Prefeitura de Ponte Nova - MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTE NOVA

ESTADO DE MINAS GERAIS

EDITAL Nº 15, DE 25/10/2010

Notícia:   Diversas vagas de quadro reserva destinadas a Prefeitura de Ponte Nova - MG

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA CADASTRO DE RESERVA PARA PROVIMENTO DE CARGOS DO GOVERNO DO MUNICÍPIO DE PONTE NOVA

O Presidente da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-Rei - FAUF -, na forma do que dispõe o Contrato de Prestação de Serviços, assinado em 09 de fevereiro de 2010, entre a FAUF e o Município de Ponte Nova, bem como 1º Termo de Aditivo ao contrato e de acordo com o disposto no art. 37 da Constituição Federal de 1988 e com as Leis Municipais nº 3020/2006, 3.066/2007 e alterações, 3.398/2009, 3.408/2010 e demais leis federais pertinentes à matéria, faz saber, a todos quantos o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, que fará realizar Processo Seletivo Público, para preenchimento de quadro de reservas, para contratação por prazo determinado, para atender aos interesses do Município de Ponte Nova, nos termos e condições estipulados no presente Edital.

Quadro 1 - Das Especificações dos Cargos, Especialidades e Outros Dados

MUNICÍPIO DE PONTE NOVA - PODER EXECUTIVO

 

CARGO

ESCOLARIDADE/REQUISITOS

JORNADA SEMANAL

VENCIMENTO MENSAL R$

TAXA DE INSCRIÇÃO R$

01

Agente de Controle de Zoonoses

- Ensino Fundamental Completo

40 horas

R$ 545,00

R$ 22,00

02

Assistente Social

- Curso Superior em Serviço Social

- Registro no CRESS

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

03

Assistente Social (CAPS)

- Curso Superior em Serviço Social

- Registro no CRESS

20 horas

R$ 1.356,38

R$ 47,00

04

Assistente Social (NASF)

- Curso Superior em Serviço Social

- Registro no CRESS

40 horas

R$ 2.151,97

R$ 47,00

05

Assistente Social (Abrigo de Volta pra Casa)

- Curso Superior em Serviço Social

- Registro no CRESS

- Experiência no atendimento a crianças, adolescentes e famílias em situação de risco

30 horas

R$ 1.200,00

R$ 47,00

06

Auxiliar Administrativo I

- Ensino Médio Completo

40 horas

R$ 579,67

R$ 32,00

07

Auxiliar de Consultório Dentário

- Ensino Médio Completo

40 horas

R$ 543,65

R$ 32,00

08

Auxiliar de Creche

- Ensino Médio Completo

30 horas

R$ 543,65

R$ 32,00

09

Auxiliar Cuidador/Educador

- Nível Fundamental Completo e capacitação específica

- Desejável experiência no atendimento à crianças e adolescentes.

40 horas

R$ 511,41

R$ 22,00

10

Auxiliar de Serviços Gerais

- Ensino Fundamental Incompleto

40 horas

R$ 511,41

R$ 17,00

11

Bioquímico

- Curso Superior em Farmácia ou Bioquímica.

- Registro no Conselho

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

12

Borracheiro

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 560,79

R$ 17,00

13

Calceteiro

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 521,28

R$ 17,00

14

Cirurgião Dentista

- Curso Superior em Odontologia

- Registro no CRO

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

15

Cirurgião Dentista (CEO)

- Curso Superior em Odontologia

- Registro no CRO

30 horas

R$ 1.687,48

R$ 47,00

16

Cirurgião Dentista (PSF)

- Curso Superior em Odontologia

- Registro no CRO

40 horas

R$ 2.722,71

R$ 47,00

17

Cozinheiro

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 514,23

R$ 17,00

18

Cuidador / Educador

- Nível Médio Completo e capacitação específica

- Experiência em atendimento a crianças e adolescentes.

30 horas

R$ 900,00

R$ 32,00

19

Economista Doméstico

- Curso Superior em Economia Doméstica

30 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

20

Educador Físico (NASF)

- Bacharelado em Educação Física

- Registro no CREF

40 horas

R$ 2.151,97

R$ 47,00

21

Educador Social

- Ensino Médio Completo

40 horas

R$ 579,67

R$ 32,00

22

Eletricista

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 521,28

R$ 17,00

23

Enfermeiro

- Curso Superior em Enfermagem

- Registro como Enfermeiro no COREN

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

24

Enfermeiro (CAPS)

- Curso Superior em Enfermagem

- Registro como Enfermeiro no COREN

20 horas

R$ 1.356,38

R$ 47,00

25

Enfermeiro (PSF)

- Curso Superior em Enfermagem

- Registro como Enfermeiro no COREN

40 horas

R$ 2.722,71

R$ 47,00

26

Especialista em Ed. Básica

- Formação em Nível Superior, em curso de graduação em Pedagogia com habilitação em Supervisão Pedagógica ou Licenciatura Plena acumulada, no mínimo com pós-graduação latu-sensu em Supervisão Pedagógica e experiência docente de 03 anos

25 horas

R$ 912,79

R$ 47,00

27

Facilitador Oficinas

- Ensino Médio Completo

40 horas

R$ 563,51

R$ 32,00

28

Farmacêutico

- Curso Superior em Farmácia

- Registro no CRF

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

29

Farmacêutico (NASF)

- Curso Superior em Farmácia

- Registro no CRF

40 horas

R$ 2.151,97

R$ 47,00

30

Farmacêutico Assistente

- Curso Superior em Farmácia

- Registro no CRF

40 horas

R$ 2.175,02

R$ 47,00

31

Farmacêutico Coordenador

- Curso Superior em Farmácia

- Registro no CRF

40 horas

R$ 2.710,77

R$ 47,00

32

Fisioterapeuta

- Curso Superior em Fisioterapia

- Registro no CREFITO

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

33

Fisioterapeuta (NASF)

- Curso Superior em Fisioterapia

- Registro no CREFITO

20 horas

1.075,99

R$ 47,00

34

Fonoaudiólogo

- Curso Superior em Fonoaudiologia

- Registro no CRF

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

35

Marceneiro/carpinteiro

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 543,65

R$ 22,00

36

Mecânico

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 560,79

R$ 17,00

37

Médico Cardiologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Cardiologia

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

38

Médico Clínico

- Curso Superior em Medicina com especialização em Clínica Geral

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

39

Médico Clínico Plantonista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Clínica Geral

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

05 horas por plantão

R$ 214,30

R$ 47,00

40

Médico Dermatologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Dermatologia

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

41

Médico Endocrinologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Endocrinologia

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

42

Médico Gastroenteorologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Gastroenterologia.

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

43

Médico Ginecologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Ginecologia.

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

44

Médico Infectologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Infectologia

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

45

Médico Neurologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Neurologia.

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

40 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

46

Médico Oftalmologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Oftalmologia.

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

47

Médico Ortopedista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Ortopedia.

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

48

Médico Pediatra

- Curso Superior em Medicina com especialização em Pediatria.

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

49

Médico Plantonista (CAPS)

- Curso Superior em Medicina com especialização em Clínica Geral

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

05 horas por plantão

R$ 214,30

R$ 47,00

50

Médico Plantonista (SAMMDU)

- Curso Superior em Medicina com especialização em Clínica Geral

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

12 horas por plantão

R$ 428,60

R$ 47,00

51

Médico PSF

- Curso Superior em Medicina

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

40 horas

R$ 4.645,27

R$ 47,00

52

Médico Psiquiatra

- Curso Superior em Medicina com especialização em Psiquiatria

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

53

Médico Psiquiatra Plantonista (CAPS)

- Curso Superior em Medicina com especialização em Psiquiatria

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

05 horas por plantão

R$ 214,30

R$ 47,00

54

Médico Ultrassonografista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Ultrassonografia

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

55

Médico Urologista

- Curso Superior em Medicina com especialização em Urologia

- Registro no CRM, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 1.207,25

R$ 47,00

56

Médico Veterinário

- Curso Superior em Medicina Veterinária

- Registro no CRMV, com última anuidade quitada

10 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

57

Médico Veterinário (Zoonoses)

- Curso Superior em Medicina Veterinária

- Registro no CRMV, com última anuidade quitada

20 horas

R$ 2.153,80

R$ 47,00

58

Mestre de Obras

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 560,79

R$ 17,00

59

Monitor de Artesanato

(CRAS)

- Ensino Médio Completo

40 horas

Ensino Médio ou Formação não Específica R$ 563,51
Formação de Nível Superior Específica R$ 628,30

R$ 32,00

60

Monitor de Artesanato (PETI)

- Ensino Médio Completo

25 horas

R$ 563,51

R$ 32,00

61

Monitor de Capoeira

- Ensino Médio Completo

40 horas

Ensino Médio ou Formação não Específica R$ 563,51
Formação de Nível Superior Específica R$ 628,30

R$ 32,00

62

Monitor de Dança

- Ensino Médio Completo

40 horas

Ensino Médio ou Formação não Específica R$ 563,51
Formação de Nível Superior Específica R$ 628,30

R$ 32,00

63

Monitor de Dança e/ou Música

- Ensino Médio Completo

25 horas

R$ 563,51

R$ 32,00

64

Monitor de Desenho Artístico

- Ensino Médio Completo

40 horas

Ensino Médio ou Formação não Específica R$ 563,51
Formação de Nível Superior Específica R$ 628,30

R$ 32,00

65

Monitor de Educação Física (CRAS)

- Ensino Médio Completo

40 horas

Ensino Médio ou Formação não Específica R$ 563,51
Formação de Nível Superior Específica R$ 628,30

R$ 32,00

66

Monitor de Educação Física (PETI)

- Curso Superior Completo em Educação Física

25 horas

R$ 628,30

R$ 47,00

67

Monitor de Futebol

- Ensino Médio Completo

40 horas

Ensino Médio ou Formação não Específica R$ 563,51
Formação de Nível Superior Específica R$ 628,30

R$ 32,00

68

Monitor de Informática (CVT)

- Ensino Médio Completo

21 horas

R$ 509,66

R$ 32,00

69

Monitor de Informática (CVT)

- Ensino Médio Completo

31 horas

R$ 727,25

R$ 32,00

70

Monitor de Música

- Ensino Médio Completo

40 horas

Ensino Médio ou Formação não Específica R$ 563,51
Formação de Nível Superior Específica R$ 628,30

R$ 32,00

71

Monitor de Reforço Escolar

- Curso Superior

25 horas

R$ 628,30

R$ 47,00

72

Monitor de Taekwondo

- Ensino Médio Completo

25 horas

R$ 563,51

R$ 32,00

73

Monitor de Teatro

- Ensino Médio Completo

25 horas

R$ 563,51

R$ 32,00

74

Motorista

- Ensino Fundamental Incompleto

- CNH D

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 560,79

R$ 17,00

75

Nutricionista

- Curso Superior em Nutrição

- Registro no CRN

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

76

Operador de Máquinas

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

- CNH D

40 horas

R$ 560,79

R$ 17,00

77

Orientador Profissional

- Ensino Médio Completo

25 horas

R$ 563,51

R$ 32,00

78

Orientador Social

- Ensino Médio Completo

40horas

R$ 579,67

R$ 32,00

79

Pedreiro

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 521,28

R$ 17,00

80

Pintor

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 521,28

R$ 17,00

81

Porteiro

- Ensino Fundamental Incompleto

40 horas

R$ 514,23

R$ 17,00

82

Professor de Educação Básica II - Artes

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

83

Professor de Educação Básica II - Ciências

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

84

Professor de Educação Básica II - Ensino Religioso

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

85

Professor de Educação Básica II - Educação Física

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

86

Professor de Educação Básica II - Geografia

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

87

Professor de Educação Básica II - História

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

88

Professor de Educação Básica II - Inglês

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

89

Professor de Educação Básica II - Matemática

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

90

Professor de Educação Básica II - Português

- Curso Superior de Graduação com Licenciatura Plena ou outra Graduação correspondente a área específica de conhecimento na área de atuação com formação pedagógica, nos termos da legislação vigente

20 horas

R$ 5,99 hora aula

R$ 47,00

91

Professor de Educação Básica I

- Curso Superior de Graduação com licenciatura plena específica para ensino na Educação Infantil e/ou nos 5 (cinco) anos iniciais do Ensino Fundamental (cursos Normal Superior ou Pedagogia) ou licenciatura plena mais nível médio na modalidade Normal.

25 horas

R$ 628,30

R$ 47,00

92

Psicólogo

- Curso Superior em Psicologia

- Registro no CRP

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

93

Psicólogo (NASF)

- Curso Superior em Psicologia

- Registro no CRP

20 horas

R$ 2.151,97

R$ 47,00

94

Psicólogo (CAPS)

- Curso Superior em Psicologia

- Registro no CRP

20 horas

R$ 1.356,38

R$ 47,00

95

Recepcionista

- Ensino Fundamental Completo

40 horas

R$ 543,65

R$ 22,00

96

Soldador

- Ensino Fundamental Incompleto

- Experiência comprovada em carteira ou declaração de órgão público.

40 horas

R$ 560,79

R$ 17,00

97

Técnico de Enfermagem

- Ensino Médio - Curso Técnico em Enfermagem

- Registro no COREN, como técnico

40 horas

R$ 602,46

R$ 32,00

98

Técnico de Laboratório

- Ensino Médio - Curso Técnico de Laboratório

40 horas

R$ 602,46

R$ 32,00

99

Técnico de Radiologia

- Ensino Médio - Curso Técnico de Radiologia

40 horas

R$ 671,71

R$ 32,00

100

Técnico em Contabilidade

- Ensino Médio - Curso Técnico em Contabilidade

40 horas

R$ 602,46

R$ 32,00

101

Técnico em Segurança do Trabalho

- Ensino Médio - Curso Técnico em Segurança do Trabalho

40 horas

R$ 602,46

R$ 32,00

102

Telefonista

- Ensino Médio Completo

40 horas

R$ 543,65

R$ 32,00

103

Terapeuta Ocupacional

- Curso Superior em Terapia Ocupacional

- Registro no CREFITO

20 horas

R$ 806,99

R$ 47,00

104

Terapeuta Ocupacional (CAPS)

- Curso Superior em Terapia Ocupacional

- Registro no CREFITO

20 horas

R$ 1.356,38

R$ 47,00

105

Vigia

- Ensino Fundamental Incompleto

40 horas

R$ 514,23

R$ 17,00

OBS.: Ensino Fundamental Incompleto - Nível Elementar - 4ª série completa do Ensino Fundamental Ensino Fundamental Completo - 1° Grau Completo (8ª Série)

Ensino Médio Completo ou Curso Técnico - 2º Grau Completo

Curso Superior - 3º Grau Completo

Os vencimentos mencionados no Quadro 1 deste item estão de acordo com a legislação municipal vigente.

1 Da Participação de Candidatos Portadores de Necessidades Especiais

1.1 Conforme disposto no Art. 37 do Decreto Federal nº 3.298, de 20/12/1999, serão reservadas 10% (dez por cento) das vagas providas em cada cargo para candidatos portadores de necessidades especiais, conforme disposto no Quadro 1, deste Edital, desde que sua deficiência seja compatível com o exercício do cargo.

1.1.1 Quando nas operações aritméticas necessárias à apuração do número de vagas reservadas o resultado obtido não for um número inteiro, desprezar-se-á a fração inferior a meio e arredondar-se-á para a unidade imediatamente superior à fração que for igual ou superior a meio.

1.1.2 O primeiro candidato portador de necessidades especiais classificado no Processo Seletivo Público será convocado para ocupar a quinta vaga aberta, enquanto os demais candidatos portadores de necessidades especiais aprovados serão convocados para ocuparem a 15ª, a 25ª e a 35ª vagas, e assim sucessivamente, observada a ordem de classificação.

1.1.2.1 Caso o candidato portador de necessidades especiais seja classificado em uma colocação melhor do que a estabelecida no subitem 1.1.2, a vaga anteriormente reservada a este será destinada a outro candidato, não necessariamente portador de necessidades especiais, respeitada a ordem de classificação.

1.1.3 Caso surjam novas vagas, durante o prazo de validade do Processo Seletivo Público, estas deverão ser somadas às vagas já existentes e, novamente, ser aplicado o disposto no subitem 1.1.

1.2 O portador de necessidade especial que pleitear a vaga a ele reservada por lei, atendendo ao disposto no subitem 1.1, deverá, se convocado, submeter-se à perícia médica por junta oficial designada pelo Município de Ponte Nova, que terá a decisão terminativa sobre a qualificação do candidato como portador de necessidades especiais ou não e o grau de deficiência capacitante para o exercício do cargo.

1.3 A inobservância do disposto no subitem 1.2 acarretará a perda do direito ao pleito da vaga reservada aos candidatos em tais condições.

1.4 Para concorrer a uma dessas vagas, o candidato deverá:

1.4.1 no ato da inscrição, declarar-se portador de necessidades especiais;

1.4.2 se a inscrição ocorrer via internet, o candidato deverá encaminhar laudo médico original ou cópia autenticada à FAUF, situada à Praça Frei Orlando, nº 170, em São João del-Rei - MG, CEP 36307-352, até o término das inscrições. Se o candidato realizar sua inscrição no local indicado no item 4.1.2.1, deverá entregar, no ato de sua realização o laudo médico. O respectivo laudo médico deverá ter sido emitido nos últimos doze meses, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças, bem como a provável causa da deficiência.

1.5 Caso o candidato não anexe o laudo médico, conforme citado no subitem 1.4.2, não será considerado como portador de necessidades especiais apto para concorrer às vagas reservadas, mesmo que tenha, no ato da inscrição, assinalado tal opção.

1.6 Os candidatos portadores de necessidades especiais participarão do Processo Seletivo Público em igualdade de condições com os demais candidatos, no que se refere ao conteúdo, avaliação, período de prova, horário e local de realização das provas.

1.7 Os candidatos que não optarem, no período de realização das inscrições, para reservas de vagas destinadas aos portadores de necessidades especiais não terão direito à vaga especial, bem como à prova especial, seja qual for o motivo alegado.

1.8 Não serão considerados como deficiências os distúrbios de acuidade visual passíveis de correção simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congêneres.

1.9 Na falta de candidatos aprovados para as vagas reservadas aos portadores de necessidades especiais, essas vagas serão preenchidas pelos demais classificados, com estrita observância da ordem de classificação.

1.10 O candidato portador de necessidades especiais, aprovado em todas as etapas do Processo Seletivo Público, não poderá utilizar-se delas para justificar mudança de função, readaptação ou aposentadoria após sua designação.

2 Do local, horário de trabalho e Regime Jurídico

2.1 Os candidatos classificados serão convocados para trabalhar nas unidades do Município de Ponte Nova, de acordo com os critérios a serem estabelecidos pela administração municipal.

2.2 A jornada de trabalho é definida pela legislação municipal vigente, não se admitindo, da parte do candidato classificado, nenhuma alegação contrária aos atos normativos.

2.3 O horário e o local de trabalho dos candidatos designados por ato administrativo serão determinados pelo Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Ponte Nova, à luz dos interesses e necessidades da Prefeitura.

2.4 O Regime Jurídico a ser adotado para o candidato aprovado e designado em virtude do presente Edital será o Estatutário, na forma da legislação municipal em vigor.

2.5 O Regime Previdenciário a ser adotado para o candidato aprovado e designado em virtude do presente Edital será o do Regime Geral de Previdência Social (INSS), nos termos da Lei Municipal nº 4.496, de 03 de dezembro de 2002.

3 Dos requisitos básicos para a investidura no cargo

3.1 Ser aprovado no Processo Seletivo Público.

3.2 Ser brasileiro.

3.3 Gozar dos direitos políticos.

3.4 Estar em dia com as obrigações eleitorais.

3.5 Estar quite com as obrigações militares, para candidatos do sexo masculino.

3.6 Possuir 18 anos completos na data da designação.

3.7 Ter a escolaridade exigida no Quadro 1 deste Edital e documentação hábil na data da designação.

3.8 Ter habilitação legal e estar devidamente inscrito no órgão fiscalizador da profissão, se for o caso.

3.9 Ter idoneidades moral e social e não ter antecedentes criminais que o incompatibilizem com a carreira.

3.10 Ter sanidades física e mental compatíveis com as atribuições do cargo, incluindo a compatibilidade de deficiência, no caso dos candidatos aprovados que indicaram suas deficiências, apurada pelo Serviço Médico da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Ponte Nova.

3.11 Possuir todos os requisitos exigidos para o cargo constante neste Edital, com documentação hábil na data da designação.

3.12 Cumprir as determinações deste Edital.

4 Das inscrições e procedimentos afins

4.1 Locais, horários e procedimentos para inscrição:

4.1.1 Período: de 03 de novembro a 12 de novembro de 2010.

4.1.2 Local e horário das inscrições:

4.1.2.1 Presenciais:

Local: Centro Vocacional Tecnológico - CVT

Endereço: Rua Assad Zaidan, nº 165 - Bairro Palmeiras

Horário: das 08 às 18 horas, em dias úteis.

4.1.2.1.1 - Para concretização da inscrição presencial, o candidato deverá comparecer munido de documento de identidade, de CPF, além de efetuar o pagamento de sua inscrição no Banco do Brasil, cujo boleto terá o valor de R$ 2,00 já incluído no valor da inscrição.

4.1.2.2 Pela internet, no site www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php, entre 08 horas do dia 03/11/2010 e 20 horas do dia 12/11/2010.

4.1.2.2.1 Após a confirmação da inscrição eletrônica, via internet, que ocorrerá ao término da operação, o candidato deverá imprimir o boleto bancário para efetuar o pagamento da taxa de inscrição.

4.1.2.2.2 O boleto bancário a que se refere o subitem 4.1.2.2.1 será emitido em nome do candidato e deverá ser pago impreterivelmente, até o dia 12/11/2010. O candidato não deverá realizar depósito bancário, e, sim, pagamento do respectivo boleto.

4.1.2.2.3 O boleto bancário poderá ser pago em qualquer agência da rede bancária, casas lotéricas e agências dos Correios, obedecendo aos critérios estabelecidos constantes no boleto bancário.

4.1.2.2.4 O recibo do pagamento do boleto bancário será o comprovante de que o candidato realizou sua inscrição no presente Processo Seletivo Público via internet.

4.1.2.2.5 Não será válida a inscrição, via internet, cujo pagamento seja realizado em desobediência ao determinado no subitem 4.1.2.2.2 e cujo pagamento não seja por meio da quitação do boleto bancário.

4.1.2.2.6 A inscrição do candidato, via internet, somente será concretizada após a confirmação do pagamento da taxa de inscrição.

4.1.2.2.7 Após o pagamento do boleto bancário, o que acarretará na efetiva inscrição do candidato no Processo Seletivo Público do Município de Ponte Nova, em hipótese alguma será realizado qualquer troca de cargo, devendo o candidato conferir as informações constantes no corpo do boleto bancário, em especial aquela que define o cargo pretendido.

4.1.2.2.8 A FAUF não se responsabilizará por solicitação de inscrição não recebida por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores que impossibilitem a transferência de dados, quando ficarem comprovadas que as falhas não forem de responsabilidade da Comissão Organizadora do Processo Seletivo Público.

4.2 Taxa de inscrição: conforme disposto no Quadro 1, deste Edital.

4.3 Dos pedidos de isenção da taxa de inscrição:

4.3.1 O candidato poderá solicitar isenção da taxa de inscrição, desde que atenda aos requisitos previstos no Decreto nº 6.593, de 02/10/2008, publicado no Diário Oficial da União, em 03/10/2008, Seção 1, Pág. 3, quais sejam: I - estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - CadÚnico, e II - for membro de família de baixa renda (aquela com renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou a que possua renda familiar mensal de até três salários mínimos), nos termos do Decreto nº 6.135, de 2007.

4.3.1.1 Será disponibilizado no endereço eletrônico www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php formulário próprio de requerimento para isenção da referida taxa (Anexo III).

4.3.1.1.1 As informações prestadas no formulário serão de inteira responsabilidade do candidato, respondendo este por qualquer falsidade.

4.3.1.2 É imprescindível a indicação no requerimento, pelo candidato, do Número de Identificação Social - NIS -, atribuído pelo CadÚnico.

4.3.1.3 A solicitação de isenção deverá ser protocolada no seguinte local: Centro Vocacional Tecnológico - CVT, Rua Assad Zaidan, nº 165 - bairro Palmeiras, Ponte Nova - MG, exclusivamente no período de 26 a 29/10/2010, em dias úteis e no horário de 13 às 17h.

4.3.1.3.1 Solicitações encaminhadas fora do prazo referido no subitem 4.3.1.3 não serão consideradas, bem como complementação da documentação, revisão e/ou recurso.

4.3.1.3.2 Não será aceita solicitação de isenção de pagamento da taxa de inscrição via postal, via fax ou via correio eletrônico.

4.3.1.4 A FAUF consultará o órgão gestor do CadÚnico para verificar a veracidade das informações prestadas pelo candidato da situação disposta no item 4.3.1.

4.3.1.5 A divulgação do resultado das solicitações de isenção será no dia 05/11/2010, no endereço eletrônico www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php.

4.3.1.6 É de exclusiva responsabilidade do candidato informar-se sobre o resultado da isenção.

4.3.1.7 O candidato que tiver sua solicitação de isenção deferida estará automaticamente inscrito no Processo Seletivo Público.

4.3.1.8 O candidato que tiver a sua solicitação de isenção indeferida deverá realizar a sua inscrição e efetuar o pagamento da taxa de inscrição nos termos do subitem 4.1.2.

4.3.1.9 O candidato que tiver a sua solicitação de isenção indeferida e que não realizar a sua inscrição, bem como não efetuar o pagamento da taxa de inscrição na forma e no prazo estabelecido, conforme subitem 4.1.2 deste Edital, estará automaticamente excluído do Processo Seletivo Público.

4.4 Condições Gerais:

4.4.1 É vedada a inscrição condicional, a extemporânea, a via postal, a via fax ou a via correio eletrônico.

4.4.2 Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) do candidato.

4.4.3 É vedada a transferência do valor pago a título de taxa para terceiros ou para outros concursos e/ou processos seletivos.

4.4.4 No caso de hipóteses inesperadas, inclusive em caso de não realização ou suspensão do Processo Seletivo, o candidato terá direito à devolução do valor pago a título de inscrição.

4.4.5 O comprovante de inscrição ou o comprovante de pagamento da taxa de inscrição deverá ser mantido em poder do candidato.

4.4.6 Ao confirmar sua inscrição, o candidato estará declarando que os dados estão completos e corretos, que atende às condições exigidas e que aceita todas as normas expressas neste Edital.

4.4.7 As informações prestadas na inscrição, via internet, via inscrição presencial ou via pedido de isenção de pagamento da taxa de inscrição são de inteira responsabilidade do candidato, devendo este conferir a exatidão dos dados cadastrais informados no ato da inscrição. Observado algum equívoco ou informação inexata com relação aos dados cadastrais, o candidato deverá procurar a FAUF para a devida correção até o dia da realização das provas, desde que a informação prestada não comprometa a lisura do processo e não altere a opção do cargo escolhido.

4.4.8 A inscrição só será efetivada após o pagamento do boleto bancário, respeitado o prazo determinado para isso. Pagamentos efetuados após o dia 12/11/2010 não serão, em hipótese alguma, considerados, o que implicará a não efetivação da inscrição.

4.4.8.1 O candidato que efetuar o recolhimento da taxa de inscrição por cheque terá sua inscrição confirmada somente após sua compensação, ficando automaticamente anulada a inscrição do candidato cujo cheque tenha sido devolvido por insuficiência de fundos ou outros motivos.

4.4.8.2 Apenas efetuar o pagamento da taxa de inscrição não significa que o candidato se inscreveu. A inscrição somente será acatada após a confirmação, pelo banco, do pagamento da taxa de inscrição.

4.4.8.3 Agendamentos bancários sem a devida efetivação do pagamento não serão considerados, o que implicará a não efetivação da inscrição.

4.4.9 A constatação, em qualquer época, de irregularidade, inexatidão de dados ou declaração falsa na inscrição implicará a eliminação do candidato, com a anulação de todos os atos dela decorrentes, inclusive resultados de provas já efetuadas, garantindo ao candidato o direito de impetrar recursos, no prazo de 02 (dois) dias úteis, após o recebimento da notificação encaminhada pela FAUF e/ou pelo Município de Ponte Nova, fins de garantir o direito ao contraditório e a ampla defesa.

4.4.10 O candidato que necessitar de atendimento especial para a realização das provas deverá encaminhar ao presidente da FAUF, diretamente ou por via postal, até o dia 19/11/2010, impreterivelmente, solicitação especificando qual a necessidade demandada e laudo médico (original ou cópia autenticada), que justifique o atendimento especial, à Praça Frei Orlando, nº 170, em São João del-Rei - MG, CEP 36307-352.

4.4.10.1 No caso de postagem via Correios, com custos por conta do candidato, a data de postagem deverá obedecer ao prazo estipulado no subitem 4.4.10.

4.4.10.2 Após o prazo definido no subitem 4.4.10, o candidato, que não fizer essa solicitação, não terá a prova preparada sob qualquer alegação.

4.4.10.3 O fornecimento de laudo médico, por qualquer via, é de responsabilidade exclusiva do candidato. A FAUF não se responsabiliza por qualquer tipo de extravio que impeça a chegada do laudo ao seu destino.

4.4.10.4 O respectivo laudo valerá somente para este Processo Seletivo Público, não será devolvido e não serão fornecidas cópias desse documento pela FAUF.

4.4.11 Não será aceita a inscrição do mesmo candidato em mais de um cargo, função ou especialidade.

4.4.12 Ao realizar sua inscrição, o candidato declara conhecer e estar de acordo com as exigências contidas no presente Edital, além do pleno conhecimento de que, depois de designado:

a) não poderá mudar de cargo sem outro Processo Seletivo Público;

b) deverá assumir a vaga em qualquer ponto do município, sem direito a qualquer benefício adicional;

c) as vagas serão preenchidas de acordo com a necessidade do município, durante o prazo de validade do Processo Seletivo.

4.4.13 O Comprovante Definitivo de Inscrição para todos os candidatos estará disponível no endereço eletrônico www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php a partir do dia 24/11/2010 até a data da realização da prova objetiva.

4.4.13.1 Para o candidato que fizer a inscrição presencial, o Comprovante Definitivo de Inscrição poderá ser retirado no mesmo local e horário das inscrições presenciais nos dias 24 a 26/11/2010.

4.4.13.2 É de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção desse documento.

4.4.13.3 No Comprovante Definitivo de Inscrição constarão, além dos dados do candidato, os dados relativos ao dia, horário e local de realização das provas do Processo Seletivo Público.

4.4.13.4 É obrigação do candidato conferir as informações do Comprovante Definitivo de Inscrição, principalmente cargo, nome completo do candidato, número da cédula de identidade, sigla do órgão expedidor, estado emitente, data de nascimento, sexo do candidato e número de inscrição.

4.4.13.5 O Comprovante Definitivo de Inscrição deverá ser apresentado para acesso ao local de realização das provas juntamente com o documento de identidade utilizado para a inscrição.

4.5 Estão impedidos de participar do Processo Seletivo Público:

4.5.1 os aposentados por invalidez;

4.5.2 os demitidos por justa causa dos Poderes, Órgãos e Entidades das administrações direta e indireta do Município de Ponte Nova.

4.5.3 os que tiverem sido condenados em processo criminal, cumprindo pena e com sentença transitada em julgado.

5 Das etapas do Processo Seletivo Público

5.1 O Processo Seletivo consistirá de uma única etapa, conforme o cargo de opção do candidato, sendo aplicada para todos os cargos, descritos no Quadro 1, e consistirá na realização de uma prova objetiva de Conhecimento Geral e outra de Conhecimento Específico, ambas de caráter eliminatório e classificatório, nos termos dos subitens abaixo.

5.1.1 A prova de Conhecimento Geral será aplicada a todos os cargos e abrangerá os conteúdos de Língua Portuguesa e Atualidades.

5.1.1.1 Esta prova terá o valor de 75 (setenta e cinco) pontos e será constituída de 15 (quinze) questões de múltipla escolha (com quatro alternativas cada questão), sendo 10 (dez) de Língua Portuguesa e 05 (cinco) de Atualidades.

5.1.1.2 Será atribuído a cada uma das questões desta prova o valor de 5,0 (cinco) pontos.

5.1.2 A prova de Conhecimento Específico será aplicada a todos os cargos e enfocará aspectos teóricos, teórico-práticos e legislação, relativos ao cargo.

5.1.2.1 Esta prova terá o valor de 25 (vinte e cinco) pontos e será constituída de 05 (cinco) questões, conforme Anexo I.

5.1.2.2 Será atribuído a cada uma das questões desta prova o valor de 5,0 (cinco) pontos.

5.1.3 Para ser aprovado, o candidato terá que obter, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) dos pontos das provas.

6 Data de realização das provas e outras condições

6.1. Provas Objetivas (Conhecimento Geral e Conhecimento Específico) para todos os cargos:

- Data: 28 de novembro de 2010.

- Horário: das 9 às 11h e/ou das 13h às 14h, de acordo com o cargo.

- Local: a ser informado no Comprovante Definitivo de Inscrição, que deverá ser impresso pelo candidato conforme consta no item 4.4.13 deste Edital.

6.2. O ingresso do candidato à sala onde deverá realizar a Prova Objetiva só será permitido dentro do horário estabelecido, com a apresentação do Comprovante Definitivo de Inscrição, juntamente com o documento de identidade apresentado no ato da inscrição.

6.3 É de exclusiva responsabilidade do candidato a verificação e o estrito cumprimento do horário das provas e do seu local de realização definido no Comprovante Definitivo de Inscrição.

6.4 O candidato deverá comparecer ao local de realização das provas, com antecedência mínima de 60 (sessenta) minutos do horário fixado para o seu início, portando caneta esferográfica de tinta preta, lápis nº 2, borracha, Comprovante Definitivo de Inscrição e documento de identidade utilizado no ato da inscrição.

6.4.1 Os portões de acesso às salas onde serão aplicadas as provas serão fechados, impreterivelmente, no horário estabelecido para o início da aplicação das provas, nos termos do item 6.1.

6.4.2 São considerados documentos de identidade para o preenchimento do requerimento de inscrição: carteiras expedidas pelos Ministérios Militares, pelas Secretarias de Segurança Pública, pelos Corpos de Bombeiros Militares e pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional (Ordens, Conselhos etc.); passaporte, carteiras funcionais expedidas por órgão público reconhecido por lei como identidade; Carteira Nacional de Habilitação (com fotografia, na forma da Lei nº 9.503/97) e Carteira de Trabalho.

6.4.3 Não serão aceitos como documento de identidade: certidões de nascimento, CPF, títulos eleitorais, carteiras de motorista (modelo sem foto), carteiras de estudante, carteiras funcionais sem valor de identidade, nem documentos ilegíveis, não identificáveis e/ou danificados, sendo automaticamente eliminado do Processo Seletivo Público o candidato que apresentar qualquer um desses documentos.

6.4.4 Na hipótese de perda, furto ou roubo do documento citado na inscrição, o candidato deverá apresentar registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo, 90 (noventa) dias, acompanhado de outro documento de identificação citado no item 6.4.2.

6.5 O candidato que chegar após o fechamento dos portões terá vedada a sua entrada no local e será automaticamente eliminado do Processo Seletivo Público.

6.5.1 Em hipótese alguma, a prova será aplicada fora do local predeterminado e/ou em horário diferente daquele constante no Comprovante Definitivo de Inscrição.

6.6 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização das provas deverá solicitar atendimento especial no ato da inscrição e levar um acompanhante, que ficará em sala reservada para essa finalidade e que será o responsável pela guarda da criança.

6.6.1 A candidata que não levar acompanhante não fará jus ao direito de amamentar durante a realização das provas

6.7 O candidato deverá transcrever as respostas das provas objetivas para o cartão de respostas.

O preenchimento do cartão de respostas será de inteira responsabilidade do candidato, que deverá proceder em conformidade com as instruções específicas contidas neste Edital e no cartão de respostas. Em hipótese alguma, haverá substituição do cartão de respostas por erro do candidato.

6.7.1 O candidato não deverá amassar, molhar, dobrar, rasgar, manchar ou, de qualquer modo, danificar o seu cartão de respostas, sob pena de arcar com os prejuízos advindos da impossibilidade de realização da leitura ótica.

6.7.2 Na correção do cartão de respostas, será atribuída nota zero à questão que contiver mais de uma ou nenhuma resposta assinalada, emendas ou rasuras.

6.7.3 O candidato é responsável pela conferência de seus dados pessoais, em especial seu nome, seu número de inscrição, o cargo pretendido e os números de seu documento de identidade e CPF, contidos no cartão de respostas.

6.8 Não haverá segunda chamada para a realização de prova. O não comparecimento a qualquer uma das provas implica a eliminação do candidato.

6.9 O candidato, ao encerrar a prova, entregará obrigatoriamente ao fiscal da sala o cartão de respostas devidamente assinado e preenchido e poderá, a seu critério, levar o caderno de provas.

6.10 O candidato só poderá se retirar da sala de aplicação das provas após 60 (sessenta) minutos de seu início (período de sigilo), se assim lhe aprouver, não lhe sendo facultado, porém, permanecer dentro do espaço físico reservado para a aplicação das provas.

6.11 Não haverá prorrogação do tempo previsto para a aplicação das provas em razão do afastamento do candidato da sala de provas.

6.12 Não será permitida, durante a realização das provas, a comunicação entre os candidatos nem a utilização de máquinas calculadoras e/ou similares, livros, anotações, réguas de cálculo, impressos ou qualquer outro material de consulta, inclusive códigos e/ou legislação.

6.13 Os 03 (três) últimos candidatos a permanecerem na sala somente poderão entregar as respectivas folhas de respostas e retirar-se do local simultaneamente.

6.14 Durante a realização das provas, será adotado o procedimento de identificação civil dos candidatos, mediante verificação do documento de identidade e coleta da assinatura e/ou das impressões digitais de cada um. O candidato que se negar a ser identificado terá sua prova anulada e, com isso, será automaticamente eliminado do Processo Seletivo Público.

6.15 Será excluído, do certame, o candidato que:

6.15.1 Ausentar-se do recinto da prova sem permissão ou praticar ato de incorreção ou descortesia para com qualquer examinador, executor e seus auxiliares incumbidos da realização das provas.

6.15.2 Utilizar-se de quaisquer fontes de consultas não autorizadas, como livros, máquinas de calcular ou equipamento similar, dicionário, notas e impressos, entre outros.

6.15.3 For surpreendido em comunicação verbal, escrita ou gestual com outro candidato.

6.15.4 Não devolver o cartão de respostas devidamente assinado.

6.15.5 Utilizar processos ilícitos ou imorais na realização das provas comprovados posteriormente por meio visual ou grafotécnico.

6.15.6 Utilizar, no horário de aplicação das provas, aparelhos eletrônicos, tais como telefone celular, BIP, walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, MP3, MP4, MP5, receptor, gravador, máquina de calcular, máquina fotográfica, ou quaisquer outros meios que sugiram possibilidade de comunicação.

6.15.7 Afastar-se da sala, a qualquer tempo, sem o acompanhamento do fiscal.

6.15.8 Afastar-se da sala, a qualquer tempo, portando o cartão de respostas.

6.15.9 Perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamento indevido.

6.15.10 Não permitir a coleta de sua assinatura nos procedimentos inerentes a este Processo Seletivo Público.

6.16 O gabarito das provas objetivas será divulgado no mesmo dia de sua aplicação, a partir das 18h, no endereço eletrônico www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php.

7 Da Classificação Final e Homologação

7.1 A classificação final dos candidatos aos cargos que possuem apenas 01 (uma) etapa será elaborada na ordem decrescente do total dos pontos obtidos nas provas de Conhecimento Geral e de Conhecimento Específico, aplicando o disposto no subitem 1.1.2.

7.1.1 Em caso de empate nesta Etapa, será classificado o candidato que:

7.1.1.1 possuir mais de sessenta anos;

7.1.1.2 obtiver maior número de pontos na prova de Conhecimento Específico;

7.1.1.3 obtiver maior número de pontos no conteúdo de Língua Portuguesa da prova de Conhecimento Geral;

7.1.1.4 obtiver maior número de pontos no conteúdo de Atualidades da prova de Conhecimento Geral;

7.1.1.5 for mais velho.

7.2 A publicação do resultado final do Processo Seletivo Público será feita em 04 (quatro) listas, a saber:

a) lista de todos os candidatos aprovados, inclusive os portadores de necessidades especiais, em ordem de classificação, com sua respectiva nota final total;

b) lista de todos os candidatos portadores de necessidades especiais aprovados, em ordem alfabética, com sua respectiva nota final total e sua classificação entre esses candidatos;

c) lista de todos os candidatos aprovados, inclusive os portadores de necessidades especiais, em ordem alfabética, com sua respectiva nota final total e classificação;

d) lista detalhada de todos os candidatos aprovados ou não, inclusive os portadores de necessidades especiais, em ordem de inscrição, com todas as notas das provas e situação final no Processo Seletivo Público, cuja identificação será feita por meio do número da inscrição e/ou do documento de identidade, preservando a identidade do candidato.

7.3 Apurada a classificação, por meio dos resultados finais, o Processo Seletivo Público será homologado pelo Prefeito do Município de Ponte Nova.

8 Dos recursos

8.1 Os recursos poderão ser feitos pela internet, no endereço eletrônico www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php, ou protocolados no setor de protocolos da Prefeitura Municipal de Ponte Nova, à Av. Caetano Marinho, nº 306 - Centro - 1º andar.

8.1.1 Os recursos interpostos via internet serão em formulário eletrônico próprio, devendo o candidato preencher todas as informações solicitadas.

8.1.2 Os recursos protocolados nos locais onde ocorreram as inscrições presenciais deverão ser apresentados da seguinte forma:

a) digitado ou datilografado em duas vias;

b) dentro do prazo estipulado nos itens 8.2, 8.3 e 8.4.

c) em folhas separadas para cada questão que o candidato venha a recorrer;

d) com indicação do número da questão, da resposta marcada pelo candidato e da resposta divulgada pela coordenação do Processo Seletivo Público;

e) com argumentação lógica, consistente e com citação da bibliografia consultada pelo candidato;

f) sem qualquer identificação do candidato no corpo do recurso;

g) com capa que conste o nome, o número de inscrição, o cargo, o endereço completo e a assinatura do candidato

8.2 Fica assegurado aos candidatos o direito de impugnar os termos do presente Edital até a data fixada para o início das inscrições, conforme disposto no item 4.1.1 deste Edital.

8.3 Fica assegurado aos candidatos o direito de impetrarem recursos para as situações citadas no subitem 4.4.9 constante neste Edital, no prazo de 02 (dois) dias úteis, após o recebimento da notificação encaminhada pela FAUF e/ou pelo Município de Ponte Nova, com fins de garantir o direito ao contraditório e à ampla defesa, no protocolo da Prefeitura Municipal, Av. Caetano Marinho, nº 306 - Centro - 1º andar.

8.4 Caberá interposição de recurso, no prazo de 02 (dois) dias úteis, contados a partir da divulgação do gabarito e dos resultados, excluindo-se da contagem o dia da divulgação, contra as seguintes situações:

a. elaboração de questões e gabarito das provas objetivas, desde que devidamente demonstrado o erro material;

b. erros ou omissões na atribuição de pontos da prova objetiva;

c. erros ou omissões na atribuição na classificação;

8.5 Não serão aceitos recursos coletivos.

8.6 Na hipótese de alteração do gabarito oficial, por provimento de algum recurso, a prova será corrigida de acordo com o novo gabarito.

8.7 Na hipótese de acontecer alteração em alguma questão da prova em virtude de problemas de digitação, a questão não será anulada caso todos os candidatos sejam comunicados dentro do período de sigilo, não cabendo recurso para tal.

8.8 Se do exame de algum recurso administrativo ou por decisão judicial resultar anulação de questão de prova, os pontos correspondentes serão atribuídos a todos os candidatos, ainda que estes não tenham recorrido ou ingressado em juízo.

8.9 O recurso interposto em desacordo com o Edital ou fora do prazo estabelecido não será considerado.

8.10 O prazo para interposição de recurso é preclusivo e comum a todos os candidatos.

8.11 Não será aceito recurso via fax, via correio eletrônico, ou entregue em local diverso daquele estipulado no item 8.1, ou, ainda, fora do prazo.

8.12 Os resultados da análise dos recursos serão disponibilizados em até 05 (cinco) dias úteis após o prazo definido nos itens 8.2, 8.3 e 8.4 no endereço eletrônico www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php.

9 Da designação dos candidatos aprovados

9.1. Havendo candidatos aprovados, todas as vagas necessárias serão preenchidas dentro do prazo de validade do Processo Seletivo Público.

9.2 A designação dos aprovados no Processo Seletivo Público obedecerá à ordem de classificação final constante da homologação.

9.3 A designação dependerá, ainda, de prévia aprovação do candidato em exames de sanidades física e mental, a serem realizados por médicos credenciados pela Secretaria Municipal de Saúde do Município de Ponte Nova.

9.5 O candidato aprovado, quando designado, além de satisfazer às condições legais para provimento de cargo público temporário, deverá apresentar, no ato da designação, os seguintes documentos, autenticados em cartório ou com apresentação dos originais e fotocópias que serão conferidas e autenticadas pelos funcionários da Divisão de Recursos Humanos do Município de Ponte Nova.

9.5.1 Fotocópia da Certidão de Nascimento ou Certidão de Casamento.

9.5.2 Fotocópia do Título de Eleitor e comprovação de estar em dia com a Justiça Eleitoral.

9.5.3 Certificado de Reservista, se do sexo masculino.

9.5.4 Carteira de Identidade.

9.5.5 Cartão de cadastro no PIS/PASEP.

9.5.6 Duas fotos 3 x 4 recentes.

9.5.7 Cartão do CPF.

9.5.8 Fotocópia do Diploma ou Certificado de Conclusão dos cursos exigidos para comprovação da escolaridade prevista no Quadro 1 deste Edital e da habilitação respectiva, segundo a exigência do respectivo cargo.

9.5.9 Comprovante de estar devidamente inscrito no órgão fiscalizador da profissão, para os candidatos cujos cargos sejam regulados por Conselhos e/ou Órgãos de Classe.

9.5.10 Laudo médico favorável, fornecido pelo Serviço Médico competente da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Ponte Nova, ou o que por eles tenham sido credenciado para tal fim, atestando que o candidato reúne as condições necessárias ao exercício do cargo para o qual foi aprovado.

9.5.11 Atestado de antecedentes criminais a ser expedido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (Fórum da Comarca).

9.5.12 Declaração de bens e valores que constituem seu patrimônio na forma da lei, bem como declaração de não acumulação de cargo, emprego ou função pública contrário à Constituição Federal.

9.5.13 Comprovante de residência.

9.5.14 Carteira Nacional de Habilitação (para os cargos de Motorista e Operador de Máquinas).

9.6 O prazo para designação será de 02 (dois) dias, contados da entrega da comunicação no endereço indicado pelo candidato, ou na hipótese da não localização do endereço ou de mudança do candidato sem prévio conhecimento, contados da publicação de edital de convocação afixado nos locais costumeiros ou por órgão oficial.

9.6.1 Será tornada sem efeito a designação do candidato que, por qualquer motivo, não apresentar, no prazo da designação, a documentação completa exigida neste item, prazo esse que poderá ser prorrogado por igual período mediante solicitação fundamentada do interessado e despacho da Divisão de Recursos Humanos do Município de Ponte Nova.

9.6.2 Não ocorrendo a designação no prazo previsto, o ato convocatório tornar-se-á sem efeito, passando a convocação ao candidato imediatamente classificado.

9.6.3 O exercício do cargo terá início dentro do prazo máximo de 02 (dois) dias, contados a partir da data da designação.

9.7 O candidato aprovado e designado submeter-se-á ao Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Ponte Nova.

10 Das disposições finais

10.1 À FAUF reserva-se o direito de alterar o horário, o local e a data de realização das provas, responsabilizando-se, contudo, pela divulgação, com a devida antecedência.

10.2 Todas as publicações, convocações, avisos e resultados serão afixados no quadro de aviso do Município de Ponte Nova, da FAUF e disponibilizados no site da FAUF, no seguinte endereço: www.ufsj.edu.br/fauf/processoseletivo_pontenova.php.

10.3 As eventuais sugestões de matérias constantes do Programa de Provas (Anexo I) deste Edital não constituem a única fonte para formulação das questões das provas objetivas, as quais poderão basear-se em outras, observando-se, no entanto, a escolaridade exigida para o cargo.

10.4 Os prazos estabelecidos neste Edital são preclusivos, contínuos e comuns a todos os candidatos, começando a correr a partir da data de divulgação, excluindo-se da contagem o dia do começo e incluindo-se o do vencimento.

10.5 O prazo de validade deste Processo Seletivo Público, na forma da legislação municipal própria, será de 02 (dois) anos, a contar da data de sua homologação, podendo ser prorrogado, 01 (uma) vez, por igual período.

10.6 Não será fornecido ao candidato qualquer documento comprobatório de classificação e/ou notas no Processo Seletivo Público, valendo, para esse fim, a homologação dos resultados.

10.6.1 Qualquer informação após a publicação da homologação dos resultados, o candidato deverá solicitá-la ao Município de Ponte Nova, através da SEGERH - Secretaria Municipal de Gestão e Recursos Humanos.

10.7 O Município de Ponte Nova e a FAUF não se responsabilizam por quaisquer cursos, textos ou apostilas referentes a este Processo Seletivo Público.

10.8 Ao inscrever-se no presente Processo Seletivo Público, o candidato declara conhecer, aceitar e obedecer plenamente aos termos do presente Edital e de possuir os documentos comprobatórios das condições nele exigidas.

10.9 O candidato é obrigado a manter seus dados atualizados junto à FAUF, durante a realização do Processo Seletivo Público, e, após a divulgação dos resultados, junto ao Município de Ponte Nova.

10.10 Outras informações poderão ser obtidas junto à Secretaria do Processo Seletivo Público, pelo telefone (32) 3379-2371, no horário das 9 às 11h30min e das 14 às 17h, em dias úteis.

10.11 Mesmo quando a inscrição presencial for realizada por servidores da Prefeitura Municipal de Ponte Nova, as informações constantes na ficha de inscrição é de responsabilidade exclusiva do candidato, devendo este conferir a exatidão dos dados antes de efetuar o pagamento da taxa de inscrição.

10.12 Ao realizar sua inscrição, o candidato está ciente que o presente Processo Seletivo não gera direito à nomeação para o exercício de cargo efetivo do Município.

10.13 Os candidatos aprovados nos Processos Seletivos 001/2010, 004/2010, 005/2010 e 006/2010 que porventura não tenham sido convocados, terão prioridade de contratação enquanto perdurar a vigência dos mesmos.

10.14 Os casos omissos serão resolvidos pela equipe de Coordenação do Processo Seletivo Público, composta por representantes da FAUF e do Município de Ponte Nova.

São João del-Rei, 25 de outubro de 2010.

JUCÉLIO LUIZ DE PAULA SALES
Presidente
Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-Rei

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DO GOVERNO DO MUNICÍPIO DE PONTE NOVA

EDITAL Nº 015, DE 25/10/2010

ANEXO I - PROGRAMA DE PROVAS

ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO (4ª SÉRIE)

CONHECIMENTO GERAL

LÍNGUA PORTUGUESA

- Interpretação de texto

- Ortografia

- Acentuação gráfica

- Pontuação

- Classificação das palavras:

- Substantivo

- Artigo

- Adjetivo

- Numeral

- Pronome

- Verbo

- Advérbio

- Concordâncias nominal e verbal

- Regência verbal

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ANDRÉ, Hildebrando A. de. Gramática Ilustrada. 3. ed. São Paulo: Ática, 1987.

- CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. 20. ed. São Paulo: Nacional, 1989.

- CIPRO NETO, Pasquale; INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 2003.

- FARACO, Carlos Emílio; MOURA, Francisco Marto de. Gramática. 12. ed. São Paulo: Ática, 1999.

- NICOLA, José de; INFANTE, Ulisses. Gramática Contemporânea da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1989.

- SAVIOLI, Francisco Platão. Gramática em 44 lições. São Paulo: Ática, 1995.

- Textos de jornais, revistas e de livros didáticos.

ATUALIDADES

- A geografia do Brasil: Os principais fenômenos naturais modeladores da paisagem (clima, vegetação, hidrografia); Aspectos humanos e a organização do espaço brasileiro (características da economia e da população do Brasil).

- Meio ambiente: principais problemas ambientais da atualidade (o ciclo da água e a drenagem urbana, as mudanças climáticas, queimadas, biodiversidade e diversidade cultural, desmatamentos, diferentes tipos de poluição); Ações do poder público e da sociedade em defesa do meio ambiente.

- Principais aspectos das culturas brasileira e regional: a construção da identidade cultural na relação entre o local e o global.

- Aspectos relacionados à saúde publica: os principais problemas que afetam a saúde (Subnutrição, Doenças sexualmente transmissíveis DSTs , doenças infecto contagiosas, Dengue, doenças decorrentes do não tratamento da água e do esgoto) e as ações necessárias ao seu combate.

- Sociedade brasileira no século XX e inicio do XXI: aspectos históricos, políticos, econômicos e culturais.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- Internet

- Livros

- Revistas

- Jornais e telejornais e/ou programas educativos que tratam dos temas expostos.

CONHECIMENTO ESPECÍFICO

CARGO: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS

- Limpeza de pisos, tapetes, móveis e objetos diversos;

- Limpeza de paredes, tetos, portas, rodapés, luminárias, vidraças e persianas;

- Limpeza de ralos, caixa de gordura, vasos e pias;

- Polimento de objetos, peças e placas de metal;

- Transporte de móveis, máquinas e utensílios;

- Uso e cuidados com materiais de limpeza e higiene, detergente, desinfetante e defensivo;

- Limpeza de ruas e coleta de lixo;

- Prevenção de acidentes;

- Vigilância do patrimônio;

- Manutenção de pequenos reparos em instalações prediais;

- Regras básicas de comportamento profissional para o trato diário com o público interno e externo e colegas de trabalho;

CARGO: BORRACHEIRO

- Uso e cuidados com as ferramentas, máquinas e equipamentos;

- Conhecimentos geral e específico das técnicas de lubrificação de veículos automotores;

- Sistema de suspensão: conserto, troca e recuperação;

- Técnicas de borracharia, ferramentas, suas utilidades e peças;

- Consertos de rodas, pneus, avanços tecnológicos, rolamentos de rodas, lavagem e lubrificações do sistema de rodas;

- Noções de segurança no trabalho e prevenção de acidentes;

- Regras de hierarquias no serviço público municipal;

- Regras de comportamento no ambiente de trabalho;

- Regras básicas de comportamento profissional para o trato com o público interno e externo e colegas de trabalho.

CARGO: CALCETEIRO

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Tipos de calçamento público;

- Forma de Limpeza de leitos carroçáveis;

- Forma de limpeza de passeios públicos;

- Tipos de pedras empregadas;

- Conservação;

- Princípios de segurança no trabalho.

CARGO: COZINHEIRO

- A importância de uma alimentação saudável: noções básicas de uma alimentação saudável;

- Noções básicas sobre higiene e limpeza: noções de higiene, saúde corporal e cuidado pessoal no ambiente de trabalho;

- Higiene e limpeza da cozinha, do refeitório e áreas afins;

- Higiene e limpeza dos utensílios e dos equipamentos;

- Higiene dos alimentos: higiene na manipulação dos alimentos;

- Segurança no ambiente de trabalho: segurança individual e coletiva no ambiente de trabalho;

- Utilização de equipamentos de proteção individual;

- Manuseio e segurança no uso dos utensílios e equipamentos;

- Noções básicas de prevenção de acidentes no trabalho;

- Etapas do processo de produção de refeições: recebimento, guarda e segurança dos alimentos;

- Noções básicas de culinária;

- Distribuição das refeições.

CARGO: ELETRICISTA

- Corrente elétrica; tensão; voltagem;

- Tipos de ligações;

- Unidades de medidas; aparelhos de medidas;

- Condutores; cabos; relês; reostatos;

- Tipos de transformadores; motores;

CARGO: MARCENEIRO/CARPINTEIRO

- Ferramentas utilizadas;

- Lixamento; selador;

- Madeiras: tipos; emprego;

- Prego: tipos, uso;

- Telhados, consertos de móveis;

- Regras básicas de comportamento profissional para o trato diário com o público interno e externo e colegas de trabalho.

CARGO: MECÂNICO

- Sistema de direção.

- Sistema de transmissão.

- Sistemas de freios.

- Sistema de suspensão.

- Sistemas de ignição, injeções carburada e eletrônica.

- Sistema elétrico.

- Regulagem e operação de motores.

- Montagem, desmontagem e manutenção dos sistemas integrantes dos automóveis e caminhões.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ARIAS-PAZ, Manuel. Manual de automóveis. 3. ed. São Paulo: Mestre Jou, 1978.

- BOSCH, Robert. Manual de tecnologia automotiva. São Paulo: E. Blucher, 1980.

- CHOLLET, H. M. Curso prático e profissional para mecânicos de automóveis. São Paulo: Hemus, 2002.

- FERNANDO, J. G. Autofácil - Manual globo do Automóvel. Rio de Janeiro: Globo, 1986.

- PUGLIESI M. Manual completo do automóvel: mecânica, especificação, manutenção. São Paulo: Hemus,

- RACHE, Marco. Mecânica Diesel Caminhões - Pick-ups. São Paulo: Hemus, 2004.

- WESTGATE, Dave. A eletricidade no automóvel: como funciona como localizar como consertar. São Paulo: Hemus, 1975.

CARGO: MESTRE DE OBRAS

- Uso e cuidados com as ferramentas, máquinas e equipamentos de seu uso no trabalho;

- Execução de obras de alvenaria;

- Assentamento de tijolos, pedras, ladrilhos e cerâmicas;

- Execução de reparos em paredes, tetos, telhados e rebocos;

- Montagem de caixilhos de ferro, arame e solda para construir armação;

- Aplicação de concreto;

- Construção e recuperação de vias públicas e execução de obras civis;

- Manutenção de praças, jardins e outros logradouros e manutenção de áreas internas de instalações prediais;

- Prevenção de acidentes no trabalho;

- Regras de hierarquia no serviço público;

- Regras básicas de comportamento profissional para o trato diário com o público interno e externo e colegas de trabalho;

- Zelo pelo patrimônio público.

CARGO: MOTORISTA

- Código de Transito Brasileiro, abrangendo os seguintes tópicos:

- Sistema Nacional de Transito

- Normas gerais de circulação e conduta

- Pedestres e condutores de veículos não-motorizados

- Sinalização de transito

- Veículos

- Registro de veículos

- Licenciamento

- Condução de escolares

- Infrações

- Penalidades

- Medidas administrativas

- Crimes de transito

- Resoluções do CONTRAN

- Meio ambiente

- Básico de mecânica veicular

- Direção defensiva

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ALMEIDA, Almari. Manutenção de Automóveis. 13. ed. Rio de Janeiro: CIA Grafica Lux, 1999.

- BRASIL, Código de Transito Brasileiro, Lei no 9.503, de 23/09/97 - Brasília: DENATRAN: 1999.

- CRUZ Vermelha Brasileira. Manual do Curso de Formacao de Monitores em Primeiros Socorros, Belo Horizonte: 1990

- MEIO AMBIENTE. Petrópolis: Auriverde, 2000

- RANGEL, Nelici. Cidadania, Meio Ambiente e Trânsito - DM3. Belo Horizonte: Gráfica Mundial Ltda., 2000.

- Site: www.denatran.gov.br

CARGO: OPERADOR DE MÁQUINAS

- Os temas a serem desenvolvidos na prova de Conhecimentos Específicos são aqueles inerentes ao cargo a que concorre o candidato e necessários ao exercício da profissão, tais como:

- Tipos de veículos e máquinas

- Noções básicas de mecânica

- Noções de manutenção

- Código de Trânsito Brasileiro, abrangendo os seguintes tópicos:

- Sistema Nacional de Trânsito

- Normas gerais de circulação e conduta

- Pedestres e condutores de veículos não-motorizados

- Sinalização de trânsito

- Veículos

- Registro de veículos

- Licenciamento

- Condução de escolares

- Infrações

- Penalidades

- Medidas administrativas

- Crimes de trânsito

- Resoluções do CONTRAN

CARGO: PEDREIRO

- Instrumentos utilizados;

- Ferramentas de medição;

- Junções do madeiramento;

- Tipos de nós;

- Tipos de massas;

- Revestimentos de parede;

- Alvenaria; cimento armado;

- Ferragens; vigas; estruturas; fundações.

CARGO: PINTOR

- Instrumentos de trabalho;

- Diluição das tintas;

- Tipos de tintas e uso diversos;

- Trincas;

- Recursos da pintura.

CARGO: PORTEIRO

- Vigilância e proteção de bens, vistorias de portas, janelas e equipamentos;

- Sistemas de segurança, alarme e luzes;

- Controle de portões, registro de entrada e saída de pessoas, veículos e materiais;

- Normas de qualidade no atendimento ao público.

CARGO: SOLDADOR

- Os temas a serem desenvolvidos na prova de Conhecimento Específico são aqueles inerentes ao cargo a que concorre o candidato e necessários ao exercício da profissão, para executar serviços gerais, tais como:

- Sistema de segurança;

- Tipos de gás;

- Armazenamento;

- Tipos de chama;

- Aplicações do processo;

- Princípios básicos do processo;

- Variáveis de processo;

- Classificação de eletrodo;

- Tipos de revestimento;

- Tipos de juntas;

- Aplicações do processo;

- Descontinuidades;

- Soldagem MIG/MAG (Características; Equipamentos; Efeitos das variáveis no processo; Classificação e seleção de consumíveis);

- Segurança no Processo de Soldagem (Incêndios e explosões; Queimaduras; Choque elétrico; Gases e fumos nocivos; Radiação).

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ALCANTARA, Nelson Guedes. Tecnologia de Soldagem - Módulo Básico - Associação Brasileira de Soldagem. 1990.

- ALVARENGA, Solon Ávila. A solda por resistência: noções básicas e aspectos principais. Porto Alegre, 1993.

- HOFFMANN, Salvador. Soldagem: técnicas, manutenção, treinamento e dicas. Porto Alegre: Sagra, 1992.

- MARQUES, Paulo Villani. Tecnologia de Soldagem. Belo Horizonte: UFMG, 1991.

- NORMAS ABNT PARA SOLDAGEM.

- NORMAS AWS PARA SOLDAGEM.

- TANIGUCHI, Célio; OKUMURA, Toshie. Engenharia de Soldagem e Aplicações Livros Técnicos e Científicos. Editora S.A., 1978.

- WAINER, Emílio (Coord.); BRANDI, Sérgio Duarte; MELLO, Fábio Décourt Homem de. Soldagem: processos e metalurgia. São Paulo: E. Blucher, 1992.

CARGO: VIGIA

- Elaboração de boletim de ocorrências;

- Manutenção da ordem e disciplina no local de trabalho;

- Prevenção de acidentes;

- Prevenção de roubos;

- Prevenção de acidentes;

- Vigilância do patrimônio público;

- Controle de entrada e saída de veículos em estacionamentos de repartições públicas;

- Prática de atendimento de telefonemas e anotações de recados;

- Regras básicas de comportamento profissional para o trato diário com o público interno e externo e colegas de trabalho.

ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO (8ª SÉRIE)

CONHECIMENTO GERAL

LÍNGUA PORTUGUESA

- Interpretação de texto

- Ortografia

- Acentuação gráfica

- Pontuação

- Classificação das palavras:

- Substantivo

- Artigo

- Adjetivo

- Numeral

- Pronome

- Verbo

- Advérbio

- Concordâncias nominal e verbal

- Regência verbal

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ANDRÉ, Hildebrando A. de. Gramática Ilustrada. 3. ed. São Paulo: Ática, 1987.

- CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. 20. ed. São Paulo: Nacional, 1989.

- CIPRO NETO, Pasquale; INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 2003.

- FARACO, Carlos Emilio; MOURA, Francisco Marto de. Gramática. 12. ed. São Paulo: Ática, 1999.

- NICOLA, José de; INFANTE, Ulisses. Gramática Contemporânea da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1989.

- SAVIOLI, Francisco Platão. Gramática em 44 lições. São Paulo: Ática, 1995.

- Textos de jornais, revistas e de livros didáticos.

. A geografia do Brasil: Os principais fenômenos naturais modeladores da paisagem (clima, vegetação, hidrografia); Aspectos humanos e a organização do espaço brasileiro (características da economia e da população do Brasil).

- Meio ambiente: principais problemas ambientais da atualidade (o ciclo da água e a drenagem urbana, as mudanças climáticas, queimadas, biodiversidade e diversidade cultural, desmatamentos, diferentes tipos de poluição); Ações do poder público e da sociedade em defesa do meio ambiente.

- Principais aspectos das culturas brasileira e regional: a construção da identidade cultural na relação entre o local e o global.

- Aspectos relacionados à saúde publica: os principais problemas que afetam a saúde (Subnutrição, Doenças sexualmente transmissíveis DSTs , doenças infecto contagiosas, Dengue, doenças decorrentes do não tratamento da água e do esgoto) e as ações necessárias ao seu combate.

- Sociedade brasileira no século XX e inicio do XXI: aspectos históricos, políticos, econômicos e culturais.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- Internet

- Livros

- Revistas

- Jornais e telejornais e/ou programas educativos que tratam dos temas expostos.

CONHECIMENTO ESPECÍFICO

CARGO: AGENTE DE CONTROLE DE ZOONOSE

- Principais Zoonoses de interesse em Saúde Pública transmitidas por animais de criação, transmitidas por animais peridomésticos ou sinantrópicos, transmitidas por animais de origem silvestre, transmitidas por animais domésticos ou de criação, transmitidas por vetores e reservatórios;

- Noções sobre febre amarela e dengue, biologia dos vetores;

- Organização das operações de campo.

- Reconhecimento geográfico, visita domiciliar, criadouros, pesquisa entomológica, tratamento;

- Equipamento de proteção individual, manejo ambiental;

- Participação da comunidade;

- Leishmaniose, biologia dos vetores, ciclo, modo de transmissão, período de incubação;

- Procedimento para o Controle das Populações Animais Urbanas;

- CCZ Centro de Controle de Zoonoses - controle da população canina, posse responsável, vacinação antirrábica;

- Roedores/leptospirose-controle de roedores em área urbanas e rurais;

- Leptospirosesintomas, prevenção e transmissão; Sistemas de informações e Vigilância epidemiológica;

. Doenças de notificação compulsória;

- Animais peçonhentos.

CARGO: AUXILIAR DE CUIDADOR/EDUCADOR

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Limpeza de pisos, tapetes, móveis e objetos diversos;

- Limpeza de paredes, tetos, portas, rodapés, luminárias, vidraças e persianas;

- Uso e cuidados com materiais de limpeza e higiene, detergente, desinfetante e defensivo;

- Prevenção de acidentes;

- Regras básicas de comportamento profissional para o trato diário com o público interno e externo e colegas de trabalho;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM. CARGO: RECEPCIONISTA

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Noções básicas de informática: Editores de textos e planilhas eletrônicas, conceitos básicos de operação com arquivos em ambiente Windows, conhecimentos básicos de Desktop (Área de Trabalho), conhecimentos básicos de arquivos e pastas (diretórios), utilização do Windows Explore: (copiar, mover arquivo, criar diretórios), conhecimentos básicos de Internet.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- 10 Minutos para Aprender Ms Office 2000 - Acklen, Laura / Berkeley Brasil / 431711;

- Aprenda em 24 Horas Windows 98 - Perry, Greg / CAMPUS / 417368;

- As Novidades do Windows 98 - Hummel, Douglas G. / QUARK DO BRASIL / 415690;

- Como Gerenciar Arquivos - Sucesso Profissional - Ashdown, Andy / PUBLIFOLHA / 459405.

ENSINO MÉDIO COMPLETO OU CURSO TÉCNICO (2º GRAU)

CONHECIMENTO GERAL

LÍNGUA PORTUGUESA

- Interpretação de texto.

- Emprego das classes de palavras variáveis e invariáveis.

- Uso do acento grave indicativo de crase.

- Sintaxe:

- Concordâncias nominal e verbal;

- Regências nominal e verbal;

- Colocação pronominal;

- Análise sintática das orações e de termos da oração.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ANDRÉ, Hildebrando A. de. Gramática Ilustrada. 3. ed. São Paulo: Ática, 1987.

- CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. 20. ed. São Paulo: Nacional, 1989.

- CIPRO NETO, Pasquale; INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 2003.

- FARACO, Carlos Emilio; MOURA, Francisco Marto de. Gramática. 12. ed. São Paulo: Ática, 1999.

- NICOLA, José de; INFANTE, Ulisses. Gramática Contemporânea da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1989.

- SAVIOLI, Francisco Platão. Gramática em 44 lições. São Paulo: Ática, 1995.

- Textos de jornais, revistas e de livros didáticos.

ATUALIDADES

- A geografia do Brasil: Os principais fenômenos naturais modeladores da paisagem (clima, vegetação, hidrografia); Aspectos humanos e a organização do espaço brasileiro (características da economia e da população do Brasil).

- Meio ambiente: principais problemas ambientais da atualidade (o ciclo da água e a drenagem urbana, as mudanças climáticas, queimadas, biodiversidade e diversidade cultural, desmatamentos, diferentes tipos de poluição); Ações do poder público e da sociedade em defesa do meio ambiente.

- Principais aspectos das culturas brasileira e regional: a construção da identidade cultural na relação entre o local e o global.

. Aspectos relacionados à saúde publica: os principais problemas que afetam a saúde (Subnutrição, Doenças sexualmente transmissíveis DSTs , doenças infecto contagiosas, Dengue, doenças decorrentes do não tratamento da água e do esgoto) e as ações necessárias ao seu combate.

- Sociedade brasileira no século XX e inicio do XXI: aspectos históricos, políticos, econômicos e culturais.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- Internet

- Livros

- Revistas

- Jornais e telejornais e/ou programas educativos que tratam dos temas expostos.

CONHECIMENTO ESPECÍFICO

CARGO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO I

- Noções de Administração Geral: as organizações e sua administração; eficiência e eficácia administrativa; o processo administrativo: planejamento, organização, direção e controle; gestão de pessoas: liderança, motivação, recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, desempenho e avaliação.

- Noções de Administração Financeira e de Materiais.

- Noções de Administração Pública.

- Noções de organização e gestão de documentos e arquivos.

- Atendimento ao público: comunicação, postura profissional, relações interpessoais e imagem da organização.

- Correspondência e atos oficiais: conceito e princípios da redação oficial; fechos para comunicação; tipos de correspondências oficiais e suas especificações.

- Pronomes de tratamento, abreviaturas, siglas e símbolos.

- Conceitos de sistemas operacionais (Windows 2000/XP): arquivos, pastas, principais programas, compartilhamentos, impressão e área de transferência.

- Conceitos de editores de texto: operações básicas, digitação, formatação, configurações de página, impressão, cabeçalho, rodapé e tabelas.

- Conceitos de planilhas eletrônicas: operações básicas, formatação, pastas de trabalho, impressão, principais fórmulas e funções.

- Conceitos e serviços relacionados à Internet: ferramentas e aplicativos de navegação, correio eletrônico, grupos de discussão, busca e pesquisa.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- BOOG, Gustavo (Coord.). Manual de treinamento e desenvolvimento ABTD. 3. ed. São Paulo: Makron Books, 1999.

- BRASIL. Constituição da república federativa do Brasil de 1988. Disponível em www.presidencia.gov.br/legislacao/

- BRASIL. Manual de redação da presidência da república. Governo do Brasil, DF, 2002. Disponível em www.presidencia.gov.br/legislacao/

- CHIAVENATO, Idalberto. Administração geral e pública. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus. 2008.

- . Planejamento, recrutamento e seleção de pessoal. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

- . Recursos humanos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

- DANTAS, Brandão. Atendimento ao publico nas organizações. São Paulo: SEBRAE, 2004.

- KWASNICKA, Eunice Laçava. Introdução à administração. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

- MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

- MEDEIROS, João Bosco. Correspondência: técnicas de comunicação criativa. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

- MEDEIROS, João Bosco; HERNANDES, Sônia. Manual da secretária: técnicas de trabalho. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

- PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

- PEREIRA, Cláudio de Souza. Dimensões funcionais da gestão de pessoas. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

- SANTOS, Clezio Saldanha dos. Introdução à gestão pública. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

- SCHELLENBERG, Theodore R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

- VIANA, João José. Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: Atlas, 2002.

- NORTON, P. Introdução à Informática. São Paulo: Makron Books, 1997.

- VELLOSO, Fernando de Castro. Informática: conceitos básicos. 7. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

- MONTEIRO, Mário. Introdução à organização de computadores. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007.

- WIRTH, Almir. Utilizando na prática: Internet e redes de computadores. Rio de Janeiro: Alta Books, 2002.

- SILVA, Mario Gomes da. Informática - Terminologia básica - Windows XP, Word XP, Excel XP, Access

- XP, PowerPoint XP. São Paulo: Érica, 2006.

CARGO: AUXILIAR DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO

- O que é Saúde;

- Tipos de dentições e características;

- Função Dentária;

- Morfologia dentária - Componentes da coroa e raiz;

- Nomenclatura das dentições;

06 - Cariologia - Tipos de cárie;

- Placa bacteriana, tártaro;

- Medidas de prevenção da cárie dental;

- Mecanismo de ação do flúor;

- Medidas preventivas para o profissional;

- Exame clínico - instrumentais;

- Esterilização e desinfecção;

- Complexo dentina polpa;

- Nomenclatura das cavidades.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- Anatomia humana básica - O'Rahilly;

- Capítulo 51 (dentes decíduos, permanentes, nomenclatura dos dentes);

- Tratado de Patologia Bucal - Shafer. Hine. Levy - Seção II - Cap. 07 - Cárie dentária, Seção V - Cap 15 Doenças periodontais;

- Procedimentos preventivos e restauradores - Baratieri/cols - Cap. 01 - Cariologia (1.1) - Cap. 02 - Uso do flúor;

- Atualização na clínica odontológica - Marco Antônio Boltino - Cap. 23 - Doenças periodontais que envolvem crianças e adolescentes; 05 - Endodontia (De Deus - 5ª - Edição) - Cap. 07 - Tratamento conservador da polpa dental;

- Dentística - Mondelli - Nomenclatura das cavidades;

- A Quintessência da higiene odontológica (H. Einfeldt) Cap. 02 - Esterilização e desinfecção - Cap. 3. (3.5) Estufa e autoclave.

CARGO: AUXILIAR DE CRECHE

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- A Educação Básica do Brasil;

- Organização da educação básica;

- LDB 9394/96, Histórico da Educação Infantil no Brasil;

- Fundamentos básicos da educação infantil;

- Diretrizes curriculares no processo educativo de criança de 0 a 6 anos, gestão e autonomia na organização do trabalho escolar;

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996.

- BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referência curricular nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

- GODOTTI, Moacyr e ROMÃO, José Eustáquio. Autonomia da escola-princípios e propostas, São Paulo: Cortez, 2000.

CARGO: CUIDADOR/EDUCADOR

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Rede SUAS, Legislação do SUAS;

- Controle social no SUAS;

- Política Nacional de Assistência Social (PNAS);

- Constituição Federal de 1988;

- Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);

- Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS);

- Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS);

- Benefícios Assistenciais;

- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;

- Inclusão Produtiva;

- Avaliação e gestão da informação das Políticas Públicas do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social;

- Bolsa Família - Cadastro Único;

- Lei 10.836/04;

- Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN);

- Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Rede de Equipamentos;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM.

CARGO: EDUCADOR SOCIAL

- Lei de diretrizes e base da educação nacional e suas alterações;

- Estatuto da criança e do adolescente e suas alterações;

- Política Nacional para integração de pessoas portadoras de deficiência e suas alterações;

- Estatuto do idoso e suas alterações;

- Correspondência oficial;

- Redação oficial.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- Lei Federal n° 9.349/96;

- Lei Federal n° 8.069/90;

- Lei Federal n° 7.853/89 e Decreto n° 3.298/99;

- Estatuto do idoso - Lei 10.741/03;

- Kaspary. Adalberto J. Redação oficial - normas e modelos. Editora E;

- Ledur. Paulo Flávio. Manual de redação oficial dos municípios. Porto Alegre, RS: AGE 2007.

CARGO: FACILITADOR DE OFICINAS

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Rede SUAS, Legislação do SUAS;

- Controle social no SUAS;

- Política Nacional de Assistência Social (PNAS);

- Constituição Federal de 1988;

- Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);

- Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS);

- Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS);

- Benefícios Assistenciais;

- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;

- Inclusão Produtiva;

- Avaliação e gestão da informação das Políticas Públicas do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social;

- Bolsa Família - Cadastro Único;

- Lei 10.836/04;

- Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN);

- Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Rede de Equipamentos;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM.

CARGO: MONITOR (ARTESANATO (CRAS - PETI) - CAPOEIRA - DANÇA - DANÇA E/OU MÚSICA - DESENHO ARTÍSTICO - EDUCAÇÃO FÍSICA (CRAS) - FUTEBOL - MÚSICA - TAEKWONDO - TEATRO)

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Rede SUAS, Legislação do SUAS;

- Controle social no SUAS;

- Política Nacional de Assistência Social (PNAS);

- Constituição Federal de 1988;

- Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);

- Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS);

- Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS);

- Benefícios Assistenciais;

- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;

- Inclusão Produtiva;

- Avaliação e gestão da informação das Políticas Públicas do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social;

- Bolsa Família - Cadastro Único;

- Lei 10.836/04;

- Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN);

- Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Rede de Equipamentos;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM.

CARGO: MONITOR DE INFORMÁTICA CVT

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Hardware de computadores pessoais, padrão IBM/PC: processadores, memória primária, memória secundárias, dispositivos de entrada e saída, barramentos, montagem, configuração;

- Noções de lógica digital: sistemas de numeração, notação binária, expressões booleanas, blocos lógicos, registradores, contadores;

- Noções de sistemas operacionais: características, configuração de máquinas com os sistemas operacionais Windows 98/NT/2000/XP e Linux;

- Noções de redes de comunicação de dados: modelo TCP/IP, topologias de rede, tipos de rede, problemas típicos, configuração, segurança;

- Análise de circuitos CA: parâmetros de forma de onda, valor médio, valor eficaz, potência, lei Ohm, princípio de funcionamento de transformadores;

- Noções de funcionamento de circuitos eletrônicos: fontes de tensão e corrente, noções de funcionamento de semicondutores, transistor bipolar, polarização, circuitos simples a transistores, amplificadores, MOSFET, noções de resposta em freqüência de filtros RLC.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- Marimoto, C. E. Hardware PC - guia de aprendizagem rápida - configuração montagem e suporte. 2 ed. Rio de Janeiro: Book Express, 2001;

- Marimoto, C. E. Upgrade e manutenção de hardware - Windows e Linux. Rio de Janeiro: Book Express, 2001;

- Torres, G. Hardware curso completo. 3 ed. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil Editora, 1999. Cutler, P. Análise de circuitos CA. São Paulo: MacGraw-Hill do Brasil, 1976;

- Shay, W. A. Sistemas operacionais. São Paulo: Makron Books, 1996. Stallings, W. Arquitetura e organização de computadores: projeto para o desenvolvimento. São Paulo: Prentice-Hall, 2002

CARGO: ORIENTADOR PROFISSIONAL

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Rede SUAS, Legislação do SUAS;

- Controle social no SUAS;

- Política Nacional de Assistência Social (PNAS);

- Constituição Federal de 1988;

- Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);

- Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS);

- Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS);

- Benefícios Assistenciais;

- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;

- Inclusão Produtiva;

- Avaliação e gestão da informação das Políticas Públicas do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social;

- Bolsa Família - Cadastro Único;

- Lei 10.836/04;

- Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN);

- Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Rede de Equipamentos;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM.

CARGO: ORIENTADOR SOCIAL

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Rede SUAS, Legislação do SUAS;

- Controle social no SUAS;

- Política Nacional de Assistência Social (PNAS);

- Constituição Federal de 1988;

- Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);

- Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS);

- Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS);

- Benefícios Assistenciais;

- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;

- Inclusão Produtiva;

- Avaliação e gestão da informação das Políticas Públicas do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social;

- Bolsa Família - Cadastro Único;

- Lei 10.836/04;

- Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN);

- Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Rede de Equipamentos;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM.

CARGO: TÉCNICO DE ENFERMAGEM

- Conhecimentos básicos para o exercício da profissão:

- Teoria das necessidades humanas básicas;

- Processo de enfermagem;

- Vigilância epidemiológica;

- Esterilização, desinfecção e antissepsia;

- Doenças transmissíveis e não-transmissíveis;

- Imunização e Rede de Frios;

- Assistência de enfermagem a todos os ciclos de vida;

- Administração de medicamentos e preparo de soluções;

- Assistência de enfermagem médico-cirúrgica;

- Conhecer e aplicar os conteúdos no preenchimento dos SIS

- Conhecer e atuar nos atendimentos de Urgência e Emergência

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- BRUNNER,L. S.; SUDDARTH. Prática de Enfermagem. Interamericana.

- DUGAS, B.W.; DUGAS. Enfermagem Prática. Interamericana.

- KOCH, Rosi M.; MOTTA, Helena S.; WALTER, Reni L. Técnicas Básicas de Enfermagem. Curitiba: UFPR, 1990.

- SOUZA, E. F. Novo Manual de Enfermagem. Cultura Médica.

- VEIGA, Débora de Azevedo; CROSSETI, Maria da Graça Oliveira. Manual de Técnicas de Enfermagem. Sagra (DC Luzzatto).

CARGO: TÉCNICO DE LABORATÓRIO

- Fundamentos de laboratório: conceito de solução, solvente e soluto, molaridade e normalidade; preparo de soluções.

- Amostras biológicas destinadas à análise: procedimentos adequados de coleta, conservação, transporte, processamento e descarte.

- Métodos químicos e físicos de desinfecção e esterilização utilizados em laboratórios clínicos.

- Aparelhos: centrífugas, balanças, estufas, microscópios, espectrofotômetros e autoclaves - função e conservação.

- Métodos instrumentais: fotometria de chama, espectrofotometria e eletroforese.

- Lei de Lambert-Beer.

- Bioquímica: fundamento, valores de referência e principais métodos utilizados nas análises bioquímicas de enzimas, carboidratos, nitrogenados não-protéicos, proteínas, lipídeos, eletrólitos e compostos inorgânicos (cálcio, fósforo, magnésio, lítio, cloretos, ferro, sódio e potássio).

- Noções básicas de eletroforese de lipoproteínas.

Bioquímica do líquor.

- Noções de gasometria.

- Parasitologia: morfologia, ciclo biológico e diagnóstico laboratorial dos protozoários e helmintos de importância médica.

- Diagnóstico laboratorial dos parasitos emergentes e oportunistas.

- Microbiologia: características morfo-tintoriais do principais grupos de bactérias.

- Métodos de coloração.

- Meios de cultura: classificação e funções.

- Hemocultura, coprocultura e urinocultura.

- Provas para identificação dos principais grupos de bactérias causadoras de infecções humanas.

- Teste de sensibilidade aos antimicrobianos.

- Bacteriologia do líquor.

- Hematologia: hematopoiese; distribuição celular no sangue periférico; contagem de células: hemácias, leucócitos, plaquetas e reticulócitos.

- Determinação do hematócrito, hemoglobina e dos índices hematimétricos.

- VHS.

- Valores normais em hematologia.

- Anticoagulantes; preparo e coloração de esfregaços sanguíneos.

- Teste de avaliação da coagulação sanguínea: coagulograma.

- Fatores plasmáticos da coagulação.

- Determinação do grupo sanguíneo e fator Rh; sistema ABO, sistema Rh e Duffy.

- Uroanálise: procedimentos e cuidados para coleta e conservação da urina destinada a diferentes análises.

- Reações bioquímicas para identificação dos elementos anormais.

- Exame físico e químico.

- Exame microscópico do sedimento urinário.

- Imunologia: noções sobre anticorpos, antígenos, complemento e resposta imune.

- Fundamentos e aplicação dos métodos imunológicos empregados no diagnóstico das doenças infecciosas, parasitárias e auto-imunes: aglutinação, precipitação, fixação do complemento, imunofluorescência.

- Biossegurança e Boas Práticas no Laboratório Clínico: equipamentos de proteção individual e de proteção coletiva; prevenção a acidentes de laboratório.

- Noções sobre gerenciamento de Resíduos: manuseio, transporte e descarte.

- Procedimentos operacionais padrão (POP), controle de qualidade interno e externo.

- Noções sobre o Regulamento técnico para funcionamento de laboratórios clínicos.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Fundamentos da Biologia moderna: volume único. 3. ed. São Paulo: Moderno, 2005. 550 p.

- NEVES, David Pereira. Parasitologia Humana. 12ª edição, Editora Atheneu, SP. 2009.

- REY, Luís. Parasitologia, 4ª edição, Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, RJ 2006.

- CIMERMAN & CIMERMAN. , Parasitologia Humana e Seus Fundamentos Gerais. 2ª.edição, Editora Atheneu, 2005.

- CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: volume único. São Paulo: FTD, 2003. 565 p.

- Manual do Laboratorista - PROFERT-MG, 2005.

- MICHAEL J. PELCZAR JR; E.C.S. CHAN; NOEL R. Krieg. Microbiologia: Conceitos e Aplicações. V1. 2ª Edição. São Paulo.

- MICHAEL J. PELCZAR JR; E.C.S. CHAN; NOEL R. KRIEG. Microbiologia: Conceitos e Aplicações. V2. 2ª Edição. São Paulo.

- MORANDINI, Clézio; BELINELLO; Luís Carlos. Biologia: volume único. 2.ed. São Paulo: Atual, 2003. 522 p.

- RIBEIRO, M. C. Microbiologia Pratica Roteiro e Manual. Editora: Atheneu. Rio de Janeiro.

- VERMELHO, A.B.; PEREIRA, A. F.; COELHO, R.R.R. Práticas de Microbiologia. Editora: Guanabara Koogan, São Paulo 2006, 256p.

CARGO: TÉCNICO DE RADIOLOGIA

- Terminologias técnicas, princípios de formação da imagem radiográfica, proteção radiológica.

- Anatomia radiográfica (conhecimentos básicos).

- Técnicas radiográficas para exames contrastados (técnica e tipos de contrastes).

- Técnicas radiográficas para exames convencionais (membros inferiores, cintura pélvica, abdome, tórax, arcos costais, esterno, membros superiores, cintura escapular, coluna vertebral, crânio e ossos da face), câmara escura e Código de Ética Profissional.

- Controle social - gestão colegiada, financiamento, legislação e normalização.

- Modelos técnico-assistenciais em saúde. Vigilância em Saúde. Vigilância Sanitária.

- Vigilância Epidemiológica.

- Vigilância Ambiental e: origens; determinações econômicas, sociais e históricas.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- PORTARIA 453, de 01 de junho de 1998 - Aprova o Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas de proteção radiológica em radiodiagnóstico médico e odontológico, dispõe sobre o uso dos raios-X diagnósticos em todo território nacional e dá outras providências - www.anvisa.gov.br/legis/portarias/453_98.htm

- Resolução SS 625/94 Aprova Norma Técnica que dispõe sobre o uso, posse e armazenamento de fontes de radiação ionizante, no âmbito do Estado de São Paulo.

- Portaria Federal 453/98 - Aprova o Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas de proteção radiológica em radiodiagnóstico médico e odontológico, dispõe sobre o uso dos raios-x diagnósticos em todo território nacional e dá outras providências.

- COMUNICADO CVS-44 / 97, publicado em D.O.E. em 01- 03- 97.

- Constituição Federal de 1988.

- Decreto n° 3.029/1999 - Aprova o Regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e dá outras providências.

- Lei n° 9782/1999- Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agencia Nacional de Vigilância Sanitária e da outras providências.

- Manual de Vigilância Sanitária /Ministério da Saúde.

CARGO: TÉCNICO EM CONTABILIDADE

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Receitas Correntes: Receita tributária. Receita Patrimonial. Receitas Diversas. Transferências Correntes;

- Receitas de Capital: Operação de Crédito. Alienação de bens móveis e imóveis. Transferências de Capital;

- Despesas Correntes: Despesas de Custeio. Transferências Correntes;

- Despesas de Capital: Investimentos. Inversão Financeira. Transferências de Capital;

- Reservas de Contingências;

- Orçamento Público: orçamento programa; lei do orçamento programa; lei do orçamento;

- Créditos adicionais; crédito suplementar; crédito especial; crédito extraordinário;

- Receitas e despesas extra-orçamentárias;

- Prestação de contas geral do município: balanços; quadros demonstrativos;

- Empenho prévio;

- Licitações.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- ANGÉLICO, João. Contabilidade Pública. Editora Atlas;

- JÚNIOR, J. Teixeira Machado & REIS, Heraldo da Costa. Lei 4.320 comentada;

- Constituição Federal de 1988;

- Licitação Leis Federais nº 8.666 de 21/06/93, 8.883 de 08/06/94 e 9.648 de 27.05.98.

CARGO: TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

- Conhecimento em: Organização de Programas de Prevenção de Acidentes;

- Programa de Prevenção de Riscos Ambientais;

- CIPA;

- Brigada de Incêndio;

- Equipamentos de Proteção Individual e Coletivo (EPI e EPC);

- Normas Reguladoras (NR's) relacionadas à segurança e saúde do Trabalhador;

- Word, Excel em Windows XP.

CARGO: TELEFONISTA

- Noções do Sistema Central do PABX;

- Noções básicas de informática: Editores de textos e planilhas eletrônicas, conceitos básicos de operação com arquivos em ambiente Windows, conhecimentos básicos de Desktop (Área de Trabalho), conhecimentos básicos de arquivos e pastas (diretórios), utilização do Windows Explore: (copiar, mover arquivo, criar diretórios), conhecimentos básicos de Internet

- Operações por meio de aparelhos telefônicos;

- Normas de qualidade no atendimento ao público interno e externo.

ENSINO SUPERIOR (3º grau)

CONHECIMENTO GERAL

LÍNGUA PORTUGUESA

- Interpretação de texto.

- Emprego das classes de palavras variáveis e invariáveis.

- Uso do acento grave indicativo de crase.

- Sintaxe:

- Concordâncias nominal e verbal;

- Regências nominal e verbal;

- Colocação pronominal;

- Análise sintática das orações e de termos da oração.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ANDRÉ, Hildebrando A. de. Gramática Ilustrada. 3. ed. São Paulo: Ática, 1987.

- CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. 20. ed. São Paulo: Nacional, 1989.

- CIPRO NETO, Pasquale; INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 2003.

- FARACO, Carlos Emílio; MOURA, Francisco Marto de. Gramática. 12. ed. São Paulo: Ática, 1999.

- NICOLA, José de; INFANTE, Ulisses. Gramática Contemporânea da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1989.

- SAVIOLI, Francisco Platão. Gramática em 44 lições. São Paulo: Ática, 1995.

- Textos de jornais, revistas e de livros didáticos.

ATUALIDADES

- A geografia do Brasil: Os principais fenômenos naturais modeladores da paisagem (clima, vegetação, hidrografia); Aspectos humanos e a organização do espaço brasileiro (características da economia e da população do Brasil).

- Meio ambiente: principais problemas ambientais da atualidade (o ciclo da água e a drenagem urbana, as mudanças climáticas, queimadas, biodiversidade e diversidade cultural, desmatamentos, diferentes tipos de poluição); Ações do poder público e da sociedade em defesa do meio ambiente.

- Principais aspectos das culturas brasileira e regional: a construção da identidade cultural na relação entre o local e o global.

- Aspectos relacionados à saúde publica: os principais problemas que afetam a saúde (Subnutrição, Doenças sexualmente transmissíveis DSTs , doenças infecto contagiosas, Dengue, doenças decorrentes do não tratamento da água e do esgoto) e as ações necessárias ao seu combate.

- Sociedade brasileira no século XX e inicio do XXI: aspectos históricos, políticos, econômicos e culturais.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- Internet

- Livros

- Revistas

- Jornais e telejornais e/ou programas educativos que tratam dos temas expostos.

CONHECIMENTO ESPECÍFICO

CARGO: ASSISTENTE SOCIAL - ASSISTENTE SOCIAL (CAPS) - ASSISTENTE SOCIAL (NASF) - ASSISTENTE SOCIAL (ABRIGO DE VOLTA PARA CASA)

- Ética e Serviço Social: o assistente social na construção do projeto ético político.

- O Serviço Social na contemporaneidade: as novas configurações do mundo do trabalho.

- Instrumentalidade e Serviço Social.

- A Política de Assistência Social no Brasil: aspectos históricos, legislação e diretrizes atuais.

- Política Nacional de Saúde Mental e a rede de atenção às pessoas com sofrimento mental

- Controle social e as formas de participação social.

- O processo de descentralização das políticas públicas.

- A família na atualidade e sua inserção no âmbito da proteção social.

- Legislações pertinentes ao Serviço Social.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- BRASIL, CFESS. Resolução nº 273 de 13 de março de 1993. Institui o Código de Ética Profissional. Disponível em: www.cfess.org.br/legislacao.php

- BRASIL. Lei nº 8.662 de 07 de julho de 1993. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências. Disponível em: www.cfess.org.br/legislacao.php

- BRASIL. Lei nº 8.742 de 07 de dezembro de 1993. Brasília, 1993. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8742.htm

- BRASIL. Lei no 10.216 de 06 de abril de 2001. Brasília, 2001. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil03/leis/leis 2001/l10216.htm

. BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de Assistência Social - PNAS/2004. Brasília, 2004. Disponível em: www.mds.gov.br/suas/menu_superior/legislacao-1/cd-suas-vol-01/publicacoes2.htm

- BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma Operacional Básica - NOB/SUAS. Brasília, 2005. Disponível em: www.mds.gov.br/suas/menu_superior/legislacao-1/cd-suas-vol-01/publicacoes2.htm

- BRASIL. Lei n° 10.741 de 1° de outubro de 2003. Brasília, 2003. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil/leis/2003/L10.741.htm

- BRASIL. Lei n° 8.069 de 13 de julho de 1990. Brasília, 1990. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm

- BRASIL. Decreto n° 3.298 de 20 de dezembro de 1999. Brasília, 1999. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil/decreto/d3298.htm

- BARROCO, Maria Lúcia Silva. A inscrição da ética e dos direitos humanos no projeto ético-político do Serviço Social. In: Revista Social & Sociedade. n. 79, São Paulo: Cortez, 2004. P. 27-42.

- GUERRA, Yolanda. Instrumentalidade no trabalho do assistente social. In: Capacitação em Serviço Social e política social: Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais, Brasília: UNB: ABEPSS: CFESS, 2000. p. 53-62.

- IAMAMOTO, Marilda Vilela. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez, 2005. Parte 1 (p. 15-164).

- JOVCHELOVITCH, Marlova. O processo de descentralização e municipalização no Brasil. In: Serviço social & Sociedade. São Paulo: Cortez, n. 56, março 1998. p. 34-49.

- MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Saúde. Atenção em Saúde Mental. Marta Elizabeth de Souza. Belo Horizonte, 2007. (Linha Guia de Atenção em Saúde Mental) Disponível em: www.saude.mg.gov.br

- MIOTO, Regina Célia Tamaso. Família e Serviço Social: contribuições para o debate. In: Revista Social & Sociedade. n. 55, São Paulo: Cortez, 1997. p. 114-129.

- . Família e políticas sociais. In: BOSCHETTI, I.; BEHRING, E. R.; SANTOS, S. M. M.; MIOTO, R. C. T. et al (Org.) Política social no capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2008. p. 130-149.

- PAIVA, Beatriz; SALES, Miome. A nova ética profissional: práxis e princípios. In: BONETTI, D.; SILVA, M.; SALES, M. GONELLI, V. (Org.) Serviço Social e ética: convite a uma nova práxis. São Paulo: Cortez, 1996. p. 174-208.

- RAICHELIS. Raquel. Assistência Social e esfera pública: os conselhos no exercício do controle social. In: Revista Serviço Social & Sociedade. n. 56, São Paulo: Cortez, 1998. p. 77-96.

CARGO: BIOQUÍMICO

- Etapas envolvidas nas coletas dos diversos materiais, na execução e avaliação dos resultados.

- Causas de variação nas determinações laboratoriais.

- Conhecimento das normas de biossegurança.

- Bioquímica: Aplicação da fotometria na bioquímica clínica.

- Realização e interpretação das diversas dosagens bioquímicas e hormonais. Funções hepática, renal e tireoidiana. Urinálise: Exame de rotina de urina: realização e interpretação.

- Teste imunológico para gravidez. Imunologia: conceitos gerais de marcadores celulares.

- Aplicação de enzima-imunoensaio.

- Fixação do complemento. Interpretação de provas sorológicas: VDRL. Proteína C reativa, Fator reumatoide, Antiestrepitolisina "O". Imunofluorescência.

- Sistema ABO e Rh.

- Provas de compatibilidade transfusional.

- Microbiologia: diagnóstico das infecções bacterianas dos tratos respiratório, gastrointestinal e urinário e das lesões supurativas da pele.

- Doenças Sexualmente Transmissíveis.

- Líquidos de punções; Infecções hospitalares.

- Parasitologia: relação hospedeiro/parasita. Protozoologia e helmintologia.

- Métodos para exames parasitológicos.

- Hematologia: técnicas e interpretação dos exames das séries vermelha e branca.

- Estudo das anemias.

- Alterações morfológicas no sangue periférico.

- Técnicas e exames relacionados ao estudo da coagulação.

- Manipulação de medicamentos e dispensação.

- Atenção e assistência farmacêutica.

- Política Nacional de Medicamentos, Política Nacional de Assistência Farmacêutica, responsabilidades e atribuições do farmacêutico na atenção à saúde.

- Estrutura organizacional da farmácia: recursos físicos, humanos e materiais. Integração da farmácia aos demais serviços clínicos prestados.

- Seleção de medicamentos. Comissão de farmácia e terapêutica, suas competências e atribuições.

- Programação e aquisição de medicamentos em serviços de saúde públicos. Qualificação de fornecedores.

- Central de abastecimento farmacêutico (CAF). Gestão de estoques aplicada a produtos farmacêuticos. Boas práticas de armazenamento de medicamentos. Distribuição de medicamentos.

- Dispensação de medicamentos em unidades de atenção primária à saúde e sua relação com os demais componentes da assistência farmacêutica (componentes básico, estratégico e especializado).

- Responsabilidade do farmacêutico no cuidado à saúde das pessoas. Integração à equipe multidisciplinar de atenção à saúde. Atuação do farmacêutico no campo da saúde coletiva e individual.

- Trabalho em equipe, diagnóstico de saúde, planejamento estratégico situacional.

- Relação farmacocinética-farmacodinâmica.

. Formas Farmacêuticas X Vias de Administração X Medidas Posológicas Seguras, com ênfase nos instrumentos de medida-padrão e receita médica/odontológica.

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- SOUZA, Elvira de Felice. Administração de Medicamentos e Preparo de Soluções.

- DECRETO nº 3.029/1999 - Aprova o Regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e dá outras providências.

- PEREIRA, M. G. Epidemiologia: Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

- ROUQUAYROL, M. Z.; ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia e Saúde. Rio de Janeiro: Medsi, 1999.

- NEVES, David Pereira. Parasitologia Humana. 11. ed. São Paulo: Atheneu, 2005.

- REY, Luís. Parasitologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

- LAURENCE L., BRUNTON & JOHN S, LAZO & KEITH L. Parker. GOODMAN & GILMAN. As Bases Farmacológicas da Terapêutica. 11ª ed. McGraw Hill - 2006.

- RANG H.P., RITTER J.M. & DALE M.M Farmacologia. 6ª ed.. Guanabara Koogan - 2007.

- SILVA, Penildon Farmacologia. 4ª ed.. Guanabara Koogan - 2006.

- KATZUNG B. G. Farmacologia Básica & Clínica - 10ª ed. Mcgraw-hill Interamericana - 2006.

- GILMAN, G.A. et.al. Goodman e Gilman: As Bases Farmacológicas da Terapéutica. 11 a ed., México: MacGraw - Hill, 2006.

- KATZUNG, B. G. Farmacologia Básica e Clínica. 8ª ed. Guanabara Koogan, 2003.

. GOMES, C. A. P. et al. A assistência farmacêutica na atenção à saúde. Belo Horizonte: Ed. FUNED, 2007.

- PEREIRA, M. L. et al. (Coord). Atenção farmacêutica: implantação passo-a-passo. Belo Horizonte: O Lutador, 2005. 104 p.

- BARREIRO, E. J., FRAGA, C. A. M., Química Medicinal: as bases moleculares da ação dos fármacos, 2. Ed., Porto Alegre: Artmed Editora, 2008.

- ANDREI, C. C., FERREIRA, D. T., FACCIONE, M., FARIA, T. J., Da Química Medicinal à Química Combinatória e Modelagem Molecular: um curso prático, Baueri, SP: Manole, 2003.

- ALLEN JR, L.V.; POPOVICH, N.G.; ANSEL, H.C. Formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 8.ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. 775 p.

- ANSEL, H.C.; POPOVICH, N.G.; ALLEN JR., L.V. Farmacotécnica: formas farmacêuticas & sistemas de liberação de fármacos. 6.ed. São Paulo: Premier, 2000. 568 p.

- STORPIRTIS, SÍLVIA et al. Ciências Farmacêuticas: farmácia clínica e atenção farmacêutica. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2008.

- WIEDENMAYER K, SUMMERS RS, MACKIE CA, GOUS AGS, EVERARD M. Developing pharmacy practice. A focus on patient care. Geneva: World Health Organization / International Pharmaceutical Federation, 2006. Disponível em: <www.who.int/mediacentre/news/new/2006/nw05/en/index.html>.

- FUCHS, F. D.; WANNMACHER, L.; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia clinica : fundamentos da terapêutica racional. 3. ed. Rio de Janeiro : Guanabara Koogan, 2004. 1096p.

- ACURCIO, Francisco de Assis (Org.). Medicamentos e assistência farmacêutica. Belo Horizonte: Coopmed, 2004. ISBN: 858500259X.

- ANGONESI, Daniela. Dispensação farmacêutica: uma análise de diferentes conceitos e modelos. Ciênc. & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2008.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Assistência farmacêutica na atenção básica: instruções técnicas para sua organização. 2.ed. Brasília: Editora MS, 2006.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM no 3.916, 30 out. 1998. Aprova a Política Nacional de Medicamentos. Diário Oficial da União, 1998.

- IVAMA, Adriana Mitsue; MALDONADO, José Luís Miranda (Org.). O papel do farmacêutico no sistema de atenção à saúde. Brasília: OPAS/OMS/CFF, 2004. Disponível em: <www.cff.org.br/cff/mostraPagina.asp?codServico=92>.

- MARIN, Nelly (Org.) Assistência farmacêutica para gerentes municipais. Rio de Janeiro : OPAS/OMS, 2003. Disponível em: <www.opas.org.br/medicamentos/temas_documentos_detalhe.cfm?id=39&iddoc=252

- HENRY, John Bernard. Diagnósticos clínicos e tratamento por métodos laboratoriais. 20.ed. Barueri:Manole,2008.1734p.

CARGOS : CIRURGIÃO DENTISTA - CIRURGIÃO DENTISTA (CEO) - CIRURGIÃO DENTISTA (PSF)

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Resolução CFO-42/2003, de 20.05.2003, que revoga o Código de Ética Odontológica aprovado pela Resolução CFO-179, de 19.12.91.

- Anatomia;

- Anestesia;

- Ficha clínica: anamnese; exame clínico; exames complementares; diagnóstico; plano de tratamento;

- Radiografia: técnicas radiográficas; finalidade;

- Patologias: lesões da mucosa bucal; infecções viróticas, bacterianas e fúngicas; alterações ósseas; alterações patológicas da língua, das glândulas salivares e da A.T.M; tumores buco-maxilares; alterações patológicas da polpa e perecimento; cárie dentária; periapicopatias; tratamento odontológico em pacientes especiais;

- Periodontia: doenças periodontais; placa bacteriana; cálculo dental; urgências em processos periodontais agudos;

- Endodontia: diagnóstico; normas gerais de tratamento dos canais radiculares; emergências;

- Dentística: técnicas de prevenção; isolamento do campo operatório; proteção do complexo dentina-polpa; materiais restauradores;

- Prótese dental: preparo dos dentes com finalidade protética; técnicas e materiais de moldagem; montagem em articuladores; oclusão; prótese total e parcial removível;

- Cirurgia: procedimentos cirúrgicos de pequeno e médio porte; urgências e emergências;

- Farmacologia e terapêutica: analgésicos; antiinflamatórios; antibióticos; hemostáticos; receituário, profilaxia bacteriana - esclarecendo dúvidas sobre afecções cardiovasculares; profilaxia da endocardite bacteriana; profilaxia da endocardite;

- Odontopediatria: crescimento e desenvolvimento da face; cronologia da erupção dentária; traumatismo em dentes anteriores; classificação das lesões de estruturas dentárias; lesões dos tecidos periodontais; lesões da gengiva e mucosa bucal; tratamento de estruturas dentárias; lesões dos tecidos periodontais; deslocamento total ou avulsão completa; cirurgia; alterações nos tecidos moles; ulcerações traumáticas; enfermidades de origem bacteriana, viral, fúngica; terapêutica endodôntica em decíduos; Psicologia aplicada à odontologia;

- Odontologia Social: problemas; métodos; organização e administração de serviços odontológicos.

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria N° 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria N° 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- Guia Terapêutico Odontológico, Nicolau Tortomano;

- Tratado de Patologia Bucal, Shafer;

- Medicina Oral, Sonis, Fazio, Fang. Odontopediatria, Myaki Issao;

- Periodontia Clínica, Carranza;

- Endodontia, Dentística - Procedimentos Preventivos e Restauradores, Baratieri.

- Dentística para o Clínico Geral, Eduardo Cruz Rollo;

- Atualização na Clínica Odontológica - 17º Congresso Paulista de Odontologia;

- Odontologia Social, Mário Chaves. Cirurgia Oral e Maxilo-Facial Contemporânea, Peterson;

- Código de Ética Odontológica, Conselho Federal de Odontologia - 2003.

- PORTARIA 648/GM de 28.03.2006. Aprova a política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para organização da Atenção Básica para o Programa de Saúde da família (PSF) e os Programas Agentes Comunitários de Saúde (PACS);

- PORTARIA 699 de 30.03.2006 - Regulamenta a Diretrizes Operacionais dos Pactos Pela Vida e de Gestão. BRASIL - Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199, 200;

- BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196,197, 198, 199 e 200;

- BRASIL. Lei nº 8.080 de 19.09.1990;

- BRASIL. Lei nº 8.142 de 19.09.1990;

CARGO: ECONOMISTA DOMÉSTICO

- Ética e Legislação Profissional;

- Organização e segurança do trabalho;

- Relações Interpessoais no Ambiente de Trabalho;

- O conceito de criança e a primeira infância;

- Fases e características do desenvolvimento da criança nos primeiros anos de vida.

- O lúdico no contexto escolar infantil;

- O currículo e a rotina na educação de crianças entre1 a 4 anos;

- Família e escola;

- A saúde da criança em ambiente coletivo;

- Técnica dietética: seleção e preparo dos alimentos;

- Aspectos físicos e humanos em Unidades de Alimentação e Nutrição;

- O funcionamento de Unidades de alimentação e Nutrição;

- Controle higiênico-sanitário em alimentos;

- Legislação Brasileira de alimentos.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- Código de Ética do profissional Economista Doméstico. Guia de Orientação

- Profissional - CRED II Manual de responsável técnico - Profissional Economista Doméstico - RESOLUÇÃO NORMATIVA CFED N°18, de 21 de dezembro de 2004.

- Regulamentação da profissão de Economista Doméstico - LEI N° 7.387, de 21 de outubro de 1985-Presidência da República.

- NR 17 Manual de aplicação da norma regulamentadora n° 17, 2 ed. ,Brasília 2002.

- Acesso: www.mte.gov.br/seg_sau/pub_cne_manual_nr17.pdf CHIAVENATO, Idalberto. Administração: teoria, processo e prática. 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2007 SOUZA, Agamêmnon Rocha. Introdução à Administração: uma iniciação ao mundo das organizações. Rio de Janeiro, Pontal. 2001 AMORIM, K.; A YAZLLE, C.; ROSSETTI-FERREIRA M. Saúde e doença em ambientes coletivos de educação da criança de 0 a 6 anos. Santa Catarina. Centro de Investigações sobre Desenvolvimento Humano e Educação Infantil (CINDEDI).

- Acesso: www.ced.ufsc.br/~nee0a6/ROSSETTI.pdf

DAHLBERG, G. Qualidade na educação da primeira infância: perspectivas pósmodernas.Porto Alegre: Artmed, 2003.

- DESSEN, M.; POLONIA, A. A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paidéia (Ribeirão Preto), Ribeirão Preto, v. 17, n. 36, Apr. 2007.

- Acesso: <www.scielo.br PAPALIA, D.; S. OLDS. Desenvolvimento Humano. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

- SANTOS, M. A educação infantil e o lúdico: teoria e prática. Viçosa: Ed. UFV, 2004.

- ZABALZA, M. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- PHILIPPI, S. T. Nutrição e Técnica Dietética, São Paulo, Ed. Manole, 2003.

- SILVA JUNIOR, E. A. Manual de controle higiênico-sanitário em alimentos, São Paulo: Varela, 1995.

- TEIXEIRA, S. F. M. G., OLIVEIRA, Z. M. C., REGO, J. C., BISCONTINI, T. M. B. Administração aplicada às Unidades de Alimentação e Nutrição, Rio de Janeiro: Atheneu, s/d.

- ORNELLAS, L. H. Técnica Dietética, 7ª. ed, São Paulo: Atheneu, 2001.

- RDC 216, de 16 de setembro de 2004. Dispõe sobre o regulamento técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Acesso: www.anvisa.gov.br.

- RDC n° 275, de 21/10/2002 - Regulamento técnico de procedimentos operacionais padronizados aplicados aos estabelecimentos produtores/industrializadores de alimentos. Acesso: www.anvisa.gov.br.

- ABERC, Manual ABERC de práticas de elaboração e serviço de refeições para coletividades, 4ª. Ed., São Paulo: ABERC, 2002

CARGO: EDUCADOR FÍSICO (NASF)

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- A legalidade e a legitimidade da Educação Física escolar.

- Cultura corporal e Educação Física escolar.

- As dimensões sócio-culturais do esporte.

- O esporte nas aulas de Educação Física.

- Rede SUAS, Legislação do SUAS;

- Controle social no SUAS;

- Política Nacional de Assistência Social (PNAS);

- Constituição Federal de 1988;

- Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);

- Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS);

- Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS);

- Benefícios Assistenciais;

- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;

- Inclusão Produtiva;

- Avaliação e gestão da informação das Políticas Públicas do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social;

- Bolsa Família - Cadastro Único;

- Lei 10.836/04;

- Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN);

- Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Rede de Equipamentos;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM.

CARGO: ENFERMEIRO - ENFERMEIRO (CAPS) - ENFERMEIRO (PSF)

- Modelos assistenciais em saúde; vigilância em saúde, vigilância sanitária; vigilância epidemiológica, vigilância ambiental.

- Doenças transmissíveis e não transmissíveis: doenças de interesse para a saúde pública.

- Fundamentos de Bioética / Código de Ética de Enfermagem / Lei do Exercício Profissional de Enfermagem.

- Gerenciamento da assistência de enfermagem / Gerenciamento dos serviços de saúde.

- Programas de atenção a saúde da criança, do adolescente, da mulher, do adulto / idoso / trabalhador, saúde mental.

- Programa Nacional de Imunização: esquema vacinal do Ministério da Saúde; rede de frio.

. Sistematização da assistência em enfermagem.

- Segurança no ambiente de trabalho.

- Educação em Saúde.

- Cuidado de enfermagem ao paciente crítico em situações de urgência e emergência.

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- BRASIL. Lei 8080, de 19 desetembrode1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde,organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá providências. Diário Oficial República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 deset. 1990. Seção 1.

- BRASIL. Lei 8142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação popular no Sistema Único de Saúde e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial República Federativa do Brasil, Brasília, DF,31 de dez. 1990.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 399, de 22 de fevereiro de 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 - Consolidação do SUS e aprova as Diretrizes Operacionais do Referido Pacto. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 fev. 2006. Disponível em: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Procedimentos para Vacinação. Brasília: Fundação Nacional de Saúde. 2001.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Rede de Frio. Brasília, SVS, 2007.

- BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Guia de vigilância epidemiológica / Fundação Nacional de Saúde. 5. ed. Brasília : FUNASA, 2007.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica. Diabetes e Hipertensão Arterial. Brasília: MS, 2006. Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad16.pdf

- BRASIL. Ministério da Saúde. Estatuto da Criança e do Adolescente. Ministério da Saúde.

3. ed. - Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008. 96 p. - (Serie E. Legislação de Saúde). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estatuto_crianca_adolescente_3_ed.pdf

- BRASIL. Lei n° 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências.

- CASSIANI, S.H.B. Administração de medicamentos. São Paulo: EPU, 2000.

- COFEN - Resolução no 240/2000.Aprova o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.

- JARVIS, C. Exame Físico e Avaliação de Saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

- HORTA, Wanda de Aguiar. Processo de enfermagem. São Paulo: EPU, 2006.

- KUGART, P. Gerenciamento em Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan 2005.

- MORAES, Márcia Vilma G. Enfermagem do Trabalho - Programas, procedimentos e técnicas. Editora Iátria, 2007.

- NANDA International. Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificações. 2007-2008. Porto Alegre, Artmed, 2007.

- PEREIRA, M. G. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro, Guanabara-Koogan, 2006. 651 p.

- PIANUCCI, Ana. Saber cuidar: procedimentos básicos em enfermagem. 10ª ed. São Paulo: SENAC, 2007.

- POTTER, P.A.; PERRY, A.G. Fundamentos de Enfermagem. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2004.

- SILVA, L.D. Assistência ao Paciente Crítico - Fundamentos para a Enfermagem, Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2001.

- STARFIELD, B. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde, 2002.

CARGO: ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO BÁSICA

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Proposta Pedagógica: da elaboração à avaliação;

- Gestão democrática da escola pública;

- Teorias do currículo;

- Conselho de classe;

- Parâmetros curriculares nacionais. Princípios e fins da educação nacional;

- A LDB Lei N.° 9.394/96 e a organização da educação brasileira;

- Recursos financeiros;

- Direitos da criação e adolescentes;

- O papel do pedagogo na escola.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Escola: espaço do projeto político: 6ª Ed. São Paulo. Papirus;

- SILVA, Tomás Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999;

- BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: Secretaria de Ensino Fundamental, 1997;

- LDB

CARGOS: FARMACÊUTICO - FARMACÊUTICO (NASF) - FARMACÊUTICO ASSISTENTE - FARMACÊUTICO COORDENADOR

- Etapas envolvidas nas coletas dos diversos materiais, na execução e avaliação dos resultados.

- Causas de variação nas determinações laboratoriais.

- Conhecimento das normas de biossegurança.

- Bioquímica: Aplicação da fotometria na bioquímica clínica.

- Realização e interpretação das diversas dosagens bioquímicas e hormonais. Funções hepática, renal e tireoidiana. Urinálise: Exame de rotina de urina: realização e interpretação.

- Teste imunológico para gravidez. Imunologia: conceitos gerais de marcadores celulares.

- Aplicação de enzima-imunoensaio.

- Fixação do complemento. Interpretação de provas sorológicas: VDRL. Proteína Creativa, Fator reumatoide, Antiestrepitolisina "O". Imunofluorescência.

- Sistema ABO e Rh.

- Provas de compatibilidade transfusional.

- Microbiologia: diagnóstico das infecções bacterianas dos tratos respiratório, gastrointestinal e urinário e das lesões supurativas da pele.

- Doenças Sexualmente Transmissíveis.

- Líquidos de punções; Infecções hospitalares.

- Parasitologia: relação hospedeiro/parasita. Protozoologia e helmintologia.

- Métodos para exames parasitológicos.

- Hematologia: técnicas e interpretação dos exames das séries vermelha e branca.

- Estudo das anemias.

- Alterações morfológicas no sangue periférico.

- Técnicas e exames relacionados ao estudo da coagulação.

- Manipulação de medicamentos e dispensação.

- Atenção e assistência farmacêutica.

- Política Nacional de Medicamentos, Política Nacional de Assistência Farmacêutica, responsabilidades e atribuições do farmacêutico na atenção à saúde.

. Estrutura organizacional da farmácia: recursos físicos, humanos e materiais. Integração da farmácia aos demais serviços clínicos prestados.

- Seleção de medicamentos. Comissão de farmácia e terapêutica, suas competências e atribuições.

- Programação e aquisição de medicamentos em serviços de saúde públicos. Qualificação de fornecedores.

- Central de abastecimento farmacêutico (CAF). Gestão de estoques aplicada a produtos farmacêuticos. Boas práticas de armazenamento de medicamentos. Distribuição de medicamentos.

- Dispensação de medicamentos em unidades de atenção primária à saúde e sua relação com os demais componentes da assistência farmacêutica (componentes básico, estratégico e especializado).

- Responsabilidade do farmacêutico no cuidado à saúde das pessoas. Integração à equipe multidisciplinar de atenção à saúde. Atuação do farmacêutico no campo da saúde coletiva e individual.

- Trabalho em equipe, diagnóstico de saúde, planejamento estratégico situacional.

- Relação farmacocinética-farmacodinâmica.

- Formas Farmacêuticas X Vias de Administração X Medidas Posológicas Seguras, com ênfase nos instrumentos de medida-padrão e receita médica/odontológica.

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- SOUZA, Elvira de Felice. Administração de Medicamentos e Preparo de Soluções.

- DECRETO nº 3.029/1999 - Aprova o Regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e dá outras providências.

- PEREIRA, M. G. Epidemiologia: Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

- ROUQUAYROL, M. Z.; ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia e Saúde. Rio de Janeiro: Medsi, 1999.

- NEVES, David Pereira. Parasitologia Humana. 11. ed. São Paulo: Atheneu, 2005.

- REY, Luís. Parasitologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

- LAURENCE L., BRUNTON & JOHN S, LAZO & KEITH L. Parker. GOODMAN & GILMAN. As Bases Farmacológicas da Terapêutica. 11ª ed. McGraw Hill - 2006.

- RANG H.P., RITTER J.M. & DALE M.M Farmacologia. 6ª ed.. Guanabara Koogan - 2007.

- SILVA, Penildon Farmacologia. 4ª ed.. Guanabara Koogan - 2006.

- KATZUNG B. G. Farmacologia Básica & Clínica - 10ª ed. Mcgraw-hill Interamericana - 2006.

- GILMAN, G.A. et.al. Goodman e Gilman: As Bases Farmacológicas da Terapéutica. 11 a ed., México: MacGraw - Hill, 2006.

- KATZUNG, B. G. Farmacologia Básica e Clínica. 8ª ed. Guanabara Koogan, 2003.

- GOMES, C. A. P. et al. A assistência farmacêutica na atenção à saúde. Belo Horizonte: Ed. FUNED, 2007.

- PEREIRA, M. L. et al. (Coord). Atenção farmacêutica: implantação passo-a-passo. Belo Horizonte: O Lutador, 2005. 104 p.

- BARREIRO, E. J., FRAGA, C. A. M., Química Medicinal: as bases moleculares da ação dos fármacos, 2. Ed., Porto Alegre: Artmed Editora, 2008.

- ANDREI, C. C., FERREIRA, D. T., FACCIONE, M., FARIA, T. J., Da Química Medicinal à Química Combinatória e Modelagem Molecular: um curso prático, Baueri, SP: Manole, 2003.

- ALLEN JR, L.V.; POPOVICH, N.G.; ANSEL, H.C. Formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 8.ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. 775 p.

- ANSEL, H.C.; POPOVICH, N.G.; ALLEN JR., L.V. Farmacotécnica: formas farmacêuticas & sistemas de liberação de fármacos. 6.ed. São Paulo: Premier, 2000. 568 p.

- STORPIRTIS, SÍLVIA et al. Ciências Farmacêuticas: farmácia clínica e atenção farmacêutica. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2008.

- WIEDENMAYER K, SUMMERS RS, MACKIE CA, GOUS AGS, EVERARD M. Developing pharmacy practice. A focus on patient care. Geneva: World Health Organization / International Pharmaceutical Federation, 2006. Disponível em: <www.who.int/mediacentre/news/new/2006/nw05/en/index.html>.

- FUCHS, F. D.; WANNMACHER, L.; FERREIRA, M.B.C. Farmacologia clinica : fundamentos da terapêutica racional. 3. ed. Rio de Janeiro : Guanabara Koogan, 2004. 1096p.

- ACURCIO, Francisco de Assis (Org.). Medicamentos e assistência farmacêutica. Belo Horizonte: Coopmed, 2004. ISBN: 858500259X.

- ANGONESI, Daniela. Dispensação farmacêutica: uma análise de diferentes conceitos e modelos. Ciênc. & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2008.

. BRASIL. Ministério da Saúde. Assistência farmacêutica na atenção básica: instruções técnicas para sua organização. 2.ed. Brasília: Editora MS, 2006.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM no 3.916, 30 out. 1998. Aprova a Política Nacional de Medicamentos. Diário Oficial da União, 1998.

- IVAMA, Adriana Mitsue; MALDONADO, José Luis Miranda (Org.). O papel do farmacêutico no sistema de atenção à saúde. Brasília: OPAS/OMS/CFF, 2004. Disponível em: <www.cff.org.br/cff/mostraPagina.asp?codServico=92>.

- MARIN, Nelly (Org.) Assistência farmacêutica para gerentes municipais. Rio de Janeiro : OPAS/OMS, 2003. Disponível em: <www.opas.org.br/medicamentos/temas_documentos_detalhe.cfm?id=39&iddoc=252

- HENRY, John Bernard. Diagnósticos clínicos e tratamento por métodos laboratoriais. 20.ed. Barueri:Manole,2008.1734p.

CARGO: FISIOTERAPEUTA - FISIOTERAPEUTA (NASF)

- Conceitos, abordagem e aplicabilidade clínica de anatomia, fisiologia, cinesiologia, biomecânica.

- Procedimentos de avaliação, diagnóstico cinético-funcional, prognóstico e intervenção fisioterapêutica , visando promoção, prevenção e reabilitação de disfunções nos níveis de órgãos e sistemas corporais nas seguintes áreas: neurologia; traumatologia e ortopedia; reumatologia; cardiologia e angiologia; pneumologia; pediatria; geriatria; ginecologia e obstetrícia.

- Fisioterapia geral: técnicas, efeitos fisiológicos, indicações e contra-indicações de termoterapia, fototerapia, massoterapia, cinesioterapia, eletroterapia.

- Assistência à saúde do trabalhador: ergonomia, doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho, práticas preventivas no ambiente de trabalho.

- Assistência fisioterapêutica domiciliar: atenção ao paciente acamado, orientações ao cuidador, avaliação e adaptação ambiental.

- Trabalho em equipe interdisciplinar.

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- MOURA, Elcinete Wentz de, SILVA, Priscila do Amaral Campos e / [coordenadoras ]. Fisioterapia: aspectos clínicos e práticos da reabilitação. São Paulo : artes Médicas, 2005. Vários autores.

- O'SULLIVAN, S.B.; SCHMITZ, T.J. Fisioterapia : avaliação e tratamento. 2° ed. - São Paulo: Manole, 1993.

- PRYOR, J.A.; WEBBER, B.A. Fisioterapia para problemas respiratórios e cardíacos. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

- UMPHRED, D.A. Reabilitação neurológica.4. ed. São Paulo: Manole, 2004.

- DUTTON, M. Fisioterapia ortopédica: exame, avaliação e intervenção. São Paulo: Artmed, 2006.

- KISNER, C.; COLBY, L.A. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas.5. ed. São Paulo: Manole.

- FREITAS, E.V.; PY, L.; CANÇADO, F. A. X..; DOLL j. ; GORZONI, M.L.Tratado de Geriatria e gerontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006

- DELIBERATO, P.C. Fisioterapia preventiva: fundamentos e aplicações. São Paulo: Manole, 2002.

- GUARAGNA, J.C.V.C. Pós-operatório em cirurgia cardíaca. Rio de Janeiro, 2005.

- KITCHEN, S. Eletroterapia de Clayton. 10 ed. São Paulo: Manole.

- STARKEY C. Recursos Terapêuticos em fisioterapia. 1 ed. Barueri: Manole, 2001.

- SHEPHERD, R.B. Fisioterapia em pediatria. São Paulo: Santos, 1998.

- Fisioterapia preventiva nos distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho - DORTs: a fisioterapia do trabalho aplicada. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

- Código de ética profissional de fisioterapia e terapia ocupacional, 1978.

- www.crefito.com.br/imp/legislaçao/etica-coffito-10.pdf

CARGO: FONOAUDIÓLOGO

- Linguagem:

- Desenvolvimento normal da linguagem;

- Avaliação fonoaudiológica e procedimentos terapêuticos nos casos de atrasos de linguagem, distúrbios fonéticos e fonológicos, distúrbios de leitura e escrita, gagueira e afasias.

- Motricidade Orofacial:

- Desenvolvimento normal das funções estomatognáticas;

- Avaliação fonoaudiológica e procedimentos terapêuticos nos casos de alterações na respiração, mastigação, sucção e deglutição, disartrias, dispraxias, desordens temporomandibulares, disfagias, fissura labiopalatina e paralisia facial.

- Voz:

- Fisiologia da fonação;

- Avaliação fonoaudiológica e procedimentos terapêuticos nos casos de distúrbios vocais.

- Audiologia:

- Anatomofisiologia da audição;

- Avaliação audiológica clínica;

- Saúde ocupacional;

- Seleção e adaptação de aparelhos auditivos;

- Implante coclear;

- Reabilitação nas áreas de deficiência auditiva, adaptação de aparelhos auditivos, implante coclear, vestibulopatias e alterações de processamento auditivo (central).

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- BEHLAU, M., PONTES, P. Avaliação e Tratamento das Disfonias, São Paulo: Lovise, 1995.

- FERRAZ, M. C. Manual Prático de Motricidade Oral. 5. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.

- FROTA, S. Fundamentos em Fonoaudiologia: Audiologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

- GOLDFELD, M., Fundamentos em Fonoaudiologia: Linguagem. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

- LOPES FILHO, O. Tratado de Fonoaudiologia. 2. ed. Ribeirão Preto: Tecmedd, 2004.

- MARCHESAN, I. Q.; GOLDFELD, M., Fundamentos em Fonoaudiologia: Aspectos Clínicos da Motricidade Oral. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

- PINHO, S. M. R., Fundamentos em Fonoaudiologia: Tratando os Distúrbios da Voz. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

- PUYELO, M.; RONDAL, J. A. Manual de Desenvolvimento e Alterações da Linguagem na Criança e no Adulto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

- RUSSO, I. C. P.; SANTOS, T. M. M. Audiologia Infantil. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

- RUSSO, I. C. P.; SANTOS, T. M. M. Prática da Audiologia Clínica. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

- Sítio: www.fonoaudiologia.org.br/default.jsp, acessado em fevereiro de 2010.

CARGOS: MÉDICO (TODAS AS ESPECIALIDADES)

- Conhecimentos básicos para o exercício da profissão:

- Propedêutica cardiológica, insuficiência cardíaca congestiva e valvopatias

- Febre reumática

- Arritmias cardíacas

- Insuficiência respiratória, pneumonias e supurações pulmonares

- Doenças da pleura

- Asma

- Diabetes mellitus

- Dislipidemias

- Erros inatos do metabolismo

- Glomerulopatias

- Diarreias agudas

- Hepatites virais

- Cirrose

- Pancreatite

- Parasitoses intestinais

- Síndrome de má absorção

- Hérnia de hiato

- Abdômen agudo

- Artrite reumatoide

- Gota

- Esclerodermia

- Traumatismo crânio-encefálico

- Distúrbios extrapiramidais

- Lesão de nervos cranianos

- Síndrome de compressão medular e síndrome de desmielinização

- Alcoolismo

- Hipertensão intracraniana

- Doenças sexualmente transmissíveis

- Doenças exantemáticas e neuroviroses

- Toxoplasmose

- Caxumba

- Difteria

- Cólera

- Antimicrobianos

- Imunizações

- Vigilância epidemiológica

- Psitacose e piodermites

- Hanseníase

- Dermatoviroses

- Micoses

- Psoríase e doença do soro

- Rinite alérgica

- Urticária

- Choque anafilático

- Avitaminoses

- Afogamentos

- Intoxicações e overdose

- Lesões por eletricidade

- Plaquetoses

- Embolia aérea

- Hemetopoiese

- Acidentes ofídicos

- Hipercalcemia

- Doença hipertensiva específica da gravidez

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria N° 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria N° 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- CARVALHO, S. R. Saúde Coletiva e a Promoção da Saúde: Sujeito e Mudança. São Paulo: Hucitec, 2005. 183 p.

- CONSTITUIÇÃO FEDERAL de 1988. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200.

- CZERESNIA, D.; FREITAS, C. M. Promoção da Saúde: Conceitos, Reflexões, Tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz. 2003. 174 p.

- DECRETO nº 3.029/1999. Aprova o Regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e dá outras providências.

- DUNCAN, Bruce B; SCHMIDT, Maria Inês; GIULIANI, Elsa R. J. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

- FATTINI, Carlo Américo; DANGELO, José Geraldo. Anatomia Humana Básica. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2006.

- FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Escola Nacional de Saúde Pública - Cadeia de Frio. In: Programa de educação continuada. Brasil, 1983.

- LEI nº 9.782/99. Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências.

- LEI ESTADUAL nº 13.317/99. Código de Saúde do Estado de Minas Gerais e alterações.

- MANUAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Ministério da Saúde.

- MENDES, Eugenio Vilaça. Uma Agenda para Saúde. São Paulo: Hucitec, 1996.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual de Norma de Vacinação. Brasília: 2001.

- NEVES, David Pereira. Parasitologia Humana. 11. ed. São Paulo: Atheneu, 2005.

- PAIM, J. S. Desafios para a Saúde Coletiva no século XXI. Salvador: Edufba, 2006. 154 p.

- PEREIRA, M. G., 2000. Epidemiologia: Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

- PORTARIA 648/GM, de 28 de março de 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o programa de Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS).

- PORTARIA 699/GM, de 30 de março de 2006. Regulamenta as Diretrizes Operacionais dos Pactos Pela Vida e de Gestão.

- REY, Luís. Parasitologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

- ROUQUAYROL, M. Z.; ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia e Saúde. Rio de Janeiro: Medsi, 1999.

- SOUZA, Elvira de Felice. A Administração de Medicamentos e Preparo de Soluções. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 1985

- TEIXEIRA, C. F.; SOLLA, J. P. Modelo de atenção à saúde: promoção, vigilância e Saúde da Família. Salvador: Edufba, 2006. 237 p.

- WILKEN, P. R. C. Política de Saúde no Brasil: O SUS - uma realidade em construção. Rio de Janeiro: HP Comunicação Associados. 2005. 208 p.

- Bibliografia própria de cada especialidade

CARGO: MÉDICO VETERINÁRIO - MÉDICO VETERINÁRIO ZOONOSES

- Conceitos em: anatomia, fisiologia, patologia, farmacologia, Imunologia, clínica e cirurgia médico-veterinária dos animais de produção, genética, biotecnologia, reprodução animal e produção dos animais domésticos;

- Nutrição animal de ruminantes e monogástricos: conceitos básicos sobre processamento de alimentos e formulação de rações, concentrados, núcleos, premixes e suplementos, principais alimentos, suas características nutricionais e utilização na indústria da nutrição de animais, tipos e funções dos aditivos utilizados na alimentação animal;

- Agrostologia, produção e conservação de forragens e erradicação e controle de plantas tóxicas;

- Influência do ambiente na produção animal. Melhoramento genético aplicado à produção animal;

- Zoonoses: diagnóstico, tratamento, controle e política pública aplicada ao tema;

- Controle de pragas e vetores;

- Defesa Sanitária Animal: prevenção, controle e diagnóstico, clínico e laboratorial, das doenças que afetam o comércio e a saúde humana e animal;

- Conhecimentos de epidemiologia, análise de risco e bioestatística;

- Vigilância sanitária e epidemiológica de alimentos de origem animal: intoxicações e toxiinfecções relacionadas a produtos de origem animal., Boas Práticas Agropecuárias (BPA) e Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC);

- Noções básicas de biossegurança;

- Meio ambiente: conceitos gerais. Licenciamento ambiental. Manejo de pastagens com responsabilidade ambiental. Conceitos básicos de preservação ambiental, produção animal em sistemas sustentáveis do ponto de vista ambiental e econômico e conceitos básicos sobre manejo correto de solo para produção de forragens. Qualidade e tratamento de água em fazendas e sistemas de produção animal;

- Conhecimento das leis, decretos-leis, decretos, portarias, regulamentos, resoluções e instruções normativas nas esferas federal, estadual e municipal pertinente a cada área onde atua o profissional da medicina veterinária nos processos de produção animal;

- Conceitos sobre extensão rural e políticas públicas para o setor de produção animal e derivados e conhecimento sobre o processo de transferência de tecnologia aplicada;

. Deontologia e ética profissional;

- Legislação e normas de interesse para o exercício da profissão de Médico Veterinário.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ANDRIGUETTO, J. M.; PERLY, L.; MINARDI, I.; GEMAEL, A.; FLEMMING, J. S.; SOUZA, J. S.; BONA FILHO, A. Nutrição Animal- As bases e os fundamentos da nutrição animal. Os Alimentos. V.1 4 ed. São Paulo: Nobel- 1985, 395 p.

- BACARI JR., F. Manejo Ambiental de Vaca Leiteira em Climas Quentes. Londrina: Ed.UEL, 2001, 142 P.

- BARBOSA, P. F. Sistemas de Cruzamento Para Produção de Novilhos Precoces. São Carlos: EMBRAPA Pecuária Sudeste, 1999, 24 p.

- BERCHIELLI, T.T.; PIRES, A.V.; OLIVEIRA, S.G. Nutrição de ruminantes. Funep, 2006. 583p.

- BERTECHINI, A.G. Nutrição de monogástricos. Lavras, Editora UFLA, 2006. p.301.

- BRASIL. Constituição Federal de 1988.

- BRASIL. Manual de diagnóstico e tratamento de acidentes por animais peçonhentos. 2. ed. Brasília: Funasa, 2001. 120p. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manu_peconhentos.pdf

- BRASIL. Ministério da Saúde. Dengue. Instruções para Pessoal de Combate ao Vetor: Manual de Normas Técnicas. 3 ed., rev., Brasília: Funasa, 2001. 84p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/man_dengue.pdf

- BRASIL. Ministério da Saúde. Epidemiológica. Manual de vigilância e controle da leishmaniose visceral. Brasília 2003. Disponível em: www.ipec.fiocruz.br/pepes/leish/Manual%20LV%20SVS%202003.pdf

- BRASIL. Ministério da Saúde. Funasa. Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD). Brasília, 2002. 34p.disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/pncd_2002.pdf

- BRASIL. Ministério da Saúde. Guia de vigilância epidemiológica. 6. ed. 2005. Capítulos: 1, 2, 3, 5, 6. Dengue; Doença de Chagas; Esquistossomose mansônica; Febre Amarela; Febre Maculosa Brasileira; Hantaviroses; Leishmaniose Tegumentar Americana; Leishmaniose Visceral; Leptospirose; Malária e Raiva. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Guia_Vig_Epid_novo2.pdf

- BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Controle da Leishmaniose Tegumentar Americana. Funasa. 2000. disponível em: www.ipec.fiocruz.br/pepes/leish/Manual%20LTA%20Funasa%202000.pdf

- BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de controle da Leishmaniose Visceral. Brasília, 2004.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de controle de roedores. Brasília, 2002.

- BRASIL Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de diagnóstico e tratamento de acidentes por animais peçonhentos. Brasília, 2001.

. BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de leptospirose. Brasília, 1999.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de vigilância epidemiológica de febre amarela. Brasília, 1999.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Morcegos em áreas urbanas e rurais. Manual de manejo e controle. Brasília, 1996.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de direito sanitário com enfoque na vigilância em saúde. Brasília, 2006, 132 p. disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manual_direito_sanitario.pdf

- CADERNO de Orientação Técnica. UFMG, Pró-Reitoria de Extensão, maio 1999. v. I.

- VIANA, F.C. Tratamento simplificado de águas residuais. Caderno de Orientação Técnica. UFMG, Pró-Reitoria de Extensão, Escola de Veterinária, 1992. v. II.

- CADERNOS Técnicos da Escola de Veterinária da UFMG. Belo Horizonte: EV-UFMG, 1995. v.13.

- CONSOLI, Rotraut A.G.B., Oliveira, R.L. Principais mosquitos de importância sanitária no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz. 1994.

- CORREA, W.W., CORREA, C.N.M. Enfermidades infecciosas dos animais domésticos. 2 ed. Rio de Janeiro: Medsi, 1992.

- FORATTINI, O.P. Epidemiologia geral. Porto Alegre: Artes médicas, 1996.

- FOSSUM, T.W. Cirurgia de pequenos animais.. 2 ed. São Paulo: Roca. 2005.

- FREITAS M.G. et al. Entomologia e acarologia médica e veterinária. 4. ed., Belo Horizonte, 1978.

- GETTY, R. Anatomia dos animais domésticos. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1986.

- GUIA de vigilância epidemiológica. Brasília. 6. ed. 2005. Capítulos: 1, 2, 3, 5, 6 (Dengue p. 231-53; Doença de Chagas p. 282-96; Esquistossomose Mansônica p. 297-306; Febre Amarela p. 307-24; Febre Maculosa Brasileira p. 330-43; Hantaviroses p. 395-408; Leishmaniose Tegumentar Americana p. 444-66; Leishmaniose Visceral p. 467-501; Leptospirose p. 502-20; Malária p. 521-40; Raiva p. 603-32).

- KINGHORN, B.; VAN DE WERF, J.; RYAN, M. Melhoramento Animal: Uso de Novas Tecnologias; um livro para consultores, professores e estudantes de melhoramento genético animal, tradução de Vânia Cardoso e Roberto Carvalheiro, Piracicaba: FEALQ, 2006, 367 p.

- Manual de Controle de Roedores. Brasília: Ministério da Saúde. Fundação Nacional da Saúde. 2002. 132 p. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manual_roedores.pdf

- MANUAL Técnico do Instituto Pasteur. Vacinação contra a raiva de cães e gatos. São Paulo, 1999.

- MANUAL Técnico do Instituto Pasteur. Manejo de quirópteros em áreas urbanas. São Paulo, 2003.

- MASSONE, F. Anestesiologia veterinária. 5 ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2008.

- MINAS GERAIS. Secretaria de Estado da Saúde. Febre maculosa. Informe Técnico. 2001

- NELSON, R.W.; COUTO. C.G. Medicina interna de pequenos animais. 3 ed. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2006.

- NEVES, D. P.; MELO, A. L.; LINARD, M. P. Parasitologia humana. 11. ed. São Paulo: Atheneu, 2005.

- NEVES D.P. Parasitologia humana. 11. ed. São Paulo: Atheneu., 2005.

- PEREIRA, J. C. C. Melhoramento Genético Aplicado à Produção Animal. 4 ed. Belo Horizonte: FEPMVZ Editora, 2004, 609 p.

- PEREIRA, J. C. C. Fundamentos de Bioclimatologia Aplicados à Produção animal. Belo Horizonte: FEPMVZ Editora, 2005, 195 p.

- PROGRAMA Nacional de Controle da Dengue (PNCD), Brasília, 2002.

- DENGUE. Instruções para pessoal de combate ao vetor. Manual de normas técnicas, 2001.

- RADOSTITS, O.M.; GAY, C.C.; BLOOD, D.C.; HINCHCLIFF, K.W.. Clínica Veterinária 9. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2002.

- VIANA, F.C. Construção de poços rasos, cisternas e uso de cloradores por difusão.

- SANTOS, J.A. Patologia geral dos animais domésticos: mamíferos e aves. Rio de janeiro: Interamericana, 1986.

- SPINOSA, H.S.; GÓERNIK, S.L.; BERNARDI, M.M. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2006.

- SWENSON, M.J.; REECE, W.O. Dukes, Fisiologia dos animais domésticos. 11 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.

- TURNER, A.S.; MCILWRAITH, C.W. Técnicas cirúrgicas em animais de grande porte. São Paulo: Roca, s.d.

- VALENTE, J.; DURÃES, M. C.; MARTINES, M. L. TEIXEIRA, N. M. Melhoramento Genético de Bovinos de Leite. Juiz de Fora: EMBRAPA Gado de Leite, 2001, 256 p.

- VAN SOEST, P.J. Nutritional ecology of the ruminant. 2. ed. London: Constock Publishing Associates, USA, 1994. 476p.

- www.cfmv.org.br

CARGO: MONITOR (EDUCAÇÃO FÍSICA (PETI) - REFORÇO ESCOLAR)

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Rede SUAS, Legislação do SUAS;

- Controle social no SUAS;

- Política Nacional de Assistência Social (PNAS);

- Constituição Federal de 1988;

- Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS);

- Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS);

- Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS);

- Benefícios Assistenciais;

- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;

- Inclusão Produtiva;

- Avaliação e gestão da informação das Políticas Públicas do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social;

- Bolsa Família - Cadastro Único;

- Lei 10.836/04;

- Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN);

- Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Rede de Equipamentos;

- Programa Nacional de Inclusão de Jovens - PROJOVEM.

CARGO: NUTRICIONISTA

- Conhecimentos Básicos para o exercício da profissão:

- Nutrição básica: propriedade dos compostos orgânicos; composição, função, digestão, absorção, metabolismo, eliminação, fontes, recomendações, problemas relacionados àcarência e ao excesso dos nutrientes; carboidratos; lipídios; proteínas; vitaminas; minerais; água, eletrólitos e equilíbrio ácido-base; sistema digestório, excretor, circulatório, nervoso, respiratório; energia para manutenção dos processo vitais;

- Nutrição e dietética: nutrição nas diversas faixas etárias: pré-escolar, escolar, adolescência, na idade adulta e velhice; interação: drogas x nutrientes; biodisponibilidade de nutrientes;

- Planejamento de refeições: previsão, aquisição e armazenamento de alimentos; objetivo do planejamento, fatores que afetam o planejamento e porções de alimentos; tipos de refeições; planejamento e execução de cardápios; hábitos alimentares; programas de alimentação no Brasil; modismos alimentares; alimentação alternativa;

- Puericultura: nutrição na gravidez e lactação; alimentação (aleitamento materno e artificial, outras refeições);

- Nutrição e saúde pública;

- Dietoterapia e cuidados nutricionais nas enfermidades: aparelho digestivo e glândulas anexas; diabetes MELLITUS e glândulas endócrinas; doenças cardiovasculares, do sangue e órgãos hematopoiéticos; nutrição nas doenças renais; alergias e intolerância alimentar; nutrição em cirurgia, traumas ou queimaduras; erros inatos do metabolismo; desnutrição: Kwashior Kor e marasmo.

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link:
HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria n° 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA:

- Mahan, L. K. de Arlin, M.T. Ckrause/alimentos, Nutrição e Dietoterapia - 9ª ed. São Paulo: Roca, 1998;

- Gouveia, Enilda L.C. /Nutrição, Saúde e Comunidade. Rio de Janeiro, Remiter;

- Dutra de Oliveira, I. E & Marchini, J.S. Ciências Nutricionais, São Paulo, Samier, 1998;

- Chaves, N. Nutrição Básica e Aplicada. Rio de Janeiro, Guanabara, Koogan;

- Franco Guilherme, Tabela de Composição Química dos Alimentos. São Paulo, Rio de Janeiro, Atheneu;

- Crespin, Jacques, Puericultura. Ciência, Arte e Amor. São Paulo, Fundo Editora BYK 1992;Ornellas, L. /técnica Dietética. São Paulo, Atheneu.

- PORTARIA 648/GM de 28.03.2006. Aprova a política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para organização da Atenção Básica para o Programa de Saúde da família (PSF) e os Programas Agentes Comunitários de Saúde (PACS);

- PORTARIA 699 de 30.03.2006 - Regulamenta a Diretrizes Operacionais dos Pactos Pela Vida e de Gestão. BRASIL - Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199, 200;

- BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196,197, 198, 199 e 200;

- BRASIL. Lei n° 8.080 de 19.09.1990;

- BRASIL. Lei n° 8.142 de 19.09.1990;

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - ARTES

- A Arte como objeto de conhecimento.

- O ensino de Artes na escola brasileira.

- O processo de aprendizagem de artes no ensino fundamental.

- A seleção de conteúdos no ensino de Artes. Arte e interdisciplinaridade.

- Arte e transdisciplinaridade.

- Conhecimento artístico: princípios e modalidades.

- A arte como fator de formação humana.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- BARBOSA, A. M. O ensino da arte e sua história. São Paulo : MAC/USP, 1990.

- BOSI, .A. Reflexão sobre a arte. São Paulo: Ática, 1985.

- CHAUÍ, M. Conformismo e resistência . Aspectos da cultura popular no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1986.

- LANGER, S. k. Sentimento e forma. São Paulo: Perspectiva, 1980.

- PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: ARTE. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

- PIGET, Jean. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

- VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. Lisboa: Antídoto, 1979

- . A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - CIÊNCIAS

- Átomos e moléculas

- Propriedades da água

- Biomoléculas

- Estrutura e funcionamento da célula

- Diversidade microbiana, vegetal e animal

- Reprodução e desenvolvimento humano

- Sistemas circulatório, digestivo e respiratório

- Ecossistemas, comunidades e populações

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- CURTIS, H (1977). Biologia. 2ª ed. Guanabara. Rio de Janeiro

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - ENSINO RELIGIOSO

- Culturas e tradições religiosas: no mundo ocidental e no mundo oriental - História e fundamentos: Cristianismo, Judaísmo, Islamismo, Budismo, Espiritismo, Religiões afras.

- Teologias, Escrituras, Ritos e Ethos: Cristianismo, Judaísmo, Islamismo, Budismo, Espiritismo, Religiões afras.

- Religião e Ciências

- O que é Religião?

- Contribuição das Ciências Humanas para as religiões

- A idéia de Transcendência numa perspectiva tradicional e numa perspectiva contemporânea.

- O Ensino Religioso e a fundamentação legal: As visões de Religião nas Leis de Ensino do Brasil.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ALVES, Rubem. O que é religião. 14. ed. São Paulo: Brasiliense, 1991. 132p.

- AQUINO, Marcelo Fernandes de. O conceito de religião em Hegel. São Paulo: Loyola, 1989. 357 p.

- BERGSON, Henri. As duas fontes da moral e da religião. Rio de janeiro: Zahar, 1978. 262p.

- CHALLAYE, Félicien. Pequena história das grandes religiões. Tradução Alcântara Silveira. 2. ed. São Paulo: Ibrasa, 1967. 287 p.

- ELIADE, Mircea. História das crenças e das ideias religiosas: de Maomé à idade das reformas. Tradução Roberto Cortes de Lacerda. Rio de Janeiro: Zahar, 1984. 400p.

- HERRERO, Francisco Javier. Religião e história em Kant. Tradução José A. Ceshia. São Paulo: Loyola, 1991. 189 p.

- LEROI-GOURHAN. As religiões da pré-história. Tradução Maria Inês da Franca Sousa Ferro. Lisboa: Edições 70, 1990. 140p.

- LING, Trevor. História das religiões. Tradução Maria José De La Fuente. Lisboa: Presença. 19994. 370p.

- ZILLES, Urbano. Filosofia da religião. São Paulo: Paulinas.

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - EDUCAÇÃO FÍSICA

- A legalidade e a legitimidade da Educação Física escolar.

- Cultura corporal e Educação Física escolar.

- As dimensões socioculturais do esporte.

- O esporte nas aulas de Educação Física.

- A Educação Física na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

- As teorias da Educação Física escolar.

- Políticas educacionais para a Educação Física escolar.

- A construção do conhecimento na Educação Física escolar.

- A prática pedagógica dos professores de Educação Física na Educação Básica.

- A formação dos professores de Educação Física para a Educação Básica.

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- BRACHT, Valter. Sociologia crítica do esporte: uma introdução. Vitória: UFES, Centro de Educação Física e Desporto, 1997.

- BRACHT, Valter; SOFISTE, Ana F.; PIRES, Rosely; GARCIA, Sabrina P. A prática pedagógica em Educação Física: a mudança a partir da pesquisa-ação. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas/SP, v. 23, n. 2, p. 9-29, 2002.

- BRASIL. Congresso Nacional. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

- . Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física/ Secretaria de Educação Fundamental. - Brasília: MEC/SEF, 1997. 96p.

- . Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB 16/2001 - Brasília, 2001. Disponível: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pceb16_01.pdf

- CASTELANI FILHO, Lino. Política Educacional e Educação Física. Campinas: Autores Associados, 1998.

. CAPARROZ, Francisco Eduardo. Entre a Educação Física na escola e a Educação Física da escola. 3ª ed. Campinas: Autores Associados, 2008.

- CELANTE, Adriano. Educação Física e cultura corporal: uma experiência de intervenção pedagógica no ensino médio. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000. Disponível: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000215991

- COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez. 1992.

- DAOLIO, Jocimar. A Ruptura Natureza/Cultura na Educação Física. In: DE MRACO, Ademir (Org.). Pensando a Educação Motora. Campinas: Papirus, 1995, p. 59-68.

- . Educação Física brasileira: autores e atores da década de 1980. São Paulo: Papirus, 1998.

- . Da cultura do corpo. Papirus: Campinas, 1995.

- HILDEBRANDT, R & LAGING, R. Concepcões abertas no ensino da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986.

- GÜNTHER< Cecília C.; MOLINA NETO, Vicente. Formação permanente de professores de Educação Física na Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre: uma abordagem etnográfica. Rev. Paul. Educ. Fís., São Paulo, v. 14, n. 1, p.85-91, 2000.

- KISCHIMOTO, Tizuco Morchida. Jogos Tradicionais Infantis: o jogo a criança e a educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1993.

- KUNZ, Elenor. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí, RS: Unijuí, 2000.

- MINAS GERAIS. Secretaria Estadual de Educação de Minas Gerais. CBC da Educação Física. Disponível em http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/minicursos/ed_%20fisica_ef/capa_eixos.htm

- MOLINA, Rosane K.; MOLINA NETO, Vicente. Diretrizes e práticas docentes na Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre: um estudo de caso longitudinal. CADERNOS ANPAE, v. 4, p. 393-404, 2007.

- SOARES, Carmem Lúcia. Educação Física Escolar: conhecimento e especificidade. In: Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, supl. 2, p. 6-12, 1996.

- VELOZO, Emerson Luís. Os saberes nas aulas de Educação Física escolar: uma visão a partir da escola pública. 2004. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004. Disponível: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000328883

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - GEOGRAFIA

- GEOGRAFIA GERAL E DO BRASIL

- I - INTRODUÇÃO AO ENSINO DA GEOGRAFIA:

- Conceitos estruturadores do conhecimento geográfico e elementos da interlocução didática desse conhecimento.

- A Geografia na escola básica, a contextualização do ensino e a importância da escala geográfica na compreensão do espaço.

- O Espaço Geográfico em suas múltiplas dimensões: paisagem, lugar, território, região e sua relação com os conteúdos geográficos.

- A fragmentação do conhecimento geográfico e a relação entre conteúdos geográficos e práticas pedagógicas.

- O papel do livro didático, das diferentes formas de linguagens no ensino da Geografia, os meios de comunicação de massa e as novas tecnologias da informação no ensino da Geografia.

- II - A REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA:

- A Cartografia como instrumento para o ensino da Geografia.

- A linguagem cartográfica e a construção dos mapas.

- Elementos de Cartografia básica: orientação, localização, as coordenadas geográficas; os tipos de projeções: a escala cartográfica, fusos horários e curva de nível.

- III - O MEIO AMBIENTE FÍSICO E AS ATIVIDADES HUMANAS NA PRODUÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO:

- A dinâmica e a interdependência dos elementos da natureza e produção da paisagem: o clima, a vegetação, os recursos hídricos, o solo, a estrutura geológica da Terra e a evolução das formas de relevo.

- Desenvolvimento e Meio Ambiente: os recursos minerais e energéticos e suas formas de exploração. A conservação e utilização dos recursos naturais; os principais problemas ambientais e as políticas ambientalistas.

- IV. AS ATIVIDADES HUMANAS, SUAS TECNOLOGIAS E AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS:

- Espaço e poder: Nação e Estado, o etnocentrismo e as diferentes territorialidades do espaço globalizado.

- A geopolítica mundial: a regionalização do espaço mundial e os principais focos de tensão.

- A economia mundial e o processo de globalização: os fluxos de capitais, mercadorias e serviços; a indústria, os transportes, as comunicações, a sociedade de consumo e o meio ambiente.

- A produção do espaço urbano e rural: a dinâmica das cidades, elementos que compõem o meio urbano e sua relação com o campo, a agricultura, o extrativismo e a pecuária.

- A dinâmica da população: estrutura etária, crescimento, distribuição, mobilidade e indicadores socioeconômicos.

- Lei de Diretrizes e Bases da Educação

- Parâmetros Curriculares Nacionais

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- Livros e textos de revistas e periódicos especializadas em geografia, epistemologia da geografia e conceitos estruturadores do conhecimento geográfico, ensino de geografia, educação, formação de professores e saberes docentes, mídia e ensino de geografia, linguagem e ensino, temas da atualidade e quaisquer referenciais bibliográficos que aborde, com propriedade, os temas elencados para o Concurso Público.

- BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9. 394 de 20 de dezembro de 1996.

- BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - HISTÓRIA

- História Geral

- Antiguidade clássica : o mundo Greco-romano.

- O mundo medieval

- A modernidade européia : transição do feudalismo para o capitalismo.

- A formação do mundo contemporâneo

- O período entre guerras

- A Segunda Guerra Mundial ( 1939-1945)

- O Mundo após a Segunda Guerra Mundial

- O Terceiro Mundo

- História do Brasil

- A ocupação inicial do território brasileiro e a questão indígena;

- Principais características da Colonização Portuguesa no Brasil;

- A Corte Portuguesa no Brasil

- O Império Brasileiro;

- A República Velha

- A Era Vargas

- A República contemporânea: do populismo ao militarismo

- A Nova República

- Lei de Diretrizes e Bases da Educação

- Parâmetros Curriculares Nacionais

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- CAMPOS, Flávio de; MIRANDA, Renan Garcia. A Escrita da História: Ensino Médio. São Paulo: Escala Educacional, 2005.

- SCHIMIDT, Mario Furley. Nova História Crítica: Ensino Médio. São Paulo: Nova Geração, 2005.

- COTRIM, Gilberto. História Global - Brasil e Geral : Ensino Médio. Volume único. 8 ed. São Paulo : Saraiva, 2005 ( 3ª tiragem 2007)

- FIGUEIRA, Divalte Garcia. História: Ensino Médio. Volume único 2 ed.. _ São Paulo : Ática , 2005.

- ALENCAR, Francisco. História da sociedade brasileira: Ensino Médio.Volume único: Francisco Alencar, Lucia Carpi Ramalho, Marcus Venício Toledo Ribeiro -5 ed. _ Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico S/A , 2000.

- BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9. 394 de 20 de dezembro de 1996.

- BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - INGLÊS

- Leitura, compreensão e interpretação de textos.

- Marcadores discursivos.

- Elementos de coesão e coerência textuais.

- Gêneros textuais em língua inglesa.

- Sistema verbal da língua inglesa e função comunicativa dos verbos.

- Sistema referencial.

- Dêiticos.

- Frases nominais.

- Sintaxe e semântica da língua inglesa.

- Graus dos adjetivos.

- Lei de Diretrizes e Bases da Educação

- Parâmetros Curriculares Nacionais

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- AZAR, B. S. Fundamentals of English Grammar. 3rd Ed. New York: Longman, 2003.

- FUCKS, M.; BONNER, M. Focus on Grammar - a high-intermediate course for reference and practice (vols. A and B). New York: Longman, 2000.

- LARSEN-FREEMAN, D. Grammar dimensions - form, meaning, and use. Boston: Heinle & Heinle, 2000.

- NUTTALL, Christine. Teaching Reading Skills in a Foreign Language. Oxford: Macmillan Publishers, 1996.

- REID, J. M.; BYRD, P. Looking ahead - developing skills for academic writing. Boston: Heinle & Heinle Publishers, 1998.

- RILEY, D.; Hughes, J. Practical Grammar. Hampshire: Heinle, Cengage Learning, 2010.

- ROSEBERRY, R. L.; WEINSTOCK, R. Reading, etc. - an integrated skills text. Eglewood Cliffs: Prentice Hall Regents, 1992.

- SOUZA, A. G. F.; ABSY, C. A.; COSTA, G. C. da; MELLO, L. F. de. Leitura em língua inglesa - uma abordagem instrumental. São Paulo: Disal, 2005.

CARGO : PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II – MATEMÁTICA

- Estrutura e Funcionamento do Ensino, Ensino e Aprendizagem de Matemática:

- Diretrizes e bases da educação nacional.

- Ensino-aprendizagem de Matemática e avaliação.

- Uso da História da Matemática na prática de ensino.

- Uso de tecnologias da comunicação.

- Resolução de problemas.

- Sistemas nacional e estadual de avaliação de ensino.

- Sistemas de medidas de:

- comprimento;

- superfície;

- capacidade;

- massa;

- tempo.

- Conversão de medidas.

- Conjuntos

- noções básicas;

- operações;

- conjuntos numéricos;

- intervalos.

- Funções:

- definição, domínio, contradomínio, imagem e gráfico;

- operações;

- função inversa

- função afim, gráfico e inequações do 1° grau;

- função quadrática, gráfico e inequações do 2° grau;

- Sistemas de equações e inequações do 1° e do 2° graus.

- Noções de Matemática financeira:

- razão e proporção

- regra de três simples;

- regra de três composta;

- porcentagem;

- juro simples;

- juro composto.

- Seqüências, Progressões aritmética e geométrica.

- Matrizes: conceitos básicos, operações, matriz inversa.

- Determinantes.

- Sistemas lineares, classificação, resolução de sistema por escalonamento.

- Análise combinatória: princípio fundamental da contagem, fatorial de um número natural, arranjos, permutações, combinações, permutações com elementos repetidos.

- Geometria métrica plana e espacial:

- semelhança de triângulos, relações métricas no triângulo retângulo, relações métricas em um triângulo qualquer;

- área das principais figuras planas;

- relações métricas nos polígonos regulares;

- posições relativas entre retas, entre reta e plano, e entre planos, projeção ortogonal;

- Poliedros, poliedros regulares, relação de Euler;

- Volume e área da superfície dos: prisma, pirâmide, cilindro, cone e esfera;

- Trigonometria:

- circunferência: arco, ângulo central, comprimento;

- unidades de medidas de arcos e ângulos;

- seno, cosseno e tangente de um arco;

- Identidades trigonométricas;

- Soma de arcos;

- Arco duplo e arco metade;

- Lei dos senos e lei dos cossenos;

- Redução ao primeiro quadrante;

- Obtenção da primeira determinação positiva de um arco.

- Resolução de problemas.

- Lei de Diretrizes e Bases da Educação

- Parâmetros Curriculares Nacionais

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- www.inep.gov.br/

- http://portal.mec.gov.br/

- www.educacao.mg.gov.br/

- LEI nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e suas atualizações.

- PCN

- BOYER, C. B. História da Matemática. Ed. Edgard Blücher.

- D'AMBRÓSIO, U. Educação Matemática - da teoria à prática. Ed. Papirus.

- POLYA, G. A Arte de Resolver Problemas. Ed. Interciência.

- GIOVANNI, José Ruy; BONJORNO, José Roberto. Matemática completa, 1ª a 3ª séries do ensino médio. FTD. São Paulo 2005.

- IEZZI, Gelson; DOLCE, Osvaldo; DEGENSZAJN, David; PÉRIGO, Roberto. Matemática, volume único. Atual editora. São Paulo 2002.

- DANTE, L. R., Matemática: contexto e aplicações (3 volumes). São Paulo: Ática, 2003.

- DANTE, L. R., Tudo é Matemática (4 volumes). São Paulo: Ática.

- IEZZI, G. et al. Fundamentos de Matemática Elementar (11 volumes). São Paulo: Atual. 2007.

- FÁVARO, S. e KMETEUK, O., Matemática Fundamental e Lógica, 1ª Edição, Ciências Moderna, São Paulo, 2005.

- BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9. 394 de 20 de dezembro de 1996.

- BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II - PORTUGUÊS

- Leitura e interpretação de texto

- Sílaba (classificação das palavras quanto ao número de sílabas, divisão silábica, acento tônico, classificação das palavras quanto ao acento tônico, vocábulos átonos, tônicos, rizotônicos e arrizotônicos)

- Ortografia

- Estrutura das palavras

- Formação das palavras

- Classificação, flexão e emprego das classes de palavras

- Significação das palavras (sinônimos, antônimos, homônimos, parônimos, denotação e conotação)

- Análise Sintática

- Sinais de pontuação

- Sintaxe de concordância, de regência e de colocação.

- Lei de Diretrizes e Bases da Educação

- Parâmetros Curriculares Nacionais

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ANDRÉ, Hildebrando A. de. Gramática Ilustrada. 3. ed. São Paulo: Ática, 1987.

- CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. 20. ed. São Paulo: Nacional, 1989.

- CIPRO NETO, Pasquale; INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 2003.

- FARACO, Carlos Emilio; MOURA, Francisco Marto de. Gramática. 12. ed. São Paulo: Ática, 1999.

- NICOLA, José de; INFANTE, Ulisses. Gramática Contemporânea da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1989.

- SAVIOLI, Francisco Platão. Gramática em 44 lições. São Paulo: Ática, 1995.

- Textos de jornais, revistas e de livros didáticos.

- BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9. 394 de 20 de dezembro de 1996.

- BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA I

- Exercer as funções docentes e de outras correlatas que lhe forem atribuídas, dentro dos planos de trabalho e programa do Sistema Municipal de Ensino, nas séries iniciais do Ensino Fundamental, visando à alfabetização e ao letramento dos alunos.

- Ensino e aprendizagem no Ensino Fundamental do 1° ao 5° ano (objetivos, metodologia, recursos e avaliação da aprendizagem).

- A importância da linguagem, do movimento, da arte, das brincadeiras no processo de aprendizagem da criança de 6 a 10 anos.

- Lei de Diretrizes e Bases da Educação

- Parâmetros Curriculares Nacionais

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- ARROYO, Miguel Gonçalez. Ofício de mestre. Imagens e autoimagens. Petrópolis: Vozes, 2000.

- . Imagens quebradas: trajetórias e tempos de alunos e mestres. 3. ed. São Paulo: Vozes, 2004.

- BARBOSA, Ana Mae. (Org). Inquietações e Mudanças no Ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2003.

- BERNARDIN. Jacques. As crianças e a cultura escrita. Porto Alegre: Artmed, 2003.

- CARVALHO, João Pitombeira; SZTAJNI,, Paola. As habilidades "básicas" em Matemática. Revista Presença Pedagógica, Belo Horizonte: Dimensão, v. 3, n. 15, maio/jun. 1997.

- FONSECA. Maria da Conceição F. R.; CARDOSO, Cleusa de A. Educação matemática e letramento: textos para ensinar Matemática e Matemática para ler o texto. In: NACARATO, Adair M.; LOPES, Celi E. Escritas e leituras na educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

- PEREIRA, Tânia Michel (Org.) Matemática nas séries iniciais. 2. ed. Ijuí: Unijuí, 1989. (Ensino de 1° grau; Série Biblioteca do Professor).

- (Org.). PIAGET. Jean. A construção do real na criança. São Paulo: Ática, 1996.

- PONTE, João P.; BROCARDO, Joana; OLIVEIRA, Hélia. Investigações matemáticas na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

- SOARES, Magda Becker. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, n. 25, p. 5-25, jan./abr. 2004.

- TORRES, Márcia Zampiere. Diário na escola - Santo André: jogo de ideias. Diário do

Grande ABC, 24 de outubro de 2003. Disponível em: www.redenoarsa.com.br/biblioteca/24se10_5900.pdf.

- BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9. 394 de 20 de dezembro de 1996.

- BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CARGOS: PSICÓLOGO - PSICÓLOGO (NASF) - PSICÓLOGO (CAPS)

- Psicologia do desenvolvimento

- Teorias da Personalidade

- Aconselhamento psicológico e orientação

- Psicopatologia: transtornos dos processos básicos e classificação dos transtornos psíquicos

- Atendimento a urgência psiquiátrica

- Política Nacional de Saúde Mental no modelo da reforma psiquiátrica (CAPS, Centro de Convivência, Residência Terapêutica e política de álcool e drogas)

- Reforma psiquiátrica e legislação

- Psicologia social: participação social e intersetorialidade, controle social e formas de participação social

- Métodos de pesquisa

- Dependência Química

- Ética profissional

- Psicologia nas Instituições de Saúde

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

- ALVES-MAZZOTTI, Alda J., GEWANDSZNAJDER, Fernando. O método nas ciências naturais e sociais. pesquisa qualitativa e quantitativa, 2ª ed. São Paulo: Pioneira, 2001. 203p.

- American Psychiatric Association, DSM-IV, Porto Alegre, Artes Médicas, 2003.

- ANASTASI, A. Testagem Psicológica, 7ª ed. Porto Alegre: ArtMedSul, 2000.

- BEZERRA, B. Considerações sobre terapêuticas em saúde mental. In TUNDIS, S. e COSTA, N. Cidadania e loucura: políticas de saúde mental no Brasil. Petrópolis, Vozes, 1987.

- BOWDITCH, James L.; BUONO, Anthony F. Elementos de comportamento organizacional. São Paulo: Pioneira, 2002.

- CANGUILHEM, Georges. O normal e o patológico. RJ: Forense, 1982.

- CARVALHO-FREITAS, M. N.; MARQUES, A.L.. (Org.). Trabalho e Pessoas com Deficiência: pesquisas, práticas e instrumentos de diagnóstico. 1 ed. Curitiba: Juruá Editora, 2008.

- Código de Ética Profissional dos Psicólogos CFP.

- COZBY, P. C. Métodos de Pesquisa em Ciências do Comportamento, (2003). São Paulo: Ed Atlas.

- GOLDBERG, Jairo Clínica da Psicose (Um projeto na rede publica), Editora Te Corá.

- KAPLAN e SADOCK. Compêndio de Psicquiatria: Porto Alegre, Artes Médicas, 1999.

- KAUFMANN, Pierre (editor). Dicionário enciclopédico de psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

- Linha Guia da Saúde Mental de Minas Gerais - Site: www.saude.mg.gov.br.

- LOBO, L. Deficiência, Prevenção, Diagnóstico e Estigma. In RODRIGUES, H. e outros. Grupos e Instituições em Análise. RJ, Rosa dos Tempos, 1992.

- LOBOSQUE, Ana Marta. Clínica em Movimento (Por uma sociedade sem manicômios - Editora Garamond.

- MENEZES, G. B., Fontenelle, L. F., MULULO, S. & VERSIANI, M. (2007). Resistência ao tratamento nos transtornos de ansiedade: fobia social, transtorno de ansiedade generalizada e transtorno do pânico. Revista Brasileira de Psiquiatria, 29 (Sup. II), p. 55-60.

- MILBY, jessé B. (1988) A Dependência de Drogas e seu Tratamento. São Paulo: Pioneira.

- MILLER, W.& ROLLNICK, S. (2001) Entrevista Motivacional. Preparando as pessoas para a mudança de comportamentos adictivos. Porto Alegre: Artmed.

- MINICUCCI, A. Elaboração de Laudos Psicológicos; v. 2. São Paulo: Vetor, 2002.

- Organização Mundial de Saúde. Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID - 10. Porto Alegre, 1994.

- PEREIRA, William Cesar Castilho. Nas Trilhas do trabalho Comunitário e social: teoria, método e prática. Belo Horizonte: Edit. Vozes, 2001.

- RAPPAPORT, C. Teorias do Desenvolvimento, São Paulo: Epu.

- ROPA, D. DUARTES, L F. Considerações teóricas sobre a questão do atendimento psicológico às classes Trabalhadoras. In FIGUEIRA, S. Cultura da Psicanálise, SP, Brasiliense, 1987.

- TUNDIS, Silvério e COSTA, N. (orgs). Cidadania e loucura: Políticas de Saúde Mental no Brasil, Petrópolis:Vozes 1982.

CARGO: TERAPEUTA OCUPACIONAL - TERAPEUTA OCUPACIONAL (CAPS)

- Conhecimentos básicos para o exercício da profissão

- Reabilitação física e neurológica: anatomia funcional da mão. Órteses, artrite reumatoide; ADM; Edema; métodos de redução do edema; avaliação da sensibilidade; distúrbios da percepção; distúrbios da coordenação; ruptura de tendão; AVC; hemiplegia; hemiparesia; traumatismo craniano.

- Saúde mental: oficinas na saúde mental; tratamento de pacientes psicóticos.

- Neuropediatria: paralisia cerebral: tipos de paralisia cerebral; reflexos tônicos; coordenação motora normal (desenvolvimento normal); etiologia; import/ncia do "brincar"; DM; Reações de equilíbrio e endireitamento.

- Geriatria: 3ª idade

- Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - NOB-SUS/96, podendo ser acessada através do link: HTTP://siops.datasus.gov.br/Documentacao/NOB%2096.pdf

- Portaria Nº 648/GM de 28 de Março de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-648.htm

- Portaria Nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sãs/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-399.htm

- Lei 8080 de 19/09/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8080.htm

- Lei n° 8.142 de 28/12/1990, podendo ser acessada através do link: HTTPS://www.planalto.gov.br/ccivil 03/leis/l8142.htm

- Portaria nº 154 de 24/01/2008, podendo ser acessada através do link: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2008/GM/GM-154.htm

- Política Nacional de Humanização, podendo ser acessada através do link: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/doc_base.pdf

SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

- BENETTON, M. J. Uma Abordagem Psicodinâmica em Terapia Ocupacional. São Paulo, v. 2, n. 213, p. 55-59, 1991.

- BOBATH, B. Hemiplegia no Adulto: Avaliação e tratamento: São Paulo: Manoele, 1978.

- BOBATH, K. Uma Base Neurofisiologia para o Tratamento da Paralisia Cerebral. 2. ed. São Paulo: Manole.

- CAILLET, R. Mão: Dor e Incapacidade. São Paulo: Manole, 1976.

- DAVIES, P. M. Passos a Seguir: Um Manual para o Tratamento da Hemiplegia no Adulto. São Paulo: Manole, 1996.

- . Recomeçando Outra Vez: Reabilitação Precoce Após Lesão Cerebral Traumática ou Outra Lesão Cerebral Severa. São Paulo: Manole, 1997.

. FASCÍCULOS DA FHEMIG. Rumo às Oficinas. HGV, n. 10, 1994.

- FINNIE, N. A. O Manuseio em Casa da Criança com Paralisia Cerebral. 2. ed. São Paulo: Manole.

- GUIMARÃES, R.M.; CUNHA, U.G.V. Sinais e Sintomas em Geriatria. Rio de Janeiro: Revinter, 1989.

- GUYTON, A .C. Tratado de Fisiologia Médica. 6. ed. Guanabara, 1996.

- KISNER, C. Exercícios terapêuticos: Fundamentos e Técnicas. São Paulo: Manole, 1987.

- LEBOVICI & DIATKINE. Significado e Função Brinquedo na Criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

- LIANZA, S. Medicina de Reabilitação. Rio de Janeiro: Koogan, 1985.

- NERI, Anital. Qualidade de vida e Idade Madura. Campinas: Papirus, 1993.

- NICOLA, Pietro de. Geriatria. Porto Alegre: D. C. Luzzatto, 1986.

- ORSINI, M. B. P. Avaliação da Sensibilidade - Teoria e Prática. Belo Horizonte: Curso de Extensão da FCMMG, 1993.

- O'SULLIVAN, S. Fisioterapia: Avaliação e Tratamento. São Paulo: Manole, 1993.

- PARDINI, A. Traumatismo da Mãe. 2. ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 1992.

- SHEPHERD, R. B. Fisioterapia em Pediatria. 3. ed. Santos.

- SOARES, L. B. T. Terapia Ocupacional: Lógica do Capital ou do Trabalho? São Paulo: Hucitec, 1991.

- TROMBLY, C. A. Terapia Ocupacional para Disfunção Física. 2. ed. São Paulo: Sales, 1989.

ANEXO II - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

CARGO: AGENTE DE CONTROLE DE ZOONOSES

- Trabalho de campo, vistoria e fiscalização zoossanitária.

- Zelar pela segurança e bem estar dos animais sob a guarda do serviço;

- Manejar adequadamente os animais de forma a minimizar o seu estresse e desconforto;

- Alimentar os animais mantidos nos alojamentos;

- Limpar e desinfetar todos os ambientes, equipamentos e utensílios utilizados pelos animais;

- Auxiliar na eutanásia de animais, quando necessário;

- Auxiliar nos procedimentos clínicos, cirúrgicos e anátomo-patológicos realizados nos animais;

- Realizar a vacinação dos animais com a devida contenção, de forma a evitar lesões nos mesmos e acidentes por mordeduras e arranhaduras;

- Coletar, receber, identificar, processar e acondicionar amostras para diagnóstico laboratorial;

- Realizar outras Atividades correlatas ou afins ao serviço de controle de zoonoses que sejam necessárias;

- Auxiliar nas ações educativas realizadas pelo serviço;

CARGO: ASSISTENTE SOCIAL

- Coordenar os trabalhos de caráter social adstritos às ESF;

- Estimular e acompanhar o desenvolvimento de trabalhos de caráter comunitário em conjunto com as ESF;

- Discutir e refletir permanentemente com as ESF a realidade social e as formas de organização social dos territórios, desenvolvendo estratégias de como lidar com suas adversidades e potencialidades;

- Atender as famílias de forma integral, em conjunto com as ESF, estimulando a reflexão sobre o conhecimento dessas famílias, como espaços de desenvolvimento individual e grupal, sua dinâmica e crises potenciais;

- Identificar no território, junto com as ESF, valores e normas culturais das famílias e da comunidade que possam contribuir para o processo de adoecimento;

. Discutir e realizar visitas domiciliares com as ESF, desenvolvendo técnicas para qualificar essa ação de saúde;

- Possibilitar e compartilhar técnicas que identifiquem oportunidades de geração de renda e desenvolvimento sustentável na comunidade, ou de estratégias que propiciem o exercício da cidadania em sua plenitude, com as ESF e a comunidade;

- Identificar, articular e disponibilizar com as ESF uma rede de proteção social;

- Apoiar e desenvolver técnicas de educação e mobilização em saúde;

- Desenvolver junto com os profissionais das ESF estratégias para identificar e abordar problemas vinculados à violência, ao abuso de álcool e a outras drogas;

- Estimular e acompanhar as ações de Controle Social em conjunto com as ESF;

- Capacitar, orientar e organizar, junto com as ESF, o acompanhamento das famílias do Programa Bolsa Família e outros programas federais e estaduais de distribuição de renda;

- Identificar as necessidades e realizar as ações de Oxigenioterapia, capacitando as ESF no acompanhamento dessa ação de atenção à saúde.

CARGO: ASSISTENTE SOCIAL (CAPS)

- Compor equipe multidisciplinar nas áreas de assistência social e de saúde mental

- Prestar atendimento individual ou em grupo à população usuária

- Fornecer suporte a famílias carentes no tocante à reintegração de doentes ao meio familiar e social

- Participar do atendimento à população atingida por situações de emergência

- Fazer visitas sociais

- Dar suporte técnico para concessão do Benefício de Prestação Continuada - BPC

- Dar suporte técnico ao Conselho Tutelar, além de atender a solicitações da Justiça e do Ministério Público

- Proceder ao estudo, acompanhamento e avaliação da população usuária dos serviços municipais, especialmente da Assistência Social, contribuindo na elaboração de projetos para os setores em que atua

- Contribuir para o fortalecimento das entidades sociais e conselhos municipais; participar dos eventos ligados à Secretaria em que presta serviço

- Exercer demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do respectivo Conselho de classe.

CARGO: ASSISTENTE SOCIAL (NASF)

- Coordenar os trabalhos de caráter social adstritos às ESF;

- Estimular e acompanhar o desenvolvimento de trabalhos de caráter comunitário em conjunto com as ESF;

- Discutir e refletir permanentemente com as ESF a realidade social e as formas de organização social dos territórios, desenvolvendo estratégias de como lidar com suas adversidades e potencialidades;

. Atender as famílias de forma integral, em conjunto com as ESF, estimulando a reflexão sobre o conhecimento dessas famílias, como espaços de desenvolvimento individual e grupal, sua dinâmica e crises potenciais;

- Identificar no território, junto com as ESF, valores e normas culturais das famílias e da comunidade que possam contribuir para o processo de adoecimento;

- Discutir e realizar visitas domiciliares com as ESF, desenvolvendo técnicas para qualificar essa ação de saúde;

- Possibilitar e compartilhar técnicas que identifiquem oportunidades de geração de renda e desenvolvimento sustentável na comunidade, ou de estratégias que propiciem o exercício da cidadania em sua plenitude, com as ESF e a comunidade;

- Identificar, articular e disponibilizar com as ESF uma rede de proteção social;

- Apoiar e desenvolver técnicas de educação e mobilização em saúde;

- Desenvolver junto com os profissionais das ESF estratégias para identificar e abordar problemas vinculados à violência, ao abuso de álcool e a outras drogas;

- Estimular e acompanhar as ações de Controle Social em conjunto com as ESF;

- Capacitar, orientar e organizar, junto com as ESF, o acompanhamento das famílias do
Programa Bolsa Família e outros programas federais e estaduais de distribuição de renda;

- Identificar as necessidades e realizar as ações de Oxigenioterapia, capacitando as ESF no acompanhamento dessa ação de atenção à saúde.

CARGO: ASSISTENTE SOCIAL (ABRIGO VOLTA PARA CASA)

- Elaboração, em conjunto com o coordenador e demais colaboradores, do projeto político-pedagógico do serviço;

- Acompanhamento psicossocial dos usuários e suas respectivas famílias, com vistas à reintegração familiar;

- Apoio na seleção dos cuidadores/educadores e demais funcionários;

- Encaminhamento e discussão com a autoridade judiciária e Ministério Público de relatórios periódicos sobre a situação de cada criança e adolescente, apontando: 1 - possibilidades de reintegração familiar, 2 - necessidade de aplicação de novas medidas, ou 3 - quando esgotados os recursos de manutenção na família de origem, a necessidade de encaminhamento para adoção.

- Preparação da criança/adolescente para desligamento (em parceria com o cuidador/educador de referência);

- Mediação, em parceria com o cuidador/educador de referência, o processo de aproximação e fortalecimento ou construção do vínculo com a família de origem ou adotiva, quando for o caso.

CARGO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO I.

- Executar atividades que requerem noções básicas de informática;

- Realizar serviços administrativos ligados às áreas das diversas Secretarias, Órgãos e Assessorias Municipais, sob orientação e supervisão do responsável pelo setor, entre outras;

- Suporte a reuniões e redação das respectivas atas;

. Exercer atividade na área de recepção, além de receber e despachar correspondências e encomendas;

- Atender ao telefone;

- Orientar e fiscalizar alunos sob aspectos de disciplina, lazer, segurança, saúde, pontualidade e higiene;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço, além de apoio em geral às respectivas atividades e exercer outras atividades afins.

CARGO: AUXILIAR DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO.

- Trabalhar diretamente com o dentista auxiliando-o no atendimento ao paciente, fornecendo equipamentos, preparando amálgama, sugando saliva e mantendo limpo o campo operatório;

- Promover sessões de escovação nas escolas, aplicação de flúor e evidenciação de placa bacteriana;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: AUXILIAR DE CRECHE.

- Cuidar da higiene das crianças, auxiliar as crianças nas refeições;

- Ministrar medicamentos seguindo orientação medica;

- Orientar e controlar as brincadeiras e o repouso;

- Zelar pela limpeza do local de trabalho;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: AUXILIAR DE CUIDADOR/EDUCADOR

- Apoio às funções do cuidador;

- Cuidados com a moradia (organização e limpeza do ambiente e preparação dos alimentos, dentre outros);

CARGO: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS.

- Exercer atividades de limpeza e/ou arrumação em dependências públicas, como prédios, oficinas, garagens e outros;

- Proceder à remoção e conservação de móveis, máquinas, equipamentos e material em geral;

- Eexecutar pequenos consertos; atender eventualmente o público e ao telefone;

- Auxiliar em serviços de jardinagem/horticultura; proceder à apreensão de animais soltos em vias públicas;

- Auxiliar e/ou executar, sob orientação, qualquer tarefa de preparação/distribuição de alimentos/merenda escolar, além de servi-los;

- Dar assistência na higienização de crianças, adolescentes e idosos atendidos em estabelecimentos municipais;

. Acompanhar crianças e adolescentes atendidos em programas municipais até a escola, postos de saúde e outros serviços públicos;

- Exercer atividades na área de lavanderia;

- Exercer atividades de zeladoria em geral;

- Efetuar serviços de capina e roçado;

- Varrer, escovar, lavar e remover lixo de ruas e prédios municipais;

- Proceder à limpeza de bueiros e ribeirões;

- Recolher lixo a domicilio operando em caminhões de asseio público;

- Trabalhar na organização/limpeza de depósitos de lixo e outros detritos;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e executar outras tarefas correlatas.

CARGO: BIOQUÍMICO.

- Executar exames laboratoriais no laboratório municipal e compor equipe de vigilância sanitária, exercendo vigilância de farmácias e laboratórios;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do respectivo Conselho Regional.

CARGO: BORRACHEIRO.

- Exercer atividades na borracharia, reparando os diversos tipos de pneus e câmaras de ar utilizados em veículos de transportes, com auxílio de aparelhos apropriados, de forma a restituir-lhes as condições de uso;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: CALCETEIRO

- Exercer atividades na área de obras públicas, preparando e pavimentando solos de estradas, ruas e similares, recobrindo-os com paralelepípedos ou blocos de concretos e rejuntando-os para dar-lhes melhor aspecto e facilitar o tráfego; participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço;

- Exercer outras atividades afins.

CARGO: CIRURGIÃO-DENTISTA. - CIRURGIÃO-DENTISTA (CEO). - CIRURGIÃO-DENTISTA (PSF)

- Atender demanda espontânea na unidade de saúde oral e das crianças escolares nos consultórios instalados nas escolas públicas;

- Atender a doenças da boca e dos dentes com ênfase na prevenção;

- Supervisionar procedimentos coletivos em odontologia;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRO.

CARGO: COZINHEIRO.

- Exercer atividade na área de cozinha envolvendo preparo de refeições e alimentos, separação, controle e estoque de ingredientes, preparação de molhos, ornamentação de pratos e supervisão das tarefas executadas pelos auxiliares, para atendimento das exigências do cardápio e manutenção do padrão de qualidade do serviço;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: CUIDADOR/EDUCADOR.

- Cuidados básicos com alimentação, higiene e proteção;

- Relação afetiva personalizada e individualizada com cada criança/adolescente;

- Organização do ambiente (espaço físico e atividades adequadas ao grau de desenvolvimento de cada criança ou adolescente;

- Auxilio á criança e ao adolescente para lidar com sua história de vida, fortalecimento da auto-estima e construção da identidade;

- Organização de fotografias e registros individuais sobre o desenvolvimento de cada criança e/ou adolescente, de modo a preservar sua história de vida;

- Acompanhamento nos serviços de saúde, escola e outros serviços requeridos no cotidiano. Quando se mostrar necessário e pertinente, um profissional de nível superior (psicólogo ou assistente social) deverá também participar deste acompanhamento;

- Apoio na preparação da criança ou adolescente para o desligamento, sendo para tanto orientado e supervisionado por um profissional de nível superior (psicólogo ou assistente social).

CARGO: ECONOMISTA DOMESTICO.

- Fornecer suporte às famílias atendidas pelo CRAS em conformidade com a Lei 2890/2005;

- Compor a equipe multidisciplinar do CRAS;

- Exercer demais atividades inerentes ao cargo, regulamentadas pelo Conselho da classe, com especial atenção às oficinas do CRAS, entre elas, as voltadas para capacitação para trabalho/geração de renda.

CARGO: EDUCADOR FÍSICO (NASF)

- Desenvolver atividades físicas e práticas corporais junto á comunidade;

- Veicular informação que visam à prevenção, minimização dos riscos e proteção á vulnerabilidade, buscando a produção do autocuidado;

- Incentivar a criação de espaços de inclusão social, com ações que ampliem o sentimento de pertinência social nas comunidades, por meio de atividade física regular, do esporte e lazer, das práticas corporais;

- Proporcionar Educação Permanente em Atividade Física/ Práticas Corporais nutrição e saúde juntamente com as ESF, sob a forma de co-participação acompanhamento supervisionado, discussão de caso e demais metodologias da aprendizagem em serviço, dentro de um processo de Educação Permanente;

. Articular ações, de forma integrada ás ESF, sobre o conjunto de prioridades locais em saúde que incluam os diversos setores da administração pública;

- Contribuir para a ampliação e a valorização da utilização dos espaços públicos de convivência como proposta de inclusão social;

- Identificar profissionais e/ou membros da comunidade com potencial para o desenvolvimento do trabalho em práticas corporais;

- Capacitar os profissionais, inclusive os Agentes Comunitários de Saúde - ACS, para atuarem como facilitador-monitores no desenvolvimento de Atividades Físicas/Práticas Corporais;

- Supervisionar de forma compartilhada, e participativa, as atividades desenvolvidas pelas ESF na comunidade;

- Promover ações ligadas á Atividade Física/Práticas Corporais junto aos demais equipamentos públicos presentes no território;

- Articular parcerias com outros setores da área adstrita, junto com as ESF e a população, visando ao melhor uso dos espaços públicos existentes e a ampliação das áreas disponíveis para as práticas corporais;

- Promover eventos que estimulem ações que valorizem Atividade Física/Práticas Corporais e sua importância para a saúde da população.

CARGO: EDUCADOR SOCIAL.

- Realizar sob a orientação do técnico de referencia do CREAS, abordagem em vias públicas e locais identificados pela incidência de situações de risco ou violações de direitos, com atribuição de realizar o mapeamento das situações de exploração sexual comercial e outras caracterizadas como situações de risco de crianças e adolescentes (situação de rua, trabalho infantil, etc), realizando ações educativas, orientações e outros procedimentos que se julguem necessários, além de encaminhamentos para o Conselho Tutelar, a rede de serviços socioassistenciais e outros serviços prestados no âmbito do município. Esses profissionais desempenharão, prioritariamente, ações de busca ativa para abordagem em vias públicas e locais identificados pela incidência de situações de risco ou violação de direitos da criança e adolescente.

CARGO: ELETRICISTA.

- Instalar, manter e restaurar redes elétricas de prédios públicos; adequar redes necessárias à instalação de aparelhos eletro-eletrônicos;

- Instalar, manter e restaurar redes de iluminação pública;

- Realizar manutenção, limpeza e guarda de ferramentas e instrumentos necessários ao trabalho;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e realizar atividades correlatas.

CARGO: ENFERMEIRO.

- Compor equipe multidisciplinar nas áreas de saúde mental e controle de doenças crônico-degenerativas;

- Responsabilizar-se pelos programas de vacinação no Município;

- Responsabilizar-se pelos programas de doenças sexualmente transmissíveis e AIDS;

- Responsabilizar-se pelo programa de planejamento familiar;

- Responsabilizar-se pela coordenação técnica de unidades de saúde e do programa de agentes comunitários de saúde;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do COREN.

CARGO: ENFERMEIRO (CAPS)

- Fazer curativos, aplicar vacinas e injeções, responder pela observância médica, ministrar remédios;

- Zelar pelo bem-estar e segurança dos doentes, auxiliar os médicos, promover o abastecimento de material de enfermagem;

- Realizar consulta de enfermagem;

- Executar no nível de sua competência as ações de assistência básica de vigilância epidemiológica e sanitária nas áreas de atenção à criança, ao adolescente, à mulher, ao idoso e ao trabalhador;

- Desenvolver ações de capacitação dos ACS e auxiliares de enfermagem com vistas ao desempenho de suas funções junto ao serviço de saúde;

- Oportunizar os contatos com indivíduos sadios ou doentes, visando promover a saúde e abordar os aspectos de educação sanitária em especial a saúde mental;

- Promover a qualidade de vida e contribuir para o meio ambiente tornar-se mais saudável;

- Discutir de forma permanente junto a equipe de trabalho e comunidade, o conceito de cidadania, enfatizando os direitos de saúde;

- Participar do processo de programação e planejamento das ações e da organização de trabalho do CAPS, participar dos movimentos de controle social;

- Realizar ações educativas, individuais ou coletivas;

- Realizar consultas residenciais (visitas domiciliares), na zona rural ou urbana;

- Responder por programas de atenção à Saúde Mental;

- Promover e participar de ações inter setoriais com outras secretarias do poder público, sociedade civil e outras equipes de saúde;

- Representar a unidade de saúde em reuniões, palestras e outras atividades quando solicitadas pelo coordenador ou gestor;

- Executar outras tarefas correlatas.

CARGO: ENFERMEIRO (PSF)

- Realizar cuidados diretos de enfermagem nas urgências e emergências clínicas, fazendo a indicação para a continuidade da assistência prestada;

. Realizar consulta de enfermagem, solicitar exames complementares, prescrever/transcrever medicações, conforme protocolos estabelecidos nos Programas do Ministério da Saúde e as Disposições legais da profissão;

- Planejar, gerenciar, coordenar, executar e avaliar a USF;

- Executar as ações de assistência integral em todas as fases do ciclo de vida: criança, adolescente, mulher, adulto, e idoso;

- No nível de suas competência, executar assistência básica e ações de vigilância epidemiologica e sanitária;

- Realizar ações de saúde em diferentes ambientes, na USF e, quando necessário, no domicílio;

- Realizar as atividades corretamente às áreas prioritárias de intervenção na Atenção Básica, definidas na Norma Operacional da Assistência à Saúde - NOAS 2001;

- Aliar a atuação clínica à prática da saúde coletiva;

- Organizar e coordenar a criação de grupos de patologias específicas, como de hipertensos, de diabéticos, de saúde mental, etc;

- Supervisionar e coordenar ações para capacitação dos Agentes Comunitários de Saúde e de auxiliares de enfermagem, com vistas ao desempenho de sua funções.

CARGO: ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO BÁSICA

- Incentivar, acompanhar e controlar o planejamento e implementação do projeto político-pedagógico da escola, tendo em vistas as diretrizes definidas no plano de desenvolvimento da Escola;

- Atender o corpo docente garantindo a unidade do planejamento pedagógico e a eficiência de sua execução;

- Colaborar para que os professores sejam unificados em torno dos objetivos gerais da escola;

- Assessorar os professores na escola e utilização dos procedimentos e recursos didáticos adequados ao atendimento dos objetivos curriculares;

- Redefinir o desenvolvimento curricular conforme as demandas, os métodos e materiais de ensino;

- Coordenar o programa de capacitação do pessoal da Escola;. Acompanhar o processo de avaliação junto ao corpo docente, redefinindo as estratégias metodológicas, quando necessário;

- Participar ou coordenar reuniões com os pais;

- Participar da avaliação de desempenho dos professores, contribuindo na identificação das necessidades individuais de Treinamento e Aperfeiçoamento

- Acompanhar e orientar os alunos, articulando o envolvimento das famílias no processo educativo;

- Encaminhar para instituições especializadas os alunos que apresentarem necessidades de avaliações específicas;

- Analisar com a família os resultados do aproveitamento do aluno, orientando-as, se necessário, para obtenção de melhores resultados.

CARGO: FACILITADOR DE OFICINAS

- Os facilitadores também deverão interagir permanentemente com o Orientador Social, de forma a garantir a integração das atividades aos conteúdos e percursos socioeducativos desenvolvidos com os jovens.

- A facilitação de oficinas de cultura, esporte e lazer deverão ser realizados por profissionais com formação específica ou de reconhecida atuação nestas áreas.

- Os facilitadores deverão pautar suas oficinas nas orientações e referenciais pedagógicos fornecidos pelo MDS às equipes técnicas do Serviço Socioeducativo.

CARGO: FARMACÊUTICO

- Responsabilizar-se tecnicamente pelas farmácias da rede municipal;

- Supervisionar a distribuição de medicamentos, zelando pelo adequado armazenamento dos mesmos;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do Conselho Regional de Farmácia.

CARGO: FARMACÊUTICO (NASF)

- Coordenar e executar as atividades de Assistência Farmacêutica no âmbito da Atenção Básica/Saúde da Família;

- Auxiliar os gestores e a equipe de saúde no planejamento das ações e serviços de Assistência Farmacêutica na Atenção Básica/Saúde da Família, assegurando a integralidade e a intersetorialidade das ações de saúde;

- Promover o acesso e o uso racional de medicamentos junto à população e aos profissionais da Atenção Básica/Saúde da Família, por intermédio de ações que disciplinem a prescrição, a dispensação e o uso;

- Assegurar a dispensação adequada dos medicamentos e viabilizar a implementação da Atenção Farmacêutica na Atenção Básica/Saúde da Família;

- Selecionar, programar, distribuir e dispensar medicamentos e insumos, com garantia da qualidade dos produtos e serviços;

- Receber, armazenar e distribuir adequadamente os medicamentos na Atenção Básica/ Saúde da Família;

- Acompanhar e avaliar a utilização de medicamentos e insumos, inclusive os medicamentos fitoterápicos, homeopáticos, na perspectiva da obtenção de resultados concretos e da melhoria da qualidade de vida da população;

- Subsidiar o gestor, os profissionais de saúde e as ESF com informações relacionadas à morbimortalidade associados aos medicamentos;

- Elaborar, em conformidade com as diretrizes municipais, estaduais e nacionais, e de acordo com o perfil epidemiológico, projetos na área da Atenção/Assistência Farmacêutica a serem desenvolvidos dentro de seu território de responsabilidade;

- Intervir diretamente com os usuários nos casos específicos necessários, em conformidade com a equipe de Atenção Básica/Saúde da Família, visando uma farmacoterapia racional e à obtenção de resultados definidos e mensuráveis, voltados à melhoria da qualidade de vida;

. Estimular, apoiar, propor e garantir a educação permanente de profissionais da Atenção Básica/Saúde da Família envolvidos em atividades de Atenção/Assistência Farmacêutica;

- Treinar e capacitar os recursos humanos da Atenção Básica/Saúde da Família para o cumprimento das atividades referentes à Assistência Farmacêutica.

CARGO: FARMACÊUTICO ASSISTENTE

- Dispensação de medicamentos e correlatos de acordo com as normas de assistência e atenção farmacêutica, visando auxiliar o farmacêutico gerente.

CARGO: FARMACÊUTICO COORDENADOR

- Coordenação e gerência da Farmácia, dispensação de medicamentos e correlatos de acordo com as normas de assistência e atenção farmacêutica.

CARGO: FISIOTERAPEUTA

- Realizar diagnóstico, com levantamento dos problemas de saúde que requeiram ações de prevenção de deficiências e das necessidades em termo de reabilitação, na área adstrita às ESF;

- Desenvolver ações de promoção e proteção á saúde em conjunto com as ESF incluindo aspectos físicos e da comunicação, como consciência e cuidados com o corpo, postura, alimentação com vistas ao autocuidado;

- Desenvolver ações para subsidiar o trabalho das ESF no que diz respeito ao desenvolvimento infantil;

- Desenvolver ações conjuntas com as ESF visando ao acompanhamento das crianças que apresentam risco para alterações no desenvolvimento;

- Realizar ações para a prevenção de deficiências em todas as fases do ciclo de vida dos indivíduos;

- Acolher os usuários que requeiram cuidados de reabilitação, realizando orientações, atendimento acompanhamento, de acordo com a necessidade dos usuários e a capacidade instalada das ESF;

- Desenvolver ações de reabilitação, priorizando atendimentos coletivos;

- Realizar visitas domiciliares para orientações, adaptações e acompanhamentos;

- Capacitar, orientar e dar suporte ás ações dos ACS;

- Realizar em conjunto com as ESF, discussões e condutas terapêuticas conjuntas e complementares;

- Desenvolver projetos e ações intersetoriais, para a inclusão e a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência;

- Orientar e informar as pessoas com deficiência, cuidadores e ACS sobre manuseio, posicionamento, atividades de vida diária, recursos e tecnologias de atenção para o desenvolvimento funcional frente ás características específicas de cada indivíduo;

- Desenvolver ações de Reabilitação Baseada na Comunidade;

- RBC que pressuponham valorização do potencial da comunidade, concebendo todas as pessoas como agentes do processo de reabilitação e inclusão;

- Acolher, apoiar e orientar as famílias, principalmente no momento do diagnóstico, para o manejo das situações oriundas da deficiência de um dos seus componentes;

- Acompanhar o uso de equipamentos auxiliares e encaminhamentos quando necessário;

- Realizar encaminhamento e acompanhamento das indicações e concessões de órtese, próteses e atendimentos específicos realizados por outro nível de atenção á saúde;

- Realizar grupos de mães de crianças com problemas neurológicos: práticas de cuidados com a transferência, postura, estímulos e cuidados para o desenvolvimento da criança e orientações a mãe;

- Realizar grupos de mães de crianças com infecção respiratória aguda (IRA);

- Estimular essencialmente crianças com atraso no desenvolvimento neuro-pscio-motor em creches, centros comunitários, treinamento das mães, acompanhamento domiciliar, diagnóstico precoce de alterações e ou disfunções neuro-fisico-funcionais e encaminhamento para referência;

- Atuar em creches: ergonomia, avaliação postural, orientações posturais, adaptação de ambientes, educação em saúde, cinesioterapia para desenvolvimento psicomotor, estímulo a prática de atividade física;

- Orientar sobre higiene e saúde em geral;

- Realizar grupos de gestantes: orientações posturais, preparação para o parto fisiológico, cuidados, exercícios respiratórios, monitoramento da frequência cardíaca e pressão arterial, orientações de cuidados com o bebê e amamentação;

- Atuar no climatério: exercícios uroginecológicos na hipoestrogenia, acompanhamento e minimização dos sintomas, orientações a prática de exercícios controlada;

- Realizar grupos de posturas: orientações em empresas, cooperativas, trabalhadores domésticos sobre postura, melhor alinhamento da coluna vertebral, ergonomia, prática de exercícios direcionados, orientação quanto ao uso de equipamento de proteção individual, educação em saúde;

- Realizar grupos de pé em risco (Diabetes e Hanseníase): prevenção de incapacidades, avaliação, monitoramento, adaptação de calçados, orientação de cuidados, hidratação da pele e inspeção de úlceras de pressão, treinamento dos cuidadores, etc.

CARGO: FISIOTERAPEUTA (NASF)

- Realizar diagnóstico, com levantamento dos problemas de saúde que requeiram ações de prevenção de deficiências e das necessidades em termo de reabilitação, na área adstrita às ESF;

- Desenvolver ações de promoção e proteção á saúde em conjunto com as ESF incluindo aspectos físicos e da comunicação, como consciência e cuidados com o corpo, postura, alimentação com vistas ao autocuidado;

- Desenvolver ações para subsidiar o trabalho das ESF no que diz respeito ao desenvolvimento infantil;

- Desenvolver ações conjuntas com as ESF visando ao acompanhamento das crianças que apresentam risco para alterações no desenvolvimento;

- Realizar ações para a prevenção de deficiências em todas as fases do ciclo de vida dos indivíduos;

- Acolher os usuários que requeiram cuidados de reabilitação, realizando orientações, atendimento acompanhamento, de acordo com a necessidade dos usuários e a capacidade instalada das ESF;

- Desenvolver ações de reabilitação, priorizando atendimentos coletivos;

- Realizar visitas domiciliares para orientações, adaptações e acompanhamentos;

- Capacitar, orientar e dar suporte ás ações dos ACS;

- Realizar em conjunto com as ESF, discussões e condutas terapêuticas conjuntas e complementares;

- Desenvolver projetos e ações intersetoriais, para a inclusão e a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência;

- Orientar e informar as pessoas com deficiência, cuidadores e ACS sobre manuseio, posicionamento, atividades de vida diária, recursos e tecnologias de atenção para o desenvolvimento funcional frente ás características específicas de cada indivíduo;

- Desenvolver ações de Reabilitação Baseada na Comunidade;

- RBC que pressuponham valorização do potencial da comunidade, concebendo todas as pessoas como agentes do processo de reabilitação e inclusão;

- Acolher, apoiar e orientar as famílias, principalmente no momento do diagnóstico, para o manejo das situações oriundas da deficiência de um dos seus componentes;

- Acompanhar o uso de equipamentos auxiliares e encaminhamentos quando necessário;

- Realizar encaminhamento e acompanhamento das indicações e concessões de órtese, próteses e atendimentos específicos realizados por outro nível de atenção á saúde;

- Realizar grupos de mães de crianças com problemas neurológicos: práticas de cuidados com a transferência, postura, estímulos e cuidados para o desenvolvimento da criança e orientações a mãe;

- Realizar grupos de mães de crianças com infecção respiratória aguda (IRA);

- Estimular essencialmente crianças com atraso no desenvolvimento neuro-pscio-motor em creches, centros comunitários, treinamento das mães, acompanhamento domiciliar, diagnóstico precoce de alterações e ou disfunções neuro-fisico-funcionais e encaminhamento para referência;

- Atuar em creches: ergonomia, avaliação postural, orientações posturais, adaptação de ambientes, educação em saúde, cinesioterapia para desenvolvimento psicomotor, estímulo a prática de atividade física;

- Orientar sobre higiene e saúde em geral;

- Realizar grupos de gestantes: orientações posturais, preparação para o parto fisiológico, cuidados, exercícios respiratórios, monitoramento da freqüência cardíaca e pressão arterial, orientações de cuidados com o bebê e amamentação;

- Atuar no climatério: exercícios uroginecológicos na hipoestrogenia, acompanhamento e minimização dos sintomas, orientações a prática de exercícios controlada;

- Realizar grupos de posturas: orientações em empresas, cooperativas, trabalhadores domésticos sobre postura, melhor alinhamento da coluna vertebral, ergonomia, prática de exercícios direcinados, orientação quanto ao uso de equipamento de proteção individual, educação em saúde;

- Realizar grupos de pé em risco (Diabetes e Hanseníase): prevenção de incapacidades, avaliação, monitoramento, adaptação de calçados, orientação de cuidados, hidratação da pele e inspeção de úlceras de pressão, treinamento dos cuidadores, etc.

CARGO: FONOAUDIÓLOGO

- Atender a demanda referenciada na policlínica municipal, buscando corrigir defeitos da fala e da linguagem;

- Trabalhar com deficientes auditivos, promovendo treinamento para aquisição da fala após implantação de órtese auditiva;

- Realizar exames de audiometria supervisionado por otorrinolaringologista;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e realizar demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do Conselho Regional de Fonoaudiologia.

CARGO: MARCENEIRO/CARPINTEIRO

- Exercer atividades na área de carpintaria/marcenaria em geral, desenhando, selecionando e preparando madeira através da utilização de ferramentas manuais e mecânicas;

- Confeccionar ou reparar peças ou conjunto de peças segundo orientação e de acordo com as especificações pertinentes;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: MECÂNICO

- Exercer atividades na área de oficina, executando serviços de manutenção de veículos automotores, máquinas e equipamentos mecânicos complementares, desmontando, reparando, substituindo, ajustando e lubrificando motor e peças anexas, órgão de transmissão, freios, direção, suspensão, engrenagens e conjunto de peças auxiliares, para assegurar-lhes perfeitas condições de funcionamento;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: MÉDICO CARDIOLOGISTA

- Atender consultas na área de cardiologia; participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO CLÍNICO

- Atender consultas em clínica médica; participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO CLÍNICO PLANTONISTA

- Efetuar acompanhamento clínico (ambulatorial e hospitalar) de pacientes portadores de doenças infecciosas e/ou parasitárias causadas por vírus e/ou bactérias;

- Realizar solicitação de exames-diagnósticos especializados relacionados a doenças infecciosas e/ou parasitárias;

- Analisar e interpretar resultados de exames diversos, comparando-os com os padrões normais para confirmar ou informar o diagnóstico;

- Emitir diagnóstico, prescrever medicamentos relacionados a patologias específicas, aplicando recursos de medicina preventiva ou terapêutica;

- Manter registros dos pacientes, examinando-os, anotando a conclusão diagnóstica, o tratamento prescrito e evolução da doença;

- Prestar atendimento em urgências clínicas, dentro de atividades afins;

- Coletar e avaliar dados bioestatísticos e sócio sanitários da comunidade, de forma a desenvolver indicadores de saúde da população;

- Elaborar programas epidemiológicos, educativos e de atendimento médico-preventivo, voltado para a comunidade em geral;

CARGO: MÉDICO DERMATOLOGISTA

- Atender consultas na área de dermatologia (pele, unhas e pelos) na policlínica municipal;

- Emitir carteira de saúde após exame clínico detalhado de funcionários de estabelecimentos que comercializam alimentos; participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço;

- Exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA

- Atender consultas na policlínica municipal na área de endocrinologia;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço;

- Exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO GASTROENTEROLOGISTA.

- Atender consultas e outras demandas de sua área de atuação;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO GINECOLOGISTA.

- Atender consultas de ginecologia e obstetrícia (pré-natal e doenças da mulher em geral);

- Colher material para exame (preventivo de câncer);

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO INFECTOLOGISTA

- Efetuar acompanhamento clínico ambulatorial de pacientes portadores de doenças infecciosas e/ou parasitárias causadas por vírus e/ou bactérias;

- Realizar solicitação de exames-diagnósticos especializados relacionados a doenças infecciosas e/ou parasitárias;

- Analisar e interpretar resultados de exames diversos, comparando-os com os padrões normais para confirmar ou informar o diagnóstico;

- Emitir diagnóstico, prescrever medicamentos relacionados a patologias específicas, aplicando recursos de medicina preventiva ou terapêutica;

- Manter registros dos pacientes, examinando-os, anotando a conclusão diagnóstica, o tratamento prescrito e evolução da doença;

CARGO: MÉDICO NEUROLOGISTA

- Atender consultas e outras demandas de sua área de atuação;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO OFTALMOLOGISTA

- Atender consultas e outras demandas de sua área de atuação;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO ORTOPEDISTA

- Atender consultas e outras demandas de sua área de atuação;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO PEDIATRA

- Compor equipe multiprofissional no setor de saúde mental;

- Atender consultas de pacientes psiquiátricos; participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM..

CARGO: MÉDICO PLANTONISTA (CAPS)

- Compor a equipe do CAPS e ter habilidade de trabalhar em equipe multiprofissional, colaborando na construção do projeto terapêutico da unidade;

- Disponibilidade em trabalho com/na lógica do território;

- Conhecer, diagnosticar, intervir e avaliar a prática cotidiana de acordo com as necessidades da população da região;

- Atendimento psiquiátrico e terapêutico, preferencialmente em grupo, da clientela;

- Trabalhar com as oficinas terapêuticas e atividades de inserção comunitária;

- Realizar visitas domiciliares quando necessário;

- Participar de atividades junto à SMS quando solicitado;

- Representar a unidade em reuniões, aulas e outras atividades quando solicitado pelo coordenador;

- Promover e participar de ações intersetoriais com outras secretarias do poder público e sociedade civil, bem como com outras equipes da saúde;

- Trabalhar de acordo com as diretrizes do SUS, conforme as políticas públicas de saúde da SMS;

- Preencher os impressos da unidade como, por exemplo, prontuário, laudo;

- Internar em hospital geral;

- Acompanhar o paciente do CAPS internado;

- Encaminhar internação em hospital psiquiátrico;

- Executar outras tarefas correlatas.

CARGO: MÉDICO PLANTONISTA (SAMMDU)

- Efetuar acompanhamento clínico (ambulatorial e hospitalar) de pacientes portadores de doenças infecciosas e/ou parasitárias causadas por vírus e/ou bactérias;

- Realizar solicitação de exames-diagnósticos especializados relacionados a doenças infecciosas e/ou parasitárias;

- Analisar e interpretar resultados de exames diversos, comparando-os com os padrões normais para confirmar ou informar o diagnóstico;

- Emitir diagnóstico, prescrever medicamentos relacionados a patologias específicas, aplicando recursos de medicina preventiva ou terapêutica;

- Manter os registros dos pacientes, examinando-os, anotando a conclusão diagnóstica, o tratamento prescrito e evolução da doença;

- Prestar atendimento em urgências clínicas, dentro de atividades afins;

- Coletar e avaliar dados bioestatísticos e sócio sanitários da comunidade, de forma a desenvolver indicadores de saúde da população;

- Elaborar programas epidemiológicos, educativos e de atendimento médico preventivo, voltado para a comunidade em geral.

CARGO: MÉDICO (PSF)

- Realizar consultas clinicas aos usuários da sua área adstrita;

- Executar as ações de assistência integral em todas as fases do ciclo de vida: criança, adolescente, mulher, adulto e idoso;

- Realizar consultas e procedimentos na USF e, quando necessário, no domicílio;

- Realizar as atividades clínicas correspondentes ás áreas prioritárias na intervenção na atenção Básica, definidas na Norma Operacional da Assistência à Saúde - NOAS 2001;

- Aliar a atuação clínica à prática da saúde coletiva;

- Fomentar a criação de grupos de patologias especificas, como de hipertensos, de diabéticos, de saúde mental, etc;

- Realizar o pronto atendimento médico nas urgências e emergências;

- Encaminhar aos serviços de maior complexidade, quando necessário, garantindo a continuidade do tratamento na USF, por meio de um sistema de acompanhamento e referência e contra-referência;

- Realizar pequenas cirurgias ambulatórias;

- Indicar internação hospitalar;

- Solicitar exames complementares;

- Verificar e atestar óbito.

- CARGO: MÉDICO PSIQUIATRA - MÉDICO PSIQUIATRA PLANTONISTA (CAPS)

- Efetuar acompanhamento clínico (ambulatorial e hospitalar) de pacientes portadores de doenças infecciosas e/ou parasitárias causadas por vírus e/ou bactérias;

- Realizar solicitação de exames-diagnósticos especializados relacionados a doenças infecciosas e/ou parasitárias;

- Analisar e interpretar resultados de exames diversos, comparando-os com os padrões normais para confirmar ou informar o diagnóstico;

- Emitir diagnóstico, prescrever medicamentos relacionados a patologias específicas, aplicando recursos de medicina preventiva ou terapêutica;

- Manter registros dos pacientes, examinando-os, anotando a conclusão diagnóstica, o tratamento prescrito e evolução da doença;

- Prestar atendimento em urgências clínicas, dentro de atividades afins;

- Coletar e avaliar dados bioestatísticos e sócio sanitários da comunidade, de forma a desenvolver indicadores de saúde da população;

- Elaborar programas epidemiológicos, educativos e de atendimento médico-preventivo, voltado para a comunidade em geral;

CARGO: MÉDICO ULTRASSONOGRAFISTA

- Responsabilizar-se pelo setor de ultrassonografia;

- Emitir laudos após avaliação de ultrassonografias;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO UROLOGISTA

- Atender consultas de urologia (doenças do aparelho urinário e dos órgãos genitais) na policlínica municipal;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CRM.

CARGO: MÉDICO VETERINÁRIO.- MÉDICO VETERINÁRIO ZOONOSES

- Realizar vigilância sanitária em açougues, abatedores, frigoríficos, laticínios etc.;

- Prestar serviços na área de controle de zoonose animal;

- Promover acomodação e cuidados adequados aos animais apreendidos pela Vigilância Sanitária;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do Conselho Federal de Medicina Veterinária.

CARGO: MESTRE DE OBRAS.

- Organizar e supervisionar, numa construção civil, atividades ligadas a alvenaria, armação de estrutura e instalações hidráulico-elétricas, além de distribuir, aos trabalhadores sob suas ordens, as respectivas tarefas, para assegurar o desenvolvimento do processo de execução das obras dentro dos prazos e normas estabelecidos;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: MONITOR (ARTESANATO (CRAS - PETI) - CAPOEIRA - DANÇA - DANÇA E/OU MÚSICA - DESENHO ARTÍSTICO - EDUCAÇÃO FÍSICA (CRAS - PETI) - FUTEBOL - MÚSICA - REFORÇO ESCOLAR - TAEKWONDO - TEATRO.

- Fornecer suporte às famílias atendidas, em conformidade com a presente Lei;- Compor aS equipes multidisciplinares;

- Exercer atividades inerentes ao cargo, de modo a dar efetividade às oficinas do CRAS, com destaque para as voltadas para o desenvolvimento de conhecimentos/habilidades ligadas, ou não, a trabalho/geração de renda.

CARGO: MONITOR DE INFORMÁTICA (CVT)

- Executar atividades de instrução para crianças e adolescente;

- Noções gerais de informática, abrangendo conhecimento de hardware, sistema operacional, editor de textos, planilhas eletrônicas;

- Propor atividades práticas e avaliativas;

- Executar atividades correlatas.

CARGO: MOTORISTA.

- Conduzir veículos automotores destinados ao transporte de passageiros e cargas;

- Recolher o veículo à garagem ou ao local destinados quando concluída a jornada do dia, comunicando qualquer defeito porventura existente;

- Manter os veículos em perfeitas condições de funcionamento;

- Fazer reparos de emergência;

- Zelar pela conservação do veículo que lhe for entregue;

- Encarregar-se do transporte e entrega de correspondência ou de carga que lhe for confiada;

- Promover o abastecimento de combustíveis, água e óleo;

- Verificar o funcionamento do sistema elétrico, lâmpadas, faróis, sinaleiras, buzinas e indicadores de direção;

- Providenciar a lubrificação quando indicada;

- Verificar o grau de densidade e nível da água da bateria, bem como a calibração dos pneus;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e executar tarefas afins.

CARGO: NUTRICIONISTA

- Compor equipe multidisciplinar/profissional para cuidar de pacientes diabéticos, hipertensos e portadores de outras doenças crônico-degenerativas, orientando-as quanto à importância de dieta adequada;

- Trabalhar junto ao setor de vigilância epidemiológica, promovendo atividades para minimizar o grau de desnutrição infantil no Município;

- Supervisionar e elaborar cardápios nas unidades municipais de observação (SAMMDU etc.);

- Supervisionar a merenda escolar, contribuindo para a melhoria de sua qualidade; participar do planejamento da aquisição de produtos para a merenda escolar, além de acompanhar as licitações ligadas a este aspecto;

- Supervisionar e orientar o armazenamento dos alimentos no depósito geral;

- Assessorar o Conselho Municipal de Alimentação Escolar, participando de suas reuniões;

- Promover atividades para reciclagem do pessoal envolvido diretamente com a estocagem e preparação da merenda escolar, além de palestras e cursos voltados para dirigentes escolares, supervisores escolares/orientadores educacionais, professores e outros interessados em alimentação escolar e temas afins;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do respectivo Conselho Regional de classe.

CARGO: OPERADOR DE MÁQUINAS

- Operar veículos motorizados especiais, tais como guinchos, guindastes, máquinas de limpeza de rede de esgoto, retroescavadeira, carro-plataforma, máquinas rodoviárias e agrícolas, tratores e outros;

- Operar rolo compressor;

- Abrir valetas e cortar taludes;

- Proceder a escavações, transporte de terra, compactação, aterro e trabalhos semelhantes;

- Auxiliar no conserto de máquinas;

. Lavrar e discar terras, obedecendo às curvas de nível;

- Prestar serviços de reboque;

- Cuidar da limpeza e conservação das máquinas, zelando pelo seu bom funcionamento;

- Ajustar as correias transportadoras da pilha-pulmão do conjunto de britagem;

- Comunicar ao seu superior qualquer anomalia no funcionamento das máquinas;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e executar outras tarefas afins.

CARGO: ORIENTADOR PROFISSIONAL

- Desenvolver, diretamente com os jovens, os conteúdos e atividades de Introdução à Formação Técnica Geral-IFTG, do Ciclo II do ProJovem Adolescente;

- Participar das atividades de capacitação do ProJovem Adolescente;

- Interagir permanentemente com o Orientador Social, de forma a garantir a integração da IFTG aos demais conteúdos e atividades do ProJovem Adolescente.

CARGO: ORIENTADOR SOCIAL

- Realizar sob orientação do técnico de referência do CRAS ou técnico da entidade prestadora do Serviço Socioeducativo,e com a participação dos jovens, o planejamento das atividades do ProJovem Adolescente;

- Facilitar o processo de integração do(s) coletivo(s) sob sua responsabilidade;

- Mediar os processos grupais, fomentando a participação democrática dos jovens e a sua organização, no sentido do alcance dos objetivos do Serviço Socioeducativo de convívio.

- Desenvolver, diretamente com os jovens, os conteúdos e atividades que lhes são atribuídos no traçado metodológico do ProJovem Adolescente.

- Registrar a freqüência diária dos jovens ao Serviço Socioeducativo e encaminhar os dados para o gestor municipal ou a quem ele designar, nos prazos previamente estipulados.

- Avaliar o desempenho dos jovens no Serviço Socioeducativo informando ao CRAS as necessidades de acompanhamento individual e familiar.

- Acompanhar o desenvolvimento de oficinas e atividades ministradas por outros profissionais, atuando no sentido da integração da equipe do ProJovem Adolescente;

- Atuar como interlocutor do Serviço Socioeducativo junto às escolas dos jovens, em assuntos que prescindam da presença do Coordenador do CRAS, encarregado da articulação interinstitucional do ProJovem Adolescente, no território;

- Participar, juntamente com o técnico de referências do CRAS, de reuniões com as famílias dos jovens, para as quais for convidado;

- Participar de reuniões sistemáticas com o técnico de referência do CRAS. Participar das atividades de capacitação do ProJovem Adolescente.

CARGO: PEDREIRO

- Efetuar a locação de obras;

- Fazer alicerces, levantar paredes de alvenaria;

- Fazer muros de arrimo;

- Trabalhar com instrumento de nivelamento e prumo;

- Fazer e preparar bueiros;

- Fazer fossas e pisos de cimento;

- Fazer orifícios em pedras, acimentados e outros materiais;

- Proceder e orientar a preparação de argamassa para junção de tijolos ou para reboco de paredes;

- Preparar e aplicar caiações em paredes;

- Fazer blocos de cimento;

- Mexer e colocar concreto em fôrmas e fazer artefatos de cimento;

- Assentar marco de portas e janelas;

- Colocar telhas, colocar azulejos e ladrilhos;

- Armar andaime;

- Fazer consertos em obras de alvenaria;

- Instalar aparelhos sanitários;

- Assentar e colocar tijolos, telhas, tacos, lambris e outros;

- Trabalhar com qualquer tipo de massa à base de cal, cimento e outros materiais de construção;

- Operar com instrumentos de controle de medidas;

- Cortar pedras, armar fôrmas e preparar concretagem para fabricação de tubos, postes, pedestais, lages e cordões;

- Orientar e fiscalizar os serviços executados por ajudantes e auxiliares;

- Fazer orçamento, organizar pedido de materiais;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e executar outras tarefas correlatas.

CARGO: PINTOR

- Exercer atividades na área de pintura, preparando e pintando superfícies internas e externas de instalações, prédios e outras obras civis, raspando-as, limpando-as, emassando-as e cobrindo-as com uma ou várias camadas de tinta, segundo orientação e especificação da área, para proteção ou decoração;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: PORTEIRO

- Exercer atividade na área de portaria envolvendo serviços de vigilância e recepção, sob supervisão, baseando-se em regras pré-determinadas, para assegurar a ordem e o cumprimento do regulamento, controlando a entrada e saída de pessoas, recebendo

correspondências e encaminhando encomendas aos destinatários;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGOS: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II (ARTES - CIÊNCIAS - ENSINO RELIGIOSO - EDUCAÇÃO FÍSICA - GEOGRAFIA - HISTÓRIA - INGLÊS - MATEMÁTICA - PORTUGUÊS)

- Planejar, elaborar e executar o plano de ensino conforme orientação e objetivo da escola;

- Acompanhar o corpo discente em seu desenvolvimento, visando uma formação holística;

- Participar ativamente dos programas de capacitação promovidos pela Escola ou Secretaria Municipal de Educação;

- Preparar os planejamentos diários, com atividades que sejam condizentes com o nível cognitivo do corpo discente;

- Acompanhar o ato de aprender do aluno, para estimular o conhecimento, através de atividades compatíveis ao mesmo;

- Promover ao aluno a relação intra e interpessoal, favorecendo a socialização e a interação com o meio, objetivando uma aprendizagem mais significativa;

- Realizar sistematicamente avaliações processuais, visando acompanhar o desenvolvimento da aprendizagem do aluno;

- Participar das reuniões pedagógicas promovidas pela Escola ou Secretaria Municipal de Educação;

- Envolver-se em todos os eventos organizados pela Escola ou Secretaria Municipal de Educação.

CARGO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA I

- Planejar, elaborar e executar o plano de ensino conforme orientação e objetivo da escola;

- Acompanhar o corpo discente em seu desenvolvimento, visando uma formação holística;

- Participar ativamente dos programas de capacitação promovidos pela Escola ou Secretaria Municipal de Educação e Cultura;

- Preparar os planejamentos diários, com atividades que sejam condizentes com o nível cognitivo do corpo discente;

- Acompanhar o ato de aprender do aluno, para estimular o conhecimento, através de atividades compatíveis ao mesmo;

- Promover ao aluno a relação intra e interpessoal, favorecendo a socialização e a interação com o meio, objetivando uma aprendizagem mais significativa;

- Realizar sistematicamente avaliações processuais, visando acompanhar o desenvolvimento da aprendizagem do aluno;

- Participar das reuniões pedagógicas promovidas pela Escola ou Secretaria Municipal de Educação e Cultura;

- Envolver-se em todos os eventos organizados pela Escola ou Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

CARGO: PSICÓLOGO

- Realizar atividades clínicas pertinentes a responsabilidade de cada profissional;

- Apoiar as ESF na abordagem e no processo de trabalho referente aos casos de transtornos mentais severos e persistentes, uso abusivo de álcool e outras drogas, pacientes egressos de internações psiquiátricas, pacientes atendidos nos CAPS, tentativas de suicídio, situações de violência intrafamiliar;

- Discutir com as ESF os casos identificados que necessitam de ampliação da clínica em relação a questões subjetivas;

- Criar, em conjunto com as ESF, estratégias para abordar problemas vinculados à violência e ao abuso de álcool, tabaco e outras drogas, visando à redução de danos e à melhoria da qualidade do cuidado dos grupos de maior vulnerabilidade;

- Evitar práticas que levem aos procedimentos psiquiátricos e medicamentos à psiquiatrização e à medicalização de situações individuais e sociais, comuns à vida cotidiana;

- Fomentar ações que visem à difusão de uma cultura de atenção não-manicomial, diminuindo o preconceito e a segregação em relação à loucura;

- Desenvolver ações de mobilização de recursos comunitários, buscando constituir espaços de reabilitação psicossocial na comunidade, como oficinas comunitárias, destacando a relevância da articulação intersetorial - conselhos tutelares, associações de bairro, grupos de auto-ajuda etc;

- Priorizar as abordagens coletivas, identificando os grupos estratégicos para que a atenção em saúde mental se desenvolva nas unidades de saúde e em outros espaços na comunidade;

- Possibilitar a integração dos agentes redutores de danos aos Núcleos de Apoio à Saúde da Família;

- Ampliar o vínculo com as famílias, tomando-as como parceiras no tratamento e buscando constituir redes de apoio e integração.

CARGO: PSICÓLOGO (NASF)

- Realizar atividades clínicas pertinentes a responsabilidade de cada profissional;

- Apoiar as ESF na abordagem e no processo de trabalho referente aos casos de transtornos mentais severos e persistentes, uso abusivo de álcool e outras drogas, pacientes egressos de internações psiquiátricas, pacientes atendidos nos CAPS, tentativas de suicídio, situações de violência intrafamiliar;

- Discutir com as ESF os casos identificados que necessitam de ampliação da clínica em relação a questões subjetivas;

- Criar, em conjunto com as ESF, estratégias para abordar problemas vinculados à violência e ao abuso de álcool, tabaco e outras drogas, visando à redução de danos e à melhoria da qualidade do cuidado dos grupos de maior vulnerabilidade;

- Evitar práticas que levem aos procedimentos psiquiátricos e medicamentos à psiquiatrização e à medicalização de situações individuais e sociais, comuns à vida cotidiana;

- Fomentar ações que visem à difusão de uma cultura de atenção não-manicomial, diminuindo o preconceito e a segregação em relação à loucura;

- Desenvolver ações de mobilização de recursos comunitários, buscando constituir espaços de reabilitação psicossocial na comunidade, como oficinas comunitárias, destacando a

relevância da articulação intersetorial - conselhos tutelares, associações de bairro, grupos de auto-ajuda etc;

- Priorizar as abordagens coletivas, identificando os grupos estratégicos para que a atenção em saúde mental se desenvolva nas unidades de saúde e em outros espaços na comunidade;

- Possibilitar a integração dos agentes redutores de danos aos Núcleos de Apoio à Saúde da Família;

- Ampliar o vínculo com as famílias, tomando-as como parceiras no tratamento e buscando constituir redes de apoio e integração.

CARGO: PSICÓLOGO (CAPS)

- Prestar atendimento clínico de grupo ou individual, nas áreas municipais da Saúde e da Assistência Social;

- Atender crianças e adolescentes matriculados nas escolas públicas, a fim de melhor adequar a sua conduta e aprendizado. Assessorando diretamente o corpo docente na condução dos que apresentarem distúrbios de comportamento, atender às solicitações do Conselho Tutelar, inclusive emitindo parecer sobre os casos, quando necessário, o mesmo fazendo quando da solicitação da Justiça;

- Contribuir para o fortalecimento das entidades assistenciais, via assessoramento e orientação;

- Participar de equipe multiprofissional na área de saúde mental e assistência Social;

- Participar de junta de avaliação, aconselhamento e orientação a pessoa candidata a cirurgia e esterilização;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviços e realizar outras atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do respectivo Conselho de Classe.

CARGO: RECEPCIONISTA

- Exercer atividades na área de recepção atendendo, orientando e encaminhando pessoas, recebendo e despachando correspondências e pequenas encomendas e fazendo o respectivo registro e envio das mesmas;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço;

- Exercer outras atividades afins.

CARGO: SOLDADOR

- Exercer atividades na área de oficina, envolvendo examinar, preparar e soldar peças de metal utilizando ferramentas e materiais segundo orientação e especificação para montar, reforçar ou reparar partes ou conjunto mecânicos;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: TÉCNICO DE ENFERMAGEM

- Exercer função de auxiliar de serviço de enfermagem em unidades de internamento ou observação;

. Participar de eventos ligados à área de saúde e exercer demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do COREN;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: TÉCNICO DE LABORATÓRIO

- Colher material para exames no Laboratório Municipal e executar exames simples de rotina sob supervisão;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: TÉCNICO DE RADIOLOGIA

- Realizar exames radiológicos;

- Verificar a qualidade técnica dos exames realizados;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: TÉCNICO EM CONTABILIDADE

- Auxiliar na organização e direção dos trabalhos inerentes à contabilidade, orientando e participando da elaboração de normas, de acordo com as exigências legais e administrativas;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

- Orientar e coordenar o sistema de segurança do trabalho, investigando riscos e causas de acidentes e analisando esquemas de prevenção, para garantir a integridade do pessoal e dos bens do Município;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: TELEFONISTA

- Exercer atividades na área de telefonia envolvendo manejo de mesa telefônica;

- Receber e controlar o repasse de ligações, atendidas e em espera;

- Executar ligações solicitadas, locais e interurbanas, anotando e transmitindo recados;

- Executar atividades de informática básica;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

CARGO: TERAPEUTA OCUPACIONAL - TERAPEUTA OCUPACIONAL CAPS

- Compor equipe multiprofissional na área de saúde mental;

- Executar atividades de terapia visando adequar e reintegrar o indivíduo no meio social;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e executar demais atividades inerentes ao cargo, conforme regulamentação do CREFITO - Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

CARGO: VIGIA

- Exercer atividade na área de vigilância em estabelecimentos e instalações imobiliárias do acervo municipal, rondando suas dependências, observando e anotando a entrada e saída de pessoas ou bens, no sentido de evitar roubos e irregularidades que resultem em danos ao Patrimônio Municipal, tomando as providências repressivas necessárias e comunicando-as à autoridade policial e ao superior imediato;

- Participar de eventos ligados à Secretaria em que presta serviço e exercer outras atividades afins.

ANEXO III

REQUERIMENTO DE ISENÇÃO DO VALOR DE INSCRIÇÃO

Á

Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-Rei - FAUF

Eu,____________________________________________, RG n°________________ sigla do Órgão Emissor/UF ______________, data de emissão _____ /_____ /_______ CPF n° ____________________________________, data de nascimento _____/_____/______, nacionalidade _________________, estado civil ______________, sexo __________________, nome da mãe _______________________________, residente à n° _______________________, bairro ____________________________, CEP _______________________, na cidade de _____________________________________, estado _______________________, telefone residencial _______________, telefone celular _________________, e-mail ______________________, cargo pretendido _____________________________________________________ , código de n° _____________, solicito, nos termos do Decreto n° 6.593, de 02 de outubro de 2008, isenção do valor de inscrição do Processo Seletivo Público provimento de cargos do Município de Ponte Nova, regido pelo Edital n° 014/2010.

Para tanto, declaro estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com o Número de Identificação Social - NIS , e que atendo a condição estabelecida no inciso II do caput do art. 1° do Decreto acima referido (família de baixa renda).

Canhoto: _____ Sim _____ Não

Deficiências*: _____ Auditiva _____ Física _____ Condutas típicas

_____ Visual _____ Mental _____ Altas habilidades

_____ Outras Necessidades

Detalhe a deficiência assinalada:_________________________________________________________________

Declaro estar ciente de que as informações que estou prestando são de minha inteira responsabilidade. No caso de declaração falsa, declaro estar ciente de que estarei sujeito às sanções previstas em lei, aplicando-se, ainda, o disposto no parágrafo único do art. 10 do Decreto n° 83.936, de 6 de setembro de 1979.

_________________________________, _____ de ____________ de 2010.

___________________
Assinatura

*Área

Descrição

AUDITIVA

Perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas freqüências de 500Hz, 1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz.

VISUAL

- Cegueira, na qual a acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica

- Baixa visão, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica

- Os casos nos quais a somatória da medida do campo visual em ambos os olhos for igual ou menor que 60°

- A ocorrência simultânea de quaisquer das condições anteriores

FÍSICA

Alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física, abrangendo, dentre outras condições, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desenvolvimento de funções.

MENTAL

Caracteriza-se por limitações significativas, tanto no funcionamento intelectual como na conduta adaptativa, na forma expressa em habilidades práticas, sociais e conceituais.

CONDUTAS TÍPICAS

Manifestações de comportamento típicas de síndromes (exceto Síndrome de Down) e quadros psicológicos, neurológicos ou psiquiátricos que ocasionam atrasos no desenvolvimento e prejuízos no relacionamento social, em grau que requeira atendimento educacional especializado.

ALTAS HABILIDADES

Notável desempenho e elevada potencialidade em qualquer dos aspectos isolados ou combinados:

- Capacidade intelectual geral

- Aptidão acadêmica específica

- Pensamento criativo ou produtivo

- Capacidade de liderança

- Talento especial para artes

- Capacidade psicomotora

OUTRAS NECESSIDADES

Demais necessidades não relacionadas acima

ANEXO IV - CRONOGRAMA

ETAPAS

DATAS

Divulgação do Edital

26/10/2010

Impugnação dos Termos do Edital

Até a data fixada para o início das inscrições

Solicitação de Isenção de Valor de Inscrição

De 27 a 29/10/2010

Resultado dos Pedidos de Isenção

Até o dia 05/11/2010

Inscrições

De 03 a 12/11/2010

Solicitação de atendimento especial para a Prova Objetiva

Até o dia 19/11/2010

Entrega do Comprovante Definitivo de Inscrição, no Local das Inscrições Presenciais

24 a 26/11/2010

Entrega do Comprovante Definitivo de Inscrição, via Internet

24 a 28/11/2010

Aplicação das Provas Objetivas

28/11/2010

Divulgação dos Gabaritos Preliminares das Provas Objetivas (via internet)

28/11/2010, após as 18h

Apresentação de Eventuais Recursos Quanto à Formulação das Questões ou Quanto aos Gabaritos Divulgados

29 e 30/11/2010

Divulgação dos Resultados das Análises dos Recursos e Resultados Preliminares

Até 13/12/2010

Apresentação de Eventuais Recursos Quanto aos Resultados Preliminares

14 e 15/12/2010

Resultado dos Recursos - Resultados Preliminares

22/12/2010

Resultado Final após Análise dos Recursos

29/12/2010

126158

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231