Prefeitura de Cruz Alta - RS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA

SECRETARIA MUNICIPAL DA ADMINISTRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HUMANO

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS

EDITAL DE CONCURSO Nº 001/2006

REALIZAÇÃO: OBJETIVA CONCURSOS LTDA

VILSON ROBERTO BASTOS DOS SANTOS, Prefeito Municipal de Cruz Alta, através da Secretaria Municipal da Administração e Desenvolvimento Humano, no uso de suas atribuições legais, nos termos do art. 37 da Constituição Federal e Lei Orgânica Municipal, TORNA PÚBLICO que realizará CONCURSO PÚBLICO sob regime estatutário – Lei Complementar nº 004/95, para provimento de vagas dos cargos do quadro geral dos servidores da Prefeitura Municipal, com a execução técnico-administrativa da empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, o qual reger-se-á pelas Instruções Especiais contidas neste Edital pelo Decreto Nº. 0004/06, de 13 de janeiro de 2006 - Regulamento de Concursos e pelas demais disposições legais vigentes.

As divulgações oficiais do inteiro teor deste Edital e os demais editais relativos às etapas deste Concurso Público dar-se-á com a afixação no Painel de Publicações da Prefeitura Municipal e/ou seus extratos serão publicados no Jornal “Diário Serrano” e em jornal de circulação estadual. Também em caráter meramente informativo na internet, pelo site www.objetivas.com.br e www.cruzalta.rs.gov.br

CAPÍTULO I - DOS CARGOS/ VAGAS

1.1. DAS VAGAS:

1.1.1. O concurso público destina-se ao provimento das vagas existentes e cadastro de reserva, de acordo com a tabela de cargos abaixo e ainda das que vierem a existir no prazo de validade do Concurso.

1.1.2. A aprovação no Concurso Público não assegura ao candidato a nomeação imediata, mas apenas a expectativa de ser nomeado segundo as vagas existentes, de acordo com as necessidades da Administração Municipal, respeitada a ordem de classificação.

1.1.3 – Tabela de Cargos:

Código do Cargo

Cargos

Vagas gerais

Escolaridade e/ou outros requisitos exigidos para o cargo na posse

Carga Horária semanal

Vencimento Dezembro/06
R$ + (***)

CARGO PARA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HUMANO

01

Assistente Social (1)

01

Curso Superior na área e habilitação legal para o exercício da profissão

33 horas

799,15

CARGOS PARA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

02

Assistente Social

03

Curso Superior na área e habilitação legal para o exercício da profissão

33 horas

799,15

03

Educador Social

02

Ensino Médio concluído – Experiência em trabalhos comunitários com crianças e adolescentes, no mínimo 1 ano, e ou cursos ou treinamentos de capacitação na área (**)

40 horas

352,79

04

Monitor de Abrigo Temporário

06

Ensino Médio concluído – Experiência em trabalhos comunitários com crianças e adolescentes, no mínimo 1 ano, e ou cursos ou treinamentos de capacitação na área (**)

40 horas

352,79

05Psicólogo (2)

02

Curso Superior específico e habilitação legal para o exercício da profissão de Psicólogo

20 horas

799,15

CARGOS PARA SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE

06

Enfermeiro

CR

Habilitação legal para o exercício da profissão

40 horas

1.598,30

07

Médico Clínico Geral

06

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

08

Médico Gastroenterologista

02

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

09

Médico Geriatra

01

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

10

Médico Ginecologista

02

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

11

Médico Infectologista

01

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

12

Médico Neurologista

01

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

13

Médico Obstetra

01

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

14

Médico Otorrinolaringologista

02

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

15

Médico Pediatra

02

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

16

Médico Psiquiatra

03

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

17

Médico Urologista/Nefrologista

01

Habilitação legal para o exercício da profissão

20 horas

799,15

18

Psicólogo (3)

02

Curso Superior específico e habilitação legal para o exercício da profissão de Psicólogo

40 horas

1.598,30

19

Técnico em Enfermagem

13

Habilitação legal para o exercício da profissão - Curso Técnico em Enfermagem e registro definitivo no COREN

40 horas

318,09

CARGOS PARA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E ESPORTE

20

Atendente Especial de Educação Infantil

54

Ensino Médio na modalidade normal e/ou Curso superior de licenciatura plena em Pedagogia – Habilitação Séries Iniciais

40 horas

306,54

21

Professor Ensino Fundamental Séries Iniciais

CR

Ensino Médio na modalidade Normal e/ou Curso Superior de Licenciatura Plena em Pedagogia - Habilitação séries Iniciais

22 horas

319,43

22

Professor Ensino Fundamental Séries Finais, na disciplina de Ciências

04

Curso Superior em Licenciatura Plena em Biologia, Química ou Física

22 horas

335,40

23

Professor Ensino Fundamental Séries Finais, na disciplina de Educação Física

CR

Habilitação específica de Curso Superior em Licenciatura Plena

22 horas

335,40

24

Professor Ensino Fundamental Séries Finais, na disciplina de Espanhol

01

Habilitação específica de Curso Superior em Licenciatura Plena

22 horas

335,40

25

Professor Ensino Fundamental Séries Finais, na disciplina de Inglês

01

Habilitação específica de Curso Superior em Licenciatura Plena

22 horas

335,40

26

Professor Ensino Fundamental Séries Finais, na disciplina de Matemática

06

Habilitação específica de Curso Superior em Licenciatura Plena

22 horas

335,40

27

Professor Ensino Fundamental Séries Finais, na disciplina de Português

02

Habilitação específica de Curso Superior em Licenciatura Plena

22 horas

335,40

28

Educador Especial (4)

03

Educação Especial ou Superior de Licenciatura Plena em Pedagogia

22 horas

335,40

CARGOS PARA SECRETARIA MUNICIPAL OBRAS, TRANSPORTE, TRANSITO E SANEAMENTO

29

Agente Fiscal de Trânsito

05

Ensino Médio Completo – CNH tipo “A/B”

33 horas

318,09

30

Fiscal de Obras

02

Ensino Médio Completo

33 horas

318,09

CARGOS PARA SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA

31

Fiscal Tributário

02

Nível Superior nas áreas de Ciências Contábeis, Economia, Administração de Empresas ou Direito.

40 horas

799,15

CARGOS PARA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO

32

Técnico em Topografia

01

Ensino Médio Completo e experiência na profissão (**) com registro no CREA

40 horas

799,15

CARGOS PARA CADASTRO DE RESERVA

33

Assistente Administrativo

CR

Ensino Médio Completo

33 horas

318,09

34

Auxiliar de Asfaltador

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

242,90

35

Carpinteiro

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

252,13

36

Cozinheira

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

242,90

37

Eletricista

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

252,13

38

Mecânico Chapeador

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

261,70

39

Mecânico Máquina Pesada

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

261,70

40

Merendeira

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa)

40 horas

242,90

41

Operário de Obras

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

242,90

42

Padeiro

CR

Ensino Fundamental Completo (**)

40 horas

306,54

43

Pedreiro

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**)

40 horas

252,13

44

Operador Máquinas Pesadas

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**) e CNH categoria “C”

40 horas

289,17

45

Tratorista

CR

Ensino Fundamental Incompleto (4° série completa) (**) e CNH categoria “C”

40 horas

289,17

CR - Cadastro de Reserva;

(**) Experiência comprovada nos termos do Artigo 46 do Decreto 04/2006

(***) Vale alimentação de R$ 121,00(cento e vinte um reais) para todos os cargos.

LEGENDA:

(1) Cargo criado pela Lei Municipal nº 1505/06.

(2) Cargo criado pela Lei Municipal n° 0922/01.

(3) Cargo criado pela Lei Municipal nº 1505/06, art. 3º - para exercer as atividades inerentes ao cargo junto ao CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) e Serviço de Assistência Especializada – SAE/DST/AIDS.

(4) Cargo criado pela Lei Municipal nº 0923/01.

1.2. DA TAXA DE INSCRIÇÃO:

- R$ 20,00 (vinte reais) para cargos de Nível Médio e Ensino Fundamental Completo e Incompleto

- R$ 21,00 (vinte e um reais) para cargos de Nível Superior

1.3. DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS:

1.3.1. As atribuições dos cargos estão definidas no ANEXO I do presente Edital.

CAPÍTULO II - DAS INSCRIÇÕES

2.1. A inscrição no Concurso Público implica, desde logo, o conhecimento e tácita aceitação pelo candidato, das condições estabelecidas neste Edital.

2.2. PERÍODO: 19/12/2006 a 11/01/2007

2.3. São requisitos para ingresso no serviço público:

a) Estar devidamente aprovado no concurso público e classificado dentro das vagas estabelecidas neste Edital.

b) Ser brasileiro de acordo com o que dispõe o artigo 12 da Constituição Federal de 1988.

c) Ter no mínimo 18 (dezoito) anos completos na data de inscrição.

c) Estar quite com as obrigações eleitorais e militares (esta última para candidatos do sexo masculino).

d) Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.

e) Possuir habilitação para o cargo pretendido, conforme o disposto na tabela de cargos, na data da Posse.

f) Candidatos com deficiência – verificar Capítulo próprio, neste Edital.

2.3.1. O candidato, por ocasião da POSSE, deverá comprovar todos os requisitos acima elencados. A não apresentação dos comprovantes exigidos tornará sem efeito a aprovação obtida pelo candidato, anulando-se todos os atos ou efeitos decorrentes da inscrição no Concurso.

2.4. DA INSCRIÇÃO PELA INTERNET (não presencial):

2.4.1. As inscrições via Internet poderão ser realizadas a partir das 9h do dia 19 de dezembro de 2006 até às 23h do dia 11 de janeiro de 2007, pelo site www.objetivas.com.br

2.4.2. A OBJETIVA não se responsabiliza por solicitação de inscrição via Internet não recebida por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamentos de linha, ou outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.

2.4.3. Após o preenchimento do formulário eletrônico, o candidato deverá imprimir o documento para o pagamento da taxa de inscrição. Este será o seu registro provisório de inscrição.

2.4.4. O pagamento da taxa de inscrição feita pela Internet deverá ser efetuado em qualquer agência bancária ou terminal de auto-atendimento, até o dia 12 de janeiro de 2007, com o boleto bancário impresso (NÃO será aceito pagamento por meio de depósito ou transferência entre contas).

2.4.5. A OBJETIVA, em nenhuma hipótese, processará qualquer registro de pagamento com data posterior ao dia 12 de janeiro de 2007. As solicitações de inscrições realizadas com pagamento após esta data não serão acatadas.

2.4.6. O candidato terá sua inscrição homologada somente após o recebimento, pela empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, através do banco, da confirmação do pagamento de sua taxa de inscrição, no valor estipulado neste Edital. Como todo o procedimento é realizado por via eletrônica, o candidato NÃO deve remeter à OBJETIVA cópia de sua documentação, sendo de sua exclusiva responsabilidade a informação dos dados no ato de inscrição, sob as penas da lei.

2.4.7. Os candidatos que fizerem sua inscrição pela Internet, pessoas com deficiência, deverão verificar Capítulo próprio neste Edital, para encaminhamento de documentos necessários.

Caso o Candidato não possua acesso à Internet, será disponibilizado computador para acesso, no horário das 10 às 16 horas, no período de 19/12/2006 a 11/01/2007, nos dias úteis, na sede da Prefeitura Municipal.

2.5. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE A INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO:

2.5.1. Os candidatos poderão inscrever-se em mais de um cargo, desde que observados os horários de aplicação da prova escrita, conforme segue:

Manhã: Assistente Administrativo, Assistente Social, Cozinheira, Atendente Especial de Educação Infantil, Educador Social, Enfermeiro, Eletricista, Fiscal Tributário, Médico (todos), Mecânico de Máquina Pesada, Operário de Obras e Operador de Máquinas Pesadas, Padeiro, Psicólogo, Professor Ensino Fundamental Séries Finais (todos) e Educador Especial – Secretaria de Educação e Esportes.

Tarde: Agente Fiscal de Trânsito, Auxiliar de Asfaltador, Carpinteiro, Pedreiro, Fiscal de Obras, Mecânico Chapeador, Merendeira, Monitor de Abrigo Temporário, Professor Ensino Fundamental Séries Iniciais, Técnico em Enfermagem, Técnico em Topografia e Tratorista.

2.5.2. Não serão aceitas inscrições: com falta de documentos; por via postal; por telex ou via fax; e-mail; extemporâneas e/ou condicionais.

2.5.3. Antes de efetuar o recolhimento da taxa, o candidato deverá certificar-se de que possui todas as condições e pré-requisitos para inscrição. Não haverá devolução da taxa de Inscrição, salvo se for cancelada a realização do Concurso Público.

2.5.4. São considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurança Públicas, pelos Institutos de Identificação e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos órgãos fiscalizadores de exercício profissional (Ordens, Conselhos, etc); passaporte brasileiro, certificado de reservista, carteiras funcionais do Ministério Público; carteiras funcionais expedidas por órgão público que, por Lei Federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitação (somente o modelo aprovado pelo artigo 159 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997).

2.5.5. Não serão aceitos como documentos de identidade: certidões de nascimento, títulos eleitorais, carteiras de motorista (modelo antigo), carteiras de estudante, carteiras funcionais, sem valor de identidade, nem documentos ilegíveis, não-identificáveis ou danificados.

2.5.6. Para efetivar sua inscrição, é imprescindível que o candidato possua número de CPF – Cadastro de Pessoa Física, regularizado.

2.5.7. O candidato que não possuir CPF deverá solicitá-lo nos postos credenciados - Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Correios ou Receita Federal, em tempo de conseguir o registro e o respectivo número antes do término do período de inscrições.

2.5.8. Terá sua inscrição cancelada e será automaticamente eliminado do processo seletivo o candidato que utilizar o CPF de terceiro.

2.5.9. Após o encerramento do período de inscrições, não serão aceitos pedidos de alterações das opções de cargo.

2.5.10. As informações prestadas na ficha de inscrição pela Internet, bem como o preenchimento dos requisitos exigidos serão de total responsabilidade do candidato.

2.5.11. O candidato terá acesso ao edital de inscrições somente pelo site www.objetivas.com.br.

2.6. DA HOMOLOGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES:

2.6.1. Em 26/01/2007 será divulgado edital de homologação das inscrições.

2.6.2. O candidato deverá acompanhar esse edital; bem como a relação de candidatos homologados para confirmar sua inscrição; caso sua inscrição não tenha sido homologada ou processada, o mesmo não poderá prestar provas, podendo impetrar pedido de recurso, conforme determinado neste Edital.

2.6.3. Se mantida a não homologação ou o não processamento, o candidato será eliminado do Concurso, não assistindo direito à devolução da taxa de inscrição.

2.6.4. O candidato terá acesso ao edital de homologação, com a respectiva relação de inscritos, diretamente pelo site www.objetivas.com.br ou ainda no Painel de Publicações da Prefeitura Municipal.

CAPÍTULO III - DAS DISPOSIÇÕES PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

3.1. Às pessoas com deficiência, é assegurado o direito de inscrição no presente Concurso, para os cargos, cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de que são portadores, num percentual de 10% (dez por cento) das vagas para cada cargo do total das vagas oferecidas, de acordo com o artigo 37, inciso VIII da Constituição Federal e Lei Municipal n° 004/95.

3.2. O candidato ao inscrever-se nesta condição, deverá escolher o cargo a que concorre e marcar a opção “Pessoas com Deficiência”, bem como deverá entregar no Posto de Atendimento na Prefeitura Municipal, os seguintes documentos:

a) laudo médico (original ou cópia legível autenticada) emitido há menos de um ano atestando a espécie e o grau de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doença - CID, bem como da provável causa da deficiência.

b) requerimento, solicitando vaga especial, constando o tipo de deficiência e a necessidade de condição ou prova especial, se for o caso (conforme modelo Anexo V deste Edital). O pedido de condição ou prova especial, formalizado por escrito à empresa executora, será examinado para verificação das possibilidades operacionais de atendimento, obedecendo a critérios de viabilidade e de razoabilidade.

3.3. Caso o candidato não encaminhe o laudo médico e o respectivo requerimento, até a data do término das inscrições, não será considerado como pessoa com deficiência para concorrer às vagas reservadas, não tendo direito à vaga especial, bem como à prova especial, seja qual for o motivo alegado, mesmo que tenha assinalado tal opção na Ficha de Inscrição.

3.4. Não serão considerados como deficiência os distúrbios de acuidade visual passíveis de correção simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congêneres.

3.5. Os candidatos inscritos nessa condição participarão do concurso público em igualdade de condições com os demais candidatos, no que se refere às provas aplicadas, ao conteúdo das mesmas, à avaliação, aos critérios de aprovação, ao horário e local de aplicação das provas e à nota mínima exigida para todos os demais candidatos, resguardadas as condições especiais previstas na legislação própria.

3.6. Os candidatos aprovados no concurso público serão submetidos a exames médicos e complementares, que irão avaliar a sua condição física e mental.

3.7. Na falta de candidatos aprovados para as vagas reservadas, estas serão preenchidas pelos demais candidatos com estrita observância da ordem classificatória.

3.8. A publicação do resultado final do concurso público será feita em duas listas, contendo a primeira, a pontuação de todos os candidatos, inclusive a das pessoas com deficiência e a segunda somente a pontuação destes últimos.

CAPÍTULO IV - DAS PROVAS

4.1. Para todos os cargos, o Concurso constará de PROVA ESCRITA, de caráter eliminatório/classificatório, em primeira etapa, com questões objetivas, de múltipla escolha, compatíveis com o nível de escolaridade, com a formação acadêmica exigida e com as atribuições dos cargos.

4.2. Será considerado aprovado no concurso o candidato que obtiver, na prova escrita, no mínimo 50% (cinqüenta por cento) de acertos do total das questões e 50% (cinqüenta por cento) de acertos das questões específicas para o cargo.

4.3. PROVA DE DIGITAÇÃO: Para o cargo de ASSISTENTE ADMINISTRATIVO, haverá segunda etapa, PROVA DE DIGITAÇÃO, conforme Capítulo VI, do presente Edital, de caráter eliminatório/classificatório.

4.3.1. Serão chamados a prestar a Prova de Digitação, somente os candidatos aprovados na primeira etapa do concurso e ainda apenas os 100 primeiros.

 4.3.2. Os candidatos que não atingirem esta classificação também serão considerados reprovados no concurso, não prestando esta prova.

4.3.3. Em caso de empate na última nota classificada, serão chamados todos os casos de empate com a mesma.

4.4. PROVA DE ESFORÇO FÍSICO: Para os candidatos ao cargo de AGENTE FISCAL DE TRÂNSITO, haverá segunda etapa, PROVA DE ESFORÇO FÍSICO, conforme Capítulo VII, do presente Edital, de caráter eliminatório/classificatório.

4.4.1. Serão chamados a prestar a Prova de Esforço Físico somente os candidatos aprovados na primeira etapa do concurso e ainda apenas os 100 primeiros.

4.4.2. Os candidatos que não atingirem esta classificação também serão considerados reprovados no concurso, não prestando esta prova.

4.4.3. Em caso de empate na última nota classificada, serão chamados todos os casos de empate com a mesma.

4.5. PROVA DE TÍTULOS: Para os candidatos aos cargos de ASSISTENTE SOCIAL, EDUCADOR ESPECIAL, ENFERMEIRO, FISCAL TRIBUTÁRIO, MÉDICO (todos), PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL DE SÉRIES INICIAIS, PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS (todos) e PSICÓLOGO, desde que habilitados na prova eliminatória, haverá PROVA DE TÍTULOS conforme Capítulo VIII, do presente Edital, de caráter classificatório.

4.6. Os candidatos nomeados para os cargos de MONITOR DE ABRIGO TEMPORÁRIO e EDUCADOR SOCIAL, quando da posse, deverão participar de curso de formação/capacitação, de 40 horas, a ser ministrado pela Prefeitura Municipal.

4.7. Os candidatos nomeados para o cargo de AGENTE FISCAL DE TRÂNSITO, quando da posse, deverão participar de curso de formação, no Departamento Municipal de Trânsito, com carga horária de 100 horas (70 horas teóricas e 30 horas práticas)

4.8. CONTEÚDOS E PONTUAÇÃO

CARGO

PROVA

DISCIPLINA

N° Questões

Valor por questão

PESO TOTAL

TABELA A

Assistente Social

Educador Especial

Enfermeiro

Fiscal Tributário

Médico (todos)

Professor Ensino Fundamental Séries Iniciais

Professor Ensino Fundamental Séries Finais (todos)

Psicólogo

Escrita

 

 

Títulos

Conhecimentos Gerais

Conhecimentos Específicos

30

30

1,00

2,00

 

30,00

60,00

10,00

TABELA B

Atendente Especial de Educação Infantil

Auxiliar de Asfaltador

Carpinteiro

Cozinheira

Educador Social

Eletricista

Fiscal de Obras

Mecânico Chapeador

Mecânico Máquina Pesada

Merendeira

Monitor de Abrigo Temporário

Operador de Máquinas Pesadas

Operário de Obras

Padeiro

Pedreiro

Técnico em Topografia

Técnico em Enfermagem

Tratorista

Escrita

Conhecimentos Gerais

Conhecimentos Específicos

20

20

2,50

2,50

50,00

50,00

TABELA C

Agente Fiscal de Trânsito

Escrita

 

 

Esforço Físico

Conhecimentos Gerais

Conhecimentos Específicos

APTO/ INAPTO

20

20

2,00

3,00

40,00

60,00

TABELA D

Assistente Administrativo

Escrita

 

 

Digitação

Conhecimentos Gerais

Conhecimentos Específicos

20

20

1,25

2,50

 

25,00

50,00

25,00

4.9. Os pontos por disciplina correspondem ao número de acertos multiplicado pelo peso de cada questão da mesma. A NOTA DA PROVA ESCRITA será o somatório dos pontos obtidos em cada disciplina.

4.10. A Prova de digitação do cargo de Assistente Administrativo, terá sua nota somada à nota obtida na Prova Escrita, para composição da NOTA FINAL.

4.11. Não haverá prova fora do local designado, nem em datas e/ou horários diferentes. Não será admitido à prova, o candidato que se apresentar após o horário estabelecido para o início da mesma; em nenhuma hipótese haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado.

4.12. O ingresso na sala de provas só será permitido ao candidato que apresentar o documento de identidade que originou a inscrição e o documento de inscrição no Concurso Público, podendo, a critério da organização do presente Concurso, ser dispensada a apresentação do documento de inscrição, desde que comprovada a efetiva inscrição do candidato.

4.13. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia da realização da prova, os documentos originais, por motivo de perda, furto ou roubo, deverá apresentar documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo 30 (trinta) dias, ocasião em que poderá ser submetido à identificação especial, compreendendo coleta de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.

4.14. A identificação especial também poderá ser exigida do candidato, cujo documento de identificação apresente dúvidas relativas à fisionomia ou à assinatura do portador.

4.15. No recinto de provas não será permitido ao candidato entrar ou permanecer com armas ou aparelhos eletrônicos (bip, telefone celular, relógio do tipo data bank, walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, receptor, gravador, etc.). Caso o candidato leve arma ou qualquer aparelho eletrônico, deverá depositá-lo na Coordenação, exceto no caso de telefone celular que deverá ser desligado e poderá ser depositado junto à mesa de fiscalização até o final das provas. O descumprimento desta determinação implicará na eliminação do candidato, caracterizando-se como tentativa de fraude.

4.16. A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização da prova deverá levar acompanhante, que ficará em sala reservada para essa finalidade e que será responsável pela guarda da criança. A candidata que não levar acompanhante não realizará a prova. Não haverá compensação do tempo de amamentação ao tempo da prova da candidata.

4.17. Será excluído do processo seletivo o candidato que:

a) tornar-se culpado por incorreção ou descortesia para com qualquer dos fiscais, executores e seus auxiliares ou autoridades presentes;

b) for surpreendido, durante a realização da prova, em comunicação com outro candidato ou terceiros, bem como utilizando-se de livros, notas, impressos ou equipamentos não permitidos;

c) afastar-se do recinto da prova sem o acompanhamento do fiscal.

4.18. Candidatos com deficiência – ver Capítulo próprio sobre solicitação de condição ou prova especial (caso necessário).

4.19. As solicitações de condições especiais, bem como de recursos especiais, serão atendidas obedecendo a critérios de viabilidade e de razoabilidade.

4.20. A identificação correta do dia, local e horário da realização das provas, bem como seu comparecimento, é de responsabilidade exclusiva do candidato.

4.21. Não será admitido às provas, o candidato que se apresentar após o horário estabelecido para o início da prova; em nenhuma hipótese haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado.

4.22. O candidato que deixar de comparecer a qualquer uma das provas determinadas, será considerado reprovado.

CAPÍTULO V - DA PROVA ESCRITA

5.1. A Prova Escrita, para todos os cargos será aplicada em 10/02/2007, em local e horário a serem divulgados quando da homologação das inscrições em 26/01/2007.

5.2. O Município, reserva-se o direito de indicar nova data para a realização da Prova Escrita, em caso de necessidade de alteração desta já publicada, mediante publicação em jornal de circulação local, com antecedência mínima de 8 (oito) dias da realização das mesmas.

5.3. Os programas e/ou referências bibliográficas da prova escrita de cada cargo, são os constantes no ANEXO II do presente Edital.

5.4. O tempo de duração da prova escrita será de até 3 horas.

5.5. Desde já, ficam os candidatos convocados a comparecerem com antecedência de 1 (uma) hora ao local das provas, munidos de caneta esferográfica azul ou preta ponta grossa.

5.6. Durante as provas, não será permitida comunicação entre candidatos, nem a utilização de máquina calculadora e/ou similares, livros, anotações, réguas de cálculo, impressos ou qualquer outro material de consulta.

5.7. O caderno de questões é o espaço no qual o candidato poderá desenvolver todas as técnicas para chegar à resposta adequada, permitindo-se o rabisco e a rasura em qualquer folha, EXCETO no CARTÃO DE RESPOSTAS.

5.8. O CARTÃO DE RESPOSTAS é o único documento válido para correção eletrônica, devendo ser preenchido com bastante atenção. Ele não pode ser substituído, tendo em vista sua codificação, sendo o candidato o único responsável pela entrega do mesmo devidamente preenchido e assinado. A não entrega do cartão de respostas implicará na automática eliminação do candidato do certame.

5.9. Será atribuída nota 0 (zero) à resposta que, no cartão de respostas estiver em desconformidade com as instruções, não estiver assinalada ou que contiver mais de uma alternativa assinalada, emenda, rasura ou alternativa marcada a lápis, ainda que legível.

5.10. Em nenhuma hipótese, será considerado para correção e respectiva pontuação o caderno de questões.

5.11. O candidato, ao terminar a prova escrita, devolverá ao fiscal da sala, juntamente com o cartão de respostas, o caderno de questões, tendo em vista a obrigatoriedade de arquivo no Município.

5.12. Será permitido aos candidatos copiar seu cartão de respostas, para conferência com o gabarito oficial.

5.13. Por razões de ordem técnica, de segurança e de direitos autorais não serão fornecidas cópias das provas a candidatos ou instituições de direito público ou privado, mesmo após o encerramento do Processo.

5.14. Na mesma data da prova escrita ou em data a ser informada quando da prova escrita, os candidatos interessados poderão ter vista da prova padrão, sob fiscalização.

CAPÍTULO VI - DA PROVA DE DIGITAÇÃO Somente para o cargo ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

6.1. O candidato será avaliado quanto à produção (número de toques líquidos por minuto) e erros (número e tipo de erro cometido na transcrição do texto), conforme aplicação da seguinte fórmula:

NTL = NTB – ERROS , em que:

10

NTL = número de toques líquidos; NTB = número de toques brutos: correspondente à totalização dos toques dados pelo candidato (maiúscula, acento, vírgula, espaço, ponto, mudança de linha etc.); ERROS = inversão de letras; omissão de letras; excesso de letras, sinais e acentos: letras, sinais e acentos errados; falta de espaço entre palavras; duplicação de letras; espaço a mais entre palavras ou letras; falta ou uso indevido de maiúsculas; erro na separação de sílabas; parágrafos desiguais; falta de parágrafos; colocação de parágrafo onde não existe, deixar de fazer linhas e colunas na tabela (desconto por linha/coluna), não obedecer ao espaçamento igual ao utilizado no texto da tabela (desconto por linha), deixar linhas a mais ou a menos na tabela, deixar de fazer alinhamento ou fazer diferente da cópia original (desconto por linha e/ou coluna), deixar de fazer a formatação indicada (fonte, estilo, tamanho, sublinhado, etc. – por ocorrência). Será computado um erro para cada ocorrência citada anteriormente, considerando-se toque a toque em comparação com o texto original. Será também considerado erro, descontando-se dois pontos para cada fato que segue: erro ou falta de gravação do texto em disquete; não conseguir imprimir o texto (será opcional a utilização destas ocorrências pela banca de aplicação).

6.2. A nota da prova prática de digitação será obtida mediante a aplicação da seguinte fórmula:

NPD = 12,5 x (NTL - 60) + 12,5, em que:

(MNTL - 60)

NPD = nota da prova prática de digitação; NTL = número de toques líquidos do candidato; MNTL = maior número de toques líquidos entre os candidatos concorrentes.

6.3. Aos candidatos que não alcançarem o mínimo de 60 (sessenta) toques líquidos por minuto, bem como o candidato que atingir o escore final negativo, será atribuída nota zero, e será o candidato considerado reprovado.

6.4. O candidato não poderá alterar os padrões do computador pré-definidos, sob pena de ser eliminado do certame.

6.5. O teste não será interrompido por qualquer motivo e nem será dada nova oportunidade ao candidato; é permitido o uso de régua ou semelhante para acompanhar o texto.

CAPÍTULO VII - DA PROVA DE ESFORÇO FÍSICO Somente para o cargo de AGENTE FISCAL DE TRÂNSITO

7.1. Para concorrer a esta prova o candidato deverá apresentar-se em trajes apropriados, portando Cédula de Identidade, Documento de Inscrição e Atestado Médico, que comprove boas condições para a prática desportiva e atividades físicas; caso não apresentado o atestado médico, o candidato não poderá fazer esta prova e será considerado reprovado.

7.2. A prova consistirá na avaliação das condições físicas, através do seguinte exercício e respectivo índice mínimo exigido:

Repetições ou distâncias

Exercício

Masculino

Feminino

Tempo

Cooper

1600m

1200m

12 min

7.3. Descrição do exame:

7.3.1. Prova de corrida – resistência de longa duração (masculino/feminino)

Teste de Cooper para pista de atletismo durante o tempo de 12 minutos, procurando atingir neste a maior distância possível. A distância mínima a ser percorrida, em 12 minutos, é 1600m para candidatos do sexo masculino e 1200m para candidatas do sexo feminino.

7.4. O candidato (a) que não realizar o índice mínimo de qualquer da modalidade correspondente acima, será considerado inapto no exame físico e reprovado, respectivamente.

7.5. O candidato que não comparecer à prova no dia, local e horário de convocação será considerado reprovado.

CAPÍTULO VIII - DA PROVA DE TÍTULOS

Somente para os cargos da Tabela A

8.1. Após a divulgação de notas da prova escrita, no prazo estipulado por Edital, os candidatos que lograram aprovação, deverão apresentar os títulos para concorrer a esta etapa.

8.2. Essa Prova será somente classificatória, sendo que o candidato aprovado/habilitado que deixar de entregar seus títulos não terá somados os pontos correspondentes a essa etapa, mas não ficará eliminado do concurso, pela não entrega.

8.3. GRADE DE PONTUAÇÃO DOS TÍTULOS:

Itens

Pontuação

1. Pós graduação que tenha correlação com o cargo de inscrição

Especialização

Mestrado

Doutorado

 

4,0

6,0

8,0

2. Graduação – Curso superior ou Licenciatura Plena – (concluído) desde que tenha correlação com o cargo de inscrição

Exceto o curso de exigência do cargo

 
 

2,0

3. Cursos, Seminários, Jornadas, Treinamentos, Oficinas, Workshops, Simpósios, Congressos, etc.. desde que relacionados com o cargo de inscrição e com data de emissão do comprovante dentro dos últimos cinco anos, contados da data de abertura das inscrições, de acordo com o descrito abaixo

I. Até 20 horas...........................................

II. De 21 a 40 horas....................................

III. De 41 a 60 horas....................................

IV. De 61 a 100 horas..................................

V. De 101 a 300 horas................................

VI. Acima de 301 horas................................

 

 

0,3

0,4

0,5

0,6

0,8

1,0

4. Artigos publicados em jornais ou revistas (máximo de 05)

0,1

5. Máximo de 20 (vinte) pontos nesta prova e máximo de 10 (dez) títulos por candidato (exceto artigos publicados)

6. O curso de exigência do cargo não será utilizado para pontuação. Títulos de formação de nível médio não serão pontuados. Títulos de graduação ou pós-graduação, além do de exigência terão pontuação conforme item 1 e 2.

7. Títulos sem conteúdo especificado não serão pontuados, caso não se possa aferir a relação com o cargo.

8. Para comprovação do item 3 desta Grade, o comprovante poderá ser diploma, certificado de conclusão do curso, declaração ou atestado, expedido pela entidade promotora. Não serão pontuados boletim de matrícula, histórico escolar ou outra forma que não a determinada acima, não devendo o candidato entregar documentos que não estejam na forma exigida.

9. Os diplomas de Graduação – curso superior ou Licenciatura Plena e os de pós-graduação em nível de especialização, mestrado ou doutorado devem estar devidamente registrados e para estes não serão aceitas declarações ou atestados de conclusão do curso ou das respectivas disciplinas.

10. Cursos com carga horária definida em dias ou meses serão considerados na seguinte proporção: 01 dia: 08 horas - 01 mês: 80 horas.

11. Cursos sem carga horária definida não receberão pontuação.

12. Cursos de língua estrangeira, relações humanas e informática serão pontuados para todos, quando apresentados, dentro do disposto no item 3, onde será inserido.

13. Os documentos, em língua estrangeira, de cursos realizados, somente serão considerados quando traduzidos para a Língua Portuguesa, por tradutor juramentado e revalidados por instituição brasileira.

14. Não serão pontuados títulos relativos a quaisquer serviços prestados, remunerados ou não, inclusive tempo de serviço público ou privado, estágios ou monitorias, bem como participação em cursos, simpósios, congressos, etc. como docente, palestrante ou organizador.

8.4. APRESENTAÇÃO DOS TÍTULOS:

8.4.1. Os títulos serão apresentados pelo próprio candidato ou por seu procurador, através de fotocópia, em folhas devidamente rubricadas e numeradas (se por Procuração, nos mesmos moldes da inscrição por procuração - Capítulo das inscrições).

8.4.2. Juntamente com a fotocópia, deverá ser apresentado o título original, sendo que o funcionário encarregado do recebimento dos mesmos deverá conferir cada cópia apresentada com o título original para autenticação.

8.4.3. Juntamente com os títulos, deverá ser apresentada relação dos mesmos, em formulário próprio, conforme modelo anexo a este edital. Esta relação será preenchida em duas vias; destas, uma será devolvida ao candidato devidamente rubricada pelo funcionário encarregado pelo recebimento e a outra será encaminhada à Banca Avaliadora da OBJETIVA CONCURSOS LTDA.

8.4.4. Na relação dos títulos, o candidato declarará expressamente o curso que possui ou que esteja em andamento, como requisito de habilitação para o cargo, devendo anexar seu comprovante junto aos demais títulos. Caso o curso de habilitação esteja em andamento, poderá ser apresentado atestado da Instituição responsável pela formação.

8.4.5. Os títulos e respectiva relação serão entregues em envelope, devidamente identificado com seu nome, número de inscrição e cargo.

8.4.6. Os documentos comprobatórios de títulos não podem apresentar rasuras, emendas ou entrelinhas.

8.4.7. O candidato que possuir alteração de nome (casamento, separação, etc...) deverá anexar cópia do documento comprobatório da alteração sob pena de não ter pontuados títulos com nome diferente da inscrição e/ou identidade.

8.4.8. Comprovada em qualquer tempo, irregularidade ou ilegalidade na obtenção dos títulos do candidato, bem como encaminhamento de um mesmo título em duplicidade, com o fim de obter dupla pontuação, o candidato terá anulada a totalidade de pontos desta prova. Comprovada a culpa do candidato este será excluído do concurso.

8.4.9. Não serão recebidos títulos de eventos datados anteriormente ao disposto na grade, bem como não serão pontuados os títulos que excederem ao máximo em quantidade e pontos, conforme disposição supra.

CAPÍTULO IX - DOS RECURSOS

9.1. Será admitido recurso quanto:

a) Ao indeferimento/não processamento de inscrição;

b) À formulação das questões, respectivos quesitos e gabarito das mesmas;

c) Aos resultados parciais e finais do Concurso Público.

9.2. Todos os recursos, apresentados pelo próprio candidato ou através de seu procurador, deverão ser interpostos até 2 (dois) dias úteis, a contar da divulgação por edital, de cada evento.

9.3. Os recursos que forem apresentados deverão obedecer rigorosamente os preceitos que seguem e serão dirigidos à Objetiva Concursos Ltda, empresa designada para realização do concurso.

9.4. Os mesmos deverão ser protocolados junto à Prefeitura Municipal, no prazo marcado por Edital, na forma de requerimento, conforme modelo Anexo III deste Edital e deverão conter os seguintes elementos:

a) Concurso de referência - Órgão/Município;

b) Cargo ao qual concorre;

c) Circunstanciada exposição a respeito das questões, pontos ou títulos, para as quais, em face às normas do certame, contidas no Edital, da natureza do cargo a ser provido ou do critério adotado, deveria ser atribuído maior grau ou número de pontos;

d) Razões do pedido de revisão, bem como o total dos pontos pleiteados.

9.5. Não se conhecerão os recursos que não contenham os dados acima e os fundamentos do pedido, inclusive os pedidos de simples revisão da prova ou nota.

9.6. Serão desconsiderados os recursos interpostos fora do prazo, enviados por via postal, fax ou meio eletrônico (e-mail) ou em desacordo com este Edital.

9.7. Em caso de haver questões que possam vir a ser anuladas por decisão da Comissão Executora do Concurso, as mesmas serão consideradas como respondidas corretamente por todos candidatos, independente de terem recorrido.

9.8. Se houver alguma alteração de gabarito oficial, por força de impugnações, as provas serão corrigidas de acordo com a alteração.

CAPÍTULO X - DA APROVAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

10.1. A nota final, para efeito de classificação dos candidatos, será igual à soma das notas obtidas na prova escrita, prova de títulos e prova de digitação, conforme aplicada ao cargo.

10.2. A lista final de classificação do Concurso apresentará apenas os candidatos aprovados por cargo.

10.3. Os candidatos aprovados serão classificados na ordem decrescente dos pontos obtidos.

10.4. Na hipótese de igualdade no total de pontos entre os aprovados, o desempate de notas processar-se-á com os seguintes critérios:

a) obtiver maior nota em conhecimentos específicos;

b) obtiver maior nota em conhecimentos gerais;

c) sorteio.

10.5. O sorteio, se necessário, será realizado em ato público, a ser divulgado por edital.

10.6. O resultado do sorteio público dar-se-á através do edital de homologação final do Concurso.

CAPÍTULO XI - DO PROVIMENTO DOS CARGOS

11.1. O provimento dos cargos obedecerá, rigorosamente, à ordem de classificação dos candidatos aprovados.

11.2. O candidato aprovado obriga-se a manter atualizado seu telefone e endereço junto ao órgão promotor do concurso.

11.3. A publicação da nomeação dos candidatos será feita por Edital, publicado junto ao Painel de Publicações do Órgão Executor do Concurso Público e, paralelamente, será feita comunicação ao candidato, via postal, no endereço informado na ficha de inscrição ou posteriormente atualizado. É responsabilidade exclusiva do candidato manter atualizado o referido endereço.

11.4. Os candidatos aprovados nomeados no serviço público municipal terão o prazo máximo de 15 (quinze) dias contados da publicação do Ato de nomeação para tomar posse e 05 (cinco) dias para entrar em exercício, contados da data da posse. Será tornado sem efeito o Ato de nomeação se não ocorrer a posse e/ou exercício nos prazos legais, sendo que o candidato perderá automaticamente a vaga, facultando ao Município o direito de convocar o próximo candidato por ordem de classificação.

11.5. Caso o candidato não deseje assumir de imediato, poderá, mediante requerimento próprio, solicitar para passar para o final da lista dos aprovados e, para concorrer, observada sempre a ordem de classificação e a validade do Concurso, a novo chamamento uma só vez.

11.6. O Concurso terá validade por 2 (dois) anos a partir da data de homologação dos resultados, prorrogável por mais 2 (dois) anos, a critério do Órgão promotor do Concurso.

11.7. Ficam advertidos os candidatos de que, no caso de nomeação, a posse no cargo só lhe será deferida no caso de exibirem:

a) A documentação comprobatória das condições previstas no Capítulo II - item 2.3, deste Edital acompanhada de fotocópia.

b) Atestado de boa saúde física e mental a ser fornecido, por Médico ou Junta Médica do Município ou ainda, por esta designada, mediante exame médico, que comprove aptidão necessária para o exercício do cargo, bem como a compatibilidade para os casos de deficiência física.

c) Declaração negativa de acumulação de cargo, emprego ou função pública, conforme disciplina a Constituição Federal/1988, em seu Artigo 37, XVI e suas Emendas.

11.8. A não apresentação dos documentos acima, por ocasião da posse, implicará na impossibilidade de aproveitamento do candidato aprovado, anulando-se todos os atos e efeitos decorrentes da inscrição no Concurso.

11.9. Os candidatos com deficiência, se aprovados e classificados, serão submetidos a uma Junta Médica Oficial para a verificação da deficiência, bem como da compatibilidade de sua deficiência com o exercício das atribuições do cargo.

CAPÍTULO XI - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

12.1. Os candidatos, desde já ficam cientes das disposições constitucionais, especialmente Art. 40, § 1º - III, que determina a obrigatoriedade de cumprimento do tempo mínimo de 10 anos de efetivo exercício no serviço público e 5 anos no cargo efetivo, para fins de aposentadoria, observadas as demais disposições elencadas naquele dispositivo.

12.2. A inexatidão das informações falta e/ou irregularidades de documentos, ainda que verificadas posteriormente, eliminarão o candidato do Concurso, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrição.

12.3. Os casos omissos serão resolvidos pelo Órgão promotor, em conjunto com a empresa responsável pela realização do Concurso Público.

12.4. Faz parte do presente Edital:

Anexo I - Descritivo das Atribuições dos Cargos/Emprego;

Anexo II – Conteúdos Programáticos e/ou Referências Bibliográficas;

Anexo III - Modelo de Formulário de Recurso;

Anexo IV - Modelo de Relação de Títulos;

Anexo V - Modelo de Requerimento – Pessoas com Deficiência.

Prefeitura Municipal de Cruz Alta, em 19 de dezembro de 2006.

VILSON ROBERTO BASTOS DOS SANTOS
Prefeito Municipal

Registre-se e publique-se

ANEXO I

DESCRITIVO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

CATEGORIA FUNCIONAL: Agente Fiscal de Trânsito

Executar a fiscalização de trânsito, nos termos da legislação federal pertinente, orientar pedestres e condutores de veículos, autuar os infratores, sugerir medidas de segurança relativas à circulação de veículos e de pedestres, bem como a concernente a sinalização de trânsito nas vias urbanas municipais, orientar ciclistas e condutores de animais, auxiliar no planejamento, na regulamentação e na operacionalização do trânsito, com ênfase à segurança. Fiscalizar o cumprimento em relação à sinalização de trânsito. Auxiliar na coleta de dados estatísticos e em estudos sobre a circulação de veículos e pedestres. Lavrar as ocorrências de trânsito e quando for o caso, providenciar a remoção dos veículos infratores. Fiscalizar o cumprimento das normas gerais de trânsito e relacionadas aos estacionamentos e paradas de ônibus, táxis, ambulâncias e veículos especiais. Participar de projetos de orientação, educação e segurança de trânsito. Vistoriar veículos, em questões de segurança, higiene, manutenção, carga, etc. Conduzir os veículos de fiscalização de trânsito, usar o uniforme e os equipamentos de comunicação, de identificação e de proteção individual e sinalização. Demais atividades afins, especialmente as contidas no art. 24, do Código Nacional de Trânsito, previsto na Lei Federal nº. 9.503, de 23 setembro de 1997, pertinentes à fiscalização.

CATEGORIA FUNCIONAL: Assistente Administrativo

Descrição Sintética: Prestar assessoramento administrativo a dirigentes de órgãos municipais ou a altos funcionários; realizar em estudos no campo da Administração Pública; prestar serviços em Museus, Bibliotecas e Arquivos Históricos.

Descrição Analítica: Elaborar pareceres fundamentados na Legislação ou em pesquisas efetuadas; exarar despachos interlocutórios ou não, de acordo com a orientação do superior hierárquico; revisar atos e informações antes de submetê-los à apreciação das autoridades superiores, reunir as informações que se fizerem necessárias para decisões importantes na órbita administrativa; estudar a legislação referente ao órgão em que trabalha ou de interesse para o mesmo, propondo as modificações necessárias; efetuar pesquisas para o aperfeiçoamento dos serviços; propor a realização de medidas relativas à boa administração de pessoal e de outros aspectos dos serviços públicos; conhecer a história de Cruz alta e Museu Érico Veríssimo, executar outras tarefas correlatas, em Museus e Bibliotecas.

CATEGORIA FUNCIONAL: Assistente Social

Descrição Sintética: Planejar e executar programas ou atividades no campo do serviço social; selecionar candidatos a amparo pelos serviços de assistência social.

Descrição Analítica: Realizar ou orientar estudos no campo do serviço social; preparar programas de trabalho ao serviço social; realizar e interpretar pesquisas sociais; orientar e executar trabalhos nos casos de reabilitação profissional; encaminhar clientes e dispensários à hospitais, acompanhando o tratamento e a recuperação dos mesmos, assistindo os familiares; planejar e promover inquéritos sobre a situação social de escolares e suas famílias e da população de baixa renda, fazer triagem dos casos apresentados para estudo, prestando orientação com vistas à solução adequada do problema; estudar os antecedentes da família; orientar a seleção sócio-econômica para a concessão de bolsas de estudo e outros auxílios do Município; selecionar candidatos à amparo pelos serviços de assistência à velhice, à infância abandonada, à deficientes, etc.; fazer levantamentos sócio-econômicos à planejamento habitacional nas comunidades; pesquisar problemas relacionados com o trabalho; supervisor e manter registros dos casos investigados; prestar assessoramento, participar no desenvolvimento de pesquisas médico-sociais; e interpretar, junto ao médico, a situação social do doente e de sua família; executar os trabalhos de campo para levantamento necessários ao bom desempenho do trabalho social a ser desenvolvidos pela Municipalidade; executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivos regulamento da profissão.

CATEGORIA FUNCIONAL: Atendente Especial de Educação Infantil

Descrição Sintética: Executora das atividades educativas, da saúde e de guarda nas Escolas Municipais de Educação Infantil.

Descrição Analítica: Executar com a orientação da supervisão Pedagógica, as propostas educativas para a idade da clientela atendida, especificada no plano de atividade como: brincadeiras, cantos, desenhos, teatro, conservação, dança e auxilio as atividades da escola (quando a atendente estiver desempenhando suas funções na Escola, responsabilidade de alimentar, formar hábitos e atividades de higiene; executar tarefas correlatas e necessárias ao bom andamento do trabalho, executar as tarefas com postura profissional, com preocupação com o anseio pessoal e do ambiente do trabalho e manter atitudes serenas e equilibradas.

CATEGORIA FUNCIONAL: Auxiliar de Asfaltador

Descrição Sintética:Executar trabalhos de manutenção de estradas e rodovias e dos equipamentos utilizados e de locais de armazenamento.

Descrição Analítica: Realizar com zelo as atividades de Auxiliar de Asfaltador, executando o preparo e após a manutenção dos equipamentos utilizados no serviço de asfalto.

CATEGORIA FUNCIONAL: Carpinteiro

Descrição Sintética:Construir, montar e reparar estruturas e objetos de madeira e assemelhados.

Descrição Analítica: Preparar e assentar assoalhos e madeiramento para paredes, tetos e telhados; fazer e montar portas e janelas; cortar e colocar vidros; fazer reparos em diferentes objetos de madeira; consertar caixilhos das janelas; colocar fechaduras; construir e montar andaimes; construir coretos e palanques, construir e reparar madeiramentos de veículos; construir formas de madeira para aplicação de concreto; assentar marcos de portas e janelas, colocar cabos e afiar ferramentas; organizar pedidos de suprimento de material e equipamentos para a carpintaria; operar com máquinas de carpintaria, tais como: serra circular; serra de fita, furadeira, desempenadeira e outras, zelar e responsabilizar-se pela limpeza, conservação e funcionamento de maquinaria e do equipamento de trabalho, calcular orçamentos de trabalhos de carpintaria; orientar trabalhos de auxiliares; executar tarefas afins.

CATEGORIA FUNCIONAL: Cozinheira

Descrição Sintética: Realizar atividades rotineiras, envolvendo a execução de trabalhos relacionados com a cozinha.

Descrição Analítica:Executar trabalhos de cozinha relativos a preparação de alimentos; preparar refeições variadas em forno e fogão; selecionar verduras, carnes, peixes e cereais para cozimento quanto à qualidade aspecto e estado de conservação de gêneros alimentícios, parelhos de aquecimento ou refrigeração e outros, elétricos ou não; zelar para que o material e o equipamento de cozinha estejam sempre em perfeitas condições de utilização, funcionamento, higiene e segurança; exercer perfeita vigilância técnica sobre a condimentação e cocção dos alimentos; executar outras tarefas correlatas.

CATEGORIA FUNCIONAL: Educador Social

Descrição Sintética: Atividades de nível médio, devendo participar do planejamento e execução de ações do programa, conjuntamente com a Equipe Multidisciplinar de Atenção à Criança e ao Adolescente da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, que possibilite oportunidades às crianças e adolescentes em situação de rua e construção de um projeto de vida através do fortalecimento dos vínculos sociais a fim de garantir a proteção integral e a segurança de Sobrevivência, de Convívio e de Acolhida.

Descrição Analítica: Realizar o mapeamento dos locais de concentração de crianças e adolescentes em situação de rua da cidade; conhecer o modo de vida das comunidades onde as crianças e adolescentes estão inseridos para a realização de trabalho de conscientização social; realizar abordagem social nas vias públicas para o atendimento sistemático e contínuo; realizar acompanhamento social através de entrevistas, grupos e oficinas; articular a aproximação com as famílias de origem, viabilizando o retorno dos sujeitos a convivência sócio-familiar realizada através de visitas domiciliares e entrevistas; viabilizar a inclusão em serviço de abrigagem, encaminhamento aos serviços da rede sócio-assistencial; viabilizar a articulação com os conselhos de direitos; articular e efetivar a formação e manutenção de Banco de Dados com informações atualizadas sobre o contexto da rua, as redes informais que determinam a permanência da criança e do adolescente na situação de rua, suas relações com as drogas e a exploração; produzir relatórios com informações, avaliações e possibilidades de proteção integral a criança e adolescente em situação de rua; participar do processo de articulação, mobilização e sensibilização da comunidade em relação a problemática de crianças e adolescentes em situação de rua, contribuindo para a difusão de uma cultura de inclusão e emancipação das famílias.

CATEGORIA FUNCIONAL: Eletricista

Descrição Sintética: Executar serviços de instalação e reparos de circuitos de aparelhos elétricos e de som.

Descrição Analítica: Instalar, inspecionar e reparar instalações elétricas, interna e externa, cabos de transmissão, inclusive os de alta tensão; instalar, inspecionar, regular e reparar diferentes tipos de aparelhos elétricos, tais como: elevadores ventiladores, refrigeradores, etc.; operar com toca-discos (CD), gravadores de som, amplificadores, máquinas de retardo de som e misturadores de microfones, manipular o equipamento de som durante os espetáculos realizados em teatro, auditório e outros estabelecimentos; instalar microfones e estabelecer ligações entre os mesmos; planejar colocar, dispor e retirar alto-falantes e microfones no palco ou concha acústica; controlar o volume de som interno e externo; proceder a conservação da aparelhagem eletrônica, realizando, inclusive, pequenos consertos;reparar e regular relógios elétricos, inclusive de controle de ponto; fazer enrolamento de bobinas; desmontar, ajustar, limpar e montar geradores, motores elétricos, dínamos, etc.; recuperar motores de partida geral, businas, interruptores, relés, reguladores de tensão, instrumentos de painel e acumuladores; executar a bobinagem de motores; conservar redes de iluminação dos próprios municipais e sinalizações; providenciar o suprimento de materiais e peças necessárias à execução dos serviços; executar tarefas afins.

CATEGORIA FUNCIONAL: Enfermeiro

Descrição Sintética: Atividade de nível superior, de grande complexidade, envolvendo a execução de trabalho de enfermagem relativa à observação, ao cuidado e a educação sanitária dos doentes, à aplicação de tratamentos prescritos, bem como a participação em programas voltados para a saúde política.

Descrição Analítica: Planejar, organizar, coordenar e avaliar, realizar auditoria e emissão de parecer sobre matéria de Enfermagem; Prestar serviços de enfermagem em unidades sanitárias, ambulatórios, escolas, creches e semi-internatos: Acompanhar o desenvolvimento dos programas de tratamento de recursos humanos para a área de enfermagem; Ministrar treinamento na unidade sanitária e domiciliar quando necessário; aplicar terapia, dentro da área de sua competência sob prescrição médica; Cuidados diretos de enfermagem a pacientes graves com risco de vida; Cuidados de enfermagem de maior complexidade técnica e que exijam conhecimentos científicos adequados e capacidade tomar decisões imediatas; Participar no planejamento, elaboração, execução e avaliação dos programas e planos assistenciais de saúde; Prescrição de medicamentos previamente estabelecidos em programas de saúde pública e em rotinas aprovadas pela instituição de saúde; Participar em projetos de construção ou reformas de unidades sanitárias; Prevenção e controle sistemático de infecção, inclusive como membro dos respectivos, comissões e participação na elaboração de medidas de prevenção e controle sistemático de danos que possam ser causados aos pacientes transmissíveis em geral e nos programas de vigilância epidemiológica; Prestar assistência de enfermagem à gestante parturiente, puerperal e ao recém-nascido; Participar nos programas e nos atividades de assistência integral à saúde individual e de grupo específicos, particularmente daqueles prioritários e de alto risco; Participar em programas e atividades de educação sanitária, visando à melhoria de saúde do indivíduo da família e da população em geral; Participar nos programas de treinamento e aprimoramento de pessoal de saúde, particularmente nos programas de educação continuada; Participar nos programas de higiene de segurança do trabalho e de prevenção de acidentes e de doenças profissionais e do trabalho; Participar na elaboração e sua operacionalização do sistema de referência e contra-referência do paciente nos diferentes níveis de atenção á saúde; Participação no desenvolvimento de tecnologia apropriada à assistência de saúde; Promover e participar de estudos para o estabelecimento de normas e padrões dos serviços de enfermagem; Realizar visitas domiciliares para prestar assistência de enfermagem e esclarecimentos sobre atribuições da equipe de enfermagem; Promover e controlar o estoque da unidade sanitária para sei pleno funcionamento; Manter contato com equipe multidisciplinar e outras unidades sanitárias para prover a boa integração da equipe; Participar de programas de atendimento à comunidades atingidas por situações de emergência de calamidade pública; Realizar e interpretar testes imuno-diagnósticos e auxiliares de diagnósticos; Requisitar exames de rotinas para pacientes em controle de saúde, com vistas à aplicação de medidas preventivas; Prestar assessoramento e autoridades em assuntos de sua competência; Orientar, condenar e supervisionar trabalhos a serem desenvolvidos por equipes de técnicos e auxiliares de enfermagem e equipes auxiliares; Não omitir-se quando procurado para qualquer esclarecimento; Executar outras tarefas afins à sua profissão.

CATEGORIA FUNCIONAL: Fiscal de Obras

Descrição Sintética: Atividades de média complexidade, em fiscalizações relativas ao Código de Obras e Edificações, Lei Complementar n° 024/02.

Descrição Analítica: Fiscalizações de obras e edificações conforme disciplinado no Código de Obras e Edificações do Município; averiguações, notificações, multas e emissão de relatórios da produtividade; levantar informações para o cadastro de imóveis em situação irregular, com o acompanhamento permanente das situações regularizadas, para posterior exclusão; fornecer informações aos superiores sobre as atividades desenvolvidas, a fim de possibilitar o aperfeiçoamento e otimização dos serviços, etc.

CATEGORIA FUNCIONAL: Fiscal Tributário

Descrição Sintética: Orientar e exercer a fiscalização geral com respeito à aplicação das Leis Tributárias do Município e a fiscalização especializada.

Descrição Analítica: Estudar o Sistema Tributário Municipal; orientar o serviço de Cadastro e estabelecimentos comerciais, industriais e comércio ambulante: expedir pareceres e informações sobre lançamentos e processos fiscais; lavrar autos de infração, assinar intimações de embargos; organizar o cadastro fiscal. Orientar o levantamento estatístico da área tributária; apresentar relatórios periódicos sobre a evolução da receita; estudar a legislação básica; integrar grupos operacionais e realizar outras tarefas correlatas.

CATEGORIA FUNCIONAL: Médico

Descrição Sintética: Prestar assistência médico-cirúrgica ambulatorial e preventiva; diagnosticar e tratar das doenças do corpo humano em ambulatório, escolas, creches e órgãos afins, municipais ou conveniados, fazer inspeção de saúde em servidores municipais, bem como em candidatos a ingresso no serviço público municipal.Descrição Analítica: Prestar socorros urgentes, efetuar exames médicos, fazer diagnósticos, prescrever e ministrar tratamento para diversas doenças, perturbações e lesões do organismo humano e aplicar os métodos da medicina preventiva; providenciar ou realizar tratamento especializado; praticar intervenções cirúrgicas ambulatórias; ministrar aulas e participar de reuniões médicas, cursos e palestras sobre medicina preventiva nas entidades assistências e comunitárias; visar mapas de produções, preencher ficha médica em ambulatórios, hospitais ou outros estabelecimentos públicos municipais; examinar servidores para fins de licença, readaptação, aposentadoria e reversão, examinar candidatos à auxílios; fazer inspeção médica para fins de ingresso, emitir laudos, fazer diagnósticos e recomendar terapêutica, prescrever exames laboratoriais, incentivar a vacinação e indicar medidas de higiene pessoal e de habitação; responsabilizar-se por equipes auxiliares necessárias à execução das atividades próprias do cargo; executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento da profissão, código de Ética Médica, resolução CFM N° 1246/88.

CATEGORIA FUNCIONAL: Mecânico Chapeador

Descrição Sintética: Manter e reparar máquinas e motores; consertar peças de máquinas, executar serviços de chapeamento, soldagem, de eletricidade, dentro de cada especificação da classe.

Descrição Analítica:Manter e reparar máquinas de diferentes espécies; manufaturar ou consertar acessórios para máquinas, ocasionalmente, fazer solda elétrica ou oxigênio; converter ou adaptar peças;fazer a conservação de instalações eletro-mecânicas; inspecionar, ajustar, reparar, reconstituir e substituir, quando necessário, unidades e partes relacionadas com motores, válvulas, pistões, mancais, sistema de lubrificação, de refrigeração, de transmissão, diferenciais, embalagens, eixos dianteiros e traseiros, freios, carburadores, acionadores, acionadores de arranques; magnetos, geradores e distribuidores; esmerilhar e assentar válvulas; substituir buchas de maçais; ajustar anéis de segmento; desmontar e montar caixas de mudanças; recuperar e consertar hidrovácuos; reparar máquinas a óleo diesel, gasolina ou querosene, socorrer veículos acidentados ou imobilizados por defeito mecânico, podendo usar em tais casos, o carro guincho; testar carros consertados; executar tarefas afins. Mecânico Chapeador e Soldador deve reparar carrocerias e seus acessórios, desamassa, carrocerias, paralamas, “capotes”, aros de faroletes ou farol, paralamas e latarias em geral; lixar e esmerilhar; desempenar portas e chassis; substituir peças e acessórios; reparar ou substituir trincos e fechaduras de portas em veículos em geral; repor e mudar peças de mecanismo de suspensão de vidraças; adaptar faróis e antenas de rádio em veículos em geral; consertar radiadores; executar solda a oxigênio e solda elétrica em ligas e metais; responsabiliza-se pela conservação e funcionamento do equipamento de trabalho; executar diferentes tipos de soldas em chapas, peças de máquinas e cabos em geral (soldas comuns, soldas elétricas e solda a oxigênio); manejar maçaricos e outros instrumentos de soldagens; preparar superfícies a serem soldados; cortar metais por meio de chama dos aparelhos de solda; encher por meio de solda; eixos; mancais, buchas, lâminas e outros; zelar pela conservação dos instrumentos e pela limpeza dos locais de trabalho; orientar os auxiliares nos serviços de sua alçada; executar outras tarefas correlatas. Mecânico Eletricistas deve consertar instalações elétricas em veículos automotores; reformar baterias, fazer enrolamentos e consertos induzidos de geradores de automóveis; providenciar o suprimento de materiais e peças necessárias à execução dos serviços; executar tarefas afins.

CATEGORIA FUNCIONAL: Mecânico Máquina Pesada

Descrição Sintética: Manter e reparar máquinas e motores; consertar peças de máquinas, executar serviços de chapeamento, soldagem, de eletricidade, dentro de cada especificação da classe.

Descrição Analítica:Manter e reparar máquinas de diferentes espécies; manufaturar ou consertar acessórios para máquinas, ocasionalmente, fazer solda elétrica ou oxigênio; converter ou adaptar peças;fazer a conservação de instalações eletro-mecânicas; inspecionar, ajustar, reparar, reconstituir e substituir, quando necessário, unidades e partes relacionadas com motores, válvulas, pistões, mancais, sistema de lubrificação, de refrigeração, de transmissão, diferenciais, embalagens, eixos dianteiros e traseiros, freios, carburadores, acionadores, acionadores de arranques; magnetos, geradores e distribuidores; esmerilhar e assentar válvulas; substituir buchas de maçais; ajustar anéis de segmento; desmontar e montar caixas de mudanças; recuperar e consertar hidrovácuos; reparar máquinas a óleo diesel, gasolina ou querosene, socorrer veículos acidentados ou imobilizados por defeito mecânico, podendo usar em tais casos, o carro guincho; testar carros consertados; executar tarefas afins. Mecânico Chapeador e Soldador deve reparar carrocerias e seus acessórios, desamassa, carrocerias, paralamas, “capotes”, aros de faroletes ou farol, paralamas e latarias em geral; lixar e esmerilhar; desempenar portas e chassis; substituir peças e acessórios; reparar ou substituir trincos e fechaduras de portas em veículos em geral; repor e mudar peças de mecanismo de suspensão de vidraças; adaptar faróis e antenas de rádio em veículos em geral; consertar radiadores; executar solda a oxigênio e solda elétrica em ligas e metais; responsabiliza-se pela conservação e funcionamento do equipamento de trabalho; executar diferentes tipos de soldas em chapas, peças de máquinas e cabos em geral (soldas comuns, soldas elétricas e solda a oxigênio); manejar maçaricos e outros instrumentos de soldagens; preparar superfícies a serem soldados; cortar metais por meio de chama dos aparelhos de solda; encher por meio de solda; eixos; mancais, buchas, lâminas e outros; zelar pela conservação dos instrumentos e pela limpeza dos locais de trabalho; orientar os auxiliares nos serviços de sua alçada; executar outras tarefas correlatas. Mecânico Eletricistas deve consertar instalações elétricas em veículos automotores; reformar baterias, fazer enrolamentos e consertos induzidos de geradores de automóveis; providenciar o suprimento de materiais e peças necessárias à execução dos serviços; executar tarefas afins.

CATEGORIA FUNCIONAL: Merendeira

Descrição Sintética: Realizar atividades rotineiras, envolvendo a execução de trabalhos relacionados com a cozinha.

Descrição Analítica: Executar trabalhos de cozinha relativos a preparação de alimentos para a clientela da rede de ensino municipal preparar refeições variadas em forno e fogão; selecionar verduras, carnes, peixes e cereais para cozimento quanto a qualidade, aspecto e estado de conservação de gêneros alimentícios, aparelhos de aquecimento ou refrigeração e outros, elétricos ou não, zelar para que o material e o equipamento de cozinha estejam sempre em perfeitas condições de utilização, funcionamento, higiene e segurança; exercer perfeita vigilância técnica sobre a condimentação e cocção dos alimentos, executar a manutenção higiênica no âmbito da cozinha, antes e após o preparo da alimentação, comunicar a Chefia imediata qualquer irregularidade que seja.

CATEGORIA FUNCIONAL: Monitor de Abrigo Temporário

Descrição Sintética: Atividades de nível médio, envolvendo a execução de ações junto aos abrigos temporários da Secretaria de Desenvolvimento Social, relacionados ao monitoramento das atividades dos abrigados com vistas ao atendimento da legislação própria que tratam das políticas sociais.

Descrição Analítica: Garantir, através de sua ação, a proteção à criança e ao adolescente que tiverem seus direitos básicos violados e ou ameaçados, respeitando os preceitos do ECA; acolher crianças e adolescentes com procedimentos que minimizem a situação de fragilidade em que eles (as) se encontram, articulando todos os atendimentos necessários para garantir a proteção integral; produzir relatórios contendo informações sobre os atendimentos prestados às crianças e aos adolescentes abrigados, garantir a privacidade das informações e repassá-las à coordenação do Abrigo, tendo em vista que as referidas se constituem na história de vida das crianças e adolescentes atendidos; participar do atendimento e planejamento individualizado e em pequenos grupos; viabilizar a participação da criança e do adolescente na via comunitária bem como em programa de apoio sócio-educativo em meio aberto, conforme planejamento; viabilizar as ações que ofereçam à criança e ao adolescente atendimento na rede municipal de atenção à Saúde, Educação, Cultura, Esporte, Lazer e Assistência Social buscando a promoção desta; viabilizar ações que criem espaços de discussão e atividades que estimulem as crianças e adolescentes a participarem da formação e implantação das normas de funcionamento do Abrigo, oportunizando o debate e o conhecimento sobre seus direitos e deveres; participar de recursos humano junto aos que atuam no Abrigo, para que tenham consciência da dimensão do seu papel de educador; desenvolver ações que busquem reforçar o vínculo da criança e do adolescente com a sua família de origem ou substituta; estabelecer um trabalho articulado com os Conselheiros Tutelares, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Vara da Infância e da Juventude, Ministério Público e órgãos governamentais e não governamentais; realizar atendimento direto às crianças e adolescentes abrigados, no que diz respeito as suas necessidades integrais.

CATEGORIA FUNCIONAL: Operário de Obras

Descrição Sintética: Realizar trabalhos braçais em geral.

Descrição Analítica: Carregar e descarregar veículos em geral; transportar; arrumar e elevar mercadorias, materiais de construção e outros; fazer mudanças; proceder à abertura da valas; efetuar serviços de capina em geral; varrer, escovar, lavar e remover lixo e detritos das ruas e próprios municipais, proceder a limpeza de oficinas, baias, cocheiras, gaiolas, depósitos de lixo e detritos orgânicos, inclusive em gabinetes sanitários públicos ou em próprios municipais, cuidar dos sanitários; recolher lixo a domicílio, operando nos caminhões de asseio público; argamassa; auxiliar no recebimento, entrega, pesagem e contagem de materiais; auxiliar nos serviços de abastecimento de veículos; cavar sepultura e auxiliar no sepultamento; manejar instrumentos agrícolas; executar serviços de lavoura (plantio, colheita, preparo de terreno, adubação, pulverizações, etc.; aplicar inseticidas e fungicidas; auxiliar em serviços simples de jardinagem; cuidar de árvores frutíferas; molhar plantas; cuidar de recipientes de lixo, currais, terrenos baldios e praças; alimentar animais sob supervisão;cuidar de ferramentas, máquinas e veículos de qualquer natureza; executar outras tarefas afins.

CATEGORIA FUNCIONAL: Operador de Máquinas Pesadas

Descrição Sintética: Operar e fazer manutenção básicas em máquinas e equipamentos rodoviários.

Descrição Analítica: Realizar com zelo e perícia, os trabalhos relativos a operação de máquinas e equipamentos rodoviários que lhe forem confiados como nivelamento, recomposição e aberturas de ruas e estradas em zonas urbana e rural, aterros, aberturas de valas, carregamentos de terra e cascalho, auxilio na colocação de bueiros e serviços de reboque; zelar pela construção das máquinas e equipamentos; efetuar pequenos reparos e a manutenção recomendada pelo fabricante do equipamento quando necessário; providenciar o abastecimento de combustível, água e lubrificantes; preencher o diário da máquina sob sua responsabilidade, comunicar qualquer anomalia no funcionamento dos equipamentos; executar outras tarefas correlatas.

detectada com os produtos e equipamentos, quando de seu conhecimento.

CATEGORIA FUNCIONAL: Professor

Descrição Sintética: planejar, ministrar aulas e orientar aprendizagem do aluno; participar no processo de planejamento das atividades da escola;Contribuir para o aprimoramento de qualidade do ensino; Colaborar com as atividades de articulação da escola com as famílias e comunidade; Organizar as operações inerentes ao processo de ensino-aprendizagem.

Descrição Analítica: Planejar e executar o trabalho docente, em consonância com o plano curricular da escola, atendendo ao avanço da tecnologia educacional e às diretrizes de ensino emanadas do órgão competente; Definir, operacionalmente, os objetivos do plano curricular, quanto à sua sala de aula, estabelecendo relações entre diferentes componentes curriculares. Ministrar aulas nos dias letivos e horas de trabalho estabelecidas, inclusive com a participação integral nos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional; Levantar e interpretar dados relativos à realidade de sua classe;Estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento; Avaliar o desempenho dos alunos de acordo com o regimento escolar, nos prazos estabelecidos; Estabelecer mecanismos de avaliação em conjunto com a direção e setores competentes; Participar na elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;Participar da elaboração, execução e avaliação do Plano Integrado da Escola; Participar na elaboração do regimento escolar; Participar da elaboração e seleção do material didático utilizado em sala de aula; Integrar órgãos complementares da escola; Zelar pela aprendizagem dos alunos; Constatar necessidades e carências do aluno e propor o seu encaminhamento aos setores específicos de atendimento; Atender às solicitações da direção da escola referentes à sua ação docente; Atualiza-se em sua área de conhecimentos; Participar do planejamento de classes paralelas, de área ou disciplinas específicas e das atividades específicas e extraclasses; Cooperar com a coordenação pedagógica e os serviços de planejamento, orientação e supervisão escolar; Coordenar a área de estudo;Participar de reuniões, encontros, congressos, seminários, cursos, conselhos de classe, atividades cívicas e culturais, bem como de outros eventos da área educacional e correlata;Participar da elaboração, execução e avaliação da proposta administrativo-pedagógica do estabelecimento de ensino;Promover aulas e trabalhos de recuperação para alunos que apresentem dificuldades de aprendizagem;Organizar registros de observações do aluno;Fornecer dados e apresentar relatórios de suas atividades; Realizar levantamentos diversos no sentido de subsidiar o trabalho docente; Contribuir para o aprimoramento da qualidade do tempo livre dos educandos, prestando-lhes aconselhamento; Acompanhar e orientar o trabalho de estagiários; Zelar pela disciplina e pelo material docente; Manter-se atualizado sobre a legislação do ensino; Executar outras atividades afins.

CATEGORIA FUNCIONAL: Educador Especial – Secretaria de Educação e Esportes

Descrição Sintética: Apoio técnico pedagógico regular para atender às peculiaridades da clientela de educação especial.

Descrição Analítica: Participar da elaboração do Projeto Político Pedagógico e do Plano de Ação da Escola assumindo a coordenação das atividades relacionadas ao atendimento a alunos portadores de necessidades especiais, Planejar e executar o trabalho docente em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais. Levantar e interpretar dados relativos a realidade de sua comunidade escolar no que se refere a alunos portadores de necessidades especiais. Definir operacionalmente os objetos, diretrizes e metas para o desenvolvimento de um processo de ressignificação da trajetória de vida dos alunos. Definir e utilizar formas de avaliação condizentes edificação do conhecimento dos alunos. Realizar sua ação cooperativamente no âmbito escolar. Participar de reuniões, Conselho de Classe e atividade similares atender as solicitações da escola referente a ação docente. Ocupar integralmente o tempo destinado às aulas e no desenvolvimento das tarefas inerentes ao processo ensino aprendizagem. Cooperar em todas as atividades curriculares ou extra-curriculares que visem a melhoria do processo educativo.

CATEGORIA FUNCIONAL: Padeiro

Descrição Sintética: As atividades do padeiro de grande complexidade, envolvendo a fabricação de massa de pão, bolachas, cucas, bolos, e todas as demais atividades inerentes à panificação.

Descrição Analítica: Elaborar e modelar massas d’água, massa sovada, bolachas, cucas, fornear, embalar e distribuir adequadamente, manuseio correto de equipamentos, conservação dos equipamentos, mobiliários e local de trabalho, armazenamento correto dos produtos de panificação, programar percápita para pedidos de compras, observar a higiene pessoal, encaminhar a Secretaria informações necessárias a elaboração de relatórios, supervisionar a higiene do local.

CATEGORIA FUNCIONAL: Pedreiro

Descrição Sintética: Realizar tarefas rotineiras, envolvendo a execução de trabalhos relacionados com a construção.

Descrição Analítica: Executar trabalhos de construção; zelar para que o material e o equipamento estejam sempre em perfeitas condições de utilização e segurança; executar outras tarefas correlatas.

CATEGORIA FUNCIONAL: Psicólogo

Descrição Sintética: Atividades de nível superior, de grande complexidade, envolvendo a execução de trabalhos relacionados com o comportamento humano e a dinâmica da personalidade, com vistas à orientação psicopedagógica e ao ajuste individual.

Descrição Analítica: Coordenar e orientar os trabalhos de levantamento de dados científicos relativos ao comportamento humano; orientar a elaboração de diagnósticos, prognósticos e controle do comportamento do paciente na vida social; analisar os fatores psicológicos que intervém no diagnóstico; tratamento e prevenção das enfermidades e dos transtornos emocionais da personalidade; colaborar com médicos, assistentes sociais e outros profissionais, na ajuda aos inadaptados; idealizar e orientar a elaboração, aplicação e interpretação de testes psicológicos, com vistas a orientação psicológica e a seleção profissional; realizar entrevistas complementares; propor solução conveniente para os problemas de desajustes escolar, profissional e social; colaborar no planejamento de programas da educação, inclusive sanitária, e na avaliação de seus resultados; manter-se atualizado nas novas técnicas utilizadas pela psicologia; desenvolver psicoterapia nas situações de envolvimento emocional, nos bloqueios inconscientes e na reação de imaturidade; atender crianças excepcionais com problemas de deficiência mental e sensorial ou portadores de desajuste familiar e escolar, encaminhando-as para escolas ou Cargos especiais; formular, na base dos elementos colhidos, hipóteses de trabalho para orientar as explorações psicológicas, médicas e educacionais a serem feitas; confeccionar o material psicopedagógico e psicológico necessário ao estudo e solução dos casos; redigir a interpretação final após debate e aconselhamento indicado a cada caso, conforme as necessidade psicológicas escolares, sociais e profissionais do indivíduo; emitir pareceres sobre matéria de sua especialidade; prestar assessoramento à autoridades, em assuntos de sua competência; aplicar provas de nível psicotécnico para ingresso na função pública municipal; executar outras atividades semelhantes e afins a sua profissão.

CATEGORIA FUNCIONAL: Técnico em Enfermagem

Descrição Sintética: Atividade de nível médio técnico, de média complexidade, envolvendo a execução de trabalhos de enfermagem sob supervisão, orientação e direção de enfermeiros, relativos a procedimentos , a observação, ao cuidados e a educação sanitária dos doentes, a aplicação de tratamentos prescritos, bem como a participação em programas voltados para a saúde pública.

Descrição Analítica: Assistir ao enfermeiro no planejamento, programação, orientação e supervisão das atividades de assistência de enfermagem na prestação de cuidados de enfermagem a pacientes em estado grave, na prevenção e controle doenças transmissíveis em geral e em programas de vigilância epidemiológica, na prevenção e controle sistemático de infecção, na prevenção e controle sistema de danos físicos que possam ser causados a pacientes durante a assistência da saúde, participação nos programas e nas atividades de assistência integral a saúde individual e de grupos específicos, particularmente daqueles prioritários e de alto risco, participação nos programas de higiene e segurança do trabalho e de prevenção de acidentes e de doentes profissionais e do trabalho, realizar curativos e procedimentos de acordo com a orientação recebida, atender sob supervisão aos doentes de acordo com recomendações e prescrição médica e de enfermeiros, verificar de acordo com recomendações e prescrição médica e de enfermeiros, verificar temperaturas, pulso, respiração e pressão arterial e anotar na ficha de atendimento, ministrar medicamentos prescritos, aplicar vacinas, transportar ou acomodar doentes, preparar pacientes para exames e procedimentos médicos, prestar socorro de urgência, promover ou fazer higienização dos pacientes orientar individualmente o paciente em relação a sua higiene pessoal e qualidade de vida, pesar e medir pacientes registra ocorrências e intercorrências a ficha de atendimento, limpar, preparar, esterilizar, distribuir e guardar materiais, desenvolver atividades de apoio nas salas de consultas e tratamento a pacientes, solicitar material para manter funcionamento da unidade sanitária, integrar a equipe da saúde, executar a orientação e determinações dadas pelo enfermeiro.

CATEGORIA FUNCIONAL: Técnico em Topografia

Descrição Sintética: Prepara e efetuar tarefas de levantamento de cálculos de serviços topográficosDescrição Analítica: Realizar e preparar esquemas de levantamento topográfico planimétrico e altimétrico; efetuar o reconhecimento básico da área programada; realizar levantamento da área demarcada utilizando os instrumentos necessários; registrar os dados obtidos; efetuar os cálculos necessários; elaborar esboços e desenhos; orientar o pessoal auxiliar no balizamento e colocação de estacas aferir e retificar os instrumentos de trabalho; auxiliar na elaboração de orçamentos; orientar o trabalho de auxiliares; zelar pela conservação de instrumentos de seu uso, participar na execução de programas de treinamento nos serviços públicos relativos a sua área de competência; preparar, classificar, restaurar, ordenar e manusear documentos técnicos de acordo com a orientação recebida, auxiliar a fiscalização dos serviços; executar outras tarefas relativas a sua área de competência.

CATEGORIA FUNCIONAL: Tratorista

Descrição Sintética: Operar Máquinas e equipamentos agrícolas.

Descrição Analítica: Realizar com zelo e perícia, os trabalhos relativos a operação de máquinas agrícolas que lhe forem confiados como: lavrar, gradear, roçar, serviços de reboque; zelar pela conservação das máquinas e equipamentos; efetuar pequenos reparos e a manutenção recomendada pelo fabricante do equipamento quando necessário; providenciar o abastecimento de combustível, água e lubrificantes; preencher o diário da máquina sob sua responsabilidade; comunicar qualquer anomalia no funcionamento dos equipamentos executar tarefas correlatas.

ANEXO II

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS E/OU REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Para os cargos da TABELA A - ASSISTENTE SOCIAL, ENFERMEIRO, FISCAL TRIBUTÁRIO, MÉDICO (todos), PROFESSOR (todos) e PSICÓLOGO

CONHECIMENTOS GERAIS:

Conteúdo 1: PORTUGUÊS – Comum a todos

LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

ASSISTENTE SOCIAL

Conteúdo1 - Específico:

1)Questão Social; 2) Descentralização e Municipalização no Brasil; 3) Consultoria e Assessoria; 4) Relação teoria/ prática e Serviço Social; 5) Serviço Social; 6) O trabalho do Assistente Social nos serviços de saúde; 7) Estado; 8) Sociedade Civil; 9) Política Social; 10) Espaço Institucional e Profissional; 11) O Serviço Social nas instituições; 12) Participação; 13) Poder; 14) Estratégia e Tática; 15) Saber e Poder; 16) Dialética e Trabalho Social; 17) Regulação e Articulação; 18) Emergência do Serviço Social e condições histórico- sociais; 19) Estrutura sincrética do Serviço Social; 20) Ética; 21) Vida Social; 22) Trajetória ético-política do Serviço Social brasileiro; 23) Globalização; 24) Projeto ético-político do Serviço Social; 25) Saúde mental; 26) Interdisciplinariedade; 27) Trabalho; 28) Legislação; 29) ECA; 30) LOAS; 31) SUS; 32) Código de Ética; 33) Lei de Regulamentação da profissão do Assistente Social; 34) Política Nacional do Idoso; 35) Estatuto das Pessoas com Deficiência; 36) Controle Social; 37) Saúde; 38) Cidadania; 39) Grupo e Redes. 36) Legislação.

Conteúdo 2: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Resolução 145 de 15.10.2004 - Aprovado CNAS - Nova Política de Assistência Social/Novembro/2004 ;

– Lei 8.742, de 07.12.1993 - LOAS/2003;

- Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente;

- Lei 10.741, de 01.10.2003 - Estatuto do Idoso;

- NOB/SUAS – Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social, aprovado pela Resolução 130, de 15.07.2005 – CNAS

- Lei 10.257, de 10.07.2001 – Estatuto das Cidades

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213; Art. 177 a 180).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- Conselho Regional de Serviço Social - CRESS - Coletânea de Leis. POA (Lei de Regulamentação da Profissão do Assistente Social. Código de Ética Profissional. Lei Orgânica da Assistência Social - LOAS. Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (Lei nº 8.069/90).

- Decreto nº 3298 - Estatuto das pessoas com deficiência (DOU de 21 de dezembro de 1999).

- BARROCO, Maria L. S. Ética e Serviço Social- Fundamentos ontológicos. 3.ed. São Paulo: Cortez: 2005.

- BRAVO, Maria Inês Souza (et al.). Saúde e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2004.

- COSTA, Maria Dalva Horácio da. O trabalho nos serviços de saúde e a inserção dos (as) assistentes sociais. In.: Revista Serviço Social Sociedade nº 62, março de 2000. São Paulo: Cortez.

- FALEIROS, Vicente de P. Desafios do Serviço Social na era da globalização. In: Revista Serviço Social e Sociedade nº61. São Paulo: Cortez, 1999.

- FALEIROS, Vicente de P. Saber profissional e poder institucional. 6.ed. São Paulo: Cortez, 2001. Capítulos 1 a 9.

- IAMAMOTO, Marilda V. O Serviço Social na Contemporaneidade: Trabalho e formação profissional. 1ª parte: O Trabalho Profissional na Contemporaneidade. São Paulo: Cortez, 2000.

- JOVCHELOVITCH, Marlova. O processo de descentralização e municipalização no Brasil. In: Revista Serviço Social & Sociedade nº 56 ano XIX- março de 1998. São Paulo: Cortez.

- KERN, Francisco Arseli. As mediações em redes como estratégia metodológica do serviço social. Porto Alegre: EDIPUCRS:2003.

- MINAYO, Mario Cecília de Souza (org.) Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. Petrópolis: Vozes, 1997.

- NETTO, José P. Capitalismo monopolista e Serviço Social. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2005.

- SANT’ANA, Raquel S. O desafio da implantação do projeto ético-político do Serviço Social. In: Revista Serviço Social e Sociedade nº62. São Paulo: Cortez, 2000.

- SOUSA, Rosângela M.S. Controle Social em Saúde e Cidadania. Revista Serviço Social e Sociedade, nº 74 São Paulo, Cortez, 2003.

- VASCONCELOS, Ana Maria de. Relação teoria/ prática: o processo de assessoria/ consultoria e o Serviço Social. In: Revista Serviço Social & Sociedade nº 56 ano XIX- março de 1998. São Paulo: Cortez.

- VASCONCELOS, Eduardo M. (org.). Saúde Mental e Serviço Social. O desafio da subjetividade e da interdisciplinariedade. São Paulo: Cortez: 2000.

- VIEIRA, Evaldo. O Estado e a sociedade civil perante o ECA e a LOAS In: Revista Serviço Social & Sociedade nº 56 ano XIX- março de 1998. São Paulo: Cortez.

- YAZBEK, Maria Carmelita. Classes Subalternas e Assistência Social. São Paulo: Cortez,1993.

- ZIMERMAN, David E.& OSORIO, Luiz Carlos (orgs.). Como trabalhamos com grupos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

ENFERMEIRO

Conteúdo 1 - Específico:

Legislação aplicada ao desempenho profissional. 2) Assistência de enfermagem à criança, ao adulto e ao idoso. 3) Promoção, recuperação e reabilitação da saúde 4) Necessidades bio-psico-sociais do indivíduo nas diferentes faixas etárias 5) Enfermagem médico-cirúrgica: Patologia e procedimentos 6) Enfermagem em saúde pública 7) Enfermagem em pediatria: patologias e procedimentos 8) Enfermagem e saúde mental 9) Enfermagem em gineco-obstetrícia: procedimentos 10) Prevenção e controle de infecções 11) Administração de medicamentos 12) Assistência de enfermagem em terapia intensiva 13) Enfermagem de emergências 14) Processo de enfermagem. 15) Ética Profissional. 16) Legislação geral.

Conteúdo 2: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- BRUNNER, Lilian S. & SUDDARTH, Dóris“Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgica”. Todos os Volumes. Editora Guanabara Koogan.

- CINTRA, Eliane de Araujo. Assistência de enfermagem ao paciente crítico. São Paulo: Atheneu.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE – Fundação Nacional de Saúde “Manual de Normas de Vacinação”

- MONTEIRO, Carlos A “Velhos e novos males da saúde no Brasil. A evolução do país e de suas doenças.”

S. Paulo: Hucitec

- POTTER, Patrícia A; PERRY, G. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan.

- STUART, Gail Wiscarz. Enfermagem psiquiátrica: princípios e práticas. POA. Artmed

- VANZIN, Arlete Spencer. “Consulta de enfermagem: uma necessidade social?” POA: RM&L

- WALDOW, Vera ReginaV. Cuidado humano: o resgate necessário. POA: Sagra Luzzatto.

- BRASIL, Leis e Atos, Lei n° 7.498, de 25.06.86 : regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências.

- COFEN. Código de Ética dos profissionais de enfermagem. 1993. Decreto n° 94.406 de 08.06.87: Regulamenta a lei n° 7.498, de 25.06.86, que dispõe sobre o exercício da enfermagem e dá outras providências.

FISCAL TRIBUTÁRIO

- BRASIL “Constituição da República Federativa do Brasil” - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais – Art. 5° a 11. Da Organização do Estado – Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes – Art. 59 a 83. Da Tributação e Orçamento/Da Ordem Econômica e Financeira – Art. 145 a 183)

- BRASIL “Código Tributário Nacional” (Artigos 1° ao 16 e Artigos 96 ao 182).

- Código Tributário Municipal - Lei nº0096/83 e alterações.

- Código de Posturas do Município - Lei nº 278/75 e 064/83.

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137; Art. 151 a 161).

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

|Conteúdo 1 - Informática:

1) Periféricos de um Computador. 2) Hardware. 3) Software. 4) Utilização do Sistema Operacional Windows 9x / Me / XP. 5) Configurações Básicas do Windows 9x / Me / XP. 6) Aplicativos Básicos (bloco de notas, calculadora, Paint, WordPad). 7) Aplicativos do Pacote Office 2000 ou XP(Word, Excel, Access, PowerPoint). 8) Configuração de Impressoras. 9) Noções básicas de Internet. 10) Noções básicas de Correio Eletrônico.

Conteúdo 2: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas:

- BRAGA, William Cesar. Microsoft Windows XP, Rio de Janeiro: Alta Books, 2002

- MANZANO, José Augusto & MANZANO, André Luiz, Estudo Dirigido de Windows Millennium. São Paulo: Érica, 2001.

- MICROSOFT PRESS, Dicionário de Informática. Tradução de Valeria Chamon. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

- OLIVEIRA, Jair Figueiredo de Sistema de Informação versus Tecnologia da Informação: um impasse empresarial. 1.ed. São Paulo: Erica, 2004

- SILVA, Mário. Terminologia Básica: Windows XP: Word XP: Excel XP. São Paulo: Érica, 2002.

- VELLOSO, F.DE C. Informática: conceitos básicos. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

- Manuais de referência do Pacote Office e ajuda on-line (help)

- Revistas, jornais e Internet

MÉDICO CLÍNICO GERAL

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional. 24) Legislação geral.

Conteúdo 3: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

MÉDICO GASTROENTEROLOGISTA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Específico;

1) Doenças do esôfago.2) Doenças de estômago e duodeno. 3) Doenças de intestino delgado. 4) Doenças coloretais. 5) Doenças de fígado e vias biliares.6) Doenças de pâncreas. 7)Hemorragia digestiva. 8) Doenças inflamatórias intestinais. 9) Neoplasias. 10) Legislação geral.

Conteúdo 4: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- SHERLOCK, S. And DOOLEY, J. “Diseases of the Liver and Biliary System”, Ninth Edition.

- SLEISENGER, M. H. and FORDTRAN, J. S. “Gastrointestinal Disease”, Fifth Edition.

MÉDICO GERIATRA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Específico;

1)O idoso na sociedade. Estatuto do Idoso. 2) Biologia do Envelhecimento. Teorias do Envelhecimento. 3) Aspectos biológicos e fisiológicos do envelhecimento. 4) Prevenção e promoção da saúde. 5) Geriatria Básica. 6) Exames complementares e instrumentos de avaliação. 7) Déficit cognitivo. Demências. 8) Instabilidade postural e quedas. 9) Imobilidade e úlceras de pressão. 10) Incontinência urinária e fecal. 11) Iatrogenia e farmacologia em geriatria. 12) Cardiologia – hipertensão arterial, sistêmica, arritmias, doença arterial periférica, doenças da carótida. 13) Aterosclerose. Fatores de risco cardiovascular. 14) Doenças cerebrovasculares – acidente vascular cerebral isquêmico/hemorrágico. 15) Síndromes parkinsonianas. Tremor essencial. Doença de Parkinson. 16) Pneumologia – pneumonias, doença pulmonar obstrutiva crônica e asma. Embolia pulmonar. Tuberculose. 17) Gastroenterologia – doenças do esôfago, gastrites, úlceras péptica e gástrica, doenças do fígado, doenças dos intestinos. 18) Urologia – hiperplasia prostática. Prostatite. Disfunção erétil. 19) Doenças osteoarticulares: osteoporose, osteomalácia, osteoartrose, artrite rematóide, doença de Paget. 20) Diabetes Mellitus. Doenças da tireóide. Síndrome plurimetabólica. Obesidade. 21) Neoplasias. 22) Doenças dermatológicas. 23) Anemias e doenças mieloproliferativas. 24) Nutrição. 25) Infecções e imunizações. 26) Cirurgia e anestesia. 27) Doenças dos órgãos dos sentidos. 28) Sono no idoso. 29) Reabilitação. 30) Equipe multidisciplinar, modalidades de atendimento. 31) Cuidados paliativos e ao final da vida. 32) Legislação geral.

Conteúdo 4: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, Jornais e Internet.

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- Affonso, Plácido - "Seja mais jovem aos 80 anos", Cidady Editora, São Paulo, 1967.

 - Bertachini, Luciana, et all - "Comunicação na Terceira Idade", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 483-489, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

- Costa, S.I.F. - "A Bioética Clínica e a Terceira Idade.", Soc. Brasileira de Bioética, Brasília, V. 1; n. 3, pp. 279-296, 2005, In: Revista Brasileira de Bioética.

 - Cursino Ferrari, Maria Auxiliadora - "Idosos muito idosos: reflexões e tendências", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 4, 467-471, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

 - Dutra, Naira, D., et all - "Programa de assistência domiciliar a idosos fragilizados como proposta de prevenção de negligência doméstica", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 26, v. 26, nº 24, 472-478, out / dez 2002, ISSN 0104-7809.

 - Faria, Carlos, C. - "A vida não tem idade: uma experiência a serviço da Gerontologia Social", Sta. Casa de Misericórdia de SP - Depto Geriatria, São Paulo , 1973.

 - Faria, Carlos, C. - "Velhice é preconceito", Sta. Casa de Misericórdia de SP - Dep. Geriatria, São Paulo, 1997.

 - Ferreira-Alves, J. et All - "Avaliação da discriminação social de pessoas idosas em Portugal.", AEPC, España, V.6; nº 1, pp. 65-77, 2006, In: International Journal of Clinical and Health Psychology.

 - Gaiarsa, José, A. - "Como enfrentar a velhice", Ed. Ícone, São Paulo, 1986.

 - Goldfarb, Delia, C. - "Corpo, tempo e envelhecimento", Ed. casa do Psicólogo, São Paulo, 1998.

 - Hayflick, Leonard - "Como e por que envelhecemos", Ed. Campus, Rio de Janeiro, 1997.

 - Moffatt, Alfredo - "Psicoterapia do Oprimido", Ed. Cortez, São Paulo, 1991.

 - Nicola, Pietro - "Geriatria", Ed. D.C. Luzzatto, Porto Alegre, 1986.

 - Oliveira, Érika A. de, Pasian, S. R., Jacquemin A. - "A Vivência Afetiva em Idosos", Conselho Federal de Psicologia, Brasília, ano XXI; nº 1, pp. 68-83, 2001, In: Rev. Psicologia Ciência e Profissão.

 - Olszewer, Efrain - "Como enfrentar a demência senil", Ed. Ícone, São Paulo, 1994

 - Rodrigues, Rosalina A.P., et all - "Quedas com idosas na comunidade - Estudo retrospectivo", Revista O Mundo da Saúde, Editora do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, ano 25, v. 25, nº 4, 420-424, out / dez 2001, ISSN 0104-7809.

 - Stoppe Jr., Alberto - "Terceira Idade - Combate à Depressão", Revista Viver Psicologia, Editora Segmento, São Paulo, ano XI, nº 119, 36-37, dezembro de 2002.

 - Torres, Ulysses, L. - "Na passarela do tempo", Ed. Nagy, São Paulo, 1981.

 - Zamlutti, Maria Esmeralda, M. - "O Mito da velhice assexuada", Ed. Maturidade, São Paulo, 1996.

MÉDICO GINECOLOGISTA e MÉDICO OBSTETRA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Específica: 1)Ginecologia. 2)Amenorréias. 3)Climatério. 4)Consulta ginecológica. 5)Doenças da mama. 6)Doenças sexualmente transmissíveis e SIDA. 7)Dor pélvica. 8) Endocrinopatia ginecológica. 9)Endometriose. 10)Ginecologia infanto-juvenil.11)Infecções genitais. 12)Neoplasias genitais. 13)Planejamento familiar. 14)Reproduçãohumana. 15)Sangramento genital.16) Sexologia. 17)Tensão pré-menstrual. 18) Uroginecologia. 19)Violência sexual. 20)Obstetrícia. 21)Abortamento. 22)Amamentação. 23)Assistência ao parto. 24)Assistência pré-natal. 25)Diabete gestacional. 26)Diagnóstico de gestação. 27)Doença hipertensiva. 28)Fórcipe e cesariana. 29)Gemelaridade. 30) Gestação de alto risco. 31)Gestação ectópica. 32)Incompatibilidade sangüínea materno-fetal. 33)Indução do parto. 34)Infecções. 35)Intercorrências clínico-cirúrgicas na gestação. 36)Medicina fetal. 37)Neoplasia trofoblástica. 39)Pós-maturidade. 40)Prematuridade. 41)Puerpério. 42)Ruptura prematura de membranas. 43)Sangramento do terceiro trimestre. 44)Semiologia obstétrica. 45)Uso de drogas durante a gestação e a amamentação. 46) Legislação geral.

|Conteúdo 4: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- DE CHERNEY. ALAN. PERNOLL. MARTIN. “Current – Obstetria & Gynecologia – Diagnosis & Treatment”. 8ª edição. Appleton & Lange.

- FREITAS, Fernando. COSTA, Sérgio H. Martins. RAMOS, José Geraldo Lopes e MAGALHÃES, José Antônio “Rotinas em Obstetrícia” , Porto Alegre, Artes Médicas.

- FREITAS, Fernando. MENKE, Carlos Henrique. RIVOIRE, Waldemar e PASSOS, Eduardo Pandolfi “Rotinas em Ginecologia”, Porto Alegre, Artes Médicas.

- MATTINGLY. RICHARD THOMPSON. JOHN. “Ginecologia Operatória – Telinde”. 6ª edição. Guanabara.

- SPEROFF, Leon. GLASS, Robert. KASE, Nathan. “Endocrinologia Ginecológica e Infertilidade”. 4ª edição. Manole Ltda.

MÉDICO INFECTOLOGISTA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Específico:

1) Infecções por vírus. 2) AIDS . 3) Infecções por bactérias. 4) Infecções por micobactérias. 5) Infecções por espiroquetas. 6) Infecções por fungos. 7) Infecções por protozoários. 8) Infecções por helmintos. 9) Infecções hospitalares. 10) Antibioticoterapia 11)Medicina baseada em evidências. 12) Legislação geral.

Conteúdo 4: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

-WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- “ HARRISON “Principles of internal medicine”. The McGraw Hill Companies, 2001. 15th edition.

- “Current Medical Diagnosis & Treatment 2004” McGraw-Hill/Appleton & Lange, 43rd edition.

- MANDEL, Douglas, and Bennet’s - “Principles and Practice of Infectious Diseases” . 5th Vol 1 e 2. Philadelphia. Churchill Livingstone, 2000.

- VERONESI - “Tratado de Infectologia”. Editores: Ricardo Veronesi e Roberto Focaccia. São Paulo: Atheneu, 1996

- Goldman, “Cecil Textbook of Medicine” W B Saunders, 22nd ed

- DUNCAN, Bruce. Schimidt, Maria Inês, GIUGLIANI, Elsa. “Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseada em evidência” – Artmed

- Wilson “Current Diagnosis & Treatment in Infectious Diseases” McGraw-Hill/Appleton & Lange, 1st ed

MÉDICO NEUROLOGISTA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Especíifico:

1)Diagnóstico Neurológico: Sindrômico, topográfico e etiológico. 2)Principais Síndromes Neurológicas. 3)Exames Complementares em Neurologia/Neurocirrurgia. 4)Principais Doenças Neurológicas: Malformações congênitas do SN. neoplasias do SN. traumas sobre o SN. doenças vasculares do SN. infecções do SN. epilepsia e estados convulsivos. doenças do desenvolvimento neuro-psicomotor. doenças do sistema extrapiramidal. doenças degenerativas do SN. doenças desmielinizantes do SN. doenças heredo-familiares do SN. neuropatias periféricas. doenças neuromusculares. manifestações neurológicas das doenças sistêmicas. Legislação geral.

Conteúdo 4 : Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

- WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- AMINOFF, Michael j.. GREENBERG, David A.. SIMON, Roger P. : Clinical Neurology. 3th ed. Stamford, Prentice Hall International.

- DEVINSKY, Orrin. FELDMANN, Edward. WEINREB, Herman J.. WILTERDINK, Janet L. Resident’s Neurology Book. Philadelphia, F.A. Davis Company.

- HOPKINS, Anthony. Clinical Neurology – A Modern Approach. Oxford, Oxford University Press.

- LINDSAY, Kenneth W. & BONE, Ian. Neurology and Neurosurgery Illustrated. 3th ed. Bath, Churchill Livingstone.

- GREENBERG, Mark S., Manual de Neurocirurgia; 5 ed. Porto Alegre: Artmed (tradução de: Handbook of Neurosurgery)

- MARSDEN, C. David & FOWLER, Timothy J. Clinical Neurology. 2tªed., New York, Arnold.

- WESTMORELAND, Barbara F.. BENARROCH, Eduardo E.. DAUBE, Jasper R.. REGAN, Thomas J.. SANDOK, Burton A. Medical Neurosciences. 3th ed., Rochester, Little Brown.

MÉDICO OTORRINOLARINGOLOGISTA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Específico:

1) Anatomia, fisiologia e avaliação da orelha, vias auditivas e equilíbrio. 2) Patologias de orelha externa, média e interna. 3) Neoplasias malignas de orelha externa, média e interna. 4) Anatomia e avaliação do VII e VIII pares cranianos. 5) Patologias do VII e VIII pares cranianos craniano. 6) Anatomia, fisiologia e avaliação do nariz e seios da face. 7) Patologias benignas do nariz e seios da face. 8) Neoplasias malignas do nariz e seios da face. 9) Anatomia, fisiologia e avaliação da cavidade oral, faringe, laringe e anel de Waldayer. 10) Patologias benignas de cavidade oral, faringe, laringe e anel de Waldayer. 11) Neoplasias malignas de cavidade oral, faringe, laringe e anel de Waldayer. 12) Traqueostomia. 13) Legislação geral.

Conteúdo 4: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, Jornais e Internet.

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

-WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- PAPARELLA, Schmrick. “Otolaryngology”

- COSTA, Cruz & Oliveira “Otorrinolaringologia: princípios e práticas.” Artes Médicas, 1994.

- CRUZ & COSTA. “Otologia Clínica e Cirúrgica.” Revinter, 1999.

- HUNGRIA. “Otorrinolaringologia” Guanabara Koogan, 2000

- CAMPOS, COSTA. “Tratado de Otorrinolaringologia – Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia” Roca, 2002. Volumes 1 a 5.

MÉDICO PEDIATRA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Específico:

1)Assistência ao recém-nascido de baixo peso. 2) Distúrbios metabólicos do recém-nascido. 3) Distúrbios respiratórios do recém-nascido. 4) Icterícia neonatal. 5) Infecções neonatais. 6) Lesões ao nascimento: asfixia neonatal, hemorragia intracraniana, luxações e fraturas. 7) Triagem neonatal: erros inatos do metabolismo. 8)Aleitamento materno. 9) Avaliação do crescimento e do desenvolvimento normais. 10)Imunizações. 11) Nutrição do lactente, da criança e do adolescente. 12)Prevenção de trauma. 13)Anemias. 14)Asma brônquica. 15)Constipação. 16) Convulsão. 17) Desidratação e terapia de reidratação oral. 18)diabete melito. 19) Diarréias . 20) Distúrbios nutricionais. 21) Doenças infectocontagiosas. 22) Enurese noturna. 23) Fibrose cística. 24) Glomerulonefrite difusa aguda. 25)Hepatites. 26)Hiperatividade. 27)Infecção urinária. 28)Infecções de vias aéreas superiores e inferiores. 29)Infecções do sistema nervoso central. 30)Insuficiência cardíaca. 31)Leucemia linfocítica aguda. 32)Parasitoses. 33)Problemas dermatológicos mais comuns. 34)Problemas ortopédicos mais comuns. 35)Raquitismo. 36)Refluxo gastroesofágico. 37)Sepse. 38)Sibilância do lactente (“lactente chiador”). 39)SIDA / infecção pelo HIV. 40)Síndrome da criança mal-tratada. 41) Síndrome da morte súbita da criança. 42)Síndrome nefrótica/nefrítica. 43)Manejo inicial de: Aspiração de corpo estranho, intoxicações agudas, queimaduras e afogamento. 44) Ressuscitação cardiorrespiratória: Suporte básico. 45) Transplantes em pediatria: princípios básicos e doação de órgãos. 46) Legislação geral.

Conteúdo 4: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

-WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- PITREZ, José Luiz Bohrer. PITREZ, Márcio Condessa e Colaboradores. “Pediatria Consulta Rápida” – Artmed

- NELSON “Tratado de Pediatria” – Guanabara Koogan SA.

- MIURA, Ernani. PROCIANOY, Renato e colaboradores. “Neonatologia”. Artes Médicas.

- DUNCAN, Bruce. Schimidt, Maria Inês, GIUGLIANI, Elsa. “Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseada em evidência” – Artmed

MÉDICO PSIQUIATRA

Conteúdo 1 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 2 - Específico:

1)Medicamentos: Informações Básicas. 2)Efeitos Colaterais e seu Manejo. 3) Tratamentos Farmacológicos: Algoritmos. 4) Fundamentos Psicanalíticos: Teoria e Psicopatologia. 5) Delirium, Demência, Transtorno Amnéstico. 6) Transtornos Relacionados a Substâncias. 7) Esquizofrenia. 8) Outros Transtornos Psicóticos. 9) Transtornos de Humor. 10) Transtornos de Ansiedade. 11) Transtornos Alimentares. 12) Transtorno de Déficit de Atenção. 13) Legislação ref. Reforma psiquiátrica. 14) Legislação geral.

Conteúdo 3: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº. 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Lei Estadual nº. 9716/92 – dispõe sobre a reforma psiquiátrica do RS.

- Revistas, jornais e Internet.

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- Lei Estadual n° 9.716 de 07 de agosto de 1992 – Dispõe sobre a Reforma Psiquiátrica no RS.

- KAPLAN, Harold I. SADOCK, Benjamin J., “Compêndio de Psiquiatra”, Artmed, Porto Alegre.

- CARDIOLI, Aristides Volpato, “psicofármacos”, Artmed, 2005, Porto Alegre.

- ZIMERMAN, David, “Fundamentos Psicanalíticos”, Artmed, Porto Alegre.

- CIDX – “Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento” Coordenação Organização Mundial da Saúde, Artmed, , Porto Alegre.

MÉDICO UROLOGISTA/NEFROLOGISTA

Conteúdo 1 - Medicina Geral:

1) Doenças do Aparelho Cardiovascular.2) Doenças do Aparelho Respiratório. 3) Pneumonias.4) Transfusões de sangue e derivados. 5) Doenças do Tecido Conjuntivo e Musculoesqueléticas. 6) Afecções Doenças do Aparelho Digestivo. 7) Doenças Renais e do Trato Urinário. 8) Doenças Endócrinas e do Metabolismo. 9) Doenças Hematológicas e Oncológicas 10) Doenças Neurológicas. 11) Doenças Psiquiátricas. 12) Doenças Infecciosas. 13) Doenças Dermatológicas. 14) Doenças Oculares. 15) Doenças do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrícia.

Conteúdo 2 - Legislação e Saúde Pública:

1)Organização de Sistemas de Serviços de Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Saúde da Família (PSF). 2) Atenção Primária à Saúde (APS). 3) Prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças/problemas freqüentes: diabete, infecções de vias aéreas, hipertensão, depressão, ansiedade, infecções urinárias, gastroenterite, doenças sexualmente transmissíveis. 4) Identificação e abordagem de riscos para morbi-mortalidade em doenças freqüentes. 5) Imunizações. 6) Saúde da Criança: aleitamento materno, desnutrição, gastroenterite aguda, infecções respiratórias agudas. 7) O papel da educação em saúde nos diferentes níveis de intervenção do processo saúde-doença: a) promoção da saúde. B) prevenção de doenças. C) tratamento. D) recuperação – Prevenção em traumas no trânsito e por violência interpessoal. 8) Prevenção nas doenças ocupacionais. 9) Princípios da medicina geriátrica. 10) Uso de drogas (tabaco, álcool, maconha, cocaína, sedativos e excitantes do SNC, alucinógenos). 11) Sistema de registro, notificações de doenças, atestados. 12) Vigilância epidemiológica. 13) Vigilância sanitária. 14) Epidemiologia. 15) Bases clínico-epidemiológicas das condutas médicas. 16) Medidas de freqüência de doenças, medidas de associação. 17) Rastreamento de doenças. 18) Testes Diagnósticos: Sensibilidade e especificidade. 19) Delineamentos de pesquisas. 20) Identificação e/ou controle de erros aleatórios e sistemáticos em pesquisa epidemiológica. 21) Validação. 22)Principais indicadores da saúde da população brasileira. 23) Ética Profissional.

Conteúdo 3 - Específico:

1) Avaliação de rins, vias urinárias e função renal. 2) Diálise e transplante renal. 3) Alterações vasculares renais. 4) Nefrolitíase. 5) Obstrução de vias urinárias. 6) Doenças benignas da próstata. 7) Neoplasias de rins, vias urinárias e próstata. 8) Outras alterações cirúrgicas das vias urinárias.

Conteúdo 4: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- CURRENT Medical Diagnosis (Treatment. 2003, Forty - Second Edition. Ed. McGraw Hill.

- DUNCAN, Bruce Bartholow; SCHMIDT, Maria Inês; GIUGLIANI, Elsa. “Medicina Ambulatorial - Condutas clínicas em atenção primária. POA, Artes Médicas.

- HARRISON, Fauci, Brauwald et al.”Medicina Interna”, Mc Graw Hill.

- SOUZA, Carlos Eduardo Leivas. “Medicina Interna: do Diagnóstico”. POA, Artes Médicas.

-WYNGAARDEN, James V., M.D. e Lloyd H. Smith. Jr, M.D. “Cecil Tratado de Medicina Interna”, Interamericana

- FLETCHER, Robert, FLETCHER, Suzane W, WAGNER, Edward H. . “Epidemiologia clínica: elementos essenciais” – Artmed

- FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – Brasil: Ministério da Saúde – “Saúde dentro de casa: programa de saúde da família”

- GOULART, Flávio A. de Andrade (org.). Os médicos e a saúde no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

- PEREIRA, MG. Epidemiologia: Teoria e Prática, 3ª ed. Porto Alegre: Guanabara Koogan.

- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de janeiro: Fiocruz.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS - Doutrinas e Princípios. Brasília, 1990.

- Código de Ética Profissional

- CAMPBELL’S, “Urology”, Editora Saunders Company.

- GLENN, James F. “Cirurgia Urológica”, Editora Salvat.

PSICÓLOGO

Conteúdo 1 - Específico:

Psicopatologia da criança, adolescente e adulto. 2) Psicologia do desenvolvimento. 3) Psicodinâmica do indivíduo e do grupo. 4) As principais teorias e autores da psicologia clínica. 5) Abordagens psicoterápicas. 6) O processo psicodiagnóstico. 7) Psicologia do trabalho. 8) Psicologia Escolar. 9) Psicologia Social. 10) Estatuto da Criança e do Adolescente. 11) Ética profissional. 12) Legislação geral.

Conteúdo 2: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente;

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- Lei Estadual n.° 9.716, de 07 de agosto de 1992 – dispõe sobre a reforma psiquiátrica do RS

- Lei Federal n.° 10.216, de l6 de abril de 2001 (Reforma Psiquiátrica)

- Resolução 145 de 15.10.2004 - Aprovado CNAS - Nova Política de Assistência Social/Novembro/2004 ;

- Lei 8.742, de 07.12.1993 - LOAS/2003;

- Lei 10.741, de 01.10.2003 - Estatuto do Idoso;

- NOB/SUAS – Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social, aprovado pela Resolução 130, de 15.07.2005 – CNAS

- Lei 10.257, de 10.07.2001 – Estatuto das Cidades

- AGUIAR, Maria Aparecida Ferreira de. Psicologia aplicada à administração: uma abordagem interdisciplinar. São Paulo : Saraiva, 2005. 

- AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-IV-TR). 4 edição revisada e ampliada. Porto Alegre: Artmed, 2002 

- BANDURA, A. Modificação do Comportamento. Rio de Janeiro: Interamericana, 1979.

- BEE, Helen. A criança em desenvolvimento. 9. ed. Porto Alegre : Artmed, 2003

- CORDIOLI, Aristides. V. “Psicoterapias” Artmed Porto Alegre, 2° edição, 1998

- CUNHA, Jurema Alcides. Psicodiagnóstico -V. 5 ed revisada e ampliada. Porto Alegre: Artmed, 2000.

- DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho : estudo de psicopatologia do trabalho. 5. ed.ampl. São Paulo: Cortez, 2002.

- DELL”AGLIO, Débora; KOLLER, Silvia H; Yunes, Maria A. MATTA. Resiliência e Psicologia Positiva: Interfaces do Risco à Proteção. São Paulo: casa do Psicólogo, 2006- GABBARD, Glen O. “Psiquiatria Psicodinâmica na prática clínica”. Artmed. P.Alegre. 1992

- GIL, Anônio. C. Método e Técnicas de Pesquisa Social, 5ªEd. São Paulo, Atlas, 1999

- GUARESCHI, Pedrinho A. Psicologia social crítica: como prática de libertação. 3ªed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

- HALL, Calvin S., LINDSEY, Gardner e CAMPBELL, John B. Teorias da Personalidade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- JACQUES, Maria da Graça Corrêa et al. Psicologia social contemporânea. 8. ed. Petrópolis : Vozes, 2003. 

- MINAYO, Maria Cecília de Souza & DESLANDES, Suely Ferreira. Caminhos do Pensamento: Epistemologia e Método. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2002.

- NASCIMENTO, Célia A. Trevisi do Org. et al. Psicologia e políticas públicas: experiências em saúde pública. Porto Alegre : CRP, 2004

- OSORIO, Luiz Carlos. Psicologia grupal: uma nova disciplina para o advento de uma era. Porto Alegre : Artmed, 2003.

- OUTEIRAL, J. Adolescer. R.J.HUCITEC, 2003.

- ROMANO, Wilma Bellkiss. Princípios para a prática da psicologia clínica em hospitais. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999

- SUKIENNIK, Paulo Berél Org.O aluno problema : transtornos emocionais de crianças e adolescentes. 2. ed. Porto Alegre : Mercado Aberto, 2000.

- STRAUB, Richard O.. Psicologia da saúde. Porto Alegre: Artmed, 2005

- ZIMERMAN, David E. Psicanálise em perguntas e respostas: verdades, mitos e tabus. Porto Alegre: Artmed, 2005

- Estatuto da Criança e do Adolescente Lei nº 8.069/90

- Código de Ética Profissional

AGENTE FISCAL DE TRÂNSITO, ASSISTENTE ADMINISTRATIVO, ATENDENTE ESPECIAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL, EDUCADOR SOCIAL, FISCAL DE OBRAS, MONITOR DE ABRIGO TEMPORÁRIO, TÉCNICO EM TOPOGRAFIA e TÉCNICO EM ENFERMAGEM.

CONHECIMENTOS GERAIS:

Conteúdo 1: PORTUGUÊS - Comum a todos

LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

Conteúdo 2: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

Referências Bibliográficas

- Jornais, revistas e Internet.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

AGENTE FISCAL DE TRÂNSITO

Conteúdo:

Todo o conteúdo da bibliografia abaixo elencada. Legislação.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83).

- Lei nº 9.503/97.Código de Trânsito Brasileiro. Art. 24. Capítulo III - Normas de Circulação e Conduta. Capítulo VI – Da Educação para o Trânsito. Capítul VII - Sinalização de Trânsito. Capítulo IX, Seção II – Da Segurança dos Veículos. Capítulo XIII – Da condução de Escolares. Capítulo XIV – Da habilitação. Capítulo XV – Das infrações. Capítulo XVII – Das medidas administrativas. Anexo I – Dos conceitos e definições.

- Resolução nº 160, de 22.04.2004 – Aprova o Anexo II do Código de Trânsito Brasileiro;

- Resolução nº 168, de 14.12.2004 – Normas e Procedimentos para formação de condutores de veículos automotores e dá outras providências.

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Conteúdo 1 – Específico:

1) Administração pública. 2) Poderes Administrativos. 3) Atos Administrativos. 4) Licitações 5) Contratos Administrativos. 6) Serviços Públicos. 7) Servidores Públicos. 8) Responsabilidade Civil da Administração. 9) Controle Da Administração. 10) Correspondência Oficial. 11) Redação Oficial. 12) Formas De Tratamento. 13) Expressões e Vocábulos Latinos de uso freqüente nas Comunicações Administrativas Oficiais. 14) Modelos e/ou Documentos utilizados.15) Legislação.

Referências Bibliográficas:

- CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais – Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado – Art. 29 a 41 e Art. 59 a 83. Da Organização dos Poderes – Art. 44 a 75)

- BRASIL. “Lei Complementar 101/2000” – Lei de responsabilidade na gestão fiscal.

- BRASIL. Lei Federal 8.666/93 e suas alterações

- Lei Orgânica Municipal e alterações.

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

- DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella "Direito Administrativo" Atlas S.A.

- MARTINS, Ives Gandra da Silva e Outro. ”Comentários à Lei de Responsabilidade Fiscal”. – São Paulo: Saraiva.

- MEIRELLES, Hely Lopes. “Direito Administrativo Brasileiro”. Malheiros Editores.

- MELLO, Celso Antônio Bandeira de. “Curso de Direito Administrativo”. Malheiros Editores.

- Outros manuais, livros e apostilas com os conteúdos indicados.

Conteúdo 2 – Informática:

1) Periféricos de um Computador. 2) Hardware. 3) Software. 4) Utilização do Sistema Operacional Windows 9x / Me / XP. 5) Configurações Básicas do Windows 9x / Me / XP. 6) Aplicativos Básicos (bloco de notas, calculadora, Paint, WordPad). 7) Aplicativos do Pacote Office 2000 ou XP(Word, Excel, Access, PowerPoint). 8) Configuração de Impressoras. 9) Noções básicas de Internet. 10) Noções básicas de Correio Eletrônico.

Referências Bibliográficas:

- BRAGA, William Cesar. Microsoft Windows XP, Rio de Janeiro: Alta Books, 2002

- MANZANO, José Augusto & MANZANO, André Luiz, Estudo Dirigido de Windows Millennium. São Paulo: Érica, 2001.

- MICROSOFT PRESS, Dicionário de Informática. Tradução de Valeria Chamon. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

- OLIVEIRA, Jair Figueiredo de Sistema de Informação versus Tecnologia da Informação: um impasse empresarial. 1.ed. São Paulo: Erica, 2004

- SILVA, Mário. Terminologia Básica: Windows XP: Word XP: Excel XP. São Paulo: Érica, 2002.

- VELLOSO, F.DE C. Informática: conceitos básicos. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

- Manuais de referência do Pacote Office e ajuda on-line (help)

ATENDENTE ESPECIAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL

Conteúdo:

1. Lei de Diretrizes e Bases da Educação.2. Diretrizes Nacionais da Educação Infantil. 3) Estatuto da Criança e do Adolescente. 4) Questionamentos sobre: Cuidados e atenção com crianças. 5) Higiene: a) Importância. b) Higiene física. c) Mental e social. d) A higiene e a saúde. e) Hábitos de higiene. 6)Infância, Cultura e Pedagogia; 7) -A Inserção escolar - relações entre família e escola.

Referências Bibliográficas:

- Lei nº 9.394/96 e alterações. LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO - LDB.

- Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente;

- DIRETRIZES NACIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

- ABRAMOWICZ, Anete; WASJSKOP, Gisela. “Educação Infantil: Creches - atividades para crianças de zero a seis anos”. São Paulo: Moderna, 1999.

- CRAYDY, Maria; Kaerccher, Gládis Elise P. da Silva. “Educação Infantil: pra que te quero?”. Porto Alegre: Artmed, 2001.

- GOWDAK, Demétrio – “Ciências Natureza e Vida “ – 7ª série – FTD

- GOWDAK, Demétrio – “Ciências Natureza e Vida “ – 7ª série – FTD

- ZABALZA,Miguel A. “Qualidade em Educação Infantil”. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

EDUCADOR SOCIAL

Conteúdo 1 - Legislação:

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11; Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado – Art. 29 a 41; Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83; Da Ordem social - Art. 205 a 232).

- Lei nº 8.069/90. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE – ECA.

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137).

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

- Resolução 145 de 15.10.2004 - Aprovado CNAS - Nova Política de Assistência Social/Novembro/2004 ;

- Lei 8.742, de 07.12.1993 - LOAS/2003;

- Lei 10.741, de 01.10.2003 - Estatuto do Idoso;

- NOB/SUAS – Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social, aprovado pela Resolução 130, de 15.07.2005 – CNAS

- Lei 10.257, de 10.07.2001- Estatuto das Cidades

Conteúdo 2 - Específico:

1) Infância, Cultura e Pedagogia. 2) Teóricos da Educação e Teorias de Aprendizagem. 3) Educação Infantil no cenário mundial. 5) Desenvolvimento Infantil. 6) A Inserção escolar - relações entre família e escola. 7) Organização do tempo e espaço físico na escola infantil. 8) Currículo Escolar. 9) Educação Popular.

Referências Bibliográficas:

- ARIÉS, Phillipe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara,1981.

- BUJES, Maria Isabel Edelweis. Infância e Maquinarias. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

- CRAYDY, Maria; Kaerccher, Gládis Elise P. da Silva. Educação Infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

- DEVRIES, Retha; ZAN, Betty. A ética na Educação Infantil: o ambiente sócio moral na escola”. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra.

- GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

- HERNÁNDEZ, Fernando; Ventura. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- MOSS, Peter; DAHLBERG, Gunilla; PENCE, Alan. Qualidade na Educação da Primeira Infância perspectivas pós-modernas. Porto Alegre: Artmed, 2003.

- REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis: Vozes, 2002.

FISCAL DE OBRAS

- BRASIL “Constituição da República Federativa do Brasil” - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais – Art. 5° a 11. Da Organização do Estado – Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes – Art. 59 a 83. Da Tributação e Orçamento/Da Ordem Econômica e Financeira – Art. 145 a 183)

- BRASIL “Código Tributário Nacional” (Artigos 1° ao 16 e Artigos 96 ao 182).

- Lei nº 0096/83 -Código Tributário Municipal.

- Código de Posturas do Município - Lei nº 278/75 e 064/83.

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137; Art. 151 a 161).

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

MONITOR DE ABRIGO TEMPORÁRIO

Conteúdo 1 - Específico:

1) Relações entre família e escola. 2) Adolescência. 3) Questionamentos sobre: Cuidados e atenção com crianças, adolescentes e adultos. 4) O Corpo Humano: Noções gerais. 5) Nutrição: Noções gerais. 6) Alimentação: a) Função dos alimentos. b) Alimentação equilibrada. c) Doenças causadas pela fome. d) Conservação dos alimentos. 7)Higiene: a) Importância. b) Higiene física. c) Mental e social. d) A higiene e a saúde. e) Hábitos de higiene. 8)Estatuto da Criança e do Adolescente e do Idoso. 9) Legislação.

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90.

- Resolução 145 de 15.10.2004 - Aprovado CNAS - Nova Política de Assistência Social/Novembro/2004 ;

– Lei 8.742, de 07.12.1993 - LOAS/2003;

- Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente;

- Lei 10.741, de 01.10.2003 - Estatuto do Idoso;

- NOB/SUAS – Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social, aprovado pela Resolução 130, de 15.07.2005 – CNAS

- Lei n° 10.257/22001, de 10 de julho de 2001 – Estatuto das Cidades

- Lei Orgânica do Município e alterações. (Art. 119 a 137; Art.207 a 213; Art. 177 a 180).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações - Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores do Município.

- Revistas, jornais e Internet.

- Decreto nº 3298 - Estatuto das pessoas com deficiência (DOU de 21 de dezembro de 1999).

- Lei Complementar 004/05 - Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

- GOWDAK, Demétrio – “Ciências Natureza e Vida “ – 7ª série – FTD

- OUTEIRAL, J. Adolescer. R.J.HUCITEC, 2003

- PEREIRA, Denise Zimpek e outros “Criando crianças”. Editora Magister

- Livros e Manuais sobre os conteúdos acima.

TÉCNICO EM TOPOGRAFIA

Conteúdos 1 : Todo o conteúdo da bibliografia abaixo. Legislação.

Referências Bibliográficas:

- BAPTISTA, Cyro de F. Nogueira. "Pavimentação". POA. Globo.

- BORGES, Alberto de Campos. "Topografia". Vol I e II. SP. Edgar Blucher.

- CAMPOS, Raphael do Amaral. “Projetos de Estradas”. SP. G. Politécnico.

- SENÇO, Wlastermiler de. “Pavimentação”. SP. G. Politécnico.

- SOUZA, José Octávio de. “Agrimensura”. SP. Nobel.

- SPARTEL, Lélis. “Curso de topografia”. POA. Globo.

- Código de Posturas do Município - Lei nº 278/75 e 064/83.

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137).

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

Conteúdo 2 - Informática:

a) Periféricos de um Computador. b) Hardware. c) Software. d) Utilização do Sistema Operacional Windows 9x / Me / XP. e) Configurações Básicas do Windows 9x / Me / XP. f) Aplicativos Básicos (bloco de notas, calculadora, Paint, WordPad). g) Aplicativos do Pacote Office 2000 ou XP(Word, Excel, Access, PowerPoint). h) Configuração de Impressoras. i) Noções básicas de Internet. j) Noções básicas de Correio Eletrônico. l)Conhecimentos gerais em AutoCAD 2000 e 2004. 10) Legislação

Referências Bibliográficas:

- MANZANO, José Augusto & MANZANO, André Luiz, Estudo Dirigido de Windows Millennium. São Paulo: Érica, 2001.

- MATSUMOTO, Élia Yathie. AutoCAD 2004:Fundamentos. São Paulo:Érica, 2003

- MICROSOFT PRESS, Dicionário de Informática. Tradução de Valeria Chamon. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

- OMURA, George. “Dominando o Auto CAD 2000”, LTC Editora.SILVA, Mário. Terminologia Básica: Windows XP: Word XP: Excel XP. São Paulo: Érica, 2002.

- VELLOSO, F.DE C. Informática: conceitos básicos. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

- Manuais de referência do Pacote Office e ajuda on-line (help)

TÉCNICO EM ENFERMAGEM

Conteúdo Específico:

1) Legislação. 2) Direitos da criança e do adolescente. 3) Noções de anatomia. 4) Relações humanas no trabalho: equipe de trabalho e pacientes. 5) Noções de microbiologia: infecção e desinfecção. 6) Esterilização de materiais. 7) Preparo e manuseio de materiais para procedimentos. 8) Medidas de conforto: a) Preparo do leito, b) Movimentação, c) Transporte e higiene do paciente. 9) Alimentação do adulto e da criança: a) Dietas, b) Administração. 10) Preparo do paciente para exames e cirurgias: assistência a exames diversos. 11) Assistência aos pacientes nas eliminações. 12) Coleta de exames. 13) Verificação de sinais vitais. 14) Aplicação de calor e frio. 15) Administração de medicamentos: dosagens e aplicação. 16) Hidratação. 17) Curativos. 18) Sondagens. 19) Cuidados no pré, trans e pós operatório. 20) Prevenção de acidentes. 21) Primeiros socorros. 22) Assistência no pré-natal. 23) Doenças comuns na infância. 24) Programas saúde pública. 25)Imunizações. 26) Preparo do corpo após a morte. 27) Procedimentos em clínica cirúrgica: a) obstétrica, b) pediátrica, c) centro cirúrgico e outros procedimentos de acordo com as atribuições do profissional. 28) Prevenção e controle das infecções hospitalares.

Referências Bibliográficas

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11. Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado - Art. 29 a 41. Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204).

- MUNICIPALIZAÇÃO DA SAÚDE - SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Lei nº 8080/90 e Lei nº 8142/90

- Estatuto da Criança e do Adolescente Lei nº 8.069/90.

- LEI DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL: Lei nº 7498, de 1986 e suas alterações e Decreto nº 94406/87.

- Resolução COFEN 240/2000 - Código de Ética de Enfermagem.

- Resolução COFEN nº 195/97.

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137).

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

- BOLICK, Dianna e outros, “Segurança e Controle de Infecção”. Rio de Janeiro, Reichmann & Affonso Editores,

- LIMA, Idelmina Lopes de e outros, “Manual do Técnico e Auxiliar de Enfermagem”. Goiânia, Editora AB

- MARDONDES, Ayrton César. “Programas de Saúde (2º Grau) ”. Volume Único - Atual Editora, SP.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE – Fundação Nacional de Saúde “Manual de Normas de Vacinação”

- MINISTÉRIO DA SAÚDE, “Portaria no 2616 de 12 de maio 1998”. Dispõe sobre prevenção e controle das infecções hospitalares.

- SOARES, José Luis. “Programas de Saúde”. Editora Scipione, SP.

- VEIGA, Deborah de Azevedo. CROSSETTI, Maria da Graça Oliveira “Manual de Técnicas de Enfermagem”, Sagra-DC Luzzatto Editores.

PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES INICIAIS, PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS (todos) e EDUCADOR ESPECIAL DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E ESPORTE.

CONHECIMENTOS GERAIS:

PORTUGUÊS – Comum a todos

Conteúdo 1:

LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

LEGISLAÇÃO/ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE ENSINO – Comum a todos os CARGOS DE PROFESSOR e EDUCADOR ESPECIAL

Referências Bibliográficas:

- BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Garantias Fundamentais - Art. 5° a 11; Da nacionalidade – Art. 12 e 13. Da Organização do Estado – Art. 29 a 41; Da Organização dos Poderes - Art. 59 a 83; Da Ordem social - Art. 205 a 232).

- Lei nº 8.069/90. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - ECA.

- Lei nº 9.394/96 e alterações. LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO - LDB.

- Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental;

- Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação de Jovens e Adultos;

- Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil;

- Diretrizes Nacionais para Educação Especial na Educação Básica.

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137; Art. 181 a 201).

- Lei Complementar nº 004/95 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

- Lei Municipal nº 1200/2003 – Plano de Carreira do Magistério Municipal

Para PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES INICIAIS

DIDÁTICA/ CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Conteúdo :

1) Infância, Cultura e Pedagogia. 2) Educação e Sociedade. 3) Bases filosóficas, psicológicas e sociológicas da educação. 4) Teóricos da Educação e Teorias de Aprendizagem. 5) Currículo Escolar. 6) Organização do Ensino. 7) Didática e a Prática Educativa. 8) Planejamento na Prática Educativa. 9) Projetos de Ensino. 10) Alfabetização e Letramento. 11) Avaliação e Fracasso Escolar. 12) Inclusão Escolar. 13) Educação Popular.

Referências Bibliográficas:

- ARIÉS, Phillipe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara, 1981.

- CHARTIER, Anne Marie; CLESSE, Chistiane; HÉRBRAD, Jean. Ler e Escrever: entrando no mundo da escrita. Porto

- Alegre: Artes Médicas, 1996.

- BECKER, Fernando et alli. Aprendizagem e Conhecimento Escolar. Pelotas: EDUCAT, 2002.

- BUJES, Maria Isabel Edelweis. Infância e Maquinarias. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

- COSTA, Márcia Rosa; POOLI, João Paulo. Educação e Contemporaneidade: A Gestão da Escola e os Projetos Político-Pedagógicos. Canoas: ULBRA, 2002.

- DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo, Cortez, 1999.

- DOLLE, Jean Marie. Para compreender Jean Piaget: uma iniciação à psicologia genética Piagetiana. Rio de Janeiro:

- Guanabara Koogan S.A.

- ELIAS, Marisa Del Coppo. Célestin Freinet: uma pedagogia de atividade e cooperação. Petrópolis: Vozes, 2002.

- ESTEBAN, Maria Teresa. Avaliação uma prática em busca de novos sentidos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

- FISCHER, Nilton B. Educação e classes populares. Porto Alegre: Mediação.

- FERREIRO, Emília; TEBEROSKI, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre: Artes Médicas.

- FERREIRO, Emília. Reflexões sobre Alfabetização. São Paulo: Cortez.

- FERREIRO, Emília. Cultura, Escrita e Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.

- FRANCO, Sérgio. O Construtivismo e a Educação. GAP.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Paz e Terra.

- FREIRE, Paulo. A Educação na Cidade. São Paulo: Cortez, 2000.

- GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

- HERNÁNDEZ, Fernando; Ventura. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artemed, 1998.

- HOFFMANN, Jussara. Avaliação Mediadora: Educação e Realidade. Porto Alegre: Mediação, 1999.

- LANDSMANN, Liliana T. Aprendizagem da Linguagem Escrita: processos evolutivos e implicações didáticas. São Paulo: Ática, 1995.

- MOLL, Jaqueline. Alfabetização Possível. Porto Alegre: Mediação, 1996.

- PARO, Vitor Henrique. Gestão Democrática da escola Pública. São Paulo: Ática, 2002.

- RANGEL, Annamaria P. Construtivismo: apontando falsas verdades. Porto Alegre: Mediação, 2002.

- REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis: Vozes, 2002.

- SAVIANI, Nereide. Saber escolar, currículo e didática: problemas de unidade conteúdo/método no processo pedagógico. São Paulo: Autores Associados, 1998.

- SKLIAR, Carlos (org). Educação e Exclusão: Abordagens Sócio-antropológicas em Educação Especial. Porto Alegre: Mediação, 1997.

- SACRISTÁN, J. Gimeno; GOMEZ, A. I. Peres. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

- VASCONCELOS, Celso dos santos. Avaliação da aprendizagem. São Paulo: Liberta.

- XAVIER, Maria Luisa M.; DALLA ZEN, Maria Isabel H. O Ensino nas Séries iniciais: das concepções Teóricas às Metodologias. Porto Alegre: Mediação, 1997.

- ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

- SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão/construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

- STAINBACK, Susan; STAINBACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M. Educação especial: em direção à escola inclusiva. Porto Alegre: DIPUCRS, 2003.

Para PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS (todos) e EDUCADOR ESPECIAL

DIDÁTICA – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - Comum a todos

Conteúdo:

1) Educação e Sociedade. 2) Bases filosóficas, psicológicas e sociológicas da educação. 3) Teóricos da Educação eTeorias de Aprendizagem. 4) Currículo. 5) Planejamento na Prática Educativa. 6) Papel do Professor. 7) Avaliação e Fracasso Escolar. 8) Educação Popular 9) Educação Inclusiva.

Referências Bibliográficas:

- ALVAREZ, Mendez, J. M. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artes Médicas.

- BECKER, Fernando et alli. Aprendizagem e Conhecimento Escolar. Pelotas: EDUCAT, 2002.

- DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 1999.

- DOLLE, Jean Marie. Para compreender Jean Piaget: Uma iniciação à psicologia genética Piagetiana. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A.

- FISCHER, Nilton B. Educação e Classes Populares. Porto Alegre: Mediação.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra, 1996.

- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Paz e Terra,1987.

- GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

- HARGREAVES, Andy; EARL, Lorna; RYAN, Jim. Educação para a mudança: recriando a escola para adolescentes. Porto Alegre: Artmed, 2001. 

- HOFFMANN, Jussara. Avaliação Mediadora. Educação e Realidade.

- MOREIRA, Marco Antonio. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

- MORIN; Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

- NEVES Iara Conceição (org.). Ler e Escrever: compromisso de todas as áreas. Porto Alegre: Universidade/UFRGS, 2001.

- OUTEIRAL, José O. Adolescer: Estudos sobre Adolescência. Porto Alegre: Ates médicas, 1994.

- PERRENOUD, Ph. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens-entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

- PERRENOUD, Philippe. Dez Novas Competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

- REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis: Vozes, 2002.

- SACRISTÁN, J. Gimeno; GOMEZ, A. I. Peres. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

- SALVADOR, César Coll. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

- SAVIANI, Nereide. Saber escolar, currículo e didática: problemas de unidade conteúdo/ método no processo pedagógico. São Paulo: Autores Associados, 1998.

- SEQUEIROS, Leandro. Educar para a Solidariedade. Porto alegre: Artes Médicas, 2000.

- SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

- VASCONCELOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem. São Paulo: Liberta, 1994.

- ZABALA, Antoni. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para currículo escolar. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

- SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão/construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

- STAINBACK, Susan; STAINBACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M. Educação especial: em direção à escola inclusiva. Porto Alegre: DIPUCRS, 2003.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS – CIÊNCIAS

Conteúdo:

5) Relações entre o Ensino das Ciências e a concepção de Ciência: a história do desenvolvimento e construção do conhecimento científico, tecnológico, seus procedimentos metodológicos e suas influências no Ensino das Ciências. 6) Metodologias no Ensino das Ciências e a organização da prática educativa. 7) Abordagens contextualizadas com enfoque interdisciplinar de questões polêmicas contemporâneas relacionadas às discussões de desequilíbrios ambientais e ecológicos, de qualidade de vida, de saúde pública, das relações entre tecnologia e sociedade e de outras questões recorrentes às ciências, amplamente veiculadas pelos meios de divulgação científica e comunicação social. 8) Parâmetros Curriculares Nacionais.

Referências Bibliográficas:

- AMABIS, J. M. e MARTHO, G. R. Fundamentos da Biologia Moderna. São Paulo: Moderna, 1994.

- FELTRE, Ricardo. Química. v. 1, 2 e 3. Moderna.

- MORIN, E. Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez, 2002.

- PERRENOUD, P. Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

- REVISTA CIÊNCIA HOJE - SBPC (Sociedade Brasileira para o progresso da Ciência).

- SONCINI, M.; CASTILHO JR., M. Biologia. Coleção Magistério, 2º grau, Série Formação do Professor, São Paulo: Cortez, 1991.

- WEISSMANN, H. A didática das ciências naturais: contribuições e reflexões. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : Ciências Naturais / Secretaria de Educação Fundamental. . Brasília : MEC / SEF, 1998.

EDUCADOR ESPECIAL

Conteúdo:

- Todo o conteúdo da bibliografia abaixo.

Referências Bibliográficas:

- CARVALHO, Rosita Edler. Removendo barreiras para a aprendizagem: educação inclusiva. Porto Alegre: Mediação, 2000.

- COLL, César et al. Necessidades Educativas Especiais e Aprendizagem Escolar. v.3 Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

- COLL, C.; MARCHESI, A.; PALACIOS J. Desenvolvimento psicológico e educação. Trad. Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2004.

- FONSECA, Vítor da. Educação especial. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

______. Tendências futuras da Educação Inclusiva. In: STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M. Educação Especial: em direção à escola inclusiva. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

- GAIO, Roberta; MENEGHETTI, Rosa G. Krob (Org.). Caminhos da Educação Especial no Brasil. In: Caminhos Pedagógicos da educação especial. Petrópolis: Vozes, 2004.

- MAZZOTTA, Marcos José. Educação Especial no Brasil: histórias e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 1999.

- MEC/CENESP. Princípios básicos da Educação Especial. Brasília: MEC/CENESP, 1994.

- MEC - MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. Legislação educação especial. Disponível em: <www.mec.gov.br/seesp>. Acesso em: 08 nov. 2004a.

- SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão/construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

- STAINBACK, Susan; STAINBACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

- STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M. Educação especial: em direção à escola inclusiva. Porto Alegre: DIPUCRS, 2003.

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS – EDUCAÇÃO FÍSICA

Conteúdo:

1) Educação Física e Sociedade: A importância da Educação Física. A Educação Física na Sociedade. A Escola como instituição social. 2) Educação Física no processo ensino-aprendizagem: Planejamento e sua evolução. Aspectos psico-sociais. Metodologia. Seleção de conteúdos. 3) A Educação Física no Currículo Escolar: Desenvolvimento da Aptidão Física ou Reflexão sobre a cultura corporal. 4) Educação Física Escolar: na direção da Construção de uma Nova Síntese. 5) Metodologia do Ensino da Educação Física: a Questão da Organização do Conhecimento e sua Abordagem Metodológica. Avaliação do Processo Ensino Aprendizagem em Educação Física. Objetivos da Educação Física escolar. O jogo na Educação Física escolar. 6) Cultura popular e a Educação Física. 7) Educação Física inclusiva.

Referências Bibliográficas:

- ARRIBAS, TERESA LLEIXÁ. A Educação Física dos 3 aos 8 anos. Porto Alegre: Artmed, 2002.

- BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino de 5ª a 8ª séries. v. Educação Física. Brasília: MEC/SEF, 1997.

- CASTELLANI FILHO, L. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus, 1988.

- COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

- DANTE DE ROSE JR. Esporte e Atividade Física na Infância e na Adolescência: Uma abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

- FREIRE, J.B. Educação de corpo inteiro. São Paulo: Scipione,1989.

- MARCELINO, N.C. Pedagogia da Animação. Campinas: Papirus,1990.

- REINALDO SOLER. Educação Física Escolar. Rio de Janeiro: Sprint, 2003.

- TANI, G.; MANOEL,E.J.; KOKOBUN,E.; e PROENÇA, J.E. Educação Física escolar; Fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: Edusp/ EPU, 1998.

- TOLKMITT, Valda Marcelino. Educação física numa concepção sociointeracionista - de 5ª a 8ª série. Curitiba: Módulo, 1996.

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS - ESPANHOL

Conteúdo:

1) Análise e entendimento de texto. 2) vocabulario. 3) Conteúdos gramaticais: alfabeto, consonantes, vocales, digtongo, triptongo, artículo, contracciones, reglas de uso de artículo, usos del LO, sustantivos, adjetivos, formación del plural, género, posesivos, demostrativos, numerales, apócope, reglas de eufonía, acentuación, indefinidos, pronombres personales, relativos, interrogativos, grados del adjetivo, heterogenéricas, heterosemánticas, heterotónicas, concordancia, conjunciones, interjecciones, adverbio, modos adverbiales, empleo de muy-mucho, preposición, uso del “donde”, las conjugaciones, modo y tiempos verbales, voces verbales, verbos auxiliares, verbos regulares, irregulares, irregularidad propia, irregularidades especiales, formación de los tiempos derivados,

Referências Bibliograficas:

- SCARPANTER, José. Introducción a la moderna Gramática Española.

- CARVALHO, Maria do Céu; CARNEIRO, Agostinho Dias. Gramática da Língua Espanhola: Antologia e Exercícios.

- FRIGERIO, Francisco. Curso Práctico de Español.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira / Secretaria de Educação Fundamental. . Brasília : MEC/SEF, 1998.

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS – INGLÊS

Conteúdo:

1) Interpretação de Textos; 2) Vocabulário; 3) Expressões idiomáticas; 4) Parâmetros Curriculares Nacionais;

Referências Bibliográficas:

- McCARTHY, Michael & O’DELL, Felicity. English Vocabulary in Use. Cambridge: Cambridge UP, 1994.

- MURPHY, Raymond. English Grammar in Use. Cambridge: Cambridge UP, 1994. (Red, Blue and Lilac)

- SWAN, Michael & WALTER, Catherine. The Good Grammar Book. Oxford: Oxford UP, 2001.

- SWAN, Michael & WALTER, Catherine. How English Works: a grammar practice book. Oxford: Oxford UP, 1999.

- Collins Cobuild English Guides: Confusable Words. London: Harper Collins, 1997.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira / Secretaria de Educação Fundamental. . Brasília: MEC/SEF, 1998.

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS – MATEMÁTICA

Conteúdo:

Todo o conteúdo da bibliografia que segue:

Referências Bibliograficas:

- GIOVANI, José Ruy. & BONJORNO, José Roberto. Matemática-Uma nova abordagem. FTD SA.

- GENTIL, MARCONDES, GRECO, BELLOTTO, SERGIO. Matemática para o 2º Grau. Atlas.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : Matemática / Secretaria de Educação Fundamental. . Brasília : MEC / SEF, 1998.

PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIES FINAIS – PORTUGUÊS

Conteúdo:

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual das palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal. Colocação Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção/secção e uso do hífen. 6) Parâmetros Curriculares Nacionais.

Referências Bibliográficas:

- ANDRÉ, Hildebrando A. de. Curso de Redação. Moderna.

- FARACO e MOURA. Gramática. Ática.

- FAVERO, Lionor Lopes; KOCH, Ingedore G. Villaça. Lingüística Textual: introdução. Cortez Editora.

- LIMA, Rocha. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. Livraria José Olympio.

- MACHADO, Irene A. Literatura e Redação. Scipione.

- NICOLA, José de.; INFANTE, Ulisses. Gramática Contemporânea da Língua Portuguesa.

- OLIVEIRA, Edison de.; LUZZATTO, Sagra. Todo o mundo tem dúvida, inclusive você.

- PASQUALE e ULISSES. Gramática da Língua Portuguesa. Scipione.

- ERNANI E NICOLA. Gramática, Literatura e Redação. Scipione.

- PASCHOALIN e SPADOTO. Gramática. FTD.

- SARMENTO, Leila Luar. Oficina de Redação. Moderna.

- VALENTE, André. Aulas de Português - Perspectivas inovadoras. Vozes.

- BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa/ Secretaria de Educação Fundamental. . Brasília : MEC/SEF, 1998.

AUXILIAR DE ASFALTADOR, CARPINTEIRO, COZINHEIRA, ELETRICISTA, MECÂNICO CHAPEADOR, MECÂNICO MÁQUINA PESADA, MERENDEIRA, OPERÁRIO DE OBRAS, OPERADOR DE MÁQUINAS PESADAS, PEDREIRO e TRATORISTA.

CONHECIMENTOS GERAIS:

Conteúdo 1: PORTUGUÊS – Comum a Todos

LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual de palavras e expressões. Sinonímia e antonímia. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: vogais e consoantes. Encontros vocálicos e consonantais. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: substantivo, adjetivo, artigo, verbo, pronome e numeral. Classificação e flexões. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Tipos de frases: afirmativas, negativas, interrogativas, imperativas e optativas. Concordância verbal e nominal. Pontuação. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: por que/porque, mal/mau e mas/mais.

Conteúdo 2: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada. Legislação.

Referências Bibliográficas:

- Lei Orgânica do Município. (Art. 119 a 137)

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

- Revistas, jornais e Internet.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

AUXILIAR DE ASFALTADOR

Conteúdo:

Limpeza e conservação da maquinaria e dos equipamentos do local de trabalho, remoção de lixos e detritos. Noções de segurança e higiene do trabalho. Outros questionamentos sobre os deveres e atribuições do cargo.

Referências Bibliográficas:

- Manuais e livros diversos com os conteúdos indicados.

CARPINTEIRO

Conteúdo:

1) Noções gerais sobre estruturas de madeira e assemelhados; preparação e assentamento de assoalhos e madeiramento; corte e colocação de vidros; 2) Operação com máquinas, tais como: serra circular, furadeira e outras. 3) Noções sobre cálculo de orçamentos de trabalhos de carpintaria; 4) Limpeza e conservação da maquinaria e dos equipamentos do local de trabalho, remoção de lixos e detritos. 5) Noções de segurança e higiene do trabalho.

Referências Bibliográficas:

- Manuais e livros diversos com os conteúdos indicados.

COZINHEIRA

Conteúdo:

Noções gerais sobre: 1) Alimentos, Função dos alimentos, Vitaminas e Nutrientes, Estocagem dos alimentos, Controle de estoque; Reaproveitamento de alimentos; Conservação e validade dos alimentos; 2) Nutrição. 3) Merenda escolar. 3) Segurança e higiene do trabalho. 4) Limpeza e conservação dos objetos de uso, de equipamentos e do local de trabalho; Lixo, destino e seleção.

Referências Bibliográficas:

- Livros, revistas e manuais diversos que contenham o conteúdo acima elencado.

ELETRICISTA

Conteúdo:

1) Questionamentos sobre instalação de fiação elétrica, montagem de quadros de distribuição, caixas de fusível, tomadas e interruptores. 2) Instalação elétrica e de circuitos, utilização de aparelhos de precisão, reparo ou substituição de unidades danificadas. 3) Utilização de ferramentas manuais, soldas e materiais isolantes. 4) Instalação e manutenção de motores e geradores elétricos. 5) Leitura de desenhos e esquemas de circuitos elétricos. 6) Noções de segurança e higiene do trabalho. 7) Limpeza do local de trabalho. 8) Remoção de lixos e detritos.

Referências Bibliográficas:

- Livros e manuais diversos que contenham o conteúdo acima elencado.

MECÂNICO CHAPEADOR

Conteúdo:

1)Questionamentos sobre situações reais de trabalho, especificamente sobre montagem e desmontagem, reparos substituição de peças e ajuste de motor, máquinas e equipamentos. Soldagem.- manejo de equipamentos; Eletricidade; Chapeamento - preparação de superfícies. Noções de segurança e higiene do trabalho. Limpeza do local de trabalho. Remoção de lixos e detritos. Outros questionamentos sobre os deveres e atribuições do cargo.

Referências Bibliográficas:

- Livros e manuais diversos que contenham o conteúdo acima elencado.

MECÂNICO MÁQUINA PESADA

Conteúdo:

1)Questionamentos sobre situações reais de trabalho, especificamente sobre manutenção de veículos, máquinas e equipamentos. 2)Motor: como desmontar, reparar, substituir e ajustar o motor e peças anexas, órgãos de transmissão, freio, direção, suspensão e equipamento auxiliar. 3) Noções de segurança e higiene do trabalho. 4) Limpeza do local de trabalho. 5)Remoção de lixos e detritos.

Referências Bibliográficas:

- Livros e manuais diversos que contenham o conteúdo acima elencado.

MERENDEIRA

Conteúdo:

1)O Corpo Humano: a) Funções da nutrição. b) de relação e de coordenação. c) Reprodução. d) Desenvolvimento e Hereditariedade. 2)Função dos Alimentos: a) Alimentação equilibrada. b) Doenças causadas pela fome. c) Conservação dos alimentos. d) Água e alimentação. 3) Higiene: a) Importância. b) Higiene física, mental e social. c) A higiene e a saúde. d) Hábitos de higiene. 4)Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei nº 8069/90 - Artigos 1 a 18. 5)Outros questionamentos sobre os deveres e atribuições do cargo.

Referências Bibliográficas:

- GOWDAK, Demétrio – “Ciências Natureza e Vida “ – 7ª série – FTD

- PEREIRA, Denise Zimpek e outros “Criando crianças”. Editora Magister

- Livros diversos sobre alimentos, higiene e hábitos de higiene.

OPERÁRIO DE OBRAS

Conteúdo:

Noções gerais sobre: Alvenaria. Jardinagem e cultivo de plantas. Limpeza e higiene em geral. Remoção de lixos e detritos. Segurança e higiene do trabalho.

Referências Bibliográficas:

- Livros e manuais diversos que contenham o conteúdo indicado.

OPERADOR DE MÁQUINAS PESADAS

Conteúdo:

1)Legislação (Código de Trânsito Brasileiro, seu regulamento e Resoluções do Contran). 2)Conhecimento teórico de primeiros socorros, restrito apenas às exigências do Contran ou órgão regulamentador de trânsito.

Referências Bibliográficas:

- Código de Trânsito Brasileiro – Lei n° 9.503 de 23/09/1997, seu regulamento e Resoluções do Contran

- Manuais, livros ou revistas sobre os conteúdos indicados.

PEDREIRO

Conteúdo:

1) Noções gerais sobre alvenaria, preparação de argamassa, concreto, impermeabilizações, pisos e procedimentos executivos da construção civil em geral. 2) Noções sobre materiais de construção 3) Noções sobre Limpeza do local de trabalho, remoção de lixos e detritos. 4) Noções de segurança e higiene do trabalho. 5) Noções sobre pintura e tintas. 6) Noções sobre instalações prediais e redes de drenagem. 7) Cálculos elementares aplicados à construção civil.

Referências Bibliográficas:

- Manuais e livros diversos com os conteúdos indicados.

TRATORISTA

Conteúdo:

1)Legislação (Código de Trânsito Brasileiro, seu regulamento e Resoluções do Contran). 2)Conhecimento teórico de primeiros socorros, restrito apenas às exigências do Contran ou órgão regulamentador de trânsito.

Referências Bibliográficas:

- Código de Trânsito Brasileiro – Lei n° 9.503 de 23/09/1997, seu regulamento e Resoluções do Contran

- Manuais, livros ou revistas sobre os conteúdos indicados.

PADEIRO

CONHECIMENTOS GERAIS:

Conteúdo 1: PORTUGUÊS

1) LEITURA E ANÁLISE DO TEXTO: compreensão do texto, significado contextual de palavras e expressões. Sinonímia, antonímia, homonímia e paronímia. Coesão, clareza e concisão. Vocabulário. 2) FONÉTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificação dos fonemas. Encontros vocálicos e consonantais. Dígrafo. Divisão silábica, acentuação gráfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificação e flexões. Estrutura e formação de palavras. 4) SINTAXE: introdução à sintaxe (frase, oração e período). Termos da oração. Período simples e composto. Pontuação. Concordância Verbal e Nominal. Regência Verbal e Nominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LÍNGUA CULTA: uso do porquê, que/quê, onde/aonde, mal/mau, senão/se não, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/há, acerca de/há cerca de, ao invés de/em vez de, à-toa/à toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/tão pouco, mas/mais, a par/ao par, cessão/sessão/secção e uso do hífen.

Conteúdo 2: Conhecimentos Gerais do Estado e Município de Cruz Alta nos aspectos: territorial, geográfico, histórico, político – administrativo e legislação, bem como, notícias atuais veiculadas na imprensa escrita e falada.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Conteúdo:

Noções sobre: Pães e Biscoitos: tipos, processos de produção; ingredientes/ matéria-prima. Equipamentos e máquinas de utilização. Limpeza e higiene em geral. Remoção de lixos e detritos. Segurança e higiene do trabalho. Legislação.

Referências Bibliográficas:

- Lei Orgânica do Município.

- Lei Complementar nº 004/2005 e alterações – Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Municipais.

- Revistas, jornais e Internet.

- Manuais, livros ou revistas sobre os conteúdos indicados.

ANEXO III - CONCURSO PÚBLICO

FORMULÁRIO DE RECURSO

Para Objetiva Concursos Ltda

PORTO ALEGRE – RS

CONCURSO PÚBLICO (nome do órgão e cidade) _________________________________

NOME DO CANDIDATO: _____________________________________________________

CARGO: ___________________________________ Nº de INSCRIÇÃO:_______________

TIPO DE RECURSO - (Assinale o tipo de Recurso)

( )

( )

( )

( )

CONTRA INDEFERIMENTO DE INSCRIÇÃO

CONTRA GABARITO DA PROVA OBJETIVA

CONTRA RESULTADO PROVA PRÁTICA

CONTRA RESULTADO PROVA TÍTULOS

Ref. Prova objetiva

Nº da questão: _____________

Gabarito oficial: _____________

Resposta Candidato: _________

Justificativa do candidato – Razões do Recurso

Reproduzir a quantidade necessária. Preencher em letra de forma ou digitar e entregar este formulário em 02 (duas) vias, uma via será devolvida como protocolo.

Data: ____/____/____

Assinatura do candidato

Assinatura do Responsável p/ recebimento

ANEXO IV RELAÇÃO DE TÍTULOS

Cargo: _____________________________________________ Nº da inscrição: _______

Nome do candidato: _________________________________________________________

CONCURSO PÚBLICO (nome do órgão e cidade) _________________________________

RELAÇÃO DE TÍTULOS ENTREGUES

Campos preenchidos pelo candidato

(deixar em branco)

 Nº de horas

Histórico / Resumo

Pré – pontuação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Observação: Preencher em letra de forma ou digitar nos campos destinados ao candidato, entregar este formulário em 02 (duas) vias, conforme Edital.

Declaro, para os devidos fins e sob as penas da lei, que possuo como requisito de habilitação para o cargo de inscrição o curso: _____________________ (concluído ou em andamento), cujo comprovante estou anexando à presente relação, estando ciente de que o mesmo não será utilizado para pontuação na prova de títulos.

Data: ____/____/____

Assinatura do candidato

Assinatura do Responsável p/ recebimento

ANEXO V REQUERIMENTO – PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Concurso Público: ____________________ Município/Órgão: _________________________

Nome do candidato: __________________________________________________________

Nº da inscrição: _______________ Cargo: ________________________________________

Vem REQUERER vaga especial como PESSOA COM DEFICIÊNCIA, apresentou LAUDO MÉDICO com CID (colocar os dados abaixo, com base no laudo):

Tipo de deficiência de que é portador: ____________________________________________

Código correspondente da Classificação Internacional de Doença – CID _________________

Nome do Médico Responsável pelo laudo: _________________________________________

(OBS: Não serão considerados como deficiência os distúrbios de acuidade visual passíveis de correção simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congêneres)

 Dados especiais para aplicação das PROVAS: (marcar com X no local caso necessite de Prova Especial ou não, em caso positivo, discriminar o tipo de prova necessário )

( ) NÃO NECESSITA DE PROVA ESPECIAL e/ou TRATAMENTO ESPECIAL

( ) NECESSITA DE PROVA ESPECIAL (Discriminar abaixo qual o tipo de prova necessário)

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

É obrigatória a apresentação de LAUDO MÉDICO com CID, junto a esse requerimento.

(Datar e assinar)

________________________________________________
assinatura

80110

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231