabarito oficial definitivo.

13.11 Em caso de deferimento de recurso interposto, poderá eventualmente ocorrer alteração da classificação inicial obtida pelo candidato para uma classificação superior ou inferior, ou ainda poderá ocorrer desclassificação do candidato que não obtiver nota mínima exigida para aprovação.

13.12 Não serão apreciados os recursos que forem apresentados em desacordo com as especificações contidas neste Edital, fora do prazo estabelecido, fora da fase estabelecida, sem fundamentação lógica e consistente, contra terceiros, em coletivo, com teor que desrespeite a banca examinadora, com identificação e com a argumentação idêntica à constante de outro(s) recurso(s).

13.13 Em hipótese alguma, será aceita revisão de recurso, de recurso do recurso ou de recurso de gabarito final definitivo.

13.14 A banca examinadora constitui última instância para recurso, sendo soberana em suas decisões, razão pela qual não caberão recursos adicionais.

13.15 O prazo para interposição de recurso é preclusivo e comum a todos os candidatos.

13.16 É de exclusiva responsabilidade do candidato o acompanhamento da publicação das decisões objetos dos recursos no endereço eletrônico www.iades.com.br, sob pena de perda do prazo recursal.

14 DA ADMISSÃO

14.1 De acordo com a necessidade da Conab, a convocação de candidatos classificados para admissão será feita pela ordem rigorosa de classificação.

14.2 Somente serão admitidos os candidatos convocados que apresentarem exame médico admissional satisfatório, na época da admissão.

14.3 Não serão admitidos, em qualquer hipótese, pedidos de reconsideração ou recurso do julgamento obtido nos exames médicos.

14.4 Os candidatos aprovados no concurso público, convocados para a admissão e que apresentarem corretamente toda a documentação necessária, serão contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), através de contrato experimental de 90 (noventa) dias, período em que o empregado será submetido à avaliação, em face da qual se definirá a conveniência ou não da sua permanência no quadro de pessoal.

14.5 A convocação para a admissão dar-se-á por meio de telegrama, que será enviado para o endereço de cadastro do candidato no ato da inscrição.

14.5.1 É dever do candidato manter o seu cadastro atualizado, enquanto o certame estiver em andamento, no endereço eletrônico www.iades.com.br - Ambiente do Candidato.

14.5.2 Após a devida homologação do concurso, caso haja alguma mudança de endereço, e-mail e telefone(s), o candidato deverá comunicar a Superintendência de Desenvolvimento de Pessoas da Conab, por meio do e-mail sudep@conab.gov.br.

15 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

15.1 A inscrição do candidato implicará a aceitação das normas para o concurso público contidas nos comunicados, neste edital e em outros editais a serem publicados.

15.2 As despesas decorrentes da participação em todas as fases e em todos os procedimentos do concurso público correrão à conta do candidato, que não terá direito a alojamento, alimentação, transporte e(ou) ressarcimento de despesas.

15.3 O candidato poderá obter informações ou relatar fatos ocorridos referentes ao concurso público na Central de Atendimento ao Candidato do IADES (CAC-IADES), por meio do telefone (61) 3202-1609 ou e-mail cac@iades.com.br.

15.4 É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação de todos os atos, editais e comunicados referentes a este concurso público no Diário Oficial da União e no endereço eletrônico www.iades.com.br.

15.5 A aprovação e a classificação de candidatos para o cadastro de reserva estabelecido no Anexo I deste edital geram para o candidato apenas a expectativa de direito à nomeação, limitada ao prazo de validade do presente concurso público e à conveniência e ao interesse da Administração Pública.

15.5.1 O cadastro de reserva não gera garantia de futuras vagas e, ocorrendo o surgimento de vagas, será obedecida rigorosamente a ordem de classificação dos candidatos.

15.6 A Conab, na medida de suas necessidades, reservam-se no direito de convocar os candidatos aprovados, respeitando a ordem rigorosa de classificação.

15.7 O candidato deverá manter atualizado seu endereço e seu telefone no IADES, enquanto estiver participando do concurso público, e na Conab, se aprovado no concurso público e enquanto este estiver dentro do prazo de validade. Serão de exclusiva responsabilidade do candidato os prejuízos advindos da não atualização de seus dados.

15.8 O resultado final do concurso público será homologado pelo Presidente da Conab, publicado no Diário Oficial da União e divulgado no endereço eletrônico www.iades.com.br.

15.9 O candidato convocado que deixar de atender a convocação, no prazo estabelecido pela Conab, perderá os direitos decorrentes da sua contratação, e será eliminado da lista de candidatos classificados. Não haverá, em nenhuma hipótese, uma nova convocação.

15.10 A inexatidão das afirmativas e(ou) irregularidades dos documentos apresentados, a burla ou a tentativa de burla a quaisquer das normas estipuladas neste edital, mesmo que verificadas a qualquer tempo, acarretarão a nulidade da inscrição e a desqualificação do candidato, com todas as suas decorrências, sem prejuízo de medidas de ordem administrativa, civil e criminal.

15.11 Os itens e anexos deste edital poderão sofrer eventuais alterações, atualizações ou acréscimos, enquanto não consumada a providência ou evento que lhe disser respeito, até a data da convocação dos candidatos para a prova correspondente, circunstância que será mencionada no edital ou comunicado publicado no endereço eletrônico www.iades.com.br.

15.12 O presente concurso público será valido por 2 (dois) anos, contados a partir da data de homologação do resultado final do certame, podendo ser prorrogado, 1 (uma) única vez, por igual período, por conveniência administrativa.

15.13 Os casos omissos serão resolvidos conjuntamente pela Conab e pelo IADES.

15.14 Quaisquer alterações nas regras estabelecidas neste edital somente poderão ser feitas por meio de outro edital.

Rubens Rodrigues dos Santos
Presidente da Companhia Nacional de Abastecimento

ANEXO I

DISTRIBUIÇÃO DAS VAGAS

 

Áreas de Formação

Código 101

Código 102

Código 103

Código 104

Código 105

Código 106

Código 107

Código 108

Código 109

Código 110

Código 111

Código 112

SUREG

Adminis- tração

Contabi- lidade

Direito

Economia

Eng. Agrícola

Eng. Agronô- mica ou Agrono- mia

Eng. Civil

Eng. Elétrica

Eng. Mecânica

Gestão do Agrone- gócio

Auditoria

Comuni- cação

Acre

3

1

C.R.

C.R.

C.R.

1

-

-

-

-

-

-

Alagoas

1

1

C.R.

1

C.R.

C.R.

-

-

-

-

-

-

Amapá

1

1

1

C.R.

C.R.

1

-

-

-

-

-

-

Amazonas

4+1(*)

2

1

1

C.R.

2

C.R.

-

-

C.R.

-

C.R.

Bahia

4+1(*)

2

2

2

2

3

-

-

-

-

-

-

Ceará

4+1(*)

2

C.R.

2

C.R.

2

-

-

-

-

-

-

Espírito Santo

2

1

1

C.R.

2

2

-

-

-

-

-

-

Goiás

C.R.

1

1

C.R.

C.R.

C.R.

C.R.

C.R.

C.R.

1

-

-

Maranhão

2

1

1

C.R.

C.R.

2

-

-

-

-

-

-

Mato Grosso

4+1(*)

4

C.R.

4+1(*)

1

4

-

-

-

C.R.

-

C.R.

Mato Grosso do Sul

2

1

C.R.

C.R.

C.R.

C.R.

-

-

-

-

C.R.

-

Minas Gerais

2

1

1

C.R.

C.R.

2

-

-

-

-

-

C.R.

Pará

3

1

C.R.

C.R.

C.R.

3

-

-

-

-

-

-

Paraíba

4

2

C.R.

1

C.R.

3

-

-

-

-

-

-

Paraná

4

2

1

2

1

3

C.R.

C.R.

C.R.

C.R.

-

C.R.

Pernambuco

2

2

1

2

C.R.

3

C.R.

-

-

-

-

C.R.

Piauí

3

2

C.R.

1

2

3

-

-

-

-

-

-

Rio de Janeiro

4

1

C.R.

1

C.R.

C.R.

-

-

-

-

-

-

Rio Grande do Norte

3

1

C.R.

C.R.

C.R.

3

-

-

-

-

-

-

Rio Grande do Sul

3

1

2

C.R.

C.R.

2

1

1

1

1

-

-

Rondônia

4

1

1

C.R.

C.R.

2

-

-

-

-

-

-

Roraima

2

1

1

C.R.

C.R.

1

-

-

-

-

-

-

Santa Catarina

3

2

C.R.

2

C.R.

3

-

-

-

-

-

-

São Paulo

4

2

C.R.

1

1

3

-

-

-

-

-

-

Sergipe

2

1

2

1

C.R.

1

 

 

 

 

 

 

Tocantins

2

1

C.R.

C.R.

1

3

-

-

-

-

-

-

Observação: C.R. = vagas para cadastro de reserva.
(*) Vagas reservadas para pessoas com deficiência.

ANEXO II

RELAÇÃO DAS ÁREAS DE FORMAÇÃO E REQUISITOS

Área: ADMINISTRAÇÃO (Código 101)

Vagas: 76 (setenta e seis).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Administração, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Administração.

Área: CONTABILIDADE (Código 102)

Vagas: 38 (trinta e oito).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Contabilidade, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Contabilidade.

Área: DIREITO - JURÍDICO (Código 103)

Vagas: 16 (dezesseis).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional na Ordem dos Advogados do Brasil.

Área: ECONOMIA (Código 104)

Vagas: 22 (vinte e duas).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Economia, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Economia.

Área: ENGENHARIA AGRÍCOLA (Código 105)

Vagas: 10 (dez).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Engenharia Agrícola, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia.

Área: ENGENHARIA AGRONÔMICA OU AGRONOMIA (Código 106)

Vagas: 52 (cinquenta e duas).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Engenharia Agronômica ou Agronomia, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia.

Área: ENGENHARIA - CIVIL (Código 107)

Vagas: 1 (uma).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Engenharia Civil, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia.

Área: ENGENHARIA - ELÉTRICA (Código 108)

Vagas: 1 (uma).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Engenharia Elétrica, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia.

Área: ENGENHARIA - MECÂNICA (Código 109)

Vagas: 1 (uma).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Engenharia Mecânica, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro profissional no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia.

Área: GESTÃO DO AGRONEGÓCIO (Código 110)

Vagas: 1 (uma).

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Gestão do Agronegócio, reconhecido e concluído em instituição de ensino superior credenciada pelo Ministério da Educação, e registro profissional junto ao órgão fiscalizador de sua profissão.

Área: Auditoria (Código 111)

Vagas: para formação de cadastro de reserva.

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Administração, Ciências Contábeis, Economia, Direito, Engenharia, Estatística, Letras Psicologia ou Curso Superior na Área de Tecnologia da Informação, reconhecido e concluído em instituição de ensino superior credenciada pelo Ministério da Educação e registro profissional e registro profissional junto ao órgão fiscalizador de sua profissão.

Área: COMUNICAÇÃO SOCIAL (Código 112)

Vagas: para formação de cadastro de reserva.

Requisitos: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação em Comunicação Social, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, com habilitação em Jornalismo, Publicidade ou Relações Públicas; e registro profissional no órgão fiscalizador de sua profissão, se for o caso.

ANEXO III

QUANTIDADE DE QUESTÕES E PESOS

1 Administração (101), Contabilidade (102), Direito (103), Economia (104), Engenharia Agrícola (105), Engenharia Agronômica ou Agronomia (106), Engenharia Civil (107), Engenharia Elétrica (108), Engenharia Mecânica (109), Gestão do Agronegócio (110), Auditoria (111) e Comunicação Social (112).

Áreas de Conhecimento

Número de Questões

Peso

Total de Pontos

Conhecimentos Básicos

Língua Portuguesa

10

1,5

15

Raciocínio Lógico e Matemático

6

1

6

Legislação Específica Aplicada a Conab

5

1

5

Atualidades

4

1

4

Conhecimentos Específicos

25

2

50

Total

50

-

80

ANEXO IV

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1 Língua Portuguesa.

1 Compreensão, interpretação e reescrita de textos e de fragmentos de textos, com domínio das relações morfossintáticas, semânticas, discursivas e argumentativas. 2 Tipologia textual. 3 Coesão e coerência. 4 Ortografia oficial. 5 Acentuação gráfica. 6 Pontuação. 7 Formação, classe e emprego de palavras. 8 Significação de palavras. 9 Coordenação e subordinação. 10 Concordância nominal e verbal. 11 Regência nominal e verbal. 12 Emprego do sinal indicativo de crase.

2 Raciocínio Lógico e Matemático.

1 Compreensão de estruturas lógicas. 2 Lógica de argumentação: analogias, inferências, deduções e conclusões. 3 Diagramas lógicos. 4 Fundamentos de matemática. 5 Princípios de contagem e probabilidade. 6 Arranjos e permutações. 7 Combinações.

3 Legislação Aplicada a Conab.

1 Constituição Federal de 1988 - Capítulo II - Dos direitos sociais. 2 Lei nº 8171, de 17 de janeiro de 1991 - Dispõe sobre a política agrícola, e alterações posteriores.

4 Atualidades.

1 Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como: desenvolvimento sustentável, ecologia, tecnologia, energia, política, economia, sociedade, relações internacionais, educação, segurança e artes e literatura e suas vinculações históricas. 2 Programas sociais e de abastecimento social do Governo Federal.

5 Conhecimentos específicos para cada área de formação.

5.1 ADMINISTRAÇÃO (Código 101)

1 Administração pública gerencial. 1.1 A nova gestão pública no Brasil. 2 Administração para resultados. 2.1 O que administrar para atingir resultados. 2.2 Modelos de administração para resultados. 2.3 Planejamento e gestão estratégicos. 3 Ferramentas de gerenciamento do desempenho organizacional. 3.1 Balanced Scorecard. 3.2 Performance prism. 3.3 Modelo baseado em stakeholders. 4 Mensuração do desempenho. 4.1 Indicadores de desempenho. 4.2 Ferramentas para construção de indicadores. 4.3 Fatores que determinam o desempenho de empresas públicas. 5 Gestão estratégica da qualidade. 6 Administração de Recursos Humanos. 6.1 Estratégias de gestão e desenvolvimento de pessoas. 6.2 Relações com os empregados. 6.3 Equipes e liderança. 6.4 Gerenciamento de desempenho. 6.5 Remuneração e benefícios. 6.6 Motivação. 6.7 Organizações de aprendizagem. 6.8 Cultura organizacional. 6.9 Gestão da folha de pagamento. 6.10 Legislação em Recursos Humanos. 6.11 Medicina do Trabalho e Saúde Ocupacional. 7 Planejamento organizacional. 7.1 Planejamento estratégico. 7.2 Gestão orçamentária. 7.3 Estudos de viabilidade econômico-financeira. 7.4 Elaboração de relatórios gerenciais. 8 Gerência de projetos. 8.1 PMBOK. Conceitos de gerenciamento de projetos, ciclo de vida do projeto, conceitos básicos, estrutura e processos. 8.2 Escritório de projetos. 9 Gestão organizacional. 9.1 Desenvolvimento organizacional. 9.2 Relacionamento com clientes e fornecedores. 9.3 Gestão do desempenho. 10 Processos administrativos. 10.1 Normas e padrões. 10.2 Gestão de programas institucionais. 10.3 Gestão de equipamentos e de unidades operacionais. 10.4 Planejamento e execução logística. 10.5 Gestão de estoques. 11 Gestão mercadológica. 11.1 Análises de mercado e estudo de logística. 11.2 Criação e desenvolvimento de novos negócios. Gestão de informações de mercado.

5.2 CONTABILIDADE (Código 102)

1 Conceitos, objetivos e finalidades da Contabilidade. 2 Patrimônio. 2.1 Estrutura e configurações. 3 Fatos contábeis. 3.1 Conceitos, fatos permutativos, modificativos e mistos. 4 Contas. 4.1 Conceitos, contas de débitos, contas de créditos e saldos. 5 As contas patrimoniais. 5.1 As contas de receitas, despesas e custos. 5.2 As contas de compensação. 5.3 A equação patrimonial. 5.4 O regime de caixa e o de competência. 5.5 Os lançamentos e suas retificações. 6 Plano de contas. 6.1 Conceitos, elenco de contas, função e funcionamento das contas. 7 Escrituração contábil. 7.1 Lançamentos contábeis, elementos essenciais, fórmulas de lançamentos, livros de escrituração, métodos e processos. 8 Contabilização de operações contábeis diversas. 8.1 Juros, descontos, tributos, aluguéis, variação monetária e cambial, folha de pagamento, compras, vendas e provisões, depreciações e baixa de bens. 9 Análise e conciliações contábeis. 9.1 Composição de contas, análise de contas, conciliação bancária. 10 Balancete de verificação. 10.1 Modelos e técnicas de elaboração. 11 Balanço patrimonial. 11.1 Objetivo e composição. 12 Demonstração de Resultado de Exercício. 13 Análise das Demonstrações Financeiras. 13.1 Análise Contábil. Objetivos, limitações, clientela, cuidados prévios, preparação dos demonstrativos contábeis. 13.2 Análise vertical estática e dinâmica. 13.3 Análise horizontal, conversão de valores nominais e reais. 13.4 Análise por quocientes. Liquidez, solvência, endividamento, garantia de capitais de terceiros, imobilizações, rotação de valores, rentabilidade. 14 DVA - Demonstração de Valor Adicionado. 15 Fluxo de caixa. 16 DMPL - Demonstração das mutações do Patrimônio Líquido. 17 Princípios Fundamentais da Contabilidade e Normas Brasileiras de Contabilidade aprovados pelas Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade nº 750, de 29 de dezembro de 1993; e nº 1.111, de 29 de novembro de 2007. 18 Lei Federal nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. 18.1 Pronunciamentos do CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis). 19 Balanços e Demonstrações exigidas pela Lei nº 4.320, de 17 de marco de 1964. 19.1 NBCT 16 - Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público. 20 Gestão financeira. 20.1 Finanças nas organizações. 20.2 Administração de recursos materiais e patrimoniais. 20.3 Indicadores de resultados contábeis e financeiros. 21 Orçamento público. 21.1 Princípios orçamentários. 21.2 Diretrizes orçamentárias. 21.3 Processo orçamentário. 21.4 Métodos, técnicas e instrumentos do orçamento público. 21.5 Receita e despesa públicas. 21.6 Suprimento de fundos. 21.7 Restos a pagar. 21.8 Despesas de exercícios anteriores. 22 Matemática financeira. 22.1 Regra de três simples e composta, percentagens. 22.2 Juros simples e compostos. Capitalização simples e composta e descontos. 22.3 Taxas de juros. Nominal, efetiva, equivalentes, real e aparente. 22.4 Rendas uniformes e variáveis. 22.5 Planos de amortização de empréstimos e financiamentos. 22.6 Taxa interna de retorno.

5.3 DIREITO (Código 103)

1 Direito Constitucional. 1.1 Constituição: conceito, objeto, elementos e classificações. Supremacia da Constituição. Aplicabilidade das normas constitucionais. Interpretação das normas constitucionais; métodos, princípios e limites. 1.2 Poder constituinte. 1.3 Princípios fundamentais. 1.4 Direitos e garantias fundamentais. 1.5 Organização do Estado. 1.6 Administração pública. 1.7 Organização dos poderes no Estado. Mecanismos de freios e contrapesos. Poderes legislativo, executivo e judiciário: composição e atribuições. 1.8 Funções essenciais à justiça. Ministério Público, advocacia pública e defensoria pública. 1.9 Controle da constitucionalidade. 1.10 Defesa do Estado e das instituições democráticas. 1.11 Sistema tributário nacional. 1.12. Finanças públicas. 1.13 Ordem econômica e financeira. 1.14 Ordem social. 2 Direito Administrativo. 2.1 Conceituação, objeto, fontes e princípios do direito administrativo. 2.2 Administração pública. 2.3 Atos administrativos. 2.4 Poderes da administração pública. 2.5 Bens e serviços públicos. 2.6 Licitações e legislação pertinente. 2.7 Contratos administrativos. 3 Direito do Trabalho. 3.1 Fontes do direito do trabalho e princípios aplicáveis. 3.2 Direitos constitucionais dos trabalhadores. 3.3 Relação de trabalho e relação de emprego. 3.4 Sujeitos do contrato de trabalho. 3.5 Contrato individual de trabalho. Alteração, suspensão, interrupção e rescisão do contrato de trabalho. 3.6 Aviso prévio. 3.7 Estabilidade e garantias provisórias de emprego. 3.8 Jornada de trabalho e descanso. 3.9 Salário mínimo. 3.10 Férias. 3.11 Salário e remuneração. 3.12 FGTS. 3.13 Segurança e medicina no trabalho. 3.14 Proteção ao trabalho do menor. 3.15 Proteção ao trabalho da mulher. 3.16 Direito coletivo do trabalho. 4 Direito Processual do Trabalho. 4.1 Provas, recursos e ação rescisória no processo do trabalho. 4.2 Processos de execução. 4.3 Prescrição e decadência no processo do trabalho. 4.4 Competência da Justiça do Trabalho. 4.5 Rito sumaríssimo no dissídio individual. 4.6 Comissão prévia de conciliação nos dissídios individuais. 4.7 Dissídios coletivos. 4.8 Da Instituição Sindical. 4.9 Processo de multas administrativas. 5 Direito Civil. 5.1 Fontes do direito civil, princípios aplicáveis e normas gerais. 5.2 Pessoas naturais e pessoas jurídicas. 5.3 Bens. 5.4 Atos jurídicos. 5.5 Negócio jurídico. 5.6 Prescrição e decadência. 5.7 Prova. 5.8 Obrigações. 5.9 Contratos. 6 Direito Processual Civil. 6.1 Jurisdição e ação. 6.2 Partes e procuradores. 6.3 Litisconsórcio e assistência. 6.4 Intervenção de terceiros. 6.5 Ministério Público. 6.6 Competência. 6.7 O juiz. 6.8 Atos processuais. 6.9 Formação, suspensão e extinção do processo. 6.10 Procedimentos ordinário e sumário. 6.11 Resposta do réu. 6.12 Revelia. 6.13 Julgamento conforme o estado do processo. 6.14 Provas. 6.15 Audiência. 6.16 Sentença e coisa julgada. 6.17 Liquidação e cumprimento da sentença. 6.18 Recursos. 6.19 Processo de execução. 6.20 Processo cautelar e medidas cautelares. 6.21 Procedimentos especiais: mandado de segurança, ação popular, ação civil pública e ação de improbidade administrativa.

5.4 ECONOMIA (Código 104)

1 Introdução aos problemas econômicos. 2 Escassez e escolha. 3 Livre mercado. 4 Papel do governo em economias em desenvolvimento. 5 Macroeconomia. 5.1 Contas nacionais. 5.2 Balanço de pagamentos. 5.3 Taxas de câmbio. 5.4 Sistemas de taxas de câmbio fixas e flexíveis. 5.5 Agregados macroeconômicos. 5.6 Renda e produto de equilíbrio. 5.7 Consumo. 5.8 Poupança. 5.9 Investimento. 5.10 Multiplicador. 6 Setor governo e política fiscal. 6.1 Déficits e dívida pública. 6.2 Moeda e crédito. 7 Economia do Setor Público. 7.1 O papel do Setor Público em uma economia capitalista. 7.2 Natureza e estrutura das despesas públicas. 7.3 Orçamento público. 7.4 Finanças públicas do Brasil. 8 Conceitos e funções da moeda. 8.1 Base monetária. 8.2 Meios de pagamento. 8.3 Multiplicador monetário. 8.4 Banco Central e instrumentos de controle monetário. 8.5 Sistema financeiro nacional. 9 Microeconomia. 9.1 Lei da oferta de da demanda. 9.2 Curvas de demanda e de oferta. 9.3 Elasticidade-preço. 9.4 Fatores que afetam a elasticidade-preço. 9.5 Elasticidade-renda. 10 Noções de teoria da produção. 10.1 Função de produção. 10.2 Conceitos básicos de custos de produção. 10.3 Preço e produto em concorrência perfeita, em oligopólio e em monopólio. 10.4 Falhas no sistema de mercado. 11 Noções sobre métodos quantitativos. 11.1 Números índices, análise de regressão linear. 12 Análise de investimento e matemática financeira. 13 Sistema bancário. 13.1 Bancos e instituições financeiras. 13.2 Criação de crédito e mecanismo bancários. 13.3 Sistema de câmara de compensação. 13.4 Operações de crédito, taxas e juros, indicadores financeiros, intermediações financeira, análise e avaliação de títulos de investimento. 14 Análise de Projetos. 14.1 Ponto de Equilíbrio. 14.2 Taxa Interna de Retorno. 14.3 Valor Presente Líquido. 14.4 Estudos de Viabilidade. 15 Matemática financeira. 15.1 Regra de três simples e composta, percentagens. 15.2 Juros simples e compostos. Capitalização simples e composta e descontos. 15.3 Taxas de juros. Nominal, efetiva, equivalentes, real e aparente. 15.4 Rendas uniformes e variáveis. 15.5 Planos de amortização de empréstimos e financiamentos. 15.6 Taxa interna de retorno. 16 Probabilidade e estatística. 16.1 Cálculo de probabilidade. 16.2 Variáveis aleatórias e suas distribuições. 16.3 Medidas características de uma distribuição de probabilidade. 16.4 Modelos probabilísticos. 16.5 Análises estática e dinâmica de observações. 16.6 Noções de testes de hipóteses.

5.5 ENGENHARIA AGRÍCOLA (Código 105)

1 Física. Fluidos. Ondas em meios elásticos. Natureza e propagação da luz. Óticas geométrica e física. Temperatura. Termodinâmica. Teoria cinética dos gases. Estática da partícula e dos corpos rígidos em 3 dimensões. Forças distribuídas. Análise de estruturas. Cinemática e dinâmica dos corpos rígidos. 2 Fenômenos de transporte. Propriedades gerais, estática e dinâmica dos fluídos. Viscosidade e resistência. Análise dimensional e semelhança. Medida e controle de fluídos. Escoamento. Condução. Transferência de calor e massa. Condução permanente e transiente. Balanço geral e diferencial de massa-energia e momentum. Convecção de calor e massa. Ebulição e condensação. Trocadores de calor. Radiação. 3 Resistência dos materiais. Equilíbrio dos corpos sólidos. Esforços internos solicitantes. Diagrama de esforços e momentos. Tensões e deformações. Elasticidade e plasticidade. Lei de Hooke. Flexão simples. 4 Noções de mecânica. 4.1 Estática dos pontos materiais. 4.2 Estática dos corpos rígidos. 4.3 Forças atuantes em vigas. 4.4 Forças distribuídas. 4.5 Atrito. 4.6 Cinemática e cinética das partículas. 4.7 Trabalho, energia, potência e rendimento. 5 Mecânica dos fluidos e termodinâmica. 6 Topografia e altimetria. 6.1 Nivelamentos de superfícies. 6.2 Técnicas de representação do relevo. 6.3 Locação altimétrica de obras. 7 Noções de energia elétrica e eletrificação rural. 7.1 Eletromagnetismo. 7.2 Transformadores. 7.3 Geradores CC. Geradores CA. 7.4 Motores CC. Motores CA. 7.5 Curva de carga e alocação de transformador. 7.6 Dimensionamento de condutores. 7.6 Encaminhamento. 7.7 Iluminação. Divisão de circuitos. Acionamentos. Aterramento. 7.8 Fontes alternativas de energia. 8 Armazenagem de produtos agrícolas. 8.1 Maturação e colheita dos grãos. 8.2 Estrutura e composição química dos grãos. 8.3 Propriedades físicas dos grãos. 8.4 A água nos grãos. 8.5 Amostragem. 8.6 Higrometria. 8.7 Umidade de equilíbrio. 8.8 Respiração e deterioração dos grãos. 8.9 Armazenamento de grãos. 8.10 Pragas de grãos armazenados. 8.11 Roedores. 8.12 Beneficiamento de grãos. 8.13 Noções de classificação de grãos armazenados. Seleção e construção de ventiladores. Energia no pré-processamento de produtos agrícolas. 9 Secagem e aeração de produtos agrícolas. 9.1 Movimentação e distribuição do ar. 9.2 Aeração e termometria. 9.3 Secagem e secadores de grãos. 9.4 Simulação de secagem. 9.5 Transformadores de grãos. 10 Probabilidade e estatística. 10.1 Fundamentos do cálculo de probabilidade. 10.2 Variáveis aleatórias e suas distribuições. 10.3 Medidas características de uma distribuição de probabilidade. 10.4 Modelos probabilísticos. 10.5 Análises estática e dinâmica de observações. 10.6 Noções de testes de hipóteses. 11 Legislação sobre armazenagem. 11.1 Lei nº 9.973, de 29 de maio de 2001. 11.2 Decreto Nº 3.855, de 3 de julho de 2001. 11.3 Lei nº 11.076, de 30 de dezembro de 2004. 11.4 Instrução normativa MAPA nº 41, de 14 de dezembro de 2010. 11.5 Instrução normativa MAPA nº 29, de 8 de julho de 2011. 12 Informática (programas de software básicos para uso em escritório e AutoCAD). 13 Poluição ambiental. 13.1 Qualidade ambiental. 13.2 Fontes de poluição e principais poluentes e contaminantes. 13.3 Principais parâmetros de avaliação da qualidade ambiental e de caracterização de resíduos de atividades antrópicas. 13.4 Impactos ambientais provocados pelos resíduos EDITAL Nº 2 - CONCURSO PÚBLICO 1/2014 - CONAB - NORMATIVO Página 15 de 20 de atividades antrópicas. 13.5 Legislação ambiental. 13.6 Dispersão de poluentes. 13.7 Capacidade ambiental de autodepuração de poluentes.

5.6 ENGENHARIA AGRONÔMICA OU AGRONOMIA (Código 106)

1 Agronomia e ciências ambientais. 1.1 organização da classe agronômica e do setor agrícola. 1.2 A agropecuária brasileira. 1.2 A agronomia e o desenvolvimento sustentável. 1.3 Planta, água e solo. 1.4 Ecossistemas, manejo e impactos ambientais. 1.5 Influência do clima nos ecossistemas naturais e agroindustriais. 1.6 Poluição ambiental rural. 1.7 Conservação dos recursos naturais. 1.8 Saneamento básico rural. 2 Administração rural e comercialização agrícola. 2.1 Administração rural. 2.2 Capital e custo de produção. 2.3 Medidas de resultado econômico. 2.4 Fatores que afetam os resultados econômicos. 2.5 Comercialização. 2.6 Crédito rural e seguro rural. 2.7 Planejamento agrícola. 3 Agroclimatologia. 3.1 Climatologia, meteorologia e agroclimatologia ou meteorologia agrícola. 3.2 Instrumentação e observação meteorológica. 3.3 Atmosfera. 3.4 Radiação solar e plantas cultivadas. 3.5 Temperatura do ar e do solo e plantas cultivadas. 3.6 Vento e plantas cultivadas. 3.7 A água na atmosfera. 3.8 Necessidade hídrica das culturas. 3.9 Proteção das plantas contra os efeitos adversos do tempo. 3.10 Zoneamento agroclimático. 4 Fenômenos de transporte. Propriedades gerais, estática e dinâmica dos fluídos. Viscosidade e resistência. Análise dimensional e semelhança. Medida e controle de fluídos. Escoamento. Condução. Transferência de calor e massa. Condução permanente e transiente. Balanço geral e diferencial de massa-energia e momentum. Convecção de calor e massa. Ebulição e condensação. Trocadores de calor. Radiação. 5 Microbiologia de alimentos. A ecologia microbiana dos alimentos. A contaminação e a deterioração dos alimentos. Intoxicações e infecções de origem alimentar. A conservação e controle microbiológico de alimentos. 6 Bioquímicos. Defensivos agrícolas. Receituário agronômico. Parques e jardins. 6 Fundamentos da ciência do solo. 6.1 Introdução à fauna do solo. 6.2 Microbiota do solo. 6.3 Transformações bioquímicas dos nutrientes. 6.4 Rizosfera. 6.5 Micorrizas. 6.6 Fixação biológica do nitrogênio. 6.7 Adubação verde. 6.8 Manejo e a microbiota do solo. 7 Conservação do solo e da água. 7.1 Sustentabilidade do uso dos recursos solo e água. Erosão. 7.2 Erosividade da chuva. Infiltração, escoamento e conservação da água. 7.3 Erodibilidade do solo. 7.4 Manejo da matéria orgânica do solo. 7.5 Modelos de precisão de erosão e seu uso na conservação do solo. 7.6 Práticas conservacionistas de caráter mecânico. 7.7 Sistemas de preparo do solo. 7.8 Técnicas de manejo cultural. 8 Extensão rural. 8.1 Desenvolvimento rural. 8.2 A extensão rural no Brasil. 8.3 O meio rural brasileiro. 9 Certificação das unidades armazenadoras. 10 Tecnologia de sementes. 11 Armazenagem de produtos agrícolas. 11.1 Maturação e colheita dos grãos. 11.2 Estrutura e composição química dos grãos. 11.3 Propriedades físicas dos grãos. 11.4 A água nos grãos. 11.5 Amostragem. 11.6 Higrometria. 11.7 Umidade de equilíbrio. 11.8 Respiração e deterioração dos grãos. 11.9 Armazenamento de grãos. 11.10 Pragas de grãos armazenados. 11.11 Roedores. 11.12 Beneficiamento de grãos. 12 Secagem e aeração de produtos agrícolas. 12.1 Movimentação e distribuição do ar. 12.2 Aeração e termometria. 12.3 Secagem. 12.4 Simulação de secagem. 12.5 Transformadores de grãos. 13 Sistemas de irrigação e drenagem. 13.1 Irrigação por sulcos, por inundação, por aspersão convencional, por pivô central e localizada. 13.2 Drenagem subterrânea. 14 Máquinas agrícolas. 14.1 Mecanização agrícola. 14.2 Energia, motores e tratores. 14.3 Preparo do solo. 14.4 Semeadura e plantio. 14.5 Defesa fitossanitária e pulverizadores. 14.6 Colheita e colhedoras. 15 Tecnologia dos produtos agropecuários. 15.1 Bioquímica de alimentos. 15.2 Microbiologia dos alimentos. 15.3 Conservação de alimentos. 15.4 Tecnologia de leite. 15.5 Tecnologia de óleos. 15.6 Tecnologia de amido. 15.7 Fermentação alcoólica. 15.8 Processamento e conservação de frutas. 15.9 Escurecimento enzimático. 15.10 Escurecimento não enzimático. 16 Topografia e fotogrametria. 16.1 Geodésia. 16.2 Sistema de posicionamento global. 16.3 Cartografia. 16.4 Fotogrametria e aerofotogrametria. 16.5 Topografia. 17 Legislação específica. 17.1 Lei nº 9.973, de 29 de maio de 2000. 17.2 Lei Nº 9.972, de 25 de maio de 2000 - institui a classificação de produtos vegetais. 17.3 Decreto nº 1.102, de 21 de novembro de 1903. 17.4 Decreto Nº 3.855, de 3 de julho de 2001. 17.5 Decreto nº 6.268, de 22 de novembro de 2007 - regulamenta a lei nº 9.972/2000. 18 Probabilidade e estatística. 18.1 Fundamentos do cálculo de probabilidade. 18.2 Variáveis aleatórias e suas distribuições. 18.3 Medidas características de uma distribuição de probabilidade. 18.4 Modelos probabilísticos. 18.5 Análises estática e dinâmica de observações. 18.6 Noções de testes de hipóteses.

5.7 ENGENHARIA - CIVIL (Código 107)

1 Estrutura de concreto armado. 1.1 Projeto estrutural em concreto armado. Composição do concreto. Formas de associação concreto-aço. 1.2 Pilares a compressão centrada. 1.3 Flexão normal simples de peças de concreto armado. 1.4 Lajes maciças retangulares de edifícios. 1.5 Estados limites do concreto. 1.6 Fissuração. 1.7 Flechas. 1.8 Lajes à ruptura. 1.9 Flexão composta normal e obliqua. 1.10 Pilar padrão. 1.11 Torção. 1.12 Lajes nervuradas. 1.13 Cortinas. 1.14 Escadas. 1.15 Marquises. 1.16 Caixa d'água. 1.17 Pilares e vigas parede. 1.18 Punção. 1.19 Normas técnicas. 2 Estruturas metálicas e de madeira. 2.1 Critérios de dimensionamento e cargas. 2.2 Perfis de chapa dobrada a frio. 2.3 Dimensionamento de perfis laminados: barras tracionadas, barras comprimidas, barras fletidas e barras submetidas a solicitação composta. 2.4 Ligações. 3 Materiais de construção civil. 3.1 Classificação, propriedades gerais e normalização. 3.2 Materiais cerâmicos. 3.3 Aço para concreto armado e protendido. 3.4 Polímeros. 3.5 Agregados. 3.6 Aglomerantes não-hidráulicos (aéreos) e hidráulicos. 3.7 Concreto. 3.8 Argamassas. 4 Tecnologia das construções. 4.1 Terraplanagem. 4.2 Canteiro de obras. 4.3 Locação de obras. Sistemas de formas para as fundações e elementos da superestrutura (pilares, vigas e lajes). 4.4 Fundações superficiais e profundas. 4.5 Lajes. 4.6 Telhados com telhas cerâmicas, telhas de fibrocimento e telhas metálicas. 4.7 Isolantes térmicos para lajes e alvenaria. 4.8 Impermeabilização. 5 Planejamento e controle de construções. 5.1 Canteiro. Estruturas de apoio e de produção. 5.2 Orçamento. Orçamentos por estimativa e informatizado. Custo unitário básico. Discriminação técnica. Composição dos serviços. Discriminação orçamentária e quantificação dos serviços. Composição de BDI. 5.3 Custos. Materiais, equipamentos e mão-de-obra. 5.4 Projeto. Processo de projeto de edificações. Compatibilização de projetos. Documentos de projetos. Aprovação de projetos. 5.5 Planejamento. Técnicas de planejamento e controle de obras. 6 Sistemas hidráulicos prediais. 6.1 Projetos de instalações prediais hidráulicas, sanitárias e de águas pluviais. 6.2 Materiais e equipamentos. 6.3 Instalações de prevenção e combate à incêndio. 6.4 Instalações de esgoto sanitário. 6.5 Instalações de águas pluviais. 7 Instalações prediais elétricas e telefônicas. 7.1 Instalações elétricas de iluminação de interiores e exteriores. Simbologia, lançamento de pontos, divisão de circuitos, quadro de cargas, proteção e condução, tubulação e fiação e entrada de energia. Proteção das instalações elétricas arquitetônicas. Aplicação em projetos de edifícios. 7.2 Luminotécnica. Iluminação incandescente, fluorescente e a vapor de mercúrio. Cálculo de iluminação. 7.3 Instalações telefônicas, para motriz e SPDA (pára-raios). 7.4 Projetos elétrico e telefônico. 8 Fenômenos de transporte. 8.1 Mecânica dos fluidos. Propriedades e estática dos fluidos. Estudo dos fluidos em movimento. Análise dimensional e semelhança dinâmica. Escoamentos internos. Máquinas de fluxo. Escoamentos externos e de fluidos compressíveis. 8.2 Transferência de massa. Difusão molecular e difusividade. Transferência de massa por convecção e difusão turbulenta. 8.3 Transmissão de calor. 9 Geologia. 9.1 Estrutura interna da Terra. 9.2 Cristais, minerais e rochas. 9.3 Rochas sedimentares e metamórficas. 9.4 Atividades da água, do vento e do mar. 10 Geotecnia. 10.1 Mecânica dos solos. Tipos de solo. O solo como material de fundação e de construção. 10.2 Índices físicos. 10.3 Granulometria por peneiramento e por sedimentação. Análise da curva granulométrica. 10.4 Consistência e classificação dos solos. 10.5 Forma das partículas dos solos. Estrutura dos solos grossos e finos. Superfície especifica. Sensibilidade das argilas. Tixotropia. 10.6 Sucção e Capilaridade. Curva característica de retenção de água. 10.7 Compactação. 11 Isostática. 11.1 Hipóteses básicas, determinação de isostaticidade e esforços simples. 11.2 Treliças isostáticas. Formulação da matriz de equilíbrio. Método do equilíbrio nodal. Método das seções de Ritter. 11.3 Vigas isostáticas. Equação fundamental da estática. Determinação de linhas de estado para carregamentos típicos. Vigas Gerber. Técnica da viga de substituição na resolução de treliças de altura constante. 11.4 Pórticos planos. 11.5 Arcos isostáticos. 11.6 Grelhas e vigas isostáticas. 12 Mecânica dos sólidos. 12.1 Estática. Equilíbrio de corpos estruturais. Sistemas estruturais. Propriedades geométricas. 12.2 Cinemática. Posição, velocidade e aceleração de um corpo rígido. Teoremas cinemáticos. Movimento de corpo rígido. Sistemas mecânicos. 12.3 Dinâmica. Tensor de inércia. Quantidade de movimento. Equação de movimento. 12.4 Tração, compressão e cisalhamento. 12.5 Membros carregados axialmente. 12.6 Torção. 12.7 Tensões em vigas. 12.8 Análise de tensão e deformação. 12.9 Aplicações de tensão plana. 12.10 Deflexão de vigas. 13 Probabilidade e estatística. 13.1 Cálculo de probabilidade. 13.2 Variáveis aleatórias e suas distribuições. 13.3 Medidas características de uma distribuição de probabilidade. 13.4 Modelos probabilísticos. 13.5 Análises estática e dinâmica de observações. 13.6 Noções de testes de hipóteses. 14 Informática (programas de software básicos para uso em escritório e AutoCAD). 15 Pavimentação. 15.1 Manejo ambiental. 15.2 Sistemática empregada na execução da camada de sub base estabilizada granulometricamente. 15.3 Normas de pavimento flexíveis e de concreto.

5.8 ENGENHARIA - ELÉTRICA (Código 108)

1 Circuitos elétricos. 1.1 Elementos elétricos básicos. Fontes independentes e controlados. 1.2 Energia e potência. Leis de Kirchhoff. 1.3 Circuitos resistivos. Associação de elementos em série e em paralelo. Divisão de tensão e de corrente. 1.4 Lincaridade e invariância no tempo. 1.5 Teorema da superposição. 1.6 Teoremas de Thevenin e de Norton. 1.7 Circuitos de 1ª e de 2ª ordem. Resposta ao degrau e ao impulso. Resposta completa, transitório e regime permanente. 1.8 Equações de circuitos lineares ao domínio do tempo. Equação das malhas e equação dos NOS. 1.9 Regime permanente senoidal. Transformada de Laplace. Equações de circuitos lineares no domínio da frequência. Análise de Fourier. Potência e energia. Quadripolos passivo e ativos. Acoplamento magnético e transformadores. 2 Circuitos polifásicos. 2.1 Valores percentuais e por unidade. 2.2 Componentes simétricas. 2.3 Cálculo de curto-circuitos simétricos e assimétricos. 3 Análise de sistemas de potência. 3.1 Sistemas elétricos de potência. Matrizes nodais. 3.2 Fluxo de carga. Estratégias ótimas de funcionamento. Estabilidades estática e transitória. 4 Análise dinâmica linear. 4.1 Sistemas dinâmicos, sistemas físicos e sistemas lineares contínuos. 4.2 Função de transferência, diagramas de bloco, fluxografos. 4.3 Resposta dos sistemas lineares contínuos. 4.4 Resposta em frequência, função de transferência senoidal e diagramas de Bode, polar e retangular. 4.5 Equação de estado. 4.6 Sistemas lineares discretos no tempo. 4.7 Equações de diferenças. 4.8 Sistemas lineares discretos: sequência de ponderação, transformada z, função de transferência discreta e equação de estados discretos. 5 Controle dinâmico. 5.1 Estrutura de sistemas de controle. 5.2 Dinâmica de sistemas realimentados. 5.3 Desempenho dinâmico de sistemas controlados: estabilidade, robustez e acompanhamento de sinais. Critério de Routh-Hurwitz. Especificações da resposta no tempo. Método do lugar geométrico das raízes. 5.4 Critério de Nyquist. Especificações da resposta em frequência. Desempenho dinâmico no diagrama de Bode. 5.5 Controle e observação no espaço de estados. 5.6 Projeto de controladores analógicos: compensação dinâmica no domínio-s. 5.7 Compensação dinâmica no domínio. 5.8 Alocação de pólos por realimentação de estado. Estimadores de estado. 5.9 Sistemas não-lineares. 5.10 Análise dinâmica no espaço de estados. 5.11 Métodos de análise por aproximação. 5.12 Método direto de Liapunov. 6 Conversão de energia. 6.1 Princípios de conversão de energia elétrica e eletromecânica. Circuitos magnéticos e acoplados. Indutância. Transformadores monofásicos. Energia e co-energia. Campos magnéticos girantes. Força e conjugado em dispositivos eletromecânicos. Máquinas síncronas e do motor de indução. 6.2 Máquina eletromecânica elementar. 6.3 Máquina de corrente contínua. Conceitos básicos e tipos de máquinas. Funcionamento em regime permanente. Rendimento. Controle de velocidade. 7 Instalações elétricas. 7.1 Instalações elétricas de iluminação. 7.2 Proteção e controle dos circuitos. 7.3 Luminotécnica. 7.4 Iluminação de interiores e de exteriores. 7.5 Instalações para força motriz. 7.6 Seleção de motores. 7.7 Sistemas de automação predial integrada. 7.8 Sistemas de prevenção contra descargas atmosféricas. 7.9 Normas e prescrições da ABNT. 8 Máquinas elétricas. 8.1 Transformador. 8.2 Máquina de indução. 9 Eletromagnetismo. 9.1 Análise vetorial. Campos elétricos e magnéticos estáticos. 9.2 Propriedades dielétricas e magnéticas da matéria. 9.3 Equações de Maxwell. 9.4 Ondas Planas. 9.5 Reflexão e refração de ondas eletromagnéticas. 9.6 Linhas de transmissão. 10 Materiais elétricos e magnéticos. 10.1 Estudo dos Cristais. 10.2 Noções de mecânica quântica. 10.3 Níveis de energia de elétrons em sólidos. 10.4 Metais. 10.5 Semicondutores. Materiais magnéticos e dielétricos. 11 Sistemas de produção. 11.1 Maturidade e valor em sistemas de produção. 11.2 Estratégia e modelos de produção. 11.3 Gestão da cadeia de suprimento. 11.4 Custos e formação de preços. 11.5 Engenharia econômica. 11.6 Gestão da qualidade e de projetos. 11.7 Planejamento e controle da produção. 12 Acionamentos industriais. 12.1 Acionamentos elétricos. 12.2 Partida e frenagem de motores elétricos. 12.3 Diagramas de cargas. 12.4 Escolha de motores. 12.5 Controle eletrônico de motores de corrente alternada. 13 Distribuição de energia elétrica. 13.1 Sistemas de distribuição. 13.2 Planejamento, projetos e estudos de engenharia. 13.3 Construção, operação, manutenção, proteção, desempenho, normas, padrões e procedimentos. 14 Proteção de sistemas elétricos. 14.1 Sistemas elétricos de potência. 14.2 Transformadores de corrente e de potencial para serviços de proteção. 14.3 Proteção digital de sistemas elétricos de potência. 14.4 Proteção de sobrecorrente de sistemas de distribuição de energia elétrica. 14.5 Esquemas de teleproteção. 14.6 Proteção diferencial de transformadores de potência, geradores e barramento. 14.7 Proteção digital de sistemas elétricos de potência. 15 Circuitos de eletrônica. 15.1 Conformação linear e não-linear de sinais. 15.1 Transformadores de pulso e linhas de retardo. 15.2 Circuitos grampeadores e de comutação. 15.3 Multivibradores. 15.4 Geradores de base de tempo. 15.5 Osciladores de bloqueio. 15.6 Amplificadores transistorizados especiais. 15.7 Amplificadores de vídeo. 15.8 Técnicas de compensação da resposta em freqüência 15.9 Características e emprego de amplificadores operacionais. 15.10 Circuitos integrados lineares. 16 Sistemas digitais. 16.1 Sistemas de numeração e códigos. 16.2 Portas lógicas e álgebra booleana. 16.3 Circuitos lógicos combinacionais. 16.4 VHDL. 16.5 Aritmética digital. 16.6 Circuitos lógicos MSI. 16.7 Sistemas sequenciais. 16.8 Latches e flip flops. 16.9 Circuitos sequenciais síncronos e assíncronos. 16.10 Registradores e contadores. 16.11 Memórias. 16.12 Sequenciadores. 16.13 Dispositivos lógicos programáveis. 17 Probabilidade e estatística. 17.1 Cálculo de probabilidade. 17.2 Variáveis aleatórias e suas distribuições. 17.3 Medidas características de uma distribuição de probabilidade. 17.4 Modelos probabilísticos. 17.5 Análises estática e dinâmica de observações. 17.6 Noções de testes de hipóteses.

5.9 ENGENHARIA - MECÂNICA (Código 109)

1 Desenho mecânico assistido por computador. 1.1 Normas de desenho técnico. 1.2 Geometria descritiva. 1.3 Construção e edição em ambiente CAD. 1.4 Projeção ortogonal. 1.5 Cotagem e Indicação de tolerâncias. 1.6 Textos, blocos, vistas em cortes e auxiliares. 1.7 Desenho isométrico. 1.8 Roscas, parafusos, rebites, polias, chavetas, rolamentos e engrenagens. 2 Mecânica. 2.1 Modelagem de sistemas mecânicos. 2.2 Centroides e centros de massa. Vetores e álgebra matricial. Forças e momentos. Equilíbrio de partículas. 2.3 Equilíbrio de corpos rígidos e de estruturas. 2.4 Esforços internos. 2.5 Trabalho virtual e energia potencial. 2.6 Estabilidade em estruturas e de sistema de corpos rígidos e vinculações elásticas. 2.7 Tração em barras. 2.8 Movimento de um ponto. Força, massa e aceleração. 2.9 Métodos de energia. 2.10 Cinemática e dinâmica de corpos rígidos. 2.11 Dinâmica dos sistemas de partículas. 3 Mecânica dos fluidos. 3.1. Descrição dos fluidos. 3.2 Cinemática de escoamentos. 3.3 Estática dos fluidos. 3.4 Análise de escala e dimensional de um escoamento. 3.5 Formulação integral das leis de conservação. 3.6 Escoamento compressível uniforme. 3.7 Escoamento líquido incompressível. 3.8 Formulação diferencial da equação do movimento. 3.9 Escoamento laminar viscoso incompressível. 3.10 Teoria da Camada Limite. 4 Mecânica dos materiais. 4.1 Elasticidade. 4.2 Plasticidade. 4.3 Concentração de tensões. 4.4 Mecânica da fratura linear elástica. 4.5 Fadiga de materiais. 4.6 Flambagem. 5 Mecânica dos sólidos. 5.1 Estática. Equilíbrio de corpos estruturais. Sistemas estruturais. Propriedades geométricas. 5.2 Cinemática. Posição, velocidade e aceleração de um corpo rígido. Teoremas cinemáticos. Movimento de corpo rígido. Sistemas mecânicos. 5.3 Dinâmica. Tensor de inércia. Quantidade de movimento. Equação de movimento. 5.4 Tração, compressão e cisalhamento. 5.5 Membros carregados axialmente. 5.6 Torção. 5.7 Tensões em vigas. 5.8 Análise de tensão e deformação. 5.9 Aplicações de tensão plana. 5.10 Deflexão de vigas. 6 Eletricidade. 6.1 Análise de circuitos em regime permanente. 6.2 Representação fasorial de senóides. 6.3 Potência e sua correção. 6.4 Medidas de tensões, correntes e resistência. 6.5 Medida de potência. 6.6 Controle de motores elétricos. 6.7 Circuitos com intervamento. 6.8 Circuitos com temporização. 6.9 Dinâmica dos acionamentos com motores elétricos. 6.10 Aquecimento, ventilação e regimes de serviço de motores elétricos. 6.11 Escolha de motores elétricos. 7 Instalações termomecânicas. 7.1 Trocadores de calor com e sem mudança de fase. 7.2 Ciclo de refrigeração por compressão de vapor. 7.3 Componentes e controles de sistemas de refrigeração. 7.4 Torres de resfriamento e condensadores evaporativos. 7.5 Cálculo de carga térmica. 7.6 Câmaras frigoríficas. 7.7 Projetos de sistemas de refrigeração. 7.8 Ventilização. Dimensionamento básico. Características gerais dos equipamentos. 7.9 Carga térmica. 7.10 Processos psicrométricos. 7.11 Equipamentos para climatização. 7.12 Sistemas de ar condicionado. 8 Máquinas térmicas. 8.1 Compressores, turbinas a gás e turboreatores. 8.2 Motores de combustão internas, teoria da combustão, carburação, injeção, ciclos reais, centrais térmicas a vapor d'água. 9 Materiais de construção mecânica. 9.1 Propriedades e comportamentos de materiais. 9.2 Ligações químicas. 9.3 Ordenação e desordem atômica nos sólidos. 9.4 Metais monofásicos. 9.5 Fases moleculares. 9.6 Materiais cerâmicos. 9.7 Materiais polifásicos: diagramas de equilíbrio, microtexturas e processamentos térmicos. 9.8 Diagrama ferro-carbono. 9.9 Corrosão. 9.10 Aço e ferros fundidos. 9.11 Metais não ferrosos. 10 Metrologia. 10.1 Terminologia. Sistemas internacional de unidades. Medição direta e indireta. Padrões e calibração: Blocos padrões. 10.2 Sistemas de tolerâncias e ajustes. 10.3 Tolerâncias geométricas. 10.4 Rugosidade superficial. 10.5 Sistemas de medição. 10.6 Medição de roscas e engrenagens. 11 Sistemas fluido-mecânicos. 11.1 Máquinas de fluxo. 11.2 Equação fundamental das máquinas de fluxo. 11.3 Perdas e rendimentos nas máquinas de fluxo. 11.4 Análise dimensional e semelhança nas máquinas de fluxo. 11.5 Altura de colocação de uma máquina de fluxo. 11.6 Curvas características para bombas e turbinas. 11.7 Dispositivos hidráulicos especiais. 12 Termodinâmica. 12.1 1ª lei da termodinâmica. 12.2 Propriedades e relações termodinâmicas. 12.3 2ª lei da termodinâmica. 12.4 Análise de energia. 12.5 Sistemas de potência a vapor e a gás. 12.6 Sistemas de refrigeração e bombas de calor. 12.7 Misturas de gases ideais e psicrometria. 13 Transferência de calor. 13.1 Condução, convecção e radiação. 14 Dinâmica de estruturas. 14.1 Procedimentos de discretização. 14.2 Métodos de matrizes de transferência. 14.3 Síntese modal. 14.4 Resolução de problemas de valor próprio. 14.5 Modelagem do amortecimento. 14.6 Identificação modal. 14.7 Correção de modelos. 15 Probabilidade e estatística. 15.1 Fundamentos do cálculo de probabilidade. 15.2 Variáveis aleatórias e suas distribuições. 15.3 Medidas características de uma distribuição de probabilidade. 15.4 Modelos probabilísticos. 15.5 Análises estática e dinâmica de observações. 15.6 Noções de testes de hipóteses. 16 Noções gerais de controles de fases de projetos. 17 Noções de automação. 17.1 Comandos e controles em instalações termodinâmicas. 17.2 Noções gerais de tubulações industriais. 18 Sistemas de captação de pó. 19 Noções gerais de pintura e proteção catódica.

5.10 GESTÃO DO AGRONEGÓCIO (Código 110)

1 O agronegócio e as suas características. 1.1 A evolução do setor agrícola no Brasil. 1.2 A agroindustrialização. 1.3 Competências do agronegócio brasileiro. 1.4 A iniciativa nos negócios agropecuários. 1.5 Modernização agrícola e a transformação do meio rural. 1.6 Agricultura familiar e desenvolvimento sustentável. 1.7 Agricultura ecológica. 1.8 Modelos de desenvolvimento agrícola em outros países. 1.9 Estrutura fundiária. 1.10 Associativismo e coopertativismo. 1.11 Análise das cadeias produtivas: a comercialização agrícola. 2 Administração e planejamento rural. 2.1 Processos administrativos aplicados à unidade de produção agrícola. 2.2 Administração Rural. 2.3 Gestão da produção na agricultura. 2.4 Contabilidade agrícola. 2.5 Planejamento Agrícola. 2.6 Métodos de programação e de avaliação econômica de projetos. 2.7 Fatores que afetam os resultados econômicos. 2.8 Projetos agropecuários. 3 Gestão em Agronegócios. 3.1 Conceitos e princípios básicos. 3.2 Gerenciamento dos sistemas agroindustriais. 3.3 A interrelação entre os elos das cadeias produtivas. 3.4 As características dos empreendimentos rurais. 4 Economia Rural. 4.1 Teoria econômica. 4.2 Microeconomia: teoria da produção, teoria do custo, teoria da firma nos mercados de concorrência perfeita e imperfeita. 4.3 Macroeconomia: agregados macroeconômicos e orçamentos governamentais. 4.4 Conceitos básicos de economia agrícola. 5 Gestão Ambiental Agroindustrial. 5.1 A gestão ambiental em organizações agrícolas e agroindustriais. 5.2 Os métodos e técnicas de produção limpa. 5.3 Qualidade de produtos ecológicos. 5.4 ISO 14.000 e a competitividade internacional. 5.5 Tratamento de resíduos. 5.6 Políticas e legislação ambiental. 5.7 Fontes alternativas de energia. 6 Logística aplicada ao agronegócio. 6.1 Conceitos gerais de logística. 6.2 Sistemas de transporte, armazenagem e acondicionamento. 6.3 Expansão do complexo agroindustrial e dificuldades de desenvolvimento. 6.4 Sistematização geral do complexo agroindustrial. 6.5 A estrutura do complexo agroindustrial brasileiro. 6.6 Estratégia logística. 6.7 Controle de estoques. 6.8 Coleta e distribuição de produtos agroindustriais. 6.9 Localização de instalações e armazenagem. 7 Crédito rural e política agrícola. 7.1 Legislação do crédito rural no Brasil. 7.2 Os mercados financeiros e a classificação dos financiamentos. 7.3 Modalidades de crédito rural. 7.4 Crédito rural e preços mínimos. 7.5 Seguros agrícolas. 7.6 Programas especiais e setoriais de aplicação do crédito rural. 7.7 A política de crédito rural e o desenvolvimento da agricultura.

5.11 AUDITORIA (Código 111)

1 Manual de Auditoria Interna (MAI) - 3ª Versão, 2009 (ver www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/12 07 02 11 10 35 mai_ versao_2009.pdf). 1.1 Da Unidade de auditoria interna. Introdução e atributos. Competência regimental. Posicionamento hierárquico e grau de dependência da unidade de auditoria interna. Atividade de orientação. Avaliação do desempenho. Atividades subsidiárias. Controle social. Tomada de contas especial. Diligências. Organização e estrutura. Áreas de atuação. Orientação à estratégia. Código de ética. 1.2 Planejamento. Materialidade, relevância e criticidade. Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna - Paint. Programa de auditoria. Papéis de trabalho - Pt. Amostragem. Riscos operacionais. Pasta permanente. Desenvolvimento profissional continuado. 1.3 Exame. Espécies de auditoria. Controles internos administrativos. Testes e técnicas de auditoria. Procedimentos analíticos de auditoria. 1.4 Avaliação. Evidências. 1.5 Comunicação. Atributos de qualidade das informações. Audiência e comentários do auditado. Não-conformidade com as normas internas. Erros e omissões. Relatório Anual de Atividades da Auditoria Interna - Raint. 1.6 Sistema de Auditoria Interna - SIAUDI. Aceitação do risco. 1.7 Monitoramento e controle de qualidade. 1.8 Avaliação de natureza operacional. Dimensões do desempenho. Ferramentas de diagnóstico do ambiente, de processo e de resultado. 1.9 Disposições gerais. 1.10 Da atualização do Manual de Auditoria Interna. 1.11 Da obrigatoriedade de cumprimento. 2 Resoluções (publicadas no Diário Oficial da União, nº 59, Seção 1, de 28 de março de 2011). 2.1 Resolução da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União - CGPAR - nº 02, de 31 de dezembro de 2010. 2.2 Resolução da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União - CGPAR - nº 03, de 31 de dezembro de 2010. 3 Instruções normativas da Controladoria Geral da União. 3.1 Instrução normativa da Controladoria Geral da União - IN CGU - nº 01, de 3 de janeiro de 2007. 3.2 Instrução normativa da Controladoria Geral da União - IN CGU - nº 07, de 29 de setembro de 2006.

5.12 COMUNICAÇÃO SOCIAL (Código 112)

Relações sociais e comunicação. 1.10 Processosda comunicação e a construção social da realidade. 1.11 A comunicação no pensamento social. 1.12 O papel do comunicador na sociedade. 1.13 Políticas de comunicação. 2 Ética na comunicação. 2.1 Conceitos básicos de ética e deontologia. 2.2 Moral e ética. 2.3 Ética na comunicação social. 2.4 Profissão como responsabilidade social. 2.5 Códigos de ética nas áreas de imprensa, radiodifusão (rádio e TV), relações públicas e novos meios. 2.6 O Código de Ética da Associação Nacional de Jornais (ANJ) e o Código de Ética da Radiodifusão Brasileira - da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão. 2.7 Meios de Assegurar a Responsabilidade Social (MARS): conselhos de comunicação, comissões de ética e formas de controle social da mídia. 3 Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. 3.1 Noções básicas de epistemologia. 3.2 O conhecimento cientifico: objetividade, método, observação, experimentação, leis e teorias 3.3 As ciências sociais: a objetividade, o marco teórico, métodos e técnicas de pesquisa. 3.4 Os campos da comunicação: os marcos teóricos e as técnicas de pesquisa. 4 Estética na comunicação. 4.1 O conceito de estética e de arte. 4.2 Estética e reprodutibilidade técnica. 4.3 Comunicação e arte. 4.4 Dimensões estéticas da comunicação social. 4.5 Comunicação, percepção e estética. 4.6 A arte como sistema de significação. 4.7 Mídia, criação e padronização estética. 5 Comunicação e planejamento gráficos. 5.1 Os processos de produção, circulação e consumo da indústria gráfica. 5.2 Análise do produto gráfico. 5.3 Os principais softwares gráficos. 5.4 Elementos estéticos da comunicação gráfica. 5.5 Programas de diagramação e infografia. 5.6 Tipologia e medidas gráficas. 5.7 Diagramação. 5.8 Técnicas de composição e impressão. 6 Introdução ao jornalismo. 6.1 O conceito de notícia, a objetividade e subjetividade. 6.2 A caracterização, a captação e a redação de notícias. 6.3 A linguagem jornalística e a estrutura da informação. 6.4 A relação com as fontes e o público da informação. 6.5 O condicionamento econômico e político. 6.6 A produção da notícia, os fatores que interferem na produção, a mediação pessoal, organizacional e profissional. 6.6 A estrutura da notícia nos diversos meios impressos e audiovisuais. 6.7 A inserção no espaço-tempo e a rotina de produção. 6.8 Técnicas de produção de texto para jornalismo. 7 Técnicas de reportagem. 7.2 A pauta e sua função para a apuração da notícia. Fontes, gêneros e formas da reportagem. 7.3 A entrevista e suas técnicas. 7.4 A reportagem investigativa. 7.5 As técnicas da organização do texto jornalístico. 7.6 Prática da reportagem. 7.7 A questão das versões. 7.8 Análise crítica do jornalismo. 8 Jornalismo corporativo. 8.1 Diferenças básicas entre o jornalismo de um veículo tradicional de comunicação e as publicações institucionais de organizações públicas e privadas. 8.2 Os produtos da atividade jornalística. 8.3 Os meios de comunicação voltados para os públicos interno e externo. 8.4 O jornalismo digital. 9 Teoria da imagem. 9.1 Conceitos básicos de imagem. 9.2 O processo de percepção. 9.3 Imagem, representação e realidade. 9.4 A função social da imagem. 9.5 A imagem no cinema, na televisão, na propaganda, na imprensa e na fotografia. 10 Fotografia. 10.1 O realismo e a fotografia. 10.2 Princípios da câmara escura. 10.3 Aspectos da linguagem. 10.4 Elementos técnicos: formato, relação entre abertura e velocidade, sensibilidade e gama de cinzas de um negativo. 10.5 Elementos plásticos: enquadramento, luz, composição e efeitos da 3ª dimensão. 1.6 Fotogramas. 10.7 Retratos. 10.8 Fotografia e anúncio publicitário. 11 Fotojornalismo. 11.1 Jornalismo fotográfico. 11.2 Operação de câmeras fotográficas e de seus acessórios. 11.3 A fotografia digital e programas de edição da fotografia jornalística. 11.4 O fotógrafo e o fato jornalístico. 11.5 Edição de textos e imagens em revistas. 12 Comunicação organizacional. 12.1 Metodologia de comunicação humano-computador. 12.2 Produção e produto multimídia. 12.3 Terminologia e fundamentos da interação homem-computador. 12.4 Requisitos da interação homem-computador: usabilidade, colaboração, comunicação, acessibilidade de interfaces e localização. 12.5 Design de Informação. Arquitetura de informação. Sistemas de organização, navegação e busca. Interface. 12.6 Novas mídias audiovisuais. Confronto, interação, integração e convergência entre as novas mídias e os meios audiovisuais tradicionais. 12.7 Os recursos de linguagem das novas mídias audiovisuais: hipertextualidade, multimídia e interatividade. Possibilidades de tratamento e processamento da imagem e do áudio em suportes digitalizados de edição, produção e distribuição de conteúdo. 12.8 A internet como suporte digital e espinha dorsal da comunicação global mediada por computadores. 13 Comunicação impressa. 13.1 As diferenças de linguagem entre produtos de comunicação impressa, no jornalismo e na publicidade. 13.2 Caracterização dos públicos e adequação das formas e conteúdos da comunicação impressa. 13.3 Redação em jornalismo impresso. Estruturas de notícias e de reportagens. Os diferentes tipos de lead. Títulos, legendas e textos-legendas. Modalidades de textos e espaços jornalísticos. 13.4 Edição em jornalismo impresso. Técnicas de edição em jornalismo impresso. Análise da mídia impressa. 14 Comunicação audiovisual. 14.1 Tecnologias e mídias de comunicação audiovisual. 14.2 Convergência da mídia. 14.3 O hibridismo de linguagens, formatos e concepções da comunicação audiovisual. 14.4 Os principais softwares audiovisuais. 15 Comunicação em rádio. 15.1 Estrutura e funcionamento das emissoras de rádio. 15.2 Programação e segmentação de audiências. 15.3 Novas tecnologias em rádio. 15.4 Publicidade radiofônica. 16 Comunicação em televisão. 16.1 Estrutura e funcionamento das emissoras de televisão. 16.2 Programação e segmentação de audiências. 16.3 Redes nacionais e internacionais. 16.4 Novas tecnologias em televisão. 16.5 Estudos de recepção. 17 Redação publicitária. 17.1 O texto publicitário: atendimento e criação. 17.2 Teoria do anúncio: argumentação e motivação. 17.3 Linguagens e veículos de comunicação. 17.4 Técnicas de criação em diferentes mídias. 18 Mídias globais e locais. 18.1 Mídias globais. Novas tecnologias e transformações na comunicação. Complexos transnacionais de comunicação: hegemonia, diversidade e assimetria. Modelização do mundo e da subjetividade. Agendas globais e realidades locais no mundo da comunicação. 18.2 Mídias locais. O uso local das tecnologias de produção e transmissão da informação. Tecnologias portáteis e democratização da comunicação. Atividade comunicacional e modalidades de redes. Políticas públicas e responsabilidade social em comunicação. 19 Comunicação comunitária. 19.1 Uso alternativo dos meios de comunicação. 19.2 O indivíduo como elemento ativo da comunicação e não como objeto. 19.3 A comunicação de dupla via. 19.4 Experiências de comunicação comunitária. 19.5 Técnicas de produção alternativa.