Prefeitura de Macaé - RJ

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ

ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO - N° 01/2012

Notícia:   Prefeitura e Câmara de Macaé - RJ publicam novas retificações de concursos

A Presidente da Comissão Organizadora do Concurso Público da Prefeitura Municipal de Macaé/RJ, Estado do Rio de Janeiro, nomeada pela Portaria n.21.107 /2011, publicada em 10 de maio de 2011, no jornal O Diário de Macaé, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o Decreto de Regulamento n°. 196/2011, publicado em 09 de novembro de 2011, no jornal O Diário de Macaé, torna público o presente Edital de Abertura do Concurso Público de 2012 do Poder Executivo Municipal, Prefeitura Municipal e Fundação Municipal Hospitalar de Macaé, doravante denominadas simplesmente de Participante, destinado ao provimento de cargos efetivos para Administração Pública Municipal Direta e Indireta, de acordo com o que estabelece a Constituição Federal artigo 37, incisos I a IV, Lei Municipal em vigor, observadas, também, as regras definidas no presente Edital de Convocação, com a execução técnica - administrativa do Instituto Nacional de Concurso Público - INCP.

01- DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1. Este Concurso Público 01/2012 dar-se-á em conformidade com as Leis Municipais pertinentes e em vigor, bem como por este Edital,que será organizado e desenvolvido pelo INCP, conforme Processo Administrativo n° 45009/2011, Concorrência Publica n° 25/2011, em conformidade à Lei Federal n° 8.666/93 e recomendação do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro.

1.2. Este edital contém as cláusulas e condições que regem o Concurso Público conforme a legislação vigente. A realização da inscrição implica a concordância do candidato com as regras aqui estabelecidas, com renúncia expressa a quaisquer outras.

1.3. O Concurso Público da Prefeitura Municipal e da FMHM terá validade de 02 (dois) anos, a contar da data de publicação da homologação do resultado final, prorrogável uma vez, a critério da Administração Pública, por igual período, se houver candidatos aprovados e ainda não contratados.

1.4. Todas as comunicações referentes ao Concurso Público serão providenciadas e expedidas pela Comissão Organizadora de Concurso da Prefeitura de Macaé e FMHM.

1.5. Este Concurso estará aberto a todo aquele que:

1.5.1. For brasileiro nato ou naturalizado ou cidadão português que tenha adquirido a igualdade de direitos e obrigações civis e ainda esteja no gozo dos direitos políticos, conforme o Decreto Federal n.° 70.436, de 18 de abril de 1972, e a Constituição Federal - § 12 do Artigo 12, comprovado por documento oficial fornecido pelo Ministério da Justiça, caso em que não serão aceitos quaisquer protocolos de requerimento.

1.5.2. Tiver idade mínima de 18 (dezoito) anos completos até o dia da posse no cargo público.

1.5.3. Estiver quite com o Serviço Militar, para o sexo masculino, e com a Justiça Eleitoral, para ambos os sexos.

1.5.4. Preencher os requisitos especiais para inscrição no respectivo cargo, quando for o caso.

1.6. Fica o candidato obrigado a acompanhar as publicações oficiais relativas ao Concurso Público, que serão divulgadas através da Imprensa Oficial da Prefeitura Municipal Macaé ou pelo portal www.incp.org.br.

1.7. Os requisitos exigidos para os cargos, em função de sua natureza, os programas mínimos das provas e as sugestões de bibliografia são os constantes do Manual do Candidato, que será entregue quando da inscrição.

1.8. O Concurso Público será eliminatório e classificatório, constando de prova escrita com questões objetivas, valendo um total de 100 (cem) pontos; para os candidatos de Nível Fundamental, Médio.

1.8.1. Os candidatos inscritos para o Nível Técnico - Médio e Superior além da prova objetiva estarão sujeitos a Prova de Títulos com os seguintes valores de pontuação e condições:

a) a prova escrita, com questões objetivas, valerá até 80 (oitenta) pontos; e

b) a prova de títulos valerá até 20 (vinte) pontos.

1.8.2. Farão prova escrita e prática, valendo, respectivamente, até 80 (oitenta) e até 20 (vinte), num total de até 100 (cem) pontos, os candidatos à vaga de Motorista de Caminhão, Motorista de Ambulância e Motorista de Veículos Leves.

1.8.2.1. Somente será permitida ao candidatado a realização da prova prática de direção veicular mediante a apresentação da Carteira Nacional de Habilitação categoria "B, C e D". Não será aceito protocolo e nem comprovante de perda ou roubo do documento. O horário da prova será divulgado, posteriormente, por Edital e pelo site www.incp.org.br.

1.8.2.2. A duração da prova prática referente ao cargo de Motorista será, no máximo, de 15 (quinze) minutos.

1.9. Os candidatos aprovados fora do número de vagas oferecidas no presente Edital farão parte de um cadastro reserva e serão convocados de acordo com a conveniência e necessidade da Administração Pública Municipal, durante o prazo de validade do concurso do qual participam, respeitando o número de vagas disponíveis no Edital.

1.10. Os requisitos exigidos para cada cargo, em função de sua natureza - Anexo II, os programas mínimos das provas e as sugestões bibliográficas - Anexo III estão contidos no Edital do Concurso, que estará disponível para consulta e cópia no site www.incp.org.br.

02- DAS VAGAS E REQUISITOS LEGAIS EXIGIDOS

2.1. As vagas definidas pela Prefeitura Municipal de Macaé e FMHM para este Concurso Público estão distribuídas de acordo com o quadro de vagas, neste Edital.

2.1.1. Em cumprimento ao disposto na Constituição Federal, artigo 37, VIII, e pela Lei Estadual n°. 2.482/95 Decreto Federal n°. 3.298/99, alterado pelo Decreto n°. 5.296/04, e de acordo com as disposições contidas no art. 12 da Lei Municipal n.° 3054/2008, de 08 de abril de 2008 serão reservados 10% (dez por cento) das vagas às pessoas com necessidades especiais, respeitando o critério de arredondamento preconizado por lei. As vagas reservadas às pessoas portadoras de necessidades especiais estão expressamente mencionadas neste Edital.

2.2. A pessoa portadora de deficiência participará da seleção em igualdade de condições com os demais candidatos às vagas de ampla concorrência no que se refere ao conteúdo e avaliação das provas, duração, horário e local de aplicação das mesmas e nota mínima exigida.

2.3. Quadro de Vagas da Administração Direta:

NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

CÓDIGO

CARGO

VAGAS

REQUISITOS

VENCIMENTO BASE R$

CARGA HORÁRIA SEMANAL

VALOR DA INSCRIÇÃO

TOTAL

AC

PD

PMM 101

Auxiliar de Laboratório

01

-

 

Nível Fundamental Completo e Registro no Órgão

718,19

30 horas

R$ 45,00

PMM 102

Auxiliar de Radiologia

02

-

Nível Fundamental Completo com Curso de Auxiliar de Radiologia e Registro no Órgão

718,19

40 horas

PMM 103

Massoterapeuta

03

 

 

Nível Fundamental Completo acrescido de certificado de habilitação para o exercício da profissão.

718,19

40 horas

PMM 104

Maqueiro

08

-

-

Nível Fundamental Completo

718,19

40 horas

PMM 105

Motorista de Ambulância

01

-

-

Ensino Fundamental Completo, Carteira Nacional de Habilitação, Categoria D, com a anotação "apto a exercer atividade remunerada" e Curso Especializado de Motorista de Veículo de Emergência - Resolução CONTRAN 168/169

824,51

40 horas

PMM 106

Motorista de Caminhão

01

--

Nível Fundamental Completo Carteira de habilitação de motorista profissional - Categoria "C"

824,51

40 horas

 

NÍVEL MÉDIO COMPLETO

CÓDIGO

CARGO

VAGAS

REQUISITOS

VENCIMENTO BASE R$

CARGA HORÁRIA SEMANAL

VALOR INSCRIÇÃO

TOTAL

*AC

*PD

PMM 201

Cuidador

01

-

 

Ensino Médio Completo e curso de formação em Cuidador

1.247,69

30 horas

R$ 45,00

PMM 202

Podólogo

01

-

-

Ensino Médio completo e curso de especialização na área de podologia, obtendo reconhecimento na Associação Brasileira de Podólogos - ABP.

1.247,69

30 horas

PMM 203

Citotécnico

01

-

 

Ensino Médio Completo e Certificado de Conclusão do Curso de Técnico em Citopatologia

1.247,69

30 horas

PMM 204

Técnico de Laboratório

01

-

-

Ensino Médio e curso específico na área e Registro no Órgão Competente

1.247,69

30 horas

PMM 205

Técnico de Enfermagem

01

-

-

Curso de Técnico em Enfermagem e registro no COREN

1.247,69

30 horas

PMM 206

Técnico de Enfermagem do Trabalho

01

-

-

Curso Técnico em Enfermagem com Curso de Específico de Enfermagem do Trabalho e registro no COREN

1.247,69

30 horas

PMM 207

Técnico de Radiologia

06

05

01

Curso de nível Médio Completo e curso específico de Técnico de Radiologia, bem como habilitação legal para o exercício da profissão e para a realização de exames de Tomografia Computadorizada

1.247,69

24 horas

*AC - ampla concorrência / *PD - portadores de deficiência

NÍVEL SUPERIOR

CÓDIGO

CARGO

VAGAS

REQUISITOS

VENCIMENTO BASE R$

CARGA HORÁRIA SEMANAL

VALOR INSCRIÇÃO

TOTAL

*AC

*PD

PMM 301

Assistente Social

01

-

-

Curso de nível superior em Serviço Social e registro no respectivo conselho de classe -CRESS

2.367,82

20 horas

R$ 65,00

PMM 302

Cirurgião Dentista - Odontólogo do Trabalho

01

-

-

Ensino Superior Completo em Odontologia e Especialização em Cirurgia Buco-maxilofacial com Registro Profissional no Órgão de Classe Competente.

2.367,82

20 horas

PMM 303

Biólogo

01

-

-

Ensino Superior Completo em Ciências Biológicas

2.367,82

20 horas

PMM 304

Biólogo Sanitarista

01

-

-

Ensino Superior Completo em Ciências Biológicas

2.367,82

20 horas

PMM 305

Enfermeiro

01

-

-

Ensino Superior Completo em Enfermagem e Registro no COREN

2.367,82

20 horas

PMM 306

Enfermeiro do Trabalho

01

--

Ensino Superior Completo em Enfermagem e Curso de Estudos Complementares de Enfermagem do Trabalho e Registro no COREN

2.367,82

20 horas

PMM 307

Farmacêutico

01

--

Curso de Nível Superior em Farmácia- Registro no CRF

2.367,82

20 horas

PMM 308

Farmacêutico Homeopata

01

--

Curso de Nível Superior em Farmácia- Registro no CRF e título de especialista ou curso de especialização em farmácia homeopática que atenda as Resoluções pertinentes do Conselho Federal de Farmácia

2.367,82

20 horas

PMM 309

Fisioterapeuta

01

--

Curso de Nível Superior em Fisioterapia - Registro no CREFITO

2.367,82

20 horas

PMM 310

Fonoaudiólogo

01

-

-

Curso de Nível Superior em Fonoaudiologia e Registro no CRFa

2.367,82

20 horas

PMM 311

Médico Veterinário

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina Veterinária e Registro no CRV

2.367,82

20 horas

PMM 312

Médico Socorrista

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina- Registro no CRM

2.367,82

20 horas

PMM 313

Médico Diarista Acupunturista

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM

2.367,82

20 horas

PMM 314

Médico Auditor

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM

2.367,82

20 horas

PMM 315

Médico Diarista Mastologista

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM

2.367,82

20 horas

PMM 316

Médico Diarista Cardiologista

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM

2.367,82

20 horas

PMM 317

Médico Diarista Clínico Geral

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina‑ Registro no CRM

2.367,82

20 horas

PMM 318

Médico Diarista Imagenologista

01

-

-

Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM

2.367,82

20 horas

PMM 319Médico Diarista Neurologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horasR$ 65,00
PMM 320Médico Diarista Geriatra01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 321Médico Diarista Gineco- Obstetra01--de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 322Médico Diarista Oftalmologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 323Médico Diarista Ortopedista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 324Médico Diarista Otorrinolaringo- logista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 325Médico Diarista Homeopata01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 326Médico Pediatra Socorrista01--Curso de Nível Superior em Medicina- Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 327Médico Psiquiatra01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 328Médico Psiquiatra Infantil01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 329Médico Proctologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 330Médico Radiologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 331Médico Reumatologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 332Médico Sanitarista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
PMM 333Nutricionista01--Curso de Nível Superior em Nutrição Registro no CRN2.367,8220 horas
PMM 334Pedagogo em Saúde01--Curso de Nível Superior Completo em Pedagogia2.367,8220 horas
PMM 335Psicólogo01--Curso de Nível Superior em Psicologia - Registro no CRP2.367,8220 horas
PMM 336Terapeuta Ocupacional01- Curso de Nível Superior em Terapia Ocupacional- Registro no CREFITO2.367,8220 horas

2.4. Quadro de Vagas da FUNDAÇÃO MUNICIPAL HOSPITALAR DE MACAÉ:

NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

CÓDIGO

CARGO

VAGAS

REQUISITOS

VENCIMENTO BASE R$

CARGA HORÁRIA SEMANAL

VALOR DA INSCRIÇÃO

TOTAL

AC

PD

FMHM 101

Auxiliar de Almoxarifado

01

-

-

Nível Fundamental Completo

718,19

30 horas

R$ 45,00

FMHM 102

Auxiliar de Enfermagem (Diarista)

01

--

Ensino Fundamental Completo e Curso de Auxiliar de Enfermagem com Registro no COREN

718,19

30 horas

FMHM 103

Auxiliar de Enfermagem Plantonista

01

--

Ensino Fundamental Completo e Curso de Auxiliar de Enfermagem com Registro no COREN

718,19

24 horas

FMHM 104

Auxiliar de Laboratório (Diarista)

01

--

Nível Fundamental Completo com Registro no Órgão

718,19

30 horas

FMHM 105

Auxiliar de Laboratório(Plantonista)

01

-

-

Nível Fundamental Completo com Registro no Órgão

718,19

24 horas

FMHM 106

Auxiliar de Radiologia

01

-

-

Nível Fundamental Completo com Curso de Auxiliar de Radiologia e Registro no Órgão

718,19

30 horas

FMHM 107

Dispensador

01

-

-

Nível Fundamental Completo

718,19

40 horas

FMHM 108

Maqueiro

02

-

-

Nível Fundamental Completo

718,19

40 horas

FMHM 109

Motorista de Ambulância

01

--

Ensino Fundamental Completo, Carteira Nacional de Habilitação, Categoria D, com a anotação "apto a exercer atividade remunerada" e Curso Especializado de Motorista de Veículo de Emergência - Resolução CONTRAN 168/169

824,51

40 horas

FMHM 110

Motorista de Veículos Leves

01

-

-

Ensino Fundamental Completo, Carteira Nacional de Habilitação, Categoria "B"

824,51

40 horas

FMHM 111

Recepcionista de Unidade de Saúde (Plantonista)

01

-

-

Nível Fundamental Completo

718,19

24 horas

FMHM 112

Recepcionista de Unidade de Saúde(Diarista)

01

-

-

Nível Fundamental Completo

718,19

30 horas

 

NÍVEL MÉDIO COMPLETO

CÓDIGO

CARGO

VAGAS

REQUISITOS

VENCIMENTO R$

CARGA HORÁRIA SEMANAL

VALOR DA INSCRIÇÃO

TOTAL

AC

PD

FMHM 201

Assistente de Administração e Logística

01

-

-

Ensino Médio Completo

1.247,69

30 horas

R$ 45,00

FMHM 202

Almoxarife

01

-

-

Ensino Médio Completo

1.247,69

30 horas

FMHM 203

Técnico de Aparelho Gessado

02

-

-

Curso de Técnico em Aparelho Gessado e Registro no respectivo Órgão de Classe

1.247,69

30 horas

FMHM 204

Técnico de Contabilidade

01

-

-

Curso de Técnico em Contabilidade e Registro no CRC

1.247,69

30 horas

FMHM 205

Técnico de Enfermagem

02

--

Curso de Técnico em Enfermagem e registro no COREN

1.247,69

30 horas

FMHM 206

Técnico de Laboratório (Diarista)

01

--

Curso de Técnico em Laboratório e Registro no Órgão de Classe

1.247,69

30 horas

FMHM 207

Técnico de Laboratório(Plantonista)

01

--

Curso de Técnico em Laboratório e Registro no Órgão de Classe

1.247,69

30 horas

FMHM 208

Técnico de Informática

02

-

-

Curso de Técnico em Informática

1.247,69

30 horas

FMHM 209

Técnico de Radiologia

01

-

-

Curso de Técnico em Radiologia e Registro no Órgão de Classe

1.247,69

24 horas

FMHM 210

Técnico de Segurança do Trabalho

01

--

Curso de Técnico em Segurança do Trabalho

1.247,69

30 horas

 

NÍVEL SUPERIOR

CÓDIGOCARGOVAGASREQUISITOSVENCIMENTO R$CARGA HORÁRIA SEMANALVALOR DA INSCRIÇÃO
TOTALACPD

FMHM 301

Biólogo

01

-

-

Ensino Superior Completo em Ciências Biológicas

2.367,82

20 horas

R$ 65,00

FMHM 302

Cirurgião Dentista Buco-maxilofacial

01

-

-

Curso Superior Completo em Odontologia e Especialização em Cirurgia Buco-maxilofacial com Registro Profissional no Órgão de Classe Competente

2.367,82

20 horas

FMHM 303

Enfermeiro

01

-

-

Curso de Nível Superior em Enfermagem - Registro no COREN

2.367,82

20 horas

FMHM 304

Enfermeiro Diarista Intensivista

01

-

-

Curso de Nível Superior em Enfermagem com Especialização na área - Registro no COREN

2.367,82

20 horas

FMHM 305

Enfermeiro Diarista Terapia Intensiva Neonatal

01

-

-

Curso de Nível Superior em Enfermagem com Especialização na área - Registro no COREN

2.367,82

20 horas

FMHM 306

Enfermeiro Diarista Centro Cirúrgico

01

-

-

Curso de Nível Superior em Enfermagem com Especialização na área - Registro no COREN

2.367,82

20 horas

FMHM 307

Fisioterapeuta

01

-

-

Curso de Nível Superior em Fisioterapia - Registro no CREFITO

2.367,82

20 horas

FMHM 308

Fisioterapeuta Diarista - Terapia Intensiva Adulto

01

-

-

Curso de Nível Superior em Fisioterapia com Especialização na área - Registro no CREFITO

2.367,82

20 horas

FMHM 309Fisioterapeuta Diarista - Terapia Intensiva Neonatal/Pediatra01--Curso de Nível Superior em Fisioterapia com Especialização na área - Registro no CREFITO2.367,8220 horas
FMHM 310Farmacêutico01--Curso de Nível Superior em Farmácia- Registro no CRF2.367,8220 horas
FMHM 311Fonoaudiólogo03--Curso de Nível Superior em Fonoaudiologia - Registro no CRFa 2.367,8220 horas
FMHM 312Médico Diarista Anestesiologista01-- Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 313Médico Diarista Cirurgião Geral 04--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 314Médico Cirurgião Pediatra01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 315Médico Diarista Cirurgião Vascular02-- Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 316Médico Diarista Clinico Geral02--Curso de Nível Superior em Medicina- Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 317Médico Diarista Gineco-Obstetra

01

--de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 318Médico Diarista Imagenologista 01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 319Médico Diarista Pediatra Neonatal01-- Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 320Médico Diarista Urologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 321Médico Diarista Intensivista Adulto01-- Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 322Médico Diarista do Trabalho01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 323Médico Diarista Traumato-Ortopedista01-- Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 324Médico Diarista Infectologista 01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 325Médico Diarista Neurocirurgião 01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 326Médico Diarista Pediatra01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8220 horas
FMHM 327Médico Plantonista Socorrista02--Curso de Nível Superior em Medicina- Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 328Médico Plantonista Anestesiologista01-- Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 329Médico Plantonista Cirurgião Geral05--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 330Médico Plantonista Cirurgião Vascular01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 331Médico Plantonista Gineco-Obstetra02--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 332Médico Plantonista Imagenologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 333Médico Plantonista Intensivista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 334Médico Plantonista Cirurgião Plástico01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 335Médico Plantonista Neurocirurgião01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 336Médico Plantonista Oftalmologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 337Médico Plantonista Otorrinolaringologista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 338Médico Plantonista Pediatra Neonatal01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 339Médico Plantonista Pediatra Intensivista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 340Médico Plantonista Pediatra Intensivista Neonatal01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 341Médico Plantonista Pediatra Socorrista02--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 342Médico Plantonista Clinico Geral01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 343Médico Plantonista Traumato-Ortopedista01--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 344Médico Plantonista Urologista03--Curso de Nível Superior em Medicina com resid. e/ou especialização na área - Registro no CRM2.367,8224 horas
FMHM 345Nutricionista01--Curso de Nível Superior Nutrição - Registro no CRN2.367,8220 horas

2.7. ESTRUTURAÇÃO DAS PROVAS OBJETIVAS:

QUADRO DE PROVAS DO NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

Auxiliar de Radiologia, Maqueiro, Auxiliar de Almoxarifado, Dispensador e Recepcionista (Plantonista e Diarista)

Provas

Disciplinas

N°. de questões

Pontuação ponderada

Nota por questão

Total por Prova

Conteúdos

Língua Portuguesa

20

2.5

50

Matemática

20

2.5

50

Total

 

40 questões

-

100 pontos

 

QUADRO DE PROVAS DO NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

Auxiliar de Laboratório Diarista e Plantonista, Massoterapeuta Auxiliar de Enfermagem Diarista e Plantonista.

Provas

Disciplinas

N°. de questões

Pontuação ponderada

Nota por questão

Total por Prova

Conteúdos

Língua Portuguesa

10

2.5

25

Matemática

10

2.5

25

Conhecimentos Específicos

Conteúdo Específico da Área

20

2.5

50

Total

 

40 questões

-

100 pontos

 

QUADRO DE PROVAS DO NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

Motorista de Ambulância (PMM e FMHM), Motorista de Caminhão, Motorista de Veículos Leves.

Provas

Disciplinas

N°. de questões

Pontuação ponderada

Nota por questão

Total por Prova

Conteúdos Gerais

Língua Portuguesa

10

2.0

20

Matemática

10

2.0

20

Conteúdos Específicos

CTB - Código de Trânsito Brasileiro

20

2.0

40

Prova Prática

PROVA PRÁTICA DE DIREÇÃO

-

-

20

Total

 

40 questões

-

100 pontos

 

QUADRO DE PROVAS DO NÍVEL MÉDIO

Podólogo, Citotécnico, Técnico de Laboratório, Técnico de Enfermagem, Técnico de Radiologia, Técnico de Aparelho Gessado, Técnico de Segurança do Trabalho e Cuidador

Provas

Disciplinas

N° de questões

Pontuação ponderada

Nota por questão

Total por Prova

Conteúdos Gerais

Língua Portuguesa

10

2.0

20

Saúde Pública

10

1.0

10

Lei Orgânica do Município

10

1.0

10

Conhecimentos Específicos

Conteúdo Específico

10

4.0

40

Títulos

 

-

-

20

TOTAL

-

40 questões

-

100

 

QUADRO DE PROVAS DO NÍVEL MÉDIO

Assistente de Administração e Logística, Almoxarife, Técnico de Contabilidade, Técnico de Informática

Provas

Disciplinas

N° de questões

Pontuação ponderada

Nota por questão

Total por Prova

Conteúdos Gerais

Língua Portuguesa

10

2.0

20

Matemática

10

1.0

10

Lei Orgânica do Município

10

1.0

10

Conhecimentos Específicos

Conteúdo Especifico

10

4.0

40

Títulos

 

-

-

20

TOTAL

-

40 questões

-

100

 

QUADRO DE PROVAS DO NÍVEL SUPERIOR

Assistente Social, Cirurgião Dentista Odontólogo do Trabalho, Biólogo, Biólogo Sanitarista, Enfermeiro, Enfermeiro do Trabalho, Farmacêutico, Farmacêutico Homeopata, Fisioterapeuta, Fisioterapeuta Diarista Terapia Intensiva Adulto, Fisioterapeuta Diarista Terapia Intensiva Neonatal/Pediatria, Fonoaudiólogo, Médico Veterinário, Nutricionista, Pedagogo em Saúde, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional, Cirurgião Dentista Buco-maxilofacial, Enfermeiro Diarista Intensivista, Enfermeiro Diarista Terapia Intensiva Neonatal, Enfermeiro Diarista Centro-Cirúrgico e TODAS AS ESPECIALIDADES MÉDICAS.

Provas

Disciplinas

N° de questões

Pontuação ponderada

Nota por questão

Total por Prova

Conteúdos Gerais

Língua Portuguesa

10

1.0

10

Lei Orgânica do Município

10

1.0

10

Saúde Pública

10

2.0

20

Conhecimentos Específicos

Conteúdo Especifico da área

10

4.0

40

Títulos

 

-

-

20

Total

 

40 questões

-

100

03- DAS INSCRIÇÕES

3.1. A inscrição ao Concurso Público da Prefeitura Municipal de Macaé e FMHM será realizada na forma presencial nos locais indicados.

3.1.1. A inscrição Via Presencial para o Concurso Público, realizada nos locais indicados se dará:

3.1.1.1. PERÍODO: 07 a 17 de Fevereiro de 2012 e de 27 de FEVEREIRO a 02 de MARÇO de 2012. (exceto o feriado de Carnaval , que compreende os dias de 18 a 22 de fevereiro de 2012 e o período de 23 a 26 de Fevereiro).

3.1.1.2. HORÁRIO: Segunda a sexta-feira, das 09 às 17 horas

3.1.1.3. INSCRIÇÕES FINAL DE SEMANA: Sábado (11/02) e domingo (12/02) SOMENTE NO POSTO C-FÁBRICA DA CIDADANIA, das 09 ás 17horas.

3.1.1.4. LOCAIS:

POSTO A: FUNEMAC - (Complexo Universitário)
ENDEREÇO: Rua Aluísio da Silva Gomes, 50 - Granja dos Cavaleiros - Macaé/RJ

POSTO B- GINÁSIO MUNICIPAL ENGENHEIRO MAURÍCIO SOARES BITTENCOURT (GINÁSIO POLIESPORTIVO)
ENDEREÇO: Alameda Manoel P. Carneiro da silva s/n - Riviera Fluminense Macaé /RJ

POSTO C - FÁBRICA DA CIDADANIA
ENDEREÇO: Rua Teixeira de Gouveia, 636 Centro Macaé /RJ

POSTO D - AGÊNCIA MACAÉ FACILITA- BARRA
ENDEREÇO: Rodovia Amaral Peixoto, S/N Barra - Macaé/RJ

3.1.2. A inscrição deverá ser feita pelo candidato ou por seu procurador, com instrumento específico e individual com firma reconhecida por autenticidade, acompanhada dos originais, e das cópias dos documentos de identidade do candidato e do procurador, caso este em que as cópias das identidades e a procuração serão anexadas ao requerimento de inscrição.

3.1.3. O candidato inscrito por procuração assume total responsabilidade pelas informações prestadas por seu procurador no requerimento de inscrição, arcando com as conseqüências de eventuais erros de preenchimento do documento de inscrição.

3.1.3.1. Não será aceito, em hipótese alguma, pedido de alteração do cargo/função para o qual o candidato se inscreveu.

3.1.3.2. Para efetuar a inscrição, é imprescindível o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) do candidato.

3.1.3.3. Será permitido número livre de inscrições, mas a PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ a FMHM e o INCP, não se responsabilizarão por eventuais coincidências de datas e horários de provas e quaisquer outras atividades, que, se caso ocorrerem, deverá o candidato optar por apenas 1 (um) cargo.

3.1.4. Para inscrever-se no Concurso Público, o candidato deverá:

A) Dirigir-se aos postos de inscrição munido de documento de identidade expedido por órgão oficial e comprovante de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) para preenchimento da ficha de inscrição e retirada do boleto para pagamento na rede bancária, atentando para o prazo de validade para o pagamento.

B) Receber o comprovante de inscrição e o boleto bancário para pagamento da taxa de inscrição;

C) Pagar a taxa de inscrição, na rede bancária, em favor do Instituto Nacional de Concurso Público - INCP ou;

D) Pagar a taxa de inscrição, mediante depósito bancário simples, em espécie, em quaisquer agências dos bancos mencionados no presente Edital, em favor do Instituto Nacional de Concurso Público - INCP. Não serão aceitas inscrições por depósito em caixa eletrônico, cheque, fac-símile (fax), transferência, ordem de pagamento condicionais e/ou extemporâneas ou por qualquer outra via que não as especificadas neste Edital. Verificado, a qualquer tempo, o recebimento de inscrição que não atenda a todos os requisitos estabelecidos, será ela cancelada.

3.1.4.1. Bancos conveniados:

BANCO

AGÊNCIA

CONTA CORRENTE

Itaú

6130

07510-1

Bradesco

2850

9410-2

3.1.4.2. O pagamento da taxa não significa que a inscrição está realizada e nem obriga que se processe a inscrição do candidato fora do período previsto neste Edital.

3.1.4.3. Comparecer ao local de inscrição, munido de original da Carteira de Identidade ou Carteira de Trabalho ou Carteira de Motorista (com foto) ou Passaporte válido ou Identificação do Órgão de Classe e CPF.

3.2. O valor da inscrição será de:

ITEM

NÍVEL DE ESCOLARIDADE

VALOR

A

NÍVEL FUNDAMENTAL

R$ 45,00

B

NÍVEL MÉDIO

R$ 45,00

C

NÍVEL SUPERIOR

R$ 65,00

3.2.1. Antes de efetuar o pagamento da taxa de inscrição feita no local, o interessado deverá certificar-se de que preenche os requisitos exigidos neste Edital para a participação no Concurso Público. Em nenhuma hipótese será admitida a inscrição condicional, via fac-símile, e/ou extemporânea.

3.3. Será disponibilizado o seguinte número telefônico 0XX-(22)-2726-3252 nos horários das 9 às 12 horas e das 14 às 18 horas, de segunda a sexta - feira, para informações ao candidato sobre o Concurso.

3.3.1. Todas as ligações serão gravadas e o candidato deverá, ao ligar, fornecer seu nome e número de inscrição;

3.4. Os Pedidos de isenção, deverão ser protocolados, impreterivelmente, no período de 06 a 08/02/2012. Não haverá isenção total ou parcial do valor da taxa de inscrição, exceto para os candidatos que, conforme o disposto no Decreto n° 6.593, de 2 de outubro de 2008, estiverem inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - CadÚnico, de que trata o Decreto n° 6.135, de 26 de junho de 2007, e forem membros de família de baixa renda, nos termos do Decreto n° 6.135, de 26 de junho de 2007;

3.4.1. A isenção tratada no item 3.4 deste Edital deverá ser protocolada, impreterivelmente, no período de 06 a 08 de Fevereiro de 2012, onde o candidato deverá observar o seguinte:

a) SE HIPOSSUFICIENTE ECONÔMICO: informar no ato da inscrição seu numero de inscrição no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal - CADÚNICO; indicação do Número de Identificação Social - NIS e ser membro de família de baixa renda, assim compreendida aquela que possua renda per capita de até meio salário mínimo ou aquela que possua renda familiar mensal de até 03 (três) salários mínimos, nos termos do Decreto Federal n° 6.135, de 26 de junho de 2007.

b) Poderá entregar no momento da inscrição presencial, no local evidenciado no item 3.1.1.3. deste edital.

3.4.2. O candidato que requerer a isenção na qualidade de hipossuficiente econômico deverá informar, no ato da inscrição, seus dados pessoais em conformidade com os que foram originalmente informados ao órgão de Assistência Social de seu município responsável pelo cadastramento de famílias no CADÚNICO, mesmo que atualmente estes estejam divergentes ou que tenham sido alterados nos últimos 45 (quarenta e cinco) dias, em virtude do decurso de tempo para atualização do banco de dados do CADÚNICO a nível nacional. Após o julgamento do pedido de isenção, o candidato poderá efetuar a atualização do seus dados cadastrais junto ao INCP através do sistema de inscrições online ou solicitá-la ao fiscal de aplicação no dia de realização das provas.

3.4.3. O INCP consultará o órgão gestor do CADÚNICO, a fim de verificar a veracidade das informações prestadas pelo candidato que requerer a isenção na condição de hipossuficiente.

3.4.4. A declaração falsa sujeitará o candidato às sanções previstas em lei, aplicando-se, ainda, o disposto no parágrafo único do artigo 10 do Decreto Federal n° 83.936, de 06 de setembro de 1979.

3.4.5. Não serão aceitos, após a realização do pedido, acréscimo ou alterações das informações prestadas, salvo o previsto no item 3.4.2.

3.4.6. O simples preenchimento dos dados necessários da isenção de inscrição, não garante ao interessado a isenção de pagamento da taxa de inscrição, a qual estará sujeita à analise e deferimento da solicitação por parte do INCP e da Comissão Organizadora de Concurso Público, conforme o caso.

3.4.7. Não será concedida isenção do pagamento da taxa de inscrição ao candidato que:

a) omitir informações e/ou torná-las inverídicas;

b) fraudar e/ou falsificar documentação;

c) não observar o prazo estabelecido no subitem 3.4.1 deste Edital;

d) apresentar documentos ilegíveis ou preenchidos incorretamente.

3.4.8. O resultado da análise da documentação apresentada será publicado no endereço eletrônico www.incp.org.br, no período informado no cronograma existente no Manual do Candidato.

3.4.9. O candidato com pedido de isenção do pagamento da taxa de inscrição indeferido poderá efetuar sua inscrição com pagamento da taxa, conforme disposto neste Edital.

3.4.10. Além das disposições anteriores, a Lei Municipal n ° 3052 de 08 de abril de 2008 será observa ,com exceção do artigo 32.

3.5. Todas as despesas decorrentes da participação no Concurso Público, inclusive deslocamentos para os locais de inscrição e realização das provas serão de inteira responsabilidade do candidato.

3.6. Caso o boleto impresso pelo candidato se extravie, é possível emitir uma segunda via. Para tal, o candidato deve seguir os seguintes passos:

A) Acessar o site www.incp.org.br, e, a seguir, o link para - Concurso Prefeitura de Macaé e FMHM -2012.

B) Acessar o link "Segunda via de boleto bancário".

C) Informar o CPF utilizado no preenchimento da ficha de inscrição e clicar em "Gerar boleto".

D) Imprimir o boleto apresentado e pagar em qualquer Agência Bancária.

4- DAS INSCRIÇÕES PARA CANDIDATOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

4.1. As pessoas com necessidades especiais, portanto amparadas pelo Decreto Federal 3.298/1999, alterado pelo Decreto Federal 5.296/2004, e pela Lei Estadual 2.298/1994, de 28/07/1994, alterada pela Lei Estadual 2.482/1995, de 14/12/1995 poderão concorrer, sob sua inteira responsabilidade e nos termos da referida legislação, às vagas especialmente reservadas as mesmas , no percentual de 10% (dez por cento) conforme disposto na lei Municipal 3.054/2008.

4.1.1. O candidato que se declarar portador de deficiência concorrerá em igualdade de condições com os demais candidatos.

4.2. Para concorrer a uma dessas vagas, o candidato deverá:

a) no ato da inscrição, declarar-se portador de deficiência; b) encaminhar laudo médico original ou cópia autenticada, emitido nos últimos doze meses, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID), bem como a provável causa da deficiência, na forma do subitem 4.2.1.

4.2.1. O candidato portador de deficiência deverá encaminhar o laudo médico (original ou cópia autenticada) conforme referidos na alínea "b" do subitem 4.2, via SEDEX ou carta registrada com aviso de recebimento, postado impreterivelmente até o último dia de inscrição, para a Central de Atendimento do Candidato - Concurso Público Prefeitura Municipal de Macaé (laudo médico), CAIXA POSTAL -114341 Campos do Goytacazes/RJ - CEP 28010-972.

4.2.2. O fornecimento do laudo médico (original ou cópia autenticada), por qualquer via, é de responsabilidade exclusiva do candidato. O INCP não se responsabiliza por qualquer tipo de extravio que impeça a chegada da documentação a seu destino.

4.2.3. Modelo do Atestado Médico:

ATESTADO MÉDICO PARA DEFICIENTES

Atesto para os devidos fins que o Sr. (a) ____________________________________ é portador da deficiência ___________________código internacional da doença (CID)________, sendo compatível com a deficiência apresentada pelo paciente com as atribuições do cargo de ______________________ disponibilizado no Concurso Público _______________________ conforme Edital do processo de seleção.

Data ____/____/_____

Nome, assinatura e número do CRM do médico especialista na área de deficiência / doença do candidato e carimbo, caso contrário, o atestado não terá
validade.

4.3. O candidato portador de deficiência poderá requerer atendimento especial, no ato da inscrição, para o dia de realização das provas, indicando as condições de que necessita para a realização destas, conforme previsto no artigo 40, parágrafos 1.2 e 2.2, do Decreto n.23.298/99 e suas alterações.

4.4. O laudo médico (original ou cópia autenticada) terá validade somente para este Concurso Público e não será devolvido, assim como não serão fornecidas cópias do mesmo.

4.4.1. A relação dos candidatos que tiveram a inscrição deferida para concorrer na condição de portadores de deficiência será divulgada na Internet, no endereço www.incp.org.br, na ocasião da divulgação do edital de locais e horários de realização das provas.

4.4.2. O candidato disporá de um dia, a partir da divulgação da relação citada no subitem anterior, para contestar o indeferimento, pessoalmente ou por meio de fax, e-mail ou via SEDEX. Após esse período, não serão aceitos pedidos de revisão.

4.5. A inobservância do disposto no subitem 4.2 acarretará a perda do direito ao pleito das vagas reservadas aos candidatos em tal condição e o não-atendimento às condições especiais necessárias.

4.6. Os candidatos que se declararem portadores de deficiência, se não eliminados no Concurso Público, serão convocados para se submeter à perícia médica formada por profissionais habilitados, que verificarão sobre a sua qualificação como deficiente, sobre a incompatibilidade entre as atribuições do cargo e a deficiência apresentada.

4.7. Os candidatos quando convocados, deverão comparecer à perícia médica, munidos de laudo médico que ateste a espécie e o grau ou nível de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID), conforme especificado no Decreto n.° 3.298/99 e suas alterações, bem como a provável causa da deficiência.

4.8. A não-observância do disposto no subitem 4.7, a reprovação na perícia médica ou o não comparecimento à perícia acarretará a perda do direito às vagas reservadas aos candidatos em tais condições.

4.9. O candidato portador de deficiência reprovado na perícia médica por não ter sido considerado deficiente, caso seja aprovado no Concurso Público, figurará na lista de classificação geral.

4.10. Os candidatos que, no ato da inscrição, declararem-se portadores de deficiência, se não eliminados no Concurso Público e considerados portadores de deficiência, terão seus nomes publicados em lista à parte e, caso obtenham classificação necessária, figurarão também na lista de classificação geral.

4.11. As vagas definidas no subitem 4.1 que não forem providas por falta de candidatos portadores de deficiência aprovados serão preenchidas pelos demais candidatos, observada a ordem geral de classificação.

4.12. O candidato portador de deficiência participará do Concurso Público em igualdade de condições com os demais candidatos às vagas de ampla concorrência, e ainda às vagas reservadas aos portadores de deficiência, resguardadas as ressalvas na legislação vigente.

4.13. Havendo necessidade de condições especiais para realização da prova, o portador de deficiência, no ato da inscrição, deverá relacionar suas necessidades no Requerimento de Inscrição, sendo vedadas alterações posteriores. Caso não o faça, sejam quais forem os motivos alegados, fica sob sua exclusiva responsabilidade a opção de realizar ou não a prova.

4.14. As condições especiais solicitadas pelo candidato para o dia da prova serão analisadas e atendidas, segundo critérios de viabilidade e razoabilidade, sendo o candidato comunicado do atendimento ou não de sua solicitação quando da Confirmação da Inscrição.

4.15. As condições especiais previstas para o portador de deficiência para realização da prova são: a) deficiência visual total - a prova poderá ser realizada com o auxílio de um ledor, que transcreverá as respostas para o candidato; b) ambliopia - a prova será confeccionada de forma ampliada, com tamanho de letra correspondente a corpo 16; c) dificuldade de locomoção por ausência ou redução de função física - será disponibilizado local de fácil acesso, principalmente se o candidato fizer uso de cadeira de rodas; d) dificuldade na escrita - necessitando de condições especiais para escrever, o candidato terá o auxílio de um fiscal para transcrição das respostas.

4.16. Após a investidura do candidato, a deficiência não poderá ser argüida para justificar a concessão de aposentadoria, salvo as hipóteses excepcionais de agravamento imprevisível da deficiência que impossibilitem a permanência do servidor em atividade.

4.17. As vagas disponíveis na validade do Concurso Público, que não forem providas por falta de candidato, por reprovação de algum candidato em alguma fase do Concurso Público, por contra-indicação na perícia médica ou outro motivo, poderão ser preenchidas pelos demais aprovados, respeitando a ordem de classificação.

4.18. Não serão considerados como deficiências os distúrbios de acuidade visual ou auditiva passíveis de correção simples pelo uso de lentes ou aparelhos específicos.

4.19. Na falta de pessoas aprovadas para as vagas reservadas aos portadores de deficiência, essas serão preenchidas pelos demais candidatos, com estrita observância da ordem de classificação.

5- DAS INSCRIÇÕES PARA CANDIDATOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS MOMENTÂNEAS

5.1. Admite-se a realização da prova em condições especiais aos candidatos que no ato da inscrição no Concurso Público tenham alguma limitação física momentânea. Para tanto, deverá o candidato relacioná-las no formulário de inscrição, sendo vedadas alterações posteriores.

5.2. O INCP disponibilizará na medida do possível, local de fácil acesso aos candidatos que se encontrem nessa condição, sendo imprescindível o comparecimento de tais candidatos aos locais determinados, não se admitindo a realização da prova em locais distintos.

5.3. As condições especiais previstas para realização da prova são:

a) limitação visual temporária - a prova será realizada com o auxílio de um ledor, que transcreverá as respostas para o candidato;

b) dificuldade de locomoção - será disponibilizado local de fácil acesso, principalmente se o candidato fizer uso de cadeira de rodas;

c) dificuldade na escrita - necessitando de condições especiais para escrever, o candidato terá o auxílio de um fiscal para transcrição das respostas;

d) lactante - havendo necessidade de amamentar no dia da prova, será permitida a entrada de um acompanhante que ficará com a guarda da criança em local reservado e diferente do local de prova da candidata. A amamentação se dará nos momentos que se fizerem necessários, não tendo a candidata nesse momento a companhia do acompanhante, além de não ser dado nenhum tipo de compensação em relação ao tempo de prova perdido com a amamentação. A não presença de um acompanhante impossibilitará a candidata de realizar a prova.

5.4. O INCP não se responsabilizará, sob qualquer alegação, por eventuais erros de transcrição da prova provocados pelo ledor ou fiscal, como também não se responsabilizará por problemas causados à lactante pela ausência de seu acompanhante.

5.5. As condições especiais solicitadas pelo candidato para o dia da prova serão analisadas e atendidas, segundo critérios de viabilidade e razoabilidade, sendo comunicado do atendimento ou não de sua solicitação quando da Confirmação da Inscrição.

5.6. A relação dos candidatos que tiveram a inscrição deferida para concorrer na condição de portadores de Necessidades Especiais Momentâneas será divulgada na Internet, no endereço www.incp.org.br, na ocasião da divulgação do edital de locais e horários de realização das provas.

06 - DA CONFIRMAÇÃO DAS INSCRIÇÕES

6.1. As informações referentes à data, ao horário e ao local de realização das provas (nome do estabelecimento, endereço e sala), e ao tipo de vaga escolhida pelo candidato; constará em seu COMPROVANTE DE CONFIRMAÇÃO DE INSCRIÇÃO (CCI), que poderá ser retirado, SOMENTE NO LOCAL ABAIXO OU PELA INTERNET.

6.1.1. PERÍODO: 20 e 21 de março de 2012.

6.1.2. HORÁRIO: das 09 às 17 horas

6.1.3. LOCAL:

POSTO A: FUNEMAC - (Complexo Universitário)
ENDEREÇO: Rua Aluísio da Silva Gomes, 50 - Granja dos Cavaleiros - Macaé/RJ

6.2. Na Internet:

6.2.1. PORTAL: www.incp.org.br

6.2.2. PERÍODO: 20 e 21 de março de 2012.

6.3. Ao retirar o Comprovante de Confirmação de Inscrição (CCI)no local indicado neste Edital, conforme os itens 6.1 e 6.2 , o candidato deverá, obrigatoriamente:

6.3.1. Fazer a conferência de todos os dados, nele transcritos. Caso haja qualquer erro, ou o Comprovante não esteja disponível, o candidato deverá solicitar ao encarregado do posto de confirmação a necessária correção. A confirmação feita pela internet deverá ser corrigida no ato da impressão do CCI no campo destinado a esse fim.

6.3.2. Tomar conhecimento do seu número de inscrição, do dia, horário, local e sala onde fará a prova.

6.3.3. O candidato que não conferir as informações contidas no seu CCI estará assumindo total responsabilidade pelos dados ali registrados e suas conseqüências.

6.3.4. Os contatos feitos após a data estabelecida no item 6.1 deste Edital não serão considerados, prevalecendo os dados constantes do Cartão de Confirmação de Inscrição.

6.3.5. Erros referentes a nome, documento de identidade ou data de nascimento, que não comprometam a identificação do candidato, deverão ser comunicados, apenas, no dia de realização das provas, na sala de prova, junto ao fiscal que fará a correção em formulário próprio.

6.3.6. O Cartão de Confirmação de Inscrição NÃO será enviado ao endereço informado pelo candidato no ato da inscrição. É de responsabilidade exclusiva do candidato a identificação correta de seu local de realização das provas e o comparecimento no horário determinado. O comprovante CCI não será enviado ao candidato via Correios.

6.3.7. As informações sobre os respectivos locais de provas estarão disponíveis, também, no endereço eletrônico do INCP: www.incp.org.br.

07 - DAS PROVAS

7.1. A prova objetiva com data prevista no calendário básico constará de 40 (quarenta) questões para os níveis: Fundamental, Médio e Superior. As questões serão de múltipla escolha contendo 04 (quatro) alternativas (A - B - C - D), sendo apenas uma correta. A prova terá duração de 03 (três horas) e será considerado aprovado o candidato que obtiver o mínimo de 50% (cinqüenta por cento) do total de pontos.

7.2. As provas serão organizadas considerando-se o grau de escolaridade (Níveis Fundamental, Médio e Superior), exigido para o exercício do cargo, conforme Edital.

7.3. O candidato deverá comparecer ao local de realização das provas, com antecedência mínima de 01 (uma) hora do horário estabelecido para o fechamento dos portões de acesso aos locais de prova, munido do Comprovante de Confirmação de Inscrição (CCI), de documento original de identificação oficial com foto e de caneta esferográfica azul ou preta, de tinta fixa.

7.4. Serão considerados documentos de identificação oficial de identidade: Carteira de Trabalho, Carteira de Motorista (com foto), carteiras expedidas pelas Secretarias de Segurança, pelos Corpos de Bombeiros, pelas Polícias Militares e pelos Órgãos fiscalizadores do exercício profissional (Ordens, Conselhos, etc.), Passaporte com validade e deverá conter foto e estar em perfeitas condições, de forma a permitir, com clareza, a identificação do candidato e sua assinatura. Não serão aceitos protocolos, crachás, identidade funcional, CPF, Título de Eleitor, cópias ou quaisquer outros documentos que impossibilitem a identificação do candidato, bem como a verificação de sua assinatura.

7.4.1. O candidato que não apresentar o documento oficial de identidade não realizará as provas.

7.4.2. O documento de identidade do candidato deverá ser apresentado ao fiscal da sala para conferência com o Cartão Resposta e a Lista de Presença, que só será assinada, na entrega do Cartão ao término da prova.

7.4.3. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar documento oficial de identidade, por motivo de perda, roubo ou furto, deverá apresentar documento que comprove o registro do fato em órgão policial, expedido no máximo há 30 (trinta) dias, sendo o candidato submetido a identificação especial.

7.5. Os portões de acesso aos locais de realização das provas serão fechados, rigorosamente, na hora marcada para o início das mesmas, não havendo tolerância.

7.5.1. As provas acontecerão em dias, horários e locais indicados no Comprovante de Confirmação da Inscrição (CCI) do candidato e não haverá, sob pretexto algum, segunda chamada nem justificação de falta, sendo considerado eliminado do Concurso Público o candidato que faltar à prova escrita. Não haverá aplicação de provas fora do horário, data e locais pré-determinados.

7.5.2. Não será permitido, ao candidato, realizar a prova em estado etílico (embriagado).

7.6. Cada candidato receberá um Bloco de Provas, contendo questões gerais, e um único Cartão-Resposta, que deverá ser marcado, somente, com caneta esferográfica azul ou preta, de tinta fixa.

7.6.1. O candidato deverá conferir as informações contidas no cartão de respostas e assinar seu nome em local apropriado.

7.6.2. É responsabilidade do candidato assinar o cartão de respostas.

7.6.3. Caso o candidato identifique erros durante a conferência das informações contidas no cartão de respostas, estes deverão ser informados, imediatamente, ao fiscal de sala.

7.6.4. O Cartão-Resposta não poderá ser rasurado, amassado, manchado ou ser feito uso de borracha ou corretivo e, em nenhuma hipótese, será substituído e terá que ser, obrigatoriamente, assinado pelo candidato no local determinado, sob pena de não ser válido para leitura e atribuição de nota.

7.6.5. A transcrição correta das alternativas para o Cartão-Resposta, bem como a assinatura do mesmo, é de inteira responsabilidade do candidato e é obrigatória, pois a correção da prova objetiva será feita somente nesse documento e por processamento eletrônico de leitura ótica.

7.6.6. Na correção do Cartão-Resposta da prova objetiva será atribuída nota 0 (zero) à questão:

7.6.6.1. Com mais de uma opção assinalada;

7.6.6.2. Sem opção assinalada;

7.6.6.3. Com emenda ou rasura.

7.7. Por motivo de segurança, serão adotados os seguintes procedimentos:

7.7.1. O candidato só poderá sair levando o Caderno de Questões da Prova Objetiva quando faltar 1 (uma) hora para o término da prova. O Candidato que se retirar antes de cumprido esse prazo estará abrindo mão voluntariamente do direito de posse de seu Caderno de Questões, não podendo reivindicá-lo posteriormente.Somente decorrida 01 (uma) hora do início da Prova, o candidato poderá retirar-se da sala de Prova, mesmo que tenha desistido do Concurso Público.

7.7.2. O candidato que se retirar antes do prazo mínimo que lhe permita levar seu Caderno de Questões não poderá copiar sua marcação de respostas, em qualquer hipótese ou meio. Em caso de descumprimento dessa determinação, o fato será registrado em ata, para julgamento posterior, podendo acarretar a eliminação do candidato.

7.7.3. Ao final da prova, o candidato é obrigado a entregar seu Cartão-Resposta, assinado, ao fiscal de sala, sob pena de ter sua inscrição cancelada, mesmo que sua assinatura conste da folha de presença. O Cartão-Resposta não será aceito, sob qualquer pretexto, após a saída do candidato da sala de prova ou após o encerramento da mesma. Os três últimos candidatos deverão permanecer juntos na sala, sendo somente liberados quando o último deles tiver concluído a prova.

7.7.4. Não será permitido ao candidato entrar na sala de prova portando telefone celular, armas ou aparelhos eletrônicos e não será admitida qualquer espécie de consulta, comunicação entre os candidatos, nem a utilização de livros, códigos, manuais, impressos, anotações, réguas, compassos, máquina de calcular, agendas eletrônicas, notebook, palmtop, relógios com mostrador digital, BIP, MP3 Player e/ou similares, walkman, gravador, ou qualquer outro receptor de mensagens.

7.7.5. O candidato que portar qualquer aparelho de que trata o item 7.7.4 deverá, obrigatoriamente, acondicioná-lo desligado em saco plástico fornecido pelos fiscais da sala de prova. Caso o telefone celular de um candidato toque durante a prova, o fato será registrado em ata, para julgamento posterior, podendo acarretar a eliminação do candidato.

7.7.6. Durante as provas não será permitido o uso de óculos escuros, boné, boina, chapéu, gorro, lenço ou qualquer outro acessório que impeça a identificação e a visão total das orelhas do candidato. Poderá haver revista pessoal por meio da utilização de detector de metais e os candidatos com cabelos longos deverão prendê-los.

7.7.7 Não será permitido o ingresso de pessoas estranhas ao Concurso Público no local da prova. Com exceção dos candidatos portadores de Necessidades Especiais e das candidatas que estejam amamentando lactantes, os quais poderão dispor de acompanhantes, que ficarão em dependência designada pelo Coordenador do local.

7.7.7.1 A Comissão Organizadora do Concurso, devidamente identificada, poderá circular nos locais de prova com vistas a verificar a regularidade dos trabalhos.

7.7.8. O Candidato não poderá alegar desconhecimento dos locais de realização das provas como justificativa por sua ausência. O não comparecimento à prova, qualquer que seja o motivo, será considerado como desistência do candidato e resultará em sua eliminação do Concurso Público.

7.7.9. Qualquer observação por parte dos candidatos será igualmente lavrada na Ata, ficando seus nomes e números de inscrição registrados pelo fiscal.

7.7.10. Está prevista, como medida preventiva com vistas à segurança do concurso, a utilização do detector de metais.

7.8. Será automaticamente excluído do Concurso Público, em qualquer fase, o candidato que:

7.8.1. Fizer, em qualquer documento, declaração falsa ou inexata;

7.8.2. For descortês com qualquer membro da equipe encarregada da Inscrição, portaria, portões, entrega dos comprovantes de confirmação (CCI) e aplicação da prova, se recusar a entregar o Cartão - Resposta no tempo determinado para o término da prova;

7.8.3. For responsável por falsa identificação pessoal;

7.8.4. Durante a realização da prova, for surpreendido em comunicação com outro candidato ou em utilização de celular;

7.8.5. Utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos para obter aprovação, tais como anotações em papéis, no corpo, roupas etc;

7.8.6. Não devolver o Cartão-Resposta ao término da prova, antes de sair da sala;

7.8.7. Ausentar-se do recinto da prova sem permissão;

7.8.8. Deixar de assinar, concomitantemente, a lista de presença e o cartão - Resposta;

7.8.9. Não realizar a prova ou ausentar-se da sala sem autorização, portando ou não o cartão de respostas;

7.8.10. Não atender às determinações deste Edital;

7.8.11. Prejudicar ou fraudar o processo de inscrição pela Internet;

7.8.12. Após as provas, for constatado por meio eletrônico, estatístico, visual ou grafológico, ter utilizado outros procedimentos ilícitos na realização das mesmas.

7.9. É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar as publicações de todos os atos e Editais referentes ao presente Concurso Público.

7.10. A data da realização das provas, se necessário, poderá ser alterada por ato da Comissão Organizadora do Concurso Público, dando ampla divulgação.

7.10.1. As provas poderão ser aplicadas em Municípios vizinhos, caso ocorra um número excessivo de candidatos inscritos e se confirmada a impossibilidade de locais suficientes para acomodar no Município de Macaé o número de candidatos inscritos, a Comissão Organizadora do Concurso Público poderá autorizar a realização da prova nos municípios adjacentes.

7.11. Na ocorrência de caso fortuito, de força maior ou de qualquer outro fato imprevisível ou previsível, porém de conseqüências incalculáveis que impeça ou prejudique a realização do Concurso Público, ou de alguma de suas fases, à instituição realizadora do Concurso Público será reservado o direito de cancelar, substituir provas ou atribuir pesos compensatórios, de modo a viabilizar o Concurso Público.

7.12. As provas objetivas de múltipla escolha serão elaboradas com base no conteúdo programático dos níveis de escolaridade e / ou profissão, aprovado pelos Conselhos de Educação, Ministério da Educação ou Órgão competente de Educação.

7.13. Das Condições para a Realização da Prova Objetiva:

7.13.1. As provas serão realizadas conforme cronograma em anexo;

7.14. Conteúdos e Bibliografias são os constantes do Edital.

7.15. Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados com data prevista no calendário básico no Órgão Oficial da Prefeitura Municipal e através dos portais: www.incp.org.br.

08 - DA APRESENTAÇÃO DOS RECURSOS

8.1. Após a publicação dos gabaritos da prova objetiva, o candidato que se julgar prejudicado poderá recorrer, no período com data prevista no calendário básico, através de requerimento dirigido à Comissão de Concurso e entregue no Protocolo Geral da Prefeitura Municipal de Macaé/RJ situada na Avenida Presidente Feliciano Sodré, n.° 534, Centro, Macaé/RJ; no horário de 09:00 as 17:00 horas.

8.2. Os recursos previstos no item 8.1 serão dirigidos à Secretaria de Administração/Comissão de Concurso, e representados por petição escrita, no setor de protocolo da Prefeitura Municipal de Macaé, Av. Presidente Sodré n° 534 - Centro.

8.3. A Comissão de Concurso, interposto o recurso deste capítulo, decidirá, informando no processo a decisão, de caráter irrecorrível.

8.4. Deverá ser interposto um recurso para cada questão em que o candidato se julgar prejudicado, com a indicação precisa da mesma, acompanhado de comprovantes que fundamentem as alegações.

8.5. O recurso deverá ser individual, não sendo admitido litisconsorte, devendo trazer a indicação precisa do item em que o candidato se julga prejudicado, acompanhado de comprovantes que fundamentem as alegações, com citações de artigos de legislação, itens, páginas de livro, nome dos autores. Cada recurso objetivará uma única questão.

8.6. Será indeferido, liminarmente, o recurso que não estiver fundamentado ou for interposto fora do prazo.

8.7. Após o julgamento dos recursos interpostos, os pontos correspondentes às questões objetivas porventura anuladas serão atribuídos a todos os candidatos que compareceram às provas, independentemente de interposição de recursos.

8.8. O gabarito divulgado através do Órgão Oficial da Prefeitura ou através do portal www.incp.org.br e poderá ser alterado em função dos recursos impetrados, e as provas serão corrigidas de acordo com o novo gabarito oficial definitivo.

8.9. Após o julgamento dos recursos interpostos, as notas atribuídas pela Comissão do Concurso serão as notas definitivas dos candidatos, que serão publicadas com o ato de homologação do Concurso pelo Chefe do Executivo.

8.10. No caso de apuração de resultado por processo eletrônico, o candidato poderá solicitar, vista do Cartão-Resposta, para dissipar eventual dúvida sobre as alternativas assinaladas, a ser concedida através de cópia do cartão, que poderá ser feita somente via internet, através do Sistema Eletrônico de Interposição de Recursos, com acesso pelo candidato com o fornecimento de dados referentes a inscrição do candidato, apenas no prazo recursal, conforme disposições contidas nos site www.incp.org.br no Link correspondente ao Concurso Público.

8.11. Será concedido ao candidato o direito à recontagem de pontos no prazo de 2 (dois) dias a contar da publicação do resultado da avaliação de títulos, de acordo com o Cronograma do Concurso, exclusivamente para retificação de erro material. Neste caso, o candidato deverá dirigir-se ao setor do Protocolo Geral da Prefeitura Municipal de Macaé/RJ situada na Avenida Presidente Feliciano Sodré, n.° 534, Centro, Macaé/RJ.

8.12. Não serão aceitos recursos interpostos por via postal, fax-símile ou e-mail.

09 - DOS RESULTADOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE CLASSIFICAÇÃO DOS CANDIDATOS

9.1. Os resultados serão divulgados em listagem por ordem classificatória, já considerando os critérios de desempate, contendo as notas das provas objetivas.

9.1.1. A Publicação do resultado preliminar e gabarito pós-recursos será na data prevista no calendário básico.

9.1.2. O resultado final do Concurso Público será divulgado por meio de duas listas, a saber: a)lista contendo a classificação de todos os candidatos habilitados, inclusive os inscritos como portadores de deficiência; b) lista contendo a classificação, exclusivamente dos candidatos habilitados inscritos como portadores de deficiência.

9.1.3. A Publicação do resultado final será na data prevista no calendário básico, encerrando-se assim, as atribuições do Instituto Nacional de Concurso Publico (INCP). Todo o processo de convocação e contratação do candidato classificado no Concurso Público é de competência da Prefeitura Municipal de Macaé.

9.2. Todos os candidatos terão sua Prova Objetiva corrigida por meio de processamento eletrônico.

9.2.1. A nota final da Prova será calculada somando-se, simplesmente os pontos de todas as questões, sendo somente considerados habilitados os candidatos que obtiverem, no mínimo, 50% (cinqüenta por cento) do total de pontos.

9.3. A classificação dos candidatos será apresentada em ordem decrescente de pontos, em listagem específica com nota final, por nome e código de inscrição, com os desempates já realizados.

9.3.1. O desempate dos candidatos obedecerá aos seguintes critérios, nesta ordem e sucessivamente:

A) Ter idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, até o dia de realização da prova objetiva, na forma do disposto no parágrafo único do art. 27, da Lei Federal n° 10.741, de 01 de outubro de 2003, para todos os cargos e persistindo o empate serão adotados, sucessivamente, os seguintes critérios:

B) Ter obtido maior nota na parte específica da prova objetiva (quando houver);

C) Ter obtido maior nota na prova de português;

D) Persistindo o empate, terá preferência o candidato com mais idade.

9.3.2. O desempate dos candidatos aos cargos de Técnico-Médio e Superior obedecerá aos seguintes critérios, nesta ordem e sucessivamente:

A) Ter idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, até o dia de realização da prova objetiva, na forma do disposto no parágrafo único do art. 27, da Lei Federal n° 10.741, de 01 de outubro de 2003, para todos os cargos e persistindo o empate serão adotados, sucessivamente, os seguintes critérios:

B) Ter obtido maior nota na parte específica da prova objetiva;

C) Ter obtido maior nota na prova de português;

D) Ter obtido maior nota na prova títulos;

E) Persistindo o empate, terá preferência o candidato com mais idade.

9.3.3. O desempate dos candidatos ao cargo de Motorista, com prova prática obedecerá aos seguintes critérios, nesta ordem e sucessivamente:

A) Ter idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, até o dia de realização da prova objetiva, na forma do disposto no parágrafo único do art. 27, da Lei Federal n° 10.741, de 01 de outubro de 2003, para todos os cargos e persistindo o empate serão adotados, sucessivamente, os seguintes critérios:

B) Ter obtido maior nota na parte específica da prova objetiva (Legislação de Trânsito);

C) Ter obtido maior nota na prova de português;

D) Ter obtido maior nota na prova prática;

E) Persistindo o empate, terá preferência o candidato com mais idade

10 - DA PROVA DE TÍTULOS

10.1. Deverão entregar seus títulos somente aqueles candidatos que obtiverem, na prova escrita, o percentual mínimo exigido para a aprovação, que é de 50% (cinqüenta por cento) do total de pontos.

10.2. Não serão considerados os documentos que não estejam em perfeitas condições, de forma a permitir, com clareza, a sua leitura e avaliação.

10.3. O envelope, fornecido pelo candidato, deverá conter o Requerimento de Entrega de Títulos e as cópias autenticadas dos títulos, e ser identificado, no verso, com nome, número de inscrição e categoria profissional do cargo à qual o candidato concorre.

10.3.1. A apresentação dos títulos do nível médio e Superior deverá ser feita na data prevista no calendário básico não sendo aceitos os postados após a data limite.

10.4. Os títulos entregues no local, por cópias, dispensarão autenticação cartorial, desde que acompanhados de seus originais, para serem vistados pelo conferente que os receberem.

10.4.1. O envelope com a Folha de Rosto e os títulos deverá ser entregue no local, horário e datas seguintes:

10.4.1.1. PERÍODO: 30/04 a 02/05/2012.

10.4.1.2. HORÁRIO: das 10 às 16 horas.

10.4.1.3. POSTO ÚNICO: AUDITÓRIO DO PAÇO MUNICIPAL ENDEREÇO: Avenida Presidente Feliciano Sodré, n.° 534, Centro, Macaé/RJ.

10.4.2. O envelope com a Folha de Rosto e os títulos, devidamente autenticados em cartório, deverá ser postado através de AR ou registrado, nas seguintes condições:

10.4.3. DESTINATÁRIO: Concurso Público do Município de Macaé
CAIXA POSTAL - 114341- Campos do Goytacazes / RJ, CEP 28010-972.

10.4.4. PERÍODO: 27 de abril a 02 de maio de 2012.

10.5. A obtenção da Folha de Rosto dos títulos do candidato poderá ser retirada pela Internet, no "site" www.incp.org.br, ou no ato de entrega dos Títulos, para ser preenchida, completa e corretamente, com assinatura logo abaixo do último título e colocada dentro do envelope de remessa e devidamente lacrado.

10.6. A análise dos documentos comprobatórios dos títulos, valendo um total de até 20 (vinte) pontos, avaliará o nível de experiência profissional e aperfeiçoamento do candidato, em estrita observância às normas contidas neste Edital.

10.7. Por seu esforço de aperfeiçoamento, o candidato ao cargo de nível Técnico-Médio e Superior poderá merecer a pontuação máxima de até 20 (vinte) pontos.

10.8. Para os cargos de nível Técnico-Médio e Superior, avaliar os títulos na área de qualificação e experiência profissionais atestadas, relacionados com o conteúdo do cargo escolhido.

10.8.1. Quadro I - DISCRIMINAÇÃO DE PONTOS POR TÍTULOS NÍVEL SUPERIOR:

Especificação

Ponto por Título

N°. Máximo de Títulos

Pontuação Máxima

Título de Doutor ou Título de Mestre ou Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em nível de Especialização com no mínimo 360 (trezentas e sessenta) horas na área para a qual se inscreveu

4

1

4

Certificado de Curso de Extensão, Aperfeiçoamento e/ou Capacitação, com no mínimo 90 horas, (infracionáveis).

1

1

1

Experiência Profissional - Tempo de Serviço na área para a qual se inscreveu: 3,0 (três pontos) a cada ano, considerando-se um máximo de 5 (cinco) anos

3

5

15

Pontuação Máxima da Prova de Títulos

 

 

20,0

10.8.2. Quadro II - DISCRIMINAÇÃO DE PONTOS POR TÍTULOS NÍVEL TÉCNICO-MÉDIO:

Especificação

Ponto por Título

N°. Máximo de Títulos

Pontuação Máxima

Certificado de Curso de Extensão, Aperfeiçoamento e/ou Capacitação, com no mínimo 90 horas, (infracionáveis).115
Experiência Profissional - Tempo de Serviço na área para a qual se inscreveu: 3,0 (três pontos) a cada ano, considerando-se um máximo de 5 (cinco) anos3515
Pontuação Máxima da Prova de Títulos  20

10.9. A Qualificação Profissional, considerada como título, refere-se a cursos realizados pelo candidato e relacionados com o cargo para o qual o mesmo está concorrendo. O enquadramento dos títulos apresentados far-se-á considerando sua relação com o conteúdo ocupacional do cargo respectivo.

10.10. A comprovação da experiência profissional só será aceita mediante comprovação do registro do candidato no Conselho de Fiscalização do Exercício da Profissão.

10.11. A comprovação da experiência profissional no serviço na administração pública será feita por meio de declaração do órgão empregador.

10.12. A comprovação de exercício profissional na iniciativa privada será feita mediante cópia autenticada em cartório do registro na Carteira Profissional (com identificação, fotografia e registro de contrato de trabalho).

10.12.1. Para comprovação da experiência profissional como autônomo será exigido o registro como autônomo na Prefeitura, anexando o comprovante de pagamento do Imposto Sobre Serviços.

10.13. O candidato poderá apresentar todas as certidões ou declarações necessárias para comprovar a experiência profissional em serviço prestado à administração pública, desde que sejam expedidas em papel timbrado e com carimbo de órgão expedidor, por órgãos e autoridades competentes e estejam devidamente assinadas e datadas. No caso de comprovação de exercício da atividade profissional em Carteira de Trabalho com data de saída em aberto, o candidato deverá anexar também, declaração da instituição empregadora.

10.14. O exercício de atividades profissionais, válido como título, é o tempo de serviço prestado pelo candidato em atividade diretamente ligada ao cargo/especialidade.

10.15. O aperfeiçoamento, já finalizado, deverá ser comprovado por cópia legível, do certificado, com carga horária expressa, somente sendo aceitos cursos da área para a qual o candidato concorre.

10.16. Serão computados, como títulos, apenas os cursos cuja avaliação indique sua correlação com a área onde se situa o cargo pretendido, denotando contribuição para o aperfeiçoamento de seu exercício, e com o certificado fornecido por instituição reconhecida.

10.17. Para a comprovação da conclusão de cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu em nível de Mestrado será aceito diploma registrado ou certidão de conclusão, acompanhada do histórico escolar, expedido por instituição cujo curso seja devidamente reconhecido pela CAPES/MEC ou com validade no Brasil.

10.18.Para receber a pontuação relativa aos cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em nível de Especialização serão aceitos somente o certificado ou certidão expedida por instituição reconhecida, no qual conste a carga horária mínima de 360 (trezentas e sessenta) horas, conforme as normas do Conselho Nacional de Educação.

10.19. O diploma de Mestrado expedido por universidades estrangeiras deverão estar revalidados por universidades públicas, nos termos do artigo 48, § 2° e § 3° da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (lei n.° 9.394/96), sob pena de não serem considerados para efeito de pontuação.

10.20. O certificado exigido (requisito) para o exercício do cargo não será computado como título de aperfeiçoamento e não deverá ser enviado para avaliação.

10.20.1. Não serão aceitos protocolos de requerimento de certificado de conclusão do curso.

10.21. Não serão avaliados os títulos de tempo de serviço, cursos de informática, monitoria e estágios.

10.21.1. Não valerá pontos, como experiência profissional, o tempo de Estágio.

10.9.8. Os títulos enviados à Comissão de Concurso, para avaliação, deverão ter cargas horárias explícitas.

10.22. Não haverá atribuição de pontos cumulativos e a pontuação dos títulos será atribuída a um só título, por espécie (em caso do candidato ter participado de mais de um curso com o mesmo conteúdo programático, apesar de em diferentes instituições).

10.23. Não serão considerados documentos ilegíveis, com rasuras ou emendas, nem os que não atenderem às especificações contidas neste Edital.

10.24. Não será aceita a entrega de títulos antes ou depois das datas previstas, neste Edital.

10.25. Não serão recebidos títulos por fax-símile, Correios ou e-mail.

10.26. Não serão aceitos como títulos, protocolos de requerimentos de certidões, declarações ou diplomas de conclusão de curso.

10.27. O candidato que porventura não entregar nenhuma titulação será classificado somente com a pontuação obtida na Prova Objetiva.

10.28. O candidato poderá entregar seus Títulos por meio de procuração, individual, com poderes específicos, firma reconhecida em cartório, assumindo total responsabilidade pelas informações prestadas por seu procurador no requerimento de Entrega de Títulos, arcando com as conseqüências de eventuais erros de preenchimento do documento, a procuração ficará retida juntamente com o requerimento.

11 - DAS PROVAS PRÁTICAS

11.1. Somente se submeterão à prova prática os candidatos aos cargos descritos abaixo, dentro do quantitativo de corte especificado abaixo, desde que aprovados na prova escrita objetiva de múltipla escolha, de acordo com a classificação obtida do maior para o menor:

Cargo

Quantidade de candidatos convocados para prova prática

Motorista de Veículos Leves da FMHM

10

Motorista de Ambulância FMHM

10

Motorista de Caminhão da PMM

10

Motorista de Ambulância PMM

10

11.1.1. Em caso de empate com o último classificado, farão prova prática todos os candidatos que obtiverem a mesma nota do último convocado.

11.2. As Provas Práticas terão caráter classificatório e eliminatório e valerão 20 (vinte) pontos.

11.3. Os candidatos ao cargo de Motorista serão submetidos ao Teste de Habilidade Específica em direção veicular, quando serão observados especificamente os itens abaixo relacionados:

11.3.1.1. Faltas Graves:

a) Perder o controle da direção do veículo em movimento;

b) Não observar as regras de ultrapassagem ou de mudança de direção;

c) Não sinalizar com antecedência a manobra pretendida ou sinalizá-la incorretamente;

d) Não usar devidamente o cinto de segurança;

e) Manter a porta do veículo aberta ou semi-aberta durante o percurso da prova ou parte dele;

f) Desobedecer a sinalização da via ou ao agente da autoridade de trânsito.

11.3.1.2. Faltas médias:

a) Executar o percurso da prova, no todo ou parte dele, sem estar o freio de mão inteiramente livre;

b) Colocar o veículo em movimento sem observar as cautelas necessárias;

c) Interromper o funcionamento do motor sem justa razão, após o início da prova;

d) Engrenar ou utilizar as marchas de maneira incorreta durante o percurso;

e) Fazer conversões incorretamente;

f) Usar o pedal de embreagem antes de usar o pedal de freio nas frenagens.

11.3.1.3. Faltas leves:

a) Provocar movimentos irregulares no veículo, sem motivo justificado;

b) Não ajustar devidamente os espelhos retrovisores;

c) Utilizar ou interpretar incorretamente os instrumentos do painel do veículo;

d) Ajustar incorretamente o banco do veículo destinado ao condutor; e) Apoiar o pé no pedal da embreagem com o veículo engrenado e em movimento;

f) Dar partida ao veículo com a engrenagem de tração ligada.

11.3.2. Os itens anteriormente relacionados são exemplificativos, podendo ser ainda observadas, de forma generalizada, no que couber, as demais infrações elencadas no capítulo XV do Código Brasileiro de Trânsito, bem como aquelas classificações em faltas gravíssimas, graves, médias e leves.

11.3.3. Para quantificar as faltas e/ou transgressões cometidas pelos candidatos à Qualificação de Motorista, durante o Teste de Habilidade Específica de prática de direção veicular, será considerada a seguinte pontuação:

a) Faltas graves e gravíssimas: 03 pontos; b) Faltas médias: 02 pontos; c) Faltas leves: 01 ponto.

11.4. O candidato que não comparecer à Prova Prática será excluído do Concurso.

11.4. A prova prática tem caráter eliminatório e classificatório, totalizando 20 pontos, sendo considerados aprovados apenas os candidatos que obtiverem o percentual mínimo de 50%(cinqüenta por cento) de aproveitamento nas provas.

11.5. A prova prática será realizada na Cidade de Macaé, em local que será publicado em jornal encarregado das publicações da Administração Municipal e no site da organizadora INCP www.incp.org.br.

11.6. Os candidatos convocados para a prova prática, conforme cronograma do Concurso Público terão seus nomes e respectivas pontuações divulgados no site www.incp.org.br, sendo que esta comunicação não tem caráter oficial, apenas informativo, devendo os candidatos que participarem dessa fase comparecer no local de realização da mesma.

11.7. Os candidatos convocados para esta fase deverão comparecer no local indicado para a realização da prova 1 (um) hora antes do horário fixado para seu início, portando documento de identidade, caso contrário não poderão efetuar a referida prova.

12 - DA ELIMINAÇÃO DO CANDIDATO DO CONCURSO PÚBLICO

12.1. Além do disposto neste Edital, também poderá ser eliminado do concurso público o candidato que:

a) chegar ao local de prova após o fechamento dos portões ou comparecer para a realização da prova em local diferente do designado; b) durante a realização da prova, for surpreendido em comunicação com outro candidato ou pessoa não autorizada; c) for surpreendido durante o período de realização de sua prova portando (carregando consigo, levando ou conduzindo) armas ou aparelhos eletrônicos (bip, telefone celular, walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador, etc), quer na sala, quer nas dependências do seu local de prova; d) utilizar-se de livros, códigos, impressos, máquinas calculadoras e similares, pagers, telefones celulares ou qualquer tipo de consulta durante o período de realização de sua prova, quer na sala, quer nas dependências do seu local de prova;e) fizer, em qualquer documento, declaração falsa ou inexata; f) desrespeitar membro da equipe de fiscalização ou perturbar a ordem e a tranqüilidade necessárias à realização da prova; g) descumprir quaisquer das instruções contidas na capa da prova; h) não realizar a prova ou ausentar-se da sala sem autorização, portando ou não o cartão de respostas; I) não devolver o cartão de respostas; j) deixar de assinar o cartão de respostas ou a lista de presença; I) não atender às determinações do presente Edital e de seus Anexos; m) quando, após a prova, for constatado - por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou qualquer meio em Direito admitido - ter o candidato se utilizado de meios ilícitos.n) não mantiver atualizado seu endereço junto ao INCP (até a homologação do concurso) ou à Prefeitura Municipal de Macaé (após a homologação do concurso).o) quando, após sua convocação, não comparecer ao local, data e hora designados.

13 - DO PROVIMENTO DO CARGO

13.1. O provimento dos cargos obedecerá rigorosamente à ordem de classificação dos candidatos aprovados.

13.2. O candidato aprovado obriga-se a manter atualizado seu endereço junto à Secretaria de Administração da Prefeitura Municipal de Macaé e a Fundação Municipal Hospitalar de Macaé.

13.3. Os aprovados que vierem a ingressar no Quadro de Provimento Efetivo do Município reger-se-ão pelas disposições do Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Macaé /RJ bem como pelas normas legais específicas para cada cargo.

13.4. Os aprovados que vierem a ingressar no Quadro de Provimento Efetivo do Município estarão sujeitos à jornada de trabalho correspondente ao que este preceitua, inclusive com alterações que vierem a se efetivar, bem como poderão ser convocados para trabalhar em regime de plantão para o bom desempenho do serviço.

13.4.1. Os aprovados que vierem a ingressar no Quadro de Provimento Efetivo do Município poderão ser lotados, a critério da Administração Pública Municipal, avaliada a conveniência, onde houver necessidade do desempenho da função.

13.5. Fica comunicado ao candidato classificado que sua nomeação e posse só lhe serão atribuídas se atender às exigências que seguem:

13.5.1. Ter sido aprovado no presente concurso;

13.5.2. Ter 18 anos completos até a data da posse;

13.5.3. Estar em dia com as obrigações eleitorais;

13.5.4.. Estar em dia com as obrigações militares, para os candidatos de sexo masculino;

13.5.1. Possuir escolaridade mínima exigida no cargo, na data da posse;

13.5.5. Não estar incompatibilizado com a investidura no cargo, inclusive em razão de demissão por atos de improbidade, comprovados por meio de sindicância e/ou Inquérito Administrativo, na forma da Lei;

13.5.6. Ser considerado apto nos exames médicos admissionais;

13.5.7. Apresentar documento pessoal de identidade e Cadastro de Pessoa Física da Receita Federal - CPF, regularizado;

13.6. Por ocasião da nomeação, serão exigidos do candidato habilitado os seguintes documentos:

13.6.1. Original e xerox da Certidão de Nascimento ou de Casamento;

13.6.2. Original e xerox da Carteira de Identidade;

13.6.3. 02 (duas) fotos 3 x 4, coloridas e recentes;

13.6.4. Original da Carteira de Trabalho e Previdência Social;

13.6.5. Original e xerox CPF e Declaração de Imposto de Renda;

13.6.6. Original e xerox do Título de Eleitor e do último comprovante de votação (1° e 2°turnos ou único turno);

13.6.7. Original e xerox do PIS ou PASEP (quando possuir);

13.6.8. Original e xerox da Certidão de Nascimento de Filhos menores de 18 anos (homem) e 21 (mulher);

13.6.9. Original e xerox do Certificado de Reservista, se do sexo masculino;

13.6.10. Original e xerox do Comprovante de Residência em seu nome (última conta de luz, gás, água ou telefone), onde conste seu endereço completo, inclusive CEP;

13.6.11. Original e xerox do Comprovante de Escolaridade correspondente ao cargo;

13.6.12. Original e xerox do Diploma e/ou Comprovante de especialização, emitido por órgão oficial, correspondente a cada cargo, quando exigido no presente Edital;

13.6.13. Original e xerox do Comprovante de quitação de anuidade vigente correspondente ao cargo no Conselho Regional da classe a que pertence.

13.6.14. Apresentação de certidão negativa de Antecedentes Criminais.

13.7. Na desistência ou eliminação de algum candidato aprovado dentro do número de vagas, estas serão preenchidas pelos demais candidatos, observando-se a ordem de classificação.

14- DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

14.1. O candidato poderá obter informações e orientações sobre o Concurso Público, tais como Editais, Manual do Candidato, processo de inscrição, local de prova, gabaritos, resultados das provas, convocações e resultado final da Prova Objetiva na página do Concurso Público no endereço eletrônico www.incp.org.br.

14.2. Verificada, em qualquer época, a apresentação de declaração ou documentos falsos ou inexatos e/ou a não apresentação dos documentos exigidos, isso importará em insubsistência da inscrição, nulidade da habilitação e perda dos direitos decorrentes, sem prejuízo das sanções penais aplicáveis à falsidade de declaração.

14.3. Os candidatos poderão ser fotografados em cada sala de provas, caso haja necessidade futura de comparação de dados, se houver alguma tentativa de fraude no processo.

14.4. As disposições e instruções contidas no Manual do Candidato, site na Internet e nas capas das provas, também constituem normas que complementam o presente Edital. Sempre que necessário, poderão ser divulgadas outras normas complementares ou avisos oficiais.

14.5. O candidato classificado, quando convocado, deverá submeter-se a exame médico para avaliação de sua capacidade física e mental para exercício do cargo, exame este de caráter eliminatório e que constitui condição e pré-requisito para que se concretize sua nomeação.

14.5.1. O candidato aprovado no concurso poderá quando convocado a apresentar documentos para sua nomeação, optar por ser remanejado, hipótese em que será posicionado na ultima colocação dentre os classificados.

14.5.2. A candidata gestante em conformidade a Lei Complementar 096/2008 ao ser convocada tomará posse, porém o exercício remunerado somente se dará após o gozo da licença a maternidade.

14.6. Caso haja necessidade de alterações nas normas contidas neste Edital, os candidatos serão comunicados através da Imprensa Oficial Local e/ou através do Portal www.incp.org.br. Ficam, assim, obrigados a acompanhar todas as publicações oficiais relativas ao Concurso Público.

14.7. A inscrição no Concurso Público implicará a aceitação irrestrita das condições estabelecidas, conforme declaração na ficha de inscrição, não cabendo ao candidato qualquer recurso quanto às normas contidas neste Edital.

14.8. À Comissão Organizadora de Concurso Público compete:

14.8.1. Deliberar sobre os pedidos de inscrição e casos omissos não previstos neste Edital; apreciar os recursos apresentados, excetuando-se aqueles que digam respeito a questões relativas à matéria de prova; divulgar os resultados das provas; providenciar a publicação final dos resultados; prestar às autoridades competentes as informações necessárias sobre o andamento do certame, sempre que requisitadas.

14.9. O candidato será responsável pela atualização de seu endereço residencial junto ao setor competente da Prefeitura Municipal de Macaé enquanto este Concurso Público estiver dentro de seu prazo de validade. O não cumprimento a essa determinação poderá ocasionar sua ausência à convocação no prazo previsto. Nesse caso, o candidato será considerado desistente.

14.10. O candidato convocado que não se apresentar no local e prazos estabelecidos, deixar de fornecer a documentação exigida ou for INAPTO nos exames médicos pré-admissionais será eliminado do Concurso Público.

14.10.1. Somente quando convocados para posse, os candidatos apresentarão os documentos comprobatórios do atendimento aos requisitos especificados no quadro de vagas. Caso o candidato não possa comprovar o exigido, será desclassificado por não atender às condições legais exigidas para o cargo.

14.10.2. O Regime Jurídico será estatutário.

14.11. A comprovação da experiência profissional para o cargo que for exigido no requisito somente será aceita da seguinte forma:

14.11.1. Em Órgão Público:

A) Documento expedido por órgão do Poder Federal, Estadual ou Municipal, conforme o âmbito da prestação da atividade, em papel timbrado, com carimbo do órgão expedidor, datado e assinado pelo Departamento de Pessoal/Recursos Humanos.

14.11.2. Em Empresa Privada:

A) Cópia da carteira de trabalho (página de identificação com foto e dados pessoais e página de registro do(s) contrato(s) de trabalho). No caso de contrato de trabalho em vigor (carteira sem data de saída), o candidato deverá também anexar declaração do empregador, em papel timbrado, com carimbo, data e assinatura do responsável, com firma reconhecida,pela emissão da declaração, atestando o término ou continuidade do contrato.

B) Contrato de Trabalho / Prestação de Serviços, com assinatura do contratante, acrescido de declaração com firma reconhecida, que indique o período de trabalho (data de início: dia, mês e ano e de permanência ou término, se for o caso) e a espécie do serviço realizado.

14.12. Sob hipótese alguma será aceita comprovação de exercício profissional fora dos padrões acima especificados, bem como experiência profissional na qualidade de proprietário/sócio da empresa.

14.12.1. Considerar-se-á experiência profissional a atividade desenvolvida na função do cargo pleiteado.

14.13. A homologação do Concurso Público e as convocações são responsabilidade e competência da Prefeitura Municipal de Macaé e da Fundação Municipal Hospitalar de Macaé.

14.14. Os resultados divulgados no site www.incp.org.br não terão caráter oficial, sendo meramente informativos. Os prazos para interposição e recursos em qualquer fase deverão ser contados com estrita observância da hora e dia de sua publicação oficial.

14.15. A legislação com entrada em vigor após a data de publicação deste Edital, bem como alterações em dispositivos legais e normativos a ele posteriores não serão objeto de avaliação nas provas do Concurso Público.

14.16. Quaisquer alterações nas regras fixadas neste Edital só poderão ser feitas por meio de Edital de Retificação.

14.17. A Prefeitura Municipal de Macaé, Fundação Municipal Hospitalar de Macaé e o Instituto Nacional de Concurso Publico - INCP não se responsabilizam pelo fornecimento de quaisquer cursos, apostilas ou outras publicações referentes a este Concurso Público.

14.18. O candidato, após o término de sua prova, não poderá permanecer no estabelecimento onde a mesma foi realizada.

14.19. É expressamente proibido fumar durante a prova, bem como nas dependências do local de provas.

14.20. Toda menção a horário neste Edital terá como referência o horário de Brasília.

14.21. Os casos omissos serão resolvidos pelo INCP, juntamente com a Comissão Organizadora, no que tange à realização deste Concurso Público.

14.22. O prazo de impugnação deste Edital será de 15 (quinze) dias corridos a partir da sua data de publicação.

Macaé (RJ), 02 de Fevereiro de 2012.

REGISTRE-SE E PUBLIQUE-SE.

Carla Mussi Ramos
Presidente da Comissão Organizadora

ANEXO I - CRONOGRAMA BÁSICO PREVISTO CONCURSO - SAÚDE

EVENTOS

DATAS PREVISTAS

Publicação Edital e início da divulgação Portal www.incp.org.br

02/02/2012

Período de inscrições presenciais

07 a 17/02/2012 e de 27/02 a 02/03/2012

Período de solicitação de isenção da taxa de inscrição

07 a 09/02/2012

Divulgação das isenções deferidas e indeferidas

16/02/2012

Confirmação do cartão de inscrição (CCI) e divulgação dos locais das provas Portal www.incp.org.br

20 e 21/03/2012

Realização da Prova Objetiva da Fundação Municipal Hospitalar Municipal

31/03/2012

Realização da Prova Objetiva da Prefeitura Administração Direta

01/04/2012

Divulgação do gabarito Preliminar da Prova Objetiva Portal www.incp.org.br (a partir das 12 horas)

03/04/2012

Prazo dos Recursos contra os gabaritos preliminares Portal www.incp.org.br

04 e 05/04/2012

Divulgação da resposta aos recursos contra a Prova Objetiva Divulgação das notas da Prova Objetiva
Convocação para entrega de Títulos
Convocação para a Avaliação da Prova Prática de Motoristas
www.incp.org.br

20/04/2012

Prazo de Recursos de Cartão Resposta
Portal www.incp.org.br
Iniciando-se às 10 horas e encerrando-se às18 horas

23 e 24/04/2012

Divulgação dos Recursos de Cartão Resposta Portal www.incp.org.br

27/04/2012

Período de Entrega de Títulos pelos Correios

27/04 a 02/05/2012

Período de Entrega de Títulos Presencial (Local)

30/04 a 02/05/2012

Realização da Prova Prática de Motoristas

29/04/2012

Resultado da Avaliação de Títulos

25/05/2012

Período de Recursos de Títulos

28 e 29/05/2012

Resultado Final

05/06/2012

ANEXO II - SÍNTESE DAS ATRIBUIÇÕES:

AUXILIAR DE LABORATÓRIO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a desenvolver atividades auxiliares gerais de laboratório, limpando, conservando e guardando aparelhagem e utensílios, bem como ajudando na coleta dos materiais a serem analisados.

AUXILIAR DE RADIOLOGIA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a desenvolver trabalhos nas câmaras clara e escura de serviços de radiologia.

DISPENSADOR: Descrição sintética: Compreende os cargos que se destinam a auxiliar na dispensação de medicamentos, bem como no recebimento e armazenamento dos mesmos.

MASSOTERAPEUTA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a aplicar massagens corretivas ou estéticas, sob supervisão de fisioterapeuta, para atender às necessidades dos pacientes.

MAQUEIRO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a executar o transporte de pacientes em macas, desde a entrada no Complexo Hospitalar até salas de atendimentos, enfermarias, salas de cirurgias, além do deslocamento de pacientes internamente.

MOTORISTA DE AMBULÂNCIA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a dirigir ambulâncias para transportar pacientes e conservá-las em perfeitas condições de higiene e segurança.

MOTORISTA DE VEÍCULOS LEVES: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a dirigir veículos leves para transporte de passageiros e conservá-los em perfeitas condições de aparência e funcionamento.

MOTORISTA DE CAMINHÃO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a dirigir veículos automotores de transporte de carga e conservá-los em perfeitas condições de aparência e funcionamento.

CUIDADOR: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a propiciar o surgimento de condições próprias de uma família, orientando e assistindo idosos, crianças e adolescentes colocados sob seus cuidados, realizando e organizando as tarefas diárias.

PODÓLOGO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a tratar os problemas dos pés por uma ótica clínica, buscando a causa e o controle das imperfeições e encaminhando o cidadão a um médico especialista, quando necessário.

CITOTÉCNICO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a executar exames; analisar esfregaços; realizar leitura de lâminas; executar atividades de Saúde, Segurança e Meio Ambiente; auxiliar em atividades de apoio técnico e administrativo.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a desenvolver atividades técnicas de laboratório, realizando exames através da manipulação de aparelhos de laboratório e por outros meios, para possibilitar o diagnóstico, o tratamento ou a prevenção de doenças.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a orientar o pessoal auxiliar quanto às tarefas de enfermagem e atendimento ao público, executando as tarefas de maior complexidade bem como auxiliar médicos e enfermeiros em suas atividades específicas.

TÉCNICO EM ENFERMAGEM DO TRABALHO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a desempenhar atividades técnicas de enfermagem na área de saúde ocupacional, em conformidade com as normas e procedimentos de biosegurança.

TÉCNICO EM RADIOLOGIA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a executar exames radiológicos, sob supervisão de Médico especialista, através da operação de equipamentos de raios X.

ASSISTENTE SOCIAL: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a planejar, coordenar, elaborar, executar, supervisionar e avaliar estudos, pesquisas, planos, programas e projetos que atendam as necessidades e interesse da população Municipal.

BIÓLOGO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a estudar seres vivos, desenvolver pesquisas nas diversas áreas da biologia, inventariar biodiversidade, bem como organizar coleções biológicas, manejando recursos naturais e desenvolvendo atividades de educação ambiental.

BIÓLOGO SANITARISTA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a estudar seres vivos e desenvolver pesquisas nas diversas áreas da biologia, bem como elaborar e executar projetos ligados à área de vigilância sanitária.

CIRURGIÃO-DENTISTA - ODONTOLOGIA DO TRABALHO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a executar e coordenar os trabalhos relativos a diagnóstico, prognóstico e tratamento de afecções de tecidos moles e duros da boca e região maxilofacial, utilizando processos laboratoriais, radiográficos, citológicos e instrumentos adequados, para manter ou recuperar a saúde bucal.

ENFERMEIRO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a planejar, organizar, supervisionar e executar os serviços de enfermagem em unidades de saúde e assistenciais, bem como participar da elaboração e execução de programas de saúde pública.

ENFERMEIRO DO TRABALHO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a executar atividades relacionadas com o serviço de higiene, medicina e segurança do trabalho, integrando equipes de estudos, para propiciar a preservação da saúde e valorização do trabalhador.

FARMACÊUTICO: Descrição sintética -Compreende os cargos que se destinam a garantir a qualidade da assistência prestada ao paciente, através do uso seguro de medicamentos e correlatos, adequando sua utilização à saúde individual e coletiva nos planos assistencial, preventivo, docente e de investigação.

FARMACÊUTICO HOMEOPATA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a garantir a qualidade da assistência prestada ao paciente, através do uso seguro de medicamentos e correlatos, adequando sua utilização à saúde individual e coletiva nos planos assistencial, preventivo, docente e de investigação.

FISIOTERAPEUTA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a aplicar métodos e técnicas fisioterápicos em pacientes para obter o máximo da recuperação funcional dos órgãos e de tecidos lesados.

FONOAUDIÓLOGO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a prestar assistência fonoaudiológica à população nas diversas unidades municipais de saúde, para restauração da capacidade de comunicação dos pacientes.

MÉDICO DIARISTA ACUPUNTURISTA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro de cada especialidade, em postos de saúde e demais unidades assistenciais da Prefeitura, bem como elaborar, executar e avaliar planos, programas e subprogramas de saúde pública.

MÉDICO AUDITOR: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a realizar o controle, avaliação e auditoria e executar a revisão técnica das faturas dos prestadores de serviços médicos públicos, privados e/ou conveniados ao SUS.

MÉDICO (Todas as Especialidades) Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro de cada especialidade, em postos de saúde e demais unidades assistenciais da Prefeitura, bem como elaborar, executar e avaliar planos, programas e subprogramas de saúde pública.

MÉDICO (SOCORRISTAS) : Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica de urgência, dentro de sua especialidade, em unidades de atendimento emergencial .

MÉDICO VETERINÁRIO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a planejar e executar programas de defesa sanitária, proteção, aprimoramento e desenvolvimento de atividades de criação de animais, realizando estudos, pesquisas, dando consultas, exercendo fiscalização e empregando outros métodos, para assegurar a sanidade dos animais, a produção racional e econômica de alimentos e a saúde da comunidade.

NUTRICIONISTA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a pesquisar, elaborar, coordenar e controlar os programas e serviços de nutrição nas diversas unidades da Prefeitura, bem como para a população do Município.

PEDAGOGO EM SAÚDE: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a coordenar a elaboração e a execução da proposta pedagógica de cada unidade de saúde.

PSICÓLOGO: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a aplicar conhecimentos no campo da psicologia para o planejamento e execução de atividades nas áreas clínica, educacional e do trabalho.

TERAPEUTA OCUPACIONAL: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a aplicar conhecimentos no campo da terapia ocupacional visando a prevenção, tratamento, desenvolvimento e reabilitação de pacientes portadores de deficiências físicas e/ou psíquicas, promovendo atividades com fins específicos, para ajudá-los na sua recuperação e integração social.

AUXILIAR DE ALMOXARIFADO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a auxiliar no controle de estoque de materiais, medicamentos e outros insumos, bem como a dispensação destes para as diversas unidades do Hospital.

AUXILIAR DE ENFERMAGEM DIARISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a executar, sob supervisão, tarefas auxiliares de enfermagem, atendendo às necessidades dos usuários, em regime hospitalar diarista.

AUXILIAR DE ENFERMAGEM PLANTONISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a executar, sob supervisão, tarefas auxiliares de enfermagem, atendendo às necessidades dos usuários, em regime hospitalar de plantão.

AUXILIAR DE LABORATÓRIO DIARISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a desenvolver atividades auxiliares gerais de laboratório bem como, preparar material, limpar instrumentais, aparelhos e efetuar coleta de amostras, em regime hospitalar diarista.

AUXILIAR DE LABORATÓRIO PLANTONISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a desenvolver atividades auxiliares gerais de laboratório bem como, preparar material, limpar instrumentais, aparelhos e efetuar coleta de amostras, em regime hospitalar plantonista.

AUXILIAR DE RADIOLOGIA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a desenvolver trabalhos de pouca complexidade nas câmaras clara e escura de serviços de radiologia.

MAQUEIRO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a movimentar usuários em macas, cadeiras de rodas e outros dispositivos de acordo com a necessidade da equipe técnica.

MOTORISTA DE AMBULÂNCIA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a dirigir ambulâncias para transportar usuários e conservá-las em perfeitas condições de higiene e segurança.

MOTORISTA DE VEÍCULOS LEVES: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a dirigir veículos leves para transporte de passageiros e conservá-los em perfeitas condições de aparência e funcionamento.

RECEPCIONISTA DE UNIDADE DE SAÚDE : OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a atender e encaminhar usuários nas unidades da Fundação bem como executar, sob supervisão direta, pequenas tarefas auxiliares de apoio à assistência ao usuário, em regime hospitalar diarista.

ALMOXARIFE: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a organizar e executar atividades de almoxarifado, recebendo, estocando, distribuindo, registrando e inventariando materiais, observando normas e instruções, orientando usuários, a fim de manter o estoque em condições de atender às demandas da FMHM.

ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a executar e coordenar tarefas de apoio técnico-administrativo e financeiro aos trabalhos e projetos de diversas áreas, desenvolvendo atividades mais complexas que requeiram certo grau de autonomia e envolvam coordenação e supervisão.

TÉCNICO DE APARELHO GESSADO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam ao atendimento do usuário, confeccionando ou retirando aparelhos gessados, bem como executar imobilizações e trações.

TÉCNICO DE CONTABILIDADE: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a realizar atividades inerentes à contabilidade na FMHM.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a executar as tarefas de enfermagem de maior complexidade e auxiliar Médicos e Enfermeiros em suas atividades específicas na FMHM.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO DIARISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a exercer atividades de planejamento, controle de qualidade e execução de exames laboratoriais, em regime hospitalar diarista.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO PLANTONISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a exercer atividades de planejamento, controle de qualidade e execução de exames laboratoriais, em regime hospitalar plantonista.

TÉCNICO DE INFORMÁTICA: Descrição sintética: compreende os cargos que se destinam a executar serviços de programação de computadores e processamento de dados, bem como fornecer suporte técnico e orientar os usuários para utilização dos softwares e hardwares.

TÉCNICO DE RADIOLOGIA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a executar exames radiológicos, sob supervisão de Médico especialista, através da operação de equipamentos radiológicos.

CIRURGIÃO DENTISTA BUCO-MAXILOFACIAL: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a executar e coordenar os trabalhos relativos a diagnóstico, prognóstico e tratamento de afecções de tecidos moles e duros da boca e região maxilofacial, utilizando processos laboratoriais, radiográficos, citológicos e instrumentos adequados, para manter ou recuperar a saúde bucal.

ENFERMEIRO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a planejar, organizar, supervisionar e executar os serviços de enfermagem nas unidades da FMHM.

ENFERMEIRO DIARISTA INTENSIVISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a planejar, organizar, supervisionar e executar os serviços de Enfermagem em Terapia Intensiva nas unidades da FMHM, em regime hospitalar diarista.

ENFERMEIRO DIARISTA TERAPIA INTENSIVA NEONATAL: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a planejar, organizar, supervisionar e executar os serviços de Enfermagem em Terapia Intensiva Neonatal nas unidades da FMHM, em regime hospitalar diarista.

ENFERMEIRO DIARISTA - CENTRO CIRÚRGICO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a planejar, organizar, supervisionar e executar os serviços de Enfermagem em Centro Cirúrgico nas unidades da FMHM, em regime hospitalar diarista.

FISIOTERAPEUTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a aplicar métodos e técnicas fisioterápicas em usuários para obter o máximo da recuperação funcional dos órgãos e de tecidos lesados.

FISIOTERAPEUTA - DIARISTA TERAPIA INTENSIVA ADULTO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a aplicar métodos e técnicas fisioterápicas para obter o máximo da recuperação funcional dos órgãos e de tecidos lesados em Unidade de Terapia Intensiva para usuários adultos, em regime hospitalar diarista.

FISIOTERAPEUTA - DIARISTA TERAPIA INTENSIVA NEONATAL / PEDIÁTRICO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a aplicar métodos e técnicas fisioterápicas para obter o máximo da recuperação funcional dos órgãos e de tecidos lesados em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e/ou Pediátrico, em regime hospitalar diarista.

FONOAUDIÓLOGO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência fonoaudiológica aos usuários da FMHM, para restauração da capacidade de comunicação.

MÉDICO DIARISTA (TODAS AS ESPECIALIDADES) OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a realizar anestesia para cirurgias e exames especializados, administrando substâncias anestésicas, para minorar o sofrimento de pacientes com processos intensos e possibilitar a realização dos referidos exames e intervenções cirúrgicas, em regime hospitalar diarista.

MÉDICO CIRURGIÃO PEDIÁTRICO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da especialidade de Cirurgia Pediátrica.

MÉDICO PLANTONISTA PEDIATRA SOCORRISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Pediatria, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA PEDIATRA INTENSIVISTA NEONATAL: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Terapia Intensiva Neonatal, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA PEDIATRA INTENSIVISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Terapia Intensiva em Pediatria, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA CIRURGIÃO PLÁSTICO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Cirurgia Plástica, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA NEUROCIRURGIÃO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Neurocirurgia, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA INTENSIVISTA ADULTO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Terapia Intensiva em usuários adultos, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA PEDIATRA NEONATAL: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Pediatria Neonatal, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA TRAUMATO-ORTOPEDISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Traumato-Ortopedia, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA OTORRINOLARINGOLOGISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Otorrinolaringologia, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA OFTALMOLOGISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Oftalmologia, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA IMAGENOLOGISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Imagenologia, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA GINECO-OBSTETRA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Gineco-Obstetrícia, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA ENDOSCOPISTA DIGESTIVO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a realizar tratamento das afecções ou traumatismos das vias aéreas ou digestivas, utilizando aparelhos especiais, para praticar exames cavitários locais, corrigir estreitamentos ou extrair corpos estranhos ou aspirados, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA CIRURGIÃO VASCULAR: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Cirurgia Vascular, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA UROLOGISTA: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Urologia, em regime hospitalar de plantão.

MÉDICO PLANTONISTA PEDIATRA INTENSIVISTA NEONATAL: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a prestar assistência médica, dentro da área de Terapia Intensiva Neonatal, em regime hospitalar de plantão.

NUTRICIONISTA: OBJETIVOS: Pesquisar, elaborar, dirigir e controlar os programas e serviços de nutrição nas diversas unidades da FMHM.

TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO: OBJETIVOS: Compreende os cargos que se destinam a organizar e coordenar atividades próprias do sistema de segurança do trabalho para garantir a integridade dos usuários, servidores e de bens da FMHM;

ANEXO III - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E BIBLIOGRAFIA

ESCOLARIDADE - NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO (9° ANO) (PMM E FMHM)

CONTEÚDOS COMUNS A TODOS OS CARGOS DO NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

PROGRAMA DE LÍNGUA PORTUGUESA: Leitura e interpretação de textos; Ortoépia, prosódia; Ortografia; Pontuação; Divisão silábica; Acentuação tônica e gráfica; Semântica: denotação e conotação; sinônimos, antônimos, parônimos e homônimos; ambigüidade; Classes de palavras: identificação e flexões; ênfase em Substantivos e Adjetivos; Verbos regulares, irregulares e auxiliares; Conjugação de verbos pronominais; Sintaxe: termos das orações; orações coordenadas e subordinadas; Concordância Verbal e Nominal; Regência Verbal e Nominal; Crase; Colocação pronominal (próclise, ênclise e mesóclise).

BIBLIOGRAFIA:

FARACO & MOURA, Gramática, Ed. Ática.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda, Novo Dicionário da Língua Portuguesa, Ed. Nova Fronteira.

GIACOMOZZI, Giglio et allii, Estudos de Gramática, Ed. FTD.

TERRA, Ernani, Gramática, Ed. Scipione.

TUFANO, Douglas, Gramática, Ed. Moderna, SP.

SACCONI, Luís Antonio, Nossa Gramática, Atual Editora, SP.

PROGRAMA DE MATEMÁTICA: Conjuntos: Determinação de conjuntos. Relações de pertinência e inclusão. Igualdade de conjuntos. Partição de conjuntos. Operações com conjuntos (união, intersecção, diferença e complementar). Sistemas de Numeração. Números Naturais: Conceito. Operações com números naturais (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e raiz quadrada). Problemas de contagem. Expressões numéricas com números naturais. Múltiplos e Divisores (Seqüências, divisor ou fator, fatoração, critérios de divisibilidade, fatoração completa.). Números primos. Decomposição em fatores primos. MDC E MMC. Problemas envolvendo números naturais. Números Inteiros: Conceito. Ordenação. Comparação. Módulo. Operações com números inteiros (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e raiz quadrada). Expressões numéricas com números inteiros. Problemas envolvendo números inteiros. Números Racionais: Conceito. Frações e números decimais. Dízimas periódicas simples e compostas. Equivalência. Ordenação. Comparação. Operações (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e raiz quadrada). Expressões numéricas com números racionais. Problemas envolvendo números racionais. Números Irracionais. Números Reais: Conceito. Representações na reta. Operações (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e raiz quadrada). Expressões numéricas com números reais. Problemas envolvendo números reais. Potências de 10 e Notação Científica. Razões e Proporções. Porcentagem. Juros. Noções de estatísticas e probabilidade. Gráficos e tabelas para tratamento da informação. Possibilidades e chances. Lógica: Quantificadores. Sentenças e Proposições. Equivalência de proposições. Proposições condicionais e bicondicionais. O uso dos conectivos, a negação, a conjunção e a disjunção. Grandezas e Medidas: Comprimento, área, volume, capacidade, massa e tempo. Equações de 1° e 2° graus: Resoluções de equações. Resoluções de problemas envolvendo equações. Sistemas de equações e inequações. Funções: A noção de função. A função como relação entre dois conjuntos. Domínio e imagem de uma função. Função de 1° e 2° graus: Conceito. Gráficos. Zeros ou raízes. Análise dos gráficos. Domínio e Imagem.

Cálculo Algébrico: Fatoração. Expressões algébricas. Valor numérico. Produtos Notáveis. Simplificação de frações algébricas. MMC e MDC. Polinômios e suas operações. Geometria Plana: Noções Fundamentais. Ângulos. Polígonos. Perímetro. Áreas das principais figuras planas. Congruência. Semelhança. Relações Métricas e Razões Trigonométricas de um Triângulo Retângulo. Círculo e Circunferência (comprimento da circunferência e de arcos. Área de círculo).

BIBLIOGRAFIA:

BIANCHINI, Edwaldo. Matemática: 5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries. 5ª ed. São Paulo: Moderna.

BIGODE, A. J. L. Matemática. Hoje é feito Assim. 5ª a 8ª séries. São Paulo: Editora FTD.

BONJIOVANNI et al. Matemática e Vida: 5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries. 2° ed, São Paulo: Ática.

DANTE, Luiz Roberto. Tudo é Matemática: 5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries. ia ed, São Paulo: Ática.

GIOVANNI, José Rui e outros. A Conquista da Matemática.5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries. Ed. renovada, São Paulo: FTD.

IEZZI, Gelson et al. Matemática e realidade. : 5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries. 4aed. São Paulo: Atual.

IMENES, L. M. e LELLIS, M. Matemática para todos. 5ª a 8ª séries. Editora Scipione: São Paulo.

JAKUBOVIC, Jose e LELLIS, Marcelo. Matemática na medida certa: 5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries. 2ª ed. Rio de Janeiro: Scipione.

MACHADO, N. J. Lógica? É lógico. São Paulo: Scipione.

STIENECKER, David L. Problemas, Jogos e enigmas (coleção). São Paulo: Moderna.

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS DO NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO

AUXILIAR DE LABORATÓRIO: Lavagem de material; Noções sobre vidrarias utilizadas em laboratório; Preparo de material, instrumental e equipamentos; Funcionamento de aparelhos de laboratório; Métodos de esterilização de materiais limpos e contaminados; Noções de Biossegurança, cuidados com meio ambiente e saúde no trabalho, cuidados com descarte de material. Organização e comportamento laboratorial.

BIBLIOGRAFIA:

AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Fundamentos da Biologia Moderna. São Paulo: Moderna, 2006.

Biossegurança em laboratórios biomédicos e de microbiologia. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Disponível em:

www.anvisa.aov.br/divulga/eventos/biosseauranca/publicacoes/livro biossequran%E7a.pdf Tecnicas Básicas de Laboratório Clínico - 58ED Barbara H.Estridge,Anna P. Reynolds MOURA, Roberto de Almeida. Técnicas de Laboratório. Rio de Janeiro: Atheneu, 2002.

Moura Roberto de Almeida Colheita de material para Exames Laboratoriais - São Paulo - Editora Atheneu.

AUXILIAR DE RADIOLOGIA: Fundamentos de radiologia. Diretrizes de proteção radiológica e radiodiagnóstico médico e odontológico. Atuação na área de exames: preparo de pacientes, preparo de produtos químicos, revelação de filmes. Controle e estatística de filmes e demais materiais utilizados. Limpeza e preservação das câmaras processadoras, chassis e aparelhos radiológicos em geral.

BIBLIOGRAFIA:

Radiografia Convencional- apostila (prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC) Radiografia Especializada- apostila (prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC) Radio proteção e dosimetria- apostila (prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC)

Filme radiográfico e processamento- apostila (prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC) BIASOLI Jr., Antônio. Técnicas radiográficas. Rio de Janeiro: Rubió, 2006.

DIMENSTEIN, Renato; HORNOS, Ivare M. Mascarenhas. Manual de proteção radiológica aplicada ao radiodiagnóstico. 2. ed. São Paulo: SENAC, 2004.

VAL, Francisco Lanari do. Manual de técnica radiográfica. São Paulo: Manole, 2006. Pasqualete HÁ; Koch HÁ;

MASSOTERAPEUTA: Condições essenciais do massagista. Condições ambientais para massagem. Lei que regulamenta a profissão do massagista. Conceituação de massagem. Classificação da massagem. Elementos fundamentais de higiene (assepsia, anti-sepsia). Manobras básicas (tipo, intensidade). Técnicas e Efeitos fisiológicos e colaterais. Indicações e contra indicações. Corpo humano (divisão, camadas, localização dos órgãos). Sistema ósseo. Sistema muscular (tipo, localização, função). Aparelho circulatório (sanguíneo e linfático). Sistema nervoso (central e periférico). Patologias dos sistemas ósseo, muscular e circulatório.

BIBLIOGRAFIA:

-BRASIL. Ministério da Fazenda. Lei n° 3.968, de 5 de outubro de 1961. Diário Oficial. Brasília, 6 de outubro de 1961. Regulamenta a profissão de massagista.

-GADNER, Osbum. Anatomia do Corpo Humano. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 1980.

-GADNER, GRAY e O'RAHILLY. Anatomia. 4. ed. São Paulo: Guanabra, 1988.

-GUYTON, Arthur C. Fisiologia Humanª. ed. Guanabara Koogan; 6ª Ed; 1988.

ADAMS, J. C; HAMBLEN, D. L. Manual de Ortopedia. Editora Artes Médicas, 1994.

- KISNER, C; Colby, L. A. Exercícios Terapêuticos Fundamentos e Técnicas. Ed. Manole LTDA. 3ª edição..

-DUFOUR, MICHEL. Massagens e Massoterapia, Ed. Andrei, 2001.

AUXILIAR DE ENFERMAGEM DIARISTA E PLANTONISTA: Política de Saúde: Sistema Único de Saúde; princípios e diretrizes do SUS; vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental e saúde do trabalhador; Ética e exercício profissional: lei do exercício profissional; código de ética dos profissionais de enfermagem; Fundamentos de Enfermagem: admissão, transferência e alta do paciente; Unidade do paciente, higiene, conforto e segurança; Biossegurança; Administração de medicamentos; alimentação; eliminações; Preparo dos pacientes para exames; Sinais Vitais; Curativos; Desinfecção e esterilização de materiais; Prevenção e controle de infecção hospitalar; Primeiros Socorros; Cuidados com o paciente terminal; Política Nacional de Saúde Mental: rede de atenção de base comunitária; reestruturação da assistência psiquiátrica hospitalar; política de álcool e outras drogas; política de saúde mental para a infância e adolescência; Atenção à Saúde da Criança: Cuidados de enfermagem no crescimento e desenvolvimento da criança, orientações básicas sobre alimentação, doenças prevalentes na infância, imunização; redução da mortalidade infantil; Saúde do adolescente e do jovem: Política de atenção à saúde do adolescente; Atenção à Saúde da Mulher: planejamento familiar, pré-natal, parto e puerpério; Doenças sexualmente transmissíveis; prevenção do câncer de colo de útero e mama; Atenção à Saúde do Adulto: Assistência de enfermagem a pacientes com distúrbios cardiovasculares, respiratórios, gastrintestinais, endócrinos e metabólicos, renais, neurológicos e hematológicos; Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico no pré, trans e pós-operatório; Atenção à saúde do Idoso.

BIBLIOGRAFIA:

BRASIL. Lei N° 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências.

Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/LEI8080.pdf

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução 311/2007 - Código de ética dos profissionais de enfermagem. Disponível em: < www.portalcofen.gov.br/ >

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Lei 7498 de 25 de junho de 1986 - Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Disponível em: www.portalcofen.gov.br/

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Agenda de compromissos para a saúde integral da criança e redução da mortalidade infantil / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. - Brasília: Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05_0080 M.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. Marco legal: saúde, um direito de adolescentes / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. - Brasília : Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/marco_legal.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. - Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2007. Disponível em: < http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/s mulher.htm

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Área Técnica de Saúde da Mulher. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada - manual técnico/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas - Brasília: Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05_0151_M.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde/DAPE. Saúde Mental no SUS: acesso ao tratamento e mudança do modelo de atenção. Relatório de Gestão 2003-2006. Ministério da Saúde: Brasília, 2007. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/relatorio_estao_saude_mental_2003-2006.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Procedimentos para Vacinação. Brasília: Ministério da Saúde : Fundação Nacional de Saúde ; 2001 Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=1133

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Prevenção clínica de doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e renais / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - Brasília : Ministério da Saúde, 2006. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abcadl4.pdf>

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diabetes Mellitus / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - Brasília: Ministério da Saúde, 2006. Disponível em < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abcadl6.pdf>

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Hipertensão arterial sistêmica para o Sistema Único de Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - Brasília : Ministério da Saúde, 2006. 58 p. - (Cadernos de Atenção Básica; 16) (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica - Brasília : Ministério da Saúde, 2006. Disponível em < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abcadl9.pdf >

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. HIV/Aids, hepatites e outras DST / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - Brasília : Ministério da Saúde, 2006. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abcadl8.pdf>

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Condutas: Exposição ocupacional a material biológico: Hepatite e HIV/ Coordenação Nacional de DST e AIDS. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 1999. Disponível em: < http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/livros.htm#I >.

BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama / Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília : Ministério da Saúde, 2006.

BRUNNER, I.S. SUDDARTH,D.S. Tratado de Enfermagem Médico - Cirúrgica. 10B ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2005.

SORRENTINO, S. A. Fundamentos para o auxiliar de enfermagem. Porto Alegre: Artmed editora, 2001.

UTYAMA, I.K.A et al. Matemática Aplicada à Enfermagem: Cálculo de Dosagens. São Paulo: Editora Atheneu, 2006.

MOTORISTA DE AMBULÂNCIA, MOTORISTA DE CAMINHÃO,MOTORISTA DE VEÍCULOS LEVES: Código de Transito Brasileiro e suas alterações; Resoluções do CONTRAN 160 e 168.

BIBLIOGRAFIA:

www.denatran.gov.br
www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/RESOLUCAO_CONTRAN 168.pdf
www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/RESOLUCAO_CONTRAN 160.pdf

ESCOLARIDADE - NÍVEL MÉDIO COMPLETO

CONTEÚDO GERAIS PARA TODOS OS CARGOS DO NÍVEL MÉDIO (PMM E FMHM)

PROGRAMA DE LÍNGUA PORTUGUESA: Leitura e interpretação de texto. Níveis de linguagem: informal coloquial e formal culta. Ortografia: emprego de letras; uso de maiúsculas e minúsculas; acentuação tônica e gráfica; pontuação. Fonologia/ fonética: letra/fonema; encontros vocálicos, consonantais e dígrafos. Morfologia: Processo de formação de palavras: prefixos, sufixos e radicais; classes de palavras - identificação e flexões: substantivos, adjetivos, artigo, numeral, pronomes (pessoais, de tratamento, possessivos, demonstrativos, indefinidos, interrogativos, relativos), preposição, conjunção, interjeição, verbos (conjugação dos regulares, irregulares e auxiliares nas formas simples e compostas; conjugação pronominal, vozes verbais), advérbios. Sintaxe: termos das orações, classificação das coordenadas e subordinadas. Concordância nominal e verbal. Regência nominal e verbal; crase. Semântica: denotação, conotação; sinônimos, antônimos, homônimos e parônimos; polissemia e ambigüidade. Figuras de linguagem.

BIBLIOGRAFIA:

BECHARA, Evanildo, Gramática Escolar da Língua Portuguesa, Ed. Lucerna.

CEREJA, William Roberto e MAGALHÃES, Tereza Cochar, Gramática Reflexiva, Atual Ed.

FARACO &MOURA, Gramática, Ed. Ática.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda, Novo Dicionário da Língua Portuguesa, RJ, Ed. Nova Fronteira.

GIACOMOZZI, Giglio, et allii, Estudos de Gramática, Ed. FTD.

PASQUALE &ULISSES, Gramática da língua Portuguesa, Ed. Scipione.

TERRA, Ernani, Gramática, Ed, Scipione.

LEGISLAÇÃO PARA TODOS OS CARGOS

LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO (LOM) ATUALIZADA.

SAÚDE PÚBLICA PARA OS CARGOS: Podólogo, Citotécnico, Técnico de Laboratório, Técnico de Enfermagem, Técnico de Radiologia, Técnico de Aparelho Gessado, Técnico de Segurança do Trabalho e Cuidador.

LEI N° 8.080, DE 19 DE SETEMBRO DE 1990. LEI N° 8.142, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1990.

MATEMÁTICA PARA OS CARGOS: Assistente de Administração e Logística, Almoxarife, Técnico de Contabilidade, Técnico de Informática.

PROGRAMA DE MATEMÁTICA: Cálculo Numérico e Algébrico, Conjuntos, Conjuntos Numéricos, Porcentagem, Relações e Funções, Função do 1° grau, Função do 2° grau, Função Modular, Função Exponencial, Logaritmos, Função Logarítmica, Progressões, Geometria Plana, Geometria de Posição Espacial, Geometria Métrica Espacial, Geometria Analítica, Trigonometria, Matrizes, Determinantes, Sistemas Lineares, Binômio de Newton, Análise Combinatória, Probabilidade, Números Complexos, Polinômios, Equações Polinomiais ou Algébricas, Noções de Estatísticas.

BIBLIOGRAFIA:

BEZERRA, Manoel Jairo e outro. Matemática para o Ensino Médio. Editora Scipione, Volume Único.

DANTE, Luiz Roberto. Matemática Contexto & Aplicações. Editora Ática, 2003, Volume Único. FACCHINI, Walter. Matemática. São Paulo: Editora Saraiva, 2001, Volume único.

GENTIL, Nelson e Outros. Matemática para o Ensino Médio, São Paulo: Editora Ática. Volume Único. IEZZI, Gelson e Outros. Matemática. São Paulo: Editora Atual. Volume Único.

IEZZI, Gelson e Outros. Coleção Fundamentos de Matemática Elementar. Editora Atual.

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS DO NÍVEL MÉDIO

CUIDADOR: Lei Orgânica da Assistência Social - Lei no 8.742/93; - Estatuto da Criança e do Adolescente - Lei no 8.069/90; Lei no 8.842/94 - Política Nacional do Idoso.

BIBLIOGRAFIA:

www.olanalto.qov.br/ccivil 03/Leis/L8742.htm
www.planalto.qov.br/ccivil 03/Leis/L8069.htm
www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8842. htm

PODÓLOGO: Primeiros-socorros, Biossegurança, Biomecânica, Eletroterapia, Microbiologia, Elementos de Farmacologia, Cosmetologia, Reflexologia Podai, Técnica Profissional, Gestão e Ética, Anatomia, Patologia dos Pés, Técnica e Procedimentos: Calos, Calosidade, Verruga Plantar, Micoses, Unha Encravada (Órteses) e Rachaduras.

BIBLIOGRAFIA:

BEGA, A. Tratado de Podologia. São Caetano do Sul, SP: Yendis Editora, 2006.

BELLUSCI, S. M. Epidemiologia (Série Apontamentos). 58 ed. São Paulo: Editora Senac, São Paulo, 1995.

CORAZZA, S. Aromacologia: uma ciência de muitos cheiros. 28 ed. São Paulo: EDS , 2004.

FITZPATRICK, T. B.; JOHNSON , R. A.; WOL FF, K.; POLANO , M. K.; SUUR MOND , D. Dermatologia Atlas e Texto. 38 ed., Chile: Editora Mc Graw-Hill, 1998.

HAMILL, J. e KNUTZEN M. K. Bases Biomêcanicas do Movimento Humano. 1ª. ed. São Paulo: Editora Manole, 1999.

INGE, D. ; ELLIS, S. Um Guia passo a passo para a aplicação da reflexologia, 128 ed. São Paulo: Editora Cultrix, 2006.

MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS. Disponível em: www.anvisa.gov.br/reblas/manual_primeiros_socorros.pdf

NETTER, H. F. Atlas de Anatomia Humana versão Combo. 38 ed. Porto Alegre: Editora Artmed, 2004.

SCLIAR, M. Do mágico ao social: trajetória da saúde pública. São Paulo: EDS, 2002.

TIRA, S. Atlas de Anatomia Palpatória do Membro Inferior. São Paulo: Editora Manole, 2000.

VIANA, M. A. F. Manual de Procedimentos Podológicos. Contagem, MG: Líthera Maciel Editora, 2002.

CITOTÉCNICO: A citotecnologia: conceito,importância e relação com a anatomia patológica. A citopatologia como ferramenta preventiva. A citopatologia dos programas de política de saúde. Condições pré-analíticas: requisição, orientação ao paciente, métodos de obtenção do material para estudo citopatológico, procedimentos de colheita em materiais ginecológicos, transporte das amostras, cadastro e sistemas informatizados de gestão laboratorial. Adequação das diferentes amostras citopatólogicas. Métodos de preparos das amostras citopatológicas: fixação, concentração, preparo dos esfregaços e corantes, coloração e montagem. Microscopia óptica e captura de imagens. Formatação de laudos. Citologia em meio líquido. Arquivamento. Técnicas de rastreabilidade. Gestão da qualidade controle interno e externo. Biossegurança e meio ambiente. Acreditação laboratorial. Citologia (citoplasma, núcleo e organelas). Ciclo celular. Aspectos citológicos normais em trato genital feminino. Processos patológicos gerais. Nomenclatura citológica.

BIBLIOGRAFIA:

Citopatologia - Grace T. McKee- Artes Médicas

Citologia Ginecológica e suas bases anatomoclínicas- Claudio Gompel- Leopold G. Koss - Editora Manole Ltda.

Noções Básicas de Citologia Ginecológica- José Eleutério Júnior- Livraria Santos Editora Ltda; 2003

Nomenclatura Brasileira para Laudos Citopatológicos Cervicais e Conduta Clínica Preconizadas - INCA - Ministério da Saúde - 2006

JUNQUEIRA, Luiz Carlos Uchôa e JUNQUEIRA, Luiza Maria M. Saltes Junqueira. Técnicas básicas de citologia e histologia. 1.ed. São Paulo: Livraria e Editora Santos Ltda, 1983.

MICHALANY, Jorge. Técnica histológica em anatomia patológica. Com instruções para o cirurgião, enfermeira e citotécnico. 3.ed. São Paulo: Michalany Ltda, 1998.

MELO, Rossana C.N. Células & Microscopia. Princípios básicos e práticas. 1. ed. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2002.

TOLOSA, Erasmo Magalhães Castro; RODRIGUES, Consuelo Junqueira; BEHMER, Oswaldo Arruda, FREITAS-NETO, Antonio Geraldo. Manual de técnicas para histologia normal e patológica. 2.ed. São Paulo: Manole, 2003.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO: Biossegurança para o laboratório: Técnicas laboratoriais seguras; Transporte seguro de amostras e materiais infecciosos; Desinfecção e esterilização da área de trabalho e materiais utilizados; EPI (Equipamento de Proteção Individual) e EPC (Equipamento de Proteção Coletiva). Manuais de Procedimentos operacionais padrão (POP). Preparação de meios de cultura, semeadura, isolamento e repicagem bacteriana. Confecção e coloração de esfregaço bacteriológico. Hemoculturas: Coleta e procedimento. Utilização do microscópio óptico, centrífuga, espectrofotômetro, estufas e banho - Maria. Técnicas de coleta para exames: fezes, urina, sangue, escarro e secreções. Tipos de anticoagulantes utilizados na rotina do laboratório. Coleta de curva glicêmica. Exame de urina - Exame qualitativo - caracteres e propriedades físicas. Exame químico - Elemento normais e anormais. Sedimentoscopia urinária; Tiras reativas. Conservação e transporte das amostras. Densidade urinária: urodensímetro e refratômetro. Exame de fezes: Transporte - MIF - composição, utilização e preparo. Caracteres morfológicos dos protozoários e helmintos encontrados na análise do sedimento. Técnicas: Exame direto, Faust, Hoffman, Willis, Baerman, Ritchie, Tamisação, Graham. Hematologia: Confecção e coloração do esfregaço sangüíneo. Seqüência maturacional das séries brancas e vermelhas. Hemograma completo e seus parâmetros atuais. Eritrograma e seus componentes. Leucograma e seus componentes; índices hematimétricos e seus cálculos.Plaquetograma. Coagulação: Coagulograma Completo - Técnica de coleta, anticoagulantes utilizado.Tempo de protrombina e tempo de Tromboplastina. Bioquímica: Exames de rotina - glicose, uréia, creatinina, lipidograma, bilirrubinas, cálcio, fósforo, magnésio, sódio e potássio. Enzimas: CPK (Creatinofosfoquinase), fração MB, LDH (desidrogenase Lática), transaminases, amilase e lípase. Histopatologia: Imunohistoquímica, fixação e descalcificação, proccessamento de amostras, microtomia, técnicas para coloração e montagem de cortes.

BIBLIOGRAFIA:

BEVILACQUA, BENSOUSSAN, JANSEN & SPINOLA. Manual do Exame Clínico. Editora Cultura Médica, 12B edição. CRIST, N.R., Manual de Biossegurança para o Laboratório. 2 ed. Livraria Santos: São Paulo, 1995.

GORINA, A.B. A Clínica e o Laboratório. Editora Medsi, 16B edição, 1996.

SUSAN KING. Strasinger, D. A., M. t. Uroanalise e Fluidos biológicos. 3. ed.editora Panamericana, 1995.

FAILACE. R. Hemograma Manual de Interpretação. 4 ed. rev. Porto alegre - Artes Medicas, 2003.

LIMA, A.O., SOARES, J.B., GRECO, J.B., GALIZZI, J., CANÇADO, J.R. Métodos de Laboratório Aplicados à Clínica. Editora Guanabara Koogan, 11 ª edição.

MILLER, O. O Laboratório e os Métodos de Imagem para o Clínico. Editora Atheneu.

MOURA, R. A; WADA, C.S E PURCHIO, A. ALMEIDA T. V. Técnicas de laboratório. 3. editora Atheneu: São Paulo, 1998.

JANNINI, P. & FILHO, P.J. Interpretação Clínica do Hemograma. Editora Sarvier.

PESSOA DE MENEZES E SILVA, C.H. Bacteriologia. Editora Eventos. Teresópolis, 1999.

VALLADA, E.P. Manual de exame de fezes - Coprologia e Parasitologia. 4 ed. Livraria Atheneu, 1999.

VALLADA. E.P. Manual de Técnicas Hematológicas. 4 ed. Livraria Atheneu, 1999.

RIBEIRO CAGNONI. M. SOARES.M.M, Microbiologia Prática Roteiro e Manual São Paulo. ed. Atheneu, 2002.

VALLADA, E. P. Roseiro A.M. Manual de Exame de Urina. 4. ed livraria Atheneu: São Paulo/ Rio de Janeiro, 1999.

WALTERS.J. N. ESTRIDGE B.H. REYNOLDS.A.P. Laboratório Clinico Técnicas básicas. 3 ed. Ed. Artmed.1996.

WALLACH Interpretação de Exames Laboratoriais. Editora Medsi, 7ª edição.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM: Fundamentos de Enfermagem: Noções básicas de saúde e doença, ações de enfermagem com relação à aferição de sinais vitais, realização de curativo, cuidado com a higiene, conforto e segurança ao paciente, preparo do paciente para exames, organização da unidade do paciente, administração de medicamentos por via oral, venosa, intramuscular, sub cutânea, ocular, nasal, retal, otológica. Biossegurança. Enfermagem Médico-Cirúrgica: Assistência de enfermagem a pacientes portadores de afecção cardiovascular, respiratória, digestiva, endócrina, renal, neurológica e hematológica. Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico no pré, trans e pós-operatório. Prevenção e controle de infecção hospitalar. Assistência de enfermagem a pacientes em situação de urgência. Enfermagem Materno-Infantil: Assistência de enfermagem à mulher no ciclo vital (gestante, parturiente e puerpério), no parto normal e de risco e ao recém nascido normal e de risco. Assistência à criança nas fases de lactente, pré-escolar, escolar e adolescente no seu desenvolvimento. Enfermagem em Saúde Pública: Noções de epidemiologia, cadeia epidemiológica, vigilância epidemiológica, indicadores de saúde, atenção primária em saúde. Assistência de enfermagem na prevenção e controle de doenças infecto-parasitárias, crônico-degenerativas e processo de reabilitação. Programa Nacional de Imunização. Programa de Assistência à Saúde da Mulher, Criança e do Trabalhador. Enfermagem em Saúde Mental: Integração da assistência de enfermagem às novas políticas públicas de atenção à saúde mental da criança e adulto. Legislação do SUS (Sistema Único de Saúde).

BIBLIOGRAFIA:

Agenda de compromissos para a saúde integral da criança e redução da mortalidade infantil / Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. - Brasília: Ministério da Saúde, 2005. 80 p - Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05_0080_M.pdf

BRUNNER, I.s. SUDDARTH, D. S. Tratado de Enfermagem Médico - Cirúrgica. 10B ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2005.

Caminhos para uma Política de Saúde Mental Infanto-juvenil. /Ministério da Saúde. Série B. Textos Básicos em Saúde Brasília - DF-2005. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05 0379 M.pdf

COFEN - Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem, 1993.

COFEN - Lei n° 7.498, de 25 de junho de 1986.

ENG EL, Joyce - Avaliação em pediatria - Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2002.

FERRÉ GRAU, Carme - Curso de enfermagem básica - São Paulo: DCL, 2003.

Guia de Vigilância Epidemiológica / Fundação Nacional de Saúde. 5. ed. Brasília: FUNASA, 2002. 842p. ISBN 85-7346-032-6 Disponível em http://portal.saude.aov.br/portal/arquivos/pdf/guia via epi vol I.pdf

Manual de Normas de Vacinação. 3.ed. Brasília: Ministério da Saúde: Fundação Nacional de Saúde; 2001 72p. http://dtr2001.saude.gov.br/svs/pub/pdfs/manu_normas_vac.pdf

MARTINS, Maria Aparecida - Manual de Infecção Hospitalar - Epidemiologia, Prevenção e Controle - 2 ed. _ Rio de Janeiro: Medsi, 2001

Perspectiva da Eqüidade no Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal: Atenção à Saúde das Mulheres-Ministério da Saúde,20p. 2005. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/s mulher.htm

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher - Princípios e Diretrizes - Ministério da Saúde 82p. 2004 Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/s mulher.htm

POTTER, Patrícia Ann e PERRY, Anne G. - Grande Tratado de Enfermagem Prática - Conceitos Básicos, Teoria e Prática Hospitalar, São Paulo, , 3ª. Edição, Ed. Santos, 1998.

Programa de Humanização do Parto: Humanização no Pré-Natal e Nascimento- Ministério da Saúde. 114 p. 2002. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/s_mulher.htm

ROUQUAYROL, Maria Zélia - Epidemiologia e Saúde- 6ª. Edição, - Rio de Janeiro: Medsi, 2003.

Saúde Mental e Economia Solidária: Inclusão Social no Trabalho - 1 ª. Edição, 1.á reimpressão Série D. Reuniões e Conferências Brasília - DF 2005.Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05 0661 M.pdf

UTYAMA, IWA K.A et al- Matemática Aplicada à Enfermagem - Cálculo de Dosagens - São Paulo: Editora Atheneu, 2003.

Vigilância Ambiental em Saúde - Textos de Epidemiologia -Ministério da Saúde- 132 p., 2004. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/04 0177 M.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. (Série B. Textos Básicos de Saúde).

LIMA, Idelmina Lopes de; MATÃO, Maria Eliane Liégio. Manual do técnico e auxiliar de enfermagem. 7. ed. Goiânia: AB, 2006. 539 p.

MUSSI, Nair Miyamoto et al. Técnicas fundamentais de enfermagem. São Paulo: Atheneu, 2005. 161 p.

BARTMANN, Mercilda; TÚLIO, Ruth; KRAUSER, Lucia Toyoshima. Administração na saúde e na enfermagem. Rio de Janeiro: Senac, 2006.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA (Brasil). Departamento de Enfermagem. Contextualizando o auxiliar de enfermagem na assistência ao adulto e ao idoso. 2. ed. Rio de Janeiro: UFSC, 1997. (Série - Auxiliar de Enfermagem).

HORR, Lidina; SOUSA, Maria de Lourdes de; REIBNITZ, Kenya Schmidt (Org.). Fundamentando o exercício profissional do técnico em enfermagem. Florianópolis: UFSC, 1999. (Série - Auxiliar de Enfermagem; v.6).

Legislação do SUS (Sistema Único de Saúde): Lei n° 8080/90 e Lei n° 8142/90.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM DO TRABALHO: 1. Exercício da enfermagem: Lei do exercício profissional; código de ética profissional; 2. Política e Diretrizes para a saúde do trabalhador no Brasil: Constituição. Capitulo II - dos direitos sociais; Legislação geral e específica que orienta as ações de saúde e controle das doenças relacionadas ao trabalho. 3. Segurança e Medicina do Trabalho - Normas Regulamentadoras: NR4 - SESMT; NR5 - CIPA; NR7- PCMSO; NR9 - PPRA; NR32 - Segurança e saúde no trabalho em estabelecimentos de saúde; 4. Biossegurança: 5. Doenças e agravos relacionados ao trabalho: LER/DORT, Perda Auditiva Induzida por Ruído - PAIR; Dermatoses Ocupacionais; Transtornos mentais e do comportamento relacionados ao trabalho; Tuberculose; Hepatites; Doença pelo vírus da Imunodeficiência Humana - HIV; 6. Assistência de enfermagem: verificação e controle de sinais vitais; administração de medicamentos; imunização do trabalhador; Cuidados com feridas; Controle de infecção.

BIBLIOGRAFIA:

1. Exercício da Enfermagem:

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Lei n° 7.498 de 25 de junho de 1986 - Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Disponível em < www.portalcofen.gov.br> Acesso em 3 de maio de 2007.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN n° 240/2000 - Aprova o Código de Ética dos profissionais de enfermagem dá outras providências. Disponível em < www.portalcofen.gov.br> Acesso em 3 de maio de 2007.

2. Política e Diretrizes para a saúde do trabalhador no Brasil:

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, setembro de 1990. Disponível em: <www.saude.gov.br> . Acesso em: 02 de abr. 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Capítulo 1: Estatutos Federais. In: _______________________ Legislação em saúde: cadernos de legislação em saúde do trabalhador. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2005. Disponível em:

< http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/livros.htm#I> Acesso em: 02 de abr. 2007.

3. Segurança e Medicina do Trabalho - Normas Regulamentadoras:

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Normas Regulamentadoras. Disponível em: <www.mte.gov.br> Acesso em: 02 de abr. 2007.

4. Biossegurança;

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Condutas: Exposição ocupacional a material biológico: Hepatite e HIV/ Coordenação Nacional de DST e AIDS. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 1999. Disponível em: < http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/livros.htm#I>. Acesso em: 02 de abr. 2007.

5. Doenças e agravos relacionados ao trabalho: BRASIL. Ministério da Saúde do Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2001. Disponível em: < http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/livros.htm#I>. Acesso em: 02 de abr. 2007.

BULHÕES, I. Riscos do trabalho de enfermagem. Rio de Janeiro: Ivone Bulhões, 1998.

6. Assistência de enfermagem:

POTTER, PA.; PERRY, A.G. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Normas de Vacinação. 3.ed. Brasília: Ministério da Saúde: Fundação Nacional de Saúde, 2001

TÉCNICO DE RADIOLOGIA: Conceito da radiotividade, produção de raios X, tubo de raio X, componentes do tubo, função dos principais componentes de um aparelho de raio X, meios anti-difusores, fatores radiográficos, acessórios, filmes, ecrans, vantagens e desvantagens dos diversos tipos de ecrans, processamento do filme, anatomia humana, rotina de exames radiológicos ( crânio, face, coluna vertebral, membros superiores e inferiores, abdome, pelve e tórax), rotina de exames contrastados, meios de contrastes, tipos de contraste, proteção radiológica, manutenção do serviço de radiologia, meios de proteção, utilização correta do material radiológico; mamografia: definição geral, tamanhos focais, filtros, técnica de alta resolução, tipos de filmes e ecrans; Tomografia computadorizada: definição geral, pixel, voxel, matriz, campo, filtros, parâmetros de reconstrução, volume parcial, fator zoom, cortes, programas de cortes, janelas, armazenamento de imagens, tipos de filmes, artefatos, detectores, técnicas de TC em alta resolução, técnicas de exame, dosimetria; Ressonância magnética: princípios básicos, ponderação, contrastes de imagem, formação de imagens, parâmetros, seqüências de pulso, fluxo, artefatos, instrumentos e equipamentos, meios de contrastes, técnicas de aquisição de imagens, ética profissional.

BIBLIOGRAFIA:

Radiologia- .Manual de Revisão ( Dãhnert)

MRI Physics for Radiologist (ALFRED, L. BONTRANGER)

Técnica radiológica Medica. Apostilas ( BOISSON, Luiz Fernando)

Fundamentos de TC( WELBB- editora guanabara)

Positioning and Related Anatomy( KENNET BONTRAGER)

Radiografia Convencional- apostila ( prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC)

Radiografia Especializada- apostila (prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC)

Ressonância Magnética - apostila ( prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC)

Radio proteção e dosimetria- apostila( prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC)

Filme radiográfico e processamento- apostila( prof. Flavio Augusto Soares- CEFET/SC)

BIASOLI Jr., Antônio. Técnicas radiográficas. Rio de Janeiro: Rubió, 2006.

BOISSON, LF. Técnica radiológica médica básica e avançada. R.de Janeiro: Atheneu, 2007.

DIMENSTEIN, Renato; HORNOS, Ivare M. Mascarenhas. Manual de proteção radiológica aplicada ao radiodiagnóstico. 2. ed. São Paulo: SENAC, 2004.

DIMENSTEIN, Renato; NETTO, Thomaz Ghlalardi. Bases físicas e tecnológicas aplicadas aos Raios X. 2. ed. São Paulo: Senac, 2005

DIMENSTEIN, Renato; BALFER, Aron J. Guia prático de artefatos em mamografia. 2. ed. São Paulo: SENAC, 2005.

LOPES, Aimar A.; LEDERMAN, Henrique M.; DIMENSTEIN, Renato. Guia prático de posicionamento em mamografia. São Paulo: SENAC, 2000.

VAL, Francisco Lanari do. Manual de técnica radiográfica. São Paulo: Manole, 2006.

Pasqualete HÁ; Koch HÁ;

SOARES-PEREIRA, PM; KEMP, C. Mamografia atual. Rio de Janeiro: Revinter, 1998. Capitulos 2,3,4,5.

ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA: Aplicação da informática. Hardware. Componentes básicos de um PC: CPU, Memória, Dispositivos de entrada e saída, Kit multimídia: placa de som, CD-ROM, drive de CD-ROM; Pen Drive. Características de microprocessadores; tipos e características das impressoras, instalações. O Sistema Operacional: Windows XP; Planilhas eletrônicas e Processadores de Texto (Microsoft Off ice); Apresentador de Slides; Gerenciamento de Banco de dados, sistemas. Comunicação de dados, conceitos básicos; Meios de transmissão; Serviços públicos; Internet, conceito e formas de conexão, ferramentas de navegação. Correio eletrônico.

BIBLIOGRAFIA:

Honeycutt, Jerry - Introdução ao Microsoft Windows 2000 Professional - Editora Campus.

Mueller, John Paul - Aprenda Microsoft Windows Xp Em 21 Dias - Editora Makron.2004

Ned Snell -Aprenda em 24 Horas Internet - Editora Campus.

Microsoft Word 2002: passo a passo. São Paulo: Makron Books, 2002. 334p. ISBN-13: 9788534614047

EXCEL 2002 PASSO A PASSO LITE- São Paulo: Makron Books 214 páginaslSBN-13: 9788534614122

MANZANO, André Luiz N. G.; MANZANO, Maria Isabel N. G. Estudo dirigido de informática básica. 7. ed. São Paulo: Livros Érica, 2007. 250 p., il. (Coleção P. D.). ISBN (Broch.).

VELLOSO, Fernando de Castro. Informática: conceitos básicos. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. xiii, 407 p. ISBN (Broch.).

CARMONA, Tadeu (Org.). Dicas arrasadoras para Off ice: excel, word, powerpoint, access. São Paulo: Digerati Books, 2005. 127 p., il. ISBN (Broch.).

VASCONCELOS FILHO, Laercio Correia de. Como ter mais MHz, MB e GB no seu PC gastando pouco. Revisão técnica Marcelo Ferreira dos Santos. São Paulo: Makron Books, 2000. 240 p., il., 24 cm. ISBN Broch.

VASCONCELOS, Laércio. PC ideal. Revisão técnica Acyr de Azevedo Marques. São Paulo: Makron Books, 2001. xii,207 p., il. ISBN [Broch.].

KUROSE, James F.; ROSS, Keith W. Redes de computadores e a internet: uma abordagem top-down. Tradução de Arlete Simille Marques; revisão técnica Wagner Luiz Zucchi. São Paulo: Addison-Wesley, c2006. xx, 634 p., il. ISBN (Broch.).

TORRES, Gabriel. Hardware: curso completo. 4. ed. Rio de Janeiro: Axel Books, 2001. xxxvi, 1398 p., il. ISBN (Enc.). Ajuda dos Softwares da Microsoft.

ALMOXARIFE: Aplicação da informática. Hardware. Componentes básicos de um PC: CPU, Memória, Dispositivos de entrada e saída, Kit multimídia: placa de som, CD-ROM, drive de CD-ROM; Pen Drive. Características de microprocessadores; tipos e características das impressoras, instalações. O Sistema Operacional: Windows XP; Planilhas eletrônicas e Processadores de Texto (Microsoft Off ice); Apresentador de Slides; Gerenciamento de Banco de dados, sistemas. Comunicação de dados, conceitos básicos; Meios de transmissão; Serviços públicos; Internet, conceito e formas de conexão, ferramentas de navegação. Correio eletrônico.

BIBLIOGRAFIA:

Honeycutt, Jerry - Introdução ao Microsoft Windows 2000 Professional - Editora Campus.

Mueller, John Paul - Aprenda Microsoft Windows Xp Em 21 Dias - Editora Makron.2004

Ned Snell -Aprenda em 24 Horas Internet - Editora Campus.

Microsoft Word 2002: passo a passo. São Paulo: Makron Books, 2002. 334p. ISBN-13: 9788534614047

EXCEL 2002 PASSO A PASSO LITE- São Paulo: Makron Books 214 páginas lSBN-13: 9788534614122

MANZANO, André Luiz N. G.; MANZANO, Maria Isabel N. G. Estudo dirigido de informática básica. 7. ed. São Paulo: Livros Érica, 2007. 250 p., il. (Coleção P. D.). ISBN (Broch.).

VELLOSO, Fernando de Castro. Informática: conceitos básicos. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. xiii, 407 p. ISBN (Broch.).

CARMONA, Tadeu (Org.). Dicas arrasadoras para Off ice: excel, word, powerpoint, access. São Paulo: Digerati Books, 2005. 127 p., il. ISBN (Broch.).

VASCONCELOS FILHO, Laercio Correia de. Como ter mais MHz, MB e GB no seu PC gastando pouco. Revisão técnica Marcelo Ferreira dos Santos. São Paulo: Makron Books, 2000. 240 p., il., 24 cm. ISBN Broch.

VASCONCELOS, Laércio. PC ideal. Revisão técnica Acyr de Azevedo Marques. São Paulo: Makron Books, 2001. xii,207 p., il. ISBN [Broch.].

KUROSE, James F.; ROSS, Keith W. Redes de computadores e a internet: uma abordagem top-down. Tradução de Arlete Simille Marques; revisão técnica Wagner Luiz Zucchi. São Paulo: Addison-Wesley, c2006. xx, 634 p., il. ISBN (Broch.).

TORRES, Gabriel. Hardware: curso completo. 4. ed. Rio de Janeiro: Axel Books, 2001. xxxvi, 1398 p., il. ISBN (Enc.). Ajuda dos Softwares da Microsoft.

TÉCNICO DE APARELHO GESSADO: Anatomia: posição, divisão e planos anatômicos; sistema esquelético; ossos por região; sistema articular; sistema muscular. Aparelhos gessados. Complicações dos aparelhos gessados. Aparelho gessado braquio manual, inquienomoleolar e suropodálico; colocação de salto. Imobilização. Enfaixamento: com malha tubular, clavicular em oito, torocobraquial, compressivo dos membros, do joelho. Imobilização por fita adesiva. Calhas gessadas: técnicas, regras e cuidados. Calha autebraquimanual e suropodálica. Talas: regras e cuidados. Tala digital. Traumato-ortopedia: definição e objetivos. Patologias ósseas, luxações, entorse, distensão, traumatismo crânio - encefálico.

BIBLIOGRAFIA:

CAMARGO, F.P. de et al. Técnicas de imobilização. SP: Ed. de Publicações Cientificas, 1997.

CAMARGO, Flávio Pires de - Manual de imobilização. SP. 1990

FARO, A C. M. e Orientação e cuidados básicos à pessoa com aparelho gessado, Amb. Hosp. N. 38, p. 18-20, 1992.

FARO, A. C. M; ONOE, Edna Kinue Nishimura; VENTURA, Maria de Fátima; UTIMARA, Márcia - Enfermagem ortopédica. Icne Editora.

GAYTON. Fisiologia humana.RJ: Editora Guanabara.

REIS, Fernando Baldy dos - Traumatologia. Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina.

ROSSI, J.D.M.B.A. MISTRORIGO, G. Ortopedia e traumatologia: conceitos básicos. SP, EPU, 1984.

SCHRECK, I.R. Conduta no traumatismo músculo-esquelético. In: BEYERS, M.;DUDAS.; Enfermagem médico-cirúrgica: tratado de prática clínica. 2. ed., Rio de Janeiro, Guanabara-Kooggan, 1989, v.4, cap. 37, p. 804-31.

SCHULL, Patrícia Dwyer. Enfermagem básica. SP: Editora Ridel - 39 Edição - 2004.

SOX. Anatomia e Fisiologia de Exercício. RJ: Ed. Guanabara.

VILHENA, R.V. Assistência de enfermagem a paciente com aparelho gessado. In: NAKAJO, A. S. H. et al. Temas do VI Curso de Extensão Universitária sobre Enfermagem Ortopédica e Traumatológica, Instituto de Ortopédica e Traumatologia, Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Fac. de Medicina da USP. 1986, P. 26-37.

TÉCNICO DE CONTABILIDADE: Contabilidade Básica: Contabilidade e ambiente; Método das Partidas Dobradas; Regime de Competência, Regime de Caixa e Regime Misto; Ciclo Contábil; Plano de Contas; Escrituração Comercial; Estoques; Demonstrações Financeiras Noções de contabilidade pública e de orçamento. Conceito de Contabilidade Pública; Regimes Contábeis; Entidades Públicas: Instrumentos Básicos de Planejamento; Receita e Despesa Públicas; Princípios Orçamentários; Execução Orçamentária; Orçamento por programa; Receita e Despesa Pública; Regime de Adiantamento; Créditos Adicionais; Restos a Pagar; Levantamento dos Balanços Públicos Administração pública. Planos de cargos e salários. Administração municipal. Noções de licitações e contratos. O controle externo e Interno.

BIBLIOGRAFIA:

ANDRADE, Nilton de Aquino. Contabilidade Pública na Gestão Municipal. Ed. Atlas, São Paulo, 3ª. Edição, 2002. ATHAR. Raimundo Aben. Introdução à contabilidade: São Paulo: Prntice Hall, 2005;

BRASIL. Constituição Federal.

_____ .Lei n° 8666/93 com suas posteriores alterações.

_____ .Normas brasileiras de contabilidade.

_____ .Lei Complementar101/2000 04 de maio de 2000

_____ .Lei Federal 6.404 de 15 de dezembro de 1976;

_____ .Lei Federal 11.638, de 28 de dezembro de 2007;

_____ .Lei Federal n° 4.320 de 17 de março de 1964;

_____ .Lei Federal n° 8.666 de 21 de junho de 1993;

Equipe de professores da FEA/ USP, Contabilidade Introdutória, Atlas, 2006, 10B Edição.

KOHAMA, Heilio. Contabilidade Pública, Teoria e Prática, 10B Ed. 2006 Editora: Atlas.

NEVES, Silvério das; VICECONTI, Paulo Eduardo V. Contabilidade Básica. 13B Ed. 2006, Editora Frase.

PISCITELLE & TIMBO & ROSA - Contabilidade Pública. SP: Atlas.

Ribeiro, Osni Moura - Contabilidade Básica Fácil 24B edição - Editora Sarcura.

SILVA, César Augusto Tibúrcio & TRISTÂO, Gilberto. Contabilidade Básica, Atlas 2000. SILVA, Lino Martins da. Contabilidade Governamental, um enfoque administrativo. Atlas, 2004. Szuster, Natan. [et. ai.] Contabilidade Geral. Atlas, 2007.

TÉCNICO DE INFORMÁTICA: Sistemas e Computação - Hardware. Componentes de microcomputadores.Dispositivos de armazenamento de dados. Montagem /Desmontagem.Configuração de microcomputadores.Noções sobre microprocessadores e barramentos. Periféricos de entrada/ saída.Gerenciamento de memória.Operação de computadores.Processamento "batch", "on line", "off-line", e "real time".Multiprogramacão e Multiprocessamento. Multitarefa. Software básico, aplicativos e utilitários. Noções básicas de instalação e operação dos sistemas Windows 98/2000 Professional/ XP, Windows Vista, Windows 7, Windows 2000 Server/ 2003 Server, Linux e Unix.lnstalação e configuração de microcomputadores.Noções de algoritmos e pseudocódigo.Linguagens de Programação Pascal. Conhecimentos sobre Microsoft Office 97 / 2000 / XP / 2007, Word, Excel, PowerPoint e Access. Operação de Sistemas Aplicativos. Comunicação de Dados - Representação da informação.Sinal analógico e digital.Transmissão serial x paralela. Transmissão assíncrona x síncrona.Transmissão simples x half-duplex. Interfaces.Modulação / Demodulação. Sinalização de linha e de dados. Comutação de circuitos, de pacotes e de células.Circuitos comutados e dedicados. Linhas ponto-a-ponto e multiponto.Protocolos de comunicação.Redes Digitais de Serviços Integrados (RDSI). Redes de Dados - Objetivos.Padrões.Meios de transmissão: cabo coaxial, par traçado, fibra óptica e link rádio.Topologias.Métodos de acesso.Tecnologias Ethernet, FDDI,Gigabit Ethernet e Atm.Equipamentos para interconexão de redes.Fundamentos da arquitetura TCP/IP.Internet x Intranet.Redes Públicas.RENPAC.Internet. Modalidades e técnicas de acesso. Organismos internacionais e nacionais (ITU, IEEEE, OSI). Recomendações. Noções sobre instalação e operação de redes de computadores.Segurança física e lógica de Redes: backup, vírus,. Proteção - Princípios básicos. Alimentação AC/DC. Aterramento e pára-raios. Proteção de equipamentos e de sistemas de informática.

BIBLIOGRAFIA:

CARVALHO, J.E.M. Introdução às Redes de Micros. Makron books. 1998.

CRAWFORD, S. Windows 98 Prático e Fácil .Makron Books.1999.

LITE. Microsoft Office 97 - Passo a Passo. Makron Books 1998.

MURRAY, KATHERINE First Look 2007 Microsoft Office System, Microsoft Press, 2006.

PERRY , GREG. Aprenda em 24 Horas Microsoft Office XP, Editora Campus, 2001.

Mink, Carlos. Microsoft Office 2000, Makron Books, 1995.

MARK Minasi, Christa Anderson, Brian M. Smith e Doug Toombs. Dominando o Windows 2000 Server. "A bíblia". OLIVEIRA, L. A. A. Comunicação de Dados e Teleprocessamento. Atlas. 1993.

PEREIRA, S . Estruturas de Dados Fundamentais. Erica. 1996.

RUSSEL, C e CRAWFORD , S . Windows NT Server 4. O - Guia Autorizado. Makron Books.1999.

SCHMITZ, E. A.e TELES, A. A. S. Pascal e Técnicas de Programação. LTC. 1993.

SILVEIRA, E. Comunicação de Dados e Sistemas de Teleprocessamento. Makron books.1991.

TANENBAUM, A. S. Organização Estruturada de Computadores. Prentice Hall. 1992.

VILLAS, M. V. Estruturas de Dados - Conceitos e técnicas de implementação.Campus. 1999.

VASCONCELOS, L. Como Montar, Configurar e Expandir seu PC de 200 a 500 MHz. Makron Books. 1999.

TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO: Introdução a Segurança do Trabalho: Aspectos humanos, sociais e econômicos da engenharia de segurança; Legislação Sobre Higiene e Segurança do Trabalho: Gerais, laudos técnicos em avaliação de atividades trabalho e ambientais de riscos químicos, físicos, biológicos e ergonômicos. Avaliação e Controle de Riscos Profissionais: Arranjo físico - Manuseio, armazenagem e rotulagem de materiais - Proteção e manutenção de máquinas e equipamentos - Ferramentas manuais e motorizadas - Equipamentos sob pressão - Cor e sinalização; Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva; Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho; Comissão Interna de Prevenção de Acidentes; Higiene do Trabalho: Riscos de acidentes - Agentes químicos, físicos, biológicos e ergonômicos - Limites de tolerância - Métodos de detecção de agentes de riscos - Diagnóstico e técnicas de avaliações ambientais e laborais qualitativa e quantitativa relativas aos agentes de riscos; Engenharia de Sistemas: Gerenciamento e Mapeamento de riscos - Custos de acidentes - Técnicas de análises de risco de acidente - Inspeções de Segurança; Programas e Política de Segurança; Prevenção e Combate a Incêndio; Brigada de Incêndio; Sistema de Gestão Integrada; Ergonomia Aplicada ao Trabalho.

BIBLIOGRAFIA:

- Introdução a Engenharia de Segurança de Sistemas de Cicco. F.M.G.A. e Fantazzini, M.L. FUNDACENTRO;

- Manual de Legislação ATLAS - Segurança e Medicina do Trabalho - 60B Edição

- Normas Regulamentadoras Comentadas - Giovanni Moraes de Araújo - 6ª edição

- Ergonomia aplicada ao trabalho Volume I e Volume II - 1995/1996, Hudson de Araújo Couto;

- Ergonomia Aplicada ao Trabalho em 18 lições - 2002, Hudson de Araújo Couto;

- Segurança do Trabalho com máquinas e equipamentos - Armando Augusto Martins Campos - Centro de Educação em Saúde - SENAC:, 1998

- Limites de Exposição para substâncias químicas e agentes físicos - 2003, ABHO;

- LIDA, (tiro - Ergonomia, Projeto e Produção. 8á reimpressão, Ed. Edgard Blücher Ltda, São Paulo, 2002.

- ASFAHL, C. Ray - Gestão de Segurança do Trabalho e de Saúde Ocupacional. São Paulo: Reichmann & Autores Editores, 2005;

- TORREIRA, Raul Peragallo - Manual de Segurança Industrial, Margus Publicações, São Paulo, 1999.

- Árvore de causas - 1996, Maria Cecília P. Blinder e outras;

- Desempenho de materiais e projeto de edifícios com relação a incêndio - 1984, Francisco R. Landi;

- Ruído fundamentos e controle -1992 (1.ª edição), Samir N. Y. Gerges;

- Ventilação Industrial e controle da poluição - 1990, Archibald Joseph Macintyre;

- Engenharia de Ventilação Industrial, A. L. S. Mesquita, F. A. Guimarães, N. Nefussi, CETESB

- Prática de prevenção de acidentes ABC da Segurança do Trabalho - 7ª. Edição, - 2002, Álvaro Zocchio;

- Estado do Rio de Janeiro, Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico - COSCIP. Dec. Est. 897, 21 SET 76. Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro. www.cbmerj.rj.gov.br.

- FUNDACENTRO, Prevenção de Acidentes Industriais Maiores, publicação OIT, São Paulo, 2002.

- ABIQUIM, Manual para Atendimento de Emergências com Produtos Perigosos. São Paulo. ABIQUIM. 2002.

- SALIBA, Tuffi Messias, CORREA, Márcia Angelim Chaves, AMARAL, Lênio Sérvio et el. Higiene do Trabalho e PPRA. São Paulo: LTr, 1997.

- SAMPAIO, Jose Carlos de Arruda, PCMAT: Programa de Condições e Meio ambiente do Trabalho. São Paulo: Ed. Pini Ltda, 1998.

- Galafassi, Maria Cristina, Medicina do Trabalho e Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. São Paulo: Atlas, 1998.

- Bellusci, Silvia Meirelles, Doenças Profissionais ou do Trabalho, 4ª. Edição, São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2002.

- SOTO, Manuel Osvaldo Gana, SAAD, Irene Ferreira de Souza Duarte, FANTAZZINI, Mário Luiz, Riscos Químicos, São Paulo: Fundacentro, 1994.

- FANTAZZINI, Mário Luiz, Riscos Físicos, São Paulo: Fundacentro, 1993.

- CAMILLO JUNIOR, Abel Batista, Manual de Prevenção e Combate a Incêndios, Série Apontamentos, São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 1999.

NORMAS BRASILEIRAS

- NBR - 5413/92 - Iluminancia de interiores;

- NBR - 7195/95 - Cores de segurança;

- NBR - 7500/2003 - Símbolos de risco e manuseio para o transporte e armazenamento de materiais;

- NBR - 9077/2001 - Saídas de emergências em edifícios;

- NBR - 9734/87 - Conjunto de equipamento de proteção individual para avaliação de emergência e fuga de no transporte rodoviário de produtos perigosos;

- NBR - 10152/1987 - Níveis de ruído para conforto acústico;

- NBR - 10898/1999 - Sistema de iluminação de emergência;

- NBR - 13435/1995 - Sinalização de segurança contra incêndio e pânico;

- NBR - 13437/1995 - Símbolos gráficos para sinalização contra incêndio e pânico;

- NBR - 13932/1997 - Instalações internas de gás liquefeito de petróleo (GLP) - Projeto e execução;

- NBR - 14009/1997 - Segurança de máquinas - princípios para apreciação de riscos;

- NBR - 14718/2001 - Guarda corpos para edificação;

- NBR - 14787/2001 - Espaço confinado - Prevenção de acidentes procedimentos e medidas de proteção;

- NBR - 14728/2001 - Ficha de informação de segurança de produtos químicos -FISPQ;

- NBR - 1 31 93/1 994 - Emprego de cores para a identificação de tubulação de gases industriais;

- NB -18 - Cadastro de Acidentes.

Web Sites:

www.mte.gov.br

ESCOLARIDADE - NÍVEL SUPERIOR

CONTEÚDO COMUM A TODOS OS CARGOS DO NÍVEL SUPERIOR (PMM E FMHM)

PROGRAMA DE LÍNGUA PORTUGUESA: A Comunicação: linguagem, texto e discurso; o texto, contexto e a construção dos sentidos; Coesão e coerência textuais; Intertextualidade e polifonia; A Língua: norma culta e variedades lingüísticas; dialetos e registros, gíria; Língua padrão: ortografia, acentuação e pontuação; Semântica: denotação e conotação; figuras de linguagem; sinonímia, antonímia, homonímia, paronímia; polissemia e ambigüidade; Morfologia: estrutura e processos de formação de palavras; classes de palavras: flexões, emprego e valores semânticos, com ênfase em verbos, pronomes, conjunções e preposições; Sintaxe: Termos e Orações coordenadas e subordinadas; concordância nominal e verbal; regência nominal e verbal; crase; sintaxe de colocação.

BIBLIOGRAFIA:

BECHARA, Evanildo, Moderna Gramática Portuguesa, Ed. Lucerna, 1999.

BECHARA, Evanildo, Gramática Escolar da Língua Portuguesa, Ed. Lucerna, 1999.

CEREJA, William Roberto e MAGALHÃES, Tereza Cochar, Gramática Reflexiva, Atual Ed. 1999.

CUNHA, Celso Ferreira e LINDLEY, Luiz, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Ed. Nova Fronteira, 1985.

FARACO, Carlos Alberto e TEZZA, Cristóvão, Prática de Texto, Ed. Vozes, 2001.

INFANTE, Ulisses, Curso de gramática aplicada ao texto, Ed. Scipione, 1995.

PASQUALE e ULISSES, Gramática da Língua Portuguesa, Ed. Scipione, 2000.

SAVIOLI, Francisco Platão e FIORIN, José Luiz, Lições de texto, Ed. Ática, 1997.

FAVERO,Leonor. Coesão e Coerência. Cortez,1999.

KOCK,Ingedore e TRAVAGLIA,Luiz Carlos.Texto e coerência. Contexto,2000.

LEGISLAÇÃO PARA TODOS OS CARGOS

LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO (LOM) ATUALIZADA.

SAÚDE PÚBLICA PARA TODOS OS CARGOS

LEI N° 8.080, DE 19 DE SETEMBRO DE 1990. LEI N° 8.142, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1990.

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS DO NÍVEL SUPERIOR

ASSISTENTE SOCIAL: 1 - Código de Ética Profissional. O Serviço Social no Brasil e sua inserção no processo de produção e reprodução das relações sociais. O processo de institucionalização do serviço social. 2 - Perspectivas teórico metodológicas do Serviço Social. A influência do materialismo histórico e da fenomenologia na idealização e na ação do Serviço Social. As características metodológicas do Serviço Social em suas configurações clássicas ou tradicionais, de transição reconceituada. 3 - A assistência nas políticas sociais brasileiras. A institucionalização da assistência no Brasil. As grandes instituições de assistência no Brasil. 4 - A questão da saúde no contexto da política social brasileira. O Serviço Social nos programas de saúde pública ao nível de assistência primaria. O Serviço Social nas áreas de saúde e sua articulação com as organizações sociais de base. Movimentos sociais urbanos. Desenvolvimento do Serviço Social na América Latina. Enfase na realidade brasileira. Os três vertentes do Serviço Social (Materialismo Histórico e Dialético, Fenomenologia e Funcionalismo). Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e suas atualizações. Estatuto do Idoso e suas atualizações. Processos de trabalho do Serviço Social. Instrumentos e técnicas do Serviço Social; Pesquisa em Serviço Social.

BIBLIOGRAFIA:

BONETTI, Dilséa Adeodata , org. et.al.. Serviço social e ética:convite a uma nova práxis. São Paulo:Cortez,2000.

BRASIL. Constituição,1988. Constituição; República Federativa do Brasil, 1988. Brasília, Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. Titulo II; Título VIII, capítulos I, II, III.

BRAVO, Maria Inês Souza ; PEREIRA, Potyara Amazoneida Pereira, orgs.. Política social e democracia. São Paulo: Cortez; Rio de Janeiro:UERJ,2002.

CARDOSO, Maria de Fátima Matos. Reflexões sobre instrumentais em serviço social: observação sensível, entrevista, relatório, visitas e teorias de base no processo de intervenção social. São Paulo:LCTE, 2008.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Código de ética profissional do assistente social, 1993.

CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL. Coletânea de leis e resoluções. Rio de Janero:Lidador,2003.

FORTI,Valéria Lucília; GUERRA, Yolanda. (orgs). Serviço social:temas, textos e contextos: coletânea nova de serviço social. Rio de Janeiro:Lumen Juris,2010.

IAMAMOTO, Marilda Villela. O serviço social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez, 1995.

_____ . Renovação e conservadorismo no serviço social: ensaios críticos. São Paulo: Cortez, 1992.

_____ . Serviço social em tempo de capital fetiche:capitalismo financeiro, trabalho e questão social. 4.ed. São

Paulo:Cortez,2010.

KAUCHAKJE, Samira. Gestão pública de serviços sociais. 2.ed. Curitiba:lbpex, 2008.

MAGALHÃES, Selma Marques. Avaliação e linguagem: relatórios, laudos e pareceres. São Paulo: Veras, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia; ON, Maria Lucia Rodrigues; MUCHAIL, Salma Tannus, orgs. O uno e o múltiplo nas relações entre as áreas do saber. São Paulo: Cortez, 1995

MOTA, Ana Elizabete et all, (org). Serviço social e saúde:formação e trabalho profissional. 3.ed. São Paulo: Cortez,2008.

POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL:versão oficial. SERVIÇO SOCIAL E SOCIEDADE. São Paulo:Cortez, v.25,n. 80, Encarte,Nov.2004.

REZENDE, Ilma; CAVALCANTI, Ludmila Fontenele et all, (orgs). Serviço social e políticas sociais. 2.ed. Rio de Janeiro: UFRJ,2008. SALES, Mione Apolinário; MATOS, Maurílio Castro de; LEAL, Maria Cristina, orgs. Política social, família e juventude: uma questão de direitos.. São Paulo: Cortez, 2004.

TEMPORALIS. 2.ed. Brasilia:ABEPSS,v.2,n.3, jan.ju1.2004.

VASCONCELOS, Eduardo Mourão ET all (org) Abordagens psicossociais: perspectivas para o serviço social. 2.ed. São Paulo: Hucitec, v.3, 2009.

CIRURGIÃO DENTISTA - ODONTÓLOGO DO TRABALHO: Saúde Ocupacional, bases e princípios fundamentais da odontologia do trabalho, promoção de saúde em ambiente de trabalho, prontuários odontológicos para odontologia do trabalho, influência dos agentes químicos na saúde do trabalhador, patologia oral e a saúde do trabalhador, relação entre odontologia do trabalho e outras ciências, aplicabilidade, campo de atuação, noções básicas das especialidades odontológicas.

BILBIOGRAFIA:

ABO. Odontologia Integrada. Rio de Janeiro: Medsi, 2003.

BARATIERI, Luiz Ni et al. Odontologia Restauradora- Fundamentos e Possibilidades. São Paulo: Ed Santos, 2003

COHEN, Stephen; BURNS, Richard C.. Caminhos da polpa. Tradução Edson Jorge Lima Moreira. 7. ed . Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000

LINDHE, Jan. Tratado de periodontia clínica e implantologia oral. 4. ed Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. MELLO, Paula B. Odontologia do Trabalho. Ed Rubio, 1 ed, 2006.

MAZILLI, Luiz E. N. Odontologia do Trabalho. Ed Santos. 1 ed, 2003

NEVILLE, Brad W. et al. Oral & Maxillofacial pathology. 1. ed Philadelphia: W. B. Saunders, 1995.

PASLER, Friedrich A , VISSER, H. Radiologia Odontológica, 2 ed. Ed Artmed, 2006

PEREIRA A C. et al. Odontologia em saúde coletiva: planejando ações e promovendo saúde. 1 ed. Porto Alegre: Mimes, 2003.

PETERSON, Larry J. et al. Cirurgia oral e maxilofacial contemporânea. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

REGEZI, J.; SCIUBBA, J. Oral Pathology. Clinical-pathologic correlations. Philadelphia: WB SAUNDERS, 2. ed., 1993

CIRURGIÃO DENTISTA - BUCO-MAXILOFACIAL: -Biossegurança - Esterilização e desinfecção. Normas de Biossegurança. Equipamentos de proteção individual. Cuidados e condutas com pacientes portadores de doenças infecto-contagiosas. Infecção cruzada e controle de infecção hospitalar. -Pacientes Especiais - Diagnóstico e tratamento de pacientes portadores de necessidades especiais. -Patologia e Diagnóstico Oral - Procedimentos de diagnóstico oral. Exame clínico e exames complementares. Semiologia bucal.Lesões ulcerativas e vesiculo-bolhosas. Lesões Brancas. Cistos e tumores da face e da cavidade oral. Semiologia do câncer da face e cavidade oral. Manifestações bucais das doenças sistêmicas. Distúrbios e patologias das glândulas salivares. Cirurgia - Anatomia cirúrgica e descritiva da face. Princípios da cirurgia e traumatologia Buco-maxilo-facial. Técnicas cirúrgicas. Cirurgia Oral Menor. Materiais e Instrumentos cirúrgicos. Traumatismo dento-alveolar. Infecção oro-dento-facial. Espaços teciduais potenciais. Enxertos e inclusões dos tecidos duros e moles na região Buco-Maxilo-Facial. Classificação, diagnóstico e Tratamento. Alterações neurológicas maxilo-faciais. Pré e pós-operatório do paciente cirúrgico. Atendimento emergencial e urgências em cirurgias e cirurgia Buco-Maxilo-Facial. Distúrbios e Tratamento das alterações de desenvolvimento dos maxilares. Oclusão e Articulação têmporo-mandibular. Anatomia funcional. Etiologia, identificação e tratamento das disfunções articulares do ponto de vista cirúrgico. Farmacologia Aplicada à C.T.B.M.F. - Anestésico local, Antibiótico, Antiinflamatório e Analgésico. Radiologia Aplicada à C.T.B.M.F. - Raio X. Incidências e técnicas radiográficas. Tomografia computadorizada.Ressonância magnética. Anestesiologia - Sedação. Anestesia troncular e periférica. Técnica e complicações. Anestesia venosa e inalatória.lntubação.

BIBLIOGRAFIA:

Andrade, E. D. de; Terapêutica Medicamentosa em Odontologia, São Paulo - Artes médicas, 18. Edição, 1999.

Andreasen, J. O. e Andreasen, F.M; Fundamentos de traumatismo dental guia passo a passo.Editora Artmed-Porto Alegre, 2001. Araújo, A .: Cirurgia Ortognática. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro

Dingman, R. e Natvig, P; Cirurgias das Fraturas Faciais. Editora Santos-São Paulo, 1993.

Graziani, M; Cirurgia Buco-Maxilo-Facial. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 8ª. Edição, 1995.

Kruger, G. O; Cirurgia Bucal e Maxilo-facial. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 1984.

Malamed, S.F; Manual de anestesia local. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 4ª. Edição, 2001.

Neville, B.W; Patologia Oral e Maxilo-Facial. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2ª. Edição, 2004.

Neville, B.W; Atlas Colorido de Patologia Oral Clínica. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2ª. Edição, 2001.

Peterson, L.J; Ellis, E; Hupp, J.R. e Tucker, M.R; Cirurgia Oral e Maxilo-Facial contemporânea. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2ª. Edição, 1996.

Prado, R. e Salim, M; Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, diagnóstico e tratamento-MEDSI, editora medica e científica LTDA, 2004. Sailer, F.H. e Pajarola G. F; Coleção artmed de Atlas colorido de odontologia - Cirurgia Bucal - ARTMED, 2000.

Zanini, S. A: Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial. Editora Revinter, 1990.

BIÓLOGO: Biosegurança e Boas Práticas em Laboratório Clínico. Bioquímica - Valores de referência. Fundamentos metodológicos, metabolismo e correlações clínico-patológicas às análises bioquímicas (enzimas, carboidratos, uréia, creatinina, ácido úrico, cálcio, fósforo, magnésio, sódio, potássio, cloro, ferro, colesterol, bilirrubinas e proteínas), eletroforese de proteínas, equilíbrio ácido-básico, gasometria. Interferências nas determinações laboratoriais, função hepática. Bioquímica dos líquidos biológicos. Urinálise - Coleta, exame físico, exame químico, exame microscópico do sedimento. Microbiologia - Técnicas de esterilização, coleta, transporte e processamento de amostras para exames microbiológicos. Métodos de coloração. Características morfotintoriais das bactérias. Taxonomia e classificação bacteriana. Características, significado clínico e diagnóstico dos estafilococos, estreptococos, enterobactérias, bacilos gram-negativos não fermentadores, Neisseria, Haemophilus e micobactérias. Hemocultura. Coprocultura. Urinocultura. Exame microbiológico do líquor. Testes utilizados para identificação bacteriana. Testes de sensibilidade a antimicrobianos. Imunologia - Resposta imune. Células e tecidos de sistema imune. Sistema complemento. Imunidade humoral. Imunidade celular. Imunodeficiências. Imunologia nas doenças infeciosas e hematológicas. Técnicas sorológicas de precipitação, floculação, hemólise. ELISA, hemaglutinação, imunofluorescência, turbidimetria e nefelometria. Testes sorológicos para diagnóstico da sífilis, doença de Chagas, toxoplasmose, citomegalovírus, rubéola, hepatites virais, HTLV e HIV. Hematologia - Hematopoiese. Hemograma e sua interpretação clínica. Alterações patológicas da série eritróide e da série leucocitária. Classificação das anemias. Hemoglobinopatias. Coloração e principais anticoagulantes usados em hematologia. Testes diagnósticos e distúrbios da hemostasia. Classificação sanguínia ABO/Rh. Pesquisa anticorpos irregulares. Teste de Coombs. Citologia dos líquidos biológicos (pleural, ascítico, líquor e sêmem). Parasitologia - Morfologia, biologia, métodos de diagnóstico e identificação dos principais protozoários e helmintos de importância médica.

BIBLIOGRAFIA:

ABBAS, A. Imunologia Celular e molecular. Editora Revinter, 3á Ed 2000.

BAYNES, J. & Dominiczak, M.H. Bioquímica médica. 1 ed. Editora Manole.Ltda. São Paulo, 2000.

BEVILACQUA, BENSOUSSAN, JANSEN & SPINOLA. Manual do Exame Clínico. Editora Cultura Médica, 12B edição.

CARVALHO, W.F. Técnicas Médicas de Hematologia e Imuno-hepatologia. Editora Coopmed. Belo Horizonte. 7. ed. 1999.

DEVLIN, T.M. Manual de bioquímica com correlações clínicas. 4 ed. Editora Edgar Blücher Ltda. São Paulo, 1998.

FERRREIRA, A. W. & Ávila, S. L. M. Diagnóstico Laboratorial das Principais Doenças Infecciosas e Auto-imunes. Editora Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 1996.

GORINA, A.B. A Clínica e o Laboratório. Editora Medsi, 16B edição.

INMETRO - Comissão Técnica de Análises Clínicas e de Patologia - CTLE-04. BPLC - Boas Práticas de Laboratórios Clínicos e Listas de Verificação para Avaliação. Rio de Janeiro. Editora Qualitymark, 1998.

JANNINI, P. & FILHO, P.J. Interpretação Clínica do Hemograma. Editora Sarvier.

KONEMAN, W. et. al. Diagnóstico Microbiológico. Texto e Atlas colorido. Editora Panamericana. 2. ed. 1989.

LEHNINGER, A.L., Cox, M.M., & Nelson, D.L. Princípios de Bioquímica. Editora Sarvier Ltda. 2 ed. 1995.

LIMA, A.O., SOARES, J.B., GRECO, J.B., GALIZZI, J., CANÇADO, J.R. Métodos de Laboratório Aplicados à Clínica. Editora Guanabara Koogan, 11 ª edição.

MILLER, O. O Laboratório e os Métodos de Imagem para o Clínico. Editora Atheneu.

MIMS, C., Playfair, J., Roitt, I., Wakelin, D. & Wiliiams, R. Microbiologia médica. Editora Manole Ltda. São Paulo. 2 ed., 1999.

MOURA, R. A. A colheita de material para exames de laboratório. Editora Atheneu: Rio de Janeiro. 1995.

MOURA, R. A. Técnicas de laboratório. Editora Atheneu. 3d. 1994.

NEVES, D. P. Parasitologia Humana. Editora Atheneu: São Paulo. 10. ed. 2000.

OLIVEIRA LIMA, A. et. Al. Métodos laboratoriais aplicados à clínica. Técnica e interpretação. Editora Guanabara Koogan. 1992.

REY, L Parasitologia. Editora Guanabara Koogan: Rio de Janeiro. 2. ed., 1991.

ROITT, I. & Brostoff, J. & Male. Immunology. Editora Manole Ltda. São Paulo, 1997.

SILVA, C. H. P. Bacteriologia. Um texto ilustrado. Editora Eventos: Rio de Janeiro. 3. ed. 2000.

STRASINGER. S. K. Uroanálise e fluídos biológicos. Ed. Premier: São Paulo. 3. ed. 2000.

STRYER, L. Bioquímica. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro. 4. ed. 1996.

TEIXEIRA, Pedro & VALLE, Sílvio. Biosegurança. Uma abordagem multidisciplinar. Editora Fiocruz. Rio de Janeiro., 1996.

TIETZ, N.W., Burtis, C.A. & Ashwood, E.R. Fundamentos de Química Clínica. Editora Guanabara Koogan. 4. ed. 1996.

WALLACH Interpretação de Exames Laboratoriais. Editora Medsi, 7ª edição.

BIÓLOGO SANITARISTA: BOTÂNICA: Noções gerais de Botânica: Introdução à taxonomia vegetal. ECOLOGIA: Noções gerais de Ecologia: Introdução ao estudo da ecologia. Hierarquia dos níveis de organização. Ecologia de Ecossistemas brasileiros. Ecologia de Populações. ZOOLOGIA: Taxonomia zoológica; Principais aspectos da classificação e nomenclatura zoológica; Características gerais dos invertebrados e dos vertebrados; Aspectos e características evolutivas; Técnicas de coleta, preparo e conservação de material zoológico. BIOLOGIA GERAL: Fisiologia; Anatomia Humana; Bioquímica: Carboidratos, Lipídios, Proteínas, Ácidos Nucléicos; Biologia Celular: Membrana Plasmática, Organelas, Núcleo; Divisão celular: Ciclo celular, Mitose, Meiose, Gametogênese; Embriologia e Reprodução Humana: Fecundação, Clivagem, Estágios embironários, Folhetos embrionários, Fisiologia do sistema reprodutor masculino e feminino. Noções de Genética. ASPECTOS SOCIO-ECONÔMICOS: Educação ambiental - conceitos; Aspectos fitossociológicos; Agenda 21 - desenvolvimento sustentável; Meio ambiente e sociedade. BIOSSEGURANÇA: Noções de Bioética e Biossegurança; Gerenciamento de Resíduos Biológicos e de Resíduos Químicos; Biossegurança na Manipulação de Plantas Transgênicas em Contenção. PROGRAMA DE SAUDE: Definição de agente etiológico, parasito e hospedeiro relação parasito-hospedeiro; Doenças Emergentes e Reemergentes; Endemias e epidemias (conceito); Doenças Sexualmente Transmissíveis. VIGILÂNCIA SANITÁRIA: Conceito, histórico, objetivos, funções, Importância na Saúde Pública; Inspeção em vigilância sanitária; Noções básicas de processos administrativos sanitário; Doenças de veiculação hídrica; Hepatite, cólera e febre tifóide; Vigilância epidemiológica e medidas de controle; Relações entre os seres vivos, poluição do ar, da água e do solo, interferência do Homem na natureza.

BIBLIOGRAFIA

Alberts, B.; Bray, D.; Hopkin, K.; Johnson, A.; Lewis, J.; Raff, M.; Roberts, K.. & Walter, P. 2006. Fundamentos de Biologia Celular. 2ª. Edição, Ed. Artes Médicas, Porto Alegre.

Agência Fiocruz de Notícias- Glossário de doenças in www.fiocruz.br/ccs/cai/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=6

Agência Fiocruz de Notícias- Especial Doenças Emergentes in www.fiocruz.br/ccs/cgi/cgilua.exe/sys/start. htm?infoid=1000&sid=12

Agência Fiocruz de Notícias- Especial Transgênicos in www.fiocruz.br/ccs/cai/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=940&sid=12 Barnes, R.D. 1990. Zoologia dos Invertebrados. Livraria Roca Ltda.

Brusca, R.C. & Brusca, G.J. 2007. Invertebrados 2ª. Edição, Guanabara Koogan, Rio de Janeiro.

Carvalho,P.R. 1999. Boas Práticas Químicas em Biosegurança. Rio de Janeiro: Interciência.

Consoli, R.A.G.; Oliveira, R.L. 1994. Principais Mosquitos de Importância Sanitária no Brasil. Rio de Janeiro:Fiocruz, 228p. Dias, G.F. 1994. Educação Ambiental: princípios e prática. São Paulo: Editora Gaia.

Joly, A.B. 1975. Botânica. Introdução à Taxonomia Vegetal. Editora da Universidade de São Paulo. São Paulo .

Junqueira, L.C. & Carneiro, J. 2005. Biologia Celular e Molecular. 8a. Ed. Guanabara e Koogan.

Mastroeni, M.F. (org.) 2005. Biossegurança Aplicada a Laboratório e Serviços de Saúde - 2á. Ed., São Paulo: Editora Atheneu. Netter, Frank H. Atlas de Anatomia Humana. Ed. Artmed, Porto Alegre 2004.

ODUM, E. P. Ecologia. Ed. Guanabara, Rio de Janeiro 1988.

Papavero, N. (org.). 1994. Fundamentos práticos de Taxonomia Zoológica. Editora UNESP, São Paulo.

Peres Neto, P. R.; Valentin, J. L.; Fernandez, F. (eds.). 1995. Tópicos em tratamento de dados biológicos. Rio de Janeiro: UFRJ, ecologia Brasiliensis v. II.

Pough, F.H., C. M. Janis & J. Heiser. 2003. A Vida dos Vertebrados. Atheneu Editora, São Paulo.

Rey, L. 1999. Dicionário de termos técnicos de Medicina e Saúde. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro.

Rey, L. 1991. Parasitologia. Parasitos e Doenças Parasitárias do Homem nas Américas e na áfrica. 2.ed. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro, 731p.

Royquayrol, M.Z. & Almeida Filho, N. 1999. Epidemiologia & Saúde. 5a. ed. Rio de Janeiro. MEDSI. 600p

Teixeira, P. (org.) 1996. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar / Organizado por Pedro Teixeira, Silvio Valle. RIO DE Janeiro: FIOCRUZ,. 362p.

Veronesi, R. 1991. Doenças Infecciosas e Parasitárias, Ed. Guanabara Koogan.

ENFERMEIRO: Fundamentos de Enfermagem: Sistematização da Assistência em Enfermagem, Exame Físico, Preparo e Administração de medicamentos/soluções. Processo de Enfermagem. Aspectos Éticos e Legais da Prática de Enfermagem. Biossegurança. Enfermagem Médico-Cirúrgica: Assistência de enfermagem ao cliente adulto e idoso portador de afecção cardiovascular, respiratória, digestiva, endócrina, renal, neurológica, hematológica e genito-urinário. Assistência de enfermagem a paciente cirúrgico no pré-trans e pós-operatório. Prevenção e controle de infecção hospitalar. Assistência de enfermagem a paciente em situação de urgência. Enfermagem Materno-Infantil: Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal e de alto risco. Assistência à criança nas fases de lactente, pré-escolar, escolar e adolescente (clínico e cirúrgico). Enfermagem em Saúde Pública: Assistência de enfermagem na prevenção e controle de doenças infecto-parasitárias, crônico-degenerativas, e processo de reabilitação. Epidemiologia. Programa Nacional de Imunização. Programa de Assistência à Mulher, Criança e do Trabalhador. Enfermagem em Saúde Mental: integração da assistência de enfermagem às novas políticas públicas de atenção à saúde mental da criança e adulto.

BIBLIOGRAFIA:

Agenda de compromissos para a saúde integral da criança e redução da mortalidade infantil / Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. - Brasília: Ministério da Saúde, 2005. 80 p - Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05 0080 M.pdf

BRUNNER, I.s. SUDDARTH, D. S. Tratado de Enfermagem Médico - Cirúrgica. 10B ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2005. Caminhos para uma Política de Saúde Mental Infanto-juvenil. /Ministério da Saúde. Série B. Textos Básicos em Saúde Brasília - DF-2005. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05 0379 M.pdf

CIANCIARULLO, Tâmara lwanow. Instrumentos Básicos para o Cuidar: um desafio para a qualidade de assistência- São Paulo: Editora Atheneu, 2003.

CIANCIARULLO, Tâmara lwanow. Sistema de Assistência de enfermagem: evolução e tendências. São Paulo: editora ícone, 2001.

COFEN - Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem, 1993.

COFEN - Lei n° 7.498, de 25 de junho de 1986.

ENG EL, Joyce - Avaliação em Pediatria - Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2002.

Guia de Vigilância Epidemiológica / Fundação Nacional de Saúde. 5. ed. Brasília: FUNASA, 2002. 842p. ISBN 85-7346-032-6 Disponível em http://portal.saude.aov.br/portal/arquivos/pdf/auia via epi vol I.pdf

Manual de Normas de Vacinação. 3. ed. Brasília: Ministério da Saúde: Fundação Nacional de Saúde; 2001 72p. http://dtr2001.saude.gov.br/svs/pub/pdfs/manu normas vac.pdf

MARTINS, Maria Aparecida - Manual de Infecção Hospitalar - Epidemiologia, Prevenção e Controle - 2 ed. _ Rio de Janeiro: Medsi, 2001.

MOZACHI, Nelson. O Hospital: manual do ambiente hospitalar. 18 ed. Curitiba: Os Autores, 2005.

Perspectiva da Eqüidade no Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal: Atenção à Saúde das Mulheres-Ministério da Saúde, 20p. 2005. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/s mulher.htm

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher - Princípios e Diretrizes - Ministério da Saúde 82p. 2004. Disponível em http://dtr2001.saude.aov.br/editora/produtos/livros/genero/s_mulher.htm

POTTER, Patrícia Ann - Semiologia em Enfermagem - 4° ed. Rio de Janeiro: Reichimann & Affonso Ed., 2002.

POTTER, Patrícia Ann e PERRY, Anne G. - Grande Tratado de Enfermagem Prática - Conceitos Básicos, Teoria e Prática Hospitalar, São Paulo, , 3ª. Edição, Ed. Santos, 1998.

Programa de Humanização do Parto: Humanização no Pré-Natal e Nascimento. Ministério da Saúde. 114 p. 2002. Disponível em http://dtr2001.saude.aov.br/editora/produtos/livros/genero/s mulher.htm

Resolução COFEN-172/1994 Normatiza a criação de Comissão de Ética de Enfermagem nas instituições de saúde - disponível em www.portalcofen.gov.br/ novoportal/section int.asp?InfoiD=81 &EditionSectionID=15&SectionParentlD=

ROUQUAYROL, Maria Zélia - Epidemiologia e Saúde- 6ª. Edição, - Rio de Janeiro: Medsi, 2003.

SANTOS, Iraci et aI - Enfermagem Assistencial no Ambiente Hospitalar: Realidade, questões, soluções - São Paulo, Ed. Atheneu, 2004-( Série Atualização em Enfermagem; v.2).

Saúde Mental e Economia Solidária: Inclusão Social no Trabalho - 1.ª. Edição, 1.á reimpressão Série D. Reuniões e Conferências Brasília - DF 2005.Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05 0661 M.pdf

Vigilância Ambiental em Saúde - Textos de Epidemiologia -Ministério da Saúde- 132 p., 2004. Disponível em http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/04 0177 M.pdf

CINTRA, Eliane de Araújo, et al. Assistência de Enfermagem ao Paciente Gravemente Enfermo. São Paulo: Editora Atheneu, 2001.

FIGUEREDO, Nébia Maria de. Administração de Medicamentos - Revisando uma Pratica de Enfermagem. São Paulo: Difusão Paulista de Enfermagem. Ed. COM. Ltda., 2001.

HERMANN, H. & PEGORARO, A. Enfermagem em Doenças Transmissíveis. São Paulo: EPU, 1986.

HUDAK, C.M.; GALLO, B.M. Cuidados Intensivos de Enfermagem: uma visão holística. 6ª. Edição, Rio de Janeiro, Editora: Guanabara Koogan, 1997.

KAWAMOTO, E.E. & FORTES, J.I. Fundamentos de Enfermagem. 2ª. Edição, São Paulo: EPU, 1986.

KURCGANT, Paulina. Administração em Enfermagem. São Paulo: Pedagógica Universitária, 1991.

MEEKER, A et al. Cuidados de Enfermagem ao Paciente Cirúrgico. 10 ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1997.

POTTER, Patrícia A et PERRY, Anne G. Grande Tratado de Enfermagem Prática Clinica e Prática Hospitalar. 3 ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Santos Editora, 2002.

ROQUAYROL, Maria Zélia. Epidemiologia e Saúde. 5 ed. Rio de Janeiro: Medsi, 2000.

SCHRAIBER, L. B. et al. Saúde do Adulto. Programas e Ações na Unidade Básica. São Paulo: Hucitec, 2000.

SMELTZER, S.C. e BARE, B.G. Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 8ª. Edição, Rio de Janeiro. Editora Guanabara Koogan, 1998, 2 vol.

WHALEY e WONG. Enfermagem Pediátrica. 5ª. Edição, Rio de Janeiro; Editora Guanabara Koogan, 1999.

MARX, Lore Cecilia; MORITA, Luiza Chitose. Manual de gerenciamento de enfermagem. São Paulo: Rufo, 1998.

GALANTE, Anderson Cleyton. Auditoria hospitalar do serviço de enfermagem. Goiânia: AB, 2005.

FONTINELE JÚNIOR, Klinger. Pesquisa em saúde: ética, bioética e legislação. Goiânia: AB, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. (Série B. Textos Básicos de Saúde).

SCLIAR, Moacyr et al. Saúde pública: histórias, políticas e revolta. São Paulo: Scipione, 2002. (Coleção Mosaico: ensaios & documentos).

ENFERMEIRO DO TRABALHO: 1. Exercício da enfermagem: Lei do exercício profissional; código de ética profissional; problemas éticos e deontológicos no exercício de Enfermagem; Bioética; 2. Sistematização do cuidado de enfermagem: plano de assistência de enfermagem. Processo de Enfermagem do Trabalho junto à saúde do trabalhador: atribuições do enfermeiro. Importância da atuação da Enfermagem do Trabalho na equipe multiprofissional. 3. A relação entre trabalho e saúde e a evolução histórica da saúde do trabalhador; 4. Política e Diretrizes para a saúde do trabalhador no Brasil: Constituição. Capitulo II - dos direitos sociais; Legislação geral e específica que orienta as ações de saúde e controle das doenças relacionadas ao trabalho. 5. Segurança e Medicina do Trabalho - Normas Regulamentadoras: NR4 - SESMT; NR5 - Cl PA; NR6 -EPI; NR7- PCMSO; NR9 - PPRA; NR15 - Atividades e operações insalubres; NR17 - Ergonomia; NR24- Condições sanitárias e de conforto nos locais de trabalho; NR32 - Segurança e saúde no trabalho em estabelecimentos de saúde; 6. Biossegurança: 7. Doenças e agravos relacionados ao trabalho: LER/DORT, Perda Auditiva Induzida por Ruído - PAIR; Dermatoses Ocupacionais; Transtornos mentais e do comportamento relacionados ao trabalho; Tuberculose; Hepatites; Doença pelo vírus da Imunodeficiência Humana - HIV;

BIBLIOGRAFIA:

1. Exercício da Enfermagem:

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Lei n° 7.498 de 25 de junho de 1986 - Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Disponível em < www.portalcofen.gov.br> Acesso em 3 de maio de 2007.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN n° 240/2000 - Aprova o Código de Ética dos profissionais de enfermagem dá outras providências. Disponível em < www.portalcofen.gov.br> Acesso em 3 de maio de 2007.

JUNIOR, K. F. Ética e bioética em enfermagem. Goiânia:AB, 2004.

2. Sistematização do cuidado de enfermagem:

HORTA, W.A. Processo de Enfermagem. São Paulo:EPU, 1979.

LUCAS, A.J. O processo de enfermagem do trabalho: a sistematização da assistência de enfermagem em saúde ocupacional. Ed.látria, 2004.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN n° 272/2002 - Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem - SAE - nas instituições de saúde brasileiras. Disponível em < www.portalcofen.gov.br> Acesso em 3 de maio de 2007.

3. A relação entre trabalho e saúde e a evolução histórica da saúde do trabalhador

MINAYO-GOMEZ, C.; THEDIM-COSTA, S.M. da F.; A construção do campo da saúde do trabalhador: percurso e dilemas. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.13, Supl. 2, p.21-32, 1997. Disponível em: <www.scielo.org >. Acesso em: 02 de abr. 2007. MENDES, R.; DIAS, E. C. Da medicina do trabalho à saúde do trabalhador. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.25, n.5, p.341-49, Out. 1991. Disponível em: <www.scielo.org >. Acesso em: 02 de abr. 2007.

4. Política e Diretrizes para a saúde do trabalhador no Brasil:

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, setembro de 1990. Disponível em: <www.saude.gov.br> . Acesso em: 02 de abr. 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Capítulo 1: Estatutos Federais. In: ____________________ Legislação em saúde: cadernos de legislação em saúde do trabalhador. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: < http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/livros.htm#I> Acesso em: 02 de abr. 2007.

5. Segurança e Medicina do Trabalho - Normas Regulamentadoras:

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Normas Regulamentadoras. Disponível em: <www.mte.gov.br> Acesso em: 02 de abr. 2007.

6. Biossegurança;

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Condutas: Exposição ocupacional a material biológico: Hepatite e HIV/ Coordenação Nacional de DST e AIDS. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 1999. Disponível em: < http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/livros.htm#I>. Acesso em: 02 de abr. 2007.

7. Doenças e agravos relacionados ao trabalho: BRASIL. Ministério da Saúde do Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2001. Disponível em: < http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/livros.htm#I>. Acesso em: 02 de abr. 2007.

MENDES, R. Patologia do Trabalho. São Paulo: Atheneu, 2003.

BULHÕES, I. Riscos do trabalho de enfermagem. Rio de Janeiro: Ivone Bulhões, 1998.

ENFERMEIRO DIARISTA INTENSIVISTA: O Papel Profissional do Enfermeiro de Unidade Intensiva, Gerenciamento de Enfermagem Aplicado à Terapia Intensiva, Ética, Bioética e Exercício Profissional da Enfermagem, Cuidado de Enfermagem Intensivo a Pacientes com Alterações Oncológicas, Cuidado de Enfermagem no Paciente Transplantado, Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Cliente na Analgesia, Sedação (Aplicada a UTI e C.C). Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Cliente com Disfunções Hematológicas e Coagulapatias. Farmacologia (Aplicada A UTI e C.C). Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Cliente com Distúrbios Hidro-Eletrolíticos e Metabólicos. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Paciente com Distúrbios Ventilatórios. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Paciente com Disfunções Cardiovasculares. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Paciente em Neurointensivismo. Sistematização da Assistência de Enfermagem no Nefrointensivismo. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Paciente com Comprometimento do Aparelho Gastrintestinal. Monitorização Invasiva e não Invasiva do Paciente Criticamente Enfermo. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Cliente com Infecção e SEPSE.

BIBLIOGRAFIA:

ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS. Ivone Evangelista Cabral (Rev.Tec.). Rio de Janeiro Reichmann & Afonso Editores, 2002.

AMANTE, Lúcia Nazareth; ROSSETTO, Annelise Paula; SCHNEIDER, Dulcinéia Ghizoni. Sistematização da Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva sustentada pela Teoria de Wanda Horta. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2009, vol.43, n.1, pp. 54-64. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/reeusp/v43n1/07.pdf>.

BANTON, Jane; BRADY, Cheryl; O'KELLEY, Sharon D. Terapia Intravenosa. Coleção Práxis Enfermagem. Ivan Lourenço Gomes (Trad.). Sonia Regina de Souza (Rev. Tec.). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agencia nacional de Vigilância Sanitária. Portaria n° 2.616/MS/GM, de 12 de maio de 1998. Estabelece diretriz e normas para a prevenção e o controle das infecções hospitalares. Disponível em: < www.anvisa.gov.br/ legis/portarias/ 2616_98.htm>.

BRUNNER, L.S. SUDDARTH, D. S. Tratado de Enfermagem Médico - Cirúrgica. 10B ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Lei n° 7498 de 25 de junho de 1986 - Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/node/4161>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Decreto n° 94.406, de 08 de junho de 1987 - Regulamenta a Lei n° 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/ node/4173>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN - 311/2007 - Código de Ética dos profissionais de enfermagem. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/ node/4345>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN - 272/2002 - Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem - SAE - nas Instituições de Saúde Brasileira. Disponível em: < http://site.portalcofen.gov.br/node/4309>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN - 292/2004 - Normatiza a atuação do Enfermeiro na Captação e Transplante de Órgãos e Tecidos. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/node/4328>.

DIAS, Fernando Suparregui et al. Parte II: monitorização hemodinâmica básica e cateter de artéria pulmonar. Rev. bras. ter. intensiva [online]. 2006, vo1.18, n.1, pp. 63-77. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/rbti/v18n1/a12v18n1.pdf>.

DIEPENBROCK, Nancy H. Cuidados Intensivos. Coleção Práxis Enfermagem. Denise de Assis Corrêa Sória (Rev. Tec). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

FRANÇA, F.C.V. et al. Implementação do diagnóstico de enfermagem na unidade de terapia intensiva e os dificultadores para enfermagem - relato de experiência. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2007; 9 (2): 537-46. Disponível em: <from:www.fen.ufg.br/revista/v9/n2/ v9n2a20.htm>.

OTTO, Shirley E. Oncologia. Ivan Lourenço Gomes e Maria Angélica Borges dos Santos (Trad.). Marléa Chagas Moreira (Rev. Tec.). Rio de Janeiro: Reichmann & Afonso Editores, 2002.

PEREIRA, Milca Severino et al. A Infecção Hospitalar e suas implicações para o Cuidar da Enfermagem. Texto Contexto Enferm, 2005 Abr-Jun; 14(2):250-7. Disponível eem : <www.scielo.br/pdf/tce/v14n2/a13v14n2.pdf>.

POTTER, Patrícia Ann e PERRY, Anne G. - Grande Tratado de Enfermagem Prática - Conceitos Básicos, Teoria e Prática Hospitalar. 3. ed. São Paulo: Santos, 1998.

SALES JUNIOR, João Andrade L.; GRUPO DE ESTUDO DE SEPSE DO FUNDO AMIB et al. Sepse Brasil: estudo epidemiológico da sepse em Unidades de Terapia Intensiva brasileiras. Rev. bras. ter. intensiva [online]. 2006, vo1.18, n.1, pp. 9-17. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/rbti/v18n1/a03v18n1.pdf>

SAKATA, Rioko Kimiko. Analgesia e sedação em unidade de terapia intensiva. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2010, vol.60, n.6, pp. 653-658. Disponível em: < www.scielo. br/pdf/rba/v60n6/v60n6a12.pdf>.

SPARKS, Sheila M.; Taylor, Cynthia M.; DYER, Janyce G. Diagnóstico em Enfermagem. Carlos Henrique Cosendey (Trad.). Maria Isabel Sampaio Carmagnani (Rev. Tec.). Rio de Janeiro: Reichmann & Afonso Editores, 2000.

TALBOT, Laura; MEYERS-MARQUARDT. Avaliação em Cuidados Críticos. Ivone Evangelista Cabral (Rev. Tec.). 3. ed. Rio de Janeiro Reichmann & Afonso Editores, 2001.

TANNURE, Meire Chucre; GONÇALVES. Ana Maria Pinheiro. SAE - Sistematizaçao da Assistência de Enfermagem: Guia Prático. 2. Ed., 2010 Editora Guanabara Koogan, 2010.

TRUPPEL, Thiago Christel et al. Sistematização da Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva. Rev. bras. enferm. [online]. 2009, v. 62, n.2, pp. 221-227. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/reben/v62n2/a08v62n2.pdf>.

ENFERMEIRO DIARISTA TERAPIA INTENSIVA NEONATAL: Estrutura física e materiais utilizados na UTI - neonatal e CTI-pediátrico segundo a ANVISA. Administração e gerenciamento em terapia intensiva neonatal e pediátrica. Humanização neonatal e pediátrica no cenário intensivista. Semiologia e Semiotécnica Pediátrica e Neonatal. Doenças maternas influenciando no desenvolvimento fetal e Distúrbios genéticos neonatais e pediátricos. Atenção a Saúde do Recém-Nascido de Baixo Risco. Atenção a Saúde do Recém-Nascido de Alto Risco. Oxigenoterapia, Termorregulação e Fototerapia neonatal. Prevenção e controle da hemorragia peri-intraventricular neonatal e Cuidados com a Pele do RN. Dor neonatal. Aleitamento materno. Farmacologia aplicada à neonatologia e pediatria no cenário intensivista. Assistência de enfermagem à criança e ao adolescente críticos: patologias relacionadas ao SNC, patologias relacionadas ao sistema cardiovascular. patologias relacionadas ao sistema respiratório. patologias relacionadas ao sistema digestório. patologias relacionadas ao sistema genito-urinário. patologias relacionadas ao sistema endócrino. Terapia intravenosa neonatal e pediátrica. Cirurgias incidentes relacionadas aos RNs, crianças e adolescentes internados numa unidade de terapia intensiva.

BIBLIOGRAFIA:

BAGGIO,M. A.; BAZZI, F. C. S.; BILIBIO, C. A. C. Cateter central de inserção periférica: descrição da utilização em UTI Neonatal e Pediátrica. Rev Gaúcha Enferm., Porto Alegre (RS) 2010 mar;31(1):70-6.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Neonatologia: Critérios nacionais de infecção relacionadas à assistência à saúde. Disponível em: < www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/manual_definicao_criterios_nacionais_infec%E7%F5es_relacionadas_assistencia_sau de_neonatologia.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Coordenação Materno-Infantil. Manual de Assistência ao Recém-Nascido. Brasília, 1994. Disponível em: <http://abenfo.redesindical.com.br/arqs/manuais/083.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução-RDC n° 7, de 24 de Fevereiro de 2010. Dispõe sobre os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva e dá outras providências. Disponível: <www.brasilsus.com.br/legislacoes/rdc/102985-7>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Pediatria: prevenção e controle de infecção hospitalar. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: <www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/manual pediatria.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área da Saúde da criança. Atenção Humanizada ao recém-nascido de baixo peso: Método mãe canguru: manual do curso. Brasilia, 2002. Disponível em: <www.redeblh.fiocruz.br/media/manual canguru.pdf>.

CARDOSO, Juliana Maria Rêgo Maciel et al. Escolha de veias periféricas para terapia intravenosa em recém-nascidos pela equipe de enfermagem. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste - Rev Rene. Fortaleza, 2011 abr/jun; 12(2):365-73. Disponível em: < www.revistarene.ufc.br/vol12n2_html_site/a19v12n2.htm>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN - 311/2007 - Código de Ética dos profissionais de enfermagem. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/ node/4345>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN - 272/2002 - Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem - SAE - nas Instituições de Saúde Brasileira. Disponível em: < http://site.portalcofen.gov.br/node/4309>.

DUTRA, Adauto. Semiologia Pediátrica. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2010.

FIGUEIREDO, Nébia Maria Almeida de. Ensinando a Cuidar da Mulher e do Recém-Nascido. São Paulo: Difusão Paulista de Enfermagem, 2003.

GESTEIRA, Aspásia Basile (Org.). Enfermagem em Neonatologia: temas relevantes. São Paulo: Martinari, 2010.

KENNER, Carole. Enermagem Neonatal. Maria Isabel Sampaio Carmagnani, Celina Castagnari Marra e Marta J. Avena (Rev. Tec.). 2. ed. Rio de Janeiro: Reichmann & Afonso Editores, 2001.

LAMEGO, Denyse T. C.; DESLANDES, Suely F.; MOREIRA, Maria Elisabeth L. Desafios para a humanização do cuidado em uma unidade de terapia intensiva neonatal cirúrgica. Ciência e Saúde Coletiva, 10 (3) 669-675, 2005. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/csc/v10n3/a23v10n3>

OLIVEIRA, Reinaldo Gomes de. Blackbook Pediatria. 4. ed. Black book Editora, 2011.

REICHERT, Altamira Pereira da Silva; LINS, Rilávia Nayara Paiva; COLLET, Neusa. Humanização do Cuidado da UTI Neonatal. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 09, n. 01, p. 200 - 213, 2007. Disponível em: <www.fen.ufg.br/revista/v9/n1/v9n1a16. htm>.

RIBEIRO, Erlane Marques e colaboradores. Manual de Neonatologia. Ceará: Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte, 2005. Disponível em: <http://portalneonatal.com.br/livros/ arquivos/Neonatologia/ManualdeNeonatologia-UFJN2005.pdf>.

RODRIGUES, Zaira Simas; CHAVES, Edna Maria Camelo; CARDOSO, Maria Vera Lúcia Moreira Leitão. Atuação do enfermeiro no cuidado com o cateter central de inserção periférica no recém-nascido. Rev. bras. enferm.[online]. 2006, vol.59, n.5, pp. 626-629. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/reben/v59n5/v59n5a06.pdf>.

SPARKS, Sheila M.; Taylor, Cynthia M.; DYER, Janyce G. Diagnóstico em Enfermagem. Carlos Henrique Cosendey (Trad.). Maria Isabel Sampaio Carmagnani (Rev. Tec.). Rio de Janeiro: Reichmann & Afonso Editores, 2000.

ENFERMEIRO DIARISTA CENTRO-CIRÚRGICO: O Papel Profissional do Enfermeiro de Centro Cirúrgico. Sistematização da Assistência de Enfermagem no CC. Suporte Básico e Avançado de Vida. Administração do Centro Cirúrgico. Enfermagem no Centro Cirúrgico. Central de Material E Esterilização (CME). Controle de Infecção Hospitalar em Centro Cirúrgico. Enfermagem Cirúrgica em Hospital Dia. Processo de Cuidar na Recuperação Pós-Anestésica (RPA). Assistência de Enfermagem ao Paciente no Pré-Operatório. Assistência de Enfermagem ao Paciente no Trans e Pós-Operatório.

BIBLIOGRAFIA:

BRASIL. Ministério da Saúde. Orientações gerais para central de esterilização. Brasília; 2001. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/orientacoes gerais_central_ esterilizacao_pl.pdf>. < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/orientacoes_gerais_central_ esterilizacao_p2.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar. Caderno A: Epidemiologia para o Controle de Infecção Hospitalar. DispoNÍVEL em:< www.cvs.saude.sp.gov.br/pdf/CIHCadernoA.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar. Caderno B: Principais Síndromes Infecciosas Hospitalares. Disponível em: <www.cvs.saude.sp.gov.br/pdf/CIHCadernoB.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar. Caderno C: Métodos de Proteção Anti-Infecciosa. Disponível em: <www.cvs.saude.sp.gov.br/pdf/CIHCadernoC.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar. Caderno D: Microbiologia Aplicada ao Controle de Infecção Hospitalar. Disponível em: <www.cvs.saude.sp.gov.br/pdf/CIHCadernoD.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar.Caderno E: Programa do Controle de Infecção Hospitalar. Disponível em: <www.cvs.saude.sp.gov.br/pdf/CIHCadernoE.pdf>.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR 32 - Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Disponível em: <http://portal.mte.gov.br/data/files/8A7C812D3226A41101323B5152AF4497/nr_32.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS n.° 44, de 10 de janeiro de 2001. Aprova no âmbito do Sistema Único de Saúde a modalidade de assistência - Hospital Dia. Disponível em: <www.saude.mg.gov.br/atos_normativos/legislacao-sanitaria/estabelecimentos-de-saude/hospitais/PORTARIA_044.pdf>.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agencia nacional de Vigilância Sanitária. Portaria n° 2.616/MS/GM, de 12 de maio de 1998. Estabelece diretriz e normas para a prevenção e o controle das infecções hospitalares. Disponível em: < www.anvisa.gov.br/legis/portarias/ 2616_98.htm>.

BRUNNER, L.S. SUDDARTH, D. S. Tratado de Enfermagem Médico - Cirúrgica. 10B ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

CARVALHO R, BIANCHI ERF. Enfermagem em Centro Cirúrgico e Recuperação. Barueri: Editora Manole, 2007.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Lei n° 7498 de 25 de junho de 1986 - Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/node/4161>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Decreto n° 94.406, de 08 de junho de 1987 - Regulamenta a Lei n° 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/ node/4173>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN - 311/2007 - Código de Ética dos profissionais de enfermagem. Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/node/4345>.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN - 272/2002 - Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem - SAE - nas Instituições de Saúde Brasileira. Disponível em: < http://site.portalcofen.gov.br/node/4309>.

FIGUEIREDO, Nébia Maria Almeida de. Ensinando a cuidar de clientes em situações clínicas e cirúrgicas. São Paulo: Difusão Paulista de Enfermagem, 2003.

JORGE, Mariana Campagnoli; MÔNACO, Talita Gonçalves; MENDES, Ana Márcia C. Qualidade no atendimento pelo enfermeiro no hospital-dia. Rev lnst Ciênc Saúde 2008; 26(1):27-34. Disponível em: < www.unip.br/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2008/01 jan_mar/ V26_N1_2008_p27-34.pdf>.

MONTOVANI, Mario. Suporte Básico e Avançado de Vida no Trauma. Rio de Janeiro: Atheneu,

POSSARI, João Francisco. Assistência de enfermagem na recuperação pós-anestésica. São Paulo: látria, 2003. POSSARI, João Francisco. Centro cirúrgico: planejamento, organização e gestão. 4. ed. São Paulo: látria, 2009.

POSSARI, João Francisco. Centro de material e esterilização: planejamento e gestão. 2. ed. São Paulo: látria, 2005.

POTTER, Patrícia Ann e PERRY, Anne G. - Grande Tratado de Enfermagem Prática - Conceitos Básicos, Teoria e Prática Hospitalar. 3. ed. São Paulo: Santos, 1998.

QUILICI, Ana Paula. TIMERMAN, Sergio. BLS Suporte Básico de Vida - Primeiro Atendimento na Emergência para Profissionais da Saúde. Barueri: Editora Manole, 2011.

SANTOS, Nivea Cristina Moreira. Centro Cirúrgico e os Cuidados de Enfermagem. 5. ed. São Paulo: Editora latria, 2003.

SILVA, Denise Conceição; ALVIM, Neide Aparecida Titonelli. Ambiente do Centro Cirúrgico e os elementos que o integram: implicações para os cuidados de enfermagem. Rev. bras. enferm. [online]. 2010, vol.63, n.3, pp. 427-434. Disponível em: < www.scielo.br/pdf/reben/v63n3/a13v63n3.pdf>.

TANNURE, Meire Chucre; GONÇALVES. Ana Maria Pinheiro. SAE - Sistematizaçao da Assistência de Enfermagem: Guia Prático. 2. Ed., 2010 Editora Guanabara Koogan, 2010.

FARMACÊUTICO: Farmacologia: Farmacocinética: Absorção, distribuição e eliminação de fármacos. Farmacodinâmica: Mecanismos de ação de fármacos. Princípios básicos da toxicologia: tratamento de intoxicações. Fármacos que atuam no sistema nervoso autônomo e sistema nervoso central. Fármacos utilizados no sistema urinário, cardiovascular, gastrointestinal, respiratório, reprodutor e hematopoéitico. Quimioterapia: antimicrobiana, antineoplásica e antiparasitária. Vitaminas. Farmacotécnica: Formas farmacêuticas obtidas por divisão mecânica: pós, comprimidos, drágeas e cápsulas. Formas farmacêuticas obtidas por dispersão mecânica: emulsões, suspensões e aerossol. Soluções, extratos, tinturas e xaropes. Pomadas, cremes e pastas. Outras formas farmacêuticas: supositórios, colírios e injetáveis. Desenvolvimento farmacêutico: sistema de liberação de fármacos, estabilidade, preservação e aditivos utilizados em medicamentos. Boas Práticas de Fabricação e controle de qualidade na produção de medicamentos. Farmácia hospitalar: Controle de infecções hospitalar; uso racional de antibióticos terapêuticos e profiláticos, técnicas de esterilização e desinfecção. Estrutura organizacional e funções da farmácia hospitalar: seleção, aquisição, armazenamento, manipulação, distribuição e informações sobre medicamentos. Estudo de utilização de medicamentos. Farmácia Clínica. Nutrição Parenteral, Quimioterapia antineoplásica e manipulação de outras misturas intravenosas. Farmacovigilância. Biossegurança: equipamentos de proteção individual e equipamentos de contenção, mapas de risco. . Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Legislação Farmacêutica: Regulamento técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Nutrição Parenteral. Medicamentos genéricos. Relação Nacional de Medicamentos Essenciais. Atenção e Assistência Farmacêutica. Ética Farmacêutica

BIBLIOGRAFIA:

COUTO, R. C. Infecção hospitalar - Epidemiologia. Controle, Gestão para a Qualidade. 2. ed. Editora MEDSI. 1999. Rio de Janeiro.

GOODMAN & GILMAN. As bases Farmacológicas da Terapêutica. Decima primeira edição. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro.

Noções de Farmácia Galênica de A.LE HIR.

Antibioticoterapia de Enio Roberto Pietra Pedrosa e Manoel Otavio da Costa.

Código de Ética Farmacêutica - Site do Conselho Federal de Farmácia - www.cff.org.br

Site da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) - www.anvisa.com.br

Guia Básico Para Farmácia hospitalar do Ministério da Saúde.

Infecção Hospitalar - Enio Roberto Pietra Pedroso.

Farmacologia Clinica Incrivelmente Facil - Editora Guanabara Koogan.

Quimioterápicos na Clínica Diária - Almir Lourenço da Fonseca - Editora de Publicações Biomédicas LTDA - Primeira Edição -1999. Guia Pratico de Farmácia Magistral - Anderson de Oliveira Ferreira - Segunda Edição.

Infecção Hospitar: Epidemiologia e Controle - Couto, Renato Camargos, Pedrosa, Tania M. Grillo Nogueira, Jose Mauro - Rio de Janeiro - Medsi.

Qualidade da Assistência Médico-Hospitalar - Uriel Zanon - Editora Medsi.

FARMACÊUTICO HOMEOPATA: Introdução contexto histórico, Hahnemann (vida e obra); - Fundamentos da Homeopatia, conceito da Saúde e Doença; - Formas farmacêuticas básicas; - Homeopatia e Imunologia terapêutica do terreno; - O medicamento dinamizado: escalas e métodos; - Considerações teóricas e respeito do método Cinquintamilesimal; - Formas farmacêuticas derivadas; - O medicamento homeopático: conservação, prescrição, posologia e dispensação; - Boas Práticas de Fabricação (G.M.P.) para Farmácia/Laboratório Homeopático; - Controle de qualidade dos insumos inertes e ativos; - Controle de qualidade; - Bioterápicos; - Considerações teóricas a respeito das formas farmacêuticas para uso externo. Farmacopéias Homeopáticas, requisitos para a Farmácia Homeopática, Legislação; - Insumos homeopáticos e sua origem, Nomenclatura, Símbolos e Abreviaturas; - Formas farmacêuticas básicas; - Tintura-mãe: preparação; - Trituração preparação; - Solução e Tintura-mãe: preparação; - O processo de diluição e dinamização: preparação de formas farmacêuticas derivadas; - Cinquentamilesimal:preparação; - O medicamento homeopático aviamento; - Controle de qualidade dos insumos inertes; - Controle de qualidade dos insumos ativos; - Formas farmacêuticas para uso externo: preparação.

BIBLIOGRAFIA:

BENVENISTE,J.;RESÉNDIZ,J.S. Temas de Investigación en Homeopatía. México: Propulsora de Homeopatía, 1991. CAPRA,F. O Ponto de Mutação. São Paulo: Cultrix.

CAPRA,F. O Tao da Física. São Paulo: Cultrix.

CHARETTE,G. La Matière Médicale Homeopathique Expliquée. Paris: Le François, 1979.

DANTAS,F. O que é Homeopatia. São Paulo: Brasiliense, 1984.

DEMARQUE,D. Homeopatia: Medicina de Base Experimental. Rio de Janeiro: Gráfica Olímpica, 1973.

DUPRAT,H. A Teoria e a Técnica da Homeopatia. Rio de Janeiro: Gráfica Olímpica, 1974.

EIZAYAGA,F.X. Tratado de Medicina Homeopatica. 2.ed. Buenos Aires: Marecel, 1981.

FARMACOPÉIA Brasileira. I, II, III e IV ed.

FARMACOPÉIA Homeopática Brasileira. São Paulo: Andrei, 1977.

FARMACOPÉIA Homeopatica de Dr. Willmar Schwabe. 2.ed. Leipzig, 1929.

GROSSO,A.J. Paginas de Medicina Homeopatica. 2.ed. Buenos Aires: El Ateneo, 1987.

HAHNEMANN,C.S.F. Organon da Arte de Curar. 6.ed. São Paulo: G.E.H.Benoit Mure, 1980.

HAHNEMANN,C.S.F. Doenças Crônicas - sua Natureza Peculiar e sua Cura Homeopática. 3.ed. São Paulo: G.E.H. Benoit Mure, 1990.

HELMAN,J. Farmacotecnia Teórica y Pratica. Mexico: Continental, 1981.

JAHR,G.H.G. Farmacopea Homeopática. Madrid: Miraguano, 1987.

JULIAN,O.A. Traité de Micro-Immunothèrapie Dynamisée. Paris: Le François, 1977. Tomo 1 e 2.

KENT,J.T. Homeopatia - Doctrina. Venezuela: EBVC, 1986.

KENT,J.T. Filosofia Homeopatica. Madrid: Bailly-Bailliere, 1926.

LANUZA,M.M.D.N.G.; SUAREZ,R.B. Tratado de Farmacotecnia Homeopatica. Buenos Aires, 1962.

MARTINEZ,J.A. Pharmacompendium Homeopatico. Buenos Aires: Albatros, 1990.

NETIEN,G.;TRAISNEL,M.;VERAIN,A. Galenica 16 - Médicaments Homeopathiques - Notions Pratiques de Pharmacie Homeopathique. 2.ed. Paris: Technique et Documentation, 1986.

NOVAES,R.L. O Tempo e a Ordem: sobre a Homeopatia.São Paulo: Cortez, 1989.

POITEVIN,B. Le Devenir de L'Homéopathie - Éléments de Théorie et de Recherche. Paris: Doin, 1987.

POZETTI,G.L. Notas de Farmácia Homeopática. Ribeirão Preto: I.H.François Lamasson, 1990.

POZETTI,G.L. Controle de Qualidade em Homeopatia. Ribeirão Preto: I.H.François Lamasson, 1989.

POZETTI,G.L. Complexos e Complexismo. Ribeirão Preto: IHFL, 1993.

PRISTA,L.N.;ALVES,A.C.;MORGADO,R. Técnica Farmacêutica e Farmácia Galênica. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1975. 2v.

SILVA,J.B. Farmacotécnica Homeopática Simplificada. Rio de Janeiro: Imprinta, 1977.

ST. PASTEUR,J.B. Homeopatia Medicina del Terreno. Caracas: Ed. de la Biblioteca, 1977.

TETAU,M. Homeopatia - Pequeno Compêndio. 6.ed. São Paulo: Andrei, 1980.

TETAU,M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 1983.

VANNIER,L. Tratado de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Andrei, 1987.

VITHOULKAS,G. Homeopatia: Ciência e Cura. São Paulo: Cultrix.

Manual, revistas e periódicos:

"Manual de Normas Técnicas para Farmácia Homeopática" - publicado pela Associação Brasileira de

Farmacêuticos Homeopatas, 1.ed. (1992) e 2.ed. (1995).

"Revista de Homeopatia" - publicada pela Associação Paulista de Medicina.

"Revista de Homeopatia" - publicada pelo Instituto Hahnemanniano do Brasil.

"La Homeopatía de México" - publicada pela Propulsora de Homeopatía, Cidade do México.

FISIOTERAPEUTA: Legislação coffito. anatomia e fisiologia humana geral. histologia, neurofisiologia. biomecânica geral e cinesiologia. fisioterapia aplicada à: pediatria, neurologia, adulto e pediátrica; á traumato-ortopedia; reumatologia; aparelho cardiorrespiratório ambulatorial e cti (adulto e neonatal); ginecologia e obstetrícia, dermato-funcional . eletroterapia, termoterapia. fototerapia, hidroterapia, cinesioterapia, osteopatia, recursos terapêuticos manuais, métodos de reeducação postural, disfunções crânio-cervico-mandibulares, fisioterapia do trabalho e ergonomia.

BIBLIOGAFIA:

NETTER, F. Atlas de Anatomia Humana. Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.

JUNQUEIRA L., Anatomia Palpatória: Tronco, Pescoço, Ombro e Membros Superiores. Rio de Janeiro:Guanabara Koogan, , 2004.

JUNQUEIRA L., Anatomia Palpatória: Pelve e Membros Inferiores., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002

BUSQUET, L. As Cadeias Musculares. Belo Horizonte: Busquet. 2001. 4 v

HAMILL & KNUTZEN Bases biomecânicas do movimento humano. São Paulo: Manole, 1999.

HOPPENFELD, S. Propedêutica ortopédica, coluna e extremidades. São Paulo: Atheneu, 1997.

KISNER, Colby. Exercícios Terapêuticos. Fundamentos e Técnicas.São Paulo: Manole, 2001.

MCARDLE, W. Fisiologia do exercício: Energia, nutrição e desempenho humano. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

GUYTON. Tratado de Fisiologia Médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

HEBERT, S. Ortopedia e Traumatologia.Porto Alegre:Artmed, 2003.

ANDREWS. Reabilitacao fisica das lesoes desportivas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

KNIGHT. Crioterapia no Tratamento das Lesões Esportivas Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

PRENTICE, W.; Técnicas de Reabilitação em Medicina Desportiva. São Paulo: Manole 2003

FLECK, S. Fundamentos Do Treinamento De Força Muscular. Porto Alegre: Artmed. 2002.

BIENFAIT, M.As Bases da Fisiologia da Terapia Manual. São Paulo: Summus,2000.

STOLLER. Fundamentos da terapia respiratória de EGAN , São Paulo: Manole. 2000

BUTLER, D.S. Mobilização do Sistema Nervoso. São Paulo: Manole, 2003.

ADLER, S. PNF - Método Kabat: Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva. São Paulo: Manole, 1999.

LUNDY-EKMAN, L. Neurociência: Fundamentos para a Reabilitação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

DAVIES, P. Recomeçando outra vez. São Paulo: Manole, 1997.

LUNDY-EKMAN, L. Neurociência: Fundamentos para a Reabilitação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

TECKLIN. Fisioterapia Pediátrica. Porto Alegre: Artmed. 2003.

GRANDJEAN, E. Manual de Ergonomia - Adaptando o Trabalho ao Homem,. Porto Alegre: Artmed, 2001

MURPHY, W. Princípios Ao do Tratamento De Fraturas. Porto Alegre. ARTMED, 2002.

STARKEY. Recursos Terapêuticos em Fisioterapia. São Paulo: Manole, 2001.

BECKER, B. Terapia Aquática Moderna. São Paulo:Manole,2000

BOCCOLINI, Fernando.Reabilitação : amputados amputações próteses.São Paulo: Robe, 2000

BANCKS K, Maitland.G. Manipulação vertebral de maitland. Rio de Janeiro: Medici,2002.

MAGEE, David J.. Avaliação Musculoesquelética. São Paulo, Manole, 2002

FISIOTERAPEUTA DIARISTA - TERAPIA INTENSIVA ADULTO: Anatomia, Cinesiologia e Cinesioterapia , fisiologia e fisiopatologia dos órgãos e sistemas;Eletroterapia; Princípios de avaliação e fundamentos do tratamento fisioterapêutico aplicados à neurologia, pneumologia, doenças cardio-pulmonares, doenças músculo-esqueléticas, ginecologia, obstetrícia e oncologia; Princípios e fundamentos do tratamento cinesioterapêutico nas afecções motoras e respiratórias ambulatoriais e hospitalares. Amputados .Princípios e fundamentos do tratamento fisioterapêutico nas clínicas pré e pós-cirúrgicas oncológicas, , cardiopulmonares e nos politraumas; Princípios do atendimento em fisioterapia respiratória e ventilação mecânica em UTI geral, cardíaca.

BIBLIOGRAFIA:

STOLKS, M.Neurologia para fisioterapeutas. São Paulo: Premier, 2000;

CAMARGO, M. ; Marx, A. Reabilitação física no câncer de mama. São Paulo: Roca, 2000;

GUYTON, ARTHUR C. ; Hall,JOHN E. Tratado de Fisiologia Médica. 10 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

KITCHEN, S. Eletroterapia: Prática baseada em evidências.) l ed. Manole

KNOBEL, E. Condutas no paciente grave. 3 ed., Vol. 1 e 2. São Paulo: Atheneu, 2006.

MACHADO, M.G.R. Bases da fisioterapia respiratória - Terapia intensiva e reabilitação. 1 B. ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2008.

SCANLAN, C.L.; WILKINS, R.L.; STOLLER, J.K. Fundamentos da terapia respiratória de Egan. 1 ed.

São Paulo: Manole, 2000.

SARMENTO, G.J.V. Fisioterapia respiratória no paciente crítico. 2 ed. São Paulo: Manole, 2007.

STOLKS, M. Neurologia para fisioterapeutas. São Paulo: Premier, 2000.

DeTURK, W. E., CAHALIN, L.P. Fisioterapia cardiorrespiratória: Baseada em evidências. 1 ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SARMENTO, George J. V.;VEGA, Joaquim M.; LOPES, N. S., Fisioterapia em UTI. São Paulo: Atheneu, 2010.

TANAKA, E.D. ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA INTENSIVA NO GRANDE QUEIMADO. www.sobrati.com.br/trabalho26.htm

WEISS, E.L.; SMITH, L.K.; LEHMKUHL, L.D. Cinesiologia Clínica de Brunnstrom. 5ed.São Paulo:Manole.

FISIOTERAPEUTA DIARISTA - TERAPIA INTENSIVA NEONATALJPEDIATRA: Anatomia, Cinesiologia e Cinesioterapia , fisiologia e fisiopatologia dos órgãos e sistemas;Eletroterapia; Princípios de avaliação e fundamentos do tratamento fisioterapêutico aplicados à neurologia, neuropediatria, neonatalogia, pneumologia, doenças cardio-pulmonares, doenças músculo-esqueléticas, ginecologia, obstetrícia e oncologia; Princípios e fundamentos do tratamento cinesioterapêutico nas afecções motoras e respiratórias ambulatoriais e hospitalares. Amputados .Princípios e fundamentos do tratamento fisioterapêutico nas clínicas pré e pós-cirúrgicas oncológicas, neuropediátricas, cardiopulmonares e nos politraumas; Princípios do atendimento em fisioterapia respiratória e ventilação mecânica em UTI geral, cardíaca e neo-natal.

BIBLIOGRAFIA:

STOLKS, M.Neurologia para fisioterapeutas. São Paulo: Premier, 2000;

CAMARGO, M. ; Marx, A. Reabilitação física no câncer de mama. São Paulo: Roca, 2000;

GUYTON, ARTHUR C. ; Hall,JOHN E. Tratado de Fisiologia Médica. 10 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

KITCHEN, S. Eletroterapia: Prática baseada em evidências.) l ed. Manole

KNOBEL, E. Condutas no paciente grave. 3 ed., Vol. 1 e 2. São Paulo: Atheneu, 2006.

MACHADO, M.G.R. Bases da fisioterapia respiratória - Terapia intensiva e reabilitação. 1 B. ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2008.

SCANLAN, C.L.; WILKINS, R.L.; STOLLER, J.K. Fundamentos da terapia respiratória de Egan. 1ed.

São Paulo: Manole, 2000.

SARMENTO, G.J.V. Fisioterapia respiratória no paciente crítico. 2 ed. São Paulo: Manole, 2007.

STOLKS, M. Neurologia para fisioterapeutas. São Paulo: Premier, 2000.

DeTURK, W. E., CAHALIN, L.P. Fisioterapia cardiorrespiratória: Baseada em evidências. 1ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SARMENTO, George J. V.;VEGA, Joaquim M.; LOPES, N. S., Fisioterapia em UTI. São Paulo: Atheneu, 2010.

SARMENTO, G.J.V. Fisioterapia respiratória em pediatria e neonatologia. 1ed. São Paulo: Manole,2007.

LAHOZ, A.L.C. ET AL. Fisioterapia em UTI pediátrica e neonatal. 1ed Barueri: Manole, 2009.

WEISS, E.L.; SMITH, L.K.; LEHMKUHL, L.D. Cinesiologia Clínica de Brunnstrom. 5ed.São Paulo:Manole.

FONOAUDIOLOGO: Código de ética; Audição: anatomofisiologia, desenvolvimento, avaliação e diagnóstico audiológico, indicação, seleção e adaptação de aparelhos de amplificação sonora individual, processamento auditivo, audiologia educacional; Linguagem oral e escrita: anatomofisiologia, aquisição e desenvolvimento, avaliação, diagnóstico e tratamento dos distúrbios da aquisição e desenvolvimento e dos distúrbios neurológicos adquiridos da linguagem; Sistema miofuncional orofacial e cervical, Fala, Fluência e Voz: anatomofisiologia, desenvolvimento, avaliação, diagnóstico e tratamento de seus distúrbios; Promoção da saúde fonoaudiológica e prevenção dos distúrbios da comunicação humana; Intervenção fonoaudiológica no ambiente hospitalar.

BIBLIOGRAFIA:

ANDRADE, C. R. F. Gagueira Infantil - Risco, Diagnóstico e Programas Terapêuticos. Barueri: Pró-Fono, 2006.

BEHLAU, M. GASPARINI, G. A VOZ do Especialista III. Rio de Janeiro: Revinter, 2006.

BEHLAU, M. (org). Voz - O Livro do Especialista. Volume 2. Rio de Janeiro: Revinter, 2005.

BRAGA, L.W. PAZ JÚNIOR, A. C. Método SARAH - Reabilitação Baseada na Família e no Contexto da Criança com Lesão Cerebral. São Paulo: Santos, 2008.

COSTA, M.; CASTRO, L. P. Tópicos em Deglutição e Disfagia. Rio de Janeiro: Medsi, 2003.

ELLIS, A. Leitura, Escrita e Dislexia - Uma Análise Cognitiva. 2ª. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

FERREIRA, L.P.; BEFI-LOPES, D.M.; LIMONGI, S.C. (orgs). Tratado de Fonaudiologia. São Paulo: Roca, 2004.

FROTA, S. Fundamentos em Fonoaudiologia - Audiologia. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

FROTA, S.; GOLDFELD, M. O Ouvir e o Falar: Enfoques em Audiologia e Surdez. Volume 3. São Paulo: AM3, 2006.

FURKIM, A. M. Disfagias Orofaríngeas. Volume 2. Barueri: Pró- Fono, 2008.

GOLDFELD, M. Fundamentos em Fonoaudiolgia - Linguagem, 2ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

MARCHESAN, I. Q. Fundamentos em Fonoaudiologia - Aspectos Clínicos da Motricidade Oral. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

MELLO C. B., MIRANDA, M. C., MUSZKAT, M. Neuropsicologia do desenvolvimento: conceitos e abordagens. São Paulo: Memnon, 2005.

MURDOCH, B. E. Disartria - Uma Abordagem Fisiológica para Avaliação e Tratamento. São Paulo: Lovise, 2005.

PINHO, S. M. R.; TSUJI, D. H.; BOHADAMA, S. C. Fundamentos em Laringologia e Voz. Rio de Janeiro: Revinter, 2005. ORTIZ, K. Z. (org). Distúrbios Neurológicos Adquiridos - Linguagem e Cognição. Barueri: Manole, 2005.

ORTIZ, K. Z. (org). Distúrbios Neurológicos Adquiridos - Fala e Deglutição. Barueri: Manole, 2006.

PENA-CASANOVA, J.; PAMIES, M. P. Reabilitação da Afasia e Transtornos Associados. Barueri: Manole, 2005.

PINHO, S. M. R. Fundamentos em Fonoaudiologia - Tratando os Distúrbios da Voz. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

SANTOS, M. T. M.; NAVAS, A. L. G. P. Distúrbios de Leitura e Escrita - Teoria e Prática. Barueri: Manole, 2002.

MÉDICO VETERINÁRIO: Doenças Infecto-contagiosas; Doenças parasitárias; Clínica Médica e Cirúrgica; Soros, vacinas e alérgenos; Exploração zootécnica de animais de importância econômica; Técnicas Radiológicas; Ginecologia e Obstetrícia Veterinária; Diagnóstico, prevenção e controle de enfermidades; Vigilância sanitária; Epidemiologia e bioestatística; Inspeção Industrial e sanitária de produtos de origem animal; Regulamento técnico e procedimentos da inspeção.

BIBLIOGRAFIA:

ACHA, P. N. & SZYFRES, B. Zoonosis y enfermedades transmisible comunes al hombre y a los animales. 2ª. ed. Publicação Científica n° 503 da Organização Panamericana de Saúde. Washington. DC. EUA. 1986.

ANDRADE, C. M. Meios e Soluções Comumente Empregados em Laboratórios. 1ª. Edição, Seropédica. Ed. Universidade Rural. 2000.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Defesa Agropecuária, Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Portaria n. 368 de 4 de setembro de 1997 (Regulamento Técnico sobre as Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de elaboração para Estabelecimentos Elaboradores / Industrializadores de alimentos). Disponível em www.scribd.com/doc/3194328/RIISPOA

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Defesa Agropecuária, Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Portaria n. 185, de 13 de maio de 1997. (Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Peixe Fresco (inteiro e eviscerado). Disponível em http://extranet.agricultura.gov.br/sislegis-consulta/servletNisualizarAnexo?id=2157 BRASIL, Ministério da Agricultura e do Abastecimento - Secretaria de Defesa Agropecuária, Departamento de Defesa Animal. Coord. De Vigilância e Programas Sanitários. Legislação de Defesa Sanitária animal - Programa Nacional de Sanidade Avícola . Maio de 2002. Disponível em: www.defesaagropecuaria.al.gov.br/programas/ares-animal/programa-nacional-de-sanidade-avícola-pnsa/ BRASIL, Ministério da Agricultura - Normas técnicas para o controle da raiva dos herbívoros domésticos. Disponível em http://extranet.agricultura.gov.br/sislegis-consulta/servleW isualizarAnexo?id=1953

CRMV-MG. Cadernos técnicos de Veterinária e Zootecnia. FEP MVZ ed., n.944, 2004,117 p.

DOUGLAS, S. W.; WILLIAMSOM, H. D. Radiografia Veterinária, Ed. Guanabara Koogan, 3ª. Edição, 1983.

DUNCAN, J. R.; PRASSE, K. W. Patologia Clínica Veterinária. Ed. Guanabara Koogan, 217 p. 1982.

ETTINGER, S. J.; FELDMAN, E. C. Textbook of Veterinary Internai Medicine: Diseases of the Dog and Cat. 5 ed, W B Saunders Co, 2000.

ITAL, SBCTA, UNISANTOS. Controle de qualidade de pescado. Seminário sobre controle de qualidade na indústria de pescado. Ed. Loyola, São Paulo, 1988, 303 p.

FORTES, E. Parasitologia veterinária. Ed. ícone, São Paulo, 3.ª. Edição, , 1997, 686 p.

FRASER, C.M. Manual Merck de Veterinária. Ed. Roca, São Paulo, 1991, 1803 p.

JAWETZ, E.; MELNICK, J. L. & ADELBERG, E. A. Microbiologia Médica. 20ª. ed. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro. RJ. 524 pgs. 1998.

LENNETTE, E. H.; LENNETTE, D. A. & LENNETTE, E. T. Diagnostic Procedures for Virai, Rickettsial and Chlamydial Infections. 7`h Ed. American Public Health Association. Washington. DC. USA. 1995.

MEDRONHO, R.A.; CARVALHO, D.M.; BLOCH, K.V.; LUIZ, R.R. & WERNECK, G.L. Epidemiologia. Ed. Atheneu, São Paulo, 2005, 493 p.

PARDI, M.C.; SANTOS, I.F.; SOUZA, E.R. & PARDI, H.S. Ciência, Higiene e tecnologia da carne. EDUFF, UFG, vol. I e II, 1995. RADOSTITS, O.M.; GAY, C. C.; BLOOD, D. C.; HINCHCLIFF, K. W. Clínica veterinária: Um tratado de doenças dos bovinos, ovinos, suínos, caprinos e eqüinos. Ed. Guanabara Koogan, 9ª. Edição, 1737 p. 2000.

SANTOS, J. A. Patologia geral dos animais domésticos (Mamíferos e aves) 3 ed. Interamericana, 409 p.1986.

SILVEIRA, J.M. da. Interpretação de exames laboratoriais em veterinária. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 1.ª. Edição, , 1988, 214 p. SPINOSA, H.de S.; GÓRNIAK, S.L. & BERNARDI, M.M. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 3.ª. Edição, , 2002, 752 p.

STITES, D. P.; ABBA, I. T.; PARSLOW. Imunologia Médica.. Ed. Guanabara Koogan, 9ª. Edição, 689 p. 2000.

THRUSFIELD, M. Veterinary Epidemiology. Blackwell Publishing, 2ª d edition 483 p. 1995

URQUHART, G.M.; ARMOUR, J.; DUNCAN, J.L.; DUNN, A.M. & JENNINGS, F.W. Parasitologia Veterinária. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2.ª. Edição, , 1996, 273 p.

MÉDICO SOCORRISTA: Parada Cardiorrespiratória, arritimias cardíacas, insuficiência coronariana aguda, infarto agudo do miocárdio, dissecção aórtica, emergências hipertensivas, choques. SARA, oxigenoterapia, insuficiência respiratória aguda, embolia pulmonar. Cetoacidose diabética, coma hiperosmolar, crise tireotóxica, insuficiência supra-renal. Infecção no hospedeiro imuno comprometido, sepse, infecções hospitalares, endocardite infecciosa, meningites. Distúrbio hidroeletrolítico e ácido-base, insuficiência renal aguda. Insuficiência hepática, pancreatite aguda, hemorragia digestiva alta e baixa, abdome agudo. Distúrbios da hemostasia, indicações do uso do sangue e derivados. Comas, acidentes vasculares encefálicos, estado de mal epilético. Sedação e analgesia. Gastroenterologia: doenças do esôfago, doença péptica, câncer gástrico, síndrome disabsortiva, doenças inflamatórias do intestino, câncer do cólon, hipertensão porta, diagnóstico diferencial das icterícias, cirrose hepática. Pneumologia: asma brônquica, doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonias, câncer do pulmão, doenças da pleura.Reumatologia: diagnóstico diferencial das artrites, artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico, gota. Cardiologia: insuficiência cardíaca, hipertensão arterial, cardiomiopatias.Hematologia: diagnóstico diferencial das anemias, interpretação clínica do hemograma, diagnóstico diferencial das linfoadenopatias e esplenomegalias. Neurologia: cefaléias, epilepsias, polineuropatias. Nefrologia: insuficiência renal crônica, síndrome nefrítica, síndrome nefrótica, infecção urinaria. Endocrinologia: diabetes mellitus, distúrbios da tireóide. Infectologia: Síndrome da imunodeficiência adquirida, febre de origem obscura, doenças sexualmente transmissíveis, tuberculose, leptospirose, toxoplasmose, mononucleose infecciosa, citomegalovirose, dengue, doença inflamatória pélvica, antibioticoterapia e drogas antivirais, Interpretação dos exames complementares básicos e principais métodos de imagem, fundamentos da farmacologia e terapêutica aplicada. Emergências cardiovasculares, emergências respiratórias, emergências renais, emergências gastroenterológicas, emergências hematológicas, emergências metabólicas, emergências oncológicas, emergências endócrinas, emergências neurológicas, emergências psiquiátricas, emergências infecciosas, emergências cirúrgicas não traumáticas e traumáticas.

BIBLIOGRAFIA:

ALMEIDA, Maria Fernanda Branco de; Kopelman, Benjamin Israel. Rotinas Médicas. Disciplina de Pediatria Neonatal da Escola Paulista de Medicina. Editora Atheneu.

BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005.

CECIL, Russell La Fayette: Tratado de Medicina Interna. Ed. Guanabara Koogan.

DAVID, Cid Marcos. Medicina Intensiva: Diagnóstico e Tratamento. Editora Revinter.

GUYTON, Arthur S. Tratado de Fisiologia Médica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

ISSELBACHER, K.J. Harrison's principies of inernal medicine. 14. ed. N. york: McGraw Hill Book Company. 1997.

KNOBEL, Elias. Condutas no Paciente Grave. Editora Atheneu.

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005.

Lopes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

Manual de Socorro e Emergência, São Paulo, Atheneu, 1999.

NIES, Gilmar, Alfred Goodman, Rall, Theodore W. As bases Farmacológicas da Terapêutica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

PORTH, Carol Mattson. Fisiopatologia. Ed. Guanabara Koogan, 6ª. Edição, 2004

PRADO. Cintra. Atuaçização Terapêutica. 1998.

RAMOS, J.; PRADO, F.C., VALLE, J.R. Atualização Terapêutica, 18B edição, Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

Silvio Martins; Maria Isabel Dutra Souto, Manual de Emergências Médicas: Diagnóstico e Tratamento, 2ª. Edição, Rio de Janeiro, Editora Revinter, 2004.

WYNGAASRDEN, J.B. & SMITH, L.H. Cecil Texbook of medicine. 20° ed. Philadelphia: W. B. Saunders Company. 1996.

MÉDICO DIARISTA ACUPUNTURISTA: Medicina tradicional chinesa - Teorias básicas. Fisiologia. Mecanismos de ação da acupuntura.

Estudo Anátomo funcional dos meridianos principais e secundários (Tendinosos, divergentes e extraordinários). Estudo dos pontos - Localização, função e conexões. Etiologia. Patogenia. Zang Fu - Síndromes. Semiologia. Fisiopatologia dos meridianos principais. Os oito princípios diagnósticos. As Síndromes de Qi, de Xue (sangue), de Jin Ye (líquidos orgânicos). Tratamento.

BIBLIOGRAFIA:

CARNEIRO, Norton Moritz. Fundamentos da acupuntura médica. Ed. Sistema, 2001

ROSS, Jeremy - Zang Fu. Sistema de órgãos e vísceras da MTC. 2. ed. São Paulo: Roca.

WANG, Liu Gong, JIN PAI, Hong. Tratado contemporâneo de acupuntura e moxibustão. São Paulo: CEIMEC, 2005.

YAMAMURA, Ysao. A Arte de inserir. 2. ed. São Paulo: Roca

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA ANESTESIOLOGISTA: Sistema Nervoso Central: aspectos anatômico-fisiológicos. Sistema Nervoso Autônomo: anatomia, fisiologia, fisiopatologia e farmacologia. Sistema Respiratório: anatomia, fisiologia, fisiopatologia e farmacologia. Sistema Cardiocirculatório: anatomia, fisiologia, fisiopatologia e farmacologia. Reposição e Transfusão. Preparo pré‑anestésico: visita pré-anestésica; risco cirúrgico e estado físico; medicação pré-anestésica; interação medicamentosa. Anestesia Venosa: farmacologia, indicações, contraindicações e complicações das principais drogas utilizadas em anestesiologia. Física e anestesia: leis dos gases; tipos de fluxo; vaporização; sistemas inalatórios; normas técnicas brasileiras; anestesia inalatória; farmacocinética; concentração alveolar mínima, captação, distribuição e eliminação dos principais anestésicos gasosos e voláteis. Anestesia inalatória: aspectos farmacodinâmicos dos principais anestésicos gasosos e voláteis. Farmacologia dos anestésicos locais: bloqueio do plexo braquial; anatomia; fisiologia; fisioterapia. Bloqueios periféricos: anatomia; técnicas de bloqueios em membros superiores e inferiores. Anestesia e sistema endócrino: fisiologia; fisiopatologia e conduta anestésica nas principais endocrinopatias. Transmissão e bloqueio neuromuscular: microanatomia; fisiologia; fisiopatologia; farmacologia e contraindicações das principais drogas bloqueadoras neuromusculares. Anestesia em obstetrícia: alterações fisiológicas da gravidez; passagem transplacentária; técnicas de anestesia geral e condutiva. Anestesia em pediatria: características anatômicas e fisiológicas do paciente pediátrico; técnicas de anestesia geral e condutiva. Anestesia para neurocirurgia : aspectos fisiopatológicos da pressão intracraniana; efeito das drogas anestésicas; técnicas anestésicas. Anestesia para cirurgia urológica: fisiopatologia renal; diuréticas; técnica anestésica. Anestesia para oftalmologia. Otorrinolaringologia e cirurgia plástica: aspectos fisiopatológicos e enfermidade cardiovascular. Anestesia e a cirurgia de emergência. Anestesia em geriatria: aspectos fisiopatológicos e técnicas anestésicas. Recuperação da anestesia: Complicações da anestesia. Parada cardíaca e reanimação. Dor: fisiopatologia, controle de medicamentos e bloqueios anestésicos. Anestesia para cirurgia videolaparoscópica. Opióides. Raquianestesia. Anestesia peridural. Anestesia no paciente politraumatizado. Anestesia para cirurgia torácica. Anestesia no paciente doador de órgão para transplantes. Anestesia no queimado. Anestesia na ortopedia. Anestesia para cirurgia bucomaxilofacial. Anestesia para cirurgias do aparelho digestivo. Monitorização, metodologia científica, Choque, terapia intensiva, suporte ventilatório, anestesia para procedimentos fora do centro cirúrgico, anestesia para cirurgia bariátrica.

BIBLIOGRAFIA:

Tratado de Anestesiologia 1 SAESP - 68 edição. Editora Atheneu, 2006.

LUIZ MARCIANO CANGIANI & IRIMAR DE PAULA POSSO & GLÓRIA MARIA BRAGA POTÉRIO & CELSO

SCHMALFUSS NOGUEIRA

Anestesia em Obstetrícia - 28 edição. Editora Atheneu - 2007

JUDYMARA LAUZI GOZZANI & AMÉRICO MASSAFUNI YAMASHITA Bloqueadores Neuromusculares. Editora Atheneu - 2003

MARIA CRISTINA SIMÕES DE ALMEIDA

MILLER'S ANESTHESIA, 6th Edition Churchill Livingstone . Published October 2004

ANESTESIA PARA CIRURGIA PLÁSTICA. 18 ed. Rio de Janeiro: SAERJ, 2005

Medicina Perioperatória. 1 ed. Rio de Janeiro: SBA, 2005 Dor Pós Operatória. 1 ed. Rio de Janeiro: SBA, 2004 Anestesia Venosa. 1 ed. Rio de Janeiro: SAERJ, 2004

ASA Refresher Courses in Anesthesiology. Published by Lippincott Williams & Wilkins.volumes 27 a 34.

MÉDICO AUDITOR: 1. Definições de Auditoria; 2. Assistência médica suplementar; 3. Código de ética médica; 4. Resolução do Conselho Federal de Medicina n° 1.466/96; 5. Normas técnicas para análise de procedimentos cirúrgicos e ambulatoriais; 6. As glosas e as cobranças indevidas; 7. Auditor Médico do Sistema Único de Saúde - SUS; 8. Glosa: conceitos, legitimidade, aplicação, fundamentação, motivos. Fundo Municipal de Saúde. Plano Municipal de Saúde e Relatório de Gestão. Legislação SUS: Constituição Federal de 1988. Constituição Estadual. Lei 8.080 de 19/09/90. Lei 8.142 de 07/12/90. Decreto 99.438 de 07/08/90. Resolução n° 33 de 23/12/92. Portaria 1475 de 12/08/94. Lei 4.320 de 07/03/64 e Decreto 1.232 de 30/08/94. Decreto 1.651 de 28/09/95. Decreto 4.566 de 09/10/95. Processos de Cadastramento e Contratação de Prestadores de Serviço de acordo com a Lei 8.666/93. NOB 1996. NOAS/2001. NOAS/2002. NOAS/2003. Situação de saúde da população: perfil epidemiológico, indicadores de saúde. Higiene e Segurança no trabalho. Materiais especiais, órteses e próteses. Lista de procedimentos médicos AMB/92/96/99. Gestão de custos médico-hospitalares.

BIBLIOGRAFIA:

BRASIL, Ministério de Saúde / Departamento Nacional de Auditoria do SUS - DENASUS. Orientações Técnicas sobre aplicação de Glosas em Auditoria no SUS. Brasília, DF, 2005. Disponível no site: <sna.saude.gov.br/publicações>.

COSTA, Cláudio C. V. da. Manual de Auditoria Médico-hospitalar. Curitiba: Paranaset, 2001.

LOVERDOS, A. Auditoria e Análise da Contas Médico-hospitalares. São Paulo: STS, 1999.

MÉDICO DIARISTA MASTOLOGISTA: Código de Ética Médica. Noções de Anatomia e Embriologia; Anomalias do Desenvolvimento Mamário; Alterações Funcionais da Mama; A Mama no Climatério; Processos Inflamatórios; Carcinoma Ductal in situ e Lesões de Alto Risco; Diagnóstico Clínico e por Imagens; Punções e Biópsia Mamárias; Condutas em Nódulos de Mama; Alterações, Etiologia e História Natural do Câncer de Mama.

BIBLIOGRAFIA:

Dias, Ezio Novais e alls. Mastologia Atual, Revinter, 1999.

Mencker, Carlos H. et Ils. Rotinas em Mastologia, Ed Artmed, Porto Alegre, 2000. Piato, Sebastião. Mastologia, Editora Rocca, 1995.

MÉDICO DIARISTA CARDIOLOGISTA. Código de Ética Médica; Preenchimento da Declaração de óbito; Doenças de Notificação Compulsória; Princípios do Atendimento Clínico anamnese, no diagnóstico e na orientação; Controle neural do coração e da circulação; Contabilidade e função de bomba do coração; Fluxo coronariano; Ciclo Cardíaco; Regulação da Pressão Arterial; Semiogênese e fisiopatologia da dispnéia, edema cardíaco e cianose; - Fisiopatologia e aspectos propedêuticos da dor torácica e cardíaca; Insuficiência cardíaca, conceito, etiopatogenia e significado da classificação funcional; Insuficiência cardíaca: fisiopatologia; Insuficiência cardíaca: critérios, diagnósticos; Insuficiência cardiáca: tratamento; Hipotensão arterial; Estado de choque, choque cardiogênico; Fisiopatologia e tratamento; Ressucitação cardiopulmonar: socorro básico; Novos fatores de risco coronário; Hipercolesterolemia: Hipertrigliceridemia; Critérios diagnósticos no adulto e na criança; Patogenia da aterosclerose; Etiopatogenia e fisiopatologia da insuficiência coronária; Infarto agudo do miocárdio, conceito, diagnóstico em situações especiais; Angina estável e variante; Angina estável, tratamento; Angina instável; Arritmias do IAM; Tratamento medicamentoso no IAM; Atendimento na emergência no IAM; Tratamento Trombolítico no IAM; Diferenças do comportamento cardiovascular no idoso; Dissecção da aorta fisiopatologia, diagnóstico clínico-laboratorial, prognóstico; Doenças da aorta, aneurisma da aorta, patogenia, diagnóstico clínico - laboratorial, prognóstico; Cinecoronariografia: quando indicar; Angioplastia transluminal coronária, indicações; Cardiomiopatia, conceito, classificação e diagnóstico; Cardiomiopatia dilatada, evolução clínica e prognóstico; Cardiomiopatia chagásico, diagnóstico; Cardiomiopatia hipertrófica e restritiva, diagnóstico; Pericardite aguda e crônica, etiopatogenia, fisiopatologia, diagnóstico, complicações; Cor pulmonale crônico, etiopatogenia diagnóstico, prognóstico e tratamento; Tromboembolismo pulmonar, etiopatogência, fisiopatologia e tratamento; Endocardite infecciosa, conceito, etiopatogenia, fisiopatologia, tratamento e prognóstico; Febre reumática, conceito, etiopatogenia e critérios diagnósticos; Esterose mitral, etiopatogenia, diagnóstico clínico, prognóstico; Insuficiência mitral, etiopatogenia, fisiopatologia, diagnóstico clínico - laboratorial, prognóstico; Estenose aórtica, etiopatogenia, fisiopatologia, diagnóstico clínico-laboratorial, prognóstico; Insuficiência aórtica, etiopatogenia, fisiopatologia, diagnóstico clínico-laboratorial, prognóstico; Tratamento cirúrgico das valvopatias cirurgia conservadora e troca valvar; Hipertensão arterial, conceito, etiopatogenia, classificação, critérios diagnósticos; Hipertensão arterial, prognóstico e epidemiologia; Hipertensão arterial, fisiopatologia, genética; Hipertensão arterial secundária; Hipertensão arterial, tratamento não farmacológico; Teste ergométrico, indicações; Monitorização eletrocardiográfico ambulatorial, métodos, indicações; Cintilografia pulmonar, perfusão e inalação; Tomografia computadorizada e ressonância magnética. Quando utilizar; Bases eletrocardiográficas e etiológicas das arritmias; Arritmias supra ventriculares, etiopatogenia, fisiopatologia, critérios, diagnósticos, tratamento farmacológico, ablação e cirurgia; Arritmias ventriculares, etiologia, fisiopatologia, prognóstico, indicação de estudo eletrofisiológico, tratamento; Prolapso da valva mitral, etiopatogênica, critérios diagnósticos, prognóstico tratamento; Cardiopatia congênita acianótica com hiperfluxo/ hipofluxo pulmonar, tipos de manifestação clínica, diagnóstico, prognóstico. Quando indicar tratamento cirúrgico?

BIBLIOGRAFIA:

Tratado de Medicina Cardiovascular - EUGENE BRAUNWALD & DOUGLAS P. ZIPES & PETER LIBBY 6ª. Edição, editora Roca BERNE, Robert M.; LEVY, Koeppen Stanton. Fisiologia. 5ª. Edição, Elsevier, 2004.

BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005.

CARVALHO, Antônio Paes de. Circulação e Respiração. 3ª edição; Editora Cultura Médica.

Emergências Clínicas Cardiológicas. Hospital Procardíaco, ed. Revinte.

GOODMAN & Guilman. ALFRED. As bases Farmacológicas da Terapêutica. 10B edição Mcgraw Hill. 2003.

GUYTON, Arthur S. Tratado de Fisiologia Médica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

GRAY, O' Rahilly. Anatomia Gardner. Ed. Guanabara Koogan. 4ª. Edição, 1988.

HURST, J. Willis. Atlas do Coração. Editora Manole.

opes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006.

Edson A. Saad, Tratado de Cardiologia: Semiologia - 1 ª. Edição, 2003 Vol. 1 GUANABARA KOOGAN.

ENÉAS. O eletrocardiograma: 10 Anos Depois Enéas Carneiro, ENEAS FERREIRA CARNEIRO.

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA CLÍNICO GERAL: Código de Ética Médica; Preenchimento da Declaração de óbito; Doenças de Notificação Compulsória; Princípios do Atendimento Clínico anamenese, no diagnóstico e na orientação; Fisiologia básica e dos sistemas; Farmacologia básica; Farmacologia geral; Dor Fisiopatologia; Dor Torácica; Dor Abdominal; Cefaléias; Dor Lombar e Cervical; Distúrbios da Regulação Térmica; Calafrios e Febre; Dores Musculares, Espamos, Cãibras e Fraqueza Muscular; Tosse e Hemoptise; Dispnéia e Edema Pulmonar; Edema; Cianose, Hipóxia e Policitemia; Hipertensão Arterial; Síndrome de Choque; Colapso e Morte Cardiovascular Súbita; Insuficiência Cardíaca; Insuficiência Coronária; Bradiarritmias; Taquiarritmias; Cateterismo e Angiografia Cardíaca; Febre Reumática; Endocardite Infecciosa; Micardiopatias e Miocardites; Infarto Agudo do Miocárdio; Cor Pulmonale; Parada Cardio-respiratória; Disfasia; Constipação Diarréia e Distúrbios da Função Ano Retal; Aumento e Perda de Peso; Hematêmese Melena; Hepatite Aguda e Crônica; Icterícia e Hpatomegalia; Cirrose; Distensão Abdominal e Ascite; Coledocolitiase; Doenças do Pâncreas; Líquidos e Eletrólitos; Acidose e Alcalose; Anemias; Hemorragia e Trombose; Biologia do Envelhecimento; Problema de Saúde do Idoso; Diagnóstico e Manuseio das Afecções Mais Comuns da Pessoa Idosa; Avaliação e Diagnóstico das Doenças Infecciosas; Diarréia Infecciosa Aguda e Intoxicação Alimentar; Doenças Sexualmente Transmissíveis; Síndrome de Angustia Respiratória do Adulto; Estado de Mal Asmático; Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica; Tromboembolismo Pulmonar; Ventilação Mecânica; Insuficiência Renal Aguda; Insuficiência Renal Crônica; Glomerulopatias; Obstrução das Vias Urinárias; Lupus Eritematoso Sistêmico; Artrite Reumatóide; Vasculites; Doença Articular Degenerativa; Artrite Infecciosa; Distúrbios da Coagulação; Diabetes Mellitus; Doenças da Tireóide; Acidose Lático; Doenças Vasculares Cerebrais; Traumatismo Cranioencefálico e Raquimedular; Viroses do Sistema Nervoso Central: Meningites e Encefalites; Coma; Doenças Ocupacionais; Acidentes do Trabalho; Neoplasias; Moléstias Infecciosas; Carências Nutricionais.

BIBLIOGRAFIA:

Lopes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006.

BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005.

GUYTON, Arthur S. Tratado de fisiologia médica. Editora Guanabara Koogan. 10B ed.

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B Ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005. Goodmman/Gilmann - As bases da Farmacologia e Terapêutica.

Ricardo Veronesi e Col - DIP - Editora Guanabara Koogan, 9ª. Edição, Rio, S/D.

ROWLAND, Merri. Tratado de Neurologia. 9. ed. RJ: Guanabara Koogan, 1997.

BETHLEM. N. Pneumologia. Editora Atheneu, 1995. 4ª edição.

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA CIRURGIÃO GERAL: Atendimento inicial ao politraumatizado; controle de dano; problemas específicos no doente politraumatizado; cirurgia do trauma; trauma de face; trauma cervical; TCE; trauma torácico; trauma abdominal; trauma pélvico; trauma na criança; trauma na gestante; noções prioritárias de atendimentos com múltiplas vítimas; choque, queimaduras; resposta endócrino-metabólica ao trauma; alterações hidreletrolíticas e ácido-básicas; suporte nutricional no paciente cirúrgico, abdome agudo inflamatório: diagnóstico e tratamento; acessos à via aérea; acessos venosos; drenagem pleural e mediastinal; traqueostomia; afecções cirúrgicas da parede abdominal; patologias inflamatórias e neoplásicas do tubo digestivo; doença polipóide do trato gastrintestinal; doença diverticular do trato gastrintestinal; doença de Crohn; retocolite ulcerativa; afecções cirúrgicas do fígado, pâncreas e baço; afecções bíleo-pancreáticas inflamatórias e neoplásicas; urgências vasculares; urgências urológicas; urgências torácicas; hemotórax, quilotórax e pneumotórax; hemoperitônio e pneumoperitônio; patologias da tireóide; afecções cirúrgicas do mediastino e retroperitônio.

BIBLIOGRAFIA:

SCHWARTZ, S.I.; SHIRES, G. T. ; Et al, Princípios de Cirurgia. Guanabara Koogan

LAWRENCE W. WAY - Diagnóstico e Tratamento em Cirurgia editora Guanabara Koogan S/A.

DAVID C. SABISTON JR. - Tratado de Cirurgia - As Bases Biológicas da Prática Cirúrgica Moderna, editora Guanabara Koogan S/A. BARBOSA, HÉLIO - Controle Clínico do Paciente Cirúrgico

MÉDICO CIRURGIÃO PEDIATRA: Choque; insuficiência respiratória; resposta metabólica ao trauma; pré e pós-operatório; vias de acesso vascular; suporte nutricional; trauma na criança: epidemiologia e atendimento; trauma crânio-facial; trauma torácico, abdominal e genito-urinário; procedimentos endoscópicos; peritonites; anomalias cranio-faciais; linfadenites; tireóide e paratireóide; angiodisplasia; cistos e fistulas cervicais; torcicolo congênito; hérnia diafragmática; tumores e cistos mediastinais; atresia do esôfago; divertículo esofageano; calásia e acalásia do esôfago; refluxo gastroesofageano; lesões cirúrgicas das vias aéreas; lesões congênitas do pulmão; empiema e mediastinite; abscessos pulmonares; bronquiectasia; quilotórax; pneumotórax; pneumomediastino; peritonite meconial; enterocolite necrosante; apendicite aguda; cisto de mesentério; duplicação do TGI; doença polipóide do TGI; defeitos da rotação intestinal, defeito umbilical; paraumbilical e da região inguinal; distopias testiculares; escroto agudo; estenose hipertrófica do piloro; doença péptica na criança; obstrução duodenal; atresias intestinais; íleo meconial; cisto e peritonite meconial; invaginação intestinal; divertículo de Meckel; moléstia de Hirshsprung; constipação intestinal; anomalia anorretal; doença anorretal; polipose colônica juvenil e familiar; doença inflamatória intestinal; colestase neonatal; atresia das vias biliares; dilatação congênita das vias biliares; abscessos hepáticos; hipertensão porta; afecções cirúrgicas do pâncreas; afecções cirúrgicas do baço; neuroblastoma; linfoma; tumores renais; tumores hepáticos; tumores da adrenal; teratomas; rabdomiossarcomas; tumores gonadais; hipospádia; anomalias do desenvolvimento renal e sexual; anomalias ureterais; VUP; refluxo vesico ureteral; extrofia de bexiga e cloaca; bexiga neurogênica; urodinâmica; hematocolpos; hidrometrocolpos; Síndrome de: Prunne Beny; hidronefrose; cálculo renal; transplantes.

BIBLIOGRAFIA:

HINMAN, F. Jr.; Pediatric Urologic Surgery- Saunders- 1994

MKSOUD, J.G.; Cirurgia Pediátrica, Revinter 1998

O'NEILL, J. A. et al. Pediatric Surgery- 5ª. Edição, Mosby- 1998

PENA, A.; Atlas of Surgical Management of Anorectal Malformations- Springer Verlag- 1989

MÉDICO PLANTONISTA CIRURGIÃO PLÁSTICO: Cirurgia Plástica Geral - Transplante de tecidos (fisiopatologia e técnica). Tratamento das feridas.Cicatrizes. Fisiopatologia das queimaduras. Tratamento do queimado na fase aguda. Tratamento do queimado na fase crônica. Seqüelas das queimaduras. Tumores cutâneos e livres (benignos e malignos). Hemagiomas. Fundamentos das malformações congênitas. Microcirurgia. Retalhos musculares e musculocutãneos. Queimaduras: Conceitos, classificação, desenvolvimento dos conhecimentos. Queimaduras complexas. Fisiopatologia de queimado, fase aguda. Seqüelas. Deformidades Congênitas / Cabeça e Pescoço: Anatomia básica de face e pescoço. Traumatismo de partes moles. Fratura do maxilar e mandibular. Fraturas dos malares e assoalho de órbita. Fratura dos ossos nasais. Fissuras faciais e palatinas. Mão: Anatomia funcional e cirurgia da mão. Propedêutica da mão. Imobilização: curativos especiais; problemas funcionais. Tratamento imediato da mão traumatizada. Queimaduras da mão. Tratamento das seqüelas de traumatismo de mão. Contratura de Dupuytren. Lesões neurotendinosas do membro superior. Tronco, Genitália e Membros Inferiores: Anatomia cirúrgica do membro inferior e do tronco. Ginecomastia Hipospádia, epispádia e extrofia de bexiga. Úlceras de decúbito e úlceras de perna. Reconstrução de parede toráxica e mama. Reconstrução de abdomem. Reconstrução de lábio, nariz e orelha.

BIBLIOGRAFIA:

CONVERSE, J. Reconstrutre plastic sugery.

MASQUELET, Alain e GILBERT, Alan. Retalhos nas reconstruções dos membros. 1997.

McCARTHY, Joseph G. Plastic sugery. Philadelphia: W. B. Saunders, 1990.

MELEGA, J. Marcos. Cirurgia plástica reparadora e estética. 1992.

NANAI, M. et. al. Clinicai applications for muscle and musculocutanees flay's. C. N. Moby, 1982.

CARREIRÃO, Lena. Tratamento de fissuras labiopalatinas. Ed Revinter. 2ª. Edição,

Plastic Surgery - Grabb and Smith's - fourth edition.

Sabiston's Essentials of Surgery - W. B. Saunders International Edition -

David C. Sabiston, Jr. - ed. 1987.

Cirurgia Plástica - Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Estética e

Reconstrutiva Regional São Paulo - Vera Lúcia Nicchi Cardim, Américo

Marques, Julio Morais-Besteiro - Ed. Atheneu

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA CIRURGIÃO VASCULAR: Anatomia e fisiologia do aparelho cardiovascular. Anamnese e Exame Físico do Vasculopata. Métodos de Investigação Complementar em Angiologia e Cirurgia Vascular - Dopplerometria. Pletismografia. Dupplex-scan. Angiografias. Cintilografias. Radiologia Convencional. Tomografias computadorizadas. Ressonância nuclear magnética. Terapêutica Medicamentosa - Vasodilatadores. Flebotônicos e Linfocinéticos. Antibióticos. Corticosteróides. Terapêutica Medicamentosa - Vasodilatadores. Flebotônicos e Linfocinéticos. Antibióticos. Corticosteróides. Próteses e Endopróteses. Patologia Arterial - Epidemiologia e quadro clínico. Fisiopatologia. Terapêutica Medicamentosa. Terapêutica Cirúrgica Convencional. Videoassistida ou endovascular. Aspectos Técnicos: cuidados gerais pré-operatórios; cuidados gerais per-operatórios; cuidados gerais pós-operatórios; vasculite e doenças vaso-espáticas; patologia dos troncos supra-aórticos; patologia dos membros superiores; síndrome do desfiladeiro cérvico-torácico; patologia viceral; patologia dos membros inferiores; aneurismas cirurgias extra-anatômicas; fístulas artério-venosas; iatrogenia; infecção em enxertos arteriais e aneurismas anastomóticos; acesso para hemodiálise; pé diabético. Patologia Venosa - Epidemiologia e quadro clínico; Fisiopatologia. Terapêutica Medicamentosa. Terapêutica cirúrgica convencional. Videoassistida ou endovascular. Aspectos técnicos: cuidados gerais pré-operatórios; cuidados gerais per-operatórios; cuidados gerais pós-operatórios; varizes de membros inferiores; tromboses venosas; embolia pulmonar; métodos de interrupção de veia cava inferior; síndrome pós-trombótica. Patologia Linfática - Epidemiologia e quadro clínico. Fisiopatologia. Terapêutica medicamentosa. Terapêutica cirúrgica convencional. Aspéctos técnicos: cuidados gerais pré-operatórios; cuidados gerais pré-operatório; cuidados gerais pós-operatórios; linfagites e erisipela; linfoedemas. Amputação. Urgências Vasculares - Epidemiologia e quadro clínico. Fisiopatologia. Terapêutica medicamentosa. Terapêutica cirúrgica convencional. Videoassistida ou endovascular. Aspectos técnicos: oclusão arterial aguda, trauma vascular.

BIBLIOGRAFIA:

BONAMIGO e VON RISTOW. Aneurismas. Dilivros, 1, ed., 2000.

BRITO. Carlos José. Cirururgia vascular. Editora Revinter - 2001/2002.

HAIMOVICI, Henry; ASCER, Eurico; HOLLER, Larry. STRANDNESS, D. Eugene e Towne, Jonathan. Haimovici's Vascular Surgey -Principles and Techiniques. Blackwell Scienve, 4th Edition, 1996..

MAFFEI, F. H. A.; LASTÓRIA, Sidney; YOSHIDA, Winston e ROLLO, Hamilton. Doenças Vasculares Periféricas. Editora Medsi, 3. ed., 2002.

HALLET Jr, John W.; Comprehensive Vascular and Endovascular Surgery. Mosby 1 st Edition 2004.

RUTHERFORD, Robert. Vascular Surgery. W. B. Saunders Co., 5th Edition, 2000.

ROSSI, Murilo; Trauma Vascular. Ed. Revinter 1 ª. Edição, 2006.

MÉDICO DIARISTA DO TRABALHO: Conceito de Medicina do Trabalho, Saúde Ocupacional e Saúde do Trabalhador, Legislação sobre Higiene, Segurança e Medicina do Trabalho da CLT. Principais Convenções e Recomendações do OIT ratificadas pelo Brasil. Portaria 3.214 e textos complementares. Estrutura institucional da Saúde Ocupacional no Brasil: entidades e Serviços de Medicina do Trabalho: finalidade, organização e atividades. Legislação Previdenciária (Leis 8.212 e 8.213 e Decreto 3.048). Acidentes do Trabalho: conceito, aspectos legais, registro, taxas de frequência e gravidade, custos, prevenção. Aposentadoria Especial: Critérios para concessão. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO: diretrizes, responsabilidades e implantação. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPRA: estrutura, desenvolvimento e responsabilidades. Doenças profissionais: conceito, causas, aspectos legais, registros e medidas preventivas. Princípios básicos da identificação, avaliação e controle dos agentes físicos das doenças profissionais: ruído, calor, radiações ionozantes e não-ionizantes, pressões anormais, vibrações, etc. Princípios básicos da identificação, avaliação e controle dos agentes químicos das doenças profissionais: gases, vapores, aerodisperóides, metais tóxicos e poeiras orgânicas e minerais. Princípios básicos da identificação, avaliação e controle dos agentes biológicos das doenças profissionais. Fisiopatologia: diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças profissionais causadas por agentes físicos, químicos e biológicos. Ambientes e condições insalubres: aspectos legais, limites de tolerância, avaliações ambientais quantitativas e qualitativas, enquadramento etc. Higiene dos ambientes de trabalho e instalações acessórias ( sanitários, vestiários, refeitórios,etc). Processos de Trabalho mais comuns nos meios industriais; pintura, soldagem, galvanoplastia, usinagem de metais, operações de fundição, limpeza ácida e alcalina de metais, processamento de produtos químicos etc. Agrotóxicos: principais grupos, mecanismos tóxicos, riscos ao trabalhador e à população, prevenção e tratamento das intoxicações agudas. Controle médico de grupos de trabalhadores especiais (menore,deficientes, portadores de doenças crônicas, etc.) A fadiga profissional: fisiopatologia e medidas de prevenção. Câncer ocupacional: classificação dos carcinógenos, mecanismos, principais substâncias e processos de trabalho que implicam em carinogenicidade potencial. Conceito de biossegurança em laboratórios e hospitais. Legislação do SUS (Sistema Unico de Saúde).

BIBLIOGRAFIA:

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Editora Gaa1,1988.

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA E ACIDENTÁRIA. L4eis 8.212 e 8.213 de4 julho de 1991 e Decreto 3.048 de 06/05/99.

MENDES, R. e DIAS, E. C. Da Medicina do Trabalho à Saúde do Trabalhador - Revistas de Saúde Pública. São Paulo, 1991,25(05), pg.3-11.

MENDES R. Patologia do Trabalho. São Paulo: Editora Atheneu, 1998

OLIVEIRA, S. G. Proteção Jurídica à Saúde do Trabalhador. São _Paulo: LTr. 1996

PORTARIA 3.214 DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO DE 08/06/78 E TEXTOS COMPLEMENTARES. SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO. Editora Atlas, 43 ed.2000.

TEIXEIRA, P. & VALLE, S. (org). Biossegurança - uma abordagem multidisciplinar. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1996. VIEIRA, Sebastião Ivone(org). Medicna Básica do Trabalho. Vol III. Editora Genesis, 1995, Cap. 1, 2, 6, 7, 8, 9, 10.

ALMEIDA, I.M. Dificuldades no diagnostico de doenças ocupacionais e do trabalho. Jornal Brasileiro de Medicina, n. 74, n. 'h p. 35-48, 1998

ATLAS. Segurança e medicina do trabalho: portaria n° 3.214/1978. 48. ed. São Paulo: Atlas ,2001.

BURGESS, W.A. Identificação de possíveis riscos à saúde do trabalhador nos diversos processos industriais. Belo Horizonte: ERGO, 1995.

BUSCHINELLI, J.T.P.; ROCHA, L.E.; RIGOTTO, R.M. (Eds.). Isto é trabalho de gente? Petrópolis: Vozes, 1994.

CÂMARA, V.; GALVÃO, L.A. A patologia do trabalho numa perspectiva ambiental. In: MENDES, R. (ED.). Patologia do trabalho. Rio de janeiro: Atheneu, 1995 p. 609-630.

DEMBE, E. occupation and disease: how social factors affect the conception of work-related disorders. New haven: yale university, 1996.

DESOILLE, H.; SCHERRER, J.; TRUHAUT, R. Précis de médecine du travail. Paris: Masson, 1975, p.290-303.

INTERNATIONAL LABOUR OFFICE (ILO). Encydopaedia of occupation health and safety. 4th ed Geneva :ILO, 1998 LAST, J.M. Dictionary of epidemiology. 3th ed. Oxford: Oxford University, 1995.

MENDES, R. Aspectos conceituais da patologia do trabalho. In: MENDES. R. (Ed.). Patologia do trabalho. Rio de Janeiro: Atheneu, 1995, p.33-47.

ASPECTOS CLINICOS DOS DISTURBIOS ÓSTEO-MUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (DORT) OSVANDRÉ LECH, MARIA DA GRAÇA HOEFEL, ANTONIO SEVERO, TATIANA PITAGORAS-BIBLIOTECA CRENS - 1998.

FASCÍCULOS DE ATUALIZAÇÃO - DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL LER-DORT - LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS - COORDENAÇÃO - DR. MILTON HELFENSTEIN JR. - ASSISTENTE

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA IMAGENOLOGISTA: Bases físicas dos métodos de diagnóstico por imagem: Fundamentos físicos das radiações e efeitos biológicos. Raios X: características e produção. A formação da imagem radiográfica. Controle e qualidade. Filmes radiográficos, sistemas intensificadores e antidifusores. Fundamento da fluoroscopia, fluorografia e planigrafia. Proteção radiológica. Fundamentos da ultra-sonografia, tomografia computadorizada e Ressonância. Magnética: princípios, técnica, aplicação clínica. Meios de contrastes empregados no diagnóstico por imagens: características, indicações, limitações de emprego e contra-indicações Sistemas de processamentos de filmes planos e especiais. Controle de qualidade em Radiologia geral, mamografia ultra-sonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Aparelho respiratório e cardiovascular: Métodos de imagenologia do tórax. Imagenologia do tórax normal. Elementos fundamentais na análise imagenológica do tórax. Imagenologia: das alterações intersticiais, alveolares e mistas. Das doenças pleuro-parietais e diafragmas. Do mediastino normal e patológico. Das doenças infecciosas pleuro-pulmonares específicas e inespecíficas. Das repercussões pleuro-pulmonares de doenças sistêmicas. Das doenças vasculares pulmonares e hipertensão pulmonar. Das atelectasias pulmonares. Do tórax nas emergências. Do tórax em pediatria. Do tórax no paciente crítico. na D.P.O.C. Do aparelho cardiovascular - rotinas. Nos aumentos cavitários cardíacos. Nas lesões orovalvulares. Nas cardiopatias congênitas. Da aorta. Do sistema vascular periférico. Do sistema vascular periférico no trauma; e dos vasos do pescoço e estruturas adjacentes. Tumores benignos e malignos dos pulmões. Aparelho digestivo: Imagenologia: o abdômen - métodos de exploração. Do abdômen normal e agudo. Elementos fundamentais na análise da imagenologia abdominal. Anomalias congênitas, estenoses, ulcerações, divertículos, fistulas, tumores benignos e malignos, compressões extrínsecas, alterações sistêmicas e vasculares, traumatismos e alterações endócrinas de: esôfago, transição esôfago - cardiotuberositária, estomâgo e duodeno. Intestino delgado e grosso. Fígado, pâncreas, baço, vesícula e vias biliares. Retroperitônio. Aparelho urinário: Imagenologia do aparelho urinário - métodos. Elementos fundamentais na análise da imagenologia do aparelho urinário. Imagenologia: das massas expansivas renais; da bexiga, ureteres e junções; da próstata, vesículas seminais e bolsa; do aparelho urinário em pediatria; das lesões vasculares renais; e das urgências em aparelho urinário, incluindo trauma. Da exclusão renal. Cálculos, calcificações renais e nefrocalcinoses. Infecções renais específicas e inespecíficas. Supra-renal - doenças granulomatosas, endócrinas e tumorais. Ossos e articulações: Imagenologia das lesões osteomúsculo-articulares. Elementos fundamentais na análise da imagenologia osteomúsculo-articulares. Imagenologia: das doenças inflamatórias e infecciosas osteomúsculo-articulares. Das lesões tumorais e pseudo-tumorais. Das repercussões osteomúsculo-articulares das doenças sistêmicas (incluindo metástases). Da coluna vertebral. Das alterações endócrinas, metabólicas, isquêmicas e degenerativas. Da tuberculose óssea e vertebral. Da doença de Paget. Das lesões dos músculos, tendões e ligamentos. Ginecologia e obstetrícia: Imagenologia: em G/O - métodos; anomalias uterinas; infertilidade feminina; doença trofoblática; endometrioses; do útero e anexos - normal e patológica; da gravidez: diagnóstico, evolução e, complicações; avaliação ultra-sonografica do primeiro trimestre; avaliação ultra-sonográfica do segundo trimestre; avaliação ultra-sonográfica do terceiro trimestre; avaliação ultra sonográfica do liquido amniótico; avaliação ultra-sonográfico da placenta; anomalias fetais; gestação múltipla; hidropsia fetal. Mama: Mama normal e alterações fisiológicas; lesões benignas e malignas; lesões inflamatórias; mama masculina; mama operada e irradiada; mamografia x ultra-sonografia; ressonância magnética; biópsias; bi-rads. Neuroradiologia: Imagenologia do S.N. O - Métodos. Elementos fundamentais na análise da imagenologia do S.N.C. Imagenologia: no T.C.E; no A.V.C; nas doenças vasculares do SNC; nas doenças infecciosas e desmielinizantes; das massas expansivas do S.N.C; do S.N.C. em pediatria; do S.N.C. em pacientes críticos; e do S.N.C. nas alterações sistêmicas desenvolvimento do cérebro e malformações congênitas. doenças degenerativas e metabólicas. Aparelho genital masculino: Lesões inflamatórias e tumorais da próstata. Lesões inflamatórias e tumorais do testículo e epidídimo. Torção do testículo. Traumatismos. Varicocele. Infertilidade. Cabeça e pescoço: Seios paranasais. Nariz. Fossa pterigopalatina. Glândulas salivares. Espaço parafaringeo. ATM. Laringe. Base do crânio. Órbitas - olhos. Rochedo e mastóides. Tireoide. Paratireoide.

BIBLIOGRAFIA:

BURGENER, Francis, KORMANO, Martti. Diagnóstico diferencial em tomografia computadorizada. 1. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 1998.

CERRI, Giovani G., OLIVEIRA ITS. Ultra-sonografia abdominal. 2. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2002.

JUHL, Paul. Interpretação radiológica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

KEATS, Theodore E. Atlas of normal roentgen variants that may simulate disease. 6. ed. St. Louis: Mosby, 1996.

KOPANS, Daniel B. Imagem da mama. 2. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.

KORMANO, Burgener. Differential diagnosis In conventional radiology. 2. ed. New York: Thieme, 1991.

OSBORN, Anne G. Diagnóstico neuroradiológico. 1. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 1999.

RUMACK, Carol M. Tratado de ultra-sonografia diagnóstica. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1999.

STOLLER, David W. Ressonância magnética ortopédica. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 2001.

SUTTON, David. Text book of radiology and medicai imaging. vols. I e II. 7. ed. EUA: Churchill Livingstone, 2000.

HILTON, Saskia W., EDWARDS, David K. Radiologia pediátrica. 2 ed. Rio de Janeiro,Guanabara Koogan ,1996

BROSSMANN J.F.J., STEMBERG J.W. Radiologia óssea- Limites do normal e achados patológicos precoces. Rio de Janeiro, Revinter 2005

DAHNERT, W. Radiologia - Manual de Revisão. Rio de Janeiro. Revinter. 2001

HAAGA, J.R., LANZIERI, C.F., SARTORIS, D.J, ZERHOUNI, E.A. Tomografia computadorizada e ressonância magnética do corpo humano. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1996.

SIEGEL M.J. Tomografia computadorizada do corpo em pediatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

LEE, J.K.T., SAGEL, S.S., STANLEY, T.J., HAEIKEN, J.P. Tomografia computadorizada do corpo com correlação com ressonância magnética. 3 ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

GREESPAN, A. Radiologia ortopédica. Rio de Janeiro: Guanabara, 2001.

KOBRUNNER S.H.H., SCHREER, I, DERSHAW D.D., FRASSON, A. Mama diagnóstico por Imagem. Rio de Janeiro: Revinter.1999.

SIEGEL, M. Ultra-sonografia pediátrica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

PASTORE, A.R., CERRI, G.G. Ultra-sonografia em Ginecologia e Obstetrícia. Rio de Janeiro: Revinter, 2003.

SHANDNESS Jr., DEUGENE. Doppler colorido nas doenças vasculares. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

BAILAO, L.A., MUSOLE, F.B., MACHADO, L.E., RIZZI, M.C. Ultra-sonografia transvaginal. Ribeirão Preto: Diagnosis, 1991.

CERRI, G.G., MOLNAR, L.J.,.VIZZOZO, D,C,P. Doppler. São Paulo: Sarvier. 1996.

LATCHAW, R.E. Computed Tomography of the head,neck & Spine.Chicago. Year Book Medicai Publishers, 1985.

BERGERON, R.T., OSBORN, A.G. Head and neck Imaging. CV Mosby Company,1984.

SHANKERL, Evans K., HAWKE, M., STAMNBERGER, H. Atlas de imagem dos seios paranasais. Rio de Janeiro.Revinter,1997.

PUTTMAN, C.C.E., Ravin, C.E. Textbook of diagnostic Imaging. Philadelphia. WB Saunders Company, 1994.

FLEISHER, A.C., EMERSON, D.S. Ultra-sonografia com Doppler colorido em Ginecologia e Obstetrícia. Rio de Janeiro: Revinter, 1996.

MÉDICO DIARISTA INTENSIVISTA ADULTO: Acidentes por Agentes Químicos e Físicos; Aspectos Éticos em Medicina Intensiva. Código de Ética Medica; Cardio-circulatório: Arritmias cardíacas. Insuficiência coronariana aguda. Síndromes coronárias agudas. Infarto agudo do miocárdio. Tamponamento cardíaco. Trombolise. Dissecção aórtica. Emergências hipertensivas. Choque cardiogenico, hipovolêmico e séptico. Edema pulmonar cardiogênico e não cardiogênico. Insuficiência cardíaca congestiva. Reposição volêmica. Drogas vasoativas. Monitorização hemodinâmica invasiva e não invasiva. Transporte de oxigênio. Metabolismo do oxigênio em condições normais e patológicas. Reanimação cardio-pulmonar-cerebral. Ácido láctico sérico. Coagulação intravascular disseminada e fibrinólise. Coagulopatia de consumo. Trombolise e anticoagulação. Uso de hemoderivados e substitutos do plasma; Complicações no Paciente Oncológico; Endócrino/Metabólico: Coma hiperosmolar, hipoglicêmico e cetoacidose. Crise tireotóxica. Coma mixedematoso. Insuficiência supra renal aguda. Rabdomiólise. Calorimetria. Diabetes insípidos. Síndrome da secreção inapropriada do ADH; Escores de Avaliação Prognostica; Gastrintestinal: Hemorragia digestiva alta e baixa. Insuficiência hepática. Abdômen agudo. Pancreatite aguda. Colecistite aguda. Intoxicações exógenas; Infecções e Sepse: Infecções bacterianas, virais, fúngicas e, outros agentes. Infecções relacionadas a cateteres, hospitalares. Sepse. Uso de antibióticos. Translocação bacteriana. Descontaminação seletiva do trato gastrintestinal. AIDS. Infecções em imunodeprimidos. Colite pseudomenbranosa. Síndrome da resposta inflamatória sistêmica. Insuficiência de múltiplos órgãos e sistemas; Métodos de Imagem em Medicina Intensiva; Neurológico: Coma. Acidente vascular encefálico. Trombolíticos. Hipertensão endocraniana e suas medidas de controle. Indicação e controle da hiperventilação. Polirradiculoneurietes. Estado de mal epilético. Miastenia gravis. Morte cerebral; Obstetrícia: Eclampsia, infecção pós-parto e Hellp síndrome; Politraumatismo: Paciente politraumatizado. Trauma cranioencefálico e raquimedular. Pré e Pós operatório. Avaliação do risco operatório; Procedimentos invasivos: Intubação orotraquial, traqueostomia. Cateterização arterial, dissecção venosa. Marcapasso. Cateterização venosa central e de artéria pulmonar. Pericardiocentese e drenagem pleural. Raquicentese; Queimaduras: Grande queimado; Insuficiência renal aguda: métodos dialíticos; Distúrbios hidro-eletrolíticos e ácidos- básicos; Respiratório: Insuficiência respiratória aguda. Trocas gasosas pulmonares. Estado de mal asmático. Embolismo pulmonar. Síndrome do desconforto respiratório agudo. Broncoaspiração. Doença pulmonar obstrutiva crônica agudizada. Suporte ventilatório mecânico invasivo e não invasivo. Hipoventilação controlada e hipercapnia permissiva. Ventilação mecânica na asma, doença pulmonar obstrutiva crônica e Síndrome do desconforto respiratório agudo. Monitorização da ventilação. Capnografia. Desmame ventilatório. Complicações da ventilação mecânica. Gasometria arterial. Óxido nítrico. Oxigenioterapia.; Sedação, Analgesia e Bloqueio Neuromuscular.; Suporte nutricional, Nutrição parenteral e enteral; Transporte do paciente crítico. Choque; ressuscitação volêmica; uso de hemoderivados; monitorização hemodinâmica; acessos vasculares; suporte hemodinâmico farmacológico e mecânico; arritmias cardíacas e insuficiência coronariana aguda; reanimação cardio-pulmonar cerebral. Manuseio e manutenção de via aérea; insuficiência respiratória aguda; síndrome de desconforto respiratório do adulto; ventilação mecânica invasiva e não invasiva; desmame; estado de mal asmático; DPOC desconpensado; trombo-embolismo pulmonar; avaliação radiológica do tórax. Sepse; disfunção orgânica múltipla; rastreamento microbiológico em terapia intensiva; antibioticoterapia; infecções hospitalar em CTI. Monitorização neurológica em CTI; comas; hipertensão intracraniana; traumatismo crânio-encefálico; traumatismo raquimedular; acidente vascular encefálico; estado de mal epiléptico; manuseio da morte encefálica em terapia intensiva. Abdome agudo em terapia intensiva; hemorragia digestiva; síndrome de hipertensão intra-abdominal; terapia nutricional em CTI; disfunção hepática. Politraumatismo; distúrbio eletrolítico e ácido-básico; descompensação diabética; insuficiência renal aguda e métodos dialíticos; intoxicação exógena; avaliação e tratamento das coagulopatias; sedação, analgesia e bloqueio neuro-muscular. Aspectos éticos em terapia intensiva.

BIBLIOGRAFIA:

Harrison's- Medicina Interna, 15B ed., 2001.

IRWIN AND RIPPE. Intensiva Care Medicine. Fifth Edition,2003

MENNA BARRETO, Silvia Vieira e PINHEIRO,Ceovaldo. Rotinas em Terapia Intensiva. 3 Ed.2001 CID DAVID.Medicina Intensiva. Editora Revinter,2003.

Fisiologia 5ª. Edição, Robert M. Berne-Levy. Koeppen Stanton 2004 ed.Elsevier

MÉDICO PLANTONISTA INTENSIVISTA: Acidentes por Agentes Químicos e Físicos; Aspectos Éticos em Medicina Intensiva. Código de Ética Medica; Cardio-circulatório: Arritmias cardíacas. Insuficiência coronariana aguda. Síndromes coronárias agudas. Infarto agudo do miocárdio. Tamponamento cardíaco. Trombolise. Dissecção aórtica. Emergências hipertensivas. Choque cardiogenico, hipovolêmico e séptico. Edema pulmonar cardiogênico e não cardiogênico. Insuficiência cardíaca congestiva. Reposição volêmica. Drogas vasoativas. Monitorização hemodinâmica invasiva e não invasiva. Transporte de oxigênio. Metabolismo do oxigênio em condições normais e patológicas. Reanimação cardio-pulmonar-cerebral. Ácido láctico sérico. Coagulação intravascular disseminada e fibrinólise. Coagulopatia de consumo. Trombolise e anticoagulação. Uso de hemoderivados e substitutos do plasma; Complicações no Paciente Oncológico; Endócrino/Metabólico: Coma hiperosmolar, hipoglicêmico e cetoacidose. Crise tireotóxica. Coma mixedematoso. Insuficiência supra renal aguda. Rabdomiólise. Calorimetria. Diabetes insípidos. Síndrome da secreção inapropriada do ADH; Escores de Avaliação Prognostica; Gastrintestinal: Hemorragia digestiva alta e baixa. Insuficiência hepática. Abdômen agudo. Pancreatite aguda. Colecistite aguda. Intoxicações exógenas; Infecções e Sepse: Infecções bacterianas, virais, fúngicas e, outros agentes. Infecções relacionadas a cateteres, hospitalares. Sepse. Uso de antibióticos. Translocação bacteriana. Descontaminação seletiva do trato gastrintestinal. AIDS. Infecções em imunodeprimidos. Colite pseudomenbranosa. Síndrome da resposta inflamatória sistêmica. Insuficiência de múltiplos órgãos e sistemas; Métodos de Imagem em Medicina Intensiva; Neurológico: Coma. Acidente vascular encefálico. Trombolíticos. Hipertensão endocraniana e suas medidas de controle. Indicação e controle da hiperventilação. Polirradiculoneurietes. Estado de mal epilético. Miastenia gravis. Morte cerebral; Obstetrícia: Eclampsia, infecção pós-parto e Hellp síndrome; Politraumatismo: Paciente politraumatizado. Trauma cranioencefálico e raquimedular. Pré e Pós operatório. Avaliação do risco operatório; Procedimentos invasivos: Intubação orotraquial, traqueostomia. Cateterização arterial, dissecção venosa. Marcapasso. Cateterização venosa central e de artéria pulmonar. Pericardiocentese e drenagem pleural. Raquicentese; Queimaduras: Grande queimado; Insuficiência renal aguda: métodos dialíticos; Distúrbios hidro-eletrolíticos e ácidos- básicos; Respiratório: Insuficiência respiratória aguda. Trocas gasosas pulmonares. Estado de mal asmático. Embolismo pulmonar. Síndrome do desconforto respiratório agudo. Broncoaspiração. Doença pulmonar obstrutiva crônica agudizada. Suporte ventilatório mecânico invasivo e não invasivo. Hipoventilação controlada e hipercapnia permissiva. Ventilação mecânica na asma, doença pulmonar obstrutiva crônica e Síndrome do desconforto respiratório agudo. Monitorização da ventilação. Capnografia. Desmame ventilatório. Complicações da ventilação mecânica. Gasometria arterial. Óxido nítrico. Oxigenioterapia.; Sedação, Analgesia e Bloqueio Neuromuscular.; Suporte nutricional, Nutrição parenteral e enteral; Transporte do paciente crítico. Choque; ressuscitação volêmica; uso de hemoderivados; monitorização hemodinâmica; acessos vasculares; suporte hemodinâmico farmacológico e mecânico; arritmias cardíacas e insuficiência coronariana aguda; reanimação cardio-pulmonar cerebral. Manuseio e manutenção de via aérea; insuficiência respiratória aguda; síndrome de desconforto respiratório do adulto; ventilação mecânica invasiva e não invasiva; desmame; estado de mal asmático; DPOC desconpensado; trombo-embolismo pulmonar; avaliação radiológica do tórax. Sepse; disfunção orgânica múltipla; rastreamento microbiológico em terapia intensiva; antibioticoterapia; infecções hospitalar em CTI. Monitorização neurológica em CTI; comas; hipertensão intracraniana; traumatismo crânio-encefálico; traumatismo raquimedular; acidente vascular encefálico; estado de mal epiléptico; manuseio da morte encefálica em terapia intensiva. Abdome agudo em terapia intensiva; hemorragia digestiva; síndrome de hipertensão intra-abdominal; terapia nutricional em CTI; disfunção hepática. Politraumatismo; distúrbio eletrolítico e ácido-básico; descompensação diabética; insuficiência renal aguda e métodos dialíticos; intoxicação exógena; avaliação e tratamento das coagulopatias; sedação, analgesia e bloqueio neuro-muscular. Aspectos éticos em terapia intensiva.

BIBLIOGRAFIA:

Harrison's- Medicina Interna, 15B ed., 2001.

IRWIN AND RIPPE. Intensiva Care Medicine. Fifth Edition,2003

MENNA BARRETO, Silvia Vieira e PINHEIRO,Ceovaldo. Rotinas em Terapia Intensiva. 3 Ed.2001

CID DAVID.Medicina Intensiva. Editora Revinter,2003.

Fisiologia 5ª. Edição, Robert M. Berne-Levy. Koeppen Stanton 2004 ed.Elsevier

MÉDICO DIARISTA INFECTOLOGISTA: Código de Ética Médica; Preenchimento da Declaração de óbito; - Doenças de Notificação Compulsória; Princípios do Atendimento Clínico anamenese, no diagnóstico e na orientação; Fisiologia básica; Farmacologia básica e geral; Fisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e complicações das patologias; Meningites; Doenças menigocóccicas; Lepstospirose; AIDS; Leishimaniose: tegumentar e visceral; Doenças exantemáticas; Hepatites infecciosas: Hepatites virais; Malária; Febre tifóide; Salmoneloses; Dengue; Doença de Chagas; Febre Amarela; Esquistossomose Mansoni; Cólera; Riquetsioses; Raiva; Tétano; Febres purpúricas; Enteroviroses; Estafilococcias; Estreptococcias; Hanseníase; Parasitoses Intestinais; Neurocisticercose; Tuberculose; Pneumonias atípicas; Paracoccidioidomicose; Histoplasmose; Infecções Herpéticas; Toxoplasmose; Doenças sexualmente transmissíveis; Infecção hospitalar; Sepse; Febre de origem indeterminada; Mononucleose infecciosa; Imunizações; antibioticoterapia; Endocardites infecciosas.

BIBLIOGRAFIA:

Vicente Amato Neto - José Luís da Silveira Boldy - Doenças Transmissíveis, Editora Sarvier , São Paulo ,

Ricardo Veronesi e Col - DIP - Editora Guanabara Koogan, 9ª. Edição, Rio, S/D.

Current Opinion

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005 LOPES, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

BRASIL. Ministério da saúde, secretaria de assistência à saúde, coordenação de saúde materno-infantil. Assistência e controle das doenças diarréicas , Brasília.

BRASIL. Ministério da saúde , secretaria de assistência à saúde, coordenação materno-infantil - comin - serviço de assistência à criança - assistência e controle das infecções respiratórias agudas - manual de normas.

BRASIL. Ministério da saúde , centro nacional de epidemiologia / coordenação nacional de epidemiologia sanitária - manual de normas para o controle da tuberculose

SOARES, J.F. e Siqueira, A.L. Introdução à Estatística Médica. Departamento de Estatística da UFMG.

HENNEKENS,C.H. & Buring, J.E. Epidemiology in Medicine. Little Brown and Company. Boston/Toronto.

PEREIRA, MG. Epidemiologia. Teoria e prática.

Harrison's - Principies of the Internai medicine

Principies and pratice of infectious Disease - Mandell GL, Douglas RG Jr, Bennett JE

Clinica Pediátrica da América do Norte

GOODMAN & Guilman. ALFRED. As bases Farmacológicas da Terapêutica. 10B edição Mcgraw Hill. 2003.

TAVARES, W. Manual de antibióticos e quimioterápicos antinfecciosos. RJ: 2ª. Edição, Atheneu,

BERNE, R. M.; LEVY, Kolppen Stanton. Fisiologia, 5ª. Edição, Ed. Elsevier, 2004

GUYTON, Arthur S. Tratado de Fisiologia Médica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

MÉDICO DIARISTA NEUROLOGISTA. Anatomia; Embriologia; Fisiologia do Sistema Nervoso Central e Periférico; Farmacologia do Sistema Nervos Central e Periférico; Sintomas das doenças neurológicas; Como selecionar testes diagnósticos; infecções do sistema nervoso; Doenças vasculares; Distúrbios dos líquidos cefalorraquidiano e cerebral; Tumores; Traumatismo; Lesões de parto e anormalidades do desenvolvimento; Doenças genéticas do sistema nervoso central; Encefalomiopatias mitocôndrias; Afecções neurocutâneas; Neuropatias periféricas; Demências; Ataxias; Distúrbios do movimento; Doenças da medula; Distúrbios da junção neuromuscular; Miopatias; Doenças desmielinizantes; Distúrbios autonômicos; Distúrbios paroxísticos; Doenças sistêmicas e medicina geral; Neurologia ambiental; Reabilitação.

BIBLIOGRAFIA:

ADAMS.R.D. VICTOR,M. Principias of neurologv. McGran,1989.

BEAR, Mark F. Neurociências. Artmed 2002

BERNE, Robert M. ; LEVY, Koeppen Stanton. Fisiologia. 5ª. Edição, Elsevier, 2004.

BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

BRODAL,A. Anatomia neurological com correlações clínicas. SP, Ed.Roca, 1984.

CAMBIER,J.et ai. Manual de Neurología. EJ: Masson do Brasi1,1988.

Cecil, Russell. Tratado de Medicina interna

DUUS, P. Diagnóstico topográfico em neurología .Ed. Cultura Médica,1989.

GARDNER, Gray O'Rahilly. Anatomia, 4ª. Edição, Guanabara Koogan, 1988.

GOODMAN E GUILMAN. As bases farmacológicas da terapêutica. Editora Guanabara Koogan.

GUYTON, Arthur S. Tratado de fisiologia médica. Editora Guanabara Koogan. 10B ed

LENT, Roberto. Cem bilhões de neurônios , Atheneu 2001

Lopes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

LUNDY, Ekman, Laurie. Neurociência, esisevier

MACHADO, A. Neuroanatomia funcional. RJ: Atheneu ,1989.

ROWLAND, Merri. Tratado de Neurologia .9. ed. RJ: Guanabara Koogan,1997.

KNOBEL, E. MERRITI. Tratado de neurología. Editora Guanabara Koogan. 9ª. Edição,

PORTH, Carol Mattson. Fisiopatologia. 6ª. Edição, Ed. Guanabara Koogan. 2004.

ROWLAND, LP, MERRIT Tratado de Neurologia, Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2002.

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

MÉDICO DIARISTNPLANTONISTA NEUROCIRURGIÃO: Neuroanatomia funcional: embriologia e fisiologia do sistema nervoso. Diagnóstico neurocirúrgico. Líquido cefalorraquiano e provas raquimanométricas. Exames neuroftalmológico e neurológico. Ecoencefalografia. Radioisótopos. Exames neuroradiológicos. Estudo radiológico do crânio e da coluna vertebral. Angiografia cerebral. Ressonância magnética. Mielografia. Amniografia medular e cerebral. Tomografia computadorizada. Ressonância nuclear magnética. Tumores do crânio, das meninges e do encéfalo, primitivos e metastáticos: tumores da fossa posterior, tumores da órbita, tumores selares e paraselares. Hipertensão intracraniana. Tumores da raque, das meninges, das raízes e da medula - primitivos e metastáticos, compressão medular. Traumatismo do sistema nervoso: traumatismo crânio-encefálico. Traumatismo raquimedular. Traumatismos dos nervos periféricos. Hemorragia meníngea: más formações vasculares intracranianas e medulares. Complicações neurocirúrgicas das doenças infecciosas e parasitárias. Neuralgias craniofaciais. Patologia dos discos intravertebrais: hérnias discais. Hidrocefalias. Doenças congênitas cirúrgicas do sistema nervoso. Tratamento cirúrgico da dor. Princípios da técnica cirúrgica em neurocirurgia.

BIBLIOGRAFIA:

YOUMANS, J.R. Neurological surgery. Philadelphia. London. Toronto: W. B. Saunders Company, ed. 2001.

VICTOR, M. ROPPER, A. H. e ADAMS, R. D. Adams and Victor s principies of neurology. 7 edition. New York. McGraw-Hill, 2001.

HAND-BOOK of Neurosurgery, 5ª. Edição, Greemberg, M. S. editora Greemberg, M. S. 2001.

OSBORNE, A. G. Diagnóstico Neurorradiológico. Editora revinter. 1999.

SCHIMIBECK, E. SWEET. Operative Neurosurgical Techiques, 4ª. Edição, Editora Saunders.

MÉDICO DIARISTA GERIATRA: O Processo de Envelhecimento - Parâmetros - Aspectos físicos e biológicos do envelhecimento. Anatomia do envelhecimento, Epidemiologia do envelhecimento, Fisiologia do envelhecimento, Farmacologia geriátrica, Evolução e involução - as idades da vida. Normas Bioquimícas - Mudanças fisiológicas e patológicas. Geriatria e Gerontologia - Mudanças patológicas irreversíveis. Distúrbios genéticos e envelhecimento. Doenças assintomáticas. Fatores Genéticos da Longevidade - Fatores genéticos da doença. Doença do metabolismo. Aspectos Psicológicos do Envelhecimento - Idade e Envelhecimento. Aprendizagem e memória. Sensação e percepção. Comportamento psicomotor. Personalidade - Motivação. Relacionamento com pessoas idosas doentes. Doenças do Envelhecimento - Arteriosclerose e suas consequências - Hipertensão arterial no paciente idoso. O coração senil. Arritmias cardíacas - Valvulopatias - Coração pulmonar crônico. Endocardite bacteriana - Cardiopatias infecciosas - Insuficiência cardíaca - Tuberculose - Cardinoma bronco-pulmonar - Tromboembolismo pulmonar. Alterações Musculares e Articulares - Debilidade muscular - Câmbras - Polialgia reumática. Osteoartrite degenerativa. Reumatismo poliarticular deformante. Artropatia gotosa - Artrite infecciosa. Artropatite neuropática. Colagenoses para-reumáticas. Doenças da Nutrição - Necessidade calórica - Metabolismo dos hidratos de carbono - Proteínas e lipídios. Obesidade e subnutrição. Doenças do metabolismo. Diabete. Gota. Alterações do Sistema Nervoso - Doenças do envelhecimento arterial. Arteriopatias cerebrais. Parkionismo. Doença de Parkinson. Demência senil. Coréa - Infecções do sistema nervoso. Herpes Zoster. Síndrome de Hakim. Transtronos mentais do idoso. Meningo encefalites - Hematomas. Doenças do Aparelho Digestivo - Mudanças etárias anatomofisiológicas. Esôfogo - Disfagia - Refluxo gastro-esofágico. Hérnia de hiato - Câncer - Gastrite artrófica crônica - Ulcera e câncer gástrico. Síndrome de má absorção. Divertículo duodenal - Constipação e diarréia. Incontenência fecal. Diverticulose. Câncer do cólon. Apendicite aguda. Obstrução intestinal. Sídrome hemorroidária. Prolapso retal. Fígado e vias biliares - Icterícia - Hepatopatia congestiva. Hepatite - Cirrose - Tumor do fígado e outars infecções hepáticas. Litíase e carcinoma das vias biliares - Pâncreas: pancreatite aguda e crônica - Tumores do pâncreas. Doenças do Sangue - Modificações etárias do quadro sanguíneo. Anemias - policitemias. Leucemias - Doença de Hodkin. Mieloma múltiplo - Doença de Waldenstron. Doenças hemorrágicas - Púrpura e coagulopatias. Doenças das Vias Urinárias - Mudanças anatomofisiológicas. Nefropatias - Pielonefrites - Litíase e outras nefropatias. Doenças da bexiga - Incontinência urinária - Câncer - Lesões da próstata e uretra. Adenoma e câncer da próstata. Lasão da bolsa escrotal e seu conteúdo. Modificações do Aparelho Locomotor - Alterações etárias - Osteoporose - Fraturas no idoso. Fratura no colo do fêmur. Roturas tendinosas. Doenças de paget. Outras condições ortopédicas - Bursistes - Calosidades. Tumores primários dos ossos. Espondilartrose. Hérnia de disco.Escolioses - Lordoses. Modificações Etárias dos Olhos - Pálpebra - Presbiopia. Catarata. Modificações internas - Corpo Vítreo. Retina e coróide. Glaucoma. Degeneração macular senil. Modificações Otorrinolaringológicas - Perturbações auditivas. Ruídos. Vertigens. Distúrbios nasais e das cordas vocais. Síndrome de Costen - Disacusias. Disartrias. A Sexualidade nos Idosos - Efeito das drogas no comportamento sexual. Transformações etárias. Doença das glândulas endócrinas - Hipo e Hipertireoidismo. Modificações anatmoclínicas do aparelho genital feminino. Alergias no Idoso - Reação e sensibilidade do idoso à terapêutica. Dosagem medicamentosas no tratamento do idoso. Principais emergências no paciente idoso. Aspectos Dermatológicos do Idoso - Prurido e queratose senil. Lesões pigmentares - Verrugas e polipos. Epiteliomas - Úlcera de decúbito. Relações Médico-paciente - Sua importância em geriatria. O idoso na comunidade. Atitude da comunidade em relação ao idoso e à doença crônica, latrogenia, Exercício físico.

BIBLIOGRAFIA:

BRAUNWALD, Eugene. Heart Disease. 1998.

VIANA DE FREITAS , Elizabete; Py, Liia ; et al .Tratado de Geriatria e Gerontologia .RJ ,Guanabara.Koogan, 2006.

PAPALÉO Netto,Matheus; CARVALHO FILHO, Eurico Thomaz . Geriatria, fundamentos clínica e terapêutica SP, Atheneu,2005

KAUFFMAN. Timothy. Manual de Reabilitação Geriátrica. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2001

BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

Lopes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005 Goodmman/Gilmann - As bases da Farmacologia e Terapêutica

MÉDICO DIARISTNPLANTONISTA GINECO-OBSTETRA: Anticoncepção, planejamento familiar, infertilidade; - Doenças sexualmente transmissíveis; - Infecção das vias genitais; - Amenorréia; - Hemorragia uterina disfuncional; - Dismenorreia e síndrome de tensão pré-menstrual; - Endometriose e Adenomiose; - Síndrome dos ovários policísticos; - Menopausa; - Hiperandrogenismo; - Tuberculose genital; - Incontinência urinária; - Ginecologia pediátrica e do adolescente; - Urgências ginecológicas; - Patologias Ginecológicas benignas e malignas da mama, colo, uterino, corpo uterino, vulva, vagina e ovários, Traumatismo genital. : Embriologia; - Assistência pré-natal; - Diagnóstico de gravidez; Propedêutica da gravidez - Contratilidade uterina; - Estudo clínico e assistência ao parto; - Endocrinologia da gravidez; - Trocas materno-ovulares; - Repercussões clínicas das adaptações do organismo materno; - Drogas e gravidez; - Genética pré-natal; - Desenvolvimento e crescimento fetal; - Avaliação da vitalidade fetal; - Prenhez ectópica; - Neoplasias trofoblásticas gestacionais; - Gestação de alto risco; - Doença hemolítica perinatal; - Prematuridade; - Sofrimento fetal agudo; - Infecção puerperal; - Puerpério; - Lactação. Patologia do puerpério (infecção puerperal, hemorragias e distúrbios da lactação). Doenças intercorrentes do ciclo grávido-puerperal. Gravidez prolongada. Hemorragias da primeira e segunda metade da gravidez. Patologia do sistema amniótico. Síndromes hipertensivas na gestação. Gemelidade. Sofrimento fetal agudo. Tocurgia.

BIBLIOGRAFIA:

BARACAT, E. C. Guias de Medicina Ambulatorial e Hospitalar. UNIFESP/EPM. Manole, 2005.

BEREK, J.S.NOVAK.Tratado de ginecologia. 13.ed.RJ:Guanabara Koogan,2002.

O.KASER/HIRSH.Atlas da cirurgia ginecológica. PÓVOA/QUINET.Endocrinologia ginecológica.RJ,Cultura Médica,1987.

SALVATORE,Carlos Alberto.Mastologia prática.

Clinicai gynecologic endocrinology & infertility - Speroff. 7ª. Edição, - 2004.

Endocrinologia de la Reproducción Yen - 5ª. Edição, - 2004.

Ética em Ginecologia e Obstetrícia CREMESP - 2ª. Edição, - 2002. www.febrasgo.org.br/manuais.htm.

Manual de Anticoncepção. FEBRASGO - 2004. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Manual de Climatério. FEBRASGO - 2004. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Manual de DST/AIDS. FEBRASGO - 2004. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Manual de Ginecologia Endócrina. FEBRASGO - 2003. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Manual de Uroginecologia e cirurgia vaginal. FEBRASGO - 2001. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Manual de Diabete e Hipertensão na Gravidez. FEBRASGO, 2004

Manual de assistência ao parto e tocurgia. FEBRASGO, 2002.

Manual Técnico de gestação de auto risco. Ministério da Saúde, 2000.

Manual de violência sexual. FEBRASGO - 2004. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

TeLinde's operative Ginecology. Rock - 9ª. Edição, - 2003.

Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia. Pastore e Cerri - 5ª. Edição, - 2003.

Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia. Callen - 4ª. Edição, - 2002.

Pediatric & Adolescent Ginecology. SanFilippo - 2ª. Edição, - 2001.

Projeto Diretrizes. AMB - CFM - FEBRASGO. www.febrasgo.org.br/diretrizes.htm

FEBRASGO, Tratado de Ginecologia, vol. 1 e 2.

FEBRASGO, Assistência pré-natal. Manual de Orientação. 1. ed., 2000

FEBRASGO, Tratado de Obstetrícia. Editora Revinter, 2000

MINISTÉRIO DA SAÚDE / FEBRASGO. Urgências e Emergências Maternas. Manual Técnico. 1. ed., 2000.

REZENDE, J, Obstetrícia. 9 ed., Editora Guanabara Koogan, 2001.

DUARTE, G, Protocolos de Condutas em Gestação de Alto Risco. 3ª. ed, FUNPEC editora, 2003

Medicai Complicatios During Pregnamcy. Burrow - 6ª. Edição, -2004

Ética em Ginecologia e Obstetrícia. CREMESP 2ª. Edição, - 2002. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Humanização do parto. Ministério da Saúde - 2002.

Manual de Assistência ao Parto e Tocurgia. FEBRASSGO - 2002. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Manual de diabetes e Hipertensão na Gravidez. FEBRASGO - 2004. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Manual uso do Misoprostol. FEBRASGO - 2005. www.febrasgo.org.br/manuais.htm

Medicina Fetal. Cha, Sang choon - 1 ª. Edição, - 2004 Obstetrícia Básica. Neme - 3ª. Edição, - 2006 Obstetrics. Willians - 21 ª. Edição, - 2001

Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia. Pastore Ceni - 5ª. Edição, - 2003

Ultrassonografia em Obstetrícia e Ginecologia. Callen - 4ª. Edição, - 2002

Projeto Diretrizes. AMB - CFM - FEBRASGO. www.febrasgo.org.br/diretrizes.htm

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA OFTALMOLOGISTA: Embriologia. Anatomia, fisiologia e patologia da órbita.Anatomia, fisiologia e patologia das pálpebras. Anatomia, fisiologia e patologia das vias lacrimais. Anatomia, fisiologia e patologia da musculatura extrínseca. Anatomia, fisiologia e patologia da conjuntiva. Anatomia, fisiologia e patologia da esclera. Anatomia, fisiologia e patologia da córnea. Anatomia, fisiologia e patologia da uvea. Anatomia, fisiologia e patologia do cristalino. Anatomia, fisiologia e patologia de retina. Anatomia, fisiologia e patologia do vítreo. Anatomia, fisiologia e patologia do disco óptico. Anatomia, fisiologia e patologia das vias ópticas. Refração ocular. Lentes de contato.Glaucoma. Urgências. Neuroftalmologia. Tumores oculares. Oftalmopediatria. Manifestações oculares das doenças sistêmicas. Terapêutica medica. Cirurgia em oftalmologia. Exame ocular: técnicas e testes diagnósticos. Exames complementares em Oftalmologia. Epidemiologia em oftalmologia. Prevenção da cegueira. Trauma palpebral da órbita e ocular. Lesões químicas. Distúrbios moleculares adquiridos. Estrabismo. Descolamento de Retina.

BIBLIOGRAFIA:

NEWELL,Frank. Ophthalmology - Principies and Concepts. Mosby.

GUYTON, Arthur S. Tratado de Fisiologia Médica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

NIES, Gilmar, Alfred Goodman, Rall, Theodore W. As bases Farmacológicas da Terapêutica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

Lopes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

KANSKI, Jack J. Oftalmologia Clínica. Editora Revinter, 4ª. Edição, VAUGHAN, Daniel; TAYLOR, ASBURY. Oftalmologia Geral. Editora Revinter.

MACHADO, Ângelo. Neuroanatomia Funcional, 2ª. Edição, Atheneu

GRAY. Anatomia Gardner, 4ª. Edição, Ed. Guanabara Koogan.

BERNE, R. M.; LEVY, Koeppen Stanton. Fisiologia, 5ª. Edição, Elsevier, 2004.

YAMANI, Riuitiro. Semiologia Ocular. 2ª. Edição, 2003

PADILHA, Miguel. Catarata. 1ª. Edição, 2003

ALVES, Aderbal de A. Refração. 3ª. Edição, 2000

MÉDICO DIARISTA ORTOPEDISTA: Princípios do Atendimento Clínico anamnese, no diagnóstico e na orientação; Introdução ao Estudo da Biomecânica; Biomecânica Localizada (MMSS, MMII e Coluna); Embriologia Humana, Histogênese óssea; Fisiologia e Bioquímica Óssea; Consolidação e retardamento de consolidação das fraturas; Doenças Ósseas Metabólicas, Distúrbios congênitos da osteogênese do desenvolvimento; Deformidades Congênitas; Exame Músculo-Articular; Osteomielites e Pioartrites; Infecções Ósseas Específicas-tuberculose, lues, micoses; Tratamento de Seqüelas de Paralisia Infantil; Paralisia Obstétrica; Paralisia Cerebral; Cervicobraquialgias; Pé Plano Postural; Afecções Ortopédicas Comuns da Infância; Pé Equinovaro Congênito; Hallux Valgus; Lombalgia, Lombociatalgia e Hérnia Discai; Escoliose; Espondilolise e Espondilolistese; Epifisiolistese Proximal do Fêmur; Osteocondrites; Moléstia de Perthes; Displasia Congênita do Quadril; Tratamento das Artroses do MMII; Ombro Doloroso; Tumores Ósseos; Fraturas Expostas; Fraturas de Escafóide; Fraturas Luxações do Carpo; Fraturas do Punho (Fratura de Colles); Lesões Traumáticas da Mão; Fraturas dos Ossos do Antebraço; Fraturas Supracondilianas do Úmero na Criança; Fraturas e Luxações da Cintura Escapular; Fraturas do Úmero; Fraturas e Luxações da Cintura Pélvica; Fraturas do Terço Proximal do Fêmur; Fraturas do Colo do Fêmur na Criança; Fraturas Supracondilianas do Fêmur; Fratura do Joelho; Lesões Ligamentares e Meniscais do Joelho; Fratura da Diáfise Tibial e Fraturas do Tornozelo; Fratura dos Ossos do Tarso; Anatomia e Radiologia em Ortopedia e Traumatologia; Anatomia do Sistema Ósteo-Articular; Anatomia do Sistema Muscular; Anatomia dos Vasos e Nervos; Anatomia Cirúrgica: vias de acesso em cirurgia ortopédica e traumatológica; Farmacologia.

BIBLIOGRAFIA:

APLEY. A grahan, Solomon, Louis. Ortopedia e Fraturas em Medicina e Reabilitação, Atheneu 2002.

BERNE, Robert M. ; LEVY, Koeppen Stanton. Fisiologia. 5ª. Edição, Elsevier, 2004.

BROWNER, JUPITER, LEVINE e TRAFTON Traumatismos do sistema musculoesquelético 2ª edição Editora Manole CAMPBEL. L. Cirurgia Ortopédica.

GARDNER, Gray O'Rahilly. Anatomia, 4ª. Edição, Guanabara Koogan, 1988.

GOODMAN E GUILMAN. As bases farmacológicas da terapêutica. Editora Guanabara Koogan.

GREVE, Julia Maria d'Andréa; Amatuzzi, Marcos Martins. Medicina de Reabilitação Aplicada a Ortopedia e Traumatologia. Roca 1999.

HOPPENFELD. Propedêutica Ortopédica. RJ: Livraria Atheneu, 1978.

SCHENCK, Robert C. Medicina Esportiva e Treinamento Atlético. Roca 3ª. Edição,

MIHRAN O. TACHDJIAN ORTOPEDIA PEDIÁTRICA - Diagnóstico e Tratamento 1 ° Edição Editora Revinter. 2001.

REIDER, Bruce. O Exame Físico em Ortopedia. Guanabara Koogan, 2001.

RIBEIRO, Edson Passos. Traumatologia osteoarticular.RJ: Guanabara Koogan, 1984.

T. P. RÜEDI e W.M. MURPHY Princípios ao do tratamento de fraturas Editora ARTMED - 2002.

HOPPENFELD, Stanley.Vias de acesso em cirurgia ortopédica. Editora Manole - 2ª edição

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA OTORRINOLARINGOLOGISTA: Código de Ética Médica; Fisiologia e farmacologia básica Doenças das fossas nasais e cavidades paranasais: Anatomia, fisiologia e propedêutica das fossas nasais; Rinites agudas e crônicas; Viroses das vias respiratórias; Alterações do olfato; Rinites específicas; Granulomatoses nasais; Anatomia e fisiologia dos seios paranasais; Diagnósticos por imagens; Sinusites agudas e crônicas; Correlações sistêmicas das sinusites; Complicações das sinusites; Imunologia elementar; Manifestações alérgicas nasossinusais; Rinite vasomotora; Neurectomia do Vidiano; Corpos estranhos; Malformação do septo nasal; Septoplastias; Ronco e síndrome de apnéia do sono; Rinoplasia estética; Blastomas nasais e paranasais. Doenças da Faringe: Anatomia, fisiologia e propedêutica; Anginas; Infecção focal; Patologia imunológica da faringe; Imunodeficiência; AIDS; Problema das amígdalas e vegetações adenóides; Blastomas da faringe. Doenças da Laringe: Anatomia e fisiologia; Laringites agudas e crônicas; Malformações congênitas; Fendas glóticas; Paralisias laríngeas; Noções de foniatria; A voz humana; Blastomas benignos de laringe; Câncer de laringe; Laringectomia total simples; Esvaziamentos cervicais (indicações e técnicas); Microcirurgia endolaríngea; Indicações de traqueostomia. Doenças do Sistema Auditivo: Anatomia e fisiologia da audição; Fisiologia vestibular; Semiologia da audição; Impedanciometria, Audiometria eletroencefálica; Otoemissões; Patologia do ouvido externo; Otites médias agudas; otites médias crônicas; Timpanoplastias; Otites médias serosa/secretora; Complicações das otites médias; Paralisia facial endotemporal; Paralisia de Bell; Fraturas do osso temporal; surdez infantil; Trauma sonoro; Labirintopatias vasculares e metabólicas; Surdez súbita; Cirurgia funcional das malformações congênitas dos ouvidos; Próteses auditivas; Otosclerose - tratamento cirúrgico; Doenças de Méniere; Outras causas de vertigem; Neuroma do acústico; Otoneurocirurgia - indicações. Antibióticoterapia em Otorrinolaringologia.

BIBLIOGRAFIA:

Tratado de Oto Rino Laringologia. 1 ed. São Paulo (SP): Editora Roca , 2003

ALFRED, GOODMAN, GILMAN. As bases farmacológicas da terapêutica, 5ª. Edição, Macgraw Hill, 2003.

BERNE, R. M.; LEVY, Kolppen Stanton. Fisiologia, 5ª. Edição, Ed. Elsevier, 2004.

GRAY, O'Rahilly. Anatomia Gardner, 4ª. Edição, Ed. Guanabara Koogan, 1988.

GUYTON, Arthur S. Tratado de Fisiologia Médica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

LOPES, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006 TAVARES, W. Manual de antibióticos e quimioterápicos antinfecciosos. RJ: Atheneu, 1993.

BEAR, Mark F. Neurociências. Artmed, 2002.

LENT, Roberto. Cem bilhões de neurônios, Atheneu 2001.

MÉDICO DIARISTA HOMEOPATA: Histórico da homeopatia. Princípios fundamentais da homeopatia: similitude, experimentação no homem são, doses mínimas, medicamento único. Vitalismo segundo a homeopatia. Concepção de saúde e enfermidade. Doença aguda. Doença crônica. Cura. Correntes terapêuticas. Semiologia homeopática: fundamentação e conceitos. Anamnese homeopática. Sintomas. Clínica homeopática: diagnósticos e compreensão do caso. Prescrição homeopática: primeira e segunda prescrição. Prognósticos. Matéria médica homeopática e repertórios. Medicamentos homeopáticos: origem, métodos e escalas. Veículos homeopáticos. Formas farmacêuticas. Receituário homeopático. Bioterápicos.

BIBLIOGRAFIA:

ALLEN, T.F. The encyclopedia of pure materia medica. New Delhi: B.J. Publishers, 1982.

DIAS, A.F. Fundamentos da homeopatia: princípios da prática homeopática: curriculum minímum. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2001. 580p.

FONTES, O. L. Farmácia homeopática: teoria e prática. São Paulo: Manole, 2001. 353p.

HAHNEMANN, S. Matéria médica pura. Traduzida para o inglês por Dudgeon com anotações de Hughes. New Delhi: B.J. Publishers, 1972.

HAHNEMANN, S. A doença crônica. 2. ed. alemã, traduzida para o português por Benoit Mure. São Paulo: G.E.H., 1984.

HAHNEMANN, S. Organon. 6. ed. alemã. Traduzida para o português por GEHSP "Benoit Mure" 2. ed. São Paulo: GEHSP 1995.

HERING, C. Guiding symptoms. New Delhi: J.B. Publishers, 1971.

KENT, J.T. Filosofia homeopática, Trad. Ruth Kelson Original Lectunes on homeopathic: philosophy. São Paulo: Robe Editorial. 1996.

KOSSAK-ROMANCH, A. Homeopatia em 1.000 conceitos. São Paulo: El Cid, 1984.

NASSIF, M.R.G. Compêndio de homeopatia. São Paulo: Robe Editorial. 1997, 3Vs.

TYLER, M.L. Retratos dos medicamentos homeopáticos. São Paulo: Santos Ed., 1995.

MÉDICO DIARISTA PEDIATRA: Código de Ética Médica; Preenchimento da Declaração de óbito; Doenças de Notificação Compulsória; Princípios do Atendimento Clínico: a importância da anamnese, o diagnóstico e a orientação; Neonatologia: exame físico e diagnóstico das condições do recém-nascido (RN), cuidados com o RN normal e de baixo peso, principais características e morbidades mais comuns do RN normal e do prematuro, triagem neonatal: "teste do pezinho", "teste da orelhinha" (teste de emissões otoacústicas), pesquisa do reflexo vermelho (triagem oftalmológica), desconforto respiratório, distúrbios metabólicos, icterícia,; Atenção integral à criança em idade escolar: assistência individual e ações coletivas na escola e na creche; Adolescência: principais necessidades e problemas de saúde; Crescimento e desenvolvimento da criança e do adolescente: conceitos de normalidade e distúrbios mais comuns; Alimentação: aleitamento materno, necessidades nutricionais e higiene alimentar da criança e do adolescente; Imunizações: imunização ativa [calendários e atualizações (Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Pediatria), imunobiológicos especiais e centros de referência (CRIEs) e imunização passiva; Diarréia aguda e crônica: aspectos epidemiológicos, etiologia, diagnóstico e tratamento; Importância e operacionalização da terapia de reidratação oral; Doenças respiratórias: aspectos epidemiológicos, principais afecções da criança e do adolescente; diagnóstico e terapêutica. Propostas de intervenção na morbimortalidade; Acidentes: principais características da morbidade e mortalidade, diagnóstico e tratamento dos acidentes mais freqüentes na infância e adolescência; Distrofias: desnutrição, disvitaminoses, anemias carenciais; Aspectos sociais, Diagnósticos e tratamento; Distúrbios hidroeletrolíticos e do equilíbrio ácido-básico; Particularidades das doenças infecciosas e parasitárias na infância - Parasitoses intestinais: aspectos epidemiológicos, diagnóstico, tratamento e prevenção; doenças exantemáticas; hepatites; tuberculose (aspectos epidemiológicos, aspectos clínicos, abordagem diagnóstica e terapêutica); algumas das grandes endemias (dengue, esquistossomose, leptospirose e hanseníase); Síndrome da imunodeficiência adquirida na infância: Prevenção: aspectos relacionados ao período gestacional, perinatal e ao lactente jovem, definição e comunicação do diagnóstico (aspectos éticos e operacionais), aspectos éticos, clínicos e psico-sociais, classificação, abordagem especial em puericultura, abordagem terapêutica, imunizações e profilaxias; Problemas oftalmológicos mais comuns na infância; Afecções do dos rins e vias urinárias: Infecções do Trato urinário, Glomerulonefrite Aguda e Síndrome Nefrótica; Insuficiência Cardíaca Congestiva, Cardiopatias Congênitas, Endocardites, Miocardites e Pericardites; Choque; Hipotireoidismo Congênito, Diabetes Melittus; Anemias Hemolíticas, Congulopatias e Púrpuras; Diagnóstico precoce das neoplasias mais comuns da infância; Convulsões, meningites e encefalites; Dores recorrentes: cefaléia, dor abdominal e dor em membros; Artrites e Artralgias: principais etiologias e diagnóstico diferencial na infância e adolescência; Adenomegalias e hepatomegalias: principais etiologias e diagnósticos diferenciais na infância e adolescência; Afecções cirúrgicas mais comuns da criança e adolescência; Afecções dermatológicas freqüentes no atendimento da criança e do adolescente; Problemas ortopédicos mais comuns na infância e adolescência; Injúrias intencionais (violência) e não intencionais (acidentes): Aspectos psico-sociais, éticos e jurídicos, diagnóstico e condutas; traumatismo crânio-encefálico (TCE); Intoxicações exógenas; Declaração de Nascido Vivo.

BIBLIOGRAFIA:

1.Marcondes E Vaz FAC Okay Y et al Pediatria Básica: Pediatria Geral e Neonatal. Tomos 1 9ed Sarvier, 2002. 843p

2.Marcondes E, Vaz FAC, Okay Y.et al Pediatria Básica: Pediatria Clínica Geral Tomos II 9ed Sarvier, 2003. 1006p 3.Marcondes E, Vaz FAC, Ramos JLA Pediatria Básica: Pediatria Clínica Especializada Tomos III 9ed Sarvier, 2004. 750p

4. Behrman RE, Klieaman R Jenson Hb Nelson: Tratado de Pediatria 17ed Elsevier 2005. 3000p

5. Lopez FA, Campos Júnior D Tratado de Pediatria . Sociedade Brasileira de Pediatria, 1a ed, São Paulo, Manole, 2007. 2240p

6. Farhat CK, Carvalho LHF, Succi RC, Menezes. Infectologia pediátrica - 38 edição Atheneu, 2006. 1116p

7. Farhat CK; Weckx LY; Carvalho LHF et al Imunizações: Fundamentos e Práticas 1 ed Atheneu, 2008. 566p

8. Carrazza, RF; Marcondes, E Nutrição clínica em pediatria. Sarvier: São Paulo.1991. 320p

9. AAP Red Book, Report of the Committee on Infectious Diseases, 27`h, ed 2006. 992p 10.Barbosa ADB. Medicina Neonatal, 1 ed, 2006.1024p

11. http://bvsms.saude.qov.br/bvs/publicacoes/partes/amamentacao drogasl.pdf

12. http://bvsms.saude.qov.br/bvs/publicacoes/partes/amamentacao drogas2.pdf

13. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/doenças diarreicasl.pdf

14. http://bvsms.saude.qov.br/bvs/publicacoes/partes/doenças diarreicas2.pdf

15. http://bvsms.saude.00v.br/bvs/publicacoes/sas dab caderneta da crianca 2007 menor.pdf

16. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/infeccoes respiratoriasl.pdf

17. http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manual pni janeiro 2007.pdf

18. http://bvsms.saude.qov.br/bvs/publicacoes/partes/infeccoes respiratorias2.pdf

19. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual desnutricao criancas.pdf

20. http://bvsms.saude.qov.br/bvs/publicacoes/manual%200902.pdf

21. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/crescimento desenvolvimento.pdf

22. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Diretriz ultima versao 170505.pdf

23. http://bvsms.saude.00v.br/bvs/publicacoes/cd03 13.pdf

24. http://bvsms2.saude.qov.br/php/level.php?lanq=pt&component=51 &item=26

25. www.opas.org.br/família/temas.cfm?id=73&area=Conceito

26. www.who.int/childgrowth/standards/second_set/technical report 2.pdf

27. www.who.int/growthref/growthref who bull.pdf

28. www.who.int/childgrowth/publications/algorithms.pdf

29. http://jn.nutrition.org/cgi/reprint/137/1/144.pdf

30. www.sbp.com.br/img/cadernosbpfinal.pdf

31. http://pediatrics.aappublications.ora/cgi/reprint/100/5/e8

32. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd03 13.pdf

33. http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar texto.cfm?idtxt=21462

34. http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar texto.cfm?idtxt=21463

35. www.sbp.com.br/imalmanuais/manual afim dc nutrologia.pdf

36. www.paho.org/portuguese/ad/fch/ca/CA manual estudiante 11 07.pdf

37. www.soperj.org.br/download/sbp lanca calendario vacinacao 2008.pdf ou www.sbp.com.br/show item2.cfm?id categoria=21&id detalhe=2619&tipo detalhe=s

38. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/lei 8069 06 0117 M.pdf

39. www.aleitamento.com/upload%5Carquivos%5Carquivol 1756.pdf

40. http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/livro cries 3edl.pdf

41. AIDPI http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/aidpi2-1.pdf

42. AIDPI http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/aidpi5_ 1.pdf

43. AIDPI http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/aidpi5_2.pdf

44. AIDPI http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/aidpi2_2.pdf

45. AIDPI http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/03 0029 M3.pdf

46. AIDPI http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/03 0029 M4.pdf

47. AIDPI http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/aidpi mod3.pdf

48. AIDPI http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/03 0471 M.pdf

49. AIDPI http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/aidpi6 1.pdf

50. AIDPI http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/AIDPI modulo 1.pdf

51. http://portal.saude.aov.br/portal/arquivos/pdf/dengue manejo clinico 2006.pdf

52. www.jornaldepneumologia.com.br/PDF/Suple 114 39 textoasma.pdf

53. LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

54. BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA PEDIATRA NEONATAL: Avaliação fetal e diagnóstico pré-natal; Atendimento ao Recém-nascido em sala de parto e reanimação Neonatal; Prematuridade; Gestação múltipla; Manejo Hidro-eletrolítico e ácido-básico; Nutrição enteral e parenteral; Aleitamento materno; Controle Térmico; Hiperbilirrubinemia; Imunização; Manejo do recém-nascido pequeno e grande para idade gestacional; Infecções congênitas; Infecções bacterianas/virais/fúngicas; Choque séptico; enterocolite necrosante; Distúrbios respiratórios do recém-nascido; Assistência ventilatória invasiva e não invasiva; Apnéia, Broncodisplasia pulmonar; Cardiopatias congênitas cianóticas e acianóticas; Arritmias cardíacas; Anemia; Policitemia; Coagulopatias; Utilização de hemoderivados;; Patologias do trato gastrointestinal; Convulsões neonatais; Hemorragia intracraniana; Asfixia perinatal; Defeitos do tubo neural;Patologias renais e do trato urinário; Distúrbios metabólicos e endocrinológicos; Erros inatos do metabolismo; Emergências cirúrgicas; Retinopatia da prematuridade; Distúrbios auditivos e visuais; Procedimentos em UTI neonatal; Distúrbios ortopédicos; Manejo do filho de mãe: diabética , hipertensa grave, usuária de drogas ilícitas, com distúrbio da tireóide, com patologia auto-imune; Síndromes genéticas e mal-formações.

BIBLIOGRAFIA:

Avery G, Fletcher MA, MacDonald MG (eds): Neonatology Pathophysiology Management of the Newborn. 6th ed. Philadelphia: Lippincott, 2005.

Fanaroff AA, Martin RJ (eds): Neonatal - Perinatal Medicine. 8th ed. St. Louis: Mosby, 2006.

Documentos Científicos da SBP da área de neonatologia www.sbp.com.br

Cloherty JP & Stark AR (eds): Manual of Neonatal care, 6ª. Edição, Philadelphia: Lippincott-Raven, 2007

Intensive Care of the Fetus & Neonate - Alan R. Spitzer- 29 edição -Elsivier Mosby 2005

Recomendações para Profilaxia de Transmissão Vertical do HIV e Terapia Anti retroviral em Gestantes - Ministério da Saúde 2006.

MÉDICO PLANTONISTA PEDIATRA INSTENSIVISTA: Reanimação Cardiorrespiratório-cerebral. Pré e Pós-operatório. Insuficiência Respiratória (aguda e crônica). Doenças Respiratórias Obstrutivas (altas e baixas). Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo. Hipertensão pulmonar. Suporte Ventilatório Invasivo e não Invasivo. Insuficiência Cárdio-circulatória. Reposição Volêmica e Suporte Hemodinâmico. Arritmias Cardíacas. Comas de qualquer etiologia. Estado de mal convulsivo. Síndrome Hipoxico-isquêmica Global. Hipertensão Intracraniana. Traumatismo Crâniencefálico. Diagnóstico de Morte Encefálica. Insuficiência Renal Aguda. Métodos Dialíticos. Distúrbios Hidroeletrolíticos e Metabólicos. Hipertensão Arterial. Hemorragia Digestiva Aguda. Abdômen Agudo. Insuficiência Hepática. Disfunção de Múltiplos Órgãos e Sistemas. Suporte Nutricional (enteral e parenteral). Princípios de Hemoterapia. Emergências Endócrinas. Infecções: Mecanismos e Tratamento. Politrauma. Acidentes e Intoxicações. Analgesia, sedação e bloqueio neuromuscular. Interação Medicamentosa. Ética Profissional, latrogenias, Direitos Dopaciente e da Família. Princípios Básicos de Segurança do trabalho, Controle de Infecção e Controles Adminsitrativos. Procedimentos de Monitorização Invasiva e Não-invasiva. Procedimentos Diagnósticos e Tratamento Invasivo e Não-invasivo. Cardiopátias Congênitas. Prematuridade. Hipotermia.

BIBLIOGRAFIA:

- Terapia Intensiva Pediátrica 2 vols - Editora Atheneu - 3ª edição. Werther Brunow de Carvalho/Toshio Matsumoto.

- Emergência E Terapia Intensiva Pediátrica - Editora Atheneu, 2ª. Edição, - Werther Brunow de Carvalho / Nivaldo de Souza.

- Ventilação Pulmonar e Mecânica em Pediatria e Neonatologia. Editora Atheneu - 2ª. Edição, Werther Brunow de Carvalho / Eduardo Juan Troster.

- Suporte Avançado de Vida em Pediatria - PALS. Sociedade Brasileira de Pediatria.

MÉDICO PLANTONISTA PEDIATRA INSTENSIVISTA NEONATAL: Reanimação Cardiorrespiratório-cerebral. Pré e Pós-operatório. Insuficiência Respiratória (aguda e crônica). Doenças Respiratórias Obstrutivas (altas e baixas). Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo. Hipertensão pulmonar. Suporte Ventilatório Invasivo e não Invasivo. Insuficiência Cárdio-circulatória. Reposição Volêmica e Suporte Hemodinâmico. Arritmias Cardíacas. Comas de qualquer etiologia. Estado de mal convulsivo. Síndrome Hipoxico-isquêmica Global. Hipertensão Intracraniana. Traumatismo Crâniencefálico. Diagnóstico de Morte Encefálica. Insuficiência Renal Aguda. Métodos Dialíticos. Distúrbios Hidroeletrolíticos e Metabólicos. Hipertensão Arterial. Hemorragia Digestiva Aguda. Abdômen Agudo. Insuficiência Hepática. Disfunção de Múltiplos Órgãos e Sistemas. Suporte Nutricional (enteral e parenteral). Princípios de Hemoterapia. Emergências Endócrinas. Infecções: Mecanismos e Tratamento. Politrauma. Acidentes e Intoxicações. Analgesia, sedação e bloqueio neuromuscular. Interação Medicamentosa. Ética Profissional, latrogenias, Direitos Dopaciente e da Família. Princípios Básicos de Segurança do trabalho, Controle de Infecção e Controles Adminsitrativos. Procedimentos de Monitorização Invasiva e Não-invasiva. Procedimentos Diagnósticos e Tratamento Invasivo e Não-invasivo. Cardiopátias Congênitas. Prematuridade. Hipotermia. Avaliação fetal e diagnóstico pré-natal; Atendimento ao Recém-nascido em sala de parto e reanimação Neonatal; Prematuridade; Gestação múltipla; Manejo Hidro-eletrolítico e ácido-básico; Nutrição enteral e parenteral; Aleitamento materno; Controle Térmico; Hiperbilirrubinemia; Imunização; Manejo do recém-nascido pequeno e grande para idade gestacional; Infecções congênitas; Infecções bacterianas/virais/fúngicas; Choque séptico; enterocolite necrosante; Distúrbios respiratórios do recém-nascido; Assistência ventilatória invasiva e não invasiva; Apnéia, Broncodisplasia pulmonar; Cardiopatias congênitas cianóticas e acianóticas; Arritmias cardíacas; Anemia; Policitemia; Coagulopatias; Utilização de hemoderivados;; Patologias do trato gastrointestinal; Convulsões neonatais; Hemorragia intracraniana; Asfixia perinatal; Defeitos do tubo neural;Patologias renais e do trato urinário; Distúrbios metabólicos e endocrinológicos; Erros inatos do metabolismo; Emergências cirúrgicas; Retinopatia da prematuridade; Distúrbios auditivos e visuais; Procedimentos em UTI neonatal; Distúrbios ortopédicos; Manejo do filho de mãe: diabética , hipertensa grave, usuária de drogas ilícitas, com distúrbio da tireóide, com patologia auto-imune; Síndromes genéticas e mal-formações.

BIBLIOGRAFIA:

Avery G, Fletcher MA, MacDonald MG (eds): Neonatology Pathophysiology Management of the Newborn. 6th ed. Philadelphia: Lippincott, 2005.

Fanaroff AA, Martin RJ (eds): Neonatal - Perinatal Medicine. 8th ed. St. Louis: Mosby, 2006.

Documentos Científicos da SBP da área de neonatologia www.sbp.com.br

Cloherty JP & Stark AR (eds): Manual of Neonatal care, 6ª. Edição, Philadelphia: Lippincott-Raven, 2007

Intensive Care of the Fetus & Neonate - Alan R. Spitzer- 29 edição -Elsivier Mosby 2005

Recomendações para Profilaxia de Transmissão Vertical do HIV e Terapia Anti retroviral em Gestantes - Ministério da Saúde 2006. Terapia Intensiva Pediátrica 2 vols - Editora Atheneu - 3ª edição. Werther Brunow de Carvalho/Toshio Matsumoto.

Emergência E Terapia Intensiva Pediátrica - Editora Atheneu, 2ª. Edição, - Werther Brunow de Carvalho / Nivaldo de Souza.

Ventilação Pulmonar e Mecânica em Pediatria e Neonatologia. Editora Atheneu - 2ª. Edição, Werther Brunow de Carvalho / Eduardo Juan Troster.

Suporte Avançado de Vida em Pediatria - PALS. Sociedade Brasileira de Pediatria.

MÉDICO/PLANTONISTA PEDIATRA SOCORRISTA: Código de Ética Médica; Preenchimento da Declaração de óbito; Doenças de Notificação Compulsória; Princípios do Atendimento Clínico: a importância da anamnese, o diagnóstico e a orientação; Neonatologia: exame físico e diagnóstico das condições do recém-nascido (RN), cuidados com o RN normal e de baixo peso, principais características e morbidades mais comuns do RN normal e do prematuro, triagem neonatal: "teste do pezinho", "teste da orelhinha" (teste de emissões otoacústicas), pesquisa do reflexo vermelho (triagem oftalmológica), desconforto respiratório, distúrbios metabólicos, icterícia,; Atenção integral à criança em idade escolar: assistência individual e ações coletivas na escola e na creche; Adolescência: principais necessidades e problemas de saúde; Crescimento e desenvolvimento da criança e do adolescente: conceitos de normalidade e distúrbios mais comuns; Alimentação: aleitamento materno, necessidades nutricionais e higiene alimentar da criança e do adolescente; Imunizações: imunização ativa [calendários e atualizações (Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Pediatria), imunobiológicos especiais e centros de referência (CRIEs) e imunização passiva; Diarréia aguda e crônica: aspectos epidemiológicos, etiologia, diagnóstico e tratamento; Importância e operacionalização da terapia de reidratação oral; Doenças respiratórias: aspectos epidemiológicos, principais afecções da criança e do adolescente; diagnóstico e terapêutica. Propostas de intervenção na morbimortalidade; Acidentes: principais características da morbidade e mortalidade, diagnóstico e tratamento dos acidentes mais freqüentes na infância e adolescência; Distrofias: desnutrição, disvitaminoses, anemias carenciais; Aspectos sociais, Diagnósticos e tratamento; Distúrbios hidroeletrolíticos e do equilíbrio ácido-básico; Particularidades das doenças infecciosas e parasitárias na infância - Parasitoses intestinais: aspectos epidemiológicos, diagnóstico, tratamento e prevenção; doenças exantemáticas; hepatites; tuberculose (aspectos epidemiológicos, aspectos clínicos, abordagem diagnóstica e terapêutica); algumas das grandes endemias (dengue, esquistossomose, leptospirose e hanseníase); Síndrome da imunodeficiência adquirida na infância: Prevenção: aspectos relacionados ao período gestacional, perinatal e ao lactente jovem, definição e comunicação do diagnóstico (aspectos éticos e operacionais), aspectos éticos, clínicos e psico-sociais, classificação, abordagem especial em puericultura, abordagem terapêutica, imunizações e profilaxias; Problemas oftalmológicos mais comuns na infância; Afecções do dos rins e vias urinárias: Infecções do Trato urinário, Glomerulonefrite Aguda e Síndrome Nefrótica; Insuficiência Cardíaca Congestiva, Cardiopatias Congênitas, Endocardites, Miocardites e Pericardites; Choque; Hipotireoidismo Congênito, Diabetes Melittus; Anemias Hemolíticas, Congulopatias e Púrpuras; Diagnóstico precoce das neoplasias mais comuns da infância; Convulsões, meningites e encefalites; Dores recorrentes: cefaléia, dor abdominal e dor em membros; Artrites e Artralgias: principais etiologias e diagnóstico diferencial na infância e adolescência; Adenomegalias e hepatomegalias: principais etiologias e diagnósticos diferenciais na infância e adolescência; Afecções cirúrgicas mais comuns da criança e adolescência; Afecções dermatológicas freqüentes no atendimento da criança e do adolescente; Problemas ortopédicos mais comuns na infância e adolescência; Injúrias intencionais (violência) e não intencionais (acidentes): Aspectos psico-sociais, éticos e jurídicos, diagnóstico e condutas; traumatismo crânio-encefálico (TCE); Intoxicações exógenas; Declaração de Nascido Vivo.

BIBLIOGRAFIA:

BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

KLAUS, M.H. and Fanaroff, AA (eds). Care of higt risk of neonate - 5ª. Edição, Philadelphia: Saunders, 2001;

MARCONDES E.; VAZ FAC; RAMOS JLA; OKAY Y. Pediatria Básica -Tomo I (Pediatria Geral e Neonatal). 9a. ed. São Paulo: , 2002. v. 1

MARCONDES E.; VAZ FAC; RAMOS JLA; OKAY Y.. Pediatria Básica - Tomo II (Pediatria Clínica Geral). 9a. ed. São Paulo: Sarvier, 2002. v. 2.

MARCONDES E.; VAZ FAC; RAMOS JLA; OKAY Y. Pediatria Básica - Tomo III (Pediatria Clínica Especializada). 9á. ed. São Paulo: Sarvier, 2002. v. 3.

BEHRMAN, RE; KLIEGMAN RM; JENSON HB, Nelson Textbook of Pediatrics, 17th ed., W.B. Saunders, 2004

Tratado de Pediatria . Sociedade Brasileira de Pediatria, 19 ed, São Paulo, Manole, 2007.

Emergências Pediátricas: IPPMG/UFRJ. São Paulo: Editora Ateneu, 2000

III Consenso Brasileiro de Manejo da Asma - 2002;

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

Lopes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

Manual de Assistência e Controle das Infecções Respiratórias Agudas - Ministério da Saúde - BR 1994;

Manual de Assistência e Controle de Doenças Diarréicas - Ministério da Saúde - BR 1993;

Manual de Normas e Controle da Tuberculose - Ministério da Saúde - BR 2002;

Manual de Normas de Vacinação - Ministério da Saúde - BR 2001;

Calendário de vacinação da criança: http://portal.saude.gov.br/portal/svs/visualizar texto.cfm?idtxt=21462

Calendário de vacinação do adolescente: http://portal.saude.gov.br/portal/svs/visualizar texto.cfm?idtxt=21463

PORTARIA No- 1.602, DE 17 DE JULHO DE 2006: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/portaria vacina.pdf

Recomendação para vacinação de pessoas infectadas pelo HIV: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/vacinacao hiv.pdf

Manual do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais - Ministério da Saúde - BR 2001.

Rotinas do Serviço de Pediatria do Hospital dos Servidores do Estado. Revinter 1998

MÉDICO PSIQUIATRA: Código de Ética Médica; Preenchimento da Declaração de óbito; Doenças de Notificação Compulsória; Princípios do Atendimento Clínico anamnese, no diagnóstico e na orientação; Psicofisiologia geral, Psicofarmacologia; Neurobiologia do comportamento; A célula e a biologia do neurônio; Transmissão sináptica; As bases neurais da cognição, percepção, movimento; Excitação, emoção e comportamento homeostase; O desenvolvimento do sistema nervoso; Liguagem, pensamento, humor aprendizado e memória; Psicoterapias; Socioterapias; Distúrbios: mentais orgânicos (agudos e crônicos); psiquiátricos associados à epilepsia; psiquiátricos associados ao uso de substâncias psicoativas; do humor. Esquizofrenia. Distúrbios: esquizotípicos, esquizofreniformes,esquizoafetivos e delirantes; somatoformes e dissociativos (ou conversivos); ansiosos (de pânico, mistos de ansiedade e depressão etc.); transtornos de personalidade e comportamentos em adultos; alimentares (anorexia e bulimia nervosa); do sono. Deficiência mental. Emergências em psiquiatria. Suicídio e tentativa de suicídio. Tratamento biológico em psiquiatria. Transtornos neuróticos relacionados ao estresse e somatoformes. Delirium, demência e transtornos amnésticos. Transtornos relacionados e substâncias Sexualidade humana Transtornos alimentares, do sono e do controle de impulsosMedicina Interna e Psiquiatria; Psiquiatria Infantil; Drogadição; Emergências Psiquiátricas. Formas de Tratamento e sua Evolução Histórica; Abordagens Biológica, psicológica e social dos Transtornos Mentais História da Psiquiatria no Brasil e no Mundo.

BIBLIOGRAFIA:

Kaplan, Sadock e Greebb. Compêndio de Psiquiatria. Ed. Artmed, 9ª edição.

CARDIOLI, Aristides Volpato - Psicofarmacos - 3ª. Edição, - Editora Artmed - 2005.

LOPES, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006.

GOODMAN E GUILMAN. As bases farmacológicas da terapêutica. Editora Guanabara Koogan. GUYTON, Arthur S. Tratado de fisiologia médica. Editora Guanabara Koogan. 10B Ed.

LENT, Roberto. Cem bilhões de neurônios, Atheneu 2001.

BEAR, Mark F. Neurociências. Artmed 2002 .

BERNE, Robert M.; LEVY, Koeppen Stanton. Fisiologia. 5ª. Edição, Elsevier, 2004.

Princípios da Neurociência ERIC R. KANDEL JAMES H. SCHWARTZ 4ª. Edição, Manole, 2003.

MÉDICO PSIQUIATRA INFANTIL: O desenvolvimento infantil, avaliação, exame clínico e testagem psicológica. Avaliaçãopsiquiátrica. Síndromes clínicas: retardo mental, transtornos de aprendizagem, transtorna do desenvolvimento de coordenação, transtorno de déficit de atenção, transtorno do comportamento disruptivo, transtorno da comunicação, de tique, de alimentação na primeira infância, transtorno do humor, esquizofrenia com início na infância e transtornos invasivos do desenvolvimento. A criança hospitalizada, interconsulta em psiquiatria infantil. Noções da formação da família moderna. Tratamento, abordagem farmacológica, psicodinãmica e psicopedagógica. Os diversos instrumentos, vicissitudes e possibilidades.

BIBLIOGRAFIA:

American Psychiatric Association, Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais-4 edição (DSM-IV)-Tradução de Dayse Batista, Porto Alegre, Artes Médicas, 1994.

A criança e seu mundo-Winnicott D.W. tradução Álvaro Cabral, sexta edição, Guanabara Koogan, 1982.

Ciências do Comportamento e Psiquiatria Clínica, sétima edição, Kaplan H.I. et all, tradução Dayse Batista, Artmed, 2002. Distúrbios Psiquiátricos da Criança, Haim Grünspun, São Paulo, Atheneu, 1978.

História Social da Criança e da Família, Áries P. segunda edição, Rio de Janeiro, LTC, 1981.

Manual de Psiquiatria Infantil, Ajuriaguerra, Rio de Janeiro, Atheneu, 1985.

Organização Mundial de Saúde-Classificação de Transtornos Mentais de Comportamento da CID-, Descrições Clínicas e Diretrizes Diagnósticas, tradução Dorgival Caetano, Porto Alegre, ed. Artes Médicas.

Prática psiquiátrica no hospital geral:interconsulta e emergência,Botega,J.N.,Porto Alegre, Artmed, 2002

Três ensaios sobre sexualidade,Freud S.,Edição Padrão brasileira das Obras Psicológicas Completas,Rio de Janeiro,lmago

MÉDICO PROCTOLOGISTA: Código de Ética Médica. Preenchimento da Declaração de óbito. Doenças de Notificação Compulsória. Princípios do Atendimento Clínico anamnese, no diagnóstico e na orientação. Pré, trans e pós-operatório em Proctologia. As seções cirúrgicas do Intestino. Emergências cirúrgicas em Proctologia. Abdômen agudo em Proctologia. Choques: Fisiopatologia, diagnósticos e terapêutica. Distúrbios hidroeletrolíticos e de equilíbrio ácido-básico. Infecção hospitalar: aspectos epidemiológicos e preventivos. Hemorragia Digestiva Baixa. Diarréia aguda e crônica: aspectos epidemiológicos, etiologia, diagnóstico e tratamento. Parasitoses intestinais: aspectos epidemiológicos, diagnóstico, tratamento e prevenção. AIDS em Proctologia. Doença Intestinal Inflamatória. Doença Diverticular dos Cólons. Doenças do Intestino Grosso. Constipação e Distúrbios da Função Ano Retal. Distensão Abdominal e Colon Irritável. Parede Abdominal: Técnicas de Abertura e Fechamento, Tratamento Cirúrgico de Hérnias Incisionais, Inguinais, Umbilicais e Epigástricas. Neoplasias: Diagnóstico e Tratamento e Complicações. Megacolo: Diagnóstico e Tratamento. Patologia Colo-Reto-Anal: Divertículos, Neoplasias, Hemorróidas, Fissuras e Fístulas, Abscesso, Processos Inflamatórios e Infecciosos.

BIBLIOGRAFIA:

Coloproctologia propedêutica e terapêutica, volumes 1, 2 e 3 (1 edição publicação 1999 a 2000 ). Geraldo Magela, Editora Revinter Atlas de cirurgia colorretal ( publicação 1999 ), Keighley , Pemberton , Fazio e Parc, Editora Revinter.

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005 LOPES, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

GOODMAN E GUILMAN. As bases farmacológicas da terapêutica. Editora Guanabara Koogan.

GUYTON, Arthur S. Tratado de fisiologia médica. Editora Guanabara Koogan. 10B ed

MÉDICO PLANTONISTA SOCORRISTA: Parada Cardiorrespiratória, arritimias cardíacas, insuficiência coronariana aguda, infarto agudo do miocárdio, dissecção aórtica, emergências hipertensivas, choques. SARA, oxigenoterapia, insuficiência respiratória aguda, embolia pulmonar. Cetoacidose diabética, coma hiperosmolar, crise tireotóxica, insuficiência supra-renal. Infecção no hospedeiro imuno comprometido, sepse, infecções hospitalares, endocardite infecciosa, meningites. Distúrbio hidroeletrolítico e ácido-base, insuficiência renal aguda. Insuficiência hepática, pancreatite aguda, hemorragia digestiva alta e baixa, abdome agudo. Distúrbios da hemostasia, indicações do uso do sangue e derivados. Comas, acidentes vasculares encefálicos, estado de mal epilético. Sedação e analgesia. Gastroenterologia: doenças do esôfago, doença péptica, câncer gástrico, síndrome disabsortiva, doenças inflamatórias do intestino, câncer do cólon, hipertensão porta, diagnóstico diferencial das icterícias, cirrose hepática. Pneumologia: asma brônquica, doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonias, câncer do pulmão, doenças da pleura.Reumatologia: diagnóstico diferencial das artrites, artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico, gota. Cardiologia: insuficiência cardíaca, hipertensão arterial, cardiomiopatias.Hematologia: diagnóstico diferencial das anemias, interpretação clínica do hemograma, diagnóstico diferencial das linfoadenopatias e esplenomegalias. Neurologia: cefaléias, epilepsias, polineuropatias. Nefrologia: insuficiência renal crônica, síndrome nefrítica, síndrome nefrótica, infecção urinaria. Endocrinologia: diabetes mellitus, distúrbios da tireóide. Infectologia: Síndrome da imunodeficiência adquirida, febre de origem obscura, doenças sexualmente transmissíveis, tuberculose, leptospirose, toxoplasmose, mononucleose infecciosa, citomegalovirose, dengue, doença inflamatória pélvica, antibioticoterapia e drogas antivirais, Interpretação dos exames complementares básicos e principais métodos de imagem, fundamentos da farmacologia e terapêutica aplicada. Emergências cardiovasculares, emergências respiratórias, emergências renais, emergências gastroenterológicas, emergências hematológicas, emergências metabólicas, emergências oncológicas, emergências endócrinas, emergências neurológicas, emergências psiquiátricas, emergências infecciosas, emergências cirúrgicas não traumáticas e traumáticas.

BIBLIOGRAFIA:

ALMEIDA, Maria Fernanda Branco de; Kopelman, Benjamin Israel. Rotinas Médicas. Disciplina de Pediatria Neonatal da Escola Paulista de Medicina. Editora Atheneu.

BERNE, RM; LEVY, MN, Fisiologia, 5ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005.

CECIL, Russell La Fayette: Tratado de Medicina Interna. Ed. Guanabara Koogan.

DAVID, Cid Marcos. Medicina Intensiva: Diagnóstico e Tratamento. Editora Revinter.

GUYTON, Arthur S. Tratado de Fisiologia Médica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

ISSELBACHER, K.J. Harrison's principies of inernal medicine. 14. ed. N. york: McGraw Hill Book Company. 1997.

KNOBEL, Elias. Condutas no Paciente Grave. Editora Atheneu.

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22ª. Edição, Rio de Janeiro, Elsevier, 2005. Lopes, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

Manual de Socorro e Emergência, São Paulo, Atheneu, 1999.

NIES, Gilmar, Alfred Goodman, Rall, Theodore W. As bases Farmacológicas da Terapêutica. Ed. Guanabara Koogan, 10B edição.

PORTH, Carol Mattson. Fisiopatologia. Ed. Guanabara Koogan, 6ª. Edição, 2004

PRADO. Cintra. Atuaçização Terapêutica. 1998.

RAMOS, J.; PRADO, F.C., VALLE, J.R. Atualização Terapêutica, 18B edição, Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

Silvio Martins; Maria Isabel Dutra Souto, Manual de Emergências Médicas: Diagnóstico e Tratamento, 2ª. Edição, Rio de Janeiro, Editora Revinter, 2004.

WYNGAASRDEN, J.B. & SMITH, L.H. Cecil Texbook of medicine. 20° ed. Philadelphia: W. B. Saunders Company. 1996.

MÉDICO RADIOLOGISTA. Tórax, Sistema Músculo-esquelético, Tireóide, Sistema Nervoso Central, Órbita, Ouvido, Seios Paranasais, Pescoço, Mama, Coração e Grandes-vasos, Fígado, Vias Biliares, Pâncreas, Baço, Trato Gastrintestinal, Trato Urogenital, Obstetrícia, Ginecologia, Doppler, Pediatria, Meios de Contraste, Emergência, Física de Raio X e Intervenção.

BIBLIOGRAFIA:

Tratado de Técnica Radiológica e Base Anatômica (Kenneth L. Bontrager) Interpretação Radiológica (Paul & Juhl)

Tratado de Ultra-Sonografia Diagnóstica Geral (Rumack, Wilson, Chaborneau)

Tomografia Computadorizada do Corpo em Correlação com a Ressonância Magnética (Joseph K. L. Lee, Stuart S. Sagel e Cols.) Radiologia Ortopédica (Greenspan)

Introdução ao Diagnóstico por Imagem - PRIMER (Ralph Weissleder, Mark J. Rieumont, Jack Wittenberg)

Diagnóstico Neurorradiológico (Anne G. Osborn)

Tratado de Imagem em Cabeça e Pescoço (H. Ric Harnsberger) The Requisites - Neuroradiology (Grossman, Yousem)

Ultra-Sonografia Abdominal (Giovanni-Guido Cerri, Domingos Correia da Rocha) Ultra-Sonografia do Sistema Músculo-esquelético (Renato Antonio Sernik) Ultra-Sonografia em Ginecologia e Obstetrícia (Ayton R. Pastore, Giovanni-Guido) Introdução à Ultra-Sonografia Vascular (William J. Zwiebel)

Princípios de Física e Proteção Radiológica - Apostila do Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR)

Apostila de Mama - CBR

Assistência a vida em Radiologia - Guia Teórico Pratico - Apostila do Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR)

Imagem da Mama (Kopans)

Interventional Radiology - A survival guide (David Kessel, lain Robertson)

Critérios de Adequação de Exames de Imagem e Radioterapia - ACR (American College of Radiology) e CBR

MÉDICO REUMATOLOGISTA: Código de Ética Médica; Tecido Conjuntivo, Músculo Esquelético, Importância Epidemiológica. Aspectos Psicossociais das Doenças Reumáticas. Laboratório em Reumatologia. Síndromes Dolorosas Regionais e Sistêmicas. Coluna Vertebral, ombro, quadril, joelho, cotovelo, punho, mãos e MMII. Fibromialgia. LER, DORT. Osteoartrite, Artrites. Doenças Osteo-metabólicas, artropatias Endócrinas. Doença Inflamatória do tecido conjuntivo. Artrite Reumatóide. S. Sjogren. Espondiloartropatias. LES. Esclerose Sistêmica. Doença Mista do Tecido Conjuntivo e síndrome de Superposição. S. Anticorpo Antifosfolipidico. Doença Reumática e Gravidez. Doença Inflamatória do tecido Conjuntivo na Infância. Febre Reumática. Artrite Reumatóide Juvenil. Espondiloartropatias Juvenis. LES, Dermatoploiomiosite, Esclerose Sistêmica e Vasculites Juvenis. Artropatias Infecciosas. Artrite Piogenica. Artrites Específicas. Manifestações Reumáticas da SIDA. Tratamento das doenças Reumáticas. AINH. Corticoides. Imunoterapia. Reabilitação e Medicina física.

BIBLIOGRAFIA:

CECIL - Textbook of Medicine 21 st ed WB Saunders Co, New York, 2004

MOREIRA, CAIO; CARVALHO, MARCO ANTONIO P. Reumatologia: Diagnóstico e Tratamento. 2a. edição. Ed. Guanabara Koogan, 2001

SATO, EMILIA. Guias de Medicina Ambulatorial e Hospitalar. UNIFESP/EPM. Reumatologia. Ed. manole, São Paulo, 2004. Site da Sociedade Brasileira de Reumatologia: www.Reumatologia.com.br

Harris: Kelley's Textbook of Rheumatology, 7ª. Edição, 2005

MÉDICO SANITARISTA: Saúde e Sociedade. Epidemiologia e Vigilância em Saúde. Gestão e Planificação em Saúde. Organização, Políticas e Legislação do Sistema Único de Saúde. Antecedentes históricos da organização do sistema de saúde e do ordenamento das práticas de saúde no Brasil. Reforma do Estado, reforma setorial, autonomia e descentralização da política de saúde para os municípios. Aparato legal do SUS nacional e estadual, questões de financiamento, de controle social e da política de medicamentos. Ética na pesquisa em saúde, processo de trabalho e política de recursos humanos em saúde. Conceitos de saúde para a educação, a capacitação de trabalhadores e a organização das práticas de atenção integral à saúde. Controle social e relações intergovernamentais no ordenamento e condução do SUS. Estratégias tecnoassistenciais em saúde. Impacto das normas operacionais básicas sobre a organização da atenção à saúde. Programa de Saúde da Família e a produção de organizações de saúde. Características das organizações públicas de saúde. A equipe e a organização do trabalho em saúde. Enfoques de Planejamento em Saúde. Planejamento Estratégico Situacional. Avaliação em Saúde. Exclusão social, violência, gênero, etnia e grupos etários. Condições de vida e trabalho e a questão do adoecimento. Informação e comunicação em saúde: conceitos básicos, sistemas de informação e tomada de decisão. Ciências sociais em saúde. Eqüidade e saúde. Vigilância em Saúde (epidemiológica, sanitária e ambiental). Demografia e indicadores de saúde. Investigação Epidemiológica, Sistemas de Notificação e a epidemiologia no planejamento em saúde. Epidemiologia clínica, das doenças infecciosas, das doenças crônico-degenerativas e ocupacional.

BIBLIOGRAFIA:

ABRASCO. Grupo técnico de informação em saúde e população. Sistemas de informação, captura da diversidade dos problemas de saúde e contribuição dos diferentes campos de informação e conhecimento para o planejamento, gestão cuidado e proteção à saúde. In: CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE, Cadernos da 11B Conferência Nacional de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2000. p. 297-312.

ALMEIDA, C.M. Reforma do Estado e reforma de sistemas de saúde: experiências internacionais e tendências de mudança. Ciência & saúde coletiva, São Paulo, v.4 n.2, p.263-286, 1999.

SOUZA, R.G. e BODSTEIN, R.C.A. Inovações na intermediação entre os setores público e privado na assistência à ciência e saúde coletiva, vol.7, n23, 2002.

CABRAL, M. A. A. Prevenção da violência conjugal contra a mulher. Ciência & saúde coletiva, v.4, n.1, p.183-191, 1999.

CAMPOS, F. C. C. de. Gestão intergovernamental e financiamento do SUS: apontamentos para os gestores municipais. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Gestão Municipal da Saúde: textos básicos. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 2001. p.79-110.

CAMPOS, G. W. de S. Análise crítica das contribuições da saúde coletiva à organização das práticas de saúde no SUS. In: FLEURY, S. (Org.). Saúde e democracia: a luta do CEBES. São Paulo: Lemos, 1997. p.113-124.

CAMPOS, G. W. de S. Considerações sobre a arte e a ciência da mudança: revolução das coisas e reforma das pessoas. O caso da saúde. In: CECÍLIO, L. C. de O. (Org.) Inventando a Mudança na Saúde. São Paulo: HUCITEC, 1994. p.29-87.

CAMPOS, G. W. de S. Subjetividade e Administração de Pessoal: considerações sobre modos de gerenciar trabalho em equipes de saúde. In:

MERHY, E. E.; ONOCKO, R. (Orgs.). Agir em Saúde: um desafio para o público. São Paulo: HUCITEC, 1997. p.229-266.

CARVALHO, G. A inconstitucional administração pós-constitucional do SUS através de normas operacionais. Ciência & saúde coletiva, São Paulo, v.6 n.2, p.435-444, 2001.

CECCIM, R. B. Saúde e doença: reflexão para a educação da saúde. In: MEYER, D. E. E. (Org.) Saúde e sexualidade na escola. 2 ed. Porto Alegre: Mediação, 1998. p.37-50.

CHIORO, A.; ALMEIDA, E. S. de e ZIONE, F. Políticas públicas e organização do Sistema de Saúde: antecedentes, Reforma Sanitária e o SUS. In: WESTPHAL, M. F. e ALMEIDA, E. S. (Orgs.) Gestão de serviços de saúde. São Paulo: Ed da Universidade/USP, 2001. p.13-50. (Série Acadêmica n. 37).

COHN, A. Os governos municipais e as políticas sociais. In: SOARES, J. A.. e CACCIA-BAVA, S. (Orgs.). Os desafios da gestão municipal democrática. São Paulo: Cortez, 1998. p. 143-192.

CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE, 10, 1998, Brasília. Relatório Final. Brasília: Ministério da Saúde, 1998.

CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE, 11, 2000, Brasília. Relatório Final. Brasília: Ministério da Saúde, 2000.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. A prática do controle social e os Conselhos de Saúde em 14 reflexões. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Gestão Municipal da Saúde: textos básicos. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 2001. p.53-78.

CUNHA, E. M. G. de P. da. Raça: aspecto esquecido na iniqüidade em saúde no Brasil? In: BARATA, R. B. e outros (Org.). Eqüidade e saúde. Contribuições da epidemiologia. Rio de Janeiro: Fiocruz/Abrasco, 1997. p. 219-234.

DALLARI, S. G. e outros. O direito à saúde na visão de um Conselho Municipal de Saúde. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 12, n. 4, p. 531-540, out./dez., 1996.

DALLARI, S. G. Municipalização dos serviços de saúde. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DALLARI, S. G. Organização jurídica da administração pública em saúde. In: ROZENFELD, S. (Org.). Fundamentos da Vigilância Sanitária. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2000. p. 113-133.

FERLA, A. A.; PITTA, A. M. R. (Orgs.) Informação e comunicação em saúde. Brasília: Ministério da Saúde - Rede Nacional de Informação em Saúde, 2001. 47p.

FURTADO, J. P. Um método construtivista para a avaliação em saúde. Ciência & saúde coletiva, v.6, n.1, p.165-181, 2001.

GIL, C.R.R. Atenção primária, atenção básica e saúde da família: sinergias e singularidades do contexto brasileiro. Cadernos de Saúde Pública v.22 n.6 Rio de Janeiro jun. 2006

HUERTAS, F. Entrevista com Matus: o método PES. São Paulo: FUNDAP, 1996.

LACAZ, F. A. de C. Qualidade de vida no trabalho e saúde/doença. Ciência & saúde coletiva, v.5, n.2, p. 151-161, 2000.

LEVCOVITZ, E.; LIMA, L. D. de e MACHADO, C. V. Política de saúde nos anos 90: relações intergovernamentais e o papel das Normas Operacionais Básicas. Ciência & saúde coletiva, São Paulo, v.6 n.2, p.269-318, 2001. (Incluídos os textos de debatedores e a resposta).

LUCCHESE, P. T. R. A Vigilância Sanitária segundo as normas operacionais básicas do Ministério da Saúde. In: ROZENFELD, S. (Org.). Fundamentos da Vigilância Sanitária. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2000. p. 99-112.

MATUS, C. Adeus Senhor Presidente. São Paulo: FUNDAP, 1996.

MENDES, A.; CARVALHO, G. e MARQUES, R.M. Financiamento do SUS: princípios, série histórica e propostas. In: WESTPHAL, M. F. e ALMEIDA, (Orgs.) Gestão de serviços de saúde. São Paulo: Ed. da Universidade/USP, 2001. p.51-71. (Série Acadêmica n. 37).

MERHY, E. E. A Rede Básica como uma construção da Saúde Pública e seus dilemas. In: MERHY, E. E.; ONOCKO, R. (Orgs.). Agir em Saúde: um desafio para o público. São Paulo: HUCITEC, 1997. p.197-228.

MINAYO, M. C. de S. Violência, direitos humanos e saúde. In: CANESQUI, A. M. (Org.). Ciências sociais e saúde. São Paulo: Hucitec-Abrasco. 1997. p. 247-260.

MONTEIRO, C. A. (Org.). Velhos e Novos Males da Saúde no Brasil. A Evolução do País e de suas Doenças. São Paulo: HUCITEC, 1995.

MONTEIRO, M. F. G. Transição demográfica e seus efeitos sobre a saúde da população. In: BARATA, R. B. e outros (Org.). Eqüidade e saúde. Contribuições da epidemiologia. Rio de Janeiro: Fiocruz/Abrasco, 1997. p. 189-204.

PEDRO DEMO. Desafios Modernos da Educação. 12B edição, editora vozes, 2002.

PIERANTONI, C. R. As reformas do Estado, da saúde e recursos humanos: limites e possibilidades. Ciência & saúde coletiva, São Paulo, v.6 n.2, p.341-360, 2001.

RIGHI, L. B. A estratégia do Programa de Saúde da Família: reflexões sobre algumas de suas implicações na construção do SUS. In: MISOCZKY, M. C; BECH-NAPPI, J. (Orgs). Estratégias de organização da atenção à saúde. Porto Alegre: Dacasa/PDGSaúde, 2001.

ROUQUAYROL, M. Z.; ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia e Saúde. 6ª. Edição, Rio de Janeiro: MEDSI, 2003.

SANTANA, J. P. de. A gestão do trabalho nos estabelecimentos de saúde: elementos para uma proposta. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Gestão Municipal da Saúde: textos básicos. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 2001. p. 219-234.

SANTOS, N. C. dos. Aspectos éticos na pesquisa científica em seres humanos: normas internacionais e nacionais. In: ANGERAMI-CAMON, V. A. (Org.) A ética na saúde. São Paulo: Pioneira, 1997. p.48-57.

SCHRAIBER, L. B.; MACHADO, M. H. Trabalhadores da saúde: uma nova agenda de estudos sobre recursos humanos em saúde no Brasil. In: FLEURY, S.(Org.). Saúde e democracia: a luta do CEBES. São Paulo: Lemos, 1997. p.281-297.

SILVA Jr., A. Modelos Tecnoassistenciais em Saúde: o debate no campo da Saúde Coletiva. São Paulo: HUCITEC, 1998.

VAUGHAN, J. P.; MORROW, R. H. Epidemiologia para Municípios. Manual para Gerenciamento dos Distritos Sanitários. São Paulo: HUCITEC, 1992.

WESTPHAL, M. F. Movimentos sociais e comunitários no campo da saúde como sujeitos e objetos de experiências educativas. Saúde e sociedade, São Paulo, v.3, n. 2, p. 127-148, 1994.

LEI N° 0591- ESGOTAMENTO SANITÁRIO

LEI N° 0592 - CÓDIGO SANITÁRIO DE TANGUÁ

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA TRAUMATO-ORTOPEDISTA: Histologia e histopatologia e embriologia do aparelho locomotor. Fisiologia e mineralização do osso. Anatomia do aparelho locomotor. Semiologia e propedêutica do aparelho locomotor. Doenças osteo-metabólicas. Infecção osteoarticular. Tromboembolismo. Anomalias congênitas do membro superior. Anomalias congênitas da coluna vertebral. Anomalias congênitas do membro inferior. Displasias. Líquido sinovial. Artrites. Tendinites e tenossinovites. Bursites. Sinovites. Osteocondrites. Osteonecrose. Miosites. Espondilites. Entesopatias. Artrose. Patologias degenerativas do aparelho locomotor. Síndromes compressivas neurológicas. Paralisia cerebral. Tumor ósseo maligno. Tumor ósseo benigno. Pseudotumores. Doença de Paget. Síndromes compartimentais. Paralisia obstétrica. Artrogripose. Necrose avascular. Patologias da fise. Deformidades de eixo dos membros inferior e superior. Desvios da coluna vertebral. Lombalgia e lombociatalagia. Hérnia discai. Espondilólise. Espondilolistese. Estenose de canal vertebral. Discrepância de comprimento dos membros. Deformidades adquiridas do pé. Metatarsalgia. Marcha normal. Distúrbios da marcha. Amputações. Artroscopia. Artroplastia. Enxertia óssea e cutânea. Cintigrafia óssea. Radiologia ortopédica. Tomografia computadorizada do esqueleto. Ressonância magnética osteoarticular. Lesões nervosas relacionadas à hanseníase. Tratamento de deformidades e seqüelas da hanseníase. Lesões ortopédicas relacionadas ao diabetes. Pé diabético. Consolidação das fraturas. Cicatrização tendinosa e ligamentar. Biomecânica das fraturas. Classificação das fraturas. Fraturas expostas. Atendimento ao politraumatizado. Fraturas por arma de fogo. Fraturas patológicas. Fratura por estresse. Gangrena gasosa. Complicações das fraturas e das luxações. Tromboembolismo. Infecção pós-traumática. Fixação interna das fraturas. Fixação externa. Métodos de tratamentos de fraturas e luxações. Técnica AO. Princípios de osteossintese. Planejamento pré-operatório. Artroscopia. Amputações. Fraturas e luxações do membro inferior. Fraturas e luxações da pelves. Fraturas e luxações da cintura escapular. Fraturas e luxações do membro superior. Fraturas e luxações da coluna vertebral. Lesões meniscais. Lesões ligamentares. Lesões tendinosas. Instabilidade articular. Luxação recidivante. Descolamento epifisário. Trauma fisário. Fratura em galho verde. Fratura subperióstica. Deformidade plástica. Fratura obstétrica. Síndrome da criança espancada. Escoliose, osteogenesis imperfecta, síndrome de Marfan, raquitismo, síndrome de Larsen, síndrome de Ehlers-Danlos, hipervitaminose A e D,doença de Kõhler, doença de Freiberg, doença de Osgood-chlatte, doença de Panner,tuberculose óssea, displasia fibrosa, defeito ósseo do osso , cisto ósseo aneurismático,neurofibromatose,mielomeningocele, poliomielite,doença de Legg -Calvé-Perthes,hálux rígido,pé eqüino varo, coalisão tarsal, fraturas em crianças, traumatismo em mão, consolidação óssea, tipos de consolidação , princípios de estabilidade de fratura,anatomia de vasos e nervos, anatomia cirúrgica, anatomias do sitema ósteo-muscular, radiologia em ortopedia.

BIBLIOGRAFIA:

AAOS: Orthopedic Knowledge Update 5 - Home Study Syllabus - Editora AAOS, 1996. AAOS: Atualização em Conhecimentos Ortopédicos - Trauma. Editora Atheneu, 1998. CAMPBELL. Operative Orthopedics. Editora Mosby, 8. ed., 1992.

HOPPENFELD. Propedêutica Ortopédica. Editora Atheneu, 1997.

JOURNAL OF AMERICAN ACADEMY OF ORTHOP SURGEONS - últimos 5 anos JOURNAL OF BONE AND JOINTS SURGERY - últimos 5 anos.

MULLER. Manual de Osteossintese AO. Editora Manole, 1993.

REVISTA BRASILEIRA DE ORTOPEDIA - Últimos 5 anos.

ROCKWOOD & GREEN. Fractures in adults. Children: Editora Lippincott, 1996

TACHDJIAN. Pediatric Orthopedics. 2.ed. Saunders, 1990.

MILLER - REVIEW OF ORTHOPAEDICS - 4TH. ED, SAUNDERS, 2004

Distúrbios e lesões do sistema músculo-esquelético 2 ed -Salter

Princípios AO do tratamento de fraturas, T.P.Ruedi, W. M. Murphy 2002, Artmed

Vias de acesso cirúrgico em ortopedia - Vias de acesso anatômico - Stanley Hoppenfeld - Manole Orthopedic radiology 2 ed. -Adam Greenspan -Gower

Cirurgia da mão - Lesões não traumáticas - Pardini - Medsi

Traumatismo da mão - Pardini - Medsi

Ortopedia e traumatologia - Princípios e prática, 2 ed - Sizínio Hebert , Renato Xavier e colaboradores, Artmed

MÉDICO DIARISTA/PLANTONISTA UROLOGISTA: Anatonomia do trato urinário; Fisiologia e Farmacologia básica; Fisiologia e Farmacologia do sistema urinário; Embriologia do Sistema genitourinário; Sintomas de distúrbios do Trato genitourinário; Exame Físico do Trato Genitourinário; Exames Laboratoriais Urológicos; Radiologia do Trato Urinário; Radiologia de Intervenção Vascular; Endourologia Percutânea e Ureterorrenoscopia; Imageamento por Radionuclídeos; Instrumentação Retrógada do Trato Urinário; Obstrução e Estase Urinária; Refluxo vesicouretral; Infecções Inespecíficas do Trato; Doenças sexualmente transmitidas no homem; Cálculos Urinários; Litotripsia por onda de choque extracorpórea; Lesões do trato genitourinário; Imunologia dos tumores genitourinário; Carcinoma uretolial: Cânceres na bexiga; Ureter e Pelve Renal; Neoplasia do Parênquima Neoplasias da próstata; Tumores genitais; Derivação Urinária e substituição vesical; Cirurgia com laser; Quimioterapia dos tumores urológicos; Distúrbios Neorogênicos da Bexiga; Estudos Urodinâmicos; distúrbios das Glândulas supra-renais; distúrbios dos rins; Diagnóstico das doenças renais clínicas; Oligúria; Insuficiência Renal aguda; Insuficiência Renal crônica e Diálise; Transplante Renal; Distúrbios do ureter e Punsão ureteropélvica; Doenças da bexiga; da próstata e das vesículas seminais; Distúrbios do pênis e da uretra masculina; Distúrbios da uretra feminina; distúrbio do testículo; Excroto e cordão espermático; doenças cutâneas genitália externa; Anormalidades da Diferenciação sexual; Hipertensão renovascular; Infertilidade masculina; Disfunção sexual masculina.

BIBLIOGRAFIA:

BARATA, H. S. e CARVALHAL, G. F. (Editora). Urologia - Princípios e Praticas. Artes Médicas Sul: Porto Alegre, Brasil, 1999.

TANAGHO, E. A. e McANINCH, J. W. (Editors). Smith's General Urology. Lange Medicai Books/McGraw-Hill, 15`h edition, Columbus. USA, 2000.

WALSH, P. C. et. al. (Editors). Campbell's Urology. W. B. Sauders, 5th edition, Philadelphia, USA, 1998.

Henrique Sarmento Barata; Gustavo Franco Carvalhal: Princípios e Práticas. Ed. Artmed.

NETO JR., Nelson Rodrigues - Urologia Prática - Atheneu , 4ª. Edição, - 1999.

GARDNER. Anatomia. Guanabara Koogan.

GOLDMAN & GUIMAN. As Bases Farmacológicas da Terapêutica. Guanabara Koogan.

SMITH. Urologia Geral. Tangho. 13B ed. Guanabara Koogan.

LEE GOLDMAN; DENNIS AUSIELLO, CECIL TRATADO DE MEDICINA INTERNA, 22B ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005

LOPES, Antonio Carlos; Amato Neto, Vicente, Tratado de Clínica Médica, 1 ª. Edição, São Paulo, Roca, 2006

GOODMAN E GUILMAN. As bases farmacológicas da terapêutica. Editora Guanabara Koogan.

GUYTON, Arthur S. Tratado de fisiologia médica. Editora Guanabara Koogan. 10B ed

BERNE, Robert M. ; LEVY, Koeppen Stanton. Fisiologia. 5ª. Edição, Elsevier, 2004.

NUTRICIONISTA: Nutrientes (carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e sais minerais) Definições. Classificação. Recomendações. Funções. Digestão, absorção, transporte, excreção. Fontes alimentares. Deficiência e toxicidade. Balanço energético. Água e eletrólitos. Alimentação saudável: princípios, atributos e diretrizes para a população brasileira. Bases epidemiológicas e científicas das diretrizes nacionais. Nutrição, Avaliação e Cuidado Nutricional: Conceitos. Avaliação dietética, antropométrica, clínica e bioquímica. Interações entre drogas e nutrientes. Processo de cuidado nutricional. Aconselhamento para mudança nutricional. Nutrição na gestação e lactação, na infância, na adolescência, na idade adulta e para a pessoa idosa. Necessidades nutricionais. Terapia Nutricional: Nas patologias cardiovasculares, do sistema digestivo e glândulas anexas, do sistema renal, neoplásicas, endócrinas e do metabolismo. Nas alergias e intolerâncias alimentares, nos distúrbios alimentares, na hipertensão arterial, na saúde óssea e no diabetes mellitus. Nutrição na infecção pelo vírus da imunodeficiência humana e síndrome da imunodeficiência adquirida, nas carências nutricionais e na obesidade. Controle Higiênico-Sanitário: Fundamentos microbiológicos. Contaminação, alteração e conservação dos alimentos. Toxinfecções alimentares. Controle sanitário na área de alimentos. APPCC. Técnica Dietética: Conceitos, classificação, características, pré-preparo e preparo dos alimentos. Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição: Diagnóstico, planejamento, organização e controle. Recursos humanos e aspectos físicos das unidades de alimentação e nutrição. Lactário. Banco de leite humano. Nutrição na Saúde Coletiva: Epidemiologia dos problemas nutricionais: sobrepeso/obesidade, desnutrição, anemia ferropriva, carência de vitamina A. Política Nacional de Alimentação e Nutrição: portaria, propósito, diretrizes, responsabilidades institucionais, acompanhamento e avaliação. Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional. Programas de Alimentação e Nutrição. Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)

BIBLIOGRAFIA:

Accioly, Elizabeth; Saunders, Claudia; Lacerda, Elisa Maria de Aquino. Nutrição em obstetrícia e pediatria. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2002.

Brasil, M.S. Portaria n° 710 de 10/06/1999. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. 2 ed. rev. Brasília: Ministério da Saúde, 2003. Brasil, Ministério do Emprego e Trabalho. Avaliação do PAT. Portaria n° 101, de 12/12/2004. Disponível em: www.mte.gov.br/pat/avaliacao.pdf

Brasil, Ministério do Emprego e Trabalho. Parâmetros nutricionais do Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Portaria N° 193, de 5/12/2006. Disponível em: www.mte.gov.br/legislacao/portarias/2006/p_20061205_193.pdf

Brasil. Diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes públicas e privadas, em âmbito nacional. Portaria interministerial n° 1.010/2006.

Dutra de Oliveira, J.E.; Marchini, J.S. Ciências nutricionais. São Paulo: Sarvier, 1998.

Fagundes, A. A. et al. Vigilância Alimentar e Nutricional - Sisvan: Orientações básicas para a coleta, processamento, análise de dados e informação em serviços de saúde. 1ª. Edição, Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

Franco, B.D.G. M et al. Microbiologia dos alimentos. Rio de Janeiro: Atheneu: 2003.

Mahan, K.L.; Escott-Stump, S. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 11 ed. São Paulo: Roca, 2005.

Mezomo, I.S.B. Os Serviços de Alimentação: Planejamento e Administração. 5 ed. atualizada e revisada. Rio de Janeiro: Manole, 2002.

Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira: Promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Ornellas, L.H. Técnica Dietética: Seleção e Preparo de Alimentos. 7 ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2001.

Teixeira Neto, Faustino. Nutrição clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

PEDAGOGO EM SAÚDE: Teorias pedagógicas: história da educação e da pedagogia, fundamentos e questões atuais; A educação e a construção do conhecimento: currículo, o processo ensino-aprendizagem, as mediações pedagógicas, didática, interdisciplinaridade; Como se dá o processo de aprendizado: Estratégias, Estilos e Metacognição. Aprendizagem, linguagem e pensamento. A prática educativa: como ensinar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Inclusão. Temas interdisciplinares na educação. A criança em desenvolvimento. Aprendizagem normal e prejudicada. Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos do desenvolvimento e necessidades especiais. Distúrbios Neurológicos Adquiridos: Linguagem e Cognição. A Pedagogia no atendimento à criança e ao adolescente hospitalizado: Classe Hospitalar e Atendimento Pedagógico Domiciliar. Políticas Públicas para Escolas Hospitalares: Necessidade de Definições e Ações. Ensinar na urgência, decidir na incerteza. Pedagogia Lúdica: jogos e brincadeiras. Técnicas arteterapêuticas: modalidades expressivas para diversas áreas. Oficina de dinâmica de grupos para empresas, escolas e grupos comunitários. Ensinar brincando na escola, no hospital, na rua. Temas interdisciplinares na clínica. Políticas públicas: A prática do planejamento participativo. A gestão participativa na escola. Competência Multifocal. Políticas públicas de combate à pobreza, Intervenção psicossocial, Estado de Bem Estar social - Welfare State: A Trajetória do Welfare State no Brasil: Papel Redistributivo das Políticas Sociais dos Anos 1930 aos Anos 1990. Legislação: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394, de 23 de dezembro de 1996 atualizada. Todas as Leis que alteram a LDB 9394/96 atualizadas. Lei 8069, Lei 8069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente atualizado. Todas as Leis que alteram a Lei 8069/90 atualizadas. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Resolução n° 42, de 13 de outubro de 1995. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Resolução n°. 41, de 13 de outubro de 1995. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Secretaria de Educação Especial - MEC; SEESP, 2001.

BIBLIOGRAFIA

ACAMPORA, Beatriz; ACAMPORA, Bianca. 170 Técnicas arteterapêuticas: modalidades expressivas para diversas áreas. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011.

ALMEIDA, Norma Martins de. Aprendizagem normal e prejudicada. São Paulo: Santos Editora, 2009.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. História da Educação e da Pedagogia - Geral e do Brasil. São Paulo: moderna, 2006. BEE, Hellen. A criança em desenvolvimento. Porto Alegre. Artmed, 2003.

BOMTEMPO, Edda; ANTUNHA, Elsa Gonçalves e OLIVEIRA, Vera Barros. (orgs). Brincando na escola, no hospital, na rua... Rio de Janeiro: Wak Editora, 2008.

BRASIL, Classe Hospitalar e Atendimento Pedagógico Domiciliar: Estratégias e Orientações. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria da Educação Especial. Brasília, 2002. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/livro9.pdf

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394, de 23 de dezembro de 1996 atualizada. Todas as Leis que alteram a LDB 9394/96 atualizadas. Disponível em www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm

BRASIL. Lei 8069, Lei 8069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente atualizado. Todas as Leis que alteram a Lei 8069/90 atualizadas. Disponível em www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm

BRASIL. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Resolução n° 42, de 13 de outubro de 1995. Aprova as Diretrizes Nacionais para a Política de Atenção Integral à Infância e Adolescência nas áreas de Saúde, Educação, Assistência Social, Trabalho e para a Garantia de Direitos. Disponível em http://portal.mj.gov.br/sedh/ct/conanda/resolu%E7%FSes/resolucoes.pdf

BRASIL. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Resolução n°. 41, de 13 de outubro de 1995. Aprova na íntegra o texto da Sociedade Brasileira de Pediatria, relativo aos direitos da criança e do adolescente hospitalizados.

Disponível em http://portal.mj.gov.br/sedh/ct/conanda/resolu%E7%FSes/resolucoes.pdf

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para a Educação especial na Educação Básica. Secretaria de Educação Especial - MEC; SEESP, 2001. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf

COLL, César. Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos do desenvolvimento e necessidades especiais. Volume 3. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

CORDEIRO, Jaime. Didática. São Paulo: Contexto, 2007.

FAZENDA, Ivani. Interdisciplinaridade, teoria e pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 1994.

FRANCESCHINI, Paulo Henrique. Competência Multifocal. Colina, SP: Editora Academia de Inteligência, 2005.

GANDIN, Danilo. A prática do planejamento participativo. Petrópolis/Rio de Janeiro: Vozes, 2007, 2002

LUCK, Heloísa. A gestão participativa na escola. Petrópolis/Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

MEDEIROS, Marcelo. A Trajetória do Welfare State no Brasil: Papel Redistributivo das Políticas Sociais dos Anos 1930 aos Anos 1990 - TEXTO PARA DISCUSSÃO N° 852. Brasília, dezembro de 2001. Disponível em www.ipea.gov.br/pub/td/td_2001/td_0852.pdf

MIRANDA, Simão. Oficina de dinâmica de grupos para empresas, escolas e grupos comunitários. Campinas, SP: Papirus, 1996. MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2002.

ORTZ, Karin Zazo (org). Distúrbios Neurológicos Adquiridos: Linguagem e Cognição. Barueri, SP: Manole, 2010.

PAULA, Ercília Maria Angeli Teixeira de. (2006) "Políticas Públicas para Escolas Hospitalares: Necessidade de Definições e Ações", em I Fórum de Atendimento Escolar Hospitalar. São Paulo, Brasil. (In: AMARAL Daniela Patti do; SILVA Maria Teresinha Pereira. Formação e prática pedagógica em classes hospitalares: respeitando a cidadania de crianças e jovens enfermos. Disponível em www.malhatlantica.pt/ecae-cm/daniela.htm

PERRENOUD, Philippe. Ensinar na urgência, decidir na incerteza. Porto Alegre: ARTMED, 2001.

PORTILHO, Evelise. Como se aprende? Estratégias, Estilos e Metacognição. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2009.

QUEIROZ, Tânia Dias; MARTINS, João Luis. Pedagogia Lúdica: jogos e brincadeiras de A a Z. São Paulo: Rideel, 2002. UDE, Walter. Redes sociais: possibilidade metodológica para uma prática inclusiva. In:

VASCONCELOS, Celso dos Santos. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político pedagógico ao cotidiano da sala de aula. Cadernos Pedagógicos-Libertad, 2002.

VALLE, Luiza Elena Leite Ribeiro do; ASSUMPÇÃO JR, Francisco (orgs) Aprendizagem, linguagem e pensamento. Coleção Neuropsicologia Aplicada Vol. 1. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2008.

VALLE, Luiza Elena Leite Ribeiro do; BOMBONATTO, Quézia; MALUF, Maria Irene. (orgs). Temas interdisciplinares na educação. Coleção Neuropsicologia Aplicada Vol. 2. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2008.

VALLE, Luiza Elena Leite Ribeiro do; PINTO, Kátia Osternack (orgs). Temas interdisciplinares na clínica. Coleção Neuropsicologia Aplicada Vol. 3.Rio de Janeiro: Wak Editora, 2008.

VEIGA, lima P. Alencastro (org.). Didática: O ensino e suas relações. Campinas, SP: Papirus, 1996.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

PSICÓLOGO: A profissão de Psicólogo e as suas áreas de atuação. Ética e bioética na prática psicológica. O Código de Ética Profissional. Psicologia Social e Psicologia Comunitária. Representação Social. Saúde, gênero e violência. Família. Desenvolvimento psicológico e Educação. Política educacional e a atuação do psicólogo escolar. Psicologia da saúde no contexto social e hospitalar. Os processos organizacionais. A inserção e a intervenção do psicólogo nas organizações e no trabalho. Processos organizacionais e saúde. Cultura, saúde e desenvolvimento humano. Saúde mental. Estresse e processos psicossomáticos. Elaboração e execução de estratégias de prevenção, promoção e intervenção no âmbito da psicologia. O processo de luto. Processos Educacionais e Sociais. Resoluções CFP n° 001/99, 018/02, 007/03 e 010/05.

BIBLIOGRAFIA:

ALENCAR, ES. de. Novas Contribuições da Psicologia aos Processos de Ensino e Aprendizagem. Ed. Cortez, São Paulo, 1992.

ALMEIDA, A. M. O. (Org.) ; SANTOS, M. F. S. (Org.) ; Diniz, G.R.S. (Org.) ; TRINDADE, Z. A. (Org.) . Violência, exclusão social e desenvolvimento humano. Estudos em representações sociais. 1. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2006. v. 1. 300 p.

ASSIS, Simone G.; Avanci, Joviana Q.; Santos, Nilton C.; Malaquias, Juaci V.; Oliveira, Raquel V. C. Violência e Representação Social na adolescência no Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública, 2004, vol.16, n. 1, ISSN 1020-4989. Disponível em <www.scielosp.org>

CAMPOS, Regina H de Freitas. Psicologia Social Comunitária: da solidariedade à autonomia. Petrópolis: VOZES, 2005. CFP. Código de Ética Profissional do Psicólogo. Disponível em b codetica.cfm

ARAUJO, M. DALBELLO; BUSNARDO, E. A. ; MARCHIORI, F. M. ; LIMA, M. F. ; ENDILICH, T. M.. Formas de produzir saúde no contexto hospitalar: uma intervenção em psicologia. Cadernos de psicologia social do trabalho, São Paulo, v. 5, p. 37-51, 2002., Disponível em <http://pepsic.bvs-psi.org.br>

ESPINDULA, D. H. P. ; AZEREDO, A. C. ; TRINDADE, Z. A. ; MENANDRO, M. C. S. ; BERTOLLO, M. ; ROLKE, R.. Perigoso e carente: representações de adolescentes em conflito com a lei em material jornalístico. Psic (São Paulo), v. 7, p. 11-20, 2006. disponível em <http://pepsic.bvs-psi.org.br>

FRANÇA, Ana Cristina Limongi; RODRIGUES, Avelino Luiz. Stress e trabalho: uma abordagem psicossomática. São Paulo: Atlas, 1999.

http://crepop.pol.orq.br - Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas.

KUBLER ROSS, Elisabeth. Sobre a morte e o morrer. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

MELO FILHO, Julio de; BURD, Mirian (orgs) Doença e família. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

Melo, Zélia Maria de. Conceito da Violência: Uma Reflexão Nas Relações Familiares; Anais do VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PSICOPATOLOGIA FUNDAMENTAL. Disponível em www.unicap.br/pathos/vicongresso/anais/Co75.PDF

MICHENER, H. Andrew; DELAMATER, Jhon D.; MYERS, Daniel J. Psicologia Social. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

NJAINE, K.; MINAYO, M. C. S. Violência na escola: identificando pistas para a prevenção. Interface - Comunic, Saúde, Educ, v.7, n.13, p.119-34, 2003. disponível em www.interface.ora.br/revistal3/artigo5.pdf

NUNES FILHO, Eustáchio Portela; BUENO, João Romildo; NARDI, Antonio Egidio. Psiquiatria e Saúde Mental: Conceitos Clínicos e Terapêuticos Fundamentais. São Paulo: Editora Atheneu, 2005.

PAIN, S. Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem, Porto Alegre, Artes Médicas, 1992.

PATTO, Maria H. S. (2005) - A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo.

PENNINGTON, BFT. Diagnóstico dos Distúrbios de Aprendizagem. Ed. Pioneira, 1997.

PEREIRA, Willian César Castilho Pereira. Nas trilhas do trabalho comunitário e social: teoria, método e prática. Belo Horizonte: Vozes: PUC Minas, 2001.

STRAUB, Richard O. Psicologia da Saúde. Porto Alegre: ARTMED, 2005.

TAMAYO, Álvaro e cols. Cultura e Saúde nas organizações. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

WEITEN, Wayne. Introdução à psicologia: temas e variações. São Paulo: PioneiralThomson, 2002.

WITTER, GP; LOMÔNACO, JFB (orgs). Psicologia da Aprendizagem. Temas básicos em psicologia, São Paulo, EPU, 1987.

ZANELLI, José Carlos; BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo; BASTOS, Antonio V. Bittencourt. (orgs) Psicologia, Organizações e Trabalho no Brasil. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

Resolução CFP n° 001/99; Resolução CFP n° 018/02; Resolução CFP n° 007/03; Resolução CFP n° 010/05; Resolução CFP n° 001/09

TERAPEUTA OCUPACIONAL: Fundamentos de Terapia Ocupacional; História; Conceito; Raciocínio Clínico; Processo de Terapia Ocupacional; Desempenho Ocupacional; Análise de Atividades; Relação Terapêutica; Papel Clínico. Terapia Ocupacional e as Disfunções Físicas; Clínica de Ortopedia; Reumatologia e Neurologia; Avaliação de Desempenho Ocupacional; Áreas, Componentes, Contextos; Aplicação de Testes; Tratamento de Terapia Ocupacional; Tratamento das Atividades de Vida Diária; Aplicação de Atividades Terapêuticas Ocupacionais; Tratamento dos Componentes de Desempenho Ocupacional; Tecnologia Assistiva; Orteses; Adaptações; Comunicação Alternativa; Planejamento em Acessibilidade. Terapia Ocupacional no Contexto Hospitalar; Terapeuta Ocupacional na Reabilitação Física; Memória. Terapia Ocupacional e Saúde Mental. Terapia Ocupacional e Geriatria/Gerontologia. Terapia Ocupacional e Pediatria. Princípios e fundamentos éticos e morais.

BIBLIOGRAFIA:

DE CARLO, Marysia M. R. Prado e Bartalotti, Celina Camargo. Terapia Ocupacional no Brasil: Fundamentos e Perspectivas, Plexus S.P. 2001

NEISTADT, Maureen, Crepeau Elizabeth (org), Willard/Spackman. Terapia Ocupacional, Guanabara Koogan, RJ, 2002.

TEIXEIRA, E.; Sauron, F.N.; Santos, L.S.B.; Oliveira, M. C. Terapia Ocupacional na Reabilitação Física, Roca, S.P. 2003.

DE CARLO, Marysia M. R. P., Luzo M.C.M. (org). Terapia Ocupacional: reabilitação Física e Contextos Hospitalares, Roca, S.P., 2004.

TROMBLY, C. A. Terapia Ocupacional para Disfunções Físicas, Santos, S.P., 2005.

PARDINI, Paula Freitas. Reabilitação da Mão, Atheneu, S. P., 2005.

GRIEVE, June. Neuropsicologia em Terapia Ocupacional, Santos Editora, S.P., 2005.

CAVALCATI, Alessandra & GALVÃO, Cláudia. Terapia Ocupacional: fundamentação e prática. Guanabara Koogan. RJ, 2007.

MCINTYRE, Anne & ATNAL, Anita. Terapia Ocupacional e a Terceira Idade. Santos, SP. 2007.

PARHAM, L. Diane & FAZIO, Linda S. A Recreação na Terapia Ocupacional Pediátrica. Santos, SP. 2002.

144994

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231