Aulas de Português - Ortografia

2. Ortografia.

A ortografia é a parte da língua responsável pela grafia correta das palavras. Essa grafia baseia-se no padrão culto da língua.

As palavras podem apresentar igualdade total ou parcial no que se refere a sua grafia e pronúncia, mesmo tendo significados diferentes. Essas palavras são chamadas de homônimas (canto, do grego, significa ângulo / canto, do latim, significa música vocal). As palavras homônimas dividem-se em homógrafas, quando tem a mesma grafia (gosto, substantivo e gosto, 1ª pessoa do singular do verbo gostar) e homófonas, quando tem o mesmo som (paço, palácio ou passo, movimento durante o andar).

Quanto à grafia correta em língua portuguesa, devem-se observar as seguintes regras:

O fonema s:

Escreve-se com S e não com C/Ç:

  • as palavras substantivadas derivadas de verbos com radicais em nd, rg, rt, pel, corr e sent.

Exemplos: pretender - pretensão / expandir - expansão / ascender - ascensão / inverter - inversão / aspergir aspersão / submergir - submersão / divertir - diversão / impelir - impulsivo / compelir - compulsório / repelir - repulsa / recorrer - recurso / discorrer - discurso / sentir - sensível / consentir - consensual

Escreve-se com SS e não com C e Ç:

  • os nomes derivados dos verbos cujos radicais terminem em gred, ced, prim ou com verbos terminados por tir ou meter

Exemplos: agredir - agressivo / imprimir - impressão / admitir - admissão / ceder - cessão / exceder - excesso / percutir - percussão / regredir - regressão / oprimir - opressão / comprometer - compromisso / submeter - submissão

  • quando o prefixo termina com vogal que se junta com a palavra iniciada por s

Exemplos: a + simétrico - assimétrico / re + surgir - ressurgir

  • no pretérito imperfeito simples do subjuntivo

Exemplos: ficasse, falasse

Escreve-se com C ou Ç e não com S e SS:

  • os vocábulos de origem árabe:

Exemplos: cetim, açucena, açúcar

  • os vocábulos de origem tupi, africana ou exótica

Exemplos: cipó, Juçara, caçula, cachaça, cacique

  • os sufixos aça, aço, ação, çar, ecer, iça, nça, uça, uçu.

Exemplos: barcaça, ricaço, aguçar, empalidecer, carniça, caniço, esperança, carapuça, dentuço

  • nomes derivados do verbo ter.

Exemplos: abster - abstenção / deter - detenção / ater - atenção / reter - retenção

  • após ditongos

Exemplos: foice, coice, traição

  • palavras derivadas de outras terminadas em te, to(r)

Exemplos: marte - marciano / infrator - infração / absorto - absorção

O fonema z:

Escreve-se com S e não com Z:

  • os sufixos: ês, esa, esia, e isa, quando o radical é substantivo, ou em gentílicos e títulos nobiliárquicos.

Exemplos: freguês, freguesa, freguesia, poetisa, baronesa, princesa, etc.

  • os sufixos gregos: ase, ese, ise e ose.

Exemplos: catequese, metamorfose.

  • as formas verbais pôr e querer.

Exemplos: pôs, pus, quisera, quis, quiseste.

  • nomes derivados de verbos com radicais terminados em d.

Exemplos: aludir - alusão / decidir - decisão / empreender - empresa / difundir - difusão

  • os diminutivos cujos radicais terminam com s

Exemplos: Luís - Luisinho / Rosa - Rosinha / lápis - lapisinho

  • após ditongos

Exemplos: coisa, pausa, pouso

  • em verbos derivados de nomes cujo radical termina com s.

Exemplos: anális(e) + ar - analisar / pesquis(a) + ar - pesquisar

Escreve-se com Z e não com S:

  • os sufixos ez e eza das palavras derivadas de adjetivo

Exemplos: macio - maciez / rico - riqueza

  • os sufixos izar (desde que o radical da palavra de origem não termine com s)

Exemplos: final - finalizar / concreto - concretizar

  • como consoante de ligação se o radical não terminar com s.

Exemplos: pé + inho - pezinho / café + al - cafezal ≠ lápis + inho - lapisinho

O fonema j:

Escreve-se com G e não com J:

  • as palavras de origem grega ou árabe

Exemplos: tigela, girafa, gesso.

  • estrangeirismo, cuja letra G é originária.

Exemplos: sargento, gim.

  • as terminações: agem, igem, ugem, ege, oge (com poucas exceções)

Exemplos: imagem, vertigem, penugem, bege, foge.

Observação

Exceção: pajem

  • as terminações: ágio, égio, ígio, ógio, ugio.

Exemplos: sufrágio, sortilégio, litígio, relógio, refúgio.

  • os verbos terminados em ger e gir.

Exemplos: eleger, mugir.

  • depois da letra "r" com poucas exceções.

Exemplos: emergir, surgir.

  • depois da letra a, desde que não seja radical terminado com j.

Exemplos: ágil, agente.

Escreve-se com J e não com G:

  • as palavras de origem latinas

Exemplos: jeito, majestade, hoje.

  • as palavras de origem árabe, africana ou exótica.

Exemplos: alforje, jibóia, manjerona.

  • as palavras terminada com aje.

Exemplos: laje, ultraje

O fonema ch:

Escreve-se com X e não com CH:

  • as palavras de origem tupi, africana ou exótica.

Exemplo: abacaxi, muxoxo, xucro.

  • as palavras de origem inglesa (sh) e espanhola (J).

Exemplos: xampu, lagartixa.

  • depois de ditongo.

Exemplos: frouxo, feixe.

  • depois de en.

Exemplos: enxurrada, enxoval

Observação:

Exceção: quando a palavra de origem não derive de outra iniciada com ch - Cheio - (enchente)

Escreve-se com CH e não com X:

  • as palavras de origem estrangeira

Exemplos: chave, chumbo, chassi, mochila, espadachim, chope, sanduíche, salsicha.

As letras e e i:

  • os ditongos nasais são escritos com e: mãe, põem. Com i, só o ditongo interno cãibra.
  • os verbos que apresentam infinitivo em -oar, -uar são escritos com e: caçoe, tumultue. Escrevemos com i, os verbos com infinitivo em -air, -oer e -uir: trai, dói, possui.
  • atenção para as palavras que mudam de sentido quando substituímos a grafia e pela grafia i: área (superfície), ária (melodia) / delatar (denunciar), dilatar (expandir) / emergir (vir à tona), imergir (mergulhar) / peão (de estância, que anda a pé), pião (brinquedo).
Política de Privacidade 2000-2014 PCI Concursos Telefone (11) 2122-4231