Prefeitura de Sarzedo - MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE SARZEDO

ESTADO DE MINAS GERAIS

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2013

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO PROCESSO SELETIVO

Notícia:   Prefeitura de Sarzedo - MG abre processo seletivo para cargos de todos os níveis

O Processo Seletivo constará de:

a) 1ª Etapa: Inscrições e homologação das inscrições;

b) 2ª Etapa: Prova Objetiva de caráter eliminatório e classificatório;

c) 3ª Etapa: Entrevista Psicológica, de caráter eliminatório e classificatório;

d) 4ª Etapa: Exame Pré-Admissional, de caráter eliminatório.

O Município de Sarzedo, Minas Gerais, através da Secretaria Municipal de Educação, torna público o Processo Seletivo, para preenchimento de cargos de admissão em caráter temporário até a data da realização do concurso público a seguir relacionados, o qual se regerá pelas instruções deste Edital:

O PREFEITO MUNICIPAL DE SARZEDO, no uso de suas atribuições legais, por intermédio da Comissão de Acompanhamento do Processo Seletivo, nomeada pela Portaria n.º 317/2013, de 05/07/2013 torna público a abertura de processo seletivo simplificado para fins de seleção de pessoal para contratação, em caráter excepcional, por tempo determinado, conforme o disposto no Art. 37, IX, da Constituição Federal do Brasil e Lei Municipal n.º 031, de 28 de fevereiro de 2005 nos cargos, especialidades e lotações especificados no ANEXO I e regido pelas normas constantes neste Edital.

1 - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1 - O processo seletivo simplificado será regido por este edital, coordenado pela Comissão de Processo Seletivo da Prefeitura Municipal de Sarzedo em parceria com o Departamento de Recursos Humanos, conforme cargo, número de vagas e lotação especificados no Anexo I deste Edital.

1.2 - O processo seletivo simplificado visa à contratação por tempo determinado, conforme previsão legal, e para atendimento ao interesse público em caráter excepcional de profissionais para atendimento a programas permanentes, projetos e convênios celebrados pelo Município de Sarzedo pelo período de vigência dos mesmos.

1.3 - A seleção para as contratações de que trata este edital será realizada mediante a inscrição, realização de Prova objetiva, entrevista e exame pré-admissional.

1.4 - Os cargos, remuneração, carga horária e os requisitos básicos para provimento estão descritos no Anexo I deste Edital.

1.5 - A publicação referente ao presente processo seletivo será realizada mediante afixação nos quadros de avisos da Secretaria Municipal de Educação e divulgação no site oficial da Prefeitura (www.sarzedo.mg.gov.br) e da empresa Reis & Reis Auditores Associados (www.reisauditores.com.br) ficando o candidato responsável pelo conhecimento das mesmas.

2 - DAS CONDIÇÕES PARA INSCRIÇÃO

2.1 - ser brasileiro nato ou naturalizado;

2.2 - estar em dia com as obrigações eleitorais;

2.3 - estar em dia com as obrigações militares, se do sexo masculino;

2.4 - ter, no ato da inscrição, idade mínima de 18 (dezoito) anos completos;

2.5 - possuir a escolaridade e demais requisitos exigidos para o exercício do cargo;

2.6 - não ser aposentado por invalidez e nem estar com idade de aposentadoria compulsória, ou seja, 70 anos;

2.7 - não receber proventos de aposentadoria oriundos de cargo, cargo ou função exercidos perante a União, Território, Estado, Distrito Federal, Município e suas Autarquias, Empresas ou Fundações, conforme preceitua o artigo 37, §10 da Constituição Federal, com a redação da Emenda Constitucional nº 20 de 15/12/98, ressalvadas as acumulações permitidas pelo inciso XVI do citado dispositivo constitucional, os Cargos eletivos e os Cargos em comissão;

2.8 - não ter sido demitido/exonerado pela Prefeitura Municipal de Sarzedo por justa causa ou em decorrência de processo administrativo disciplinar;

2.9 - não ter sido, nos últimos cinco anos, na forma da legislação vigente, responsável por atos julgados irregulares por decisão definitiva do Tribunal de Contas da União, do Tribunal de Contas de Estado, do Distrito Federal ou de Município, ou, ainda, do Conselho de Contas do Município; punido, em decisão da qual não caiba recurso administrativo, em processo disciplinar, por ato lesivo ao patrimônio público de qualquer esfera do governo; condenado em processo criminal por prática de crimes contra a Administração Pública, capitulados nos títulos II e XI da Parte Especial do Código Penal Brasileiro, na Lei nº 7.492, de 16 de junho de 1986, e na Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992;

2.10 - os requisitos constantes dos itens 2.1 a 2.9 deverão ser comprovados através da apresentação de documentação original, juntamente com fotocópias, no ato da contratação, sendo excluído do Processo Seletivo aquele que não os apresentar.

2.11 - Apresentar os documentos que se fizerem necessários por ocasião da inscrição. O candidato que não as satisfizer será eliminado do processo seletivo simplificado.

2.12 - Na entrega dos documentos necessários os interessados receberão a comprovação de sua inscrição.

2.13 - Cumprir as determinações deste edital.

2.14 - A inscrição do candidato implicará no conhecimento e a expressa aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital, e nas instruções específicas contidas nos comunicados e em outros editais pertencentes ao presente Processo Seletivo que, porventura, venham a ser publicados, em relação as quais não poderá alegar desconhecimento de qualquer natureza.

2.15 - Antes de efetuar a inscrição, o candidato deverá conhecer o edital e certificar-se de que preenche todos os requisitos exigidos para o ingresso no cargo. No momento da inscrição, o candidato deverá optar pelo cargo desejado. Uma vez efetivada a inscrição não será permitida, em hipótese alguma, a sua alteração.

3 - DAS INSCRIÇÕES

3.1 - A inscrição deverá ser efetuada por meio de entrega da ficha de inscrição devidamente preenchida, pessoalmente ou por procurador formalmente constituído e unicamente na Prefeitura Municipal de Sarzedo, situada na Rua Eloy Candido de Melo, nº 477, Bairro Centro, Sarzedo (ao lado do setor de protocolo), Telefone: (31) 3577-7032, no horário de 8h às 12h e de 13h às 17h, de segunda a sexta-feira, no período de 15/07 a 26/07 de 2013, munidos dos documentos (originais e cópias autenticadas) descritos abaixo:

a) Documento de Identidade (RG) ou Documento de identificação (com foto) com validade em todo território nacional;

b) Cadastro de Pessoa Física - CPF;

c) Atestado de bons antecedentes emitido com data de no máximo, três dias anteriores à data da inscrição;

d) Comprovante de endereço;

e) Requerimento de inscrição corretamente preenchido (conforme modelo padronizado constante do Anexo VI) no qual declare atender às condições exigidas para a inscrição e submeter-se às normas expressas neste Edital;

3.2 - Em se tratando de procuração, a mesma deverá ser com firma reconhecida do outorgante e acompanhada de cópia autenticada do documento de identidade do procurador e do candidato.

3.3 - Os documentos pessoais deverão ser entregues no ato da inscrição, apresentar originais e cópias de todos os comprovantes, numerados sequencialmente e colocados em um plástico A4 transparente. O plástico com os respectivos documentos deverá ser entregue no ATO DA INSCRIÇÃO.

3.4 - O processo seletivo é isento de taxas ou emolumentos e destina-se a cobrir vagas essenciais à regular prestação dos serviços públicos e visa tão somente atender as necessidades excepcionais.

3.5 - Somente será permitido ao candidato inscrever-se em uma função.

3.6 - O candidato será responsável por qualquer erro, rasura, ou omissão, bem como pelas informações prestadas pessoalmente ou por seu procurador, na ficha e no requerimento de inscrição.

3.7 - Não serão aceitas, sob nenhuma hipótese, inscrições em caráter condicional, realizadas via postal, por fax ou e-mail ou em desacordo com as normas do presente Edital.

3.8 - Verificada, a qualquer tempo, a apresentação de documentos falsos e/ou de inscrição que não atenda a todos os requisitos do presente Edital, será o candidato automaticamente eliminado da Seleção.

3.9 - A inscrição vale, para todo e qualquer efeito, como forma de expressa concordância, por parte do candidato, com todas as condições, normas e exigências constantes no presente Edital, das quais não poderá alegar desconhecimento em momento algum.

3.10 - O candidato que fizer qualquer declaração falsa, inexata ou, ainda, que não possa satisfazer todas as condições estabelecidas neste edital, terá sua inscrição cancelada e, em consequência, anulados todos os atos dela decorrentes, mesmo que aprovado nas provas e que o fato, seja constatado posteriormente.

3.11 - O deferimento da inscrição dependerá do correto preenchimento do Requerimento de Inscrição e do cumprimento das exigências para esta fase, determinadas por este Edital. A listagem com as inscrições deferidas será divulgada até o dia 03/07 de 2013, nos sites: www.sarzedo.mg.gov.br e www.reisauditores.com.br, ficando o candidato responsável pelo conhecimento da mesma.

4 - DAS VAGAS DESTINADAS AOS CANDIDATOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

4.1 - Do total de vagas previstas neste Edital, 5% (cinco por cento) serão reservadas a candidatos portadores de deficiência, conforme dispõem a Lei 7.853 de 24 de outubro de 1989 e o Decreto 3.298, de 20 de dezembro de 1999, alterado pelo Decreto 5.296, de 02 de dezembro de 2004, arredondando este número estabelecido para o primeiro número inteiro subsequente, caso a aplicação deste percentual resultar em número fracionado.

4.2 - Obrigatoriamente, o candidato com deficiência deverá apresentar no ato da inscrição, o Laudo Médico Original atestando a espécie e o grau ou nível de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da CID (Classificação Internacional de Doenças), bem como a provável causa de doença;

4.3 - O candidato que se declarar portador de deficiência, se aprovado no Processo Seletivo, será avaliado por uma equipe multiprofissional, de acordo com o artigo 43 do Decreto 3.298/99, comparecendo, às suas expensas, em data e horário a serem comunicados, munido de laudo médico que ateste a espécie e o grau ou nível de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID), bem como a provável causa da deficiência.

4.4 - A equipe multiprofissional, observando as informações prestadas pelo candidato no ato da inscrição, emitirá parecer conclusivo sobre sua qualificação como portador de deficiência ou não, bem como sobre a compatibilidade entre as atribuições do posto de trabalho e a deficiência apresentada, nos termos do artigo 43 do Decreto nº 3.298/99.

4.5 - Caso o candidato não seja qualificado pela perícia como portador de deficiência, nos termos do subitem 4.2, passará a concorrer unicamente às vagas de concorrência ampla, observada a ordem de classificação.

4.6 - O candidato portador de deficiência reprovado na perícia em virtude de incompatibilidade da deficiência com as atribuições do posto de trabalho será eliminado do processo seletivo.

4.7 - A não observância do disposto no subitem 4.2, bem como no 4.3, a reprovação na perícia ou o não comparecimento à perícia acarretarão a perda do direito às vagas reservadas aos candidatos em tais condições.

4.8 - O candidato com deficiência participará do Processo Seletivo em igualdade de condições com os demais, no que se refere ao conteúdo, avaliação e aplicação da prova.

4.9 - Não haverá restrições para inscrição de portadores de deficiência, desde que haja compatibilidade física e mental para o desempenho do cargo pretendido.

4.10 - Não havendo candidatos habilitados e classificados para as vagas reservadas aos portadores de necessidades especiais, essas vagas serão ocupadas pelos demais candidatos classificados.

5 - DO PROCESSO SELETIVO

5.1 - O Processo Seletivo constará de:

a) 1ª Etapa: Deferimento das Inscrições.

b) 2ª Etapa: Prova Objetiva de caráter eliminatório e classificatório

c) 3ª Etapa: Entrevista Psicológica de caráter eliminatório e classificatório.

d) 4ª Etapa: Exame Pré-Admissional, de caráter eliminatório.

6 - DA SELEÇÃO

6.1 - DA PROVA OBJETIVA

6.1.1 - O Processo seletivo consistirá da realização da Prova Objetiva de Múltipla Escolha.

6.2 - DA PROVA OBJETIVA

6.2.1 - A prova objetiva, para todos os cargos, consistirá de 30 (trinta) questões de múltipla escolha, com quatro alternativas (A, B, C, D), sendo uma só correta. A prova terá a duração de duas horas e trinta minutos improrrogáveis.

6.2.2 - A prova objetiva versará sobre conteúdos definidos para o cargo respectivo, e constará de trinta(30) questões no total, valendo 2 pontos cada uma, em um total de 60 pontos, distribuídos conforme tabela seguinte:

CARGO

PROVA OBJETIVA

Nº DE QUESTÕES

Monitores (monitor de dança - balé, corpo e movimento, artes marciais - jiu-jitsu, música e flexibilizador)

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

Português

15

Conhecimentos específicos

5

Professor de Inglês e Psicopedagogo

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

Português

10

Conhecimentos específicos

10

Monitor Psicossocial e Monitor para oficina de alfabetização.

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

Português

10

Conhecimentos específicos

10

Monitor de Informática e Monitor Substituto

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

Português

10

Conhecimentos específicos e informática

10

Monitor de Educação Infantil e Monitor de Creche

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

Português

10

Conhecimentos Específicos

10

Auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar de Serviços Gerais de Creche, Cozinheira de Creche, Secretário de Creche.

Português

15

Conhecimentos Específicos

15

Oficineiro (artesanato), Fonoaudiólogo e Psicólogo

Português

15

Conhecimentos específicos

15

Educador Infantil de Creche e Especialista em Educação de Creche e Monitor de Telecurso

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

Português

15

Conhecimentos específicos

5

6.2.3 - O Conteúdo Programático consta no Anexo IV deste Edital.

6.2.4 - Na Prova Objetiva serão classificados os candidatos que obtiverem o mínimo de 50% (cinquenta por cento) de aproveitamento, ou seja, nota igual ou superior a 30 (trinta) pontos, sendo eliminados do certame os que obtiverem nota inferior a 30 (trinta) pontos.

6.2.5 - A prova objetiva será realizada no dia 04 de agosto de 2013, das 9h às 11h30min, em local que será divulgado no dia 31/07/2013.

6.2.6 - As respostas da prova objetiva serão lançadas em uma Folha de respostas, que conterá o número de inscrição do candidato e sua assinatura, sendo o número de inscrição repetido no caderno de questões pelo candidato.

6.3 - DA REALIZAÇÃO DAS PROVAS OBJETIVAS

6.3.1 - A duração das provas será de 2h30min e será realizada no dia 04 de agosto de 2013 às 9h00min.

6.3.2 - Não será permitida a entrada de candidato (a) após às 8:50h.

6.3.3 - Para a realização da prova o candidato deverá estar munido de caneta esferográfica azul ou preta.

6.3.4 - As respostas das Provas Objetivas deverão ser transcritas para a Folha de Respostas, que é o único documento válido para correção. Em nenhuma hipótese haverá substituição da Folha de Respostas por erro do candidato, sendo da responsabilidade exclusiva do candidato os prejuízos advindos de marcações feitas incorretamente, emenda ou rasura, ainda que legível.

6.3.5 - É vedado o ingresso, nas salas onde será realizada a prova escrita, de candidatos portando aparelhos eletrônicos, tais como celulares, bips ou similares.

6.3.6 - Será excluído do Processo Seletivo o candidato que:

6.3.6.1 - Não comparecer para a realização da prova;

6.3.6.2 - Retirar-se do recinto da prova durante a sua realização, sem a devida autorização dos fiscais;

6.3.6.3 - Durante a realização do Processo Seletivo, for colhido em comunicação com outro candidato ou com pessoas estranhas, oralmente, por escrito ou através de equipamentos eletrônicos ou, ainda, que venha a tumultuar a sua realização.

6.3.7 - Não será permitido o acesso de candidatos retardatários, sendo que as portas e/ou portões do recinto da realização das provas serão fechados 10 minutos antes do início das provas, ou seja, 08h50min, e nenhum candidato que chegar após este horário terá direito a participar das provas.

6.3.8 - Os candidatos somente poderão ausentar-se do recinto das provas, depois de decorridos 60 minutos do início das mesmas por motivo de segurança.

6.3.9 - Os objetos de uso pessoal serão colocados em local indicado pelo fiscal de prova e retirados somente após a entrega da folha de respostas.

6.3.10 - Não haverá segunda chamada para as provas. O não comparecimento a quaisquer das provas resultará na eliminação automática do candidato.

6.3.11 - Não haverá, por qualquer motivo, prorrogação do tempo previsto para aplicação das provas em virtude de afastamento de candidato da sala de provas.

6.3.12 - Em hipótese alguma serão realizadas provas fora do local, cidade, data e horário determinados.

Não serão levados em consideração os casos de alteração psicológica ou fisiológica e não será dispensado tratamento diferenciado em função dessas alterações.

6.3.13 - Na prova objetiva, os três últimos candidatos ao terminarem a prova deverão permanecer juntos na sala, sendo somente liberados após os três últimos terem entregado as provas e assinarem juntos a Ata da Prova.

6.3.14 - As referências bibliográficas citadas neste Edital são consideradas referências básicas, o que não impede que outras sejam utilizadas para a elaboração das questões das Provas Objetivas.

6.3.15 - O gabarito provisório para a conferência do desempenho dos candidatos será publicado pela Comissão de Acompanhamento do Processo Seletivo no dia 05/08/2013, no Quadro de Avisos da Secretaria Municipal de Educação e através dos sites www.sarzedo.mg.gov.br e www.reisauditores.com.br.

6.4 - DA ENTREVISTA PSICOLÓGICA

6.4.1 - Realizada a Prova Objetiva, serão convocados todos os candidatos aprovados na Prova Objetiva para a realização da Entrevista Psicológica de caráter eliminatório e classificatório, de acordo com os seguintes parâmetros:

6.4.2 - A nota mínima exigida será de 50% (cinquenta por cento) do total de pontos, ou seja, 30 pontos obtidos na Prova Objetiva.

6.4.3 - Serão convocados todos os candidatos aprovados na Prova Objetiva de Múltipla Escolha.

6.4.4 - A Entrevista será realizada por profissionais designados pela Secretaria Municipal de Educação no período de 22 e 23 de agosto de 2013, de acordo com o cronograma que consta deste edital.

6.4.5 - O perfil para os empregos oferecidos é constituído por um conjunto de características de personalidade e inteligência que permita a esse profissional condições de adaptação e possibilidade de desempenho positivo.

6.4.6 - O conjunto de características a ser verificado na Entrevista está embasado na descrição a seguir:

- Atuação em equipe multiprofissional

- Comunicação

- Criatividade e iniciativa

- Equilíbrio emocional

- Organização

- Reconhecimento e respeito à diversidade

- Relacionamento interpessoal

- Tolerância e paciência

- Capacidade para resolver conflitos

- Preparo para a função

6.4.7 - A entrevista será avaliada na escala de "0" (zero) a "30" (trinta) pontos, levando em consideração o conjunto de características definidas no item anterior.

6.5 - DO EXAME MÉDICO PRÉ-ADMISSIONAL

6.5.1 - Previamente à contratação, o candidato será submetido a exame médico pré-admissional, de caráter eliminatório, no qual será avaliada a sua capacidade laborativa para o cargo a que se propõe.

6.5.2 - O candidato deverá comparecer ao exame médico pré-admissional, portanto os seguintes resultados de exames: "hemograma completo", "glicemia de jejum", "urina rotina". (os exames devem ter sido feitos, no máximo, até 3 meses da data do exame pré-admissional)

6.5.3 - O exame médico pré-admissional será efetuado por médico do Trabalho, indicado pela Secretaria Municipal de Saúde.

6.5.4 - Segundo a necessidade, poderão ser solicitados exames complementares para a composição do parecer médico.

6.5.5 - Os exames complementares, não são isolados, determinantes da conclusão médica sobre a condição do candidato.

6.5.6 - O Atestado de Saúde para a admissão será emitido com a conclusão de apto ou inapto para o cargo pretendido;

6.5.7 - Será considerado excluído do Processo Seletivo o candidato que:

a) for considerado inapto no exame médico pré-admissional;

b) não se apresentar ao exame médico pré-admissional no local e horário estabelecido;

c) não der continuidade à avaliação, em caso de retorno solicitado;

d) não apresentar, no retorno, os exames complementares solicitados.

6.5.8 - O resultado dos exames médicos não será divulgado em separado, mas na divulgação final da classificação do candidato.

7 - DOS CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO

7.1 - Os candidatos classificados serão ordenados de forma decrescente de acordo com o somatório das notas finais do processo seletivo.

7.2 - Serão elaboradas duas listagens de candidatos classificados: uma, com todos os candidatos em ordem decrescente dos pontos obtidos nas provas, e outra com candidatos portadores de deficiência, na forma deste Edital.

7.3 - As vagas destinadas aos portadores de deficiência não ocupadas serão destinadas aos demais candidatos.

8 - DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE

8.1 - Ocorrendo empate de pontos na classificação final, os critérios de desempate, para fins de homologação do resultado da seleção, dar-se-ão de acordo com os seguintes critérios, em ordem de prioridade:

8.1.1 - maior número de pontos na Prova de Conhecimentos Específicos;

8.1.2 - maior número de pontos na Prova de Conhecimentos Pedagógicos e Legislação;

8.1.3 - tiver idade mais avançada.

9 - DOS RECURSOS ADMINISTRATIVOS

9.1 - Será assegurado aos candidatos o direito a recursos tanto em relação às questões da prova objetiva, em relação ao gabarito e à classificação dos aprovados.

9.2 - Os recursos deverão ser expressos em termos convenientes, apontando as circunstâncias que os justifiquem, bem como indicar o nome do candidato, número de sua inscrição, documento de identidade (RG) e cargo a que estiver concorrendo e assinatura e protocolizados exclusivamente no setor de Protocolo da Prefeitura de Sarzedo, localizado na Rua Professora Efigênia Mendonça, 477,B. Vila Satélite, até as 16h00min. Não serão aceitos recursos após esse horário.

9.3 - Os recursos deverão ser interpostos de acordo com o cronograma apresentado nesse edital, observando-se cada etapa do Processo Seletivo, subsequente à realização e/ou divulgação da referida etapa.

9.4 - Será indeferido o pedido de recurso apresentado fora do prazo e/ou de forma diferente do estipulado neste edital (modelo Anexo VII), assim como aqueles que apresentarem erros ou informações incompletas no seu preenchimento;

9.5 - Admitir-se-á um único recurso por candidato relativo à cada etapa do Processo Seletivo.

9.6 - No caso de provimento do recurso interposto dentro das especificações, este poderá, eventualmente, alterar a nota/classificação inicial obtida pelo candidato para uma nota/classificação superior ou inferior, ou ainda poderá ocorrer a desclassificação do candidato que não obtiver nota mínima exigida para aprovação.

9.7 - Os pontos correspondentes às questões, porventura anuladas, serão atribuídos a todos os candidatos presentes.

10 - DO RESULTADO

O resultado final será afixado no quadro de aviso da Secretaria Municipal de Educação de Sarzedo, até o dia 03 de setembro de 2013, bem como será publicado nos sites: www.sarzedo.mg.gov.br e www.reisauditores.com.br.

11 - DOS BENEFÍCIOS OFERECIDOS

Os benefícios oferecidos pela Prefeitura Municipal de Sarzedo são:

11.1 - O Vale Transporte para os funcionários que moram a 2 km de distância do local de trabalho, concedido sem nenhum desconto dos vencimentos, a partir da abertura do pedido pelo contratado.

12 - RESERVA TÉCNICA

12.1 - A Secretaria Municipal de Educação se reserva o direito de manter os aprovados após o número de vagas, descritas no Anexo I, a título de reserva técnica para suprir eventuais desistências ou a lacuna de pessoas que no decorrer do trabalho não corresponda ao perfil necessário ao bom desenvolvimento do projeto.

13 - DO PRAZO DE VALIDADE DO PROCESSO SELETIVO

13.1 - O prazo da contratação será até a realização do concurso público, podendo a administração:

13.1.1 - rescindir unilateralmente o contrato administrativo nas seguintes hipóteses:

a) por superveniência de contratação mediante concurso público;

b) desempenho ineficiente das funções;

c) necessidade de redução com gasto de pessoal.

14 - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

14.1 - Todas as publicações referentes a este processo seletivo estarão disponíveis no quadro de avisos da Secretaria Municipal de Educação e nos sites: www.sarzedo.mg.gov.br e www.reisauditores.com.br.

14.2 - Os casos omissos serão decididos pela Comissão de Acompanhamento do Processo Seletivo Público, designada pelo Prefeito Municipal;

14.3 - A aprovação neste Processo Seletivo, não gera direito à contratação, mas esta, quando ocorrer, obedecerá à ordem de classificação dos candidatos;

14.4 - Durante o prazo de validade deste Processo Seletivo, o candidato aprovado deverá manter junto a Secretaria Municipal de Educação, seu endereço atualizado visando a eventuais convocações. Não lhe caberá qualquer reclamação, caso não seja possível convocá-lo por falta dessa atualização;

14.5 - A admissão do candidato habilitado neste processo Seletivo estará condicionada à conclusão do laudo médico da Prefeitura de Sarzedo, que ateste a capacidade para o desempenho das funções;

14.6 - Os candidatos aprovados, de acordo com o número de vagas disponibilizadas neste edital (Anexo I), deverão comparecer ao Departamento de Pessoal em datas a serem divulgadas posteriormente, para a assinatura do contrato, sendo que os excedentes formarão o Quadro de Reserva Técnica da Secretaria Municipal de Educação só será convocado se surgir a vaga.

14.7 - O candidato aprovado, deverá se apresentar à Seção de Pessoal e apresentar obrigatoriamente todos os documentos que forem exigidos para efetivar a contratação, deverá ser entregue cópias nos locais de lotação (escolas, creche e Napsi):

a) Documento de Identidade de reconhecimento nacional, que contenha fotografia (cópia);

b) Certidão de Nascimento ou Casamento (cópia), quando for o caso;

c) Título de Eleitor com votação atualizada (cópia);

d) Certificado de Reservista ou Dispensa de Incorporação ou outro documento que comprove estar em dia com as obrigações militares, se do sexo masculino (cópia);

e) 02 (duas) fotos 3x4 recentes;

f) Comprovante de inscrição no PIS/PASEP ou declaração informando não haver feito o cadastramento;

g) Cadastro de Pessoa Física - CPF;

h) Comprovante de Escolaridade ou habilitação exigida para o provimento do cargo pretendido, adquirida em instituição oficial ou legalmente reconhecida (cópia);

i) Declaração de não ocupar outro cargo público, ressalvados os previstos no Art. 37, XVI, a, b e c da Constituição Federal;

14.8 - Em hipótese alguma será admitido candidato com documentação incompleta ou que não atenda a convocação dando início às atividades;

14.9 - Não haverá nova chamada ao candidato que não comparecer nos prazos estabelecidos para admissão.

14.10 - Os itens deste Edital poderão sofrer eventuais alterações, atualizações ou acréscimos, enquanto não consumada a providência ou evento que lhes disser respeito, até a data da convocação dos candidatos para o evento correspondente, circunstância que será mencionada com a devida antecedência em aviso a ser publicado no Quadro de Avisos da Prefeitura Municipal de Sarzedo e no site www.sarzedo.mg.gov.br, de forma a assegurar as informações aos candidatos.

Sarzedo 11 de julho de 2013.

ELIANE BARBOSA CAMPOS
Secretária Municipal de Educação

WERTHER CLAYTON DE REZENDE
Prefeito Municipal

ANEXO I

DAS VAGAS, HABILITAÇÕES, CARGA HORÁRIA, REMUNERAÇÃO

O Candidato concorrerá às vagas oferecidas, conforme os seguintes quadros demonstrativos:

PROGRAMA CIRANDAR: ESCOLA DE TEMPO MAIOR

Cód. do Cargo

Cargo

Vagas

Vagas (deficientes físicos)

Símbolo do Vencimento e Vencimento Inicial em reais

Requisitos Necessários

Carga Horária Semanal (Distribuídos nos turnos da manhã e tarde de acordo com a demanda)

01

Professor de Inglês

01

-

P. 35 / NSM - 02:
R$ 1.445,91

SUPERIOR EM LETRAS COM HABILITAÇÃO EM INGLÊS

25 horas

02

Monitor Flexibilizador

01

-

P. 35: R$ 1.445,91

HABILITAÇÃO EM PEDAGOGIA OU NORMAL SUPERIOR

40 horas

03

Monitor de Artes Marciais (jiu-jítsu)

RT

-

P. 30:
R$ 1.339,01

ENSINO MÉDIO COMPLETO, CARTEIRA DA LIGA BRASILEIRA DE JIU-JITSU OU DA FEDERAÇÃO MINEIRA DE JIU-JITSU.
REQUISITO MÍNIMO: FAIXA ROXA

30 horas

04

Monitor de Corpo e Movimento

RT

 

P. 30:
R$ 1.339,01

GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA E COMPROVAÇÃO MÍNIMA DE 1 ANO DE EXPERIÊNCIA NA ÁREA DA EDUCAÇÃO, COMPROVADA COM A CERTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

30 horas

05

Monitor de Dança (priorizando o balé)

RT

-

P. 30:
R$ 1.339,01

ENSINO MÉDIO COMPLETO E CURSO ESPECÍFICO EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 06 MESES NO ENSINO DE BALÉ CLÁSSICO PARA CRIANÇAS COMPROVADA COM A CERTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

30 horas

06

Monitor de Informática

RT

-

P. 30:
R$ 1.339,01

MAGISTÉRIO OU CURSO SUPERIOR NA ÁREA DE EDUCAÇÃO E CURSO DE INFORMÁTICA (CONHECIMENTOS EM INFORMÁTICA - SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS E LINUX, NOÇÕES DE HARDWARE E REDE DE COMPUTADORES), COMPROVAÇÃO MÍNIMA DE 06 MESES DE EXPERIÊNCIA NA ÁREA DA EDUCAÇÃO COMO MONITOR DE INFORMÁTICA OU 02 (ANOS) ANOS COMO PROFESSOR REGENTE DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL OU DA EDUCAÇÃO INFANTIL

30 horas

07

Monitor de Música

RT

-

P. 30:
R$ 1.339,01

ENSINO MÉDIO COMPLETO - CARTEIRA DE MÚSICO PROFISSIONAL TEÓRICO EXPEDIDA PELA ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL EXPERIÊNCIA NA ÁREA DA EDUCAÇÃO NO ENSINO DE VIOLÃO E FLAUTA.

30 horas

08

Monitor Substituto

RT

-

P. 30:
R$ 1.339,01

MAGISTÉRIO OU CURSO SUPERIOR NA ÁREA DE EDUCAÇÃO E CURSO DE INFORMÁTICA (CONHECIMENTOS EM INFORMÁTICA - SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS E LINUX, NOÇÕES DE HARDWARE E REDE DE COMPUTADORES)

30 horas

 

NAPSI (NÚCLEO DE APOIO PSICOSSOCIAL À INFÂNCIA)

Cód. do Cargo

Cargo

Vagas

Vagas (deficientes físicos)

Símbolo do Vencimento e Vencimento Inicial em reais

Requisitos Necessários

Carga Horária Semanal (Distribuídos nos turnos da manhã e tarde de acordo com a demanda)

09

Auxiliar de Serviços Gerais

RT

 

P.06:
R$ 819,51

ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO

44 horas

10

Fonoaudiólogo

RT

-

P.51:
R$ 1787,96

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA COM REGISTRO NO RESPECTIVO CONSELHO

30 horas

11

Monitor para oficina de alfabetização

01

-

P.31:
R$ 1360,39

PEDAGOGIA OU LETRAS EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 2 ANOS COMO PROFESSORA ALFABETIZADORA COMPROVADA COM A CERTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

40 horas

12

Monitor Psicossocial

01

-

P.31:
R$ 1360,39

ENSINO SUPERIOR COM HABILITAÇÃO EM PSICOLOGIA OU SERVIÇO SOCIAL EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 01 ANO EM ATENDIMENTO DE GRUPOS PSICOSSOCIAIS EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS, COMPROVADA COM A CERTIFICAÇÃO DE ÓRGÃO PÚBLICO.

40 horas

13

Oficineiro (artesanato para alunos e pais)

RT

-

P.11:
R$ 926,41

ENSINO MÉDIO E HABILIDADES PARA ARTESANATO EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 2 ANOS COMPROVADA COM A CERTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

40 horas

14

Psicólogo

RT

-

P.51:
R$ 1787,96

CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA COM REGISTRO NO RESPECTIVO CONSELHO EXPERIÊNCIA DE NO MÍNIMO 3 ANOS EM ATENDIMENTO PSICOLÓGICO COM CRIANÇAS CERTIFICADA POR INSTITUIÇÃO DEVIDAMENTE REGISTRADA

20 horas

15

Psicopedagogo (Especialista em Educação com pós-graduação em Psicopedagogia Clínica e Institucional)

RT

-

P.70:
R$ 2194,16

ENSINO SUPERIOR COM HABILITAÇÃO EM PEDAGOGIA E PÓS- GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 06 MESES NA FUNÇÃO

40 horas

 

CEMEI ESPAÇO NOSSO

Cód. do Cargo

Cargo

Vagas

Vagas (deficientes físicos)

Símbolo do Vencimento e Vencimento Inicial em reais

Requisitos Necessários

Carga Horária Semanal (Distribuídos nos turnos da manhã e tarde de acordo com a demanda)

16

Auxiliar de Serviços Gerais de Creche

RT

-

P.06:
R$ 819,51

ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO

44 horas

17

Cozinheira de Creche

RT

-

P.07:
R$ 840,89

NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO (ALFABETIZADO) E COMPROVANTE DE EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 06 MESES

44 horas

18

Educador Infantil de Creche

RT

-

P.46:
R$ 1681,07

NORMAL SUPERIOR OU PEDAGOGIA COM HABILITAÇÃO EM DOCÊNCIA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS COMPROVANTE DE EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 2 ANOS COMO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL OU ANOS INICIAIS

40 horas

19

Especialista em Educação de Creche

RT

-

P.70:
R$ 2194,16

ENSINO SUPERIOR COM HABILITAÇÃO EM SUPERVISÃO ESCOLAR CURSO DE INFORMÁTICA (CONHECIMENTOS EM INFORMÁTICA - SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS E LINUX) EXPERIÊNCIA MÍNIMA DE 1 ANO NA FUNÇÃO

40 horas

20

Monitor de Creche

RT

-

P.09:
R$ 883,65

ENSINO MÉDIO COMPLETO EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS

40 horas

21

Secretário Escolar de Creche

RT

-

P.17:
R$ 1061,09

ENSINO MÉDIO COMPLETO, CURSO DE INFORMÁTICA

40 horas

 

CEMEI - Vereador Milton Vicente Saldanha - Escolas

Cód. do Cargo

Cargo

Vagas

Vagas (deficientes físicos)

Símbolo do Vencimento e Vencimento Inicial em reais

Requisitos Necessários

Carga Horária Semanal (Distribuídos nos turnos da manhã e tarde de acordo com a demanda)

22

Monitor de Educação Infantil

RT

-

P.09: 883,65

ENSINO MÉDIO COMPLETO EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS

40 horas

 

CEMEI - Vereador Milton Vicente Saldanha - Escolas

Cód. do Cargo

Cargo

Vagas

Vagas (deficientes físicos)

Símbolo do Vencimento e Vencimento Inicial em reais

Requisitos Necessários

Carga Horária Semanal (Distribuídos nos turnos da manhã e tarde de acordo com a demanda)

23

Monitor de Telecurso

RT

-

P.09: 883,65

ENSINO MÉDIO COMPLETO EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS

20 horas

ANEXO II

CARGOS, PROVAS E QUANTIDADE DE QUESTÕES

CARGO

PROVA OBJETIVA

Nº DE QUESTÕES

PESO

Monitores
(monitor de dança - balé, artes marciais - jiu-jitsu, música, corpo e movimento e flexibilizador)
(Níveis Médio e Superior)

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

2

Português

15

2

Conhecimentos específicos

5

2

Professor de Inglês e Psicopedagogo (Nível Superior)

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

2

Português

10

2

Conhecimentos específicos

10

2

Monitor Psicossocial e Monitor para oficina de alfabetização.
(Nível Superior)

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

2

Português

10

2

Conhecimentos específicos

10

2

Monitor de Informática e Monitor Substituto (Nível Superior)

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

2

Português

10

2

Conhecimentos específicos e informática

10

2

Monitor de Educação Infantil e Monitor de Creche
(Nível Médio)

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

2

Português

10

2

Conhecimentos específicos

10

2

Auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar de Serviços Gerais de Creche, Cozinheira de Creche
(Nível Fundamental)

Português

15

2

Conhecimentos Específicos

15

2

Oficineiro (artesanato), Fonoaudiólogo, Psicólogo e Secretário de Creche
(Níveis Médio e Superior)

Português

15

2

Conhecimentos específicos

15

2

Educador Infantil de Creche, Especialista em Educação de Creche e Monitor de Telecurso
(Níveis Médio e Superior)

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

10

2

Português

15

2

Conhecimentos específicos

5

2

ANEXO III

CRONOGRAMA PREVISTO PARA A REALIZAÇÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

DATA

HORÁRIO

ATIVIDADE

LOCAL

15/07/2013 a 26/07/2013

08:00 às 12:00 e 13:00 às 17:00

Período de Inscrições Presenciais dos candidatos ao Processo Seletivo

Prefeitura Municipal de Sarzedo Rua Eloy Candido de Melo, 477 - Ao lado do setor de protocolo da prefeitura

31/07/2013

16 horas

Divulgação da relação de inscritos

www.sarzedo.mg.gov.br
www.reisauditores.com.br

31/07/2013

16 horas

Divulgação da Planilha indicando o local e horário de realização das Provas Objetivas de Múltipla Escolha

www.sarzedo.mg.gov.br
www.reisauditores.com.br

04/08/2013

09 horas

Realização da Prova Objetiva de Múltipla Escolha e Prova Prática

Local de realização: a divulgar

05/08/2013

16 horas

Divulgação dos gabaritos da Prova Objetiva de Múltipla Escolha

Quadro de Avisos da Secretaria Municipal de Educação e através dos sites: www.sarzedo.mg.gov.brwww.reisauditores.com.br

06 e 07/08/2013

09:00 às 11:00 e 13:00 às 16:00

Prazo para protocolo de recurso sobre os gabaritos da Prova Objetiva de Múltipla Escolha.

Setor de Protocolo da Prefeitura de Sarzedo, localizado na Rua Professora Efigênia Mendonça, 477,B. Vila Satélite

14/08/2013

16 horas

Respostas aos recursos interpostos pelos candidatos e divulgação da alteração do gabarito (se houver)

www.sarzedo.mg.gov.br
www.reisauditores.com.br

14/08/2013

16 horas

Divulgação do Resultado da 2ª Etapa do Processo Seletivo (prova objetiva)

Quadro de aviso da Secretaria Municipal de Educação e através dos sites: www.sarzedo.mg.gov.brwww.reisauditores.com.br

15 e 16/08/2013

09:00 às 11:00 e 13:00 às 16:00

Prazo para recurso do Resultado da 2ª Etapa do Processo Seletivo (prova objetiva)

Setor de Protocolo da Prefeitura de Sarzedo, localizado na Rua Professora Efigênia Mendonça, 477,B. Vila Satélite

21/08/2013

16 horas

Respostas aos recursos interpostos pelos candidatos e divulgação do resultado definitivo/convocação da 3ª Etapa do Processo Seletivo (Entrevista Psicológica).

Quadro de aviso da Secretaria Municipal de Educação e através dos sites: www.sarzedo.mg.gov.br www.reisauditores.com.br

22 e 23/08/2013

-

Realização da 3ª Etapa do Processo Seletivo (Entrevista Psicológica)

Local de realização e horários: a divulgar

27/08/2013

16 horas

Divulgação da Listagem com os aprovados/ classificados das 1ª, 2ª e 3ª etapas.

Quadro de Aviso da Secretaria Municipal de Educação e através dos sites: www.sarzedo.mg.gov.brwww.reisauditores.com.br

29/08/2013

09 horas

Realização do exame pré-admissional para os convocados através de listagem divulgada na Prefeitura Municipal de Sarzedo e nos sites: www.sarzedo.mg.gov.brwww.reisauditores.com.br

Local: Posto de Saúde do Centro - Rua Santa Rosa de Lima, 78 - Centro - Sarzedo (Próximo a Igreja Matriz).

03/09/2013

16 horas

Homologação e publicação do Resultado Final

Quadro de Aviso da Secretaria Municipal de Educação e através dos sites: www.sarzedo.mg.gov.brwww.reisauditores.com.br

ANEXO IV

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CARGOS DE NÍVEL FUNDAMENTAL

Português

Fonética e Fonologia; Divisão silábica; Acentuação gráfica; Emprego do hífen; Ortografia (Novo Acordo Ortográfico); Pontuação; Estrutura das palavras; Classes gramaticais; Flexão verbal e nominal; Pronomes: emprego e colocação; Empregos de tempos e modos verbais, vozes do verbo; Concordância nominal e verbal; Interpretação de texto.

Bibliografia mínima sugerida:

Gramática Português Fundamental - Douglas Tufano - Editora Moderna. Palavra e Ação - Ana Maria de C.

Guedes, Clodoaldo Meneguello Cardoso e Nelson Neto da Silva - 1º ao 9º ano - Editora do Brasil S/A. Lições.

Práticas de Gramática - Ulisses Infante - Editora Scipione.

Conhecimentos Específicos: Auxiliar de Serviços Gerais e Auxiliar de Serviços Gerais de Creche

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8069, de 13/07/1990), Relações humanas no trabalho. Qualidade no atendimento ao público. Trabalho em equipe. Noções de cidadania. Noções de higiene e limpeza. Conservação, uso e guarda de materiais de limpeza e de produtos alimentícios. Noções de segurança individual, coletiva e de instalações. Prevenção e combate a incêndio.

Conhecimentos Específicos: Cozinheira de Creche

Noções sobre higienização no preparo e confecção das receitas; Noções de higiene ambiental (copa e cozinha); Noções sobre alimentos e grupos alimentares; Noções de controle e qualidade dos alimentos; perigos que afetam os alimentos; Noções sobre estocagem de alimentos. Higienização e organização de utensílios; Verificação do prazo de validade dos gêneros alimentícios; Noções sobre pré-preparo e cocção de alimentos; Controle nas etapas do preparo dos alimentos; Controle das refeições servidas; Noções de segurança no trabalho. Doenças transmitidas por alimentos.

Bibliografia mínima sugerida:

ABERC - Manual de Práticas de Elaboração e serviço de Refeições para Coletividades, São Paulo, 2000. www.aberc-br.org.br

ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Higienização das Mãos em Serviços de Saúde.

ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Cartilha sobre Boas Práticas para Serviços de Alimentação, Resolução-RDC nº 216/2004.

SENAC -Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial. Cartilha 2: as boas práticas I, 2001.

SENAC -Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial. Cartilha 3: as boas práticas II, 2001. Artigos e dicas. Disponível em www.fazfacil.com.br

CARGOS DE NÍVEL MÉDIO E SUPERIOR

Português

Leitura, compreensão e interpretação de texto; Elementos da comunicação e as funções de linguagem; Análise semântica = valor que a palavra adquire no contexto, sinônimos, antônimos, parônimos e homônimos; Tipos de composição textual; elementos da estrutura narrativa; elementos da estrutura dissertativa; coesão e coerência textual; descrição objetiva e subjetiva; Linguagem denotativa e conotativa; figuras e vícios de linguagem; Variantes linguísticas; linguagem oral e linguagem escrita; formal e informal; gíria; novas regras ortográficas.

Bibliografia mínima sugerida:

Português e Linguagens (William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães) Volumes I, 2 e 3. Atual Editora.

Língua e Literatura (Faraco & Moura) Volumes 1,2 e 3. Editora Ática.

Gramática Literatura e Produção de Textos - Ernani & Nicola - Editora Scipione;

Português 2º grau (G.Mattos & L. Megale) - Editora FTD.

Português: Língua, Literatura e Produção de textos -(Maria Luiza Abaurre, Marcela Nogueira Pontara e Tatiana Fadel) Volumes 1,2 e 3 - Editora Moderna.

Lições Práticas de Gramática - Ulisses Infante -Editora Scipione.

Gramática Reflexiva: Texto, Semântica e Interação - 2º grau - William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães - Editora Atual.

Gramática da Língua Portuguesa - Roberto Melo Mesquita - Editora Saraiva.

Conhecimentos Pedagógicos e Legislação

Lei Federal 8069/90 - Estatuto da criança e do adolescente.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

Referencial Curricular Nacional de Educação Infantil, V. I, II e III.

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO: (PNE).

Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. CNE/CEB.

Parâmetros Curriculares Nacionais.

Constituição Federal: artigos referentes à Educação.

Parecer nº 04/98 do Conselho Nacional de Educação.

Resolução nº 02/1988 do CNE/CEB.

Planejamento de ensino: componentes básico / importância / conteúdos: conceituais, procedimentais e atitudinais. Pedagogia de projetos. Metodologias de Ensino. Diferentes concepções de ensino; fundamentos sobre organização e avaliação do trabalho educativo; compreensão da natureza de sua relação com os alunos. Bullying.

Conhecimentos Específicos: Monitor de Oficina para Alfabetização

A criança e a educação infantil: história, concepções; Teorias de aprendizagem e desenvolvimento infantil; Planejamento na educação infantil: dinâmica e processos. Eixos do trabalho pedagógico na educação infantil: o cuidar e o educar; Componentes curriculares da educação infantil: o brincar, o movimento e o conhecimento de si e do outro; Avaliação na educação infantil; O cotidiano na creche: espaço, rotina, afetividade, alimentação, higiene, cuidados essenciais; O professor de educação infantil; Família e instituição; Projeto Político Pedagógico: princípios e finalidades; Projetos de trabalho: concepção e perspectiva; Dos teóricos:

Paulo Freire, Piaget, Vigotsky, Emília Ferreiro e suas contribuições metodológicas. Projeto Político-Pedagógico (caracterização, elaboração e execução); Colegiado Escolar (composição, atribuições e participação dos segmentos); A relação escola, comunidade e família; Os processos e os instrumentos de avaliação da aprendizagem; Organização dos tempos e espaços escolares.

Bibliografia mínima sugerida:

ABRAMOWICZ, Anete; WAJSKOP, Gisela. Educação infantil: creches, atividades para crianças de zero a seis anos. 2. ed. São Paulo : Moderna, 1999.

ARIES, Philippe. História social da criança e da família. 2.ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. In: Professores / Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 2006. v.1. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/eduinfparqualvol1.pdf >.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. In: Professores / Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 2006. v.2. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/eduinfparqualvol2.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. In: Professores / Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 1998. v.1. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. In: Professores/ Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 1998. v.2. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume2.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. In: Professores/ Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 1998. v.3. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume3.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. In: Professores/ Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação Infantil. Brasília, DF, 2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/direitosfundamentais.pdf>.

Conhecimentos Específicos: Monitor de Música

Elementos de som: Timbre, Altura, Duração e Intensidade; Série harmônica; Classificação dos instrumentos musicais. Teoria da música: compasso: definição, classificação; regras de grafia; articulação e sinais de repetição; intervalos, elementos de harmonia, escalas; tonalidade; ornamentos, graus tonais e modais; acordes de 3, 4 sons; cadências; funções tonais e modais; Sistema de representação gráfica utilizado na música popular (cifras). Claves de (sol e fá), valores; tom e semitom (cromáticos e diatômicos); ponto de aumento e diminuição; ligadura de união e expressão; intervalos; escalas maiores e respectivos graus; tempos fortes e fracos; anacruse; escala menor (forma harmônica e melódica); abreviaturas; nomenclatura das notas; cifragem popular; ornamentos (apogiaturas, mordente, grupeto, trinado, portamento, arpejo), unidades de tempo e de compasso, História da Música - noções básicas.

Bibliografia mínima sugerida:

Willians, Bohumil Méd. Maria Mascarenhas (vols. I e II); Solfejos:

Frederico do Nascimento (vols. I e II); Teoria e Harmonia:

Maria Luiza Priolli; Guia de Teoria Prática: Pazzoli.

BENNETT, Roy: Instrumentos da Orquestra, ed. Jorge Zahar, 3ª ed.1998.

______: Uma breve História da Música;

CORREA, Sérgio Ricardo: Ouvinte Consciente - ed. Casa Manon S.A.

LACERDA, Osvaldo: Teoria Elementar da Música.

_____ ,compendio de Teoria Elementar da música, 3ª edição - Recordi Brasileira, 1967

Lima, Marisa Ramires Rosa de, Exercicios de Teoria Musical:Uma abordagem Prática/

Marisa Ramires Rosa de Lima, Sergio Luiz Ferreira de Figueiredo, 6ª edição. São Paulo: Embraform, 2004.

Brito, Teca Alencar de.Koellreutter Educador:O humano como objetivo da educação musical/Teça Alencar de Brito. - São Paulo: Peirópolis, 2001.

Conhecimentos Específicos: Monitor de Informática

Conhecimentos básicos: origem e desenvolvimento da informática; Hardware; Instalação e manutenção de periféricos; impressora e mouse. Sistemas operacionais. Redes locais. Softwares livres. Instalação, organização e utilização de programas aplicativos: Editores de textos e planilhas, criação e apresentação de slides.

Observação: Poderão ser utilizados como base para composição da prova, os elementos técnicos próprios dos fabricantes e manuais oficiais/ "ajuda" sobre os softwares.

Bibliografia mínima sugerida:

Livros e apostilas referentes à Informática Básica, Word, Windows, Excel e Internet e outros.

Conhecimentos Específicos: Fonoaudiólogo

SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO (SE): Anatomia e Fisiologia. Desenvolvimento Normal e Patológico. Músculos: Origem, Inserção, Funções, Alterações, Avaliação, Diagnóstico e Terapia.

MASTIGAÇÃO / DEGLUTIÇÃO: Fisiologia, Avaliação, Alterações, Diagnóstico e Tratamento. ATM: Anatomia, Embriologia, Neurofisiologia, Alterações Temporomandibulares, Sintomatologia, Avaliação e Mio terapia. FALA: Alterações, Origem, Diagnósticas e Tratamento. RESPIRADOR ORAL: Características, Alterações Oromiofuncionais, Diagnóstico e Conduta Terapêutica. VOZ: Fisiologia da Fonação, Disfonias, Diagnóstico e Conduta Terapêutica.

DISFAGIA: Definição, Tipos e Conduta Terapêutica. AUDIOLOGIA: Anatomia e Fisiologia do Órgão da Audição e Equilíbrio (Acústica e Psicoacústica, Limiares Tonais VA e VO, Logoaudiometria, Imitânciometria). Processamento Auditivo Central (PAC): Definição, Prevenção, Distúrbios, Manifestações, Comportamentais e Orientações aos Pais e Professores. Surdez: Conduta Terapêutica Fonoaudiológica. LINGUAGEM: Desenvolvimento Normal e Patológico.

Linguagem Oral e Escrita: Fases e Níveis, Alterações, Distúrbios, Avaliação, Diagnóstico e Tratamento. Distúrbios / Transtornos: Definição, Características, Etiologia, Tipos e Conduta Terapêutica Fonoaudiológica. Gagueira: Definição, Filosofias, Avaliação, Diagnóstico e Tratamento. Patologias Neurológicas: Definição, Alterações, Diagnóstico e Conduta Terapêutica.

Bibliografia mínima sugerida:

FERREIRA, L.P; BEFI-LOPES, D.M.; LIMOGI, S.C.O. Tratado de Fonoaudiologia. São Paulo: Roca; 2004.

Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. Documento oficial 04/2007 do comitê de Motricidade Orofacial (MO) da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa). São Paulo, 2007.

MARCHESAN, I.Q. Como Avalio e Trato as Alterações de Deglutição. In: Marchesan, I.Q; (org), Tratado da Deglutição: A Atuação em Diferentes Países. São José dos Campos: Pulso, 2005.

BIANCHINI, E.M.G. (org). Articulação Temporomandibular - Implicações, Limitações e Possibilidades Terapêuticas. Carapicuíba: Pró-Fono, 2000.

FELÍCIO, C.M. Fonoaudiologia Aplicada a Casos Odontológicos. São Paulo: Pancast, 1999.

MEDEIROS, A. M. C; MEDEIROS, M. Motricidade Orofacial: Inter-Relação entre Fonoaudiologia e Odontologia. São Paulo: Lovise, 2006.

MARCHESAN, I.Q.; Sanseverino, Nº T. Fonoaudiologia e Ortodontia / Ortopedia Facial: esclarecimentos dúvidas sobre o trabalho conjunto. São José dos Campos: Pulso, 2004.

FERRAZ, M.J.P.C.. Respirador Bucal: uma visão multidisciplinar. São Paulo: Lovise, 2005.

MARCHESAN, I.Q. Alterações de Fala de Origem Músculo Esquelética. In: Ferreira LP, Befi-Lopes DM,

Limongi SCO, organizadores. Tratado de Fonoaudiologia. São Paulo: Roca; 2004. p.292-303.

BEHLAU, M. (org); O livro do Especialista. Rio de Janeiro: Revinter, vol II, 2005.

RUSSO, I.P. A Prática da Audiologia Clínica. São Paulo: Cortez, 1993.

ZORZI, J.L. Aprendizagem e Distúrbios da Linguagem Escrita: Questões Clínicas e Educacionais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

ZORZI, L.J. A Apropriação do Sistema Ortográfico. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

SHAYWITZ, S. Entendendo a Dislexia: um novo e completo programa para todos os níveis de problemas de leitura. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BARKLEY, R.A. Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade: Manual para Diagnóstico e Tratamento. 2008.

ANDRADE, C.R.F. de. Gagueira Infantil- risco, diagnóstico e programa terapêutico. Pró-Fono, 2006.

JAKUBOVICZ, R. A Gagueira- Teoria e Tratamento de Adultos e Crianças. Revinter, 1997. ROCHA, E. M. N; BROCK, R.;

WAJNSTEJN, R. Gagueira: Um Distúrbio de Fluência. 2007. Legislação do SUS: princípios e diretrizes do SUS, o SUS na constituição federal, Leis, Lei 8080/90, Lei 8142/90, Leis e Conselhos de Saúde, NOAS-SUS 01/2002, Pacto pela Saúde 2006. Consolidação do SUS e suas diretrizes. Conselhos de Saúde, NOAS-SUS 01/2002. Política pública em saúde auditiva no Brasil: Portaria 587/200.

Conhecimentos Específicos: Monitor Substituto

Conhecimentos básicos de Informática: origem e desenvolvimento da informática; Hardware; Instalação e manutenção de periféricos; impressora e mouse. Sistemas operacionais. Redes locais. Softwares livres. Instalação, organização e utilização de programas aplicativos: Editores de textos e planilhas, criação e apresentação de slides. Observação: Poderão ser utilizados como base para composição da prova, os elementos técnicos próprios dos fabricantes e manuais oficiais/ "ajuda" sobre os softwares.

Bibliografia mínima sugerida:

Livros e apostilas referentes à Informática Básica, Word, Windows, Excel e Internet e outros.

Conhecimentos Específicos: Monitor de Artes Marciais (Jiu-Jitsu)

História do jiu-jitsu, regras de acordo com a Confederação Brasileira de jiu-Jitsu, sistema de graduação, de acordo com a Confederação Brasileira de jiu-Jitsu.

Bibliografia mínima sugerida:

Site da Confederação Brasileira de jiu-Jitsu (www.cbjj.com.br) e outros sobre o assunto.

Parâmetros Curriculares Nacionais V.7

Conhecimentos Específicos: Monitor de Corpo e Movimento

Cultura das Atividades Físicas / Movimento Humano (jogos, lutas, danças, ginasticas, esportes, lazer erecreação);

Equipamento e Materiais (diferentes equipamentos e materiais e suas possibilidade de utilização na ação pedagógica e técnico cientifica com as manifestações de Atividade Física/Movimento Humano);

Atividade Física / Movimento Humano e performance (desempenho e condicionamento humano);

Atividade Física/Movimento Humano Saúde e Qualidade de Vida (aptidão física e aspectos preventivos e terapêuticos do exercício físico);

Abordagens da Educação Física Escolar (Desenvolvimentista, Criticas, Psicomotora, Construtivista);

Motricidade Humana (Lateralidade, Tonicidade, Orientação Espaço-Temporal, Praxia Global e Fina); Corporeidade (Esquema Corporal, Imagem Corporal e Expressão Corporal);

Cine antropometria (Antropometria);

Crescimento e Desenvolvimento Corporal.

Bibliografia mínima sugerida:

DAMASCENO, Leonardo Graffius. Educação Física: Estado Novo e a militarização do corpo. Motrivivência, nº 3, Jan/1990.

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR - FUNDAMENTOS DE UMA ABORDAGEM DESENVOLVIMENTISTA- GOTANI; OKUBUN, EDUARDO; MANOEL, EDISON DE JESUS E PROENÇA, JOSÉ ELIAS

Revista CONFEF, junho de 2010, Parâmetros Curriculares Nacionais (Educação Física)

BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da Educação Física. In. Cadernos Cedes, ano XIX, ano.48. Campinas: 1999.

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física Escolar: tem os o que ensinar? In. Política Educacional e Educação Física. Campinas: Autores Associados, 1998.

FREIRE, João Bastista. Educação Física de Corpo Inteiro: teoria e prática da educação física. São Paulo:Scipione, 1989. - Outros livros e artigos relacionados com o tema.

Conhecimentos Específicos: Monitor de Dança - Balé

Balé: História, terminologia, significado dos passos, posições. A dança na expressão e na comunicação humana, A dança como manifestação coletiva. A dança como produto cultural e apreciação estética. História da dança e as Tradições Brasileiras. Utilização da linguagem não verbal. Desenvolvimento da percepção de si, do outro e do espaço através dos movimentos. Sensibilização e improvisação - reconhecimento da música através do corpo. Comunicação corporal. Anatomia do Movimento. Estudos coreográficos. Danças típicas. Improvisação, criação, registro e repetição de sequências de Movimentos.

Bibliografia mínima sugerida:

Wikipédia, a enciclopédia livre.

Predefinição: www.infoescola.com/artes/ballet-classico/

Predefinição: http://danseur.br.tripod.com/index/arquivos/ballet

Conhecimentos Específicos: Professor de Inglês

Métodos e abordagens de ensino da língua inglesa e sua relação com os Parâmetros Curriculares Nacionais - língua estrangeira; Compreensão de textos: estratégias de leitura; conceito de gênero textual e de tipo de texto; leitura e gêneros textuais; identificação dos mecanismos que conferem coesão e coerência ao texto; relação texto-contexto; Léxico-gramática: verbos: tempo, modo e voz; auxiliares modais; "phrasal verbs"; substantivos, pronomes, artigos, adjetivos possessivos e numerais. Advérbios e preposições expressando tempo, modo e lugar; subordinação e coordenação; Discurso: discurso direto, relatado, direto livre e relatado livre e sua função comunicativa no texto; Inglês escrito e falado, inclusive nas novas tecnologias de comunicação.

Bibliografia mínima sugerida:

BRASIL, SEF/MEC. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: TERCEIRO E QUARTO CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL: LÍNGUA ESTRANGEIRA. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. BRASÍLIA: MEC/SEF, 1998. HTTP://PORTAL.MEC.GOV.BR/SEB/ARQUIVOS/PDF/PCN_ESTRANGEIRA.PDF

FAVORETO, E. D. A. Ensino da língua inglesa na educação infantil: desafios e perspectivas. Anais do IX EPLE - Encontro de Professores de Línguas Estrangeiras. Londrina, 2002.

Conhecimentos Específicos: Monitor de Telecurso

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Concepção de educação e escola. Função social da escola e compromisso social do educador. A construção de identidades nas interações. A ludicidade como dimensão humana. Educação: cuidar e educar. Políticas educacionais. Projeto político-pedagógico: fundamentos para orientação, planejamento e implementação de ações na criação de condições para o desenvolvimento humano, com foco no educando, dentro do processo ensino-aprendizagem. Currículo como construção sócio-histórico e cultural. Avaliação e registro. Organização da escola centrada no processo de aprendizagem e desenvolvimento do educando: ciclos - os tempos da vida humana. Educação inclusiva. Gestão participativa na escola.

Bibliografia mínima sugerida:

CORTELLA, Mario Sergio. A Escola e o Conhecimento: Fundamentos Epistemológicos e Políticos. São Paulo: Cortez, 1999.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 21ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GADOTTI, M. Educação Integral no Brasil: inovações em processo. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009.

HARGREAVES, A. O Ensino na sociedade do conhecimento: educação na era da insegurança. Porto Alegre: Artmed, 2004.

HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover. Porto Alegre: Mediação, 2002.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - Ensino Fundamental de Nove Anos - Orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: FNDE, Estação Gráfica, 2006. (www.mec.gov.br)

_________ . Indagações sobre o Currículo: - Caderno 1 - Os Educandos, seus direitos e o Currículo - Arroyo, Miguel; Caderno 2 - Currículo e Desenvolvimento Humano - Elvira Souza Lima; Caderno 3 - Currículo, Conhecimento e Cultura - Antônio Flávio Moreira e Vera Maria Candau; Currículo e Avaliação - Claudia Moreira Fernandes e Luiz Carlos de Freitas. MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, UNESCO, 2000. PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000.

_________ . Os ciclos de aprendizagem. Um caminho para combater o fracasso escolar. Porto Alegre: Artmed, 2004.

POSSANI, Lourdes de Fátima P. Educação de Jovens e Adultos: um olhar sobre a exclusão. São Paulo: Articulação, 2007.

RIOS, T. A. Compreender e ensinar: por uma docência da melhor qualidade. São Paulo: Cortez, 2001.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

VASCONCELLOS, Celso S. Planejamento - Projeto de Ensino Aprendizagem e Projeto Político Pedagógico, São Paulo: Libertad, 2002.

VYGOTSKY, L.S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ZABALA, A. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para o currículo escolar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

Conhecimentos Específicos: Oficineiro (Artesanato)

Elementos básicos das expressões artísticas, modos de articulação formal, técnicas, materiais e procedimentos na criação em arte. Produtores de arte: vidas, épocas e produtos em conexões. A arte como expressão e discurso dos indivíduos. Diversidade das formas de arte e concepções estéticas da cultura regional, nacional e internacional: produções e suas histórias. A arte na sociedade, considerando os artistas, os pensadores da arte, outros profissionais, as produções e suas formas de documentação, preservação e divulgação em diferentes culturas e momentos históricos. Conhecimentos sobre fuxicos variados, Pintura em tecido, Trabalhos em EVA, Recicláveis, Bijuterias, Feltro, Pintura em Madeira e Biscuit, dentre outros.

Conhecimentos Específicos: Psicopedagogo

Fundamentos da psicopedagogia; psicologia da aprendizagem; avaliação da aprendizagem. Teorias da aprendizagem; distúrbios da aprendizagem; a psicopedagogia e fonoaudiologia; a psicopedagogia e a neurologia; intervenção psicopedagogia; psicopedagogia institucional; psicopedagogia clínica; política nacional da integração da pessoa portadora de deficiência (Decreto 3298/99) ; ética profissional.

Bibliografia mínima sugerida:

BOSSA, Nº A. A psicopedagogia no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2000.

CARRAHER, T. Nº O método Clínico: usando os exames de Piaget. Cortez: São Paulo, 1998.

VISCA, Jorge. Clínica Psicopedagógica - Epistemologia Convergente, Porto Alegre, Artes Médicas, 1987.

FERNÁNDEZ, A. A inteligência aprisionada., Porto Alegre: Artes Médicas, 1990

MONTAGNA, M. E. Análise e interpretação do CAT Infantil: teste de apercepção temática infantil. São Paulo: E. P. U, 1989.

NEVES, M. A. C. M. Psicopedagogia: um só termo e muitas significações. Boletim da Associação Brasileira de Psicopedagogia, vol. 10, nº 21, 1991.

SCOZ, B. J. L. et al. Psicopedagogia: contextualização, formação e atuação profissional. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

WEISS, M. L. L Psicopedagogia clínica: uma visão diagnóstica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

Conhecimentos Específicos: Psicólogo e Monitor Psicossocial

Principais correntes e autores de Psicologia: diversidade teórica; Psicopatologia: avaliação e diagnóstico; Psicologia do desenvolvimento normal e patológico; Adolescência; Psicologia da Educação e da Aprendizagem; Orientação Profissional; Psicologia das Relações Humanas e Processo Grupal; Psicologia Social e Organizacional.

Bibliografia mínima sugerida:

ABERATURY, Arminda. Adolescência. Porto Alegre. Artes Médicas. 1983.

BOCK, Ana M. B, FURTADO, Odair, TEXEIRA, M. de Lourdes. Psicologias, uma introdução ao estudo de psicologia. São Paulo. Saraiva. 1999.

CHECCIA, Ana Karina Amorim, BOCK, Ana Mercês Bahia, SOUZA, Marilene Proença Rebello de, Psicologia Escolar. Teorias Críticas. São Paulo. Casa do Psicólogo. 2003.

CID 10 - Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas. São Paulo. EDUSP. 2003.

Código de Ética Profissional - aprovado pela Resolução CFP Nº. 010/05 de 21 de julho de 2005.

COLE, Michael e COLE, Sheila, O Desenvolvimento da Criança e do Adolescente. Porto Alegre. Artmed. 2000.

HALL, Calvin S. LINDSEY, Gardner e CAMPBELL, John B. Teorias da Personalidade. Porto Alegre. Artmed. 2000.

OUTEIRAL, José Otoni. Adolescer, Estudos Revisados sobre Adolescência. 2ª ed. Rio de Janeiro, Revinter. 2003.

TIBA, Içami. Disciplina o limite na medida certa. São Paulo. Editora Gente. 1996.

VIGOTSKY, L.S.; COLE, Michael (Coord.). A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo. Martins Fontes.

WEIL, Pierre. Relações Humanas na Família e no Trabalho. Petrópolis. Vozes. 1994.

Conhecimentos Específicos: Monitor Infantil de Creche e Monitor Flexibilizador

A criança e a educação infantil: história, concepções; Teorias de aprendizagem e desenvolvimento infantil; Planejamento na educação infantil: dinâmica e processos. 4. Eixos do trabalho pedagógico na educação infantil: o cuidar e o educar; Componentes curriculares da educação infantil: o brincar, o movimento e o conhecimento de si e do outro; Avaliação na educação infantil; O cotidiano na creche: espaço, rotina, afetividade, alimentação, higiene, cuidados essenciais; O professor de educação infantil; Família e instituição; Projeto Político Pedagógico: princípios e finalidades; Projetos de trabalho: concepção e perspectiva; Dos teóricos Paulo Freire, Piaget,Vigotsky, Emília Ferreiro e suas contribuições metodológicas. Projeto Político-Pedagógico (caracterização, elaboração e execução); Colegiado Escolar (composição, atribuições e participação dos segmentos); A relação escola, comunidade e família; Os processos e os instrumentos de avaliação da aprendizagem; Organização dos tempos e espaços escolares.

Bibliografia mínima sugerida:

ABRAMOWICZ, Anete; WAJSKOP, Gisela. Educação infantil: creches, atividades para crianças de zero a seis anos. 2. ed. São Paulo : Moderna, 1999.

ARIES, Philippe. História social da criança e da família. 2.ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. In: Professores/Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 2006. v.1. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/eduinfparqualvol1.pdf >.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. In: Professores/Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 2006. v.2. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/eduinfparqualvol2.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. In: Professores/Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 1998. v.1. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. In: Professores/ Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 1998. v.2. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume2.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. In: Professores/Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 1998. v.3. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume3.pdf>.

BRASIL. Ministério da Educação. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. In: Professores/ Diretores; Publicações; Secretaria de Educação Básica; Educação infantil. Brasília, DF, 2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/direitosfundamentais.pdf>.

Conhecimentos Específicos: Especialista em Educação de Creche

A identidade profissional do especialista em educação. A ação do pedagogo e o projeto político pedagógico da escola. As concepções de aprendizagem, currículo e avaliação no contexto escolar. Princípios e fundamentos dos Parâmetros Curriculares Nacionais. Pedagogia da inclusão. A importância do especialista em educação nos Conselhos de Classe. O processo pedagógico: planejamento, desenvolvimento e avaliação. O especialista em educação e os órgãos colegiados. - Distúrbios de aprendizagem: dislexia, discalculia, TDAH, distorgrafia. - Educação Inclusiva. - Relações interpessoais. - Legislação Educacional vigente (nacional, estadual e municipal), - Ensino fundamental de 9 anos, - Desafios do cotidiano escolar, - Indisciplina e Bullying, - Os descritores da Língua Portuguesa e da Matemática, - Parâmetros Curriculares, - Evasão e repetência escolar.

Bibliografia mínima sugerida:

LUCKESI, Cipriano Carlos - Avaliação da aprendizagem escolar - Ed. Cortes - São Paulo, 1999.

HOFFMANN, Jussara - Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade - Ed. Mediação - Porto Alegre, 1993.

GANDI, Danilo - A prática do planejamento participativo - Ed. Vozes - Petrópolis - 1994.

PERRENOUD, Philippe - Construir as competências desde a escola - Ed. Artes Médicas - Porto Alegre - 1999.

FREIRE, Paulo - Pedagogia da Autonomia - saberes necessários à prática educativa - Ed. Cortez - São Paulo - 1998.

Conhecimentos Específicos: Monitor de Creche e Monitor de Educação Infantil

1. Desenvolvimento pessoal e social da criança;

1.1. Conhecendo a criança de 0 a 3 anos;

1.2. Desenvolvimento e aprendizagem das linguagens;

1.3. Brincar como atividade do desenvolvimento infantil;

1.4. Construção da identidade e autonomia da criança.

2. Concepções e práticas de Educação Infantil em escolas e creches;

2.1. Princípios de Educação Infantil:

2.1.1 Educação Infantil: conceitos, importância e características;

2.1.2 Atitudes e valores significativos para o processo educativo da criança;

2.1.3 Cuidar e educar na educação infantil.

2.2. Rotina e acompanhamento: organização do tempo e do espaço;

2.3. Cidadania e integração social: Direitos das Crianças.

Bibliografia mínima sugerida:

BARBOSA, Maria Carmem Silveira; HORN, Maria da Graça Souza. Organização do espaço e do tempo na escola infantil in: CRAYDI, Carmem Maria; KAERCHER,

Gladis E. (Org.) Educação infantil para que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2000.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil. CNE/CEB. Parecer nº 20/2009 e Resolução nº 5/2009. Brasília, DF, 2009.

_______. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica, Resolução CNE/CEB CNE/CEB nº 04/ 2010. Brasília/DF, 2010.

_______. Estatuto da Criança e do Adolescente. Secretaria Especial de Direitos Humanos; Ministério da Educação, Assessoria de Comunicação Social. - Brasília: MEC, ACS, 2005. Livro I - Títulos I e II (Capítulos I, II e III).

_______. História e cultura afro-brasileira e indígena, Lei Nº. 10.639/03 e 11.645/08.

_______. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Brasileira. Diário Oficial da União nº248, de 23. 12.1996

DORNELLES, Leni Vieira. Na escola infantil todo mundo brinca se você brinca. in:CRAYDI, Carmem; KAERCHER, Gladis. (Org.). Educação infantil para que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001. Capítulo 9.

KRAMER, Sonia. Direitos da criança e projeto político pedagógico de educação infantil in: BAZILIO, Luiz OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação infantil: fundamentos e métodos, 1ª ed., SP: Cortez, 2010.

KRAMER, S. & ROCHA, E.A.C. (org.) Educação Infantil - Enfoques em diálogo. 2ª ed. Campinas: Papirus, 2011.

FARIA A. L. G. & Mello. S. A. (org.) Territórios da Infância: linguagens, tempos e relações para uma pedagogia para as crianças pequenas. 2ª ed. Araraquara, SP: Junqueira & Marin Editores, 2009.

Conhecimentos Específicos: Secretário Escolar de Creche

Escrituração escolar: preenchimento de histórico escolar, Técnica de arquivo: arquivo ativo e inativo, Organização de matrícula, transferência, classificação, reclassificação, quadro curricular, preenchimento de livros de matrícula, transferências, termo de visita do inspetor, ponto diário, atas; preenchimento de diários de classe. - Regimento escolar; - Proposta pedagógica, - plano curricular, - Ensino fundamental de 9 anos.

Conhecimentos básicos de Informática: origem e desenvolvimento da informática; Hardware; Instalação e manutenção de periféricos; impressora e mouse. Sistemas operacionais. Redes locais. Softwares livres. Instalação, organização e utilização de programas aplicativos: Editores de textos e planilhas, criação e apresentação de slides.

Observação: Poderão ser utilizados como base para composição da prova, os elementos técnicos próprios dos fabricantes e manuais oficiais/ "ajuda" sobre os softwares.

Bibliografia mínima sugerida:

Livros e apostilas referentes à Informática Básica, Word, Windows, Excel e Internet e outros.

ANEXO V

CARGOS E ATRIBUIÇÕES

- PROGRAMA CIRANDAR: ESCOLA DE TEMPO MAIOR:

Monitores (Música, Corpo e Movimento, Jiu-jitsu, Balé, Informática e monitor substituto):

1) Elaborar o Plano de Curso com definição de objetivos específicos, indicação de atividades, recursos materiais e processo de avaliação.

2) Organizar o diário das oficinas curriculares.

3) Conhecer os marcos referenciais do Projeto.

4) Conhecer os relatórios de perfil sociocultural de seus alunos, tentando identificar suas experiências e interesses.

5) Organizar as atividades adequadas, oferecendo aos alunos a oportunidade de ampliar suas experiências artísticas, culturais e esportivas.

6) Utilizar o tempo de planejamento para organização das oficinas, elaboração de materiais, reuniões com coordenação do projeto, direção e supervisão escolar.

7) Submeter-se aos processos de avaliação diagnóstica, participativa e contínua.

8) Dialogar com os professores regentes de forma a facilitar e contribuir com o desenvolvimento das oficinas.

9) Planejar de forma coletiva, onde todos os atores envolvidos participem do processo.

10) Acompanhar o desenvolvimento dos alunos no processo de ensino aprendizagem e no desenvolvimento das oficinas através do diálogo com a coordenação do projeto professores e supervisão.

11) Participar de todas as avaliações e sempre que necessário apresentar sugestões que melhorem o andamento do Projeto.

12) Participar das reuniões de pais e outras sempre que forem convocados, inclusive aos sábados escolares.

13) Outras atividades correlatas.

Monitor Flexibilizador:

1) Elaborar o Plano de Curso com definição de objetivos específicos, indicação de atividades, recursos materiais e processo de avaliação;

2) Organizar o diário das oficinas curriculares;

3) Conhecer os marcos referenciais do Programa Cirandar;

4) Conhecer os relatórios de perfil sociocultural de seus alunos, tentando identificar suas experiências e interesses;

5) Organizar as atividades adequadas, oferecendo aos alunos a oportunidade de ampliar suas experiências artísticas, culturais e esportivas;

6) Utilizar o tempo de planejamento para organização das oficinas, elaboração de materiais, reuniões com coordenação do projeto, direção e supervisão escolar;

7) Submeter-se aos processos de avaliação diagnóstica, participativa e contínua;

8) Dialogar com os professores regentes de forma a facilitar e contribuir com o desenvolvimento das oficinas;

9) Planejar de forma coletiva, onde todos os atores envolvidos participem do processo;

10) Acompanhar o desenvolvimento dos alunos no processo de ensino aprendizagem e no desenvolvimento das oficinas através do diálogo com a coordenação do projeto professores e supervisão;

11) Participar de todas as avaliações e, sempre que necessário, apresentar sugestões que melhorem o andamento do Projeto;

12) Participar das reuniões de pais e outras sempre que forem convocados, inclusive aos sábados escolares;

13) Acompanhar o recreio e horários de refeição, ajudando e orientando as crianças;

14) Participar das reuniões pedagógicas e administrativas, convocadas por autoridade escolar;

15) Auxiliar na fiscalização a observância, pelos alunos, dos preceitos de higiene e condições de saúde;

16) Colaborar com as atividades de articulação da escola, com as famílias e a comunidade;

17) Realizar todos os atendimentos individualizados nas escolas e horários estipulados pela coordenação pedagógica, seguindo as orientações do Programa Cirandar;

18) Ministrar aulas de Arte nas escolas onde estiver lotado, de acordo com a organização da Secretaria de Educação;

19) Desempenhar tarefas afins.

Professor de Inglês:

1) Participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

2) Elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

3) Zelar pela aprendizagem dos alunos;

4) Estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento;

5) Ministrar os dias letivos e horas/aulas estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional;

6) Colaborar com as atividades de articulação da escola, com as famílias e a comunidade;

7) Participar de reuniões pedagógicas e administrativas;

8) Cumprir o calendário escolar;

9) Outras atribuições de acordo com a legislação vigente;

10) Outras atividades correlatas.

- CEMEI - Vereador Milton Vicente Saldanha / Escolas:

Monitor de educação infantil:

1) auxiliar na socialização e aprendizagem da criança;

2) manter a disciplina da classe;

3) acompanhar o recreio ajudando e orientando a criança na hora da merenda;

4) auxiliar na fiscalização a observância, pelos alunos, dos preceitos de higiene e condições de saúde;

5) participar das reuniões pedagógicas e administrativas, convocadas por autoridade escolar;

6) colaborar com as atividades de articulação do Centro de Educação Infantil, com as famílias e a comunidade

7) participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

8) desempenhar tarefas afins.

- Programa Telecurso: Monitor de Telecurso:

1) Participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

2) Elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

3) Zelar pela aprendizagem dos alunos;

4) Estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento;

5) Ministrar os dias letivos e horas/aulas estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional;

6) Colaborar com as atividades de articulação da escola, com as famílias e a comunidade;

7) Participar de reuniões pedagógicas e administrativas;

8) Cumprir o calendário escolar;

9) Exercer atividades educacionais em salas de jovens e adultos.

10) Realizar atividades extra-classe, elaboração de programas e planos de trabalho, controle e avaliação do rendimento escolar, recuperação dos alunos, reuniões, auto-aperfeiçoamento, pesquisa educacional e cooperação, no âmbito da escola, para aprimoramento tanto do processo ensino-aprendizagem, como da ação educacional e participação ativa na vida comunitária da escola;

11) Desempenhar tarefas afins.

- NAPSI:

Auxiliar de serviços gerais:

1) Percorrer as dependências internas apagando luzes, fechando torneiras e desligando aparelhos;

2) Abrir e fechar portas e portões, responsabilizando-se pelas chaves;

3) Fiscalizar a entrada e saída e pessoas, inclusive alunos, e acompanhar visitas dentro de horários estabelecidos;

4) Varrer, raspar e encerar assoalhos;

5) Lavar ladrilhos, azulejos, pisos, vidraças e vasilhame;

6) Manter a higiene das instalações sanitárias;

7) Limpar as salas antes do início das atividades;

8) Zelar pela boa ordem e limpeza do material didático;

9) Prestar assistência aos alunos, priorizando aqueles com necessidades especiais;

10) Colaborar na limpeza e ornamentação do estabelecimento, em dias de festa;

11) Comparecer a reuniões quando convocado;

12) Cuidar de jardins, pátios e demais dependências;

13) Elaborar e distribuir merendas;

14) Outras atividades correlatas.

Monitor(a) de oficina (alfabetização):

1) Realizar o atendimento pedagógico especializado de crianças encaminhadas pelas escolas da rede municipal, sendo estes, individualizados ou em grupos.

2) Alimentação do sistema de informação, registro de prontuários e ações desenvolvidas;

3) Participação de reuniões técnicas e de supervisão.

4) Exercer atividades educacionais com crianças que necessitam de cuidados especiais, metodologia e didática específicas.

5) Outras atividades correlatas.

Monitor(a) Psicossocial:

1) Desenvolver as oficinas psicossociais no NAPSI com grupo de crianças e/ou grupos de famílias.

2) Propiciar atividades e estratégias de inclusão social e cultural dos usuários, promovendo socialização e melhoria da autoestima dos participantes.

3) Acompanhar, dentro do processo grupal, a evolução do tratamento de cada usuário e, na necessidade de atenção para além do trabalho em oficina psicossocial, encaminhar, de forma implicada, para o(s) profissional(is) e/ou programa(s) adequados.

4) Desenvolver atividades comunitárias, enfocado a integração e conivência familiar e social.

5) Registrar os afazeres e acontecimentos ocorridos nas oficinas.

6) Participar de reuniões técnicas e de supervisão.

7) Realizar outras atividades afins.

Monitor oficineiro (artesanato):

1) Desenvolver oficinas de artesanato com pais/responsáveis, durante o período de acompanhamento pelos mesmos às crianças inscritas no NAPSI.

2) Exercer atividades educacionais com crianças que necessitem de cuidados especiais, metodologia e didática específicas.

3) Alimentação do sistema de informação, registro de prontuários e ações desenvolvidas;

4) Participação de reuniões técnicas e de supervisão.

5) Outras atividades correlatas.

Fonoaudiólogo:

1) Avaliar as deficiências dos pacientes, realizando exames fonéticos, da linguagem, autonomia, além de outras técnicas próprias para estabelecer plano de tratamento ou terapêutico;

2) Elaborar plano de tratamento dos pacientes, baseando-se nos resultados da avaliação do fonoaudiólogo, nas peculiaridades de cada caso e se necessário nas informações médicas;

3) Desenvolver trabalho de prevenção no que se refere à área de comunicação escrita e oral, voz e audição;

4) Desenvolver trabalhos de correção de distúrbios da palavra, voz, linguagem e audição, objetivando a reeducação neuromuscular e a reabilitação do paciente;

5) Avaliar os pacientes no decorrer do tratamento, observando a evolução do processo e promovendo os ajustes necessários na terapia adotada;

6) Elaborar pareceres, informes técnicos e relatórios, realizando pesquisas, entrevistas, fazendo observações e sugerindo medidas para implantação, desenvolvimento e aperfeiçoamento de atividades em sua área de atuação;

7) Participar da equipe de orientação e planejamento escolar, inserindo aspectos preventivos ligados à fonoaudiologia;

8) Participar das atividades administrativas, de controle e de apoio referentes à sua área de atuação

9) Participar das atividades de treinamento e aperfeiçoamento de pessoal técnico e auxiliar, realizando-as em serviço ou ministrando aulas e palestras, a fim de contribuir para o desenvolvimento qualitativo dos recursos humanos em sua área de atuação;

10) Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da Administração Municipal e outras públicas e particulares, realizando estudos, emitindo pareceres ou exposições sobre situações e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo, revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos, direta ou diretamente, à política de atendimento à criança e ao adolescente;

11) Participar ativamente em reuniões sempre que o convocado;

12) Planejar as ações para atendimento específico ao Corpo Discente e Docente;

13) Avaliar e diagnosticar os alunos indicados pela equipe multidisciplinar;

14) Elaborar atividades para atendimento individual e/ou grupal;

15) Realizar sistematicamente, intercâmbio com professores para reforço;

16) Convocar pais e/ou responsáveis para entrevistas e/ou orientação;

17) Favorecer o processo de aprendizagem mediante pesquisas e levantamento;

18) Registrar os atendimentos para uma constante avaliação da evolução do aluno;

19) Reformular o plano global de atendimento, sempre que necessário;

20) Atuar em equipe multiprofissional para estudo de caso e análise institucional;

21) Elaborar relatórios em reuniões e conselhos de classe;

22) Realizar outras atribuições compatíveis com sua especialização profissional;

23) Executar tarefas afins.

Psicólogo:

1) Acolhimento, oferta de informações e realização de encaminhamentos a outros serviços de atendimento à infância e à família;

2) Realização de entrevistas individuais ou familiares (triagem, anamnese, devolução, entre outras);

3) Realização de atendimentos individualizado (psicodiagnóstico, psicoterápico, de orientação, atividades de suporte social, entre outros);

4) Realização de atendimentos em grupos (psicoterápicos, psicossociais, atividades de suporte social, atividades socioculturais, entre outros);

5) Realização de atendimentos à família (orientação, psicoterápica, de reabilitação social, entre outros);

6) Alimentação do sistema de informação, registro de prontuários e ações desenvolvidas;

7) Participação de reuniões técnicas e de supervisão.

8) Outras atividades correlatas.

Pedagogo (Psicopedagogo):

1) Acolhimento, oferta de informações e realização de encaminhamentos a outros serviços de atendimento à infância e à família;

2) Realização de entrevistas individuais ou familiares (triagem, anamnese, devolução, entre outras);

3) Realização de atendimentos individualizado (psicoterápico, de orientação, entre outros);

4) Realização de atendimentos em grupos (psicoterápicos, atividades socioculturais, oficinas pedagógicas, entre outros);

9) Manter

10) Alimentação do sistema de informação, registro de prontuários e ações desenvolvidas;

11) Participação de reuniões técnicas e de supervisão.

12) Realizar avaliação psicopedagógica das crianças;

13) Entrevistar professores externos e pais, investigando a história escolar das crianças;

14) Planejar intervenções psicopedagógicas e orientar professores e coordenadores;

15) Fazer encaminhamentos e solicitações de avaliações médicas ou de outros especialistas;

16) contribuir na organização de instrumentos, procedimentos e avaliações nas diferentes áreas de atendimento;

17) Documentar a avaliação das crianças no Napsi;

18) Participar de fechamento de avaliações para decisões da entrada, matrícula e permanência do candidato no Napsi;

19) Realizar pesquisas no contexto da Instituição;

20) Planejar e realizar intervenções preventivas com aprendizes e professores;

21) Orientar pais no acompanhamento acadêmico dos filhos;

22) Participar da elaboração de projetos de estudos coletivos, a fim de ampliar o campo de conhecimento dos professores e coordenadores;

23) Participar de estudos de casos, quando necessário;

24) Manter seu quadro horário atualizado;

25) Gerar estatísticas de atendimentos e relatórios de atividades realizadas;

26) Disponibilizar informativos preventivos relativos ao seu domínio profissional.

27) Outras atividades correlatas.

CEMEI ESPAÇO NOSSO:

Auxiliar de serviços gerais de creche:

1) Percorrer as dependências internas apagando luzes, fechando torneiras e desligando aparelhos;

2) Abrir e fechar portas e portões, responsabilizando-se pelas chaves;

3) Fiscalizar a entrada e saída e pessoas, inclusive alunos, e acompanhar visitas dentro de horários estabelecidos;

4) Varrer, raspar e encerar assoalhos;

5) Lavar ladrilhos, azulejos, pisos, vidraças e vasilhame;

6) Manter a higiene das instalações sanitárias;

7) Limpar as salas antes do início das atividades;

8) Zelar pela boa ordem e limpeza do material didático;

9) Prestar assistência aos alunos, priorizando aqueles com necessidades especiais;

10) Colaborar na limpeza e ornamentação do estabelecimento, em dias de festa;

11) Comparecer a reuniões quando convocado;

12) Cuidar de jardins, pátios e demais dependências;

13) Elaborar e distribuir merendas;

14) Outras atividades correlatas.

Cozinheira de creche:

1) preparar a merenda das crianças;

2) observar as orientações da Nutricionista estabelecidas no cardápio;

3) varrer, lavar ladrilhos, azulejos, pisos vidraças e vasilhames;

4) manter absoluta higiene nas instalações da cozinha;

5) zelar pela conservação e limpeza do material da cozinha;

6) preparar salgados, doces, canjica, quentão e outros alimentos, nos dias de festas;

7) desempenhar tarefas afins.

Especialista em Educação:

1) Coordenar o planejamento e implementação do projeto pedagógico na escola, tendo em vista as diretrizes definidas no plano de desenvolvimento da escola.

2) participar da elaboração do plano de desenvolvimento da escola;

3) delinear, com os professores, o projeto pedagógico da escola, explicitando seus componentes de acordo com a realidade da escola;

4) coordenar a elaboração do currículo pleno da escola, envolvendo a comunidade escolar;

5) assessorar os professores na escolha e utilização dos procedimentos e recursos didáticos mais adequados ao atingimento dos objetivos curriculares;

6) promover o desenvolvimento curricular redefinindo, conforme as necessidades, os métodos e materiais de ensino;

7) participar da elaboração do calendário escolar;

8) articular os docentes de cada área para o desenvolvimento do trabalho técnico-pedagógico da escola, definindo suas atribuições específicas;

9) identificar as manifestações culturais, características da região e incluí-las no desenvolvimento do trabalho da escola.

10) Coordenar o programa de capacitação do pessoal da escola:

a) realizar a avaliação do desempenho dos professores, identificando as necessidades individuais de treinamento e aperfeiçoamento;

b) efetuar o levantamento da necessidade de treinamento e capacitação dos docentes na escola;

Educador infantil de creche:

1) reger classe de ensino de educação infantil e creche;

2) zelar pela socialização e aprendizagem da criança;

3) avaliar mensalmente o aproveitamento dos alunos, através de observação dos trabalhos práticos, exercícios e avaliações;

4) manter a disciplina da classe;

5) fazer exposições dos trabalhos realizados pelos alunos;

6) organizar fichas de observação de cada aluno;

7) aplicar e corrigir as avaliações das crianças;

8) acompanhar o recreio ajudando e orientando a criança na hora da merenda;

9) auxiliar na hora do banho;

10) auxiliar na hora da mamadeira às crianças que ainda façam uso da mesma, seguindo os preceitos de higiene;

11) auxiliar na troca de fraldas, seguindo os preceitos de higiene;

12) zelar pela limpeza e organização das salas de aula;

13) informar sobre a vida escolar dos alunos;

14) fiscalizar a observância, pelos alunos, dos preceitos de higiene e condições de saúde;

15) participar das reuniões pedagógicas e administrativas sempre que convocadas;

16) colaborar com as atividades de articulação do Centro de Educação Infantil, com as famílias e a comunidade;

17) Colaborar na organização e ornamentação do estabelecimento, em dias de festa;

18) Colaborar na disciplina dos alunos nos corredores, recreios e na entrada e saída das aulas;

19) colaborar com a parte administrativa e pedagógica na ausência de educadores e / ou monitores;

20) participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

21) elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

22) desempenhar tarefas afins.

Monitor de creche:

1) Auxiliar na socialização e aprendizagem da criança;

2) Manter a disciplina da classe;

3) Acompanhar o recreio ajudando e orientando a criança na hora da merenda;

4) Auxiliar na fiscalização a observância, pelos alunos, dos preceitos de higiene e condições de saúde;

5) Dar banho nas crianças e auxiliá-las na escovação;

6) Trocar fraldas, seguindo os preceitos de higiene;

7) Fazer a troca das roupas das crianças e roupas de cama e banho;

8) Dar mamadeira às crianças que ainda façam uso da mesma, seguindo os preceitos de higiene;

9) Rodar ou xerocar matrizes;

10) Auxiliar na limpeza e organização das salas de aula, bem como nas salas de apoio;

11) Colaborar com a parte administrativa e pedagógica na ausência de educadores e / ou monitores;

12) Participar das reuniões pedagógicas e administrativas, convocadas por autoridade escolar;

13) Colaborar com as atividades de articulação do Centro de Educação Infantil, com as famílias e a comunidade;

14) Observar a saúde e o bem estar das crianças, levando-as quando necessário, para atendimento médico e ambulatorial;

15) Acompanhar crianças em passeios, visitas e festividades sociais.

16) Executar atividades diárias de recreação com crianças e trabalhos educacionais de artes diversas.

17) Colaborar na organização e ornamentação do estabelecimento, em dias de festa;

18) Auxiliar no recolhimento e entrega das crianças no portão;

19) Levar ao conhecimento do chefe imediato qualquer incidente ou dificuldade ocorridas;

20) Colaborar na disciplina dos alunos nos corredores, recreios e na entrada e saída das aulas;

21) Participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

22) Desempenhar tarefas afins.

Secretário Escolar de creche:

1) organizar e manter em dia fichários e livros referentes à vida escolar dos alunos, bem como, boletins de frequência e aproveitamento;

2) proceder à matrícula dos alunos no início de cada ano, conferindo documentos e registrando dados;

3) expedir e receber guias de transferência;

4) redigir atas, cartas, ofícios, avisos e outros documentos;

5) apurar a frequência dos servidores do estabelecimento e fazer folhas de pagamento;

6) Auxiliar no controle do portão (abrir e fechar, receber visitantes, identificá-los e encaminhá-los);

7) Xerocar e / ou mimeografar matrizes quando solicitado;

8) Fazer verificação in loco nas residências dos alunos (em caso de evasão, faltas injustificadas, confirmação de endereços, etc);

9) Conferir a apuração de frequência dos alunos e informar à direção, ao Conselho Tutelar e aos pais, o número de faltas dos alunos, tomando as medidas cabíveis;

10) Manter atualizado dados dos alunos e da escola nos sistemas (Educasenso e outros)

11) Auxiliar a direção e coordenação sempre que solicitado;

12) Desempenhar tarefas afins.

169874

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231