UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS

UFMS - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

EDITAL PROGEP Nº. 62, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2013

Notícia:   UFMS retifica edital nº 62/2013 com 109 vagas para docentes

A CHEFE DA COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL no exercício do cargo de PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS E DO TRABALHO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas atribuições legais, e de acordo com o disposto na Portaria RTR nº 1268, de 16 de dezembro de 2013, e nas Leis nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, nº 12.072, de 7 de agosto de 2012, nº 12.772 de 28 de dezembro de 2012 e Medida Provisória nº 614 de 14 de maio de 2013; nos Decretos nº 94.664, de 23 de julho de 1987, nº 6.944, de 21 de agosto de 2009 e nº 7.485, de 18 de maio de 2011; nas Portarias Interministerial MP/MEC nº 405, de 30 de agosto de 2012 e nº 182, de 20 de maio de 2013; nas Portarias MEC nº 475, de 26 de agosto de 1987 e nº 1.181, de 19 de setembro de 2012, e nas Resoluções CD nº 76, de 2 de julho de 2013 e nº 149, de 16 de dezembro de 2013 e na Resolução COUN nº 86, de 16 de dezembro de 2013; torna pública a realização de CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS para provimento de vagas para o cargo de Professor das Classes Auxiliar, Assistente A e Adjunto A do quadro permanente da UFMS, mediante as condições estabelecidas neste Edital e demais disposições legais:

1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1 O Concurso Público será executado pela Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

1.2 A divulgação oficial das informações referentes a este Concurso Público dar-se-á pela divulgação dos editais no endereço eletrônico www.copeve.ufms.br e publicação no Boletim de Serviço (BSE) da UFMS e no Diário Oficial da União (DOU), quando for o caso.

1.3 Todos os horários previstos neste Edital correspondem ao horário oficial do Estado de Mato Grosso do Sul.

1.4 A Secretaria do Concurso Público, durante a realização das Provas funcionará das 7 às 19 horas, ininterruptamente.

1.5 O provimento dos cargos observará as diretrizes e normas deste Edital, bem como a conveniência administrativa, devendo o candidato permanecer em exercício na Unidade para o qual foi lotado, pelo período mínimo de 3 (três) anos, ressalvados os casos de remoção no interesse da Administração, nos termos do art. 36, parágrafo único, inciso I, da Lei nº 8.112/90.

1.6 As provas serão realizadas na cidade de Campo Grande, MS, no período de 14 a 18 de fevereiro de 2014, em datas e horários a serem divulgados no Edital de deferimento das inscrições.

1.6.1 A relação das inscrições deferidas e indeferidas será divulgada por meio de edital disponibilizado no endereço eletrônico www.copeve.ufms.br, na data de 28 de janeiro de 2014.

1.7 A identificação do cargo, o quantitativo das vagas, a lotação, o regime de trabalho e os requisitos da vaga constam no Anexo I deste Edital.

1.8 O conteúdo programático e respectiva bibliografia constam no Anexo III deste Edital.

1.9 A jornada de trabalho será cumprida durante o turno diurno e/ou noturno de acordo com as especificidades do cargo e as necessidades da Instituição.

1.10 As vagas serão preenchidas em ordem rigorosa de classificação de candidatos homologados, de acordo com a Unidade de lotação da vaga.

1.11 No quiosque da COPEVE localizado no corredor Central da UFMS, em Campo Grande, no período de 6 a 9 de janeiro de 2014, no horário das 8 às 11 horas e das 13 às 16 horas e 30 minutos, estará à disposição dos candidatos, servidor da UFMS que fará a conferência da cópia mediante apresentação do original.

2. DOS REQUISITOS PARA A INVESTIDURA NO CARGO

2.1 O candidato aprovado e classificado no concurso, na forma estabelecida neste Edital, será investido no cargo, se atendidas as seguintes exigências:

a) ter nacionalidade brasileira e, no caso de estrangeiro, estar em conformidade com a legislação específica;

b) estar em dia com as obrigações eleitorais;

c) estar em dia com as obrigações do Serviço Militar, para candidatos do sexo masculino;

d) estar em gozo dos direitos políticos;

e) comprovar por ocasião da posse o nível de escolaridade e os demais requisitos básicos exigidos para o cargo, previstos no Art. 7º da Resolução CD nº 76/2013;

f) ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo, comprovada por exame realizado pelo Médico do Trabalho da Divisão de Atenção Integral ao Servidor/CAS/PROGEP;

g) ter idade mínima de 18 anos completos na data da posse;

h) não acumular cargos, empregos, e funções públicas, ressalvados os casos previstos no art. 37, inciso XVI da Constituição Federal; e

i) apresentar outros documentos que se fizerem necessários por ocasião da convocação para a posse.

2.2 Estará impedido de ser empossado o candidato que:

a) deixar de comprovar os requisitos especificados neste Edital; ou

b) tiver sido demitido ou destituído do cargo em comissão por infringência do art. 117, incisos IX e XI, Lei nº 8.112/90, enquanto perdurar a incompatibilidade;

c) tiver sido demitido ou destituído do cargo em comissão por infringência do art. 132, incisos I, IV, VIII, X e XI da Lei nº 8.112/90.

3. DA REMUNERAÇÃO BÁSICA

TABELA SALARIAL DOCENTE

CLASSE

NÍVEL

DENOMINAÇÃO

CARGA HORÁRIA

RT

AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

20 HORAS

DE

A

1

Auxiliar

1.914,58

3.594,57

Especialização

Mestrado

Doutorado

186,50 (20 horas)

496,08

-

-

373,00 (DE)

Assistente A

 

-

1.871,98

-

Adjunto A

-

-

4.455,20

4. DAS INSCRIÇÕES

4.1 DO PERÍODO E DA TAXA

4.1.1 As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet, no endereço eletrônico www.copeve.ufms.br, no período compreendido entre 9h do dia 31 de dezembro de 2013 e 23h59m do dia 16 de janeiro de 2014, observado o horário oficial do Estado de Mato Grosso do Sul.

4.1.2 O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o dia 16 de janeiro de 2014.

4.1.3 A COPEVE disponibilizará em seu quiosque localizado no corredor central da UFMS em Campo Grande, no período de 6 a 9 de janeiro de 2014, no horário das 8 às 11 horas e das 13 às 16 horas e 30 minutos, equipamentos de informática para aqueles candidatos que não tem acesso à Internet.

4.1.4 Os Valores da taxa de inscrição estão discriminados no quadro abaixo:

Cargo

Valor taxa de Inscrição

Auxiliar - 20 Horas

R$ 57,50

Cinquenta e sete reais e cinquenta centavos

Auxiliar - Dedicação Exclusiva

R$ 111,40

Cento e onze reais e quarenta centavos

Assistente A - Dedicação Exclusiva

R$ 169,45

Cento e sessenta e nove reais e quarenta e cinco centavos

Adjunto A - Dedicação Exclusiva

R$ 249,50

Duzentos e quarenta e nove reais e cinquenta centavos

4.2. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO

4.2.1 Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer o Edital e se certificar de que preenche todos os requisitos.

4.2.2 No momento da inscrição, o candidato deverá optar pelo cargo ao qual deseja concorrer. Uma vez efetivada a inscrição, não será permitida, em hipótese alguma, a sua alteração.

4.2.3 É vedada a inscrição condicional, a extemporânea, a via postal, a via fax ou a via correio eletrônico.

4.2.4 É vedada a transferência do valor pago a título de taxa para terceiros ou para outros concursos.

4.2.5 O valor referente ao pagamento da taxa de inscrição não será devolvido em hipótese alguma, salvo em caso de cancelamento do certame por conveniência da Administração Pública.

4.2.6 Não haverá isenção total ou parcial do valor da taxa de inscrição, exceto para os candidatos amparados pelo Decreto nº 6.593, de 2 de outubro de 2008.

4.2.7 As informações fornecidas no Requerimento de Inscrição serão de inteira responsabilidade do candidato podendo ele ser excluído deste Concurso Público se o preenchimento for feito com dados incompletos ou incorretos, bem como se constatado posteriormente serem inverídicas as informações.

4.2.8 O candidato somente será considerado inscrito neste Concurso Público, após ter cumprido todas as instruções previstas neste Edital, e constar no Edital de Deferimento das Inscrições.

4.2.9 A inscrição do candidato implica o conhecimento e a aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital.

4.3. DA ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO

4.3.1 Estará isento do pagamento da taxa de inscrição, nos termos do Decreto nº 6.593/2008, o candidato que:

a) estiver inscrito no Cadastro Único para Programas do Governo Federal (CadÚnico), previsto no Decreto nº 6.135/2007; e

b) for membro de família de baixa renda, conforme Decreto nº 6.135/2007.

4.3.2 O candidato que se enquadrar em uma das situações previstas no subitem 4.3.1. deste Edital, para fazer jus à isenção do pagamento da taxa de inscrição, no período compreendido entre 9h do dia 2 de janeiro de 2014 e 23h59m do dia 3 de janeiro de 2014, observado o horário oficial de Mato Grosso do Sul, deverá obrigatoriamente:

a) acessar o endereço eletrônico www.copeve.ufms.br e imprimir a Ficha de Inscrição;

b) preencher o Requerimento de Isenção; e

c) encaminhar a seguinte documentação: Ficha de Inscrição, Requerimento de Isenção, documento comprobatório do NIS (Número de Identificação Social) e cópia do RG por SEDEX ou AR, até a data limite;

4.3.3 Cada pedido de isenção do pagamento da taxa será consultado através do SISTAC pela COPEVE.

4.3.3.1 A COPEVE consultará o órgão gestor do CadÚnico quando necessário.

4.3.3.2 Terá seu pedido de isenção do pagamento da taxa de inscrição indeferido o candidato que:

a) omitir informações e/ou torná-las inverídicas;

b) que não possua o Número de Identificação Social - NIS, confirmado na base de dados do CadÚnico, na data de sua inscrição;

c) não observar a forma, o prazo e os horários previstos neste Edital.

4.3.4 As informações fornecidas no Requerimento de Isenção são de inteira responsabilidade do candidato, podendo responder este, a qualquer momento, por crime contra a fé pública, o que acarreta sua eliminação do concurso, aplicando-se ainda o disposto no parágrafo único do artigo 10 do Decreto nº 83.936, de 6 de setembro de 1979.

4.3.5 O resultado dos pedidos de isenção do pagamento da taxa será divulgado por meio de edital até o dia 13 de janeiro de 2014, no endereço eletrônico www.copeve.ufms.br.

4.3.6 O candidato que tiver seu pedido de isenção do pagamento da taxa indeferido, para efetivar a sua inscrição neste Concurso Público, deverá acessar o endereço eletrônico www.copeve.ufms.br, emitir o boleto bancário até 23h59 do dia 16 de janeiro de 2014, observado o horário oficial do Estado de Mato Grosso do Sul, e recolher o valor da taxa de inscrição pela Internet Banking ou em qualquer agência bancária, até o dia 17 de janeiro de 2014.

4.3.6.1 O candidato que tiver o seu pedido de isenção do pagamento da taxa de inscrição indeferido e não efetuar o pagamento na forma e no prazo estabelecido no subitem 4.3.6 deste Edital estará automaticamente excluído deste Concurso Público.

4.4. DOS PROCEDIMENTOS PARA A INSCRIÇÃO

4.4.1 Para efetivar sua inscrição, o candidato deverá efetuar os seguintes procedimentos:

a) acessar o endereço eletrônico: www.copeve.ufms.br;

b) preencher o Requerimento de Inscrição imprimí-lo e assiná-lo;

c) acionar o botão "CONCLUIR";

d) imprimir o boleto bancário;

e) recolher o Valor da taxa de inscrição, pela internet Banking ou em qualquer agência bancária, com compensação do pagamento até o dia 17 de janeiro de 2014; e

f) encaminhar os documentos relacionados no subitem 4.4.2 deste Edital em envelope único, lacrado e identificado com a frase "CONCURSO DOCENTE 2014", até o dia 17 de janeiro de 2014:

- por meio do Protocolo Central da UFMS (Seção de Comunicação), Unidade "Prof. Hércules Maymone" (Prédio das Pró-Reitorias) em Campo Grande MS, no período de 7h30 às 10h30 e de 13h30 às 16h30; de segunda à sexta-feira; ou

- pelas agências dos Correios, durante o horário normal de funcionamento, por SEDEX ou AR, com Aviso de Recebimento (AR), para o seguinte endereço:

Comissão Permanente de Vestibular
Cidade Universitária
CEP 79070-900 Campo Grande - MS

4.4.2 Documentos necessários para a inscrição:

a) requerimento de inscrição preenchido e assinado;

b) cópia autenticada em cartório da Cédula de Identidade Oficial ou, no caso de estrangeiro, do Registro Nacional de Estrangeiro (RNE);

c) cópia autenticada em cartório do Cadastro de Pessoa Física (CPF) emitido pela Receita Federal;

d) cópia autenticada em cartório do diploma de Curso de Graduação, conforme especificação no Anexo I deste Edital;

e) cópia autenticada em cartório do certificado/diploma do Curso de Pós-Graduação (ou da declaração de conclusão emitida pela Instituição responsável, ou da Ata de Defesa, ou de documento que comprove matrícula em Curso de Pós-Graduação), conforme especificação no Anexo I deste Edital;

f) Outros documentos complementares, conforme especificado no Anexo I deste Edital.

4.4.2.1 As autenticações cartorárias poderão ser substituídas por conferência de servidor da UFMS se realizadas conforme o subitem 1.11 deste Edital.

4.4.2.2 Será dispensada a apresentação do CPF, se o número constar no documento de identificação.

4.4.3 A documentação exigida para inscrição não poderá ser aditada, instruída ou complementada após a postagem.

4.4.4 Será indeferida a inscrição do candidato que:

a) não observar a forma ou os prazos definidos neste edital;

b) deixar de encaminhar todos os documentos solicitados neste artigo; ou

c) não atender aos requisitos especificados no Anexo I deste Edital do Concurso Público.

4.4.5 Para fins de inscrição neste Concurso Público não é necessário que o candidato tenha concluído o Curso de Pós-graduação, porém a conclusão do curso é obrigatória para a investidura no cargo.

4.5. DA INSCRIÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (PCD)

4.5.1 Às pessoas com deficiência que pretendam fazer uso das prerrogativas que lhes são facultadas pelo artigo 37, inciso VIII da Constituição Federal, pela Lei nº 7.853/89 e pelo Decreto nº 3.298/99, é assegurado o direito de se inscrever neste Concurso, desde que as atribuições do cargo pretendido sejam compatíveis com a sua deficiência.

4.5.2 Para efeito do cumprimento do disposto nos § 1º e 2º do art. 37 do Decreto nº 3.298/1999, serão definidas vagas de reserva para pessoas com deficiência, correspondentes a um percentual mínimo de 5% (cinco por cento) do Total das vagas do Concurso Público, perfazendo um total de 6 vagas, para fins deste Edital.

4.5.2.1 As vagas de reserva para pessoas com deficiência, neste Edital, serão assim distribuídas: a vaga (866) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Saúde Coletiva/ Saúde Publica (FAMED); a vaga (886) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática (Campus de Aquidauana); a vaga (916) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Morfologia (Campus de Três Lagoas); a vaga (959) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis (Campus de Nova Andradina) e a vaga (975) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação (Campus de Coxim); e uma para sorteio entre as demais vagas.

4.5.3 As vagas de reserva serão sorteadas entre as áreas/subáreas deste Edital no dia 15 de janeiro de 2014, às 14 horas na Sala de reuniões da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação da UFMS.

4.5.4 Os candidatos sem deficiência que se inscreverem para as áreas contempladas por vagas de reserva concorrerão com os candidatos com deficiência, cientes de que, independentemente da sua classificação, terá prioridade o candidato com deficiência, melhor classificado.

4.5.5 Os candidatos com deficiência, resguardadas as condições especiais previstas no Decreto nº 3.298/1999, participarão do Concurso Público em igualdade de condições com os demais candidatos no que se refere ao conteúdo das provas, à avaliação, aos critérios de aprovação, ao horário e local de aplicação das provas e à nota mínima exigida.

4.5.6 O candidato com deficiência que se inscrever para uma vaga que não tenha sido reservada estará ciente de que concorrerá em absoluta igualdade de condições com os demais candidatos, no que diz respeito à ordem geral de classificação.

4.5.7 O candidato com deficiência deverá declarar essa condição no ato da inscrição, especificando a deficiência que possui em consonância com o art. 4º do Decreto nº 3.298/99.

4.5.8 O candidato que no ato da inscrição não se declarar Pessoa com Deficiência, e não encaminhar a documentação solicitada perderá a prerrogativa em concorrer às vagas reservadas.

4.5.9 O candidato Inscrito na condição de Pessoa com Deficiência deverá, obrigatoriamente, encaminhar:

a) laudo médico (original) atestando a espécie, grau ou nível de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID) vigente, bem como a provável causa da deficiência, de acordo com a lei; e

b) solicitação de condições diferenciadas para a realização da prova, de acordo com o item 5 deste Edital.

4.5.10 A documentação mencionada no subitem 4.5.9 deste Edital deverá ser encaminhada no mesmo envelope dos documentos necessários à efetivação da inscrição.

4.5.11 Caberá à Junta Médica Oficial da UFMS analisar a documentação apresentada para aferir se o candidato se enquadra em uma das categorias discriminadas no art. 4º do Decreto nº 3.298/99.

4.5.11.1 O candidato poderá ser convocado antes da prova, para submeter-se a exame clínico por meio da Junta Médica Oficial da UFMS, para comprovação de sua situação como Pessoa com Deficiência.

4.5.12 Não serão considerados resultados de exames e/ou outros documentos diferentes dos descritos no subitem 4.5.9, letra a, e/ou emitidos no período superior a 6 (seis) meses antes do início das inscrições previsto neste Edital.

4.5.12.1 Não serão aceitas cópias autenticadas de laudos médicos.

4.5.12.2 O laudo médico (original) terá validade somente para este Concurso Público e não será devolvida nem fornecida cópia desse laudo.

4.5.13 Será indeferida inscrição do candidato na condição de Pessoa com Deficiência, que:

a) não encaminhar a documentação solicitada no item 4.5.9, letra a, deste Edital;

b) não observar a forma, o prazo e os horários previstos neste Edital;

c) apresentar laudo médico com o nome do candidato ilegível e que não possa ser identificado;

d) não for considerado Pessoa com Deficiência, atestado pela Junta Médica Oficial da UFMS; e

e) não comparecer para a realização do exame clínico, conforme item 4.5.11.1 deste Edital.

4.5.14 O resultado do pedido de inscrição na condição de Pessoas com Deficiência será divulgado por meio de Edital no endereço eletrônico: www.copeve.ufms.br, até o dia 27 de janeiro de 2014.

4.5.14.1 No caso de indeferimento da inscrição na condição de Pessoa com Deficiência, se o candidato houver atendido a todos os requisitos do item 4.4.1 e 4.4.2 deste Edital, será inscrito neste Concurso sem a prerrogativa da vaga reservada.

4.5.15 Na falta de candidatos aprovados para as vagas reservadas às Pessoas com Deficiência, estas serão preenchidas pelos demais candidatos concorrentes aprovados na forma deste edital, com estrita observância da ordem classificatória.

4.5.16 O candidato inscrito como Pessoa com Deficiência, se aprovado e classificado, figurará em duas listagens: a primeira contendo a lista de classificação geral dos candidatos ao cargo de sua opção e, a segunda, composta somente por candidatos com deficiência.

5. DOS CANDIDATOS QUE NECESSITAM DE ATENDIMENTO DIFERENCIADO

5.1 É assegurado ao candidato o direito de requerer atendimento diferenciado para realização das Provas, desde que seja realizado no ato da inscrição.

5.2 O atendimento diferenciado consistirá em: fiscal ledor, fiscal transcritor, intérprete de libras, provas em Braille, acesso e mesa para cadeirante, tempo adicional para a realização da prova e espaço para amamentação.

5.2.1 No atendimento diferenciado não se inclui atendimento domiciliar, hospitalar e transporte.

5.3 Em se tratando de solicitação de tempo adicional para a realização da prova escrita, o candidato também deverá encaminhar justificativa acompanhada de parecer emitido por especialista da área de sua deficiência, em conformidade com o § 2º, do art. 40 do Decreto nº 3.298/99.

5.3.1. A documentação solicitada no subitem 5.3 deste Edital deverá ser encaminhada no mesmo envelope dos documentos necessários à efetivação da inscrição.

5.4 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização das provas, além de solicitar atendimento diferenciado, deverá, obrigatoriamente, levar um acompanhante que ficará em espaço reservado para essa finalidade e que se responsabilizará pela criança.

5.4.1 Não será permitida a realização das provas escrita e didática pela candidata que não levar acompanhante.

5.5 Os candidatos que solicitarem prova em Braille deverão levar no dia da aplicação da prova escrita reglete e punção.

5.6 Somente será concedido o atendimento diferenciado àqueles candidatos que cumprirem o estabelecido neste Edital, observando-se os critérios de viabilidade e razoabilidade.

5.7 O atendimento diferenciado para realização da prova não implica a concorrência do candidato às vagas destinadas às Pessoas com Deficiência.

6. DAS ATRIBUIÇÕES DO CARGO

6.1 Descrição Sumária das atividades: compete ao professor elaborar, aplicar e acompanhar o planejamento das atividades, em observação aos objetivos de ensino da UFMS, por meio de metodologia específica para cada turma, visando preparar os alunos para uma formação geral na área específica, analisar a classe como grupo e individualmente, elaborar, coordenar e executar projetos de pesquisa e de extensão; participar de atividades administrativas institucionais, reunir-se com seu superior imediato, colegas e alunos visando à sincronia e transparência das atividades.

6.2 Atribuições:

a) participar da elaboração e cumprimento do Plano de Ensino da disciplina em conformidade com o Projeto Pedagógico dos Cursos para os quais suas disciplinas forem oferecidas;

b) ministrar o ensino sob sua responsabilidade, em conjunto com os demais docentes, cumprindo integralmente o Plano de Ensino da disciplina e sua carga horária;

c) utilizar metodologias condizentes com a disciplina, buscando atualização permanente;

d) observar a obrigatoriedade de frequência e pontualidade às atividades didáticas;

e) estimular e promover pesquisas e atividades de extensão à comunidade;

f) registrar, em diário de classe, a frequência dos alunos em sua disciplina;

g) organizar e aplicar os instrumentos de avaliação do aproveitamento escolar dos alunos;

h) apresentar as frequências, as notas das provas e os resultados de sua disciplina, na forma e nos prazos previstos;

i) elaborar Relatório de Atividades do Semestre, obedecendo aos prazos previstos;

j) participar de comissões e atividades para as quais for convocado ou eleito;

k) participar da vida acadêmica da Instituição;

l) exercer outras atribuições previstas no Regimento da UFMS ou na legislação vigente.

m) atualizar-se constantemente, por meio da participação em congressos, palestras, leituras, visitas, estudos, entre outros meios;

n) participar da elaboração e execução de projetos de pesquisa, objetivando o desenvolvimento científico da UFMS;

o) votar e ser votado para as diferentes representações de sua Unidade Setorial;

p) participar de reuniões e trabalhos dos órgãos colegiados a que pertencer e de comissões para as quais for designado;

q) zelar pela guarda, conservação e manutenção dos materiais e equipamentos que utiliza;

r) cumprir e fazer cumprir normas e padrões de comportamento estabelecidos pela Instituição; e

s) executar tarefas afins, a critério de seu superior imediato.

6.3. O candidato, após investidura no cargo, poderá atuar, conforme designação da unidade de lotação, nas diversas disciplinas oferecidas e não somente naquelas da área do concurso.

7. DAS PROVAS

7.1. DAS FASES DO CONCURSO

7.1.1 As provas consistirão de 3 fases sucessivas:

a) Prova Escrita - de caráter eliminatório e classificatório, com peso 30;

b) Prova Didática - de caráter eliminatório e classificatório, com peso 40; e

c) Prova de títulos - de caráter classificatório, com peso 1.

7.2. DAS BANCAS EXAMINADORAS

7.2.1 Os candidatos serão avaliados por Banca Examinadora específica para cada classe e área/subárea de conhecimento, constituída pela Pró-Reitora de Ensino de Graduação, por meio de Instrução de Serviço.

7.2.2 A Instrução de Serviço de designação das Bancas Examinadoras será divulgada e publicada no período de 5 a 8 de fevereiro de 2014, no endereço eletrônico www.copeve.ufms.br e no Boletim de Serviço da UFMS.

7.2.3 As Bancas Examinadoras serão compostas, preferencialmente, por examinadores da área/subárea de conhecimento da vaga definida no Anexo I deste Edital.

7.2.3.1 A Banca Examinadora será composta por três docentes, todos com titulação igual ou superior à exigida para o cargo.

7.2.4 Não poderão compor a Banca Examinadora:

a) cônjuge ou companheiro de candidato, mesmo que divorciado ou separado judicialmente;

b) ascendente ou descendente de candidato, até segundo grau, ou colateral até o quarto grau, seja o parentesco por consaguinidade, afinidade ou adoção;

c) sócio de candidato em atividade profissional;

d) orientador ou co-orientador acadêmico do candidato, em nível igual ou superior ao de Especialização, nos últimos cinco anos civis;

e) membro que tenha amizade íntima ou inimizade notória com algum dos interessados ou com os respectivos cônjuges, companheiros, parentes e afins até o terceiro grau;

f) co-autoria na publicação de trabalhos científicos, nos últimos cinco anos civis; e/ou

g) tenha participado ou venha a participar como perito, testemunha ou representante, ou se tais situações ocorrem quanto ao cônjuge, companheiro ou parente e afins até terceiro grau; ou

h) esteja litigando judicial ou administrativamente com candidato ou respectivo cônjuge ou companheiro.

7.3. DA SESSÃO DE SORTEIO DOS TEMAS

7.3.1 No primeiro dia do Concurso, antecedendo o início das provas, haverá uma Sessão Pública na qual serão sorteados os temas para as Provas Escrita e Didática, em concordância com o art. 32, inciso I da Resolução nº 76, de 2 de julho de 2013 .

7.3.2 O sorteio dos temas das Provas Escrita e Didática será realizado na presença dos candidatos, sendo eliminado o candidato ausente.

7.3.2.1 Os temas sorteados para as Provas Escrita e Didática deverão ser distintos.

7.3.2.2 Um dos candidatos deverá sortear um tema comum a todos os candidatos para a Prova Escrita, e, entre os pontos restantes, o mesmo candidato sorteará um tema comum a todos os candidatos para a Prova Didática.

7.3.2.3 Após o sorteio dos temas, o presidente da Banca Examinadora informará aos candidatos do horário da divulgação do resultado da Prova Escrita e os critérios que serão utilizados para a sua correção.

7.3.2.4 Ao final da Sessão de Sorteio dos Temas, os candidatos deverão retirar-se do local, e terão uma hora para consultar material bibliográfico e retornar para o início da Prova Escrita.

7.4. DA PROVA ESCRITA

7.4.1 A Prova Escrita tem como objetivo avaliar os conhecimentos do candidato na área/subárea de conhecimento da vaga, assim como sua capacidade de expressão em linguagem técnica.

7.4.2 A Prova Escrita terá início uma hora após o término da Sessão de Sorteio dos Temas.

7.4.2.1 Será eliminado o candidato que chegar após o horário previsto para o início da Prova Escrita.

7.4.3 A Prova Escrita será desenvolvida utilizando-se, unicamente, das folhas de papel fornecidas pela Organização do Concurso.

7.4.3.1 Poderão ser utilizadas folhas de rascunho, fornecidas pela Organização do Concurso, no entanto, elas não serão consideradas para fins de avaliação e deverão ser devolvidas juntamente com as folhas de resposta da prova.

7.4.4 A duração máxima da Prova Escrita será de três horas, sem consulta a qualquer material.

7.4.4.1 O Secretário da Banca Examinadora informará aos candidatos quando faltarem quinze minutos para o término do tempo da Prova Escrita.

7.4.4.2 Os dois últimos candidatos deverão, obrigatoriamente, sair juntos ao final da prova.

7.4.5 As folhas de resposta da Prova Escrita e as folhas de rascunho conterão somente o código de identificação do candidato.

7.4.5.1 Será anulada a prova, e consequentemente, eliminado do Concurso o candidato que assinar, rubricar, ou utilizar qualquer tipo de marca, caractere ou referência textual que o identifique em sua Prova Escrita.

7.4.6 Após o término da Prova Escrita, a Banca Examinadora se reunirá para efetuar sua correção.

7.4.6.1 A Banca Examinadora em consenso atribuirá apenas uma nota ao candidato na escala de 0,00 (zero) a 10,00 (dez) pontos, com duas casas decimais.

7.4.7 Será eliminado do Concurso o candidato que obtiver pontuação na Prova Escrita inferior a 7,00 (sete) pontos.

7.4.8 O resultado da Prova Escrita será divulgado na Ata de Resultado da Prova Escrita, afixada no local em que foi realizada a prova, com a informação do horário de sua divulgação e data e horário de início do Sorteio da Ordem de Apresentação dos candidatos para a Prova Didática.

7.4.9 As vagas em língua estrangeira terão sua prova escrita no idioma correspondente à área/subárea da vaga.

7.5. DA PROVA DIDÁTICA

7.5.1 A Prova Didática terá como objetivo aferir a capacidade do candidato em relação à comunicação, à organização do pensamento, ao planejamento, à apresentação da aula, ao domínio e conhecimento do assunto abordado na área/subárea de conhecimento do Concurso, e aos procedimentos didáticos de desempenhar atividades docentes em nível do Magistério Superior.

7.5.2 A Prova Didática será realizada em sessão pública, que terá início com o Sorteio da Ordem de Apresentação dos candidatos.

7.5.2.1 Os candidatos, inclusive aqueles que interpuseram recurso contra a Prova Escrita, que não estiverem presentes no Sorteio da Ordem de Apresentação, serão eliminados.

7.5.2.2 O sorteio da Ordem de Apresentação dos candidatos somente será realizado após vinte e quatro horas da Sessão de Sorteio dos Temas.

7.5.2.2.1 Para a definição do horário do Sorteio da Ordem de Apresentação da Prova Didática, além do intervalo previsto no subitem anterior, deverá ser observado um período mínimo de cinco horas do horário de divulgação do resultado da Prova Escrita.

7.5.2.3 No momento do sorteio da ordem de apresentação, a Banca Examinadora deverá divulgar o horário de início de apresentação da aula e a previsão da data e horário de início da Sessão de Apuração do Resultado Final.

7.5.2.4 Respeitada a ordem de apresentação definida no sorteio, o candidato chamado pela Banca Examinadora que não estiver presente será eliminado.

7.5.3 O candidato não poderá adentrar o local da Prova Didática sem que estejam presentes todos os membros da Banca Examinadora.

7.5.4 Considerando o dispositivo no § 2º do art 37 da Resolução CD nº 76/2013, é de inteira responsabilidade do candidato a utilização/operação, bem como o funcionamento de qualquer recurso instrumental utilizado na Prova Didática, incluindo o uso da lousa ou quadro, limitando-se a dez minutos o tempo de montagem e/ou preparação, antes do seu início.

7.5.4.1 Após o tempo estabelecido no caput do art. 37 da Resolução CD nº 76/2013, o candidato iniciará sua aula mesmo que não tenha conseguido preparar todos os recursos instrumentais.

7.5.4.2 Não é permitida a operação dos equipamentos de que trata o subitem anterior por terceiros.

7.5.5 A Prova Didática consistirá na apresentação de uma aula, sobre o ponto sorteado, com duração mínima de quarenta e máxima de cinquenta minutos.

7.5.5.1 Aos quarenta minutos de apresentação o presidente da Banca Examinadora deverá informar ao candidato que restam dez minutos para o término do tempo da prova.

7.5.5.2 O candidato que ultrapassar cinquenta minutos de aula será penalizado, em três décimos da nota por minuto excedente, a ser descontado na nota de cada membro da Banca Examinadora.

7.5.5.3 O candidato será interrompido ao alcançar sessenta minutos de apresentação.

7.5.5.4 O candidato será eliminado se o tempo da sua aula for inferior a quarenta minutos.

7.5.6 Ao término da apresentação do candidato, o Presidente da Banca Examinadora informará o tempo registrado de aula, bem como os minutos excedentes.

7.5.7 É vedado aos membros da Banca Examinadora fazer arguição ao candidato.

7.5.8 Durante a apresentação de um candidato é vedada a presença dos demais concorrentes.

7.5.9 A Prova Didática será gravada em áudio, para efeito de registro.

7.5.10 A pontuação referente à avaliação da Prova Didática na escala de 0,00 (zero) a 10,00 (dez) pontos, com duas casas decimais, corresponderá à média aritmética das notas atribuídas individualmente pelos examinadores, resguardando-se o sigilo da nota de cada examinador.

7.5.10.1 A pontuação da Prova Didática será divulgada somente na Sessão de Apuração do Resultado Final.

7.5.10.2 Os critérios utilizados para a pontuação na Prova didática são:

a) procedimentos didáticos;

b) domínio do conteúdo;

c) capacidade de comunicação;

d) estruturação e desenvolvimento da aula; e

e) tempo de aula excedente.

7.5.10.3 Ao término da apresentação da aula, cada examinador atribuirá uma nota ao candidato, na escala de 0,00 (zero) a 10,00 (dez) pontos, com duas casas decimais, anotando-a na sua Ficha de avaliação.

7.5.10.4 Após o preenchimento da Ficha de avaliação, esta será acondicionada em envelope único, resguardando-se o sigilo da nota de cada examinador, que então será lacrado e assinado pelo candidato e por todos os membros da Banca Examinadora.

7.5.10.5 Os envelopes com as notas dos candidatos permanecerão fechados e somente serão abertos na Sessão de Apuração do Resultado final.

7.5.11 Será eliminado do Concurso o candidato que obtiver pontuação na Prova Didática inferior a 7,00 (sete) pontos.

7.5.12 As vagas em língua estrangeira terão sua prova didática no idioma correspondente à área/subárea da vaga.

7.6. DA PROVA DIDÁTICA PARA AS VAGAS DESTINADAS AO CURSO DE MÚSICA.

7.6.1. A prova Didática para as vagas destinadas ao Curso de Música consistirá de duas partes. A primeira parte corresponde a uma aula expositiva, de acordo com o disposto no subitem 7.5 deste Edital. A segunda parte corresponde a:

7.6.1.1 Na vaga (858) Grande Área /Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Música: uma prova prática na qual o candidato deverá reger dois movimentos da "Second Suite in F for Military Band" do compositor Gustav Holst, à frente da Banda Sinfônica da UFMS. Estes dois movimentos serão sorteados no momento da prova prática e o candidato terá 1 (uma) hora para preparar um plano de ensaio, que deverá ser entregue por escrito à banca examinadora.

7.6.1.2 Na vaga (944) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Música: um recital, com duração mínima de vinte e máxima de quarenta minutos, e com peças de pelo menos três entre os seguintes períodos históricos: renascimento; barroco; clássico; romântico; século XX, música popular. A comissão especial não disponibilizará um pianista correpetidor para o recital, a contratação deste profissional deverá ficar a cargo do(a) candidato(a).

7.6.2. A composição da nota da Prova Didática, para todas as áreas especificadas, será calculada na seguinte proporção: cinquenta por cento, equivalente à aula expositiva e cinquenta por cento, à prova prática.

7.6.3. O candidato será eliminado se o tempo de seu recital for inferior a vinte minutos.

7.6.4. A UFMS não oferecerá serviços de pianista co-repetidor ou quaisquer outros acompanhantes, porém, caso julgue necessário, o candidato deverá providenciá-lo, responsabilizando-se pela sua perfeita execução.

7.7. DA PROVA DE TÍTULOS

7.7.1 A Prova de Títulos terá como objetivo avaliar o aperfeiçoamento profissional, o crescimento de sua produção intelectual e a atualização científica, evidenciando os trabalhos acadêmicos do candidato em relação às atividades de ensino, de pesquisa, de extensão e de administração acadêmica.

7.7.2 O candidato, ao ingressar no local para dar início à sua aula (Fase da Prova Didática), deverá entregar à Banca Examinadora os documentos abaixo relacionados, em envelope lacrado e identificado com nome, classe, área/subárea do Concurso e localidade para a qual se inscreveu:

a) Curriculum Vitae, completo, no formato da Plataforma Lattes/CNPq;

b) cópia dos comprovantes do exercício das atividades docentes;

c) cópia dos comprovantes do exercício das atividades de administração universitária; e

d) cópia dos comprovantes da produção pedagógica, científica, tecnológica e artística/cultural.

7.7.3 A documentação constante nas alíneas do subitem 7.7.2 deste Edital deverá ser encadernada, paginada, e rubricada exatamente na mesma ordem dos itens do Curriculum Vitae da Plataforma Lattes/CNPq.

7.7.4 O candidato que participar da Prova Didática, por força da interposição de recurso contra a correção da Prova Escrita, deverá entregar os documentos para a Prova de Títulos da mesma forma que os demais candidatos.

7.7.5 A abertura dos envelopes para análise dos títulos somente será realizada após o Final da Fase da Prova Didática e análise e julgamento do recurso da Prova Escrita, se houver.

7.7.5.1 Somente serão abertos os envelopes dos candidatos aprovados na Prova Escrita.

7.7.6 A pontuação referente à Prova de Títulos corresponderá a uma nota na escala de 0,0 (zero) a 300,0 (trezentos) pontos, com uma casa decimal, utilizando como parâmetro a Tabela de Pontuação constante no Anexo II deste Edital.

7.7.6.1 A pontuação da Prova de Títulos será aferida pela análise dos documentos entregues conforme subitens 7.7.2 e 7.7.3, deste Edital.

7.7.6.2 Será atribuída apenas pontuação referente ao maior título acadêmico (título de especialista, mestre, doutor, ou livre-docência) ao candidato que:

a) deixar de entregar no prazo estabelecido;

b) deixar de entregar a documentação em envelope lacrado e identificado; e/ou

c) deixar de entregar a documentação encadernada e rubricada.

7.7.6.3 O candidato que entregar os comprovantes em ordem diferente daquela disposta no subitem 7.7.3 deste Edital, será penalizado com a não pontuação dos itens que estiverem fora dos grupos e subgrupos.

7.7.7 Em caso de dúvidas, a Banca Examinadora poderá solicitar ao candidato a apresentação dos originais das cópias dos documentos anexados ao currículo, os quais não serão pontuados se a solicitação não for atendida.

7.7.8 As atividades de projetos de pesquisa e extensão, produção bibliográfica, produção técnica ou tecnológica, orientações concluídas, produção artística e cultural, participação em eventos e participação em bancas, somente serão pontuadas se forem realizadas com data a partir dos últimos cinco anos civis, anteriores à data de publicação deste Edital.

7.7.8.1 Não se aplica a regra do subitem anterior aos produtos e processos com patente registrada no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, bem como às premiações recebidas.

7.7.9 Para efeito de pontuação da produção científica em periódicos, a Banca Examinadora deverá utilizar a Tabela QUALIS da área/subárea da vaga mais recente da avaliação, disponibilizada eletronicamente pela Capes.

7.7.10 Para efeito de pontuação dos itens do Grupo VI - Produção Artística e Cultural, somente serão considerados aqueles trabalhos vinculados à área da vaga do Concurso.

7.7.11 A forma de comprovação da documentação está relacionada na Tabela de Pontuação constante no Anexo II deste Edital.

8. DA NOTA FINAL, DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE E DA HOMOLOGAÇÃO DOS RESULTADOS

8.1. DA NOTA FINAL

8.1.1 Após a realização de todas as fases do Concurso, a Banca Examinadora se reunirá, em sessão pública, a ser realizada em data, hora e local, previamente definidos por ela, para apurar a nota final dos candidatos na escala de 0,0 (zero) a 1.000,0 (mil) pontos, com apenas uma casa decimal.

8.1.2 A nota final (NF) do candidato, variando de zero até 1000 pontos, será o resultado da pontuação obtida em cada fase do concurso, considerando uma casa decimal, conforme segue:

NF = (Prova Escrita x 30) + (Prova Didática x 40) + (Prova de Títulos x 1) 8.1.3 Será eliminado o candidato que obtiver nota, na Prova Escrita ou Didática, inferior a 7,00 pontos.

8.1.4 Ao final da sessão de apuração do resultado final, a Banca Examinadora divulgará a relação dos candidatos aprovados em ordem decrescente da classificação, por meio de Ata Final, que será afixada no local onde as provas foram realizadas.

8.2. DA CLASSIFICAÇÃO

8.2.1 Em caso de empate na nota final, terá preferência o candidato que, na ordem a seguir:

a) for inscrito como pessoa com deficiência, para o caso de vagas de reserva;

b) tiver idade igual ou superior a sessenta anos, até o último dia de inscrição Concurso Público, nos termos da Lei nº 10.741/03 (Estatuto do Idoso);

c) tiver maior pontuação na prova didática;

d) tiver maior pontuação na prova escrita; e

e) tiver maior pontuação na prova de títulos.

8.3. DA HOMOLOGAÇÃO DOS RESULTADOS

8.3.1 Serão homologados os candidatos aprovados neste Concurso Público, classificados até o limite do Anexo II do Decreto Nº 6.944/09, conforme tabela abaixo:

Quantidade de vagas previstas no Edital por Cargo

Número máximo de candidatos homologados

1

5

2

9

3

14

4

18

8.3.2 Os candidatos cuja classificação seja superior ao número de candidatos homologados previsto na tabela acima, ainda que tenham atingido a nota mínima, estarão automaticamente eliminados.

9. DISPOSIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DAS PROVAS

9.1 Em todas as sessões e fases do Concurso é obrigatório que o candidato apresente documento de identificação oficial, sob pena de ser impedido o acesso ao local de provas e consequentemente eliminado do Concurso.

9.1.1 Serão considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurança Pública, pelos Institutos de Identificação e pelo Corpo de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional (ordens, conselhos etc.); passaporte brasileiro; carteiras funcionais expedidas por órgão público que, por lei federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitação (somente modelo com foto).

9.1.2 Não serão aceitos como documentos de identidade: cópia do documento de identidade, ainda que autenticada em cartório, nem protocolo deste documento; certidões de nascimento; CPF; títulos eleitorais; carteiras de motorista (modelo sem foto); carteiras de estudante; carteiras funcionais sem Valor de identidade; reservista; documentos ilegíveis, não identificáveis e/ou danificados; quaisquer outros não especificados no item anterior.

9.1.3 Por ocasião da realização das provas, o candidato que não apresentar documento de identidade original, na forma definida no subitem 9.1.1 deste Edital, não poderá fazer as provas e será automaticamente eliminado do concurso público.

9.1.4 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia da realização das provas, documento de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, deverá ser apresentado documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo, trinta dias, ocasião em que será submetido à identificação especial, compreendendo coleta de dados, de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.

9.1.5 A identificação especial será exigida, também, ao candidato cujo documento de identificação apresente dúvidas relativas à fisionomia ou à assinatura do portador.

9.1.6 O candidato não poderá adentrar o local das provas portando aparelho celular, câmera fotográfica ou de vídeo, ou qualquer outro tipo de equipamento eletroeletrônico.

9.1.6.1 Computador pessoal e projetor multimídia poderão ser utilizados como recurso audiovisual na Prova Didática.

9.1.7 Não será admitido ingresso de candidato no local de realização das provas após o horário fixado para o seu início.

9.1.8. Não será permitida a entrada de candidatos no ambiente de provas portando armas. A Organização do Concurso não se responsabilizará pela guarda do objeto.

9.1.9 Não serão aplicadas provas em local, data ou horário, diferentes daqueles previstos no edital.

9.1.10 O candidato poderá solicitar por escrito, à Comissão Organizadora, com duas horas de antecedência do Sorteio da Ordem de Apresentação da Prova Didática, autorização para que a sua aula seja gravada em mídia removível, utilizando-se de dispositivos portáteis, preferencialmente digitais.

9.1.10.1 No ato da solicitação, o candidato deverá fornecer à Comissão Organizadora cabos, drivers, e demais dispositivos necessários para que seja possível providenciar a cópia da mídia utilizada na gravação da aula.

9.1.10.2 O candidato será o único responsável pela operação do equipamento, e terá para a sua instalação dez minutos, concomitantes aos necessários para montar os recursos audiovisuais da Prova Didática, previsto no subitem 7.5.4 deste Edital.

9.1.10.3 Ao final da aula, a mídia ficará retida com a Comissão Organizadora, para cópia, até a sessão de apuração do resultado final, momento em que disponibilizará ao candidato a mídia original.

9.1.11 Ao público presente durante as provas didáticas não é permitida a utilização de telefone celular, câmeras fotográficas e/ou de vídeo, gravadores ou outros equipamentos eletroeletrônicos, bem como manifestações de apreço ou desapreço.

9.1.11.1 A recusa em atender o disposto no caput deste artigo será impedimento para a permanência no local da prova.

9.1.12 Para efeito de contagem dos prazos que transcorram entre o início da Sessão de Sorteio dos Temas e o encerramento da Sessão de Apuração do Resultado Final, será considerado o horário de funcionamento da Secretaria do Concurso, previsto no subitem 1.4 deste Edital.

9.1.12.1 A disposição prevista no subitem anterior não se aplica ao prazo de vinte e quatro horas entre a sessão de Sorteio de Temas e o início da Prova Didática, que será contado em horas corridas, independentemente do horário de funcionamento da Secretaria do Concurso.

9.1.13 Se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou por investigação policial, ter o candidato se utilizado de processo ilícito, suas provas serão anuladas e ele será automaticamente eliminado do concurso público, além das cominações legais cabíveis.

10. DOS RECURSOS

10.1 O prazo para interposição de recursos será de até 2 (dois) dias úteis após a divulgação das seguintes etapas: Da publicação do Edital de Abertura do Concurso Público, do Deferimento das Inscrições, da Constituição das Bancas Examinadoras e do Resultado Final.

10.2 Os recursos, devidamente fundamentados e instruídos, respeitados os prazos estabelecidos, poderão ser encaminhados (assinados e digitalizados) para e-mail ccdocente@copeve.ufms.br ou entregues no Protocolo Central da UFMS.

10.2.1 Os documentos enviados via e-mail deverão ser remetidos, por Sedex ou AR com Aviso de Recebimento, com data de postagem de, no máximo, um dia útil após o envio, sob pena de não conhecimento do recurso.

10.3 O prazo para interposição do recurso da Prova Escrita será de até uma hora antes do horário definido para o início da Prova Didática.

10.3.1 Os recursos devidamente fundamentados e instruídos, devem ser dirigidos à Banca Examinadora, e entregues à Comissão Organizadora, respeitado prazo do subitem 10.3 deste Edital.

10.3.2 O candidato poderá requerer à Comissão Organizadora cópia de sua prova escrita, exclusivamente para instruir seu recurso, até uma hora depois da divulgação dos resultados.

10.3.3 A interposição dos recursos garantirá ao candidato o direito, em caráter provisório até o julgamento do seu recurso, de realizar a Prova Didática.

10.4 Serão indeferidos os recursos que não observarem a forma, o prazo e os horários previstos neste Edital.

11. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

11.1 A homologação do resultado final deste Concurso Público será publicada no Diário Oficial da União e divulgada no endereço eletrônico www.copeve.ufms.br.

11.2 O prazo de validade do concurso esgotar-se-á após um ano, contado a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período.

11.3 A Legislação com entrada em vigor após a data de publicação deste edital, não será objeto de avaliação nas provas deste Concurso Público.

11.4 Não serão fornecidos ao candidato cópia ou demais documentos de controle interno desta Universidade, bem como documento comprobatório de classificação neste Concurso Público, valendo para esse fim a publicação no Diário Oficial da União.

11.5 Quaisquer alterações nas regras fixadas neste Edital só poderão ser feitas por meio de outro Edital.

11.6 Os documentos enviados para fins de inscrição e os documentos entregues para prova de títulos não serão devolvidos aos candidatos.

11.7 Outras informações acerca dos procedimentos deste Concurso Público constam na Resolução CD nº 76, de 2 de julho de 2013.

11.8 O resultado deste Concurso Público não poderá ser utilizado como processo seletivo para contratação de Professores Substitutos ou Temporários.

11.9 Havendo interesse institucional e não sendo preenchidas as vagas, poderão ser aproveitados para nomeação, candidatos aprovados em outros concursos da UFMS ou de outras Instituições Federais de Ensino Superior, bem como a UFMS poderá disponibilizar para outras IFES candidatos habilitados neste concurso, observados sempre a ordem de classificação do candidato do concurso.

11.10 Os casos omissos serão resolvidos pela Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho.

CARMEM BORGES ORTEGA

ANEXO I

ÁREAS, FORMAÇÃO, LOTAÇÃO, Nº VAGAS, REGIME DE TRABALHO e CLASSE

A formação exigida para a Pós-Graduação segue a classificação de Grande Área/Área da CAPES (http://www.capes.gov.br/cursos-recomendados), compreendendo todos os programas de Pós-Graduação elencados na Grande Área ou Grande Área/Área.

A. CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE (Campo Grande - MS)

(853) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Enfermagem/ Enfermagem Médico-Cirúrgica Formação Exigida:

1. Graduação em Enfermagem; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências da Saúde ou Multidisciplinar/Interdisciplinar Lotação: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(854) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Farmácia

Formação Exigida:

1. Graduação em: Farmácia ou Farmácia Bioquímica ou Farmácia Industrial; e

2. Doutorado em: Ciências da Saúde/ Farmácia

Lotação: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(855) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Farmácia/ Farmacotecnia Formação Exigida:

1. Graduação em Farmácia ou Farmácia Bioquímica ou Farmácia Industrial; e

2. Doutorado em: Ciências da Saúde/ Farmácia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(856) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Microbiologia

Formação Exigida:

1. Graduação em: Biologia ou Biomedicina ou Farmácia ou Medicina ou Medicina Veterinária ou Odontologia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Biológicas/Microbiologia ou Ciências da Saúde/Medicina II ou Ciências da Saúde/Farmácia ou Multidisciplinar/Interdisciplinar Lotação: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(945) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Nutrição

Formação Exigida:

1. Graduação em: Nutrição; e

2. Doutorado em: Ciências da Saúde/Nutrição ou Ciências da Saúde/Saúde Coletiva ou Ciências da Saúde/Medicina I ou Ciências da Saúde/Medicina II ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(946) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Nutrição/ Dietética

Formação Exigida:

1. Graduação em: Nutrição; e

2. Doutorado em: Ciências da Saúde/Nutrição ou Ciências da Saúde/ Medicina I ou Ciências da Saúde/ Medicina II ou Ciências Agrárias/Ciência e Tecnologia de Alimentos ou Multidisciplinar/Interdisciplinar.

Lotação: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

B. CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS (Campo Grande - MS)

(858) Grande Área /Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Música

Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura e/ou Bacharelado em "Música" ou "Regência" ou "Instrumento Musical" ou "Composição e Regência"; e

2. Experiência comprovada de 1 ano de regência de banda de sopros.

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: Dedicação Exclusiva

Classe: Professor Auxiliar

(859) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física/ Pedagogia do Esporte Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura ou Bacharelado em Educação Física ou Bacharelado em Esporte(s); e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências da Saúde/Educação Física ou Ciências Humanas/Educação ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(860) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Artes Plásticas/ Pintura Formação Exigida:

1. Graduação em: Bacharelado ou Licenciatura em Artes Visuais ou Belas Artes ou Artes Plásticas ou Educação Artística; e

2. Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Artes ou Ciências Humanas/Educação

3. Apresentação de portifólio em tamanho ofício, no ato da inscrição, contendo no mínimo 05 (cinco) e no máximo 10 (dez) imagens impressas em cores (tamanho mínimo: 13cm x 18cm) de pinturas feitas pelo candidato, produzidas entre os anos de 2009 e 2013. As imagens devem obrigatoriamente vir acompanhadas de nome do autor, técnica/material, ano de execução e dimensões.

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(862) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem

Formação Exigida:

1. Graduação em: Pedagogia; e

2. Doutorado em: Ciências Humanas/Educação. Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(864) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física

Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura ou Bacharelado em Educação Física ou Bacharelado em Esporte(s); e

2. Doutorado em: Ciências da Saúde/Educação Física ou Ciências Humanas/Educação ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(942) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde

Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura ou Bacharelado em Educação Física ou Bacharelado em Esporte(s); e

2. Doutorado em: Ciências da Saúde/Educação Física

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(943) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Comunicação

Formação Exigida:

1. Graduação em: Jornalismo ou Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo; e

2. Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Comunicação

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(944) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Música

Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura e/ou Bacharelado em Música ou Instrumento Musical ou Educação Musical ou Regência ou Composição e Regência; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Artes ou Ciências Humanas/Educação

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(971) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis Formação exigida:

1. Graduação em: Ciências Contábeis ou Administração; e

2. Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Administração

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(972) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis

1. Graduação em: Ciências Contábeis ou Administração; e

2. Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Administração

Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(989) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Educação Artística Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura em Artes Visuais ou Licenciatura em Educação Artística com habilitação em artes plásticas; e

2. Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Artes ou Ciências Humanas/Educação Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(990) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História Moderna e Contemporânea Formação Exigida:

1. Graduação em: História; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/História ou Ciências Humanas/Educação Lotação: Centro de Ciências Humanas e Sociais

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

C . FACULDADE DE ENGENHARIAS, ARQUITETURA E URBANISMO E GEOGRAFIA (Campo Grande - MS)

(865) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia Civil/ Estruturas Formação Exigida:

1. Graduação em: Engenharia Civil ou Engenharia Mecânica; e

2. Doutorado em: Engenharias/Engenharia Civil

Lotação: Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(949) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia Civil/ Construção Civil/ Materiais e Componentes de Construção

Formação Exigida:

1. Graduação em: Engenharia ou Arquitetura e Urbanismo ou Tecnologia em Construção de Edifícios; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Engenharias/Engenharia Civil

Lotação: Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(950) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia de Produção

Formação Exigida:

1. Graduação em: Engenharia de Produção ou Engenharia Mecânica; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Engenharias/Engenharia de Produção ou Engenharias/Engenharia Mecânica.

Lotação: Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(951) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia Civil/ Construção Civil/ Processos Construtivos

Formação Exigida:

1. Graduação em: Engenharia Civil ou Administração ou Tecnologia em Construção de Edifícios ou Engenharia de Produção ou Engenharia de Produção Civil; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Engenharias/Engenharia Civil ou Engenharias/Engenharia de Produção

Lotação: Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

D. FACULDADE DE MEDICINA (Campo Grande - MS)

(866) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Saúde Coletiva/ Saúde Publica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica na área da Saúde da Família e/ou título de Especialista em Saúde da Família, emitido pela Associação Médica Brasileira e/ou Especialização em Saúde da Família reconhecida pelo MEC com carga horária maior ou igual a 1500h.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 04 (01 vaga de reserva - 03 vagas ampla concorrência)

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(867) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Cancerologia Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Cancerologia/Oncologia Clínica reconhecida pelo Ministério da Educação, ou Especialização Cancerologia/Oncologia com titulo de Especialista em Cancerologia/Oncologia emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(869) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Ginecologia e Obstetrícia

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia reconhecida pelo Ministério da Educação, ou Especialização em Ginecologia e Obstetrícia com Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(904) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Hematologia Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Hematologia e Hemoterapia reconhecida pelo Ministério da Educação, ou Especialização em Hematologia e Hemoterapia com Título de Especialista em Hematologia e Hemoterapia emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(905) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Nefrologia Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Nefrologia reconhecida pelo Ministério da Educação, ou Especialização em Nefrologia com Título de Especialista em Nefrologia emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(906) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Cirurgia/ Cirurgia Otorrinolaringológica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Otorrinolaringologia reconhecida pelo Ministério da Educação, ou Especialização em Otorrinolaringologia com Título de Especialista em Otorrinolaringologia emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(907) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Clínica Médica reconhecida pelo Ministério da Educação, ou Especialização em Clínica Médica com Título de Especialista em Clínica Médica emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(908) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Clínica Médica ou Cirurgia Geral, reconhecida pelo Ministério da Educação, e/ou com Título de Especialista em Clínica Médica ou Cirurgia Geral emitido pela Associação Médica Brasileira.

3. Experiência comprovada de 3 anos trabalhando em serviço de urgência e emergência (Pronto atendimento fixo ou móvel, UTI ou SAMU).

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(909) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência em Clínica Médica, Ginecologia e Obstetrícia, Clínica Cirúrgica ou Pediatria reconhecida pelo Ministério da Educação, e/ou com Título de Especialista emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

(913) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Pneumologia Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Residência Médica em Pneumologia reconhecida pelo Ministério da Educação, ou Especialização em Pneumologia com Título de Especialista em Pneumologia emitido pela Associação Médica Brasileira.

Lotação: Faculdade de Medicina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: 20 HORAS SEMANAIS

Classe: Professor Auxiliar

E. FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA (Campo Grande - MS)

(870) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Patologia Animal Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina Veterinária; e

2. Doutorado em: Ciências Agrárias/Medicina Veterinária

Lotação: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(871) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Patologia Animal Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina Veterinária; e

2. Doutorado em: Ciências Agrárias/Medicina Veterinária

Lotação: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(872) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Inspeção de Produtos de Origem Animal

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina Veterinária; e

2. Doutorado em: Ciências Agrárias/Medicina Veterinária

Lotação: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(873) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Zootecnia/ Nutrição e Alimentação Animal Formação Exigida:

1. Graduação em: Zootecnia ou Medicina Veterinária ou Agronomia; e

2. Doutorado em: Ciências Agrárias/Zootecnia

Lotação: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(874) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Clínica e Cirurgia Animal

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina Veterinária; e

2. Doutorado em: Ciências Agrárias/Medicina Veterinária

Lotação: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(875) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Clínica e Cirurgia Animal

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina Veterinária; e

2. Doutorado em: Ciências Agrárias/Medicina Veterinária

Lotação: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

F. FACULDADE DE ODONTOLOGIA (Campo Grande - MS)

(876) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Odontologia/ Odontologia Social e Preventiva Formação Exigida:

1. Graduação em: Odontologia; e

2. Especialização em: Saúde Coletiva e/ou Saúde Pública e/ou Odontologia Legal; e

3. Doutorado em: Ciências da Saúde/Odontologia ou Multidisciplinar/Interdisciplinar Lotação: Faculdade de Odontologia

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

G. INSTITUTO DE MATEMÁTICA (Campo Grande - MS)

(877) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática/ Geometria e Topologia Formação Exigida:

1. Graduação em: Matemática (Licenciatura ou Bacharelado) ou Matemática Aplicada (Bacharelado); e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Matemática

Lotação: Instituto de Matemática

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(878) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Probabilidade e Estatística/ Probabilidade e Estatística Aplicadas

Formação Exigida:

1. Graduação em: Bacharelado em Estatística ou Matemática/Matemática Aplicada ou Licenciatura em Matemática; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Probabilidade e Estatística Lotação: Instituto de Matemática

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(879) Grande Área/ Área: Multidisciplinar/ Ensino

Formação Exigida:

1. Graduação em: Matemática (Bacharelado ou Licenciatura); e

2. Doutorado em: Multidisciplinar/Ensino ou Ciências Humanas/Educação Lotação: Instituto de Matemática

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

H. INSTITUTO DE QUÍMICA (Campo Grande - MS)

(884) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Química/ Química Orgânica/ Síntese Orgânica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Química ou Farmácia ou Biologia; e

2. Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Química Lotação: Instituto de Química

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(947) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Química/ Química Inorgânica Formação Exigida:

1. Graduação em: Química; e

2. Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Química

Lotação: Instituto de Química

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(970) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Química/ Química Orgânica/ Química dos Produtos Naturais

Formação Exigida:

1. Graduação em: Química ou Farmácia; e

2. Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Química

Lotação: Instituto de Química

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

I . INSTITUTO DE FÍSICA (Campo Grande - MS)

(948) Grande Área/ Área: Multidisciplinar/ Ensino

Formação Exigida:

1. Graduação em: Física (Licenciatura ou Bacharelado); e

2. Doutorado em: Multidisciplinar/Ensino ou Ciências Humanas/Educação Lotação: Instituto de Física

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

J. CÂMPUS DO PANTANAL (Corumbá - MS)

(952) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos

Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciência da Computação ou Sistemas de Informação ou Física ou Matemática ou Tecnologia em Processamento de Dados; e

2. Especialização em: Ciência da Computação ou Redes de Computação ou Engenharia de Sistemas ou Informática ou Análise de Sistemas ou Gestão em Telecomunicações ou Sistemas de Informação

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Auxiliar

(953) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Metodologia e Técnicas da Computação/ Sistemas de Informação

Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciência da Computação ou Sistemas de Informação ou Tecnologia em Processamento de Dados; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Ciência da Computação ou Engenharias/Engenharia de Produção.

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(954) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física

Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura em Educação Física; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Educação ou Ciências da Saúde/Educação Física.

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(963) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Letras/ Língua Portuguesa Formação Exigida:

1. Graduação em: Letras - Habilitação em Língua Portuguesa; e

2. Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Letras ou Linguística, Letras e Artes/Linguística

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(964) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Letras/ Literatura Brasileira

Formação Exigida:

1. Graduação em: Letras; e

2. Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Letras

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(965) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes Formação Exigida:

1. Graduação em: Letras - Habilitação em Língua Portuguesa; e

2. Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Letras

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA Classe: Professor Adjunto A

(966) Grande Área/ Área: Multidisciplinar/ Ensino

Formação Exigida:

1. Graduação em: História ou Ciências Sociais ou Antropologia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/História ou Ciências Humanas/Educação ou Ciências Humanas/Sociologia ou Ciências Humanas/Antropologia ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(967) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História Antiga e Medieval Formação Exigida:

1. Graduação em: Graduação em História; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/História ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(969) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Contábeis

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Auxiliar

(986) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História da América/ História Latino-Americana

Formação Exigida:

1. Graduação em: História; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/História ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(987) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Contábeis; e

2. Especialização em: Ciências Contábeis ou Administração ou Economia ou Engenharia de Produção.

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Auxiliar

(988) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática/ Matemática Aplicada Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura e/ou Bacharelado em Matemática; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Matemática ou Ciências Exatas e da Terra/Física ou Multidisciplinar/Ensino ou Ciências Humanas/Educação

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(995) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Geografia/ Geografia Humana

Formação Exigida:

1. Graduação em: Bacharelado ou Licenciatura em Geografia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Geografia ou Multidisciplinar/Interdisciplinar ou Ciências Sociais Aplicadas/Demografia

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(996) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física/ Bases Anátomo-Fisiológicas, Saúde Coletiva e Saúde Pública

Formação Exigida:

1. Graduação em: Educação Física (Licenciatura e/ou Bacharelado); e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Educação ou Ciências da Saúde/Educação Física ou Ciências da Saúde/Saúde Coletiva

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(997) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem/ Métodos e Técnicas de Ensino

Formação Exigida:

1. Graduação em: Pedagogia; e

2. Mestrado em: Ciências Humanas/ Educação; e

3. Doutorado em: Ciências Humanas/ Educação

Lotação: Campus do Pantanal

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

K. CAMPUS DE AQUIDAUANA (Aquidauana - MS)

(886) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura em Matemática; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Matemática

Lotação: Campus de Aquidauana

Nº de Vagas: 02 (01 vaga de reserva - 01 vaga ampla concorrência)

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(981) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Contábeis ou Administração; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Administração ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Campus de Aquidauana

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(982) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Economia

Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Econômicas; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Administração ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Campus de Aquidauana

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

L . CAMPUS DE TRÊS LAGOAS (Três Lagoas - MS)

(889) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público Formação Exigida:

1. Graduação em: Direito; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(890) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática

Formação Exigida:

1. Graduação em: Matemática; e

2. Mestrado em: Ciências Exatas e da Terra/Matemática; e

3. Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Matemática ou Engenharias/Engenharia Mecânica ou Engenharias/Engenharia Elétrica

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(891) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem/ Métodos e Técnicas de Ensino

Formação Exigida:

1. Graduação em: Pedagogia ou História (Licenciatura) ou Geografia (Licenciatura); e

2. Doutorado em: Ciências Humanas/Educação

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(892) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História Formação Exigida:

1. Graduação em: História

2. Doutorado em: Ciências Humanas/História

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(893) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público/ Direito Constitucional

Formação Exigida:

1. Graduação em: Direito; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Direito

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(894) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Linguística/ Teoria e Análise Linguística

Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura Plena em Letras; e

2. Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Linguística

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(895) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público/ Direito Processual Civil

Formação Exigida:

1. Graduação em: Direito; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Direito;

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(915) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Farmacologia/ Farmacologia Clínica Formação Exigida:

1. Graduação em: Farmácia ou Medicina; e

2. Doutorado em: Ciências Biológicas ou Ciências da Saúde/Farmácia ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(916) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Morfologia

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina ou Fisioterapia ou Enfermagem ou Farmácia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Biológicas ou Ciências da Saúde

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 02 (01 vaga de reserva - 01 vaga ampla concorrência)

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

(918) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina

Formação Exigida:

1. Graduação em: Medicina; e

2. Especialização ou residência Médica em saúde da família ou atenção primária em saúde ou medicina de família e comunidade ou saúde coletiva ou ginecologia e obstetrícia; ou

3. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências da Saúde ou Multidisciplinar/Interdisciplinar ou Ciências Biológicas.

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Auxiliar

(923) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Enfermagem

Formação Exigida:

1. Graduação em: Enfermagem; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências da Saúde ou Ciências Biológicas ou Multidisciplinar/Interdisciplinar

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(924) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Linguística/ Linguística Aplicada Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura Plena em Letras Português/Inglês e/ou Espanhol; e

2. Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Linguística

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(934) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Letras/ Línguas Estrangeiras Modernas

Formação Exigida:

1. Graduação em: Licenciatura em Letras Português/Espanhol; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Linguística, Letras e Artes/Linguística

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

(936) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público Formação Exigida:

1. Graduação em: Direito; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Direito

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(937) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Administração de Setores Específicos

Formação Exigida:

1. Graduação em: Administração ou Administração de Empresas; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Administração ou Engenharias/Engenharia de Produção.

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(938) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Administração de Setores Específicos

Formação Exigida:

1. Graduação em: Administração ou Administração de Empresas; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Administração ou

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(939) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Administração de Setores Específicos

Formação Exigida:

1. Graduação em: Administração ou Administração de Empresas; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Sociais Aplicadas/Administração ou Ciências Sociais Aplicadas/ Economia ou Engenharias/Engenharia de Produção

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

(955) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação Formação Exigida:

1. Graduação em: Bacharelado em Sistemas de Informação ou Ciência da Computação ou Matemática Computacional; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Ciência da Computação.

Lotação: Campus de Três Lagoas

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

M. CAMPUS DE PARANAÍBA (Paranaíba - MS)

(880) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Psicologia/ Tratamento e Prevenção Psicológica/ Intervenção Terapêutica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Psicologia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Psicologia

Lotação: Campus de Paranaíba Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(881) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Psicologia/ Tratamento e Prevenção Psicológica/ Intervenção Terapêutica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Psicologia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Psicologia

Lotação: Campus de Paranaíba Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(882) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Psicologia/ Fundamentos e Medidas da Psicologia/ História, Teorias e Sistemas em Psicologia

Formação Exigida:

1. Graduação em: Psicologia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Psicologia

Lotação: Campus de Paranaíba Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(984) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Genética/ Genética Humana e Médica

Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Biológicas (Licenciatura e/ou Bacharelado); e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Psicologia ou Ciências Biológicas/Genética ou Ciências Biológicas/Farmacologia

Lotação: Campus de Paranaíba

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(985) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação Formação Exigida:

1. Graduação em: Pedagogia (Licenciatura Plena); e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Educação Lotação: Campus de Paranaíba

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

N. CAMPUS DE NOVA ANDRADINA (Nova Andradina - MS)

(883) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História do Brasil

Formação Exigida:

1. Graduação em: Área de Humanas (Antropologia, Arqueologia, Ciência Política, Educação, Filosofia, Geografia, História, Psicologia, Sociologia, Teologia); e

2. Doutorado em: Ciências Humanas/História.

Lotação: Campus de Nova Andradina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(959) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Contábeis; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Qualquer área

Lotação: Campus de Nova Andradina

Nº de Vagas: 02 (01 vaga de reserva - 01 vaga ampla concorrência)

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(960) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Contábeis; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Qualquer área

Lotação: Campus de Nova Andradina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(961) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Economia/ Teoria Econômica/ Economia Geral

Formação Exigida:

1. Graduação em: Economia ou Ciências Econômicas; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Qualquer área

Lotação: Campus de Nova Andradina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(962) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis Formação Exigida:

1. Graduação em: Ciências Contábeis; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Qualquer área

Lotação: Campus de Nova Andradina

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

O. CÂMPUS E COXIM (Coxim - MS)

(958) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos

Formação Exigida:

1. Graduação em: Área de Computação; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Ciência da Computação ou Engenharias/Engenharia Elétrica

Lotação: Campus de Coxim

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(975) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação Formação Exigida:

1. Graduação em: Área de Computação; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Ciência da Computação ou Engenharias/Engenharia Elétrica

Lotação: Campus de Coxim

Nº de Vagas: 02 (01 vaga de reserva - 01 vaga ampla concorrência)

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(977) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Linguagem de Programação

Formação Exigida:

1. Graduação em: Área de Computação; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Ciência da Computação ou Engenharias/Engenharia Elétrica

Lotação: Campus de Coxim

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(978) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem/ Métodos e Técnicas de Ensino

Formação Exigida:

1. Graduação em: História; e

2. Mestrado em: Ciências Humanas/História; e

3. Doutorado em: Ciências Humanas/História ou Ciências Humanas/Educação

Lotação: Campus de Coxim

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(979) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História Moderna e Contemporânea Formação Exigida:

1. Graduação em: História; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/História

Lotação: Campus de Coxim

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(980) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História da América Formação Exigida:

1. Graduação em: História; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/História.

Lotação: Campus de Coxim

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

P. CÂMPUS DE PONTA PORÃ (Ponta Porã - MS)

(887) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Metodologia e Técnicas da Computação

Formação Exigida:

1. Graduação em: na Àrea da Computação ou Engenharia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Exatas e da Terra/Ciência da Computação ou Engenharias

Lotação: Campus de Ponta Porã

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(992) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/Educação

Formação Exigida:

1. Graduação em: Pedagogia; e

2. Mestrado em: Ciências Humanas/Educação ou Ciências da Saúde/Educação Física; e

3. Doutorado em: Ciências Humanas/Educação ou Ciências da Saúde/Educação Física Lotação: Campus de Ponta Porã

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Adjunto A

(993) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação Formação Exigida:

1. Graduação em: Pedagogia; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Educação Lotação: Campus de Ponta Porã

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

(994) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação Formação Exigida:

1. Graduação em: Letras; e

2. Mestrado e/ou Doutorado em: Ciências Humanas/Educação Lotação: Campus de Ponta Porã

Nº de Vagas: 01

Regime de Trabalho: DEDICAÇÃO EXCLUSIVA

Classe: Professor Assistente A

Anexo II - Tabela de Pontuação da Prova de Títulos

GRUPO I

Subgrupo

Dados Gerais da Titulação (titulação máxima, não cumulativa)

Valor

Total

A

I - Título de Livre-Docente na área

100,0

 

II - Título de Livre-Docente em área afim

90,0

 

III - Título de Doutor na área, com pós-doutorado na área ou área afim.

80,0

 

IV - Título de Doutor na área afim, com pós-doutorado na área ou em área afim.

70,0

 

V - Título de Doutor na área.

60,0

 

VI - Título de Doutor em área afim.

50,0

 

VII - Título de Mestre na área.

40,0

 

VIII - Título de Mestre em área afim.

30,0

 

IX - Título de Especialista na área.

20,0

 

X - Título de Especialista em área afim.

10,0

 

Subtotal Grupo I - A

 

B

Docência (comprovado com declaração do empregador/responsável)

Valor

Total

Docência em cursos de pós-graduação stricto sensu, por disciplina

3,0

 

Docência em curso superior, por disciplina com carga horária igual ou superior a 30 horas (incluindo pós-graduação lato sensu)

1,0

 

Subtotal Grupo I - B (máximo de 50,0 pontos)

 

C

Atividades Administrativas e de Representação, Por titularidade (comprovado com declaração, contrato ou outro documento equivalente)

Valor

Total

Exercício de Cargos de Direção Superior em atividades de administração acadêmica em Instituição de Ensino Superior, por cargo e no mínimo seis meses

2,0

 

Exercício de Cargos/funções de Coordenação de Curso, Chefia de Departamento ou equivalente em Instituição de Ensino Superior, por cargo e no mínimo seis meses.

1,0

 

Coordenação/Presidência de Comissões Permanentes (ex.: Comissão Própria de Avaliação (CPAs)), e/ou Comissões de Concurso Público de Instituição de Ensino Superior, por Comissão1,0 
CParticipação em Comissões Permanentes (p. ex.: Comissão Própria de Avaliação (CPAs)), e/ou Comissões de Concurso Público de Instituição de Ensino Superior, por participação0,5 
Subtotal Grupo I - C 
DPremiações ou menções por desempenho pedagógico e científicoValorTotal
Por prêmio (comprovado com certificado, diploma ou outro documento válido)3,0 
Subtotal Grupo I - D 
Total Grupo I (A+B+C+D) 

 

GRUPO II - PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO

Subgrupo

Projetos de Pesquisa (aprovado, concluído ou em andamento, comprovado com declaração ou outro documento equivalente)

Valor

Total

A

Coordenação de projeto de pesquisa aprovado por agência de fomento (ex.: CNPq, Capes, Finep, Fundect, entre outras agências), por projeto.

3,0

 

Participação em projeto de pesquisa aprovado por agência de fomento (ex.: CNPq, Capes, Finep, Fundect, entre outras agências), por projeto.

1,0

 

Coordenação de Projeto de pesquisa institucional, por projeto.

1,0

 

Bolsista de Produtividade em Pesquisa CNPq, Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora CNPq, por ano (comprovado com declaração ou outro documento equivalente)

5,0

 

Bolsista de programa de fixação de doutores (professor visitante, DCR, RD, CAPES/ CNPq/ Fundações de Apoio, etc.), por ano (comprovado com declaração ou outro documento equivalente).

3,0

 

Subtotal Grupo II - A

 

BProjeto de Extensão UniversitáriaValorTotal
Coordenação de Projeto de extensão institucional aprovado e concluído ou em andamento, por projeto (comprovado com declaração ou outro documento equivalente)2,0 
Subtotal Grupo II - B  
CTutor de Grupo PETValorTotal
Por programa e no mínimo seis meses (comprovado com declaração ou outro documento equivalente)2,0 
Subtotal Grupo II - C  
Total Grupo II (A+B+C)  

 

GRUPO III - PRODUÇÃO BIBLIOGRÁFICA

Subgrupo

Artigos publicados ou aceitos em periódicos científicos especializados Comprovado com cópia da primeira página do artigo e, no caso de artigo no prelo, anexar Carta de Aceite do Editor Chefe, por artigo.

Valor

Total

autoria

co-autoria

 

A

Conceito QUALIS A1

20,0

10,0

 

Conceito QUALIS A2

18,0

9,0

 

Conceito QUALIS B1

12,0

6,0

 

Conceito QUALIS B2

10,0

5,0

 

Conceito QUALIS B3

8,0

4,0

 

Conceito QUALIS B4

5,0

2,5

 

Conceito QUALIS B5

2,0

1,0

 

Conceito QUALIS C ou publicados em periódicos que não tiverem classificação Qualis mas que tiverem corpo editorial.

1,0

0,5

 

Subtotal Grupo III - A

 

B

Livros, Capítulos de Livros ou Verbetes (comprovado com cópia da capa, contracapa e sumário). Compreende-se por livro um produto impresso ou eletrônico que possua ISBN (ou ISSN para obras seriadas), tenha mais de 49 páginas (cf. ABNT) e seja publicado por editora pública ou privada, associação científica e/ou cultural, instituição de

Valor

Total

pesquisa ou órgão oficial. Produtos com menos de 50 páginas são tecnicamente classificados como folhetos e não serão avaliados como livros. Para ser pontuada, a obra deverá ser classificada como livro didático ou de referência para a área/subárea do concurso.  
Livros publicados, por livro (Livro Publicado ou Organização de Obra Publicada)8,0 
Organização de Obra Publicada, por livro3,0 
Capítulos de livros publicados, por capítulo3,0 
BVerbetes (comprovado com cópia integral), por item1,0 
Subtotal Grupo III - B 
CTexto em Jornal de Notícias ou Revista (magazine) ValorTotal
Com corpo editorial e comprovado com cópia integral do texto que inclua a data e o número/fascículo de publicação0,5 
Subtotal Grupo III - C 
DPublicações em eventos científicos (comprovado com certificado ou cópia integral da comunicação)ValorTotal
Trabalhos completos em anais de eventos (máx. 10)2,0 
Resumos expandidos em anais de eventos (máx. 10)1,0 
Resumos simples em anais de eventos (máx. 10)0,5 
Subtotal Grupo III - D 
EPartitura MusicalValorTotal
Pr partitura (comprovada com cópia)5,0 
Subtotal Grupo III - E 
FTraduções de livros completos, capítulos e artigos (comprovado com cópia da capa, contracapa e sumário)ValorTotal
Tradução de livros completos, por tradução.3,0 
Tradução de capítulos de livros, por tradução.1,0 
Tradução de artigos, por tradução.1,0 
Subtotal Grupo III - F 
GPrefácio, posfácio, apresentação, introduçãoValorTotal
Por item (comprovado com cópia integral)1,0 
Subtotal Grupo III - G 
HResenhas bibliográficas publicadas em periódicos científicos especializadosValorTotal
Resenhas bibliográficas publicadas em periódicos científicos especializados, internacionais, com corpo editorial (comprovado com cópia integral da resenha), por resenha.2,0 
Resenhas bibliográficas publicadas em periódicos científicos especializados, nacionais, com corpo editorial (comprovado com cópia integral da resenha), por resenha.1,0 
Subtotal Grupo III -H 
Total Grupo III (A+B+C+D+E+F+G+H) 
GRUPO IV - PRODUÇÃO TÉCNICA OU TECNOLÓGICA
SubgrupoSoftwareValorTotal
ASoftware com patente registrada junto ao INPI (comprovado com Carta de Registro e/ou de Renovação), por software.5,0 
Subtotal Grupo IV - A 
BProdutoValorTotal
Produto com patente registrada junto ao INPI (comprovado com Carta de Registro e/ou de Renovação), por produto.5,0 
Subtotal Grupo IV - B 
CProcessoValorTotal
Processo de desenvolvimento ou geração de trabalho com patente registrada junto ao INPI (comprovado com Carta de Registro e/ou de Renovação), por processo.5,0 
Subtotal Grupo IV - C 
DConfecção de mapas ou cartas geográficasValorTotal
Por produto (comprovado com cópia da capa, contracapa e sumário)1,0 
Subtotal Grupo IV - D 
EConfecção maquetesValorTotal
Por maquete (comprovado com documentação de autoria)1,0 
Subtotal Grupo IV - E  
F Desenvolvimento de Material Didático ou InstrucionalValorTotal
Comprovado com cópia da capa, contracapa e sumário.0,5 
Subtotal Grupo IV - F  
GParticipação em corpo editorial de livros e periódicos ValorTotal
Comprovado com declaração ou documento equivalente.2,0
Subtotal Grupo IV - G  
HManutenção de Obra ArtísticaValorTotal
Comprovado com declaração ou documento equivalente.2,0 
Subtotal Grupo IV - H  
IPrograma de Rádio e TVValorTotal
Produção técnica (comprovado com declaração ou documento equivalente)1,0 
Subtotal Grupo IV - I  
Total Grupo IV (A+B+C+D+E+F+G+H+I)  
GRUPO V - ORIENTAÇÕES CONCLUÍDAS  
SubgrupoOrientações concluídas e aprovadas por orientação (comprovado com declaração ou cópia da ata de defesa do orientando)ValorTotal
A Monografia/Trabalho de final de curso de graduação ou equivalente0,5 
Aperfeiçoamento0,5 
Especialização/Residência/MBA0,5 
Iniciação Científica (PIBIC) ou Iniciação à Docência (PIBID)2,0 
Mestrado6,0 
Doutorado9,0 
Subtotal Grupo V - A  
B Co-orientações concluídas e aprovadas ValorTotal
(comprovado com declaração ou cópia da ata de defesa do orientando) 
Mestrado2,0 
DoutoradoSubtotal Grupo V - B3,0 
Total Grupo V (A+B)  

 

GRUPO VI - PRODUÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL A pontuação nos itens deste Grupo somente será atribuída à(s) atividade(s) vinculada(s) à área do Concurso

Subgrupo

Exibição de obra musical - Recital ou show

Valor

Total

A

Recital ou show solo ou música de câmara (programa completo) com estréia de programa (50% ou mais de repertório novo), por programa completo.

3,0

 

Recital ou show solo ou música de câmara (programa completo) com repertório já apresentado anteriormente, por programa completo.

0,5

 

Participação em recitais ou shows

0,1

 

Subtotal Grupo VI - A

 

B

Composição e arranjos

Valor

Total

Composição de obra no mínimo oito minutos (ópera, musical, sinfonia, poema sinfônico e afins) que tenha sido estreada ou gravada comercialmente ou publicada, por composição.

2,0

 

Composição de canção que tenha sido estreada ou gravada comercialmente ou publicada, por composição

1,0

 

B

Arranjo para orquestra, big-band, banda ou coral que tenha estreado ou gravado comercialmente ou publicado, por arranjo.

1,0

 

Arranjo para instrumentos e acompanhamento de canção que tenha estreado ou gravado comercialmente ou publicado, por arranjo.

0,5

 

Subtotal Grupo VI - B

 

C

Premiação como intérprete

Valor

Total

Por premiação, em concurso nacional ou internacional (comprovada com documentação da premiação)

3,0

 

Subtotal Grupo VI - C 
DPrograma de Rádio ou TVValorTotal
Produção cultural (comprovado com declaração ou documento equivalente)1,0 
Subtotal Grupo VI - D 
EExposição de artes visuaisValorTotal
Pintura, desenho, gravura, escultura, fotografia, Instalação ou outra. Comprovada com fôlder ou convite, (por exposição individual).1,0 
Pintura, desenho, gravura, escultura, fotografia, Instalação ou outra. Comprovada com fôlder ou convite, (por exposição coletiva).0,5 
Subtotal Grupo VI - E 
FExibição de obra audiovisual Cinema, televisão, vídeo. Comprovada com fôlder, catálogo ou programação (por obra)ValorTotal
Exibição isolada0,5 
Exibição em festivais1,0 
Emissões televisivas1,0 
Programa de sala de cinema2,0 
Subtotal Grupo VI - F 
GObra de artes gráficasValorTotal
Projeto gráfico de livro, revista, capas, fôlderes, website. Comprovado com cópia do material publicado, por projeto.1,0 
Subtotal Grupo VI - G 
HIncorporação de obra de artes visuais, audiovisual ou gráfica em acervo de museuValorTotal
Por obra (comprovada com documentação da instituição)5,0 
Subtotal Grupo VI - H 
IPremiação de obra de artes visuais, audiovisuais ou gráficas em evento nacional ou internacional.ValorTotal

Por premiação. (comprovada com documentação da premiação).

3,0 
Subtotal Grupo VI - I 
JSonoplastia (cinema, rádio, TV, Teatro)ValorTotal
Comprovado com declaração ou documento equivalente.1,0 
Subtotal Grupo VI - J 
KGravaçõesValorTotal
CD solo ou música de câmara (todo o CD), por CD5,0 
Faixa de CD solo ou música de câmara, por faixa1,0 
Faixa de CD como músico acompanhante, por faixa0,5 
Mais de 30 (trinta) minutos de gravação de música em programa de TV ou rádio relacionado a atividade musical, por programa3,0 
CD solo ou música de câmara (todo o CD), por CD5,0 
Subtotal Grupo VI - K 
Total Grupo VI (A+B+C+D+E+F+G+H+I+J+K) 

 

GRUPO VII - PARTICIPAÇÕES EM EVENTOS

Subgrupo

Participação em Eventos (comprovado com declaração ou outro documento equivalente)

Valor

Total

A

Apresentação como convidado em congresso, seminário, conferência, palestra, simpósio, ou equivalentes (por apresentação)

1,0

 

Participação como avaliador em congresso, seminário, conferência, palestra, simpósio, ou equivalentes (por participação)

1,0

 

Participação como moderador ou debatedor em congresso, seminário, conferência, palestra, simpósio, ou equivalentes (por participação)

0,5

 

Participação como membro da comissão organizadora de congresso, seminário, conferência, palestra, simpósio, ou equivalentes (por participação)

1,0

 

Subtotal Grupo VII - A

 

Total Grupo VII (A) 

 

GRUPO VIII - PARTICIPAÇÃO EM BANCAS

Subgrupo

Participação em bancas (comprovado com declaração ou outro documento equivalente)

Valor

Total

A

Graduação, Aperfeiçoamento, Especialização

0,5

 

Concurso Público para Docentes

1,0

 

Qualificação de Mestrado

1,0

 

Mestrado

2,0

 

Qualificação de Doutorado

2,0

 

Doutorado

4,0

 

Livre-Docência

4,0

 

Subtotal Grupo VIII - A

 

Total Grupo VIII (A)

 

 

PONTUAÇÃO FINAL DA PROVA DE TÍTULOS
Total do Grupo I (máximo 100 pontos)  
Soma dos Totais dos Grupos II a VIII (máximo 200 pontos)  
TOTAL DA PROVA DE TÍTULOS (máximo 300 pontos 

Obs.: A pontuação total do Grupo I não poderá exceder a 100 pontos. A soma das pontuações dos grupos II a VIII não poderá exceder a 200 pontos. Desta forma, a pontuação total da prova de títulos não poderá exceder a 300 pontos.

ANEXO III

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E BIBLIOGRAFIA

A. CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

(853) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Enfermagem/ Enfermagem Médico-Cirúrgica PROGRAMA:

1. A formação do Enfermeiro para o trabalho no Sistema Único de Saúde.

2. Determinantes Sociais da Saúde e Processo Saúde-Doença na coletividade.

3. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Enfermagem.

4. Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem na Educação em Enfermagem.

5. Ética e Legislação em enfermagem.

6. O papel do Enfermeiro no Suporte Básico de Vida.

7. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao paciente portador de doenças não transmissíveis.

8. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao paciente cirúrgico.

9. Sistematização da Assistência de Enfermagem na saúde mental.

10. Ações de Enfermagem no Controle e Prevenção da Infecção em Serviços de Saúde e ações de Biossegurança.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALMEIDA, M; FEUERWERKER, L; LLANOS, M (Orgs.) A educação dos profissionais de saúde na América Latina: teoria e prática de um movimento de mudança. São Paulo: Hucitec; Buenos Aires: Lugar Editorial; Londrina: Ed. UEL, 1999. 2v.

- ALMEIDA-FILHO, Nº Ensino superior e os serviços de saúde no Brasil. The Lancet. 2011; 377(9781): 1898-1900.

- AMERICAN HEART ASSOCIATION. Guidelines CPR ECC 2010. Dallas: American Heart Association, 2010.

- ANASTASIOU, LGC; ALVES, LP. Processos de ensinagem na universidade. 10ª ed. Editora Univille, 2012.

- ARANHA e SILVA, AL; FONSECA, RMGS. Processo de trabalho em saúde mental e o campo psicossocial. Revista Latino Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 13, nº 3, p. 441-449, jun. 2005.

- BARROS, S; OLIVEIRA, MAF; SILVA, ALA. Práticas inovadoras para o cuidado em saúde; Innovative practices for health care. Rev. Esc. Enferm. USP, v. 41, nº esp, p. 815-819, 2007.

- BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

- BRASIL. Leis Orgânicas da Saúde: Lei 8080, Lei 8142, 1990.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.html

- BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Higienização das mãos em serviços de saúde. Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2013 Disponível em http://www.anvisa.gov.br

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de assistência à saúde. Portaria nº 1600 MS/GM de 07 de julho 2011. Reformula a política nacional de atenção às urgência e institui a rede de atenção às urgências no sistema único de saúde (SUS). Brasília, DF.

- BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretária de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde Mental no SUS: Centro de Atenção Psicossocial. Brasília, 2004.

- BUSS, P; PELEGRINI FILHO, A. A Saúde e seus Determinantes Sociais. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva. 2007; 17(1):77-93.

- CAMPOS, GWS; MINAYO, MCS; AKERMAN, M et al. Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo-Rio de Janeiro: Ed. Hucitec, 2007.

- CARPENITO, LJ. Manual de diagnósticos de Enfermagem. Porto Alegre: Artmed, 2001.

- CARVALHO, ACS. Assistência de Enfermagem nas intervenções clínicas e cirúrgicas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

- CECCIM, RB; FEUERWERKER, LCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde:ensino, gestão, atenção e controle social. Physis. 2004; 14(1): 41-65. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/v14n1/v14n1a04.pdf.Acesso em 02 jul. 2013.

- CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Resolução COFEN nº 311/2007. Fevereiro de 2007. Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=7323§ionID=37

- CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES Nº 3, de 07 de novembro de 2001. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em enfermagem. Diário Oficial da República Federativa da União. Brasília, 09 nov. 2001. Seção 1, p. 37. Acesso em Nov. 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES03.pdf

- COREN/MS: Legislação Básica para o Exercício Profissional da Enfermagem.

- CRAVEN, RF; HIRNLE, CJ. Fundamentos de enfermagem. Saúde e Função Humanas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 4. ed. 2006.

- DE OLIVEIRA, AGB; ALESS, NP. O trabalho de enfermagem em saúde mental: contradições e potencialidades atuais. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 11, nº 3, 2003 (pp. 333-340).

- FERNANDES, AT. Infecção Hospitalar e suas interfaces na Área da Saúde. São Paulo: Atheneu, 2000.

- ITO, EE; PERES, AM; TAKAHASHI, RT; LEITE, MMJ. O ensino de enfermagem e as Diretrizes Curriculares Nacionais: utopia x realidade. Rev Esc Enferm USP. 2006 Dez; 40(4):570-5.

- MASSIMO, EAL; HANG-COSTA, TA; SOUZA, HNF. Parada cardiorrespiratória: suporte básico de vida de acordo com as novas diretrizes 2010. Enfermagem prática. Nº 13, maio de 2011.

- MEEKER, MH; ROTHROCK, JC. Cuidados de enfermagem ao paciente cirúrgico. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2003.

- NATIONAL ASSOCIATION OF EMERGENCY MEDICAL TECHNICIANS. Atendimento pré-hospitalar ao traumatizado, PHTLS: 7 ed. Tradução de Renata Scavone et al. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

- NORTH AMERICAN NURSING DIAGNOSIS ASSOCIATION. Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2012-2014. Porto Alegre (RS): Artmed, 2013.

- NOGUEIRA, RP (Org.) Determinação Social da Saúde e Reforma Sanitária. Rio de Janeiro: Cebes, 2010. Disponível em: < http://www.cebes.org.br/media/File/Determinacao.pdf.

- PINHEIRO, R; MATTOS, RA (Org.) Cuidado: as fronteiras da integralidade. 3ª ed. Rio de Janeiro: IMS/UERJ - CEPESC - ABRASCO, 2006.

- POTTER, PA; PERRY, AG. Fundamentos de Enfermagem. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

- RODRIGUES, EAC; RICHTMANN, R. IRAS: Infecção relacionada à assistência à saúde: orientações práticas. São Paulo: Sarvier, 2008.

- RODRIGUES, PH; SANTOS, IS. Saúde e Cidadania - Uma Visão História e Comparada do SUS. São Paulo: Ed. Atheneu, 2009.

- SMELTIZER, SC; BARE, BG. Tratado de enfermagem médico-cirúrgica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2010.

- TANNURE, MC; MARIA, A. Sae - Sistematização da Assistência de Enfermagem. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

- TAVARES, CMM. A interdisciplinaridade como requisito para a formação da enfermeira psiquiátrica na perspectiva da atenção psicossocial. Texto contexto - enferm. [online]. 2005, vol.14, nº 3, pp. 403-410.

- TAYLOR, C; LILLIS, C; LEMONE, P. Fundamentos de Enfermagem - A Arte e a Ciência do Cuidado de Enfermagem. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

- TEIXEIRA, P; VALLE, S. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar. 2 ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010.

- TIMBY, BK. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

(854) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Farmácia

PROGRAMA:

1. Controle sanitário na produção e comercialização de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos.

2. Aspectos legais regentes da profissão farmacêutica.

3. Noções de macroeconomia e microeconomia voltada à indústria, manipulação e comércio de medicamentos.

4. A indústria farmacêutica no contexto econômico nacional.

5. Preparação de nutrição parenteral e medicamentos quimioterápicos.

6. Seleção e padronização de medicamentos e correlatos.

7. O papel do Farmacêutico na Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e Comissão de Farmácia e Terapêutica (CFT).

8. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica aos clientes do SUS.

9. Farmacoeconomia na promoção do Uso Racional de Medicamentos

10. Logística e gestão de estoques: Gerenciamento de recursos de materiais, sistema de compras em serviços públicos, planejamento e controle dos estoques de medicamentos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Código de ética da profissão farmacêutica. Brasília, CFF. 1998.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. A organização jurídica da profissão farmacêutica. 4. Ed. Brasília, CFF. 2003.

- CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da administração 5. ed. São Paulo, Makron Books. 1997.

- CHIAVENATO, I. Administração: teoria, processo e prática. São Paulo, Makron Books. 2000.

LONGENECKER, J. G. Administração de pequena empresa: ênfase na gerência empresarial. São Paulo, Makron Books 1997.

- CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. A organização jurídica da profissão farmacêutica. Brasília, CFF 2000.

- CARVALHO, GI; SANTOS, L. Sistema Único de Saúde - cementário à Lei Orgânica de Saúde (leis nº 8.080/1990 e 8.142/1990) 2. Ed. São Paulo, HUCITEC. 1990.

- CAVALLINI, ME; BISSON, MP. Farmácia hospitalar: um enfoque em sistemas de saúde. 2. ed. São Paulo, Manole. 2010.

- FERRACINI, FT; BORGES FILHO, WM. Prática farmacêutica no ambiente hospitalar. São Paulo, Atheneu. 2005.

- MAIA NETO, JF. Farmácia hospitalar e suas interfaces com a saúde. São Paulo, RX, 2005.

- STORPIRTIS, S. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2008.

- SBRAFH. Guia de Boas Práticas em Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde. São Paulo: Sociedade Brasileira de Farmácia hospitalar, 2008.

(855) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Farmácia/ Farmacotecnia

PROGRAMA:

1. Aspectos biofarmacêuticos no planejamento de medicamentos.

2. Desenvolvimento Tecnológico de formas farmacêuticas de liberação modificada.

3. Tecnologia de produção de formas farmacêuticas sólidas.

4. Tecnologia de produção de formas farmacêuticas dispersas.

5. Tecnologia de produção de formas farmacêuticas estéreis.

6. Estrutura da pele. Vias de penetração e absorção percutânea de fármacos. Desenvolvimento de produtos cosméticos. Lipossomas e nanopartículas.

7. Propriedades físico-químicas das soluções. Seleção de solventes. Adjuvantes de formulação.

8. Fenômeno interfacial. Colóides e sistemas macromoleculares.

9. Reologia de formas farmacêuticas semi-sólidas.

10. Biofarmacotécnica e bioequivalência de Formulações Dermatológicas semissólidas

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANSEL, HC; POPOVICH, NG; ALLEN JUNIOR, LV Formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 8ª ed. Porto Alegre, Artmed. 2007.

- STORPIRTIS, S; GONÇALVES, JE; CHIANN, C; GAI, MN. Ciências Farmacêuticas: Biofarmacotécnica. Rio de janeiro, Guanabara Koogan. 2009.

- AULTON, ME. Delineamento de Formas Farmacêuticas. 2ª ed. Porto Alegre, Artmed. 2005.

- GENNARO, AR. Remington: a ciência e a prática da farmácia. 20.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

- LIEBERMAN, II.A; LACHM.AN, L; SCHWARTZ, JB. (ed). Pharmaceutical dosage forms: tablets. 3 v. 2. ed. New York, Marcel Dekker. 1990.

- BARATA, EFA. Cosmetologia - princípios básicos, São Paulo, Tecnopress 2002.

- HOWARD, CA. Cálculos Farmacêuticos. 12.ed. Porto Alegre: Artmed Editora S.A., 2008.

- BEATRIZ, AC; ARONE, EM; PHILIPPI, ML. CALCULOS E CONCEITOS EM FARMACOLOGIA. 12.ed. São Paulo: Senac, 2007. 128p.

- NETZ, PA; ORTEGA, GO. Fundamentos de fisico-química - uma abordagem conceitual para as ciências farmacêuticas. São Paulo, Artmed. 2002.

- FLORENCE, AT; ATTWOOD, D. Princípios Físico-Químicos em Farmácia. 2ª ed. São Paulo, Pharmabooks, 2011.

(856) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Microbiologia PROGRAMA:

1. Morfologia e Estrutura da Célula Bacteriana

2. Nutrição, crescimento e Metabolismo Bacterianos

3. Biologia Molecular dos Micro-organismos

4. Antimicrobianos e Resistência

5. Relação Parasita-Hospedeiro

6. Estrutura, Propriedades e Replicação Viral

7. Biologia, Estrutura e Reprodução dos Fungos

8. Cocos Gram-Positivos

9. Enterobactérias

10. Micobactérias

11. Bactérias Anaeróbias

12. Retrovírus

13. Vírus Tumorais

14. Vírus hepatotrópicos

15. Viroses exantemáticas

16. Arboviroses

17. Agentes de micoses superficiais e cutâneas

18. Agentes de Micoses sistêmicas

19. Agentes de Micoses oportunisticas

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- JAWETZ, E; BROOKS, GF. Jawetz, Melnick e Aldelberg: microbiologia médica. 25. ed. Porto Alegre: McGraw Hill, 2012.

- KNIPE, DM; HOWLEY, PM. Filds Virology. Volume one. Fifth edition. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2007.

- KNIPE, DM; HOWLEY, PM. Filds Virology. Volume two. Fifth edition. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2007.

- MADIGAN, MT; MARTINKO, JM; DUNLAP, PV; CLARK, DP. Microbiologia de Brock. 1ª ed. Editora Artmed. Porto Alegre, RS 2010.

- MURRAY, PR; ROSENTHAL, KS; PFALLER, MA. Microbiologia médica. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009-2010.

- ROSSETTI, ML; SILVA, CMD; RODRIGUES, JJS. Doenças infecciosas: diagnóstico molecular. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

- TORTORA, GJ; FUNKE, BR; CASE, CL. Microbiologia. 10. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

- TRABULSI, LR; ALTERTHUM, F. Microbiologia. 5. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2008.

- VERONESI, R; FOCACCIA, R. Tratado de infectologia, volume 1. 4. ed. rev. e atual. São Paulo: Atheneu, 2010.

- VERONESI, R; FOCACCIA, R. Tratado de infectologia, volume 2. 4. ed. rev. e atual. São Paulo: Atheneu, 2010.

- WINN, WJR; ALLEN, SD; JANDA, WM; KONEMAN, EW; PROCOP, GW; SHRECKENBERGER, PC; WOODS, GL. Koneman Diagnóstico microbiológico: texto e atlas colorido. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

(945) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Nutrição PROGRAMA:

1. Política e programas de alimentação e nutrição no Brasil;

2. Sistema de vigilância alimentar e nutricional;

3. Segurança alimentar e nutricional;

4. Situação alimentar e nutricional da população brasileira;

5. Epidemiologia Nutricional: obesidade;

6. Epidemiologia Nutricional: diabetes e hipertensão arterial;

7. Direito humano à alimentação adequada no Brasil;

8. Representações gráficas de guias alimentares;

9. Programas de educação em nutrição;

10. Hábitos e comportamento alimentar.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BERTOLLI FILHO, C. História da saúde pública no Brasil. 4. ed. São Paulo: Ática, 2003.

- BETTIOL, LM. Saúde e participação popular: o Programa de Saúde da Família. São Paulo:UNESP, 2006.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema único saúde: princípios e conquistas. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política nacional de alimentação e nutrição. 2. ed rev. Brasília: Ministério da Saúde, 2003.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: nutrição infantil: aleitamento materno e alimentação complementar. Cadernos de Atenção Básica, nº 23. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

- CAMPOS, GWS. (Coord.) Tratado de saúde coletiva. 2. ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2008.

- FORATINI, OP. Epidemiologia geral. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

- KAC, G.; SICHIERI, R.; GIGANTE, D.P. Epidemiologia Nutricional. São Paulo: Atheneu, 2007.

- LIMA, ES. Mal de fome e não da raça: gênese, constituição e ação política da educação alimentar: Brasil-1934-1946. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2000.

- LINDEN, S. Educação nutricional: algumas ferramentas de ensino. São Paulo: Varela, 2005.

- MELLO, MMS. Educação e nutrição: uma receita de saúde. Porto Alegre: Mediação, 2003.

- PINHEIRO, R. et al. (orgs). Ensinar a saúde - a integralidade e o SUS nos curso de graduação na área de saúde. Rio de Janeiro: IMS/UERJ/CEPESC/ABRASCO, 2011.

- ROUQUAYROL, M.Z.; ALMEIDA F.N. Epidemiologia e saúde. Rio de Janeiro: Medsi, 2003.

- SANTOS, DN; KILLINGER, CL. (orgs). Aprender fazendo - a integralidade na formação em saúde coletiva. Salvador: EDUFBA, 2011.

- SILVA, MMS; CAMPOS, MTF. Segurança alimentar e nutricional na atenção básica em saúde. Viçosa, MG: UFV, 2003.

- WAGNER, G. et al (orgs) Tratado de saúde coletiva. Rio de Janeiro: Hucitec, 2009.

(946) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Nutrição/ Dietética

PROGRAMA:

1. Aspectos bromatológicos em alimentos de origem animal;

2. Aspectos bromatológicos em alimentos de origem vegetal;

3. Vigilância Sanitária e Cadeia Produtiva em Serviços de Alimentação;

4. Segurança Alimentar - Legislações e conceitos;

5. Controle Higiênico Sanitário dos Alimentos;

6. Doenças transmitidas por alimentos;

7. Planejamento Físico-Funcional de Serviços de Alimentação;

8. Manual de Boas Práticas e Procedimentos Operacionais Padronizados (POP´S)- Diretrizes e implementação em Serviços de Alimentação;

9. Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) - Diretrizes e implementação em Serviços de Alimentação;

10. Alimentação Coletiva e Promoção da Saúde.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABREU, ES; SPINELLI MGN; ZANARDI AMP. Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição: um modo de fazer. São Paulo: Metha, 2003.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária. Portaria nº 326, de 30 de julho de 1997. Regulamento Técnico das Condições Higiênicos-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária. Portaria nº 5, de 09 de abril de 2013. Regulamento técnico sobre boas práticas para estabelecimentos comerciais de alimentos e para serviços de alimentação, e o roteiro de inspeção.

- BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002 - Republicada no D.O.U de 06/11/2002. Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos.

- BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação.

- CECCHI, HM. Fundamentos teóricos e práticos em análise de alimentos. Campinas: UNICAMP, 2001.

- FELLOWS, PJ. Tecnologia do processamento de alimentos - Princípios e Prática. Porto Alegre: Artmed, 2007.

- GERMANO, PML; GERMANO, MIS. Higiene e vigilância sanitária de alimentos. 2. ed. São Paulo: Varela, 2003.

- HAZELWOOD, D; MCLEAN, AC. Manual de higiene para manipuladores de alimentos. São Paulo: VARELA, 1998.

- KOBLITZ, MGB. Bioquímica de alimentos - Teoria e aplicações práticas. São Paulo: Metha, 2008.

- MANZALLI, PV. Manual para serviços de alimentação: Implementação, boas práticas, qualidade e saúde. São Paulo: Metha, 2006.

- MEZOMO, IB. Os Serviços de Alimentação - Planejamento e Administração. São Paulo: Manole, 2002.

- NASCIMENTO NF do. Roteiro para elaboração de manual de boas práticas de fabricação (BPF) em restaurantes. 4. ed. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2011.

- OETERER, M; ARCE, MABR; SPOTTO, MHF. Fundamentos da Ciência e Tecnologia de Alimentos. São Paulo: Metha, 2006.

- POPOLIM, WD. Qualidade dos alimentos - Aspectos microbiológicos, nutricionais e sensoriais. São Paulo: Metha, 2005.

- SALINAS, RD. Alimentos e Nutrição - Introdução à Bromatologia. 3 ed. São Paulo: Artmed, 2002.

- SANT´ANA, HMP. Planejamento físico-funcional de Unidades de Alimentação e Nutrição. Rio de Janeiro: Rubio, 2012.

- SANTOS JUNIOR, CJ dos. Manual de segurança alimentar: boas práticas para os serviços de alimentação. Rio de Janeiro: Rubio, 2012.

- SILVA JUNIOR, EA. Manual de Controle Higiênico-Sanitário em Alimentos. São Paulo: Varela, 2012.

- SILVA, DJ; QUEIROZ, AC. Análise de alimentos. 3 ed. Viçosa: UFV, 2006.

B. CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

(858) Grande Área /Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Música

PROGRAMA:

Área: Música / Regência de Banda Sinfônica

1. Organologia dos instrumentos da Banda Sinfônica: metais

2. Organologia dos instrumentos da Banda Sinfônica: madeiras e percussão

3. As bandas de sopros na história da música brasileira

4. Repertório para banda de sopros no século XX

5. Repertório histórico para banda de sopros até o século XIX

6. Didática de ensaio e preparação de repertório

7. A banda de sopros como instrumento de educação musical

8. Técnicas e escolas de regência

9. Orquestração e arranjo para Big Band

10. Orquestração e arranjo para Banda Sinfônica

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ADLER, S. The Study of Orchestration. 3rd Edition. New York: W. W. Norton & Company, Inc, 2002.

- BATTISTI, F; GAROFALO, R. Guide to Score Study for the Wind Band Conductor. Fort Lauderdale, Fl: Meredith Music Resource Publisher, 2000.

- BATTISTI, F. The Winds of Change: the evolution of the contemporary American wind band / ensemble and its conductor. Fort Lauderdale, Fl: Meredith Music Resource Publisher, 2002.

- BURKHOLDER, JP; GROUT, DJ; PALISCA, CV. A history of Western music. WW Norton & Co Inc, 2010.

- DAHLHAUS, C. Esthetics of Music. Cambridge University Press, Cambridge, 1982.

- DEL MAR, Nº Anatomy of the Orchestra. Berkley: University of California Press, 1987.

- FUBINI, E. La estética musical desde la antigüedad hasta el siglo XX. Alianza Música, Madrid, 2004.

- GREEN, EAH. The Modern Conductor. 6th Edition. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1997.

- JAGOW, S. Teaching Instrumental Music: Developing the Complete Band Program. Galesville: Meredith Music Publications, 2007.

- LAGO JR, S. A arte da regência: história, técnica e maestros. Rio de Janeiro: Lacerda Editores, 2002.

- SADIE, S. The New Grove Dictionary of Music and Musicians. 2nd Edition. London: Macmillan, 2001.

- WILLIAMSON, J; NEIDIG, K. Rehearsing the band. Fort Lauderdale, Fl: Meredith Music Resource Publisher, 2007.

(859) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física/ Pedagogia do Esporte

PROGRAMA:

Pedagogia do esporte. Aspectos teórico-metodológicos para o ensino do esporte para o âmbito escolar e não escolar. Técnica dos esportes: implicações para a prática pedagógica na escola. Tática dos esportes: implicações para a prática pedagógica na escola. O esporte como conteúdo escolar e não escolar. O esporte como fenômeno sócio-cultural e suas contradições enquanto conteúdo escolar. O conteúdo esportivo em diferentes abordagens em Educação Física. Processos pedagógicos para o ensino dos esportes na escola. O ensino de fundamentos técnicos e tática dos esportes. Análise e procedimentos pedagógicos para o ensino dos esportes. Aspectos didáticos para o ensino dos esportes. Iniciação esportiva: fases, métodos e processos. A prática do esporte ao longo da vida. Esporte educacional e esporte de rendimento: convergências e divergências. A competição esportiva. A contribuição tecnológica para o ensino e prática do esporte no contexto contemporâneo. Administração e organização dos eventos esportivos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALBERTI, H; ROTHENBERG, L. Ensino de jogos esportivos: dos pequenos jogos aos grandes jogos esportivos. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1984.

- ASSIS, S. Reinventando o esporte: possibilidade da prática pedagógica. Campinas: Autores Associados, 2001.

- BARBANTI, VJ et al (org.). Esporte e Atividade Física: interação entre rendimento e saúde. São Paulo: Manole, 2002.

- BÖHME, MTS (Org). Esporte infantojuvenil: Treinamento a longo prazo e talento esportivo. São Paulo: Phorte, 2011.

- BRASIL Decreto nº 2.574, de 29 de abril de 1998. Regulamenta a Lei nº 9.615, de 24 de março de 1998, que institui normas gerais sobre o desporto e dá outras providências. 1998.

- BRASIL. Orientações curriculares para o ensino médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2006; 2008. v. 1.

- BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Brasília: MEC, 1998.

- CANFIELD, JT; REIS, C. Aprendizagem motora no voleibol. Santa Maria: JTC Editor, 1998.

- CAPARROZ, FE. Entre a Educação Física na escola e a Educação Física da escola: a Educação Física com componente curricular. Vitória: UFES, 1997.

- CASTELLANI FILHO, L. Política educacional e Educação Física. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2002. (Série Polêmicas do Nosso Tempo).

- DAOLIO, J. Cultura: educação física e futebol. 3. ed. Campinas: UNICAMP, 2006.

- DARIDO, SC (Org). Cadernos de Formação: Conteúdos e Didática de Educação Física. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

- DARIDO, SC; RANGEL, ICA. Educação Física na Escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2005.

- DE ROSE JR, D (Org). Esporte e atividade física na infância e na adolescência: uma abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

- FERREIRA, AEX; ROSE JÚNIOR, D. Basquetebol: técnicas e táticas: uma abordagem didático-pedagógica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: EPU, 2010.

- FREIRE, JB. Pedagogia do Futebol. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

- FREIRE, JB; SCAGLIA, AJ. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione, 2003.

- FRISSELLI, A; MANTOVANI, M. Futebol: teoria e pratica. São Paulo: Phorte, 1999.

- GEBARA, A et al; MOREIRA, WW (Org) Educação física & esportes: perspectivas para o século XXI. Campinas: Papirus, 1992.

- GONZÁLEZ, FJ; FENSTERSEIFER, PE (Org). Dicionário crítico de Educação Física. Ijuí: Unijuí, 2005.

- GRECO, PJ; BENDA, R (Org.). Iniciação Esportiva Universal: da aprendizagem motora ao treinamento técnico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

- GRECO, PJ; ROMERO, JJF. Manual de Handebol: da iniciação ao alto nível. São Paulo: Phorte, 2012.

- HILDEBRANDT-STRAMANN, R; LAGING, R. Concepções abertas no ensino da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986.

- KROGER, C; ROTH, K. Escola da bola: um ABC para iniciantes nos jogos esportivos. São Paulo: Phorte. 2002.

- KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: UNIJUÍ, 1994.

- KUNZ, E (Org). Didática da Educação Física I. Ijuí: UNIJUÍ, 1998.

- KUNZ, E (Org). Didática da Educação Física 2. Ijuí: UNIJUÍ, 2001.

- KUNZ, E (Org). Didática da educação física 3: futebol. Ijuí: UNIJUÍ, 2003.

- MACHADO, AA. Educação Física no ensino superior - Voleibol: do aprender ao especializar. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2006.

- MELO, VA. Dicionário do Esporte no Brasil: do século XIX ao início do século XX. Campinas: Autores Associados, 2007.

- NEIRA, MG; NUNES, MLF. Pedagogia da cultura corporal: crítica e alternativas. São Paulo: Phorte, 2006.

- OLIVEIRA, VM. O esporte pode tudo. São Paulo: Cortez, 2010.

- PAES, Roberto Rodrigues. Aprendizagem e competição precoce: o caso do basquetebol. Campinas: UNICAMP, 1996.

- PAES, RR; BALBINO, HF. Pedagogia do esporte: contextos e perspectivas. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan. 2005.

- PAES, RR. Educação física escolar: o esporte como conteúdo pedagógico do ensino fundamental. Canoas: Ed. Ulbra, 2001.

- PALMA, APTV; OLIVEIRA, AAB; PALMA, JAV. Educação Física e a organização curricular: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio. 2. ed. Londrina: EDUEL, 2010.

- PALMER, ML. A ciência do ensino da natação. São Paulo: Manole, 1990.

- POIT, DR. Organização de eventos esportivos. São Paulo: Phorte, 2007.

- RODRIGUES, HA; DARIDO, SC. Basquetebol na escola: uma proposta didático-pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2012.

- SCAGLIA, AJ. O futebol e as brincadeiras de bola: a família dos jogos de bola com os pés. São Paulo: Phorte, 2011.

- SCHMIDT, RA; WRISBERG, CA. Aprendizagem e performance motora: uma abordagem da aprendizagem baseada no problema. 2. ed. Porto Alegre. Artmed. 2001.

- SOARES, CL, et al. Metodologia do ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1993.

- STIGGER, MP. Educação Física, esporte e diversidade. Campinas: Autores Associados, 2005.

- TANI, Go, et al. Educação Física Escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: EPU, 1988.

- TANI, Go; BENTO, JO; PETERSEN, RDS. Pedagogia do desporto. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2006.

- TUBINO, MJG. Dimensões sociais do esporte. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

- TUBINO, MJG. Estudos brasileiros sobre o esporte: ênfase no esporte-educação. Maringá: EdUEM, 2010.

- VOSER, RC; GIUSTI, JG. O futsal e a escola: uma perspectiva pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

(860) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Artes Plásticas/ Pintura PROGRAMA:

Área: Artes Plásticas

1. Estética e História da Arte

2. História da pintura ocidental

3. História da pintura brasileira

4. Pintura na contemporaneidade

5. Materiais e suportes tradicionais da pintura

6. Elementos da linguagem pictórica

7. Os assuntos da pintura

8. A pintura e seus hibridismos

9. Metodologia do ensino de pintura

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ARGAN, GC. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

- BECHARA, J. Desdobramentos da Pintura Brasileira no Séc. XXI. Ed. Cobogó, 2012. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

- BENTO, J. Pintura Brasileira no Séc. XXI. Ed. Cobogó, 2012.

- DONDIS, DA. Sintaxe da linguagem visual. Tradução de Jefferson Luiz Camargo. 2. ed. São Paulo Martins Fontes, 1997.

- GOMBRICH, EH. A. História da Arte. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

- LUCIE-SMITH, E. Os movimentos artísticos a partir de 1945. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

- MAYER, R; SHEEMAN, Sn. Manual do artista de técnicas e materiais. 2ª Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

- OSBORNE, H. Estética e teoria da arte. 2ª ed., São Paulo: 1968.2002.

- PEDROSA, I. O universo da cor. Rio de Janeiro. 2003.

- READ, H. História da Pintura Moderna. São Paulo: Zahar / Círculo do Livro, 1980.

- WOLLHEIN, R. A pintura como arte. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

(862) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem PROGRAMA:

1. Planejamento educacional: intencionalidade da atuação docente nos anos iniciais do ensino fundamental.

2. Escolas e práticas político-pedagógicas dos anos iniciais do ensino fundamental.

3. Prática Pedagógica e Estágio Curricular e a Formação Docente para os anos iniciais do ensino fundamental.

4. A escola, projeto político-pedagógico e a diversidade social.

5. A pesquisa e as práticas pedagógicas na escola básica.

6. Currículo: teorias e práticas pedagógicas nos anos iniciais do ensino fundamental.

7. Saberes necessários para ser professor na Educação Básica nas práticas pedagógicas e no estágio curricular.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- APPLE, M. Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense, 1982.

- SACRISTÁN, JG. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

- MINAYO, MC de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 6. ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 1999.

- SEVERINO, AJ. Metodologia do trabalho científico. 21. ed. São Paulo:Cortez e Moraes, 2002.

- ABRAMOWICZ, A; SILVÉRIO, VR (Orgs.). Afirmando diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. Campinas, SP: Papirus, 2005. (Coleção Papirus Educação).

- BRANDÃO, CR. Lutar com a palavra: escritos sobre o trabalho do educador. Rio de Janeiro: Graal, 1982.

- CANDAU, Vera Maria (org) A Didática em Questão. Petropolis: Vozes, 1985.

- CURY, CRJ. A Educação Básica no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, nº 80, set./2002 p.169-2001. Disponível em: http://wwwcedes.unicamp.br

- FREIRE, P. A importância do ato de ler, em três artigos que se completam. 2ª ed. São Paulo: Autores Associados/Cortez, 1988.

Coleção polêmicas do nosso tempo.

- _____. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 2ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

- FREITAS, HCL. Certificação docente e formação do educador: regulação e desprofissionalização. Educação e Sociedade Vol.24 Nº 85. Campinas Dec 2003. Disponível em http://www.scielo.br/scielo. Acesso: mar. 2007.

- FREITAS, HC. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educação e Sociedade. Vol. 28 nº 100 Campinas 2007. Disponível em http://www.scielo.br/scielo. Acesso: mar. 2007.

- FRIGOTTO, G; CIAVATTA, M. Educação Básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida á lógica do mercado. Educação e Sociedade Vol. 24 Nº 82 Campinas abr 2003. Disponível em: http://www.scielo.br Acesso: mar. 2007.

- LOURO, GL; NECKEL, JF; GOELLNER, SV (Orgs.) Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

- RODRIGUEZ, VM. Formação dos Professores: Uma política de qualificaçãoou desqualificação do trabalho docente? Trabalho docente os professores a sua formação. (Org.) Alda Maria do Nascimento Osório. Ed. UFMS, 2003.

- PIMENTA, S.G. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 2 ed. São Paulo: Cortez, 1995.

- ZABALA, A. Como trabalhar os conteúdos procedimentais em aula. Porto Alegre: Artmed,1999.

(864) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física

PROGRAMA:

Fundamentos da Educação/Educação Física. Educação, formação humana e suas relações com a Educação Física. Fundamentos Histórico-Filosofícos da Educação Física. Pensamento pedagógico brasileiro. Constituição das teorias pedagógicas da Educação Física brasileira. Tendências e abordagens da Educação Física. Teorias do movimento humano. Legislação educacional brasileira. Diretrizes, parâmetros e referenciais curriculares para a Educação Física escolar brasileira. O Projeto Político-Pedagógico escolar. Currículo e Didática em Educação Física. A Educação Física na educação básica. Educação Física escolar: fundamentos e princípios pedagógicos. Educação Física escolar: objetivos, conteúdos, métodos e avaliação. Aspectos históricos e filosóficos sobre a presença, representações e dinâmicas da Educação Física na sociedade contemporânea: desdobramentos e prática pedagógica. Cultura e suas relações com a Educação Física. Educação Física, corpo e seus paradigmas. Temas contemporâneos na Educação Física: inclusão, gênero, meio ambiente, mídia e indústria cultural, violência, saúde coletiva, qualidade de vida. Educação Física, esporte e lazer.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- AWAD, H (Org). Educação física escolar: múltiplos caminhos. Jundiaí: Fontoura, 2010. - BETTI, M. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

- BRACHT, V. Educação Física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1992.

- BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996.

- BRASIL. Ministério da Educação. Orientações curriculares para o ensino médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2006; 2008. v. 1.

- BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Brasília: MEC, 1998.

- BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF. 1998. v. 1, 2, 3.

- CAMPOS, LAS. Didática da Educação Física. Jundiaí: Fontoura, 2011.

- CAPARROZ, FE. Entre a Educação Física na escola e a Educação Física da escola: a Educação Física com componente curricular. Vitória: UFES, 1997.

- CAPARROZ, FE (org). Educação física escolar: política e intervenção. Vitória: PROTEORIA, 2001.

- CASTELLANI FILHO, L. Educação física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus, 1988.

- CASTELLANI FILHO, L. Política educacional e Educação Física. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2002. (Série Polêmicas do Nosso Tempo).

- CHARLOT, B. A mistificação pedagógica: realidades sociais e processos ideológicos na teoria da educação. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

- COLÉGIO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DO ESPORTE (Org). Educação física escolar frente à LDB e aos PCNs: profissionais analisam renovações, modismos e interesses. Ijuí: Sedigraf, 1997.

- DAOLIO, J. Educação física e o conceito de cultura. Campinas: Autores Associados, 2004.

- DARIDO, SC (Org.). Cadernos de Formação: Conteúdos e Didática de Educação Física. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

- DARIDO, SC, et al. Educação Física e temas transversais: possibilidades de aplicação. São Paulo: Mackenzie, 2006.

- DARIDO, SC; RANGEL, ICA. Educação Física na Escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2005.

- DUMAZEDIER, J. A revolução cultural do tempo livre. São Paulo: Studio Nobel, 1994.

- FERREIRA NETO, A (org). As ciências do esporte no Brasil. Campinas: Autores Associados, 1995.

- FREIRE, JB. Educação de corpo inteiro. 3. ed. São Paulo: Scipione, 1992.

- FREIRE, JB; SCAGLIA, AJ. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione, 2003.

- LOMBARDI, JC.; SAVIANI, D.; NASCIMENTO, M. I. M. (Orgs.) A Escola Pública no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2005.

- GALLARDO, JSP, et al. Didática da Educação Física: a criança em movimento: jogo, prazer e transformação. São Paulo: FTD, 1998.

- GEBARA, A, et al; MOREIRA, Wagner Wey (Org.) Educação física & esportes: perspectivas para o século XXI. Campinas: Papirus, 1992.

- GRIFI, G. História da educação física e do esporte. Porto Alegre: D. C. Luzzatto Editores, 1989.

- GOELLNER, SV (Org) Educação Física/Ciências do esporte: intervenção e conhecimento. Florianópolis: Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte, 1999.

- GÓES, MCR de; LAPLANE, ALF. Políticas e práticas de educação inclusiva. Campinas: Autores Associados, 2004.

- GONZÁLEZ, FJ; FENSTERSEIFER, PE (Org). Dicionário crítico de Educação Física. Ijuí: Unijuí, 2005.

- HILDEBRANDT-STRAMANN, R; LAGING, R. Concepções abertas no ensino da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986.

- INACIO, HLD. Lazer, educação e meio ambiente: uma aventura em construção. Pensar a Prática, v. 9, p. 45-63, 2006.

- KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: UNIJUÍ, 1994.

- KUNZ, E (Org). Didática da Educação Física I. Ijuí: UNIJUÍ, 1998.

- KUNZ, E (Org). Didática da Educação Física 2. Ijuí: UNIJUÍ, 2001.

- KUNZ, E (Org). Didática da educação física 3: futebol. Ijuí: UNIJUÍ, 2003.

- MANACORDA, MA. História da educação: da antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

- MARCELLINO, NC. Estudos do lazer: uma introdução. 2. ed., ampl. Campinas: Autores Associados, 2000.

- MOREIRA, EC (Org) 2 ed. Educação Física Escolar: desafios e propostas 2. 2 ed, Jundiaí: Fontoura, 2009.

- MOREIRA, EC; PEREIRA, RS (Orgs). Educação Física Escolar: desafios e propostas 2. 2 ed, Jundiaí: Fontoura, 2011.

- MOREIRA, WW; SIMÕES, R (org). Educação Física: intervenção e conhecimento. Piracicaba: UNIMEP, 2004

- NAHAS, MV. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 3. ed rev e atual. Londrina: Midiograf, 2003.

- NEIRA, MG. Ensino de Educação Física. São Paulo: Thomson Learning. 2007,

- OLIVEIRA, MAT de (Org). Educação do corpo na escola brasileira. Campinas: Autores Associados, 2006.

- OLIVEIRA, VM de. Consenso e Conflito: Educação Física Brasileira. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

- PAES, RR. Educação física escolar: o esporte como conteúdo pedagógico do ensino fundamental. Canoas: Ed. Ulbra, 2001.

- PALMA, ÂPTV; OLIVEIRA, AAB; PALMA, JAV. Educação Física e a organização curricular: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio. 2. ed. Londrina: EDUEL, 2010. - PICCOLO, WLN (org.). Educação Física Escolar: ser... ou não ter? Campinas: Papirus, 1993.

- PIRES, GL. Educação física e o discurso midiático: abordagem crítico-emancipatória. Ijuí: Editora da UNIJUI, 2002

- SAVIANI, D. Escola e democracia. 13. ed. São Paulo: Cortez Editora/Autores Associados, 1987.

- SAVIANI, D. História das idéias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007. - SOARES, CL, et al. Metodologia do ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1993.

- STIGGER, MP. Educação Física, esporte e diversidade. Campinas: Autores Associados, 2005. - TANI, Go, et al. Educação Física Escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: EPU, 1988.

- TARDIF, M; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 6. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

- TUBINO, MJG. Dimensões sociais do esporte. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

- VEIGA, IP da (Org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papirus, 1998.

- ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

(942) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde

PROGRAMA:

Aspectos teórico-metodológicos para o ensino do esporte para o âmbito escolar e não escolar. Técnica e tática dos esportes: implicações para a prática pedagógica na escola. Os esportes como campo de investigação e conteúdo escolar e não escolar. Pedagogia do esporte. Os esportes como elementos integrantes da cultura corporal. Os esportes e as lutas como fenômenos sócio-culturais e suas contradições enquanto conteúdo escolar. As dimensões dos conteúdos e os esportes no contexto da Educação Física escolar. O conteúdo esportivo em diferentes abordagens em Educação Física. Relações entre a pedagogia e o esporte: o ensino-aprendizagem. Processos pedagógicos para o ensino dos esportes na escola. Análise e procedimentos pedagógicos para o

ensino dos esportes. Aspectos didáticos para o ensino dos esportes. A prática do esporte ao longo da vida. Esporte educacional e esporte de rendimento: convergências e divergências. A competição esportiva. A contribuição tecnológica para o ensino e prática do esporte no contexto contemporâneo. Aspectos históricos e filosóficos sobre a presença, representações e dinâmicas dos esportes na sociedade contemporânea: desdobramentos e prática pedagógica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALBERTI, H; ROTHENBERG, L. Ensino de jogos esportivos: dos pequenos jogos aos grandes jogos esportivos. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1984.

- ASSIS, S. Reinventando o esporte: possibilidade da prática pedagógica. Campinas: Autores Associados, 2001.

- BARBANTI, VJ., et al (Org.). Esporte e Atividade Física: interação entre rendimento e saúde. São Paulo: Manole, 2002.

- BHÖME, MTS (Org.). Esporte Infantojuvenil - Treinamento a Longo Prazo e Talento Esportivo. São Paulo: Phorte, 2011.

- BRACHT, V. Educação Física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1992.

- CANFIELD, JT; REIS, C. Aprendizagem motora no voleibol. Santa Maria: JTC Editor, 1998.

- CASTELLANI FILHO, L. Política educacional e Educação Física. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2002.

- COSTA, LCA da; NASCIMENTO, JV do. O ensino da técnica e da tática: novas abordagens metodológicas. Revista da Educação Física. UEM Maringá, v. 15, nº 2, p. 49-56, 2. sem. 2004.

- CUNHA, SA. Futebol: aspectos multidisciplinares para o ensino e treinamento. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2010.

- DAOLIO, J. Jogos esportivos coletivos: dos princípios operacionais aos gestos técnicos - modelo pendular a partir das idéias de Claude Bayer. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília v.10, nº 4, p.99-104, out. 2002.

- DARIDO, SC (Org.). Cadernos de Formação: Conteúdos e Didática de Educação Física. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

- DARIDO, SC; RANGEL, ICA. Educação Física na Escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2005.

- DE ROSE JR, D. (Org.) Esporte e atividade física na infância e na adolescência: uma abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

- FERREIRA, AEX; ROSE JÚNIOR, D de. Basquetebol: técnicas e táticas: uma abordagem didático-pedagógica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: EPU, 2010.

- FERREIRA NETO, A (Org.). As ciências do esporte no Brasil. Campinas: Autores Associados, 1995.

- FREIRE, JB. Pedagogia do Futebol. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

- FRISSELLI, A; MANTOVANI, M. Futebol: teoria e pratica. São Paulo: Phorte, 1999.

- GOELLNER, SV (Org.). Educação Física/Ciências do esporte: intervenção e conhecimento. Florianópolis: Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte, 1999.

- GONZÁLEZ, FJ; FENSTERSEIFER, PE (Org.). Dicionário crítico de Educação Física. Ijuí: Unijuí, 2005.

- GRECO, PJ; BENDA, R (Org.). Iniciação Esportiva Universal - V. 1: da aprendizagem motora ao treinamento técnico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

- GRECO, PJ; ROMERO, JJF. Manual de Handebol: da iniciação ao alto nível. São Paulo: Phorte, 2012.

- HILDEBRANDT-STRAMANN, R; LAGING, R. Concepções abertas no ensino da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986.

- KRÖGER, C; ROTH, K. Escola da bola: um ABC para iniciantes nos jogos esportivos. São Paulo: Phorte. 2002.

- KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: UNIJUÍ, 1994.

- LUCENA, R de F. O esporte na cidade. Campinas: Autores Associados, 2001.

- MACHADO, AA. Educação Física no ensino superior - Voleibol: do aprender ao especializar. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2006.

- MELO, VA de. Dicionário do Esporte no Brasil: do século XIX ao início do século XX. Campinas: Autores Associados, 2007.

- MOREIRA, WW; et al. (Org.). Educação Física & Esportes: perspectivas para o século XXI. Campinas: Papirus, 1992.

- OLIVEIRA, VM de. O esporte pode tudo. São Paulo: Cortez, 2010.

- PAES, RR. Aprendizagem e competição precoce: o caso do basquetebol. Campinas: UNICAMP, 1996.

- PAES, RR; BALBINO, HF. Pedagogia do esporte: contextos e perspectivas. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan. 2005.

- PAES, RR. Educação física escolar: o esporte como conteúdo pedagógico do ensino fundamental. Canoas: Ed. Ulbra, 2001.

- PALMA, APT. Victoria; OLIVEIRA, AAB; PALMA, JAV. Educação Física e a organização curricular: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio. 2. ed. Londrina: EdUEL, 2010.

- PALMER, ML. A ciência do ensino da natação. São Paulo: Manole, 1990.

- RODRIGUES, H de A; DARIDO, SC. Basquetebol na escola: uma proposta didático - pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2012.

- SANTANA, WC de. Futsal: apontamentos pedagógicos na iniciação e na especialização. 2. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2008.

- SCHMIDT, RA; WRISBERG, CA. Aprendizagem e performance motora: uma abordagem da aprendizagem baseada no problema. 2. ed. Porto Alegre. Artmed. 2001.

- TANI, G, et al. Educação Física Escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: EPU, 1988.

- TANI, G; BENTO, JO; PETERSEN, RDS. Pedagogia do desporto. Rio de Janeiro: Guanabara­Koogan, 2006.

- TUBINO, MJG. Dimensões sociais do esporte. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

- TUBINO, MJG. Estudos brasileiros sobre o esporte: ênfase no esporte-educação. Maringá: EdUEM, 2010.

- VOSER, RC; GIUSTI, JG. O futsal e a escola: uma perspectiva pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

(943) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Comunicação

PROGRAMA:

1. Assessoria de imprensa e de comunicação

2. Gestão de mídias sociais

3. Comunicação estratégica e institucional

4. Jornalismo na interface entre a cidadania e o interesse público

5. Comunicação, Cidadania e Esfera Pública

6. Políticas de comunicação e gerenciamento de crises: planejamento comunicacional e ações de prevenção

7. Comunicação estratégica para o terceiro setor

8. Ferramentas digitais de apuração no jornalismo especializado

9. Mídias sociais e democratização da comunicação

10. Empreendedorismo em comunicação

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BARROS, A; DUARTE, J; MARTINEZ, R (orgs). Comunicação: discursos, práticas e tendências. São Paulo: Rideel, 2001.

- BUENO, W da C. Comunicação Empresarial: teoria e pesquisa. São Paulo, Editora Manole, 2003.

- CASTELLS, M. A Galáxia da Internet: Reflexões sobre Internet, Negócios e Sociedade. Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

- DIAS, V. Como virar notícia e não se arrepender no dia seguinte. Rio de Janeiro: Objetiva, 1994.

- DUARTE, J (org). Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia. 2.ed. São Paulo-SP: Atlas, 2003.

- DUARTE, J (org). Comunicação pública: Estado, mercado, sociedade e interesse público. São Paulo: Atlas, 2009.

- FAUSTO NETO, A, et al (Orgs). Práticas midiáticas espaço público. Compós vol. 1. Porto Alegre: Edipucrs, 2001.

- GOMES, W; MAIA, RCM. Comunicação e democracia. São Paulo: Paulus, 2008.

- GOMES, W. Jornalismo, fatos e interesses. Série Jornalismo a Rigor. v.1. Florianópolis: Insular, 2009.

- KUNSH, MMK. Comunicação Organizacional. Vol. 1. Histórico, fundamentos e processos. São Paulo: Saraiva, 2009, p. 317 a 335.

LARA, M. As Sete Portas da Comunicação Pública. Belo Horizonte: Gutenberg, 2003.

- MORAES, D de (org). Globalização, mídia e cultura contemporânea. Campo Grande, Letra Livre, 1997.

- PINHO, JB. Jornalismo na internet. São Paulo: Summus, 2003.

- RAMOS, M; SANTOS, S dos (orgs). Políticas de comunicação. São Paulo: Paulus, 2007.

- TARGINO, M das G. Jornalismo cidadão. Brasília: IBICT/UNESCO, 2009.

- VIEIRA, L. Os argonautas da cidadania: a sociedade civil na globalização. Rio de Janeiro: Record, 2001.

(944) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Música

PROGRAMA:

Área: Educação Musical / Instrumento Musical

1. Usos da tecnologia na educação musical;

2. Música na Escola Básica: desafios e perspectivas na formação do educador musical;

3. Aspectos históricos da educação musical no Brasil;

4. O Estágio Curricular na formação do Professor de Música;

5. Avaliação em Música;

6. Inter-relação entre Performance e Ensino Musical;

7. Abordagens pedagógicas para as aulas coletivas e individuais de instrumentos em nível de graduação;

8. Aspectos técnicos e estéticos para o ensino de repertórios de diferentes períodos históricos;

9. Relações estético-estilísticas entre diferentes períodos da História da Música;

10. Oficinas de Música: práticas musicais e possibilidades pedagógicas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- Brito, TA. Música na Educação infantil. São Paulo: Peirópolis, 2003.

- Burkholder, JP, Gourt, DJ; Palista, CV. A history of western music. New York: W.W. Norton & Company, 2006.

- Campos, MC. A educação musical e o novo paradigma. Rio de Janeiro: Enelivros, 2000. - Candé, R. História Universal da música Volume 1. Martins Fontes, São Paulo, 1994.

- Candé, R. História Universal da música Volume 2. Martins Fontes, São Paulo, 1994.

- FONTERRADA, Marisa Trench. De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

- Hentschke, L.; Del Ben, L Ensino de música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo: Moderna, 2003.

- Hentschke, L.; Souza, J (Orgs.) Avaliação em Música: reflexões e práticas. São Paulo: Editora Moderna, 2003.

- Loureiro, AMA. O ensino de música na escola fundamental. Campinas. Papirus. 2003. - Mateiro, T; Ilari, B. Pedagogias em Educação Musical. Curitiba: IBPEX, 2010.

- Mateiro, T; Souza, J. Práticas de ensinar música: legislação, planejamento, observação, registro, orientação, espaços, formação. Porto Alegre: Sulinas, 2009.

- Penna, M. Música(s) e seu ensino. Porto Alegre: Editora Sulinas, 2010.

- Ray, S (Org). Performance Musical e suas Interfaces. São Paulo: IrokunBrasil e Vieira Editora, 2005.

- Santiago, D. Construção da performance musical: uma investigação necessária. ICTUS (PPGMUS/UFBA), 2006.

- Schafer, RM. O ouvido pensante. Editora Unesp, São Paulo, 1991.

- Sloboda, J. A Mente Musical: A psicologia definitiva da música. Tradução de Beatriz Ilari e Rodolfo Ilari. Londrina: Editora da Universidade Estadual de Londrina, 2008.

- Sloboda, J. Individual differences in music performance. Avaible in: http://www.chrest.info/Fribourg_Cours_Expertise/Articles-ww/III%20Theories/sloboda.pdf

- Swanwick, K. Musical Knowledge: Intuition, Analysis and Music Education. London: Routledge, 1994.

- Swanwick, K. Music, mind and education. London: Routledge, 1988.

- Swanwick, K. Ensinando música musicalmente. São Paulo: Editora Moderna, 2003.

- Tourinho, C; Oliveira, A. A avaliação da Performance Musical. In: HENTSCHKE, L; SOUZA, J. Avaliação em Música: reflexões e práticas. São Paulo: Moderna, 2003.

(971) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis PROGRAMA:

Teoria da Contabilidade

Contabilidade Gerencial e de Custos

Contabilidade Societária e Tributária

Contabilidade Avançada

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALMEIDA, MC. Contabilidade Intermediária: de acordo com as exigências do MEC para o curso de Ciências Contábeis. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2013.

- DE AZEVEDO, MC. Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras. 1ª ed. Campinas: Alínea, 2012.

- FABRETTI, LC; FABRETTI, D; FABRETTI, DR. Contabilidade Tributária. 13ª ed. São Paulo: Atlas, 2013.

- IUDÍCIBUS, S. Manual de contabilidade societária: aplicável a todas as sociedades. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 2011.

- IUDÍCIBUS, S; LOPES, AB. Teoria Avançada da Contabilidade. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2012.

- MARION, JC. Teoria da Contabilidade. 2ª ed. Campinas: Alínea, 2010.

- NASCIMENTO, AM; REGINATO, L. Controladoria: um enfoque na eficácia Organizacional. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 2013.

- OLIVEIRA, GP. Contabilidade Tributária. 4ª ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

- PEREZ JUNIOR, JH; OLIVEIRA, LM. Contabilidade Avançada. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

- REZENDE, AJ; PEREIRA, CA; ALENCAR, R. Contabilidade Tributária: Entendendo a Lógica dos Tributos e seus Reflexos sobre os Resultados das Empresas. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

- SANTOS, JL, et al. Manual de Práticas Contábeis Aspectos Societários e Tributários. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2011.

- SILVA, LL. Contabilidade Geral e Tributária. 6ª ed. São Paulo: IOB, 2010.

- Pronunciamentos Técnicos Contábeis 2012: disponível em www.cpc.org.br

- Interpretações e Orientações Técnicas Contábeis 2012: disponível em www.cpc.org.br

(972) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis

PROGRAMA:

1. Capitalização Simples e Composta

2. Séries e Amortização

3. Métodos e Critérios de Avaliação de Investimento de Capital

4. Demonstrações Financeiras e sua Análise

5. Risco e Retorno

6. Orçamento e Custo de Capital

7. Definições Financeiras de longo prazo

8. Planejamento financeiro

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- GITMAN, LJ. Princípios da Administração Financeira. 12ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

- SAMANEZ, CP Matemática Financeira 5ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

(989) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Artes/ Educação Artística

PROGRAMA:

1. Teoria e prática do processo de ensino e aprendizagem em Artes Visuais na Educação Básica

2. Metodologia do ensino de Artes Visuais na Educação Básica

3. Ensino da Arte contemporânea na Educação Básica

4. Experimentação estética e vivência pedagógica em Artes Visuais

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ARCHER, M. Arte contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

- BARBOSA, AM (org). Arte/educação contemporânea. São Paulo: Cortez, 2005.

- CAUQUELIN, A. Arte contemporânea: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

- DANTO, AC. Após o fim da arte: a arte contemporânea e os limites da história. São Paulo: EDUSP: Odysseus, 2006.

- FUSARI, MF de R; FERRAZ, HC de T. Metodologia do ensino de arte: fundamentos e proposições. São Paulo: Cortez, 2009.

- IAVELBERG, R. Para gostar de aprender arte: sala de aula e formação de professores. Porto Alegre: Artmed, 2003.

- MARTINS, Mirian Celeste F. Dias et al. Teoria e prática do ensino de arte. São Paulo: FTD, 2009.

- PIMENTA, SG; LIMA, MSL. Estágio e docência. 3ª. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

- RICHTER, IM. Interculturalidade e estética do cotidiano no ensino das artes visuais. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003.

- ROSA, MC da. Formação de professores de arte: diversidade e complexidade. Florianópolis: Insular, 2005.

(990) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História Moderna e Contemporânea

PROGRAMA:

1. Reformas e conflitos político-religiosos

2. Renascença e humanismo

3. Estado, sociedade e cultura no Antigo Regime

4. A Revolução Industrial e o nascimento da classe operária

5. Revolução Francesa: interpretações e debates historiográficos

6. Revoluções Liberais, nações e nacionalismos

7. Expansão colonial, imperialismos e Primeira Guerra Mundial

8. A crise da sociedade liberal e os conflitos do período entre guerras

9. A Segunda Guerra Mundial, a Guerra Fria e a descolonização

10. O Pós Guerra Fria e a Nova Ordem Mundial, neoliberalismo, globalização e os movimentos de resistência

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANDERSON, B. Nação e consciência nacional. São Paulo: Ática, 1992.

- ANDERSON, P. Linhagens do Absolutismo. São Paulo: Brasiliense, 1995.

- ANDERSON, P. O fim da história: de Hegel a Fukuyama. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

- ARENDT, H. Origens do Totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

- ARRIGHI, G. O longo Século XX. São Paulo: Unesp/Contraponto 1996.

- BOURDIEU, P. Contrafogos 1: Táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

- BOURDIEU, P. Contrafogos 2: Por um movimento social europeu. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

- BROUÉ, P. União Soviética: da Revolução ao Colapso. Porto Alegre: Ed. Universidade, 1996.

- CHARTIER, R. Origens culturais da Revolução Francesa. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

- CYTRYNOWICZ, R. Memória da Barbárie. A história do genocídio dos judeus na Segunda Guerra Mundial. São Paulo: Edusp, 1990.

- DAVIS, NZ. Culturas do povo: sociedade e cultura no início da França moderna. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

- DELUMEAU, J. A civilização do Renascimento. Lisboa: Edições 70, 2004.

- DELUMEAU, J. Nascimento e afirmação da Reforma. São Paulo: Pioneira, 1989.

- ELIAS, Nº Os alemães: a luta pelo poder e a evolução do habitus no século XIX e XX. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

- FERRO, M. História das colonizações: das conquistas às independências - séculos XIII a XX. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

- FONTANA, J. História depois do fim da história. Bauru, SP: Edusc, 1998.

- HELLER, A. O Homem do Renascimento. Lisboa: Ed. Presença, 1982.

- HOBSBAWM, EJ. A era das revoluções. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

- HOBSBAWM, EJ. A era do Capital. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

- HOBSBAWM, EJ. A era dos impérios. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

- HOBSBAWM, EJ. Nações e Nacionalismos desde 1780. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

- HOBSBAWM, EJ. A era dos extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

- KEEGAN, J. Uma história da guerra. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

- MANTOUX, P. A revolução industrial no século XVIII. São Paulo: Hucitec, 1986.

- MARTINA, G. História da Igreja: de Lutero a Nossos Dias II - A era do absolutismo. São Paulo: Ed. Loyola, 1996.

- PETRAS, J. Imperialismo e luta de classes no Mundo Contemporâneo. Florianópolis: UFSC, 2007.

- REIS, DA (org). O Século XX: o tempo das crises. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

- SADER, E (org.). O mundo depois da queda. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

- SAID, EW. Cultura e imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

- SAID, E. Orientalismo: o Oriente como invenção. São Paulo: Companhia de Bolso, 2012.

- SOBOUL, A. A Revolução Francesa. São Paulo: DIFEL, 1976.

- THOMPSON, EP. A formação da Classe Operária Inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2012.

D. FACULDADE DE ENGENHARIAS, ARQUITETURA E URBANISMO E GEOGRAFIA

(865) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia Civil/ Estruturas

PROGRAMA:

1. Esforços solicitantes em estruturas isostáticas.

2. Análise de Estruturas hiperestáticas: processos dos esforços e deslocamentos.

3. Métodos de energia para análise estrutural.

4. Dimensionamento à Flexão em Estruturas de Madeira.

5. Dimensionamento à Compressão em Estruturas de Madeira.

6. Dimensionamento à Força Cortante em Estruturas de Concreto Armado.

7. Dimensionamento à Flexão Composta Normal em Estruturas de Concreto Armado.

8. Dimensionamento à Flexão Normal simples em Estruturas de Concreto Armado.

9. Dimensionamento à Flexão Normal simples em Estruturas em Aço.

10. Dimensionamento à Compressão em Estruturas de Aço.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6118: Projeto de estruturas de concreto - Procedimento.Rio de Janeiro,2007.

- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7190: Projeto de estruturas de Madeira - Procedimento.Rio de Janeiro,1997.

- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6120: cargas para cálculo de estruturas de edificações.Rio de Janeiro,1980 (versão corrigida 2000).

- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.NBR 6123: forças devidas ao vento em edificações.Rio de Janeiro, 1988 (versão corrigida 1990).

- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 8681: ações e segurança nas estruturas.Rio de Janeiro, 2003. (versão corrigida 2004)

- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.NBR 8800: Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios.Rio de Janeiro, 2008.

- HIBBELER, RC. Resistência dos materiais. 7. ed.São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010. 637 p.

- GERE, JM. Mecânica dos materiais. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 2003. 698 p.

- TIMOSHENKO, S; GERE, JM. Mecânica dos sólidos. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1986. v. 1.

- TIMOSHENKO, S. Mecânica de materiales. México : Centro Regional de Ayuda Tecnica, 1974. 618 p.

- POPOV, EP. Resistência dos materiais. 2. ed. Rio de Janeiro: Prentice Hall, 1984. 507 p.

- MACHADO JUNIOR, EF. Introdução à Isostática. 1 ed. São Carlos: EESC-USP, 1999.

- HIBBELER, RC. Estática: mecânica para engenharia. 10 ed. São Paulo: Person Prentice Hall, 2005.

- CHUST CARVALHO, R; FIGUEIREDO FILHO, JR. Cálculo e Detalhamento de Estruturas Usuais de Concreto Armado segundo a NBR 6118:2003. EdUFSCar, São Carlos, 2005.

- FUSCO, PB. Estruturas de concreto - Solicitações normais. Rio de Janeiro, ed. Guanabara Dois, 1981, 464p.

- PFEIL,W; PFEIL, M. Estruturas de aço: dimensionamento prático.8ª ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 2009.

- PINHEIRO, ACFB. Estruturas metálicas: cálculo, detalhes, exercícios e projetos. 2ª ed. São Paulo: Edgard Blucher, 2005.

- BELLEI, IH. Edifícios industriais em aço - projeto e cálculo. 6ª ed. São Paulo: Editora Pini, 2010.

- CALIL JUNIOR, C; LAHR, FAR; DIAS, AA. Dimensionamento de elementos estruturais de madeira. Barueri, SP: Manole, 2003. 152p.

- PFEIL, W; PFEIL, M. Estruturas de madeira Dimensionamento segundo a normas brasileira NBR 7190:97 e critérios das normas Norte-americana NDS e européia EUROCODE 5. 6. ed. Rio de Janeiro : LTC Ed., 2007. 223 p.

(949) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia Civil/ Construção Civil/ Materiais e Componentes de Construção

PROGRAMA:

1. Introdução à Ciência e Tecnologia dos Materiais de Construção Civil;

2. Concreto de cimento Portland: estruturas, propriedades e materiais.

3. Materiais metálicos.

4. Materiais cerâmicos de construção.

5. Vidros.

6. Marcação de obra.

7. Fundações, estruturas, alvenarias e coberturas.

8. Instalações em geral.

9. Esquadrias.

10. Revestimentos, impermeabilização e sistemas de pinturas.

11. Patologias construtivas.

12. Resíduos na construção de edifícios.

13. Sustentabilidade na Construção de Edifícios.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BAUER, LAF. Materiais de construção - Rio de Janeiro - Livros Técnicos e Científicos - Editora. 2007.

- IBRACON. Materiais de construção e princípios de ciência e Engenharia de Materiais. Ibracon. São Paulo. 2007. Vol. 1 e 2.

- NEVILLE, AM. Propriedades do concreto. Editora Pini, São Paulo, 1982.

- GUIMARÃES, JEP. A cal - Fundamentos e aplicação na Engenharia Civil. - 2ª Ed. - São Paulo: Pini, 2002.

- THOMAZ, E. Tecnologia, gerenciamento e qualidade na construção. Ed. Pini.2001

- CUNHA, AJP; LIMA, NA, SOUZA, VCM. Acidentes estruturais na construção Civil Pini Ed. 1ª Ed. 4ª tiragem. 2v

- SCHNAID, F; MILITITSKY, J; CONSOLI, NC. Patologia das fundações. Pini Ed. 1ª ed.

- NETO, JCM. Gestão dos resíduos de construção e demolição no Brasil. Pini Ed. 1ª ed.

- CONCRETO. Ensino, pesquisa e realizações/ ed. G. C. Isaia. - São Paulo: IBRACON, 2005. 2v.

- METHA, PK; MONTEIRO, PJM. Concreto. microestrutura, propriedades e materiais. Revisores e Coordenadores Nicole Pagan Hasparyk, Paulo Helene & Vladimir Antônio Paulon. São Paulo. IBRACON. 2007. 2v.

- BORGES, AC. Prática das pequenas construções. Ed. Edgard Blücher Ltda. Vol. 1. 2009.

- BORGES, AC. Prática das pequenas construções. Ed. Edgard Blücher Ltda. Vol. 2. 2010.

- THOMAS, E. Trincas em Edifícios - Causas, prevenção e recuperação. PINI ED. 1995.

SOUZA, R; MEKBEKIAN, G. Qualidade na aquisição de Materiais e Execução de Obras. PINI Ed. 1996.

- GIVONI, B. Passive and Low Energy Cooling of Buildings. John Wiley & Sons, INC. 1994.

- LAMBERTS, R, DUTRA, L, PEREIRA, FOR. Eficiência Energética na Arquitetura. PW Editores. SP. 1997.

(950) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia de Produção

PROGRAMA:

1. Logística

2. Controle da Qualidade Total

3. Gerenciamento de Projetos

4. Gestão de Materiais

5. Gestão de Informações

6. Estática e Dinâmica

7. Hidráulica

8. Sistemas Construtivos

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALVARENGA, AC. Logística aplicada, suprimento e distribuição física. São Paulo: Pioneira, 1994.

- CAMPOS, VF. TQC: Controle da Qualidade Total no estilo japonês. Belo Horizonte: Fundação Cristiano Ottoni, 1992.

- CARPINETTI, LCR. Gestão da Qualidade - Conceitos e Técnicas 1ed. Atlas. São Paulo, 2012.

- SLACK, N; CHAMBERS, S; JOHNSTON, R. Administração da produção. Maria Teresa Corrêa de Oliveira (Trad.). 2 ed. São Paulo: Atlas, 2002

- LAUDON, KC; LAUDON, JP. Sistemas de Informações Gerenciais. 7ª Ed., 2007.

- ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Anais. Disponíveis em CD http://www.abepro.org.br/publicacoes/. ABEPRO, 1996-2012.

- IBRACON. Materiais de construção e princípios de ciência e Engenharia de Materiais. Ibracon. São Paulo. 2007. Vol. 1 e 2.

- AZEVEDO NETO, JM et al. Manual de hidráulica. 8ª edição. Sâo Paulo: Edgard Blucher, 1998

- FOX, RW; McDONALD, AT. Introdução à mecânica dos fluidos. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

- INCROPERA, FP; DEWITT, DP. Fundamentos de Transferência de Calor e Massa, LTC, Rio de Janeiro, 5ª Ed., Ano: 2003.

(951) Grande Área/ Área: Engenharias/ Engenharia Civil/ Construção Civil/ Processos Construtivos

PROGRAMA:

1. Controle de custos na construção de edifícios.

2. Gerenciamento de projetos na construção de edifícios.

3. Análise econômica de projetos.

4. Gestão de negócios.

5. Gestão de projetos utilizando PERT-CPM.

6. Plano de negócios.

7. Planejamento de obras.

8. Composição de preços no setor da construção civil.

9. Medidas de desempenho na construção civil

- GUIAMMUSSO, SF. Orçamento e Custos na Construção Civil. PINI, São Paulo, 1989.

- GOLDMAN, P. Introdução ao Planejamento e Controle na Construção Civil. PINI, 1986. - BODIE; ZVI; MERTON, RC. Finanças. Porto Alegre, Bookman, 1999.

- DAMORADAN, A. Avaliação de Investimentos. Ferramentas e Técnicas para Determinação do Valor de Qualquer Ativo. Qualitymark, Rio de Janeiro, 1997.

- EHRLICH, PJ. Engenharia Econômica. Avaliação e Seleção de Projetos de Investimento. Atlas, 1986.

- NETTO, AV. Como Gerenciar Construções. Editora Pini, São Paulo, 1988.

- ASSED, JA. Construção Civil - Viabilidade, Planejamento e Controle. Livros Técnicos e Científicos Editora, Rio de Janeiro, 1986.

D. FACULDADE DE MEDICINA (Campo Grande - MS)

(866) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Saúde Coletiva/ Saúde Publica

PROGRAMA:

1. Sistema Único de Saúde;

2. Atenção Primaria à Saúde e Estratégia a Saúde da Família;

3. Vivência de atuação do médico, em equipe multiprofissional na atenção primária em saúde;

4. Programas de Saúde na Atenção Básica;

5. Organização dos Serviços de Saúde;

6. Sistema de Informação em Saúde;

7. Vigilância Epidemiológica e Sanitária;

8. Planejamento e Gestão dos Serviços de Saúde;

9. Práticas de educação e promoção à saúde nos diferentes grupos populacionais (crianças, adolescentes, gestantes, adultos e outros);

10. Participação e Controle Social em Saúde.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- MINISTÉRIO DA SAÚDE- Orientação para organização de centros de saúde; o planejamento local. Série A: Normas e Manuais Técnicos, 20. Brasília: Centro de documentação do Ministério de Saúde, 1985.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE, Pacto pela saúde, Portaria nº 399, GM de 22/02/06, Brasília, 2006.

- DEVER, GEA. - A epidemiologia na administração de serviços de saúde, São Paulo: Pioneira, 1988.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE, ABC do SUS - Doutrinas e Princípios, Brasília: Secretaria Nacional de Assistência à Saúde, 1990.

- COHN, A; ELIAS, PEM. Saúde no Brasil: políticas e organização de serviços, São Paulo; Cortez, 1996.

- MEDRONHO, R A; CARVALHO, DM. Epidemiologia, Ed. Atheneu. 1ª Ed. 2002.

- ROUQUAYROL, MZ; ALMEIDA FILHO, Nº Epidemiologia e Saúde, Ed. Meds, 1999.

- Secretaria de Descentralização Coordenação Geral de Apoio à Gestão Descentralizada. Diretrizes Operacionais dos Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Brasília: Ed. MS 2006.

CANESQUI, AM; OLIVEIRA, AMF. - Saúde da Família: Modelos Internacionais e a Estratégia Brasileira

CAMPOS, GWS (org) - Tratado de Saúde Coletiva, Ed. Hucitec/Ed. Fio Cruz, SP - RJ, 2007.

(867) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Cancerologia

PROGRAMA:

1. Oncologia básica - carcinogênese;

2. Câncer: epidemiologia mundial, no Brasil e no Mato Grosso do Sul;

3. Tumores malignos pele;

4. Tumor maligno sistema nervoso central;

5. Tumor maligno tireóide;

6. Tumor maligno pulmão;

7. Tumor maligno estômago;

8. Tumor maligno colo-retal;

9. Tumor maligno próstata;

10. Tumor maligno mama.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- HOFF, P. Tratado de Oncologia. Atheneu, 2012.

- Guideline NCCN, 2013.

(869) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Ginecologia e Obstetrícia

PROGRAMA:

1. Anatomia, histologia e Fisiologia do Sistema Genital Feminino;

2. Semiologia ginecológica e obstétrica;

3. Assistência pré-natal;

4. Assistência à mulher em trabalho de parto;

5. Mecanismo do parto e fases clínica do parto;

6. Parto transvaginal;

7. Parto Operatório (fórceps, cesárea);

8. Alterações físicas e psicológicas da gestação;

9. Aspectos psicológicos, culturais e sociais da APN;

10. Doenças prévias complicando a gestação - Hipertensão arterial sistêmica crônica, Diabete melito, Lupus eritematoso Sistêmico e demais doenças do tecido conjuntivo, Trombofilias, SAAF, Epilepsia, doenças psiquiátricas, endocrinopatias, obesidade, cardiopatias, dentre outras;

11. Intercorrências e doenças que surgem na gestação - Doenças músculo-esqueléticas, Pré­eclâmpsia, diabete gestacional, infecção urinária, emese e hiperemese gravídica, mola hidatiforme, trabalho de parto prematuro, alterações de volume do líquido amniótico, avaliação de vitalidade e maturidade fetal, dentre outras;

12. Síndromes hemorrágicas da gestação (primeiro, segundo e terceiro trimestres);

13. Puerpério e Aleitamento materno;

14. Prevenção do câncer ginecológico (colo uterino, vulva, vagina, ovário, mama);

15. Endometriose;

16. Doenças sexualmente transmissíveis;

17. Doença Inflamatória Pélvica;

18. Doenças benignas do aparelho genital feminino e mamas;

19. Doenças malignas do aparelho genital feminino e mamas;

20. Dor pélvica crônica;

21. Endometriose;

22. Infertilidade conjugal;

23. Planejamento familiar;

24. Métodos anticoncepcionais;

25. Climatério.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BASTOS, AC. Ginecologia infanto-juvenil. 2ª edição. São Paulo, Editora Roca.

- HALBE, HW. Tratado de ginecologia. 3º ed. São Paulo. Editora Roca.

- SPEROFF, L. Endocrinologia ginecológica. Clínica e Infertilidade. 5ª edição. São Paulo. Editora Manole.

- NEME, B. Obstetrícia básica. 2ª edição. Editora Sarvier.

- REZENDE, J. Obstetrícia. 8ª edição. Editora Guanabara-Koogan.

- GOODMAN & GILMAN, As Bases Farmacológicas da Terapêutica, 9º ed., Ed. MacGrawhill, México.

- NEME, B. Tratado de Obstetrícia.

- FREITAS, F. Rotinas em Ginecologia. 4ª edição. Artmed.

- FREITAS, F. Rotinas em Obstetrícia. 4ª edição. Editora Artmed.

- GRAY, Henry. Anatomia. 29º ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan.

- GARDNER, E; GRAY, DJ; O'RAHILLY, R. Anatomia. 4º ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan.

- SOBOTTA. Atlas de anatomia Humana. 20º ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan.

- NETTER. Atlas de Anatomia Humana. Porto Alegre, ARTMED.

(904) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Hematologia

PROGRAMA:

1. Hematopoiese;

2. Anemias: diagnóstico, abordagem clinica e laboratorial;

3. Anemias carenciais;

4. Hemoglobinopatias estruturais e não estruturais;

5. Anemias hemolíticas: anemias hemolíticas imunes, anemias hemolíticas por defeito de membrana, hemoglobinúria paroxística noturna;

6. Anemia aplastica;

7. Desordens de hemostasia e coagulação: abordagem clínico laboratorial;

8. Trombocitopenias (púrpura trombocitopenica idiopática, purpura trombocitopenica trombótica);

9. Desordens de hemostasia primária e púrpuras vasculares;

10. Coagulopatias inerentes e adquiridas;

11. Tromboses e terapia antitrombótica;

12. Leucemias agudas;

13. Doenças mieloproliferativas crônicas (mielofibrose idiopática, leucemia mieloide crônica, policitemia vera, trombocitemia essencial);

14. Leucemia linfocitica crônica e variantes;

15. Linfomas não Hodgkin;

16. Doença de Hodgkin;

17. Discrasia de células plasmáticas: Mieloma Multiplo, Amiloidose; Macroglobulinemia de Waldenstrom, Gamopatia monoclonal de significado indeterminado;

18. Transplante de medula óssea autólogo e alogênico;

19. Fatores de crescimentos hematopoiéticos;

20. Hemoterapia: indicações de sangue, hemocomponentes e hemoderivados;

21. Terapia transfusional de concentrado de glóbulos vermelhos;

22. Terapia transfusional de concentrado de plaquetas;

23. Terapia transfusional de plasma e seus derivados;

24. Aféreses terapêuticas;

25. Efeitos adversos das transfusões;

26. Doenças transmissíveis por transfusões;

27. Política nacional de sangue;

28. Aspectos legais da transfusão de sangue: normas, portarias e leis;

29. Sistema de grupos sanguíneos;

30. Provas laboratoriais de compatibilidade pré-transfusionais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- WILLIAMS. Hematology. 8th edition, 2010

- WINTROBE. Clinical Hematology. 12th edition, Willliams and Wilkins, Philadelfia, 2009 ZAGO MA; PASSETO, RF; PASQUINI, RI. Hematologia Fundamentos e Pratica, Atheneu-SP, 2013

- Techinical Manual-American Association of Blood Banks (AABB). 17th edition, 2011 - Resolução da Diretoria Colegiada- RDC nº 57 de 16 de dezembro de 2010, ANVISA

- BORDIN JO; LANGHI JR, DM; Covas, DT. Hemoterapia, fundamentos e pratica, Atheneu­SP, 2007.

(905) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Nefrologia PROGRAMA:

1. Hipertensâo Arterial Sistêmica;

2. Doença Renal Crônica;

3. Lesão Renal Aguda;

4. Metabolismo da Água;

5. Metabolismo do Potássio;

6. Metabolismo do Sódio;

7. Distúrbio Ácido-Básico;

8. Síndrome Nefrótica;

9. Síndrome Nefrítica;

10. Glomerulopatias Crônicas;

11. Transplante Renal.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

RIELLA, MC. Princípios de Nefrologia e Distúrbios Hidroeletrolíticos.

- LERMA, EV; BERNS, JS; NISSENSSON, AR. Current: Nefrologia e Hipertensão 2011.

- BARROS, E; THOMÉ, FS; MANFRO, RC. Nefrologia: Rotinas, Diagnósticos e Tratamento.

- BRENNER & RECTOR The Kidney-, 9th Edition, 2011.

(906) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Cirurgia/ Cirurgia Otorrinolaringológica

PROGRAMA:

1. Anel linfático de waldeyer: Anatomia, fisiologia, patologias, tratamento;

2. Obstrução nasal: Anatomia e fisiologia nasal, etiologia, tratamento;

3. Rinites agudas e crônicas: Classificação, sintomatologia, tratamento;

4. Rinossinusite: Classificação, fisiopatologia, quadro clínico, tratamento;

5. Otite média: Classificação, fisiopatologia, quadro clínico, tratamento;

6. Disacusias: Classificação, etiologia, tratamento;

7. Labirintopatias: anatomia, fisiologia, classificação, quadro clínico, diagnóstico, tratamento;

8. Laringe: anatomia, fisiologia, fisiopatologia, quadro clinico, tratamento das laringites agudas e crônicas;

9. Laringe: anatomia, fisiologia. Alterações congênitas, tumores benignos e malignos;

10. Apnéia obstrutiva do sono: fisiologia, fisiopatologia, quadro clinico, semiologia, tratamento clinico e cirúrgico.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- GOLDMANN, Lee; AUSIELLO, Dennis. Cecil: Tratado de Medicina Interna. 23ª. ed. Editora Elsevier, 2009.

- HUNGRIA, H. Otorrinolaringologia, Rio de Janeiro.

- HERREDIA DE CAMPOS, CA; COSTA, HOO (Eds). Tratado de otorrinolaringologia: 5 volumes, São Paulo: Roca, 2011.

- FUKUDA, Y. Otorrinolaringologia, São Paulo, Edit Manole, 2002.

- LAÉRCIO, O; OLIVEIRA, JA de. Otorrinolaringologia - princípios e prática (2ª edição) Sady SalaImen. Porto Alegre, RS: Editora Artmed, 2006.

- LVINSKY, L Tratamento em otologia, Rio de Janeiro: Editora Revinter, 2006.

- VOEGEL, R. Rinologia e cirurgia endoscopia dos seios paranasias. Rio de Janeiro: editora Revinter, 2006.

- GANANÇA, FF; LIMA, PAP. Manual de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, São Paulo: Editora Manole, 2011.

(907) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica

PROGRAMA:

1. Cardiovasculares: insuficiência cardíaca, insuficiência coronariana, arritmias cardíacas, tromboses venosas, hipertensão arterial, choque;

2. Pulmonares: insuficiência respiratória aguda e crônica, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonia, tuberculose, tromboembolismo pulmonar;

3. Sistema digestório: neoplasias, gastrite e úlcera péptica, colecistopatias, diarréia aguda e crônica, pancreatites, hepatites, insuficiência hepática, parasitoses intestinais, doenças intestinais inflamatórias, doença diverticular do cólon;

4. Renais: insuficiência renal aguda e crônica, glomerulonefrites, distúrbios hidroeletrolíticos e do sistema acido-básico, nefrolitíase, infecções urinárias;

5. Metabólica e sistema endócrino: hipovitaminoses, desnutrição, diabetes mellitus, hipo e hipertiroidismo , doenças da hipófise e da adrenal:

6. Hematológicas: anemias hipocrômicas macrocíticas e hemolíticas, anemia aplástica, leucopenia, púrpuras, distúrbios de coagulação, leucemias e linfomas, acidentes de transfusão;

7. Reumatólogicas: orteoartrose, gota, lúpus eritematoso sistêmico, artrite infecciosa, outras doenças do colágeno;

8. Neurológicas: coma, cefaléias, epilepsia, acidente vascular cerebral, meningites, neuropatias periféricas, encefalopatias;

9. Psiquiátricas: alcoolismo, abstinência alcoólica, surtos psicóticos, pânico , depressão;

10. Infecciosas e transmissíveis: sarampo, varicela, rubéola, difteria, tétano, coqueluche, raiva, febre tifóide, hanseníase, doenças sexualmente transmissíveis, Aids, doença de Chagas, esquistossomose, leishmaniose, malária, tracoma, estreptocóccicas, estafilocóccicas, doença meningocóccica, infecção por anaeróbios, toxoplasmose, viroses;

11. Dermatológicas: escabiose, pediculose, dermatofitose, eczema, dermatite de contato, onicomicose; infecção bacteriana; imunológicas: doença do soro, edema, urticária, anafilaxia;

12. Intoxicações exógenas: barbitúricos, entorpecentes.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- GOLDMANN, L; AUSIELLO, D. Cecil: Tratado de Medicina Interna. 23ª. ed. Editora Elsevier, 2009.

- BRAUNWALD, et al. Harrison - Medicina interna. 17ª. ed. Editora MacGraw Hill, 2008.

- MARTINS, HS et al. Emergências clínicas - Abordagem prática. 2ª ed. Editora Manole, 2007.

- MCPHEE, SJ; PAPADAKIS, MA; TIERNEY, LM. Current Medical Diagnosis & Treatment. Editora MacGraw Hill, 2008.

- PORTO, CC. Semiologia Médica: 6ª Edição, 2009.

- NICOLAU, José Carlos; TARASOUTCHI, Flávio; ROSA, Leonardo Vieira da; MACHADO, FP. Condutas Práticas Em Cardiologia. 1ª Edição. Editora Manole, 2009.

- SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. VI Diretrizes Brasileiras De Hipertensão. Edição 2010.

- SERRANO JÚNIOR, C; TIMERMAN, A; STEFANINI, E. Tratado de Cardiologia Socesp. 2ª Edição, 2008.

- MARTINS, HS; DAMASCENO, MCT; AWADA, SB. Pronto Socorro Diagnóstico E Tratamento De Emergências. 1ª Edição, Editora Manole, 2008.

- FAUCI, A; BRAUNWALD, E; KASPER, DL; HAUSER, SL; LONGO, DL; JAMESON, JL; LOSCALZO, J. In: Harrison Princípios da Medicina Interna. 17ª Edição, Rio de Janeiro: MacGrw-Hill Interamericana do Brasil, 2008.

- GOLDMANN, l; AUSIELLO, D. Cecil: Tratado de Medicina Interna. 23ª Ed. Editora Elsevier, 2009.

- LOPES, A. C. Tratado de Clínica Médica. 2ª Edição. São Paulo: Editora Roca, 2009.

- RIELLA, Mc. Princípios De Nefrologia E Distúrbios Hidroeletrolíticos. 5 ª Edição, Editora Guanabara Koogan 2010.

(908) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica

PROGRAMA:

1. Atendimento inicial ao Politraumatizado;

2. Organização do atendimento a urgência e emergência no Brasil;

3. Crise hipertensiva;

4. Dor torácica aguda;

5. Abdome agudo;

6. Arritmias cardíacas;

7. Acidente vascular encefálico;

8. Choque;

9. Insuficiência Respiratória aguda;

10. Atendimento inicial a vítimas de queimaduras

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- Manual ATLS

- Manual ACLS

- Portaria 2048 GM 5/11/2002 Ministério da Saúde

- NORMAN, EM; SCOTT, F; JEFREY, OS. PHTLS - Atendimento Pré-Hospitalar ao Traumatizado. 8ª edição. Editora Elsevier. 2013.

- BACCARINI, E; Manual de Urgência em Pronto-Socorro. 9ª Edição. Editora Guanabara Koogan. 2010.

- MARTINS, HSa; DAMASCENO, MCT; AWADA, SB. Pronto-Socorro: Medicina de Urgência. 3ª Edição. Editora FMUSP. 2012.

- NETO, AS; VELASCOS, IT; MARTINS, HS; BRANDÃO NETO, RA. Emergências Clínicas: Abordagem Prática. 8ª Edição. Editora Manole. 2013.

(909) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica

PROGRAMA:

1. Semiologia do Edema;

2. Semiologia da Dor;

3. Semiologia do Coração;

4. Semiologia do Aparelho Respiratório;

5. Semiologia do Aparelho Digestivo;

6. Semiologia Vascular;

7. Semiologia Reumatológica;

8. Semiologia da Icterícia;

9. Semiologia em Obstetrícia;

10. Semiologia em Ginecologia.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- PORTO, CC. Semiologia Médica. Guanabara Koogan, 5ª. Ed. 2005.

- LOPEZ, M; MEDEIROS, JL. Semiologia Médica: as Bases do Diagnóstico Clínico. Revinter, 5ª. Ed. 2004.

- SWARTZ, MH. Tratado de Semiologia Médica: História e Exames Clínicos. Elsevier, 5ª. Ed. 2006.

(913) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina/ Clínica Médica/ Pneumologia

PROGRAMA:

1. Anatomia e fisiologia do sistema respiratório.

2. Farmacologia do sistema respiratório.

3. Métodos de diagnóstico clínico, radiológico, tomográfico e de ressonância magnética e de ultrassonografia do tórax.

4. Métodos de diagnóstico bioquímico, bacteriológico, imunológico citopatológico, histopatológico.

5. Métodos funcionais-espirometria. Micobactérias.

6. Pneumonias e broncopneumonias, supurações pulmonares.

7. Asma.

8. Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC.

9. Bronquiectasias e fibrose cística.

10. Cor pulmonale e hipertensão pulmonar.

11. Manifestações pulmonares na Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

12. Micoses pulmonares.

13. Pneumopatias intersticiais.

14. Sarcoidose.

15. Doenças da pleura;

16. Câncer de pulmão;

17. Tumores pleurais, costais e de partes moles;

18. Doenças do mediastino;

19. Doenças do diafragma;

20. Poluição e doenças ocupacionais;

21. Malformações congênitas pulmonares;

22. Anomalias da caixa torácica;

23. Pneumopatias de hipersensibilidade;

24. Distúrbios do sono;

25. Traumatismo torácico;

26. Insuficiência Respiratória Aguda;

27. Síndrome da Angústia Respiratória Aguda;

28. Ventilação mecânica;

29. Risco cirúrgico em Pneumologia;

30. Tromboembolismo pulmonar;

31. Afogamento;

32. Endoscopia brônquica;

33. Cirurgia redutora pulmonar;

34. Transplante pulmonar;

35. Emergências em Pneumologia;

36. Tabagismo;

37. Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- Pneumologia - Diagnóstico e Tratamento. Mauro Zamboni, Carlos Alberto de Castro Pereira (Eds) São Paulo: Editora Atheneu; 2006. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.

- Pneumologia-Atualização e Reciclagem. Gomes M, Neder JA, Stelmach R, Leiro LCF (eds). Volume 6, Rio de Janeiro: Editora Revinter; 2006.Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia.

- Pneumologia- Atualização e Reciclagem. Gomes M, Faresin SM (eds.) Volume 7. São Paulo: Editora Roca; 2007. Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia.

- Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica. Jornal Brasileiro de Pneumologia - Volume 33 - Suplemento 2S - 2007.

- Diretrizes Brasileiras para tratamento das Pneumonias Adquiridas no Hospital e das Associadas à Ventilação Mecânica e Diretrizes Brasileiras em Pneumonia Adquirida na Comunidade em Pediatria - 2007. Jornal Brasileiro de Pneumologia - Volume 33 - Suplemento 1S - 2007.

- IV Diretrizes Brasileiras para o Manejo da Asma. Jornal Brasileiro de Pneumologia - Volume 32 - Suplemento 7 - 2006.

- II Diretrizes Brasileiras no Manejo da Tosse Crônica. Jornal Brasileiro de Pneumologia - Volume 32 - Suplemento 6 - 2006.

- Diretrizes na Abordagem Diagnóstica e Terapêutica das Doenças Pleurais. Jornal Brasileiro de Pneumologia - volume 32 - suplemento 4 - 2006.

- Doenças Respiratórias Ambientais e Ocupacionais. Jornal Brasileiro de Pneumologia Volume 32 - Suplemento 2 - 2006.

- Diretrizes para Manejo da Hipertensão Pulmonar.Jornal de Pneumologia Volume 31 - Suplemento 2 -2005.

- Vasculites Pulmonares. Jornal Brasileiro de Pneumologia Volume 31 - Suplemento 1 - 2005.

- II Consenso Brasileiro sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Jornal de Pneumologia Volume 30 - Suplemento 5 - 2004.

- Diretrizes para Pneumonias Adquiridas na Comunidade em Adultos Imunocompetentes. Jornal de Pneumologia Volume 30 - Suplemento 4 - 2004.

- Diretrizes para Cessação do Tabagismo. Jornal de Pneumologia Volume 30 - Suplemento 2 - 2004.

- II Diretrizes Brasileiras para Tuberculose. Jornal de Pneumologia Volume 30 - Suplemento 1 - 2004.

- Diretrizes para Testes de Função Pulmonar 2002 - Jornal de Pneumologia Volume 28 - Suplemento 3 - 2002.

E. FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

(870) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Patologia Animal

PROGRAMA:

1. Doenças infecciosas do sistema nervoso de suínos

2. Doenças degenerativas do sistema nervoso de suínos

3. Doenças bacterianas do trato respiratório de suínos

4. Doenças virais do trato respiratório de suínos

5. Doenças do trato digestivo de suínos

6. Doenças da pele de suínos

7. Doenças do sistema locomotor de suínos

8. Doenças infecciosas do sistema nervoso de aves

9. Descrição e interpretação de lesões macroscópicas e histológicas aplicadas ao diagnóstico de doenças de suínos e aves

10. Monitoramento sanitário em suínos

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- COETZER, JAW; TUSTIN, RC (Eds.) Infectious Diseases of Livestock. 2nd ed. 3 vol. Cape Town: Oxford University Press, 2004.

- JUNIOR, AB; MACARI, M. Doenças das aves. Campinas: Facta, 2000. 800p.

- MAXIE, MG; JUBB, KENNEDY, and PALMER'S. Pathology of domestic animals. 5th ed., Saunders Elsevier, Philadelphia. 3 vol. 2007.

- McGAVIN, MD; ZACHARY, JF. Pathologic basis of veterinary disease 5th ed., Mosby Elsevier, St Louis, 2012. 1322p.

- RADOSTITS, OM; GAY, CC; HINCHCLIFF, KW; CONSTABLE, PD. Veterinary Medicine. A textbook of the diseases of cattle, horses, sheep, pigs and goats. 10th edition. Saunders Elsevier, 2007. 2156p.

- REVOLLEDO, L; FERREIRA, AJP (Orgs.) Patologia Aviária. 1ª Ed. Barueri: Manole, 2009. 510p.

- SANTOS, RL; ALESSI, AC. Patologia Veterinária. Ed. Roca, 2011. 904p.

- SOBESTIANSKY, J; BARCELLOS, D. Doenças dos Suínos. 2ª ed. Goiânia: Cânone Editorial, 2007. 960p.

(871) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Patologia Animal PROGRAMA:

1. Encefalites e doenças degenerativas do sistema nervoso em animais domésticos

2. Interpretação e descrição de lesões macroscópicas e histológicas em animais domésticos

3. Doenças associadas a nefrose tubular tóxica em animais domésticos

4. Enterites em animais domésticos

5. Pneumonias em animais domésticos

6. Hepatopatias degenerativas em animais domésticos

7. Cardiomiopatias em animais domésticos

8. Patologia dos pré-estômagos de ruminantes domésticos

9. Miopatias tóxicas em animais domésticos

10. Doenças inflamatórias do fígado em animais domésticos

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- MAXIE, MG; JUBB, KENNEDY, and PALMER'S. Pathology of domestic animals. 5th ed., Saunders Elsevier, Philadelphia. 3 vol. 2007.

- McGAVIN, MD; ZACHARY, JF. Pathologic basis of veterinary disease 5th ed., Mosby Elsevier, St Louis, 2012. 1322p.

- SANTOS, RL; ALESSI, AC. Patologia Veterinária. Ed. Roca, 2011. 904p.

- RIET-CORREA, F; SCHILD, DAL; LEMOS, RAA; BORGES, JR. Doenças de ruminantes e equinos 3ª ed. Ed. Pallotti, Santa Maria. 2 vol. 2007.

- RADOSTITS, OM; GAY, CC; HINCHCLIFF, KW; CONSTABLE, PD. Veterinary Medicine. A textbook of the diseases of cattle, horses, sheep, pigs and goats. 10th ed. Saunders Elsevier, 2007. 2156p.

(872) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Inspeção de Produtos de Origem Animal

PROGRAMA:

1. Sistema linfático e importância na inspeção de carnes

2. Inspeção sanitária de carnes, critérios de julgamento e destinação de carcaças bovinas e suínas

3. Inspeção sanitária do abate de aves

4. Inspeção sanitária de ovos e derivados

5. Inspeção sanitária do pescado

6. Rotulagem de Alimentos de Origem Animal

7. Controle da potabilidade da água de uso na indústria de alimentos

8. Tratamentos e destinação de efluentes

9. Produtos de graxaria: inspeção sanitária e processamento

10. Transformação do músculo em carne

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ACHA, PN; SZYFRES, B. Zoonozis y enfermedades transmisibles comunes al hombre y a los animales. Organ.Panamer.de Saúde, 2ª ed., Washington, 1986 (Publ.Cient.nº 503).

- BRASIL, Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Regulamento de inspeção industrial e sanitária dos produtos de origem animal. Brasília, 1980.

- FRANCO, BDGM; LANDGRAF, M. Microbiologia dos alimentos. Atheneu, São Paulo, 1996, 182p.

- PEARSON, AM; ED; DUTSON, TR, ED. Haccp in Meat, Poultry and Fish Processing. London, Blackie Academic and Professional, C1995. 393p. (Advances in Meat Research, V.10).

- HAJDENWURCEL, JR. Atlas de microbiologia de alimentos. Fonte comunicações e editora, São Paulo, 1998, 66p.

- INTERNATIONAL COMMISSION MICROBIOLOGICAL SPECIFICATIONS FOR FOODS. APPCC na qualidade e segurança microbiológica de alimentos: Analises de perigos e pontos críticos de controle para garantir a qualidade e a segurança microbiológica de alimentos.

- GIOVA, DAT. TRAD. São Paulo, Livraria Varela, 1997. 377p.

- LEISTNER, L. Food preservation by combined methods. Food Research International, v.25, p.151-8, 1992.

- MIDIO, A.F.; MARTINS, D.I. Toxicologia de Alimentos. São Paulo: Varela, 2000. 295p.MUSCLE FOODS: MEAT, POULTRY AND SEAFOOD TECHNOLOGY. Kinsman, Donald Markham, Ed. New York, Chapman and Hall, C1994. 573p.

- PADULA, M. Embalagens plásticas: controle de qualidade. centro de tecnologia de embalagem de alimentos. Campinas, CETEA/ITAL, 1989. 202p.

- PRATA, LF. Manual de enfermidades transmitidas por alimentos. Jaboticabal: Funep, 1999. 212p.

- REICHERT, JE. Tratamiento termico de los productos carnicos. Zaragoza, Acribia, 1988. - RIEDEL, G. Controle Sanitário dos Alimentos. São Paulo, Loyola, 1987.

SÃO PAULO (Cidade). Secretaria Municipal de Abastecimento. Código sanitário municipal de alimentos. São Paulo, SEMAB, 1988. 03 cadernos. (Legislação).

- SIMÃO, AM. Aditivos para alimentos sob o aspecto toxicológico. 2ªed.SP, Nobel, 1985.

- VARNAN, AH; EVANS, MG. Foodborne Pathogens - an ilustrated text. Mosby Year Book, St. Louis, 1991. 557p. Sites de Órgãos Oficiais para a busca de Legislação: www.saude.gov.brwww.anvisa.gov.brwww.agricultura.gov.brwww.dfasp.gov.brwww.cda.sp.gov.br

(873) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Zootecnia/ Nutrição e Alimentação Animal PROGRAMA:

1. Características do aparelho digestivo dos ruminantes

2. Microbiologia do rúmen

3. Ingestão de alimentos pelos ruminantes e sua regulação

4. Importância dos carboidratos estruturais e não estruturais para ruminantes

5. Uso de aditivos na nutrição de ruminantes

6. Eficiência da utilização das fontes de nitrogênio não proteico e da proteína na nutrição de ruminantes

7. Sistemas de avaliação de alimentos para ruminantes

8. Importância dos lipídeos e seus efeitos sobre a produção de ruminantes

9. Processamento de ingredientes e rações para ruminantes

10. Suplementos minerais para ruminantes

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BERCHELHI, TT; PIRES, VA; OLIVEIRA, GS. Nutrição de Ruminantes. Jaboticabal: FUNEP,2006.

- CHEEKE, PR; DIERENFELD, ES. Comparative animal nutrition and metabolism. CABI international, 2010, 339p.

- CUNNINGHAM, J.G. Textbook of veterinary physiology. 2 ed. Philadelphia: W.B. Saunders Company, 1997. 683p.

- LANA, RP. Nutrição e alimentação animal (mitos e realidades). Viçosa: UFV, 2005. 344p.

- MURRAY, RK; GRANNER, DK; MAYES, PA et al. Harper: bioquímica. 8 ed. São Paulo: Atheneu, 1998. 860p.

- NATIONAL RESEARCH COUNCIL (NRC). Nutrient requeriment of beef cattle. 7th. Nacional Academy of Sciences Washington, 1996.

- NATIONAL RESEARCH COUNCIL (NRC). Nutrient requeriment of dairy science. 7th. Nacional Academy of Sciences Washington, 2001.

- NATIONAL RESEARCH COUNCIL (NRC). Nutrient Requirements of Small Ruminants: Sheep, Goats, Cervids, and New World Camelids. Nacional Academy of Sciences Washington, 2007.

- POND, WG; CHURCH, DC; POND, KR; SCHOKNECHT, PA. Basic animal nutrition and feeding. 5th. WILLEY, 2005, 580p.

- VAN SOEST, PJ. Nutritional Ecology of the Ruminant, 2ª ed. E. Cornell University Press, Itacha, USA, 1994, 476 p.

(874) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Clínica e Cirurgia Animal

PROGRAMA:

1. Princípios da contenção física e química nas diferentes espécies

2. Inspeção e exame clínico em animais silvestres: aplicação, adaptação e restrições nas diferentes espécies

3. Doenças infecciosas, nutricionais e traumáticas dos animais silvestres

4. Terapêutica aplicada a animais silvestres

5. Medicina preventiva e principais zoonoses que acometem primatas e carnívoros da fauna brasileira

6. Odontologia clinica de roedores e lagomorfos

7. Abordagem do paciente crítico em aves silvestres

8. Fisiopatologia no stress e medidas mitigadoras aplicáveis a cervídeos

9. Desafios para a conservação da fauna

10. Técnicas de estudo de campo

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BRANSON, WR; HARRISON, GJ; HARRISON, LR. Avian Medicine: Principles and Application. 1aEd. Lakeworth: Wingers Publishing, 1994.

- CARPENTER, JW. Exotic Animal Formulary. 4ª Ed. St. Louis: Elsevier, 2013. 744p

- CUBAS, ZS; SILVA, JCR; CATÃO-DIAS, JL. Tratado de Animais Selvagens-Medicina Veterinária. 1aEd. São Paulo: ROCA, 2007. 1354p.

- DUARTE, JMBD. Biologia e Conservação de Cervídeos Sul-Americanos: Blastocerus, Ozotoceros e Mazama. 1aEd. Jaboticabal: FUNEP, 1997. 238 p.

- JACOBSON, E. Infectious diseases and pathology of reptiles: color atlas and text. 1ª Ed. New York:Taylor & Francis Group , 2007.716p.

- FOWLER, ME. Zoo and Wild Animal Medicine. Philadelphia: W.B. Saunders, 2006, 2003, 1999, 1993, 1986, 1978.

- HARRISON, GJ; LIGHTFOOT, TL. Clinical Avian Medicine. 1ª Ed. Florida: Spix Publishing, 2006.1008p.

Instrução Normativa IBAMA Nº 169, de 20 de fevereiro de 2008 - Normatização das categorias de uso e manejo da fauna silvestre em cativeiro em território brasileiro.

- MADER, DR. Reptile Medicine and Surgery. 1aEd. Philadelphia; W. B. Saunders, 1996. 2006p.

- RUPLEY, AE. Manual de Clinica Aviária.1ª Ed. São Paulo: Editora Roca, 1999.582p.MITCHELL, M A; TULLY JR. T Nº Manual of Exotic Pet Prectice. 1ª Ed. St. Louis: Elsevier, 2009. 546p.

- WEST, G; HEARD, DJ; CAULKETT, Nº Zoo animal and wildlife immobilization and anestesia. 1ª Ed, Blackwell Publishing, 2007, 718p.

(875) Grande Área/ Área: Ciências Agrárias/ Medicina Veterinária/ Clínica e Cirurgia Animal

PROGRAMA:

1. Doenças Infecciosas de pequenos animais

2. Doenças Parasitárias de pequenos animais

3. Hemoterapia em pequenos animais

4. Oftalmopatias de pequenos animais

5. Oncologia clínica em pequenos animais

6. Doenças de Pele e anexos cutâneos de pequenos animais

7. Doenças do Sistema cardiorrespiratório de pequenos animais

8. Doenças do Sistema digestório de pequenos animais

9. Doenças do Sistema nervoso de pequenos animais

10. Doenças do Sistema urinário de pequenos animais

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANDRADE, SF. Manual de Terapêutica Veterinária. 3ª edição. Ed. Roca. São Paulo. 2008.

- BIRCHARD & SHERDING. Manual Saunders - Clínica de Pequenos Animais. 3ª edição. Ed. Roca. São Paulo. 2008.

- BONAGURA, JD; TWEDT, DC. Kirk's Current Veterinary Therapy XIV. Elsevier Saunders. St Louis. 2009.

- ETTINGER, SJ. Tratado de Medicina Veterinária Interna. 5ª edição. Ed. Manole. São Paulo. 2004.

- GREENE, CE. Infectious Diseases Of The Dog And Cat, 4th Edition. Elsevier Saunders. St Louis. 2012.

- NELSON & COUTO. Fundamentos de Medicina Interna de Pequenos Animais. 3ª edição. Elsevier. Rio de Janeiro. 2006.

- PATERSON, S. Manual de Doenças da Pele do Cão e do Gato. 2ª edição. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro. 2008.

- NORSWORTHY, GD; GARY, D; CRYSTAL, MA; GRACE, SF; TILLEY, L. O Paciente Felino - 3ª edição Roca. São Paulo. 2009.

- SHAW, D; IHLE, S. Medicina Interna de Pequenos Animais. Artmed. Porto Alegre. 1999.

- WILLEMSE, T. Dermatologia Clínica de Cães e Gatos. 2ª edição. Ed. Manole. São Paulo. 1998.

F. FACULDADE DE ODONTOLOGIA

(876) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Odontologia/ Odontologia Social e Preventiva

PROGRAMA:

1. Tipos de Estudos Científicos;

2. Ensaios Clínicos em Odontologia;

3. Responsabilidade do Cirurgião-Dentista Frente às Leis Civis e Penais;

4. Bioética - Conceitos e Aplicações;

5. Perícias Odonto-Legais;

6. Métodos de Identificação Através das Arcadas Dentárias;

7. Doenças Ocupacionais em Odontologia;

8. Introdução ao Sistema Único de Saúde;

9. Vigilância em Saúde;

10. Promoção da Saúde E Prevenção das Doenças Bucais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BEAUCHAMP, TL; CHILDRESS, JF. Princípios de ética biomédica. Tradução: Luciana Padenzi. São Paulo:Loyola, 2002.

- CAMPANA, AO (org). Investigação científica na área médica. São Paulo: Editora Manole, 2001.

- CAMPOS, GWS; MINAYO, MCS; AKERMAN, DJM; CARVALHO, TM (org). Tratado de saúde coletiva. 2 ed. São Paulo:Hucitec; Rio de Janeiro:Ed. Fiocruz, 2006.

- ESTRELA, C. Metodologia científica - ciência, ensino e pesquisa. 2 ed. São Paulo:Artes Médicas, 2005.

- HADDAD, Nº Metodologia de estudos em ciências da saúde. Como planejar, analisar e apresentar um trabalho científico. São Paulo: Roca, 2004.

- HULLEY, S; CUMMINGS, SR; BROWNER, WS; GRADY, DG; NEWMAN, TB. Delineando a pesquisa clínica. Uma abordagem epidemiológica. 3 ed. Tradução: Michael Schimidt Duncan. Porto Alegre: Artmed, 2008.

- KRIGER, L. Promoção de saúde bucal. Paradigma, ciência, humanização. 3 ed. São Paulo:artes Médicas, 2003.

- MACAU, M. saúde bucal coletiva. Implementando ideias - concebendo integralidade. Rio de Janeiro: Ed. Rubuio, 2008.

- MEDEIROS, U. Fundamentos de Odontologia do Trabalho. São Paulo: Santos, 2011.

- MELLO, PBM (org). Odontologia do Trabalho. Uma visão multidisciplinar. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Rubio, 2006.

- NIGRE AL (org). A Odontologia à luz do Direito. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2012.

- PEREIRA, AC e cols. Odontologia em saúde coletiva. Planejando ações e promovendo saúde. Porto Alegre: Artmed, 2003.

- PESSINI L, BARCHIFONTAINE CP. Problemas atuais de Bioética. 6 ed. São Paulo:Loyola, 1995.

- PINTO, VG. Saúde bucal coletiva. 6 ed. São Paulo: Santos, 2013.

- RAMOS, DLP (editor). Fundamentos de Odontologia. Bioética e Ética Profissional. Coord: Oswaldo Crivello Júnior. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

- SIQUEIRA JE, ZOBOLI E, KIPPER DJ (org). Bioética clínica; São Paulo: Gaia Ltda, 2008.

- VIEIRA S, HOSSNE WS. Metodologia científica para a área da saúde. 5 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2001.

G. INSTITUTO DE MATEMÁTICA

(877) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática/ Geometria e Topologia

PROGRAMA:

I) Análise na Reta

1. Limite e continuidade

2. Derivadas

3. Integral de Riemann

4. Sequências e séries de funções

II) Álgebra linear

1. Espaços Vetoriais

2. Transformações Lineares

3. Diagonalização de Operadores Lineares

4. Espaços com prod. interno

III) Equações diferenciais ordinárias

1. Equações Lineares de Segunda Ordem

2. Soluções em Série para Equações Lineares de Segunda Ordem

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- LIMA, EL. Curso de Análise Vol. 1, Projeto Euclides, IMPA, Rio de Janeiro, 2006.

- LIMA, EL. Análise Real Vol. 1, Coleção Matemática Universitária, IMPA, Rio de Janeiro, 2004.

- BARTLE, RG. The Elements of Real Analysis, Second Edition, Wiley, 1976.

- BUCK, RC. Advanced Calculus, 3nd ed. New York: McGraw-Hill, 1978.

- FIGUEIREDO, DG. Análise I, LTC, Rio de Janeiro, 1996.

- COELHO, F. & LOURENÇO, ML. Um Curso de Álgebra Linear. Edusp. São Paulo. 2001.

- LIMA, E.L. Álgebra Linear. Rio de Janeiro: IMPA/SBM, 1995. (Coleção Matemática Universitária)

- CALLIOLI, CA; COSTA, RF; DOMINGUES, H. Álgebra Linear e Aplicações. Atual Editora: 1990.

- BOYCE, WE; DIPRIMA, RC. Equações Diferenciais Elementares e Problemas de Valor de Contorno, 5ª Ed., Editora Guanabara Koogan, RJ, 1993.

- ZILL, DG. Equações Diferenciais com Aplicações em Modelagem, São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

(878) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Probabilidade e Estatística/ Probabilidade e Estatística Aplicadas

PROGRAMA:

1. Teoria de probabilidades: definição, probabilidade condicional, teorema de Bayes, independência.

2. Variáveis aleatórias: definição; independência, transformações.

3. Distribuição de Probabilidades Discretas.

4. Distribuições de Probabilidades Contínuas.

5. Suficiência: estatística suficiente, estatística completa, teorema de Rao-Blackwell, teorema de Lehmann-Scheffé.

6. Teoria de máxima verossimilhança: princípio da máxima verossimilhança, Informação de Fisher e suas propriedades, invariância, eficiência, normalidade assintótica.

7. Métodos de estimação: mínimos quadrados, momentos, máxima verossimilhança, critérios para avaliação de estimadores.

8. Estimação intervalar

9. Teste de Hipótese

10. Análise de Regressão

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ASH, R. Real Analysys and Probability. Academic Press, 1972.

- BICKEL, PJ; DOKSUM, K.A. Mathematical Statistics, Holden-Day, Inc. 1977.

- CASELLA, G; BERGER, RL. Statistical Inference, 2ª ed., Wadsworth Group. 2002.

- CHUNG, KL. Probabylity. Addison-Wslesy, 3ª ed., 2001.

- JAMES, BR. Probabilidade: Um Curso em Nível Intermediário. Rio de Janeiro, MPA, Projeto Euclides, 1981.

- LEHMANN, EL; CASELLA, G. Theory of Point Estimation. Springer Verlag, 2ª ed., 1998.

- LEHMANN, EL. testing Statiscal Hypotheses. Springer Verlag, 2ª ed., 1997.

- MAGALHÃES, MN. Probabilidade e Variáveis Aleatórias, 2ª ed., São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

- MOOD, AM; GRAYBILL, FA; BOES, DC. Introduction to the Theory of Statistics, 3rd, ed., McGraw-Hill International Editions, 1974.

- SEN, PK; SINGER, JM. Large Sample Methods in Statistics: An Introduction with Applications, Chapman & Hall, 1993.

"As referências citadas acima, não esgotam os tópicos abordados no concurso".

(879) Grande Área/ Área: Multidisciplinar/ Ensino

PROGRAMA:

1. Polinômios e Funções: aspectos conceituais e práticas de ensino.

2. Limite e Continuidade: aspectos conceituais e práticas de ensino.

3. Derivada: aspectos conceituais e práticas de ensino.

4. Integral: aspectos conceituais e práticas de ensino.

5. Sequências infinitas: aspectos conceituais e práticas de ensino.

6. Dependência linear e base de um espaço vetorial: aspectos conceituais e práticas de ensino.

7. Cônicas e Quádricas: aspectos conceituais e práticas de ensino.

8. Espaço Vetorial: aspectos conceituais e práticas de ensino.

9. Transformações Lineares: aspectos conceituais e práticas de ensino.

10. Volume de sólidos - da educação básica ao ensino superior: aspectos conceituais e práticas de ensino.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- AABOE. A. Episódios da História Antiga da Matemática, Rio de Janeiro: publicação da Sociedade Brasileira de Matemática, 1982.

- ÁVILA, G. Análise Matemática para Licenciatura. São Paulo: Edgard Blücher, 2001.

- ÁVILA, GSS. Cálculo I: Funções de uma variável. Rio de Janeiro: L.T.C. Editora, 1994.

- BASSANEZI, RC. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática. 3. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2002. v. 2000. 389p

- BOULOS, P; CAMARGO, I. Geometria Analítica: um tratamento vetorial. 3 ed. São Paulo: Prentice Hall, 2005.

- BOULOS, P; OLIVEIRA, IC. Geometria Analítica. São Paulo: Ed. Mc Graw-Hill, 1987.

- CALLIOLI, C; DOMINGUES, H; COSTA, R. Álgebra linear e aplicações. São Paulo: Atual, 1989.

- D´AMBROSIO, U. Etnomatemática. Elo entre as tradições e a modernidade. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2001. v. 1. 107p .

- EVES, H. Introdução à História da Matemática - Tradução de Hygino H. Domingues - São Paulo, Editora da Unicamp, 1997.

- GUIDORIZZI, HL. Um curso de cálculo. Rio de Janeiro: L. T. C. Editora, 2001. (volume 1)

- JAHN, AP; ALLEVATO, SG (Orgs). Tecnologias e Educação Matemática: ensino, aprendizagem e formação de professores. Recife: Sbem, 2010

- BARBOSA, J; ARAUJO, JLoyola; CALDEIRA, AD (Org). Modelagem Matemática na Educação Matemática Brasileira: pesquisas e práticas educacionais. 1ed. Recife: Biblioteca do Educador Matemático, 2007, v. 03, p. 253-268.

- KNIJNIK, G; WANDERER, F; GIONGO, IM; DUARTE, CG. Etnomatemática em Movimento. Belo Horizonte: Autêntica, 2012. v. 1. 112p .

- LEITHOLD, L. Cálculo com Geometria Analítica. São Paulo: Ed. Harbra, 1994.

- LIMA, EL. Coordenadas no Espaço. Rio de Janeiro: Ed. SBM, 1993. (Coleção do Professor de Matemática)

- MEYER, JFCA; CALDEIRA, A; Malheiros, APS. Modelagem em Educação Matemática. Autêntica, 2011.

- KRULIK, S; REYS, RE. (org). A Resolução de Problemas na Matemática Escolar, Editora Atual, São Paulo, 1998.

- MOISE, EE; DOWS, FL. Geometria Moderna. São Paulo, Editora Edgard Blücher Ltda, 1976.

- ONUCHIC, LR; ALLEVATO, NSG. Novas reflexões sobre o ensino-aprendizagem de matemática através da resolução de problemas. In: Maria Aparecida Viggiani Bicudo; Marcelo de Carvalho Borba. (Org.). Educação Matemática - pesquisa em movimento. 2ed.São Paulo: Cortez, 2004, v. único, p. 213-231.

- ROQUE, T. História da Matemática: uma visão crítica, desfazendo mitos e lendas. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

- SANTOS, NM. Vetores e Matrizes: uma introdução à álgebra linear. 4 ed. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

- POLYA, G. A arte de resolver problemas. São Paulo, Editora Interciência, 1978.

- SANTOS, NM. Vetores e Matrizes. Rio de Janeiro: Ed. L. T. C, 1981.

- STEWART, J. Cálculo. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. (volume 1)

- THOMAS, GB. Cálculo. São Paulo: Pearson Editora, 2008. (volume 1)

- Periódicos da área de Educação Matemática. Parâmetros Curriculares Nacionais.

H. INSTITUTO DE QUÍMICA

(884) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Química/ Química Orgânica/ Síntese Orgânica

PROGRAMA:

1. Reações de alcenos

2. Reações de substituição e eliminação em compostos orgânicos saturados.

3. Reações de compostos aromáticos

4. Reações de compostos carbonílicos

5. Reações de substituição nucleofílica acílica

6. Reações para a formação de ligações carbono-carbono.

7. Estereoquímica de compostos orgânicos.

8. Elucidação estrutural de compostos orgânicos.

9. Intermediários reativos e efeitos estruturais na estabilidade e reatividade.

10. Teoria do Orbital Molecular

11. Análise Retrossintética

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CLAYDEN, J, GREEVES, N; WARREN, S. Organic Chemistry, 2th ed., Oxford University Press, New York, 2012.

- WADE Jr., LG. Organic Chemistry, 7th ed., Pearson Prentice Hall, Upper Saddle River, 2010.

- SOLOMONS, TWG; FRYHLE, CB. Química Orgânica - 8ª ed., volumes 1 e 2, 2004 (ou SOLOMONS, T. W. G. & FRYHLE, C. B. Organic Chemistry, 10th ed., 2011).

- Mc MURRY, J. Química Orgânica (COMBO), 7ª ed., Cengage Learning, São Paulo, 2011. - BRUICE, PY. Química Orgânica, 4ª. ed., Pearson Prentice Hall, São Paulo, 2006.

- CONSTANTINO, MG. Química Orgânica: Curso Básico Universitário, 1ª. Edição, R.J., LTC, 2008. Três Volumes (I, II e III).

- VOLLHARDT, KPC; SCHORE, NE. Química Orgânica - Estrutura e Função, 4ª ed., Porto Alegre: Bookman, 2004.

- BROWN, WH; FOOT, CS. Organic Chemistry, 2th ed.,Saunders College Publishing, Fort Worth, 1998

- SMITH, MB; MARCH, J. March's Advanced Organic Chemistry - Reactions, Mechanisms and Structure, 5th ed., Wiley, New York 2001.

- MORRISON, RT; BOYD, RND. Química Orgânica, Quimica orgânica. 13ª ed. Lisboa: Fundaçao Calouste Gulbenkian, 1996.

- SILVERSTEIN, RM, et al. Identificação Espectrométrica de Compostos Orgânicos, 7ª ed., 2007, 6ª ed., 2000. (em Inglês: Spectrometric Identification of Organic Compounds, 7th ed, 2005).

- PAVIA, DL; LAMPMAN, GL; KRIZ, GS; VYVYAN, JR. Introdução à Espectroscopia, 2010.

(947) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Química/ Química Inorgânica PROGRAMA:

1. Espectroscopia eletrônica aplicada a compostos de coordenação.

2. Química bioinorgânica.

3. Química dos elementos do grupo principal e hidrogênio.

4. Mecanismos de reações em complexos.

5. Simetria molecular.

6. Estrutura e propriedades dos sólidos simples.

7. Teorias das ligações químicas em compostos de coordenação e complexos.

8. Compostos organometálicos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- COTTON, FA; WILKINSON, G. Advanced Inorganic Chemistry: A Comprehensive Text. 5. ED. New York: Wiley, 1988.

- HUHEEY, JE; KEITER, EA; KEITER, RL. Inorganic Chemistry: Principles Of Structure And Reactivity. 4. Ed. New York: Harper Collins, 1993.

- SHRIVER E ATKINS, Química Inorgânica; 3ª Ed. Bookman 2003 Porto Alegre - Rs.

- DUPONT J. Quimica Organometálica: Elementos Do Bloco D - 2005 ED. Bookman Porto Alegre -Rs Gary L. Miesssler, Donald A. Tarr; Inorganic Chemistry; 1999 by Prenticehall, Inc. New Jersey.

- LEE JD. Química Inorgânica Não Tão Consisa, 199ª ED. Edgard Blucher Ltda São Paulo SP.

- ALAN VINCENT, Molecular Symmetry And Group Theory 2002, 2ª Edition Wiley NY. USA

- MICHAEL HOLLAS J., Modern Spectroscopy, 3ª EDITION 2002 Wiley England

- DANIEL C. HARRIS AND MICHAEL D. BERTOLUCCI, Simmetry And Spectrosopy 1989 Oxford University Press.

- ROBERT H. CRABTREE; The Organometallic Chemistry of the Transition Metals; John Wiley E Sons; 1988

- COTTON, FA; WILKINSON, G. Basic Inorganic Chemistry; 3ª ed. 1995; Wiley e Sons.

(970) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Química/ Química Orgânica/ Química dos Produtos Naturais

PROGRAMA:

1. Acidez e basicidade de compostos orgânicos.

2. Reações para a formação de ligações carbono-carbono.

3. Reações de substituição e eliminação em compostos orgânicos.

4. Estereoquímica de compostos orgânicos.

5. Reações de ácidos carboxílicos e derivados.

6. Elucidação estrutural de produtos naturais.

7. Via biossintética do acetato/malonato.

8. Biossíntese dos terpenoides.

9. Via biossintética do ácido chiquímico. Biossíntese mista. Acoplamento oxidativo.

10. Biossíntese de alcalóides.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- DEWICK, PM. Medicinal Natural Products A Biosynthetic Approach, 3ª ed., Wiley, Chichester, 2009.

- LOBO, AM. Lourenço Biossíntese de Produtos Naturais IST Press, Lisboa, 2007.

- MANN, J. Secondary Metabolism, Clarendon Press, Oxford, 1987.

- MANN, J. Chemical Aspects of Biosynthesis, Oxford Chemistry Primers, Oxford, 1994.

- TORSSELL, KBG. Natural Product Chemistry: a Mechanistic, Biosynthetic and Ecological Approach 2. ed. Strockholm: Apotekarsocieteten, Swedish Pharmaceutical Society, 1997.

- MANN, J; DAVIDSON, RS; HOBBS, JB; BANTHORPE, DV; HARBORNE, JB. Natural Products: Their Chemistry and Biological Significance, Longman, Essex, 1994.

- CLAYDEN, J; GREEVES, N; WARREN, S. Organic Chemistry, 2th ed., Oxford University Press, New York, 2012.

- WADE Jr., LG. Organic Chemistry, 7th ed., Pearson Prentice Hall, Upper Saddle River, 2010.

- SOLOMONS, TWG; FRYHLE, CB. Química Orgânica - 8ª ed., volumes 1 e 2, 2004 (ou SOLOMONS, T. W. G. & FRYHLE, C. B. Organic Chemistry, 10th ed., 2011).

- Mc MURRY, J. Química Orgânica (COMBO), 7ª ed., Cengage Learning, São Paulo, 2011.

- BRUICE, PY. Química Orgânica, 4ª. ed., Pearson Prentice Hall, São Paulo, 2006.

- CONSTANTINO, MG. Química Orgânica: Curso Básico Universitário, 1ª. Edição, R.J., LTC, 2008. Três Volumes (I, II e III).

- MORRISON, RT; BOYD, RND. Química Orgânica, Quimica orgânica. 13ª ed. Lisboa: Fundaçao Calouste Gulbenkian, 1996.

- SILVERSTEIN, RM, et al. Identificação Espectrométrica de Compostos Orgânicos, 7ª ed., 2007, 6ª ed., 2000. (em Inglês: Spectrometric Identification of Organic Compounds, 7th ed, 2005).

- PAVIA, DL; LAMPMAN, GL; KRIZ, GS; VYVYAN, JR. Introdução à Espectroscopia, 2010.

I . INSTITUTO DE FÍSICA

(948) Grande Área/ Área: Multidisciplinar/ Ensino

PROGRAMA:

1. Teorias cognitivistas de aprendizagem;

2. Representações, concepções e obstáculos epistemológicos para o ensino de conceitos físicos;

3. Uso de tecnologias de informação e comunicação no ensino de Física.

4. Avaliação da aprendizagem no ensino de Física;

5. O ensino experimental e o ensino de Física.

6. Transposição Didática.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ARAÚJO, MST de A.; ABIB, MLV dos S. Atividades experimentais no ensino de física: diferentes enfoques, diferentes finalidades. Rev. Bras. Ens. Fi s. 25(2), 2003.

- ASTOLFI, JP; DEVELAY, M. A didática das Ciências. São Paul o: Papirus, 1995.

- AUSUBEL, DP; NOVAK, JD; HANESIAN, J. Psicologia Educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

- BACHELARD, G. A formação do espírito científico. São Paul o: Contraponto Editora, 2002.

- BECKER, F. A origem do conhecimento e aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 2003.

- CHEVALLARD, Y. Estudar Matemáticas: um elo perdido entre o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2001.

- CHEVALLARD, Y. La trasposition didatique- du savoir savant au savoir ensigné. Grenoble: La pensee Sauvage Editions, 1991.

- LUCKESI, CC. Avaliação da aprendizagem na escola: reelaborando conceitos e recriando a prática. Salvador: Malabares Comunicação e Eventos, 2005, 2ª edição (revi sta), 115 páginas.

- MOREIRA, MA; MASINI, EAFS. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. Porto Alegre, 1979.

- MOREIRA, MA; LEVANDOWSKI, CE. Diferentes abordagens ao ensino de laboratório. Porto Alegre: Editora da Universidade, 1983.

- MORTIMER, EF. (1996) Construtivismo, mudança conceitual e ensino de Ciências: para onde vamos. Investigações em Ensino de Ciências, 1(1). Número especial sobre Informática no Ensino de Física da Revista Brasileira de Ensino de Física Vol. 24 nº2 Junho 2002.

- PIAGET, J. Epistemologia Genética. São Paulo: Martins Fontes Editora, 1990.

- PIAGET, J. A epistemologia genética: Sabedoria e ilusões d filosofia; Problemas de psicologia genética; traduções de Nathaniel C. Caixeiro, Zilda Abujamra Daeir, Célia E. A. Di Pietro. - São Paulo: Abril Cultural. (Os Pensadores), 1978.

- VIENNOT, L. (1979) Spontaneous reasoning in elementary dynamics. European Journal of Science Education, 2(1), 205-221.

- VILANI, A. Ideias espontâneas e ensino de Físicas. Revista Brasileira de Ensino de Física 11, 1989.

- VYGOTSKY, LS. A Formação Social da Mente - O desenvolvimento dos Processos Psicológicos Superiores. Organizadores MICHAEL COLE...|et al .|; tradução José Cipola Neto, Luis Silveira Menna Barreto, Sol ange Castro Afeche. 4.ed.; São Paulo, Editora Martins Fontes. 1991.

- VYGOTSKY, LS. Pensamento e Linguagem. [tradução Jeferson Luiz Camargo; revisão técnica José Cipolla Neto]. São Paulo, Editora Martins Fontes, 1993.

- VIENNOT, L. (1979) Spontaneous reasoning in elementary dynamics. European Journal of Science Education, 2(1), 205-221.

- VILANI, A. Ideias espontâneas e ensino de Físicas. Revista Brasileira de Ensino de Física 11, 1989.

- VYGOTSKY, LS. A Formação Social da Mente - O desenvolvimento dos Processos Psicológicos Superiores. Organizadores

- MICHAEL COLE...|et al.|; tradução José Cipola Neto, Luis Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. 4.ed.; São Paulo, Editora Martins Fontes. 1991.

- VYGOTSKY, LS. Pensamento e Linguagem. [tradução Jeferson Luiz Camargo; revisão técnica José Cipolla Neto]. São Paulo, Editora Martins Fontes, 1993.

J. CÂMPUS DO PANTANAL

(952) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos

PROGRAMA:

1. Modelo de referência OSI e TCP/IP;

2. Camada física;

3. Camada de enlace de dados: enquadramento, controle de erros e controle de fluxo;

4. Subcamada de controle de acesso ao meio;

5. Comutação de dados;

6. Algoritmos e protocolos de roteamento;

7. Controle de congestionamento;

8. Gerência e qualidade de serviço em redes;

9. Algoritmos e protocolos de multi-difusão em redes;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- TANEBAUM, AS. Redes de Computadores. Quarta edição. Campus, 2003.

- COMER DE. Interligação de redes com TCP/IP, Quinta edição. Campus, 2006.

- KUROSE, JF; ROSS, KW. Redes de computadores e a Internet: Uma abordagem. top-down. Pearson Addison Wesley, 2006.

- STALLINGS, W. Redes e Sistemas de Comunicação de Dados. Quinta edição. Campus, 2005.

(953) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Metodologia e Técnicas da Computação/ Sistemas de Informação

PROGRAMA:

1. Fundamentos e classificações de sistemas de informação.

2. Sistemas de informação gerenciais e de apoio à decisão.

3. Uso estratégico da tecnologia da informação.

4. Tecnologias propulsoras da TI nas empresas.

5. Conceitos fundamentais da interação humano-computador.

6. Ergonomia, usabilidade e acessibilidade.

7. Marketing Digital.

8. Princípios de Comércio Eletrônico.

9. Componentes técnicos para uma solução de comércio eletrônico.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CASSARRO, AC. Sistemas de Informações para tomada de decisões. 3. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2003.

- LAUDON, KC; LAUDON, JP. Sistemas de informação gerenciais. 7. ed. São Paulo: Prentice-Hall, 2007.

- O'BRIEN, JA. Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet. São Paulo: Saraiva, 2004.

- TURBAN, E; RANIER JR, RK; POTTER, RE. Administração de Tecnologia da Informação. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

- CHA, HV; BARANAUSKAS, MCC. Design e avaliação de interfaces humano-computador. São Paulo: IME-USP, 2000.

- DIX, A; FINLAY, J; ABOWD, GD; BEALE, R. Human Computer Interaction. 3. ed. Upper Saddle River: Prentice Hall, 2005.

- HARTSON, HR. Developing user interfaces: ensuring usability through product and process. New York: John Wiley, 1993.

- NIELSEN, J; LORANGER, H. Usabilidade na web. Rio de Janeiro: Campus, 2007.

- SHARP, H; ROGERS, Y; PREECE, J. Interaction design: beyond human-computer interaction. 2. ed. New York: John Wiley, 2007.

- LAUDON, K. C.; TRAVER, C. G. E-commerce: business, technology, society. 4. ed. New Jersey: Prentice-Hall, 2008.

- RAYPORT, J; JAWORSKI, B. Introduction to e-commerce. 2. ed. New York: McGraw-Hill, 2003.

- SCHNEIDER, G. Electronic commerce. 7. ed. New York: Course Technology, 2006.

(954) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física

PROGRAMA:

1. A avaliação e planejamento da Educação Física escolar.

2. Organização e seleção dos conteúdos da educação física escolar nas diferentes etapas da educação básica.

3. Relação entre Educação Física e os diferentes componentes curriculares.

4. As políticas públicas educacionais e suas repercussões no trabalho docente do professor de Educação Física.

5. Organização do trabalho pedagógico e a educação escolar.

6. Fundamentos sócio-antropológicos para o ensino de educação física escolar.

7. Fundamentos teórico-metodológicos para o ensino dos elementos da cultura corporal (esportes, danças, ginásticas, lutas, jogos) no contexto escolar.

8. Concepções, métodos e metodologias de pesquisa.

9. Produção científica em educação física.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANDRÉ, MED. O papel da Pesquisa na Formação e na Prática dos Professores. Campinas, SP: Papirus, 2001.

- ASSIS, S. Reinventando o esporte: possibilidades da prática pedagógica. Campinas: Autores Associados, 2005.

- BETTI, M. Educação física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

- BRACHT, V. Educação física & ciência: cenas de um casamento (in)feliz. Ijuí:Unijuí, 1999.

- BRACHT, V. Educação Física e Aprendizagem Social. Porto Alegre: Magister, 1992.

- DAÓLIO, J. Educação Física e o conceito de cultura. Campinas: Autores Associados, 2007.

- FENSTERSEIFER, PE; GONZÁLEZ, FJ. Educação Física Escolar: a difícil e incontornável relação teoria e prática. Motrivivencia (UFS), v. 19, p. 27-37, 2009.

- KUNZ, E. Didática da Educação Física 1. Ijuí: Unijuí, 2003.

- ____. (org). Didática da Educação Física 2. Ijuí: Ed. Unijuí, 2ª.ed, 2004.

- LUDKE, M; ANDRÉ, MEDA. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. (Temas básicos de educação e ensino).

- MAUSS, M. Técnicas Corporais. In: Sociologia e Antropologia, com uma introdução à obra de Marcel Mauss, de Claude Lévi-Strauss; Trad. Lamberto Puccinelli. São Paulo, EPU, 1974.

- OLIVEIRA, VM de. Fundamentos Pedagógicos da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1987.

- SAVIANI, D. Escola e democracia. São Paulo: Cortez; Campinas: Autores Associados, 1986. - . Educação: do senso comum à consciência filosófica. Campinas: Autores Associados, 2007.

- SAVIANI, Nº Saber escolar, currículo e didática: problemas da unidade conteúdo/método no processo pedagógico. 4ª ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

- SILVA, AM. Corpo, ciência e mercado: reflexões acerca da gestação de um novo arquétipo da felicidade, Campinas: SP: Autores Associados, 2001.

- SILVA, MR da (org). Esporte, Educação, Estado e Sociedade: as políticas públicas em foco. Chapecó: Argos, 2007.

- SILVA, MRS da. Entre a ciência e a não-ciência. Revista Movimento, Porto Alegre - RS, v. 8, nº 3, p. 73-88, 2002.

- SOARES, CL, et al. Metodologia do Ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

- SOARES, C. Imagens da educação no corpo: estudo a partir da ginástica francesa no século XIX. Campinas: Autores Associados, 2002.

- STIGGER, MP. Educação Física, Esporte e Diversidade. Campinas: Autores Associados, 2005.

- TRIVIÑOS, AN da S. (Org.); MOLINA NETO, V. (Org.) . A pesquisa qualitativa em educação física: alternativas metodológicas. Revisada e Ampliada.. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2010. 176p

- VAZ, AF; SAYÃO, DT; PINTO, FM (orgs). Educação do corpo e formação de professores: reflexões sobre a Prática de Ensino de Educação Física. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2002.

(963) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Letras/ Língua Portuguesa

PROGRAMA:

1. O papel do Estágio no curso de formação de professores em Letras.

2. A prática de ensino e o estágio obrigatório: a aproximação da realidade escolar e a prática da reflexão.

3. Leitura e prática social no desenvolvimento de competências no Ensino Médio.

4. Estágio: possibilidades de articulação entre leitura, produção de texto e análise linguística.

5. O ensino de língua materna e a formação de professores: perspectivas atuais.

6. O Estágio como pesquisa: constituição da identidade do professor pela prática de ensino.

7. Reflexões e propostas sobre planejamento e avaliação das atividades de Estágio.

8. Concepções de linguagem, língua, gramática e suas implicações no ensino de língua materna.

9. A relação fala e escrita: abordagens para o ensino da língua.

10. Linguística aplicada: oralidade e escrita, texto e discurso.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANTUNES, I. Aula de português: encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

- BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio. Brasília: Semtec, 1999.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e tecnológica. Linguagens e suas tecnologias - Parâmetros Curriculares Nacionais, Ensino Médio. Brasília: MEC, 2002.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Linguagens, códigos e suas tecnologias: orientações curriculares para o ensino médio, 1. Brasília, 2006.

- MARCUSCHI, LA. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

- MENDONÇA, M; BUNZEN, C. Português no Ensino e Médio e formação do professor. 2 ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

- PALOMANES, R; BRAVIN, AM. Práticas de Ensino do Português. São Paulo: Contexto, 2012.

- PICONEZ, SCB. (Coord.). A prática de ensino e o estágio supervisionado. 10 ed. Campinas, SP: Papirus, 1991.

- PIMENTA, SG; LIMA, MSL (Coord.). Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.

- PIMENTA, SG. O estágio na formação dos professores: unidade teoria e prática? 10 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

- POSSENTI, S. Por que (não) ensinar gramática na escola? São Paulo: Mercados das Letras, 1996.

- TRAVAGLIA, LC. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

(964) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Letras/ Literatura Brasileira

PROGRAMA:

1. O ensino de língua portuguesa e literatura: reflexões sobre os documentos oficiais para a prática pedagógica.

2. Associação entre língua e literatura no Ensino Fundamental: possibilidades pedagógicas.

3. A literatura na formação do indivíduo: conceitos e funções.

4. Formação do leitor: literatura, escola, indústria cultural.

5. Temas recorrentes na Literatura Portuguesa: o diálogo através dos séculos.

6. Aproximações e rupturas: Antero de Quental e Camilo Pessanha.

7. Caminhos da Literatura Portuguesa contemporânea: José Saramago e António Lobo Antunes.

8. Contemporaneidade brasileira: a poesia marginal.

9. A contribuição da obra de Clarice Lispector para o avanço da crítica literária brasileira.

10. Formação da Literatura Brasileira: das origens ao desenvolvimento.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABDALA JÚNIOR, B; PASCHOALIN, MA. História social da literatura portuguesa. 2ed. São Paulo: Ática, 1985.

- ARISTÓTELES. HORÁCIO. LONGINO. A poética clássica. Trad. Jaime Bruna. São Paulo: Cultrix, 1990.

- AUERBACH, E. Mimesis. Representação da realidade na literatura ocidental. São Paulo: Perspectiva, 1990.

- ÁVILA, A. O modernismo. São Paulo: Perspectiva, 1975.

- BLOOM, H. Como e por que ler. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

- BOSI, A. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, edições recentes.

- BOSI, A. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

- BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio. Brasília: Semtec, 1999.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Linguagens, códigos e suas tecnologias: orientações curriculares para o ensino médio, 1. Brasília, 2006.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e tecnológica. Linguagens e suas tecnologias - Parâmetros Curriculares Nacionais, Ensino Médio. Brasília: MEC, 2002.

- CALVINO, I. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

- CÂNDIDO, A. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 6 ed., Belo Horizonte: Ed. Itatiaia, 1981, 2 vol.

- CÂNDIDO, A, et al. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 1976.

- CÂNDIDO, A. No raiar de Clarice Lispector In: Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1970.

- CULLER, J. Introdução à Teoria Literária. São Paulo: Beca Edições, 1999.

- D'ONOFRIO, S. Literatura ocidental. São Paulo: Ática, 1997.

- ECO, U. Seis passeios pelo bosque da ficção. Trad. Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

- GOMES, ÁC. A voz itinerante. São Paulo: EDUSP, 1993.

- JOBIM, JL. (Org). Palavras da crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

- LUCAS, F. Do barroco ao moderno. São Paulo: Ática, 1987.

- LUCAS, F. Fontes literárias portuguesas. Campinas/São Paulo: Pontes/Secretaria de Estado da Cultura, 1991.

- LUKÁCS, G. Teoria do romance. São Paulo: Editora 34, 2000.

- MELO E CASTRO, EM de. As vanguardas na poesia portuguesa do séc. XX. Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1980.

- MENDONÇA, F. A literatura portuguesa no século XX. São Paulo: Cultrix, 1981

- MERQUIOR, G. A razão do poema. Rio de Janeiro: Topbooks, 1992.

- NITRINI, S. Literatura comparada. São Paulo: Edusp, 1998

- NUNES, B. O drama da linguagem: uma leitura de Clarice Lispector. 2. ed. São Paulo: editora Ática, 1995.

- PAIVA, A, et al. (Org). Democratizando a leitura: pesquisas e práticas. Belo Horizonte: Ceale/Autêntica, 2004

- PERISSÉ, G. Filosofia, Literatura, Ética: uma proposta pedagógica. São Paulo: Manole, 2004.

- REIS, C. Construção da leitura. Coimbra: INIC, 1982.

- SÁ, O. A Escritura de Clarice Lispector. 3ª edição. Petrópolis: Editora Vozes, 2000.

- SARAIVA, AJ; LOPES, Ó. História da literatura portuguesa. 15 ed. Porto: Porto Ed., 1989

- SIMÕES, JG. Historia do romance português. Tomo II, Lisboa: Estúdios Cor, 1969.

- STAIGER, E. Conceitos fundamentais da poética. Trad. Celeste Aída Galeão. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1969.

(965) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes

PROGRAMA:

1. Práticas de leitura e produção de textos: pressupostos pedagógicos.

2. Produção de texto e recepção: discurso e seus elementos na constituição dos diferentes gêneros textuais.

3. Adequação gramatical na produção do texto escrito.

4. Abordagem da fundamentação teórica do projeto de pesquisa e do trabalho acadêmico.

5. Coesão e coerência na produção do texto.

6. O processo de leitura e produção de texto como estratégia para a constituição do professor.

7. Gêneros e tipos textuais com ênfase na abordagem do texto dissertativo.

8. Abordagem dos métodos de construção: artigo científico e resenha.

9. Prática docente e avaliação do texto escrito.

10. As novas tecnologias (TICs) como instrumento pedagógico para a abordagem do texto.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANDRADE, MM; MEDEIROS, JB. Comunicação em Língua Portuguesa. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

- ARNAUT DE TOLEDO, C de A. GONZAGA, MTC (Org). Metodologia e Técnicas de Pesquisa nas Áreas de Ciências Humanas. Maringá: EDUEM, 2011.

- COSTA VAL, M da G. Redação e Textualidade. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

- FÁVERO, LL. Coesão e coerência textuais. 11 ed. São Paulo: Ática, 2007.

- FRANÇA, JL. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 7. Ed. rev. e aum. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

- GARCIA, OM. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1990.

- KLEIMAN, Â. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 5.ed. Campinas, SP: Pontes, 1997.

- MACHADO, AR (coord.). Planejar gêneros acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

- MACHADO, AR (coord.). Resenha. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

- MACHADO, AR (coord.). Resumo. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

- MARCUSCHI, LA. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

- MEDEIROS, JB. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

- SAVIOLI, FP; FIORIN, JL. Lições de texto: leitura e redação. 5.ed. São Paulo: Ática, 2006.

(966) Grande Área/ Área: Multidisciplinar/ Ensino

PROGRAMA:

Correntes teóricas e autores fundamentais da sociologia ou teoria social contemporânea. Relação indivíduo e sociedade. Possibilidades e desafios às teorias sociológicas atuais e processos em transição.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ADORNO, T. Introdução à sociologia. São Paulo: Unesp, 2008. (4ª e 5ª aulas, p. 97-128).

- ALONSO, A; GUIMARÃES, NA. "Entrevista com Charles Tilly" In:Tempo Social.Vol. 16, no 2, São Paulo, 2004. Disponível em: BALES, R. F. Algumas uniformidades de comportamento em sistemas sociais pequenos. In: RILEY, Matilda White & NELSON, Edward E.(org.) A observação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

- BECK, U; BECK-GERNSHEIM, E. La individualização: el individualismo institucionalizado y sus consecuencias sociales e políticas. Barcelona: Paidós, 2003. (capítulos 1 ao 4, p. 37-116).

- BECKER. H. "A escola de Chicago". In: Mana. Rio de Janeiro,no. 2,vol. 2. out. de 1996.

- BOLTANSKI, L. "L'espace positionnel: multiplicité des positions institutionnelles et habitus de classe". In: Revue française de sociologie. 1973, 14-1. pp. 3-26. Disponível em: http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/rfsoc_0035-2969 _1973_num_14_1_2176

- BOLTANSKI, L. "Nécessité et justification". In: Revue économique. Volume 53, nº2, 2002. pp. 275-289. Disponível em: http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/reco_0035- 2764_2002_num_53_2_410405

- BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas, SP: Papirus, 1996. (Capítulo 2 "O novo capital').

- BOURDIEU, P. O poder simbólico. RJ: Difel, 1989. (capítulo III "A gênese dos conceitos de habitus e campo' e capítulo VI "Espaço social e gênese das classes').

- CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998. (capítulo VIII "A nova questão social')

- COHEN, IJ. "Teoria da estruturação e praxis social". In: GIDDENS,Anthony. In: GIDDENS, A; TURNER, J. Teoria social hoje. São Paulo: Unesp, 1999.

- COULON, A. A escola de Chicago. Campinas, SP: Papirus, 1995.

- DUBET, F. El declive de La institución: profesiones, sujetos e indivíduos en la modernidad. Barcelona: Gedisa, 2006. (capítulo 2, Primeira Parte "La decadencia del programa institucional e Conclusión "Puede prescindirse de las instituciones?')

- ELIAS, Nº O processo civilizador. Vol. II. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993 ("Sugestões para uma teoria dos processos civilizadores")

- ELIAS, N; SCOTSON, JL. Estabelecidos e outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma comunidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

- FOOTE WHITE, W. Sociedade de esquina. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

- GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes: 1995.

- GIDDENS, A. A constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1989. (capítulo I)

- GORDON, N, et al. O comportamento visual e a distância entre participantes de interação. In: RILEY, Matilda White & NELSON, EdwardE. (org). A observação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

- HONETH, A. "Teoria crítica". In: GIDDENS, Anthony e TURNER, Jonathan. Teoria social hoje. São Paulo: Unesp, 1999.

- HABERMAS, J. Técnica e ciência como ideologia. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2009.

- JOAS, H. "Interacionismo simbólico". In: GIDDENS, Anthony e TURNER, Jonathan.Teoria social hoje.São Paulo: Unesp, 1999.

- LUHMANN, Nº Introdução à teoria dos sistemas. 2ª edição. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. - MEAD DOUGLAS, M. Como as instituições pensam. São Paulo: EDUSP, 1998.

- MERTON, RK. Social Theory and social estructure. New York: Free Press, 1965. - MILLS, WC. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1972. (capítulo 2).

- MUNCH, R. "A teoria parsonia na hoje: a busca de uma nova síntese". In: GIDDENS, Anthony e TURNER, Jonathan. Teoria social hoje. São Paulo: Unesp, 1999. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103207-02004000200012&script=sci_arttext

- PARSONS, T. A Estrutura da ação social. Petrópolis: vozes, 2010. VALLADARES, Licia Prado. "A visita do Robert Park ao Brasil, o homem marginal e a Bahia como laboratório". In: Caderno CRH. Salvador. Vol. 23, nº 5 8. jan-abr 2010.

- TILLY, C. Coerção, capital e estados europeus. São Paulo: Edusp, 1996.

- TOURRAINE, A. Um novo paradigma: para compreender o mundo de hoje. Petrópolis, RJ: Vozes.

(967) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História Antiga e Medieval PROGRAMA:

Debate analítico-interpretativo do surgimento e expansão das civilizações egípcia e mesopotâmica e do povo hebreu, na perspectiva da articulação entre seus aspectos econômicos, políticos, sociais e culturais, através do tempo.

A civilização greco-romana em seus aspectos políticos, econômicos, sociais e culturais. As principais mudanças que ocorreram nas mesmas, ao longo dos séculos IV a.C a V d.C, com a formação dos Reinos Helenísticos, na primeira, e a decadência do Império Romano do Ocidente, com o início do período medieval.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANDERSON, P. Passagens da Antiguidade ao Feudalismo. Editora brasiliense. 1987. - BLOCH, R; COUSIN, J. Roma e o seu destino. Lisboa, Cosmos, 1964.

- BULFINCH, T. O livro de ouro da mitologia. Rio de Janeiro: Ediouro, 1963.

- BURNS, EM. História da civilização ocidental. Porto Alegre: Editora Globo, 1968. - CARDOSO, CFS. Sociedades do antigo oriente próximo. São Paulo: Ática, 1986.

- CHASSOT, A. A ciência através dos tempos. São Paulo: Moderna, 1994.

- CHILDE, GV. Los origenes de la civilizacion. Mexico: Fondo de cultura económica, 1954. - COULANGES, F. A cidade Antiga. São Paulo, ed. Martins 1981.

- CROUZET, M (org). O Oriente e a Grécia Antiga: civilizações imperiais do Oriente. Col. História geral das civilizações - Tomo I, Vol. 5 (Trad. Pedro Moacyr Campos). São Paulo: Difel, 1957.

- ENGELS, F. Origem da família, da propriedade privada e do estado. Rio de Janeiro: Civiliz. Brasileira, 1975.

- FINLEY, M. Os Gregos Antigos. Ed. Edições/ 70, Lisboa, 1963.

- FUNARI, PPA; Silva, GJ; Martins, AL. "Os avanços da História Antiga no Brasil", in História Antiga, contribuições brasileiras, SP: Annablume, pp.6-9, 2008.

- FUNARI, PPA. "Guerra do Peloponeso", in: História das Guerras (Magnoli, D., org.), Editora Contexto, S.P., 2006, pp. 19-45.

- GARRAFFONI, RS; FUNARI, PPA. "Salústio e a historiografia entre os romanos",in: História e retórica - Ensaios sobre a historiografia antiga , Joly, F.D. (org), SP, Alameda Casa Editoral, 2007, pp. 65-76

- GUARINELLO, NL. Imperialismo greco-romano. São Paulo: Ática, 1987.

- LANGE, K. Pirâmides, esfinges e faraós. Belo Horizonte: Villa Rica editoras reunidas Ltda., 1991.

- MAESTRI, M. O escravismo antigo. São Paulo: Atual, 1994.

- PETIT, P. História antiga. São Paulo: Difel, 1964.

- PINSKY, J. As primeiras civilizações. São Paulo: Atual, 1994.

- PINSKY, J. 100 textos de História Antiga. São Paulo: Global, 1980.

- ROSTOVTZEFF, M. História da Grécia ed. Rio de Janeiro, Zahar 1973.

- TABOR, JD. A dinastia de Jesus: a história secreta do cristianismo. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

(969) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis

PROGRAMA:

Conteúdo Geral:

1. Contabilidade Societária; 2. Contabilidade Avançada; 3. Contabilidade e Atuária para Contadores; 4.Sistemas de Informação Contábil; 5.Contabilidade Tributária; 6. Controladoria. Conteúdo Específico:

1.1 -Avaliação e Mensuração de Ativos, Passivos e Patrimônio Líquido; 1.2- Operações com Mercadorias; 1.3 - CPCs; 1.4 - Demonstrações Contábeis Obrigatórias para S/A.

2.1 - Combinação de Negócios, Fusão, Incorporação, Cisão; 2.2-Consolidação de Demonstrações contábeis; 2.3-Avaliação de Investimentos.

3.1 - Noções de Contabilidade Atuarial; 3.2-Dinâmicas do Fundo de Pensão; 3.3- Contabilidade dos Fundos de Pensão.

4.1 - Sistemas de Informações Contábeis; 4.2- Sistema de Informação da Empresa; 4.3- Ferramentas Aplicadas ao Ambiente Informatizado.

5.1 -Normas para a Escrituração dos Livros Contábeis e Fiscais; 5.2- Critérios Fiscais e Contábeis para Avaliação dos Estoques; 5.3-Tributos Incidentes Sobre o Faturamento e o Resultado; 5.4- Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional.

6.1 - Ambiente, Empresa, Gestão e Eficácia; 6.2- Mensuração do Resultado Econômico; 6.3- Processo de Gestão e Sistema de Informações Gerenciais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CHAN, BL; SILVA, FLS; MARTINS, GA. Fundamentos da previdência complementar: da atuária à contabilidade. 2º ed. 2010. São Paulo, Atlas.

- FIPECAFI. Controladoria: Uma Abordagem da Gestão Econômica GECON. 2 ed . 2001. São Paulo. Atlas.

- FIPECAFI. Manual De Contabilidade Societária: Aplicável a todas as Sociedades de Acordo com as Normas Internacionais e do CPC. 2010. São Paulo . Atlas.

- GIL, AL; BIANCOLINO, CA.; BORGES, T.N. Sistemas de Informações Contábeis: uma abordagem gerencial. 2010. São Paulo. Saraiva.

- PEREZ JÚNIOR, JH; OLIVEIRA, LM. Contabilidade Avançada: textos e testes com as respostas. 8 ed. 2012. São Paulo. Atlas.

- PEREZ JÚNIOR, JH; OLIVEIRA, L M; GOMES, MB; CHIEREGATO, R. Manual de Contabilidade Tributária: textos e testes com as respostas. 11 ed. 2012. São Paulo. Atlas.

(986) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História da América/ História Latino-Americana

PROGRAMA:

1. As formas de organização das sociedades pré-colombianas.

2. O processo de conquista e suas interpretações.

3. Identidades nacionais e culturais na história da América Latina e dos Estados Unidos nos séculos XIX e XX.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- AZEVEDO, C; RAMINELLI, R (Orgs). História das Américas: novas perspectivas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. 304 p.

- BETHELL, L (Org). História da América Latina. América Latina Colonial. Tradução de Maria Clara Cescato. 2. Ed. Vol. I. São Paulo: EDUSP; Brasília: Fundação Alexandre Gusmão, 2012.

- BOCCARA, G. Mundos nuevos en las fronteras del Nuevo Mundo: relectura de los procesos coloniales de etnogénesis, etnificación y mestizaje en tiempos de globalización. Nuevo Mundo Mundos Nuevos [Online], Debates, posto online no dia 08 Fevereiro 2005. URL: http://nuevomundo.revues.org/426; DOI: 10.4000/nuevomundo.

- CABEZA DE VACA, AN. Naufragios y Comentarios. Edición de Roberto Ferrando. Madri-Espanha: Historia 16, 1984 [1555]. 318 p.

- CALDERÓN, JV. La Raza Cósmica: Misión de la raza iberoamericana. Notas de viajes a la América del Sur. Barcelona: Agencia Mundial de Librería, 1926.

- CANCLINI, NG. Culturas híbridas. SP: Edusp, 1999.

- CAMÍN, HÁ; MEYER, L. À sombra da Revolução Mexicana -

História Mexicana Contemporânea, 1910-1989. SP: Edusp, 2000.

- CAPELATO, MH. Multidões em cena. Campinas: Papirus, 1998

- ________ . Populismo latino-americano em discussão. In: FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história. Civilização Brasileira. 2001.

- CARDOSO, CF; BRIGNOLI, HP. História Econômica da América Latina. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983. 327 p.

- CASTAÑEDA, J. Che Guevara: a vida em vermelho. S. Paulo: Companhia das Letras

- DI FELICE, M; MUNOZ, C (orgs). A revolução invencível: cartas e comunicados: subcomandante Marcos e Exército Zapatista de Libertação Nacional. São Paulo: Boi tempo, 1998.

- FAVRE, Henri. A civilização Inca. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004. 101 p.

- FELL, Eve-Marie. "Primeras reformulaciones: del pensamiento racista AL despertar de la consciência revolucionaria" In PIZARRO, Ana (org.). América Latina: Palavra, Literatura e Cultura. Campinas: Ed. Unicamp, 1994, Vol.2. pp. 577-595.

- FERES JR, J. A história do conceito de Latin América nos Estados Unidos. Bauru-SP: Edusc.

- FREITAS NETO, JA. O Brasil e a questão da latinidade. Folha de SP, 25 de abril de 2006, p.3- A.

- FREITAS NETO, JA. A formação da nação e o vazio na narrativa argentina: ficção e civilização no século XIX. REVISTA ESBOÇOS Nº 20 - UFSC, 2008, pp.189-204. http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/esbocos/article/view/10249/9534

- GENDROP, P. A civilização Maia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005. 105 p.

- GINZBURG, C. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela inquisição. Tradução de Maria Betânia Amoroso. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 255 p.

- GUERRA, F. Identidades e independencia: la excepción americana. Disponível em: http://www.ahila.nl/publicaciones/cuadernos.html HOBSBAWM, Eric J. Nações e Nacionalismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. 229 p.

- GUEVARA, E. "Che". O Socialismo Humanista. Petrópolis: Vozes, 1989.

- HOLANDA, SB de. Monções. 3º ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989 [1945]. 326 p.

- LAS CASAS, BF. O Paraíso Destruído: A Sangrenta História da Conquista da América Espanhola, Porto Alegre: L&PM. 1991. 150 p.

- LYNCH, J. "As origens da independência da América Espanhola" In BETHELL, Leslie (org.). História da América Latina. SP: Imprensa Oficial, Edusp; Brasília-DF: Funag, 2001.

- LUCAIOLI, CP. Circulación de población en los márgenes iberoamericanos. Siglos XVI-XIX. Nuevo Mundo. Mundos Nuevos (Online), Debates, posto online no dia 29/fev./2011, consultado 02/abril/2013. URL: http://nuevomundo.revues.org/62091;DOI:10.4000/nuevomundo.62091

- PALERMO, V. Sal em las heridas: Las Malvinas em la cultura argentina contemporánea. Buenos Aires: Ed. Sudamericana.

- PRADO, MLC. "Sonhos e desilusões nas Independências Hispano-Americanas" In América Latina no século XIX - Tramas, Telas e Textos. SP: Edusp; Bauru-SP: Edusc, 1999

- PRADO, MLC. "Natureza e Identidade Nacional nas Américas" In América Latina

no século XIX - Tramas, Telas e Textos. SP: Edusp; Bauru-SP: Edusc, 1999, pp.179-216.

- QUIJADA, M. "Qué nación? Dinámicas y dicotomías de la nación en el imaginario hispanoamericano". In: GUERRA, François (coord.). Inventando la nación. México: FCE, 2003.

- RODÓ, JE. Ariel.Campinas-SP: Editora da Unicamp, 1995.

- SARMIENTO, DF. Facundo - Civilização e Barbárie. Petrópolis: Vozes, 1997.

- SARLO, B. Paisagens Imaginárias: Intelectuais, Arte e Meio de Comunicação. São Paulo: EDUSP, 2005.

- THEODORO, J. América Barroca. S. Paulo / Rio de Janeiro: Edusp / Nova Fronteira, 1992.

- TODOROV, T. A Conquista da América: A questão do Outro. São Paulo: Martins Fontes Editora Ltda., 1993. 263 p.

- VAINFAS, R. América 1492: encontro ou desencontro? Rio de Janeiro: Ao livro técnico, 1993. 84 p.

(987) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis

PROGRAMA:

Conteúdo Geral:

1. Contabilidade Empresarial, 2. Ética Profissional Contábil, 3. Demonstrações contábeis na teoria e prática, 4. Contabilidade tributária, 5. Análise das demonstrações contábeis, 6. Auditoria contábil.

Conteúdo Específico:

1.1. Operações com mercadorias: Inventário permanente e periódico, 1.2. Ativo não circulante: depreciação, amortização e exaustão, 1.3 Folha de pagamento: cálculo e contabilização, 1.4 Estrutura das demonstrações contábeis.

2.1. Ética empresarial, 2.2. O código de ética profissional do contador, 2.3. Ética, risco e chance. 2.4. Principais infrações, enquadramentos e penalidades da atividade profissional contábil.

3.1. Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), 3.2. Demonstração do Valor Adicionado (DVA), 3.3. Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) e Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), 3.4. Demonstração do Resultado Abrangente (DRA), 3.5. Notas Explicativas.

4.1. Tributos incidentes sobre o faturamento, 4.2. Tributos incidentes sobre o resultado; 4.3. Lucro real, 4.4. Lucro presumido, 4.5. Simples nacional, 4.6. Livros contábeis e fiscais.

5.1. Análise de demonstrações contábeis através de índices econômico-financeiros - aspectos gerais e principais indicadores.

6.1. Auditoria independente e controle interno - aspectos gerais e relatórios.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

IUDICÍBUS, S; MARION, JC. Contabilidade comercial. 9ª Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

RAMOS, AT, et al. Contabilidade introdutória-livro texto. 11 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LISBOA, LP (coord.) Ética geral e profissional em contabilidade. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GALLO, MF, et al. Manual de técnicas e práticas de gestão ética profissional. São Paulo: CRC SP, 2011.

IUDICÍBUS, S, et al. Manual de contabilidade societária. 2º Ed. Atlas: São Paulo, 2013.

PEREZ JÚNIOR, JH; OLIVEIRA, LM; GOMES, MB;

CHIEREGATO, R. Manual de contabilidade tributária: textos e testes com as respostas. 11 ed. 2012. São Paulo. Atlas.

ASSAF NETO, A. Estrutura e análise de balanços: Um enfoque econômico-financeiro. 10ª Ed. São Paulo, Atlas 2012.

CREPALDI, SA. Auditoria contábil: teoria e prática. 9ª ed. São Paulo: Atlas, 2013.

(988) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática/ Matemática Aplicada PROGRAMA:

1. Resolução Numérica de Equações Algébricas e Transcendentes

2. Integração Numérica

3. Probabilidade Condicional e Independência

4. Variáveis Aleatórias Discretas

5. Variáveis Aleatórias Contínuas

6. Transformações Lineares

7. Diagonalização de Operadores Lineares

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

1. Cálculo Numérico

BARROSO, L. Conceição et al. Cálculo Numérico com Aplicações. 2.Ed. São Paulo: Harbra, 1987.

CUNHA, MC. Métodos Numéricos. Campinas, São Paulo: Ed. Unicamp, 2003.

RUGGIERO, MAG; LOPES, VL da R. Cálculo Numérico: aspectos teóricos e computacionais. São Paulo: McGraw-Hill, 1997.

2. Probabilidades

COSTA NETO, PL de O; CYMBALISTA, M. Probabilidades: resumos teóricos, exercícios resolvidos, exercícios propostos. São Paulo: Editora Edgard Blücher , 1977.

FERNANDEZ, PJ. Introdução à Teoria das Probabilidades. Rio de Janeiro: LTC, 1973. MEYER, PL. Probabilidade: aplicações à Estatística. Rio de Janeiro: LTC, 1978.

MORETTIN, PA; BUSSAB, W de O. Estatística Básica. 6. Ed. São Paulo: Ed. Saraiva, 2010.

3. Álgebra Linear

BOLDRINI, JL; COSTA, SLR; FIGUEIREDO, V. L.; WETZLER, H. G. Álgebra Linear, 3. Ed. São Paulo: Ed. Harbra, 1986.

CALLIOLI, CA; COSTA, RF; DOMINGUES, H. Álgebra Linear e Aplicações. São Paulo: Atual Ed., 1990.

CARLEN, EA; CARVALHO, MC. Álgebra linear: desde o início. Rio de janeiro: LTC, 2009.

LAY, DC. Álgebra Linear e suas aplicações. 2 Ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

(995) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Geografia/ Geografia Humana

PROGRAMA:

1. Espaço, tempo e sociedade

2. Fronteira e integração latino-americana

3. Região e regionalização do Brasil

4. Formas do território brasileiro

5. Organização do espaço mundial

6. Teorias do desenvolvimento

7. Divisão e organização do trabalho

8. Globalização

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BENKO, G. Economia Espaço e Globalização na Aurora do Século XXI. São Paulo: HUCITEC, 1996.

CASTRO, IE de; GOMES, PC da C; CORRÊA, RL (Org.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo Cesar da Costa; CORRÊA, Roberto Lobato (Org.). Explorações geográficas. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

CASTRO, IE de; MIRANDA, M; EGLER, CAG (Org.). Redescobrindo o Brasil: 500 anos depois. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil/FAPERJ, 2000.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

COSTA, EA da; COSTA, GV; OLIVEIRA, MAM de (Org). Fronteiras em foco. Campo Grande: Editora da UFMS, 2011.

COSTA, WM da. Geografia Política e Geopolítica. São Paulo: HUCITEC/EDUSP, 1992.

GOMES, PC da C. A condição urbana: ensaios de geopolítica da cidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

HARVEY, Da. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 1ª ed. São Paulo: Loyola, 2009.

IANNI, O. A sociedade global. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,1996.

LENCIONI, S. Região e Geografia. São Paulo: Edusp, 2003.

MASSEY, D. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

MORAES, ACR. Bases da formação territorial do Brasil: o território colonial brasileiro no "longo" século XVI. São Paulo: HUCITEC, 2000.

PINTO, GA. A organização do trabalho no século 20: taylorismo, fordismo, toyotismo. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

RAFFESTIN, C. Por uma geografia do poder. Tradução de Maria Cecília França. São Paulo: Ática, 1993.

SACHS, I; WILHEIM, J; PINHEIRO, PS (Org). Brasil: um século de transformações. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SANTOS, M. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana nos países subdesenvolvidos. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2008.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 13. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SANTOS, M; SILVEIRA, ML. Brasil: território e sociedade no início do século XXI. 10. ed. São Paulo: Record, 2008.

SAQUET, MA. Abordagens e concepções de território. São Paulo: expressão popular, 2007.

SMITH, Nº Desenvolvimento desigual: natureza, capital e a produção do espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988.

SOJA, EW. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

STEIMAN, R; MACHADO, LO. Limites e fronteiras internacionais: uma discussão histórico-geográfica. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 2002.

STROHAECKER, TM; DAMIANI, A (Org.). Fronteiras e espaço global. Porto Alegre: AGB, 1998.

VESENTINI, JW. Geografia, natureza e sociedade. 4. ed. São Paulo: Contexto, 1997.

WETTSTEIN, G. Subdesenvolvimento e Geografia. São Paulo: Contexto, 1992.

(996) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Educação Física/ Bases Anátomo-Fisiológicas, Saúde Coletiva e Saúde Pública

PROGRAMA:

1. Estrutura e funções do aparelho locomotor, os movimentos, as alavancas e análise da motricidade humana com enfoque na atividade física e educação física escolar.

2. Bases anátomo/fisiológicas e a atividade física.

3. Fisiologia dos Sistemas Muscular, Articular e Esquelético.

4. Políticas de saúde pública, saúde coletiva e Educação Física: o professor como agente promotor da saúde.

5. Primeiros socorros e prevenção de acidentes na escola e nas atividades físicas.

6. Procedimentos de mensuração dos componentes antropométricos, metabólicos e neuromotores.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CARVALHO, SR. Saúde Coletiva e Promoção da Saúde. Hucitec.

CHARRO, MA; BACURAU, RFP; PONTES Jr, FL. Manual de Avaliação Física. São Paulo: Phorte, 2010.

DANGELO, JG; FATTINI, CA. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar. 3. ed. São Paulo: Atheneu, 2007.

ESCOBAR, AMU; VALENTE, MH; GRISI, SE. A Promoção da Saúde na Infância. São Paulo: Manole.

FARINATTI, PTV; FERREIRA, MS. Saúde, Promoção da Saúde e Educação Física: conceitos, princípios e aplicações. Rio de Janeiro: EdUERJ,2006.

FLEGEL, MJ. Primeiros socorros no esporte. São Paulo: Manole, 2002.

FORNASARI, C.A. Manual para estudo da cinesiologia.São Paulo: Manole, 2001.

FRAGA, AB; WACHS, F (Orgs) Educação física e saúde coletiva: políticas de formação e perspectivas de intervenção Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2007.

FRANKEL, VH; NORDIN, M. Biomecânica básica do sistema musculoesquelético. 3. ed. Guanabara Koogan, 2009.

GARCIA, SB. Primeiros socorros: fundamentos e práticas na comunidade, no esporte e ecoturismo. São Paulo: Atheneu, 2003.

GIANNICHI, RS. Medidas e Avaliação em Educação Física Viçosa, Imprensa Universitária, 1984.45 p.

GONCALVES, A. Conhecendo e Discutindo Saúde Coletiva e Atividade Física. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

HAFEN, BQ; KARREN, KJ; FRANDSEN, KJ. Primeiros socorros para estudantes. 7. ed. São Paulo: Manole, 2002.

HALL, S. Biomecânica Básica. 5. ed. São Paulo: Manole, 2009.

HAMILL, J; KNUTZEN, KM. Bases biomecânicas do movimento humano. São Paulo: Manole, 1999.

HOLLMANN, W; HETTINGER, T. Medicina de Esporte. São Paulo: Manole, 1989.

JARMEY, C. O Corpo em Movimento: uma abordagem concisa. São Paulo: Manole, 2008.

MATSUDO, VKR. Teste em ciências do esporte. 7. ed. São Caetano do Sul: Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul, 2005.

MONTEIRO, CA. Velhos e Novos Males da Saúde no Brasil. São Paulo: Hucitec e Nupens, 2000.

NAHAS, MV. Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida. Londrina: Midgraf, 2001.

NOVAES, JS. Manual de primeiros socorros para educação física. Rio de Janeiro: Sprint, 1994.

TASH, PJ. Cinesiologia e Anatomia Aplicada. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991.

THOMPSON, CW; FLOYD, RT. Manual de cinesiologia estrutural. São Paulo: Manole, 2003.

WALKER, B. Lesões no esporte: uma abordagem anatômica. São Paulo: Manole, 2010.

WIRHED, R. Capacidade Atlética e Anatomia do Movimento. São Paulo: Manole, 2002.

(997) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem/ Métodos e Técnicas de Ensino

PROGRAMA:

1. O campo da Didática: trajetória histórica no contexto do pensamento pedagógico no Brasil

2. A Didática e os processos de formação e profissionalização docente

3. O processo de ensinar e aprender e a relação pedagógica.

4. A construção da identidade profissional do professor.

5. A aula como forma de organização do ensino.

6. O planejamento de ensino e a organização do trabalho pedagógico.

7. O processo de avaliação de ensino e da aprendizagem na organização do trabalho docente.

8. A construção do Projeto Pedagógico e as interfaces com o trabalho do professor.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CASTRO, AD de; CARVALHO, AMP de. (Orgs). Ensinar a ensinar: Didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001.

- CAVALCANTI NETO, ALG; AQUINO, JLF. A avaliação da aprendizagem como um ato amoroso: o que o professor pratica? Educação em Revista, Belo Horizonte, vol. 25, nº 02, p. 223- 240, ago. 2009.

- COMÊNIO, JA. Didática Magna. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1976.

- CORDEIRO, J. Didática. São Paulo: Contexto, 2007.

- ESTRELA, MT. (Org.) Viver e construir a profissão docente. Porto: Porto Editora, 1997.

- ESTRELA, MT. Relação pedagógica, disciplina e indisciplina. 4.ed. Porto: Porto Editora, 2002.

- FARIAS, IMS, et al. Didática e Docência: aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livro, 2009.

- FRANCO, MARS. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012.

- FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 22.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

- FREITAS, LC. Crítica da organização do trabalho Pedagógico e da Didática. 8.ed. Campinas: Papirus, 1995.

- GASPARIN, JL. Comênio ou da arte de ensinar tudo a todos. Campinas: Papirus, .

- GASPARIN, JL. Comênio: A emergência da modernidade na educação. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

- GASPARIN, JL. Uma Didática para a Pedagogia Histórico-Crítica. São Paulo: Autores Associados, 2002.

- HOFFMANN, JML. Avaliação: mito e desafio: uma perspectiva construtivista. Porto Alegre: Mediação, 1991.

- LIBÂNEO, JC. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. 5.ed. São Paulo: Cortez, 2001.

- LIBÂNEO, JC. Didática. São Paulo: Cortez, 1992.

- LIBÂNEO, JC. Didática. 21 reimpressão. São Paulo: Cortez, 2002.

- LUCKESI, CC. O que é mesmo avaliar o ato de aprendizagem? Revista Pátio, ano 3, nº 12, 2000.

- LUCKESI, CC. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, 2003.

- MARTINS, PL. O. Didática. Curitiba: IBPEX, 2008.

- MASETTO, M. Didática: a aula como centro. 4 ed. São Paulo: FTD, 1997.

- MELO, A; URBANETZ, ST. Fundamentos de Didática. São Paulo: IBEX, 2008.

- MORAES, R. Sala de aula: que espaço é esse? 7.ed. Campinas: Papirus, 1994.

NADAL, BG; LEÃO, TJE. Avaliação do ensino e da aprendizagem. Revista Olhar de Professor, Ponta Grossa, 5 (1), p.119-127, 2002.

- NÓVOA, A (Org). Os Professores e a sua Formação. Lisboa, Dom Quixote, 1995.

- OLIVEIRA, MRNS (Org.) Didática: ruptura, compromisso e pesquisa. 4ª ed. Campinas: Papirus, 2003.

- PIMENTA, SG. Formação de professores: saberes da docência e identidade do professor. Revista da Faculdade de Educação, vol. 22, nº 2, 1996. p. 72-89.

- PIMENTA, SG; ANASTASIOU, LG. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2004.

- RIOS, T. Compreender e transformar o ensino. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2001

- SACRISTÁN, JG. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1997.

- TARDIF, M. Saberes Docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

- VEIGA, IPA (Coord.). Repensando a Didática. Campinas: Papirus, 1992.

- VEIGA, IPA (Org.). Alternativas no ensino da Didática. Campinas: Papirus, 1997.

- VEIGA, IPA (Org.). Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas: Papirus, 2008.

- VEIGA, IPA (Org.). Caminhos da profissionalização do magistério. Campinas: Papirus,

- VEIGA, IPA (Org.). Lições de Didática. Campinas: Papirus, 2006.

- VEIGA, IPA (Org.). O ensino e suas relações. Campinas: Papirus, 1996.

- VEIGA, IPA (Org.). Técnicas de Ensino: Por que não? Campinas: Papirus, 1991.

- VEIGA, IPA; CUNHA, MI. Desmistificando a profissionalização do magistério. Campinas: Papirus, 1999.

- VEIGA, IlPA. A prática pedagógica do professor de didática. 6ºed.

K. CÂMPUS DE AQUIDAUANA

(886) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática

PROGRAMA:

1. Sequências e séries de números reais.

2. Topologia na reta.

3. Limite e continuidade.

4. Derivadas.

5. Integral de Riemann.

6. Vetores: definição, operações, dependência e independência linear, bases, produtos interno, vetorial e misto.

7. Retas e planos: equações, posições relativas, ângulos e distâncias.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CAMARGO, I, BOULOS, P. Geometria Analítica: Um Tratamento Vetorial. São Paulo: Prenticehall Brasil, 2005.

- SANTOS, NM. Vetores e Matrizes. Ed Ao Livro Técnico S.A.,1972.

- LIMA, EL. Curso de Análise Vol. 1, Projeto Euclides, IMPA, Rio de Janeiro, 2006.

- LIMA, EL. Análise Real Vol. 1, Coleção Matemática Universitária, IMPA, Rio de Janeiro, 2004.

- LIMA, El. Curso de Análise Vol. 2, Projeto Euclides, IMPA, Rio de Janeiro, 1995.

- BARTLE, RG. The Elements of Real Analysis, Second Edition, Wiley, 1976.

- BUCK, RC. Advanced Calculus, 3nd ed. New York: McGraw-Hill, 1978.

- FIGUEIREDO, DG. Análise I, LTC, Rio de Janeiro, 1996.

(981) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis

PROGRAMA:

1. Noções contábeis preliminares: Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido.

2. Processo contábil.

3. Patrimônio: estrutura e variações.

4. Escrituração contábil: contabilização de estoques e de problemas contábeis diversos.

5. Demonstrações contábeis: Elaboração e estruturação.

6. Tecnologias da informação e comunicação na gestão contábil.

7. Conceitos da contabilidade de custos para avaliação de estoques.

8. Ferramentas da Contabilidade de Custos como apoio à Decisão Administrativa: margem de contribuição; custeio variável; fixação de preço de venda; relação custo, volume e lucro.

9. Introdução à contabilidade gerencial: Processo decisório; orçamentos; preço de transferência.

10. Tecnologias da informação e comunicação na gestão de custos.

- BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CHING, H. Y. Novas práticas contábeis para a gestão de negócios. São Paulo: Prentice Hall, 2005.

- FREZATTI, F. Orçamento empresarial. São Paulo: Atlas, 2006.

- GARRISON, R; NORREN, E. Contabilidade gerencial. Rio de Janeiro: LTC editora, 2001.

- HORNGREN, C. Contabilidade de custos. Rio de Janeiro: Prentice Hall, 2004.

- IUDICIBUS, S. de (Coord.). Contabilidade introdutória. 9. ed. São Paulo: Atlas, 1998. -

- NAGATSUKA, D. A. da S.; TELES, Egberto Lucena. Manual de Contabilidade Introdutória. Ed. Thomson Learning. 2002.

- MAHER, M. Contabilidade de custos. São Paulo: Atlas, 2001. MARTINS, E. Contabilidade de custos. Rio de Janeiro: Atlas, 2006.

- PADOVEZE, C. L. Controladoria Básica. Ed. Thomson Learning. 2004.

- MARION, J. C.; IUDICIBUS, S. Curso de contabilidade para não contadores - texto. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

- MARTINS, E. Contabilidade de custos. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

- PADOVEZE, C. L. Introdução à Contabilidade. Ed. Thomson Learning. 2005.

- REEVE, James M.; FESS, Philip. Contabilidade Gerencial. Ed. Thomson Learning. 2001.

(982) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Economia

PROGRAMA:

1. Comportamento do Consumidor

2. Produção e Custos de Produção

3. Estrutura de Mercado e Estratégia Competitiva

4. Teoria dos jogos e estratégia competitiva.

5. Economia do Setor Publico.

6. Princípio da Demanda Efetiva em Keynes e Kalecki.

7. Modelo IS-LM para economia aberta

8. Mercado de Trabalho e a curva de Phillips.

9. Inflação, atividade econômica.

10. Teorias de Desenvolvimento Econômico.

11. O pensamento econômico brasileiro de 1930 a 1980.

12. A política econômica brasileira de 1980 a 2010.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABREU, MP. A ordem do progresso: 100 anos de política econômica na república. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1989.

- ARIDA, P; LARA REZENDE, A. Inflação inercial e reforma monetária in Arida, P. (ed.) Inflação zero: Brasil, Argentina e Israel. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

- BARROS, JRM; GOLDENSTEIN, L. "Economia competitiva, solução para a vulnerabilidade", in VELLOSO, JR. (org.), op. cit., 1998.

- BLANCHARD, O. Macroeconomia. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

- CASTRO, AB; LESSA, C. Introdução à economia. 37. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2005.

MANKIW, NG. Introdução à economia - tradução da 3ª ed. norte-americana. São Paulo: Thomson Pioneira, 2004.

- DORNBUSCH, R; FISHER, S. Macroeconomia. Rio de Janeiro: Mc Graw Hill Interamericana do Brasil Ltda, 2003.

- MANKIW, NG. Macroeconomia, terceira edição, Rio de Janeiro, LTC, 1998.

- PINDYCK, RS.; RUBINFELD, Daniel L. Microeconomia. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006-2009

- PINHO, DB; VASCONCELLOS; MAS (Org). Manual de economia. 4 ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

- VASCONCELLOS, M.A.S.; GREMAUD, A.; TONETO JR., R. Economia brasileira contemporanea. Saraiva. 2004.

L . CÂMPUS DE TRÊS LAGOAS

(889) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público

PROGRAMA:

1. Teoria jurídica do delito: Conceito e espécies de bem jurídico, conceitos de delito, diferenças entre ilícito penal e não-penal;

2. Teoria jurídica do delito: Iter Criminis, concurso de pessoas, concurso de delitos,

3. Teorias da ação: causais, finalista, social e normativistas;

4. Estrutura conceitual do delito: Da tipicidade, da ilicitude e da culpabilidade, da relação de causalidade, teorias de imputação objetiva do resultado, tipicidade conglobante;

5. Teoria jurídica da pena: fins da pena, das penas e das medidas de segurança;

6. Princípios constitucionais processuais penais;

7. Procedimento comum no processo penal brasileiro;

8. Medidas cautelares no processo penal brasileiro;

9. Provas no processo penal brasileiro;

10. Recursos e ações de impugnação no processo penal brasileiro.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BITENCOURT, CR. Tratado de direito penal. São Paulo: Saraiva;

- BRANDÃO, C. Curso de direito penal. Rio de Janeiro: Forense;

- CARVALHO, ÉM de; PRADO, LR. Teorias da imputação objetiva do resultado: uma aproximação crítica a seus fundamentos. São Paulo: RT;

- FERNANDES, AS. Processo penal constitucional. São Paulo: RT;

- GRACIA MARTÍN, L. O horizonte do finalismo e o direito penal do inimigo. Tradução por Luiz Regis Prado e Érika Mendes de Carvalho. São Paulo: RT;

- GRINOVER, AP. A marcha do processo. Rio de Janeiro: Forense Universitária;

- LOPES JUNIOR. A. Direito processual penal e sua conformidade constitucional. São Paulo: Saraiva;

- MACHADO, AA. Curso de processo penal. São Paulo: Atlas;

- PRADO, G. Sistema acusatório: a conformidade constitucional das leis processuais penais. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris;

- PRADO, LR. Curso de direito penal brasileiro. São Paulo, RT;

- TOLEDO, F de A. Princípios básicos de direito penal. São Paulo: Saraiva;

- TOURINHO FILHO, F da C. Manual de processo penal. São Paulo: Saraiva;

(890) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Matemática

PROGRAMA:

1. Espaços Vetoriais.

2. Transformações Lineares.

3. Espaço Vetorial com produto interno.

4. Grupos e Subgrupos.

5. Anéis e Corpos.

6. Ideais em um Anel Comutativo.

7. Topologia na Reta Real.

8. Limite e continuidade de Funções de uma variável real.

9. Integração de funções de uma variável real.

10. Estudo de Reta e Plano: Equações, Interseção, Posição Relativa, Perpendicularidade e Ortogonalidade de Retas e Planos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- COELHO, FU, Lourenço, ML. Um curso de Álgebra Linear ed, usp 2005.

- BOLDRINI, JL; COSTA, SIR; FIGEIREDO, VL; WETZLER, HG. Álgebra linear. 3ª ed. Harbra. 1986.

- LIMA, EL. Álgebra linear. 7ª ed. IMPA. 2006.

- DOMINGUES, HH; IEZZI, G. Álgebra Moderna. Atual Editora, São Paulo, 1982.

- GARCIA, A; LEQUAIN, Y. Elementos de Álgebra. Projeto Euclides: IMPA. Rio de Janeiro, 2002.

- GONÇALVES, A. Introdução à Álgebra. Projeto Euclides: IMPA. Rio de Janeiro, 1999.

- HERSTEIN, I. Tópicos de Álgebra. Editora Polígono, São Paulo 1970.

- ÁVILA, G. Introdução à Análise Matemática. Edgard Blücher, 1995.

- LIMA, EL. Curso de Análise. Vol. 1. 2ª Ed. IMPA. 2007.

- FIGUEIREDO, DG. Análise I. 2ª Ed., LTC, 1996.

- CAMARGO, I; BOULOS, P. Geometria Analítica: um tratamento vetorial. 3º Ed. Prentice Hall. São Paulo. 2006.

(891) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem/ Métodos e Técnicas de Ensino

PROGRAMA:

1. O ensino e a aprendizagem de Geografia nos anos iniciais: conteúdos, objetivos e metodologias

2. Ensino de História: caracterização da área, importância social e inter-relações com outras áreas

3. O papel da mediação no processo ensino / aprendizagem

4. Aprendizagem e Desenvolvimento da criança de zero a cinco anos

5. Múltiplas linguagens na Educação da infância

6. Jogos, brinquedos e brincadeiras na educação da infância de zero a dez anos

7. Natureza e sociedade na Educação Infantil

8. A criança da Educação Infantil e o ambiente social

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BITTENCOURT, C, et al. O saber histórico na sala de aula.Editora contexto, 2009.

- BITTENCOURT, C. Ensino de História: fundamentos e métodos. Cortez, 2009. Coleção Docência em formação.

- BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto/Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.

- BRITTO, FR; SILVA, RMG. (Re)significando o ensino de Ciências e Geografia nas séries iniciais: uma proposta de ensino com enfoque globalizado. 28ª Reunião Anual da - ANPEd. Caxambu, 2005. Minas Gerais: 85-86392-15-4. 1 CD-Rom.

- CASTROGIOVANNI, AC. Geografia em sala de aula. Rio Grande do Sul: Editora da UFGRS, 2003.

- FARIA, ALG; MELLO, SA (orgs). Linguagens infantis: outras formas de leitura. Campinas: Autores Associados, 2005.

- KISHIMOTO, TM. O jogo, brinquedo e brincadeira e a Educação. São Paulo: Editora Cortez, 2007.

- OLIVEIRA, AP de M. O ensino de História nos primeiros ciclos do ensino fundamental: breves considerações. In: Revista de Pedagogia, nº 6. Brasília: UnB, 2002.

- OLIVEIRA, ZMR. Educação Infantil: Muitos olhares. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2000.

- OLIVEIRA, ZMR. Educação Infantil: Fundamentos e Métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

- POZO, JI. A solução de problemas: aprender a resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- PUGAS, MC de S; RAMOS, APB. Saberes escolares no ensino de História. 32ª Reunião Anual da ANPEd. Caxambu, 2009. Minas Gerais: 85-86392-15-4. 1 CD-Rom.

- STRAFORINI, R. Ensinar Geografia: o desafio da totalidade-mundo nas séries iniciais. São Paulo: Annablume, 2004.

- VYGOTSKY, LS; LURIA, AR; LEONTIEV, AN. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11 ed. São Paulo: Ícone, 2010

- VYGOTSKY, LS. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

- ZABALA, A. Como trabalhar os conteúdos procedimentais em aula. Porto Alegre: Artmed, 1999.

(892) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História

PROGRAMA:

1. Noções e conceitos históricos na escolaridade básica: tempo e durações, periodização, memória, consciência histórica, conceitos substantivos e de segunda ordem.

2. A indissociabilidade da pesquisa e do ensino em História na formação do professor de História.

3. Metodologia do trabalho com fontes da cultura material, escrita, audiovisual e iconográfica: sua aplicação no ensino de história.

4. Ensino de História, diversidade e alteridade: perspectivas de investigação e suas implicações na prática docente.

5. O livro didático de História: suas múltiplas dimensões de pesquisa e uso pedagógico.

6. Novas tecnologias e ensino de História: o uso dos recursos multimídia.

7. Tipologia de conteúdos no ensino de História.

8. Tendências historiográficas e ensino de História: relações entre saber histórico escolar e produção historiográfica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BITTENCOURT, CMF (org) O saber histórico na sala de aula. Contexto, 1988.

- . Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004.

- BLOCH, M. Apologia da História ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

- BURKE, P (Org) A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: Unesp, 1992.

- FONSECA, SG. Didática e prática de ensino de História. Campinas-SP: Papirus, 2003.

- FONSECA, TN de Lima e. História & ensino de História. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. (História & reflexões).

- FREIRE, P. Ação Cultural para a liberdade e outros estudos. 8ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

- ______________ . Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 17 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

- KARNAL, L. História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2005.

- OLIVEIRA, MMD de; CAINELLI, MR; OLIVEIRA, AFB de (Orgs). Ensino de História: múltiplos ensinos em múltiplos espaços. EDFURN, 2008.

- RÜSEN, J. História Viva. Brasília: EdUNB, 2007.

- SCHMIDT, MA; CAINELLI, M. Ensinar História. São Paulo: Scipione, 2004.

- SILVA, AA. Estrutura e funcionamento do ensino: usos e sentidos dos conceitos. Pro-Posições, v.14, nº 3(42) - set./dez. 2003.

- URBAN, AC. Didática da História: contribuições para a formação de professores. Curitiba: Juruá, 2010.

(893) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público/ Direito Constitucional

PROGRAMA:

1. Teoria da constituição e constitucionalismo;

2. Hermenêutica constitucional;

3. Eficácia das normas constitucionais;

4. Direitos e garantias fundamentais: conceito e características dos direitos fundamentais, direitos fundamentais previstos na Constituição brasileira de 1988, colisão de direitos fundamentais;

5. Remédios constitucionais;

6. Direitos sociais individuais e coletivos;

7. Cidadania e direitos políticos: democracia, plebiscito, referendo e direitos políticos;

8. Estudo da organização do Estado: sua forma e sistema de governo, divisão espacial do poder: União, Estados, Municípios e Distrito Federal, intervenção federal, divisão orgânica do poder: Executivo, Legislativo e Judiciário;

9. Estudo do controle de constitucionalidade: espécies de inconstitucionalidade, momentos de controle, sistemas e vias de controle judicial: difuso, concentrado, ações diretas de inconstitucionalidade, ação declaratória de constitucionalidade, arguição de descumprimento de preceito fundamental;

10. A constituição e sua classificação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BASTOS, CR. Curso de direito constitucional. São Paulo: Celso Bastos;

- BONAVIDES, P. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros;

- CANOTILHO, JJ. Gomes. Direito constitucional e teoria da constituição. Coimbra: Almedina;

- MENDES, GF; COELHO, IM; BRANCO, PGG. Curso de direito constitucional. São Paulo: Saraiva;

- SARLET, IW. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988, Porto Alegre: Livraria do Advogado;

- SILVA, JA da. Curso de direito constitucional positivo. São Paulo: Malheiros;

- SILVA, PNN da. Curso de direito constitucional. Rio de Janeiro: Forense;

- TAVARES, AR. Curso de direito constitucional. São Paulo: Saraiva.

(894) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Linguística/ Teoria e Análise Linguística

PROGRAMA:

1. Concepções de língua e gramática: teoria e ensino;

2. Ensino dos processos morfológicos e sintáticos da Língua Portuguesa;

3. PCN e novas tecnologias no ensino de Língua Portuguesa;

4. Aspectos da coesão e da coerência textuais e o ensino da Língua Portuguesa;

5. As contribuições das noções de língua, texto e discurso para a produção e leitura de texto;

6. Mecanismos lexicais de produção do sentido;

7. As relações entre texto e gramática;

8. A interface sintaxe, semântica e pragmática;

9. Relações gramaticais: morfologia e sintaxe no português brasileiro e europeu;

10. Variação linguística na língua portuguesa: teoria e ensino de língua;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BRASIL, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999. 4v.

- BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parâmetros em ação, Ensino Médio: Linguagens, Códigos e suas tecnologias/Secretaria de Educação Média e Tecnológica. MEC/SEMTEC, 2001.

- BRASIL. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

- CAMACHO, RG. Da linguística formal à linguística social. São Paulo: Parábola, 2013.

- GUIMARÃES, E. Texto e argumentação. Um estudo das conjunções do português. São Paulo: Pontes, 2007.

- JUBRAN, CCAS; KOCH, IGV. Gramática do português culto falado no Brasil. Construção do texto falado. Vol I. Campinas: Editora da Unicamp, 2006.

- KOCH, IV. Argumentação e Linguagem. Cortez: São Paulo, 1984.

- ______ . A coerência textual. São Paulo: Contexto, 1993.

- ______ . A coesão textual. São Paulo: Contexto, 1997.

- ______ . Desvendando os segredos do texto. São Paulo. Cortez, 2002.

- LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. São Paulo: Parábola, 2008.

- NEVES, MHM. Texto e gramática. São Paulo: Contexto, 2007.

- _______ . A gramática passada a limpo. São Paulo: Parábola, 2012.

- ________ . Ensino de língua e vivência de linguagem. Temas em confronto. São Paulo: Contexto, 2010.

- GONÇALVES, CAV. 2011. Iniciação aos estudos morfológicos: flexão e derivação em português. São Paulo: Ed. Contexto.

- GRIMSHAW, J. Words and Structure. Stanford: University of Chicago Press, 2005. - GIVÓN, T. Compreendendo a Gramática. Rio de Janeiro: Editora da UFRN, 2011.

- _____. Syntax: A Functional-Typological Introduction. New York: John Benjamins Publishers, Vol. 1, 1984.

- _____. Syntax: A Functional-Typological Introduction. New York: John Benjamins Publishers, Vol. 2, 1984.

- PAYNE, TE. 1997. Describing Morphosyntax. Cambridge: Cambridge University Press.

- KATAMBA, F; Stonham, J. 2006 [1993]. Morphology. New York: Palgrave MacMillan.

- ROJO, RHR (Org). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo, SP: Parábola Editorial, 2013.

- _______ . HR; MOURA, E (Org). Multiletramentos na Escola. São Paulo, SP: Parábola Editorial, 2012.

- TRAVAGLIA, LC. Gramática e Interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus. São Paulo: Cortez, 2002.

- VAN VALIN, R. Exploring the Syntax-Semantics Interface. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

(895) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público/ Direito Processual Civil

PROGRAMA:

1. A nova feição da atividade jurisdicional e o direito processual: simbiose entre o processo e a Constituição, processo e direitos fundamentais;

2. Ação: Conceito, teorias da ação, elementos da ação, condições da ação, classificação das ações, concurso e cumulação das ações;

3. Da prova: conceito de prova, objeto da prova, meios de prova, ônus da prova, momento da prova, presunções, indícios e máximas de experiência, a apreciação ou valoração da prova, natureza jurídica das normas relativas à prova. Tendências contemporâneas acerca da prova e do ônus da prova: teoria da carga dinâmica da prova;

4. Da sentença: conceito e requisitos da sentença, das emendas à sentença: erros materiais, dos efeitos da sentença, da liquidação de sentença, do cumprimento de sentença;

5. Dos títulos executivos, da responsabilidade patrimonial e liquidação de sentença, das diversas espécies de execução;

6. Princípios gerais do direito processual civil;

7. Do Procedimento ordinário e sumário;

8. Precedentes Judiciais;

9. Recursos às instâncias superiores (Recursos Extraordinários): considerações gerais e recursos em espécie;

10. Recursos ordinários: considerações gerais e recursos em espécie.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALVIM, A. Manual de direito processual civil. São Paulo: RT;

- ARAÚJO CINTRA, AC; GRINOVER, AP; DINAMARCO, CR. Teoria geral do processo. São Paulo: Malheiros Editores;

- BUENO, CS. Curso sistematizado de direito processual civil. São Paulo: Saraiva;

- DIDIER JR., F. Curso de direito processual civil. Salvador, Editora Podivm;

- DINAMARCO, CR. A instrumentalidade do processo. São Paulo: Malheiros Editores;

- GRECO, V. Direito processual civil brasileiro. São Paulo: Saraiva;

- MARINONI, LG; ARENHART, SC. Manual do processo de conhecimento. São Paulo: RT;

- NEGRÃO, T. Código de processo civil e legislação processual em vigor. São Paulo: Saraiva;

- SANTOS, MA. Primeiras linhas de direito processual civil, revista e atualizada por Aricê Moacir Amaral Santos. São Paulo: Saraiva;

- THEODORO JUNIOR, H. Curso de Direito Processual Civil, Rio de Janeiro, Forense.

(915) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Farmacologia/ Farmacologia Clínica

PROGRAMA:

1. Farmacologia da dor e dos antiinflamatórios não esteroidais e corticosteróides.

2. Farmacologia clínica do sistema cardiovascular.

3. Farmacologia clínica dos antibióticos.

4. Farmacologia clínica dos diuréticos, nefrotoxicidade e drogas para o tratamento da insuficiência renal.

5. Uso de drogas na gestação e amamentação.

6. Interações medicamentosas.

7. Farmacologia clínica dos mecanismos de ação e uso dos hormônios.

8. Hepatotoxicidade e uso de drogas na insuficiência hepática.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- FUCHS, FC; WANNMACHER, L. Farmacologia Clínica: Fundamentos da Terapêutica Racional, 3ª Ed., Ed. Guanabara-Koogan, RJ, 2004.

- BARSANULFO, EP. Rim e Drogas: Manual baseado em princípios farmacocineticos. Robe Editorial, São Paulo, 1988.

- GILIES, HC, et al.: Farmacologia Clínica, 2ª ed., ed. Guanabara-Koogan, RJ, 1991.

- GOODMAN & GILMAN. As Bases farmacológicas da Terapêutica. 12ª ed., McGraw Hill, Rio de Janeiro, 2012.

- KATZUNG, BG. Farmacologia Básica e Clinica. 10ª ed., McGraw Hill: Rio de Janeiro; 2010.

- RANG, HP; DALE, MM; RITTER, JM; MOORE, PK. Farmacologia. 7ª ed., Elsevier: Rio de Janeiro; 2012.

- SILVA, P. Farmacologia. 8ª. Ed., Guanabara Koogan: Rio de Janeiro; 2010.

(916) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Morfologia

PROGRAMA:

1. Morfofisiologia do sistema cardiovascular.

2. Morfofisiologia do sistema respiratório.

3. Morfofisiologia do Sistema nervoso central.

4. Morfofisiologia do aparelho locomotor.

5. Morfofisiologia do sistema endócrino.

6. Morfofisiologia do aparelho reprodutor masculino.

7. Morfofisiologia do aparelho reprodutor feminino.

8. Morfofisiologia do sistema digestório.

9. Morfofisiologia do sistema urinário.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- GUYTON, AC; HALL, JE. Tratado de fisiologia medica. 12.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

- JUNQUEIRA, LC; CARNEIRO, J. Histologia Básica, 12.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

- MACHADO, A. Neuroanatomia funcional. Livraria Atheneu, 2ª. Edição. São Paulo, 2002.

- PAULSEN, F; WASCHKE, J. Sobotta Atlas de anatomia humana. 23.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

- ROHEN, JW; YOKOCHI, C; LÜTJEN-DRECOLL, E. Anatomia humana: atlas fotográfico de anatomia sistêmica e regional. 7. ed. São Paulo: Monole, 2010.

- STANDRING, SG Anatomia. 40.ed. São Paulo: Elsevier, 2010.

DRAKE, RL.; VOGL, Wayne; MITCHELL, Adam W. M. Gray's anatomia para estudantes. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

- FATTINI, CA; DANGELO, JG. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar. 3.ed. Ed., Atheneu, São Paulo, 2007.

- GENESER F. Histologia. Guanabara Koogan, 3ª edição, 2003.

- MARTINI, F; TIMMONS, MJ.; TALLITSCH, Robert B. Anatomia humana. Porto Alegre: Artmed, 2009.

- MOORE, KL; DALLEY, AF; AGUR, AMF. Anatomia Orientada Para a Clinica. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

- LEVY, MN, KOEPPEN, BM, STANTON, BA. Berne e Levy: Fundamentos de Fisiologia. 4. ed. São Paulo: Elsevier, 2006.

- COSTANZO, LS. Fisiologia. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

- TORTORA, J; NIELSEN, M. Princípios de anatomia humana. 12.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

(918) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Medicina

PROGRAMA:

1. Atenção primária à saúde e a estratégia saúde da família.

2. Redes assistenciais em saúde.

3. Medicina de família e comunidade: origem e princípios.

4. Ética e bioética na saúde da família.

5. Política nacional de práticas integrativas e complementares.

6. Diretrizes nacionais de vigilância em saúde no contexto da estratégia saúde da família.

7. Política nacional de humanização.

8. Sistemas e modelos de atenção à saúde.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALMEIDA FILHO, N; ROUQUAYROL, MZ. Introdução à epidemiologia moderna. Belo Horizonte: coopmed, 1992.

- ANDRADE, LOM. SUS passo a passo: normas, gestão e financiamento. São Paulo: Hucitec, 2001.

- BRASIL. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1998.

- BRASIL. Decreto-Lei nº 7508, de 7 de abril de 1998. Regulamenta a Lei Nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, v.123, p.1-3, 29 jun. 2011. Seção 1, pt1.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 110 p.: il. - (Série E. Legislação em Saúde). Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf. DALLARI, Sueli G. A saúde do brasileiro. São Paulo: Moderna, 1987.

- LIMA, D. História da medicina: um guia prático e bem humorado. Rio de Janeiro: MEDSI, 2003.

- LIMA. NT, et al. (orgs.). Saúde e democracia: historia e perspectivas do SUS. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

- GIOVANELLA, L; ESCOREL, S; LOBATO, LVC; NORONHA, JC; CARVALHO, AI. Políticas e Sistema de Saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2008.

- PAIM, JS. Que é o SUS? Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2009. SOARES, Márcio de Sousa. Médicos e mezinheiros na Corte Imperial: uma herança colonial. Hist. cienc. saude-Manguinhos [online]. 2001, vol.8, nº 2, pp. 407-438. Disponível em: n2/a06v08n2.pdf" target="_blank"http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v8n2/a06v08n2.pdf.

- COOPMED, 1998. CANESQUI, AM. Ciências Sociais e saúde para o ensino medico. São Paulo: Hucitec, 2000.

- COHN, A; ELIAS, PE. Saúde no Brasil: políticas e organização de serviços. São Paulo: Cortez, 1996.

- DALLARI, SG. A saúde do brasileiro. São Paulo: Moderna, 1997.

(923) Grande Área/ Área: Ciências da Saúde/ Enfermagem

PROGRAMA:

1. Atenção primária à saúde e a estratégia saúde da família.

2. Redes assistenciais em saúde.

3. Organização do Sistema de Saúde brasileiro: Princípios do Sistema Único de Saúde

4. Ética e bioética na saúde da família.

5. Ferramentas metodológicas para o trabalho individual, familiar e coletivo: genograma, ecomapa e Escala de Coelho

6. Diretrizes nacionais de vigilância em saúde no contexto da estratégia saúde da família.

7. Política nacional de humanização.

8. Sistemas e modelos de atenção à saúde.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALMEIDA FILHO, N; ROUQUAYROL, MZ. Introdução à epidemiologia moderna. Belo Horizonte: coopmed, 1992.

- ANDRADE, LOM. SUS passo a passo: normas, gestão e financiamento. São Paulo: Hucitec, 2001.

- BRASIL. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1998.

- BRASIL. Decreto-Lei nº 7508, de 7 de abril de 1998. Regulamenta a Lei Nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, v.123, p.1-3, 29 jun. 2011. Seção 1, pt1.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 110 p.: il. - (Série E. Legislação em Saúde). Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf. DALLARI, Sueli G. A saúde do brasileiro. São Paulo: Moderna, 1987.

- LIMA, D. História da medicina: um guia prático e bem humorado. Rio de Janeiro: MEDSI, 2003.

- LIMA. NT, et al. (orgs). Saúde e democracia: historia e perspectivas do SUS. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

- GIOVANELLA, L; ESCOREL, S; LOBATO, LVC; NORONHA, JC; CARVALHO, AI. Políticas e Sistema de Saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2008.

- PAIM, JS. Que é o SUS? Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2009.

SOARES, Márcio de Sousa. Médicos e mezinheiros na Corte Imperial: uma herança colonial. Hist. cienc.saude-Manguinhos [online]. 2001, vol.8, nº 2, pp. 407-438. Disponível em: n2/a06v08n2.pdf" target="_blank"http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v8n2/a06v08n2.pdf.

- COOPMED, 1998. CANESQUI, AM. Ciências Sociais e saúde para o ensino medico. São Paulo: Hucitec, 2000.

- COHN, A; ELIAS, PE. Saúde no Brasil: políticas e organização de serviços. São Paulo: Cortez, 1996.

- DALLARI, SG. A saúde do brasileiro. São Paulo: Moderna, 1997.

(924) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Linguística/ Linguística Aplicada

PROGRAMA:

1. A Linguística Aplicada e seu arcabouço teórico.

2. As Políticas Linguísticas e principais articuladores.

3. Estratégias de leitura: a formação do leitor e a perspectiva discursiva.

4. Reflexões sobre o estudo da gramática nas escolas.

5. Principais concepções do ensino/ aprendizagem da escrita.

6. Planejamento linguístico para servir a grupos minoritários e um planejamento local visando à diversidade linguística.

7. A heterogeneidade e a materialidade linguística.

8. Descompasso existente entre as políticas linguísticas expedidas pelo MEC e o ensino de línguas nas escolas públicas.

9. Educação bilíngue: aspectos sociais e históricos.

10. O uso do Livro didático e o ensino de línguas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BRASIL, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

- BRASIL, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999. 4v.

- CALVET, LJ. As Políticas Linguísticas. São Paulo: Parábola, 2007.

- CORACINI, MJF (org). Identidade e Discurso. Campinas: Editora da UNICAMP e Argos Universitária, 2003.

- ______________ (org). O jogo discursivo na aula de leitura: língua materna e língua estrangeira. Campinas-SP: Pontes, 1995.

- _______ (org). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. São Paulo: Pontes, 1999.

- KLEIMAN, AB; CAVALCANTI, MC (Orgs) Linguística Aplicada: suas faces e interfaces. Campinas: Mercado de Letras, 2007.

- LEFFA, VJ. A linguística aplicada e o seu compromisso com a sociedade. In: Anais do VI congresso Brasileiro de Linguística Aplicada, 2001.

- MATO GROSSO DO SUL (Estado) Referencial Curricular da Educação Básica da Rede Estadual de Ensino/MS. Campo Grande:SED/MS, [2007].

- MOITA LOPES, LP. Identidades fragmentadas. A construção discursiva de raça, gênero e sexualidade em sala de aula. Campinas: Mercado das Letras, 2002.

- NAVARRO-BARBOSA, PL. (org). Estudos do texto e do discurso. Mapeando conceitos e métodos. São Carlos: Claraluz, 2006.

- ORLANDI, EP. (org). História das Ideias Linguísticas: Construção do Saber Metalinguístico e Constituição da Língua Nacional. Campinas/Cáceres: Pontes/Unemat, 2001.

- POSSENTI, S. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

- RAJAGOPALAN, K. Por uma Linguística Crítica. Revista Línguas & Letras v. 8, nº 14 1º sem. 2007, Cascavel: UNIOESTE, p. 13-20 (Dossiê: Refletindo sobre pesquisas em Linguística).

- RUIZ, ED. Como corrigir redações na escola: uma proposta textual interativa. São Paulo: Contexto, 2010.

- SKLIAR, C. Pedagogia (improvável) da diferença. E se o outro não estivesse aí?. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

- UYENO, EY; CAVALLARI, JS. Bilinguismos: subjetivação e identificações nas/pelas línguas maternas e estrangeiras. Campinas: Pontes, 2011.

(934) Grande Área/ Área: Linguística, Letras e Artes/ Letras/ Línguas Estrangeiras Modernas

PROGRAMA:

1. Procesos fonológicos del Español como Lengua Extranjera y su enseñanza

2. Procesos morfológicos del Español como Lengua Extranjera y su enseñanza

3. Procesos sintáticos del Español como Lengua Extranjera y su enseñanza

4. Expresiones idiomáticas, frases hechas, refranes y modismos

5. PCNs y práticas de enseñanza de lengua extranjera

6. El uso de las nuevas tecnologías en la enseñanza del Español como Lengua Extranjera

7. Modalidades fonéticas (español peninsular e hispanoamericano)

8. Español como lengua extranjera (LE)/ Segunda lengua (L2): adquisición/aprendizaje

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BRASIL, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

- BRASIL, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

- BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999.

- BUITRAGO JIMÉNEZ, A. Diccionario de dichos y frases hechas. 4. ed. Madrid: Espasa, 1997.

- LOBATO, JS; GARGALLO, IS (eds). Vademécum para la formación de profesores. Madrid: SGEL, 2005.

- MOITA LOPES, LP. Oficina de linguística aplicada: a natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1996.

- REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Gramática Descriptiva de la Lengua Española. 3. Vol. Madrid: Espasa, 1999.

- RICHARD, R. Diccionario de Hispanoamericanismos no recogidos por la Real Academia. 3. ed. Madrid: Cátedra, 2006.

- RICHARDS, JC; RODGERS, TS. Approaches and Methods in Language Teaching. Cambridge: CUP, 2001.

- ROJO, R (org). A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. São Paulo: EDUC; Campinas-SP: Mercado de Letras, 2000. Município

(936) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Direito/ Direito Público

PROGRAMA:

1. Princípios da administração pública e regime jurídico administrativo;

2. Organização da administração publica: Administração indireta, terceiro setor, serviços públicos;

3. Ato administrativo;

4. Licitação e contrato administrativo;

5. Servidor público;

6. Sistema constitucional tributário e princípios tributários;

7. Competência tributária, imunidades, limitações ao poder de tributar;

8. Legislação tributária: vigência, interpretação, aplicação, métodos de interpretação, e métodos de integração;

9. Tributos em espécie e obrigação tributária, sujeição passiva indireta ou responsabilidade no CTN;

10. Crédito tributário, extinção do crédito tributário, exclusão, isenção, anistia, processo tributário.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALEXANDRINO, M; PAULO, V. Direito administrativo. Niterói: Impetus;

- ATALIBA, G. Hipótese de incidência tributária. São Paulo: Malheiros;

- AVILA, H. Sistema constitucional tributário. São Paulo: Saraiva;

- BALEEIRO, A. Direito tributário brasileiro. Rio de Janeiro: Forense;

- BANDEIRA DE MELLO, CA. Curso de direito administrativo. São Paulo: Malheiros

- CARRAZA, RA. Direito constitucional tributário. São Paulo: Malheiros;

- DI PIETRO, MSZ. Direito administrativo. São Paulo: Atlas;

- GASPARINI, D. Direito administrativo. São Paulo: Saraiva;

- ICHIHARA, Y. Direito tributário. São Paulo: Atlas;

- JUSTEN FILHO, M. Curso de direito administrativo. São Paulo: Saraiva;

- MACHADO, H de B. Curso de direito tributário. São Paulo: Malheiros;

- MEIRELLES, HL. Direito administrativo brasileiro. São Paulo: Malheiros Editores;

- SABBAG, E. Manual do direito tributário. São Paulo: Saraiva;

(937) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Administração de Setores Específicos

PROGRAMA:

1. Evolução do pensamento administrativo;

2. Pensamento administrativo: temas fundamentais;

3. Tecnologia da Informação e gestão estratégica da informação;

4. Sistema de Informação Gerencial;

5. Tecnologias da comunicação: o processo comunicativo e a comunicação nas organizações;

6. Gestão do conhecimento: inovação e competitividade;

7. Gestão de serviços: temas fundamentais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABREU, AB. Novas reflexões sobre a evolução da teoria administrativa: os quatro momentos cruciais no desenvolvimento da teoria organizacional. Revista de Administração Pública, v. 16, nº 4, out/dez 1982, p.39-52.

- BEAL, A. Gestão estratégica da informação: como transformar a informação e a tecnologia da informação em fatores de crescimento e de alto desempenho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2004.

- ESCRIVÃO FILHO, E; PERUSSI FILHO, S. Teorias de administração: introdução ao estudo do trabalho do administrador. São Paulo: Saraiva, 2010.

- FADUL, A (org). Novas tecnologias de comunicação: impactos políticos, culturais e socioeconômicos. São Paulo: Summus, 1986.

- GIANESI, IGN; CORRÊA, HL. Administração estratégica de serviços: operações para a satisfação do cli-ente. 17. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

- JOHNSTON, R; CLARK, G. Administração de operações de serviço. São Paulo: Atlas, 2002.

- LACOMBE, F; HEILBORN, G. Administração: princípios e tendências. São Paulo: Saraiva, 2003.

- LAUDON, KC; LAUDON, JP. Sistemas de informação gerenciais: administrando a empresa digital. 5.ed. São Paulo: Prentice-LTC, 1999.

- MEDEIROS, JB. Comunicação empresarial. São Paulo: Atlas, 2009.

- STAIR, RM. Princípios de sistemas de informação: uma abordagem gerencial. 2.ed. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

- STEWART, TA. Capital intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. RJ: Campus, 1998.

- TERRA, JCC. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial. RJ: Elsevier, 2005.

(938) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Administração de Setores Específicos

PROGRAMA:

1. Custos empresariais;

2. Formação de preços;

3. Análise de investimentos;

4. Mercado de capitais;

5. Planejamento, desenvolvimento e avaliação de projetos;

6. Governança Corporativa;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ADRIANA, A; ROSSETTI, JP. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. SP: Atlas, 2012.

- ANDREZO, AF; LIMA, IS. Mercado financeiro. Aspectos históricos e conceituais. São Paulo: FIPECAPI, 2005.

- CAVALCANTI, F; MISUMI, JY; RUDGE, LF. Mercado de capitais. O que é, como funciona. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

- COGAN, S. Custos e formação de preços: análise e prática. SP: Atla, 1999.

- GITMAN, LJ. Princípios em administração financeira. São Paulo: Harbra, 1997.

- MARTINS, E. Contabilidade de custos. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

- MAXIMIANO, ACA Administração de Projetos: como transformar idéias em resultados. 2ª. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

- MENEZES, LCM. Gestão de projetos. São Paulo: Atlas, 2007.

- OLIVEIRA, DPR. Governança corporativa na prática. SP: Atlas, 2006.

- SANTOS, JJ. Análise de custos. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

- SOUZA, LE; KULPA, L; DUBOIS, A. Gestão de custos e formação de preços: conceitos, modelos e instrumentos. SP: Atlas, 2009.

(939) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Administração de Setores Específicos

PROGRAMA:

1. Microeconomia: temas fundamentais;

2. Macroeconomia: temas fundamentais;

3. Comércio exterior e economia internacional: teorias e sistemáticas;

4. Agronegócio: gestão de cadeias produtivas;

5. Organizações do terceiro setor: natureza, criação e gestão;

6. Formação do Estado moderno, regime de governo, pensamento político contemporâneo;

7. Sociologia: temas fundamentais nas organizações empresariais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- COELHO, SCT. Terceiro setor: Um estudo comparado entre Brasil e Estados Unidos. 3 ed. São Paulo: Senac, 2005.

- DIAS, R. Ciência política. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2013.

- DIAS, R. Sociologia das organizações. São Paulo: Atlas, 2012.

- FARIAS NETO, PS. Ciência política: Enfoque integral avançado. São Paulo: Atlas, 2011.

- FONTES, R, et al. Economia: um enfoque básico e simplificado. São Paulo: Atlas, 2010.

- GREMAUD, AP, et al. Manual de introdução à economia. São Paulo: Editora Saraiva. 2008.

- MAIA, JM. Economia internacional e comércio exterior. 15 ed. São Paulo: Atlas, 2013.

- MANKIW, NG. Introdução à Economia: Princípios de Micro e Macroeconomia. 2 ed. Rio de Janeiro: Editora Campus, 2008.

- OLIVEIRA, SL. Sociologia das organizações: uma análise do homem e das empresas no ambiente competitivo. São Paulo: Editora Cengage Learning, 1999.

- PASSOS, CRM; NOGAMI, O. Princípios de Economia. 6 ed. São Paulo: Editora Cengage Learning, 2012.

- QUEIROZ, TR, ZUIN, LFS. Agronegócios: Gestão e inovação. São Paulo: Editora Saraiva. 2008.

- TACHIZAWA, T. Organizações não governamentais e terceiro setor: Criação de ONGs e estratégias de atuação. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2013.

(955) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação

PROGRAMA:

1. Complexidade Computacional e Classes de Problemas. Heurísticas e Aproximações;

2. Algoritmos e Estruturas de Dados;

3. Processamento de Cadeias;

4. Técnicas de Projeto de Algoritmos: Divisão e Conquista, Método Guloso e Programação Dinâmica;

5. Teoria dos Grafos;

6. Linguagens Formais e Autômatos;

7. Matemática Discreta;

8. Lógica e Álgebra de Boole;

9. Probabilidade e Estatística.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CORMEN, LEISERSON, RIVEST & STEIN, Introduction to Algorithms, 3ª ed., MIT Press, 2009.

- SZWARCFITER, JL; MARKENZON, L. Estruturas de Dados e seus Algoritmos, 3ª ed., LTC,2010.

- FEOFILOFF, P. Algoritmos em Linguagem C, 1ª ed., Câmpus-Elsevier, 2009.

- ZIVIANI, Nº Projeto de algoritmos com implementações em Java e C++,Thomson Learning, 2007.

- KLEINBERG & TARDOS, Algorithm Design, Pearson, 2006.

- SEDGEWICK. Algorithms in C, 3ª ed ,Addison-Wesley,1998.

- TERADA. Desenvolvimento de Algoritmos e Estruturas de dados, Makron Books, 1991.

- GUSFIELD, D. Algorithms on strings trees and sequences., Cambridge University Press, 1997.

- DASGUPTA, S; PAPADIMITRIOU, CH; VAZIRANI, U. Algorithms., McGraw-Hill Companies, 2006.

- GROSS, JL; YELLEN, J. Graph Theory and Its Applications. 2. ed. , Chapman & Hall/CRC, 2005.

- BONDY, A; MURTY, USR. Graph Theory. New York: Springer, 2008.

- WILSON, RJ. Introduction to Graph Theory. 4. ed. Boston: Addison-Wesley, 1996.

- BOLLOBAS, B. Modern Graph Theory. (corrected edition), New York: Springer, 2002.

- HOPCROFT, JE; ULLMAN, JD.; MOTWANI R. Introdução à teoria de autômatos, linguagens e computação. 1. ed. Rio de Janeiro: Câmpus, 2002.

- RAMOS, MVM; NETO, JJ; VEGA, IS. Linguagens Formais: Teoria, Modelagem e Implementação. 1 ed. Bookman, 2010.

- LEWIS, HR.; PAPADIMITRIOU, CH. Elements of the theory of computation. 2. ed. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1997.

- ABE, J. M.; SCALZITTI, A.; SILVA FILHO, J. I. Introdução à lógica para a Ciência da Computação. 2. ed. São Paulo: Arte e Ciência, 2002.

- DAGHIAN, J. Lógica e álgebra de boole. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1995.

- GERSTING, JL. Fundamentos matemáticos para a ciência da computação. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1993.

- ROSEN, KH. Matemática discreta e suas aplicações. 6. ed. São Paulo: Mc. Graw-Hill, 2009.

- GRASSMANN, WK.; TREMBLAY, J. Logic and discrete mathematics - a Computer Science perspective. 1. ed. Upper Saddle River: Prentice-Hall, Inc., 1996.

- STANAT, DF; McALLISTER, DF. Discrete mathematics in computer science. Upper Saddle River: Prentice-Hall, 1977.

- MAGALHÃES, MN.; LIMA, ACP. Noções de Probabilidade e Estatística. 6. ed. São Paulo: Edusp, 2007.

- MORETTIN, PA.; BUSSAB, WO. Estatística básica. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

- WALPOLE, RE; MYERS, RH; MYERS, SL; YE, K. Probabilidade e Estatística: para engenharia e ciências. 8. ed. São Paulo: Pearson-Prentice Hall, 2009.

M. CÂMPUS DE PARANAÍBA

(880) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Psicologia/ Tratamento e Prevenção Psicológica/ Intervenção Terapêutica

PROGRAMA:

1. Fundamentos Filosóficos da Terapia Analítico-Comportamental

2. Processos Comportamentais Básicos da Terapia Analítico-Comportamental

3. Comportamento Verbal e Terapia Analítico-Comportamental

4. Terapia Analítico-Comportamental e Relação Terapêutica

5. O Processo de Avaliação Comportamental na Clínica

6. Terapia Analítico-Comportamental de crianças e adolescentes: psicoterapia infantil e intervenções com família e escola.

7. Terapia Analítico-Comportamental com adultos: intervenções individuais e grupais.

8. Terapia Analítico-Comportamental e Psicopatologia.

9. Terapia Analítico-Comportamental e Práticas Baseadas em Evidências.

10. Métodos de Pesquisa na Terapia Analítico-Comportamental.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABREU, CN de; GUILHARDI, HJ (2004) Terapia comportamental e cognitivo comportamental. Práticas Clínicas. São Paulo: Rocca.

- ABREU-RODRIGUES, J; RIBEIRO, MR (2005) Análise do Comportamento: Pesquisa, teoria e aplicação. Porto Alegre: Artmed.

- BAUM, WM (1999) Compreendendo o Behaviorismo: ciência, comportamento e cultura. Porto Alegre: Artmed.

- BORGES, NB; CASSAS, FA (2012) Clínica analítico-comportamental. Aspectos teóricos e práticos. São Paulo: Artmed.

- CHIESA, M (1999) Behaviorismo radical: a filosofia e a ciência. Goiânia: UCG.

- FERSTER, CB; CULBERTSON, S; BOREN, MCP (1982) Princípios do comportamento. São Paulo: Hucitec.

- KOHLENBERG, RJ; TSAI, M (2001) Psicoterapia Analítica Funcional - FAP: criando relações terapêuticas intensas e curativas. Santo André: ESETec.

- MELNIK, T; ATALLAH, AN (2011) Psicologia baseada em evidências. Provas científicas da efetividade da psicoterapia. São Paulo: Santos.

- SKINNER, BF (1991) Questões recentes em análise comportamental. (Trad. Anita Liberalesso Néri). Campinas, Papirus. (Trabalho original publicado em 1989).

SKINNER, BF. (2000). Ciência e comportamento humano. (Trad. João Carlos Todorov e Rodolfo Azzi). São Paulo, Martins Fontes (Trabalho original publicado em 1953).

TOURINHO, EZ; LUNA, SV de (2010) Análise do Comportamento. Investigações históricas, conceituais e aplicadas. São Paulo: Rocca.

(881) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Psicologia/ Tratamento e Prevenção Psicológica/ Intervenção Terapêutica

PROGRAMA:

1. Histórica da psicanálise; caracterização das diferentes escolas de psicanálise; as abordagens psicodinâmicas.

2. A estrutura e o funcionamento do psiquismo; a formação da personalidade.

3. Trauma e desamparo; as pulsões do Id, as funções do Ego e as exigências do Superego.

4. Complexo de Édipo e Complexo de Castração - definições e relações entre os complexos.

5. Narcisismo; vínculos; relações de objeto.

6. Psicopatologia psicanalítica: neurose, psicose e perversão; neurose obsessiva, histeria, fobia; esquizofrenia e paranóia; depressão, pacientes somatizadores, pacientes borderlines.

7. Entrevistas Iniciais - características; encaminhamentos; contrato; setting (enquadre); resistência; reação terapêutica negativa; transferência e contratransferência; atuações (actings); interpretação, elaboração e insight; a problematização da noção de cura em psicanálise e nas abordagens psicodinâmicas.

8. Psicanálise e psicoterapias psicodinâmicas individual e de grupo - caracterização, semelhanças e diferenças.

9. Psicanálise e abordagens psicodinâmicas em contextos institucionais de saúde.

10. Comprometimento ético e político da psicanálise e das abordagens psicodinâmicas em diferentes contextos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CORDIOLI, AV. Psicoterapias: abordagens atuais. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- EIZIRIK CL; AGUIAR, RW; SCHESTATSKY, SS (Org) Psicoterapia de orientação analítica: fundamentos teóricos e clínicos. Porto Alegre: Artes Médicas. 2005.

- FENICHEL, O. Teoria psicanalítica das neuroses: fundamentos e bases da doutrina psicanalítica. São Paulo: Atheneu, 2005.

- FREUD, S. Obras completas: Edição Standart Brasileira. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

- GARCIA-ROZA, LA. Introdução à Metapsicologia Freudiana. v. III. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

- GROTJAHN, M. A arte e a técnica da terapia analítica de grupo. Rio de Janeiro: Imago, 1983;

- JERUSALINSKY, A. Psicanálise e desenvolvimento infantil. São Paulo: Artes e ofícios, 2003.

- KLEIN, M. A psicanálise da criança. Porto Alegre: Artes Médicas.

- LACAN, J. Escritos, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.

- LAPLANCHE, J; PONTALIS, JB. Vocabulário de Psicanálise. São Paulo: Martins Fontes, 1975.

- MENINGER, KA; HOLZMAN, PS. Teoria da técnica psicanalítica: Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

- MORENO JL. Psicoterapia de grupo e psicodrama. São Paulo: Mestre Jou, 1974.

- NASIO, JD. Introdução às obras de Freud: Ferenczi, Groddeck, Klein, Winnicott, Lacan. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

- ROMARO, RA. Psicoterapia dinâmica com pacientes boderlines. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

- ROUDINESCO, E; PLON, M. Dicionário de Psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

(882) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Psicologia/ Fundamentos e Medidas da Psicologia/ História, Teorias e Sistemas em Psicologia

PROGRAMA:

1. Psicodiagnóstico: histórico, conceitos básicos, métodos e técnicas de avaliação Psicológica.

2. Psicodiagnóstico: bases conceituais e definição do processo de avaliação psicológica em diferentes contextos.

3. Psicodiagnóstico e o uso de técnicas de avaliação psicológica em pesquisa.

4. Psicodiagnóstico, a devolução de resultados e a elaboração de documentos escritos.

5. Técnicas diagnósticas em psicologia: limites, contribuições e implicações éticas.

6. Análise crítica dos testes e de outros instrumentos de diagnóstico e avaliação psicológica.

7. A psicopatologia como área do conhecimento: histórico e delimitação do campo teórico.

8. Psicopatologia e farmacologia na formação do psicólogo.

9. A formação do Psicólogo e o papel da Psicologia na Reforma Psiquiátrica Brasileira.

10. Manuais e compêndios de Psicopatologia: histórico e análise crítica

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- AMARANTE, P. Psiquiatria Social e Reforma Psiquiátrica. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1994.

- ANASTASI, A. Testes psicológicos. São Paulo: EPU, 1977.

- ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE PSIQUIATRIA. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. São Paulo: Artes Médicas, 1995.

- BERGERET, J. Psicopatologia clínica: teoria e clínica. Porto Alegre: Artmed, 2006.

- BISSERET, Nº A ideologia das aptidões naturais. In: DURAND, J.C.G. (org.) Educação e hegemonia de classe - as funções ideológicas da escola. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. pp. 30-67.

- CASTEL, R. A Ordem Psiquiátrica - A idade de Ouro do Alienismo. Rio de janeiro: Graal, 1978.

- CUNHA, JC. Psicodiagnóstico - V. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

- CODIOLI, AV, et al (2005). Psicofarmacos. Consulta rápida. Porto Alegre. Artmed.

- DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

- FOUCAULT, M. História da Loucura na idade clássica. São Paulo: Presença, 1978.

- MARCELLI, D; COHEN, D. Infância e psicopatologia. Porto Alegre: Artmed, 2007.

- OCAMPO, MLS; ARZENO, ME; PICCOLO, et al. O Processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

- ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados a saúde - CID 10. Porto Alegre: Artmed, 1993.

- PASQUALI, L. (Org) Técnicas de exame psicológico. São Paulo: Casa do Psicólogo/Conselho Federal de Psicologia, 2001.

- PASSOS, ICF. Reforma Psiquiátrica - as experiências francesa e italiana. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009.

- PATTO, MHS. Para uma crítica da razão psicométrica. in: PATTO, M.H.S. Mutações do cativeiro - escritos de Psicologia Política. São Paulo: Edusp, 2000. pp. 65-83.

- PATTO, MHS. De gestores e cães de guarda: sobre psicologia e violência. Temas psicol., 2009, vol.17, no.2, p.405-415.

(984) Grande Área/ Área: Ciências Biológicas/ Genética/ Genética Humana e Médica

PROGRAMA:

1. Anatomia e fisiologia do sistema nervoso central;

2. Fisiologia como base para o comportamento humano;

3. Conceitos fundamentais da Genética;

4. Genética das doenças transmissíveis e degenerativas;

5. Síndromes genética;

6. Origens etológicas do comportamento humano e sua relação com a cultura;

7. Teoria da evolução e comportamento humano;

8. Princípios de psicofarmacologia;

9. Psicofarmacologia das doenças mentais;

10. Aspectos inatos e aprendidos do comportamento humano.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BORGES - OSÓRIO, MR Genética humana. 2. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2001.

- BRANDÃO, ML Psicofisiologia. São Paulo: Atheneu, 1991.

- CARVALHO, AMA Etologia e comportamento social. In: SOUZA, Lidio; Freitas , M. F. Q; Rodrigues, MMP Psicologia: reflexões (im) pertinentes. São Paulo: Casa do psicólogo. 1998.

- CARVALHO, AMA O lugar do biológico na psicologia: o ponto de vista da etologia. São Paulo. Biotemas, 2 (2): 81 - 92, 1989. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/biotemas/article/view/23121/20928.

- DÂNGELO, JG; FATTINI, CA Anatomia humana sistêmica e segmentar. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2002.

- DARWIN, C. A expressão das emoções no homem e nos animais. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

- DEL-CLARO, K; PREZOTO, F As distintas faces do comportamento animal. São Paulo: SBEt, 2003.

- GRAEFF, FG Drogas psicotrópicas e os seus modos de ação. 2 . ed. São Paulo: EPU, 1989.

- MCGAUGH, JL; WEINBERGER, NM; WHALEN, RE (Orgs) Psicobiologia: as bases biológicas do comportamento. São Paulo: EDUSP/Polígono, 1973.

- MOTTA, PA Genética humana aplicada a psicologia e toda a área biomédica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2000.

- PESSOA, OF; OTTO, PG Genética humana. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

- THOMPSON, MW; MCINNES, RR; WILLARD, HF Genética médica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1992.

(985) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação

PROGRAMA:

1. Sociologia, cultura e sociedade

2. Organização social como objeto da sociologia

3. Modo de produção como base da vida social

4. Antropologia: conceito, origem, histórico, divisões e escolas

5. Etnocentrismo e relativismo cultural

6. Poder e classes sociais

7. Ética, política e cidadania

8. Planejamento e avaliação da aprendizagem

9. Tendências pedagógicas e práticas escolares

10. O mito e o surgimento da filosofia

11. Características do pensamento filosófico

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALMEIDA, CA. A Cabeça do Brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2007.

- BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.

- CHAUI, M. Convite à Filosofia. 8. ed. São Paulo: Ática, 2000.

- GADOTTI, M. Histórias das Idéias Pedagógicas. 8. ed. São Paulo: 2001.

- GISLENE, AS (org) Universidade, Formação, cidadania. São Paulo: Cortez, 2011.

- LIBÂNEO, JC. Organização e Gestão da Escola: Teoria e prática. 5. ed. Goiânia, 2004.

- MATTAR, J. Filosofia e Ética Administração. São Paulo: Saraiva, 2004.

- NOGUEIRA, MA. Em defesa da política. São Paulo: Senac, 2001.

- RIOS, TA. Compreender e Ensinar: Por uma docência da melhor qualidade. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

- RIOS, TA. Ética e Competência. 14. ed. São Paulo: Cortez, 1993.

- VEIGA, IPA. (Org.) Projeto Político-Pedagógico da Escola: uma construção possível. 24. ed. Campinas: Papirus, 2008.

- VILA NOVA, S. Introdução à Sociologia. São Paulo: Atlas, 1991.

N. CAMPUS DE NOVA ANDRADINA

(883) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História do Brasil

PROGRAMA:

1. A Primeira República.

2. A República Velha: o novo como oposição

3. A Revolução de 30.

4. O papel da imigração, o processo de industrialização e a economia cafeeira.

5. Coronelismo, revoltas rurais e religiosidade no mundo agrário.

6. Controle social e reformas urbanas.

7. A classe trabalhadora, contestação política e movimento operário.

8. Prestes e a Revolução.

9. Política e Liberalismo no Brasil

10. Cultura popular no Brasil.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABREU, M. O império do divino. Festas religiosas e cultura popular no Rio de Janeiro, 1830- 1900. Rio de Janeiro; São Paulo: Nova Fronteira/FAPESP, 1999.

- ALBUQUERQUE, M. Pequena história da formação social brasileira. 3. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

- ANDRADE, MC de. A Revolução de 30. Da República Velha ao Estado Novo.Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

- ANDREWS, GR. Negros e brancos em São Paulo 1888-1988. Bauru: EDUSC, 1998.

- BARROS, LOC; Octávio Brandão. Centenário de um militante na memória do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Ed. da UERJ/APERJ, 1996.

- BASBAUM, L. História sincera da República. De 1889 a 1930. 5. ed. São Paulo: Alfa-Ômega, 1986.

- BASBAUM, L. Uma vida em seis tempos (memórias). Uma visão da história política brasileira dos últimos quarenta anos. São Paulo: Alfa-Ômega, 1976.

- BASTOS, A. Prestes e a revolução social. 2.ed. São Paulo: Hucitec, 1986.

- BATALHA, CHM. "Identidade da classe operária no Brasil (1880-1920): atipicidade ou legitimidade". Revista Brasileira de História - Política e cultura.

- BAUER, C. Contribuição para a história dos trabalhadores brasileiros. A hegemonia vermelha. São Paulo: Pulsar, 1995.

- BEIGUELMAN, P. Os companheiros de São Paulo. 2.ed. São Paulo: Global, 1981.

- BRUM, A. O desenvolvimento econômico brasileiro. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

- CAPELATO, MH. Os arautos do liberalismo. Imprensa Paulista 1920-1945. São Paulo: Brasiliense, 1989.

- CARONE, E. A República Velha. Instituições e classe sociais (1889-1930). 4.ed. São Paulo: Difel, 1978.

- CARONE, E. Revoluções do Brasil Contemporâneo. 3.ed. São Paulo: Difel, 1977.

- CARVALHO, JM de. A formação das almas. O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1990.

- CARVALHO, JM de. Os bestializados. O Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Cia. das Letras, 1987.

- CHALHOUB, S; PEREIRA, LA de M. (Orgs.). A história contada. Capítulos de história social e literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

- CHALHOUB, S. Trabalho, lar & botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro na belle époque. 2. ed. Campinas: Unicamp, 2001.

- DECCA, Edgar de. 1930: o silêncio dos vencidos. 5ª ed. São Paulo, Brasiliense.

- DRUMMOND, JA. O movimento tenentista. A intervenção política dos oficiais jovens (1922- 1935). Rio de Janeiro: Graal, 1986.

- FAUSTO, B. A revolução de 1930. Historiografia e história. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 1979.

- FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: USP, 1995.

- GOMES, Â de C. Burguesia e trabalho. Política e legislação social no Brasil 1917-1937. Rio de Janeiro: Campus, 1979.

- HARDMAN, FF. Nem pátria, nem patrão. (Vida operária e cultura anarquista no Brasil). 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1984.

- SAES, D. Classe média e sistema político no Brasil. São Paulo: T. A, Queiroz, 1985.

(959) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/Administração/Ciências Contábeis

PROGRAMA:

1. Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido

2. Balanço Patrimonial

3. Custeio por Absorção

4. Demonstrações Contábeis

5. Demonstração do Resultado do Exercício

6. Análise Custo-Volume-Lucro

7. Custeio Variável

8. Regime de Competência

9. Receitas, Custos, Despesas, Perdas e Ganhos

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALMEIDA, MC. Contabilidade intermediária. 3 ed.,São Paulo: Atlas, 2010.

- ATKINSON, AA; BANKER, RD; KAPLAN, SR; YOUNG, SM. Contabilidade Gerencial. São Paulo: Atlas, 2000. Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC. Disponível em:

- EQUIPE DE PROFESSORES DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA USP. Contabilidade Introdutória. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

- GARRISON, R; NORREN, E. Contabilidade gerencial. Rio de Janeiro: LTC editora, 2001.

- HENDRIKSEN, ES; BREDA, MF. Van. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 1999

- IUDÍCIBUS, S de. Teoria da Contabilidade. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2004.

- MARION, JC; IUDICIBUS, S. Curso de contabilidade para não contadores. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

- MARTINS, E. Contabilidade de custos. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2003. PADOVESE, Clovis Luis.

- MANUAL DE CONTABILIDADE BÁSICA: Contabilidade Introdutória e Intermediária - Texto e Exercícios. 7 ed., São Paulo: Atlas, 2009.

(960) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis

PROGRAMA:

Contabilidade Tributária e Contabilidade Societária.

1. Simples Nacional

2. Lucro Presumido

3. Lucro Real

4. Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC

5. Ativos e Passivos Contingentes

6. Consolidação das Demonstrações Contábeis

7. Comparação Valor Presente Líquido (VPL) X Taxa Interna de Retorno (TIR)

8. Estrutura e Custo de Capital

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BRASIL. Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006.

- BRIGHAM, EF; EHRHARDT, MC. Administração financeira - teoria e prática. São Paulo:Thomson, 2006.

- GARRISON, R; NORREN, E. Contabilidade gerencial. Rio de Janeiro: LTC editora, 2001

- GITMAN, LJ. Princípios de administração financeira. 10. ed. São Paulo: Harbra, 2004.

- IUDÍCIBUS, S; MARTINS, E; GELBCKE, ER; SANTOS, A dos. MANUAL DE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA: Aplicável a todas as Sociedades de acordo com as Normas Internacionais e do CPC. São Paulo: Atlas, 2010.

- NEVES, S das; VICECONTI, PEV. Curso prático de imposto de renda Pessoa Jurídica e tributos conexos. 13. ed - Francisco Morato : Frase, 2009.

- OLIVEIRA, GP de. Contabilidade Tributária. São Paulo: Saraiva, 2009.

- OLIVEIRA, LM de; CHIEREGATO, R; PEREZ JURIOR, JH; GOMES, MB. Manual de contabilidade tributária. - 6. ed. - São Paulo : Atlas, 2007.

- PERES JÚNIOR, JH; OLIVEIRA, LM de. Contabilidade avançada. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

- REIS, LG dos; GALLO, MF. E PEREIRA, Carlos Alberto. Manual de contabilização de tributos e contribuições sociais. São Paulo: Atlas, 2010.

(961) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Economia/ Teoria Econômica/ Economia Geral

PROGRAMA:

1. Os problemas econômicos: recursos, escassez e escolha

2. O mercado de bens e mercado financeiro: o modelo IS-LM

3. Macroeconomia aberta: taxas de câmbio fixas e flexíveis

4. Desenvolvimento econômico

5. Mecanismos de coordenação da atividade econômica: hierarquia e mercado

6. A racionalidade econômica: maximização, cooperação e conflito

7. Análise da demanda

8. Análise da oferta

9. Monopólio, oligopólio e competição monopolista

10. Estrutura de mercado

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BESANKO, D; BRAEUTIGAM, R. Microeconomia. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

- BLANCHARD, O J. Macroeconomia. São Paulo: Prentice Hall, 2007.

- DORNBUSCH, R; FISCHER, S; STARTZ, R. Macroeconomia. Rio de Janeiro: McGraw Hill, 2003.

- GREMAUD, AP; DIAZ, MDM; AZEVEDO, PF; TONETO JUNIOR, R. Introdução à Economia. São Paulo: Atlas, 2007.

- JONES, CI. Introdução a teoria do crescimento econômico. Campus: Rio de Janeiro, 2000.

- KEYNES, JM. A Teoria Geral do Emprego do Juro e da Moeda. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

- LOPES, LM; VASCONCELLOS, MAS. Manual de Macroeconomia Básico e Intermediário. São Paulo: Atlas, 2000.

- MANKIW, G. Introdução à Economia. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

- MANKIW, NG. Macroeconomia. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

- PINDYCK, RS; RUBINFELD, DL. Microeconomia. São Paulo: Prentice Hall, 2006.

- SIMONSEN, MH; CYSNE, RP. Macroeconomia. Rio de Janeiro: Atlas-FGV, 1989.

- VARIAN, HR. Microeconomia: Princípios Básicos. Rio de Janeiro: Editora Campus, 2006.

- FONTES, R; RIBEIRO, H; AMORIM, A; SANTOS, G. Economia: um enfoque básico e simplificado. São Paulo: Atlas, 2010.

- VASCONCELLOS, MAS; GARCIA, ME. Fundamentos de economia. São Paulo: Saraiva, 2008.

- VASCONCELOS, MAS; OLIVEIRA, RG. Manual de Microeconomia. São Paulo: Editora Atlas, 2000.

- WESSELS, WJ. Economia. São Paulo: Saraiva, 1998

(962) Grande Área/ Área: Ciências Sociais Aplicadas/ Administração/ Ciências Contábeis

PROGRAMA:

1. Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido

2. Balanço Patrimonial

3. Custeio por Absorção

4. Demonstrações Contábeis

5. Demonstração do Resultado do Exercício

6. Análise Custo-Volume-Lucro

7. Custeio Variável

8. Regime de Competência

9. Receitas, Custos, Despesas, Perdas e Ganhos

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ALMEIDA, MC. Contabilidade intermediária. 3 ed.,São Paulo: Atlas, 2010.

- ATKINSON, AA; BANKER, RD; KAPLAN, SR; YOUNG, SM. Contabilidade Gerencial. São Paulo: Atlas, 2000. Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC.

- EQUIPE DE PROFESSORES DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA USP. Contabilidade Introdutória. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

- GARRISON, R; NORREN, E. Contabilidade gerencial. Rio de Janeiro: LTC editora, 2001.

- HENDRIKSEN, ES, BREDA, MF Van. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 1999.

- IUDÍCIBUS, S de. Teoria da Contabilidade. 7.ed.São Paulo: Atlas, 2004.

- MARION, JC; IUDICIBUS, S. Curso de contabilidade para não contadores. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

- MARTINS, E. Contabilidade de custos. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

- PADOVESE, CL. MANUAL DE CONTABILIDADE BÁSICA: Contabilidade Introdutória e Intermediária - Texto e Exercícios. 7 ed., São Paulo: Atlas, 2009.

O. CAMPUS DE COXIM

(958) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos

PROGRAMA:

1. Criptografia e assinatura digital;

2. Vulnerabilidade e ataques;

3. Gerenciamento de redes: arquitetura, bases de informação, protocolos;

4. Gerentes SNMP;

5. Equipamentos para interconexão de redes: hub, switches, roteadores, brigdes, repetidores;

6. Roteamento na Internet: roteamento estático, roteamento dinâmico, protocolos: RIP, OSPF, BGP;

7. Redes P2P;

8. Estilos arquitetônicos: em camadas, centrada em dados, baseadas em objetos, baseadas em eventos, de fluxo de dados;

9. Sincronização em Sistemas Distribuídos: algoritmos de eleição tradicionais, algoritmos de exclusão mútua;

10. Tolerância a falha: Comunicação confiável Cliente-Servidor e por grupo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- COMER, DE. Redes de computadores e a internet: abrange transmissão de dados, ligação inter-redes, web e aplicações. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007.

- KUROSE, JF; ROSS, KW. Redes de computadores e a internet: uma abordagem top-down. 5. ed. São Paulo: Pearson, 2010

- TANENBAUM, AS; WETHERALL, D. Redes de Computadores. 5. ed. São Paulo: Pearson, 2011

- TANENBAUM, AS. Sistemas Distribuídos: princípios e paradigmas. 2ª Ed. São Paul: Pearson Prentice Hall, 2007

- COULOURIS, G, et al. Distributed systems: concepts and design. 2. ed. New York: Addison-Wesley, 2005

- STALLINGS, W. Redes e Sistemas de Comunicação de Dados. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005

(975) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação PROGRAMA:

1. Programação orientada a objetos com Java: criação de classes com definição de atributos e métodos; instanciação de objetos; implementação e conceitos de encapsulamento, herança e polimorfismo.

2. Metodologia Scrum para desenvolvimento de Aplicações Web.

3. Desenvolvimento web em Java: com JSF 2.0 e Hibernate.

4. Bancos de dados: modelagem, projeto e linguagem SQL.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- DEITEL, Harvey M.; DEITEL, Paul J. Java: como programar. 6. ed. São Paulo: Pearson Pontice Hall, 2006-2008. 1.110 p. ISBN 85-7605-019-6

- PRESSMAN, RS. Engenharia de software: uma abordagem profissional. 7. ed. Porto Alegre: AMGH Ed., 2011. 780 p. ISBN 978-85-63308-33-7

- SOMMERVILLE, I. Engenharia de software. 8. ed. São Paulo: Pearson, 2010. 552 p. ISBN 978-85-88639-28-7

- GUIMARÃES, CC. Fundamentos de bancos de dados: modelagem, projeto e linguagem SQL. Campinas, SP: UNICAMP, 2003-2012. 270 p. ISBN 85-268-0633-5

- LUCKOW, D; Heinzelmann; MELO, AA de. Programação java para a web: aprenda a desenvolver uma aplicação financeira pessoal com as ferramentas mais modernas da plataforma java. São Paulo: Novatec, 2010-2013. 638 p. ISBN 978-85-7522-238-6

- HEMRAJANI, A. Desenvolvimento ágil em Java com Spring, Hibernate e Eclipse. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2007-2013. 290 p. ISBN 978-85-7605-127-5

- PICHLER, R. Implementando Métodos Ágeis na criação e Desenvolvimento de produtos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011

(977) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Linguagem de Programação

PROGRAMA:

1. Programação orientada a objetos com Java: criação de classes com definição de atributos e métodos; instanciação de objetos; implementação e conceitos de encapsulamento, herança e polimorfismo.

2. Conceitos de Padrões de Projeto em Java: MVC, Fachada (Facade) e Tratamento de exceções;

3. Implementação em Java: Algoritmos Recursivos, Estruturas de Dados elementares: Listas, Pilhas e Filas;

4. Implementação em Java: Algoritmos de Busca, Algoritmos de Ordenação (O(nlogn)), Tabelas de Dispersão, Listas de Prioridades;

5. Algoritmo e Estrutura de dados: Árvores Binárias de Busca; Árvores Balanceadas: Árvores AVL, Árvores B. Busca Digital: Árvore Digital, Árvore Digital Binária e Árvore Patrícia.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CORMEN, TH; LEISERSON, CE; RIVEST, RL. Introduction to algorithms. 2. ed. Cambridge: MIT Press and New York: McGraw-Hill, 2002.

- DEITEL, HM; DEITEL, PJ. Java: how to program. 7. ed. Upper Saddle River: Prentice-Hall, 2006. KNUTH, DE. The art of computer programming: fundamental algorithms.

- PRESSMAN, RS. Engenharia de software: uma abordagem profissional. 7. ed. Porto Alegre: AMGH Ed., 2011. 780 p. ISBN 978-85-63308-33-7

- GAMA, ER; JOHNSON, RE; LISSDES, J. Design patterns: elements of reusable object oriented software. Reading, Mass.: Addison-Wesley, 1995.

- RUMBAUGH, JI; JACOBSON, I; BOOCH, G. The unified modeling language; Reference manual. Reading, Mass.: Addison-Wesley, 1998.

(978) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação/ Ensino-Aprendizagem/ Métodos e Técnicas de Ensino

PROGRAMA:

1. A indissociabilidade da pesquisa e do ensino em História na formação do professor de História

2. Tendências historiográficas e ensino de História: relações entre saber histórico escolar e produção historiográfica

3. Metodologia do trabalho com fontes da cultura material, escrita, audiovisual e iconográfica: sua aplicação no ensino de história

4. Ensino de História, diversidade e alteridade: perspectivas de investigação e suas implicações na prática docente; cultura e história africana, afro-brasileira e indígena

5. História, Linguagens e Ensino

6. O livro didático: suas múltiplas dimensões de pesquisa e uso pedagógico

7. História e Didática da História

8. O Ensino de História e as Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação

9. Saberes docentes e Formação de Professores de História

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BAUMGARTEN, M; TEIXEIRA, AN; LIMA, G. SOCIEDADE E CONHECIMENTO: novas tecnologias e desafios para a produção de conhecimento nas Ciências Sociais. Sociedade e Estado, Brasília, v. 22, nº 2, p. 401-433, maio/ago. 2007.

- BITTENCOURT, CMF. (org) O saber histórico na sala de aula. Contexto, 1988.

- BITTENCOURT, CMF. Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004.

- BLOCH, M. Apologia da História ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

- BRASIL. Lei 10639 de 09 de janeiro de 2003. Inclui a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Africana" no currículo oficial da rede de ensino. Diário Oficial da União. Brasília, 2003.

- _____________ . Lei 11645 de 10 de março. Altera a Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei Nº 10639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena". Diário Oficial da União. Brasília, 2008.

- BURKE, P (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: Unesp, 1992.

- FONSECA, SG. Didática e prática de ensino de História. Campinas-SP: Papirus, 2003.

- KARNAL, L. História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2005.

- LE GOFF, J; NORA, P (Orgs.) História: novos problemas. 2ª ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.

- LE GOFF, J; NORA, P. (Orgs.). História: novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

- MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006.

- PINSKY, CB (Org). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005.

- RÜSEN, J. Razão Histórica. Brasília: EdUNB, 2001.

- RÜSEN, J. História Viva. Brasília: EdUNB, 2007.

- SCHMIDT, MA; CAINELLI, M. Ensinar História. São Paulo: Scipione, 2004.

- SCHMIDT, MA; BARCA, I; MARTINS, ER (orgs). Jörn Rüsen e o Ensino de História. Curitiba: EdUFPR, 2010.

- SILVA, Marcos A. da. História: o prazer em ensino e pesquisa. Brasiliense, São Paulo, 1995

- SILVA, M. Ensino de História e Novas Tecnologias. Disponível em http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/fevereiro2012/historia_artigos/2silva_artigo.pdf com acesso em 05/12/2013.

- TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2007.

- URBAN, AC. Didática da História: contribuições para a formação de professores. Editora Juruá.

(979) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História Moderna e Contemporânea PROGRAMA:

1. A Revolução Francesa: história e historiografia

2. Revolução Industrial e pensamento liberal

3. Industrialização e lutas operárias - séculos XIX e XX

4. Nações e Nacionalismo: história e historiografia

5. O colonialismo contemporâneo: imperialismo, descolonização e formação das nações na África e na Ásia

6. O debate historiográfico sobre os totalitarismos

7. Revolução Russa: expansão, apogeu e crise do socialismo

8. O Mundo no Pós II Guerra: Guerra Fria e descolonização

9. O Capitalismo no início do século XXI: globalização e neoliberalismo

10. Capitalismo, trabalho e movimentos sociais no século XXI

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANDERSON, B. Nação e consciência nacional. SP.: Ática, 1992.

- ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaios sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho, São Paulo, Ed. da Unicamp/Cortez, 1995.

- ARENDT, H. Origens do totalitarismo. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

- ARON, R. Paz e Guerra entre as nações. Brasília: Ed. Da UNB, 1979.

- ARRIGHI, G. O longo século XX. Rio de Janeiro: Contraponto Editora, 2006.

- BERMAN, M. Tudo o que é sólido desmancha no ar. São Paulo: Cia das Letras, 1986.

- BOITO JR. A (org). A comuna de Paris na História. São Paulo: Xamã, 2001.

- BRAUDEL, F. Civilização Material, economia e capitalismo. São Paulo: Martins Fonte, 1997.

- BRUNSCHWIG, H. A partilha da África Negra. São Paulo: Perspectiva, 2004.

- DOBB, M. A evolução do capitalismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1965.

- FERRO, M. A história das colonizações: das conquistas às independencias, séculos XII a XX. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

- GORZ, A. Adeus ao proletariado: para além do socialismo. Trad. Angela Ramalho Vianna e Sergio Góes de Paula. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

- FURET, F. Pensando a Revolução Francesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

- HOBSBAMW, E. A era dos extremos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

- HOBSBAMW, E. A era dos impérios. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

- HOBSBAWM, EJ. A era das revoluções, 1789-1848. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

- HOBSBAWM, EJ. Trabalhadores. Estudos sobre a História do Operariado. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

- LENHARO, A. Nazismo: o triunfo da vontade, 6 ed., São Paulo: Ed. Ática, 1998.

- MARQUES, A; BERUTTI, F; FARIAS, R. História contemporânea através de textos. São Paulo: Contexto, 2001.

- PAXTON, R. A anatomia do fascismo. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

- POLANYI, K. A Grande Transformação. As origens de nossa época. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

- REIS FILHO, DA (org). O século XX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

- REMOND, R. Introdução à história do nosso tempo. São Paulo: Cultrix, 1986.

- RIOUX, JP. A Revolução Industrial (1780-1880). São Paulo: Livraria Pioneira, 1975.

- SAID, EW. Cultura e Imperialismo. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

- SAID, EW. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo, Companhia das Letras, 1990.

- SANTIAGO, T (org). Descolonização. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.

- SMITH, A. Investigação sobre a natureza e as causas da riqueza das nações. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

- SILVA, FCT da (Org). O século sombrio. Ensaios sobre as guerras e revoluções do século XX. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

- TEIXEIRA, FC (Org). Enciclopédia de Guerras e Revoluções do século XX: as grandes transformações do mundo contemporâneo. Rio de Janeiro, 2004.

- SOBOUL, A. A Revolução Francesa. São Paulo: Difel, 1976.

- THOMPSON, EP. A formação da classe operária inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

- VIZENTINI, P. A Guerra Fria. O desafio socialista a ordem americana. Porto Alegre: Leitura XXI, 2004.

(980) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ História/ História da América

PROGRAMA:

1. Culturas pré-colombianas

2. A conquista da América: abordagens historiográficas, conceitos e problemas

3. As políticas de Colonização das nações ibéricas na América

4. A América Inglesa Colonial: historiografia, conceitos e problemas

5. A colonização das Américas: evangelização e resistência cultural no novo mundo

6. A formação dos Estados-Nação na América Latina

7. O processo de independência das nações Latino-americanas

8. O militarismo na América Latina

9. A construção da hegemonia estadunidense na América: séculos XIX e XX

10. O Brasil no contexto Latino-Americano

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- BETHELL, L. América Latina Colonial. São Paulo: Edusp, 1997.

- BETHELL, L; ROXBOROUGH, I (org) A América Latina. Entre a Segunda Guerra e a Guerra Fria. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1996.

- BONILLA, H (org) Os Conquistados: 1942 e as populações indígenas da América. São Paulo: HUCITEC, 2000.

- BRUIT, H. Acumulação capitalista na América Latina. São Paulo: Brasiliense, 1982.

- DUSSEL, E. 1492: o encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade. Tradução de Jaime A. Clasen. - Petrópolis, RJ: Vozes, 1993.

- FAUSTO, C. Os índios antes do Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.

- FAVRE, H. A civilização Inca. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1992.

- GALEANO, E. As veias abertas da América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

- GENDROP, P. A civilização maia. Tradução de Maria Júlia Goldwasser. - Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.

- GRUZINSKI, S. A Colonização do Imaginário: sociedades indígenas e ocidentalização no México Espanhol (séc. XVI-XVIII). São Paulo; Companhia das Letras, 2003.

- KARNAL, L, et. al. História dos Estados Unidos: das origens ao século XXI. 2ª ed. - São Paulo: Contexto, 2008. MORSE, Richard M. O Espelho de Próspero: cultura e ideias nas Américas. São Paulo:Companhia das Letras, 1988.

- PRADO, MLC. América Latina no Século XIX: tramas, telas e textos. São Paulo. Edusp, 1999.

- PRADO, ML. A formação das nações latino-americanas. São Paulo: Atual, 1985.

- ROUQUIÉ, A. O Estado Militar na América Latina. São Paulo, Alfa-Ômega, 1984.

- SOUSTELLE, J. Os Astecas na véspera da conquista espanhola. São Paolo: Companhia das Letras, 1990.

- TOTA, AP. O imperialismo sedutor. São Paulo, Companhia das Letras, 2000.

- TODOROV, T. A conquista da América. A questão do outro. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

P. CÂMPUS DE PONTA PORÃ

(887) Grande Área/ Área: Ciências Exatas e da Terra/ Ciência da Computação/ Metodologia e Técnicas da Computação

PROGRAMA:

1. Algoritmos de Ordenação por Comparação (Bubble Sort, Selection Sort, Insertion Sort, Heap Sort, MergeSort, Quick Sort).

2. Algoritmos de Ordenação Linear (Couting Sort, Bucket Sort, Radix Sort).

3. Estruturas de dados elementares (pilhas, filas, listas ligadas).?

4. Tabelas hash.?

5. Árvores de pesquisa binária.

6. Algoritmos elementares de grafos (representações, busca em largura, busca em profundidade e suas aplicações).

7. Árvores balanceadas (AVL, árvores rubro-negras, árvores B).

8. Análise léxica e análise sintática (métodos formais para descrever a sintaxe).

9. Paradigmas de Linguagens (imperativo, funcional e lógico).

10. Classes, objetos, encapsulamento, herança e polimorfismo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- CORMEN, TH, et al. Algoritmos: teoria e prática. Rio de Janeiro: Campus, 200ª Editora Cengage Learning, 2007.

- MANBER, U. Introduction to algorithms: a creative approach. Addison Wesley, 1989.

- SEBESTA, RW. Conceitos de Linguagens de Programação. 5. ed. São Paulo: Bookman Companhia Ed,2008.

- SZWARCFITER, JL; MARKENZON, L. Estruturas de dados e seus algoritmos. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 2 ed., 1994.

- TENENBAUM, A. M.; LANGSAM, Y,; AUGENSTEIN, M. J.; Estruturas de dados usando C. Rio de Janeiro: Makron Books, 1995.

- ZIVIANI, Nivio. Projeto de algoritmos: com implementações em Java e C++. Sao Paulo: Cengage, 2007.

(992) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/Educação

PROGRAMA:

1. Educação Inclusiva e Educação Especial no Brasil

2. Pessoas com deficiência no contexto da Educação Inclusiva

3. Política, Educação Especial e Escolas Especiais: relações e perspectivas

4. Pessoas com necessidades educacionais especiais nas escolas brasileiras

5. Escola inclusiva e educação especial: políticas e práticas

6. Os sentidos da deficiência nas escolas inclusivas

7. História e política da educação especial

8. Conceitos de deficiência e práticas pedagógicas inclusivas

9. Os esportes como campo de investigação e conteúdo escolar.

10. Os esportes e lutas e as práticas de inclusão.

11. O conteúdo esportivo em diferentes abordagens em Educação Física escolar.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ASSIS, S. Reinventando o esporte: possibilidade da prática pedagógica. Campinas: Autores Associados, 2001.

- BIANCHETTI, L, FREIRE, IM (Orgs). Um olhar sobre a diferença: interação, trabalho e cidadania. Campinas: Papirus, 1998. (Série Educação Especial).

- BUENO, JGS. Educação especial brasileira: integração/segregação do aluno diferente. 2. ed. rev. - São Paulo: EDUC, 2004. (Série hipótese).

- CAPARROZ, FE. Entre a Educação Física na escola e a Educação Física da escola: a Educação Física com componente curricular. Vitória: UFES, 1997.

- CARVALHO, RE. Nova LDB e a Educação Especial. WVA.

- CASTELLANI FILHO, L. Política educacional e Educação Física. 2 ed. Campinas: Autores Associados, 2002. (Série Polêmicas do Nosso Tempo).

- DE ROSE JR, D (org) Esporte e atividade física na infância e na adolescência: uma abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

- GARCIA, RMC. Políticas públicas de inclusão: uma análise no campo da educação especial. 2004. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis.

- JANNUZZI, G. A luta pela educação do deficiente mental no Brasil. 2ª.ed. Campinas: Autores Associados, 1992.

- MAZZOTTA, MJS. Educação especial no Brasil: História e políticas públicas. 4ª. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

- PADILHA, ML. Práticas Pedagógicas em Educação Especial. Campinas. Autores Associados, 2001.

- SOARES, CL, et al. Metodologia do ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1993.

- STIGGER, MP. Educação Física, esporte e diversidade. Campinas: Autores Associados, 2005.

- STOBAÜS, CD; MOSQUERA, JJM (Orgs). Educação especial: em direção à educação inclusiva. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

(993) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação

PROGRAMA:

1. A construção histórico-social da infância;

2. História do atendimento á infância no Brasil;

3. A criança e o processo de letramento;

4. Educação infantil e políticas públicas (questões atuais);

5. O profissional da educação infantil;

6. Atividades lúdicas e o desenvolvimento integral da criança: a arte, a literatura, a musicalidade, a expressão corporal;

7. A criança, a educação e o brinquedo

8. Infância e Trabalho;

9. Ludicidade e brinquedo;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABRAMOWICZ, A; WAJSKOP, Gisela. Creches: atividades para crianças de 0 a 6 anos. São Paulo: Moderna, 1995.

- AGUIAR, CM. Educação, cultura e criança. Campinas: Papirus, 1994. (Coleção Magistério. Formação e trabalho pedagógico).

- BASSEDAS, E (org.). Aprender e ensinar na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1999.

- BONDIOLI, A MANTOVANI, S. Manual de Educação Infantil de 0 a 3 anos. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- CAMPOS, MM. Atendimento à infância na década de 80: as políticas federais de atendimento. Cadernos de Pesquisa, Fundação Carlos Chagas, SP, nº 82, 1992.

- CAMPOS, MM (et al.) Creches e pré-escolas no Brasil. São Paulo: Cortez, 1993.

- CAMPOS, MM; ROSEMBERG, F; FERREIRA, IM. Creches e Pré-Escolas no Brasil. São Paulo: Cortez,1993.

- CHATEAU, J. O jogo e a criança. São Paulo: Summus, 1987. (Novas buscas em educação; v.29).

- CRAIDY, C; KAERCHER, GE. Educação infantil, prá que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

- FARIA, ALG (e outras). Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisa com crianças. Campinas: Editores Associados, 2002.

- FARIA, AL; PALHARES, MS. (orgs). Educação Infantil pós- LDB rumos e desafios Campinas: Autores Associados, 1999.

- FERREIRA, MCR. (org). Os fazeres na Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 1998.

- FREITAS, MC. História Social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 1997.

- FRIEDMAN, A. O direito de brincar; a brinquedoteca. São Paulo: Scritta/ABRINQ, 1996.

- GARCIA, RL (org). Revisitando a pré-escola. São Paulo: Cortez,1993.

- HADDAD, L. A creche em busca de identidade. São Paulo: Loyola, 1993.

- HORN, M da GS. Sabores, cores, sons, aromas: a organização dos espaços na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

- KISHIMOTO, TM. A Pré-Escola em São Paulo (1877 a 1940). São Paulo: Ed.Loyola, 1988.

- KRAMER, S; LEITE, MI. Infância: fios e desafios da pesquisa. Campinas: Papirus, 1996.

- KRAMER, S. A Política do pré-escolar no Brasil. 5 ed. São Paulo: Cortez, 1992.

- KRAMER, S; LEITE, MI (orgs). Infância e produção cultural. Campinas: Papirus, 1998. (Série Prática Pedagógica).

- KRAMER, S; LEITE, MI; NUNES, MF; GUIMARÃES, D (orgs.). Infância e educação infantil. Campinas: Papirus, 1999. (Coleção Prática Pedagógica).

- LOWENFELD, V; BRITTAIN, W. Lambert. Desenvolvimento da capacidade criadora. São Paulo: Mestre Jou, 1970.

- MACHADO, ML (org). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

- MAUDIRE, P. Exilados da infância: relações criativas e expressão pelo jogo na escola. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.

- NEGRINE, A. Aprendizagem e desenvolvimento infantil: simbolismo e jogo. Porto Alegre: Pordil, 1994.

- OLIVEIRA, Z de M, et al. Creches: criança, faz de conta e cia. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 1992.

- OLIVEIRA, ZR de. Educação infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Docência em Formação).

- OSTETTO, LE. Encontros e encantamentos na educação infantil. Campinas: Papirus, 2002.

- PRIORE (org) História da criança no Brasil. São Paulo, Contexto, 1996.

- ROSEMBERG, F. (org). Creche. São Paulo: Cortez-Fundação Carlos Chagas, 1989.

- SANTOS, SMP dos (org) O lúdico na formação do professor. Petrópolis: Vozes, 1997.

(994) Grande Área/ Área: Ciências Humanas/ Educação

PROGRAMA:

1. A didática e o ensino como prática social.

2. Abordagem histórica da didática.

3. A formação e o papel do educador no contexto sócio-histórico e didático-pedagógico.

4. O trabalho docente no contexto escolar: relações entre saberes e práticas.

5. Organização das atividades do professor e do aluno no atual contexto sócio-histórico.

6. Projeto político pedagógico numa concepção de planejamento participativo.

7. Projeto pedagógico e planejamento de ensino.

8. Estrutura Morfológica e o processo de formação de palavras.

9. O ensino da gramática e a variação linguística.

10. A leitura e a formação de leitores.

11. A semântica aplicada ao ensino da Língua Portuguesa.

12. Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ANDRÉ, M; OLIVEIRA, MRNS (org). Alternativas do ensino de didática. Campinas, SP: Papirus, 1997.

- BASÍLIO, M. Formação e Classe de Palavras em Português. São Paulo: Contexto, 2004.

- CÂMARA JÚNIOR, JM. Estrutura da Língua Portuguesa. 4. ed., Petrópolis: Vozes, 2008.

- CANDAU, VM (org). Rumo a uma nova didática. Petrópolis: Editora Vozes, 8 ed., 1996.

- ______ "Didática e interculturalismo: uma aproximação." In LISITA, Verbena Moreira S. de S. e SOUSA, Luciana Freire E. C. P. (org). Políticas educacionais, práticas escolares e alternativas de inclusão escolar. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

- CUNHA, C; CINTRA, L. Nova gramática do português contemporâneo. 4. ed., Rio de Janeiro: Lexikon, 2007.

- DUCROT, O. Princípios de semântica lingüística: dizer e não dizer. São Paulo, Cultrix. 1977.

- FREIRE, P. A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. 2ª ed. , São Paulo: Cortez, 1988.

- HERNANDÉZ, F; VENTURA, M. A organização do Currículo por Projetos de Trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. Trad: Jussara H. Rodrigues. 5 ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- KLEIMAN, A. Oficina de Leitura. Teoria e Prática. Campinas - SP: Pontes. Editora da Unicamp, 1989.

- MACEDO, L de. Ensaios Pedagógicos: como construir uma escola para todos. Porto Alegre: Artmed, 2005.

- MARQUES, MHD. Iniciação à semântica. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

- MORAIS, R de (org). Sala de Aula - que espaço é esse? Campinas, Papirus 1994.

- OLIVEIRA, MRNS (org). Didática: ruptura, compromisso e pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 1993.

- PADILHA, PR. Planejamento Dialógico: Como construir o projeto político pedagógico da escola. São Paulo: Cortez, 2001.

- TARDIF, M. Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis, RJ : Vozes, 2002.

- VASCONCELOS, C dos S. Planejamento: Plano de Ensino-Aprendizagem e Projeto Educativo. Vol. 1. 17 ed. São Paulo: Libertad, 2007.

- VEIGA, IPA; ARAUJO, JS; KAPUZINIAK, C. Docência: Uma construção ético - profissional. Campinas, SP: Papirus Editora, 2005.

- VEIGA, IPA. A prática pedagógica do professor de didática. Campinas, SP: Papirus, 1989.

- _____ (org). As dimensões do projeto político pedagógico. Campinas, SP: Papirus, 2001. - (org). Lições de didática. Campinas, SP: Papirus Editora, 2006.

- VILLAS BOAS, BM de F. Planejamento da Avaliação Escolar. In Revista Pró-Posições. Campinas, SP: UNICAMP, vol. 9, nº 3 (27), nov. 1998. p. 19-27

- XAVIER, MLM; ZEN, MIHD (org). Planejamento em Destaque: análises menos convencionais. Porto Alegre: Mediação, 2000.

- ZABALA, A. A prática educativa: Como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

178793

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231