UERR - Universidade Estadual de Roraima - RR

UERR - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE RORAIMA

EDITAL N° 041/09

ALTERADO PELA RETIFICAÇÃO I

Notícia:   Vagas para Professores na Universidade Estadual - RR

O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE RORAIMA, no uso de suas atribuições legais que lhe conferem a Lei Complementar nº. 91, de 10 de novembro de 2005, o Art. 28, incisos IV e XIII do Estatuto da Universidade Estadual de Roraima, aprovado pelo Decreto Estadual nº. 7628-E, de 16 de janeiro de 2007, e tendo em vista a autorização concedida pelo Conselho Universitário - CONUNI, Resolução nº. 015 de 13 de agosto de 2009 - publicada no DOE nº 1122 de 13/08/2009 - torna público o presente Edital para o Concurso Público de Provas e Títulos, destinado a selecionar 24 (vinte e quatro) vagas para o cargo de Professor Mestre Nível I e cargo de Professor Doutor Nível I, conforme discriminado no Anexo I deste Edital, em Regime de 40 hs, com obrigação de prestar quarenta horas semanais de trabalho em dois turnos diurno e noturno, sendo regido pelas Lei Complementar n° 053/2001, Leis n°s 581/2007, 605/2007 e 725/2009, obedecendo às normas estabelecidas neste Edital.

1. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

1.1 Ter nacionalidade brasileira e, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo Estatuto de Igualdade entre Brasileiros e Portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos políticos, nos termos do parágrafo 1° do Art. 12 da Constituição da República Federativa do Brasil e na forma do disposto no Art. 13 do Decreto n° 70.436/72;

1.2. Possuir habilitação na área correspondente ao cargo pleiteado;

1.3. Possuir os pré-requisitos exigidos para o cargo, conforme discriminado neste Edital.

2. DA REMUNERAÇÃO E LOTAÇÃO

2.1. A remuneração mensal será:

Descrição

R$

Vencimento Básico Professor Mestre, nível I

3.958,84

Vencimento Básico Professor Doutor, nível I

5.849,02

2.2. Os servidores lotados e residentes nos municípios do interior recebem gratificação de interiorização nos percentuais de 15, 25 ou 35% do vencimento básico de acordo com a distância da Capital, conforme o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações da UERR, disposto nas Leis 581/2007, 605/2007 e 725/2009.

2.3. Fica ciente o candidato habilitado que, em aceitando a nomeação, será lotado e deve ter residência no Campus da Universidade Estadual de Roraima na respectiva vaga que tenha concorrido, conforme disposto no Anexo I deste Edital.

2.4. O candidato depois de nomeado e empossado só poderá ser removido para outro Campus da UERR, decorridos 5 (cinco) anos de efetivo exercício da função no Campus de lotação disposto no Anexo I deste Edital, salvo no interesse da administração.

2.5. Fica o Candidato habilitado, ciente que a Universidade dispõe de estrutura Multicampi e que, a interesse da Administração, ele poderá ser lotado em outra unidade da UERR.

3. DAS INSCRIÇÕES

3.1. As inscrições serão realizadas no período de 01/09/2009 a 16/10/2009, exclusivamente via internet, no endereço www.uerr.edu.br

3.2. O valor da inscrição é de R$ 100,00 (Cem Reais)

3.3. Para Inscrever-se, o candidato deverá:

3.3.1. Acessar o endereço eletrônico www.uerr.edu.br;

3.3.2. Preencher a ficha de inscrição;

3.3.3. Imprimir Boleto Bancário;

3.3.4. Efetuar o pagamento da taxa de inscrição usando o boleto impresso, em qualquer agência bancária até o dia 16/10/2009 (último dia da inscrição).

3.4. Após pagamento da taxa de inscrição, o candidato deverá encaminhar via SEDEX (ou serviço similar) a documentação exigida para efetivação da inscrição, abaixo:

3.4.1. Comprovante do pagamento da taxa de inscrição;

3.4.2. Cópia da Ficha de inscrição preenchida;

3.4.3. Plano de pesquisa e extensão;

3.4.4. Curriculum vitae - cadastrado na Plataforma Lattes do CNPq, atualizado e acompanhado da documentação comprobatória;

3.4.5. Comprovante da titulação exigida (cópia autenticada em cartório);

3.4.6. Cópia do documento de identidade.

3.5. A documentação deverá ser encaminhada para o endereço: Universidade Estadual de Roraima, Rua 7 de setembro, 231, CEP:69.306-530, Boa Vista-RR, A/C: Comissão Permanente de Concursos, em envelope lacrado, contendo a identificação do candidato, o número do protocolo de inscrição e o concurso para o qual está se inscrevendo.

3.5.1 - Havendo anormalidade no funcionamento dos correios, os candidatos que não conseguirem postar suas inscrições deverão protocolá-las, dentro do período previsto no Edital, na Comissão Permanente de Concursos da Universidade Estadual de Roraima, no endereço acima mencionado.

3.6. A efetivação da inscrição somente se dará após o pagamento da taxa de inscrição e postagem (dentro do período de inscrição) da documentação exigida no Edital.

3.7. A Universidade Estadual de Roraima não se responsabilizará por solicitação de inscrição via INTERNET não recebida por motivo de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamentos das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.

3.8. A relação das inscrições deferidas e indeferidas, bem como o número de inscrição dos candidatos, serão disponibilizados via INTERNET no endereço www.uerr.edu.br, em data estabelecida no Anexo III deste Edital.

3.9. A inscrição do candidato implica o conhecimento e a tácita aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital.

3.10. Somente serão aceitos diplomas de Graduação de curso reconhecido e de Pós-Graduação expedido por curso credenciado na CAPES, se nacionais. Se a Graduação e/ou Pós-Graduação forem de origem estrangeira, deverão estar devidamente revalidadas, de acordo com a legislação brasileira.

3.10.1. Nos casos em que o diploma de Pós-Graduação ainda não tiver sido expedido, deverá ser apresentada documentação comprobatória da homologação da defesa da dissertação/tese na última instância regimentalmente prevista na respectiva Instituição de Ensino Superior.

3.11. Em hipótese alguma será feita inscrição condicional ou extemporânea.

3.12. Não será permitida complementação documental fora do prazo fixado para inscrição.

3.13. A taxa de inscrição, uma vez paga, não será, em hipótese alguma, restituída.

3.14. A documentação entregue para inscrição será analisada por uma Comissão para esse fim, que será designada pela Comissão Permanente de Concurso, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, a contar da data de encerramento das inscrições, que realizará:

3.14.1. O deferimento ou o indeferimento das inscrições;

3.14.2. O julgamento dos recursos dos candidatos, cujas inscrições foram indeferidas.

3.14.3. A homologação do resultado da análise das inscrições será realizada pela Comissão Permanente de Concursos - CPC.

4. DA COMISSÃO DO CONCURSO

4.1. O Concurso será coordenado por uma Comissão Organizadora designada pelo Reitor, sob a presidência da Comissão Permanente de Concursos da UERR - CPC.

5. DO JULGAMENTO DOS CANDIDATOS

5.1. O julgamento dos candidatos ficará a cargo de uma Comissão Examinadora, por área de Estudo/Conhecimento, designada pelo Reitor para esse fim, composta de 3 (três) Membros efetivos e 1 (um) Supervisor nomeado através de Portaria Interna;

5.2. Compete à Comissão Examinadora:

5.2.1. Preparar, aplicar, corrigir e avaliar as provas estabelecidas, por área de conhecimento;

5.2.2. Divulgar no local das provas a relação dos classificados e desclassificados, com respectivas pontuações em cada etapa do concurso;

5.2.3. Examinar o curriculum vitae dos candidatos;

5.2.4. Julgar os recursos interpostos contra o resultado preliminar do concurso;

5.2.7. Elaborar relatório final, constando todas as etapas e resultado do concurso.

5.3. Compete ao Supervisor as seguintes atribuições:

5.3.1 Assessorar as Comissões Examinadoras; Oferecer apoio logístico necessário ao bom andamento dos trabalhos; Organizar a documentação do Concurso, encaminhando-a a Comissão Geral de Concursos, constando:

a) Ata do sorteio e da realização da Prova Escrita;

b) Ata do sorteio do ponto da Prova Didática e da ordem da apresentação dos candidatos.

c) Ata da realização das Prova Didática;

d) Fichas de notas atribuídas por cada examinador aos candidatos nas provas escrita e didática;

e) Ficha das notas obtidas na avaliação dos títulos de acordo com o anexo II;

f) Ficha das notas obtidas pelos candidatos na Prova de Títulos, computadas a avaliação dos títulos conforme anexo II;

g) Mapa final de apuração de notas, com os candidatos dispostos na ordem decrescente das médias finais obtidas.

6. DAS ETAPAS DO CONCURSO

6.1. O concurso constará das seguintes provas:

6.1.1. Prova escrita, de caráter eliminatório e classificatório;

6.1.2. Prova didática, de caráter eliminatório e classificatório;

6.1.3. Argüição do plano de pesquisa e extensão, de caráter classificatório;

6.1.4. Exame de curriculum vitae, de caráter classificatório.

6.2. A pontuação de cada candidato, em cada etapa, será a média aritmética dos pontos a ele atribuídos por cada um dos examinadores, em uma escala de 0 a 10.

6.3. O candidato deverá comparecer ao local da prova com 01 (uma) hora de antecedência da sua realização, munido de documento oficial ou carteira expedida por órgãos ou conselhos de classe que tenham força de documento de identificação (OAB, CORECON, CRA, CREA, RNE, etc.), Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional de Habilitação, Passaporte brasileiro ou Certificado de Reservista com foto e portando caneta esferográfica com tinta azul ou preta.

6.4. Não haverá, em hipótese alguma, segunda chamada de candidatos, nem a realização de prova fora do horário e local marcados neste Edital.

6.5. Não será admitido na sala de provas o candidato que se apresentar após o horário estabelecido para o início da mesma.

6.6. Durante a realização das provas é vedada consulta a livros, revistas, folhetos ou anotações.

6.7. No dia de realização das provas, não será permitido ao candidato entrar e/ou permanecer na sala de provas com aparelhos eletrônicos (telefone celular, pager, walkman, agenda eletrônica, notebook, handheld, receptor, gravador, máquina fotográfica, máquina de calcular, relógio com qualquer uma das funções anteriormente citadas, etc.) ou armas de qualquer tipo. Caso o candidato esteja portando algum destes itens, este deverá ser entregue aos fiscais de sala antes do início das provas e somente serão devolvidos ao candidato ao final de sua prova.

6.8. O descumprimento dos itens 6.6 ou 6.7 implicará na eliminação sumária do candidato, constituindo-se em tentativa de fraude.

7. DA PROVA ESCRITA

7.1. A prova escrita, simultânea para todos os candidatos, terá a duração de 4 (quatro) horas e versará sobre tema único, por área de conhecimento, sorteado de uma lista contida no Anexo I deste Edital.

7.2. O sorteio será feito, na presença dos candidatos, com 1 (uma) hora antes do início da prova, e os candidatos terão este tempo, entre o sorteio e o início da prova, para realização de consultas, sendo vedada a utilização das anotações durante a prova.

7.3. À prova escrita, será atribuída pontuação de 0 (zero) a 10 (dez), sendo desclassificado o candidato que obtiver pontuação inferior a 7 (sete).

7.4. A avaliação da Prova Escrita será de acordo com os seguintes critérios:

I - Apresentação (introdução, desenvolvimento e conclusão);

II - Conteúdo (desenvolvimento do tema, organização, clareza de idéias e argumentação);

III - Linguagem (uso adequado da terminologia técnica, propriedade e clareza).

8. DA PROVA DIDÁTICA

8.1. Estarão classificados para a prova didática os candidatos que obtiverem pontuação igual ou superior a 7 (sete) na prova escrita.

8.2. A prova didática terá duração mínima de 40 (quarenta) e máxima de 50 (cinqüenta) minutos e constará de 1 (uma) aula sobre tema único para todos os candidatos, por área de conhecimento, sorteado de uma lista contida no Anexo I deste Edital, excluído o tema sorteado para a prova escrita, sendo vedado aos demais candidatos assisti-la.

8.3. O sorteio será feito, na presença dos candidatos, com 24 (vinte e quatro) horas de antecedência do início previsto para a prova didática, logo após o sorteio do ponto para a prova escrita.

8.4. À prova didática, será atribuída pontuação de 0 (zero) a 10 (dez), sendo desclassificado o candidato que obtiver pontuação inferior a 7 (sete).

8.5. Na prova didática, será avaliado o desempenho didático-pedagógico do candidato; capacidade de planejamento de aula; comunicação e síntese do candidato; bem como seu conhecimento na área.

8.6. Para realização da prova didática, serão disponibilizados retroprojetor e projetor multimídia­data show, outros recursos necessários serão de responsabilidade do candidato.

8.7. Na ocasião da realização da Prova Didática é vedada interferência e/ou argüição por parte tanto da Comissão Examinadora quanto de qualquer pessoa presente, como também qualquer tipo de registro de voz e imagem.

8.8. Em caso de força maior, a critério da Comissão Examinadora, a Prova Didática poderá sofrer interrupção.

8.9. O candidato deverá apresentar Plano de Aula em três vias, para a comissão examinadora do concurso.

8.10 Concomitantemente ao sorteio do ponto da Prova Didática, será feito a da ordem de realização das provas pelos candidatos.

8.11. O sorteio da ordem de realização da Prova Didática deverá ocorrer na presença dos candidatos ou de seus representantes legais e da maioria da Comissão Examinadora.

8.12. Todos os candidatos deverão estar presentes e assinar a lista de presença na hora marcada para o início da Prova Didática, sendo considerado desistente o que estiver ausente.

8.13. Serão divulgados no quadro de avisos do local de realização do concurso o número e o assunto do ponto sorteado para a Prova Didática, a ordem de sua realização pelos candidatos, bem como dia e hora do início.

8.14. Durante a realização da Prova Didática os candidatos que estiverem aguardando a vez, por grupo, ficarão incomunicáveis com o exterior, entendendo-se, quando necessário, com o Supervisor do Concurso.

8.14.Não será permitido ao candidato que já tenha se submetido à Prova Didática permanecer no recinto onde ela esteja sendo realizada.

9. DA ARGÜIÇÃO SOBRE O PLANO DE PESQUISA E EXTENSÃO

9.1. Os candidatos que obtiveram pontuação igual ou superior a 7 (sete) nas provas escrita e didática, estarão classificados para a etapa de argüição sobre Plano de Pesquisa e Extensão.

9.2. Na argüição sobre o Plano de Pesquisa e Extensão, de caráter classificatório, serão avaliados:

a) Relevância e atualidade do tema;

b) Conhecimento, experiência e publicações na área do projeto de pesquisa;

c) Metodologia a ser utilizada;

d) Viabilidade de cooperação local, regional, nacional e internacional;

e) Qualidade dos resultados esperados.

9.3. Ao exame de argüição sobre o Plano de Pesquisa e Extensão, será atribuída pontuação de 0 (zero) a 10 (dez).

10. DO EXAME DO CURRICULUM VITAE

10.1. Os candidatos que obtiveram pontuação igual ou superior a 7 (sete) em cada uma das provas, escrita e didática, estarão classificados para a etapa de exame de curriculum vitae.

10.2. No exame do curriculum vitae, de caráter exclusivamente classificatório, serão considerados e pontuados:

10.2.1. Títulos acadêmicos;

10.2.2. Produção acadêmico-científica;

10.2.3. Atividade didática;

10.2.4. Atividade técnico-profissional.

10.3. No exame do curriculum vitae, não será pontuada a titulação exigida como requisito mínimo para inscrição no concurso.

10.4. Ao exame de curriculum vitae, será atribuída a pontuação máxima de 10 pontos.

10.5. Só serão considerados, para efeito de pontuação, os itens efetivamente comprovados, no curriculum vitae, através de cópia autenticada dos documentos conforme exposto no Anexo II deste Edital.

10.6. A pontuação máxima atribuída a cada item, bem como a documentação comprobatória exigida, será conforme o disposto no Anexo II do presente Edital.

11. DA APROVAÇÃO E DA CLASSIFICAÇÃO

11.1. Será considerado aprovado no concurso o candidato que tenha obtido pontuação igual ou superior a 7 (sete) nas provas escrita e didática, independentemente da pontuação obtida na argüição do Plano de Pesquisa e Extensão e no exame de curriculum vitae.

11.2. A classificação final dos candidatos dar-se-á em ordem decrescente da soma de pontos obtidos na prova escrita, didática, na argüição do Plano de Pesquisa e Extensão, e no exame do curriculum vitae.

11.3. O resultado de cada etapa eliminatória será afixado no local de realização das provas, pela Comissão Examinadora.

12. DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE

12.1. No caso de empate, a Comissão Examinadora, utilizará, sucessivamente, os seguintes critérios de desempate:

12.1.1. Melhor média na Prova de Títulos;

12.1.2. Melhor média na Prova Didática;

12.1.3. Melhor pontuação na Prova Escrita;

12.1.4. Melhor média na Prova de Exame do Plano de Pesquisa e Extensão;

12.1.5. Idade, em favor do candidato mais idoso.

13. DA DIVULGAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DO RESULTADO

13.1. A Comissão Examinadora elaborará relatório com a classificação final dos candidatos, que será submetido à aprovação da Comissão Permanente de Concursos e homologação pelo Reitor.

13.2. A classificação final, após homologação, será encaminhada para publicação no Diário Oficial do Estado e disponibilizada via internet no endereço www.uerr.edu.br

14. DOS RECURSOS

14.1. Serão admissíveis recursos nas seguintes hipóteses:

14.1.1. Do indeferimento preliminar da inscrição, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas após divulgação do indeferimento;

14.1.2. Do resultado preliminar do concurso, no prazo de 5 (cinco) dias corridos, a partir da publicação no Diário Oficial do Estado.

14.2. Os recursos, devidamente fundamentados, deverão ser protocolados na Comissão Permanente de Concursos, conforme modelo no Anexo IV deste Edital.

15. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

15.1. A aprovação e a classificação neste Concurso Público não asseguram ao candidato o direito de ingresso automático no Quadro de Servidores da Universidade. A contratação é de competência do Reitor, dentro do interesse e conveniência da Administração, observada rigorosamente a ordem de classificação dos candidatos.

15.2. A posse no cargo público dependerá de prévia inspeção médica oficial, que será publicada em edital próprio, só podendo ser empossado aquele que for julgado apto físico e mentalmente para o exercício do cargo, e da apresentação dos documentos pessoais exigidos por Lei.

15.2.1. A posse ocorrerá no prazo de 30 (trinta) dias contados a partir da data da publicação do Ato de nomeação no Diário Oficial do Estado, tornando-se sem efeito se ela não ocorrer no prazo previsto, condicionado à disponibilidade orçamentária.

15.2.2. Será de 15 (quinze) dias o prazo para o servidor empossado entrar em exercício, contados da data da posse.

15.3. Os candidatos aprovados serão nomeados sob a égide do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações da UERR, instituído pelas Leis nº 581/07, 605/2007 e 725/2009.

15.4. No caso do candidato se encontrar na condição de servidor público inativo, a acumulação de proventos e vencimentos do cargo objetivo do concurso somente será permitida quando se tratar de cargos, funções ou empregos acumuláveis na atividade na forma autorizada pela Constituição Federal. Caso contrário, a posse dar-se-á somente após opção, pelo candidato, entre proventos e os vencimentos do novo cargo.

15.5. O candidato nomeado fica sujeito a Estágio Probatório por um período de 36 (trinta e seis) meses.

15.5.1. Durante o período de Estágio Probatório serão avaliadas a aptidão e a capacidade do servidor para o exercício do cargo; observados os fatores: assiduidade, disciplina, capacidade de iniciativa, produtividade e responsabilidade.

15.6. É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação de todos os atos, editais e comunicados referentes a este Concurso Público no Diário Oficial do Estado ou por meio eletrônico.

15.7. Não será fornecida nenhuma declaração de participação no Concurso.

15.8. O concurso terá validade de um ano, contada a partir da data da homologação dos resultados, podendo ser prorrogado por igual período, no interesse da Instituição.

15.9. Os candidatos habilitados deverão manter atualizados seus endereços na Comissão Permanente de Concursos desta Universidade, durante o prazo de vigência do concurso.

15.10. Se constatado, a qualquer momento, a existência de declaração ou documento falso, o candidato responsável será automaticamente eliminado do concurso.

15.11. Após publicação do resultado final do concurso no Diário Oficial do Estado, os candidatos terão o prazo de 40 (quarenta) dias para retirar, na Comissão Permanente de Concursos, a documentação entregue no ato da inscrição.

15.12. Os casos omissos, não previstos no presente Edital, serão analisados pela Comissão Organizadora do Concurso e pela Comissão Permanente de Concursos da UERR.

Boa Vista, 25 de agosto de 2009.

PROF. RAIMUNDO NONATO DA COSTA SABÓIA VILARINS
Reitor da UERR

ANEXO I

Relação de Áreas, Sub-área, Vagas, Titulação e Local de Lotação.

Área

Sub-Áreas

Vagas

Titulação

Local de Lotação Campus

Agronomia

Solos, Produção Vegetal, Fitotecnica, Genética e Melhoramento Genético

02

Bacharel em engenharia Agronômica ou Agronomia com no mínimo Mestrado na sub-área

Alto Alegre

Agronomia

Solos, Produção Vegetal, Fitotecnica, Genética e Melhoramento Genético

02

Bacharel em engenharia Agronômica ou Agronomia com no mínimo Mestrado na sub-área

Rorainópolis

Computação e Informática

 

02

Bacharel em Ciência da Computação ou em Informática com no mínimo mestrado na área

Caracaraí

Computação e Informática

 

02

Bacharel em Ciência da Computação ou em Informática com no mínimo mestrado na sub-área

Pacaraima

Engenharia Florestal

 

04

Bacharel em Engenharia Florestal com no mínimo Mestrado na área

São João da Baliza

Física

Ensino de Ciências, Ensino de Física

01

Graduado em Física com no mínimo Mestrado na sub-área

Boa Vista

Física

 

01

Graduado em Física com no mínimo Mestrado na área

Boa Vista

Matemática

Ensino da Matemática, Educação Matemática

01

Licenciado em Matemática com no mínimo Mestrado na sub-área

Rorainópolis

Matemática

 

01

Licenciado em Matemática com no mínimo Mestrado na área

São João da Baliza

Matemática

 

01

Bacharel em Matemática com no mínimo Mestrado na área

Boa Vista

Matemática 01Graduado em Matemática com no mínimo Mestrado na áreaCaracaraí
Matemática 01Graduado em Matemática com no mínimo Mestrado na áreaRorainópolis
Matemática 01Graduado em Matemática com no mínimo Mestrado na áreaSão João da Baliza
QuímicaQuímica Inorgânica, Química Orgânica, Química Analítica, Físico-Química02Graduado em Química com no mínimo Mestrado na áreaBoa Vista
QuímicaEnsino de Química01Licenciado em Química com no mínimo Mestrado na sub-áreaBoa Vista
QuímicaFísico-Química01Graduado em Química com Doutorado na sub­áreaRorainópolis

RELAÇÃO DE TEMAS PARA AS PROVAS ESCRITA E DIDÁTICA

1. ÁREA: Agronomia TITULAÇÃO: Bacharel em engenharia Agronômica ou Agronomia om no mínimo Mestrado em Solos, Produção Vegetal, Fitotecnica, Genética ou Melhoramento Genético

Pontos:

1- Fruticultura Orgânica;

2- Estudo de Cadeias Frutículas na Amazônia;

3- Pós-colheita de Frutos Nativos na Amazônia.

4- Erosão do solo: importância, conceito, mecanismos, fatores que influem na erosão e conseqüências.

5- Sistemas de manejo e conservação do solo.

Bibliografia:

BERTONI, J. & LOMBARDI, NETO, F. Conservação do Solo. Piracicaba, Livroceres, 1990. 355 p.

BRADY, N.C. Natureza e propriedades dos solos. Rio de Janeiro, Freitas Bastos, 1979. 647 p.

DENARDIN, J.E. Enfoque sistêmico em sistema plantio-direto fundamentos e implicações do plantio direto nos sistemas de produção agropecuária. In: N.J. Nuernberg (ed). Conceitos e fundamentos do sistema plantio direto. Lages:SBCS - Núcleo Regional Sul, 1998, pág 07-14.

GOMES,P. Fruticultura Brasileira. 11ª ed. São Paulo: Nobel. 1985. 448p.

LEPSCH, I.F. Formação e conservação dos solos. São Paulo: Oficina de textos. 2002. 178 p.

RESENDE, M.;CURI, N.;REZENDE, S. B. & CORRÊA, G. F. Pedologia; base para distinção de ambientes. 2 ed. Viçosa, NEPUT, 1999. 338P.

SIMÃO,S. Manual de Fruticultura. São Paulo: Ceres. 1971. 530p.

SIMÃO,S. Tratado de Fruticultura. Piracicaba. FEALQ. 1998. 760p.

SOUZA,I. Poda das Plantas Frutíferas. São Paulo: Nobel. 1990. 219p.

2. ÁREA: Ciência da Computação

TITULAÇÃO: Bacharel em Ciência da Computação ou em Informática com no mínimo mestrado na área

Pontos:

1- Histórico, evolução, tipos, serviços e estrutura do sistema de operações;

2- Fundamentos Organizacionais de sistemas de informação

3- Papel estratégico dos sistemas de informação;

4- Conceitos básicos e estrutura de um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados;

5- SGBD existentes e disponíveis e suas aplicações.

Bibliografia:

FURTADO,A.L.; SANTOS,C.S. Organização de Banco de Dados, 7. ed., Rio de Janeiro, Campus, 1987.

MACHADO, F. B., MAIA, L. P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. LTC. 3ª Ed. 2002.

O'BRIEN, J. A; Sistemas de Informação e As Decisões Gerenciais na Era na Internet. Tradução da 9ª Edição. Editora Saraiva. 2001.

OLIVEIRA, R., TOSCANI, S., CARISSIMI, A.S. Sistemas Operacionais. Livro 11 da Série Livros Didáticos do Instituto de Informática da UFRG, 2a. Ed., Sagra Luzzato, 2001.

SETZER,V.W. Banco de Dados: Conceitos, Modelos, Gerenciadores, Projeto Lógico, Projeto Físico, São Paulo, Edgard Blucher, 1986.

SHAY, W.A. Sistemas Operacionai. Makron Book, 1996.

SILBERSCHAT, A.; KORTH, H.F.; SUDARSHAN, S. - Sistemas de Banco de Dados, São Paulo, Editora Makron Books - 3º edição, 1999.

STAIR, R.M. - Princípios de Sis temas de Informação - Uma Abordagem Gerencial, LTC, 1998.

3. ÁREA: Engenharia Florestal TITULAÇÃO: Bacharel em Engenharia Florestal com no mínimo Mestrado na área

Pontos:

1- Técnicas, ferramentas e instrumentos de medição de árvores;

2- Amostragem e tipos em inventário florestal;

3- Manejo de plantações florestais;

4- Sistema agrossilvopastoril;

5- Ecofisiologia florestal;

Bibliografia:

CLAUDINO-SALES, V. (org). Ecossistemas Brasileiros: Manejo e Conservação. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2003.

FLOR, H. Florestas tropicais. São Paulo: Ícone Editora, 1985

NEVES, A. A Educação florestal. Rio de Janeiro: Globo, 1990.

PÉLLICO-NETTO, S.; BRENA, D.A. Inventário florestal. Curitiba: 1998.

SOARES, C.P.B.; PAULA NETO, F.; SOUZA, A.L. Dendrometria e inventário florestal. Viçosa: Editora UFV. 2006.

ZARIN, D.J. et al. As florestas produtivas no neotrópico. Conservação por meio do manejo sustentável? São Paulo: Ed. Peirópolis. Brasília: IEB - Instituto Internacional de Educação no Brasil. 2005.

HIGA, A. R. ; SILVA, Luciana Duque . Pomar de Sementes de Espécies Florestais Nativas. v. 1. Curitiba: FUPEF, 2006.

HOSOKAWA, T.H.; MOURA, J.B.; CUNHA, U.S. Introdução ao manejo e economia de florestas. Curitiba: Editora da UFPR. 1998.

4. ÁREA: Física TITULAÇÃO: Mestre em Ensino de Ciências ou Ensino de Física

Pontos:

1- Tendências metodológicas em educação em Ciências.

2- Os recursos didáticos no ensino da Física.

3- A resolução de problemas no ensino da Física.

4- Os mapas conceituais no ensino da Mecânica.

5- O papel dos experimentos no ensino dos fenômenos térmicos.

Bibliografia:

COLL, C., Gómez, I., MARTÍ, E., MAURI, T., MIRAS, M., ONRUBIA, J., y otros. Psicologia do Ensino. Porto Alegre: Artmed, 1997

POZO, J. I. Teorias Cognitivas da Aprendizagem (3ª ed.). São Paulo: Artmed. 2002.

POZO, J.I. A solução de problemas. Artmed, Porto Alegre, 1994

FLEURY, Mortimer E. Linguagem e Formação de Conceitos no Ensino de Ciências. Editora UFMG, BH,2006.

CARVALHO, A.M.P. Física: proposta para um ensino construtivista. São Paulo. Editora Pedagógica Universitária. 1989.

PIETROCOLA, M. Ensino de Física. Editora UFSC.

VALENTE, J.A. (org) O computador na sociedade do conhecimento. MEC. 2000.

TIPLER, Paul A. Física . 4 ed. Rio de Janeiro: Ed Livros técnicos e científicos, 2000. V.1-4.

RESNICK Robert & HALLIDAY David & WALKER Jearl. Fundamentos de Física 6.Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2003. v.1-4

CABRAL S. S. da C, MOREIRA, M. A. A resolução de problemas como um tipo especial de aprendizagem significativa cadernos catarinenses de Ensino de Física v. 18, n. 3: p. 278-297, dez. 2001.

HEWITT, P.G. Física Conceptual. Editora Bookman. Ed 9.

5. ÁREA: Física TITULAÇÃO: Graduado em Física com no mínimo Mestrado em Física

Pontos:

1- Leis da Mecânica

2- Leis da Termodinâmica.

3- As equações de Maxwell. Ondas Eletromagnéticas.

4- Os princípios da Mecânica Quântica.

5- A teoria especial da relatividade.

Bibliografia:

JAMES, Meriam. Dinâmica.Rio de Janeiro: LTC, 1994.

REITZ John R et al. Fundamentos da teoria eletromagnética. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

REIF. F. Fundamentos da Física Estatística e térmica. Ed. Mc. Graw - Hill. 1967.

TIPLER, Paul A. Física . 4 ed. Rio de Janeiro: Ed Livros técnicos e científicos, 2000. V. 1-4.

RESNICK Robert & HALLIDAY David & WALKER Jearl. Fundamentos de Física 6.Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2003. v.1-4

6. ÁREA: Matemática TITULAÇÃO: Licenciado em Matemática com no mínimo Mestrado em Ensino da Matemática ou Educação Matemática

Pontos:

1- Metodológicas para o ensino de Matemática: Resolução de Problemas, modelagem matemática, abordagens etnomatemáticas, uso de recursos tecnológicos e história da Matemática.

2- O ensino de Matemática e as teorias cognitivas do desenvolvimento e da aprendizagem.

3- Avaliação no processo de ensino-aprendizagem da Matemática.

4- Interdisciplinaridade e Educação Matemática.

5-. Parâmetros Curriculares e suas implicações no ensino de Matemática na educação básica Bibliografia:

BIEMBENGUT, Maria Salett e HEIN, Nelson. Modelagem Matemática no ensino. 3. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2003.

BOYER, Carl B. História da Matemática. 2 ed. São Paulo: Edgard Blücher Ltda, 1998.

BORBA, Marcelo C; PENTEADO, Mirian. Informática e educação Matemática. Coleção tendências em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autentica, 2001.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Ciencias da Natureza matemática e suas tecnologias: orientações curriculares para o ensino médio. Secretaria de Educação Básica. V 2. Brasília: MEC/SEB, 2006.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: matemática. Secretaria de Educação Fundamental. 3. ed. Brasília: A Secretaria, 2001.

CARAÇA, Bento de Jesus. Conceitos Fundamentais da Matemática. 9. ed. Lisboa: Livraria Sá da Costa Editora, 1989.

D'AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação Matemática: da teoria à prática. 11ed. Campinas: Papirus, 2004.

D'AMBRÓSIO, Ubiratan. Transdisciplinaridade. São Paulo: Palas Athena, 1997.

GROENWALD, Cláudia Lisete Oliveira. SILVA, Carmem Kaiber da. MORA, Castor David. Perspectivas em Educação Matemática. Revista de Ciências Naturais e Exatas. Actascientiae. Vol 6. Canoas, 2004. P 37-55

LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da Aprendizagem Escolar. 7 ed. São Paulo: Cortez, 1998.

POZO, J. I. Teorias Cognitivas da Aprendizagem 3 ed.São Paulo: Artmed, 2002.

PAIS, Luiz Carlos. Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

7. ÁREA: Matemática TITULAÇÃO: Graduado/Licenciado/Bacharel em Matemática com no mínimo Mestrado na área

Pontos:

1- Grupos: Classes laterais e teorema de Langrange; Normalidade, Grupos quocientes e Homomorfismos; ?-grupos; e os Teoremas de Sylow:

2- Anéis: Anéis e Homomorfismos; Domínios Euclidianos e de Fatoração única; Ideais e Anéis quocientes; Anéis de Polinômios.

3- Regras de Diferenciação, aplicações da Diferenciação

4 -Técnicas de Integração, aplicações de Integração.

5- Geometria: Curvas Diferenciáveis, Superfícies Regulares, A Geometria da Aplicação de Gauss, A Geometria intrínseca das Superfícies

Bibliografia:

STEWART, James. Cálculo, vol. 1 e 2. São Paulo: Pioneira. 2001.

HOFEZ, Abramo. Curso de Álgebra. Coleção Matemática Universitária, V 1. Rio de Janeiro: IMPA, 1993.

BARTLE, R. G..Elementos de Análise Real. Rio de Janeiro: Campus, 1983.

GARCIA, A;LEQUAIN, Y. Elementos de Álgebra. IMPA, 2002.

GONÇALVES, A. Introdução à Álgebra. 2 ed., Projeto Euclides. Rio de Janeiro: IMPA, 2003.

ÁVILA, G. S. S.Análise Matemática para Licenciatura. 3 ed., São Paulo:Edgar Blücher,2006.

ARAÚJO, P. V. Geometria Diferencial. 2 ed. IMPA, 1998.

ROITMAN, P.. Geometria Diferencial das Curvas e Superfícies. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Matemática, 2005.

8. ÁREA: Química TITULAÇÃO: Licenciado em Química com no mínimo Mestrado em Ensino de Química

Pontos:

1- Tendências metodológicas em educação em Ciências.

2- Os recursos didáticos no ensino da Química Orgânica.

3- A resolução de problemas no ensino da.Química Analítica..

4- O papel da experimentação no ensino da Físico Química.

5- A Química na educação ambiental para a o desenvolvimento sustentável.

Bibliografia:

COLL, C., Gómez, I., MARTÍ, E., MAURI, T., MIRAS, M., ONRUBIA, J., y otros. Psicologia do Ensino. Porto Alegre: Artmed, 1997

POZO, J. I. Teorias Cognitivas da Aprendizagem (3ª ed.). São Paulo: Artmed. 2002.

POZO, J.I. A solução de problemas. Artmed, Porto Alegre, 1994

FLEURY, Mortimer E. Linguagem e Formação de Conceitos no Ensino de Ciências. Editora UFMG, BH,2006.

VALENTE, J.A. (org) O computador na sociedade do conhecimento. MEC. 2000.

MALDANER O.A. e BASSO L. (org) Fundamentos e propostas de ensino de Química para a educação básica no Brasil. Editora UNIJUI.

MORTIMER, E.F. Prespostos epistemológicos para uma metodologia de ensino de química: mudança conceitual e perfil epistemológico. Química Nova, v15, n3, p242-249. 1992

STRACK, R; MARQUES, M; DEL PINO, J. C. Por um outro percurso da construção do saber em Educação Química. Química Nova, v131, n1, p18-22. 2009

SÁ,L, P; LINHARES S. Q. LINHARES Promovendo a argumentação no ensino superior de Química. Quimica. Nova, Vol. 30, No. 8, 2035-2042, 2007

FRANCISCO JR. W. E; FERREIRA, L. H; HARTWIG, D. R; Experimentação problematizadora: fundamentos teóricos e práticos para a aplicação em salas de aula de ciências.

9. ÁREA: Química TITULAÇÃO: Graduado em Química com no mínimo Mestrado em Química Inorgânica, Química Orgânica, Química Analítica ou Físico-Química

Pontos:

1- Funções orgânicas.

2- Cinética Química.

3-Equilíbrio químico.

4- Funções inorgânicas e reações dos compostos inorgânicos.

5- Ligações químicas.

Bibliografia:

RUSSELL, Joel W. Química A matéria e suas transformações,: Livros Técnicos e Científicos Editora: Rio de Janeiro,1992. 1v.

RUSSELL, John B. Química Geral. São Paulo: McGraw - Hill do Brasil, 1994.

SOLOMONS, G.T.W. Química Orgânica. 8ª edição, Editora LTC. 2005. Rio de Janeiro. Vol. 1 e 2.

BRADY, John E., RUSSELL, Joel W. Química A matéria e suas transformações. 3ª edição. Editora LTC: Rio de Janeiro, 2002. 1v.

ALLINGER, N.L., CAVA, M. P & OUTROS. Química Orgânica, 2ª ed. Editora Guanabara Dois S/A, Rio de Janeiro, 1976.

ANEXO II

TABELA DE VALORAÇÃO DOS TÍTULOS

DESCRIÇÃO

PONTUAÇÃO MÁXIMA 10 PONTOS

GRUPO I - Títulos Acadêmicos:

Pontuação máxima: 1,5 Pontos

Doutorado na área do concurso (Cópia autenticada do Diploma ou Certificado)

1,0 ponto

Doutorado fora da área do concurso (Cópia autenticada do Diploma ou Certificado)

0,75 pontos

Especialização na área do concurso (Cópia autenticada do Certificado)

0,45 ponto

Especialização fora da área do concurso (Cópia autenticada do Certificado)

0,25 ponto

GRUPO II - Produção Científica, Artística, Técnica, Cultural:

Pontuação máxima: 3,5 Pontos

Artigos em revistas internacionais (original ou cópia autenticada)

0,25 pontos por artigo; máximo 1,00 ponto.

Artigos em revistas nacionais (original ou cópia autenticada)

0,20 pontos por artigo; máximo 0,80 pontos.

Trabalhos completos apresentados em eventos internacionais (original ou cópia autenticada)

0,15 pontos por trabalho; máximo 0,60 pontos.

Trabalhos completos apresentados em eventos nacionais (original ou cópia autenticada)

0,10 pontos por trabalho; máximo 0,40 pontos.

Autoria de Livros com ISSN (cópia autenticada da capa e contra capa)

0,50 pontos por livro; máximo 1,00 ponto.

Capítulos em livros (cópia autenticada da capa, contra capa, índice e 1ª página do capítulo)

0,30 pontos por capítulo; máximo 0,60 pontos.

Material Didático (cópia do material)

0,10 pontos por material; máximo 0,50 pontos.

GRUPO III - Atividade Didática:

Pontuação máxima: 2,0 Pontos

Exercício do Magistério no Ensino Superior (cópia do registro na CTPS ou declaração da instituição)

0,25 pontos por semestre; máximo 1,00 ponto.

Orientações de monografias e orientação científica (declaração da instituição onde orientou)

0,10 pontos por orientação; máximo 0,50 pontos.

Coordenação e/ou execução de Projetos de Extensão (declaração da instituição onde coordenou)

0,15 pontos por projeto; máximo 0,60 pontos.

GRUPO IV - Atividades Técnico-Profissionais:

Pontuação máxima: 3,0 Pontos

Participação em Projetos de Pesquisa (declaração da instituição onde realizou a pesquisa)

0,50 pontos por projeto; máximo 1,50 pontos.

Atividades Administrativas e/ou Representações (cópia da portaria)

0,20 pontos por atividade; máximo 1,00 ponto.

Prática Profissional com Registro Trabalhista (cópia do registro na CTPS)

0,25 pontos por ano; máximo 1,00 ponto.

Pareceres e/ou consultorias (declaração da empresa ou ART)

0,10 pontos por item; máximo 0,50 pontos.

ANEXO III

Cronograma da Realização do Concurso para Professor 40hs

Período de inscrição: de 01/09/09 a 16/10/09.
Deferimento / Indeferimento das inscrições: 19 e 20/10/09
Divulgação do Deferimento / Indeferimento e número das inscrições: 20/10/09, às 17 h
Recurso (indeferimento): 21 e 22/10/09
Divulgação do Resultado do Recurso: 23/10/09, às 17 h
Etapas:
Sorteio dos temas para as Provas Escrita e Didática: 04/11/09, às 8 h
Local: UERR
Rua Sete de Setembro, 231 – Canarinho
Boa Vista - Roraima
Prova Escrita: 04/11/09, às 9h
Divulgação do Resultado da Prova Escrita: 04/11/09, às 19h
Local: UERR
Rua Sete de Setembro, 231 – Canarinho
Boa Vista - Roraima
Prova Didática: 05/11/09 – 8h sorteio da ordem de apresentação.
8h15 início previsto para prova.
Divulgação do Resultado da Prova Didática: 06/11/09, às 8h
Local: UERR
Rua Sete de Setembro, 231 – Canarinho
Boa Vista - Roraima
Argüição do Plano de Pesquisa e Extensão:
06/11/09 – 9h sorteio da ordem de apresentação.
9h30 início previsto para argüição.
Local das Provas: UERR
Rua Sete de Setembro, 231 – Canarinho
Boa Vista – Roraima.

OBSERVAÇÃO: Este cronograma poderá sofrer alteração.

ANEXO IV Modelo de Recurso

CONCURSO PÚBLICO:

CARGO PRETENDIDO:

NOME DO CANDIDATO:

Nº DE INSCRIÇÃO:

PROVA DE (EXEMPLO: DIDÁTICA, DE TÍTULOS)

MOTIVO DO RECURSO

FUNDAMENTAÇÃO:

ARGUMENTAÇÃO LÓGICA:

DATA DE ENTREGA:

HORA DE ENTREGA:

ASSINATURA DO CANDIDATO:

ASSINATURA DO SERVIDOR DO PROTOCOLO:

113142

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231