IAMSPE - Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público - SP

IAMSPE - INSTITUTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA AO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL

ESTADO DE SÃO PAULO

GERÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO Nº 30/2011

Notícia:   Iamspe - SP cancela parcialmente o Concurso nº. 030/2011 e devolve taxa

CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA AS FUNÇÕES-ATIVIDADES DE ASSISTENTE SOCIAL, ATENDENTE, AUXILIAR DE ENFERMAGEM, AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE, BIOLOGISTA, CIRURGIÃO-DENTISTA, ENFERMEIRO, FARMACÊUTICO, FÍSICO, FISIOTERAPEUTA, FONOAUDIÓLOGO, HISTOQUÍMICO, NUTRICIONISTA, OPERADOR DE EQUIPAMENTO HOSPITALAR, PSICÓLOGO, TÉCNICO DE ENFERMAGEM, TÉCNICO DE LABORATÓRIO, TÉCNICO DE ORTÓPTICA, TÉCNICO DE RADIOLOGIA e TERAPEUTA OCUPACIONAL

A Comissão Especial para Concurso, do INSTITUTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA AO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL - IAMSPE, com autorização governamental constante do Processo IAMSPE nº 11.866/10, publicada no DOE de 09/04/11, torna pública a abertura de inscrições para Concurso Público, regido pelas Instruções Especiais nº 30/2011, parte integrante deste Edital, para contratação, sob regime da Consolidação das Leis do Trabalho (Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943), das vagas existentes, e as que vierem a vagar, para as funções-atividades de Assistente Social (HOSPITAL) Assistente Social (Prevenir), Atendente (Hospital), Atendente (Pajem), Atendente (Farmácia), Atendente (Anatomia Patológica), Auxiliar de Enfermagem (Hospital), Auxiliar de Enfermagem (CEAMAS/Interior), Auxiliar Técnico de Saúde (Anatomia Patológica), Auxiliar Técnico de Saúde (Farmácia), Auxiliar Técnico de Saúde (Medicina Física), Auxiliar Técnico de Saúde (Ortopedia), Biologista (Anatomia Patológica), Biologista (Macroscopia - Anatomia Patológica), Cirurgião-Dentista (Cirurgia Buco Maxilo Facial), Cirurgião-Dentista (Estomatologia), Cirurgião-Dentista- (Atendimento Odontológico para pacientes necessidades especais), Enfermeiro (Hospital), Enfermeiro (Prevenir), Enfermeiro (CEDEP), Enfermeiro (CEAMAS/Interior), Farmacêutico (Laboratório Clínico), Farmacêutico (Farmácia), Físico (Medicina Nuclear), Fisioterapeuta (Hospital), Fisioterapeuta (Prevenir), Fonoaudiólogo (Hospital), Fonoaudiólogo (Prevenir), Histoquímico, Nutricionista (Hospital), Nutricionista (Prevenir), Operador De Equipamento Hospitalar, Psicólogo (Hospital), Psicólogo (Prevenir), Psicólogo (Recursos Humanos), Psicólogo (CEDEP), Técnico de Enfermagem (Hospital), Técnico de Enfermagem (Prevenir), Técnico de Laboratório (Anatomia Patológica), Técnico de Laboratório (Laboratório Clínico), Técnico de Ortóptica, Técnico de Radiologia (Radioterapia), Técnico de Radiologia (Medicina Nuclear) Terapeuta Ocupacional.

INSTRUÇÕES ESPECIAIS Nº 30/2011

CAPÍTULO I - DAS FUNÇÕES-ATIVIDADES

1. Estas Instruções Especiais regem o Concurso Público que se destina à contratação de pessoal para as funções-atividades, conforme segue:

FUNÇÕES-ATIVIDADES

SALÁRIOS
(R$)

CARGA HORÁRIA SEMANAL

REQUISITOS

Nº TOTAL DE VAGAS*

VAGAS PARA DEFICIENTES**

ATENDENTE (Pajem) - sexo feminino CENTRO DE CONVIVÊNCIA INFANTIL - CAPITAL - SÃO PAULO

827,34

30

Ensino Fundamental completo

07

1

ATENDENTE (Núcleo de Farmácia) - sexo masculino Núcleo de Farmácia - CAPITAL - SÃO PAULO

827,34

30

Ensino Fundamental completo

11

1

ATENDENTE HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL -CAPITAL - SÃO PAULO

827,34

30

Ensino Fundamental completo

7

1

ATENDENTE
(Anatomia Patológica)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL - CAPITAL - SÃO PAULO

827,34

30

Ensino Fundamental completo

3

0

AUXILIAR DE ENFERMAGEM HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL - CAPITAL - SÃO PAULO

1.079,26

30

Ensino Fundamental completo

Curso de Auxiliar de Enfermagem Registro no Conselho de Classe

CADASTRO RESERVA

CADASTRO RESERVA

AUXILIAR DE ENFERMAGEM CEAMAS /INTERIOR (Assis /Araraquara /Araçatuba/Piracicaba/Marília/Santos /Franca / Taubaté/São José dos Campos/Presidente Prudente/São José do Rio Preto/Ribeirão Preto/Bauru/Sorocaba/Campinas)

1.079,26

30

Ensino Fundamental completo

Curso de Auxiliar de Enfermagem Registro no Conselho de Classe

CADASTRO RESERVA

CADASTRO RESERVA

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE
(Anatomia Patológica)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL CAPITAL - SÃO PAULO

880,50

30

Ensino médio completo Experiência profissional comprovada de 06 meses como Auxiliar de Autópsia

2

0

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE
Núcleo de Farmácia
CAPITAL - SÃO PAULO
880,5030 Ensino médio completo60
AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE
(Medicina Física)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
880,5030 Ensino Médio completo Conhecimento específico da função10
AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE
(Ortopedia)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
880,5030 Ensino médio completo Curso Técnico em Imobilização Ortopédica Registro no Conselho de Classe Estar com a situação regular no Conselho de Classe20
OPERADOR EQUIPAMENTO HOSPITALAR HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
880,5030 Ensino Fundamental completo Certificado de Curso de Eletrocardiografia Básico Teórico Prático em instituição e/ou escola reconhecida pelo MEC no ensino de técnicas voltadas à saúde60
TÉCNICO DE ENFERMAGEM HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.091,52 30Ensino Médio completo Curso de Técnico de Enfermagem Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
TÉCNICO DE ENFERMAGEM
(PREVENIR)
CAPITAL - SÃO PAULO
1.091,52 30Ensino Médio completo Curso Técnico de Enfermagem Registro no Conselho de Classe Experiência profissional comprovada de 6 meses na área de atuaçãoCADASTRO RESERVA CADASTRO RESERVA
TÉCNICO DE LABORATÓRIO
(Anatomia Patológica)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.018,08 30Nível Médio completo Experiência profissional comprovada de 06 meses em técnica histológica em Laboratório de Anatomia Patológica Registro no Conselho Regional de Farmácia em caso de acumulação de cargos públicosCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
TÉCNICO DE LABORATÓRIO
(Laboratório Clínico)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.018,08 30Nível Médio completo ou Curso Técnico de Laboratório ou Análises Clínicas ou Patologia Clínica Experiência profissional comprovada de 06 meses em Laboratório Clínico Registro no Conselho Regional de Farmácia em caso de acumulação de cargos públicosCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
TÉCNICO DE RADIOLOGIA
(Radioterapia)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.019,08 20Certificado de Conclusão do Curso Técnico em Radiologia Médica Experiência profissional comprovada de 06 meses em Radioterapia em Técnico de Radioterapia com aparelhos de alta energia (Acelerador Linear e/ou Cobalto) Registro no Conselho em caso de acumulação de cargos públicosCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
TÉCNICO DE RADIOLOGIA
(Medicina Nuclear)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.019,08 20Certificado de Conclusão do Curso Técnico em Radiologia Médica Experiência profissional comprovada de 06 meses em Medicina Nuclear Registro no Conselho em caso de acumulação de cargos públicos CADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
ASSISTENTE SOCIAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
ASSISTENTE SOCIAL
(PREVENIR)
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) em Saúde Pública ou Saúde da Família ou Gerontologia e experiência de 6 meses na área de atuação.CADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
BIOLOGISTA
(Anatomia Patológica)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Graduação em Biologia Experiência profissional comprovada de 06 meses em Citopatologia Oncótica10
BIOLOGISTA
(Macroscopia- Anatomia Patológica)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Graduação em Biologia Experiência profissional comprovada de 06 meses na realização de macroscopia em Laboratório de Anatomia Patológica20
CIRURGIÃO-DENTISTA
(Cirurgião de Buco Maxilo Facial)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.909,25 20Nível superior Registro no Conselho de Classe Especialista em Cirurgia Buco Maxilo Facial (Títulos: MEC, CRO/ CFO) OU Aprimorament o Profissional em Cirurgia Buco Maxilo Facial (Carga horária mínima de 3.000 horas)30
CIRURGIÃO-DENTISTA (Estomatologia Clínica)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.909,2520Nível superior Registro no Conselho de Classe Especialista em Estomatologia ou Especialista em Radiologia OU Especialista em Patologia Bucal20
CIRURGIÃO-DENTISTA
(atendimento odontológico para pacientes para necessidades especiais)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL CAPITAL - SÃO PAULO
1.909,2520Nível superior Registro no Conselho de Classe Especialista em Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais
(Títulos MEC, CRO/CFO)
10
ENFERMEIRO
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL CAPITAL - SÃO PAULO
2.180,8230Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO
RESERVA
CADASTRO RESERVA
ENFERMEIRO
(PREVENIR)
CAPITAL - SÃO PAULO
2.180,82 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) em Saúde Pública ou Saúde da Família ou Gerontologia e experiência de 6 meses na área de atuação.CADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
ENFERMEIRO
(CEDEP)
CAPITAL - SÃO PAULO
2.180,82 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Curso de Licenciatura Plena ou Licenciatura em Enfermagem ou Formação Pedagógica para Docência em nível médio (nível de pós-graduação) reconhecido pelo MEC Experiência profissional comprovada de 6 meses na área de docência no ensino profissionalizante na área de EnfermagemCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
ENFERMEIRO CEAMAS / INTERIOR
(Araraquara/ Araçatuba/ Piracicaba/ Marília/ Franca/ Taubaté/ Ribeirão Preto/ Bauru/ Sorocaba/ Campinas)
2.180,8230Nível Superior Especialização em Gerontologia e/ou Programa da Saúde da família Registro no ConselhoCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
FARMACÊUTICO
(Núcleo da Farmácia)
CAPITAL - SÃO PAULO
2.001,96 30Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
FARMACÊUTICO
(Laboratório Clínico)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
2.001,96 30Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
FÍSICO
(Medicina Nuclear)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior em Física30
FISIOTERAPEUTA
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
2.001,96 30Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
FISIOTERAPEUTA
(PREVENIR)
CAPITAL - SÃO PAULO
2.001,96 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) em Saúde Pública ou Saúde da Família ou Gerontologia Experiência profissional de 6 meses na área de programação de atuaçãoCADASTRO RESERVA CADASTRO RESERVA
FONOAUDIÓLOGO HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
2.001,96 30Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
FONOAUDIÓLOGO
(PREVENIR)
CAPITAL - SÃO PAULO
2.001,96 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) em Saúde Pública ou Saúde da Família e/ou Gerontologia Experiência profissional comprovada de 6 meses na área de atuaçãoCADASTRO RESERVA CADASTRO RESERVA
HISTOQUÍMICO
(Anatomia Patológica)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível Superior Graduação em BIOLOGIA Experiência profissional comprovada de 06 meses em Laboratório de Anatomia Patológica40
NUTRICIONISTA
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
NUTRICIONISTA
(PREVENIR)
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho Pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) em Saúde Pública ou Saúde da Família ou Gerontologia Experiência profissional comprovada de 6 meses na área de atuaçãoCADASTRO RESERVA CADASTRO RESERVA
PSICÓLOGO
(PREVENIR)
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) em Saúde Pública e/ou Administração em Saúde e/ou Saúde da Família e/ou Psicodrama Socio‑educacional (pedagógico) Experiência profissional comprovada de 6 meses na área de atuaçãoCADASTRO RESERVA CADASTRO RESERVA
PSICÓLOGO
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Estar formado há mais de 02 anos Experiência profissional comprovada de 06 meses em: Psicodiagnóstico de crianças, adolescentes adultos e idosos; Psicoterapia breve individual; Psicoterapia breve de grupo; Interconsulta Psicológica; Bateria psicométrica: teste de nível intelectual, projetivos e psicomotores; Prática em trabalho multiprofissional e interdisciplinarCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA
PSICÓLOGO
Recursos Humanos
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Estar formado há mais de 02 anos Experiência profissional comprovada de 06 meses em Recursos HumanosCADASTRO RESERVA CADASTRO RESERVA
PSICÓLOGO
CENTRO DE FORMAÇÃO
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de Classe Estar formado há mais de 02 anos Experiência profissional comprovada de 06 meses em Recursos HumanosCADASTRO RESERVA CADASTRO RESERVA
TÉCNICO DE ORTÓPTICA
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Curso superior Técnico de Ortóptica ou Tecnologia Oftálmica Registro no Conselho de Classe20
TERAPEUTA OCUPACIONAL
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO
1.601,96 30Nível superior Registro no Conselho de ClasseCADASTRO RESERVACADASTRO RESERVA

1.1. As atribuições a serem exercidas pelo candidato admitido no Concurso Público estão detalhadas no Anexo I.

2. Ficam reservados 5% (cinco por cento) do total de vagas, por função-atividade, para candidatos com deficiência, nos termos da Lei Complementar n.° 683, de 18 de setembro de 1992.

3. As vagas reservadas nos termos deste item que não forem ocupadas por falta de candidatos com deficiência ou por reprovação em quaisquer das etapas deste Concurso Público, serão preenchidas pelos demais candidatos da lista geral, com estrita observância da ordem classificatória.

4. A contratação será regida pela Consolidação das Leis do Trabalho.

4.1. O candidato contratado pelo regime da C.L.T. deverá prestar serviços dentro do horário estabelecido pelo INSTITUTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA AO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL - IAMSPE, podendo ser em turnos de revezamento diurno e/ou noturno, em dias da semana, sábados, domingos e feriados.

4.2. Benefícios: Vale transporte, Cesta básica, Ticket alimentação ou Ticket refeição e Assistência Médica, opcional.

4.3. Horário de funcionamento do CEAMA em dias úteis das 07 às 17 horas.

CAPÍTULO II - DOS REQUISITOS PARA A ADMISSÃO

1. O candidato aprovado e classificado no concurso, na forma estabelecida neste Edital, será contratado na função-atividade, se atendidas às seguintes exigências:

1.1 ser brasileiro nato ou naturalizado, ou gozar das prerrogativas previstas no artigo 12 da Constituição Federal e demais disposições de lei, no caso de estrangeiro;

1.2 ter idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação;

1.3 não ter sido demitido ou exonerado do serviço público (federal, estadual ou municipal) em conseqüência de processo administrativo (por justa causa ou a bem do serviço público);

1.4 estar em dia com os direitos civis e políticos;

1.5 estar em dia com as obrigações militares (no caso de candidato do sexo masculino);

1.6 ser eleitor e estar quite com as obrigações eleitorais;

1.7 estar com o Cadastro de Pessoa Física regularizado;

1.8 possuir os requisitos exigidos para o ingresso na função-atividade;

1.9 ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do emprego público, comprovada por inspeção médica realizada pelo SEESMT - Serviço Especializado em Engenharia, Segurança e Medicina do Trabalho, do IAMSPE;

1.10 não registrar antecedentes criminais.

2. Quando da comprovação para contratação o candidato aprovado deverá providenciar a entrega dos documentos comprobatórios das condições exigidas no item anterior, que será feita em data a ser fixada em publicação oficial - DOE, após a homologação do Concurso Público.

3. A falsificação ou a não entrega dos documentos eliminará o candidato do Concurso Público anulando-se todos os atos decorrentes da inscrição, sem prejuízo das sanções penais aplicáveis.

CAPÍTULO III - DAS INSCRIÇÕES

1. A inscrição do candidato implica o conhecimento e a tácita aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital, em relação às quais não poderá ser alegada qualquer espécie de desconhecimento.

2. O candidato será inteiramente responsável por qualquer erro ou omissão, bem como pela veracidade das informações prestadas na ficha de inscrição, podendo o IAMSPE excluir do Concurso Público o candidato que fornecer dados incorretos, e/ou aquele que prestar informações inverídicas, ainda que o fato seja constatado posteriormente.

3. As inscrições deverão ser realizadas exclusivamente pela INTERNET, pelo site www.vunesp.com.br, no período das 10 horas de 29/08/2011 até as 16 horas de 30/09/2011. (Horário Oficial de Brasília)

3.1. Para inscrever-se, o candidato deverá no período de inscrição:

a) acessar o site www.vunesp.com.br;

b) ler total e atentamente o respectivo Edital;

c) preencher corretamente a ficha de inscrição, nos moldes previstos neste Edital;

e) imprimir o boleto bancário, efetuar o pagamento do correspondente valor da taxa de inscrição até 30/09/2011.

4. O valor da inscrição será conforme tabela abaixo:

FORMAÇÃO ESCOLAR

TAXA DE INSCRIÇÃO (R$)

Ensino Fundamental completo

30,00

Ensino Médio Completo

40,00

Ensino Superior Completo

68,00

4.1. O pagamento da taxa de inscrição no valor de no quadro em referencia deverá ser efetuado por meio de boleto bancário, dinheiro ou em cheque em qualquer agência bancária até a data limite do encerramento das inscrições.

4.1.1. O pagamento efetuado por meio de cheque somente será considerado quitado após a respectiva compensação.

4.2. Em caso de devolução do cheque, qualquer que seja o motivo, considerar-se-á automaticamente sem efeito a inscrição.

4.3. A efetivação da inscrição ocorrerá após a confirmação, pelo banco, do pagamento referente à taxa de inscrição.

4.4. O agendamento do pagamento da taxa de inscrição só será aceito se comprovada a sua efetivação dentro do período de inscrição.

4.5. Em caso de feriado ou evento que acarrete o fechamento de agências bancárias na localidade em que se encontra o candidato, o boleto deverá ser pago antecipadamente.

4.6. Não serão aceito pagamento da taxa de inscrição por depósito em caixa eletrônico, pelos Correios, fac-símile, transferência eletrônica, DOC, ordem de pagamento ou depósito comum em conta corrente condicional ou fora do período de inscrição ou por qualquer outro meio que não os especificados neste Edital;

4.7. Não será efetivada a inscrição se o pagamento for realizado fora do período estabelecido para tal finalidade.

4.7.1. Ao inscrever-se o candidato deverá indicar na Ficha de Inscrição a opção de função-atividade para qual concorre, conforme constante do Capítulo I, deste Edital.

4.7.2. A inscrição é somente pela internet, portanto, caso o candidato não preencher a opção não tem como concluir o preenchimento.

4.7.3. Não será permitida, em hipótese alguma, troca de FUNÇAO-ATIVIDADE pretendida depois de efetivada a inscrição.

5. A Fundação VUNESP não se responsabiliza por solicitações de inscrições não recebidas por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como outros fatores de ordem técnica que impossibilitem a transferência de dados.

5.1. É de inteira responsabilidade do candidato a manutenção sob sua guarda do comprovante do pagamento da taxa de inscrição, para posterior apresentação, se necessário.

6. Não haverá devolução do valor da inscrição, ainda que superior ou em duplicidade, nem isenção total ou parcial de pagamento do valor da taxa de inscrição, seja qual for o motivo, exceto ao candidato amparado pela Lei Estadual nº 12.782, de 20.12.2007.

6.1. A devolução da taxa de inscrição somente ocorrerá se o Concurso Público não se realizar, caso em que, referida devolução ficará sob responsabilidade da Fundação VUNESP.

7. Amparado pela Lei Estadual nº 12.782, de 20.12.2007, o candidato terá direito à redução de 50% (cinquenta por cento) do valor do pagamento da taxa de inscrição, desde que CUMULATIVAMENTE atenda aos seguintes requisitos:

a) seja estudante regularmente matriculado em uma das séries do ensino médio, curso pré-vestibular ou curso superior, em nível de graduação ou pós graduação; e

b) perceba remuneração mensal inferior a 2 (dois) salários mínimos ou esteja desempregado.

7.1. O candidato que preencher as condições estabelecidas nos itens "a" e "b" supra, deverá solicitar a redução do pagamento da taxa de inscrição obedecendo aos seguintes procedimentos:

a) acessar, no período das 10 horas do dia 29 de agosto de 2.011 às 23h59min de 30 de agosto de 2.011, o "link" próprio da página do Concurso - site www.vunesp.com.br;

b) preencher total e corretamente o requerimento com os dados solicitados;

c) imprimir o requerimento, assinar e encaminhar, juntamente com os documentos comprobatórios adiante descritos, no período de 29 de agosto de 2.011 a 30 de agosto de 2.011, por SEDEX ou Aviso de Recebimento - (AR), ou pessoalmente à Fundação VUNESP, Rua Dona Germaine Burchard, 515, CEP 05002-062, São Paulo - SP, indicando no envelope:

* Ref. Concurso Público para IAMSPE - SIGLA IASP1102 - Redução do valor da taxa inscrição:

I) certidão ou declaração expedida por instituição de ensino pública ou privada, comprovando a sua condição estudantil;

ou

carteira de identidade estudantil ou documento similar, expedido por instituição de ensino pública ou privada ou por entidade de representação estudantil;

e

II) comprovante de renda especificando perceber remuneração mensal inferior a 2 (dois) salários mínimos; ou declaração, por escrito, da condição de desempregado.

7.2. Os documentos comprobatórios citados neste Capítulo deverão ser encaminhados por meio de fotocópias simples.

7.3. Não serão consideradas as cópias de documentos encaminhados por outro meio que não o estabelecido neste Capítulo.

7.4. O candidato deverá, a partir de 19 de setembro de 2.011, acessar o site www.vunesp.com.br para verificar o resultado da solicitação pleiteada.

7.5. O candidato que tiver a solicitação deferida deverá acessar novamente o "link" próprio na página do Concurso - site www.vunesp.com.br, digitar seu CPF e proceder à efetivação da inscrição, imprimindo e pagando o boleto bancário, com valor da taxa de inscrição reduzida, até 30 de setembro de 2.011, atentando-se para o horário bancário.

7.6. O candidato que tiver a solicitação indeferida deverá acessar novamente o "link" próprio na página do Concurso - site www.vunesp.com.br, digitar seu CPF e proceder à efetivação da inscrição, imprimindo e pagando o boleto bancário, com valor da taxa de inscrição plena, até 30 de setembro de 2.011, atentando-se para o horário bancário.

7.7. O candidato que desejar interpor recurso contra o indeferimento da solicitação de redução do valor do pagamento da taxa de inscrição, acessar novamente o "link" próprio da página do Concurso para interposição de recursos, no endereço eletrônico www.vunesp.com.br, no período de 20 de setembro de 2.011 a 21 de setembro de 2.011, seguir as instruções ali contidas.

7.8. A partir 28 de setembro de 2.011, estará divulgado no site www.vunesp.com.br o resultado do recurso contra o indeferimento da solicitação de redução do valor de pagamento da taxa de inscrição.

7.9. O candidato que não efetivar a inscrição mediante o recolhimento do respectivo valor da taxa, reduzida ou plena, conforme o caso, terá o pedido de inscrição invalidado.

7.10. Os candidatos que tiverem sua solicitação de redução indeferida, caso queiram participar do certame, deverão inscrever-se normalmente e efetuar o pagamento do boleto bancário.

7.11. O candidato que preencher a ficha de inscrição com dados incorretos ou que fizer declaração falsa, inexata ou que não possa satisfazer às condições estabelecidas neste Edital, terá cancelada sua inscrição. Caso o fato seja constatado posteriormente, terá como consequência, a anulação de todos os atos decorrentes da inscrição, mesmo que aprovado nas provas e exames já realizados.

8. Será cancelada a inscrição se, a qualquer tempo, for verificado o não atendimento de quaisquer dos requisitos fixados neste Edital.

8.1. Em caso de necessidade de condições especiais, inclusive prova braile ou ampliada, para realizar a prova, o candidato deverá no ato da inscrição encaminhar a solicitação detalhada da condição, bem como a qualificação completa do candidato e especificação da função-atividade para a(s) qual(is) está concorrendo, para o endereço constante no item 7, subitem 7.1- "c"

8.2. O candidato deverá encaminhar, junto à solicitação de condição especial para realização das provas, Laudo Médico (original ou cópia autenticada) atualizado que justifique o atendimento especial solicitado.

8.3. O candidato que não o fizer até o término das inscrições, seja qual for o motivo alegado, poderá não ter a condição atendida.

8.4. Para efeito do prazo estipulado neste Capítulo será considerado o subitem "8.1", protocolo firmado pela Fundação VUNESP.

8.5. O atendimento às condições solicitadas ficará sujeito à análise da legalidade, viabilidade e razoabilidade do pedido.

9. O candidato que necessitar de condições especiais para a realização da prova por motivo de crença religiosa, deverá encaminhar solicitação à Fundação VUNESP.

CAPÍTULO IV - DA PARTICIPAÇÃO DE CANDIDATO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA

1 - Em cumprimento ao disposto no artigo 1º da Lei Complementar nº 683, de 18 de setembro de 1992, com redação dada pela Lei Complementar nº 932, de 8 de novembro de 2002, ser-lhes-á reservado o percentual de 5% (cinco) por cento do total de vagas, conforme quadro constante no Capítulo I, item 1 deste Edital.

2 - Consideram-se pessoas com deficiência aquelas que se enquadram nas categorias discriminadas no artigo 4º do Decreto Federal nº 3.298/99 e suas alterações.

2.1 - Não obsta à inscrição ou exercício da função-atividade a utilização de material tecnológico ou habitual.

3. O candidato, antes de se inscrever, deverá verificar se as atribuições da função-atividade especificadas no ANEXO I deste Edital são compatíveis com a deficiência de que é portador.

4. Os candidatos com deficiência, resguardadas as condições especiais previstas na Lei Complementar nº 683, de 18 de setembro de 1992, com redação dada pela Lei Complementar nº 932, de 8 de novembro de 2002, participarão do Concurso em igualdade de condições com os demais candidatos, no que se refere ao conteúdo das provas, à

avaliação e aos critérios de aprovação, ao dia, horário e local de aplicação da prova, e à nota mínima exigida para todos os demais candidatos.

5. O candidato que desejar concorrer às vagas reservadas para pessoas com deficiência deverá declarar-se, quando do período da inscrição, especificando-a no Formulário de Inscrição via internet e, no período das inscrições, deverá encaminhar via Sedex ou Aviso de Recebimento (AR), sito à Rua Dona Germaine Burchard, 515 - Água Branca - SP.

5.1. Laudo médico (original ou fotocópia autenticada), expedido no prazo máximo de 06 (seis) meses antes do término das inscrições, atestando a espécie e o grau de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças - CID, bem como a provável causa da deficiência, inclusive para assegurar previsão de adaptação da sua prova, informando, também, o seu nome, documento de identidade (RG) e número do CPF.

5.2. Solicitação, se necessário, requerendo tratamento diferenciado para realização das provas, especificando as condições e/ou provas especiais que necessitará, conforme Laudo Médico apresentado no item acima.

5.3. Para efeito do prazo estipulado no item 5 deste Capítulo será considerada a data de postagem fixada pela Empresa de Correios e Telégrafos - ECT, ou a data de protocolo firmado pela Instituição contratada para realização do concurso.

6. Os candidatos que, no período das inscrições, não atenderem aos dispositivos mencionados no: Subitem 5.1- Serão considerados como não deficientes.

Subitem 5.2 - Não terão a prova especial preparada e/ou à condição especial para a realização da prova, seja qual for o motivo alegado.

7. O candidato com deficiência que não realizar a inscrição conforme instruções constantes deste Capítulo não poderão impetrar recurso em favor de sua condição.

8. O candidato com deficiência por ocasião da classificação e de acordo com o subitem 5.1. deste Capítulo, além de figurar na lista de classificação geral, terá seu nome constante da lista específica de necessidades especiais.

8.1. Após o prazo de inscrição, fica proibida qualquer inclusão ou exclusão de candidato na lista específica de portadores de necessidades especiais.

9. Nos termos do artigo 3º da Lei Complementar nº 683/1992, no prazo de 5 (cinco) dias contados da publicação da lista de classificação, os candidatos com deficiência aprovados na prova objetiva deste concurso deverão submeter-se à Perícia Médica para verificação da compatibilidade de sua deficiência com o exercício das atribuições da FUNÇÃO-ATIVIDADE.

9.1. A perícia será realizada no Órgão Médico Oficial do Estado, por especialista da área de deficiência de cada candidato, devendo o laudo ser proferido no prazo de 5 (cinco) dias contados do respectivo exame.

9.2. Quando a perícia concluir pela inaptidão do candidato constituir-se-á, no prazo de 5 (cinco) dias, junta médica para nova inspeção, da qual poderá participar profissional indicado pelo interessado.

9.3. A indicação de profissional pelo interessado deverá ser feita no prazo de 5 (cinco) dias contados da ciência do laudo referido no subitem 9.1.

9.4. A junta médica deverá apresentar conclusão no prazo de 5 (cinco) dias contados da realização da inspeção.

9.5 . Não caberá qualquer recurso da decisão proferida pela junta médica.

9.6. Verificada a incompatibilidade entre a deficiência e as atribuições da FUNÇÃO-ATIVIDADE postulada, o candidato será eliminado do certame, e o próximo candidato classificado como portador de deficiência será convocado para a realização da perícia médica constante do subitem 9.1..

10. Será excluído da lista especial o candidato cuja deficiência assinalada no Formulário de Inscrição não se fizer constatada na forma do artigo 4º do Decreto Federal nº 3.298/99 e suas alterações, devendo o mesmo permanecer apenas na lista geral de classificação.

11. A não observância, pelo candidato, de qualquer das disposições deste Capítulo implicará a perda do direito a ser admitido para as vagas reservadas às pessoas com deficiência.

12. O laudo médico apresentado terá validade somente para este Concurso Público e não será devolvido.

13. Após a investidura do candidato, a deficiência não poderá ser arguida para justificar a concessão de readaptação, licença-saúde ou aposentadoria por invalidez.

14. Não haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado para justificar o atraso ou a ausência do candidato portador de deficiência à perícia médica de que trata o item 9 deste Capítulo.

CAPÍTULO V - DA PROVA

1. O Concurso Público será composto de acordo com o quadro adiante.

1.1. A Prova objetiva tem caráter eliminatório e classificatório.

FUNÇÃO-ATIVIDADE

COMPONENTES

QUANTIDADE DE QUESTÕES

ATENDENTES

Língua Portuguesa

20

Matemática

05

Noções de Informática

10

Atualidades

05

ATENDENTE (Pajem)

Língua Portuguesa

15

Matemática

10

Conhecimentos Específicos

15

OPERADOR EQUIPAMENTO HOSPITALAR

Língua Portuguesa

10

Matemática

05

Noções de Informática

10

Atualidades

05

Conhecimentos Específicos

10

AUXILIAR DE ENFERMAGEM

Língua Portuguesa

10

Matemática

10

Noções de Informática

05

Conhecimentos Específicos

15

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE, TÉCNICO DE ENFERMAGEM, TÉCNICO DE RADIOLOGIA, TÉCNICO DE LABORATÓRIO

Língua Portuguesa

10

Matemática

10

Noções de Informática

05

Conhecimentos Específicos

25

BIOLOGISTA, HISTOQUÍMICO E FÍSICOLíngua Portuguesa10
Atualidades05
Noções de Informática05
Conhecimentos Específicos40
ASSISTENTE SOCIAL, CIRURGIÃO-DENTISTA, ENFERMEIRO, FARMACÊUTICO, FISIOTERAPEUTA, FONOAUDIÓLOGO, NUTRICIONISTA, PSICÓLOGO, TÉCNICO DE ORTÓPTICA, TERAPEUTA OCUPACIONALAtualidades05
Política de Saúde10
Noções de Informática05
Conhecimentos Específicos80

CAPÍTULO VI - DA PROVA OBJETIVA

1. A prova objetiva visa avaliar o grau de conhecimento do candidato necessário para o desempenho das atribuições no IAMSPE, e versará sobre as atribuições da função-atividade e sobre o Conteúdo Programático constante no Anexo II deste Edital, e serão avaliadas na escala de 0 a 100 pontos. A prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, será composta de questões de múltipla escolha e terá duração de 03h e 30 min.

2.1. A prova objetiva será aplicada na data provável de 20/11/2011, no período da tarde e terá duração de 3h e 30min .

CAPÍTULO VII - DA PRESTAÇÃO DA PROVA

1. A data e os locais de realização da prova serão divulgados oportunamente por meio de Edital de Convocação a ser publicado no Diário Oficial do Estado - Poder Executivo - Seção I - Concursos.

1.1. A confirmação da data e as informações sobre horário e local para a realização da prova serão divulgadas oportunamente por meio de Edital de Convocação a ser publicado no DOE - Poder Executivo - Seção I - Concursos e no site: www.vunesp.com.br.

2. Nos 05 (cinco) dias que antecederem a data prevista da prova, o candidato deverá consultar o Edital de Convocação no DOE - Poder Executivo - Seção I - Concursos, ou no site www.iamspe.sp.gov.br, ou www.vunesp.com.br.

3. Se, por qualquer razão, o nome do candidato não constar no Edital de Convocação, o mesmo deverá entrar em contato com a Fundação VUNESP, por intermédio do telefone 11 (3874-6300), para verificar o ocorrido.

3.1. Ocorrendo o caso constante no item 4 deste Capítulo, poderá o candidato participar do Concurso e realizar a prova, caso apresente o respectivo comprovante de pagamento, efetuado nos moldes previstos neste Edital, devendo, no dia da prova, preencher, datar e assinar formulário específico.

3.2. A inclusão de que trata o item 3.1 será realizada de forma condicional, sujeita à posterior verificação quanto à regularidade da referida inscrição.

3.3. Constatada a irregularidade da inscrição, a inclusão do candidato será automaticamente cancelada, independente de qualquer formalidade, considerados nulos todos os atos decorrentes da inscrição.

4. Somente será permitida a participação do candidato na prova na respectiva data, horário e local constante do Edital de Convocação.

4.1. O candidato deverá comparecer ao local designado para a respectiva prova, constante do Edital de Convocação, com antecedência mínima de 30 (trinta) minutos, munido de:

a) original de um dos seguintes documentos de identificação com foto, conforme o caso: Cédula de Identidade (RG), Carteira de Órgão ou Conselho de Classe; ou Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) ou Certificado de Alistamento Militar ou Carteira Nacional de Habilitação expedida nos termos da Lei Federal nº 9.503/97 ou Passaporte;

b) comprovante de inscrição; e

c) caneta de tinta azul ou preta, lápis preto nº 2 e borracha macia.

4.2. Os documentos constantes da alínea "a" deverão estar em perfeitas condições, de forma a permitir, com clareza, a identificação do candidato.

4.3. Não serão aceitos protocolos, cópia dos documentos citados, ainda que autenticada.

4.3.1. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realização da prova, documento de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, deverá ser apresentado documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo, 30 (trinta) dias, ocasião em que será submetido à identificação especial, compreendendo coleta de dados, de assinaturas e de impressão digital em formulário próprio.

5. Não será admitido na sala de prova o candidato que se apresentar após o horário estabelecido no Edital de Convocação para o seu início.

6. Não haverá segunda chamada, seja qual for o motivo alegado para justificar o atraso ou a ausência do candidato, nem aplicação da prova fora do local, data e horário preestabelecidos.

6.1. O candidato não poderá alegar quaisquer desconhecimentos sobre a realização das provas como justificativa de sua ausência.

6.2. O não comparecimento na prova, qualquer que seja o motivo alegado, caracterizará desistência do candidato e resultará em sua eliminação do Concurso Público.

7. Será eliminado do Concurso Público o candidato que, durante a realização da prova, for surpreendido comunicando-se com outro candidato ou com terceiros, verbalmente, por escrito ou por qualquer outro meio de comunicação.

7.1. O inicio da prova será definido em cada sala de aplicação.

7.2. Durante a realização da prova não serão permitidas consultas bibliográficas de qualquer espécie, utilização de máquina calculadora, boné, gorro, chapéu, óculos de sol, agendas eletrônicas ou similares, telefone celular, BIP, pager, ou de qualquer material que não seja o estritamente necessário.

8. A candidata lactante que necessitar amamentar durante a realização da prova, poderá fazê-lo em sala reservada, desde que o requeira, observando os procedimentos constantes a seguir:

8.1. A candidata lactante deverá encaminhar sua solicitação até o término das inscrições, via Sedex ou Aviso de recebimento (AR), sito à Rua Dona Germaine Burchard, 515 - Água Branca - SP- CEP: 05002-062.

8.2. Não haverá compensação do tempo de amamentação em favor da candidata.

8.3. A criança deverá ser acompanhada, em ambiente reservado para esse fim, de adulto responsável por sua guarda (familiar ou terceiro indicado pela candidata).

8.4. Nos horários previstos para amamentação, a candidata lactante poderá ausentar-se temporariamente da sala de prova, acompanhada de uma fiscal.

8.5. Na sala reservada para amamentação, ficarão somente a candidata lactante, a criança e uma fiscal, sendo vedada a permanência de babás ou quaisquer outras pessoas que tenham grau de parentesco ou de amizade com a candidata.

8.6. O candidato que não fizer a solicitação da condição especial até o término das inscrições,seja qual for o motivo alegado, não terá a condição atendida.

9. Excetuada a situação prevista no item 8 deste Capítulo, não será permitida a permanência de qualquer acompanhante nas dependências do local de realização da prova, podendo ocasionar, inclusive, a não participação da candidata no Concurso Público.

10. Não haverá prorrogação do tempo previsto para a aplicação da prova em virtude de afastamento, por qualquer motivo, de candidato da sala de prova.

11. O candidato deverá conferir seus dados pessoais constante do Caderno de Prova e Folha de Resposta que, se necessitar de qualquer correção, deverá ser informado ao fiscal da sala que procederá de acordo com item 19.

12. No ato da realização da prova objetiva, o candidato receberá o Caderno de Questões e a Folha de Respostas, na qual deverá assinar no campo apropriado.

12.1. O candidato deverá transcrever as respostas para a Folha de Respostas, com caneta de tinta azul ou preta.

12.2. A Folha de Respostas, cujo preenchimento é de responsabilidade do candidato, é o único documento válido para a correção eletrônica e deverá ser entregue no final da prova ao fiscal de sala, sem emendas ou rasuras.

12.3. Não serão computadas questões não respondidas nem questões que contenham mais de uma resposta (mesmo que uma delas esteja correta) emendas ou rasuras, ainda que legíveis.

12.4. O candidato que tenha solicitado à Fundação Vunesp fiscal transcritor deverá indicar os alvéolos a serem preenchidos pelo Fiscal designado para tal finalidade.

13. Ao candidato não será permitido levar o Caderno de Questões.

14. Não deverá ser feita nenhuma marca fora do campo reservado às respostas ou à assinatura, pois qualquer marca poderá ser lida pelas leitoras ópticas, prejudicando o desempenho do candidato.

15. Durante a aplicação da prova, poderá ser colhida a impressão digital do candidato, sendo que impossibilitado de o candidato realizar o procedimento, este deverá registrar sua assinatura em campo predeterminado por três vezes.

16. Em hipótese alguma haverá substituição da Folha de Respostas por erro do candidato.

17. O candidato que estiver portando qualquer (quaisquer) equipamento(os) eletrônico(s) deverá desligá-lo(s) antes de entrar no prédio de aplicação da respectiva prova.

17.1. O candidato que, porventura, for surpreendido no prédio de prova utilizando quaisquer desse(s) aparelho(s) será excluído do Concurso.

17.2. O candidato que, porventura, receba telefonemas(s) ou mensagem(ns), no prédio de prova, será excluído do Concurso;

18. A FUNDAÇÃO VUNESP não se responsabilizará por danos, perda/extravio de documentos ou objetos.

19. Os eventuais erros de informações de nome, número de documento de identidade, data de nascimento, endereço e telefone deverão ser corrigidos no dia da realização da Prova, em formulário específico, que será entregue ao candidato, devendo o candidato datar e por sua assinatura.

19.1. O candidato que não solicitar as correções dos dados pessoais nos termos do item anterior deverá arcar, exclusivamente, com as consequências advindas de sua omissão

20. Após o término do prazo previsto para a duração da prova, não será concedido tempo adicional para o candidato continuar respondendo questão ou procedendo à transcrição para a Folha de Respostas.

21. Será excluído do Concurso Público o candidato que:

a) apresentar-se em local, data e após o horário estabelecido para a realização da prova;

b) não comparecer à prova, conforme convocação oficial seja qual for o motivo alegado;

c) não apresentar o documento de identificação, conforme previsto no subitem 4.1 deste Capítulo;

d) ausentar-se da sala de prova sem o acompanhamento de um fiscal, ou antes, de decorrido o prazo mínimo;

e) for surpreendido em comunicação com outras pessoas ou utilizando-se de calculadora, livros, notas ou impressos não permitidos, ou usando boné, gorro, chapéu ou óculos de sol;

f)estiver fazendo uso de qualquer tipo de equipamento eletrônico de comunicação;

g) lançar mão de meios ilícitos para executar a prova;

h) fizer anotação de informações relativas às suas respostas em qualquer material que não o fornecido pela Fundação VUNESP;

i) não devolver ao fiscal a Folha de Respostas;

j) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos;

k) estiver portando arma, ainda que possua o respectivo porte;

l) agir com incorreção ou descortesia para com qualquer membro da equipe encarregada da aplicação da prova.

CAPÍTULO VIII - DO JULGAMENTO DA PROVA OBJETIVA:

1. A Prova Objetiva será composta de Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos, e será de caráter eliminatório e classificatório.

2. A prova Objetiva de Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos será avaliada de acordo com o Anexo II (conteúdo programático).

3. Será considerado habilitado o candidato que obtiver 50 (cinquenta) pontos na prova objetiva, não podendo zerar em nenhum dos componentes da prova.

4. Os candidatos não habilitados na prova objetiva serão excluídos do Concurso.

5. Da divulgação dos Resultados constarão apenas os candidatos habilitados.

CAPÍTULO IX - DA PONTUAÇÃO FINAL

1. A pontuação final corresponderá ao total de pontos obtidos na prova objetiva.

CAPÍTULO X - DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE E DA CLASSIFICAÇÃO FINAL

1. Em caso de igualdade da pontuação final, serão aplicados, sucessivamente, os seguintes critérios de desempate ao candidato:

a) tiver idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, até o último dia da inscrição neste Concurso nos termos do parágrafo único do artigo 27, da Lei Federal nº 10.741/2003 (Estatuto do Idoso);

b) maior número de acertos na disciplina de Conhecimentos Específicos; se houver

c) maior número de acertos na disciplina de Política de Saúde; se houver

d) maior número de acertos na disciplina de Língua Portuguesa; se houver

e) maior número de acertos na disciplina de Matemática; se houver

f) maior número de acertos na disciplina de Atualidades; se houver

g) maior número de acertos na disciplina de Noções de Informática; se houver

g) maior número de filhos menores de 18 (dezoito) anos na data da inscrição.

2. Persistindo o empate, o que tiver maior idade, sendo considerada, para este fim, a data de realização da Prova.

3. Os candidatos classificados serão enumerados em duas listas, sendo uma geral (todos os candidatos aprovados, inclusive os declarados portadores de necessidades especiais) e outra especial (portadores de necessidades especiais aprovados).

4. O candidato cuja deficiência não for configurada constará apenas da Lista de Classificação Final Geral.

4.1. Não ocorrendo no Concurso Público aprovação de candidatos portadores de deficiência será elaborada somente a Lista de Classificação Final Geral.

5. A Comissão Especial para Concurso Publico publicará no Diário Oficial do Estado de São Paulo - Poder Executivo - Seção I - Concursos, e no site www.iamspe.sp.gov.br a lista dos candidatos habilitados e classificados de acordo com os itens 3 e 4 deste Capítulo.

5.1. O candidato também poderá consultar a lista dos habilitados e classificados através do site www.vunesp.com.br.

6. A critério da Administração, observado o prazo de validade deste Concurso e o número de vagas fixadas no item 1, do Capítulo I, poderá ocorrer aproveitamento de candidatos classificados conforme previsto no item 3.

CAPÍTULO XI - DOS RECURSOS

1. O prazo para interposição de recurso será de 2 dias úteis, contados do 1º dia útil subsequente à data da publicação ou do fato que lhe deu origem.

2. O candidato que interpuser recurso contra gabarito e o resultado da prova objetiva do Concurso Público, deverá utilizar somente o campo próprio para interposição de recursos, no endereço www.vunesp.com.br, na página específica do Concurso, e seguir as instruções ali contidas.

2.1. A pontuação relativa à(s) questão(ões) anulada(s) será atribuída a todos os candidatos presentes na prova objetiva.

2.2. No caso de provimento do recurso interposto dentro das especificações, esse poderá, eventualmente, alterar a nota/classificação inicial obtida pelo candidato para uma nota/classificação superior ou inferior, ou ainda poderá ocorrer a desclassificação do candidato que não obtiver a nota mínima exigida para habilitação.

2.3. A decisão do deferimento ou indeferimento de recurso será publicada no Diário Oficial do Estado, e disponibilizada no site www.vunesp.com.br.

3. A Banca Examinadora constitui última instância para os recursos, sendo soberana em suas decisões, razão pela qual não caberão recursos adicionais.

4. O recurso interposto fora da forma e dos prazos estipulados neste Edital não será conhecido, bem como não será conhecido aquele que não apresentar fundamentação e embasamento, ou aquele que não atender às instruções constantes do "link" Recursos, na página específica do Concurso Público.

5. Não será aceito recurso interposto por meio de fax, e-mail, protocolado pessoalmente ou por qualquer outro meio, além do previsto neste Capítulo.

6. Não será aceito pedido de revisão de recurso e/ou recurso de recurso.

7. Não haverá, em hipótese alguma, vistas de prova.

CAPÍTULO XII - DA APROVAÇÃO

1. Serão considerados aprovados no concurso apenas os candidatos habilitados e classificados na prova objetiva.

CAPÍTULO XIII - DA HOMOLOGAÇÃO

1. O resultado final deste concurso será homologado pelo IAMSPE e publicado no Diário Oficial do Estado, em duas listas, em ordem classificatória, com pontuação: uma geral, contendo a classificação de todos os candidatos, e outra especial, contendo apenas a classificação dos portadores de necessidades especiais.

2. Caberá ao Superintendente do IAMSPE a homologação dos resultados finais este Concurso Público.

CAPÍTULO XIV - DA ADMISSÃO

1. A admissão será composta por 02 (duas) etapas:

1.1. Convocação para anuência de vaga e agendamento para exame admissional.

1.2. Convocação para integração, assinatura de contrato e agendamento do treinamento.

1.3. O não comparecimento em uma das etapas o candidato será considerado desclassificado.

2. São requisitos para a admissão, que serão verificados no ato da contratação:

2.1. Ser brasileiro nato, naturalizado ou gozar das prerrogativas previstas no artigo 12 da Constituição Federal;

2.2. Ter idade mínima de 18 (dezoito) anos completos até a data da contratação;

2.3. Não ter contrato de trabalho rescindido por justa causa, bem como não ter sido demitido ou exonerado a bem do serviço público (federal, estadual ou municipal);

2.4. Estar em dia com a Justiça eleitoral;

2.5. Estar em dia com as obrigações do serviço militar, se do sexo masculino;

2.6. Estar em dia com os direitos civis e políticos;

2.7. Estar com o Cadastro de Pessoa Física regular;

2.8. Não registrar antecedentes criminais;

2.9. Ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições da função-atividade, comprovada por inspeção médica oficial realizada por profissionais designados pelo IAMSPE;

2.9.1. O candidato convocado para admissão, após comprovação dos requisitos de ingresso, deverá ser submetido, obrigatoriamente, por exame médico pré-admissional.

2.9.2 O exame médico pré-admissional será realizado em data(s), local(is) e horário(s) pré-determinados(s) pelo IAMSPE, sem possibilidade de alteração.

2.9.3. O exame médico pré-admissional terá caráter eliminatório, considerando-se as condições de saúde necessárias para o exercício das atividades inerentes à função-atividade.

2.9.4. O IAMSPE poderá solicitar exames complementares, se julgar necessário.

2.10. Possuir, no ato da contratação, a escolaridade exigida para a função-atividade e, quando for o caso, o registro do Conselho.

3. As admissões ocorrerão de acordo com a necessidade do IAMSPE respeitando-se, rigorosamente, o número de vagas disponibilizadas neste Edital e a ordem de classificação final dos candidatos habilitados no Concurso Público.

4. Os candidatos deverão acompanhar as convocações para a admissão, por meio das publicações no Diário Oficial do Estado -Poder Executivo- Seção I - Concursos, e no site do IAMSPE, não podendo alegar qualquer tipo de desconhecimento.

4.1. No caso de não opção por uma das vagas disponíveis, o candidato deverá formalizar sua desistência conforme modelo adiante, devendo ser preenchido de próprio punho.

MODELO

Concurso:______________
Nome do Candidato:__________________________
Nº do Documento de Identidade:________________
Classificação: ___________
Cargo: _____________________________________
Motivo da desistência:____________________________________________________________
Data ___/___/___
Assinatura: _________________________________

4.2. O candidato que não atender à convocação na data, hora e local determinados, estará automaticamente excluído do Concurso.

5. Os candidatos que já exercem cargo ou função no serviço público em geral poderão ser contratados após consulta ao Núcleo de Planejamento e Controle de Recursos Humanos, e publicação de parecer favorável desse Núcleo no Diário Oficial do Estado.

5.1. No ato da convocação para anuência, o candidato aprovado deverá assinar Declaração de Não Cumulatividade, ou Declaração de Cumulatividade, para os fins previstos na legislação pertinente.

6. Os candidatos convocados deverão fazer prova dos requisitos exigidos para a contratação, de acordo com o item 2 deste Capítulo, e mediante entrega de cópia reprográfica simples acompanhada do original dos seguintes documentos:

6.1. Carteira de Identidade (RG), comprovando ter, no mínimo, 18 anos de idade completos (na data da admissão);

6.2. Título de Eleitor acompanhado dos dois últimos comprovantes de votação, ou de Certidão de Quitação Eleitoral;

6.3. Certificado de Reservista de 1ª ou 2ª Categoria ou Certificado de Dispensa de Incorporação ou de Isenção do Serviço Militar, se do sexo masculino;

6.4. Cadastro de Pessoa Física regularizado (CPF);

6.5. Cartão do PIS/PASEP, se possuir;

6.6. Certidão de antecedentes criminais;

6.7. Comprovante de endereço (contas de consumo);

6.8. Certificado de curso de graduação;

6.9. Registro no Conselho de Classe;

6.10. Comprovação de experiência profissional quando exigida, por meio de:

a) Carteira de Trabalho;

b) Contratos de prestação de serviços, papel timbrado;

c) Publicações no Diário Oficial que demonstrem a posse e exoneração em cargos públicos, acompanhadas pela descrição das atividades correspondentes aos cargos, constante do edital do concurso público ou de lei, decreto ou outro ato normativo; ou

d) Atestados fornecidos por pessoa jurídica de direito público ou privado, assinados pelo representante da instituição, com firma reconhecida, que indique as atividades realizadas pelo candidato e o período de sua execução.

I. O atestado deverá incluir, necessariamente, razão social do emitente; identificação completa do profissional beneficiado; descrição da função-atividade, cargo ou função e as principais atividades desenvolvidas; local e período (início e fim) de realização das atividades; assinatura e identificação do signatário; número de telefone e endereço eletrônico do signatário para eventual consulta.

e) não serão considerados como comprovantes de experiência os certificados de participação em estágios e cursos de aperfeiçoamento.

6.11. Outros documentos que o IAMSPE julgar necessários.

7. O candidato admitido pelo IAMSPE assinará contrato de experiência de 45 (quarenta e cinco) prorrogáveis por mais 45 (quarenta e cinco) dias, sob regime da Consolidação das Leis do Trabalho (Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943).

7.1. Durante o período de vigência do contrato de experiência o candidato admitido será avaliado pela sua gerência imediata, para verificação de sua adaptação e adequação ao desempenho das atribuições, considerando os seguintes fatores: capacitação profissional, relacionamento interpessoal, comprometimento e responsabilidade.

7.2. O candidato que, ao término do contrato de experiência, não tiver avaliação satisfatória, não terá seu contrato de experiência prorrogado para contrato de trabalho por prazo indeterminado.

8. O candidato que, por qualquer motivo, não iniciar o período de experiência no prazo determinado pelo IAMSPE perderá o direito à vaga.

9 O candidato admitido somente poderá solicitar transferência de unidade de exercício após 01 (um) ano de efetivo exercício, conforme artigo 27, Seção V - Mobilidade Funcional, estabelecido na Portaria IAMSPE nº 37/2011, a contar da data da sua admissão, levando-se em conta a compatibilidade da função-atividade e a conveniência do IAMSPE.

CAPÍTULO XV - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

1. A inexatidão dos dados fornecidos pelo candidato, a não apresentação, ou a irregularidade na documentação, mesmo que verificada a qualquer tempo, eliminará o candidato do Concurso Público, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrição.

2. O candidato será considerado desistente e excluído tacitamente do Concurso Público quando não comparecer às convocações nas datas estabelecidas.

3. A aprovação e a classificação definitiva geram, para o candidato, apenas a expectativa de direito à admissão.

4. O prazo de validade deste Concurso Público será de 2 (dois) anos, contados da data da sua homologação, podendo ser prorrogado, a critério do IAMSPE, uma única vez e por igual período.

5. Os itens deste Edital poderão sofrer eventuais atualizações ou retificações, enquanto não consumada a providência ou evento que lhes disser respeito, circunstância que será mencionada em Edital ou Aviso a ser publicado no DOE.

6. As informações sobre o presente Concurso Público, após a competente homologação do resultado final, serão de responsabilidade do IAMSPE.

7. Em caso de necessidade de alteração, atualização ou correção de algum dado cadastral, o candidato deverá solicitá-la junto ao Núcleo de Seleção e Desenvolvimento de Recursos Humanos do IAMSPE, à Avenida Ibirapuera, 981 - 4º andar - Vila Clementino - CEP: 04029-000.

8. A Fundação VUNESP se exime de quaisquer despesas decorrentes de viagens, estadias e alimentação dos candidatos para comparecimento a qualquer da fase deste Concurso Público, bem como da responsabilidade sobre material e ou documentos eventualmente esquecidos ou danificados no local de prova.

9. Não será fornecido ao candidato qualquer documento comprobatório de classificação no Concurso, valendo, para esse fim, as listagens divulgadas no DOE.

10. Todos os editais, avisos e resultados oficiais, referentes à realização deste Concurso Público, serão publicados no DOE - Poder Executivo - Seção I - Concursos, e disponibilizados no site do IAMSPE, sendo de inteira responsabilidade do candidato o seu acompanhamento, não podendo ser alegada qualquer espécie de desconhecimento.

11. A legislação com entrada em vigor após a data da publicação deste Edital, bem como alterações posteriores, não serão objeto de avaliação da prova deste concurso.

12. Toda menção a horário neste Edital e em outros atos dele decorrentes terá como referência o horário oficial de Brasília.

13. O IAMSPE não se responsabilizará por eventuais prejuízos ao candidato decorrentes de:

a) endereço não atualizado;

b) endereço de difícil acesso;

c) correspondência devolvida pela ECT por razões diversas de fornecimento e/ou endereço errado do candidato;

d) correspondência recebida por terceiros;

e) objetos esquecidos ou danificados durante a aplicação da prova.

14. Os questionamentos relativos a casos omissos ou duvidosos serão julgados pela Comissão Especial para Concurso, do IAMSPE.

15. Decorridos 120 (cento e vinte) dias da data da homologação e não caracterizando óbice, é facultada a incineração das provas e dos demais registros escritos, mantendo-se, porém, pelo prazo de validade do Concurso Público, os registros eletrônicos.

16. Sem prejuízo das sanções criminais cabíveis a qualquer tempo, o IAMSPE poderá anular a inscrição, prova ou admissão do candidato, se verificadas falsidades de declaração ou irregularidade no Certame.

17. O IAMSPE reserva o direito de proceder às convocações dos candidatos aprovados para as admissões em número que atenda aos interesses e às necessidades de seus serviços, de acordo com a disponibilidade orçamentária e as funções-atividades existentes, durante o período de validade do Concurso Público.

18. As funções-atividades que constam como vaga para cadastro reserva, os candidatos serão convocados de acordo com a criação de vagas ou as que vagarem durante a validade do concurso.

19. Para o preenchimento das funções-atividades em aberto, terão prioridade os candidatos remanescentes dos concursos em validade.

E, para que ninguém possa alegar desconhecimento, é expedido o presente Edital.

São Paulo, 11 de agosto de 2011

ANEXO I - DAS ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES-ATIVIDADES

ATENDENTE (Pajem)
CENTRO DE CONVIVÊNCIA INFANTIL- CAPITAL - SÃO PAULO

Manter as crianças sempre limpas e higienizadas; Dar banho; Acompanhar ao banheiro, na lavagem das mãos, na troca das fraldas e na escovação dos dentes; Dar atividades próprias para cada faixa etária, bem como cantar, contar estórias, fazendo com que todas as crianças participem; Alimentá-las, incentivando-as sempre para que aceitem uma alimentação variada e saudável; Nunca se ausentar do setor sem autorização prévia e aguardar sua substituição; Ter noções dos direitos das crianças, respeitando seus limites e suas necessidades enquanto ser individual e único; Preencher a ficha diária de ocorrências; Detectar as diversas necessidades da criança e atendê-las.

ATENDENTE

Núcleo de Farmácia - CAPITAL - SÃO PAULO
Atender balcão. Transportar produtos para as diversas unidades do Hospital. Encaminhar documentos. Auxiliar na organização das prateleiras e do estoque em geral. Atender telefone. Auxiliar na rotina geral da unidade.

ATENDENTE

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
Executar serviços auxiliares diversos, segundo a unidade em que estiver lotado. Prestar serviços de apoio. Entregar correspondência interna nas dependências do hospital. Prestar atendimento telefônico e fornecer informações gerais sobre anuidade.

ATENDENTE (ANATOMIA PATOLÓGICA)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Executa serviços auxiliares diversos de acordo com a unidade em que estiver lotado. Presta serviço de apoio como arquivamento de blocos e lâminas, auxiliando na organização dos arquivos do Serviço. Executa limpeza e organização das bancadas, instrumentos e equipamentos das salas de macroscopia, técnica histológica e congelação. Faz o abastecimento do material de reposição indo ao almoxarifado buscar os materiais de consumo necessários.

AUXILIAR DE ENFERMAGEM
HSPE/ CAPITAL E CEAMAS/INTERIOR - SÃO PAULO

Cumprir e fazer cumprir o Regimento do IAMSPE. Cumprir e fazer cumprir diretrizes, normas e rotinas e técnicas padronizadas pela Divisão de Enfermagem. Observar e fazer observar absoluto respeito à hierarquia funcional. Observar os padrões técnicos, éticos e deontológicos ao desenvolver suas atividades profissionais. Participar de passagem de plantão, registrando a assistência prestada aos pacientes, bem como as demais ocorrências do setor. Realizar a recepção e internação dos pacientes, acolhendo-os de forma agradável, proporcionando-lhes ambiente favorável a seu tratamento e recuperação da saúde, observando-se as rotinas estabelecidas no setor. Visitar diariamente os pacientes executando cuidados individualizados, planejados de acordo com os padrões estabelecidos. Auxiliar o enfermeiro sempre que necessário nos procedimentos de alta complexidade técnica. Auxiliar o médico sempre que necessário, e assistir o paciente em exames gerais e especializados. Preparar pacientes para consulta, exames e tratamentos. Atender os pacientes e familiares em suas solicitações com cordialidade e respeito. Executar a assistência da Enfermagem, de acordo com a escala diária de trabalho. Executar tratamentos especificamente prescritos ou de rotina e demais atividades de enfermagem. Anotar no prontuário do paciente com clareza e precisão as observações feitas, os cuidados e procedimentos de Enfermagem realizados. Zelar para que os aparelhos e equipamentos sejam mantidos em perfeitas condições. Cuidar, guardar e controlar os gastos de materiais do setor. Zelar pela ordem e limpeza do ambiente de trabalho. Participar dos programas de Educação em Serviço. Integrar-se a missão da unidade atendendo a sua prioridade. Manter bom entrosamento com a equipe multiprofissional e demais unidades do IAMSPE. Manter bom relacionamento com os alunos que utilizam as unidades de Enfermagem, como campo de estágio. Desempenhar tarefas afins, quando o serviço exigir.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (Anatomia Patológica)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Necroscopia: identificar o corpo, verificando o número do registro. Realizar a necropsia propriamente dita sob a supervisão do médico. Lavar o corpo e recolocá-lo na maca devidamente identificado. Limpeza e anti-sepsia dos materiais retirados. Preservação da higiene e ordem na sala de necropsia. Formolização do cadáver, conforme procedimentos do HSPE. Preparar soluções químicas utilizadas para preservação e descalcificação das peças. Zelar pela manutenção da limpeza e conservação dos equipamentos da sala de necropsia. Arquivar blocos e lâminas. Transportar peças e lâminas do laboratório para o necrotério e vice-versa. Cuidar do arquivamento dos blocos, lâminas e peças, no necrotério e no laboratório. Proceder à dispensa de materiais estocados, segundo determinação expedida. Colaborar com os funcionários da área técnica como auxiliares, após recebimento de treinamento específico, observando o devido ligamento e funcionamento dos equipamentos automáticos no período de sua permanência no Serviço. Durante o plantão responsabilizar-se pelo atendimento telefônico e dos funcionários do Hospital. Realizar treinamento em estágio para aprimoramento técnico quando necessário.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE
Núcleo de Farmácia - CAPITAL - SÃO PAULO

Atendimento ao público. Dispensação de medicamentos. Controle de estoque. Recebimento, conferência, organização das prateleiras e dispensação dos medicamentos para pacientes internados e ambulatoriais. Auxiliar no preparo de diluições. Auxiliar da rotina geral da unidade.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (Medicina Física)
HSPE - CAPITAL - SÃO PAULO

Zelar pela conservação dos equipamentos e materiais, retirando-os e guardando-os após o uso aos seus respectivos lugares. Encaminhar os pacientes ao tratamento necessário, colocando-os em condições de receber tratamento nos boxes e ginásios de fisioterapia. Desempenhar funções auxiliares de transporte e transferência de pacientes nas enfermaria e ambulatório. Atividades de força física para transferir pacientes às cadeiras de rodas, macas e pranchas ortostáticas. Auxiliar os pacientes incapacitados na colocação e retirada de próteses e órteses nos boxes e ginásios de tratamento.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (Ortopedia)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Auxiliar ou fazer transporte de pacientes com imobilizações, da ambulância ou outro tipo de veículo automotor para o Ambulatório, Enfermaria ou Pronto-Socorro e vice-versa. Fazer vários tipos de imobilizações (enfaixamentos, talas gessadas, trações cutâneas, inclusive gessos circulares), sempre com a supervisão do médico ortopedista. Retirar os diversos tipos de imobilizações e fazer a limpeza da região imobilizada e auxiliar ou fazer a transferência do paciente da mesa para a maca. Registrar os diversos tipos de material utilizado (malha tubular, algodão ortopédico, ataduras de crepe e gesso, gazes etc.) em cada paciente. Providenciar a reposição dos materiais utilizados nas imobilizações. Cuidar do instrumental para a confecção de aparelhos gessados (serra de gesso, tesouras para gesso, abridor de gesso, alicate bico de pato etc.), mantendo-o limpo e em condições de uso. Cuidar dos diversos tipos de impressos (receituários, requisições de exames, folhas próprias para internação e encaminhamento para Sala de Gesso, Ambulatório ou Pronto Socorro). Cuidar e repor materiais para a limpeza, curativos, anti-sepsias e anestésicos para anestesias locais ou punções (seringas, agulhas, gazes, esparadrapos etc.). Instruir o paciente e familiares quanto aos cuidados com imobilização (não sujar, não molhar). Orientar o paciente quanto ao retorno ao Pronto Socorro ou Ambulatório conforme determinação do médico.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM
HSPE E PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

Cumprir e fazer cumprir o Regimento do IAMSPE. Cumprir e fazer cumprir diretrizes, normas e rotinas e técnicas padronizadas pela Divisão de Enfermagem. Observar e fazer observar absoluto respeito à hierarquia funcional. Observar os padrões técnicos, éticos e deontológicos ao desenvolver suas atividades profissionais. Participar de passagem de plantão, registrando a assistência prestada aos pacientes, bem como as demais ocorrências do setor. Responsabilizar-se pela recepção e internação dos pacientes, acolhendo-os de forma agradável, proporcionando-lhes ambiente favorável a seu tratamento e recuperação da saúde, observando-se as rotinas estabelecidas no setor. Orientar pacientes e familiares quanto ao tratamento, rotinas e regulamentos da Instituição. Visitar os pacientes e participar da programação de Assistência de Enfermagem, executando cuidados individualizados planejados de acordo com os padrões estabelecidos. Participar da execução dos procedimentos médicos sempre que necessário. Anotar no prontuário do paciente com clareza e precisão as observações feitas, os cuidados e procedimentos de Enfermagem realizados. Manter bom entrosamento com a equipe multiprofissional e demais unidades do IAMSPE. Executar a assistência de Enfermagem, de acordo com a escala diária de trabalho. Participar dos programas de Educação em Serviço. Manter bom relacionamento com os alunos que utilizam as unidades de Enfermagem, como campo de estágio. Cuidar, guardar e controlar os gastos de materiais do setor. Zelar para que os aparelhos e equipamentos sejam mantidos em perfeitas condições. Comparecer às reuniões as quais for convocado. Desempenhar tarefas afins, quando o serviço exigir.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO (Anatomia Patológica)
HSPE - CAPITAL - SÃO PAULO

Preparo e limpeza dos processadores de tecidos. Colocação dos materiais nos processadores. Preparação de colorações: HE, Papanicolau, colorações especiais, descalcificador e fixadores não convencionais. Preparo, limpeza e manutenção das baterias de coloração. Checagem das cápsulas e rótulos. Inclusão em parafina, identificação e preparo dos blocos para corte. Execução dos cortes dos blocos parafinados em micrótomo. Coloração, montagem e identificação das lâminas. Preparo de esfregaços e citológicos de líquidos com coloração, montagem e identificação das lâminas. Arquivamento dos blocos por ordem numérica em recipientes adequados. Entrega das lâminas em bandejas disponíveis no setor. Arquivamento das lâminas. Colaboração na organização e limpeza do ambiente de trabalho. Cuidados gerais e limpeza do instrumental e dos equipamentos. Colaboração com a higiene e segurança. Uso de equipamento individual de proteção. Descarte adequado dos materiais após orientação. Colaborar com a equipe técnica, médica e demais funcionários. Preservar o ambiente do Serviço, coibindo atitudes e atividades desaconselhadas.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO (Laboratório Clínico)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Realizações de exames laboratoriais.

OPERADOR DE EQUIPAMENTO HOSPITALAR (ECG)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Orientar e realizar exames de eletrocardiografias em pacientes internados e ambulatoriais, mediante solicitação médica, bem como apurar, organizar e digitar os resultados dos exames obtidos para agilizar e facilitar o diagnóstico médico.

TÉCNICO DE RADIOLOGIA (Radioterapia)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Organizar equipamento, sala de exame e material. Averiguar condições técnicas de equipamentos e acessórios. Calibrar aparelhos nos seus padrões determinados. Averiguar a disponibilidade de material para exame. Realizar os procedimentos radiológicos e radioterápicos. Executar o tratamento radioterápico de acordo com as especificações da ficha técnica e rotina do atendimento estabelecido, efetuar as correções de campos de irradiação, mantendo de forma adequada à tatuagem de identificação nos pacientes. Receber, orientar e posicionar o paciente para dar início ao tratamento radioterápico. Participar em conjunto com o médico radioterapeuta e o físico médico sobre o planejamento e programação do tratamento. Conferir os cálculos da programação antes do início do tratamento. Registrar a execução dos procedimentos em livro específico e na ficha técnica do paciente. Operar os painéis de controle dos aparelhos de tratamento radioterápicos. Participar da feitura das máscaras nos pacientes e na confecção de colimadores de liga de Cerobend. Processar filme na câmara escura. Comunicar o médico sobre a evolução do tratamento radioterápico. Manter sempre em ordem os aparelhos de radioterapia , bem como anotar em livro próprio qualquer defeito ou problema que ocorrer com o aparelho de terapia. Instruir o paciente sobre a preparação para o exame. Obter informações do paciente. Orientar o paciente. Trabalhar com biossegurança. Providenciar limpeza e assepsia da sala e dos equipamentos. Paramentar-se. Usar EPI. Oferecer recursos de proteção a outros profissionais presentes e acompanhantes. Usar dosímetro. Cumprir procedimentos administrativos. Respeitar hierarquia do Serviço de Radioterapia e do Hospital. Executar outras tarefas de mesma natureza e nível de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

TÉCNICO DE RADIOLOGIA (Medicina Nuclear)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Manipular e administrar Radiofármacos. Realizar exames. Controlar a qualidade dos equipamentos.

ASSISTENTE SOCIAL
HSPE e PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

Planejar e executar atividades de Serviço Social voltadas para a promoção do usuário no processo saúde-doença baseadas na política do Serviço Social e da Instituição. Proceder às entrevistas individuais com pacientes e familiares. Orientar e encaminhar pacientes e familiares às redes de serviços da comunidade. Realizar visitas domiciliares. Realizar interface com recursos da comunidade, visando ao encaminhamento do usuário e alimentação do sistema informatizado de recursos. Integrar e desenvolver atividades com a equipe multiprofissional/interdisciplinar.

BIOLOGISTA (ANATOMIA PATOLÓGICA)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Leitura e diagnóstico de triagem de preparados citológicos cérvico-vaginais. Integrar a equipe técnica e a equipe médica da área. Colaboração no ensino a aprimorandos do setor e assessoria da equipe médica em trabalhos de pesquisa a critério da Diretoria do Serviço.

BIOLOGISTA (MACROSCOPIA - ANATOMIA PATOLÓGICA)-
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Realizar exames macroscópicos de biópsias e peças cirúrgicas de baixa complexidade, para assessorar equipe médica do Serviço, na execução dos procedimentos de rotina em macroscopia. Manutenção e cuidados com instrumental e equipamentos. Colaborar na organização, limpeza e preparo de soluções básicas utilizadas pelo setor. Colaborar com a segurança. Usar equipamentos de proteção individual. Colaborar em outras áreas, condizentes com a titulação exigida, a critério da Diretoria do Serviço.

CIRURGIÃO-DENTISTA (Cirurgião de Buco Maxilo Facial)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Atendimento ambulatorial (Consultas gerais, tratamento de DTM, Ronco e Apnéia), Pronto Socorro Odontológico ( clínica odontológica geral), Pronto Socorro de Buco Maxilo, Interconsultas. Cirurgia oral maior, Cirurgia oral menor

CIRURGIÃO-DENTISTA (Estomatologia Clínica))
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO)

Atendimento odontológico em Estomatologia Clínica; Pronto Socorro Odontológico (clínica odontológica geral), Pronto Socorro de Buco Maxilo Facial, Interconsultas. Atendimento ambulatorial geral; cirurgia oral menor.

CIRURGIÃO-DENTISTA
(atendimento odontológico para pacientes com necessidades especiais)
HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL
CAPITAL - SÃO PAULO

Atendimento odontológico de pacientes portadores de necessidades especiais, em nível ambulatorial e em centro cirúrgico; Pronto Socorro Odontológico (clínica odontológica geral), Pronto Socorro de Buco Maxilo Facial, Interconsultas. Atendimento ambulatorial geral; cirurgia oral menor.

ENFERMEIRO
HSPE e PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

Cumprir e fazer cumprir o Regimento Interno do IAMSPE. Cumprir e fazer cumprir diretrizes, normas e rotinas e técnicas padronizadas pela Divisão de Enfermagem. Observar e fazer observar absoluto respeito à hierarquia funcional. Manter controle administrativo, técnico, operacional e deontológico sobre as diversas atividades de Enfermagem desenvolvidas no setor. Coordenar a passagem de plantão, registrando a assistência individualizada aos pacientes, bem como as demais ocorrências do setor. Responsabilizar-se pela recepção dos pacientes acolhendo-os de forma agradável, proporcionando-lhes ambiente favorável a seu tratamento e recuperação da saúde. Orientar pacientes e familiares quanto ao tratamento, rotinas e regulamentos da Instituição. Visitar os paciente e verificar as necessidades assistenciais, elaborando, coordenando, executando e avaliando o desempenho dos cuidados individualizados de Enfermagem, planejados de acordo com os padrões estabelecidos. Prestar assistência integral aos pacientes sempre que houver necessidade. Participar da visita médica aos pacientes, inteirando-se de seus diagnósticos, evolução clínica e tratamentos indicados. Participar da execução dos procedimentos médicos que sempre necessário. Manter bom entrosamento com a equipe multiprofissional do IAMSPE. Liderar a equipe, coordenando suas atividades para que a assistência prestada aos pacientes esteja de acordo com os padrões estabelecidos. Elaborar a cada escala diária de trabalho, distribuir e orientar os funcionários quanto à execução da mesma. Sugerir a aplicação de medidas disciplinares quando a situação o exigir. Desenvolver-se profissionalmente, através de cursos de aperfeiçoamento e realizar pesquisas em Enfermagem. Participar dos programas de educação em serviço. Participar de bancas examinadoras de processos seletivos de pessoal para a Divisão de Enfermagem. Colaborar com as Escolas de Enfermagem e outras Instituições Educacionais que utilizam o Hospital como campo de estágio. Responsabilizar-se pela guarda, gastos e controle de materiais de consumo e permanente do seu setor. Testar e emitir parecer sobre a qualidade de materiais encaminhados pela Comissão de Teste de Material. Zelar para que os aparelhos e equipamentos sejam mantidos em perfeitas condições de funcionamento, verificando os consertos necessários. Comparecer às reuniões para quais for convocada. Desempenhar tarefas afins quando o serviço a exigir.

ENFERMEIRO
CEDEP - CAPITAL - SÃO PAULO

Cumprir e fazer cumprir o Regimento do IAMSPE. Cumprir e fazer cumprir diretrizes, normas e rotinas e técnicas padronizadas pela Divisão de Enfermagem do HSPE/IAMSPE. Observar e fazer observar absoluto respeito à hierarquia funcional. Manter controle administrativo, técnico, operacional, ético e deontológico sobre as diversas atividades de Enfermagem desenvolvidas no setor. Orientar pacientes e familiares quanto ao tratamento, rotinas e regulamentos da Instituição, quando necessário. Planejar e ministrar aulas nos dias letivos e horas-aula estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional. Planejar e supervisionar estágio das diversas unidades de ensino nos dias letivos e horas-estágio estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional. Avaliar o rendimento dos alunos de acordo com o regimento escolar. Participar das atividades cívicas, sociais, culturais e esportivas. Participar de reuniões pedagógicas e técnico-administrativas. Participar do planejamento geral da escola. Contribuir para o melhoramento da qualidade do ensino. Participar da escolha do material didático. Participar de palestras, seminários, congressos, encontros pedagógicos, capacitações, cursos, e outros eventos da área educacional e correlatos. Zelar pela integridade física e moral do aluno. Participar da elaboração e avaliação de propostas curriculares. Elaborar projetos pedagógicos. Participar de reuniões interdisciplinares. Confeccionar material didático. Realizar atividades extraclasse em bibliotecas, laboratórios e outros. Organizar e realizar visitas técnicas com os alunos de acordo com a unidade de ensino. Selecionar, apresentar a avaliar conteúdos e estratégias de ensino. Participar do processo de inclusão do aluno portador de necessidades especiais no ensino profissional. Incentivar os alunos a participarem de concursos, feiras culturais e similares. Realizar atividades de articulação da escola, instituição de saúde e a comunidade. Orientar e incentivar o aluno para a pesquisa. Participar do conselho de classe. Preparar o aluno para o exercício da cidadania. Incentivar o gosto pela leitura. Desenvolver a auto-estima do aluno. Participar da elaboração e aplicação do regimento da escola. Participar da elaboração, execução e avaliação do projeto pedagógico da escola. Orientar o aluno quanto a conservação da escola e dos seus equipamentos. Propor a aquisição de equipamentos que venham favorecer às atividades de ensino-aprendizagem. Planejar e realizar atividades de recuperação para os alunos de menor rendimento. Analisar dados referentes à recuperação, aprovação, reprovação e evasão escolar. Participar de estudos e pesquisas em sua área de atuação. Manter atualizados os registros de aula, freqüência e de aproveitamento escolar do aluno. Zelar pelo cumprimento da legislação escolar e educacional. Zelar pela manutenção e conservação do patrimônio escolar. Apresentar propostas que visem a melhoria da qualidade de ensino. Participar da gestão democrática da unidade escolar. Planejar e desenvolver atividades de treinamento, desenvolvimento e outras atividades de ensino voltadas à atualização e/ou aprimoramento dos profissionais de enfermagem do IAMSPE. Participar das atividades da Educação Continuada. Executar outras atividades correlatas.

ENFERMEIRO
CEAMAS/INTERIOR

Prestar assistência médica ambulatorial, com ênfase em pacientes portadores de doenças crônicas e degenerativas não transmissíveis. Participar da coordenação do Programa de Gerenciamento de Paciente Crônico junto com a equipe interdisciplinar do CEAMA. Participar de atividades preventivas e de promoção de saúde no CEAMA sempre que necessário.

FARMACÊUTICO

Núcleo de Farmácia - CAPITAL - SÃO PAULO

Dispensar os medicamentos e correlatos interpretando e avaliando as prescrições dos pacientes internados e ambulatoriais. Quando necessário, interagir com o médico responsável pela prescrição do paciente tanto internado quanto ambulatorial. Supervisionar o fracionamento e estocagem de medicamento. Orientar profissionais da área de saúde sobre o uso corretor dos medicamentos. Preparo e diluição de soluções. Manipular e/ou fracionar medicamentos quimioterápicos. Supervisionar a execução de todos os trabalhos executados na unidade. Responsabilizar-se pela disciplina e frequencia dos servidores lotados na unidade.Desenvolver atividades de atenção farmacêutica.Atuar em equipes multidisciplinares.Realizar atividades de farmaco-vigilância na detecção de reações adversas a medicamentos.Exercer outras atividades correlatas.

FARMACÊUTICO (LABORATÓRIO CLÍNICO)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
Supervisão do Setor e liberação dos resultados dos exames. Preceptoria e ensino de residentes, aprimorandos e estagiários. Educação continuada para os funcionários do Setor. Administração dos recursos humanos do Setor. Administração dos recursos materiais do Setor. Administração dos recursos físicos do Setor. Controle de estoque e compra de insumos. Implantam e monitoram todos os programas de controle de qualidade internos e/ou externos que se façam necessários para o bom funcionamento do Setor. Atendem e/ou orientam pacientes, enfermeiros e médicos do Hospital ao telefone e/ou guichê de recepção.

FÍSICO (Medicina Nuclear)
HSPE - CAPITAL - SÃO PAULO
Elaborar e manter plano de proteção radiológica conforme normas da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). Colaborar no cumprimento do plano de proteção radiológica. Realizar controle de qualidade dos equipamentos e instrumentos do Serviço de Radioisótopos, conforme normas da CNEN. Ministrar cursos de atualização na área de proteção radiológica, instrumentação e manipulação de isótopos radioativos e rejeitos, aos funcionários do Serviço de Radioisótopos, conforme normas da CNEN. Manipular, armazenar e eliminar rejeitos radioativos, conforme normas da CNEN.

FISIOTERAPEUTA
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
Atender os pacientes encaminhados, com indicação de tratamento por outros Serviços. Promover a reabilitação funcional, motora e respiratória do paciente. Orientar pacientes e familiares quanto ao programa de tratamento. Participar de reuniões promovidas pela chefia. Participar de reuniões promovidas pela chefia. Participar de reuniões científicas e multiprofissionais. Participar de atividades de ensino e pesquisa. Prestar atendimento a pacientes de ambulatório, enfermaria e UTI's. Cumprir os regulamentos da Instituição e do Serviço.

FISIOTERAPEUTA
PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO
Atender os pacientes encaminhados, com indicação de tratamento por outros Serviços. Promover a reabilitação funcional, motora e respiratória do paciente. Orientar pacientes e familiares quanto ao programa de tratamento. Participar de reuniões promovidas pela chefia. Participar de reuniões promovidas pela chefia. Participar de reuniões científicas e multiprofissionais. Participar de atividades de ensino e pesquisa. Prestar atendimento a pacientes de ambulatório, enfermaria e UTI's. Cumprir os regulamentos da Instituição e do Serviço.

FONOAUDIÓLOGO
HSPE e PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO
Identifica problema ou deficiências ligadas à comunicação oral, linguagem verbal e não verbal e deglutição de pacientes com deficiência física e/ou mental (portadores de deficiência mental, paralisia cerebral, síndromes genéticas, atraso no desenvolvimento, encéfalopatias crônicas progressivas e não progressivas) empregando técnicas próprias de avaliação e orientando treinamento fonético, auditivo, dicção, mastigação, deglutição, para possibilitar o aperfeiçoamento e/ou a reabilitação da fala, comunicação não verbal e deglutição. Avalia as deficiências do paciente, realizando exames fonéticos, de linguagem e outras técnicas novas, para estabelecer o plano de treinamento ou terapêutico. Orienta pai e/ou responsável do paciente com problemas de linguagem, audição e disfagia. Prescreve o uso de bicos especiais (fissura, lábiopalatais) bem como indica próteses auditivas e outros equipamentos auxiliares. Orienta a equipe multidisciplinar quanto às necessidades terapêuticas assim como participa de discussões de caso e da elaboração de um plano terapêutico individualizado. Orienta a escola e professores sobre a linguagem da criança, bem como quanto às dificuldades de comunicação, necessidades em sala de aula, uso de recursos alternativos para inclusão escolar. Atende e orienta os pais sobre as deficiências e/ou problemas de comunicação, audição e deglutição detectada nas crianças, emitindo parecer de sua especialidade e estabelecendo treinamento adequado, para possibilitar-lhes a reeducação, reabilitação e inclusão escolar e social. Realiza vistoria nas clínicas conveniadas, executa outras tarefas correlatas determinada pelo superior imediato.

HISTOQUÍMICO (ANATOMIA PATOLÓGICA )
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
Assessorar e colaborar com as equipes técnica e médica na realização dos métodos diagnósticos implantados e desenvolver novos métodos para aplicação diagnóstica e de pesquisa, colaborando no desenvolvimento de trabalhos científicos. Gerenciar insumos e equipamentos dessas técnicas especiais, a critério da diretoria do Serviço e colaborar no controle de qualidade do serviço.

NUTRICIONISTA
HSPE e PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO
Atender os pacientes encaminhados, com indicação de tratamento por outros Serviços. Promover a reabilitação funcional, motora e respiratória do paciente. Orientar pacientes e familiares quanto ao programa de tratamento. Participar de reuniões promovidas pela chefia. Participar de reuniões promovidas pela chefia. Participar de reuniões científicas e multiprofissionais. Participar de atividades de ensino e pesquisa. Prestar atendimento a pacientes de ambulatório, enfermaria e UTI's. Cumprir os regulamentos da Instituição e do Serviço.

PSICÓLOGO
HSPE e PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO
Realizar Psicodiagnóstico de crianças, adolescentes, adultos e idosos. Realizar Psicoterapia breve individual. Realizar Psicoterapia breve de grupo. Realizar Interconsulta Psicológica. Realizar Bateria psicométrica: Teste de nível intelectual, projetivos e psicomotores. Prática em trabalho multiprofissional e interdisciplinar.

PSICÓLOGO
RECURSOS HUMANOS e CENTRO DE FORMAÇÃO/CEDEP- CAPITAL - SÃO PAULO
Atua em atividades relacionadas à análise e desenvolvimento Organizacional. Promover treinamento e desenvolvimento de pessoal. Realizar atividades de integração para novos servidores. Realizar avaliação de desempenho nos moldes propostos pela Secretaria de Gestão Pública. Supervisionar o Programa de Qualidade de Vida, visando melhorar no ambiente de trabalho o relacionamento interpessoal entre os servidores, usuários e gestores. Efetuar e atender os servidores na movimentação interna. Efetuar diagnóstico de problemas relacionados a Recursos Humanos e propor soluções.

TÉCNICO DE ORTÓPTICA
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
Prestar auxílio no tratamento de doenças oculares. Realizar exercícios para correção de defeitos visuais.

TERAPEUTA OCUPACIONAL
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
Avalia, orienta, participa do tratamento e da reabilitação de pacientes com doença mental e/ou deficiência física e/ou mental (portadores de deficiência mental, paralisia cerebral, síndromes genéticas, atraso no desenvolvimento, encefalopatias crônicas e não progressivas) orientando atividades com fins específicos, para ajudá-los na sua recuperação e integração familiar, escolar e social. Organiza, prepara e executa intervenção terapêutica ocupacional, baseando-se nos diagnósticos dos casos em tratamento. Orienta atividades de vida diária e atividade de vida prática a fim de desenvolver autonomia do paciente. Orienta pais e/ou responsável sobre as deficiências diagnosticadas, emitindo seu parecer especializado, estabelecendo tratamento adequado, possibilitando adequado, possibilitando habilitação, reabilitação, inclusão familiar, escolar e social. Participa da equipe multidisciplinar avaliando as necessidades terapêuticas ocupacionais bem como participa da discussão de caso, a fim de estabelecer tratamento adequado individualizado, conduzido nas diferentes instâncias da unidade psiquiátrica de hospital geral (ambulatório, HD, enfermaria, programa de reabilitação). Orienta escola e professores quanto às necessidades em sala de aula e utilização de recursos alternativos no sentido de auxiliar a inclusão escolar. Executa outras tarefas correlatas determinadas pelo superior imediato.

ANEXO II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO FUNDAMENTAL

FUNÇÕES-ATIVIDADES= ATENDENTE (NÚCLEO DA FARMÁCIA), ATENDENTE ( ANATOMIA PATOLÓGICA)- ATENDENTE (HSPE)

CONHECIMENTOS GERAIS:

LÍNGUA PORTUGUESA:

Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Crase.

MATEMÁTICA:

Números inteiros: operações e propriedades. Números racionais, representação fracionária e decimal: operações e propriedades. Razão e proporção. Porcentagem. Regra de três simples. Equação do 1.º grau. Sistema métrico: medidas de tempo, comprimento, superfície e capacidade. Relação entre grandezas: tabelas e gráficos. Raciocínio lógico. Resolução de situações-problema.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA:

Conhecimentos básicos o Microsoft Office: MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes e MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas, 2003 a 2007).

ATUALIDADES:

Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos e sociais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir de 1.º de janeiro de 2011, divulgados na mídia local e/ou nacional.

Para a Função-Atividade: Atendente (PAJEM)

CONHECIMENTOS GERAIS:

LÍNGUA PORTUGUESA:

Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Crase.

MATEMÁTICA:

Números inteiros: operações e propriedades. Números racionais, representação fracionária e decimal: operações e propriedades. Razão e proporção. Porcentagem. Regra de três simples. Equação do 1.º grau. Sistema métrico: medidas de tempo, comprimento, superfície e capacidade. Relação entre grandezas: tabelas e gráficos. Raciocínio lógico. Resolução de situações-problema.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Conceito e objetivos. A criança - desenvolvimento biopsicossocial. Conteúdos referentes a crianças de zero a 3 anos. Orientações metodológicas. Creche e planejamento: organização do tempo e do espaço; rotina diária. Cuidados com a criança: alimentação, higiene, saúde e segurança. Atividades lúdicas. Legislação: Constituição Federal/88 - arts. 6º; 7º - XXV; 24 - XV; 203; 208; 227 - § 1º - I e II; § 2º. Lei Federal nº 8069, de 13.07.90 (Estatuto da Criança e do Adolescente): artigos 1º a 9º; 11 a 18; 53 a 59; 129 a 135.

Para a Função-Atividade: AUXILIAR DE ENFERMAGEM HSPE- CAPITAL e CEAMAS/INTERIOR

LÍNGUA PORTUGUESA:

Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Crase.

MATEMÁTICA:

Números inteiros: operações e propriedades. Números racionais, representação fracionária e decimal: operações e propriedades. Razão e proporção. Porcentagem. Regra de três simples. Equação do 1.º grau. Sistema métrico: medidas de tempo, comprimento, superfície e capacidade. Relação entre grandezas: tabelas e gráficos. Raciocínio lógico. Resolução de situações-problema.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA

Conhecimentos básicos o Microsoft Office: MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes e MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas, 2003 a 2007).

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Ética profissional. Noções de Anatomia e Fisiologia Humana. Noções de Microbiologia e Parasitologia. Noções de Nutrição. Enfermagem Básica. Drogas e Soluções. Enfermagem Clínica Médica e Moléstias Infecciosas. Enfermagem Clínica Cirúrgica. Enfermagem em Centro Cirúrgico e Centro de Material. Enfermagem em pronto-socorro. Enfermagem em obstetrícia, neonatologia e pediatria. Saúde da Comunidade (saneamento básico e imunização).

Para a Função Atividade: OPERADOR DE EQUIPAMENTO HOSPITALAR (ECG) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

LÍNGUA PORTUGUESA:

Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Crase.

MATEMÁTICA:

Números inteiros: operações e propriedades. Números racionais, representação fracionária e decimal: operações e propriedades. Razão e proporção. Porcentagem. Regra de três simples. Equação do 1.º grau. Sistema métrico: medidas de tempo, comprimento, superfície e capacidade. Relação entre grandezas: tabelas e gráficos. Raciocínio lógico. Resolução de situações-problema.

ATUALIDADES:

Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos e sociais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir de 1.º de janeiro de 2011, divulgados na mídia local e/ou nacional

NOÇÕES DE INFORMÁTICA

Conhecimentos básicos o Microsoft Office: MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes e MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas, 2003 a 2007).

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Bases de anatomia, fisiologia e eletrofisiologia cardíaca. Eletrocardiografia. Assepsia e antissepsia

ENSINO MÉDIO:

PARA AS FUNÇÕES ATIVIDADES: AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE, TÉCNICO DE ENFERMAGEM, TÉCNICO DE LABORATÓRIO E TÉCNICO DE RADIOLOGIA

CONHECIMENTOS GERAIS

LÍNGUA PORTUGUESA

Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Crase.

MATEMÁTICA

Operações com números reais. Mínimo múltiplo comum e máximo divisor comum. Razão e proporção. Porcentagem. Regra de três simples e composta. Média aritmética simples e ponderada. Juro simples. Equação do 1.º e 2.º graus. Sistema de equações do 1.º grau. Relação entre grandezas: tabelas e gráficos. Sistemas de medidas usuais. Noções de geometria: forma, perímetro, área, volume, ângulo, teorema de Pitágoras. Raciocínio lógico. Resolução de situações-problema

NOÇÕES DE INFORMÁTICA

MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados. Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: Navegação Internet, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (ANATOMIA PATOLÓGICA)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Técnicas de necropsia. Técnicas de formolização. Noções de anatomia humana. Noções de anti-sepsia. Noções de conservação de espécimes biológicos e cuidados com materiais coletados segundo técnicas histológicas.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (Núcleo da Farmácia) - CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Noções básicas sobre cuidados com pacientes, Conhecimento básico de meios auxiliares de locomoção e marcha - cadeira de rodas, muletas e andadores no atendimento ao paciente.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (MEDICINA FÍSICA) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Noções básicas sobre cuidados com pacientes Hemiplégicos, Paraplégicos e Amputados. Noções básicas sobre cuidados com pacientes com fraturas, dores vertebrais e doenças reumatológicas. Conhecimento básico de meios auxiliares de locomoção e marcha - cadeira de rodas, muletas e andadores. Noções básicas de colocação, retirada e componentes de aparelhos ortopédicos - órteses, próteses, coletes. Noções elementares de anatomia do corpo humano - músculo, ossos e diversos sistemas. Terapias funcionais e a Equipe Multidisciplinar - interação e forma de atuação. Noções básicas sobre cuidados com transporte do paciente incapacitado geriátrico e infantil.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (ORTOPEDIA) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Conhecimentos básicos de anatomia e fisiologia, conhecimento das normas internacionais de imobilização, técnicas de imobilizações, confecção de aparelhos gessados, conhecimentos básicos do instrumental específico, noções gerais sobre fraturas, entorses, contusões, luxações e ferimentos em geral, conhecimento dos riscos e complicações das imobilizações mal feitas, normas de bio-segurança, organização da sala de gesso, auxiliar nas trações esqueléticas.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM HSPE e PREVENIR CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Ética profissional/relações humanas. Noções de administração hospitalar. Farmacologia. Enfermagem em saúde pública. Enfermagem em neuro-psiquiatria. Enfermagem em emergência. Enfermagem em neonatologia. Enfermagem em obstetrícia. Enfermagem em centro-cirúrgico/centro de material. Enfermagem em pronto-socorro. Enfermagem em nefrologia e urologia. Assistência de enfermagem a pacientes críticos. Assistência de enfermagem na monitorização não invasiva e invasiva dos sinais vitais. Assistência de enfermagem na oximetria de pulso.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO (ANATOMIA PATOLÓGICA) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Noções de anti-sepia. Noções gerais de histologia para a prática da técnica histológica. Fixação e descalcificação dos tecidos. Execução dos cortes histológicos, inclusão dos cortes em parafina. Coloração. Montagem. Técnica geral para coloração e montagem dos cortes. Técnica citológica aplicada a anatomia patológica. Sistemas Internacionais de pesos e medidas. Regulagem da temperatura das estufas, graduação e diluição do álcool etílico. Utensílios de laboratório. Densidade. Soluções.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO (LABORATÓRIO CLÍNICO) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Conhecimento em Microbiologia, Bioquímica, Parasitologia, Hematologia, Imunologia e Coleta de materiais. Informática.

TÉCNICO DE RADIOLOGIA (Medicina Nuclear) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Radioproteção individual. Decaimento radioativo. Detecção de radiação e instrumentação. Radiofármacos mais utilizados em medicina nuclear. Recebimento, manipulação e utilização de radiofármacos. Cintilografias: técnicas de realização. Rejeitos radioativos. Contaminação e descontaminação.

TÉCNICO DE RADIOLOGIA (Radioterapia) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

Física das radiações. Produção de raios-x. Radioatividade. Anatomia geral e radiológica. Posicionamentos de pacientes para radioterapia. Acessórios de imobilização em radioterapia. Noções de radioproteção. Comparação entre teleterapia e braquiterapia. Radioterapia conformacional. Noções da radioterapia de Intensidade Modulada (MTR). Noções de radioterapia guiada por imagem (IGRT). Vantagens e desvantagens do Portal eletrônico em Radioterapia. Importância dos sistemas de gerenciamento. Noções de tomografia computadorizada como simulador (CT Simulador) janela e nível em imagens radiológicas. Noções de radiobiologia.

ENSINO SUPERIOR

Para as Funções-Atividades: FÍSICO, BIOLOGISTA E HISTOQUÍMICO

CONHECIMENTOS GERAIS

LÍNGUA PORTUGUESA: Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Crase.

ATUALIDADES:

Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos e sociais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir do primeiro semestre de 2011, divulgados na mídia local e/ou nacional

NOÇÕES DE INFORMÁTICA:

MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados. Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: Navegação Internet, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

FÍSICO (Medicina Nuclear) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Radioisótopos e suas redações. Princípios de mensuração da radioatividade. Princípios de Instrumentação. Dosimetria radioisotópica. Efeitos biológicos das Radiações. SPECT - Tomografia Computadorizada por emissão de fóton único. PET - Tomografia por emissão de pósitrons: Controles de qualidade dos equipamentos. Normas de Radioproteção da CNEN para Medicina Nuclear.

BIOLOGISTA (ANATOMIA PATOLÓGICA) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Anatomia, histologia e citologia do trato genital feminino. Aspectos evolutivos do câncer de colo uterino. Sistemas de classificação em citopatologia cérvicovaginal. Presença de microorganismos. Doenças sexualmente transmissíveis. Papilomavirus humano. Alterações citoformológicas inflamatórias, infecciosas e reparativas. Alterações celulares atípicas (ASC). Lesões intraepiteliais escamosas. Alterações citomorfológicas em carcinoma escamoso in situ e invasivo do colo uterino e nos adenocarcinomas cervical e endometrial. Noções técnicas em citologia: coleta, fixadores e colorações. Citologia convencional. Citologia em meio líquido.

BIOLOGISTA (MACROSCOPIA - ANATOMIA PATOLÓGICA) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Noções de Anatomia Humana. Noções de técnica histológica: fixação, descalcificação, processamento de tecidos e coloração da hematoxilina-eosina. Morfologia macroscópica normal dos órgãos e tecidos. Noções de patologia geral: nomenclatura e classificação das neoplasias, diferenças macroscópicas entre neoplasias benignas e malignas, invasão e metástases, tipos de biópsias, anatomia macroscópica das neoplasias, pigmentações patológicas, necrose, autólise, tipos e morfologia macroscópica dos infartos, trombos, aspectos macroscópicos dos granulomas, fatores que alteram a reparação. Acúmulos de lipídeos. Calcificação patológica.

HISTOQUÍMICO HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Noções de anti-sepsia. Noções gerais de histologia para a prática da técnica histológica. Fixação e descalcificação dos tecidos. Inclusão e execução dos cortes em parafina. Coloração. Montagem. Sistemas internacionais de pesos e medidas. Regulagem da temperatura das estufas e geladeiras, graduação e diluição do álcool etílico. Utensílios e equipamentos de laboratório de anatomia patológica. Densidade. Soluções. Princípios de técnicas em imunohistoquímica, imunofluorescência, moleculares e microtissue array. Base molecular do câncer. Base molecular da carcinogênese em múltiplas etapas.

Para as Funções-Atividades: ASSISTENTE SOCIAL, CIRURGIÃO DENTISTA, ENFERMEIRO, FISIOTERAPEUTA, FARMACÊUTICO, FONOAUDIÓLOGO, NUTRICIONISTA, PSICÓLOGO, TÉCNICO DE ORTÓPTICA E TERAPEUTA OCUPACIONAL.

CONHECIMENTOS GERAIS:

ATUALIDADES: Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos e sociais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir do primeiro semestre de 2011, divulgados na mídia local e/ou nacional.

POLÍTICA DE SAÚDE: Diretrizes de bases do Sistema Único de Saúde. Constituição da República Federativa do Brasil - Saúde. Leis Federais nºs 8.080/90 e 8.142/90 - Leis Orgânicas da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica no SUS. Estratégia de Saúde da Família. Pacto pela Saúde 2006 - Consolidação do SUS. Epidemiologia, história natural e prevenção de doenças. Promoção da Saúde. Vigilância em Saúde. Aspectos epidemiológicos das doenças endêmicas no Brasil. Indicadores de nível de saúde da população. Doenças de notificação compulsória no Estado de São Paulo.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA: MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto. MS‑

Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados. Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: Navegação Internet, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

ASSISTENTE SOCIAL

HSPE e PREVENIR CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Teoria do Serviço Social. Políticas de Saúde no Brasil. Políticas Sociais e o Estado. Serviço Social e as Políticas Sociais. Código de Ética Profissional do Assistente Social. Lei nº 8.662, de 7 de junho de 1993 - dispõe sobre a profissão de Assistente Social. Pesquisa em Serviço Social. Trabalho em equipe interdisciplinar. Serviço Social e Família. Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989 e Lei nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999 - Política Nacional da Pessoa com Deficiência. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 - Sistema Único de Saúde (SUS). Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Lei Orgânica da Saúde. Lei nº 8.742, de 7 de setembro de 1993 - Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS). Lei nº 10.741, de 1º de dezembro de 2003 - Estatuto do Idoso.

CIRURGIÃO-DENTISTA (Cirurgião de Buco Maxilo Facial) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial em Adultos e Crianças. Emergências em Odontologia (Cirurgia e Traumatologia). Instrumentação e Técnica Cirúrgica. Exame e Diagnóstico. Pré, Trans e Pós-Operatório. Patologia Bucal. Anatomia. Antibióticoterapia. Anestesiologia. Patologia Oral e Maxilo Facial ,Radiologia, Farmacologia Dor orofacial e Disfunção Temporo Mandibular

CIRURGIÃO-DENTISTA (Estomatologia Clínica) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Conhecimento em Estomatologia Clínica / Semiologia, Patologia Oral e Maxilo Facial, Radiologia, Farmacologia, Dor orofacial e Disfunção Temporo Mandibular, Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial, Emergências Odontológicas

CIRURGIÃO-DENTISTA (Atendimento Odontológico para pacientes de necessidades especiais) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Conhecimento em atendimento odontológico para pacientes com necessidades especiais, Estomatologia / Semiologia, Patologia Oral e Maxilo Facial, Farmacologia, Dor orofacial e Disfunção Temporo Mandibular , Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial e Emergências Odontológicas

ENFERMEIRO HSPE / PREVENIR e CEDEP CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Ética profissional e Legislação de enfermagem. A Ética/Bioética: princípios básicos. Principais leis e decretos que regulamentam o exercício profissional. Entidades de classe: associações, sindicatos e conselho. Filosofia de enfermagem: principais teorias de enfermagem. Gerenciamento do serviço de enfermagem. Princípios e elementos da administração. Administração e recursos de materiais. Documentação de enfermagem: relatórios e anotações/instrumentos de informação na enfermagem. Importância da comunicação e relação humana no serviço de enfermagem. Planejamento de R.H., cálculo de pessoal, elaboração de escalas. Sistemas de assistência de enfermagem. Infecção hospitalar: conceitos e principais causas/CCIH na Instituição. Enfermagem em saúde pública/imunização, tipos, princípios de conservação e armazenamento. Esquema de vacinação do Ministério da Saúde. Programas de gestante, criança, idoso e adolescente. Assistência de enfermagem a pacientes cirúrgicos. Assistência de enfermagem a pacientes clínicos: problemas cardíacos, respiratórios, doenças infecto-contagiosas. Assistência de enfermagem a pacientes críticos. Assistência de enfermagem em unidade de emergência. Enfermagem em centro cirúrgico e central de esterilização de material.

ENFERMEIRO DECAM/INTERIOR-SÃO PAULO

Conhecimentos específicos: Ética profissional, noções de anatomia e fisiologia humana. Conceitos de promoção de saúde e prevenção de doenças. Política de saúde em relação ao idoso. O atendimento do idoso e sua família. Enfermagem básica em Clínica Médica com ênfase a pacientes crônicos. Enfermagem em ambulatório de paciente crônico e assistência do paciente idoso.

FARMACÊUTICO (LABORATÓRIO CLÍNICO) HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Coleta de material, anticoagulantes, cuidados da conservação e variáveis pré-analíticos sobre a qualidade dos exames. Gerenciamento de controle de qualidade em Laboratório. Princípios básicos de centrifugação, da espectrofotometria, da microscopia óptica, do potenciômetro. Qualidade da água no laboratório. Conhecimento dos fatores de conversão, sistemas de medidas, diluições e preparo de soluções. Noções sobre acreditação em laboratório clínico. Automação em laboratório, princípios, critérios de escolha do aparelho e reagentes. Avaliações da função renal, equilíbrio ácido-básico e gases saguíneos, eletrólitos, metabólicos e íons inorgânicos, lipídeos, deslipoproteinemias e proteínas. Avaliações da função hepática, endócrina, distúrbios do trato gastrointestinal e pancreático exógeno. Exames básicos de líquidos corpóreos. Hematologia e Hemostasia. Exames hematológicos de rotina. Avaliação de coagulação e fibrinólise. Avaliação do sistema imune celular e tumoral, das imunodeficiências. Provas sorológicas e exames laboratoriais nas doenças sexualmente transmissíveis. Principais marcadores séricos em doenças tumorais. Padronização da rotina básica das culturas em bacteriologia e em micologia. Exames de parasitologia. Urinálise e espermograma. Conceitos: SUS, Vigilância Sanitária Epidemiológica. Legislação de SUS, Ética profissional. Noções básicas de licitações públicas.

FARMACÊUTICO (NÚCLEO DA FARMÁCIA) E PREVENIR- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTO ESPECÍFICOS :Vias de administração de formas farmacêuticas. Farmacocinética e biodisponibilidade. Farmacovigilância. Reações adversas a medicamentos. Interações e incompatibilidades medicamentosas. Legislação farmacêutica. Farmacoeconomia. Análise farmacêutica. Estabilidade de medicamentos. Controle de qualidade de produtos farmacêuticos. Administração aplicada à farmácia hospitalar. Política nacional de medicamentos. Sistemas de distribuição de medicamentos em farmácia hospitalar. Manipulação de medicamentos estéreis e não estéreis em farmácia hospitalar. Farmácia no controle das infecções hospitalares. Terapia antineoplásica: Quimioterapia. Terapia nutricional parenteral.

FISIOTERAPEUTA - HSPE- PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Fisioterapia: conceito, recursos e objetivos. Reabilitação: conceito, objetivos técnicos e sociais. Trabalho Interdisciplinar em Saúde. Fisioterapia nos processos incapacitantes no trabalho, nas doenças infectocontagiosas e crônico degenerativas. Fisioterapia em: Traumatologia e Ortopedia, Neurologia, Pneumologia, Reumatologia, Queimados, Cardiologia e Angiologia, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria, Geriatria e Fisioterapia Respiratória e Motora em UTI adulto, infantil e neonatal. Ética profissional.

FONOAUDIÓLOGO- HSPE E PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Funções estomatognáticas: respiração, sucção, mastigação, deglutição e articulação da fala. Alterações das funções estomatognáticas. Disfagia orofaríngea neurogênica e mecânicas. Disfagia em recém‑nascidos, lactentes e infantil. Afasia. Disartria. Paralisia Cerebral. Paralisia Facial. Disfonia. Deficiência auditiva. Desenvolvimento da linguagem oral e escrita. Dislalias. Psicomotricidade. Distúrbios de aprendizagem. Gagueira. Laringetomizados. Atraso de linguagem. Disfunção da ATM. Traumas de Face. Seqüela de Queimadura de Face e Pescoço. Pacientes Traqueostomizados e em Ventilação Mecânica. Atuação Fonoaudiológica em UTI Adulto e Infantil, Unidade Neonatal, alojamento conjunto e segmento. Aleitamento materno e Iniciativa Hospital Amigo da Criança (I.H.A.C.). Biossegurança.

NUTRICIONISTA -HSPE E PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Fisiologia e fisiopatologia aplicadas à nutrição. Nutrição normal: balanço do nitrogênio, recomendações nutricionais, cálculo energético, dietas equilbradas. Nutrição nos cliclos vitais; nutrição materno-infatil; aleitamento natural; gestação e lactação; crescimento e desenvolvimento; alimentação da gestante e da nutriz; alimentação na infância e na adolescência; alimentação do idoso. Doenças nutricionais: desnutrição calórica-protéica, carências nutricionais. Dietoterapia: conceitos e objetivos. Dietas hospitalares nas diferentes patologias, condições clínicas e metabólicas. Dietoterapia aplicada ao pré-pós operatório. Dietoterapia aplicada às Cirurgias Bariátricas. Dietoterapia do paciente crítico. Alimentação por Sonda Nasoentérica. Avaliação do estado nutricional: métodos e critérios de avaliação. Indicadores de Triagem Nutricional, Métodos de assistência ambulatorial em nutrição. Noções de farmacologia: interações alimento-medicamento. Noções de Nutrição parenteral, Nutrição e Saúde Pública: noções de epidemiologia das doenças nutricionais e desnutrição protéico­calórica; diagnóstico do estado nutricional das populações; vigilância nutricional. Educação alimentar e nutricional. Técnica Dietética: composição e classificação dos alimentos; seleção, conservação e armazenamento; técnicas de pré-preparo, preparo e cocção; higiene na manipulação de alimentos; planejamento de cardápios: fatores relacionados. Administração de serviços de alimentação e lactários: área física e equipamentos; planejamento e organização; supervisão e controles; cardápios para coletividades sadias e doentes; custos e avaliação. Microbiologia de alimentos: toxinfecções alimentares; controle sanitário de alimentos; APPCC; controles de temperatura no fluxo dos alimentos. Ética profissional. Legislação (Portaria CVS 6/99, Resolução RDC 63/00.

PSICÓLOGO -HSPE- PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Psicodiagnóstico. Psicoterapia breve. Psicopatologia. Teorias e Técnicas Psicoterápicas. Teorias do Desenvolvimento. Interconsulta psicológica. Psicoterapia de Grupo. Trabalho multiprofissional e interdisciplinar. Entrevista psicológica. Ludoterapia. Elaboração de laudo psicólogo. Políticas de Saúde. Psicossomática. O código de ética do psicólogo. A situação dos testes psicológicos segundo o Conselho Federal de Psicologia. Os psicodinamismos do processo de envelhecimento.

PSICÓLOGO -GRH E CENTRO DE FORMAÇÃO- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Teorias do Desenvolvimento. Psicoterapia de Grupo. Trabalho multiprofissional e interdisciplinar. Entrevista psicológica. LÍNGUA PORTUGUESA: Interpretação de texto. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Vozes verbais: ativa e passiva. Colocação pronominal. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Crase. Sinônimos, antônimos e parônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. ATUALIDADES: Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos e sociais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir do primeiro semestre de 2011, divulgados na mídia local e/ou nacional.

TÉCNICO DE ORTÓPTICA- HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Anatomia do globo ocular. Anatomia cirúrgica da musculatura extrínseca. Semiologia motora. Ambliopia. Endotropia congênita propedêutica. Endrotropia congênita. Exotropia/basal. Exotropia intermitente cirúrgica. Desvios acomodativos. Estrabismos paralíticos adquiridos. Fisiologia da Visão. Hipertropias. Nistagmo-etiologia e clínica. Nistagmo cirurgia. D.V.D. Síndromes "A" e "V", duane e variações. S. Brown e S. Möbius.

TERAPEUTA OCUPACIONAL-HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: Código de Ética Profissional. Compreensão crítica da história da terapia ocupacional no Brasil. Ergoterapia e a assistência asilar. Conceitos básicos da terapia ocupacional. Conceitos e idéias básicas dos modelos de terapia ocupacional. A idéia do trabalho como recurso de terapia ocupacional. A problemática da efetivação da cidadania da população assistida em terapia ocupacional, pessoas portadoras de deficiência e doentes mentais. Políticas de Saúde Mental e referentes à saúde das pessoas portadoras de deficiência. Os modelos de terapia ocupacional referentes ao atendimento às pessoas portadoras de deficiência física e/ou sensorial (modelo neurológico e cinesiológico), bem como as abordagens corporais globalizantes. A ação do terapeuta ocupacional na unidade psiquiátrica de hospital geral nos seus diferentes componentes: emergência, enfermaria psiquiátrica em hospital geral, HD-Hospital Dia, ambulatório, programa de reabilitação, assim como no tratamento hospitalar e ambulatorial de pessoas portadoras de deficiência física e/ou mental. A atuação do terapeuta ocupacional no atendimento ao bebê de alto risco e a crianças que apresentam retardo no desenvolvimento neuropsicomotor. Análise crítica da reabilitação profissional no Brasil. Análise crítica da assistência e da atuação da terapia ocupacional no contexto da assistências às pessoas portadoras de doença e/ou deficiência mental em nosso país. Análise das relações entre saúde e trabalho. Conhecimentos básicos de psicopatologia geral, assim como das manifestações das doenças mentais e seus tratamentos.

ANEXO III - SUGESTÃO BIBLIOGRÁFICA

AUXILIAR DE ENFERMAGEM -

HSPE - CAPITAL - SÃO PAULO - DECAM/CEAMAS - INTERIOR

BARROS, S.M.O.; MARIN, H.F.; ABRÃO, A.C.F. (Orgs.). Enfermagem obstétrica e ginecológica: guia para a prática assistencial. 9ª ed. São Paulo: Roca, 2009.

BARTMAN, N. Enfermagem Cirúrgica. 3ª ed. São Paulo: Ed. SENAC, 2010.

BIANCHINI, E. F.; CARVALHO, R. Enfermagem em Centro Cirúrgico e Recuperação. São Paulo; Manole, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem: Marco Legal: Saúde, um direito do adolescente. DF, 2005. Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://portal.saude.saude.gov.br/portal/arquivo/pdf/marcolegal.pdf.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: DF, 2006. Cadernos de atenção Básica nº 19 Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/publicacoes/cadernosab/abcad19.pdf.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do Paciente em Serviço de Saúde: Higienização das Mãos. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - 2009.

GELAIN, I. A Ética, a Bioética e os Profissionais de Enfermagem. 4ª Ed. São Paulo: EPU. 2010.

GEORGE, J.B. Teorias de enfermagem: os fundamentos à prática profissional. 4ª ed. - Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

KURCGANT, P. Gerenciamento em Enfermagem. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

SMELTZER; S.C; BARE, B.G. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 11ª ed. Vol. 1;2;3. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.

TANNURE, M. C.; GONÇALVES, A.M.P. SAE - Sistematização da Assistência de Enfermagem: guia prático. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

VIANA, R.A.P. Enfermagem em Terapia Intensiva: Práticas e Vivências. São Paulo: Manole, 2010.

WONG, D.L. Enfermagem Pediátrica: elementos essenciais à intervenção efetiva. 7ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

Links:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manuvac.pdf

http://www.corendf.org.br/portal

http://inter.corensp.gov.br/sites/default/files/principaislegislacoesabril11.pdf

http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/smulher.htm

http://dtr2001.saude.gov.br/svs/pub/pdfs/manunormasvac.pdf

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. TÍTULO VIII, da Ordem Social, Capítulo I e II, Seção I e II, In: SUS - o que você precisa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.25-28.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, 20 de setembro de 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde - SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. In: SUS - o que você precisa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.61-63.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (ANATOMIA PATOLÓGICA)

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

FINKBEINER, WE; URSELL, PC; DAVIS, RL. Autopsia em Patologia. Atlas e texto. São Paulo: Editora Rocca, 2004. Michalany, J. Técnica histológica em Anatomia Patológica.3, edição. São Paulo: Editora Michalany, 1998.

AUXILIAR TÉCNICO DE SAÚDE (ORTOPEDIA)

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Flávio Pires de Camargo e Enéas Brasiliense Fusco - Técnicas de Imobilização - Campbell - Orthopaedics - 10ª edição.

Rohen Yokochi - Atlas Fotográfico Anatomia Humana, Editora Manole Ltda. 4ª Edição.

A. Sarmiento E L. L. Latta - Editora Revinter. Tratamento Funcional das Fraturas Edição: 1ª/2001.

Carlo Américo Fattini & José Geraldo Dangelo - Anatomia Humana Básica 2ª ed. São Paulo - Atheneu 2002. Mário Hiroyuki Hivata - Manual de Biossegurança - São Paulo - Manole 2002.

BRASIL, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. São Paulo: IMESP, 1988 Seção II - Da saúde, Capítulo II, Título VIII. Disponível em: www.saude.gov.br/legislacao ou http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?idarea=1474

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outra providências. Disponível em www.saude.gov.br/legislacao ou http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?idarea=1474

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema Único de Saúde: Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências inter governamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Disponível em www.saude.gov.br/legislacao ou http://portal.saude.gov/portal/saude/area.cfm?idarea=1474

BRASIL. Ministério da Saúde. Cartilha Entendendo o SUS. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/saude/cidadao/default.cfm ou http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/cartilhaentendendoosus2007.pdf

OPERADOR DE EQUIPAMENTO HOSPITALAR (ECG)

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Interpretação rápida do ECG - Dale Dubin.

Tranchesi: Eletrocardiograma Normal e Patológico - Paulo Jorge Moffa; Paulo Cesar Sanches.

ELETROCARDIOGRAFIA - Iseu Gus

TÉCNICO DE ENFERMAGEM

HSPE- PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO E DECAM/CEAMAS - INTERIOR

BARROS, S.M.O.; MARIN, H.F.; ABRÃO, A.C.F. (Orgs.). Enfermagem obstétrica e ginecológica: guia para a prática assistencial. 9ª ed. São Paulo: Roca, 2009.

BARTMAN, N. Enfermagem Cirúrgica. 3ª ed. São Paulo: Ed. SENAC, 2010.

BIANCHINI, E. F.; CARVALHO, R. Enfermagem em Centro Cirúrgico e Recuperação. São Paulo; Manole, 2007. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem: Marco Legal: Saúde, um direito do adolescente. DF, 2005. Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://portal.saude.saude.gov.br/portal/arquivo/pdf/marcolegal.pdf.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: DF, 2006. Cadernos de atenção Básica nº 19 Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/publicacoes/cadernosab/abcad19.pdf.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do Paciente em Serviço de Saúde: Higienização das Mãos. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - 2009.

GELAIN, I. A Ética, a Bioética e os Profissionais de Enfermagem. 4ª Ed. São Paulo: EPU. 2010.

GEORGE, J.B. Teorias de enfermagem: os fundamentos à prática profissional. 4ª ed. - Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

KURCGANT, P. Gerenciamento em Enfermagem. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

SMELTZER; S.C; BARE, B.G. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 11ª ed. Vol. 1;2;3. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.

TANNURE, M. C.; GONÇALVES, A.M.P. SAE - Sistematização da Assistência de Enfermagem: guia prático. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

VIANA, R.A.P. Enfermagem em Terapia Intensiva: Práticas e Vivências. São Paulo: Manole, 2010.

WONG, D.L. Enfermagem Pediátrica: elementos essenciais à intervenção efetiva. 7ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

Links:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manuvac.pdf

http://www.corendf.org.br/portal

http://inter.corensp.gov.br/sites/default/files/principaislegislacoesabril11.pdf

http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/smulher.htm

http://dtr2001.saude.gov.br/svs/pub/pdfs/manunormasvac.pdf

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. TÍTULO VIII, da Ordem Social, Capítulo I e II, Seção I e II, In: SUS - o que você precisa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.25-28.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, 20 de setembro de 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde - SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. In: SUS - o que você precisa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.61-63.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO (ANATOMIA PATOLÓGICA)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

MICHALANY, J. Técnica Histológica em Anatomia Patológica. Editora Pedagógica e Universitária Ltda., São Paulo, 1981.

BECKER, PFL. Manual de patologia cirúrgica, Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan, 1977.

INSTITUTO DE PATOLOGIA DE LAS FUERZAS DE LOS ESTADOS UNIDOS DE AMÉRICA (AFIP). Métodos histotecnológicos. Washington, Armed Forces Institute of Pathology, 1995.

TÉCNICO DE LABORATÓRIO (LABORATÓRIO CLÍNICO)

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Ophustil, P.C; Zoccoli, C.M; Tobout, N.R; etal Procedimentos básicos em microbiologia Clínica 3ª ed., Savier, 2010.

Vaz, A.J; Takei, K; Bueno E.C - Imuno ensaios. Fundações e Aplicações; Ed. Guanabara Koogan, 2007.

MOURA, Roberto de Almeida - Técnicas de Laboratório. Editora Atheneu - 3ª edição - 1999.

MOTTA, T. Valter - Bioquímica Clínica para o Laboratório. Princípios e Interpretações/Rio Grande do Sul: Editora Médica Missau - 1ª Ed.-2003.

VERRASTRO, Therezinha - Hematologia e Hemoterapia. São Paulo: Editora Atheneu - 2ª Ed. - 2002.

DE CARLI, G.A. Parasitologia Clínica: Seleção de Métodos e Técnicas de Laboratório para o Diagnóstico das Parasitoses Humanas. São Paulo: Atheneu, 2001.

TRABULSI, B. Luis - Microbiologia. Editora Atheneu - 5ª Ed - 2008.

TÉCNICO DE ORTÓPTICA HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO Estrabismo - Souza Dias.

TÉCNICO EM RADIOLOGIA (RADIOTERAPIA)-

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

PEREIRA, A.J., Manual para Técnicos em Radioterapia, Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (2000). SCAFF, L.A.M., Física da Radioterapia. Sarvier (1997).

TAUHATA, L., SALATI, I.S., PRINZIO, A. DI. Radioproteção e Dosimetria-Fundamentos CNEN (2003).

SALVAJOLI, J.V. SOUHAMI, L., FARIA, S.L. Org), Radioterapia em Oncologia, Ed. MedSi, 1ª Ed. (1999).

CNEN-NN-3.01. Diretrizes Básicas de Radioproteção (2005).

CNEN-NE-3.06. Requisitos de Radioproteção e Segurança para Serviços de Radioterapia.

ICRU Report Nº 50. Prescribing, Recording, and Reporting Photon Beam Therapy (1993).

ICRU Report Nº 62. Prescribing, Recording, and Reporting Photon Beam Therapy (Supplement to ICRU Report 50). (1999).

KHAN, F.M. The Physics of Radiation Therapy. 3ª ed., William & Wilkins (2003).

IAEA. Syllabus. Radiation Oncology Pshysics: A Handbook for Teachers and Studentes (2003).

PEREZ, C.A. & BRADY, L.W. Principles and Practices of Radiation Oncology. J.B. Lippincott Company, USA. (1990)

BUSHBERG, J.T., The essencial physics of medical imaging. Second Edition, Philadelphia; London: Lippincott Williams & Wilkins. (2002)

TÉCNICO EM RADIOLOGIA (MEDICINA NUCLEAR)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Medicina Nuclear - James H. Thrall/Harvey A. Ziessman - Editora Guanabara Koogan.

Normas de Radioproteção da CNEN: CNEN-NE-3.05 e CNEN-NE-6.05.

ASSISTENTE SOCIAL

HSPE- PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

ACOSTA, Ana Rojas. Família: redes, laços e políticas públicas. São Paulo: IEE/PUC/SP, 2003.

AZEVEDO, Maria Amélia. Infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento. 5ª edição. São Paulo: Cortez, 2009.

BENJAMIN, Alfred. A entrevista de ajuda. 12ª edição. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

BRASIL, Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 - Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 3 out. 2003.

BRASIL, Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 - Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 31 dez. 1990.

BRASIL, Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 16 jul. 1990.

BRASIL, Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990 - Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 set. 1990.

BRASIL, Lei nº 8.742, de 7 de setembro de 1993 - Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 7 dez. 1993.

BRASIL, Lei nº 8.662, de 7 de junho de 1993 - Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 7 jun. 1993.

BRAVO, Maria Inês Souza. Saúde e Serviço Social. 4ª edição. São Paulo, Cortez, 2009.

MINAYO, M.C.S. (Org) - Pesquisa Social: Teoria, Métodos e Criatividade. 29ª edição. Ed. Vozes, Petrópolis, 2010.

IAMAMOTO, Marilda Villela. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação. 7ª edição. São Paulo, Cortez, 2004.

MARTINELLI, Maria Lúcia. Serviço Social: identidade e alienação. 10ª edição. São Paulo, Cortez, 2006.

PEREIRA, Potyara A.P. Política Social: temas & questões. São Paulo, Cortez, 2008.

POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: versão oficial. São Paulo. Cortez, 2004.

RODRIGUES, Maria Lúcia. Ações e Interlocuções: estudo sobre a prática profissional do Assistente Social. 2ª edição. São Paulo, Veras, 1999.

BIOLOGISTA (ANATOMIA PATOLÓGICA)
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

CARVALHO, Grimaldo. Citologia do trato genital feminino. 5ª ed. Rio de Janeiro. Revinter, 2009.

CIBAS, E S; DUCATMAN, BS. Cytology: Principles and Clinical Correlates. 3ª ed. Philadelphia, PA; Elsevier Saunders, 2009.

JUNQUEIRA, L.C.U. Histologia Básica. 11ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2008.

KOSS, LG; Gompel, C. Introdução a Citopatologia Ginecológica com correlações histológicas e clínicas. 1ª ed. São Paulo. Roca, 2006.

LIRA NETO, José Benedito. Atlas de citopatologia e Histologia do colo uterino. 1ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2000.

SOLOMON. Sistema Bethesda para citopatologia Cérvicovaginal. 2ª ed. Rio de janeiro. Revinter, 2005.

BIOLOGISTA (MACROSCOPIA - ANATOMIA PATOLÓGICA)

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

HEIDEGGER, W. Atlas de Anatomia Humana, 6ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2006.

JUNQUEIRA, L.C.U. JUNQUEIRA, LUIZ C.U. Histologia Básica. 11ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2008.

KUMAR, ABBAS, FAUSTO. Robbins & Cotran: PATOLOGIA: Bases Patológicas das Doenças. 8ª ed. Rio de Janeiro. Elsevier, 2010.

MICHALANY, J. Técnica Histológica em Anatomia Patológica. Editora Pedagógica e Universitária Ltda., São Paulo, 1981.

CIRURGIÃO-DENTISTA (estomatologia)
HSPE - CAPITAL - SÃO PAULO

Medicina Oral e Maxilofacial - Bases do Diagnóstico e Tratamento - Crispian Scully - 1 Edição (2009) Patologia Oral e Maxilofacial - Neville - 3 Edição (2009)

Medicina Oral de Burket - Diagnóstico e tratamento - M. S. Gremberg - 1 Edição (2008) Princípios e Práticas de Medicina Oral - Sonis - 2 Edição

Fundamentos de Medicina Oral - Sol Silverman - 1 Edição (2004)

As bases Farmacológicas da Terapêutica - Goodman & Gilman 10 Edição (2007)

Dor orofacial: Diagnóstico, terapêutica e qualidade de vida - José Tadeu T. Siqueira - 2 Edição (2002) Cirurgia oral e maxilofacial contemporânea - Hupp - 5 Edição (2009)

Atlas de anatomia humana - Sobotta - 22 Edição (2006)

Anatomia humana básica - Spence - 2 Edição (1991)

CIRURGIÃO-DENTISTA (Atendimento odontologico para Pacientes com Necessidades Especiais)
HSPE - CAPITAL - SÃO PAULO

Manejo Odontológico do Paciente Clinicamente Comprometido - James W. Little - 1 Edição (2009)

Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais - Aida Sabbagh Haddad - 1 Edição (2007)

Medicina Oral e Maxilofacial - Bases do Diagnóstico e Tratamento - Crispian Scully - 1 Edição (2009)

Patologia Oral e Maxilofacial - Neville - 3 Edição ( 2009)

Medicina Oral de Burket - Diagnóstico e tratamento - M. S. Gremberg - 1 Edição (2008)

Princípios e Práticas de Medicina Oral - Sonis - 2 edição

Manifestações Periodontais das Doenças Locais e Sistêmicas - G. Laskaris - 1 Edição (2005)

Fundamentos de Medicina Oral - Sol Silverman - 1 Edição (2004)

As bases Farmacológicas da Terapêutica. Goodman & Gilman 10 Edição (2007)

Dor orofacial: Diagnóstico, terapêutica e qualidade de vida - José Tadeu T. Siqueira - 2 Edição (2002)

CIRURGIÃO-DENTISTA (Cirurgia Buco Maxilo Facial) HSPE - CAPITAL - SÃO PAULO

Cirurgia oral e maxilofacial contemporânea. - Hupp - 5 Edição (2009)

Princípios de Cirurgia Bucomaxilofacial de Peterson - 2 Volumes - Michael Miloro - 2 Edição (2008)

Atlas de anatomia humana - Sobotta - 22 Edição (2006). Anatomia humana básica - Spence - 2 Edição (1991).

Odontologia Hospitalar - Bucomaxilofacial - Urgências Odontológicas - Primeiros socorros - Waldir Antonio Jorge - 1 Edição (2009)

As bases Farmacológicas da Terapêutica - Goodman & Gilman - 10 Edição (2007)

Patologia Oral e Maxilofacial - Neville - 3 Edição ( 2009)

Dor orofacial: Diagnóstico, terapêutica e qualidade de vida - José Tadeu T. Siqueira - 2 Edição (2002)

ENFERMEIRO
HSPE-PREVENIR- CAPITAL - SÃO PAULO

BARROS, S.M.O.; MARIN, H.F.; ABRÃO, A.C.F. (Orgs.). Enfermagem obstétrica e ginecológica: guia para a prática assistencial. 9ª ed. São Paulo: Roca, 2009.

BARTMANN, M. Enfermagem Cirúrgica. 3ª ed. São Paulo: Ed. SENAC, 2010.

BIANCHINI, E.F.; CARVALHO, R. Enfermagem em Centro Cirúrgico e Recuperação. São Paulo; Manole, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem: Marco Legal: Saúde, um direito do adolescente. DF, 2005. Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/marcolegal.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: DF, 2006. Cadernos de Atenção Básica nº 19. Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/publicacoes/cadernosabcad19.pdf

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do Paciente em Serviço de Saúde: Higienização das Mãos. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - 2009.

GELAIN, I. A Ética, a Bioética e os Profissionais de Enfermagem. 4ª Ed. São Paulo: EPU. 2010.

GEORGE, J.B. Teorias de enfermagem: os fundamentos à prática profissional. 4ª ed. - Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

KURCGANT, P. Gerenciamento em Enfermagem. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

SMELTZER; S.C; BARE, B.G. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 11ª ed. Vol. 1;2;3. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.

TANNURE, M. C.; GONÇALVES, A.M.P. SAE - Sistematização da Assistência de Enfermagem: guia prático. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

VIANA, R.A.P. Enfermagem em Terapia Intensiva: Práticas e Vivências. São Paulo: Manole, 2010.

WONG, D.L. Enfermagem Pediátrica: elementos essenciais à intervenção efetiva. 7ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

Links:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manuvac.pdf

http://www.corendf.org.br/portal

http://inter.corensp.gov.br/sites/default/files/principaislegislacoesabril11.pdf

http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/smulher.htm

http://dtr2001.saude.gov.br/svs/pub/pdfs/manunormasvac.pdf

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. TÍTULO VIII, da Ordem Social, Capítulo I e II, Seção I e II, In: SUS - o que você precisa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.25-28.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, 20 de setembro de 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde - SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. In: SUS - o que você precisa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.61-63.

ENFERMEIRO
CEDEP- CAPITAL - SÃO PAULO

ANASTASIOU, L.G.C.; ALVES, L.P. (Orgs.). Processos de Ensinagem na Universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula, 8 ed. Joinville, SC: UNIVILLE, 2009

BARROS, S.M.O.; MARIN, H.F.; ABRÃO, A.C.F. (Orgs.). Enfermagem obstétrica e ginecológica: guia para a prática assistencial. 9 ed. São Paulo: Roca, 2009

BARTMANN, M. Enfermagem Cirúrgica. 3 ed. São Paulo: Ed. SENAC, 2010

BERBEL N.A.N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v.2. n.2, 1998

BIANCHINI, E.F.; CARVALHO, R. Enfermagem em Centro Cirúrgico e Recuperação. São Paulo; Manole, 2007

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área da Saúde do Adolescente e do Jovem: Marco Legal: Saúde, um direito do adolescente. DF, 2005. Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/marcolegal.pdf

____________ . Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.

Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: DF, 2006. Caderno de Atenção Básica, n.19. Série A. Normas e manuais técnicos. Disponível em http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/publicacoes/cadernosab/abcad19.pdf. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do Paciente em Serviço de Saúde: Higienização das Mãos. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - 2009

_____________ . Constituição da República Federativa do Brasil. TÍTULO VIII, Da Ordem Social, Capítulo I e II, Seção I e

II. In: SUS - o que você precisa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.25-28

________________ . Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, 20 de setembro de 1990

_______________ . Ministério da Saúde. Lei Federal nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde - SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros da área da saúde e dá outras providências. In: SUS - o que você previsa saber sobre o Sistema Único de Saúde. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. 256p. p.61-63

______________ . Ministério da Educação. Lei Federal nº 9.394, de 29 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, 23 de dezembro de 1996. Seção I, p.27. 833-41 _____________ . Ministério da Educação Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer CNE/CEB nº 16/99, de 05 de outubro de 1999. Trata das diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional de nível técnico. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf,_legislacao/rede/legisla rede parecer1699.pdf>. Acesso em: 18 mai. 2011

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução COFEN 299/2005. Dispõe sobre indicativos para a realização de estágio curricular supervisionado de estudantes de enfermagem de graduação e do nível técnico da educação profissional. Disponível em: http://www.portalcofen.gov.br. Acesso em: 15 de maio de 2011

GEORGE, J.B. Teorias de enfermagem: os fundamentos à prática profissional. 4 ed. - Porto Alegre: Artes Médicas, 2000

GELAIN, I. A Ética, a Bioética e os Profissionais de Enfermagem. 4ª ed. São Paulo: EPU. 2010

HAIDT, R.C.C. Curso de Didática Geral. 2 ed. São Paulo: Ática

KURCGANT, P. Gerenciamento em Enfermagem. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010

SMELTZER; S.C; BARE, B.G. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgica. 11ª ed. Vol. 1;2;3. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009

TANNURE, M.C.; GONÇALVES, A.M.P. SAE - Sistematização da Assistência de Enfermagem: guia prático: Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008

VIANA, R.A.P. Enfermagem em Terapia Intensiva: Práticas e Vivências. São Paulo: Manole, 2010

WONG, D.L. Enfermagem Pediátrica: elementos essenciais à intervenção efetiva. 7 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006

Links:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manunormasvac.pdf

http://www.corendf.org.br/portal

http://inter.corensp.gov.br/sites/default/files/principaislegislacoesabril11.pdf

http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/genero/smulher.htm

http://dtr2001.saude.gov.br/svs/pub/pdfs/manunormasvac.pdf

FARMACÊUTICO (LABORATÓRIO CLÍNICO)

HSPE - PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

John P. Geer Wintrobe's Clinical - Hematology. 11th edition, 2003.

Patrick R. Murray, Manual of Clinical Microbiology, 9th edition, 2007.

Rodgers, GP, Young, N - Bethesda Handbook of Clinical. Hematology, 2nd edition, Lippincott, Williams & Wilkins, Philadelphia, USA, 2010.

Lippi G. Risk Management in the preanalytical phase of Laboratory. Testing. Clin Chem Lab Med 2007; 45: 720- 72.

Vaz, AJ; Takei, K; Bueno, EC - Imunoensaios. Fundações e Aplicações. Ed. Guanabara Koogan, 2007. Wild, D - The Immunoassay Handbook, 3ª ed. Elsevier Ed, UK, 2005.

Henry, J.B. - Diagnósticos Clínicos e tratamentos por métodos Laboratoriais, 20ª ed. Manole, 2008.

FÍSICO (MEDICINA NUCLEAR)

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Medicina Nuclear - James H. Thrall/Harvey A. Ziessman - Editora Guanabara Koogan.

Física para Ciências Biológicas e Biomédicas - Emico Okuno/Iberê L. Caldas/Cecil Show - Editora Harbra. Dosimetria e Higiene das Radiações - Thomaz Bitelli - Editora Gremio Politécnico USP.

FISIOTERAPEUTA
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Barros Filho, TEP; Lech O. Exame Físico em Ortopedia, Ed. Sawier, 2001.

Carvalho, JÁ: Amputação de membros inferiores em busca de plena reabilitação, São Paulo, Ed. Manole, 2ª edição, 2003.

Greve, JM; Casalis, MEP; Barros Filho, TEP: Diagnóstico e Tratamento da Lesão da Medula Espinhal, Ed. Rocca, 2001.

Kapandji, S: Fisioterapia Articular, São Paulo, Ed. Manole, 4ª Edição, 1980.

Kendall - Músculos: provas e funções, 4ª Edição, Ed. Manole, 1995.

Levy, JÁ; Oliveira, AS: Reabilitação em Doenças Neurológicas, Ed. Atheneu, 2003.

Kisner, C; Colby, LA: Exercícios Terapêuticos - Fundamentos e Técnicas, Ed. Manole, 2005.

Hoppenfeld S, Murthy VL: Tratamento e Reabilitação de Fraturas, Ed. Manole 2001.

Weinstein S, Buckwalter J: Ortopedia de Turek - Princípios e sua Aplicação, São Paulo, Ed. Manole, 5ª Edição, 2000.

Greve, JMD: Tratado de Medicina de Reabilitação. São Paulo, Roca, 2007.

Sarmento, GJV: O ABC da Fisioterapia Respiratória - São Paulo, Ed. Manole, 1ª Edição, 2009.

Greve, JMD - Tratado de Medicina de Reabilitação - São Paulo, Roca, 2007.

Lianza S. Medicina de Reabilitação, 4ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

Slutzky, LC. Fisioterapia respiratória nas enfermidades neuromusculares. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.

Hodgkin, J.E. Pulmonary Rehabilitation/Guidelines to Sucess.

Pierson, D.J. and, Kackmareck, R.M. Foundations of Respiratory Care.

Sarmento, GJV: Fisioterapia Respiratória no Paciente Crítico - São Paulo, Ed. Manole.

Knobel, Elias: Condutas nos Pacientes Graves.

Costa, Dirceu: Fisioterapia Respiratória Básica.

Azeredo, Carlos: Fisioterapia Respiratória Moderna.

Azeredo, Carlos: Fisioterapia Respiratória no Hospital Geral.

Carvalho: Ventilação Mecânica Básica e Avançada.

Felix, V.N.: Terapia Intensiva no Adulto, Pediatria/RN.

FISIOTERAPEUTA
PREVENIR- CAPITAL - SÃO PAULO

Barros Filho, TEP; Lech O. Exame Físico em Ortopedia, Ed. Sawier, 2001.

Carvalho, JÁ: Amputação de membros inferiores em busca de plena reabilitação, São Paulo, Ed. Manole, 2ª edição, 2003.

Greve, JM; Casalis, MEP; Barros Filho, TEP: Diagnóstico e Tratamento da Lesão da Medula Espinhal, Ed. Rocca, 2001.

Kapandji, S: Fisioterapia Articular, São Paulo, Ed. Manole, 4ª Edição, 1980.

Kendall - Músculos: provas e funções, 4ª Edição, Ed. Manole, 1995.

Levy, JÁ; Oliveira, AS: Reabilitação em Doenças Neurológicas, Ed. Atheneu, 2003.

Kisner, C; Colby, LA: Exercícios Terapêuticos - Fundamentos e Técnicas, Ed. Manole, 2005.

Hoppenfeld S, Murthy VL: Tratamento e Reabilitação de Fraturas, Ed. Manole 2001.

Weinstein S, Buckwalter J: Ortopedia de Turek - Princípios e sua Aplicação, São Paulo, Ed. Manole, 5ª Edição, 2000.

Greve, JMD: Tratado de Medicina de Reabilitação. São Paulo, Roca, 2007.

Sarmento, GJV: O ABC da Fisioterapia Respiratória - São Paulo, Ed. Manole, 1ª Edição, 2009.

Greve, JMD - Tratado de Medicina de Reabilitação - São Paulo, Roca, 2007.

Lianza S. Medicina de Reabilitação, 4ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

Slutzky, LC. Fisioterapia respiratória nas enfermidades neuromusculares. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.

Hodgkin, J.E. Pulmonary Rehabilitation/Guidelines to Sucess.

Pierson, D.J. and, Kackmareck, R.M. Foundations of Respiratory Care.

Sarmento, GJV: Fisioterapia Respiratória no Paciente Crítico - São Paulo, Ed. Manole.

Knobel, Elias: Condutas nos Pacientes Graves.

Costa, Dirceu: Fisioterapia Respiratória Básica.

Azeredo, Carlos: Fisioterapia Respiratória Moderna.

Azeredo, Carlos: Fisioterapia Respiratória no Hospital Geral.

Carvalho: Ventilação Mecânica Básica e Avançada.

Felix, V.N.: Terapia Intensiva no Adulto, Pediatria/RN.

BORGES, LH. As lesões por Esforços Repetitivos (LER) como índice de mal-estar no mundo do trabalho. Ver. CIPA. 2000; 252: 50-61.

GASPARINI SM, Barreto SM, Assunção AA. O professor, as condições de trabalhos e os efeitos sobre sua saúde. Educação e Pesquisa. 2005; 31(2): 189-199.

MAENO, M. Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Ministério da Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Área Técnica da Saúde do Trabalhador. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

FONOAUDIÓLOGO
HSPE - PREVENIR - CAPITAL - SÃO PAULO

Resoluções C.F.Fa :

190/97 Dispõe sobre a competência do Fonoaudiólogo em realizar Exames Audiológicos;

214/1998 Dispõe sobre a atuação do Fonoaudiólogo como perito em assuntos de sua competência e dá outras providências;

223/1999 Dispõe sobre a regulamentação de supervisão extra - curricular em Fonoaudióloga e dá outras providências;

233/1999 Dispõe sobre o registro profissional secundário, por exercício simultâneo em mais de um Conselho Regional de Fonoaudióloga;

246/2000 Dispõe sobre a competência do Fonoaudiólogo, quando no exercício de sua profissão, para solicitar exames e avaliações complementares e dá outras providências;

247/2000 Dispõe sobre a concessão de baixa de registro e reintegração profissional, e dá outras providências; 248/2000 "Dispõe sobre o Registro Profissional Provisório e/ou Definitivo de Fonoaudiólogo, e dá outras providências";

249/2000 Dispõe sobre a transferência de registro profissional de Fonoaudiólogo por alteração de domicílio profissional, e dá outras providências;

259/2000 Dispõe sobre a atuação do Fonoaudiólogo em Empresas, Representações e Centros que comercializem Aparelhos Auditivos;

260/2000 Dispõe sobre a atuação do Fonoaudiólogo em Triagem Auditiva Neonatal;

267/2001 Dispõe sobre a utilização da INTERNET pelos fonoaudiólogos e dá outras providências; 274/2001 Dispõe sobre a atuação do Fonoaudiólogo frente a triagem auditiva escolar;

275/2001 Dispõe sobre o registro de Pessoas Jurídicas nos Conselhos de Fonoaudióloga e dá outras providências;

276/2001 Dispõe sobre o responsável técnico em Fonoaudióloga e suas atribuições e dá outras providências; 283/2001 Dispõe sobre os valores de multas das infrações de pessoa jurídica, e dá outras providências; 284/2001 Altera a redação do artigo 4º, da Resolução CFFa nº 233/1999;

285/2001 Dispõe sobre o prazo de guarda de exames e prontuários pelo fonoaudiólogo;

305/2004 "Dispõe sobre a aprovação do Código de Ética da Fonoaudióloga, e dá outras providências;

309/2005 Dispõe sobre a atuação do Fonoaudiólogo na educação infantil, ensino fundamental, médio, especial e superior, e dá outras providências.

Leis , Decretos e outras legislações:

Lei 6965/81(Dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Fonoaudiólogo, e determina outras providências.); Lei 10.436/2002 (Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências);

Decreto 87218/82 (Regulamenta a Lei 6965/81, que dispõe sobre a regulamentação da profissão de Fonoaudiólogo, e determina outras providências);

Emenda Constitucional 34/2001 - Dá nova redação à alínea c do inciso XVI do art. 37 da Constituição Federal; HISTOQUÍMICO

HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Alves, V.A.F; Bacchi, C.; Vassalo, J. Manual de histoquímica. Sociedade Brasileira de Patologia, 1999

AFIP, Métodos histotecnológicos. 1992

JUNQUEIRA, L.C.U. Histologia Básica. 11 ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2008

KUMAR, ABBAS, FAUSTO. Robbins & Cotran: PATOLOGIA: Bases Patológicas das Doenças. 8 ed. Rio de Janeiro. Elsevier 2010

NUTRICIONISTA
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Mann. J at all, Nutrição humana, 3ª edição, vol.1 e 2, Ed. Guanabara Koogan - 2009. Calixto L. at all, Manual de Nutrição Parenteral, Ed. Rubio 2010.

Teixeira. S. at all Administração Aplicada às Unidades de Alimentação e Nutrição, Ed. Atheneu, 2007. Silva, S.M.C.S at all, Tratado de alimentação, Nutrição & Dietoterapia, Editora Roca, 2007. Waitzberg, D.L, Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica, vol. 1 e 2, 4ª edição.

Eneo A.S, Manual de Controle Higiênico-Sanitário em Alimentos, Liv. Varela.

Leão, L.S.C. de S. at all, Manual de Nutrição Clínica para Atendimento Ambulatorial do Adulto, Ed. Vozes, 2005.

Villela, N.B. at all Manual Básico para Atendimento Ambulatorial em Nutrição, Ed. Metha, 2002.

Scott Stump at all, Krause - Alimentos, Nutrição & Dietoterapia, Ed. Eselvier, 12ª edição.

NUTRICIONISTA
PREVENIR- CAPITAL - SÃO PAULO

Mann. J at all, Nutrição humana, 3ª edição, vol.1 e 2, Ed. Guanabara Koogan - 2009. Calixto L. at all, Manual de Nutrição Parenteral, Ed. Rubio 2010.

Teixeira. S. at all Administração Aplicada às Unidades de Alimentação e Nutrição, Ed. Atheneu, 2007.

Silva, S.M.C.S at all, Tratado de alimentação, Nutrição & Dietoterapia, Editora Roca, 2007.

Waitzberg, D.L, Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica, vol. 1 e 2, 4ª edição.

Eneo A.S, Manual de Controle Higiênico-Sanitário em Alimentos, Liv. Varela.

Leão, L.S.C. de S. at all, Manual de Nutrição Clínica para Atendimento Ambulatorial do Adulto, Ed. Vozes, 2005.

Villela, N.B. at all Manual Básico para Atendimento Ambulatorial em Nutrição, Ed. Metha, 2002.

Scott Stump at all, Krause - Alimentos, Nutrição & Dietoterapia, Ed. Eselvier, 12ª edição.

Sociedade Brasileira da Cardiologia / Sociedade Brasileira de Hipertensão / Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq. Bras. Cardiol. 2010; 95 (1 supl. 1): 1-51.

PSICÓLOGO

GRH - CENTRO DE FORMAÇÃO (CEDEP)- CAPITAL - SÃO PAULO

ALMEIDA, Walnice. Captação e seleção de Talentos. São Paulo: Editora Atlas, 2004. BANOV, Márcia Regina. Psicologia no gerenciamento de pessoas. São Paulo: Atlas, 2008.

BOM SUCESSO, Edina de Paula. Relações interpessoais e qualidade de vida no trabalho. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

PSICÓLOGO
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Psicoterapia breve de orientação psicanalítica. Eduardo Alberto Braier. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Psicoterapias Abordagens Atuais. Aristides Volpato Cordioli. Porto Alegre: Artmed, 1998.

A Psicologia do Envelhecimento: Uma Introdução. Ian Stuart-Hamilton. Porto Alegre: Artmed, 2002.

Velhice Aspectos Biopsicossociais. Guite I, Zimerman. Porto Alegre: Artmed. 2000.

Atualizações em Métodos Projetivos para Avaliação Psicológica. Anna Elisa de Villemor Amaral e Blanca Susana G. Werlang. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.

A avaliação da avaliação psicológica: Situação dos testes a partir da avaliação do Conselho Federal de Psicologia. Odair Furtado. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

Las Técnicas Proyectivas y El Proceso Psicodiagnóstico. Maria L.S. Ocampo y Colab. Buenos Aires: Nueva Visión, vol. I e II, 1976.

Doenças do corpo e doenças da alma: investigação psicanalítica. Lazslo A. Ávila. São Paulo: Escuta, 1996.

Em defesa de uma certa anormalidade. J.MCDOUGALL. Porto Alegre: Artes Médicas, 1983.

O mal estar na atualidade e as novas formas de subjetivação. Joel Birman. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

Temas de Psicologia: Entrevistas e Grupos. Jose Bleger. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Psicossomática Hoje. Julio de Mello Filho e Colaboradores. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

La interconsulta medico-psicológica em el marco hospitalário. Ferrari, Luchina e Luchina. Buenos Aires: Nueva Vision, 1971.

Experiências com grupos. W. R. Bion. Rio de Janeiro: 1975.

A primeira entrevista em psicanálise. Maud Mannoni. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1981.

Código de Ética profissional CRP.

O Primeiro Ano de Vida. René A. Spitz. São Paulo: Martins Fontes, 1979.

A Psicanálise da Criança. Teoria e Técnica. Arminda Aberastury. Porto Alegre: Artes Médicas, 1982.

A Técnica na Piscanálise Infantil. A Criança e o Analista: da relação ao campo emocional. Antonio Ferro. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

Natureza Humana. Donald W. Winnicott. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

A Psicologia da Criança. Jean Piaget e Bärbel Inhelder. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1973.

Como a Criança Pensa. A Psicologia de Piaget e suas Aplicações Educacionais. Ruth M. Beard. Instituiçãon Brasileira de Difusão Cultural-Ibrasa.

Manual de Psiquiatria Infantil. J. de Ajuriaguerra. Editora Masson do Brasil Ltda., 1983.

Adolescência e Saúde Mental. Groisman & Kusnetzoff. Porto Alegre: Artes Médicas, 1984.

Introdução à Obra de Melanie Klein. Hanna Segal. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

A organização do sistema de saúde no Brasil. Luis Cordoni Jr. e colaboradores. http://www.scribd.com/doc/2712814/organização-do-sistema-de-saude-no-brasil.

Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Os métodos Projetivos. D. Anzieu. Rio de Janeiro: Campus, 1984.

O singular plural - a psicanálise à prova do grupo. René Kaës. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

Psico-higiene e psicologia institucional. J. Bleger. Porto Alegre: Artes Médicas, 1984.

Grupos e configurações vinculares. J.W. Fernandes, B. Svartman e S.B. Fernandes ET. AL. Porto Alegre: Artmed, 2003.

Textos selecionados: da pediatria à psicanálise. D.W. Winnicott. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988.

Vastas confusões e atendimentos imperfeitos - a clínica. A.C. Figueiredo. Rio de Janeiro: Relume e Dumará, 1997.

Testagem psicológica. A. Anastari ES. A. Urbina. Porto Alegre: Artmed Editora, 2000.

Testes Proyectivos Gráficos. E. F. Hammer, Buenos Aires: Editorial Paidós, 1978.

Casa - Árvore - Pessoa Técnica projetiva de desenho HTP. Manual e Guia de Interpretação. J. N. Buck. São Paulo: Vetor Editora, 2003.

A importância do diagnóstico na psicologia hospitalar. Katia da Silva Wanderley. Revista Vetor Editora. Ano 1, nº 2, p.50-52.abril/2000.

Psicodiagnóstico: compreensão dos aspectos psíquicos da dor em portadoras de hérnia de disco. Katia da Silva Wanderley. Tese de Doutorado em Psicologia Clínica - IPUSP, São Paulo, 2003.

O lugar do pai -Subjetividade, Clínica e Contemporaneidade - Reflexões a partir de uma leitura freudiana. Maria Tereza V. Montserrat. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica - IPUSP, São Paulo, 2003.

Psicodignóstico: sua importância na prática clínica. Maria Tereza V. Montserrat. Temas. Teorias e prática da Psiquiatria. São Paulo, vol. 26, nº 51, janeiro/junho/1996, p.14-21.

Grupos terapêuticos em instituição da saúde: a relação entre a intersubjetividade e o intrapsíquico da Psicanálise. Mariangela Bento. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínic. IPUSP. Universidade de São Paulo, 2006.

Manual de Psiquiatria. EY, H.; BERNARD, P.; BRISSET, C. Ed. Masson do Brasil Ltda., 1985.

Psicanálise e Hospital. MOURA, M.D. de. Rio de Janeiro: Reviter, 1996.

PSICÓLOGO

(PREVENIR) - CAPITAL - SÃO PAULO

Psicoterapia breve de orientação psicanalítica. Eduardo Alberto Braier. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Psicoterapias Abordagens Atuais. Aristides Volpato Cordioli. Porto Alegre: Artmed, 1998.

A Psicologia do Envelhecimento: Uma Introdução. Ian Stuart-Hamilton. Porto Alegre: Artmed, 2002.

Velhice Aspectos Biopsicossociais. Guite I, Zimerman. Porto Alegre: Artmed. 2000.

Atualizações em Métodos Projetivos para Avaliação Psicológica. Anna Elisa de Villemor Amaral e Blanca Susana G. Werlang. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.

A avaliação da avaliação psicológica: Situação dos testes a partir da avaliação do Conselho Federal de Psicologia. Odair Furtado. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

Las Técnicas Proyectivas y El Proceso Psicodiagnóstico. Maria L.S. Ocampo y Colab. Buenos Aires: Nueva Visión, vol. I e II, 1976.

Doenças do corpo e doenças da alma: investigação psicanalítica. Lazslo A. Ávila. São Paulo: Escuta, 1996. Em defesa de uma certa anormalidade. J.MCDOUGALL. Porto Alegre: Artes Médicas, 1983.

O mal estar na atualidade e as novas formas de subjetivação. Joel Birman. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

Temas de Psicologia: Entrevistas e Grupos. Jose Bleger. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Psicossomática Hoje. Julio de Mello Filho e Colaboradores. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

La interconsulta medico-psicológica em el marco hospitalário. Ferrari, Luchina e Luchina. Buenos Aires: Nueva Vision, 1971.

Experiências com grupos. W. R. Bion. Rio de Janeiro: 1975.

A primeira entrevista em psicanálise. Maud Mannoni. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1981.

Código de Ética profissional CRP.

O Primeiro Ano de Vida. René A. Spitz. São Paulo: Martins Fontes, 1979.

A Psicanálise da Criança. Teoria e Técnica. Arminda Aberastury. Porto Alegre: Artes Médicas, 1982.

A Técnica na Piscanálise Infantil. A Criança e o Analista: da relação ao campo emocional. Antonio Ferro. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

Natureza Humana. Donald W. Winnicott. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

A Psicologia da Criança. Jean Piaget e Bärbel Inhelder. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1973.

Como a Criança Pensa. A Psicologia de Piaget e suas Aplicações Educacionais. Ruth M. Beard. Instituiçãon Brasileira de Difusão Cultural-Ibrasa.

Manual de Psiquiatria Infantil. J. de Ajuriaguerra. Editora Masson do Brasil Ltda., 1983.

Adolescência e Saúde Mental. Groisman & Kusnetzoff. Porto Alegre: Artes Médicas, 1984.

Introdução à Obra de Melanie Klein. Hanna Segal. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

A organização do sistema de saúde no Brasil. Luis Cordoni Jr. e colaboradores. http://www.scribd.com/doc/2712814/organização-do-sistema-de-saude-no-brasil.

Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Freud. Rio de Janeiro: Imago. Os métodos Projetivos. D. Anzieu. Rio de Janeiro: Campus, 1984.

O singular plural - a psicanálise à prova do grupo. René Kaës. São Paulo: Edições Loyola, 2011. Psico-higiene e psicologia institucional. J. Bleger. Porto Alegre: Artes Médicas, 1984.

Grupos e configurações vinculares. J.W. Fernandes, B. Svartman e S.B. Fernandes ET. AL. Porto Alegre: Artmed, 2003.

Textos selecionados: da pediatria à psicanálise. D.W. Winnicott. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988. Vastas confusões e atendimentos imperfeitos - a clínica. A.C. Figueiredo. Rio de Janeiro: Relume e Dumará, 1997.

Testagem psicológica. A. Anastari ES. A. Urbina. Porto Alegre: Artmed Editora, 2000.

Testes Proyectivos Gráficos. E. F. Hammer, Buenos Aires: Editorial Paidós, 1978.

Casa - Árvore - Pessoa Técnica projetiva de desenho HTP. Manual e Guia de Interpretação. J. N. Buck. São Paulo: Vetor Editora, 2003.

A importância do diagnóstico na psicologia hospitalar. Katia da Silva Wanderley. Revista Vetor Editora. Ano 1, nº 2, p.50-52.abril/2000.

Psicodiagnóstico: compreensão dos aspectos psíquicos da dor em portadoras de hérnia de disco. Katia da Silva Wanderley. Tese de Doutorado em Psicologia Clínica - IPUSP, São Paulo, 2003.

O lugar do pai -Subjetividade, Clínica e Contemporaneidade - Reflexões a partir de uma leitura freudiana. Maria Tereza V. Montserrat. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica - IPUSP, São Paulo, 2003.

Psicodignóstico: sua importância na prática clínica. Maria Tereza V. Montserrat. Temas. Teorias e prática da Psiquiatria. São Paulo, vol. 26, nº 51, janeiro/junho/1996, p.14-21.

Grupos terapêuticos em instituição da saúde: a relação entre a intersubjetividade e o intrapsíquico da Psicanálise. Mariangela Bento. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínic. IPUSP. Universidade de São Paulo, 2006.

Manual de Psiquiatria. EY, H.; BERNARD, P.; BRISSET, C. Ed. Masson do Brasil Ltda., 1985.

Psicanálise e Hospital. MOURA, M.D. de. Rio de Janeiro: Reviter, 1996.

ANASTASI, A. e URBINA, S. Testagem Psicológica, PortoAlegre: Artmed, 2000.

ARZENO, M.E.G, Psicodignóstico Clínico: Novas Contribuições. Porto Alegre: Artmed, 1995.

BENTO, M. Grupos Terapêuticos em instituições de saúde: a relação entre a intersubjetividade e o intrapsíquico na Psicanálise. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

BLEGER, J., Temas de Psicologia. Entrevista e Grupos. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BUCK, J.N. Manual e Guia de Interpretação. São Paulo: Vetor Editora, 2003.

CASTRO, R.C. Alergias Respiratórias e qualidade de vida: Interface Medicina e Psicanálise. Tese de Mestrado apresentada da FMUSP - São Paulo, 2004.

CICONELLI, R.M. Tradução para o Português e Validação de Questionário Genérico de Avaliação de Qualidade de Vida "Medical Outcomes Study 36 - Item Short - From Health Survey (SF-36)". São Paulo, 1997. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade de São Paulo.

DIAS. E.C.; ALMEIDA, I.M. (et al). Doenças relacionadas ao trabalho; manual de procedimentos para os serviços de saúde.

TERAPEUTA OCUPACIONAL
HSPE- CAPITAL - SÃO PAULO

Psiquiatria Básica: Hélio, Elkis; Diversos; Neto, Mario Rodrigues Louzã Artmed 2007

Manual de Psicopatologia Elie Cheniaux. 3ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008 O que os psiquiatras fazem C Sonenreich G Estevão Lemos, São Paulo, 2007

Psicopatologia e semiologia dos Transtornos Mentais Dalgalarondo P Porto Alegre: Artmed, 2000 Diretrizes para um modelo de assistência integral em saúde mental no Brasil ABP, 2006

NEISTADT, M.E., CREPEAU, E.B. - Willard & Spackman Terapia Ocupacional 9ª ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2002

HAGEDORN, R. Fundamentos da prática em Terapia Ocupacional. Dynamis Editorial, SP, 1999 Resoluções COFFITO nº 10 e 08

Código de Ética de Fisioterapia e Terapia Ocupacional

PADUA, E.M.M.; MAGALHÃES, L.V. Terapia Ocupacional: teoria e prática. São Paulo: Papirus, 2003

PEDRAL, C.; BASTOS, P. Terapia Ocupacional - Metodologia e Prática. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2008

BATTISTI, M.C.G.; QUIRINO, G. Ética do Cuidado (Código de Ética Comentado da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional). São Paulo: Musa Editora, 2006

CAVALCANTI, ALESSANDRA.; GALVÃO, CLAUDIA. Terapia Ocupacional: Fundamentação e Prática. Guanabara, 1ª edição, 2007

GRIEVE, J.; GNANASERARAN, L. Neuropsicologia para Terapeutas Ocupacionais: cognição no desempenho ocupacional. Santos Editora, 3ª edição, 2011

KIELHOFNER, G. Model of Human Occupation - theory and aplication. Wolter Kluwer/Lippincott Williams and Wilkins, 2007

KIELHOFNER, G. Conceptual foundations of Occupational Therapy Practica. Davis Company, 4ª edição, 2009

SODERBACK, I. International Handbook of Occupational Therapy Interventions. Springer, 2010

HOSPITAL DIA E REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL NO SERVIÇO DE PSIQUIATRIA DO HSPE, Luís de Moraes Altenfelder Silva Filho e col. Temas - São Paulo V.33 N.64-65 P. Jan/Dez.2003 Páginas 62 a 97

Fundamentos e prática de HD e Reabilitação Psicossocial Altenfelder Silva Fo. e col. São Paulo, Atheneo, 2008

ANEXO IV - MODELO DA DECLARAÇÃO DA CONDIÇÃO DE DESEMPREGADO

Declaração da Condição de Desempregado
Nome: ___________________________________________________
R.G.: _____________________
Última atividade (cargo):________________________
Local de execução (endereço): ___________________
Tempo de exercício: ___________________________
Data de desligamento: _____/_____/_____
Data: ___/___/___
Assinatura: __________________________________

136302

Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231