Prefeitura de Salinas - MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALINAS

ESTADO DE MINAS GERAIS

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS

EDITAL Nº 1/2011

Notícia:   Publicada retificação I do concurso de Salinas - MG

O Município de Salinas-MG, através do seu Prefeito, torna público que estarão abertas as inscrições para o concurso público para provimento de cargos efetivos do quadro de pessoal do Município e para o quadro de reserva, sob regime estatutário. O Concurso Público realizar-se-á em conformidade com a Lei Orgânica Municipal, Leis Complementares Municipais de n.°s 1/2002, 2/2004, 5/2005, 9/2007, 23/2011, Lei Municipal n.° 684/1973, Decretos Municipais de n.°s 2.823/2002, 3.932/2007, 5.459/2011, Decreto Federal n.° 3.298/1999 e normas deste Edital.

I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1. O Concurso Público será regulamentado por este Edital, executado pela Comissão Técnica de Concursos - Cotec - da Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes - e realizado em Salinas-MG.

1.2. A seleção dos candidatos constará das seguintes etapas:

1.2.1. Provas de Múltipla Escolha, de caráter eliminatório e classificatório, conforme especificado no item V e no Anexo II deste Edital.

1.2.2. Prova de Títulos, de caráter classificatório, cuja especificação consta no item VI deste Edital. A entrega da documentação para essa Prova deverá ser encaminhada conforme disposto no subitem 6.3 deste Edital.

1.2.3. Prova de Aptidão Física, de caráter eliminatório, conforme disposições do item VII deste Edital. Apenas candidatos aos cargos de Auxiliar de Serviços Gerais (código 3), Auxiliar de Serviços Gerais/Gari (código 7) e Guarda Municipal (código 26) serão submetidos à Prova de Aptidão Física, no dia 27/5/2012.

1.3. Conforme especificado no Anexo I deste Edital, alguns cargos já estão com vagas definidas para provimento; contudo, para alguns cargos, o Município de Salinas objetiva a formação de Quadro de Reserva, para atendimento à necessidade e interesse da Administração Pública, no prazo de validade do Concurso Público.

1.3.1. O candidato deverá estar ciente de que, ao fazer a sua inscrição, deverá optar por apenas uma das duas situações: para cargo com vagas efetivas ou para cargo do Quadro de Reserva, pois os códigos de inscrição são diferentes.

1.4. Os códigos de inscrição, a denominação dos cargos, o número de vagas, a escolaridade mínima exigida (e outras exigências), a jornada de trabalho, os vencimentos dos cargos e o valor da taxa de inscrição constam no Anexo I deste Edital.

1.5. Os candidatos classificados no limite de vagas, conforme o Anexo I do Edital, serão lotados no Município. Para lotação do candidato, observar-se-á a sua classificação no cargo pleiteado.

1.6. As atribuições de cada cargo constam no Anexo III deste Edital.

1.7. Recomenda-se ao candidato a leitura das normas deste Edital, bem como as condições para posse e exercício no cargo pleiteado, antes da realização da inscrição.

1.8. Conforme a necessidade da Administração Pública Municipal, poderão ser nomeados os candidatos aprovados, pela ordem de classificação, além do número de vagas disponíveis.

II - DAS INSCRIÇÕES

2.1. São condições básicas para inscrição e posse em cargo oferecido neste Concurso Público:

a) Ter a nacionalidade expressa no artigo 12 e no artigo 37, Inciso I, da Constituição da República Constituição Federal de 1988 - brasileiro nato ou naturalizado e cidadão português que goze das prerrogativas legais.

b) Estar em dia com as obrigações militares, se do sexo masculino.

c) Estar em dia com as obrigações eleitorais.

d) Ter, na data da posse, idade mínima de 18 (dezoito) anos completos.

e) Ter, na data da posse, a escolaridade exigida para o cargo.

f) Possuir, na data da posse, habilitação legal para exercício de profissão regulamentada, conforme o cargo pretendido, inclusive com registro no respectivo Conselho de Classe.

g) Possuir aptidão física e mental compatível com o exercício do cargo, comprovada em inspeção médica oficial que será realizada de acordo com definição do Município de Salinas, antes da posse. Conforme a legislação municipal, o candidato que não possuir aptidão física e mental compatível com o cargo será automaticamente eliminado do Concurso.

h) Atender às exigências especificadas para o cargo pleiteado, estabelecidas na legislação municipal e neste Edital.

i) Possuir e comprovar experiência de, no mínimo, 1 (um) ano, no caso dos cargos
estabelecidos no Anexo I do Edital. A experiência profissional deverá ser comprovada por meio de Carteira de Trabalho, Contrato de Trabalho ou, no caso serviço em órgão público, por Certidão de Contagem de Tempo de Serviço.

2.1.1. A documentação exigida neste Edital para exercício d o cargo deverá ser comprovada por ocasião da posse.

2.2. Procedimentos para Inscrição

2.2.1. O preenchimento do Requerimento de Inscrição, a entrega de documentos relativos ao Concurso e o conhecimento das normas deste Edital são de responsabilidade única e exclusiva do candidato, ainda que a inscrição tenha sido efetuada por terceiros.

2.2.2. O valor da taxa de inscrição, para cada cargo, consta no Anexo I deste Edital.

2.2.3. As inscrições serão efetivadas somente pela internet, no endereço www.cotec.unimontes.br, nos períodos indicados no subitem 2.3 (inscrição com pagamento da taxa) e no subitem 2.4 (pré-inscrição com pedido de isenção da taxa). Será disponibilizado computador aos candidatos que precisarem, para esse fim, no Posto de Atendimento e na Recepção da Unimontes/Cotec.

2.2.4. O atendimento aos candidatos, durante o período de inscrição, será feito em Salinas e em Montes Claros, a saber:

a) Em Salinas: No Posto de Atendimento (Salão de Eventos da Prefeitura Municipal de Salinas - Praça Procópio Cardoso, n.° 7, Centro), de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas.

b) Em Montes Claros: Na recepção da Unimontes/Cotec (Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, Vila Mauriceia), de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8 às 18 horas.

2.3. A inscrição com pagamento da taxa será no período de 27 de fevereiro de 2012 a 27 de março de 2012, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

2.3.1. Para inscrever-se, o candidato deverá preencher o Formulário de Inscrição, de acordo com as instruções contidas no referido sítio eletrônico. Após esse procedimento, será exibido, em nome do candidato, o boleto bancário, o qual deverá ser impresso para que o pagamento da taxa de inscrição seja efetuado até o dia 27/3/2012.

2.3.2. A taxa de inscrição deverá ser paga com o boleto bancário. Não serão de responsabilidade da Unimontes/Cotec ou do Município de Salinas inscrições cujas taxas não tenham sido pagas através do boleto bancário gerado no ato da inscrição e que não possam ser comprovadas. O pagamento da taxa não poderá ser feito através de depósito em caixa eletrônico, depósito bancário, cheque ou agendamento de depósito.

2.3.2.1. A inscrição referida no subitem 2.3.1 que não tiver o pagamento efetuado até a data indicada será automaticamente cancelada.

2.4. A pré-inscrição para análise do pedido de isenção da taxa de inscrição, dar-se-á no período de 27 de fevereiro de 2012 a 27 de março de 2012, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

2.4.1. Poderá solicitar isenção da taxa de inscrição, o cidadão desempregado ou empregado que demonstrar, comprovadamente, insuficiência de recursos financeiros, desde que sejam observadas as disposições contidas nos subitens de 2.4.2 a 2.4.3.8 deste Edital.

2.4.2. Para a finalidade do subitem 2.4.1, considera-se insuficiência de recursos o rendimento mensal do grupo familiar igual ou inferior a 1% (um e meio) salário mínimo nacional, valor em vigência no período de inscrição.

2.4.3. Para fazer o pedido de isenção de taxa, o candidato, na condição referida no subitem 2.4.1, deverá:

2.4.3.1. Preencher a Ficha de Inscrição e o Pedido de Isenção, de acordo com as instruções contidas no referido sítio eletrônico.

2.4.3.2. Imprimir o comprovante da Inscrição/Pedido de Isenção, que deverá ser guardado para consultar o resultado quando este for divulgado.

2.4.3.3. Imprimir e assinar o Pedido de Isenção que será exibido na tela do computador.

2.4.3.4. De 27/2/2012 a 27/3/2012, o candidato deverá postar nos Correios, por AR ou SEDEX, para a Unimontes/Cotec - Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, CEP 39401-089, Montes Claros/MG, ou entregar no Posto de Atendimento, das 8 às 12h e das 13 às 17h, os seguintes documentos (dentro de envelope):

a) Pedido de Isenção da taxa de inscrição, assinado.

b) Cópia de documentos d o candidato e de todos os membros do grupo familiar: Carteira de Identidade, Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento.

c) Cópia da Carteira de Trabalho do candidato e de todos os membros do grupo familiar, que trabalhem formal ou informalmente (enviar as páginas em que constam os contratos de trabalho, a página seguinte ao último contrato - mesmo em branco -, as páginas que identificam o portador da Carteira e as que registrem alterações salariais).

d) Cópias de contracheques (meses de novembro, dezembro ou janeiro de 2011) do candidato e dos membros do grupo familiar. Se a empresa não emitir contracheque, poderá ser declaração (emitida pela empresa, em papel timbrado, e assinada por autoridade competente) constando o cargo e o valor bruto mensal.

2.4.3.5. Na entrega ou postagem dos documentos, o candidato deverá escrever no envelope a identificação: PI - Concurso Salinas/2012.

2.4.3.6. A documentação enviada será de propriedade da Cotec, por isso não poderão ser enviados documentos pessoais originais.

2.4.3.7. Não serão recebidos nem aceitos pedidos de isenção ou documentos fora dos prazos e forma estabelecidos neste Edital.

2.4.3.8. Serão sumariamente indeferidos os pedidos de isenção que estiverem com documentação incompleta e em desacordo com as disposições deste Edital. Não poderá haver complementação ou substituição de documentos após o envio da documentação citada no subitem 2.4.3.4.

2.4.4. O resultado d o pedido de isenção será divulgado no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, até o dia 16/3/2012. Não haverá informação individual aos candidatos, mas será disponibilizada a consulta pela internet no Posto de Atendimento.

2.4.4.1. O subitem 8.6.1 deste Edital dispõe sobre eventual interposição de recurso.

2.4.5. O candidato que tiver o pedido deferido estará, automaticamente, inscrito no Concurso para o cargo informado na Ficha.

2.4.6. O candidato que tiver o pedido indeferido, se quiser participar do Concurso, deverá imprimir o boleto bancário da taxa de inscrição, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, e efetuar o pagamento até 28/3/2012.

2.4.7. A taxa de inscrição deverá ser paga com o boleto bancário. Não serão de responsabilidade da Unimontes/Cotec ou do Município de Salinas inscrições cujas taxas não tenham sido pagas através do boleto bancário gerado no ato da inscrição e que não possam ser comprovadas. O pagamento da taxa não poderá ser feito através de depósito em caixa eletrônico, depósito bancário, cheque ou agendamento de depósito.

2.4.8. O candidato que tiver o pedido de isenção indeferido e que não efetuar o pagamento da taxa de inscrição no prazo estabelecido estará automaticamente excluído do Concurso.

2.4.9. As informações prestadas no Pedido de Isenção, a declaração falsa ou inexata, bem como os documentos apresentados, são de inteira responsabilidade do candidato. Será excluído do Concurso, em qualquer época, aquele candidato que prestar informações ou documentos incorretos, rasurados, incompletos, inverídicos, sem prejuízo das sanções civis e penais cabíveis.

2.4.10. Não serão aceitos pedidos de isenção de pagamento da taxa de inscrição para outros candidatos que não sejam os referidos no subitem 2.4.1 deste Edital.

2.5. Outras informações relativas à inscrição

2.5.1. O candidato não poderá se inscrever em mais de um cargo; cada código de inscrição corresponde a um cargo, seja ele com vagas efetivas ou d o Quadro de Reserva.

2.5.2. Caso haja mais de uma inscrição de um mesmo candidato para mais de um cargo (os códigos são diferentes), mesmo que todas as inscrições estejam pagas, prevalecerá a última inscrição cadastrada (gravada no sistema).

2.5.3. A não indicação de cargo implicará a anulação da inscrição do candidato.

2.5.4. Não será permitida a realização de inscrição condicional ou extemporânea.

2.5.5. O Formulário de Inscrição, bem como o valor pago relativo à taxa de inscrição, é pessoal e intransferível.

2.5.6. Efetivada a inscrição, não serão aceitos pedidos de alteração de cargo.

2.5.7. Não será devolvido o valor da taxa de inscrição, exceto na eventualidade de cancelamento ou anulação do Concurso.

2.5.8. No caso de suspensão do certame, se o candidato desistir de participar do Concurso poderá requerer, até 15 (quinze) dias antes da data de aplicação das provas, a devolução do valor da taxa de inscrição diretamente na Unimontes/Cotec.

2.5.9. O preenchimento da Ficha de Inscrição, a entrega de documentos relativos ao Concurso, Público e o conhecimento das normas deste Edital são de responsabilidade única e exclusiva do candidato, ainda que a inscrição tenha sido efetuada por terceiros.

2.5.10. É de responsabilidade do candidato acompanhar as informações sobre o Concurso, bem como eventuais retificações do Edital, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br ou nos quadros de avisos da Prefeitura Municipal de Salinas.

2.5.11. O Município de Salinas e a Unimontes/Cotec não se responsabilizam por qualquer problema na inscrição via internet, motivado por falhas de comunicação, falta de energia elétrica, congestionamento das linhas de comunicação, bem como por outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a conexão ou a transferência de dados, desde que tais motivos e fatores de ordem técnica não forem de responsabilidade dessas instituições.

2.5.12. Para que a inscrição seja efetivada, é necessário que, além de ser feita dentro do prazo e em modelo próprio, esteja em conformidade com as normas deste Edital e tenha o pagamento da respectiva taxa efetuado no prazo estabelecido.

2.5.13. São motivos para anulação sumária da inscrição: o não pagamento da taxa de inscrição, pagamentos efetuados após a data limite, ordens de pagamento efetuadas em caixas eletrõnicos ou feitas por telefone e que não possam ser comprovadas.

2.5.14. Serão automaticamente indeferidas as inscrições que estiverem em desacordo com as disposições deste Edital.

2.5.15. Na Ficha de Inscrição constará declaração de que o candidato tem conhecimento das condições exigidas para o exercício do cargo, conforme o subitem 2.1 deste Edital e que concorda com as suas disposições.

2.5.16. A inscrição do candidato implicará o conhecimento e a plena aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital e em suas eventuais retificações, das quais não poderá alegar desconhecimento. É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação dos atos relativos a este Concurso Público e de eventuais retificações do Edital que, se houver, serão divulgadas na sede da Prefeitura Municipal de Salinas-MG, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br e em jornais de circulação local e/ou regional.

2.5.17. Qualquer falsidade ou inexatidão nos dados e nos documentos apresentados para a inscrição, pelo candidato, apuradas a qualquer tempo, que comprometerem a lisura do certame, se não forem corrigidos pelo candidato até a data de término das inscrições (ressalvado o disposto no subitem 2.5.6), acarretarão a anulação da inscrição no Concurso Público, bem como de todos os atos dela decorrentes, sem prejuízo de medidas cíveis, administrativas e/ou penais cabíveis.

2.6. Cartão de Inscrição - Não será enviado Cartão de Inscrição para o endereço do candidato. Os candidatos deverão, a partir d o dia 5/4/2012, informar-se, pela internet, n o sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, em que local irão fazer as Provas. Informações também poderão ser obtidas na Unimontes/Cotec pelos telefones (38) 3229-8080 ou 3229-8092, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no horário das 8 às 18 horas. Serão disponibilizados computadores aos candidatos, no Posto de atendimento (Salão de Eventos da Prefeitura Municipal de Salinas - Praça Procópio Cardoso, n.° 7, Centro), das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas, e na Unimontes/Cotec (Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, Vila Mauriceia, Montes Claros-MG), das 8 às 18 horas.

2.6.1. As consequências decorrentes da não localização do local de Provas são de responsabilidade do candidato.

2.6.2. Na ocorrência de eventuais erros (tais como erro no nome do candidato, do n.° do documento de identidade, da data de nascimento), o candidato deverá informá-los ao fiscal de sala, no dia das Provas, para que seja providenciado o pedido de correção, em formulário próprio.

2.7. Tratamento Especial para realização da Prova de Múltipla Escolha

2.7.1. Portadores de necessidades especiais e gestantes que necessitarem de tratamento especial no dia das Provas de Múltipla Escolha deverão entregar Pedido de Tratamento Especial, especificando os meios necessários para a realização dessas provas. Com o Pedido de Tratamento Especial, deverá conter atestado médico que descreva a situação do candidato.

2.7.2. O Pedido de Tratamento Especial, com a especificação de que trata o subitem 2.7.1, deverá ser postado nos Correios, até o dia 27/3/2012, por meio do serviço de Sedex (com custos por conta do candidato), para o seguinte endereço: Unimontes/Cotec - Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, CEP.: 39401-089, Montes Claros-MG. Os documentos deverão ser entregues em envelope lacrado pelo candidato ou seu representante, estando escrito no envelope: PTE/CONCURSO PÚBLICO/SALINAS.

2.7.2.1. O Pedido de Tratamento Especial e o Atestado Médico poderão ser entregues pelo candidato ou seu representante, mediante recibo, no prazo estabelecido, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no Posto de Informação (Salão de Eventos da Prefeitura Municipal de Salinas - Praça Procópio Cardoso, n.° 7, Centro), das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas, e na Unimontes/Cotec (Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, Vila Mauriceia, Montes Claros-MG), das 8 às 18 horas.

2.7.3. O prazo citado no subitem 2.7.2 é o tempo hábil para que possa ser feita a análise do pedido e a tomada de providências. Apenas em casos de força maior ou fortuitos poderá haver solicitação de tratamento especial fora da data especificada no subitem 2.7.2. Nesse caso, a aceitação do pedido dependerá de análise a ser feita pela Unimontes/Cotec, que avaliará a possibilidade de atendimento.

2.7.3.1. Na impossibilidade de atendimento, a Unimontes/Cotec comunicará ao candidato o indeferimento do pedido.

2.7.4. Serão preliminarmente indeferidos os pedidos de tratamento especial que não apresentarem atestado médico que descreva a situação do candidato.

2.7.5. O resultado do Pedido de Tratamento Especial será divulgado até o dia 24/2/2012, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, na sede da Prefeitura Municipal de Salinas.

III- DAS VAGAS DO CONCURSO E VAGAS RESERVADAS PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

3.1. O número total de vagas já definidas para provimento neste Concurso é de 143 (cento e quarenta e três), conforme discriminado no Anexo I deste Edital, sendo 135 para ampla concorrência e 8 para portadores de deficiência.

3.1.1. Os cargos que objetivam a formação de Quadro Reserva serão providos conforme disposto no subitem 1.3 deste Edital.

3.1.2. Quanto à reserva de vagas para portadores de deficiência, as disposições constam do subitem 3.2 deste Edital.

3.2. Das vagas reservadas para Portadores de Deficiência - em conformidade com o Artigo 30 da Lei Complementar Municipal n.° 1/2002 e as disposições do artigo 37 do Decreto Federal n.° 3.298/1999, do total de vagas do Concurso, ficam reservadas 5% do total de vagas do concurso público para portadores de deficiência, desde que as atribuições do cargo sejam compatíveis com a deficiência de que o candidato é portador: As vagas reservadas, n o total de 8 (oito), são as seguintes:

a) Auxiliar de Enfermagem, código 36: 1 (uma) vaga.

b) Auxiliar de Serviços Gerais, código 3: 1 (uma) vaga - ver subitem 7.2.1 deste Edital.

c) Auxiliar de Serviços Gerais/Gari, código 7: 1 (uma) vaga - ver subitem 7.2.1 deste Edital.

d) Guarda Municipal, código 26: 1 (uma) vaga - ver subitem 7.2.1 deste Edital.

e) Oficial de Serviços Gerais/Pedreiro, código 15: 1 (uma) vaga.

f) Professor I, código 47: 1 (uma) vaga.

g) Técnico em Enfermagem, código 42: 2 (duas) vagas.

3.2.1. Será considerada portadora de deficiência a pessoa que se enquadrar nas categorias especificadas n o Artigo 4.° d o Decreto Federal n.° 3.298/1999. Contudo, deverá ser observado, também, o disposto n o subitem 7.2.1, quanto à Prova de Aptidão Física, para determinados cargos.

3.2.2. Os candidatos aprovados, portadores de deficiência, serão submetidos, quando convocados, à avaliação pela junta médico-pericial para se verificar a compatibilidade da deficiência com as atividades do cargo.

3.2.3. Os candidatos portadores de deficiência que se inscreverem como tal, deverão entregar Laudo médico (original ou cópia autenticada em cartório) emitido há, no máximo, 6 meses, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, constando o n.° do CID (Classificação Internacional de Doença) e a provável causa da deficiência.

3.2.4. O laudo médico deverá ser postado nos Correios até o dia 27/3/2012, por meio do serviço de Sedex (com custos por conta do candidato), para o seguinte endereço: Unimontes/Cotec - Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, CEP.: 39401-089, Montes Claros/MG -, e estando escrito no envelope: Concurso Público/Salinas - Laudo Médico/RV. O laudo médico também poderá ser entregue, mediante recibo, no Posto de Atendimento, das 8 às 12h e das 13 às 17h, ou na recepção da Unimontes/Cotec, das 8 às 18h.

3.2.5. O candidato que não apresentar o laudo médico, na forma e prazo estabelecidos, participará do Concurso como não portador de deficiência, sem direito a reserva de vagas.

3.2.6. A lista de candidatos portadores de deficiência com inscrição deferida será divulgada até o dia 16/3/2012, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, nos quadros de avisos da Prefeitura Municipal de Salinas.

3.2.6.1. Em caso de indeferimento, poderá ser interposto recurso, conforme o subitem 8.6.3 deste Edital.

3.2.7. Havendo necessidade de tratamento especial para realizar as provas, o candidato portador de deficiência deverá fazer a solicitação de acordo com as disposições d o subitem 2.7 deste Edital.

3.2.8. A posse de candidato aprovado neste Concurso e nomeado para o cargo dependerá de prévia inspeção médica, por médico credenciado pelo Município de Salinas-MG, que terá decisão terminativa quanto à compatibilidade da deficiência do candidato com as atribuições do cargo, devendo seu parecer ser fundamentado. Havendo parecer médico oficial contrário a essa compatibilidade, o nome do candidato será excluído da listagem de classificação correspondente e, consequentemente, do Concurso Público.

3.2.8.1. O candidato será convocado antes da posse, para submeter-se à inspeção médica.

3.2.9. Caso o número de candidatos portadores de deficiência, inscritos e aprovados no presente Concurso Público, seja inferior às vagas a eles reservadas aos mesmos, a(s) vaga(s) remanescente(s) será(ão) preenchida(s) pelo(s) candidato(s) não portador(es) de deficiência, segundo a ordem de classificação e até o limite do número total de vagas oferecidas por cargo.

3.2.10. Os candidatos portadores de deficiência participarão do Concurso em igualdade de condições com os demais candidatos no que se refere ao conteúdo das provas, à avaliação e aos critérios para aprovação, ao horário e ao local de aplicação das provas e à nota mínima exigida para os demais candidatos.

3.2.11. Conforme disposto no subitem 11.7 deste Edital, caso ocorra acréscimo de vagas para algum cargo, deverá ser feita a reserva de 5% (cinco por cento) dessas vagas para o aproveitamento de candidatos portadores de deficiência classificados além do limite de vagas, desde que sejam preenchidas as condições necessárias para o exercício do cargo.

3.2.12. Conforme disposto no subitem 11.8, no caso de provimento de algum dos cargos que compõem o Quadro de Reserva (Anexo I do Edital), deverá ser feita a reserva de 5% (cinco por cento) das vagas para o aproveitamento de candidatos portadores de deficiência, observada a ordem de classificação destes.

IV- DO SISTEMA DO CONCURSO PÚBLICO E DAS PROVAS

4.1. O Concurso constará das seguintes provas:

a) Provas de Múltipla Escolha (eliminatória e classificatória), conforme disposto no item V e no Anexo II deste Edital. A pontuação máxima dessas provas é 80 (oitenta) pontos.

b) Prova de Títulos (classificatória), no total máximo de 20 (vinte) pontos, observando-se as disposições relativas à composição, pontuação e critérios que constam no item VI deste Edital.

c) Prova de Aptidão Física (eliminatória), conforme disposições do item VII deste Edital. Essa Prova não atribuirá pontos, apenas conceito de Apto ou Inapto. Apenas os candidatos aos cargos de Auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar de Serviços Gerais/Gari e Guarda Municipal participarão da Prova de Aptidão Física.

4.2. O subitem 2.1 e o Anexo I deste Edital dispõem sobre as exigências para o exercício dos cargos. A comprovação deverá ser feita na ocasião da Posse.

V- DAS PROVAS DE MÚLTIPLA ESCOLHA

5.1. Os programas das Provas de Múltipla Escolha e a Bibliografia sugerida constam no Anexo IV deste Edital.

5.2. As Provas de Múltipla Escolha serão valorizadas de acordo com a pontuação estabelecida no Anexo II deste Edital, a partir da pontuação 0 (zero), obedecendo às características especificadas, por cargo, neste Anexo.

5.3. Na apuração dos pontos obtidos nas Provas de Múltipla Escolha, será(ão) eliminado(s) o(s) candidato(s) que:

5.3.1. obtiver(em) menos de 50% (cinquenta por cento) dos pontos totais das Provas de Múltipla Escolha;

5.3.2. preencher(em) a Folha de Respostas a lápis;

5.3.3. não assinar(em) a Folha de Respostas;

5.3.4. não comparecer(em) para realizar das Provas.

5.4. As Provas de Múltipla Escolha serão corrigidas por processo eletrônico (leitura óptica), através de Folha de Respostas, de acordo com o Gabarito Oficial elaborado pela Unimontes/Cotec. Não serão computadas as questões não assinaladas na Folha de Respostas nem as questões que contiverem mais de uma resposta, emenda ou rasura.

5.5. Na hipótese de alguma questão das Provas de Múltipla Escolha vir a ser anulada, o seu valor, em pontos, será contabilizado em favor de todos os candidatos que fizeram a respectiva prova, mesmo daqueles que não tenham recorrido da questão.

5.6. APLICAÇÃO DAS PROVAS DE MÚLTIPLA ESCOLHA

5.6.1. As Provas de Múltipla Escolha serão aplicadas em Salinas-MG, no dia 15/4/2012. As provas terão duração de 3 (três) horas, estando incluído nesse tempo o preenchimento da Folha de Respostas. O horário de início será às 9h e o de término às 12h.

5.6.2. O endereço d o local de provas será divulgado na internet, no endereço www.cotec.unimontes.br, a partir do dia 5/4/2012. Conforme disposto no subitem 2.6, caberá ao candidato se informar sobre o local de provas, podendo imprimir o Cartão de Inscrição no Posto de Atendimento, em Salinas, ou na Unimontes/Cotec.

5.6.3. É de responsabilidade exclusiva do candidato a identificação correta do local indicado para realizar suas provas e o comparecimento no horário determinado.

5.6.4. O candidato não poderá realizar provas fora do local que a Unimontes/Cotec indicar.

5.6.5. O candidato fará as provas em prédio, sala e carteira indicados pela Unimontes/Cotec, por intermédio de seus Coordenadores e/ou Fiscais.

5.6.6. O ingresso do candidato ao prédio onde fará suas provas será permitido até o horário de início dessas provas, antes do fechamento dos portões, mediante a apresentação de documento oficial de identificação (com fotografia) original e em perfeitas condições (tais como Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho, Carteira de Órgão ou Conselho de Classe - CRC, CRO, CRM, CRESS, etc. -, Carteira de Motorista, modelo com foto).

5.6.7. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar Documento Oficial de Identidade original (com foto), por motivo de perda, furto ou roubo, deverá, para fazer as provas, apresentar Boletim de Ocorrência Policial, emitido até 90 (noventa) dias antes do dia das provas, e ser submetido à identificação especial, que poderá compreender fotografia, coleta de assinaturas e de impressão digital, em formulário específico.

5.6.8. Na ocorrência de alguma irregularidade, tentativa ou comprovação de fraude, o candidato será, a qualquer tempo, automaticamente, eliminado do Concurso Público e estará sujeito a outras penalidades legais.

5.6.9. Não serão aceitos como documentos de identificação: Certidões de Nascimento ou de Casamento, Títulos Eleitorais, Carteira Nacional de Habilitação (modelo sem foto), Carteiras de Estudante, carteiras funcionais sem valor de identidade, bem como documentos de identificação ilegíveis, não identificáveis e/ou danificados.

5.6.10. No caso de documentos de identificação ilegíveis, não identificáveis e/ou danificados, o candidato será submetido à identificação especial, que poderá compreender coleta de assinaturas e de impressão digital, em formulário próprio.

5.6.11. O candidato deverá levar caneta esferográfica azul ou preta (tubo transparente) para preencher a Folha de Respostas.

5.6.12. Não será permitido, durante a realização das provas, qualquer tipo de consulta, bem como o uso de máquina de calcular, régua de cálculo, relógio, aparelhos eletrõnicos ou de comunicação (notebook, receptor, gravador, telefone celular, agenda eletrõnica, etc.).

5.6.13. O candidato deverá identificar os seus equipamentos e objetos pessoais (exceto o citado no subitem 5.6.11) e colocá-los no local indicado pela equipe de fiscalização, observado o disposto no subitem 5.6.21 deste Edital. Aparelhos de telefone celular deverão ser previamente desligados. Os equipamentos e objetos pessoais somente poderão ser manuseados pelo candidato após o término das suas Provas e a entrega da Folha de Respostas ao fiscal de sala.

5.6.14. O candidato que estiver portando, mesmo que desligados, telefone celular ou quaisquer dos equipamentos relacionados no subitem 5.6.12 ou similares, durante a realização de sua prova, ou for flagrado em tentativa de cola, será automaticamente eliminado do Concurso Público.

5.6.15. Será eliminado do Concurso Público o candidato que, durante a realização das provas, for flagrado comunicando-se com outro candidato ou com pessoas estranhas, oralmente ou por escrito, ou, ainda, que se utilizar de notas, livros, impressos, etc.

5.6.16. Não será permitido aos candidatos o uso de armas nos prédios onde serão realizadas as provas do Concurso Público.

5.6.17. É reservado à Unimontes/Cotec, caso julgue necessário, o direito de utilizar equipamento detector de metais, inclusive durante as provas.

5.6.18. É reservado à Unimontes/Cotec, caso julgue necessário, o direito de proceder à coleta de digital dos candidatos, inclusive durante as provas.

5.6.19. Recomenda-se que o candidato esteja presente n o local das provas 30 (trinta) minutos antes d o horário marcado para que elas sejam iniciadas.

5.6.20. Os portões dos prédios onde se realizará o Concurso Público serão fechados, impreterivelmente, quando do início das provas. O candidato que chegar após o fechamento dos portões, não se levando em conta o motivo do atraso, terá vedada sua entrada no prédio e será automaticamente eliminado do Concurso Público.

5.6.21. Não haverá funcionamento de guarda-volumes, não se responsabilizando a Unimontes/Cotec por perdas, danos ou extravios de objetos ou documentos pertencentes aos candidatos.

5.6.22. Os candidatos deverão permanecer nos locais de provas (salas) por, no mínimo, 60 (sessenta) minutos e somente poderão levar o Caderno de Provas de Múltipla Escolha após decorridos 120 (cento e vinte) minutos do início dessas provas. O candidato que sair antes desse período não poderá levar nenhuma folha do Caderno de Provas, nem a folha de rascunho com as marcações da Folha de Respostas ou quaisquer anotações da Prova.

5.6.22.1. Em cada sala, os dois últimos candidatos a terminarem as provas deverão deixar o recinto ao mesmo tempo e deverão assinar a Ata da Sala de Provas.

5.6.23. O candidato que não entregar a Folha de Respostas no prazo estipulado será automaticamente eliminado do Concurso Público.

5.6.24. A Folha de Respostas é o único documento válido para correção das Provas de Múltipla Escolha e deverá ser assinada no local indicado. O candidato que fizer essas provas e deixar de assinar a Folha de Respostas no local indicado será automaticamente eliminado do Concurso Público.

5.6.25. A Folha de Respostas será personalizada e não será substituída, em nenhuma hipótese, por motivo de rasuras ou marcações incorretas.

5.6.26. Se o candidato, iniciadas as provas, desistir de fazê-las, deverá devolver ao fiscal de sala, devidamente assinados, o Caderno de Provas de Múltipla Escolha (completo) e a Folha de Respostas e somente poderá deixar o prédio após decorrida 1 (uma) hora do início dessas provas.

5.6.27. Será eliminado deste Concurso Público o candidato que, sem a devida autorização da Unimontes/Cotec, deixar o local de provas durante a realização das Provas.

5.6.28. O candidato que fizer uso de medicamento deverá trazê-lo consigo.

5.6.29. Em nenhuma hipótese, haverá segunda chamada para as provas.

5.6.30. Não será permitida a permanência de acompanhante do candidato nem de pessoas estranhas ao Concurso Público nas dependências do local onde forem aplicadas as provas.

5.6.31. O Gabarito Oficial das Provas de Múltipla Escolha será divulgado na internet, no endereço www.cotec.unimontes.br, na sede da Prefeitura Municipal de Salinas até 12 (doze) horas após o encerramento dessas provas. O Gabarito não será informado por telefone.

VI- DA PROVA DE TÍTULOS

6.1. A Prova de Títulos, de caráter classificatório, terá o total máximo de 20 (vinte) pontos, distribuídos conforme consta nos subitens 6.5.1 e 6.5.2 deste Edital.

6.2. A Prova de Títulos constará de Experiência Profissional e de Escolaridade, conforme especificado no subitem 6.5.

6.3. Entrega da documentação para a Prova de Títulos - A documentação deverá ser postada nos Correios, por meio do serviço de AR ou Sedex (com custos por conta do candidato), até 10/3/2012, para o seguinte endereço: Unimontes/Cotec - Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, CEP 39401-089, Montes Claros/MG, podendo também ser entregue mediante recibo, no prazo estabelecido, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no Posto de Atendimento, em Salinas-MG, das 8 à 12 horas e das 13 às 17 horas, e na Unimontes/Cotec (Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, Prédio 4, Vila Mauriceia, Montes Claros-MG), das 8 às 18 horas.

6.3.1. O candidato deverá escrever, d o lado de fora d o envelope, o seu nome completo, o cargo escolhido e a indicação: Prova de Títulos/Concurso Prefeitura de Salinas.

6.3.2. A responsabilidade pelo envio da documentação é unicamente do candidato.

6.3.3. Não poderão conter, em um mesmo envelope, documentos de mais de um candidato. No caso dessa ocorrência, os documentos não serão considerados para a Prova de Títulos.

6.3.4. Após o envio do envelope, não poderá haver substituição, complementação ou inclusão de documentos.

6.4. Somente serão analisados os títulos dos candidatos, de cada cargo, que obtiverem o aproveitamento mínimo de 50% do total de pontos da Prova de Múltipla Escolha.

6.5. Especificação da Prova de Títulos - Essa Prova constará dos Títulos indicados nos subitens 6.5.1 e 6.5.2, com as seguintes especificações e condições:

6.5.1. Título de Experiência - tempo de serviço (público ou privado) relativo à experiência no exercício do cargo pleiteado. Serão atribuídos 2 (dois) pontos por ano completo (365 dias) ou por fração superior a 182 dias, relativamente ao tempo de serviço efetivamente trabalhado e devidamente comprovado, até o limite máximo de 10 (dez) pontos.

6.5.1.1. O Título de Experiência deverá ser comprovado somente por meio de:

a) Certidão de Contagem de Tempo de Serviço, expedida pelo órgão público onde o candidato prestou serviço e assinada pela autoridade competente. A referida certidão poderá ser original ou cópia simples e legível.

b) Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS): fotocópias legíveis das páginas relativas ao contrato de trabalho (incluindo a página seguinte, mesmo que esteja em branco, e páginas em que constam ressalvas ou informações sobre o contrato de trabalho) e das páginas em que consta a identificação do candidato. Se as cópias das citadas páginas da CTPS estiverem incompletas ou ilegíveis, serão desconsideradas no cõmputo dos pontos.

c) Contrato de Prestação de Serviços (CPS), expedido pelo órgão em que o candidato prestou o serviço, constando o cargo, o nome completo do candidato (prestador de serviço) e a data de início e término da prestação de serviço.

6.5.1.1.1. Somente serão consideradas para comprovação de título da experiência profissional: Certidão de Contagem de Tempo de Serviço, Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e Contrato de Prestação de Serviços (CPS). Não serão considerados outros documentos, tais como declaração.

6.5.1.1.2. Se a certidão ou a cópia da CTPS e do CPS estiver rasurada, ilegível, danificada, sem assinatura da autoridade responsável pelo órgão emissor, ou apresentar outro defeito que a invalide ou impeça a análise precisa, não será considerada no cômputo dos pontos.

6.5.1.1.3. Para fins de especificação da natureza do trabalho prestado ou esclarecimento sobre algum dado ou informação que constar na Certidão de Tempo de Serviço, na Carteira de Trabalho ou no contrato de Prestação de Serviço, o candidato poderá anexar Declaração. Esse documento, contudo, não substituirá os citados nas letras "a", "b" e "c" do subitem 6.5.1.1, pois será aceito apenas como documento complementar e deverá ser emitido pelo órgão em que o candidato prestou o serviço, assinado pela autoridade competente.

6.5.1.1.4. Em caso de apresentação de cópia dos documentos citados no subitem 6.5.1.1 (alíneas "a", "b" e "c"), o Setor de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Salinas-MG poderá solicitar, no ato da posse, a apresentação dos documentos originais para verificação da autenticidade das cópias.

6.5.1.2. Não serão considerados como experiência profissional: estágios, monitorias e trabalho voluntário.

6.5.1.3. É vedada a soma de tempo de serviço prestado simultaneamente em dois ou mais cargos.

6.5.1.4. O tempo de serviço prestado pelo candidato será contado, na Prova de Títulos, até, no máximo, a data de início das inscrições.

6.5.2. Título de Escolaridade - no total de 10 (dez) pontos, para Cursos de Capacitação ou Aperfeiçoamento, no cargo pleiteado, com carga horária mínima de 40 horas, sendo 2 (dois) pontos por curso, limitados a 10 (dez). O curso deverá estar integralmente concluído.

6.5.2.1. A comprovação de conclusão do curso deverá ser feita por meio de cópia legível de Certificado, Declaração ou Atestado. No caso de Pós-Graduação stricto sensu, a comprovação poderá ser feita por meio de cópia legível da Ata de Defesa de Dissertação/Tese assinada por autoridade competente.

6.5.2.2. O documento comprobatório de conclusão do curso deverá estar devidamente assinado, constando a carga horária e data de realização do curso e, preferencialmente, com o conteúdo programático. A Declaração ou atestado deverá ser em papel timbrado da Instituição emitente.

6.5.2.3. Documentos relativos a cursos realizados no exterior somente serão considerados se estiverem traduzidos para o português por tradutor oficial e se atenderem à legislação nacional aplicável ao reconhecimento de cada curso.

6.5.2.4. Para a Prova de Títulos, o documento que comprove apenas a habilitação exigida (escolaridade mínima, conforme o Anexo I deste Edital) para o exercício do cargo pleiteado pelo candidato não será considerado como título. Conforme o caso, cabe ao candidato, na entrega dos títulos, comprovar que o documento não é a habilitação exigida pelo cargo pleiteado e, sim, documento comprobatório de título.

6.5.2.5. Para fins da Prova de Títulos, não será considerada a participação em congressos e seminários.

6.6. A análise relativa à Prova de Títulos será feita à luz da documentação apresentada pelo candidato e de acordo com as normas estabelecidas neste Edital.

6.7. A Prefeitura Municipal de Salinas-MG poderá solicitar, no ato da posse, a apresentação dos documentos originais para verificação da autenticidade das cópias.

6.8. Fotocópias rasuradas e ilegíveis serão desconsideradas na Prova de Títulos.

6.9. Serão preliminarmente desconsiderados títulos enviados à Unimontes/Cotec por fax, internet ou outro meio que não seja o especificado no subitem 6.3.

6.10. Se houver entrega de títulos após o prazo estabelecido no subitem 6.5, eles serão, automaticamente, desconsiderados na Prova de Títulos.

6.11. Em caso de alteração d o nome civil d o candidato (seja por retificação ou complementação), por motivo de casamento ou outro estado civil, o candidato deverá enviar, junto com os títulos, cópia do documento oficial que comprove a alteração.

6.12. Os títulos entregues serão de propriedade da Unimontes/Cotec, que lhes dará o destino que julgar conveniente, decorridos 120 (cento e vinte) dias da divulgação do resultado final do Concurso.

6.13. A Unimontes/Cotec e o Município de Salinas-MG não se responsabilizarão por documentos originais que os candidatos, eventualmente, deixarem dentro do envelope.

VII- PROVA DE APTIDÃO FÍSICA

7.1. A Prova de Aptidão Física será realizada sob responsabilidade da Unimontes/Cotec.

7.2. Para participação na Prova de Aptidão Física, será observada a classificação dos candidatos, por cargo, conforme o somatório dos pontos obtidos na Prova de Múltipla Escolha e na Prova de Títulos. Participará da Prova de Aptidão Física, conforme a classificação obtida, os candidatos aos seguintes cargos:

a) Auxiliar de Serviços Gerais, código 3: os 20 (vinte) primeiros classificados.

b) Auxiliar de Serviços Gerais/Gari, código 7: os 32 (trinta e dois) primeiros classificados.

c) Guarda Municipal, código 26: os 10 (dez) primeiros classificados.

7.2.1. Considerando o caráter eliminatório da Prova de Aptidão Física e a reserva de vagas estabelecida no subitem 3.2 deste Edital, se algum candidato se inscrever como portador de deficiência, deverá estar ciente e consciente do fato de que há cargos determinados neste Edital que exigem plena aptidão física.

7.2.2. Os candidatos a cargos do Quadro de Reserva - Auxiliar de Serviços Gerais, código 4; Auxiliar de Serviços Gerais/Gari, código 8; Guarda Municipal, código 27 -, serão submetidos à Prova de Aptidão Física, pelo Município de Salinas, quando houver a necessidade de provimento desses cargos.

7.2.2.1. À época, o Município de Salinas comunicará aos candidatos convocados sobre a realização da Prova de Aptidão Física.

7.3. A Prova de Aptidão Física, de caráter eliminatório, constará dos exercícios físicos especificados no

Quadro I.

QUADRO I

PROVA DE APTIDÃO FÍSICA

SEXO

EXERCÍCIO FÍSICO

QUANTIDADE

TEMPO

Masculino

Prova de Resistência
(corrida)

2.200m, no mínimo

12 minutos

Feminino

Prova de Resistência
(corrida)

1.800m, no mínimo

12 minutos

7.3.1. A Prova de Resistência, que consistirá de uma corrida, teste de capacidade aeróbica, na qual o candidato deverá percorrer a maior distância possível em 12 minutos, fazendo um percurso definido de, no mínimo, 2.200 metros, para o sexo masculino, e 1.800 metros, para o sexo feminino. A corrida terá início com sinal sonoro e será cronometrada.

7.3.2. O candidato aprovado na Prova de Resistência será considerado apto na Prova de Aptidão Física. O candidato reprovado será, automaticamente, considerado fisicamente inapto para o cargo pleiteado.

7.3.3. Os Profissionais de Educação Física indicados pela Unimontes/Cotec, responsáveis pela aplicação dos exercícios físicos, explicarão e demonstrarão as condições de execução da atividade antes de seu início.

7.3.4. O candidato terá apenas uma oportunidade para realizar a Prova de Aptidão Física. Não será concedida segunda oportunidade a nenhum candidato.

7.3.5. Não haverá segunda chamada para a Prova de Aptidão Física, salvo em caso de força maior que impeça a realização das provas pela totalidade dos participantes.

7.3.6. Recomenda-se que os candidatos façam, às suas expensas, uma refeição leve pelo menos duas horas antes do início da realização da Prova de Aptidão Física. A responsabilidade pela alimentação ou falta de alimentação dos candidatos não caberá à Unimontes ou ao Município de Salinas.

7.4. Datas e Horários de Realização da Prova de Aptidão Física:

7.4.1. A Prova de Aptidão Física será realizada n o dia 27/5/2012, com horário de início às 8 horas.

7.4.2. O local de realização da Prova de Aptidão Física será divulgado até o dia 22/5/2012, no site www.cotec.unimontes.br e na sede da Prefeitura de Salinas-MG. Não haverá informação individual aos candidatos.

7.4.3. A lista dos participantes dessa Prova, conforme subitem 7.2 deste Edital, será divulgada em 22/5/2012, no site www.cotec.unimontes.br e na sede da Prefeitura de Salinas-MG. O candidato deverá ficar atento ao dia e horário de início da Prova.

7.4.4. Não será permitido, por nenhum motivo, o acesso dos candidatos ao local de provas após elas terem sido iniciadas. No horário de início, será realizada a chamada dos candidatos e a presença será aferida em Lista de Presenças, mediante assinatura e identificação documental.

7.4.5. Será eliminado da Prova de Aptidão Física o candidato que:

7.4.5.1. Não apresentar a documentação exigida no subitem 7.5.1 deste Edital. 7.4.5.2. Faltar à Prova.

7.4.5.3. Não estiver presente no local da Prova, no horário indicado para o início. Não haverá tolerância do horário.

7.4.5.4. Comparecer ao local da Prova, mas não a fizer, por qualquer motivo.

7.4.5.5. Não completar a Prova, por qualquer motivo, na quantidades e tempo estabelecidos no Quadro I, sendo considerado inapto.

7.4.5.6. For reprovado na Prova.

7.4.5.7. Não estiver adequadamente trajado e calçado, conforme dispõe o subitem 7.5.2 deste Edital.

7.4.5.8. Faltar com urbanidade e civilidade, durante a realização da Prova, com outro candidato ou com alguém da equipe de aplicação da Prova.

7.4.6. Não haverá pontuação na Prova de Aptidão Física. Após a realização da atividade, conforme os critérios estabelecidos, o candidato será considerado APTO ou INAPTO.

7.4.7. É de responsabilidade exclusiva do candidato a identificação correta do local, dia e horário de realização de suas provas e o comparecimento no horário determinado. O candidato deverá estar presente n o local de suas provas, para os procedimentos de identificação de presença e preparação para as tarefas, com, n o mínimo, 30 minutos de antecedência d o seu início, ou seja, deverá chegar às 7h30min.

7.4.8. À critério da Unimontes/Cotec, poderão ser adotados, na realização da Prova de Aptidão Física, normas e procedimentos estabelecidos nos subitens 5.6.8, 5.6.16, 5.6.21, 5.6.27, 5.6.28 deste Edital

7.5. Os candidatos classificados para essa Prova deverão se apresentar n o local e horário indicados, nas seguintes condições:

7.5.1. Estar munido de Documento oficial de Identificação, original e em perfeitas condições.

7.5.1.1. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar Documento Oficial de Identidade original (com foto), por motivo de perda, furto ou roubo, deverá, para fazer as provas, apresentar Boletim de Ocorrência Policial, emitido até 90 (noventa) dias antes da data das Provas, e ser submetido à identificação especial, que poderá compreender fotografia, coleta de assinaturas e de impressão digital, em formulário específico.

7.5.1.2. O candidato, na condição citada no subitem 7.5.1.1, que não comparecer no prazo estabelecido, será, automaticamente, eliminado do Concurso.

7.5.1.3. O candidato, na condição citada no subitem 7.5.1.3, que não tiver a identificação confirmada pelo perito será, automaticamente, eliminado do Concurso e estará sujeito às penas legais.

7.5.2. O candidato deverá apresentar-se usando traje adequado para atividade física (camiseta, agasalho esportivo, shorts, bermuda) e tênis.

7.5.3. O candidato deverá apresentar-se munido de Atestado Médico em formulário próprio (Ver Anexo V deste Edital), emitido até 10 (dez) dias antes da realização da Prova, atestando que o candidato está em pleno gozo de saúde física e mental e em condições de realizar a Prova de Aptidão Física. O Atestado Médico (que deverá conter carimbo, nome, registro no CRM e assinatura do médico) não será devolvido ao candidato. O custo será por conta do candidato.

7.5.4. Assinar Termo de Consentimento, em formulário próprio fornecido pela Unimontes/Cotec, no dia da realização da Prova, em que o candidato declara estar em condições de submeter-se aos testes físicos e que aceita realizar a Prova de Aptidão Física, em conformidade com as disposições do presente Edital.

7.6. A apresentação do Atestado Médico e do Termo de Consentimento eximem, para qualquer consequência ou fim, a Unimontes/Cotec e o Município de Salinas de quaisquer eventuais ocorrências relativas ao estado de saúde do candidato.

7.7. Não será concedido tratamento diferenciado ou privilegiado a nenhum candidato, ainda que este apresente ou alegue estado de alteração psicológica e/ou fisiológica temporária(s) - gravidez, menstruais, indisposições, câimbras, luxações, contusões, fraturas, entre outros - ou permanente(s), que impossibilite(m) a realização da Prova ou, ainda, que diminua(m) ou limite(m) a capacidade física dos candidatos.

7.8. Não haverá segunda oportunidade para a Prova de Aptidão Física.

7.9. O resultado da Prova de Aptidão Física será divulgado conforme subitem 10.1.7 deste Edital.

VIII- DOS RECURSOS

8.1. A Unimontes/Cotec será responsável pela análise e resposta aos recursos interpostos.

8.2. Poderão ser interpostos recursos nas situações indicadas no subitem 8.6 deste Edital, pelo sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, nos prazos e horários indicados para cada caso. Para essa finalidade, será disponibilizado computador e atendente, no Posto de Atendimento, em Salinas, e na Recepção da Unimontes/Cotec.

8.3. Não serão considerados válidos os recursos enviados por fax, Correios, e-mail ou outro meio.

8.4. O recurso, devidamente fundamentado, deverá conter os dados que informem a identidade do reclamante, seu número de inscrição e o cargo pleiteado (com o código).

8.5. Admitir-se-á, para cada candidato, desde que devidamente fundamentado, um único recurso relativo a cada caso previsto no subitem 8.6. Havendo mais de um recurso, de um mesmo candidato, será considerado e respondido apenas o 1.° recurso. Os demais recursos serão, automaticamente, desconsiderados.

8.6. Caberá recurso, nos seguintes casos e prazos:

8.6.1. Contra o indeferimento do pedido de isenção da taxa de inscrição, na ocorrência de eventuais erros na análise da documentação enviada: no dia 19/3/2012, das 8 às 18 horas.

8.6.1.1. Até o dia 28/3/2012, a Cotec informará o resultado do recurso, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br

8.6.2. Contra o indeferimento do Pedido de Tratamento Especial, em caso de erro material: no dia 19/3/2012, das 8 às 18 horas.

8.6.2.1. Até o dia 28/3/2012, a Cotec informará o resultado dos recursos, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

8.6.3. Contra o indeferimento da Inscrição na condição de Portador de Deficiência, em caso de erro material ou de análise: no dia 19/3/2012, das 8 às 18 horas.

8.6.3.1. Até o dia 28/3/2012, a Cotec informará o resultado dos recursos, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

8.6.4. Contra qualquer questão das Provas de Múltipla Escolha, na ocorrência de erros no enunciado das questões ou erros e omissões no gabarito: nos das 16 e 17/4/2012, das 8 às 18 horas.

8.6.4.1. Até o dia 2/5/2012, a Cotec informará o resultado do recurso, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br

8.6.4.2. A decisão sobre os recursos interpostos poderá resultar em retificação no Gabarito Oficial. O Gabarito Oficial, após recursos, será divulgado pela Cotec, no referido endereço eletrônico, por período máximo de 30 (trinta) dias, para conhecimento dos candidatos. Não haverá informação individual aos candidatos.

8.6.5. Contra o resultado da Prova de Títulos, na ocorrência de eventuais erros na análise da documentação: no dia 9/5/2012, das 8 às 18 horas.

8.6.5.1. Até o dia 22/5/2012, a Cotec informará o resultado dos recursos, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

8.6.6. Contra o resultado da Prova de Aptidão Física: no dia 30/5/2012, das 8 às 18 horas.

8.6.6.1. Até o dia 5/6/2012, a Cotec informará o resultado dos recursos, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

8.6.7. Contra o resultado final da classificação no Concurso, desde que esteja devidamente fundamentado: no dia 12/6/2012, das 8 às 18 horas.

8.6.7.1. Até o dia 15/6/2012, a Cotec informará o resultado dos recursos, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

8.7. Em quaisquer dos casos previstos no subitem 8.6, serão rejeitados, preliminarmente, os recursos que não estiverem devidamente fundamentados ou, ainda, aqueles a que se der entrada fora do prazo improrrogável previsto para cada caso.

8.8. A decisão sobre os recursos interpostos, previstos no subitem 8.6.4 a 8.6.7, poderá resultar em retificação na ordem de classificação dos candidatos.

8.9. A divulgação do Resultado Definitivo, com a classificação final dos candidatos, será feita até o dia 15/6/2012, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br e na sede da Prefeitura Municipal de Salinas. No referido sítio eletrônico, o resultado será divulgado por período máximo de 30 (trinta) dias, para conhecimento dos candidatos. Não haverá informação individual aos candidatos.

8.10. Decairá do direito de impugnar este Edital o candidato que efetivar sua inscrição, aceitando, assim, todas as disposições nele contidas, observando-se, contudo, o disposto nos subitens 8.11 e 8.11.1 deste Edital.

8.11. Fica facultado aos candidatos apresentarem sua(s) contestação(ões), devidamente fundamentadas, acerca das disposições deste Edital, por meio de requerimento, no dia 28/12/2011, das 8 às 18 horas pelo sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

8.11.1. A Unimontes/Cotec, após decisão da Prefeitura Municipal de Salinas, disponibilizará a resposta ao candidato no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, até o dia 30/12/2011.

IX - DO PROCESSO DE CLASSIFICAÇÃO E DESEMPATE

9.1. A classificação final dos candidatos deste Certame, por cargo e código de inscrição, será em ordem decrescente do somatório dos pontos obtidos na Prova de Múltipla Escolha e na Prova de Títulos. No caso dos cargos de Auxiliar de Serviços Gerais (código 3), Auxiliar de Serviços Gerais/Gari (código 7) e Guarda Municipal (código 26), será observado, para fins de classificação, o resultado da Prova de Aptidão Física.

9.2. Apurado o total de pontos, na hipótese de empate, terá preferência na classificação o candidato que tiver idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, na forma do disposto no parágrafo único do artigo 27 da Lei Federal n.° 10.741/2003 (Estatuto do Idoso). Persistindo o empate ou não havendo candidatos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, será classificado, preferencial e sucessivamente, o candidato que:

a) obtiver maior pontuação na Prova de Múltipla Escolha de maior peso.

b) tiver idade maior.

X - DA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

10.1. A Divulgação dos resultados do concurso será feita no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br e na Prefeitura Municipal de Salinas-MG, nas seguintes datas:

10.1.1. Resultado do pedido de isenção da taxa de inscrição: dia 16/3/2012. O resultado após recursos será divulgado em 28/3/2012.

10.1.2. Resultado do pedido de tratamento especial: dia 16/3/2012. O resultado após recursos será divulgado em 28/3/2012.

10.1.3. Resultado da inscrição como portador de deficiência (reserva de vagas): dia 16/3/2012. O resultado após recursos será divulgado em 28/3/2012.

10.1.4. Resultado da Prova de Múltipla Escolha, após recursos relativos ao Gabarito Oficial: dia 2/5/2012, com a pontuação obtida pelos candidatos, para fins de classificação para participar da Prova de Títulos.

10.1.5. Lista de Participantes da Prova de Títulos: até o dia 2/5/2012.

10.1.6. Resultado da Prova de Títulos: dia 8/5/2012.

10.1.7. Lista de Participantes da Prova de Aptidão Física: até o dia 22/5/2012.

10.1.8. Resultado da Prova de Aptidão Física: dia 29/5/2012.

10.1.9. Resultado Final do Concurso Público, com a classificação dos candidatos, decorrente da pontuação obtida na Prova de Múltipla Escolha e na Prova de Títulos: até o dia 11/6/2012.

10.1.10. Resultado Definitivo do Concurso Público, com a classificação definitiva dos candidatos após os recursos interpostos: até o dia 15/6/2012.

10.2. O Resultado Final e o Resultado Definitivo, por cargo e código de inscrição, serão divulgados em listas distintas, para os cargos com vagas efetivas para provimento e para os cargos do Quadro de Reserva. A classificação dos candidatos, por cargo, será em ordem decrescente da pontuação obtida no Certame.

10.2.1. O Resultado para os cargos com vagas efetivas para provimento será divulgado em duas listas. Na 1.ª lista (incluindo os candidatos portadores de deficiência), os candidatos serão classificados por cargo e no limite de vagas, na ordem decrescente da soma dos pontos obtidos nas Provas de Múltipla Escolha e na Prova de Títulos, e, no caso dos cargos de Auxiliar de Serviços Gerais (código 3), Auxiliar de Serviços Gerais/Gari (código 7) e Guarda Municipal (código 26), se o candidato tiver sido considerado apto no Aptidão Física. Na 2.a lista, constará, especificamente, a classificação dos candidatos portadores de deficiência, por cargo. A lista de classificados além do limite de vagas também será em ordem decrescente da pontuação obtida no Certame.

10.2.2. O Resultado para cargos do Quadro de Reserva constará os candidatos que obtiverem, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) dos pontos das Provas de Múltipla Escolha, observado o resultado da Prova de Aptidão Física para determinados cargos deste Edital.

10.3. Não serão divulgados nomes e pontos dos candidatos eliminados ou não classificados no Concurso Público. O Relatório Geral, com a situação e notas dos candidatos, poderá ser consultado pelos candidatos no prédio da Prefeitura Municipal de Salinas-MG ou através do extrato de notas, no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, em 22/5/2012 (permanecendo na internet pelo período máximo de 30 dias).

10.4. Não haverá informação individual aos candidatos. Caberá a estes tomarem conhecimento do resultado deste Concurso Público nos locais indicados para divulgação. A responsabilidade pela busca de informações, bem como pelos prejuízos decorrentes do fato de não se terem informado, será exclusiva dos candidatos, e não da Unimontes/Cotec ou da Prefeitura Municipal de Salinas-MG.

XI - DA CONVOCAÇÃO E DA POSSE

11.1. O provimento dos cargos, nas vagas efetivas, oferecidas neste Concurso Público, será feito por nomeação, respeitando-se sempre a ordem de classificação dos candidatos.

11.1. Caso não haja a nomeação e posse conjunta de todos os aprovados, a cada 19 (dezenove) candidatos sem deficiência, o seguinte será nomeado oriundo da lista de candidatos com deficiência aprovados, independentemente de sua classificação geral, respeitando-se a ordem de classificação dos candidatos com deficiência.

11.2. A convocação dos candidatos do Quadro de Reserva dar-se-á de acordo com a necessidade e interesse da Administração Pública Municipal, no prazo de validade deste Concurso Público. Quando convocados, os candidatos deverão atender às exigências estabelecidas neste Edital, sob pena de eliminação. A convocação obedecerá, rigorosamente, à ordem de classificação, por cargo, e as normas deste Edital, relativas à reserva de vagas para portadores de deficiência.

11.2. A convocação será feita por ofício, de acordo com o endereço indicado na Ficha de Inscrição.

11.3. A posse para o cargo dependerá de prévia inspeção médica oficial, conforme indicação do Município de Salinas-MG.

11.4. O candidato, quando convocado para posse, além de atender aos pré-requisitos exigidos para o cargo, deverá apresentar, obrigatoriamente, o original e xerox (legível e sem rasuras) dos seguintes documentos:

a) Carteira de Identidade.

b) Certidão de Nascimento ou Casamento.

c) Título Eleitoral e comprovante de estar em dia com as obrigações eleitorais.

d) Comprovante de estar em dia com as obrigações militares, se do sexo masculino.

e) Cadastro de Pessoas Físicas - CPF.

f) Número de PIS/PASEP, se já inscrito, ou Declaração, de próprio punho, de que não é inscrito.

g) Atestado médico de sanidade física e mental necessária ao desempenho das funções inerentes ao cargo. O exame médico será realizado por médico da Prefeitura Municipal de Salinas-MG ou por médico credenciado pelo Município, que poderá, se julgar necessário, solicitar ao candidato exames complementares para verificar se o candidato está apto para o exercício do cargo.

h) Diploma ou Certificado de Escolaridade, conforme exigência do cargo, devidamente registrado no órgão competente.

i) Habilitação legal para exercício de profissão regulamentada, conforme o cargo pretendido, inclusive com registro no respectivo Conselho, se for o caso.

j) Declaração de que exerce ou não outro cargo, emprego ou função pública, para fins de verificação da acumulação de cargos, conforme dispõe o Artigo 37, Incisos XVI e XVII da Constituição Federal e Emendas Constitucionais.

k) Declaração de bens que constituem seu patrimônio.

l) 2 fotos 3x4, recentes.

11.5. Os candidatos classificados no limite de vagas deste Concurso Público serão lotados no Município, e observar-se-á, para esse fim, a ordem de classificação do candidato neste Concurso Público. As vagas para os cargos de Atendente, Secretário Escolar, Professor I, Professor II serão dispostas entre Zona Urbana e Zona Rural de Salinas-MG.

11.6. No prazo de validade do Concurso Público, se ocorrer o acréscimo do número de vagas em cargos, poderá ser feito o aproveitamento de candidatos aprovados (classificados além do limite de vagas), obedecida a ordem de classificação neste Concurso.

11.7. Caso ocorra o acréscimo das vagas após a publicação deste Edital e durante o prazo de validade do Concurso, será feita a reserva de vagas para o aproveitamento de candidatos portadores de deficiência, observada a ordem de classificação desses mesmos candidatos, na proporção de 5% (cinco por cento) do total das vagas acrescidas.

11.8. No prazo de validade do Concurso Público, em caso de nomeação de candidatos do Quadro de Reserva, deverá ser feita a reserva de vagas para o aproveitamento de candidatos portadores de deficiência, observada a ordem de classificação desses mesmos candidatos, na proporção de 5% (cinco por cento) do total das vagas dos cargos que forem providos.

XII - NORMAS DISCIPLINARES

12.1. A Cotec - Comissão Técnica de Concursos da Unimontes - terá amplos poderes para orientação, realização e fiscalização das Provas do Concurso Público, bem como quanto à análise da documentação relativa à Prova de Títulos.

12.1.1. Somente poderão adentrar nos locais onde serão aplicadas as provas pessoas devidamente autorizadas pela Unimontes/Cotec.

12.2. Todas as informações referentes a este Concurso Público serão prestadas pela Unimontes/Cotec - realizadora do Concurso Público - podendo ser obtidas no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br ou por meio do telefone (38) 3229-8080.

12.3. O candidato que, comprovadamente, usar de fraude ou para ela concorrer, atentar contra a disciplina ou desacatar a quem quer que esteja investido de autoridade para supervisionar, coordenar ou fiscalizar a aplicação das provas será automaticamente excluído do Concurso Público e estará sujeito a outras penalidades legais.

12.4. Incorrerá em Processo Administrativo, para fins de demissão do Serviço Público, em qualquer época, o candidato que houver realizado o Concurso Público usando documento ou informações falsas ou outros meios ilícitos, devidamente comprovados.

XIII - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

13.1. A Unimontes/Cotec será responsável pela elaboração e aplicação das Provas de Múltipla Escolha, pela Prova de Títulos, pela Prova de Aptidão Física, pelo processamento da classificação final dos candidatos e pelo fornecimento de todas as informações referentes a este Concurso Público.

13.2. Durante a aplicação e correção das Provas de Múltipla Escolha, se ficar constatado, em qualquer questão, erro de elaboração que prejudique a resposta, conforme o Gabarito Oficial, a Unimontes/Cotec poderá anular a questão e, nesse caso, divulgará sua decisão nos quadros de avisos da Unimontes/Cotec e da Prefeitura Municipal de Salinas-MG e, também, por meio do sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

13.3. As publicações referentes ao Concurso Público, objeto deste Edital, serão feitas na sede da Prefeitura Municipal de Salinas-MG, com extrato em jornal de circulação local ou regional, ou, também, jornal oficial de comunicação do Município, e divulgadas no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br.

13.4. Não haverá justificativa para o não cumprimento pelo candidato dos prazos determinados neste Edital.

13.5. Serão de propriedade da Unimontes/Cotec, que os incinerará decorridos 5 (cinco) anos da data de homologação do resultado definitivo do Concurso Público, as Folhas de Respostas das Provas de Múltipla Escolha, os laudos médicos, os atestados médicos, os pedidos de tratamento especial, entre outros documentos. A Unimontes/Cotec dará destino conveniente, decorridos 60 (sessenta) dias do resultado do Concurso, aos cadernos de provas de Múltipla Escolha deixados pelos candidatos.

13.6. O prazo de validade deste Concurso Público é de 2 (dois) anos, a contar da data de sua homologação, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período.

13.7. A aprovação neste Concurso Público gera direito à nomeação, no limite de vagas do cargo, dentro do prazo de validade estabelecido no subitem 12.7 e na forma da lei, obedecendo rigorosamente à ordem de classificação final dos candidatos.

13.8. Em hipótese alguma, serão concedidas cópias de provas, ou vista, ressalvado o disposto no subitem 8.6.4 deste Edital.

13.9. A Prefeitura Municipal de Salinas-MG e a Unimontes/Cotec não se responsabilizam por quaisquer textos, apostilas e outras publicações referentes a este Concurso Público.

13.10. São de inteira responsabilidade do candidato as declarações incompletas, erradas ou desatualizadas do seu endereço, as quais venham a dificultar quaisquer comunicações necessárias (inclusive convocação) sobre o Concurso Público.

13.11. O candidato classificado no Concurso Público deverá, durante o prazo de validade do Concurso, manter atualizado o seu endereço residencial junto ao Setor de Pessoal do Município de Salinas-MG. Não caberá ao candidato classificado qualquer reclamação, caso não seja possível a sua convocação por falta de atualização do endereço residencial.

13.12. Incorporar-se-ão a este Edital, para todos os efeitos, as disposições e instruções contidas na Folha de Respostas e nas Provas, bem como nos Editais Complementares e Retificações do Edital.

13.13. A inscrição implicará, por parte do candidato, o conhecimento e plena aceitação das normas deste Edital.

13.14. A Unimontes/Cotec e a Prefeitura Municipal de Salinas-MG não fornecerão declarações de classificação e/ou de aprovação neste Concurso Público.

13.15. Os casos omissos ou duvidosos serão resolvidos pela Comissão Técnica de Concursos da Unimontes - Cotec -, ouvida a Comissão Municipal do Concurso Público.

13.16. Caberá ao Prefeito Municipal de Salinas-MG a homologação do resultado deste Concurso Público.

13.17. Este Edital, na sua íntegra, será publicado na Sede da Prefeitura Municipal de Salinas-MG e será divulgado no sítio eletrônico www.cotec.unimontes.br, dele dando-se notícia em jornal de circulação local ou regional e jornal oficial de comunicação do Município, através do seu Extrato.

Salinas-MG, 23 de dezembro de 2011.

José Antônio Prates
Prefeito Municipal

ANEXO I

CÓDIGO DE INSCRIÇÃO, CARGOS, VAGAS, ESCOLARIDADE/EXIGÊNCIAS, JORNADA DE TRABALHO, VENCIMENTOS E TAXA DE INSCRIÇÃO

C
Ó
D
I
G
O

D
E

I
N
S
C
R
I
Ç
Ã
O

CARGOS

VAGAS EFETIVAS E VAGAS PARA QUADRO DE RESERVA (vagas de Ampla concorrência)

VAGAS RESERVADAS PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

ESCOLARI- DADE MÍNIMA E OUTRAS EXIGÊNCIAS DO CARGO**

JORNADA DE TRABALHO SEMANAL

VENCI- MENTO BÁSICO (R$)

TAXA DE INSCRI- ÇÃO (R$)

1

Atendente

1 vaga

0

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).

40 horas

545,00

35,00

2

Atendente

Quadro de Reserva*

Conforme subitem 3.2.12 do Edital.

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).

40 horas

545,00

35,00

3

Auxiliar de Serviços Gerais

9 vagas

1 vaga

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental) e Aptidão física.

40 horas

545,00

35,00

4

Auxiliar de Serviços Gerais

Quadro de Reserva*

Conforme subitem 3.2.12 do Edital.

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).

40 horas

545,00

35,00

5

Auxiliar de Serviços Gerais/Cozinheira

Quadro de Reserva*

Conforme subitem 3.2.12 do Edital.

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).

40 horas

545,00

35,00

6

Auxiliar de Serviços Gerais/Faxineira

Quadro de Reserva*

Conforme subitem 3.2.12 do Edital.

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).

40 horas

545,00

35,00

-

Auxiliar de Serviços Gerais/Gari

15 vagas

1 vaga

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental) e Aptidão física.

40 horas

545,00

35,00

8

Auxiliar de Serviços Gerais/Gari

Quadro de Reserva*

Conforme subitem 3.2.12 do Edital.

Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).

40 horas

545,00

35,00

9Auxiliar de Serviços Gerais/LavanderiaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).40 horas545,0035,00
10Motorista12 vagas0Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental) e CNH categoria D.40 horas695,0035,00
11MotoristaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental) e CNH categoria D.40 horas695,0035,00
12Oficial de Serviços/BombeiroQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).40 horas645,0035,00
13Oficial de Serviços/Eletricista1 vaga0Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental) e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas645,0035,00
14Oficial de Serviços/EletricistaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental) e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas645,0035,00
15Oficial de Serviços/Pedreiro5 vagas1 vagaEnsino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).40 horas645,0035,00
16Oficial de Serviços/PedreiroQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).40 horas645,0035,00
17Operador de Máquinas Pesadas (Retroescavadeira, Trator de Esteiras, Trator de Pneus, Motoniveladora, Pá Carregadeira, Escavadeira Mecânica, Rolo Compactador)2 vagas0Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental). CNH categoria D e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas850,0045,00
18Operador de Máquinas Pesadas (Retroescavadeira, Trator de Esteiras, Trator de Pneus, Motoniveladora, Pá Carregadeira, Escavadeira Mecânica, Rolo Compactador)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental). CNH categoria D e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas850,0045,00
19Servente Escolar5 vagas0Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).30 horas545,0035,00
20Servente EscolarQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Elementar (4ª série do Ensino Fundamental).30 horas545,0035,00
21Auxiliar de Mecânico2 vagas0Ensino Fundamental (completo)40 horas895,0045,00
22Auxiliar de MecânicoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Fundamental (completo)40 horas895,0045,00
23Borracheiro1 vaga0Ensino Fundamental (completo)40 horas545,0035,00
24BorracheiroQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Fundamental (completo)40 horas545,0035,00
25Eletricista de Veículos AutomotoresQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Fundamental (completo) e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas1050,0050,00
26Guarda Municipal4 vagas1 vagaEnsino Fundamental (completo) e Aptidão física.40 horas545,0035,00
27Guarda MunicipalQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Fundamental (completo).40 horas545,0035,00
28Inspetor de AlunosQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Fundamental (completo)30 horas545,0035,00
29Lanterneiro de AutomóveisQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Fundamental (completo) e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas1050,0050,00
30Mecânico2 vagas0Ensino Fundamental (completo) e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas1.050,0050,00
31MecânicoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Fundamental (completo) e experiência na função de, no mínimo, 1 ano.40 horas1.050,0050,00
32Agente de TrânsitoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo40 horas650,0035,00
33Auxiliar AdministrativoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo40 horas545,0035,00
34Auxiliar BibliotecárioQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo30 horas545,0035,00
35Auxiliar da EducaçãoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo30 horas545,0035,00
36Auxiliar de Enfermagem15 vagas1 vagaEnsino Médio Completo e Registro no COREN40 horas545,0035,00
37Auxiliar de LaboratórioQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo40 horas545,0035,00
38Auxiliar de SecretariaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo30 horas545,0035,00
39Secretário Escolar1 vaga0Ensino Médio Completo30 horas545,0035,00
40Secretário EscolarQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo30 horas545,0035,00
41Instrumentador CirúrgicoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo, Curso Técnico Específico e Registro no órgão competente40 horas850,0045,00
42Técnico em Enfermagem26 vagas2 vagasEnsino Médio Completo, Curso Técnico Específico e Registro no COREN40 horas545,0035,00
43Técnico em Higiene Dental1 vaga0Ensino Médio Completo e Curso Técnico Específico e Registro no CRO40 horas545,0035,00
44Técnico em Higiene DentalQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo e Curso Técnico Específico e Registro no CRO40 horas545,0035,00
45Técnico em Informática1 vaga0Ensino Médio Completo (Curso Técnico em Informática, legalmente regulamentado)40 horas800,0045,00
46Técnico em InformáticaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio Completo (Curso Técnico em Informática, legalmente regulamentado)40 horas800,0045,00
47Professor I (1.° ao 5.° ano do Ensino Fundamental)9 vagas1 vagaEnsino Médio - Habilitação Magistério25 horas610,0035,00
48Professor I (1.° ao 5.° ano do Ensino Fundamental)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Médio - Habilitação Magistério25 horas610,0035,00
49Advogado1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro Na OAB25 horas1.500,0080,00
50AdvogadoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro Na OAB25 horas1.500,0080,00
51Assistente Social1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRESS40 horas1.800,00100,00
52Assistente SocialQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRESS40 horas1.800,00100,00
53Arquiteto e Urbanista1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CREA30 horas2.000,00110,00
54Bibliotecário1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRB40 horas1.700,0090,00
55Bioquímico1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CR Q40 horas1.400,0080,00
56BioquímicoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CR Q40 horas1.400,0080,00
57Contador1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRC40 horas2.500,00120,00
58Engenheiro Ambiental1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CREA40 horas1.500,0080,00
59Engenheiro Civil1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CREA20 horas2.500,00120,00
60JornalistaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no órgão competente30 horas1.500,0080,00
61FisioterapeutaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CREFITO40 horas1.500,0080,00
62FonoaudiólogoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRFa40 horas1.500,0080,00
63Médico (Anestesista)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
64Médico (Auditor)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
65Médico (Cirurgião Geral)2 vagas0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
66Médico (Clínico Geral)1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
67Médico (Clínico Geral)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
68Médico (do Trabalho)1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica - Especialização em Medicina do Trabalho) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
69Médico (do Trabalho)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica - Especialização em Medicina do Trabalho) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
70Médico (Ginecologista / Obstetra)2 vagas0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
71Médico (Ortopedista)1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
72Médico (Ortopedista)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
73Médico (Pediatra)1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
74Médico (Pediatra)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
75Médico (Plantonista)3 vagas0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
76Médico (Plantonista)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRM20 horas3.500,00150,00
77NutricionistaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRN40 horas1.400,0080,00
78OdontólogoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRO40 horas2.000,00110,00
79Psicólogo1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRP40 horas1.800,00100,00
80PsicólogoQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRP40 horas1.800,00100,00
81Supervisor EscolarQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação Específica)25 horas1.010,0050,00
82Técnico de Desporto Individual e Coletivo (exceto futebol)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação em Educação Física) e Registro no CREF20 horas1.200,0050,00
83Técnico Profissional de Futebol)Quadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Habilitação em Educação Física) e Registro no CREF20 horas1.200,0050,00
84Veterinário1 vaga0Ensino Superior Completo (Habilitação Específica) e Registro no CRMV20 horas2.000,00110,00
85Professor II - Educação Física2 vagas0Ensino Superior Completo (Licenciatura Plena em Educação Física)25 horas710,0040,00
86Professor II - Educação FísicaQuadro de Reserva*Conforme subitem 3.2.12 do Edital.Ensino Superior Completo (Licenciatura Plena em Educação Física)25 horas710,0040,00
Total de Vagas1358*** 
Total Geral de Vagas143

* Cargos para provimento futuro (Quadro de Reserva), conforme a necessidade e o interesse do Município de Salinas e as disposições do subitem 1.3 do Edital. ATENÇÃO: O Candidato que se inscrever para cargo do Quadro de Reserva não estará concorrendo às vagas de Cargo com vagas efetivas, pois os códigos de inscrição são diferentes.

** A escolaridade exigida e outras exigências para o exercício do cargo, inclusive as citadas no subitem 2. 1 do Edital, deverão ser comprovadas por ocasião da posse.

*** As normas relativas à reserva de vagas para portadores de deficiência, estão especificadas no subitem 3.2 do Edital.

IMPORTANTE:

1. Os candidatos classificados no limite de vagas deste Concurso Público serão lotados no Município, observando-se a ordem de classificação.

2. As vagas dos cargos de Atendente, Secretário Escolar, Professor I, Professor II serão dispostas entre Zona Urbana e Zona Rural de Salinas-MG.

Salinas-MG, 23 de dezembro de 2011.

José Antônio Prates
Prefeito Municipal

ANEXO II

ESPECIFICAÇÃO DAS PROVAS DE MÚLTIPLA ESCOLHA

CARGOS/CLASSE

ESCOLARIDADE DOS CARGOS

PROVAS DE MÚLTIPLA ESCOLHA

N.° DE QUESTÕES

PESO

TOTAL DE PONTOS

HORÁRIO DAS PROVAS

- Atendente

- Auxiliar de Serviços Gerais/Faxineira

- Auxiliar de Serviços Gerais/Cozinheira

- Auxiliar de Serviços Gerais/Gari

- Auxiliar de Serviços Gerais/Lavanderia

- Auxiliar de Serviços Gerais

- Motorista

- Oficial de Serviços/Bombeiro

- Oficial de Serviços/Eletricista

- Oficial de Serviços/Pedreiro

- Operador de Máquinas Pesadas

- Servente Escolar

Ensino Elementar (4.ª série do Ensino Fundamental).

Língua Portuguesa

15

3,5

80

Das 9 às 12 horas

Matemática

10

2,75

- Auxiliar de Mecânico

- Borracheiro

- Eletricista de Veículos Automotores

Guarda . Municipal

Inspetor de Alunos

- Lanterneiro de Automóveis

- Mecânico

Ensino Fundamental (completo)Língua Portuguesa153,580Das 9 às 12 horas
Matemática102,75
- Agente de Trânsito

- Auxiliar Administrativo

- Auxiliar Bibliotecário

- Auxiliar da Educação

- Auxiliar de Enfermagem

- Auxiliar de Laboratório

- Auxiliar de Secretaria

- Secretário Escolar

Ensino MédioLíngua Portuguesa153,580Das 9 às 12 horas
Matemática102,75
- Professor I (1.° ao 5.° ano do Ensino Fundamental)Magistério de nível médioConhecimentos Específicos (Didática)153,580Das 9 às 12 horas
Língua Portuguesa102,75
- Instrumentador Cirúrgico

- Técnico em Enfermagem

- Técnico em Higiene Dental

- Técnico em Informática

Curso Técnico Específico de Nível Médio, conforme o Anexo IConhecimentos Específicos153,580Das 9 às 12 horas
do Edital. Língua Portuguesa102,75
- Advogado

- Assistente Social

- Arquiteto e Urbanista

- Bibliotecário

- Bioquímico

- Contador

Curso Superior Específico, conforme o Anexo I do Edital.Conhecimentos Específicos153,580Das 9 às 12 horas
Língua Portuguesa102,75
- Engenheiro Ambiental

- Engenheiro Civil

- Jornalista

- Fisioterapeuta

- Fonoaudiólogo

- Médico (Anestesista)

- Médico (Auditor)

- Médico (Cirurgião Geral)

- Médico (Clínico Geral)

- Médico (do Trabalho)

- Médico (Ginecologista/Obstetra)

- Médico (Ortopedista)

- Médico (Pediatra)

- Médico (Plantonista)

- Nutricionista

- Odontólogo

- Psicólogo

Curso Superior Específico, conforme o Anexo I do Edital.Conhecimentos Específicos153,580Das 9 às 12 horas
Língua Portuguesa102,75
- Supervisor Escolar

- Técnico de Desporto Individual e Coletivo (exceto futebol)

- Técnico Profissional de Futebol)

- Veterinário

- Professor II - Educação Física

Curso Superior Específico, conforme o Anexo I do Edital.Conhecimentos Específicos153,580Das 9 às 12 horas
Língua Portuguesa102,75

Salinas-MG, 23 de dezembro de 2011.

José Antônio Prates
Prefeito Municipal

ANEXO III

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

ADVOGADO

Promover a defesa dos interesses do Município; Representar o Município, em juízo ou fora dele por designação da Procuradoria Jurídica; Assessorar, em matéria jurídica, os diversos órgãos da Prefeitura Municipal; Emitir pareceres de natureza jurídica; Examinar e minutar documentos de natureza jurídica ou com implicações jurídicas de interesse do Município; Opinar e/ou manifestar-se sobre procedimentos licitatórios e sobre os recursos apresentados nos limites de sua competência; Proceder à análise periódica da legislação municipal propondo a compatibilização e sua atualização; Informar às autoridades competentes, as decisões proferidas em feitos ou ações sob sua responsabilidade; Orientar, esclarecer e informar as providências necessárias ao exato cumprimento das decisões; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

AGENTE DE TRÂNSITO

Orientar, operar, fiscalizar e zelar pelo cumprimento das normas de circulação e conduta de trânsito e Transporte de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro - CTB - e legislações municipal, estaduais e Federal; Operar trânsito zelando pela fluidez e segurança na circulação de veículos e pedestres; exercer orientação e fiscalização do cumprimento da regulamentação das vias, da circulação e transportes fazendo cumprir o CTB e a legislação vigente dentro do Município; Verificar e preencher documentação pertinente ao exercício de fiscalização; Prestar informações, receber reclamações e sugestões relativas ao sistema de trânsito e transportes municipais; Auxiliar no planejamento e execução de trabalhos técnicos na área de trânsito e Transportes; Conduzir veículos de fiscalização; Providenciar a segurança e o atendimento nas situações de acidente e de riscos ao trânsito em via pública; Operar sistema de comunicação e informações utilizadas no exercício da função. Executar atribuições compatíveis com a natureza do cargo; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

ARQUITETO E URBANISTA

Elaborar planos e projetos associados à arquitetura em todas as suas etapas, definindo materiais, acabamentos, técnicas, metodologias, analisando dados e informações; Fiscalizar e executar obras e serviços. Desenvolver estudos de viabilidade financeira, econômica, ambiental; Estabelecer políticas de gestão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

ASSISTENTE SOCIAL

Promover e assegurar o bom atendimento no campo da assistência social; Realizar investigação através de pesquisa social, sondagens e entrevistas para obtenção de dados que permitam apontar os problemas existentes na área social; Promover o estudo, diagnóstico e tratamento de casos identificados; Elaborar relatórios, históricos e fichas individuais das pessoas entrevistadas; Identificar e posicionar a família em função de problemas e necessidades prioritárias; Providenciar encaminhamentos para instituições e entidades beneficentes; Visitar entidades beneficentes entrevistando pessoas, colhendo dados sobre o seu funcionamento e necessidades; Promover e coordenar reuniões e seminários, visando despertar a consciência da comunidade para o exercício da cidadania; Administrar os recursos disponíveis e captados pelo Município em prol das comunidades e indivíduos carentes; Emitir relatórios das atividades executadas; Prestar assistência em assuntos de ordem técnica e administrativa da unidade; Executar tarefas de acordo com as atribuições próprias da unidade e da natureza do trabalho de acordo com a legislação que regulamenta a profissão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

ATENDENTE

Promover o bom andamento dos serviços; recepcionar e encaminhar as providências necessárias ao atendimento médico; executar os serviços de cadastramento; levantar e atualizar periodicamente as informações de interesse do serviço; coletar dados para análise da situação dos usuários do serviço; identificar situações de risco; orientar a comunidade sobre o uso adequado dos serviços de saúde; divulgar e participar de reuniões de Equipe de Saúde com a comunidade; participar dos programas de treinamentos e reciclagens; efetuar o diagnóstico preventivo e acompanhar os pacientes com doenças crônicas; executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução de serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

AUXILIAR ADMINISTRATIVO

Promover o atendimento público e/ou de apoio administrativo; executar trabalho de natureza rotineira que consista na execução de tarefas simples e variadas, compreendendo o exercício de atividades no campo administrativo; atender telefonemas e prestar informações; receber e distribuir correspondências, volumes; preencher fichas se talões destinados a controle; executar serviços relacionados a arquivo, protocolo e reprografia; conferir e fazer cálculos, etc; fornecer dados e emitir documentos necessários ao bom atendimento do serviço; atender com presteza os requerimentos processados e as solicitações dos órgãos competentes; manter atualizada toda documentação que lhe for confiada; ter conhecimento de gramática e matemática; ter noções de redação; executar serviços de digitação; ter conhecimentos de organização e métodos de escritório; prestar serviços de atendimento satisfatório ao público; organizar e manter atualizados cadastros, arquivos e outros instrumentos de controle; proceder a levantamentos e análise de dados para pareceres e informações em processos; coletar, apurar e selecionar dados para funções estatísticas; redigir e minutar correspondências e atos administrativos; cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução de serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

AUXILIAR BIBLIOTECÁRIO

Promover e assegurar o bom atendimento; Atender aos usuários, orientando-os em suas necessidades de consulta; Orientar os auxiliares, instruindo-os sobre a localização de livros, manuseio de fichários e melhor bibliografia; Registrar os livros retirados por empréstimos, anotando seus títulos, autores, códigos, identidade do usuário, data para entrega e outros dados; Solicitar a aquisição de novos acervos bibliográficos; Providenciar a inscrição de leitores não cadastrados; Manter atualizados e ordenados os fichários e catálogos da biblioteca; Manter o acervo em bom estado de conservação e utilização; Repor nas estantes, livros utilizados pelos usuários; Organizar os trabalhos da biblioteca; Organizar campanhas que despertem o interesse pela leitura; Efetuar levantamentos de documentos sobre a cidade e seus cidadãos visando à criação da Memória Municipal; Manter inventário atualizado do acervo existente; Estabelecer normas sobre arquivamento, manuseio e conservação de livros, jornais, periódicos e outros; Controlar o recebimento e remessa de correspondências oficiais; Executar serviços de digitação de interesse do serviço; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

AUXILIAR DA EDUCAÇÃO

Participar da elaboração da proposta político-pedagógica e do plano global do local de trabalho; Contribuir para a boa administração e para um melhor fazer pedagógico; Executar sob supervisão, ações educativas e de cuidados para as diversas faixas etárias, cumprindo o disposto na proposta político-pedagógica da escola; Participar da organização e executar atividades de cuidar que envolvam a dimensão afetiva e cuidados com os aspectos biológicos do corpo, oferecendo oportunidades para o desenvolvimento global do aluno; Participar da organização de situações de aprendizagem através de jogos e brincadeiras, de forma integrada, propiciando à criança o desenvolvimento dos aspectos cognitivo, afetivo, motor e psicológico; Participar da organização e desenvolver atividades de caráter cultural, voltadas à realização de projetos, ao acompanhamento de pesquisas educacionais junto aos alunos e à seleção de materiais de leitura; Auxiliar a direção e professores nas atividades que envolvam a comunidade e no atendimento aos pais; Auxiliar a direção nas atividades de rotina, como matrícula, organização de turmas, recepção dos alunos e pais; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas.

AUXILIAR DE ENFERMAGEM

Promover a recepção e o cuidado com enfermos zelando pelo bom atendimento; Proceder ao preparo do paciente para consulta médica e/ou cirurgia; Realizar aplicação de injeção conforme prescrição médica; Realizar curativos e suturas observadas as técnicas específicas; Executar aplicação de vacinas periódicas, anotando os cartões de vacina na forma estabelecida; Atender satisfatoriamente os pacientes que procurem atendimento; Preencher a ficha médica e fazer o encaminhamento rotineiro; Utilizar técnicas específicas para desempenho de socorro de emergência; Efetuar o controle diário de entrada e saída de medicamentos, mantendo o estoque necessário e solicitando reposição, quando necessário; Esterilizar os instrumentos utilizados no trabalho, na forma estabelecida; Acompanhar e orientar a limpeza, higienização e esterilização do local de trabalho; Assistir aos pacientes hospitalizados, efetuando os procedimentos determinados na ficha individual, conforme orientação médica; Realizar relatório diário das atividades desenvolvidas; Relacionar os atendimentos realizados; Arquivar prontuários de pacientes, procedendo à consulta, quando necessário; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

AUXILIAR DE LABORATÓRIO

Promover e assegurar o bom andamento dos serviços; Auxiliar as atividades laboratoriais; Efetuar limpeza; Controlar estoque; Organizar arquivo; Ter noções de análises; Conhecer o material, equipamentos e demais ferramentas utilizadas em laboratório; Conservar em perfeita ordem os materiais de trabalho efetuando a esterilização dos equipamentos utilizados; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas, rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

AUXILIAR DE MECÂNICO

Auxiliar na manutenção de veículos, máquinas e equipamentos; auxiliar o mecânico na reparação, revisão e manutenção de veículos, máquinas e equipamentos - caminhões, ônibus, veículos pequenos, tratores, patrolas, pá carregadeiras, retroescavadeiras, tratores de pneus e demais equipamentos a álcool, gasolina ou diesel; auxiliar na execução de serviços elétricos e mecânicos em veículos automotores; auxiliar o mecânico a zelar pela conservação de veículos, máquinas e equipamentos; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim como aquelas que lhe forme atribuídas em função do cargo.

AUXILIAR DE SECRETARIA

Promover o bom atendimento aos serviços; auxiliar e executar a escrituração de documentos da vida escolar do aluno; realizar trabalhos de digitação, mimeografia e reprografia, indispensáveis ao serviço; atender pais, alunos, professores e o público em geral, prestando informações e encaminhando as solicitações diversas; efetuar o controle de estoque dos materiais utilizados pela escola, solicitando a reposição quando necessário; receber, organizar e arquivar documentos diversos, de interesse da escola e do município; auxiliar na organização das reuniões da Diretoria e de interesse do serviço; cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução de serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS;
AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS/COZINHEIRA;
AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS/FAXINEIRA;
AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS/GARI;
AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS/LAVANDERIA

Realizar tarefas com noções de limpeza e higiene; Determinar destinação do lixo doméstico e hospitalar; Utilizar produtos apropriados para limpeza em geral; Conhecimento, uso e manutenção de ferramentas; Varrição de superfícies diversas; Carregamento e empilhamento de tijolos, blocos etc.; Carregamento de terra, areia e entulhos em caminhões; Conhecimento e uso dos utensílios e trabalho braçal; Executar serviços braçais como capinas, roçagem, confecção de cercas, plantar, coletar; Executar funções com conhecimentos e uso dos utensílios de trabalho braçal; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas.

BIBLIOTECÁRIO

Planejar, implementar, coordenar, controlar e dirigir sistemas biblioteconõmicos e ou de informação e de unidades de serviços afins; Realizar projetos relativos á estrutura de normalização da coleta, do tratamento e da recuperação e da disseminação das informações documentais em qualquer suporte; Realizar estudos administrativos para o dimensionamento de equipamentos, recursos e layout das unidades da área biblioteconômica ou de informação; Estruturar e efetivar a normalização dos serviços técnicos de tratamento da informação fixando índices de eficiência, produtividade e eficácia nas áreas operacionais da biblioteconomia e ou ciência da informação; Estabelecer, coordenar e executar a política de seleção e aferição do material integrante de acervo, programando as prioridades de aquisição dos bens patrimoniais para a operacionalização dos serviços; Estruturar e executar a busca dos dados e a pesquisa documental; Participar de programa de treinamento, quando convocado; Participar, conforme a política interna da Instituição, de projetos, cursos, eventos, convênios e programas de ensino, pesquisa e extensão; executar tarefas pertinentes à área de atuação, utilizando-se de equipamentos e programas de informática.

BIOQUÍMICO

Promover e assegurar o bom atendimento laboratorial; Realizar exames clínicos individuais e fazer diagnóstico; Preparar, caracterizar e conservar medicamentos; Realizar o controle de medicamentos; Estimular debates sobre saúde com grupos de pacientes e grupos organizados pela comunidade em geral; Participar do planejamento da assistência à saúde; Integrar equipe multiprofissional para assegurar o efetivo atendimento às necessidades da população; Responder por farmácia básica e hospitalar do Município; Auxiliar os serviços da vigilância sanitária do Município; Emitir relatórios sugerindo campanhas educativas; Emitir relatórios das atividades executadas; Prestar assistência em assuntos de ordem técnica e administrativa da unidade; Executar tarefas de acordo com as atribuições próprias da unidade e da natureza do trabalho de acordo com a legislação que regulamenta a profissão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

BORRACHEIRO

Realizar manutenção de equipamentos, montagem e desmontagem de pneu e alinhamento. Controlar vida útil e utilização do pneu. Trocar e ressulcar pneus. Consertar pneus a frio e a quente, reparar câmara de ar e balancear conjunto de roda e pneu. Prestar socorro a veículos e lavar chassi e peças; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança, higiene qualidade e proteção ao meio ambiente; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

CONTADOR

Promover os registros dos atos e fatos da administração. Executar os trabalhos atinentes à contabilidade do município; Executar atividades de preparo, confecção, conferência e registro da documentação contábil; Responder pela fiel escrituração dos fatos relativos às atividades econômicas do município; Promover escrituração analítica das operações orçamentárias, financeiras e patrimoniais, em consonância com a legislação vigente; Acompanhar e fazer cumprir as exigências relacionadas a orçamento e prestação de contas especialmente os relacionados a contratos e convênios; Promover a elaboração de balancetes, balanços, empenhos, registros da receita e despesa; Executar todas as tarefas necessárias ao bom andamento da administração pública em matéria contábil, financeira e fiscal; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidos; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

ELETRICISTA DE VEÍCULOS AUTOMOTORES

Montar e reparar as instalações e equipamentos auxiliares de veículos automotores, como automóveis, caminhões, trens, máquinas operatrizes e outros similares, orientando-se por plantas, esquemas e especificações e utilizando ferramentas comuns e especiais, aparelhos de medição e outros utensílios, para atender à implantação e conservação de instalação elétrica destes veículos; Testar a instalação, fazendo-a funcionar repetidas vezes, para comprovar a exatidão do trabalho executado; Testar os circuitos da instalação, utilizando aparelhos de medição elétricos e eletrõnicos, para detectar partes ou peças defeituosas; substituir ou reparar fios ou unidades danificadas, utilizando ferramentas manuais comuns e especiais, materiais isolantes e soldas, para devolver à instalação elétrica condições normais de funcionamento; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

ENGENHEIRO AMBIENTAL

Proceder ao planejamento ambiental do território; Elaborar e desenvolver projetos de educação (através de eventos e palestras), gestão ambiental e de resíduos sólidos; Elaborar relatórios de impacto ambiental; Elaborar estudos de licenciamento ambiental; Fiscalizar obras; Projetar, avaliar e gerir sistemas ambientais em empreendimentos de engenharia e sistemas urbanos; Proceder à análise e estudos de recursos hídricos e pesquisa; Monitorar e avaliar a qualidade ambiental dos recursos naturais, o projeto e gestão de tecnologias de controle de poluição, o saneamento ambiental; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

ENGENHEIRO CIVIL

Elaborar e executar projetos de engenharia, preparando plantas e especificações técnicas, indicando tipo e qualidade de materiais, estimando a mão de obra necessária e efetuando cálculos de custos, para possibilitar a construção, reforma e manutenção de obras e serviços de urbanismo em geral; Participar do processo de contratação de obras e serviços de urbanismo em geral; Participar do processo de contratação de projetos de engenharia com terceiros e acompanhar sua execução, verificando o cumprimento das metas físicas prestando informações técnicas e orientando o executor na alocação dos recursos destinado a cada obra: Promover estudos de viabilidade técnica e socioeconômicas nas áreas carentes de infraestrutura urbana, determinando prioridades e propondo alternativas para regularização da situação e atendimento à população; Elaborar planos, projetos e fluxogramas dos trabalhos a serem executados, explicitando as prioridades técnicas conjugadas com os anseios da comunidade; Participar da elaboração e definição de diretrizes para o parcelamento do solo, levantando as propostas existentes, juntamente com outros profissionais envolvidos no processo; Realizar estudos para definição de parâmetros a serem adotados em propostas novas de parcelamento, efetuando vistorias locais, verificando tendências e peculiaridades do Município e observando componentes geográficos e socioeconõmicos; Analisar projetos de loteamentos e desmembramentos, verificando se estão em acordo com a legislação vigente e com as diretrizes fornecidas; Participar do planejamento da área de transportes, definindo políticas, diretrizes, programas e projetos que se compatibilizem com a estrutura urbana desejada, de acordo com a Lei do Uso do Solo e os anseios da comunidade local; Executar atividades relativas à cartografia, orçamentos e apropriações de custos, assessoramento aos usuários, perícias, vistorias,exames, inspeções, arbitragens e avaliações relacionadas com sua especialização; Planejar, elaborar e executar projetos de saneamento básico para assegurar a construção funcionamento e manutenção dos sistemas de abastecimento e distribuição de água, coleta e tratamento de esgotos sanitários, drenagem urbana e contenção de erosão, limpeza publica e destinação final do lixo, bem como o controle da poluição de águas naturais e de poluição atmosférica, no âmbito municipal; Participar de programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

FISIOTERAPEUTA

Promover e assegurar o bom atendimento fisioterápico; Avaliar e reavaliar o estado de saúde de doentes e acidentados; Realizar testes musculares, funcionais, de amplitude articular, de verificação, de cinética e movimentação; Promover pesquisas de reflexos, provas de esforço, de sobrecarga e de atividades; Identificar o nível de capacidade funcional dos órgãos e tecidos afetados; Planejar e executar tratamentos de afecções reumáticas osteoartroses, sequelas de acidentes vascular-cerebrais, poliomielite, meningite, encefalite, de traumatismos raquimedulares, de paralisias cerebrais, motoras, neurógenas e de nervos periféricos, miopatias e outros, utilizando-se de meios físicos especiais como cinesioterapia e hidroterapia, para reduzir ao mínimo as consequências dessas doenças; Atender amputados, preparando o coto e fazendo treinamento com prótese para possibilitar sua movimentação ativa e independente; Ensinar exercícios corretivos de coluna, defeitos dos pés, afecções dos aparelhos respiratório e cardiovascular, orientando e treinando o paciente em exercícios ginásticos especiais para promover correções de desvios de postura e estimular a expansão respiratória e a circulação sanguínea; Fazer relaxamento, exercícios e jogos com pacientes portadores de problemas psíquicos, treinando-os de forma sistemática para promover a descarga ou liberação da agressividade e estimular a sociabilidade; Supervisionar, orientar e avaliar atividades do pessoal auxiliar de fisioterapia na execução correta de exercícios físicos e a manipulação de aparelhos mais simples; Assessorar autoridades superiores em assuntos de fisioterapia, preparando informes, documentos e pareceres para avaliação da política de saúde; Dar orientações e sugerir cuidados pré e pós-operatórios; Emitir relatórios das atividades executadas; Prestar assistência em assuntos de ordem técnica e administrativa da unidade; Executar tarefas de acordo com as atribuições próprias da unidade e da natureza do trabalho de acordo com a legislação que regulamenta a profissão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

FONOAUDIÓLOGO

Promover e assegurar o bom atendimento; Estudar e promover a recuperação no campo da fonação e audição; Promover o desenvolvimento da linguagem oral e escrita; Corrigir distúrbios de aprendizagem; Desenvolver atividades corretivas de deficiência auditiva, mudez, gagueira, atraso de linguagem; Assegurar a recuperação em alterações da articulação do som provocadas por derrame cerebral, mal de Parkinson, Câncer do aparelho fonador etc.; Buscar a recuperação nos casos de dislexia, dislalias, disfonias, distonia, disartria, afasia e a psicomotricidade; Atuar como educador em saúde; Aconselhar e orientar os pacientes, aplicando técnicas que possibilitem o desenvolvimento de suas capacidades e seu ajustamento ao meio de trabalho e à sociedade; Emitir relatórios das atividades executadas; Prestar assistência em assuntos de ordem técnica e administrativa da unidade; Executar tarefas de acordo com as atribuições próprias da unidade e da natureza do trabalho de acordo com a legislação que regulamenta a profissão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

GUARDA MUNICIPAL

Proteger órgãos, entidades, serviços e o patrimônio do Município de Salinas; Exercer as atividades de orientação e proteção dos agentes públicos e dos usuários dos serviços públicos municipais; Prestar serviços de vigilância nos órgãos da administração direta e nas entidades da administração indireta do Município; Auxiliar nas ações de Defesa Civil, sempre que estiverem em risco bens, serviços e instalações municipais e, em outras situações, a critério do Prefeito; Auxiliar o exercício da fiscalização municipal, sempre que estiverem em risco bens, serviços e instalações municipais e, em outras condições e situações excepcionais, a critério do Prefeito; Garantir a preservação da segurança e da ordem nos próprios municipais sob sua responsabilidade; Executar ações de interação com os cidadãos; Executar ações sempre fundamentadas no respeito à dignidade humana, à cidadania, à justiça, à legalidade democrática e aos direitos humanos; Atuar de forma preventiva nas áreas de sua circunscrição, onde se presuma ser possível a quebra da situação de normalidade; Atuar com prudência, firmeza e efetividade, na sua área de responsabilidade, visando ao restabelecimento de normalidade, precedendo eventual emprego da Força Pública Estadual; Realizar atividades de polícia comunitária; Executar ação de policiamento ostensivo e preventivo, fixo ou móvel, para proteção dos bens, serviços e instalações; Realizar prisão de pessoas, na forma da lei; Zelar pelos equipamentos de trabalho destinados à consecução das suas atividades; Operar equipamentos de comunicações; Conduzir viaturas, em obediência à escala de serviço ou por solicitação eventual de autoridade; Conduzir qualquer veiculo oficial por solicitação de autoridade; Prestar colaboração e orientação às pessoas sempre que necessário; Apoiar nas ações dos servidores públicos do município quando solicitado; Executar atividades de pronto atendimento, socorro e proteção de vitimas; Orientar, fiscalizar e controlar, na forma de lei, o trânsito de pedestres e veículos nas vias do município; Exercer atividades de proteção ambiental; Fazer segurança em eventos diversos, manifestações sociais e ou movimentos sociais; Requisitar ou sugerir providências para o adequado funcionamento dos serviços da guarda municipal; Oferecer denúncia, orientação, informação e/ou propositura que colabora com o estabelecimento da ordem pública, com a disciplina da corporação e com o funcionamento do aparelho publico, especialmente dos serviços prestados pela guarda municipal; Executar policiamento ostensivo e preventivo, fixo ou móvel, com viatura motorizada ou a pé, em local determinado e no limite do município, mediante uso de uniforme e equipamentos; Atender ocorrências e promover sua escrituração e encaminhamentos. Condições Gerais para o exercício do cargo: Trabalhar tendo contato cotidiano com o público de forma individual ou em equipe, sob supervisão permanente, em ambiente de trabalho, que pode ser fechado ou a céu aberto, a pé ou em veículos, em horários diversos (diurno, noturno ou em rodízio de turnos).

INSPETOR DE ALUNOS

Zelar pela manutenção da disciplina, movimentação e hábitos de higiene dos alunos no recinto da escola; orientar a formação de atitudes e hábitos de higiene pessoal e ambiental, conforme diretrizes estabelecidas; desenvolver trabalhos de educação sanitária e alimentar da comunidade escolar; realizar trabalhos de orientação de alunos, mantendo a disciplina e o controle da movimentação destes nas dependências da escola; auxiliar na realização de atividades escolares, sociais, esportivas, nas comemorações cívicas e outras solenidades e atividades promovidas pela escola; colaborar na manutenção da disciplina geral, assegurando o bom andamento dos trabalhos e o controle de entrada, saída e movimento de alunos; zelar pela conservação do patrimônio da escola sob sua guarda, solicitando a manutenção e reparação, quando necessário; cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução de serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

INSTRUMENTADOR CIRÚRGICO

Desempenhar atividades técnicas de enfermagem. Atuar em cirurgia, terapia, puericultura, pediatria, psiquiatria, obstetrícia, saúde ocupacional e outras áreas. Prestar assistência ao paciente, zelando pelo seu conforto e bem-estar, administrar medicamentos e desempenhar tarefas de instrumentação cirúrgica, posicionando, de forma adequada, o paciente e o instrumental. Organizar ambiente de trabalho e dar continuidade aos plantões. Trabalhar em conformidade às boas práticas, normas e procedimentos de biossegurança. Realizar registros e elaborar relatórios técnicos; Executar tarefas dentro de sua formação, observada a regulamentação profissional e às normas de medicina e higiene do trabalho; Executar atribuições compatíveis com a natureza do cargo; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

JORNALISTA

Editar, redigir, interpretar e organizar as notícias e informativos a serem divulgados externamente e/ou na própria Prefeitura, expondo, analisando e comentando os acontecimentos, para transmitir informações da atualidade e ocorrências cotidianas ao publico, através de meios de comunicação internos e/ou externos. Fazer seleção, revisão e preparo definitivo das matérias jornalísticas a serem divulgadas em jornais, revistas, televisão, rádio, internet, assessorias de imprensa e quaisquer outros meios de comunicação com o público. Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

LANTERNEIRO DE AUTOMÓVEIS

Analisar o veículo a ser reparado, realizar o desmonte e providenciar materiais, equipamentos, ferramentas e condições necessárias para o serviço. Preparar a lataria do veículo e as peças para os serviços de lanternagem e pintura. Confeccionar peças simples para pequenos reparos. Pintar e montar o veículo. Trabalhar seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e proteção ao meio ambiente. Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

MECÂNICO

Manter, preparar e conservar veículos, máquinas e equipamentos; proceder à reparação, revisão e manutenção de veículos, máquinas e equipamentos - caminhões, ônibus, veículos pequenos, tratores, patrolas, pá, carregadeiras, retroescavadeiras, tratores de pneus e demais equipamentos a álcool, gasolina ou diesel; executar serviços elétricos e mecânicos em veículos automotores; solicitar ou requisitar a execução de serviços indispensáveis; zelar pela conservação de veículos, máquinas e equipamentos; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

MÉDICO

Promover e assegurar o bom atendimento médico; Realizar exames clínicos individuais, fazer diagnóstico, prescrever tratamento a pacientes, bem como realizar pequenas cirurgias; Requisitar exames de laboratórios e raios-x; Emitir guias de internação e fazer triagens de pacientes, encaminhando-os a clínicas especializadas, se assim se fizer necessário; Atender servidores interessados em licenças ou abonos de faltas para tratamento médico, de saúde ou afastamento; Exercer medicina preventiva, incentivo à vacinação e controle de puericultura mensal; Exercer o controle pré-natal e atendimento de pacientes com patologias mais comuns entre a nosologia prevalente; Estimular debates sobre saúde com grupos de pacientes e grupos organizadores pela comunidade em geral; Participar do planejamento da assistência à saúde, articulando-se com outras instituições para implementação de ações integradas; Integrar equipe multiprofissional para assegurar o efetivo atendimento às necessidades da população; Dar orientações profiláticas e sugerir cuidados pré e pós-operatórios; Emitir relatórios das atividades executadas; Prestar assistência em assuntos de ordem técnica e administrativa da unidade; Executar tarefas de acordo com as atribuições próprias da unidade e da natureza do trabalho de acordo com a legislação que regulamenta a profissão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

MOTORISTA

Dirigir veículos automotores de passageiros, de carga e similares; Manter o veículo em condições de funcionamento e conservação; Ter conhecimentos sobre o Código Nacional de Trânsito; Promover o abastecimento, lubrificação, limpeza; Promover a manutenção do veículo sob sua responsabilidade; Verificar e controlar os gastos de combustíveis, lubrificantes e demais insumos; Promover e/ou requisitar os reparos necessários; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho.

NUTRICIONISTA

Elaborar, coordenar e supervisionar o cardápio da alimentação escolar de competência do Município, zelando para que cada refeição contenha, no mínimo, 15% (quinze por cento) das necessidades nutricionais diárias dos alunos beneficiados; Elaborar, coordenar e supervisionar o cardápio das pessoas com carências nutricionais ou em convalescença, desde que atendidas diretamente por órgão competente da Administração Municipal, zelando para que cada refeição contenha as necessidades nutricionais adequadas; Elaborar, coordenar, executar e supervisionar programas de suprimento nutricional, destinados a pessoas desnutridas, subnutridas ou com carências nutricionais graves; Realizar estudos e pesquisas; orientar as ações nutricionais na sua área de competência; Preparar programas de cardápios diários que atendam às exigências nutricionais mínimas dos beneficiários, levando em conta a idade e outros elementos necessários para uma dieta equilibrada e saudável; Emitir relatórios sugerindo campanhas educativas; Emitir relatórios das atividades executadas; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

ODONTÓLOGO

Promover e assegurar o bom atendimento odontológico; Fazer anamnese, anotando o nome dos pacientes e os serviços executados em livro de registro; Realizar exames dos dentes e bocas de pacientes para efeito de diagnóstico; Fazer obturação de diversos tipos, extração e outros tratamentos; Efetuar cirurgias, retirar pontos e administrar curativos; Prescrever medicamentos, quando necessário; Tirar e interpretar radiografias; Instruir clientes sobre os cuidados de higiene bucal; Dar orientações profiláticas e sugerir cuidados pré e pós-operatórios; Emitir relatórios das atividades executadas; Prestar assistência em assuntos de ordem técnica e administrativa da unidade odontológica; Executar tarefas de acordo com as atribuições próprias da unidade e da natureza do trabalho de acordo com a legislação que regulamenta a profissão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

OFICIAL DE SERVIÇOS/BOMBEIRO

Realizar serviços de instalação sanitária e hidráulica em obras, prédios e logradouros públicos; instalar e manter em perfeito funcionamento as redes de água e de esgoto em prédios e logradouros públicos do município ou por este utilizados; vistoriar das redes e instalações sanitárias e hidráulicas do município, assegurando seu perfeito funcionamento; controlar o estoque de material utilizado no trabalho, solicitando a reposição quando necessário; efetuar pequenos reparos de urgência nas redes e instalações sanitárias e hidráulicas de prédios do município; utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução de serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

OFICIAL DE SERVIÇOS/ELETRICISTA

Realiza serviços de instalação elétrica em obras, prédios e logradouros públicos; exercer suas funções observando às normas relativas ao exercício das funções; executar serviços de eletricidade e iluminação; comprovar o conhecimento sobre ferramentas e qualidade de materiais utilizados; comprovar conhecimentos sobre normas de segurança; ter conhecimentos sobre isolantes, cargas, fases, circuito, reguladores de voltagem e outros aparelhos; realizar trabalho de instalação, regulagem, reforma, substituição, revisão e conservação de sistema elétrico, instalação de motores, bombas e instalações elétricas em geral; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

OFICIAL DE SERVIÇOS/PEDREIRO

Realizar serviços de edificação de muros, paredes, pisos, forros, etc; executar trabalhos com pedras, brita, areia, cal, argamassa e tijolos; executar tarefas de assentamento de meio-fio, poço de visita, sarjetas e manilhas de barro ou concreto; levantar e revestir paredes; rebocar, aplainar, alinhar e nivelar rebocos em paredes e tetos; executar reparos em paredes, pisos e lajes, para atender às necessidade do serviço; assentar pisos, azulejos e demais peças de revestimento; assentar pias, lavatórios, vasos sanitários, etc.; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; ter conhecimentos e demonstrar compreensão para execução de projetos arquitetõnicos; cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução dos serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas que lhe forem determinadas em função do cargo.

OPERADOR DE MÁQUINAS PESADAS:

- Operador de Máquinas Motoniveladora (Patrol) - Operar: motoniveladora (patrol); executar trabalhos de terraplanagem, nivelar, aplainar ou abaular estradas, ruas, avenidas e logradouros públicos; distribuir/espalhar cascalho ou material destinado à reparação e/ou conservação de vias, logradouros e estradas públicas; executar alinhamento e nivelamento necessários; verificar as condições gerais do equipamento sob sua responsabilidade; promover a manutenção da máquina; verificar e controlar os gastos de combustíveis, lubrificantes e demais insumos; promover e/ou requisitar os reparos necessários; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

- Operador de Máquinas Pá Carregadeira - Operar: pá carregadeira; executar trabalhos de carregamento de materiais destinados a obras públicas, pequena terraplanagem, limpeza de áreas públicas; escavar, revolver ou retirar limpeza de áreas públicas; escavar, revolver ou retirar terras destinadas a obras públicas; verificar as condições gerais do equipamento sob sua responsabilidade; promover a manutenção da máquina; verificar e controlar os gastos de combustíveis, lubrificantes e demais insumos; promover e/ou requisitar os reparos necessários; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

- Operador de Máquinas Retroescavadeira - Operar: retroescavadeira. Executar trabalho de abertura de valas, valetas, poços e caixas; escavar, revolver ou retirar terra necessária à execução de obras públicas; executar serviços de drenagem para escoamento de água; verificar as condições gerais do equipamento sob sua responsabilidade; promover a manutenção da máquina; verificar e controlar os gastos de combustíveis, lubrificantes e demais insumos; promover e/ou requisitar os reparos necessários; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

- Operador de Máquinas Trator de Esteiras - Operar: trator de esteiras; executar trabalhos de abertura de estradas, ruas e avenidas; promover a extração e levantamento de cascalho, desmatamento; executar os demais serviços utilizados na construção e conservação de logradouros e estradas; executar serviços de construção de açudes e barragens; verificar as condições gerais do equipamento sob sua responsabilidade; promover a manutenção da máquina; verificar e controlar os gastos de combustíveis, lubrificantes e demais insumos; promover e/ou requisitar os reparos necessários; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

Operador de Máquinas Trator de Pneus - Operar: trator de pneus; executar trabalhos de aração; gradagem, roçagem e plantio; rebocar carretas e outros equipamentos; verificar as condições gerais do equipamento sob sua responsabilidade; promover a manutenção da máquina; verificar e controlar os gastos de combustíveis, lubrificantes e demais insumos; promover e/ou requisitar os reparos necessários; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem atribuídas em função do cargo.

PROFESSOR I (1.° AO 5.° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL)

Promover a capacitação intelectual e moral da criança; Exercer atividades de magistério até 4.ª série do Ensino Fundamental; planejar e ministrar aulas e atividades de classes, observando os programas oficiais de ensino; realizar avaliação de aprendizagem por meio de observação direta e de aplicações de exercícios; colaborar na execução de programas de caráter cívico, cultural e artístico, integrando escola e comunidade; colaborar no desenvolvimento de atividades de assistências ao educando; promover o atendimento ao aluno nos campos da higiene, saúde e merenda escolar; organizar e escriturar diários de classe; participar de reuniões pedagógicas e administrativas; providenciar a organização, limpeza e boa apresentação das dependências da escola; cumprir apresentação das dependências da escola; cumprir dispositivos constantes do Regimento Escolar de Unidade; participar dos programas de treinamentos e reciclagens; cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

PROFESSOR II - EDUCAÇÃO FÍSICA

Promover a capacitação intelectual e moral da criança; exercer atividades do magistério de 5.a a 8.a série do ensino fundamental; planejar e ministrar aulas e atividades de classe, observando os programas oficiais de ensino; realizar avaliação de aprendizagem por meio de observação direta de aplicações de exercícios; colaborar na execução de programas de caráter cívico, cultural e artístico, integrando escola e comunidade; colaborar no desenvolvimento de atividades de assistência ao educando, especialmente higiene, saúde e merenda escolar; organizar e escriturar diários de classe; participar de reuniões pedagógicas e administrativas; providenciar a organização de limpeza e boa apresentação das dependências da escola; cumprir dispositivos constantes do Regimento Escolar de Unidade; participar dos programas de treinamentos e reciclagens; cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; executar outras atividades correlatas que lhe foram atribuídas; utilizar e zelar pela conservação dos utensílios destinados à execução de serviços; atender às normas de segurança e higiene do trabalho; executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

PSICÓLOGO

Promover e assegurar o bom atendimento psicológico; Fazer avaliações diagnósticas de paciente e tratamento ambulatorial; Desenvolver atividades com a comunidade no sentido de discutir os temas próprios de saúde mental; Orientar, através de entrevistas pessoais, pacientes que apresentem problemas psicológicos; Desenvolver e executar atividades relativas à análise do trabalho, estabelecendo requisitos psicológicos e condições ambientais necessários ao bom desempenho do indivíduo; Desenvolver, individualmente ou em equipe multiprofissional de saúde mental, processo de acompanhamento clínico­psicoterápico em indivíduos ou grupos; Trabalhar na capacitação do pessoal de nível médio envolvido no serviço de saúde mental; Definir e executar atividades relativas a levantamento de dados, intervenção e acompanhamento em questões psicossociais de indivíduo ou grupos, no trabalho, escola e família; Aconselhar e orientar indivíduos afetados em seu equilíbrio emocional, aplicando técnicas que possibilitem o desenvolvimento de suas capacidades e seu ajustamento ao meio de trabalho e à sociedade; Emitir relatórios das atividades executadas; Prestar assistência em assuntos de ordem técnica e administrativa da unidade; Executar tarefas de acordo com as atribuições próprias da unidade e da natureza do trabalho de acordo com a legislação que regulamenta a profissão; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

SECRETÁRIO ESCOLAR

Promover o bom atendimento e desenvolvimento dos serviços de secretaria; Exercer atividades administrativas, burocráticas junto às secretarias escolares do órgão de Educação; Organizar escrituração diária de documentos afetos à rede de ensino; Preparar históricos, transferências, cadernetas, diários de classe e outros expedientes; Organizar e manter atualizados dados e arquivos; Controlar estoques de materiais para manutenção das atividades do ensino; Executar serviços de digitação; Receber, distribuir e controlar documentos, correspondências etc.; Assessorar reuniões, assembleias etc.; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

SERVENTE ESCOLAR

Realizar tarefas com noções de serviços de cantina; Destinação do lixo doméstico; Aplicar conhecimento, uso e manutenção de ferramentas; Realizar serviços de varrição de superfícies diversas; Preparo de alimentos, sucos, cafés, chás etc.; Arranjo e preparo de mesas para refeições diversas; Aplicar noções de limpeza e higiene; Utilizar produtos apropriados para limpeza de pisos, paredes, vasos sanitários, azulejos etc.; Aplicar conhecimentos e uso dos utensílios de trabalho braçal; Preparo e distribuição da merenda escolar; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas.

SUPERVISOR ESCOLAR

Promover a supervisão do ensino garantindo sua qualidade; Executar atividades profissionais típicas correspondentes à habilitação em supervisão, de acordo com às normas vigentes; Planejar, coordenar e executar programas, projetos e atividades de Educação; Elaborar estudos, pesquisas e análises relativas às atividades educacionais; Executar trabalho especializado de magistério que consiste prestar supervisão pedagógica aos docentes e coordenadores de área; Planejar, executar e acompanhar o trabalho dentro das unidades de ensino; Revestir-se de acentuada autonomia técnica, sujeitando-se a acerto e revisão de critérios; Promover adaptações e acompanhar o cumprimento de dispositivos constantes do Regimento Escolar; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

TÉCNICO DE DESPORTO INDIVIDUAL E COLETIVO (EXCETO FUTEBOL)

Desenvolver, com crianças, jovens e adultos, atividades físicas; ensinar técnicas desportivas; realizar treinamentos especializados com atletas de diferentes esportes; instruir-lhes acerca dos princípios e regras inerentes a cada um deles; avaliar e supervisionar o preparo físico dos atletas; acompanhar e supervisionar as práticas desportivas; elaboram informes técnicos e científicos na área de atividades físicas e do desporto; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Capacitar pessoas do Quadro da Educação,Saúde ,Esportes; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

TÉCNICO EM ENFERMAGEM

Promover e assegurar o bom andamento dos serviços; Atender ao público, fazer fichas de consulta; Observar os casos de urgência e encaminhá-los ao médico; Aplicações de vacinas, injeções e curativos; Prestação de serviços de primeiros socorros; Transmitir, sob orientação médica, adoção de medidas preventivas referentes às moléstias infectocontagiosas; Preparar e cuidar dos pacientes para tratamento adequado; Aplicar curativos, injeções e vacinas; Conservar em perfeita ordem os materiais de trabalho efetuando a esterilização dos equipamentos utilizados; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

TÉCNICO EM HIGIENE DENTAL

Planejar o trabalho técnico-odontológico; Prevenir doença bucal participando de programas de promoção à saúde, projetos educativos e de orientação de higiene bucal; Executar procedimentos odontológicos sob supervisão do cirurgião dentista; Administrar materiais. Mobilizar capacidades de comunicação em palestras, orientações e discussões técnicas; Exercer atividades conforme normas e procedimentos técnicos e de biossegurança; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo..

TÉCNICO EM INFORMÁTICA

Oferecer suporte técnico aos usuários de microcomputadores auxiliando-os na instalação e na utilização de softwares, além dos equipamentos e periféricos de microinformática nos diversos órgãos da Prefeitura Municipal; Codificar em linguagem apropriada a lógica para programas individuais e de sistemas, operar os equipamentos utilizados na execução de processos e/ou rotinas; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

TÉCNICO PROFISSIONAL DE FUTEBOL)

Analisar a atuação de jogadores e atletas, observando-os em treinos seletivos, para detectar falhas individuais ou coletivas e carências e aptidões dos mesmos; planejar as etapas de treinamento, baseando-se nas observações colhidas e nas competições programadas, para possibilitar o desenvolvimento das mesmas de forma coesa e ordenada; submeter os desportistas aos treinamentos, ensinando-lhes as técnicas do esporte em questão e as táticas a serem empregadas, e supervisionando sua execução, para assegurar o bom desempenho nas competições esportivas; analisar a atuação do adversário, assistindo a seus jogos, observando o comportamento de sua equipe em campo, ou estudando seus métodos e sistema de jogos, para definir os métodos e sistemas de equipe sob sua responsabilidade; Planejar o sistema de jogo a ser realizado, organizando as estratégias a serem empregadas e orientando o capitão nesse particular, para assegurar resultados positivos; Acompanhar o desenvolvimento da peleja, atentando para a atuação dos jogadores durante a competição, para identificar falhas individuais ou coletivas e orientar seus comandados para um desempenho mais eficiente; Participar de equipes multiprofissionais ou comissões técnicas esportivas, emitindo pareceres e debatendo assuntos pertinentes a esportes, a fim de contribuir para o aprimoramento das políticas esportivas e, em consequência, para a melhoria do estado físico, mental e técnico dos atletas; Preparar relatórios sobre os treinamentos e competições esportivas para enviá-los aos órgãos competentes; Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Capacitar pessoas do Quadro da Educação, Saúde, Esportes; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

VETERINÁRIO

Praticar clínica médica veterinária em todas as suas especialidades; Contribuir para o bem-estar animal; Promover saúde pública e defesa do consumidor; Exercer defesa sanitária animal; Desenvolver atividades de pesquisa e extensão; Atuar nas produções industrial e tecnológica e no controle de qualidade de produtos; Fomentar produção animal; Atuar nas áreas comercial agropecuária, de biotecnologia e de preservação ambiental; Elaborar laudos, pareceres e atestados; Assessorar a elaboração de legislação pertinente. Participar dos programas de treinamentos e reciclagens; Cumprir regulamentos, normas e rotinas estabelecidas; Executar outras atividades correlatas que lhe forem atribuídas; Utilizar e zelar pela conservação e manutenção dos equipamentos, ferramentas, materiais e utensílios destinados à execução de serviços; Atender às normas de segurança e higiene do trabalho; Executar outras tarefas inerentes à função, bem assim aquelas que lhe forem determinadas em função do cargo.

Salinas-MG, 23 de dezembro de 2011.

José Antônio Prates
Prefeito Municipal

ANEXO IV

PROGRAMAS DAS PROVAS DE MÚLTIPLA ESCOLHA

Observação: A bibliografia sugerida tem apenas o propósito de orientar o estudo dos candidatos, não excluindo, em hipótese alguma, outros livros que abranjam a matéria indicada para cada cargo.

CARGOS DE ENSINO ELEMENTAR (4.ª SÉRIE)

Atendente
Auxiliar de Serviços Gerais/Faxineira
Auxiliar de Serviços Gerais/Cozinheira
Auxiliar de Serviços Gerais/Gari
Auxiliar de Serviços Gerais/Lavanderia
Auxiliar de Serviços Gerais
Motorista
Oficial de Serviços/Bombeiro
Oficial de Serviços/Eletricista
Oficial de Serviços/Pedreiro
Operador de Máquinas Pesadas
Servente Escolar

PROVAS: Língua Portuguesa e Matemática

LÍNGUA PORTUGUESA

1. Texto: Leitura, compreensão e interpretação de textos - ler, compreender e interpretar textos que circulam normalmente na sociedade. Distinguir as ideias principais e secundárias. Relacionar texto e contexto. /interpretar recursos coesivos na construção do texto: uso de preposições, conjunções, pronomes, advérbios, artigos, concordância verbal e nominal. 2. Ortografia - emprego de, por exemplo, s, z e x, ch e x, j e g, c e sc. Acentuação gráfica: emprego do acento agudo e do acento circunflexo. Dada uma lista de palavras de uso frequente, distinguir as que devem ser acentuadas graficamente das que não levam sinal gráfico. Partição silábica: noções elementares. 3. Morfologia - prefixos e sufixos: noções elementares. Noções de flexões de nomes e de verbos. 4. Vocabulário - sinônimos e antônimos. 5. Sinais de pontuação e seus efeitos comunicativos.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ANDRÉ, Hildebrando A. de. Gramática Ilustrada*. São Paulo: Moderna.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa*. São Paulo: Nacional.

PROCÓPIO, Mércia Maria Silva; PASSOS, Jane Maria Araújo. Letra, Palavra e Texto - Língua Portuguesa e Projetos. V. 3 e 4. São Paulo: Scipione.

CÓCCO, Maria Fernandes; HAILER, Marco Antonio. Análise, Linguagem e Pensamento - alp 4. São Paulo: FTD, 1991.

* Obs.: Uma dessas ou qualquer outra Gramática da Língua Portuguesa usada nas escolas.

MATEMÁTICA

1. Números e sistema de numeração. 2. Operações com números naturais. 3. Operações com números racionais (frações e decimais). 4. Polígonos: elementos e classificação, perímetro e área. 5. Sólidos geométricos: elementos, classificação.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Livros didáticos de Matemática para as 4 primeiras séries do Ensino Fundamental.

CARGOS DE ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO

Auxiliar de Mecânico
Borracheiro
Eletricista de Veículos Automotores
Guarda Municipal
Inspetor de Alunos
Lanterneiro de Automóveis
Mecânico

PROVAS: Língua Portuguesa e Matemática

LÍNGUA PORTUGUESA

A prova constará de questões de interpretação de texto(s) de natureza diversa: descritivo, narrativo, dissertativo, e de diferentes gêneros como, por exemplo, poema, texto jornalístico, propaganda, charge, tirinha, etc. Nessas questões, além dos conhecimentos linguísticos gerais e específicos relativos à leitura e interpretação de um texto, tais como: apreensão da ideia central ou do objetivo do texto, identificação/análise de informações e/ou ideias expressas ou subentendidas, da estrutura ou organização do texto, da articulação das palavras, frases e parágrafos (coesão) e das ideias (coerência), das relações intertextuais, ilustrações ou gráficos, recursos sintáticos e semânticos, do efeito de sentido de palavras, expressões, ilustrações, também poderão ser cobrados os seguintes conteúdos gramaticais, no nível correspondente à 8a série: divisão silábica, grafia de palavras, acentuação gráfica, concordância verbal e nominal; regência verbal e nominal; crase; pontuação; classes gramaticais (reconhecimento e flexões); estrutura e formação de palavras; sinônimos, antônimos, homõnimos e parônimos. Denotação e conotação. Figuras de linguagem.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Gramáticas da Língua Portuguesa a que o candidato tenha mais fácil acesso, adaptadas ao Ensino Fundamental. Livros didáticos adotados nas escolas de 1.° grau (5.ª a 8.ª séries).

MATEMÁTICA

1. Números: números primos, algoritmo da divisão. Sistemas de numeração. Critérios de divisibilidade. Máximo divisor comum (entre números inteiros). Mínimo múltiplo comum (entre números inteiros). 2. Conjuntos Numéricos: operações: adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e radiciação nos conjuntos numéricos. Propriedades dessas operações. Médias (aritmética e ponderada). Módulo e suas propriedades. Desigualdades, Intervalos. Sistemas de medidas. 3. Proporcionalidade: razões e proporções: propriedades. Regra de três simples e composta. Regra de sociedade. Percentagem. Juros simples e compostos. Descontos simples e compostos. 4. Funções: gráficos de funções: definição e representação. 5. Função afim: definição, valor numérico, gráfico, raízes, estudo dos sinais, gráficos. Equações e inequações do 1.° grau. Sistema de equações do 1.° grau. 6. Função quadrática: definição, valor numérico, gráfico, raízes, estudo dos sinais, gráficos. Equações e inequações do 2.° grau. Equações biquadradas. 7. Expressões algébricas. Polinômios, algoritmos de divisão, produtos notáveis e fatoração. 8. Geometria Plana: curvas. Ângulos. Triângulos e quadriláteros. Igualdade e semelhança de triângulos. Relações métricas no triângulo retângulo. Trigonometria no triângulo retângulo e relações trigonométricas. Círculos e discos. Polígonos regulares e relações métricas. Feixes de retas. Áreas e perímetros. 9. Estatística básica: conceitos, coleta de dados, amostra. Gráficos e tabelas: interpretação. Distribuição de frequência. Médias, moda e mediana. 1o. Probabilidades: espaço amostral. Experimentos aleatórios.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BIGODE, Antônio José Lopes. Matemática Hoje é Feita Assim. 5.ª a 8.ª séries. São Paulo: FTD, 2000.

IMENES & LELLIS. Matemática. 5ª a 8ª séries. São Paulo: Scipione. 1997. Livros didáticos do Ensino Fundamental.

CARGOS DE ENSINO MÉDIO COMPLETO

Agente de Trânsito

Auxiliar Administrativo
Auxiliar Bibliotecário
Auxiliar da Educação
Auxiliar de Enfermagem
Auxiliar de Laboratório
Auxiliar de Secretaria
Secretário Escolar

PROVAS: Língua Portuguesa e Matemática

LÍNGUA PORTUGUESA

Leitura, compreensão e interpretação de textos de natureza diversa: descritivo, narrativo, dissertativo, e de diferentes gêneros, como, por exemplo, crônica, notícia, reportagem, editorial, artigo de opinião, texto argumentativo, informativo, normativo, charge, propaganda, ensaio, etc. As questões de texto verificarão as seguintes habilidades: identificar informações no texto; relacionar uma informação do texto com outras informações oferecidas no próprio texto ou em outro texto; relacionar uma informação do texto com outras informações pressupostas pelo contexto; analisar a pertinência de uma informação do texto em função da estratégia argumentativa do autor; depreender de uma afirmação explícita outra afirmação implícita; identificar a ideia central de um texto; estabelecer relações entre ideia principal e ideias secundárias; inferir o sentido de uma palavra ou expressão, considerando: o contexto e/ou universo temático e/ou a estrutura morfológica da palavra (radical, afixos e flexões); relacionar, na análise e compreensão do texto, informações verbais com informações de ilustrações ou fatos e/ou gráficos ou tabelas e/ou esquemas; relacionar informações constantes do texto com conhecimentos prévios, identificando situações de ambiguidade ou de ironia, opiniões, valores implícitos e pressuposições. Habilidade de produção textual. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua. As questões de gramática serão baseadas em texto(s) e abordarão os seguintes conteúdos: Fonética: acento tônico, sílaba, sílaba tônica; ortoépia e prosódia. Ortografia: divisão silábica; acentuação gráfica; correção ortográfica. Morfologia: estrutura dos vocábulos: elementos mórficos; processos de formação de palavras: derivação, composição e outros processos; classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais, emprego. Sintaxe: teoria geral da frase e sua análise: frase, oração, período, funções sintáticas; concordância verbal e nominal; regência nominal e verbal, crase; colocação de pronomes: próclise, mesóclise, ênclise (em relação a um ou a mais de um verbo). Semântica: antônimos, sinônimos, homõnimos e parônimos. Denotação e conotação. Figuras de linguagem. Pontuação: emprego dos sinais de pontuação.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABAURRE, Maria Luíza; PONTARA, Marcela Nogueira. Coleção base: português - volume único. São Paulo: Moderna.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Nacional.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo: Ática.

INFANTE, Ulisses. Curso de gramática aplicada aos textos. São Paulo: Scipione.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio.

Observação: Para o conteúdo gramatical, a bibliografia indicada serve como sugestão, podendo o candidato recorrer a outras gramáticas que lhe forem mais acessíveis. O candidato poderá recorrer também a livros didáticos adotados nas escolas de Ensino Médio (2.° grau).

MATEMÁTICA

1. Sistemas de numeração. Número primo, algoritmo da divisão. Critérios de divisibilidade; Máximo divisor comum (entre números inteiros); Mínimo múltiplo comum (entre números inteiros). 2. Conjuntos Numéricos: operações: adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e radiciação nos conjuntos numéricos; Propriedades dessas operações; Médias (aritmética e ponderada). Módulo; Desigualdades; Intervalos; Sistemas de medida. 3. Proporcionalidade: razões e proporções: propriedades; Regra de três simples e composta; Percentagem; Juros simples. 4. Relações e Funções: relações binárias; Domínio, contradomínio, imagem direta de funções; Gráficos de relações; Funções: definição e representação; Funções crescentes, decrescentes e periódicas; Função inversa. 5. Números Complexos: módulo, argumento, forma algébrica; Operações com números complexos: adição subtração, multiplicação, divisão e potenciação. 6. Polinômios: conceitos; Funções afins, lineares e quadráticas - propriedades, raízes, gráficos; Equações biquadradas. Adição e multiplicação de polinõmio; Algoritmos de divisão; Fatoração. Equações polinomiais; Relações entre coeficientes e raízes. Raízes reais e complexas; Raízes racionais e polinõmios com coeficientes inteiros. 7. Exponenciais e Logaritmos: funções exponenciais e logarítmicas; propriedades e gráficos. Mudança de base; Equações e inequações exponenciais e logarítmicas. 8. Trigonometria no triângulo retângulo; Funções trigonométricas: seno, cosseno, tangente, cotangente; propriedades e gráficos; Equações trigonométricas. 9. Sequências: progressões aritméticas: termo geral, soma dos termos, relação entre dois termos, propriedades; Progressões geométricas: termo geral, relação entre dois termos, soma e produto dos termos, propriedades. 1o. Análise Combinatória: princípio fundamental da contagem; Arranjos, permutações e combinações simples e com repetições; Binômio de Newton; Triângulo de Pascal. 11. Matrizes e Sistemas Lineares: operações com matrizes: adição, subtração e multiplicação; Propriedades dessas operações; Sistemas lineares e matrizes; Resolução, discussão e interpretação geométrica de sistemas lineares. 12. Geometria Plana: curvas. Ângulos. Triângulos e quadriláteros; Igualdade e semelhança de triângulos. Relações métricas nos triângulos. Círculos e discos; Polígonos regulares e relações métricas; Feixes de retas; Áreas e perímetros. 13. Geometria Espacial: retas e planos no espaço: paralelismo e perpendicularidade entre retas, entre retas e planos e entre planos; Prismas e pirâmides; Cálculo de áreas e volumes; Cilindro, cone, esfera e bola: cálculo de áreas e volumes; Poliedros e relação de Euler. 14. Geometria Analítica: coordenadas cartesianas. Equações e gráficos. Distância entre dois pontos; Estudo da equação da reta: interseções de duas ou mais retas (no plano); Retas paralelas e perpendiculares, feixes de retas; Distância de um ponto a uma reta, áreas de triângulos, circunferências e círculos. 15. Estatística básica: conceito, coleta de dados, amostra; Gráficos e tabelas: interpretação. Média (aritmética simples e ponderada), moda e mediana; Desvio padrão. 16. Probabilidades: espaço amostral; Experimentos aleatórios; Probabilidades.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

KÁTIA & ROKO. Matemática. V. 1, 2, 3. São Paulo: Saraiva, 1995.

PAIVA, Manoel Rodrigues. Matemática. V. 1, 2, 3, São Paulo. 1995. Livros Didáticos do Ensino Fundamental e Médio.

CARGO DE MAGISTÉRIO DE NÍVEL MÉDIO

Professor I (1.° ao 5.° ano do Ensino Fundamental)

PROVAS: Língua Portuguesa e Conhecimentos Específicos

LÍNGUA PORTUGUESA

Leitura, compreensão e interpretação de textos de natureza diversa: descritivo, narrativo, dissertativo, e de diferentes gêneros, como, por exemplo, crônica, notícia, reportagem, editorial, artigo de opinião, texto argumentativo, informativo, normativo, charge, propaganda, ensaio, etc. As questões de texto verificarão as seguintes habilidades: identificar informações no texto; relacionar uma informação do texto com outras informações oferecidas no próprio texto ou em outro texto; relacionar uma informação do texto com outras informações pressupostas pelo contexto; analisar a pertinência de uma informação do texto em função da estratégia argumentativa do autor; depreender de uma afirmação explícita outra afirmação implícita; identificar a ideia central de um texto; estabelecer relações entre ideia principal e ideias secundárias; inferir o sentido de uma palavra ou expressão, considerando: o contexto e/ou universo temático e/ou a estrutura morfológica da palavra (radical, afixos e flexões); relacionar, na análise e compreensão do texto, informações verbais com informações de ilustrações ou fatos e/ou gráficos ou tabelas e/ou esquemas; relacionar informações constantes do texto com conhecimentos prévios, identificando situações de ambiguidade ou de ironia, opiniões, valores implícitos e pressuposições. Habilidade de produção textual. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua. As questões de gramática serão baseadas em texto(s) e abordarão os seguintes conteúdos: Fonética: acento tônico, sílaba, sílaba tônica; ortoépia e prosódia. Ortografia: divisão silábica; acentuação gráfica; correção ortográfica. Morfologia: estrutura dos vocábulos: elementos mórficos; processos de formação de palavras: derivação, composição e outros processos; classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais, emprego. Sintaxe: teoria geral da frase e sua análise: frase, oração, período, funções sintáticas; concordância verbal e nominal; regência nominal e verbal, crase; colocação de pronomes: próclise, mesóclise, ênclise (em relação a um ou a mais de um verbo). Semântica: antônimos, sinônimos, homõnimos e parônimos. Denotação e conotação. Figuras de linguagem. Pontuação: emprego dos sinais de pontuação.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABAURRE, Maria Luíza; PONTARA, Marcela Nogueira. Coleção base: português - volume único. São Paulo: Moderna.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Nacional.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo: Ática.

INFANTE, Ulisses. Curso de gramática aplicada aos textos. São Paulo: Scipione.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio.

Observação: Para o conteúdo gramatical, a bibliografia indicada serve como sugestão, podendo o candidato recorrer a outras gramáticas que lhe forem mais acessíveis. O candidato poderá recorrer também a livros didáticos adotados nas escolas de Ensino Médio (2.° grau).

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - DIDÁTICA

1. O processo de ensino-aprendizagem. 2. Planejamento da prática docente na perspectiva de uma escola crítica. 3. Orientações metodológicas na perspectiva dos Parâmetros Curriculares Nacionais. 4. A relação professor/aluno/conhecimento. 5. A avaliação do processo ensino-aprendizagem. 6. A interdisciplinaridade e o trabalho com projetos no cotidiano das escolas. 7. Saberes necessários à prática educativa.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: 1.ª a 4.ª séries. Brasília: SEF/MEC, 1997. v. 1, 8, 9 e 1o.

CANDAU, Vera. Rumo a uma nova Didática. Parte III p. 93-164. Petrópolis: Vozes, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediação, 2oo1.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

LÍBANO, José C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, C. Cipriano. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 1999.

PERRENOUD, Philippe. Novas competências para ensinar. Capítulos 1 a 5. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

CARGOS DE CURSO TÉCNICO ESPECÍFICO DE NÍVEL MÉDIO - CONFORME O ANEXO I DO EDITAL

Instrumentador Cirúrgico
Técnico em Enfermagem
Técnico em Higiene Dental
Técnico em Informática

PROVAS: Língua Portuguesa e Conhecimentos Específicos

LÍNGUA PORTUGUESA

Leitura, compreensão e interpretação de textos de natureza diversa: descritivo, narrativo, dissertativo, e de diferentes gêneros, como, por exemplo, crônica, notícia, reportagem, editorial, artigo de opinião, texto argumentativo, informativo, normativo, charge, propaganda, ensaio, etc. As questões de texto verificarão as seguintes habilidades: identificar informações no texto; relacionar uma informação do texto com outras informações oferecidas no próprio texto ou em outro texto; relacionar uma informação do texto com outras informações pressupostas pelo contexto; analisar a pertinência de uma informação do texto em função da estratégia argumentativa do autor; depreender de uma afirmação explícita outra afirmação implícita; identificar a ideia central de um texto; estabelecer relações entre ideia principal e ideias secundárias; inferir o sentido de uma palavra ou expressão, considerando: o contexto e/ou universo temático e/ou a estrutura morfológica da palavra (radical, afixos e flexões); relacionar, na análise e compreensão do texto, informações verbais com informações de ilustrações ou fatos e/ou gráficos ou tabelas e/ou esquemas; relacionar informações constantes do texto com conhecimentos prévios, identificando situações de ambiguidade ou de ironia, opiniões, valores implícitos e pressuposições. Habilidade de produção textual. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua. As questões de gramática serão baseadas em texto(s) e abordarão os seguintes conteúdos: Fonética: acento tônico, sílaba, sílaba tônica; ortoépia e prosódia. Ortografia: divisão silábica; acentuação gráfica; correção ortográfica. Morfologia: estrutura dos vocábulos: elementos mórficos; processos de formação de palavras: derivação, composição e outros processos; classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais, emprego. Sintaxe: teoria geral da frase e sua análise: frase, oração, período, funções sintáticas; concordância verbal e nominal; regência nominal e verbal, crase; colocação de pronomes: próclise, mesóclise, ênclise (em relação a um ou a mais de um verbo). Semântica: antônimos, sinônimos, homõnimos e parônimos. Denotação e conotação. Figuras de linguagem. Pontuação: emprego dos sinais de pontuação.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABAURRE, Maria Luíza; PONTARA, Marcela Nogueira. Coleção base: português - volume único. São Paulo: Moderna.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Nacional.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo: Ática.

NFANTE, Ulisses. Curso de gramática aplicada aos textos. São Paulo: Scipione.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio.

Observação: Para o conteúdo gramatical, a bibliografia indicada serve como sugestão, podendo o candidato recorrer a outras gramáticas que lhe forem mais acessíveis. O candidato poderá recorrer também a livros didáticos adotados nas escolas de Ensino Médio (2.° grau).

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS DE CADA CARGO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO

INSTRUMENTADOR CIRÚRGICO

Anestesiologia - Conceito e tipos de Anestesia; Infecção Hospitalar - Prevenção de Infecção no pré, Trans e pós-Operatório; - Centro Cirúrgico - Área física, equipamentos e Recursos Humanos; Tipos de Cirurgias; - Técnicas Assépticas e Metodização Cirúrgica - Passos do Instrumentador Cirúrgico; Posições do Paciente para anestesia e cirurgia; Instrumentação Geral: Posições da Equipe, Montagem da Sala Cirúrgica, Montagem das mesas de instrumental, Instrumental Cirúrgico, Agulhas e Fios de sutura mais comuns, Manutenção e conservação de instrumentais, Curativo e encerramento do ato cirúrgico; Esterilização e Desinfecção - Meios físicos e Químicos; qTerminologia Cirúrgica.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

MARQUES, Ligia Maria Smith e PEPE, Camila Maria Smith. Instrumentação cirúrgica: teoria e técnica. 1ed. Editora: Roca, 2001.

MOURA, Maria Lucia Pimentel de Assis. Enfermagem em Centro de Material e esterilização. 6 ed. São Paulo: Senac, 2003.

SILVA, Maria D'Apparecida Andrade. Enfermagem na Unidade de Centro Cirúrgico. 2 ed. Editora: EPU, 1997.

PARRA, Osório Miguel e SAAD, Willian Abrão. Instrumentação Cirúrgica. 3ed. Editora: Ateneu, 1997.

TÉCNICO EM ENFERMAGEM

Fundamentação básica de enfermagem: prevenção e controle de infecções, sinais vitais, administração de medicamentos, curativos, técnicas de esterilização. Conhecimento de ética e legislação profissional. Enfermagem materno-infantil: aleitamento materno, gravidez, parto e puerpério, assistência à saúde da mulher e criança. Enfermagem em saúde pública: doenças transmissíveis, DST/AIDS, imunizações. Enfermagem médico-cirúrgica. Primeiros Socorros. Assistência de enfermagem ao adulto e ao idoso. Sistema Único de Saúde. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BRASIL, Ministério da Saúde. Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem. Cadernos do Aluno: Fundamentos de Enfermagem. Brasília: Ministério da Saúde, Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2003.

BRASIL, Ministério da Saúde. Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem. Cadernos do Aluno: Saúde do Adulto. Brasília: Ministério da Saúde, Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2003.

BRASIL, Ministério da Saúde. Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem. Cadernos do Aluno: Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. Brasília: Ministério da Saúde, Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2003.

BRASIL, Ministério da Saúde. Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem. Cadernos do Aluno: Saúde Coletiva. Brasília: Ministério da Saúde, Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2003.

BRASIL, Ministério da Saúde. Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem. Cadernos do Aluno: Saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde, Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2003.

COFEN. Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. 1993.

COFEN. Lei do Exercício Profissional de Enfermagem. 1993. Legislação Estadual - Lei n.° 11.802, de 18 de janeiro de 1995. Legislação Federal - Lei n.° 10.216, de 6 de abril de 2001. Brasília - DF.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Processamento de artigos e superfícies em estabelecimentos de saúde. Brasília/DF, 1994.

MUSSI, N.M. et al. Técnicas Fundamentais de Enfermagem. São Paulo/Rio de Janeiro/Belo Horizonte: Ateneu,1996. BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgânica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

TÉCNICO EM HIGIENE DENTAL

Formas anatômicas dos dentes, posições na boca e suas relações recíprocas. Dentições, arcos dentais e maxilas. Dimensão, função e classificação dos dentes. Notação dentária: convencional e FDI. Classificação das cavidades do dente. Etiologia da cárie e cronologia da erupção dentária. Principais patologias da cavidade bucal. Aplicação de métodos de prevenção das doenças bucais, identificando as substãncias utilizadas. Princípios ergonômicos e da segurança do trabalho. Funções e responsabilidades dos membros da equipe de trabalho, dispositivos legais que regem o trabalho do profissional de nível médio na área de saúde bucal. Equipamentos, materiais e instrumental utilizados em uma unidade odontológica. Identificação de estruturas dentais através de radiografias bucais. Noções de administração de uma unidade de trabalho, organização de fluxo, cadastro, arquivo e agendamento de clientes. Ações de atenção e promoção à saúde bucal. Programas específicos na comunidade, identificação dos principais problemas bucais, através dos recursos epidemiológicos e outros instrumentos de diagnóstico. Técnicas de comunicação em grupo, adequadas à educação para a saúde bucal. Código de ética profissional, do Conselho Regional de Odontologia: parte específica para auxiliares odontológicos. Montagem de bandejas para atendimento odontológico: exames, dentística, endodontia, cirurgia, prótese (moldagem), periodontia e outros. Flúor na odontologia. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ANUSAVICE, K. J. Materiais dentários (Anusavice). 10 ed. RJ: Guanabara Koogan, 1998.

BARROS, O. B. Ergonomia 2 - O ambiente de trabalho, a produtividade e a qualidade de vida em Odontologia.

BRASIL. Guia Prático do PSF, MS. 2001.

BRASIL. Lei n.° 8.142, de 28 de dezembro de 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei n.° 8.080/90 - Lei orgânica da saúde, 1990. In: Manual gestor SUS. Rio de Janeiro: Lidador, 1997.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretária de políticas de saúde. Coordenação. Conselho Federal de Odontologia. Código de Ética Profissional. Controle de infecções e a prática odontológica em tempos de aids: manual de conduta. Brasília: Ministério da Saúde, 2000. Nacional de DST e AIDS. Controle de infecções e a prática odontológica em tempos.

PINTO, V. G. Saúde bucal coletiva. 3 ed. São Paulo: Ed. Santos, 2000.

SERRA, Octávio Della. Anatomia Dental. 3 ed. São Paulo, 1981.

TÉCNICO EM INFORMÁTICA

1. Conceitos Fundamentais de Hardware e Software 1.1 Tipos de Computadores. 1.2 Números Binários (Sufixos). 1.3 Estrutura dos Micros Padrão PC: Processador (CPU), Memória Principal (RAM, Cache, ROM), Memória de Massa (secundária),Tipos de Meios de Armazenamento, Princípios Básicos de Armazenamento de Dados (Formatação, Sistema FAT, Particionamento, Boot), Dispositivos de Entrada e Saída (inclusive conectores) 1.4 Software: Conceito e Classificação. 2. Microsoft Windows 2000: Características, Principais Funções, Programas Acessórios, Instalação e Manutenção do Windows, Instalação de Periféricos no Windows (Plug-and-Play ou não), Instalação de Programas no Windows, Requisitos de Sistema, Programas Comerciais, Shareware e Freeware, Licenças de Software, Versões e Registro de Software, Configuração (Painel de Controle), Gerenciador de Arquivos (Windows Explorer). 3. Utilitários (Softwares para Recuperação de Dados, Compactadores, Antivírus, Desfragmentadores de Disco e Softwares de Backup) 3.1 Processador de Texto: Barra de menu e barra de ferramentas, edição de texto; formatação em nível de caractere, parágrafo e documento; outros recursos: tabelas, estilos, gráficos, desenhos, mala direta, índices, modelos, notas de rodapé e figuras. 3.2 Planilha Eletrõnica: Barra de menu e barra de ferramentas; Edição e Formatação de Pastas/Panilhas/Células; Fórmulas, Funções e Gráficos. 3.3 Software de Apresentação: Barra de menu e barra de ferramentas; Edição e Formatação de Slides, Efeitos de Animação e Transição, Botões de Ação, Slide Mestre, Importação/Manipulação de Figuras (Cliparts, Autoformas e Organogramas), Modos de Exibição (Slide, Estrutura de Tópicos, Classificação de Slides, Anotações e Apresentação de Slides). 4. Banco de Dados: Conceitos Básicos e Funcionamento; Barra de menu e barra de ferramentas; Tabelas, Formulários, Consultas e Relatórios. 5. Internet: WWW, E-mail, browser (Internet Explorer 5.5 - Barra de Ferramentas/Menu), FTP, HTML, Chat, News. 6. Algoritmos, Estrutura de Dados e Linguagem de Programação 6.1 Elementos Fundamentais: Tipos Primitivos, Constantes e Variáveis, Expressões Lógicas e Aritméticas, Comandos de Atribuição, Comandos de Entrada e Saída, Blocos, Estruturas de Controle (Estrutura Sequencial, Estrutura de Seleção e Estrutura de Repetição). 6.2 Estruturas de Dados: Variáveis Compostas Homogêneas (Unidimensionais e Multidimensionais), Variáveis Compostas Heterogêneas (Registros, Registro de Conjuntos e Conjunto de Registros), Listas Lineares (Definição, Operações, Representações, Listas com descritor e Listas duplamente encadeadas), Pilhas (Definição e Operações) e Filas (Definição e Operações). 6.3 Modularização de algoritmos: Módulos (procedimentos e funções), Escopo de variáveis, Passagem de Parâmetros e Recursividade. 6.4 Classificação de Dados (Métodos de Classificação Interna, Método de Inserção Direta, Método da Bolha e Método de Seleção Direta. 6.5 Pesquisa de Dados (Pesquisa Sequencial, Pesquisa Binária e Cálculo de Endereço (hashing). Alocação Dinâmica x Alocação Estática. 6.6 Linguagem de Programação: Tipos de Dados, Estrutura de um programa, Comandos de Entrada e Saída, Comandos de Seleção, Comandos de Repetição, Arrays, Subprogramação: (Functions e Procedures), Records e Arquivos. Processo de Compilação e Execução de programas em linguagens estruturadas.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ALBUQUERQUE, Fernando. TCP/IP Internet Programação de Sistemas Distribuídos: HTML, Javascript e Java. Rio de Janeiro: Axcel Books, 2001.

GUIMARÃES; LAGE. Introdução à Ciência da Computação. Rio de Janeiro: LTC, 1985.

MACHADO, F.B.; MAIA, L.P. Introdução à arquitetura de sistemas operacionais. Rio de Janeiro: LTC.

MEYER, Marilyn et al. Nosso Futuro e o Computador. Porto Alegre: Bookman, 2000.

O'BRIEN, J.A. Sistemas de informação e as decisões gerenciais na era da Internet. São Paulo: Saraiva, 2001.

TANENBAUM, A.S. Organização estruturada de computadores. Prentice Hall do Brasil, 2000.

TANENBAUM, A.S. Sistemas operacionais modernos. Guanabara Koogan.

TANEBAUM, Andrew S. Organização estruturada de computadores. Rio de Janeiro: Prentice Hall, 1992.

TANEBAUM, Andrew S. Sistemas operacionais modernos. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

FORBELLONE, André Luiz Villar; EBERSPACHER, Henri Frederico. Lógica de Programação: A construção de Algoritmos e Estruturas de Dados. São Paulo: Makron Books, 2000.

TORRES, Gabriel. Hardware: Curso Completo. Rio de Janeiro: Axcel Books, 1998.

VELLOSO, Paulo et al. Estruturas de Dados. Rio de Janeiro: Campus, 1996.

CARGOS DE CURSO SUPERIOR ESPECÍFICO - CONFORME O ANEXO I DO EDITAL

Advogado Médico (do Trabalho)
Assistente Social Médico (Ginecologista/Obstetra)
Arquiteto e Urbanista Médico (Ortopedista)
Bibliotecário Médico (Pediatra)
Bioquímico Médico (Plantonista)
Contador
Nutricionista
Engenheiro Ambiental Odontólogo
Engenheiro Civil
Psicólogo
Jornalista Supervisor Escolar
Fisioterapeuta Técnico de Desporto Individual e Coletivo (exceto
Fonoaudiólogo futebol)
Médico (Anestesista) Técnico Profissional de Futebol)
Médico (Auditor) Veterinário
Médico (Cirurgião Geral) Professor II - Educação Física
Médico (Clínico Geral)

PROVAS: Língua Portuguesa e Conhecimentos Específicos

LÍNGUA PORTUGUESA

Leitura, compreensão e interpretação de textos de natureza diversa: descritivo, narrativo, dissertativo, e de diferentes gêneros, como, por exemplo, crônica, notícia, reportagem, editorial, artigo de opinião, texto argumentativo, informativo, normativo, charge, propaganda, ensaio, etc. As questões de texto verificarão as seguintes habilidades: identificar informações no texto; relacionar uma informação do texto com outras informações oferecidas no próprio texto ou em outro texto; relacionar uma informação do texto com outras informações pressupostas pelo contexto; analisar a pertinência de uma informação do texto em função da estratégia argumentativa do autor; depreender de uma afirmação explícita outra afirmação implícita; identificar a ideia central de um texto; estabelecer relações entre ideia principal e ideias secundárias; inferir o sentido de uma palavra ou expressão, considerando: o contexto e/ou universo temático e/ou a estrutura morfológica da palavra (radical, afixos e flexões); relacionar, na análise e compreensão do texto, informações verbais com informações de ilustrações ou fatos e/ou gráficos ou tabelas e/ou esquemas; relacionar informações constantes do texto com conhecimentos prévios, identificando situações de ambiguidade ou de ironia, opiniões, valores implícitos e pressuposições. Habilidade de produção textual. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua. As questões de gramática serão baseadas em texto(s) e abordarão os seguintes conteúdos: Fonética: acento tônico, sílaba, sílaba tônica; ortoépia e prosódia. Ortografia: divisão silábica; acentuação gráfica; correção ortográfica. Morfologia: estrutura dos vocábulos: elementos mórficos; processos de formação de palavras: derivação, composição e outros processos; classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais, emprego. Sintaxe: teoria geral da frase e sua análise: frase, oração, período, funções sintáticas; concordância verbal e nominal; regência nominal e verbal, crase; colocação de pronomes: próclise, mesóclise, ênclise (em relação a um ou a mais de um verbo). Semântica: antônimos, sinônimos, homõnimos e parônimos. Denotação e conotação. Figuras de linguagem. Pontuação: emprego dos sinais de pontuação.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABAURRE, Maria Luíza; PONTARA, Marcela Nogueira. Coleção base: português - volume único. São Paulo: Moderna.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Nacional.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo: Ática.

INFANTE, Ulisses. Curso de gramática aplicada aos textos. São Paulo: Scipione.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio.

Observação: Para o conteúdo gramatical, a bibliografia indicada serve como sugestão, podendo o candidato recorrer a outras gramáticas que lhe forem mais acessíveis. O candidato poderá recorrer também a livros didáticos adotados nas escolas de Ensino Médio (2.° grau).

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS DE CADA CARGO DE NÍVEL SUPERIOR

ADVOGADO

DIREITO CONSTITUCIONAL - A Constituição da República Federativa, de 5 de outubro de 1988. Princípios fundamentais: fundamentos e objetivos da República Federativa do Brasil e princípios norteadores das relações internacionais. Direitos e garantias fundamentais: Direitos e deveres individuais e coletivos; Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos políticos; Dos partidos políticos. Da organização do Estado: Organização política administrativa; A União; Os Estados; O Município; O Distrito Federal e Territórios. Da Administração Pública: Disposições gerais e princípios, servidores públicos civis e militares; Da fiscalização contábil, financeira e orçamentária; Da tributação e do orçamento; Do sistema tributário nacional: princípios gerais; Das limitações do poder de tributar, Impostos da União, dos Estados e do Distrito Federal e dos Municípios; Da repartição das receitas tributárias; Das finanças públicas.

DIREITO ADMINISTRATIVO - Administração Pública: Características; Modo de atuação; Regime Jurídico; Poderes e deveres do Administrador Público; Uso e o abuso do poder. Princípios básicos da administração. Personalidade jurídica do Estado: Órgão e agentes públicos; Competência. Poderes Administrativos: Poder vinculado; Poder discricionário; Poder hierárquico; Poder disciplinar; Poder regulamentar; Poder de polícia. Atos Administrativos: Conceito e requisitos; Atributos; Classificação; Espécies; Anulação e revogação. Organização Administrativa: Administração direta e indireta; Centralização e descentralização. Licitações. Contratos Administrativos. Domínio público: Conceito e classificação dos bens públicos; Administração, utilização e alienação de bens públicos; imprescritibilidade; impenhorabilidade e não oneração dos bens públicos; Aquisição de bens pela administração pública; Responsabilidade civil da administração pública. Controle da administração, Tipos e formas de controle, responsabilidade fiscal, controle administrativo, controle legislativo e judiciário.

DIREITO CIVIL - Teoria Geral do Direito Civil: Eficácia da lei no tempo; Eficácia da lei no espaço. Personalidade e capacidade; Das pessoas jurídicas. Dos bens públicos. Dos fatores Jurídicos: do ato Jurídico; do negócio Jurídico; modalidades do ato e negócio Jurídico; do erro; do dolo; da coação; da lesão; da simulação; da fraude contra credores. Da prescrição; Da decadência. Obrigações: Fontes das obrigações; Elementos da obrigação; Efeitos da obrigação; Obrigações e suas classificações: obrigação de dar, fazer e não fazer; obrigações divisíveis e indivisíveis; obrigações alternativas, obrigações objetivamente múltiplas; obrigações subjetivamente múltiplas; obrigações solidárias. Do adimplemento e extinção das obrigações. Do inadimplemento das obrigações. Das várias espécies de contratos. Da responsabilidade civil. Da posse em geral, classificação, aquisição, perda, efeitos da posse, interditos possessórios. Da propriedade: aquisição e perda da propriedade móvel e imóvel. Dos direitos de vizinhança.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL - Código de Processo Civil. Do processo de conhecimento. Do processo de execução. Do processo cautelar. Dos procedimentos especiais.

DIREITO PENAL: Dos crimes contra a administração pública.

DIREITO TRIBUTÁRIO - Sistema Tributário Nacional: competência e limitações; Dos impostos, das taxas, da contribuição de melhoria e das contribuições sociais. Distribuições de receitas tributárias: disposições gerais; Dos fundos de participação dos Estados e dos Municípios. Da obrigação tributária: fato gerador, sujeito ativo e passivo, responsabilidade tributária. Crédito tributário: disposições gerais, constituição, suspensão, exclusão e extinção do crédito tributário, Garantias e privilégios do crédito tributário. Fiscalização. Dívida Ativa. Certidões Negativas.

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL - Lei complementar n. 101, de 4 de maio de 2000.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ANDRADE FILHO, E. O. Direito penal tributário. São Paulo: Atlas, 2004.

BALEEIRO, A. Direito tributário brasileiro. Rio de Janeiro: Forense, 2005.

BONAVIDES, P. Curso de direito constitucional. 15 ed. São Paulo: Malheiros, 2004. Código Civil Brasileiro (Lei. n o. 10.406, de 10 de janeiro de 2002). Código de Processo Civil. Código Penal. Código Tributário Nacional.

COELHO, S. C. N. Curso de direito tributário brasileiro 7. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

DA SILVA. J. A. Curso de Direito Constitucional Positivo. 23 ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

TEODORO JÚNIOR, Humberto, Curso de Direito Processual Civil Vol. I, II, III. Rio de Janeiro: Forense.

MACHADO, H. B. Curso de direito tributário. São Paulo: Malheiros, 2004.

MEIRELLES. E. L., Direito administrativo brasileiro. 29 ed. São Paulo: Malheiros, 2004. MELO. C. A. B., Curso de Direito Administrativo. 17 ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

MONTEIRO, W. B. Curso de Direito Civil. Vol. 1, 3, 4, 5. São Paulo: Saraiva.

MOREIRA. J. C. B. O Novo Processo Civil Brasileiro. Rio de Janeiro: Forense.

PEREIRA. C. M. S. Instituições do Direito Civil. Vol. I, II, III, IV. Rio de Janeiro: Forense.

PIETRO, M. S. Z. Direito administrativo. São Paulo: Atlas, 2004.

RODRIGUES, S. Curso de Direito Civil. Vol. 1, 2, 3, 4, 5. São Paulo: Saraiva.

SANTOS. M. A. Comentários ao Código de Processo Civil. Rio de Janeiro: Forense.

ASSISTENTE SOCIAL

Serviço Social na contemporaneidade: questão social, trabalho profissional, construção de um projeto ético-profissional, transformações societárias, a prática profissional; demandas profissionais. Serviço Social e Seguridade Social: saúde, previdência social, assistência social, organização dos serviços de saúde. Assistência Social e Política Social: organização e gestão das políticas sociais, política brasileira de seguridade social. Serviço Social e Reforma Sanitária: processo histórico, movimento sanitário, serviço social na área da saúde. Ética Profissional: o código e seus princípios fundamentais. LOAS - Lei Orgânica da Assistência Social.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BRASIL. MPAS/SEAS, Política Nacional de Assistência Social, publicada no D.O.U. de 16/4/99.

BRASIL. Presidência da República. Lei Orgãnica da Previdência Social, n.° 8213, de 24/7/91, atualizada e publicada no D.O.U. de 11/4/96.

BRASIL. Presidência da República. Lei Orgãnica da Assistência Social, n.° 8.742, de 7/12/93.

BRAVO, Maria Inês de S. Serviço Social e Reforma Sanitária: lutas sociais e práticas profissionais. 1. ed. São Paulo: Cortez, 1996. Código de Ética Profissional do Assistente Social e Lei de Regulamentação da Profissão (Lei 8.662/93). 3. ed. Brasília: Conselho Federal de Serviço Social, 1997.

GUERRA, Y. A Instrumentalidade do Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1995.

IAMAMOTO, Marilda V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

REVISTA SERVIÇO SOCIAL E SOCIEDADE - Saúde, Qualidade de Vida e Direitos - n.° 74. São Paulo: Ed Cortez, 2003.

REVISTA SERVIÇO SOCIAL E SOCIEDADE - ESPECIAL - Assistência e Proteção Social - n.° 68. São Paulo: Ed. Cortez, 2002.

VASCONCELOS, Ana Maria. A Prática do Serviço Social - cotidiano, formação e alternativas na área da saúde. São Paulo: Cortez.

ARQUITETO E URBANISTA

1. Projetos: arquitetura, instalações elétricas, instalações hidráulicas, instalações sanitárias, estruturas. 2. Análise Orçamentária: orçamento de obras, reajustamentos, quantitativos, licitações e contratos administrativos, utilização de índices de custos. 3. Topografia. 4. Especificação Técnica de materiais e serviços. 5. Tecnologia da Construção. 6. Urbanização. 7. Conforto Ambiental: Acústica, Insolação, iluminação e ventilação. 8. Noções de Cálculo Estrutural. 9. Noções de Resistência dos Materiais. 10. Noções de Mecãnica dos Solos. 11. AutoCAD. 12. Projetos físicos de estabelecimentos de serviços de saúde e da área de produtos.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BAUD, G. Manual de Pequenas Construções. Hemus Ed. S.A., 1998.

CARDÃO, Celso. Técnica da Construção. Vols. I e II. Edições Engenharia e Arquitetura, 1976.

CHING, Francis D. K. e ADAMS, Cassandra. Técnicas de Construção Ilustrada. Bookman Companhia Editora, 2001.

CREDER, Hélio. Instalações Elétricas. Livros Técnicos e Científicos Ed., 1982.

DE MARCO, Conrado Silva. Elementos de Acústica Arquitetõnica. Nobel, 1982. FROTA, Anésia Barros e SCHIFFER, Sueli Ramos. Manual de Conforto Térmico. Nobel, 1988.

LEI FEDERAL N.° 8.666/93, de 21/6/1993, e suas atualizações. LEI FEDERAL N° 4.320/64, de 17/3/1964 e suas atualizações.

MACINTYRE, Archibald Joseph. Instalações Hidráulicas. Livros Técnicos e Científicos Ed., 1996.

MENEGOTTO, José Luis; ARAÚJO, Tereza Cristina Malveira de. O Desenho Digital - Técnica & Arte. Interciência, 2000.

MOLITERNO, Antonio. Caderno de Projetos de Telhados em Estruturas de Madeira. Edgard Blucher Ltda, 1981. 12.

RANGEL, Alcyr Pinheiro. Projeções Cotadas e Desenho Projetivo. Ao Livro Técnico, 1979.

RIVERO, Roberto de. Acondicionamento Térmico Natural da Arquitetura e Clima. D. C. Kuzzatto Ed. Ltda: Ed. da Universidade UFRGS, 1985. RDC n.° 50, de 21/2/2002. Projetos Físicos de Estabelecimentos de Saúde. RDC n.° 307 DE 14/11/2002. Alterações da RDC n.° 50, de 2/2/2002. RDC n.° 189, de 18/7/2003.

REGULAMENTAÇÃO DE ANÁLISE, AVALIAÇÃO DE PROJETOS FÍSICOS.

BIBLIOTECÁRIO

Sistemas de informação: Planejamento e administração de sistemas de informação. Formação e desenvolvimento de acervos: políticas e rotinas de seleção, aquisição e descarte. Usuários: necessidades, hábitos, atendimento. Serviços aos usuários: serviço de referência, disseminação de informação. Automação: tecnologias e suportes de informação; planejamento e manutenção de bancos de dados. Redes e sistemas cooperativos na área de documentação. Instituições ligadas à bibliografia e à documentação em nível nacional e internacional (FID, IBICT, ISO, ABNT, COMUT); Tratamento e recuperação da informação: Descrição bibliográfica: catalogação, normalização. Representação de assuntos: indexação, classificação. Linguagens de indexação: tesauros, sistemas de classificação bibliográfica. Recuperação da informação: recursos, estratégias, avaliação. Controle bibliográfico: recursos e instituições. Fontes de informação especializadas: classificação, suportes, características, uso. O papel do bibliotecário na transferência da informação; Globalização e sociedade da informação; Responsabilidade social e ética do bibliotecário. Processo decisório em bibliotecas.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ALMEIDA, Maria Christina Barbosa de. Planejamento de bibliotecas e serviços de informações. Brasília: Briquet de Lemos, 2000. 112p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6.023: informação e documentação - referências - elaboração. Rio de Janeiro, 2000.

CAMPELLO, B. S. et al. (Org.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

CHAUMIER, J. Indexação: conceito, etapas e instrumentos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 21, n. 1/2, p. 63-79, jan./jun. 1988. CORTE, Adelaide Ramos. Avaliação de softwares para bibliotecas. São Paulo: Polis, 2000.

CUNHA, L. Publicações científicas por meio eletrônico: critérios, cuidados, vantagens e desvantagens. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 2, n. 1, p. 77-92, jan./jun. 1997.

CUNHA, M. B. Construindo o futuro: a biblioteca universitária brasileira em 2010. Ciência da Informação, v.29, n.1, p. 71-89. 2000. . Desafios na construção da biblioteca digital. Ciência da Informação, v.26, n.2, p. 195-213. 1990.

FIGUEIREDO, N. M. Novas tecnologias: impacto sobre a formação de coleções. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 245-254, jul./dez. 1996.

FRANÇA, J. L. et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 5. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

GIGANTE, M. C. Sistemas de classificação bibliográfica como interface biblioteca/usuário. Ciência da Informação, Brasília, v. 25, n. 2, p. 193-196, maio/ago. 1996.

GROGAN, D. A prática do serviço de referência. Brasília: Briquet de Lemos, 1995.

GUIMARÃES, J. A. C. Recuperação temática da informação. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 23, n. 1/4, p. 112-130, jan./dez. 1990.

GOMES, Sônia de Conti. Técnicas Alternativas de Conservação. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

LANCASTER, F. W. Ameaça ou oportunidade? O futuro dos serviços de bibliotecas à luz das inovações tecnológicas. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 23, n. 1, p. 7-27, jun. 1994. . Avaliação de serviços de bibliotecas. Brasília: Briquet de Lemos, 1996.

MAC/EL, Alba Costa. Bibliotecas como organizações. Rio de Janeiro: Interciência, Intertexto, 2000. 96p. . Instrumentos para gerenciamento de bibliotecas. Niterói: EDUF, 1995. 86P.

NAVES, M. M. L. Análise de assunto: concepção. Revista de Biblioteconomia de Brasília, Brasília, v. 20, n. 2, p. 215-226, jul./dez. 1996. NAVES, M. M. L. Considerações sobre gerência de recursos informacionais. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 4, n. 1, p. 49-56, jan./jun. 1999.

SAMPAIO, M. I. C.; MORESCHI, E. B. P. DSI - Disseminação seletiva da informação: uma abordagem teórica. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 23, n. 1/4, p. 38-57, jan./dez. 1990.

SANTOS, A. F.; PAIM, I. A informação nos modelos organizacionais. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 5, n. 1, p. 9-21, jan.Ijun. 2000.

TEIXEIRA, C. M. S.; SCHIEL, U. Internet e seu impacto nos processos de recuperação da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 26, n. 1, p. 65-71, jan./abr. 1997.

VERGUEIRO, W. C. S. Aquisição de materiais de informação. Brasília: Briquet de Lemos, 1995. 118p. VIEIRA, A. da S. Redes de ICT e a participação brasileira. Brasília: IBICT, 1994.

RIBEIRO, Antonia Motta de Castro Memória. AACR2: Anglo­American cataloguing rules, 2 edition: descrição e pontos de acesso. Brasília: Ed. do Autor, 1995. Sites recomendados: IBICT; BIREME; COMUT; UNESCO; Bibliotecas Universitárias (UNIMONTES, UNICAMP, UFMG, USP, UFRJ); CAPES Periódicos; Biblioteca Nacional; Altavista; Todobr; Miner; Submarino; Bibliotecas Digitais; Biblioteca do Congresso dos EEUU; Biblioteca do Vaticano; Livraria Cultura.

BIOQUÍMICO

Análises bioquímicas do sangue, da urina e outros meios biológicos. Compostos nitrogenados não proteicos. Proteínas, lipídeo e seu fracionamento. Glicídios. Provas especiais de exploração da função hepática. Provas especiais de exploração de função renal. Eletrólitos. Correlação de resultados bioquímicos com a fisiopatologia. Bioquímica do líquor. Enzimologia clínica. Biossegurança. Órgãos hematopoiéticos, eritropoese, leucopoiese, fisiopatologia dos eritrócitos. Coagulação sanguínea: mecanismos e provas. Análises hematológicas de rotina laboratorial, hemograma, orientação interpretativa dos resultados. Estudos das anemias, leucemias e síndromes hemorrágicas. Bases gerais da resposta imunológica. Características e mecanismos funcionais das células e órgãos de defesa, dos anticorpos, do sistema complemento, das citocinas. Ativação dos linfócitos. Imunologia aplicada: hipersensibilidades, autoimunidade, tumores, imunodeficiências, imunoprofilaxia. Principais reações sorológicas na rotina de imunologia clínica: fixação do complemento, soroaglutinação, hemaglutinação, neutralização, precipitação, imunofluorescência e ensaios imunoenzimáticos, técnicas e métodos de diagnóstico. Infecções bacterianas de interesse clínico. Morfologia, patogenia, metabolismo e aspectos relacionados às bacterias que influenciam na sua virulência. Métodos para isolamento e identificação dos principais agentes causadores de infecções a partir de diversos materiais biológicos, dando ênfase nos agentes bacterianos. Estudo dos protozoários e helmintos: ciclo evolutivo, morfologia, patogenia e diagnóstico. Colheita e conservação do material biológico. Preparo de reativos e corantes. Métodos específicos que permitam o diagnóstico laboratorial de protozoários intestinais, teciduais, sanguíneos e helmintos. Coprológico funcional. Exame físico-químico e sedimentoscopia qualitativa e quantitativa da urina. Controle de qualidade em análises clínicas. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABBAS, A. K.; LICHTMAN, A. H.; POBER, J. S. Imunologia Celular e Molecular. 4. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2002.

CALICH, V.; VAZ, C. Imunologia. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.

DE CARLI, G. A. Parasitologia clínica: seleção de métodos e técnicas de laboratório para o diagnóstico das parasitoses humanas. São Paulo: Atheneu, 2001. 810p.

DEFFUNE, E., MACHADO, P.E.A. Normas de biossegurança para as áreas hospitalar e laboratorial - Parte I. News Lab, 1995. Vol. 13, p. 32-4.

DEVLIN, T.M. Manual de bioquímica com correlações clínicas. 4. ed. São Paulo: Edgard Blucher, 1998. 1007 p.

FAILACE, R. Hemograma: manual de interpretação. Porto Alegre: Artes Médicas,1995.

FERREIRA, A.W.; ÁVILA, S. Diagnóstico laboratorial das principais doenças infecciosas e autoimunes. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

HOFFBRAND, A.V.; PETTIT, J.E. Hematologia clínica ilustrada. São Paulo: Manole, 1991.

JAWETZ, E.; BROOKS, G.; MELNICK,J., BUTEL, J., ADELBERG, E., ORNSTON, N. Microbiologia médica. 18.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

KANOUN, P. Manual de exames de laboratório. São Paulo: Atheneu, 1990.

LIMA, A. O; SOARES, J.B.; GRECO, J.B.; GALIZZI, J.; CANÇADO, J.R. Métodos de laboratório aplicados à clínica: técnica e interpretação. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1985.

MINS, C. et al. Microbiologia médica. 2. ed. São Paulo: Manole, 2000.

MOURA, R.A. A; WADA, C.S.; PURCHIO, A.; ALMEIDA, T.C. Técnicas de laboratório. 3. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 1987.

NEVES, D. P. Parasitologia humana. 10. ed. São Paulo: Atheneu, 2000. 428 p.

RAVEL, R. Laboratório clínico: aplicações clínicas dos dados laboratoriais. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

STRASINGER, S.K. Uroanálise e fluidos biológicos. 3. ed. São Paulo: Premier, 1995.

THOMAS, G. R. L. Hematologia clínica de Wintrobe. 9. ed. Buenos Aires: Inter Médica, 2.v.1998.

TORTORA, G. J.; FUNKE, B. R.; CASE, C. L. Microbiologia. 6. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000. 827 p.

VALLADA, E.P. Manual de técnicas hematológicas. Rio de Janeiro: Atheneu, 1999.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgânica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

CONTADOR

1. Contabilidade Pública: Conceitos gerais; Campo de aplicação; Regimes contábeis; Técnicas de registro e de lançamentos contábeis; Plano de contas; Balanço orçamentário, financeiro e patrimonial; Demonstração das variações patrimoniais. 2. Orçamento Público: Conceitos gerais; Processo de planejamento; Princípios; Ciclo orçamentário; Orçamento por programas. 3. Receita Pública: Conceito; Classificação; Estágios; Escrituração contábil; Dívida ativa. 4. Despesa Pública: Conceito; Classificação; Licitação; Estágios. 5. Restos a Pagar. 6. Dívida Pública. 7. Regime de Adiantamento: Conceito; Finalidades; Controle dos adiantamentos. 8. Patrimônio Público: Conceito; Bens, direitos e obrigações das Entidades Públicas; Variações patrimoniais; Variações ativas e passivas. 9. Créditos Adicionais: Conceito; Classificação; Autorização e abertura; Vigência; Indicação e especificação de recursos. 10. Fundos. 11. Lei de Responsabilidade Fiscal, Portaria n.° 577/08 da Secretaria do Tesouro Nacional - STN. Lei Federal n.° 10.028/2000. 12. Prestação e tomada de contas. 13. Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público. 14. Portaria do Ministério do Orçamento e Gestão n.° 42, de 14 de abril de 1999; Portaria Interministerial n.° 163, de 4 de maio de 2001, do Secretário do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda e do Secretario de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão. Portaria n.° 564, de 27 de outubro de 2004, da Secretaria do Tesouro Nacional - STN. Manuais de Receita Nacional do Ministério da Fazenda e da Secretaria de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

AGUILAR, A. M. et al. Planejamento governamental de municípios: plano plurianual, Lei de diretrizes orçamentárias e lei orçamentária anual. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

AMORIM, F. A. et al. Lei de responsabilidade fiscal para os municípios: uma abordagem prática. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

ANDRADE, N. A. Contabilidade pública na gestão municipal. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

ANGÉLICO, J. Contabilidade pública. 8 ed. São Paulo: Atlas, 1994.

CRUZ, Flávio et al. Lei de responsabilidade fiscal comentada: Lei Complementar n° 101, de 4 de maio de 2000. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

KOHAMA, H. Contabilidade pública: teoria e prática. 10 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MEIRELLES, Hely Lopes. Licitação e contrato administrativo. 14 ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2007.

PISCITELLI, R. B. et al. Contabilidade pública: uma abordagem da administração financeira pública. 10 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

SILVA, L. M. Contabilidade governamental: um enfoque administrativo. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2004.

SLOMSKI, V. Manual de contabilidade pública: um enfoque na contabilidade municipal. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2003. Normas brasileiras de contabilidade aplicadas ao setor público. (www.cfc.org.br). Lei Complementar n° 101/2000 (atualizada). Lei n° 4.320/64 (atualizada). Lei n° 8.666/93 e suas alterações (atualizada). Lei Federal n° 10.028/2000 (atualizada). Portaria n.° 577/08 da Secretaria do Tesouro Nacional - STN. Portaria do Ministério do Orçamento e Gestão n° 42, de 14 de abril de 1999. Portaria Interministerial n° 163, de 4 de maio de 2001, do Secretário do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda e do Secretario de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão. Portaria n° 564, de 27 de outubro de 2004, da Secretaria do Tesouro Nacional - STN. Manuais de Receita Nacional do Ministério da Fazenda e da Secretaria de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

ENGENHEIRO AMBIENTAL

1. Recursos naturais: Utilização dos recursos naturais, desenvolvimento econômico e degradação ambiental. Desenvolvimento sustentável. 2. Impactos ambientais: conceituação. Fatores ambientais. Metodologias de análise de impacto ambiental. Significado da adoção de medidas mitigadoras. 3. Saneamento e Planejamento urbano. 4. Gestão dos recursos hídricos. 5. Meio ambiente e energia. 6. Poluição hídrica: conceito, controle, aspectos técnicos e legais. 7. Resíduos sólidos: classificação, quantificação e qualificação. Minimização, Acondicionamento, Reciclagem, Tratamento e Disposição. 8. Poluição atmosférica: Poluição local e global. Principais poluentes. Índices de qualidade do ar. Controle de poluição. 9. Recuperação de áreas degradadas: bases teóricas e manejo de ecossistemas. Recuperação de áreas degradas: urbanas e agrícolas. 10. Gerenciamento ambiental: sistemas de gestão, controle de poluição, aspectos legais e institucionais.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

AZEVEDO NETTO, J. M. de; HESS, M. L. Tratamento de águas residuárias. São Paulo, 1970.

BARROS, Raphael T. de V. et al. Saneamento, Manual de saneamento e proteção ambiental para os municípios - Escola de Engenharia da UFMG, Belo Horizonte, 1995.

BEZERRA, M.C.L. Planejamento e gestão ambiental: Uma abordagem do ponto de vista dos instrumentos econõmicos. São Paulo, 1996. Tese (Doutorado) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo.

BIDONE, F.R.A.; POVINELLI, J. Conceitos básicos de resíduos sólidos. São Carlos: EESC/USP, 1999.

BRAGA, JR.B.P.F. Introdução à engenharia ambiental. São Paulo: Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária da Escola Politécnica da USP, 1994. Apostila.

CASTOR, B.V.J. Criando condições institucionais adequadas e políticas ambientais eficazes. In: Cadernos FUNDAP. Política ambiental e gestão dos recursos naturais. n° 20, São Paulo: FUNDAP, 1996.

CAVALCANTI, R.N. Instrumentos reguladores y econômicos utilizados para la gestión ambiental. In: CAVALCANTI, R.N. (coord.) et al. Aspectos geológicos de protección ambiental. Montevideo, ORCYTIUNESCO, 1995.

CEPAM. Fundação Prefeito Faria Lima.

CORSON, Walter H. Manual Global de Ecologia. São Paulo. Augustus.

JORDÃO, E. P. & PESSOA, C.A. Tratamento de esgotos domésticos. São Paulo: CETESB.

LEME, Francilio Paes. Engenharia do Saneamento Ambiental. Rio de Janeiro: LTC.

MCKINNEY, Ross E. Microbiologia para engenheiros sanitaristas. New york: MacGraw-HILL, 1962.

MOTA, Suetõnio. Preservação e conservação de recursos hídricos - 2. ed. Ver. e atualizada. Rio de Janeiro: ABES, 1995, 200p.

NUNES, José Alves. Tratamento Físico-Químico de Águas Residuárias Industriais - 2. ed. (revista e complementada). Aracaju: Gráfica Editora J. Andrade, 1996.

PELCZAR, Michael J.; REID, Roger. Microbiologia, 2. ed. MacGraw-Hill, 1977.

RAMALHO,R.S. Introduction to Wastewater Treatment Processes.

New York. SAWYER, Clair N. MacCarty, Perry L. Chemistry for Sanitary Engineers. New York: MacGraw Hill, 1966.

SENRA, Manuel O. Análises Físico-Químicas para controle de Estações de Tratamento de Esgotos.

CETESB, 1977. SILVA, J.A. Direito urbanístico brasileiro. 2. ed. São Paulo: Malheiros Editores LTDA, 1995.

VALLE, Cyro Eyer. Qualidade Ambiental: o desafio de ser competitivo protegendo o meio ambiente. São Paulo: Pioneira.

ENGENHEIRO CIVIL

Relacionamento sistêmico entre os diversos projetos do edifício: especificações técnicas, memorial descritivo, coordenação e interferências entre os projetos de arquitetura, estrutura e instalações. Planejamento e controle de obra: conceituação básica de planejamento e controle de obras, cronogramas físico-financeiros (análise). Canteiro de obras: planejamento do canteiro de obras, programação e controle de produção (controle de qualidade), desmontes, movimentos de terra (corte e aterro), equipamentos e ferramentas usuais, contenção e proteção de taludes. Locação da obra: processos e verificações. Alvenarias: alvenaria de tijolos cerãmicos (tipo de paredes, argamassa de assentamento, técnica de assentamento dos tijolos nas alvenarias, cintas e vergas, cunhamento das paredes), alvenaria de blocos de concreto, (blocos e materiais de assentamento, processos construtivos), alvenarias especiais. Esquadrias: função e composição, esquadrias de madeira (generalidades, especificações, técnicas de fixação, recomendações); esquadrias metálicas (generalidades, especificações, técnicas de fixação, recomendações); vidros: tipos e técnicas de colocação. Revestimentos: função, revestimento de paredes e tetos - tipos de técnicas de execução. Pavimentação (pisos) - tipos e técnicas de execução, juntas e arremates. Coberturas; tipos de telhado, tipos de telhas, nomenclaturas das tesouras, impermeabilidade das lajes, tratamento térmico e acústico. Pintura: função, processamento da pintura, tipos e técnicas das pinturas mais comuns (cal, gesso, óleo, plásticas). Orçamentos: conceitos básicos, modalidade de orçamento, cálculo das qualidades, custos ou preços unitários de serviços, formulação do preço, reajustamento do preço, medições práticas e acompanhamento da obra. O concreto de cimento portland - dosagem e controle tecnológico. Conceitos de Tensão e Deformação. Critérios das Normas Brasileiras. Execução de estruturas de concreto armado em edifícios: forma, ferragens e instalações (características, materiais e processos); forma convencional de madeira (diferentes elementos estruturais); armaduras (aços para armaduras, montagem dosagem do concreto, obtenção do concreto, transporte, lançamento, adesamento, cura), retirada da forma e do escoamento. Execução de estruturas de concreto armado em edifícios: concretagem e desforma: concretagem (planejamento de concretagem, dosagem de concreto, obtenção de concreto, transporte, lançamento, adensamento, cura), retirada das formas e do escoamento. Sondagem de reconhecimento do subsolo: generalidades, objetivos, métodos de sondagem (especificações). Fundações diretas para edifícios (tipos e técnicas construtivas), alicerce corrido (tipos e técnicas construtivas), blocos (tipos e técnicas construtivas) e tubulões (tipos e técnicas construtivas), vigas baldrames, impermeabilização nos alicerces e baldrames, controle executivo. Fundações indiretas para edifícios: tipos e técnicas construtivas; estacas: tipos e técnicas construtivas, blocos de transição: objetivos e técnicas construtivas; controle executivo. Terminologia e dimensionamento das instalações de água fria, quente e gelada. Instalações especiais: ar-condicionado, alarme, para-raios, incêndios incineradores. Dimensionamento dos diâmetros de recalque e de sucção; Licitações e contratos: legislação específica para obras de engenharia civil; participação em comissões de licitação; análise de contratos para execução de obras. Vistoria e elaboração de pareceres.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABNT NBR 6.118:2003 - Projeto de estruturas de concreto - Procedimento, Rio de Janeiro, RJ, 2003.

FALCÃO BAUER, L.A. Materiais de Construção. Vol 2. São Paulo: Editora LTC, 1999.

FIORITO, A. J. S. I. Manual de Argamassas e Revestimentos: Estudos e Procedimentos de Execução. São Paulo: P/NI, 1994.

LIMMER, C. V. Planejamento, orçamentação e Controle de Projetos e Obras. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1996.

METHA, P.K.; MONTEIRO, P.J.M. Concreto: Estrutura, Propriedades e Materiais. São Paulo: PINI, 1994.

NEVILLE, A.M. Propriedades do Concreto. São Paulo: Editora Pini, 1989. RIPPER E. Como Evitar Erros na Construção. São Paulo: PINI.

VIANNA, M.R. Instalações hidráulicas prediais. Belo Horizonte: Imprimatur, 1998. 360p.

JORNALISTA

MÍDIA ESCRITA: Normas técnicas de redação e estilo; Técnicas de entrevista e reportagem; A notícia em jornalismo impresso; Os componentes subjetivos e objetivos da profissão de jornalista; Códigos de ética, normas e leis; Técnicas de redação em assessoria de imprensa; O planejamento, as políticas, os planos e estratégias em assessoria de imprensa; Organização de entrevistas; O controle da informação em assessoria de imprensa; Elaboração de materiais em assessoria de imprensa. Normas, leis e ética jornalística; Captação, tratamento, redação, edição e apresentação de notícias e de reportagens radiofõnicas; Gêneros radiofônicos e a entrevista no rádio.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BAHIA, Juarez. Jornal, História e Técnica. São Paulo: Ática. 1990.v. I e II.

CORRADO, Frank M. A Força da Comunicação. São Paulo: Makron Books, 1994.

DINES, Alberto. O papel do jornal: uma releitura. São Paulo: Summus Editoral, 1996.

HENN, Ronaldo. Pauta e notícia. Canoas: Ulbra, 1996.

KROPPLIN, Elisa e FERRARETTO, Luiz Artur. Assessoria de Imprensa: teoria e prática. Porto Alegre: Sagra - DC Luzzatto, 1993.

RÜDIGER, Francisco. Tendências do Jornalismo. Porto Alegre: Universidade, 1993.

SODRÉ, Munis & FERRARI, Maria Helena. Técnica de reportagem: notas sobre a narrativa jornalística. São Paulo: Summus Editorial, 1986.

ANDRÉ, Alberto. Ética e códigos da Comunicação Social. Porto Alegre: ARI-Sagra-DC Luzzatto, 1994.

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS. Manual de assessoria de imprensa. São Paulo, 1986.

FERRARETTO, Luiz Artur. Rádio o veículo, a história e a técnica. Porto Alegre: Sagra-Luzzatto, 2000.

FERRARETTO, Luiz Artur e KOPPLIN. Elisa. Assessoria de Imprensa: Teoria e Prática. Porto Alegre: Sagra-Luzzatto, 2000.

FISIOTERAPEUTA

Avaliação do paciente. Medida da função musculoesquelética. Reabilitação cardiorrespiratória. Órteses. Próteses. Meios físicos em reabilitação. Reabilitação do paciente amputado. Reabilitação do Aparelho Osteoarticular. Reabilitação do Politraumatizado. Reabilitação nas Lesões de Partes Moles. Reabilitação na Osteoporose. Reabilitação na Artrite Reumatoide. Reabilitação nas Alterações Posturais e Algias vertebrais. Reabilitação em Hemiplegia. Paralisia cerebral e tratamento de reabilitação. Lesão medular e reabilitação. Tratamento Fisioterápico na Lesão Nervosa Periférica. Abordagem fisioterápica nas distrofias musculares. Abordagem fisioterápica nos distúrbios osteomusculares relacionados com o trabalho e reabilitação. Reabilitação do idoso. Exercício e qualidade de vida. Prevenção das infecções em serviços de reabilitação. Reabilitação na arteriopatia dos membros inferiores, alterações do retorno nenoso e linfático.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BRUNNSTRON - Cap. 9. Ed. Manole Ltda., 5. ed, 1997.

CAROLYN KISNERILYNN COLBY - Exercícios Terapêuticos. Ed MANOLE, 1998.

CASH - Fisioterapia em ortopedia e reumatologia. Ed. Panamericana, 1984.

DE LISA - Medicina de Reabilitação-Principios e Práticas. Ed. MANOLE, 1992.

EMC-Kinesiterapia. Medicina Física, 2002. HOPPENFELD - propedêutica Ortopédica, Coluna e extremidades. Ed. Atheneu, 1995.

JANICE K. LOUDONI STEPANIA L. BELLI JANE M JOHNSTON - Guia Clínico de Avaliação Ortopédica. MANOLE, 1999.

KRUSEN. Tratado de Medicina Física e Reabilitação. MANOLE, 1984.

LIANZA, S. Medicina De Reabilitação 3. ed. Guanabara Koogan, 2001.

MCARDLE - Fisiologia do Exercício. 3. ed. Guanabara Koogan, 1992.

NABIL GHORAYEB-TURÍBIO BARROS. O Exercício Atheneu, 1999.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

O' SULLIVAN, SUSAN B. - Fisioterapia Avaliação e Tratamento. Ed. Manole Ltda., 1993, 2. ed.

FONOAUDIÓLOGO

Área: Linguagem - Desenvolvimento da linguagem oral na criança. Desenvolvimento da linguagem escrita. Fundamentos da Linguística. Atuação fonoaudiológica nos Distúrbios de Linguagem Escrita. Atuação Fonoaudiológica relacionada às lesões cerebrais. Atuação fonoaudiológica relacionada à terceira idade. Área: Voz - Desenvolvimento da Fonação. Avaliação perceptual e acústica da voz. Atuação fonoaudiológica nas disfonias funcionais. Atuação fonoaudiológica nas disfonias presentes na infãncia e terceira idade. Atuação fonoaudiológica nas disfonias neurológicas. Atuação fonoaudiológica nas paralisias laríngeas. Atuação fonoaudiológica nas alterações estruturais mínimas da laringe. Atuação fonoaudiológica em estética vocal. Atuação fonoaudiológica nas sequelas de cirurgia de cabeça e pescoço. Área: Motricidade Oral - Desenvolvimento do sistema sensório motor oral. Desordens miofuncionais orais nas funções estomatognáticas. Desordens miofuncionais orais nas disfunções de articulação Temporomandibular. Desordens miofuncionais orais nas doenças neuromusculares. Desordens miofuncionais orais em RN e alto risco. Desordens miofuncionais orais em fissura lábiopalatina. Desordens miofuncionais orais em paralisia cerebral. Disfagias neurogênicas. Exames complementares em motricidade oral. Legislação - Resolução C.F.Fa. n° 309/2005 (dispõe sobre a Atuação do Fonoaudiólogo na Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio, Especial e Superior, e dá outras providências). Lei n° 10.436/2002 (dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras - e dá outras providências).

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ALBERNAZ, P. L. M. Otorrinolaringologia para o Clínico Geral.

ALTMANN, E.B.C. Fissuras Labiopalatinas. São Paulo: Pró-Fono, 1994.

ANDRADE, C. F. Fonoaudiologia em Berçário Normal e de Risco. São Paulo: Lovise, 1996.

COLTON, R.H.; CASPER, J.K. Compreendendo os Problemas de Voz: Uma perspectiva fisiológica ao diagnóstico e ao tratamento. Porto Alegre: Artes Médicas Editora, 1996.

FURKIN, A. M.; SANTINI C.S. Disfagias Orofaríngeas. São Paulo: Pró-Fono, 1996.

MARCHESAN, I.Q. Fundamentos em Fonoaudiologia: Aspectos Clínicos da Motricidade Oral. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

PETRELLI, E. (Coordenador). Ortodontia para Fonoaudiologia. Curitiba: Lovise, 1992.

PINHO, S.M.R. Fundamentos em Fonoaudiologia: Tratando os Distúrbios da Voz; Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

PINHO, S.M.R. Tópicos em Voz. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2001. São Paulo. Byk Editora, 1997. O bs.: As legislações citadas no Programa poderão ser encontradas no site www.fonoaudiologia.org.br.

MÉDICO (ANESTESISTA)

Avaliação pré-anestésica; Monitorização peroperatória; Manejo de vias aéreas; Anestesia Ambulatorial; Anestesia Obstétrica; Anestesia em Urgência; Anestesia Pediátrica; Distúrbios Hidroeletrolíticos; Distúrbios ácido-base; Complicações anestésicas; Fisiopatologia da dor; Anestesia nas endocrinopatias; Anestesia para radiologia intervencionista e diagnóstica. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BARASH, P.G., CULLEN, B.F., STOELTING, R.K. Clinical anesthesia. 5th ed, Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2005.

MORGAN Jr., G.E.; MIKHAIL, M.S.; MURRAY, M.J. Clinical anesthesiology. 4th ed. New York: Lange Medical BooksIMcGraw-Hill, 2006.

PIRES DE MORAES, R. Anestesia no trauma. Sociedade de Anestesiologia de Minas Gerais, 2006.

SHNIDER AND LEVINSON'S. Anesthesia for obstetrics. 4th ed, Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2002.

YAMASHITA, A. M.; TAKAOKA, F.; AULER Jr., J.O.C. et al. Tratado de anestesiologia. SAESP, São Paulo: Atheneu, 2006. BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgãnica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990

MÉDICO (AUDITOR)

Auditoria em saúde: conceito, histórico, objetivos. Contextualização nos processos de gestão dos serviços de saúde. Princípios básicos e fundamentos do processo de auditoria. A saúde como direito do cidadão e dever do estado. Políticas de saúde. Ética e Legislação. Auditoria Hospitalar. Auditoria Médica nos Planos e Seguros de Saúde. Perícia e Auditoria Médica. A Visão do Consultor em Auditoria Médica. Medicina de Grupo e Auditoria na cobrança de Honorários Médicos. Auditoria em Materiais e Medicamentos. Auditoria em Equipamentos Médicos Hospitalar. Auditoria no SUS - Sistema Único de Saúde. Metodologia de pesquisa aplicada à Auditoria Médica.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução n.° 1931/2009. Aprova o Código de Ética Médica.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução n.° 1614/2001. Trata da responsabilidade do Médico no exercício de auditoria. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988.

BRASIL. Sistema Único de Saúde: Lei Federal n.° 8.080 de 19/09/1990 e Lei Federal n.° 8.142 de 28/12/1990.

BRASIL. Norma Operacional da Assistência a Saúde/SUS - NOAS-SUS de 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Sistema Nacional de Auditoria. Auditoria do SUS: Orientações Básicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/index.cfm/?portal =pagina.visualizarArea&codArea=11. BRAS/L. Ministério de Saúde. Departamento Nacional de Auditoria do SUS. Orientações Técnicas sobre Auditoria na Assistência Ambulatorial e Hospitalar. Brasília, 2005. http://portalsaude.saude.gov. br/portalsaude/index.cfm/?portal=pagina.visualizarArea&codArea=11. Manual Técnico Operacional do Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS - S/GTAP, versão WEB, Volume /, 61 Páginas. BRASIL. Ministério da Saúde - Secretaria de Atenção à Saúde. Manual Técnico Operacional do Sistema de Informações Hospitalares. Orientações Técnicas. Versão 01.2011. 119 Páginas.

MÉDICO (CIRURGIÃO GERAL)

Atendimento clínico nas urgências cirúrgicas; Interpretação dos sinais e sintomas em cirurgia de urgência; Propedêutica da dor abdominal; Exames complementares básicos em cirurgia; Métodos de imagem nas cirurgias abdominais; Punção abdominal; Distúrbios hidroeletrolíticos e ácido-básicos; Uso de antibióticos em cirurgia; Avaliação clínica do paciente cirúrgico; Controle per e pós-operatório; Traqueostomia, estomias, drenagens, paracentese; Cateterismo venoso central; Cuidados a serem dispensados a pacientes vítimas de pequenas lesões; Abdome agudo; Úlcera cloridropéptica, íleos; Apendicite aguda, litíase biliar, colecistite aguda; Derrames pleurais; Doenças clínicas que simulam abdome agudo cirúrgico; Politraumatizado: abordagem inicial, primeiros socorros; Cânceres do aparelho digestório; hérnias da parede abdominal; tromboembolismo; doenças da tireoide e paratireoide; tumores endócrinos abdominais. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

DOHERTY, G.M., LOWEY JK; MASON JE; REZNICK SI; SMITH MA. Washington. Manual de cirurgia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

FAHEL E; SAVASSI-ROCHA PR. Abdome agudo não traumático. Rio de Janeiro: MedBook, 2008.

FONSECA FP; SAVASSI-ROCHA PR. Cirurgia ambulatorial. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1999.

FREIRE, E. Trauma. A doença dos séculos. Rio de Janeiro: Atheneu, 2001.

PAULA CASTRO, L. e COELHO LCV Gastroenterologia. Rio de Janeiro: MEDSI, 2004.

RODRIGUES MAG; CORREIA MITD; SAVASSI-ROCHA PR. Fundamentos de clínica cirúrgica. Belo Horizonte: Coopmed, 2006.

SABINSTON JR., D.C. Tratado de cirurgia. 15. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

VINHÁES, J.C. Clínica e terapêutica cirúrgicas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

WAY, LW. Cirurgia, diagnóstico e tratamento. 11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgãnica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

MÉDICO (CLÍNICO GERAL)

Hipertensão arterial sistêmica; Arritmia cardíaca; Insuficiência coroniana aguda; Infarto agudo do miocárdio; Tromboembolismo - embolia pulmonar aguda; Insuficiência cardíaca; Hepatites virais; Doenças de Chagas; Esquitossomose Mansoni; Leishmaniose - cutãnea e visceral; Síndrome de imunodeficiência humana adquirida; Tuberculose pulmonar; Raiva; Ofidismo; EscorpionismoIaracneísmo; Insuficiência hepática; Insuficiência renal aguda; Distúrbios hidroeletrolíticos e ácido básico; Diabetes Melitus; Hipertireoidismo; Hipotireoidismo; Doenças cloridopépticas; Doenças inflamatórias intestinais; Icterícias; Neoplasias pulmonares; Insuficiência respiratória aguda; Asma brõnquica; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Câncer gástrico; Micoses pulmonares. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

CECIL. Tratado de Medicina Interna - Volumes 1 e 2, 22. ed; - Editora Elvesier: 2005.

NEVES David Pereira. Parasitologia Humana - 11. ed. Editora Atheneu: 2005.

HARRISON. Medicina Interna - 15. ed. - Editora McGraw Hill Interamericana do Brasil: VERONESI, Ricardo. Tratado de Infectologia - Volumes 1 e 2. - Editora Atheneu: 1996.

HINRICHSEN, Silvia Lemos. Doenças Infecciosas e Parasitárias. Editora Guanabara Koogan: 2005.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgãnica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

MÉDICO (DO TRABALHO)

Aspectos históricos da medicina do trabalho; Organização da atenção à saúde do trabalhador; Acidente do trabalho; Ética médica em saúde do trabalhador; Toxicologia. Agentes químicos e intoxicação ocupacional; Dermatoses ocupacionais; Doenças respiratórias ocupacionais; PAIRO - Perda Auditiva Induzida por Ruído Ocupacional; DORT - Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho. Legislação relacionada à saúde do trabalhador: Lei Federal n° 8.213, de 24 de julho de 1991; Decreto n° 3.048, de 6 de maio de 1999; Portaria Federal n° 3.908/GM-MS, de 30 de outubro de 1998; Portaria Federal n° 3.120/GM-MS, de 1° de julho de 1998; Portaria Federal n° 1.339/GM-MS, de 18 de novembro de 1999; Portaria 3214/78 (Segurança e Medicina do Trabalho). Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

FERREIRA Jr., M. (Ed.) - Saúde no Trabalho: Temas Básicos Para o Profissional que Cuida da Saúde dos Trabalhadores. São Paulo, Roca, 2000. MENDES, R. (Ed.) - Patologia do Trabalho. 2. ed. 2 vols. Rio de Janeiro.

COUTO, H. A. - Como Implantar Ergonomia na Empresa. Belo Horizonte: ANAMT - Sugestões de Condutas Médico-Administrativas. Belo Horizonte: ANAMT, 2001-2003. - Código de Conduta do Médico do Trabalho.

ANAMT: Belo Horizonte, 1995. [Disponível no site www.anamt.org.br]. Atlas (Comp.) - Segurança e Medicina do Trabalho. 53 ed. São Paulo: Atlas, 2003. [Manuais de Legislação Atlas, 16]. Lei Federal n° 8.213, de 24 de julho de 1991. - Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. [Disponível no site do Ministério da Previdência e Assistência Social: www.previdenciasocial.gov.br e em coletãneas de legislação previdenciária]. Brasil. Decreto n° 3.048, de 6 de maio de 1999 - Regulamento da Previdência Social. [disponível no site do Ministério da Previdência e Assistência Social: www.s.gov.br e em coletãneas de legislação previdenciária]. Brasil. Portaria Federal n° 3.908/GM-MS, de 30 de outubro de 1998. - Aprova a Norma Operacional de Saúde do Trabalhador - NOST [Disponível no site do Ministério da Saúde: www.saude.gov.br e em coletãneas de legislação da saúde]. Brasil. Portaria Federal n° 3.120/GM-MS, de 1° de julho de 1998. - Aprova a Instrução Normativa Para a Vigilãncia em Saúde do Trabalhador. [Disponível no site do Ministério da Saúde: www.saude.gov.br e em coletãneas de legislação da saúde]. Brasil. Portaria Federal n° 1.339/GM-MS, de 18 de novembro de 1999 - Institui a Lista de Doenças Relacionadas ao Trabalho, a ser adotada como referência dos agravos originados no processo de trabalho, no Sistema Único de Saúde, para uso clínico e epidemiológico, constante no Anexo I desta Portaria. [Disponível no site do Ministério da Saúde: www.saude.gov.br, e em coletãneas de legislação da saúde]. CFM. Conselho Federal de Medicina - Resolução 1.488/98 - Atribui Responsabilidades aos Médicos que Prestam Assistência Médica ao Trabalhador, Independentemente de Sua Especialidade ou Local em que Atuem. Brasília: CFM, 1998. [Disponível no site do CFM e da Anamt].

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgãnica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

MÉDICO (GINECOLOGISTA/OBSTETRA)

Ginecologia: Anatomia do trato genital feminino; Fisiologia do ciclo menstrual; Citologia cervicovaginal; Dor pélvica; Tensão pré-menstrual; Endometriose; Doenças sexualmente transmissíveis/Aids; Vulvovaginites; Planejamento familiar; Hemorragia uterina disfuncional; Propedêutica mamária; Câncer de colo uterino; Câncer de corpo; Câncer de mama; Climatério; Tratamento de reposição hormonal; Obstetrícia: Fisiologia da gravidez; Pré-natal; Trajeto ósseo e mecanismo do parto; Assistência ao parto; Puerpério normal e patológico; Cesariana; Hemorragias da primeira metade da gravidez; Hemorragias da segunda metade da gravidez; Desordens hipertensivas da gravidez; Parto prematuro; Gravidez prolongada; Gemelidade; Crescimento intrauterino retardado; Diabetes e gravidez; Drogas e medicamentos usados na gravidez; Líquido amniótico; Rotura prematura das membranas; Doença trofoblástica gestacional. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Endocrinologia ginecológica e infertilidade. SPEROFF. Ginecologia ambulatorial; CAMARGO, AROLDO; MELO, Victor Hugo de Melo. Ginecologia; Viana, Gerber, Martins Manual do TEGO - Sogimig. Noções Básicas de Obstetrícia; Mário Dias Correia. Tratado de ginecologia; Halbe Willians Obstetrícia.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200. BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgãnica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

MÉDICO (ORTOPEDISTA)

Fraturas e luxações em adultos. Fraturas na criança. Ortopedia pediátrica e fraturas na criança. Patologias do ombro. Infecções osteoarticulares. Tumores ósseos. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Revista Brasileira de Ortopedia. Rockwood, Charles A. Júnior, Green, DP, Bulchoz, R.W.

Livro texto - Fraturas em adulto. 3. ed. Rockwood, Charles A. Júnior, Matsen III, Frederik A. Wirth, Michael A., Harryman II, Douglas T.

Livro texto -The shoulder. Vol. I e II. 2. ed. Rockwood, Charles A. Júnior, Wilkin, Kaye E, King,

Richard E. Livro texto - Fraturas na criança. 3. ed. Editora Manole. Schatzker, Joseph. Tile Marvin.

Livro texto - Tratamento Cirúrgico das Fraturas. 1. ed. Editora Manole. Sharrard, W. J. W.

Livro texto - Ortopedia Pediátrica e Fraturas. Vols. I e II. BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgânica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

MÉDICO (PEDIATRA)

Afecções de vias aéreas superiores; Agravos nutricionais; Desnutrição energético-proteica; Alimentação; Anemias; Asma; Crescimento e desenvolvimento; Diarreia aguda; Diarreia crônica; Diarreia persistente; Distúrbios hidroeletrolíticos; Doenças exantemáticas na infância; febre reumática; Glomerulonefrite; Hipovitaminoses; Imunização; Infecção do trato urinário; Parasitoses intestinais; Pneumonias agudas; Problemas dermatológicos mais comuns; Síndrome nefrótica; Síndromes infecciosas; Tuberculose. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

LEÃO, E- Pediatria Ambulatorial. 3. ed. Belo Horizonte: Cooperativa Editora e Cultura Médica, 1998. Ministério da Saúde. Manual de procedimentos para vacinação. Brasília; Ministério da Saúde, 1993.

NELSON, Waldo E. Tratado de Pediatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

TONELLI, E. Doenças Infecciosas na Infância. 2. ed. Rio de Janeiro: Medsi. 2000.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgânica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

MÉDICO (PLANTONISTA)

Hipertensão arterial sistêmica; Arritmia cardíaca; Insuficiência coroniana aguda; Infarto agudo do miocárdio; Tromboembolismo - embolia pulmonar aguda; Insuficiência cardíaca; Hepatites virais; Doenças de Chagas; Esquitossomose Mansoni; Leishmaniose - cutânea e visceral; Síndrome de imunodeficiência humana adquirida; Tuberculose pulmonar; Raiva; Ofidismo; Escorpionismo/aracneísmo; Insuficiência hepática; Insuficiência renal aguda; Distúrbios hidroeletrolíticos e ácido básico; Diabetes Melitus; Hipertireoidismo; Hipotireoidismo; Doenças cloridopépticas; Doenças inflamatórias intestinais; Icterícias; Neoplasias pulmonares; Insuficiência respiratória aguda; Asma brõnquica; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Câncer gástrico; Micoses pulmonares. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

CECIL. Tratado de Medicina Interna - Volumes 1 e 2, 22. ed; - Editora Elvesier: 2005.

NEVES David Pereira. Parasitologia Humana - 11. ed. Editora Atheneu: 2005.

HARRISON. Medicina Interna - 15. ed. - Editora McGraw Hill Interamericana do Brasil: VERONESI, Ricardo. Tratado de Infectologia - Volumes 1 e 2. - Editora Atheneu: 1996.

HINRICHSEN, Silvia Lemos. Doenças Infecciosas e Parasitárias. Editora Guanabara Koogan: 2005.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgânica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)].

BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

NUTRICIONISTA

Alimentação, nutrição e saúde; necessidades dietéticas recomendadas e dieta adequada para todas as fases do ciclo da vida (nutrição na gravidez e lactação, na infância, na adolescência, na idade adulta e para o idoso); avaliação nutricional; indicadores de avaliação nutricional do crescimento; distúrbios do crescimento; indicadores do estado nutricional de coletividades; educação nutricional de coletividades; planejamento de cardápios; controle de qualidade dos alimentos; controle higiênico-sanitário dos alimentos; toxi-infecção alimentar; microrganismos e alimentos; nutrição e saúde pública; princípios de epidemiologia; epidemiologia aplicada à nutrição.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABERC. Manual ABERC de práticas de elaboração e serviço de refeições para coletividades. 2. ed. São Paulo, 2000.

ACCIOLY, E.; SAUNDERS, C.; LACERDA, E.M. Nutrição em Obstetrícia e Pediatria. Cultura Médica, 2002.

OLIVEIRA, Dutra de J. E.; MARCHINI, J. S. Ciências Nutricionais. São Paulo: Sarvier, 2000.

EUCLYDES, M. P. Nutrição do lactente: bases científicas para uma alimentação adequada. Viçosa, 2000.

MAHAN,L.K.; ESCOTT-STUMP, S. Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 10. ed.

ORNELLAS, L. H. Técnica Dietética: seleção e preparo de alimentos. 7. ed. São Paulo: Atheneu, 2001.

ROUQUAYROL, M. Z. Introdução à Epidemiologia Moderna. 2. ed. Belo Horizonte: Coopmed, Abrasco, 1992.

TEIXEIRA, S.; MILET, Z.; CARVALHO, J; BISCONTINI, T.T.M. Administração aplicada às unidades de alimentação e nutrição. Ed. Atheneu, 2000, 219 pp.

VASCONCELOS, F. A. G. Avaliação Nutricional de Coletividades. UFSC, Santa Catarina, 1993.

ODONTÓLOGO

Conceito de saúde, paradigma sanitário, princípios e características da promoção da saúde. Controle de infecção na prática odontológica. Materiais e instrumentais da clínica odontológica. Diagnóstico das doenças bucais: cárie, más formações dentárias, doenças periodontais, lesões de mucosa, lesões de tecido ósseo, lesões glandulares, distúrbios articulares. Saúde da Família. Planejamento de tratamento odontológico (anamnese, exames complementares, prontuário). Prescrição na clínica odontológica. Prevenção das doenças bucais: cárie, doença periodontal e neoplasias individual e coletiva - métodos preventivos, fluorterapia. Anestesiologia - indicações, anestésicos e técnicas. Tratamento das doenças bucais: cárie, doenças periodontais, lesões de mucosa, lesões de tecido ósseo, lesões glandulares e distúrbios articulares. Dentística operatória - tratamento invasivo e não invasivo da cárie dentária. Procedimentos periodontais de raspagem, plastias gengivais. Cirurgias bucais - biópsia, exodontia, suturas, tratamento de complicações cirúrgicas e infecções. Tratamento conservador da polpa dentária. Oclusão e ajuste oclusal. Legislação do SUS - Sistema Único de Saúde.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ABOPREV. Promoção de Saúde Bucal. São Paulo: Artes Médicas, 2003.

ALLEGRA, F.; GENNARI P. V. Doenças da mucosa bucal. São Paulo: Santos, 2000.

ANDRADE E. D. Terapêutica medicamentosa em odontologia. 2. ed. São Paulo: Artes Médicas.

BUISCHI, I. A promoção da saúde bucal na clínica odontológica - EAP-APCD. São Paulo: Artes Médicas, 2000.

BURT, B. A.; EKLUND, S.A. Odontologia Prática Dental e a Comunidade. 6. ed. São Paulo: Santos, 2007.

COHEN, S. BURNS C.R. Caminhos da Polpa. 9. ed. São Paulo: Elsevier, 2007.

COLEMAN, G. C.; NELSON, J. F. Princípios de diagnóstico bucal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.

Controle de Infecções e a Prática Odontológica em tempos de AIDS - Manual de Condutas. Brasília, Ministério da Saúde, 2000.

ELIAS, R. Atendimento de pacientes de risco. São Paulo: Revinter, 2009.

FEJERSKOV, O; KIDD, E. Cárie Dentária. A doença e o seu tratamento clínico. São Paulo: Santos, 2005.

KRAMER, P. F. Promoção de Saúde Bucal em Odontopediatria: Diagnóstico, prevenção e tratamento da cárie bucal. São Paulo: Artes Médicas, 1997.

LINDHE, J. Tratado de periodontia clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

LITTLE J. W. et col. Manejo odontológico de paciente clinicamente comprometido. 7. ed. São Paulo: Elsevier, 2009.

Manual de Conduta de Biossegurança na Policlínica Odontológica. UNIVAP, 2008. www.univap.br.

MONDELLI, J. S. Fundamentos de Dentística Operatória. 1. ed. São Paulo: Santos, 2006.

NEVILLE, B. et col. Patologia oral e maxilofacial. 3. ed. São Paulo: Elsevier, 2009.

PEREIRA, A. C. et col. Odontologia em Saúde Coletiva: Planejamento, ações e promovendo saúde. 1. ed. São Paulo: Artmed, 2003.

PETERSON et col. Cirurgia oral e maxilofacial contemporãnea. 5. ed. São Paulo: Elsevier, 2009.

PINTO, V. G. Saúde Bucal Coletiva. 5. ed. São Paulo: Editora Santos, 2008.

SHILLIINGBURG J. H. T. et col. Fundamentos de Prótese Fixa. 4. ed. São Paulo: Quintessence, 2007.

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200. BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgãnica da Saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 20 set. 1990 [com redação dada pela Lei 9.836, de 23 de setembro de 1999 (Diário Oficial da União, 24 set. 1999)]. BRASIL. Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Diário Oficial da União, 31 dez. 1990.

PSICÓLOGO

Técnicas de intervenção psicológica: as entrevistas preliminares; o processo psicodiagnóstico e a direção do tratamento. As estruturas clínicas: Neurose, Psicose e Perversão. A criança e o adolescente: a teoria da sexualidade; as novas formas do sintoma; delinquência, toxicomania, anorexia e outros. Os complexos familiares: o sintoma e a família. A nova política de organização da assistência à saúde mental voltada para a substituição gradativa dos leitos hospitalares por modalidades de tratamentos substitutivos. O psicólogo no Hospital Geral: o possível dessa prática no hospital, atendendo às demandas e suas especificidades nas 3 vertentes: Paciente-Família-Equipe. A clínica das urgências. Psicologia como Profissão: responsabilidades do Psicólogo; procedimentos aplicados à atuação profissional. Psicologia Escolar: principais teóricos da aprendizagem e suas contribuições: Skinner, Piaget, Ausuber, Bandura, Bruner, Gagné e Vygotsky. Psicologia na escola. Avaliação do ensino-aprendizagem. Psicopedagogia.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

LOBOSQUE, Ana Marta. Clínica em movimento - por uma sociedade sem manicômio. Rio de Janeiro: Garamond, 2003.

EY; H., BERNARD, P.; BRISSET, C. - Manual de Psiquiatria. 5. ed. Rio de Janeiro: Ed. Massom, 1981. (Seção II, 2-8 e seção III, 4-6).

FREUD, S. Neurose e Psicose (1923). Obras Completas. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1987.

MACHADO, R. Ciência e Saber: a trajetória da arqueologia de Michel Foucault (Arqueologia da percepção - 57-95). Rio de Janeiro: Graal, 1981.

BRASIL. Lei n.° 10.216, de 6 de abril de 2001, atualizada. MINAS GERAIS. Lei n.° 11.802, de 18 de janeiro de 1995. BIAGGIO, Ângela M. Brasil. Psicologia do Desenvolvimento, l3. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

CASTRO, Helenice Saldanha de. Almanaque de Psicanálise e Saúde Mental. Texto: Soluções psicóticas: o delírio, a passagem ao ato e a produção, Ano 04. Número 07. Novembro de 2001. CFP. Código de Ética Profissional do Psicólogo, 2005.

CÓRIA-SABINI, Maria Aparecida. Psicologia Aplicada à Educação, em Temas Básicos de Educação e Ensino. São Paulo: EPU, 1986.

CURINGA n.° 13. Psicanálise e Saúde Mental. Belo Horizonte: EBP-MG, 1999. DOR, Joël. Estruturas e clínica psicanalítica. Rio de Janeiro: 1994.

FREUD, S. Romances Familiares. Ed. Standard Brasileira da Obra de Freud. Rio de Janeiro: Imago Ed., Vol. IX, 1976.

LACAN, Jacques. Os Complexos Familiares. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,1985.

LURIA; LEONTIEV; VYGOTSKY e outros. Psicologia e Pedagogia. São Paulo: Moraes, 2003.

OLIVEIRA, V.B., BOSSA, N.A. Avaliação Psicopedagógica do Adolescente, 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

Organizadores: Francisco Eduardo de Campos; Mozart de Oliveira Júnior; Lídia Maria Toneon. Cadernos de Saúde, Volumes 1, 2 e 3, Belo Horizonte: Coopmet, 1998.

PIAGET, Jean. Seis Estudos de Psicologia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1998.

PIAGET, Jean. O Juízo Moral da Criança, Editora Summus, 1994. Saúde Mental: Nova concepção, Nova esperança. Relatório sobre a saúde no mundo. Genebra: OMS, 2001.

SUPERVISOR ESCOLAR

Os candidatos deverão demonstrar conhecimento das diferentes fases do desenvolvimento humano e suas peculiaridades em relação ao processo educativo; da elaboração, acompanhamento e avaliação do Projeto Político-Pedagógico; do Regimento Escolar e dos diversos documentos que compõem, obrigatoriamente, o arquivo escolar; de medidas a serem adotadas para melhoria da qualidade do ensino e, consequentemente, do adequado exercício da cidadania; de formas para aplicar as metodologias de ensino das diferentes linguagens - Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História, Ciências, Educação Física e Artes -, na perspectiva dos Parâmetros Curriculares Nacionais; da legislação básica do ensino e das formas de organização da escola como instituição pertencente a um sistema oficial de ensino; dos princípios da gestão democrática da escola pública; da organização, coordenação, acompanhamento e avaliação dos processos educativos; dos fatores que interferem no processo ensino-aprendizagem e de alternativas de superação das dificuldades encontradas; de alternativas para superação de exclusões sociais, culturais, étnico-raciais, econômicas e outras que dificultam a edificação da escola inclusiva.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BRASIL, MEC - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei 9.394/96.

________. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei 8.069/90.

________. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental.

________. Referenciais Curriculares Nacionais para a Educação infantil.

________. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos - Resolução n.° CEBICNE 01/2000.

________. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica - Resolução CEB/CNE n.° 02/2001.

CURY, Carlos R. J. Legislação Educacional Brasileira. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

FERREIRA, Naura S. C. (org.). Supervisão educacional para uma escola de qualidade: da formação à ação. São Paulo: Cortez, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

PARO, Vitor Henrique. Gestão Democrática da Escola Pública. São Paulo: Editora Ática, 2003.

RONCA, P. A. A prova operatória. São Paulo: Instituto Esplan, 1991.

VEIGA, Ilma Passos A. (org.). Repensando a Didática, Campinas/SP: Papirus, 2006.

ZABALLA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Araned, 1998.

TÉCNICO DE DESPORTO INDIVIDUAL E COLETIVO (EXCETO FUTEBOL)

Treinamento esportivo: Elaboração e regulação dos processos de treinamento; métodos de treinamento. Fisiologia do exercício: compreensão das alterações fisiológicas que ocorrem durante as atividades físicas. Handebol: Regras oficiais, fundamentos e aperfeiçoamento técnico-tático; conhecimento e aplicação dos sistemas de ataque e defesa, contra-ataque e goleiro; métodos e técnicas de ensino. Voleibol: Estudo dos elementos técnicos do jogo; métodos de ensino; regras oficiais; características específicas do voleibol - táticas individuais e coletivas. Treinamento físico, técnico, tático e psicológico; métodos de treinamento. Basquetebol: Aprendizado e aperfeiçoamento das técnicas e táticas; regras oficiais e suas metodologias de ensino. Tênis: Fundamentos e regras básicas. Natação: Técnicas do crawl, peito, costas e borboleta; saídas e viradas.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

NAHAS, Markus V. EHRET, A .; SPÃTE, D.; SCHUBERT, R.; ROTH,C. Manual de Handebol - treinamento de Base para Crianças e Adolescentes. São Paulo: Phorte, 2002.

SANTOS, R. Handebol 1000 Exercícios. 2. ed. Rio de Janeiro: SPRINT, 1999.

GRECO, Pablo Juan. Organizador . Caderno de Rendimento do Atleta de Handebol.. 1' edição. 2000. . Organizador.Caderno do Goleiro de Handebol. Belo Horizonte: [s.n], 2002.

BIZZOCCHI, C. C. Voleibol de Alto Nível: Da iniciação à competição. São Paulo: Manole, 2004.

BOMPA, O. T. Treinando atletas de desporto coletivos. São Paulo: Phorte, 2004.

WEINECK, J. Treinamento Ideal. 9. ed. São Paulo: Manole, 1999.

DAIUTO, M. Basquetebol: origem e evolução. São Paulo: Iglu,1991.

FERREIRA,A.E.X. e JÚNIOR, D. R. Basquetebol técnicas e táticas: uma abordagem didático-pedagógica. São Paulo: EPU, 1987.

ALMEIDA, M. B. Basquetebol: iniciação. Rio de Janeiro: Sprint, 1998.

CARVALHO, W. Basquetebol: sistemas de ataque e defesa. Rio de Janeiro: Sprint, 2001.

DE ROSE JR, D; TRICOLI, V. Basquetebol: uma visão integrada entre ciência e Prática. São Paulo:Manole, 2004.

FONTOURA, F. Tênis para todos. São Paulo: Phorte, 2003.

ISHIZAKI, M. T; CASTRO, M. S. A. Tênis: aprendizagem e treinamento. 2. ed. atualizada. São Paulo,SP: Phorte, 2008.

PLATONOV, V. N. Tratado geral de treinamento desportivo. São Paulo: Phorte, 2008.

TUBINO, M. J. G; MOREIRA S. B. Periodização, Teoria e Metodologia do Treinamento Desportivo. São Paulo, Phorte, 2002.

MAGLICHO, E. Nadando ainda mais rápido. São Paulo: Manole, 1999.

McARDLE, W.D.; KATCH, F.I.; KATCH, V.L. Fisiologia do Exercício - Energia, nutrição e desempenho humano. 4. ed. Rio de Janeiro: Interamericana, 1998.

TÉCNICO PROFISSIONAL DE FUTEBOL)

Futsal: Regras oficiais; treinamento em Futsal com enfoque nos aspectos pedagógicos, fisiológicos, psicológicos, técnicos e táticos (sistemas defensivo e ofensivo). Futebol de campo: Histórico do futebol e sua evolução no mundo; regras oficiais; fundamentos técnicos (sistemas defensivo e ofensivo). Treinamento esportivo: Elaboração e regulação dos processos de treinamento; métodos de treinamento. Fisiologia do exercício: compreensão das alterações fisiológicas que ocorrem durante as atividades físicas.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

MUTT/, D. Futsal: da iniciação ao alto nível. São Paulo: Loyola, 1999.

TENROLLER, C. A. Futsal: ensino e prática. Canoas: UBRA, 2006.

SAAD, M; COSTA, C. F. Futsal: movimentações defensivas e ofensivas. Florianópolis: Visual Books, 2001.

ALMEIDA, T. O Esporte como exemplo. FAPI, 2004. FREIRE, J.B. Pedagogia do Futebol. Londrina: Midiograf:1998.

LEAL, J.C. Futebol, teoria e prática. Rio de Janeiro: Sprint, 1996.

McARDLE, W.D.; KATCH, F.I.; KATCH, V.L. Fisiologia do Exercício - Energia, nutrição e desempenho humano. 4. ed. Rio de Janeiro: Interamericana, 1998.

PLATONOV, V. N. Tratado geral de treinamento desportivo. São Paulo: Phorte, 2008.

TUBINO, M. J. G; MOREIRA S. B. Periodização, Teoria e Metodologia do Treinamento Desportivo. São Paulo, Phorte, 2002.

VETERINÁRIO

Epidemiologia: Introdução; O método epidemiológico; Epidemiologia descritiva. Epidemiologia analítica. Noções de demografia e estimativas de populações; Componentes ecológicos das doenças transmissíveis; inter-relações agente-hospedeiro-ambiente; Fontes de infecção. Mecanismos de transmissão. O processo epidêmico; Programa de combate às doenças; Modelos de estudos epidemiológicos das zoonoses; Epidemiologia das doenças transmitidas por veículo comum. Doenças bacterianas: introdução; Gênese e desenvolvimento das doenças infecciosas bacterianas: estreptococcias, estafilococcias, mamites, bruceloses, corinebacterioses, tuberculoses, campilo bacterioses, salmoneloses, colibaciloses, carbúnculo sintomático, leptospirose, botulismo. Doenças por vírus, clamídias e micoplasmas: introdução; Aspectos imunológicos e desenvolvimento das doenças: raiva, febre aftosa, varíolas, leucose bovina, clamidioses, anaplasmoses, peste suína clássica. Doenças Parasitárias e Micóticas: Introdução; Parasitoses do trato intestinal e outros órgãos abdominais; Dictiocaulose e metastrongilose; Babesioses; Eimerioses; Tricomonoses; Tripanossomíases; Leishmanioses; Toxoplasmoses; Ectoparasitoses; Micoses. Saneamento: A água e sua importãncia higiênica; Aspectos qualitativos e quantitativos das fontes de abastecimento. Epidemiologia das doenças de veiculação hídrica. Aspectos sanitários da construção de poços rasos. Exame bacteriológico da água. Tratamento da água destinada aos animais domésticos. Solo e sua significação higiênica. Ar e sua significação higiênica. Destino de resíduos orgãnicas no meio rural. Desinfetantes e métodos de desinfecção. Controle de roedores. Produção e controle de produtos biológicos: introdução; Vacinas e antígenos usados no Brasil. Planificação em saúde animal: Legislação sanitária. Planificação em saúde animal. Tecnologia de leite e produtos derivados: introdução; Leite, conceito, classificação, composição e propriedades organolépticas. Fatores de variação na composição do leite e derivados.Valor nutritivo do leite. Leites anormais. Tipos de leite de consumo. Produção higiênica do leite. Métodos de conservação e tratamento do leite. Limpeza e desinfecção na indústria de laticínios. Princípios de tecnologia dos produtos derivados do leite. Inspeção de leite e produtos derivados: introdução: Flora normal e contaminante. Utilização de microorganismo na industrialização do leite. Doenças transmissíveis ao homem pelo consumo do leite e derivados. Famílias lactobacteriáceas e enterobacteriáceas: características e propriedades culturais. Leveduras no leite e derivados. Microbiologia e inspeção sanitária do leite de consumo - Leites A, B e C. Microbiologia e inspeção de creme e da manteiga. Microbiologia e inspeção dos queijos. Inspeção de carnes e produtos derivados: introdução: Animais de abate. Objetivos e técnicas de inspeção. Exigências regulamentares nas edificações e instalações de matadouros, frigoríficos e outros. Inspeção ante mortem, processos de matanças, exigências regulamentares. Inspeção post mortem, linha de inspeção e cuidados higiênicos. Parasitoses e infecções dos animais de abate, transmissíveis ao homem pela ingestão de carne. Contaminação microbiana das carnes. Identificação e inspeção das carnes anormais, de conservadores, de produtos gordurosos e conservas enlatadas e embutidos. Tecnologia de carnes e produtos derivados: introdução. Estabelecimentos industriais de carnes e produtos derivados. Edificações, instalações e regulamentação. Abastecimento de água. Matadouro frigorífico: operações básicas. Aproveitamento da carcaça. Processamento da carcaça. Inspeção sanitária de aves, ovos, pescado e mel. Aves: Alterações e regulamentação da inspeção. Ovos e mel: Classificação e inspeção. Pescado: Características. Regulamentação da inspeção. Legislação: Defesa sanitária animal. Fiscalização da indústria, do comércio, da utilização, e transporte de produto de uso veterinário.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

CORREA, Walter Mauricio; CELIA Nogueira Mauricio Correa. Enfermidades infecciosas dos mamíferos domésticos. 2. ed. Rio de Janeiro: Medsi, 1992.

CORREA, OUTUBRINO. Doenças parasitárias dos animais domésticos. 4. ed. Porto Alegre: Sulina.

FORATTINI, Osvaldo Paulo. Ecologia, epidemiologia e sociedade. São Paulo: EDUSP: Artes Medicas, 1992.

ROUQUAYROL, Maria Zelia. Epidemiologia & Saúde. Fortaleza: Funifor, 1983.

SPREER, Edgar. Lactologia industrial; leche, preparacion y elaboracion, maquinas y aparatos, produtos lacteos. Zaragoza: Acribia, 1975.

FERREIRA, A. Jacinto; FERREIRA, Carlos. Doenças Infectocontagiosas dos Animais Domésticos, 4. ed. Lisboa: Fundação Caloust Gulbenkian, 1990.

MAYR, Anthon; GUERREIRO, Milton G. Virologia Veterinária, 3. ed, Livraria Sulina Editora, 1988.

ROJAS, R. Armijo. Epidemiologia Básica, Intermédica Editora. DAKER, Alberto. A água na Agricultura, 2°. Volume - Editora Freitas Bastos, 1970.

ACHA, Pedro N.; Szyfres, B. Zoonosis y enfermedades transmisibles comunes al hombre y a los animales, 2. ed., Washington: OPSIOMS, 1986.

DIKSTRA, R.R. Higiene Animal Y Prevencion de Enfermidads, LABOR S.A, 1970.

LERCHE, Martin. Inspeccion Veterinária de la leche.

ZARAGOZA, Acriba, 1969.

SPREER, E. Lactologia industrial. ZARAGOZA, Acriba, 1975.

BARTELS, H. Inspeccion Veterinaria de la carne. ZARAGOZA, Acriba, 1971.

FRAZIER, W. C. Microbiologia de los alimentos.

ZARAGOZA, Acriba, 1962. BRASILIM. A.ISDSA. Desinfetantes em Saúde Animal, Brasília, 1987.

ALMEIDA Filho, N; ROUQUAYROL, M. Z. Introdução à epidemiologia moderna. 2. ed.- Ed. Coopmed, 1992.

ORGANIZACION PANAMERICANA DE LA SALUD. El control de las enfermedades transmisibles en el hombre. 14. ed. Washington, D. C. Informe oficial de la Asociacion Americana de la Salud Publica, 1987.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. Regulamento da inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal, aprovado pelo Decreto 3.0691 de 29/03/52 e alterado pelos Decretos 1.255 de 25/6/62, 1.236 de 2/9/94, 1.812 de 8/2/96 e 2244 de 4/6/97 - Brasília. DF;

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Instrução Normativa n.° 51/2002-Brasília-DF.

PROFESSOR II - EDUCAÇÃO FÍSICA

Para a Prova de Educação Física, os conteúdos selecionados serão avaliados numa perspectiva de estarem articulados com questões conceituais, interpretação crítica de dados (gráficos, tabelas, etc) e na solução de situações problema. 1. Objetivos do ensino da Educação Física no Ensino Fundamental. 2. Fisiologia do Exercício: compreensão das alterações fisiológicas que ocorrem durante as atividades físicas. 3. Aprendizagem e desenvolvimento motor: conceitos básicos envolvidos no planejamento das habilidades motoras a serem trabalhadas. 4. Iniciação esportiva: metodologia de ensino. 5. Jogos, lutas e brincadeiras. 6. Atividades rítmicas e expressivas. 7. Avaliação da aprendizagem no ensino da Educação Física escolar.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

GRECO, P.J. e Benda, R.N. (organiz.) Iniciação Esportiva Universal - 1- Da aprendizagem motora ao treinamento técnico. Ed. UFMG, Belo Horizonte, 1998.

GUERRA, M. Recreação e lazer. 5. ed. Porto: Alegre Sagra-DC, Luzatto, 1996.

LE BOULCH, J. Educação Psicomotora: a psicocinética na idade escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

MAGILL. R. Aprendizagem motora: conceitos e aplicações. Edgar Bluche, São Paulo, 1984.

MEC, Parãmetros curriculares nacionais - Educação Física - 1.ª a 4.ª série - ensino fundamental. Brasília, 1997.

McARDLE, W.D., KATCH, F.I., KATCH, V.L. Fisiologia do Exercício - Energia, nutrição e desempenho humano. 4. ed., Interamericana, Rio de Janeiro, 1998.

SCHMIDT, R. Aprendizagem e performance motora. Dos princípios à prática. São Paulo: Ed. Movimento, 1993.

SANTIN, S. Educação Física: temas pedagógicos. Est. ESEFIUFRGS, Porto Alegre, 1992.

SOARES, C.L.; Taffarel, C.N.Z.; Varjal, E.; Filho, L.N.; Escobar, M e Bracht, V. Metodologia do ensino de Educação Física - coletivo de autores. Ed.Cortez, 1992.

SOUZA, E. S. e Vago, T.M. (org.) Trilhas e partilhas - Educação Física escolar e nas práticas sociais. Belo Horizonte: Editora Cultura, 1997.

TANI, G. Manoel; Kokobun, E e Proença. Educação Física Escolar. São Paulo: Edusp/EPU, 1988.

Salinas-MG, 23 de dezembro de 2011.

José Antônio Prate
Prefeito Municipal

ATESTADO MÉDICO

Atesto, para fins de realização da Prova de Aptidão Física do cargo de __________________________________________, do Concurso Público do Município de Salinas-MG, em conformidade com o subitem 7.5.3, Edital 1/2011, que o Sr(a). __________________________________________________________________ , sexo ( ) masculino ( ) feminino, portador(a) de Carteira de Identidade n.° ______________________ - órgão expedidor _________________________________ -, encontra-se, neste dia, em pleno gozo de sua saúde física e mental e em condições de realizar a referida Prova de Aptidão Física do referido Concurso.

___________________________, ______ de ___________________________ de 2012.

_________________________________
Assinatura do Médico
(constar carimbo e n.° de registro no CRM)

143119

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231